Você está na página 1de 2

TERMO DE ACORDO firmado entre as partes abaixo qualificadas e referendado pelo(a)

Defensor(a) Público(a), para os fins do que dispõe o art. 585, inciso II, do Código de
Processo Civil c/c o art. 13 da Lei 10.741/03, com a redação dada pela Lei 11.737/08.

ACORDO EXTRAJUDICIAL

Aos dias do mês de de 200 , na sede da


Defensoria Pública (especificar a unidade) compareceram o(a) Sr. (a) (qualificação),
residente e domiciliado(a) na (endereço) , denominado Primeiro Transator,
e o Sr.(a) (qualificação), residente e domiciliado(a) na (endereço), denominado Segundo
Transator.

Pelas partes presentes, no intuito de prevenir ou terminar litígio


entre ambos, foi requerido ao (à) Defensor Público(a) subscrito(a) que fosse lavrado o
presente TERMO DE ACORDO, realizado em caráter irrevogável e irretratável, mediante
as cláusulas e condições abaixo, o qual, depois de lido e achado conforme pelos
transatores, foi por eles assinado em três (dependendo do número de acordantes, além
da cópia da Defensoria) vias de igual teor e REFERENDADO PELO(A) DEFENSOR(A)
PÚBLICO(A), para que surta seus efeitos na forma do art. 585, inciso II, do Código
Processo Civil.

Cláusula Primeira

O Segundo Transator, que é (vínculo de parentesco) do


Primeiro Transator concorda, pelo presente, com o pagamento de pensão alimentícia a
este (a) no valor de (especificar o valor), servindo tal pagamento como forma de custeio
para as necessidades de sustento do Primeiro Transator, que vem passando dificuldades
financeiras e diversas privações sem o referido auxílio.

Cláusula Segunda

O valor mencionado deverá ser pago ao Primeiro Transator


mediante (depósito em conta ou mediante recibo – no caso de depósito em conta,
mencionar banco, agência e número da conta) até o dia do mês seguinte ao vencido.

Cláusula Terceira

O Segundo Transator está ciente de que o presente acordo


constitui título executivo extrajudicial, podendo ser executado no caso de
descumprimento, nos termos do art. 585, II do Código de Processo Civil, c/c o art. 13 da
Lei 10.741/03 (Estatuto do Idoso)

Primeiro Transator ____________________________________________________


Segundo Transator ____________________________________________________
Defensor(a) Público(a) ____________________________________________________
Legislação:

Código de Processo Civil.


Art. 585. São títulos executivos extrajudiciais:
II - a escritura pública ou outro documento público assinado pelo devedor; o documento
particular assinado pelo devedor e por duas testemunhas; o instrumento de transação
referendado pelo Ministério Público, pela Defensoria Pública ou pelos advogados dos
transatores;

Lei nº 10.741/03 (Estatuto do Idoso).


Art. 11. Os alimentos serão prestados ao idoso na forma da lei civil.
Art. 12. A obrigação alimentar é solidária, podendo o idoso optar entre os prestadores.
Art. 13. As transações relativas a alimentos poderão ser celebradas perante o Promotor
de Justiça ou Defensor Público, que as referendará, e passarão a ter efeito de título
executivo extrajudicial nos termos da lei processual civil.
(Redação dada pela Lei nº 11.737, de 2008)

Lei Complementar estadual nº 988/06 (Lei Orgânica da Defensoria Pública do


Estado).
Art. 3º. A Defensoria Pública do Estado, no desempenho de suas funções, terá como
fundamentos de atuação a prevenção dos conflitos e a construção de uma sociedade
livre, justa e solidária, a erradicação da pobreza e da marginalidade, e a redução das
desigualdades sociais e regionais.
Art. 5º. São atribuições institucionais da Defensoria Pública do Estado, dentre outras:
VI - promover:
a) a mediação e conciliação extrajudicial entre as partes em conflito de interesses;
c) a tutela individual e coletiva dos interesses e direitos da criança e do adolescente, do
idoso, das pessoas com necessidades especiais e das minorias submetidas a tratamento
discriminatório;
Art. 50. Aos Defensores Públicos cumpre a execução das atribuições institucionais da
Defensoria Pública do Estado, competindo-lhes a defesa judicial e extrajudicial, individual
e coletiva, dos necessitados.
Art. 51. Aos Defensores Públicos, no desempenho de suas funções, observado o
disposto no artigo 5º desta lei complementar, caberá:
I - cumprir suas atribuições de modo a alcançar a mais ampla defesa jurídica, valendo-se
dos meios necessários para agilizar a solução dos conflitos;
Art. 164. São deveres dos membros da Defensoria Pública do Estado, além de outros
previstos em lei:
II – racionalizar, simplificar e desburocratizar os procedimentos, evitando solicitar aos
usuários documentos ou diligências prescindíveis à prestação do serviço;

* Sugestão: impressão da legislação indicada como fundamento do ato no verso da


última folha do termo de acordo.