Você está na página 1de 12

REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

PREPARATÓRIO PARA A AVALIAÇÃO GLOBAL – 3º TRIMESTRE

TD REVISÃO PARA A
AV GLOBAL
Aluno(a): ___________________________________________________________
Série: 7º ano Data: 19/11/2020 Profa. Marília Costa
___________________________________________________________________________________________

Oi, Heitor!
O material que você recebe tem como objetivo prepara-lo para a revisão da
Avaliação Global de Língua Portuguesa do 3º trimestre com os seguintes
conteúdos:
 Termos da Oração (essenciais, integrantes e acessórios);
 Estrutura das Palavras e
 Gênero Textual: Propaganda Impressa
Por isso, leia com atenção o conteúdo teórico e a seguir resolva as
questões/exercícios propostos.
Bom estudo!!!

TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO

Termos essenciais da oração: Sujeito e predicado e seus tipos.


Conheça os termos essenciais da oração na Língua Portuguesa: Sujeito simples, composto,
implícito, indeterminado e inexistente. Predicado e seus tipos
Sujeito e Predicado são os termos fundamentais de uma oração e formam sua estrutura.
Lidamos com eles o tempo todo e nem sempre percebemos que eles estão ali no que escrevemos.
Revise a seguir os tipos de sujeito e predicado e os exemplos para melhor entendimento.

SUJEITO
Sujeito é aquele que na oração realiza ou sofre uma ação ou estado.

Por exemplo:
 Alexandre socorreu o garoto.
“Alexandre” é o sujeito da oração; ele realizou a ação de socorrer alguém.

 Alexandre está triste hoje.


“Alexandre” é o sujeito que se sente triste hoje, está num “estado” de tristeza.

Para encontrarmos o sujeito de uma oração, basta fazer uma simples pergunta “ao verbo”:
“quem é que”. No caso das orações acima: quem é que socorreu o garoto?
Quem é que está triste hoje? Resposta: Alexandre.

TIPOS DE SUJEITO

Existem cinco tipos de sujeito, eles podem ser: simples, compostos, implícitos,
indeterminados e inexistentes.

Veja cada um deles.

Rua José de Alencar, 1930 – Nossa Senhora de Lourdes – CEP 62800-000.


E-mail: eparacati@escola.ce.gov.br/ Fone: (88) 34212194 Página 1
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

SUJEITO SIMPLES

Na análise sintática, todo sujeito apresenta um núcleo (sujeito simples) ou mais que um
núcleo (sujeito composto).
Núcleo do sujeito é a parte essencial do próprio sujeito.

Exemplo:
 O menino Rafael comprou um chocolate branco.
O menino Rafael é o sujeito da oração. Rafael é o termo mais importante do sujeito. Rafael é o
núcleo do sujeito. Há apenas um núcleo, portanto, é um sujeito simples.

SUJEITO COMPOSTO

Contém dois ou mais núcleos.

Exemplo: Rafael e Gustavo compraram chocolate.

Sujeito da Oração: Rafael e Gustavo. Núcleo do Sujeito: Rafael, Gustavo. Dois núcleos
representam um sujeito composto.

Sujeito subentendido, desinencial, implícito, oculto ou elíptico.


Embora nestes casos o sujeito não apareça, qualquer um pode facilmente identificá-lo:

Exemplo:
 Comemos fora hoje.
O pronome “nós” não aparece, mas pela conjugação do verbo podemos identificar que “nós” é o
sujeito subentendido da oração.

SUJEITO INDETERMINADO

Neste caso, a ação do verbo ocorre, mas não podemos identificar quem é o sujeito. Acontece com
verbos na 3ª pessoa do plural ou na 3ª pessoa do plural acompanhados da partícula “se”.

Exemplo:
 Falaram mal do garoto.

Pessoas falaram mal do garoto, houve uma ação, o verbo foi conjugado, mas não podemos
identificar o sujeito. Não se sabe como isto aconteceu. Foi praticada uma ação, há um sujeito, mas
não sabemos quem é.

SUJEITO INEXISTENTE (OU ORAÇÃO SEM SUJEITO)

Em algumas orações o predicado não se refere a nenhum ser. A oração não tem sujeito. O verbo é
impessoal e estará sempre na 3ª pessoa do singular. Geralmente são verbos relacionados a
fenômenos da natureza (trovejar, ventar, chover, anoitecer…), como também com os verbos
“haver, fazer, ser” quando empregados de maneira impessoal.

Exemplo:
 Anoiteceu em Florianópolis.
 Choveu muito nesta madrugada.
 Há anos que não o vejo.
 Fez frio ontem.
 São 10 horas da manhã.

Página 2
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

PREDICADO
É tudo o que se diz do sujeito da oração.

Exemplo:
 O galo cantou nesta madrugada.

Predicado Verbal
Indica uma ação, sendo constituído por um núcleo, que é um verbo nocional (verbo que indica
uma ação). Nesse caso, não há presença de predicativo do sujeito, por exemplo:
 Nós caminhamos muito hoje. (núcleo: caminhamos)
 Cheguei hoje de viagem. (núcleo: cheguei)
 O cliente perdeu os documentos. (núcleo: perdeu)

Predicado Nominal
Indica estado ou qualidade, sendo constituído por um verbo de ligação (verbo que indica estado)
e o predicativo do sujeito (complementa o sujeito atribuindo-lhe uma qualidade).
Há somente um núcleo, caracterizado por um nome (substantivo ou adjetivo), por exemplo:
 Alan está feliz. (núcleo: feliz)
 Fiquei exausta. (núcleo: exausta)
 Ele continua atencioso comigo. (núcleo: atencioso)

Predicado Verbo-Nominal

Ao mesmo tempo que indica ação do sujeito, esse tipo de predicado informa sua qualidade ou
estado, sendo constituído por dois núcleos: um nome e um verbo.
Nesse caso, há presença de predicativo do sujeito ou predicativo do objeto (complementa o
objeto direto ou indireto, atribuindo-lhes uma característica), por exemplo:
 Suzana chegou cansada. (núcleos: chegou, cansada)
 Terminaram satisfeitos o trabalho. (núcleos: terminaram, satisfeitos)
 Considerou a caminhada desagradável. (núcleos: considerou, desagradável)
Para identificar um predicado verbo-nominal, o verbo que indica ação está expresso na oração. O
verbo que indica estado ou qualidade, por sua vez, está oculto.
Assim, “Suzana chegou” caracteriza o verbo nocional, o qual representa a ação do sujeito.
Enquanto que “(estava) cansada” indica o estado do sujeito, onde o verbo não nocional não
aparece declarado na frase.

TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO

Segundo a gramática tradicional, os termos da oração dividem-se em: essenciais,


integrantes e acessórios. Os termos integrantes da oração são aqueles que integram,
principalmente, o sentido de verbos e substantivos presentes na oração.
Os principais termos integrantes da oração são os complementos verbais (objeto direto e
objeto indireto), o complemento nominal e o agente da passiva.
O predicativo do sujeito e o predicativo do objeto podem também ser considerados termos
integrantes da oração, por atuarem como complementos nominais e verbais. Essa classificação
não é, contudo, unânime.

OBJETO DIRETO

O objeto direto é um complemento verbal. É o termo da oração que indica o elemento que
sofre a ação verbal, completando o sentido de um verbo transitivo direto.
Exemplos de objeto direto:
 Minha filha está lendo o livro no jardim.
 Eu amo-o do fundo do meu coração.

Página 3
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

 Nunca experimentei essa receita.

OBJETO INDIRETO

O objeto indireto é um complemento verbal. É um termo preposicionado que indica o


elemento ao qual se destina ação verbal. Completa o sentido de um verbo transitivo indireto.
Exemplos de objeto indireto:
 O filho não obedeceu ao pai.
 Neste momento, eu preciso de sua ajuda.
 Você vai fugir de mim?
Complemento nominal

O complemento nominal é um termo preposicionado que completa o sentido de um nome, como


um substantivo, um adjetivo ou um advérbio. Existem diversos nomes que têm um significado
incompleto sem esse complemento, como:
 alheio a;
 cheio de;
 descontente com;
 perito em;
 devoção por;
Exemplos de complemento nominal:
 Minha vizinha está cheia de dores.
 Ainda não estou pronta para o teste.
 Minha avó tem muita devoção por Deus.

AGENTE DA PASSIVA

O agente da passiva é um termo que existe apenas em orações na voz passiva analítica.
Indica quem pratica a ação, correspondendo ao sujeito da voz ativa. É um termo preposicionado,
introduzido pela preposição por e suas formas flexionadas (pelo, pela, pelos, pelas).
Exemplos de agente da passiva:
 A apresentação foi realizada pela professora de Filosofia.
 Todo o trabalho foi feito por mim.
 O paciente foi acompanhado pela enfermeira.

PREDICATIVO DO SUJEITO

O predicativo do sujeito é um termo que existe apenas nos predicados nominais. Atribui uma
qualidade ao sujeito, caracterizando-o.
Exemplos de predicativo do sujeito:
 Meu melhor amigo está tão triste.
 Você anda agitada desde ontem.
 Ela sempre foi a razão de tudo.

PREDICATIVO DO OBJETO

O predicativo do objeto é um termo que existe apenas nos predicados verbo-nominais.


Atribui uma qualidade ao objeto direto ou ao objeto indireto, caracterizando-os.
Exemplos de predicativo do objeto:
 Eu considero este assunto importantíssimo!
 O professor elegeu-me representante da turma.
 Na aula de inglês, eu chamei-lhe burra.

TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO

Página 4
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

Segundo a gramática tradicional, os termos da oração dividem-se em: essenciais,


integrantes e acessórios. Os termos acessórios da oração são aqueles que podem ser retirados
da frase sem alterar sua estrutura sintática, uma vez que não são indispensáveis. O seu uso,
contudo, poderá ser importante e essencial para a compreensão da mensagem transmitida.
Os termos acessórios da oração são o adjunto adnominal, o adjunto adverbial e o aposto.

ADJUNTO ADNOMINAL

Os adjuntos adnominais atribuem características ao substantivo que acompanham. Podem


ser representados por um artigo, por um adjetivo, por uma locução adjetiva, por um pronome
adjetivo e por um numeral adjetivo.
Exemplos de adjuntos adnominais
 Aquele livro velho é meu.
 Meu filho tem uma camisa preta.
 Sete pessoas diferentes ligaram para você hoje.
 Quem é o primeiro concorrente?
 Você vai nadar na água do rio?

 O adjunto adnominal é frequentemente confundido com o complemento nominal.

O adjunto adnominal é dispensável, sendo uma informação acessória. Refere-se a um


substantivo concreto e pode ser ou não precedido de uma preposição.

O complemento nominal é uma informação obrigatória. Vem sempre precedido de uma


preposição e está ligado a um substantivo abstrato, adjetivo ou advérbio.

ADJUNTO ADVERBIAL

O adjunto adverbial é usado para indicar uma circunstância, transmitindo uma ideia de
tempo, modo, intensidade, lugar, afirmação, dúvida,…
Os adjuntos adverbiais podem no início, no meio ou no fim das frases e podem ser ou não
separados por vírgulas, conforme a posição que ocupam.
Existem adjuntos adverbiais de afirmação, de negação, de causa, de lugar, de tempo, de
intensidade, de companhia, de dúvida, de concessão, de instrumento, de meio, de modo, de
condição, de finalidade, de assunto, de direção, de exclusão, de frequência, de matéria, de
conformidade,…
Exemplos de adjunto adverbial
 Amanhã, a funcionária virá ao escritório assinar o contrato.
 A mãe abriu, lentamente, a porta do quarto da filha.
 Meu irmão faz natação todos os dias.

APOSTO

O aposto fornece novas informações sobre um dos termos da oração, estando


sintaticamente relacionado com ele. O aposto desenvolve, explica, enumera, esclarece, detalha,
especifica,… esse outro termo da oração.
Exemplos de aposto
 Sempre fui apaixonada por Pedro, o mais simpático de todos os meninos.
 As minhas duas primas, Cátia e Beth, moram no Rio de Janeiro.
 Gostaria de cursar várias faculdades: línguas, medicina, advocacia, filosofia e botânica.

Página 5
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

E o VOCATIVO?
O vocativo não é um dos termos acessórios da oração. é um termo independente que não
se relaciona sintaticamente com os outros termos da oração.
Exemplos de vocativo
 Mariana, venha!
 Vamos ouvir, minha gente!
 Você viu o que aconteceu, senhora?

EXERCÍCIOS SOBRE OS TERMOS DAS ORAÇÕES

1. A única oração com sujeito simples é:


a) Existem algumas dúvidas.
b) Compraram-se livros e revistas.
c) Precisa-se de ajuda.
d) Faz muito frio.
e) Há alguns problemas.

2. Leia as orações a seguir, retire o sujeito e classifique-o.


a) Uma cigarra apareceu.
b) A safra estava excelente.
c) O monstro e Bela eram amigos.
d) Retornou ao palácio e encontrou Bela no chão.
e) Levaram vários dias para que voltassem.
6. Em qual das orações a seguir não existe sujeito?
a) Há vários estudantes no show de calouros.
b) Existiam vários alunos no show.
c) João e Maria corriam pelo parque.
d) Tocaram a campainha de sua casa.
e) José tocou flauta no concerto.

3. Numere de acordo com o caso, sublinhando, quando possível, o termo indicado:

(1) sujeito simples


(2) sujeito composto
(3) sujeito oculto (determinado)
(4) sujeito indeterminado
(5) oração sem sujeito

( ) Estude a lição, minha filha.


( ) Havia muitas notas baixas na prova.
( ) Nesta escola encontram-se alunos inteligentes.
( ) Falaram muito de você no clube.
( ) Come se bem nos restaurantes paulistas.
( ) Come se, no Rio Grande do Sul, um bom churrasco.
( ) Conversávamos animadamente eu e Paulo.
( ) Conversávamos todos os dias após as aulas.
( ) Num galho de mangueira brincam dois passarinhos.
( ) Fazia muito calor em Brasília.

4. Leia o texto a seguir:

A CIGARRA E A FORMIGA

Página 6
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

Num belo dia de inverno as formigas estavam tendo o maior trabalho para secar suas
reservas de comida. Depois de uma chuvarada, os grãos tinham ficado molhados. De repente
aparece uma cigarra:
— Por favor, formiguinhas, me deem um pouco de comida!
As formigas pararam de trabalhar, coisa que era contra seus princípios, e perguntaram:
— Mas por que? O que você fez durante o verão?
Por acaso não se lembrou de guardar comida para o inverno?
Falou a cigarra:
— Para falar a verdade, não tive tempo, passei o verão todo cantando!
Falaram as formigas:
— Bom…. Se você passou o verão todo cantando, que tal passar o inverno dançando? E
voltaram para o trabalho dando risadas. (Fábula de Esopo)

Moral da história: Os preguiçosos colhem o que merecem.

a) Retire o sujeito da oração “Num belo dia de inverno as formigas estavam tendo o maior
trabalho”:
b) Ainda na mesma oração, retire o predicado.
c) Como se classifica o sujeito da oração?

5. Leia.

A RAPOSA E AS UVAS

Morta de fome, uma raposa foi até um vinhedo sabendo que ia encontrar muita uva. A safra
tinha sido excelente. Ao ver a parreira carregada de cachos enormes, a raposa lambeu os beiços.
Só que sua alegria durou pouco: por mais que tentasse, não conseguia alcançar as uvas.
Por fim, cansada de tantos esforços inúteis, resolveu ir embora, dizendo:
— Por mim, quem quiser essas uvas pode levar.
Estão verdes, estão azedas, não me servem. Se alguém me desse essas uvas eu não
comeria. (Fábula de Esopo)

Moral da história: Desprezar o que não se consegue conquistar é fácil.

a) Qual é o sujeito da oração “Uma raposa foi até um vinhedo”?


b) Que tipo de sujeito aparece em “Lambeu os beiços”?
c) Retire o predicado da oração “As uvas estão verdes e azedas”.

6. Marque a alternativa em que a oração possui sujeito.


a) Faz tempo que andam poluindo os rios.
b) Haverá grandes desertos no lugar das florestas.
c) Existem pessoas passando fome no Brasil.
d) São duas horas da tarde.
e) No verão, amanhece mais cedo.

7. Separe o sujeito do predicado e classifique o predicado, destacando o seu núcleo.


a) Os rios deságuam no mar.
b) Meu avô contava muitas histórias aos netos.
c) Os turistas visitaram as cidades históricas brasileiras.
d) A estrada terminava num deserto.
e) Os boias-frias levantam muito cedo.
f) As matas desapareceram rapidamente.
g) Eles gostam da hospitalidade brasileira.
h) A criançada ouvia as histórias atentamente.

Página 7
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

i) Aninha enviou uma carta à irmã.


j) Os motoristas andam descontentes com o trânsito.
k) O técnico ficou surpreso com o novo aparelho de som.
l) Os turistas ficaram impressionados com o sol de verão.
m) Com o incidente, Maria fez-se pálida.
n) Os pais estavam preocupados com os filhos.
o) Muitos ficaram calados na hora da votação.
p) Os presos permaneciam incomunicáveis.
q) O vigário mordia de leve os beiços grossos...
r) Olhamos aquele sorriso largo e branco.
s) O silêncio da madrugada é tranquilizante.

8. Sublinhe os adjuntos adnominais dos substantivos destacados.


a) Os alunos pequenos compraram alguns livros de aventuras.
b) Os dois lados da rua foram tomados por uma alegre multidão.
c) A menina alegre chegou hoje.
d) A menina chegou alegre hoje.
e) Os dois enormes ipês floridos dominavam a tranquila paisagem da cidadezinha.
f) Como era velha, pesada e morta aquela avó magra.
g) O muro do nosso colégio foi pichado de madrugada.
g) Aquele homem comeu dois sanduíches de presunto e bebeu um litro de água.
h) Esse belo móvel pertenceu ao meu saudoso avô.
i) Ela estava sentada em uma antiga cadeira de balanço.
j) Todos os jogadores do time receberam uma severa crítica de seu treinador.
k) As brincadeiras dos alunos deixaram o professor novato descontente.
l) Muitas ruas da cidade ficaram interditadas durante o dia inteiro.
m) O jovem casal residia no décimo andar daquele moderno edifício.
n) A difícil decisão dependia dos votos dos senhores juízes.
o) A primeira página do jornal trazia o retrato das diversas vítimas.

9. Leia este poema, de Leo Cunha:


Castigo
Podem me prender no quarto,
eu saio pela janela.
Podem trancar a janela,
eu fujo pelo telefone.
Podem cortar o telefone,
eu pulo dentro de um livro.

a) No poema, o eu lírico enumera três tipos de castigo. Quais são eles?


b) Em reação a cada um dos castigos, o eu lírico realiza uma ação, expressa no poema por meio
de um verbo intransitivo. Quais são esses verbos?
c) Que tipo de informação os termos pela janela, pelo telefone e dentro de um livro dão sobre as
ações do eu lírico?

10. Dê a função sintática dos termos grifados: adjunto adnominal ou aposto.


a) A cidade de Santos recebeu muitos visitantes.
b) O clima desta cidade está se modificando.
c) As nossas férias são no mês de julho.
d) Os livros de história foram retirados da prateleira.
e) A passeata realizou-se na avenida Paulista.

11. Em:
As ruas foram lavadas pela chuva

Página 8
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

Tinha grande amor à humanidade


Ele é carente de virtudes.

Os termos destacados são, respectivamente:


A) complemento nominal, agente da passiva, complemento nominal
B), agente da passiva, complemento nominal, objeto indireto
C) objeto indireto, objeto direto preposicionado, objeto indireto
D) agente da passiva, complemento nominal, complemento nominal
E) objeto direto, objeto indireto, complemento nominal

12. Marque V para Verdadeiro e F para falso conforme a função correspondente ao termo em
destaque:
( ) Comer demais traz malefícios à saúde. (complemento nominal)
( ) Jamais me esquecerei de ti. (objeto indireto )
( ) Ele foi cercado de amigos sinceros. (complemento nominal)
( ) Não tens interesse pelos estudos. (agente da passiva)
( ) Ele simpatizava com todos a sua volta. (objeto indireto)

13. Assinale a alternativa em que o termo grifado é complemento nominal:


A) A enchente alagou a cidade.
B) Precisamos de mais informações.
C) A resposta ao aluno não foi convincente.
D) O professor não quis responder ao aluno.
E) Muitos caminhos foram abertos pelos bandeirantes.

14. Na oração “Não foi aceita por mim a recompensa oferecida”, os termos “por mim” e
“recompensa oferecida” são, respectivamente:
A) objeto indireto e agente da passiva.
B) agente da passiva e sujeito.
C) adjunto adverbial e objeto direto.
D) objeto direto e sujeito
E) adjunto adverbial e sujeito.

15. Assinale a alternativa correspondente ao período onde há predicativo do sujeito:


A) Como o povo anda tristonho!
B) Agradou ao chefe o novo funcionário.
C) Ele nos garantiu que viria em breve.
D) No Rio, não faltam diversões.
E) O aluno ficou sabendo hoje cedo de sua aprovação.

ESTRUTURA DAS PALAVRAS

Estudar a estrutura é conhecer os elementos formadores das palavras. Assim,


compreendemos melhor o significado de cada uma delas. Observe os exemplos abaixo:

cachorr-inh-a-s
art-ista brinc-a-mos cha-l-eira

Página 9
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

A análise destes exemplos mostra-nos que as palavras podem ser divididas em unidades menores,
a que damos o nome de elementos mórficos ou morfemas.

Vamos analisar a palavra "cachorrinhas":

Nessa palavra observamos facilmente a existência de quatro elementos. São eles:

cachorr - este é o elemento base da palavra, ou seja, aquele que contém o significado.

inh - indica que a palavra é um diminutivo

a - indica que a palavra é feminina

s - indica que a palavra se encontra no plural

Morfemas são unidades mínimas de caráter significativo.

Obs.: existem palavras que não comportam divisão em unidades menores, tais como: mar, sol, lua,
etc.

São elementos mórficos:

1) Raiz, radical, tema: elementos básicos e significativos

2) Afixos (prefixos, sufixos), desinência, vogal temática: elementos modificadores da


significação dos primeiros

3) Vogal de ligação, consoante de ligação: elementos de ligação ou eufônicos.

EXERCÍCIOS SOBRE ESTRUTURA DAS PALAVRAS

1. Assinale a opção em que há erro na identificação do elemento mórfico grifado:


a) compostas: desinência de feminino;
b) quadrar: radical;
c) adotei vogal temática;
d) pareceram: vogal temática;
e) influência: desinência de feminino.

2. Vocábulo onde existe desinência de gênero:


a) segredo;
b) curiosidade;
c) força;
d) verbo;
e) alheia.

3. Assinale a alternativa sem desinência modo-temporal:


a) aplaudias;
b) acordou;
c) faltarás;
d) vendam;
e) cobrasses.

Página 10
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

4. . Na língua portuguesa é o elemento que contém o significado básico da palavra:


a) afixo
b) tema
c) radical
d) desinência

5. Decomponha as palavras abaixo de acordo com exemplo:


a) menininhas
menin - radical (base do significado)
inh - sufixo diminutivo
a - desinência nominal de gênero ( feminino)
s - desinência nominal de numero (plural)
b) imoral
c) moralizar
d) andássemos
e) falar
f) paulada

6. Assinalar a alternativa correta. Na palavra “empedramento”.


a) o sufixo é ento
b) o prefixo é empe
c) o tema é pedra
d) o radical é emped.

7. Assinale a opção em que se caracterizou erroneamente o elemento mórfico em destaque.


a) Ameaçam – M – desinência número-pessoal
b) Seja – A – desinência modo-temporal
c) Maneira – A – desinência de gênero.
d) Informe – IN – prefixo.
e) Pode – E – vogal temática.

8.Farejando apresenta em sua estrutura:


(a) radical farej - vogal temática a — tema fareja — desinência ndo.
(b) radical far — tema farej — vogal temática e — desinência ndo.
(c) radical fareja — vogal temática a — sufixo ndo.
(d) tema farej — radical fareja — sufixo ndo.

9. Em “.. conhecendo nosso medo...” ,o vocábulo sublinhado apresenta em sua estrutura os


seguintes elementos mórficos:
a) o radical conhece, o prefixo ndo.
b) o radical ndo, o tema conhece, a vogal temática e.
c) o prefixo com, o radical conhece, a vogal temática e. a desinência ndo.
d) o radical conhec, a vogal temática e , o tema conhece , a desinência ndo.

EXERCÍCIOS SOBRE PROPAGANDA IMPRESSA

QUESTÃO DESAFIO DO ENEM

Campanha publicitária de loja de eletrônicos. Revista Época. Nº 424, 03 jul. 2006

Página 11
REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 19/11/2020

1. Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo


configurações específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto
publicitário, seu objetivo básico é
A) influenciar o comportamento do leitor por meio de apelos que visam à adesão ao consumo.
B) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado.
C) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder
aquisitivo.
D) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente
desfavorecidas.
E) questionar o fato de o homem ser mais inteligente que a máquina, mesmo a mais moderna.

2. Sobre o texto publicitário propaganda, é correto afirmar:


A) Apenas o texto não verbal é responsável pela persuasão.
B) Quanto maiores as frases, mais convincente será o anúncio.
C) Toda propaganda tem como proposição básica uma destas intenções: vender um produto ou
conscientizar sobre um tema social.
D) O texto publicitário não é, necessariamente, argumentativo.
E) O público-alvo não é um elemento decisivo na elaboração de uma propaganda.

3.Analise as afirmações e assinale a alternativa correta.


I. Um dos recursos da linguagem utilizados para persuadir o interlocutor é o modo verbal
imperativo.
II. Slogan é a frase que resume a imagem que o publicitário deseja firmar no mercado sobre a
identidade do produto.
III. Uma das figuras de linguagem mais utilizadas em propagandas é a metáfora.
A) Apenas a alternativa I.
B) Apenas a alternativa II.
C) Apenas a alternativa III.
D) Nenhuma alternativa está correta.
E) Todas as alternativas estão corretas.

Disponível em: G1.Globo. Acesso em: 26 jan. 2016.


4. Em todo feriado prolongado, o Governo Federal lança campanhas de conscientização em
relação aos perigos nas rodovias. Um dos temas mais abordados é a combinação nada perfeita do
álcool e direção. Analisando o anúncio em questão, é possível afirmar que:
A) o texto não verbal não faz referência ao feriado em questão.
B) a iniciativa tem o objetivo de causar impacto e sensibilizar a população sobre os cuidados com o
trânsito durante as festas.
C) há exagero ao retratar um acidente, o que reduz a credibilidade da campanha.
D) o modo imperativo “Seja você” não é indicado para o resultado esperado, visto que não
devemos influenciar os leitores em propagandas.

Página 12