Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU

CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO


ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

CADERNO DE CASES

ALUNO

DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

ADVOGADA

TURMA MATRICULA

01- Pedro e Kaline casaram-se no regime obrigatório de separação de bens.


Enquanto estavam casados, Pedro recebeu um apartamento a título de
doação, e, alguns meses depois, ele faleceu. De acordo com a situação
apresentada e a à luz do entendimento jurisprudencial, para fins de
partilha, discorra sobre os bens adquiridos na constância do casamento.

02- Lucélia e Bruno foram casados por 10 anos. Dessa união nasceu João
Pedro. Com o passar dos anos, Lucélia pôs fim ao casamento, pois se
apaixonou pelo seu amigo de infância. Após terem se divorciado, foi
determinado judicialmente que ambos teriam a guarda de João Pedro.
No entanto, após alguns meses da separação, Bruno foi até a casa de
Lucélia e durante um jantar familiar a chamou de vagabunda, na frente
de todos e ainda a agrediu fisicamente, causando-lhe lesão corporal de
natureza grave. Diante do caso apresentado e à luz do CC, discorra sobre
os direitos de Lucélia.

03- Lindalva é casada com Igor e, por algum tempo, manteve um


relacionamento extraconjugal com Diogo quando engravidou. Nasceu
Sofia, que foi registrada em nome de Igor, que tinha Sofia como filha.
Contudo, em razão de sua semelhança física com Diogo, este ajuizou
um pedido de reconhecimento de paternidade, tendo o teste de DNA
comprovado o vínculo biológico. Igor ama sua filha e quer manter-se
como pai de Sofia. Diante do caso, apresente a melhor solução, de
acordo com a jurisprudência.

04- Humberto e Dorina se eram ótimos amigos. Dessa amizade surgiu uma
paixão e eles resolveram se casar pelo regime da comunhão parcial de
bens. Humberto, era um rapaz desapegado aos bens materiais e não
CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU
CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

CADERNO DE CASES

possuía nada em seu nome. Dorina, possuía apenas um carro. Durante o


casamento, Dorina vendeu o bem e com o dinheiro fez a casa do casal e
constou a sub-rogação do bem na escritura pública. Humberto, por sua
vez, adquiriu em seu nome um terreno. Importante salientar que Dorina
não investiu dinheiro no terreno adquirido por Humberto. Alguns meses
depois o tio de Humberto faleceu e com a abertura do testamento,
Humberto foi comtemplado com um carro 4 x4. De acordo com o código
civil, quais os bens integram a meação do casal, com o fim do
casamento? Justifique.

05- Normandino e Claudia se conhecem desde o primário. Eles se


apaixonaram e desse amor nasceu um filho. Infelizmente o casal passa
por dificuldades financeiras, pois estão os dois eram autônomos e com
o isolamento necessário face a COVID-19 eles e não tem dinheiro para
manter a subsistência do filho. O pai de Normandino é um empresário
de renome e Claudia liga para o mesmo contando a situação familiar.
Infelizmente o avô afirma que não pode pagar nada, pois já sustenta sua
família. Diante do caso apresentado, de acordo com o código civil e
jurisprudência, apresente a melhor solução para o caso.

06- Leonora e Ricardo eram grandes amigos. Com o passar do tempo, essa
amizade cresceu e os dois se apaixonaram e começaram um
relacionamento. Após algumas conversas, sobre a possibilidade de
terem filhos, entraram em um acordou e resolveram ter o primeiro filho.
O filho do casal nasceu forte e saudável e se chama Ricardo Filho. No
entanto, após desavenças o casal se divorciou e Leonora tem a guarda
do filho. Leonora mora em Recife é faxineira em uma escola e tem uma
renda mensal de um salário mínimo. Ricardo, que reside em Jaboatão
dos Guararapes é um grande empresário e tem, mais ou menos, uma
renda mensal de 10.000,00 (dez mil reais). Infelizmente, as despesas
com Ricardo Filho são exorbitante e Leonora compromete mais de 80%
do seu salário com o filho. Ricardo, pai da criança, não contribui com
nada. Com base nesses elementos, e na qualidade de advogado de
Ricardo Filho, indique a peça processual e os pedidos cabíveis.
CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU
CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

CADERNO DE CASES

07- Maria e João eram grandes amantes. Desse amor nasceu Caio, que hoje
tem 10 anos. No entanto, Maria pôs fim ao relacionamento, pois se
apaixonou por outra pessoa. Maria tentou esconder o relacionamento de
João, por medo que ele não viesse a adimplir com a pensão alimentícia
para o filho. Sendo assim, João sem saber do relacionamento, começou
a contribuir com meio salário mínimo para criação de seu filho. Ocorre
que seu melhor amigo, fez uma fofoca e contou que Maria estava com
outra pessoa. Desde desse dia, João não paga mais pensão para o filho e
maria, por mais tentativas que fizesse para localizar João, não conseguiu
contato, estando ele em local incerto e não sabido. No entanto, o pai de
João, um empresário muito renomado, recebe uma renda mensal de
20.000,00 (vinte mil reais). Diante dos fatos narrados e na qualidade de
advogado de Caio, indique a peça processual e os pedidos cabíveis.

08- Luiz e Marina são casados sob o regime de separação de bens desde
08.09.15. Dessa união nasceu Maria e João, gêmeos, ambos com 05 anos
de idade. Há algum tempo, aproximadamente um ano, o casal vem
brigando em demasia e perceberam que para o bem da amizade que
ainda existia e pelo bem da criação dos filhos, que precisariam “dar um
tempo”. Marina é engenheira e tem uma renda mensal de R$ 9.000,00.
Luiz é médico e tem renda mensal de R$ 30.000,00. O casal procura seu
escritório narrando o fato acima, mas dizem que não pretendem por fim
ao casamento, precisam se afastar para repensar a relação, mas o querem
fazer legalmente. Na qualidade de advogado (a) informe qual a
orientação jurídica a ser dada.

09- Naiane e Fábio casaram-se em 01.01.20, permanecendo juntos desde


então, sob, sob o regime parcial de bens. Ocorre que é impossível a
permanência entre os cônjuges. Do casamento entre os cônjuges nasceu
um filho que hoje tem 02 meses. O casal tem dois imóveis e dois carros.
Diante da situação, o casal conversou e entrou em um consenso, ficando
cada um com um imóvel e um carro. Ademais, no que diz respeito a
pensão, o casal concordou que Fábio pagaria o valor de R$: 5.000,00
(cinco mil reais) mensais, valor que o casal, em consenso, achou que era
suficiente para manutenção do filho. O casal, procura seu escritório para
CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU
CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

CADERNO DE CASES

que você informa a orientação jurídica que melhor salvaguarde os direito


do casa, bem como do filho.

10- Joana e Eduardo foram casados por 10 anos, porém resolveram se


divorciar. Eduardo vem pagando pensão alimentícia para Joana desde
29 de junho de 2015, no valor de R$ 2.400,00 (dois mil e quatrocentos
reais). Ocorre que, desde então houve mudança na situação financeira
de ambas as partes. Após constituir nova família, o Sr. Eduardo adquiriu
novos gastos, enquanto a Sra. Joana se aposentou, passando a perceber
benefício no valor de R$2.000,00 (dois mil reais), além dos rendimentos
auferidos do patrimônio de que é detentora. Portanto, a senhora Joana
tem, atualmente, condições mais do que suficientes para prover sua
própria subsistência. Na qualidade de advogado (a) de Eduardo informe
a orientação jurídica a ser dada.

11- Em ação de interdição movida por Joana em face de Josefa, sua mãe, na
qual solicitou a curatela em razão de doença constatada, o processo
tramitou. E, ao final, a juíza prolatou a decisão, a qual apresentou a
fundamentação deferindo o pedido de curatela à autora. Ocorre que não
houve citação dos demais filhos com respeito ao fato da ação, bem como
a família apenas soube da situação pela própria autora, com a curatela já
pronunciada no processo. Enquanto advogado dos demais filhos informe
a orientação jurídica a ser dada:

12- Luísa, nascida em 2013, é filha de Maria e de Paulo. A avó paterna, goza
de confortável situação patrimonial. Todos os demais avós faleceram
antes de Luísa nascer. Maria e Paulo se divorciaram em 04/07/2015, e
ficou ajustado que o pai pagaria pensão alimentícia a Luísa no valor de
R$ 2.000,00 (dois mil reais), o que fez até o dia da sua morte, em 2016.
Paulo não deixou bens a partilhar, de modo que Luísa nada recebeu de
herança. Sem condições de arcar sozinha com a manutenção e educação
da filha, já que recebe apenas um salário mínimo por mês, Maria procura
você, como advogado(a), e pergunta o que pode ser feito em relação ao
sustento da criança. Na qualidade de advogado(a) de Maria informe a
orientação jurídica a ser dada