Você está na página 1de 42

ARTE VISUAL

SÉRIE: 1º ano

Aula 2 –
A Arte no Egito e
Mesopotâmia
Profª Andréia Leite
A Arte no Egito
 Tudo no Egito era orientado pela religião.
 Para os egípcios, eram as práticas rituais
que asseguravam a felicidade nesta vida e a
existência depois da morte. Portanto,
acreditavam na vida após a morte
 A religião , portanto, permeava toda a vida
egípcia, interpretando o Universo,
justificando a organização social e política,
determinando o papel das classes sociais e,
consequentemente, orientando toda a
produção artística.
 Processo de Mumificação:
 Extração do cérebro e vísceras pelas
narinas com um gancho de metal.  Cabeça de Ramsés
 O restante do corpo ficava imerso em II, Múmia. Museu
salmoura durante um mês, depois o cadáver do Egito, Cairo.
era envolto em várias camadas de ataduras.
Pintura rupestre nas cavernas de Tassili, na Argélia.

Obras da
PROVA 1º ANO N2C1
 Novos resultados de DNA determinam os vínculos de
parentesco e de sangue, e a existência de características
patológicas hereditárias em Tutancâmon
 Conselho Supremo de Antiguidades exibiu as múmias
de Tutancâmon e sua mãe, Kia
Sarcófago

- A múmia era confinada num caixão (Sarcófago).


- Poderia ser de pedra, madeira, ouro.
- O clima seco do Egito e a ausência de bactéria
nas areias e no ar, provavelmente contribuíram
para a preservação do corpo tanto quanto o
tratamento químico.
Vasos ou Potes
Pirâmides
- Arquitetura – Mastabas,
tumbas e pirâmides
(construções mortuárias).
 Visão geral da mastaba,
túmulo egípcio que deu
origem às pirâmides.
 Localiza-se bem abaixo
da base, ligando-se a ela
por uma passagem em
forma de poço.
Cama cerimonial na forma da vaca celestial cercada por outros objetos (1922)
Howard Carter examina sarcófago de Tutancâmon (1925)
 - Pirâmides – A grande
pirâmide de Quéops, em
Gizé.
 52 quilômetros quadrados.
 2.300.000 blocos de calcário,
cada um pesando em média
2 ½ toneladas.
 Rolos de madeira, rampas
temporárias de tijolos,
pranchas de madeira para
levantar as pedras no local de
construção.
 Duas câmaras mortuárias (1 e 2)
 4.000 operários para mover inacabadas. Câmara definitiva (3) só é
blocos de até 15 toneladas, acessível por meio da Grande Galeria(4) e
sem ajuda de animais de recebe ventilação por duas fendas estreitas
tração, roda ou talhadeira. (5 e 6). Depois que o Corredor Ascendente
(7) era selado por dentro tampões de pedra,
 Tempo estimado de os operários saíam da galeria por um túnel
construção 23 anos. (8) e subiam pelo Corredor Descendente
(9).
Esfinge – corpo de leão (força) e
cabeça humana (sabedoria) –
afastava os maus espíritos.
 OBELISCO – Colocados à
frente dos templos para
materializar a luz solar. Têm
quatro lados que vão
diminuindo
progressivamente e que no
topo têm uma pirâmide. O
mais novo tem uns 2 mil
anos. Os obeliscos,
geralmente de granito
vermelho, eram extraídos
pelos antigos egípcios como
um único bloco grande de
pedra.
 A pintura
 Os egípcios estabeleceram
várias regras.
 Lei da frontalidade – o
tronco e um dos olhos era
representado de frente,
enquanto cabeça, pés e as
pernas deviam estar de
perfil.
 Ausência de três
dimensões.
 Ignoravam a profundidade.
 Colorido a tinta lisa, sem
claro-escuro e sem
indicação de relevos.
 Hierarquia – representação
das pessoas de acordo com
a sua função social.
 Escultura
 Deviam revelar as
características do
retratado, como a
fisionomia, os
traços raciais e a
condição social.
 Imagens rigidas
 Pouco movimento
 Olhar fixo
 Mikerinos
 Escriba
Atividade Proposta pág. 17
Observe a imagem, leia o texto e responda aos itens.
UnB 2º Vestibular 2010
 Com o processo de mumificação, ilustrado na figura I acima,
visava-se preservar os corpos após a morte. Primeiramente, eram
retiradas as vísceras e o cérebro, que se decompunham mais
facilmente. Em seguida, o corpo era colocado, por cerca de 40
dias, em um recipiente com natrão, para ser desidratado, o que
impedia a ação das enzimas e a existência de bactérias. Após ser
desidratado, o corpo era lavado com água do rio Nilo e
preenchido, por exemplo, com serragem, sendo aplicados sobre
ele e não só essências aromáticas, mas também camadas de
resinas e óleos de plantas, cuja ação bactericida e anticéptica
evitava a ação de micro-organismos. Finalmente, o corpo era
envolvido em faixas de linho branco e colocado em um
sarcófago. O natrão, primeiro recurso utilizado nesse processo, é
um minério constituído por sais de sódio, principalmente
1. A figura I ilustra uma pintura carbonato. Pesquisas recentes revelam, que além de atuar como
naturalista, a qual representa desidratante, o natrão catalisa a transformação de gorduras do
corpo em sais de ácidos graxos e glicerol, os quais são solúveis
fielmente a realidade, como em água, e, portanto, no processo utilizado pelos egípcios,
evidencia o emprego da perspectiva supostamente, eram dissolvidos quando o corpo era lavado. Essa
no desenho do corpo humano perda de gordura contribuía para a forma encolhida da múmia e
também removia uma fonte de energia vital para bactérias, o que
apresentado. favorecia a preservação de corpos.
2. Entre os elementos marcantes da E. Chemello. In: Química Virtual, nov/2006 (com adaptações).
pintura ilustrada na figura I,
destaca-se o movimento.
Observe a imagem, leia o texto e responda aos itens.
UnB 2º Vestibular 2011
Considerando as imagens acima, que representam a máscara do
faraó Tutancâmon e o colar de Neferuptah, artefatos do Egito
confeccionados em ouro, julgue os itens a seguir.
 56. A sofisticação estética e o requintado uso de cores nas coroas
e nos colares que adornavam rainhas e princesas do Egito e nas
máscaras dos faraós evidenciam a grande habilidade dos ourives
e joalheiros na tradição da arte faraônica.
 57. A ornamentação utilizada pelos egípcios no corpo humano,
suporte físico para autorrepresentações e construção de
aparências, expressa as escolhas individuais e reflete
características da cultura do Egito e da história específica de cada
indivíduo.
No Antigo Egito, grande parte das pinturas adornava as paredes das pirâmides e retratava
a vida dos faraós, os feitos dos deuses e a vida após a morte. Considerando a arte no
Antigo Egito e os aspectos estéticos apresentados nas figuras acima, julgue os itens que
se seguem.
 70. O desejo de perfeição e o de transfiguração estão presentes na beleza peculiar à
arte do Egito, enfatizada, nas inscrições em relevo nos afrescos, pelos efeitos de luz e
sombra.
 71. Na representação da figura humana nas pinturas e nos baixos-relevos do Antigo
Egito, realçava-se a cabeça dos retratado, de perfil, e os olhos, os braços e o tronco
eram representados em posição frontal.
 Observe o Baixo-relevo de um túmulo próximo à região de Sacará e explique a lei da
frontalidade.
Estudar coleção 360º
Pág. 23, 154, 260, 293,
294 e 295.
Mesopotâmia
• Delimitada entre os vales dos rios Tigre e Eufrates e, ocupada pelo
atual território do Iraque e terras próximas.
• Toda região é rodeada por desertos.
• Os sumérios foram provavelmente os primeiros povos a habitar o
sul da Mesopotâmia.
• Além dos sumérios, os acádios, os babilônicos os assírios, os
elamitas e os neobabilônicos.
• A região foi ocupada em 5 000 a.C. pelo povo sumério, que ali
construiu as primeiras cidades de que a humanidade tem
conhecimento, como Ur e Uruk.
• A partir do 3.000 a.C cidades como Ur, Uruk, Nippur
desenvolveram atividades comerciais entre elas.
• Os templos passam a gerir a economia e muitos zigurates são
construídos.
 Torre piramidal, de base retangular
 Vários pisos sobrepostos, formados por
sucessivos andares, cada um menor que o
anterior.
 Construção característica das cidades-estado
dos sumerianos.
 Nas construções, empregavam argilas,
ladrilhos e tijolos.
 As pedras eram escassa na região.
 Provavelmente só os sacerdotes tinham
Representação artística de um Zigurate , acesso à torre, que tanto podia ser um
Representação do Zigurate em Ur e santuário, como um local de observações
representação da Cidadela do Rei Sargão astronômicas.
II, destruído em 600 a.C.
Pirâmide Asteca de Tenochtitlán
Pirâmide de Chichén Itzá Maia no México
 Observar a Representação artística de um Zigurate,
da Pirâmide de Chichén Itzá Maia no México,
Pirâmide Asteca de Tenochtitlán e as pirâmides do
Egito.
 Descreva as diferenças entre o zigurate Sumeriano, a
pirâmide Maia, a pirâmide Asteca e a pirâmide
Egípcia.
Desenho contemporâneo representando a Torre da Babilônia (Torre de Babel) citada
na Bíblia e Representação dos jardins suspensos da Babilônia, como imaginados por
Martin Heemskerck. Na pintura, a Torre de Babel aparece ao fundo.
O projeto do moderno jardim
suspenso de Beirute, Líbano.

Tóquio - ecotelhados
Zigurate em Budapeste, Hungria.
Teatro Nacional em Brasília, Brasil.

Zigurate em Califórnia, EUA. Museu do Louvre em Paris, França.


Arquitetura do Teatro Nacional de Brasília, Oscar Niemeyer
Detalhe das fachadas laterais com os blocos projetados por Athos Bulcão.
 Os Sumérios são conhecidos pelo
desenvolvimento da escrita cuneiforme desde o
quarto milênio a.C.
 Possuíam um complexo e completo sistema de
controle da água dos rios.
Relevo
 A Leoa Agonizante, Nínive – 650 a.C.
 Caça de um touro de Nínive, cerca 695 a.C. no
Museu de Berlim.
Artefatos Sumérios no museu do Reino Unido
Um Shedu - Assíria, do século VIII a.C., Museu do Louvre.
Venerador mesopotâmico de 2.750-2.600 a.C.
Pirâmide Zigurate Pirâmide Pirâmide Teatro
Egípcia Mesopotâmico Maia Asteca Nacional BSB

Material

Formato

Período ou
civilização
Entradas e
saídas

Função

Curiosidades
e
especificações

Você também pode gostar