Você está na página 1de 3

O fundamento do

perdão.
Adams Auni

...Jesus, o justo por excelência, responde a Pedro: “Tu perdoarás, mas sem limites.
Perdoarás ainda que a ofensa te seja feita muitas vezes. Ensinarás aos teus irmãos o
esquecimento de si mesmos, que os torna invulneráveis a agressões, aos maus
procedimentos e às injúrias. Serás doce e humilde de “coração” (“Espírito”, grifo nosso)...
(ESE, Cap.10, Inst. dos Espíritos, item 14, Perdão das Ofensas).
As necessidades de perdoar e pedir perdão estão diretamente relacionadas a uma
correspondência biunívoca do Espírito a sua “espiritualidade”, isto é, a sua evolução.
Superação gradativa à dependência da matéria emocional, das paixões viciantes,
do remorso pernicioso, da frustração atormentadora e todos outros que comprometem o
“bom êxito” das reencarnações e expiações que delas provem.
Perdão e perdoar são necessidades daqueles Espíritos que ainda possuem
“pendências emocionais” em suas estruturas espirituais. Que dependem ou se ressentem
de compensações emocionais para a “elaboração” energética dessas paixões para
transmutar, nesse processo íntimo, de uma energia de baixa vibração (material) para
energia de alta vibração (espiritual).
A solução não está apenas no ato de perdoar e ou ser perdoado, mas na “essência
do espírito” ao transitar pelo processo de provas e expiações em paz consigo mesmo e de
conseqüente em paz com os demais.
Perdoar não 7 vezes, mas, 70 vezes 7 como sugeriu Jesus (Mateus,Cap.18,v.22) um
total de 490 vezes, repetidamente uma única atitude, um único pensamento, no processo
e exercício de auto transformação. O comprometimento com as ações para a paz dentro e
fora de si mesmo, as práticas e os pensamentos na sustentabilidade dessa paz. Tudo isso
dedicado a mesma e única ofensa no mesmo dia, demonstra que há uma necessidade
literal de dissolver a ofensa, algo material, emocionalmente real e material, para algo
intangível, imaterial, mas o melhor termo deve ser: estado “incorpóreo” da ofensa.
Retirando-a do ponto mais denso, material, em cada um, para ser elaborada pelo
Espírito em evolução, já equilibrado e harmonizado, Espírito já liberto dessas “paixões
âncora”.
Aquele que ainda não se encontra neste nível, não saberá como tratar dessa
ofensa, exigirá compensação de igual forma para que se sinta desculpado, compensado
em igual intensidade, quase um reviver da Lei de Talião: “O olho por olho e dente por
dente.”
Esse Espírito deve assumir sua natureza espiritual, de forma a não ser afetado por
qualquer ofensa. Esse comportamento austero, expressado pelo manso e pacifico de
coração, traduz a superioridade desse Espírito, que se disciplina a transformar a si
mesmo.
Como em um processo quântico, diante do fenômeno imediato, não se define
posição ou velocidade, mas a natureza do fenômeno que é a sua “realidade” (Principio de
Incerteza de Heisenberg).
ESE, Cap.II, item 4, A realeza de Jesus: ...Meu reino (realidade) não é deste mundo...
(S. João, cap.18 v.33 a 37).
Entender o processo como um todo, eliminando a fase da compensação para o
estabelecimento da compreensão em benevolência, indulgencia e perdão, sendo algo
natural da sua atual natureza, da sua “realidade” e não mais um conjunto de práticas,
iniciando esse processo em si mesmo, a exemplo de Jesus, o mais célebre Espírito entre
nós no processo do perdão.
Revista Espírita, Jornal de Estudos Psicológicos, 10oano, No. 4, Abril 1867,
Galileu ... O Espiritismo está fundado sobre a existência do princípio espiritual, como
elemento constitutivo do Universo...
...Neste vasto conjunto... Cada um em sua missão, seu papel, os deveres a cumprir,
desde os mais ínfimos até os anjos, que não são outros senão Espíritos humanos
chegados ao estado de puros Espíritos...
...A matéria e o espírito são os dois princípios constitutivos do Universo...

Introdução ao Estudo da Doutrina dos Espíritos, item 6, Resumo dos


principais pontos da Doutrina Espirita: ... “O Espírito, quando encarnado, está sob a
influência da matéria. O homem que supera essa influência pela elevação e pela
depuração de sua alma aproxima-se dos bons Espíritos... Aquele que se deixa dominar
pelas más paixões e coloca todas as alegrias da sua existência na satisfação dos apetites
grosseiros se aproxima dos Espíritos impuros, porque nele predomina a natureza
animal.”...

LE 907 - O princípio das paixões, sendo natural, é mau em si mesmo? Não.


A paixão está no excesso acrescentado à vontade, já que o princípio foi dado ao homem
para o bem, e as paixões podem levá-lo a realizar grandes coisas. É no seu abuso que
está a causa do mal.

LE 908- Como definir o limite em que as paixões deixam de ser boas ou


más? ... A paixão, propriamente dita, conforme habitualmente se entende, é o exagero
de uma necessidade ou de um sentimento. Está no excesso e não na causa; e esse
excesso torna-se mau quando tem por conseqüência um mal qualquer. Toda paixão que
aproxima a pessoa da natureza primitiva a afasta de sua natureza espiritual.
Todo sentimento que eleva a pessoa acima da natureza primitiva revela a predominância
do Espírito sobre a matéria e a aproxima da perfeição.

LE 909 - O homem poderia sempre vencer suas más tendências pelos seus
esforços? Sim, e algumas vezes com pouco esforço; é a vontade que lhe falta. Como são
poucos dentre vós os que se esforçam!
LE 911 - Não existem paixões tão vivas e irresistíveis que a vontade não
tenha o poder de superá-las? ... Aquele que procura reprimi-las compreende sua
natureza espiritual; vencê-las é, para ele, uma vitória do Espírito sobre a matéria.
LE 912 - Qual o meio mais eficaz de combater a predominância da
natureza corporal? Praticar o desprendimento. (Logo, o desprendimento das paixões,
grifo nosso)

Nível de espiritualidade mais elevado, sem a dependência emocional das paixões e menos ligado a
matéria. O ego não se ressente e ama mais. Não é mais dependente emocional do perdoar e/ou
pedir perdão. Vive pleno no amor que pode dar sem nada pedir em troca. Espírito em expiação
e/ou missão.
Nível de espiritualidade em desenvolvimento, grande dependência emocional das paixões,
mais ligado a matéria. O ego se ressente. Vive mais pelo amor que deseja receber, que o amor que
já pode dar. Emocionalmente ainda depende de perdoar e pedir perdão. Espírito em prova.

Parte II, LE, Mundo Espirita ou dos Espíritos, cap.1, Dos Espíritos, item,
Escala Espirita: ... A classificação dos Espíritos é baseada no grau de seu adiantamento,
nas qualidades que adquiriram e nas imperfeições de que ainda devam se livrar... No
início da escala, estão os Espíritos imperfeitos, caracterizados pela predominância da
matéria sobre o Espírito e pela propensão ao mal. Os da segunda são caracterizados pela
predominância do Espírito sobre a matéria e pelo desejo do bem: esses são os bons
Espíritos.

O fundamento do perdão, LE 886 - Qual é o verdadeiro sentido da palavra


caridade como a entendia Jesus? Benevolência com todos, indulgência com as
imperfeições dos outros, perdão das ofensas.
Primeiramente benevolência consigo mesmo, indulgência com as próprias e
relutantes imperfeições e profundo compromisso com o “autoperdão”.
Para muitos o processo de perdoar e pedir perdão é possível, mas uma grande
maioria ainda não consegue “liberar o perdão”, pois se encontra profundamente marcado
em suas raízes psíquicas por mais que se trabalhe de reencarnação em reencarnação.
Revista Espírita, Jornal de Estudos Psicológicos, 10o ano, No. 5, Maio 1867,
Atmosfera Espiritual, ... As qualidades do fluido perispiritual estão em razão direta das
qualidades do Espírito “encarnado ou desencarnado”; quanto mais seus sentimentos são
elevados e livres das influências da matéria, mais seu fluido é depurado.
...Ele irradia raios impregnados desses mesmos pensamentos que os viciam ou os
saneiam fluidos realmente materiais, embora impalpáveis, invisíveis para os olhos do
corpo, mas perceptíveis para os sentidos perispirituais e visíveis para os olhos da alma...
Quem traz consigo pensamentos de ódio, de inveja, de ciúme, de orgulho, de egoísmo, de
animosidade, de cupidez, de falsidade, de hipocrisia, de maledicência, de malevolência,
em uma palavra, pensamentos hauridos na fonte das más paixões, espalha ao seu redor
eflúvios fluídicos malsãos, que reagem sobre aqueles que o cercam... O Espiritismo nos
prova que o elemento espiritual, que, até o presente, foi considerado como
antítese do elemento material, tem, com este último, uma conexão íntima, de
onde resulta uma multidão de fenômenos inobservados ou incompreendidos...