Você está na página 1de 2

Personalidade Jurídica- potencialidade de ser titular de direitos e adstrito a obrigações; qualitativo.

Exceções- situação jurídica pela qual a pessoa adstrita a um dever pode, licitamente, recusar a
efetivação da pretensão correspondente.
Capacidade Jurídica- medida concreta de direitos e deveres que se possa, respetivamente, ser “ Fortes- detêm um direito alheio: peremptórias- por tempo indeterminado; dilatórias- por
titular e destinatário. lapso de tempo;
“ de Gozo- medida das posições jurídicas que se possam encabeçar; “ Fracas- apenas enfraquecem o direito alheio.
“ de Exercício- medida das posições jurídicas a exercer pessoal e livremente. Encargo ou ónus material- dever de comportamento que funcionando também no interesse de
outras pessoas, não possa, por estas, ser exigido (ex do prazo/ vício).´
Capacidade Natural- capacidade gradativa, adaptada à sua condição.
Bons Costumes- envolvem códigos de conduta sexual e familiar e códigos deontológicos (como fim
Esfera Jurídica- conjunto de situações jurídicas de que uma pessoa é titular, num determinado do negócio em jogo).
momento.
Ordem Pública- valores constitucionais importantes (como bens de personalidade) ou dados
Paradeiro- local onde a pessoa concretamente se encontre, no momento considerado. estruturantes do sistema; garantias sem limite de tempo e em dimensão indeterminável.
Residência- lugar onde determinada pessoa habitualmente viva, aí organizando a sua vida. Morte- facto jurídico em sentido estrito: evento não humano a que o ordenamento jurídico associa
Domicílio Eletivo- domicílio voluntário e especial: deriva da livre escolha dos interessados e vale, resultados jurídicos (cadáver=coisa)
apenas, para determinados atos. Sucessão Legítima- chamamento dos herdeiros legítimos à sucessão, o autor da sucessão não
Poder- disponibilidade de meios para a obtenção de um fim; realidade analítica. dispõe válida e eficazmente, no todo ou em parte, dos seus bens (é dispositiva supletiva).

Faculdade- conjunto de poderes ou de outras posições ativas, unificado numa designação comum; Sucessão Legitimária- porção de bens que o testador não pode dispor, por ser destinada por lei aos
realidade compreensiva. referidos herdeiros (é injuntiva/ imperativa).

Proteção Reflexa- certa tutela através dos deveres assacados a terceiros (ex das vacinas). Legitimidade- é uma posição, um modo de ser para com os outros: supõe uma relação entre o
sujeito e o conteúdo do ato.
Proteção Indireta- interesses que, não dando lugar a direitos subjetivos, disfrutam de uma tutela
eficaz, que preserve os bens em jogo. Representação- age em nome e pelo interesse do incapaz, substitui.

Expectativa- posição do sujeito inserido na sequência que irá conduzir a um verdadeiro direito, mas Assistência- é necessário o consentimento do curador, que impede o ato ou intervém a seu lado. O
antes de este surgir. curador não pode tomar quaisquer medidas no tocante ao inabilitado, o qual se conserva livre, na
esfera pessoal.
Obrigação de Pati ou de Suportação- deve-se sofrer que alguém desenvolva, na sua esfera, uma
atividade que, em princípio, não poderia ter lugar. Responsabilidade Patrimonial- pelo incumprimento das obrigações responde o património do
devedor.
Sujeição- posição passiva que pode ser alterada por outrem, unilateralmente.
Regra Geral da Imputação de Danos- suportação dos danos pela própria esfera onde ocorram.
Poder Funcional- obrigação específica de aproveitamento de um bem.
Responsabilidade Civil (483.º/1) - ocorrência jurídica na qual um dano registado numa esfera é
Dever Genérico- uma generalidade de pessoas pode, verificadas as condições, exigir a sua imputado a outra: obrigação de indemnizar; pressupõe a prática de atos ilícitos danosos.
observância a uma generalidade de outras.
Imputação pelo Risco (483.º/2) – não postula qualquer ação destinada a provocar danos, jogam
Dever Genérico- uma generalidade de pessoas pode, verificadas as condições, exigir a sua contra o beneficiário de meios perigosos; podem ocorrer por razões de oportunidade ou profundas
observância a uma generalidade de outras. motivações de tipo social (natureza excecional: desvio à regra de suportação de danos; objetiva).
Arts. 500.º e seguintes.
Dever Funcional- situações passivas nas quais uma pessoa se encontra, por força da sua presença
em determinada posição. Imputação por Facto Lícito ou pelo Sacrifício- cometimento voluntário de um dano mas em termos
tais que a sua prática não possa ser considerada como ilícita. Art. 339.º/2.
Ónus- alguém deve adotar certa atitude, caso pretenda obter certo efeito. Não é um dever pois o
resultado é facultativo.
Pessoas Rudimentares- capacidade jurídica parcial; não lhes é reconhecida a personalidade coletiva
mas é-lhes atribuído direitos.