Você está na página 1de 2

A Coerência Textual na

Redação do Enem
Aula 16 Prof. Rafael Mota

Prezado cursista, Para entendermos com maior precisão sobre o que, de


fato, a coerência trata, vejamos o trecho a seguir, retirado
Na aula anterior, vimos uma das propriedades mais im- de um texto dissertativo-argumentativo sobre infecções se-
portantes de um texto: a coesão, realizada a partir do uso xualmente transmissíveis:
de elementos linguísticos responsáveis por estabelecer as
conexões entre as partes do texto. Destacamos, porém,
que para um texto ser considerado satisfatório, isto é, te-
nha sucesso no seu objetivo comunicativo, não basta que
ele apresente diversos mecanismos coesivos; é necessá-
rio, acima de tudo, que o uso desses elementos no texto
faça sentido para o leitor, possibilitando a compreensão Veja que há no trecho acima um equívoco na apresenta-
textual e, no caso do texto dissertativo-argumentativo, o ção de algumas informações. Inicialmente, o trecho defen-
convencimento do leitor. de que os jovens não se protegem durante o sexo porque
A esse processo de um texto “fazer sentido” para o leitor o acesso ao preservativo é difícil. Entretanto, em seguida,
damos o nome de coerência, assunto de que trataremos tal informação é desmentida, quando se afirma que o go-
aqui. Vamos ver mais detalhadamente o que é a coerên- verno distribui gratuitamente tal contraceptivo. Ou seja,
cia textual, como ela se constrói e se manifesta no texto se há distribuição gratuita de preservativos, o acesso não
dissertativo-argumentativo, e finalizaremos apresentan- é difícil. Temos, aí, uma incoerência nas informações, cau-
do algumas dicas para que você possa construir um texto sada, neste caso, por uma contradição. Dito de outro mo-
coerente na sua redação do Enem. do, a possibilidade de interpretação/compreensão aqui é
prejudicada porque há informações contraditórias: o que
é dito neste trecho, portanto, não tem sentido.
O que é Coerência?
O que levar em consideração para
Definir o que seja o fenômeno da coerência não é uma
deixar um texto coerente?
tarefa fácil, pois a sua constituição não depende somente
daquilo que está escrito no texto (elementos linguísticos),
Como já dissemos anteriormente, a coerência não se en-
mas depende também de aspectos que não são apresen-
contra já estabelecida ou pronta, identificável no texto. Ela
tados nele (elementos extralinguísticos). No entanto, cum-
vai sendo construída no decorrer desse texto a partir não
pre pontuar que esses elementos linguísticos e extralin-
só dos elementos linguísticos, como também dos elemen-
guísticos possuem um único papel: contribuir para que o
tos extralinguísticos que, juntos, contribuem para a cons-
texto tenha um sentido e que seu leitor possa compreen-
trução dos sentidos que o texto evoca. Nesse sentido, ao
der esse sentido. Assim, podemos afirmar que a coerên-
tomarmos o texto dissertativo-argumentativo do Enem,
cia tem a ver com a possibilidade de interpretação de um
alguns fatores devem ser levados em consideração para
texto por parte de um leitor, sendo ela um aspecto funda-
a construção da coerência. Vejamos:
mental para um texto inteligível.

1. Elementos linguísticos
A coerência é um fenômeno textual que, em situação Correspondem às marcas linguísticas que estão presentes
de comunicação entre usuários, caracteriza-se explicitamente nos textos e que auxiliam na produção de
pela construção de um sentido no texto. sentidos. Essas marcas podem ser constituídas por elemen-
tos coesivos (veja aula anterior), palavras, expressões, fra-
ses etc. que sirvam de orientação argumentativa para o
Como se pode observar, a coerência não se encontra já processo de convencimento do leitor. Veja o exemplo:
presente no texto, mas é construída através dele a partir
da interação entre seus usuários (autor e leitor, por exem-
plo), que constroem sentidos para aquilo que está sendo
escrito/lido. Assim, a coerência tem mais a ver com o pro-
cesso de interpretação de um texto, pois é ela que permite
esse caráter de interpretabilidade que um texto geralmen-
te possui. O sentido do qual falamos é, pois, a possibilida- O uso da expressão referencial “este fato” auxilia no pro-
de de compreender o que está escrito no texto. cesso de argumentação, uma vez que une um fato (meta-

Cursinho Pré-Vestibular Avante Itapipoca Aula 16 | A Coerência Textual na Redação do Enem


de dos jovens usam preservativo) com a opinião do autor trução da argumentação. Em resumo, a produção de sen-
do texto sobre esse fato. tidos ocorre porque o autor do texto, através da intertex-
tualidade, ativa os conhecimentos prévios do leitor. Por
2. Conhecimento compartilhado isso, o texto vai se tornando coerente para quem o lê.
Refere-se ao conhecimento que uma comunidade com-
partilha entre si. Tal conhecimento é muito importante na 6. Intencionalidade
redação do Enem, pois é também através dele que a coe- Corresponde ao uso de estratégias que cumpram o obje-
rência pode ser estabelecida. Veja o exemplo: tivo final do texto. Como estamos tratando do texto disser-
tativo-argumentativo, cuja função principal é convencer,
o autor pode e deve se utilizar de diversas estratégias pa-
ra conseguir convencer o leitor. Essas estratégias incluem
os mecanismos já mencionados de coesão ou outros me-
canismos estilísticos que possam permitir a construção de
sentidos desejada por parte do leitor.

Observe que o trecho destacado em vermelho fere o Dicas para construir um texto
fator “conhecimento compartilhado” porque é sabido que dissertativo-argumentativo coerente
a função do TCU não é financiar programas, mas sim, em
linhas gerais, julgar as contas públicas. Tal inadequação ge- Como mostramos, a coerência não está no texto, e sim
ra incoerência e, portanto, não tem sentido para o leitor. se constrói a partir dele. Isso não significa, porém, que não
se podem mobilizar certas estratégias para dar melhor coe-
3. Situação de comunicação rência ao texto produzido na redação do Enem. Nesse sen-
No Enem a situação de comunicação é fundamental para tido, as dicas a seguir podem ajudar você nessa tarefa.
a escrita de um bom texto dissertativo-argumentativo. Es-
1. Respeite criteriosamente a situação de comunicação.
sa situação corresponde ao evento comunicativo que gera
A redação do Enem faz parte de um evento específico: um processo que seleciona
o texto — no caso, a redação do Enem. Nessa situação es-
candidatos para vagas na universidade e que, por isso, estabelece critérios objeti-
pecífica, a proposta de redação traduz toda a situação de
vos para essa seleção. A coerência do seu texto com a situação de comunicação
comunicação, ao solicitar um texto que trate de um deter-
será obtida a partir do respeito às orientações da Proposta de Redação, a qual deve
minado tema, que respeite a norma culta, os direitos hu-
ser seguida rigorosamente.
manos etc. Respeitar essa situação de comunicação garan-
te, na sua medida, coerência ao texto e, portanto, a produ-
2. Escreva, de fato, um texto dissertativo-argumentativo.
ção de sentidos, pois o leitor já lerá o texto consciente de
Embora tenha relação com a dica anterior, é especialmente importante que, ao in-
que este foi escrito em situação da prova do Enem.
vés de informar coisas para o leitor, você debata coisas. O foco do texto dissertati-
vo-argumentativo não é a informação, é a opinião, a sua opinião. Por isso, evite infor-
4. Grau de Informatividade mações que já são do conhecimento do leitor (como: dizer o que é o problema, de
Corresponde ao nível de informatividade que o texto pos- onde ele vem, como ocorre, quais suas causas, consequências etc.), a não ser que
sui. Sabemos que o texto dissertativo-argumentativo é um tais informações sejam fundamentais para a sua argumentação.
texto de natureza persuasiva, isto é, seu foco é o convenci-
mento do leitor. Nesse caso, um texto com informações 3. Cuidado com o conhecimento compartilhado.
que o leitor já sabe tem pouca informatividade; já um tex- O exemplo apresentado no item “conhecimento compartilhado” é muito comum
to com informações e opiniões inesperadas ou aprofun- na redação do Enem: o candidato, por não saber a atribuição de alguns órgãos, uti-
dadas, discutidas, possui um grau alto de informativida- liza-os com funções inadequadas na elaboração da proposta de intervenção. Para
de. Em resumo, um texto do qual todas as informações já evitar esse e outros problemas, ter acesso ao conhecimento e evitar inserir informa-
são conhecidas pelo leitor não terá sentido para ele e, por- ções sobre as quais não se tem certeza é fundamental. Leia bastante sobre diversos
tanto, será considerado incoerente. temas para se apropriar dos assuntos.

5. Intertextualidade 4. Use adequadamente os elementos coesivos.


Na redação do Enem, a intertextualidade é bastante co- Uma das piores inadequações no interior do texto dissertativo-argumentativo é o uso
mum quando o estudante traz para a sua discussão refe- inadequado dos elementos argumentativos, principalmente os operadores, pois são
rência a outros textos, seja através de uma citação, de uma eles os elementos que possibilitam a argumentação, isto é, o processo de convenci-
alusão ou referência. A intertextualidade é, portanto, um mento do leitor. Usar operador conclusivo em vez de explicativo; operador de opo-
diálogo construído entre textos, em que o que e dito em sição em vez de alternativo é comportamento grave que prejudica não só a nota
um recorre ao que é dito no outro. Lembremos que essa na competência IV, como também prejudica o sentido (a coerência) do texto. O uso
intertextualidade é importante para o texto dissertativo- adequado desses elementos passa pelo seu mesmo exercício do uso: escrever
argumentativo, pois ela pode muitas vezes, ajudar na cons- textos usando esses mecanismos é a chave para usá-los adequadamente.

Redacity Porão de Textos


Siga as redes sociais para mais conteúdos! www.youtube.com/redacity poraodetextos.blogspot.com
Clique nos ícones para conhecer. Inscreva-se para acompanhar Acompanhe as publicações sobre
as videoaulas língua portuguesa

Você também pode gostar