Você está na página 1de 11

Índice

Estágios da infância (Criança)

A infância é um período onde há grande desenvolvimento da criança, deve-se esclarecer que


elas ainda não têm maturidade psicológica suficiente para serem consideradas adolescentes,
mesmo tendo seu porte físico. Do nascimento até o início da adolescência os pais são os
principais modelos da criança, com quem elas aprendem, principalmente por imitação. Filhos
de pais que os abusam ou negligenciam tendem a sofrer de vários problemas psicológicos,
inclusive, depressão. A principal atividade das crianças são as brincadeiras, as quais são
responsáveis por estimular o desenvolvimento do intelecto infantil, a coordenação motora e
diversos outros aspectos importantes ao desenvolvimento pleno da criança.[2]

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, uma pessoa é considerada criança do


nascimento até os 12 anos incompletos.

0 - 18 meses

Neste estágio, o bebê é totalmente dependente de terceiros (geralmente, dos pais) para
quaisquer coisas como locomoção, alimentação ou higiene. Neste período, o bebé aprende
actos básicos de locomoção como sentar, engatinhar, andar. Recomenda-se
o aleitamento materno exclusivo até que o sexto mês de vida; isso porque o leite materno tem
uma composição mais adequada e exige cuidados mais simples em relação a outros tipos de
leite, bem como possui anticorpos e outros fatores para proteger o lactente de infecções, e
ainda fortalece a relação entre a mãe e seu filho. Caso haja empecilho ou, raramente, contra-
indicação, ao aleitamento materno, leites substitutos como de vaca, cabra ou soja podem ser
usados, além de leites de vaca modificados para ter composição mais semelhante ao humano.
Esses leites, porém, têm maior risco de induzir alergias na criança (especialmente os leites
animais in natura), e exigem suplementação de nutrientes como ferro ou ácido fólico, exceto
aqueles que têm adição de vitaminas. Após o sexto mês de vida, a dieta alimentar de um bebê
começa a variar, com a introdução lenta e gradual de novos alimentos.

Neste estágio da vida, a criança cresce muito rapidamente. Os primeiros cabelos, bem como
os primeiros dentes, aparecem neste estágio. Aos 18 meses de vida, a maioria dos bebês já
soltaram suas primeiras palavras. Este período é caracterizado pelo egocentrismo, pois o bebê
não compreende que faz parte de uma sociedade, e o mundo para ele gira em torno de si
mesmo. Os primeiros 1.000 dias de vida - o tempo entre a concepção e o segundo aniversário
- é um período único de oportunidade, quando são estabelecidos os fundamentos da saúde,
crescimento e neurodesenvolvimento ideais ao longo da vida. A desnutrição enfraquece essa
base, levando a morbidades significativas, como saúde precária e, de forma mais insidiosa,
perda substancial do potencial de desenvolvimento neurológico.[3]

18 meses - 3 anos

Neste estágio a criança cresce menos do que durante os primeiros 18 meses de vida, já pode
correr uma curta distância por si mesma, comer sem a ajuda de terceiros, falar
algumas palavras que têm significado (por exemplo, mamãe, papai, bola, etc), e a expectativa
é que a criança continue a melhorar estas habilidades.

O principal aspecto desta faixa etária é o desenvolvimento gradual da fala e da linguagem.


Aos três anos de idade, a criança já pode formar algumas frases completas (e corretas
gramaticalmente) usando palavras já aprendidas, e possui um vocabulário de
aproximadamente 800 a mil palavras. Lentamente passa a compreender melhor o mundo à sua
volta, e a aprender que neste mundo há regras que precisam ser obedecidas, embora ainda seja
bastante egocêntrica - comumente vendo outras pessoas mais como objetos do que pessoas,
não sabendo que estas possuem sentimentos próprios. Assim sendo, a criança muitas vezes
prefere brincar sozinha a brincar com outras crianças da mesma faixa etária. No final desta
faixa etária, uma criança geralmente já sabe diferenciar pessoas do sexo masculino e pessoas
do sexo feminino, e também já começa a ter suas próprias preferências,
como roupas e entretenimentos, por exemplo. Pode também ser capaz de se vestir sem a ajuda
de terceiros, e de antecipar acontecimentos.

3 - 4 anos

Crianças desta faixa etária começam a desenvolver os aspectos básicos de responsabilidade e


de independência, preparando a criança para o próximo estágio da infância e os anos iniciais
de escola. As crianças desta faixa etária são altamente ativas em geral, constantemente
explorando o mundo à sua volta. As crianças passam também a aprender que na sociedade
existem coisas que eles podem ou não fazer.

Nesta faixa etária, a criança já compreende melhor o mundo à sua volta , tornando-se
gradualmente menos egocêntrica e melhor compreendendo que suas ações podem afetar as
pessoas à sua volta. Também passam a compreender que outras pessoas também possuem
seus próprios sentimentos. Assim sendo, as crianças gradualmente aprendem sobre a
existência de padrões de comportamentos , ações que podem ou devem ser feitas, e ações que
não devem ser feitas. Os pais da criança são os principais modelos da criança nesta faixa
etária . geralmente determinam se uma dada ação da criança foi boa ou má, muitas vezes
recompensando a criança pelas suas boas ações e castigando a criança pelas suas más ações.

Crianças, a partir dos três anos de idade, também passam a aprender padrões de
comportamento de um processo chamado identificação. As crianças passam a se identificar
com outra pessoa por causa de vários motivos, incluindo laços de amizade (um amigo ou uma
pessoa próxima como outro parente ou uma babá, por exemplo) e semelhanças físicas e
psicológicas. Também a partir dos três anos de idade que as crianças passam a ver diferenças
entre pessoas do sexo masculino e feminino, tanto nos aspectos físicos quanto nos aspectos
psicológicos, como os estereótipos dados a ambos os sexos pela sociedade (exemplos: menino
brinca com bola, menina brinca com boneca).

A grande maioria das crianças abandona as fraldas nesta faixa etária. A partir dos três anos de
idade, a criança cresce lentamente, em contraste com o crescimento acelerado ocorrido desde
o nascimento até os dezoito meses de vida. Meninos e meninas têm peso e altura semelhantes.

5 - 9 anos
A partir do quinto ano de vida, crianças passam a dar um crescente valor à amizade.

O período entre cinco a nove anos de idade é marcado pelo desenvolvimento psicológico da
criança. Esta continua a se desenvolver fisicamente, lenta e gradualmente, mas acima de tudo
elas se desenvolvem e amadurecem socialmente, emocionalmente e mentalmente.

Na maioria das sociedades, as crianças já aprenderam regras e padrões de comportamento


básicos da sociedade por volta do quinto ano de vida. Elas aprendem então a discernir se uma
dada ação é certa ou errada. A vida social da criança passa a ser cada vez mais importante, e é
comum nesta faixa etária o que se chama de o(a) melhor amigo(a).

Na maioria dos países, crianças precisam ir à escola, geralmente a partir do sexto ou do


sétimo ano de vida. Atualmente, no Brasil o governo aderiu obrigação dos pais levarem as
crianças na escola a partir dos cinco anos de idade. Nesta faixa etária, regras básicas da
sociedade são mais bem compreendidas. Aqui, é dada ênfase à capacidade de resolução de
problemas, uma habilidade que é aperfeiçoada com o passar do tempo. A racionalização
também é uma habilidade que é aprendida e constantemente melhorada. Até o quinto ou sexto
ano de vida, as crianças muitas vezes procuram resolver problemas através da primeira
solução - certa ou não, racional ou não - que vem à sua mente. Após o quinto ou o sexto ano
de vida, a criança passa procurar por diversas soluções, e a reconhecer a solução correta ou
aquela que mais se aplica ao solucionamento do problema.
Por volta dos sete ou oito anos de idade, as crianças passam a racionalizar seus pensamentos e
suas crenças, procurando as razões, os porquês por trás de um problema ou de um fato.
Assim, as próprias crianças passam a analisar os padrões de comportamento ensinados pela
família e sociedade. Além disso, a partir dos seis anos de idade, as crianças passam a se
comparar com outras crianças da mesma faixa etária. Estes dois fatos, aliados ao crescimento
da vida social da criança, diminuem a importância dos pais e da família como modelos de
comportamento da criança, e aumentam a importância dos amigos e dos professores.

Características da infância: 6 etapas do desenvolvimento físico e mental

A infância é o tempo que vai do nascimento à maturidade dos pequenos, e é dividida em


períodos diferentes. Essas fases servem para classificar as crianças de acordo com
as características físicas, psicológicas e sociais da infância. E, para agrupá-los com base no
comportamento específico da idade.
Através deste blog, você conhecerá as mudanças que o menino e a menina enfrentam em cada
estágio. Além disso, as diferenças entre os vários períodos de acordo com a idade. Portanto,
continue lendo ou aprenda profissionalmente sobre o assunto na nossa Escola de Pedagogia.
Características da infância em suas diferentes etapas
Você certamente saberá que cada menino e menina são muito diferentes. Portanto, os limites
entre as fases da infância variam e não ocorrem da mesma maneira. De qualquer forma, em
todos esses momentos, há um crescimento na recepção de informações sobre os sentidos e seu
ambiente. Além disso, é apreciada a compreensão de conceitos que vão além do presente, isto
se sua educação for adequada e natural.
Aqui está uma categorização da evolução do sistema nervoso de meninos e meninas que
ocorre de maneira semelhante em qualquer sociedade e cultura.
Período intra-uterino
Diz-se que a infância é concebida desde o nascimento, no entanto, pode começar mais cedo,
principalmente nos casos de parto prematuro. Este estágio é considerado perigoso por causa
das anomalias que podem surgir. No entanto, a formação do bebê é rápida e os sentidos são
aperfeiçoados. É quando o aprendizado principal é gerado, principalmente através da orelha.
Embora sua memorização seja simples e básica.
Outra característica da infância nesta fase é a falta de maturação nas estruturas biológicas do
organismo. Além disso, eles ainda não têm oportunidade de aprender ao mesmo tempo em seu
ambiente social e sensorial.
Características da infância do período neonatal
Essa etapa inclui os primeiros 28 dias ou o primeiro mês inteiro de vida. Este é o período mais
importante de meninos e meninas, pois existem vários casos de mortalidade e morbidade que
podem levar a sérias conseqüências neurológicas.
No entanto, durante esse tempo, aprendem com tudo ao seu redor, distinguem os fonemas e
começam a se comunicar com os mais próximos, mas ainda não dominam o idioma.
Quanto às mudanças físicas, nesta fase, o corpo começa a crescer menos cabeça.
Estágio de lactação
Nesta fase, as mudanças físicas e psicológicas são notadas principalmente, pois há mais
mudanças no comportamento. Uma das principais características da infância nessa fase é que
elas começam a desenvolver uma musculatura forte que as ajuda a manter uma postura rígida.
Além disso, eles começam a tagarelar e dizem palavras falsas.
Na verdade, a amamentação é um dos aspectos mais relevantes, pois fornece comida e cria um
canal de comunicação com a mãe.
Fase da primeira infância
Essa fase vai do primeiro ano de vida ao terceiro. Durante esse período, eles aprendem a
controlar o uso correto da linguagem. Embora, a princípio, sejam palavras simples, elas
podem criar frases simples, mas com alguns erros.
Em outro aspecto, é nesta fase que eles começam a controlar os esfíncteres e mostram muita
curiosidade para descobrir as coisas. Além disso, é quando eles concentram sua atenção em
conceitos que se referem a si mesmos porque são os mais fáceis de entender e se relacionar
com suas experiências sensoriais.
Se falarmos sobre mudanças físicas, enfatizaremos que o torno e os membros continuam a
crescer. Além disso, a diferença de tamanho entre a cabeça e o resto do corpo é reduzida,
embora esse processo seja mais lento do que nos estágios anteriores.
Período pré-escolar
O tempo pré-escolar varia de três a seis anos. As características da infância que se destacam
nessa fase são descobertas, engenhosidade e curiosidade. Além disso, eles têm controle total
dos esfíncteres e de seu auto cuidado, sendo mais independentes.
Assim, quando ingressam em outra comunidade, como a escola, começam a interagir com
outras crianças que são importantes para elas. Graças a isso, eles começam a desfrutar de
diferentes empresas, a compartilhar jogos e a se alegrar com suas realizações de maneira
natural.
Características do período escolar
O crescimento e a maturação são mais lentos nesta fase, mas são constantes. Além disso,
existem poucos estressares físicos e emocionais, e seus campos de ação aumentam.
Além disso, eles começam a adotar uma educação com hábitos saudáveis. Isso significa que
eles começam a se exercitar, mantêm um plano de refeições e brincam mais. Isso os ajuda a
desfrutar da saúde física e mental a curto e longo prazo.
Na verdade, a família e o círculo social externo afetam seu desenvolvimento na maioria dos
estágios. No entanto, ele influencia muito este último, pois é quando eles começam a
configurar sua identidade a partir desse fator.
Nesse sentido, é importante permitir que o menino e a menina se desenvolvam livremente e
tenham uma educação natural. Embora os diferentes espaços e ferramentas de aprendizado
sempre ajudem seu desenvolvimento a ser ideal.

Fases do Desenvolvimento criança Jean Piaget

A teoria do desenvolvimento cognitivo de Jean Piaget sugere que as crianças passam por
quatro estágios diferentes de desenvolvimento mental.

Sua teoria se concentra não apenas no entendimento de como as crianças adquirem


conhecimento, mas também no desenvolvimento da inteligência na infância.

Os quatro estágios cognitivos do desenvolvimento infantil

O que as crianças são capazes de aprender em cada fase do seu desenvolvimento? Como suas
habilidades para reagir e interagir com o ambiente se desenvolvem? Essas foram algumas das
perguntas que o psicólogo francês Jean Piaget respondeu em 1952, quando publicou sua teoria
sobre o desenvolvimento cognitivo em crianças, referindo os quatro estágios. 

Cada fase de desenvolvimento mental é marcada por uma faixa etária e por processos de
aprendizagem novos. Confira cada um de modo mais detalhado:

Fase sensório-motora: nascimento até cerca de 2 anos


Durante este estágio, as crianças aprendem sobre o mundo por meio dos seus sentidos e da
manipulação de objetos. A principal conquista durante este estágio é a permanência do objeto,
ou seja, saber que um objeto ainda existe, mesmo que você não possa vê-lo.

Isso requer a capacidade de formar uma representação mental dos objetos.

Fase pré-operacional: de 2 a 7 anos

Durante esse estágio, as crianças desenvolvem a imaginação e a memória. Elas também são
capazes de entender a ideia de passado e futuro, e interpretar as coisas simbolicamente.

O pensamento nessa fase ainda é egocêntrico, desse modo, a criança tem dificuldade em ver o
ponto de vista dos outros.

Estágio operacional concreto: 7 a 11 anos

Durante esse estágio, as crianças se tornam mais conscientes do sentimento dos outros e dos
eventos externos. Elas vão se tornando menos egocêntricas, começando a entender que nem
todos compartilham seus pensamentos, crenças ou sentimentos.

Para Piaget, esse estágio é um grande ponto de virada no desenvolvimento cognitivo da


criança, pois marca o início do pensamento lógico ou operacional. Isso significa que a criança
pode resolver as coisas internamente em sua cabeça, em vez de apenas fisicamente.

Estágio operacional formal: 11 anos ou mais

O estágio operacional formal começa aproximadamente aos onze anos e dura até a idade
adulta. Durante esse estágio, as crianças são capazes de usar a lógica para resolver problemas,
planejar seu futuro e ver o mundo ao seu redor.

Os principais conceitos da teoria de Piaget

Piaget acreditava que as crianças assumem um papel ativo no processo de aprendizagem,


agindo como pequenos cientistas enquanto realizam experimentos, fazem observações e
aprendem sobre o mundo.
À medida que as crianças interagem com o mundo ao seu redor, elas vão adicionando novos
conhecimentos, se baseando no que já conhecem e adaptando ideias anteriores.

Deste modo, o desenvolvimento cognitivo seria uma reorganização progressiva dos processos
mentais, que evolui de acordo com a maturação biológica e a experiência ambiental.

Você também pode gostar