Você está na página 1de 1

Seminário Maior Arquidiocesano De Brasília

Curso: Filosofia Disciplina: Ética Professor: Pe Tiago


Seminarista: Lucas Soares dos Santos

1. Como Platão, Aristoteles e Tomás de Aquino veem a virtude da prudência?


Para Platão a prudência, uma das quatro virtudes cardeais, é a primeira entre as várias
virtudes que o chefe de uma pólis deve ter.
Para Aristóteles, a virtude da prudência será distinta da ciência e da arte, desse modo a
virtude será um discernimento entre o bem e o mal. A prudência em Aristóteles terá uma
subdivisão: política, própria do Estado; econômica: própria da vida em família; moral:
própria do homem particular.
Para Tomás a prudência será a atitude para se escolher os meios oportunos para se
conseguir um fim. É a virtude mais necessária ao homem porque o ajuda a agir bem,
escolhendo os meios necessários, conhecendo os casos particulares e singulares (das quais
ilumina a ação concreta) e os princípios universais.
2. Diferencie a virtude da prudência da arte.
A prudência iluminando a ação pode assumir diversas relações, entre elas está a arte:
A arte é uma virtude intelectual que permite retificar a inteligência na ordem do agir, que
é uma atividade humana. A arte desse modo é uma atividade interior que é exteriorizada,
porém somente a atividade humana tem uma qualificação moral e não a arte. A prudência
está ordena ao bem operante que tende a dirigir a ação da pessoa, desse modo o objeto
próprio da arte só retorna ao homem como reflexo do seu próprio gênio, enquanto a obra
da prudência é o próprio bem do homem.
3. De que modo a prudência é uma virtude intelectual e o que ela ser, também, uma
virtude moral?
A prudência enquanto virtude intelectual está vinculada ao intelecto prático porque
uma vez que tem que ajudar a discernir, ela ajuda o indivíduo a conhecer, para depois
dirigir e mandar, desse modo a virtude da prudência atua como virtude intelectual e moral,
lembrando que só se pode agir bem se e somente se a razão estiver ordenada.
4. O que se deve ter em consideração na formação da virtude da prudência?
Não há prudência sem virtude moral, a posse da prudência implica a posse das
virtudes morais: porque é a reta determinação dos meios para escolher os fins da vida
humana. A virtude da prudência tem que estar acompanhada pelas outras virtudes para
não se deixar arrastar pelas paixões. Desse modo todas as virtudes devem estar ligadas
para se formarem no indivíduo.

Você também pode gostar