Você está na página 1de 115

GABARITO DAS

AUTOATIVIDADES

PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO


Profa. Vivian Dall’Igna Ecker
2019
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

UNIDADE 1

TÓPICO 1 – EVOLUÇÃO HISTÓRICA, INSTRUMENTOS E TÉCNICAS FUNDA-


MENTAIS

APRESENTAÇÃO DAS TÉCNICAS FUNDAMENTAIS

1 Indique qual a modalidade dos desenhos apresentados a seguir:

(1)

FONTE: <http://eletronicos.etc.br/diagramas-eletricos-
esquema-de-rede-eletrica/>. Acesso em: 18 jan. 2019.

(2)

FONTE: Ferreira e Silva (ano indefinido).


( 1 ) Desenho não projetivo ( 2 ) Desenho projetivo

2
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Indique qual o grau de elaboração dos desenhos apresentados a seguir

(3)

Fonte: <http://www.kellytrindade.com.br/construcao-em-curitiba-
anteprojeto/>. Acesso em: 9 nov. 2018.

(1)

Fonte: <https://br.pinterest.com/pin/444097213236267479/>.
Acesso em: 9 nov. 2018.

(2)

Fonte: <http://ew7.com.br/projeto-arquitetonico-com-autocad/
index.php/tutoriais-e-dicas/136-projeto-de-reforma-
residencial.html>. Acesso em: 9 nov. 2018.

( 1 ) Esboço ( 2 ) Anteprojeto ( 3 ) Projeto de Execução

3
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

3 Indique qual a modalidade dos desenhos apresentados a seguir:

Fonte: <https://www.archdaily.com.br/
Fonte: <https://www.archdaily.com.
br/876920/classicos-da-arquitetura-
br/br/790662/apartamento-ar-rocco-
edificio-copan-oscar-niemeyer?ad_
arquitetos?ad_medium=gallery>. Acesso em: 9
medium=gallery>. Acesso em: 9 nov. 2018.
nov. 2018.

(2) (1)

( 1 ) Desenho à mão livre ( 2 ) Desenho com instrumentos

4
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

4 Elabore um esboço ao lado dos objetos apresentados a seguir:

5
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

INSTRUMENTOS PARA DESENHO

1 Pratique o uso do esquadro, traçando, em um papel à parte:

a) 10 linhas horizontais de 15cm de comprimento, com espaçamento de 0,5cm


entrelinhas;

b) 40 linhas verticais de 5cm de altura, com espaçamento de 0,5cm entrelinhas;

c) 5 linhas de 5cm, inclinadas à 30°;


d) 5 linhas de 5cm, inclinadas à 45°;
e) 5 linhas de 5cm, inclinadas à 60°.

6
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Demarque, no transferidor abaixo, os seguintes ângulos: 35°, 67°, 95° e 120°.

3 Identifique, no transferidor abaixo, a quais ângulos correspondem os


segmentos AÔB, AÔC, AÔD e AÔE:

AOB=170º AOC=130º AOD=80º AOE=30º

4 Utilizando o transferidor, meça os seguintes ângulos, e preencha as lacunas,


indicando cada um deles:

Fonte: <https://brainly.com.br/tarefa/3414074>. Acesso em: 9 nov. 2018.

7
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

a) 46°
b) 126°
c) 118°
d) 90°

5 Utilizando o transferidor, determine a medida do complemento dos


ângulos cujas medidas são:

R.: a) 30° - 150°


b) 50° - 130°
c) 15° - 165°
d) 67° - 113°
e) 43° - 137°

6 Com um compasso, desenhe 2 círculos de 5cm de diâmetro e, dentro


de cada um dos círculos, represente, com um compasso, 2 círculos
de diâmetros 1 e 3cm, e 4 círculos de diâmetro 1, 2, 3 e 4cm,
respectivamente:

8
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 Com a utilização de um transferidor de ângulos e de um compasso,


transcreva, em uma folha em branco, as formas a seguir, considerando
que cada círculo possui 4cm de diâmetro:

Fonte: <https://de.wikipedia.org/wiki/Datei:Regular_polygon_4_annotated.
svg>. Acesso em: 9 nov. 2018.

8 Em uma folha em branco, transcreva as formas a seguir, considerando


as medidas e os ângulos indicados. Para esta atividade, utilize
esquadros, escalímetro e compasso:

9
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÉCNICAS DE GRAFICAÇÃO

1 Exercite a utilização dos instrumentos de desenho (régua paralela,


escalímetro, esquadros e lapiseiras), reproduzindo, nos espaços
tracejados, os 4 quadrados apresentados, com espaçamento
entrelinhas de 2mm, conforme o modelo a seguir:

2 Exercite a utilização dos instrumentos de desenho (régua paralela,


escalímetro, esquadros e lapiseiras), reproduzindo, nos espaços
tracejados, os 4 quadrados apresentados, com espaçamento
entrelinhas de 2mm, conforme o modelo a seguir:

3 Reproduza, nos espaços tracejados, os 4 quadrados apresentados,


com espaçamento entrelinhas de 2mm, conforme o modelo a seguir:

4 Reproduza, nos espaços tracejados, os 3 quadrados apresentados,


com espaçamento entrelinhas de 1mm, considerando os ângulos de
30°, 45° e 60° para confecção das linhas circunscritas nos quadrados,
conforme o modelo a seguir:

10
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 2

ESTUDO DE LETRAS E SÍMBOLOS NO DESENHO TÉCNICO

CALIGRAFIA

1 Execute as letras e os números a seguir, segundo as direções e as


pautas indicadas.
4 4 3 3
2 1
1 2 1 3 1 1 2 1 2 1
5 1 1
3 3 2 3 3
3
2 2 2 2
4 2 3 3
1 1 2 1 1 3 1 3 2 2 1 2 1
3 1 2
1
2 2 4
2 3

1 3 1 1 2 1
2 1 2 1 2 1 4 1 2 2
23
3 3
2
3

1 1 3 1 1 1
2 1 1 4 1 1 2
2 1 2 2 2
2
2 2 3 4
3
2 3 3 3

2 Execute as letras e os números a seguir, segundo as direções e as


pautas indicadas. Utilize a linha pontilhada para a altura das letras
minúsculas.

11
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2
3 2 2 3 2
31 1 1 3 1 1 1 31 1
2 2 2
1 2 2
3
4

1 1 2 1 1 1 2 1 3 1 31
3 2 3 2 1 2 2 2

2
13 1
1 1 21 2 1 2 3 4 1 2 1 2 2
2
3

3 Execute as letras e os números a seguir, segundo as direções e as


pautas indicadas.

4 Execute as letras e os números a seguir, segundo as direções e as pautas


indicadas. Utilize a linha pontilhada para a altura das letras minúsculas.

12
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Execute as letras e os números a seguir, segundo as direções e as pautas


indicadas. Utilize a linha pontilhada para a altura das letras minúsculas.

6 Transcreva o texto a seguir, em letras de caixa alta, considerando as


direções e as pautas indicadas:

“Em caligrafia, a norma técnica regente é a NBR 8402 (ABNT, 1994). Esta
norma fixa as condições exigíveis para a escrita usada em desenhos técnicos
e documentos semelhantes, e deve ser observada atentamente antes de sua
execução [...]. A orientação inicial para a execução da caligrafia é que as letras no
desenho técnico sejam padronizadas de maneira que, dentro de um conjunto final
de pranchas, elas apresentem a mesma forma escrita [...]. Elas precisam ser feitas
com traçados firmes, uniformes e legíveis (GILSON, 2016)”.

“EM CALIGRAFIA, A NORMA TÉCNICA REGENTE É A NBR 8402 (ABNT, 1994).


ESTA NORMA FIXA AS CONDIÇÕES EXIGÍVEIS PARA A ESCRITA USADA
EM DESENHOS TÉCNICOS E DOCUMENTOS SEMELHANTES, E DEVE SER
OBSERVADA ATENTAMENTE ANTES DE SUA EXECUÇÃO [...]. A ORIENTAÇÃO
INICIAL PARA A EXECUÇÃO DA CALIGRAFIA É QUE AS LETRAS NO DESENHO
TÉCNICO SEJAM PADRONIZADAS DE MANEIRA QUE, DENTRO DE UM CONJUNTO
FINAL DE PRANCHAS, ELAS APRESENTEM A MESMA FORMA ESCRITA [...].
ELAS PRECISAM SER FEITAS COM TRAÇADOS FIRMES, UNIFORMES E LEGÍVEIS
(GILSON, 2016)”.

LINHAS

1 Nos espaços abaixo, desenhe 4 quadrados de 2x2 cm, com as seguintes


espessuras de grafite: 0,3 mm; 0,5 mm; 0,7 mm e 0,9 mm. Mas, atenção
às dicas de desenho! Limpeza. Firmeza. Traço contínuo. Quinas levemente
cruzadas. E, lembre-se da ordem do desenho: comece traçando as linhas
principais com lapiseira 0,3 mm e somente depois coloque as espessuras
requisitadas. 

13
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Em uma folha em branco, treine os tipos de linha estudados (linha


forte, média, fina, tracejada, traço-ponto), considerando 3 espessuras
de grafite (0.3, 0.5, 0.7 e 0.9), de acordo com o modelo a seguir:

3 Descreva a finalidade de cada tipo de linha a seguir:

R.:0.9 = Linhas principais. Linhas para arestas e contornos visíveis. Linhas dos
elementos que estão sendo cortados.
0.5 = Linhas para rupturas longas.
0.3 = Linhas dos elementos que estão em vista. Linhas de cota. Linhas de
chamada ou de extensão. Linhas auxiliares.
0.3 (tracejada) = Linhas para arestas e contornos não visíveis. Linhas para os
elementos que estão situados acima do plano do desenho.
0.3 (traço-ponto fina) = Linhas de centro e eixos de simetria.

4 Sobre a qualidade da linha, assinale verdadeiro ou falso:

R.: (V) Todas as linhas devem começar e terminar de forma definida.


(V) As linhas contínuas devem ser traçadas num só sentido.
(F) O encontro de duas linhas nunca deve tocar os seus extremos, as linhas
devem ficar espaçadas umas das outras nos cantos.
(F) É recomendável voltar o lápis sobre a linha traçada quantas vezes forem

14
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

necessárias, para garantir a limpeza do traço.


(V) É importante traçar as linhas principais com lapiseira 0,3 mm e, somente
depois, colocar as espessuras requisitadas, a fim de garantir a qualidade
do desenho, e a precisão do traço.

5 Complete as frases abaixo, indicando o tipo de linha a que se referem:

R.: a) As linhas contínuas largas são utilizadas nas linhas principais, nas linhas de
contorno do desenho, e nas linhas dos elementos que estão sendo cortados.
b) As linhas contínuas estreitas são utilizadas nas linhas dos elementos em vista.
c) As linhas tracejadas são utilizadas para representar todos os elementos
que estão situados acima do plano do desenho, e devem ter traços com o
mesmo comprimento, igualmente espaçados.
d) As linhas traço-ponto grossas são utilizadas nas linhas de corte e de seções.
e) As linhas traço-ponto fi nas são utilizadas para demarcar as linhas de centro
e eixos de simetria.

6 Correlacione a representação dos tipos de linhas abaixo, com a sua


respectiva denominação:

(a) (d) (b) (e) (c)

Fonte das imagens: <https://pt.slideshare.net/AgnaldoJardelTrennep/


desenho-tcnico-mecnico-74465905>. Acesso em: 9 nov. 2018.

7 Escreva os nomes dos tipos de linha empregadas no desenho técnico


abaixo, ao lado das letras A, B e C:

15
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

A - linha contínua estreita B - linha contínua larga C - linha traço-ponto fina

PADRÕES DE FOLHAS E MARGENS

1 Complete a tabela a seguir, apresentando as dimensões padrão das


pranchas de cada formato da série “A”:

FORMATO TAMANHO (em milímetros)


A0 841 x 1189
A1 594 x 841
A2 420 x 594
A3 297 x 420
A4 210 x 297

2 Complete a tabela a seguir, apresentando as dimensões padrão das


pranchas de cada formato da série “A”:

16
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

Margem Demais
Largura da
FORMATO esquerda (em margens (em
linha
milímetros) milímetros)
A0 25 10 1,4
A1 25 10 1,0
A2 25 7 0,7
A3 25 7 0,5
A4 25 7 0,5

3 Analise as informações a seguir, e assinale verdadeiro (V) ou falso (F):

R.:
(F) A margem esquerda é sempre menor que as demais.
(F) A posição da legenda deve estar fora do espaço para o desenho.
(V)O comprimento da legenda deve ser de 178 mm nos formatos A4, A3, A2.
(V) O comprimento da legenda deve ser de 175 mm nos formatos A1 e A0.
(V) Em folhas grandes, quando se dobra o desenho, a legenda sempre deve estar
visível, para facilitar a procura em arquivo sem necessidade de desdobrá-lo.

4 Analise as informações a seguir, e assinale verdadeiro (V) ou falso (F):

R.:
(V) A NBR 13142 é a norma brasileira que apresenta as especificações para
dobramento das pranchas.
(V) Em todas as pranchas confeccionadas para um projeto, o formato final das
pranchas deve receber dobragem.
(F) O dobramento deve resultar no tamanho final em A2 (420mm x 594mm).
(V) Todas as informações necessárias ao entendimento do conteúdo da prancha
são colocadas no espaço para texto.
(V) A largura do espaço de texto é igual à da legenda ou no mínimo 100 mm.

5 Desenhe, em uma folha de papel sulfite, a legenda a seguir, completando


os espaços as seguintes informações:

17
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 3

USO DE COTAS E ESCALAS

COTAS E COTAGEM

1 Complete as frases, escrevendo as palavras faltantes sobre as linhas


indicadas:

R.:
a) As cotas são numerais que indicam as medidas do objeto representado.
b) Os números são colocados acima da linha de cota sem tocá-la.
c) A linha auxiliar ou linha de extensão é uma linha contínua estreita que limita
as linhas de cota.
d) A linha auxiliar não deve tocar as linhas do desenho e deve ser prolongada
ligeiramente além da respectiva linha de cota.
e) A finalização da cota deve ser representada através de um tick, um círculo
cheio ou uma seta.

2 A partir das informações dos desenhos abaixo, apresentadas em


centímetros, complete as frases a seguir, escrevendo as palavras
faltantes sobre as linhas indicadas:

18
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

a) Escreva as cotas de comprimento 22cm, altura 14cm e largura 8cm do objeto.


b) Escreva as cotas que determinam o tamanho do rasgo: 15cm, 7cm e 4cm.
c) Escreva as cotas que determinam a localização do rasgo, considerando o
objeto visto de frente: 7cm e 3,5cm.

3 Escreva dentro dos parênteses as letras correspondentes à descrição


de cada elemento de cotagem

(c) Linha de cota (b) Círculo cheio (a) Cota

19
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TIPOS DE COTAGEM

1 Escreva, na perspectiva, as cotas indicadas nas vistas ortográficas


da peça:

2 Escreva, nas vistas ortográficas da peça, as cotas indicadas na


perspectiva:

3 Analise o desenho técnico abaixo e assinale com um X a afirmação


correta:

Fonte: <http://essel.com.br/cursos/material/01/DesenhoTecnico/>.
Acesso em: 9 nov. 2018.

20
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

a) As cotas 5, 8 e 6 definem o tamanho do furo (resposta correta).


b) As cotas 13, 26 e 6 indicam a localização do furo.

4 Escreva, nas vistas ortográficas da peça, as cotas indicadas na


perspectiva:

5 Escreva, nas vistas ortográficas da peça, as cotas indicadas na


perspectiva:

6 Escreva, nas vistas ortográficas da peça, as cotas indicadas na


perspectiva:

21
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 Escreva, nas vistas ortográficas da peça, as cotas indicadas na


perspectiva:

8 Escreva, na perspectiva, as cotas indicadas nas vistas ortográficas


da peça:

22
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

9 Escreva, na perspectiva, as cotas indicadas nas vistas ortográficas


da peça:

10 Indique qual o tipo de cotagem a que se refere cada objeto a seguir:

(b) (a)

(a) (b)

(a) Cotagem em cadeia.


(b) Cotagem por elemento de referência.

23
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

11 Faça a cotagem dos objetos abaixo, segundo os tipos de cotagem


estudados (cotagem em cadeia ou cotagem por elemento de
referência). Considere como face de referência aquelas assinaladas
com a linha traço-ponto:

ESCALAS

1 Complete as frases a seguir, indicando se a descrição apresentada


se refere à escala natural, de redução ou de ampliação:

R.:
a) Na escala de redução, o desenho tem dimensões menores do que as do
objeto. Este tipo de escala é muito utilizado na representação de edificações.
b) Na escala natural, o desenho possui as mesmas dimensões que o objeto real.
c) Na escala de ampliação, o desenho tem as dimensões maiores do que o
objeto representado, com dimensões em milímetros, por exemplo.
d) Quando o objeto a ser representado for muito grande, precisamos utilizar a
escala de redução.
e) Quando o objeto a ser representado for muito pequeno, devemos utilizar a
escala de ampliação.

24
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Complete as frases a seguir, indicando se a descrição apresentada


se refere à escala natural, de redução ou de ampliação:

R.:
a) A escala de ampliação é representada em 10:1 (significa que cada dez
unidades do desenho correspondem a uma unidade real do objeto).
b) A escala de redução é representada em 1:10 (significa que cada unidade
do desenho corresponde a dez unidades reais do objeto).
c) A escala natural é representada numericamente em 1:1.

3 Informe em qual escala estão os objetos a seguir:

(b) (a) (c)

a) Escala 1:1
b) Escala 1:2
c) Escala 2:1

4 Desenhe um quadrado de 2x2cm nas escalas 1:2, 1:1 e 2:1:

1:2 1:1 2:1

25
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

ESCALA NUMÉRICA

1 Utilizando a régua graduada, meça o comprimento das linhas abaixo,


considerando as escalas e unidades indicadas:

...................cm (esc. 1:1)


...................cm (esc. 2:1)
...................cm (esc. 1:2)
...................cm (esc. 1:10)
...................cm (esc. 1:25)

2 Completa as lacunas, com os valores correspondentes:

Dimensão do
Escala Dimensão da peça
desenho
42 1:1 42
18 1:2 36
30 5:1 6
16 2:1 8
10 1:10 100
12 1:5 60

3 Um objeto de 50cm está desenhado na escala 1:5. Qual a medida do


objeto no desenho, em centímetros?

R.: b) 10cm

ESCALA GRÁFICA

1 Construa a escala gráfica do objeto, considerando as medidas


apresentadas

26
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Analise as informações a seguir, preenchendo as lacunas de acordo


com os tipos de escala estudados (escala numérica ou gráfica):

R.:
a) A escala numérica é representada em números. Pode-se, por exemplo,
reduzir todas as dimensões igualmente 15 vezes, tendo, neste caso, uma
escala de 1 para 15, representada da seguinte forma: 1:15.
b) A escala gráfica é representada através de um segmento de reta, e de
uma unidade de medida, mantendo sempre a mesma proporcionalidade, no
desenho. Esta gradação funciona como uma régua, que servirá para medir
o desenho.
c) A escala gráfica tem a vantagem de não se alterar quando o mapa for
ampliado ou reduzido por métodos fotográficos, digitais ou outros, pois
sempre irá apresentar a proporção verdadeira.
d) No entanto, apesar de ser mais simples, já que não há necessidade de
conversão de unidades, a escala gráfica é menos precisa, principalmente
em desenhos mais complexos.

3 A partir da escala numérica apresentada abaixo, informe quais são


as respectivas escalas numéricas para as outras escalas gráficas:

27
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

Escala 2:1
Escala 1:1
Escala 1:2
Escala 1:4

4 Construa a escala gráfica do objeto, considerando as medidas


apresentadas:

AUTOATIVIDADES FINAIS

TÓPICO 1

Evolução Histórica, Instrumentos E Técnicas Fundamentais

APRESENTAÇÃO DAS TÉCNICAS FUNDAMENTAIS

28
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

29
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

INSTRUMENTOS PARA DESENHO

30
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÉCNICAS DE GRAFICAÇÃO

31
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 2

ESTUDO DE LETRAS E SÍMBOLOS NO DESENHO TÉCNICO

CALIGRAFIA

32
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

LINHAS

33
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

PADRÕES DE FOLHAS E MARGENS

34
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 3

USO DE COTAS E ESCALAS

COTAS E COTAGEM

35
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TIPOS DE COTAGEM

36
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

ESCALAS

37
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

ESCALA NUMÉRICA

38
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

ESCALA GRÁFICA

39
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

UNIDADE 2

TÓPICO 1

ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DO DESENHO

1 Assinale com um X a alternativa que indica a projeção ortográfica da


figura plana apresentada, paralela ao plano de projeção.

R.: C.

2 Assinale com um X a alternativa correta.

R.: C.

3 Escreva V se a afirmação for verdadeira, e F se for falsa.

R.: F, V, V, V, F.

4 Analise a pirâmide a seguir e responda:

R.:
Quadrado.
Cinco.
Oito.
Cinco.

5 Analise as ilustrações do prisma retangular abaixo, e responda


quantas faces, arestas e vértices tem esse prisma.

R.: 6 faces, 12 arestas, 8 vértices.

40
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

6 Correlacione cada sólido geométrico com seu respectivo conceito.

R.: 1, 4, 5, 2, 3.

7 Ligue cada sólido geométrico à figura plana que lhe deu origem.

R.: D, A, C, D e B

8 Assinale com um X a alternativa que indica a projeção ortográfica do


sólido geométrico apresentado, paralela ao plano de projeção.

R.: A

9 Assinale com um X a alternativa que indica as projeções ortográficas


do sólido geométrico apresentado, paralelas ao plano de projeção.

R.: C

10 Assinale com um X a alternativa que indica as projeções ortográficas


do sólido geométrico apresentado, paralelas ao plano de projeção.

R.: A

TÓPICO 2

PERSPECTIVA CÔNICA

1 O cubo a seguir está perspectivado em 1 ponto de fuga. Identifique


onde está posicionada a Linha do Horizonte, e qual é este ponto.

41
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 O cubo a seguir está perspectivado em 2 pontos de fuga. Identifique


onde está posicionada a Linha do Horizonte, e quais são estes pontos.

3 O prisma a seguir está perspectivado em 3 pontos de fuga. Identifique


quais são estes pontos, tendo como referência a Linha do Horizonte
apresentada.

42
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

4 Sabendo que a figura ABCD representa a base de um cubo


perspectivado com 1 ponto de fuga, determine:

5 Sabendo que a figura ABCD representa um quadrado em perspectiva


com 1 ponto de fuga, determine:

6 Sabendo que a figura ABCD representa um quadrado em perspectiva


com 2 pontos de fugas, determine:

43
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 Sabendo que o prisma a seguir está perspectivado em 1 ponto de


fuga, determine:

8 Sabendo que AB e BC são as arestas horizontais inferiores de um


cubo, complete a sua forma, representando a Linha do Horizonte, e
as suas outras faces.

9 Os dois cubos a seguir estão perspectivados em 2 pontos de fuga.


Encontre quais são estes pontos.

44
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

10 Os três cubos a seguir estão perspectivados em 2 pontos de fuga.


Identifique quais são estes pontos:

11 Informe qual o tipo de perspectiva de cada um dos objetos a seguir.

R.: 2 pontos de fuga, 1 ponto de fuga e 3 pontos de fuga.

PERSPECTIVAS AXONOMÉTRICAS

1 Complete as frases no espaço indicado:

R.:
a) Na perspectiva isométrica os três eixos no espaço (x, y, z) estão igualmente
inclinados em relação ao plano de projeção.
b) A perspectiva isométrica é feita com ângulos de 30°.
c) Para elaborar uma perspectiva isométrica, deve-se primeiro traçar uma linha
horizontal, e depois traçar duas retas com origem comum
d) O círculo, em perspectiva isométrica, tem sempre a forma parecida com uma
elipse.

45
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Escreva nas lacunas as letras que indicam as linhas isométricas do


modelo a seguir:

a) As linhas e e b são isométricas ao eixo x.


b) As linhas a e d são isométricas ao eixo y.
c) As linhas f e c são isométricas ao eixo z.

3 Desenhe, nos retângulos hachurados, a perspectiva isométrica


correspondente a cada conjunto de vistas ortográficas a seguir. Observe
para manter, na perspectiva, a mesma proporcionalidade das vistas:

1) 2) 3)

4) 5) 6)

7)

4 Selecione a letra que indica a perspectiva isométrica correspondente às


vistas ortográficas apresentadas.

R.: C

46
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Selecione a letra que indica a perspectiva isométrica correspondente às


ortográficas apresentadas.

R.: B

PERSPECTIVA CAVALEIRA

1 No espaço em branco, desenhe a perspectiva cavaleira das vistas


ortográficas a seguir, adotando o ângulo de 45°.

2 No espaço em branco, desenhe a perspectiva cavaleira das vistas a seguir,


adotando o ângulo de 60°.

47
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

3 Desenhe, nos retângulos hachurados, a perspectiva cavaleira


correspondente a cada conjunto de vistas ortográficas. Utilize como
referência de profundidade o ângulo de 30° (redução das arestas de
2/3). Observe para manter, na perspectiva, a mesma proporcionalidade
dos desenhos originais:

TÓPICO 3

PROJEÇÕES ORTOGRÁFICAS APLICADAS AO DESENHO TÉCNICO

PROJEÇÕES ORTOGRÁFICAS

1 Escreva V se a afirmação for verdadeira ou F se for falsa.

R.: V, V, V, V, F.

2 Complete as sentenças, indicando de qual das vistas ortográficas estas


se tratam:

R.:
a) A vista frontal é a projeção vertical do objeto.
b) A vista superior é a projeção horizontal do objeto e representa sua face superior.
c) A vista lateral é a projeção do observador posicionado ao lado do objeto.

48
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

3 Ligue corretamente os nomes dos planos de projeção na coluna I à


respectiva posição do observador em relação a eles na coluna II.

R.: C, B, A

4 Analise o desenho a seguir e complete:

R.:
a) A posição de onde está sendo observado o modelo é de cima.
b) O nome do plano em que está sendo projetado o modelo é plano de pro-
jeção horizontal.
c) O nome da vista resultante da projeção ortográfica deste modelo no
plano é vista superior.

5 Selecione a letra que corresponde às vistas ortográfica da perspectiva


isométrica apresentada a seguir.

R.: C

6 Analise o desenho abaixo e assinale com um X a perspectiva


correspondente.

R.: B

7 Selecione a letra que corresponde à vista frontal da perspectiva


isométrica apresentada a seguir.

R.: C

8 Selecione a letra que corresponde à vista frontal da perspectiva


isométrica apresentada a seguir.

R.: B

49
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

9 As letras A a H na vista em destaque representam os vértices do modelo.


Escreva essas letras, nas mesmas faces da perspectiva:

10 As letras A, B e C representam as faces do modelo. Escreva essas letras,


nas faces correspondentes das vistas ortográficas:

11 As letras A, B e C representam as arestas do modelo. Escreva essas letras,


nas arestas correspondentes das vistas ortográficas:

50
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

12 Escreva no modelo em perspectiva isométrica as letras das vistas


ortográficas que correspondem às suas faces:

13 Analise as vistas ortográficas abaixo e assinale com um X a alternativa


que contém a perspectiva isométrica correspondente.

R.: B

14 Analise a perspectiva representada a seguir e assinale com um X as


vistas ortográficas correspondentes.

R.: B

15 Analise as vistas ortográficas representadas a seguir e assinale com


um X a perspectiva correspondente.

R.: C

16 Analise a perspectiva isométrica abaixo e assinale com um X a


alternativa que contém as vistas ortográficas correspondentes.

R.: C

17 Em uma folha em branco, esboce, à mão livre, as 3 vistas ortográficas


de cada um dos sólidos a seguir.

51
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

18 Correlacione cada sólido a seguir, com as suas respectivas vistas


ortográficas.

R.: A, C e B

19 Correlacione cada sólido a seguir, com as suas respectivas vistas


ortográficas.

R.: B, C e A

20 Correlacione cada sólido a seguir, com as suas respectivas vistas


ortográficas.

R.: B, A e C

21 Escreva nas vistas dos desenhos técnicos as letras dos modelos


representados em perspectiva isométrica que correspondem às suas faces:

52
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

22 Complete as projeções, apresentando as vistas ortográficas de cada objeto:

53
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

54
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

23 Complete as projeções, apresentando as vistas ortográficas de cada objeto

1)

2)

3)

4)

55
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

24 Complete as projeções, apresentando as vistas ortográficas de cada objeto

1)

2)

3)

56
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

4)

5)

6)

57
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

REBATIMENTOS DOS PLANOS DE PROJEÇÃO

1 Complete a frase: No rebatimento dos planos de projeção, o plano que


permanece fixo é o plano vertical.

2 Em uma folha em branco, esboce o rebatimento das vistas ortográficas


da peça a seguir, observando para que elas estejam proporcionais à
figura original.

3 No espaço indicado, desenhe o rebatimento das vistas ortográficas da peça


a seguir, apresentando o plano de projeção horizontal, vertical e lateral.

FONTE: <https://sites.google.com/site/espinalana3d/home/sistema-diedric>.
Acesso em: 9 nov. 2018.

58
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

FONTE: <http://rsdgdsffgdsfs.blogspot.com/2014/10/projecao-ortogonal.html>.
Acesso em: 9 nov. 2018.

FONTE: <http://www.ebah.com.br/content/ABAAABvr0AE/desenho-tecnico-
aula-06-projecoes-ortogonais-iii-superficies-inclinadas>.
Acesso em: 9 nov. 2018.

59
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

FONTE: <http://instrutorxisto.blogspot.com/2016/02/ctt-desenho-tecnico.
html>. Acesso em: 9 nov. 2018.

TÓPICO 4

DESENHO A MÃO LIVRE: DEFINIÇÃO E TÉCNICAS DE TRAÇADOS

TÉCNICAS PARA O DESENHO À MÃO LIVRE – ESBOÇO DE VISTAS


ORTOGRÁFICAS PRINCIPAIS

1 Em uma folha em branco, para treinar a firmeza do traçado à mão


livre, desenhe 10 linhas verticais, 10 inclinadas e 10 horizontais:

60
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Trace 10 linhas horizontais e 10 linhas verticais utilizando a técnica


de ligação de dois pontos:

2 Trace 10 linhas horizontais e 10 linhas verticais utilizando a técnica


de ligação de dois pontos:

4 Desenhe 3 círculos de 8cm de diâmetro cada e, inscritos em cada um


deles, esboce à mão livre um triângulo, um quadrado e um hexágono,
de acordo com o modelo a seguir. Observe para que os ângulos de
divisão das arestas de cada objeto estejam proporcionais.

61
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Ordene as fases de construção da perspectiva isométrica a seguir,


enumerando-os de 1 a 5.

R.: 3, 1, 5, 2 e 4

6 Ordene as fases de construção da perspectiva isométrica a seguir,


enumerando-as de 1 a 5.

R.: 3, 1, 4, 5 e 2

7 Em uma folha em branco, treine o desenho de um cone de 5cm de


diâmetro por 10cm de altura, em perspectiva, observando para manter
as suas proporções originais.

62
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

8 Em uma folha em branco, desenhe um cubo de 5cm em perspectiva


isométrica. A partir dele, trace círculos circunscritos em suas 3 faces
aparentes, conforme o exemplo que segue.

9 Em uma folha em branco, desenhe o cubo a seguir, considerando os


seguintes passos para a construção do desenho:

10 Em uma folha em branco, desenhe o cubo a seguir, considerando os


seguintes passos para a construção do desenho:

63
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

11 Em uma folha em branco, faça um esboço à mão livre os prismas a


seguir:

12 Nos espaços em branco, faça um esboço à mão livre os prismas a


seguir:

64
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

AUTOATIVIDADES FINAIS

TÓPICO 1

ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DO DESENHO

65
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 2

PERSPECTIVAS: DEFINIÇÃO, TIPOS E ORIENTAÇÕES PARA MONTAGEM

PERSPECTIVA CÕNICA

66
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

PERSPECTIVA ISOMÉTRICA

67
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

PERSPECTIVA CAVALEIRA

68
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO3

PROJEÇÕES ORTOGRÁFICAS APLICADAS AO DESENHO TÉCNICO

PROJEÇÕES ORTOGRÁFICAS

69
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

REBATIMENTOS DOS PLANOS DE PROJEÇÃO

70
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 4

DESENHO A MÃO LIVRE: DEFINIÇÃO E TÉCNICAS DE TRAÇADOS

TÉCNICAS PARA O DESENHO A MÃO LIVRE

71
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

UNIDADE 3

AS REPRESENTAÇÕES DO DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 1

ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DO DESENHO

DESENHO DE VISTAS

1 Analise as informações a seguir, e preencha as lacunas com as


alternativas corretas:

R.:
a) A vista frontal é, em geral, a vista mais representativa de um objeto.
b) A vista de peça simétrica (meia-vista) é representada pela metade, sempre
que a linha de simetria dividir a vista em duas partes iguais, ou quando as
linhas de simetria dividirem em quatro partes idênticas.
c) A vista auxiliar é utilizada quando precisamos representar objetos com uma
ou mais faces inclinadas.
d) A vista encurtada (linha de interrupção) é utilizada quando precisamos
representar peças muito longas.

2 As vistas são formas de representação ortográfica de um objeto, e


têm por função fornecer os detalhes que servirão de base para a sua
execução. Analise as vistas a seguir e indique se estas são:

Vista de peça simétrica (meia-vista) Vista de peça simétrica (meia-vista)

72
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

3 Selecione qual das alternativas abaixo corresponde a uma peça que


precisaria ser representada com uma vista auxiliar (oblíqua em relação
ao objeto):

(x)

4 Selecione qual das alternativas abaixo corresponde a uma peça que


está sendo representada com uma vista encurtada:

(x)

5 Selecione qual das alternativas abaixo corresponde a uma peça que


poderia ser representada com uma vista simétrica (meia-vista):

73
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

DESENHO DE CORTES

1 Assinale com um X a alternativa que completa corretamente a


afirmação: Corte total é aquele que:

a) ( ) Atinge apenas as partes maciças da peça.


b) ( ) Divide a peça horizontalmente.
c) (X) Representa a peça em toda sua extensão.
d) ( ) É aplicado quando temos um objeto simétrico.

2 Complete as frases nas linhas indicadas, selecionando as alternativas


corretas, de acordo com as opções apresentadas.

A linha que, no corte parcial, separa a parte cortada da parte não cortada
chama-se linha de corte.
O corte parcial pode ser representado quando se quer mostrar apenas um
detalhe pequeno do objeto.
Os elementos internos da peça, que não são atingidos pelo corte parcial, não
precisam ser representados no desenho técnico.

3 Analise os desenhos apresentados a seguir, e descreva para que são


utilizadas as hachuras em desenho técnico.

R.: As hachuras são utilizadas para representar as partes da peça, interceptadas


pelo plano de corte, e devem ser feitas em traço estreito e suave, com os
instrumentos de desenho apropriados.

74
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

4 Assinale com um X o desenho que representa uma peça secionado


por um plano de corte longitudinal horizontal.

(x)

5 Assinale com um X a alternativa que corresponde à perspectiva


isométrica sem corte do modelo do exercício anterior.

(x)

6 Observe as vistas ortográficas a seguir, e selecione qual delas está


representada em corte.

(x)

75
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 Observe as vistas ortográficas a seguir, e selecione em qual delas


está representada a indicação do plano de corte.

(x)

8 A peça a seguir está recebendo um plano de corte horizontal. Em uma


folha em branco, desenhe as vistas frontal, lateral e superior da peça,
representando com hachuras as partes cortadas.

9 As peças a seguir estão recebendo um plano de corte vertical. Em uma


folha em branco, desenhe as vistas frontal, lateral e superior de cada
peça, representando com hachuras as partes cortadas.

76
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

a)

b)

c)

d)

77
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

e)

f)

g)

78
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

10 A peça a seguir está recebendo dois planos de corte. Em uma folha


em branco, desenhe as vistas frontal, lateral e superior da peça,
representando com hachuras as partes cortadas.

11Em uma folha em branco, desenhe a vista superior e o corte da peça a


seguir. Observe para manter a proporcionalidade da peça, no desenho.

12O sólido a seguir está recebendo um plano de meio corte. Selecione a


alternativa que apresenta a representação correta deste corte:

(x)

79
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

13Analise a perspectiva da peça, com a indicação dos locais por onde


passam os planos de corte, e represente, nas vistas ortográficas, o
que é pedido:

a) Represente a indicação dos planos de corte.


b) Hachure as partes maciças atingidas pelos cortes.
c) Escreva o nome do corte, no local apropriado.

Corte AA

14 Analise a perspectiva da peça, com a indicação dos locais por onde


passam os planos de corte, e represente, nas vistas ortográficas, o
que é pedido:

a) Represente a indicação dos planos de corte.


b) Hachure as partes maciças atingidas pelos cortes.
c) Escreva o nome do corte, no local apropriado.

Corte AA

80
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

15 Analise a perspectiva da peça, com a indicação dos locais por onde


passam os planos de corte, e represente, nas vistas ortográficas, o
que é pedido:

a) Represente a indicação dos planos de corte.


b) Hachure as partes maciças atingidas pelos cortes.
c) Escreva o nome do corte, no local apropriado.

Corte longitudial

16Analise a peça a seguir, e selecione a alternativa que apresenta o


seu corte.

(x)

81
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

17 De acordo com o modelo apresentado, represente o corte pleno e o


meio corte das peças a seguir.

18 Analise os desenhos de cada uma das colunas. A coluna A representa


cada uma das peças em perspectiva. A coluna B, representa as mesmas
peças, cortadas pelo plano de corte. E a coluna C, representa o plano
de corte das peças. Represente, com hachuras, nas colunas B e C, as
partes cortadas.

82
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

83
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

19Analise as perspectivas das peças a seguir, em corte. Represente, com


hachuras, nas vistas das peças, as partes que estão sendo cortadas.

84
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

20Observe a peça a seguir, e selecione a alternativa que apresenta a


vista superior e o corte desta peça.

(x)

21Assinale com um X as vistas ortográficas que correspondem ao


modelo em perspectiva, com a indicação dos dois planos de corte
apresentados.

(x)

85
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

22 Correlacione as peças a seguir, com suas respectivas vistas:

(a) (d)

(b) (c)

TÓPICO 2

DESENHO DE EDIFICAÇÕES: PLANTA BAIXA E CORTE

PLANTAS BAIXAS

86
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

1 Com os instrumentos de desenho apropriados, desenhe, em uma folha


A4, a planta baixa de uma sala de 4 x 3,5m, com uma janela de 2,0
x 1,2m com peitoril de 1m centralizada na parede mais larga e uma
porta de 0,9 x 2,1m centralizada na parede oposta à janela. Use a
escala 1:100.

2 Analise os desenhos a seguir, e indique para qual representação este


plano de corte é utilizado.

R.: A.

3 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: B.

4 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: D.

87
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: C.

6 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: A.

7 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: C.

8 Dentre as opções a seguir, selecione aquela que corresponde ao


elemento indicado, com a seta, no desenho.

R.: D.

9 Analise os desenhos a seguir, e selecione aquele que possui a


representação da espessura de linhas mais correta, a ser utilizada
em planta baixa, para a representação de paredes.

(x)

88
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

10Correlacione os elementos enumerados no desenho, com suas


respectivas representações.

a) Tipo de piso (02)


b) Nome do ambiente (01)
c) Área total (03)
d) Cota de nível (04)

11 C orrelacione os elementos enumerados no desenho, com suas


respectivas representações.

a) Projeção do reservatório (1)


b) Projeção dos elementos de iluminação natural (3)
c) Projeção dos degraus da escada acima do corte (2)
d) Projeção da cobertura (4)

12 Enumere os desenhos a seguir, indicando como se dá a sequência de


construção de uma planta baixa em desenho técnico.

(3) (1) (2)

89
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

13 Enumere os desenhos a seguir, indicando como se dá a sequência de


construção de uma planta baixa em desenho técnico.

(3) (4)

(1) (2)

(5)

90
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

14Correlacione os elementos enumerados no desenho, com suas


respectivas representações.

a) Porta de correr (02)


b) Porta de abrir (01)
c) Porta pivotante com eixo central (03)
d) Porta sanfonada (04)
e) Porta pantográfica em formato camarão (05)

15Correlacione os elementos enumerados no desenho, com suas


respectivas representações.

a) Lavatório (04)
b) Vaso sanitário (01)
c) Balcão com pia (05)
d) Tanque (06)
e) Chuveiro (02)

16 Em uma folha em branco, transcreva a planta baixa a seguir, na escala


1:100. Observe para constar, em seu desenho, todas as informações
(gráficas e escritas), apresentadas no modelo.

91
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

17 Em uma folha em branco, transcreva a planta baixa a seguir, na escala


1:100. Observe para constar, em seu desenho, todas as informações
(gráficas e escritas), apresentadas no modelo.

18 Em uma folha em branco, transcreva a planta baixa a seguir, na escala


1:100. Observe para constar, em seu desenho, todas as informações
(gráficas e escritas), apresentadas no modelo.

92
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

19Em uma folha em branco, transcreva a planta baixa a seguir, na escala


1:100. Observe para constar, em seu desenho, todas as informações
(gráficas e escritas), apresentadas no modelo.

CORTES

1 Os desenhos a seguir representam as etapas de construção de uma


planta baixa. Descreva qual a finalidade da planta baixa, para o
desenho técnico.

R.: Em desenho técnico, a planta baixa é uma seção obtida ao passar um


plano horizontal na edificação, a uma altura entre 1,20 e 1,50m, em paralelo
ao plano de piso. A planta baixa representará os ambientes internos da
edificação, e nela estarão representadas as portas, janelas, paredes etc.

2 Os desenhos a seguir representam as etapas de construção de um


corte. Descreva qual a finalidade do corte, para o desenho técnico.

R.: Em desenho técnico, o corte é uma seção obtida ao passar um plano vertical
(longitudinal ou transversal) na edificação, que intercepta as paredes, janelas,
portas, lajes, fundações e coberturas. Sua principal função é apresentar todas
as alturas destes elementos.

93
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

3 Os desenhos a seguir representam dois planos de corte, que seccionam


a edificação. Um deles, acompanha a maior dimensão da edificação,
e o outro, a menor. Indique qual o nome de cada um destes cortes.

Corte transversal Corte longitudinal

4 Indique qual o nome de cada um dos elementos enumerados no


desenho a seguir.

R.: (1) laje (2) viga (3) forro

5 Indique qual o nome de cada um dos elementos enumerados no


desenho a seguir.

R.: (1) parede (2) viga (3) fundação

6 Indique qual é o nome de cada um dos elementos enumerados no


desenho a seguir.

R.: (1) laje (2) viga (3) parede

7 Complete as lacunas, correlacionando cada elemento com sua


respectiva denominação.

94
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

(1) Sentido do corte


(2) Letra do corte
(3) Plano do corte

8 Analise as informações a seguir, e assinale com V (verdadeiro) ou F


(falso) cada sentença.

(V) No desenho, observa-se a variação de pé-direito entre os ambientes.


(V) Há uma janela em corte.
(F) Há uma janela em vista, e uma porta em corte.
(F) As cotas indicam as alturas da porta e da janela.
(V) As cotas indicam a espessura das lajes.

9 Analise o corte a seguir, e selecione quais outros elementos estão


representados no desenho, além do terreno e da viga de fundação.

( ) Cotas
(X) Parede
(X) Piso
( ) Porta
( ) Janela

10 O corte a seguir apresenta elementos que informam a relação da


edificação com o solo. Selecione as alternativas que apresentam
informações que poderiam estar contidas neste desenho.

(X) Nível do solo


( ) Porta em vista
( ) Janela em vista
(X) Nível da edificação
( ) Equipamentos hidráulicos

95
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

11Correlacione os elementos enumerados no desenho, com suas


respectivas representações.

(02) Porta simples em vista


(06) Janela simples em vista
(04) Janela dupla em vista
(03) Janela dupla em corte
(01) Porta simples em corte
(05) Janela simples em corte

12Correlacione os elementos enumerados no desenho, com sua


respectiva denominação.

(5) Laje
(1) Janela em vista
(4) Janela em corte
(2) Porta em vista
(3) Porta em corte

13No corte a seguir estão representados elementos significativos do


projeto, que informam os detalhes para a sua execução (pés-direitos
ou níveis variáveis, esquadrias, escadas etc.). Complete as lacunas,
correlacionando cada elemento com sua respectiva denominação.

(4) Nível do solo


(5) Fundação
(8) Parede
(6) Laje
(9) Nível da edificação
(1) Viga
(2) Cotas
(3) Porta em vista
(7) Janela em corte

14No corte a seguir estão representados elementos significativos do


projeto, que informam os detalhes para a sua execução (pés-direitos
ou níveis variáveis, esquadrias, escadas etc.). Complete as lacunas,
correlacionando cada elemento com sua respectiva denominação.

96
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

(1) Nível do solo


(9) Fundação
(4) Parede
(2) Laje
(8) Nível da edificação
(5) Viga
(3) Cotas
(7) Porta em vista
(6) Janela em vista

TÓPICO 3

DESENHO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS PREDIAIS: ELEMENTOS, SIMBOLOGIAS


E ESQUEMAS

ELEMENTOS ELÉTRICOS

1 Correlacione os elementos a seguir, com a sua respectiva descrição:


a)Medidor de (g) É um ponto de luz fixo no teto destinado à
energia elétrica iluminação, que é acionado através de um interruptor.
(f) São os fios e os cabos responsáveis por conduzir
b)Quadro de eletricidade em uma instalação.
distribuição
(e) É um dispositivo que serve para abrir e fechar
c)Disjuntores um circuito elétrico. Pode ser simples, paralelo ou
intermediário.
d)Tomadas (b) Tem a função de receber, concentrar e distribuir
elétricas energia. Deve ser instalado a 1,20 cm do contrapiso.
(c) Funcionam como proteção da instalação elétrica e
e)Interruptores são embutidos nos quadros de distribuição.
f)Condutores (d) São componentes que distribuem e recebem
Elétricos eletricidade, servindo também para conectar
equipamentos que utilizam energia elétrica, e podem
g)Pontos de luz ser localizadas em três alturas diferentes.
(a) É um dispositivo eletrônico para medir o consumo
de energia elétrica.

97
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 A energia elétrica chega à edifi cação por meio de três fi os, que distribuem
as tensões: um fase, um neutro e um terra. Complete as lacunas a seguir,
indicando qual o tipo de fi o a que cada sentença se refere.

a) O retorno é o condutor que liga o ponto de luz à tomada.


b) O terra é um condutor ligado a hastes cravadas na terra, e que acompanha
todos os circuitos, com a função de proteger o usuário contra choque, e o
equipamento contra tensão de sobrecarga.
c) O fase é um condutor que possui tensão de 127 ou 220v.
d) O neutro é o condutor que não possui tensão.

3 Os circuitos elétricos prediais devem ser representados a partir da


planta baixa da edifi cação, contendo determinadas informações. A
partir dos conhecimentos adquiridos, assinale verdadeiro (V) ou falso
(F) para as informações que devem estar contidas em planta baixa.

(V) A localização dos pontos de energia elétrica, seus comandos e indicações


dos circuitos a que estão ligados.
(V) A localização dos quadros e centros de distribuição.
(F) O trajeto das tubulações hidráulicas.
(F) Um diagrama multifilar discriminando o mobiliário a ser utilizado.
(F) As especificações de pisos e revestimentos.

SIMBOLOGIAS

1 Preencha o quadro a seguir, apresentando a simbologia correta para


cada um dos tipos de quadros de distribuição, previstos em circuitos
de instalação elétrica predial.
QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
SÍMBOLO SIGNIFICADO
Quadro terminal de luz e força aparente.

Quadro terminal de luz e força embutido.

Quadro geral de luz e força aparente.

Quadro geral de luz e força embutido.

Caixa de luz.

98
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Preencha o quadro a seguir, apresentando a descrição correta de cada


um dos tipos de interruptores, previstos em circuitos de instalação
elétrica predial.

INTERRUPTORES

Interruptor de uma seção.

Interruptor de duas seções.

Interruptor de três seções.

Interruptor paralelo (tree-way).

Interruptor intermediário (four-way).

Botão de minuteria.

Botão de campainha na parede.

3 Preencha o quadro a seguir, apresentando a simbologia correta para


cada um dos tipos de dutos de distribuição, previstos em circuitos de
instalação elétrica predial.
DUTOS E DISTRIBUIÇÃO
Eletroduto embutido no teto ou parede.
Eletroduto embutido no piso.
Tubulação para telefone externo.
Tubulação para telefone interno.
Tubulação para campainha, som, anunciador, ou outro
sistema.
Condutor fase, neutro, de retorno e de proteção
respectivamente, no interior do eletroduto.

Caixa de passagem no piso.

99
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

Caixa de passagem no teto.

Caixa de passagem na parede.

Circuito que sobe.

Circuito que desce.

Circuito que passa subindo.

Circuito que passa descendo.

4 Preencha o quadro a seguir, apresentando a simbologia correta para


cada um dos tipos de tomadas e pontos de utilização, previstos em
circuitos de instalação elétrica predial.

TOMADAS E PONTOS DE UTILIZAÇÃO

Tomada baixa (0,30m do piso).

Tomada média (1,30m do piso).

Tomada alta (2,00 do piso).

Tomada no piso.

Campainha.

100
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Preencha o quadro a seguir, apresentando a descrição correta de


cada um dos tipos de luminárias, previstos em circuitos de instalação
elétrica predial.

LUMINÁRIAS

Ponto de luz incandescente no teto.

Ponto de luz incandescente na parede (arandela).

Ponto de luz incandescente no teto (embutido).

Ponto de luz fluorescente no teto.

Ponto de luz fluorescente na parede.

Ponto de luz fluorescente no teto (embutido).

6 Preencha o quadro descrevendo o significado de cada símbolo


apresentado a seguir.

SÍMBOLO SIGNIFICADO

Interruptor paralelo (tree-way).

Tomada baixa (0,30m do piso).

Ponto de luz incandescente no teto.

Ponto de luz incandescente no teto (embutido).

101
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 A fi gura a seguir exemplifi ca um esquema de um circuito elétrico


unifilar formado por um interruptor simples, uma tomada, uma
lâmpada, uma rede de eletrodutos e a fiação. Observe que a
representação é simplificada por um traço que representa os
condutores. Os símbolos que o cortam representam a fase, o neutro
e o terra, e a conexão é feita nos pontos de luz, tomada e interruptor.
Correlacione os elementos enumerados no desenho a seguir, com a
sua respectiva descrição.

R.: (3) Interruptor simples (1) Ponto de luz (2) Tomada baixa

8 Correlacione os elementos apresentados no desenho a seguir, com a


sua respectiva descrição.

a) (c) Interruptor paralelo (tree-way).

b) (b) Interruptor de uma seção.

c) (c) Interruptor intermediário (four-way).

d) (a) Quadro geral de luz e força embutido.

CARGAS DOS PONTOS DE UTILIZAÇÃO

1 Com relação ao número de pontos de iluminação, que devem ser


previstos em um circuito elétrico, preencha as lacunas a seguir.

a) Em cada cômodo ou dependência deve ser previsto pelo menos 1 ponto de


luz fixo no teto, comandado por interruptor.
b) Admite-se que o ponto de luz fixo no teto seja substituído por ponto na
parede em espaços sob escada, depósitos, despensas, lavabos e varandas.
c) Em cômodos ou dependências com área igual ou inferior a 6 m², deve ser
prevista uma carga mínima de 100VA.
d) Em cômodos ou dependências com área superior a 6 m², deve ser prevista
uma carga mínima de 100VA para os primeiros 6 m², acrescida de 60VA para
cada aumento de 4 m² internos.

102
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

2 Com relação ao número de pontos de tomada, que devem ser previstos


em um circuito elétrico, preencha as lacunas a seguir.

R.:
a) Em banheiros, deve ser previsto pelo menos 1 ponto de tomada, próximo
ao lavatório.
b) Em cozinhas, copas, copas-cozinhas, áreas de serviço, cozinha-área de
serviço, lavanderias e locais análogos, deve ser previsto no mínimo 1 ponto
de tomada para cada 3,5 m, ou fração, de perímetro.
c) Em varandas, deve ser previsto pelo menos 1 ponto de tomada.
d) Em salas e dormitórios devem ser previstos pelo menos 1 ponto de tomada
para cada 5 m, ou fração, de perímetro.

3 Em cada um dos demais cômodos e dependências de habitação


devem ser previstos um mínimo de pontos de tomada. Com relação
ao número de pontos de tomada, que devem ser previstos nesta
situação, preencha as lacunas a seguir.

R.:
a) Deve ser previsto um ponto de tomada, se a área do cômodo ou dependência
for igual ou inferior a 2,25 m².
b) Deve ser previsto um ponto de tomada, se a área do cômodo ou dependência
for superior a 2,25 m² e igual ou inferior a 6 m².
c) Deve ser previsto um ponto de tomada para cada 5 m, ou fração, de perímetro,
se a área do cômodo ou dependência for superior a 6 m².

4 Com relação à potência de cada tomada, a norma define que esta deve
ser calculada em função dos equipamentos que a tomada poderá vir a
alimentar. Com base nesta afirmativa, preencha as lacunas a seguir.

R.:
a) Em banheiros, cozinhas, copas, copas-cozinhas, áreas de serviço, lavanderias
e locais análogos, no mínimo 600VA por ponto de tomada, até três pontos,
e 100VA por ponto para os excedentes.
b) Quando o total de tomadas no conjunto desses ambientes for superior a
seis pontos, admite-se que o critério de atribuição de potências seja de no
mínimo 600VA por ponto de tomada, até dois pontos, e 100VA por ponto
para os excedentes.
c) Nos demais cômodos ou dependências, no mínimo 100VA por ponto de tomada.

103
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

5 Para elaborar o desenho técnico das instalações elétricas, há uma


série de procedimentos que devem ser seguidos, que facilitarão a sua
execução. Analise as informações a seguir, enumerando-as na ordem
em que os procedimentos deverão ser executados, a fim de garantir
a correta execução do desenho.

(2) Comece posicionando na planta baixa os símbolos das lâmpadas e seus


respectivos comandos (interruptores).
(1) Para facilitar a confecção deste desenho e sua interpretação, recomendamos
que a planta baixa esteja “limpa”, ou seja, sem desenho de móveis e outros
equipamentos internos.
(4) Você pode optar por colocar outros pontos de luz que considerar importantes,
como em cima da mesa, da bancada de trabalho, na cabeceira da cama etc.
(8) Posicionados os elementos, agora você precisa criar os circuitos que são
formados por condutores que conectam cada um deles.
(6) Desenhe as setas de representação das tomadas encostando-as na parede
em que elas serão colocadas.
(7) Posicione o quadro de distribuição e desenhe-o. Lembre-se de que o melhor
é que ele fique centralizado, em local de fácil acesso e sem estar em áreas
molhadas.
(3) Considere um ponto de luz fixo no teto para cada cômodo e pelo menos um
comando.
(5) Agora, você deve posicionar as tomadas, lembrando que elas podem ser
altas, médias ou baixas, e o que irá definir a altura será a previsão dos
equipamentos que elas deverão alimentar.

6 Com relação ao dimensionamento dos circuitos elétricos, analise as


informações a seguir, preenchendo as lacunas.

R.:
a) Para criar os circuitos, na escala residencial, o recomendado é que você
dimensione um circuito para cada 25m2 de área construída, mais os circuitos
especiais (TUEs).
b) Os circuitos de iluminação deverão ser separados dos circuitos de tomadas,
e as TUEs deverão ter circuitos individuais.
c) Considere que as tomadas de copa, cozinha e áreas de serviço também
devem ser constituídas por circuitos exclusivos.

104
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

7 Para traçar os circuitos elétricos, no desenho, há uma série de


procedimentos que devem ser seguidos. Analise as informações a
seguir, enumerando-as na ordem em que os procedimentos deverão
ser executados, a fim de garantir a correta execução do desenho dos
circuitos elétricos.

R.:
(4) Observadas todas estas recomendações, repita o processo, até completar
todos os circuitos.
(2) Nesse processo, procure fazer os caminhos mais curtos, e evite cruzar muitos
eletrodutos, para não deixar emaranhado o desenho, e posteriormente a
execução.
(3) Não coloque mais de 5 eletrodutos em cada caixa embutida no teto e mais
de 3 nas caixas das paredes, e não fazer trechos contínuos retilíneos maiores
que 12m.
(1) Comece fazendo linhas na planta baixa que representam os eletrodutos: você
deverá partir do quadro de distribuição, ligar até a lâmpada mais próxima e
ligar até o interruptor que acionará a lâmpada.

8 A partir das áreas previstas para cada ambiente, preencha a tabela com
a previsão de carga ideal de cada ambiente, considerando o exemplo
apresentado.

AMBIENTE ÁREA PREVISÃO DE CARGA


Sala de estar 24,00 4 x 100VA
Sala de jantar 9,30 3 x 100VA
Dormitório 10,20 3 x 100VA
Banheiro 6,25 1 x 600VA
Despensa 1,22 1 x 100VA
Hall 0,84 1 x 100VA
3 x 600VA
Cozinha 9,30
1 x 100VA
3 x 600VA
Área de serviço 7,88
1 x 100VA
Circulação 3,10 1 x 100VA
Garagem 28,32 1 x 100VA

105
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

9 Analise as plantas baixas a seguir, e correlacione cada uma delas com


sua respectiva denominação.

(a) (b)

(c)

a) Pontos de iluminação.
b) Pontos de tomada.
c) Circuitos elétricos.

10 Analise a planta baixa a seguir, e complemente a legenda, indicando


cada um dos elementos que compõem o circuito elétrico proposto.

106
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

Tomada baixa (0,30m do piso) Quadro terminal de luz e


força aparente
Tomada média (1,30m do piso) Caixa de luz
Tomada alta (2,00m do piso) Eletroduto embutido
no teto ou parede
Ponto de luz incandescente
no teto Eletroduto embutido no piso
Condutor fase, neutro, de
Interruptor de uma seção retorno e de proteção
respectivamente, no interior
Interruptor paralelo do eletroduto

107
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

AUTOATIVIDADES FINAIS

TÓPICO 1

ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DO DESENHO

DESENHO DE VISTAS

108
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

DESENHO DE CORTES

109
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 2: DESENHO DE EDIFICAÇÕES: PLANTA BAIXA E CORTE

PLANTAS BAIXAS

110
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

CORTES

111
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

TÓPICO 3

DESENHO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS PREDIAIS: ELEMENTOS, SIMBOLOGIAS


E ESQUEMAS

ELEMENTOS ELÉTRICOS

112
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

SIMBOLOGIAS

113
PRÁTICAS DE DESENHO TÉCNICO

CARGAS DOS PONTOS DE UTILIZAÇÃO

114

Você também pode gostar