Você está na página 1de 39

Curso Saúde em Viagens: antes, durante e depois

Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

CONCEITOS BÁSICOS DE
IMUNOLOGIA

Sandra do Lago Moraes


Pesquisadora Científica do IMTSP
 Definições
 Definições
 Resposta contra o quê?
 Resposta contra o quê?
 Componentes do sistema imune
 Componentes do sistema imune
 Como acontece a resposta imune
 Como acontece a resposta imune
Imunologia: ciência que estuda a imunidade
Imunidade: conjunto de processos fisiológicos
que permite ao organismo reconhecer corpos
estranhos e responder contra os mesmos
“imunidade” vem do latim immunitas: proteção
de processo
O que élegal oferecida aos senadores
romanos durante os seus mandatos
Imunidade?
Sistema imune:
imune conjunto de moléculas, células, tecidos
e órgãos que trabalham juntos para defender o
organismo contra a ação de agentes estranhos

Resposta imune: resposta coordenada e


coletiva das células e moléculas do sistema
imune em resposta a um agente estranho
Um pouco da história da Imunologia

 Segundo historicistas, Thucydides, em


Atenas, 5º século AC, foi o primeiro a
mencionar imunidade a uma infecção que
chamou de praga (“plague”)
 provavelmente a noção de imunidade é
anterior, pois sabe-se do costume chinês de
fazer as crianças inocularem pó feito das
lesões de pele de pacientes em recuperação
de varíola para se tornarem resistentes à
doença
Imunologia é uma ciência experimental

 depende de como manipular o sistema


imune sob determinadas condições
 primeiro exemplo desta manipulação-
vacinação contra varíola de Edward
Jenner
Primeira vacinação- 1798
Observação de E. Jenner: ordenhadores de leite que se
infectavam com o vírus da varíola de gados,
manifestavam uma doença mais branda e nunca
contraíam a varíola humana.

Inoculou um garoto de 8 anos


com pústula de varíola e
depois o desafiou e ele se
protegeu

Vacinação, que vem de vaccinus,


vaca em latim

1980- OMS declarou a


erradicação da varíola
 Definições

 Resposta contra o quê?


 Componentes do sistema imune
 Como acontece a resposta imune
Defender do quê?

 Agentes infecciosos- função fisiológica do


sistema imune
 Células cancerígenas
 Órgãos transplantados

 Células e tecidos próprios: autoimunidade


O sistema imune na saúde e na doença

 Sistema imune fraco não


dá conta do recado
 Sistema imune
hiperativo: ataca os
próprios tecidos
 Sistema imune em
equilíbrio: eficiente
contra agentes nocivos
Os microrganimos não são vilões

 Apenas 10% de todos os microrganismos são


causadores de doenças
 Os microrganismos são nossos parceiros
evolutivos
 para cada célula 10 microrganismos,
os quais fazem parte da microbiota normal

 Mas, há os que não estão adaptados...


Agentes infecciosos

 Agentes patogênicos: agentes biológicos


capazes de causar doenças aos animais
 Podem entrar no corpo através do ar, da
água, dos alimentos, sangue ou por
lesões da pele ou mucosas
• Bactérias
• Vírus
• Protozoários
• Helmintos
• Fungos
Agentes infecciosos

Tamanho
(mm)
VERMES
103
Taenia
Schistosoma
10 Filaria

PROTOZOÁRIOS
10-1
Amoeba
Leishmania FUNGOS
Trypanosoma Aspergillus BACTÉRIAS
10-2
Candida Mycobacterium
Malária Staphylococcos VÍRUS
10-3 Rickettsia Pox
Chlamydia Influenza
10-4
Mycoplasma Polio
Bactérias
São células procarióticas, se reproduzem por divisão
binária. São patogênicas ou por produzirem toxinas ou
bactérias
por se multiplicarem no interior de células

 Streptococcus pneumoniae
 Pneumococcus
 Shighellas, Salmonelas,
 Escherichia coli
 Clostridium tetani
 Mycobacterium tuberculosis
 Mycobacterium leprae
 Treponema pallidum
 Legionella
 Listeria monocytogenes
Vírus
 São parasitas intracelulares obrigatórios

 Vírus da imunodeficiência humana-


HIV-1 e -2
 Vírus da Rubéola
 Vírus do Sarampo
 Vírus da hepatite (A, B, C, D, E, F, G)
 Citomegalovírus
 Influenza
 Vírus da Cachumba
 Vírus da varíola
 Vírus da poliomielite
Protozoários

 Plasmodium falciparum
 Trypanosoma cruzi
 Leishmanias
 Toxoplasma gondii
 Amoeba histolytica
 Giardia lambia
Helmintos

 Schistosoma mansoni
 Ancilostomídeos
 Ascaris lumbricoides
 Toxocara canis
 Taenia solium
Fungos

 Candida albicans
 Crytpococcus neoformans
 Paracoccidioides brasiliensis
 Aspergillus fumigatus
às vezes, o sistema imune erra o alvo

Doenças
 Alergias
 Doenças autoimunes (artrite, Lupus,
etc.)
 AIDS
 Definições
 Resposta contra o quê?
 Componentes do sistema imune
 Como acontece a resposta imune
Sistema imune – órgãos linfóides
Departamento de defesa do corpo, com várias ramificações
órgãos linfóides secundários
adenóides
e tonsilas

timo

linfonodos
baço

placas de Peyer

apêndice

vasos
linfáticos

medula óssea

órgãos linfóides primários


Sistema imune – células
De onde vêm e para onde vão as células do sistema imune?

São produzidas nos órgãos linfóides primários:


Medula óssea e timo

Migram para os órgãos linfóides secundários,


onde vai ocorrer a resposta imune contra
os agentes estranhos

• Leucócitos
• Macrófagos teciduais
• Células dendríticas
Elementos do sangue

soro
plasma

Creme
leucocitário células
hemácias
(eritrócitos)

Glóbulos brancos
Glóbulos (leucócitos)
vermelhos
Desenvolvimento de diferentes linhagens celulares

Célula
tronco auto-
renovável

Progenitor Progenitor
Mielóide linfóide

Célula-tronco
pluripotencial

Timo

Célula
NK
Linfócitos B
LinfócitosT

CFU eritróide Megacariócito CFU Basófilo CFU Eosinófilo CFU granulócito-monócito

Eritrócitos Plaquetas Basófilos Eosinófilos Neutrófilos Monócitos


leucócitos

Linfócitos T
Linfócitos B
Células NK (natural killer)
 Definições
 Resposta
contra o quê?
 Componentes do sistema imune

 Como acontece a resposta


imune
O sistema imune é muito complexo
Pode reconhecer e se lembrar de milhões de inimigos
diferentes, e pode produzir secreções e células para
destruí-los
Rede de comunicações
dinâmica e elaborada
ALARME
Células sofrem mudanças
começam a produzir substâncias
químicas poderosas (citocinas)

as células regulam o seu


próprio crescimento e
comportamento e alistam
outras células para se
dirigir ao inimigo
Sistema imune saudável

Tem a habilidade de distinguir o próprio do


estranho

Estranho ou parte deste = antígeno


(microrganismo, célula cancerígena, tecido
de outro indivíduo)

Quando reconhece o que é


próprio surgem as doenças
autoimunes

Resposta a alérgenos- alergias


Resposta imune
inata adaptativa ou específica
•Primeira linha de defesa contra os
•Resposta é induzida
agentes estranhos
especificamente a um tipo de
•A resposta é dirigida contra qualquer
antígeno
antígeno
•células são treinadas para atacar
•Células envolvidas são assassinas
alvos específicos
Barreiras anatômicas (pele e
mucosas)
Linfócitos T
Secreções (lágrima, saliva, muco, T CD4+ (auxiliares)
ácido clorídrico, sebo, suor) T CD8+ (citotóxicos)
Células fagocíticas
Linfócitos B (produzem anticorpos)
Inflamação
Citocinas
Sistema complemento
microrganismo

Imunidade inata Imunidade adaptativa

Linfócitos B anticorpos
Barreiras
epiteliais

fagócitos

Células T
Células NK efetoras
Linfócitos T

complemento

Tempo após a infecção


Imunidade adaptativa
Linfócito B

 Humoral
(linfócitos B)
anticorpos

Linfócito B produtor de anticorpos

Linfócito T
 Celular
(linfócitos T)

Linfócito T CD4+ LinfócitoT CD8+


auxiliar citotóxico
Fases da resposta imune adaptativa
Antígeno X +
Antígeno X antígeno Y

Linf B anti-X
Títulos de anticorpos no soro

Linfócitos B
Linf B anti-Y ativados

Resposta anti-X
Linfócitos B secundária
ativados

Linf B de
Linf B Linf B
memória
virgens virgens

Resposta anti-Y
Resposta anti-X primária
primária

semanas
Resposta imune adaptativa

Características importantes:

 Especificidade
 Diversidade
 Memória
 Especialização
 Não reatividade ao próprio
Resposta imune adaptativa

 Ativa
- Natural- contato natural com o antígeno
- Induzida- administração do antígeno
para indução da resposta imune (vacinas)

 Passiva
- administração de soro (anticorpos) ou
células imunes
Vacinas
Tipo de vacina Exemplos
Bactéria viva atenuada ou BCG, cólera
morta
Vírus vivos atenuados Pólio, raiva
Vacinas de subunidade Toxóide tetânico, toxóide da
difteria
Vacinas conjugadas Haemophilus inlfuenzae,
pneumococo
Vacinas sintéticas Hepatites (proteínas
recombinantes)
Vetores virais Ensaios clínicos de vacinas anti-
HIV em vetores virais
Vacinas de DNA Ensaios clínicos em andamento
para diversas infecções
Efetividade de vacinas
doença No máximo No de casos % de
de casos em 2003 mudança

difteria 206.939 (1921) 1 99,99


Sarampo 894.134 (1941) 42 99,99
Pertussis 265.269 (1934) 8.483 96,80
Polio 21.269 (1952) 0 100,00
Rubéola 57.686 (1969) 8 99,97
Tétano 1.560 (1923) 14 99,10
Haemophilus influenzae 20.000 (1984) 20 99,90
tipo B
Hepatite B 26.611 (1985) 6.711 75,00
Equilíbrio do sistema imune

SAÚDE
DOENÇA

suscetibilidade

resistência

sistema imune
Não se estresse!!!
mente sã e corpo são!!!!
maneiras de ajudar o sistema imune a
funcionar bem:

1. Viajar 2. Nutrir-se adequadamente 3. Sombra e água fresca


e com moderação