Você está na página 1de 4

Avaliação AD3

Introdução a Camada de Transporte


Seu endereço de e-mail (suelenpassos@id.uff.br) foi registrado quando você enviou este
formulário.

1. Considere que o protocolo confiável rdt3.0, definido no livro-texto, é usado na


comunicação entre dois sistemas finais A e B. Considere ainda que o tempo de
ida-e-volta (round trip time - RTT) entre A e B, é de 200 ms. Suponha que A e B
estejam conectados por um canal que tem taxa de transmissão igual a 10 Gb/s.
Considere finalmente que cada pacote enviado de A para B tem tamanho 1250
bytes. Qual deve ser o tamanho da janela de transmissão para que a utilização
do canal seja maior que 80%? Justifique sua resposta.

O tamanho do pacote é L = 1250kB = 10000x 10³ bits.


A taxa de transmissão do enlace é R = 10 Gb/s. O RTT é 200 ms.
Logo, o tempo de transmissão t para enviar um pacote é:
(6400 x 10^3 )/(5 x10^9 ) = 6.400.000 / 5.000.000.000 = 0,00128 = 0,00128 s = 1,28 ms.
t = L/R = (10000x 10^3)/(10 x10^9 ) = 10.000.000 / 10.000.000.000 = 0,001s = 1ms
Para uma utilização U > 80% e uma janela de tamanho W,
têm se que: U = W*(L/R)/(RTT + L/R) 0,8 = W*1/(200 + 1)
W = 0,8*201/(1) ~ 160,8 segmentos.
Portanto, para U > 80% deve-se usar uma janela W maior do que 160,8 segmentos.
2. *Em uma conexão TCP, assuma que o número de sequência de um segmento
de A para B dessa conexão é n. Explique:

(a) em que situação o número de sequência para o segmento subsequente de A para


B não será n+1, e

O TCP usa números de sequência e reconhecimentos orientados a bytes.


Exemplo:
Um sistema final A envia para um sistema final B três segmentos, um logo após o
outro, em uma mesma conexão TCP. Os dois primeiros têm tamanho igual a 70 bytes e o
terceiro igual a 50 bytes.
Supondo que o número de sequência do primeiro segmento enviado por A é n, os
números de sequência dos segmentos seguintes serão n+70 e n+140.

(b) em que situação o número de sequência para o segmento subsequente de A para


B será necessariamente n+1.
Em uma situação onde o 1 do n+1 seja referente ao número de bytes.

3. * Um servidor HTTP com nome www.redes1.ic.uff.br possui endereço IP


212.212.212.1 e opera na porta 80. Suponha dois usuários Ana e Beto. A
estação de Ana possui endereço IP 10.20.30.40, e a estação de Beto possui IP
40.30.20.10 Simultaneamente, as estações de Ana e Beto enviam requisições
HTTP para o mesmo servidor. Defina possíveis números de porta de origem e
de destino para os segmentos enviados, respectivamente, pelas estações de
Ana e de Beto para o servidor.

As estações de Ana e Beto podem usar qualquer número de porta TCP disponível, por
exemplo, 67, 69, 100, 113, como número de porta de origem. O número de porta de destino
é 80 nos dois casos.

4. Com base na resposta do item anterior, defina possíveis números de porta de


origem e de destino para os segmentos enviados pelo servidor,
respectivamente, para as estações de Ana e Beto.
O número de porta de origem é 80 tanto nos segmentos enviados do servidor para a
estação de Ana quanto do servidor para a estação de Beto. Os números de porta de destino
são os mesmos usados, respectivamente, como porta de origem no Item a pelas estações
de Ana e Beto

É possível que as estações de Ana e Beto usem o mesmo número de porta de origem
em seus segmentos enviados para o servidor? Justifique sua resposta.
Sim. Porque uma conexão TCP é identificada pelo conjunto número de porta de origem,
número de porta de destino, endereço IP de origem e endereço IP de destino. No caso das
estações de Ana e Beto, cada uma possui em endereço IP diferente, o que garante a
identificação correta dos segmentos mesmo que um mesmo número de porta de origem
seja usado pelas duas.
5. Suponha que a estação de Ana, envia, através de dois navegadores,
requisições para o servidor. Explique como as requisições enviadas para o
mesmo servidor, na mesma porta, são tratadas por processos diferentes. É
possível que as requisições de ambos os navegadores usem o mesmo número
de porta de origem em seus segmentos enviados para o servidor? Justifique
sua resposta.
Sim. Porque uma conexão TCP é identificada pelo conjunto número de porta de origem,
número de porta de destino, endereço IP de origem e endereço IP de destino. No caso das
estações de Ana e Beto, cada uma possui em endereço IP diferente, o que garante a
identificação correta dos segmentos mesmo que um mesmo número de porta de origem
seja usado pelas duas.

6. Descreva a utilidade dos números de portas usados tanto pelo UDP quanto
pelo TCP? E por que a camada de transporte não usa os identificadores de
processos usados pelos sistemas operacionais, e criaram os números de
porta?
Caso fossem usados identificadores de processo, os protocolos seriam dependentes de um
sistema operacional, uma vez que tais identificadores são específicos de cada sistema
operacional.
Um único processo pode estabelecer múltiplos canais de comunicação. Caso fosse usado
um único identificador por processo esses canais não poderiam ser diferenciados, uma vez
que usariam o mesmo conjunto de identificadores.
É possível e simples fazer com que processos sejam executados em portas com
identificadores conhecidos. Fazer com que processos obtenham sempre um mesmo
número de processo não é trivial, uma vez que o sistema operacional aloca os
identificadores dinamicamente e, em geral, em ordem de execução.

7. O UDP (User Datagram Protocol) também é chamado de protocolo de


transporte mínimo. Por quê? Ele é realmente necessário na Internet?
Justifique suas respostas e cite dois protocolos da camada de aplicação que o
utilizam.
O UDP é chamado de protocolo de transporte mínimo porque só oferece os serviços
mínimos da camada de transporte que são: multiplexação, demultiplexação e verificação de
integridade. O UDP é necessário por possuir menor latência se comparado ao TCP, não
manter estados no transmissor e receptor e por permitir que um transmissor possa enviar
dados tão rápido quanto desejado e possível. Isso porque o UDP não exige
estabelecimento de conexão, não emprega mecanismos de controle de fluxo e
congestionamento e seu cabeçalho tem tamanho reduzido. São exemplos de protocolos da
camada de aplicação que o utilizam o DNS (Domain Name System), o NFS (Network File
System), o SNMP (Simple Management Network Protocol), entre outros.
8. Qual a principal deficiência de protocolos de transferência confiável que
operam no modo para-e-espera (stop and wait)?
A principal deficiência é a baixa utilização do meio de transmissão, ou seja, tais protocolos
limitam o uso dos recursos físicos. Isso porque um segmento só pode ser enviado pelo
transmissor após a recepção do reconhecimento positivo do segmento anterior enviado por
esse transmissor. Enquanto isso não ocorre, o transmissor fica ocioso.

9. Qual é a razão da necessidade de “temporizadores” nos protocolos para


transferência confiável de dados (reliable data transfer protocol - rdt)?

Os temporizadores servem para tratar as perdas de pacotes pelo canal de transmissão. Se


uma confirmação para um pacote enviado, não é recebido, dentro do intervalo usado na
temporização, então o pacote (ou seu ACK ou NAK) é considerado perdido e o pacote é
retransmitido. Obviamente esta estratégia cria a possibilidade de pacotes em duplicata no
receptor, mas este problema é resolvido através dos números de seqüência.