Você está na página 1de 48

 Em 1868, Kekulé e Couper, propuseram

a utilização do termo valência para


explicar o poder de combinação de um
átomo com outros.
 A valência de um dado elemento é que
determina as fórmulas possíveis ou não
de compostos formados por ele.
 Por que os átomos se ligam?
 Teoria do Octeto: proposta por Kossel e
Lewis→ quantidade estabelecida de elétrons
para a estabilidade de um elemento, ou seja,
o átomo fica estável quando apresentar em
sua camada de valência 8 elétrons.
 Baseado nessa idéia, a valência de um
átomo passou a ser vista como a quantidade
de elétrons que um átomo deveria
receber, perder ou compartilhar para tornar
sua última camada (camada de valência)
igual a do gás nobre de número atômico
mais próximo.
Iônica

Tipos de
ligações
químicas

Metálica Covalente
 O químico americano G.N.Lewis sugeriu
uma maneira simples de mostrar os
elétrons de valência: símbolo de pontos
de elétrons.
 Consiste do símbolo químico do
elemento mais um ponto para cada
elétron de valência.

S
 Forças eletrostáticas que existem entre
íons de cargas de sinais contrários.
 Os íons devem ser formados a partir de
átomos pela transferência de um ou
mais elétrons.
 Geralmente são resultantes da
interação de metais com não-metais.
 Maus condutores de eletricidade no
estado sólido, mas bons condutores
quando fundidos ou dissolvidos.
 Elevados pontos de fusão e de
ebulição→ ligações fortes e não
direcionais.
 Substâncias duras, porém quebradiças.
 Solúveis quase sempre em solventes
polares.
 A primeira razão para os compostos
iônicos serem estáveis é a atração entre
os íons de cargas opostas.
 Uma medida da quantidade de energia
necessária para a estabilização que se
obtém quando íons de cargas opostas
são agrupados em um sólido iônico é
dado pela energia de rede.
Energia de rede é a energia requerida para separar
completamente um mol de um composto iônico em íons
gasosos.
 NaCl(s)→ Na+(g) + Cl-(g) ∆H= +788 Kj/mol

 ENERGIA DE REDE

2
NAZ  Z  e 1
E (1  )
4 0 r n
 Resulta do compartilhamento de
elétrons entre dois átomos.
 De acordo com a teoria dos octetos,
podem ser distinguidos dois tipos de
pares de elétrons nas moléculas em
geral:
 Pares compartilhados: pares ligantes
 Pares não-compartilhados,
denominados não ligantes, os quais, não
estão envolvidos na ligação.
 A teoria da ligação de valência foi a
primeira teoria mecânico-quântica de
ligação a ser desenvolvida, e pode ser
considerada uma maneira de expressar
os conceitos de Lewis em termos de
função de onda
Quando dois átomos se ligam para formar uma ligação
covalente, um orbital atômico de um átomo se superpõe
ao orbital atômico do outro e o par de elétrons que se
associa a ligação covalente é compartilhado entre os
dois átomos na região onde os orbitais se superpõem.
 O modelo é notavelmente eficaz na
previsão da geometria de compostos
entre não-metais.

a)Número de coordenação total e


arranjos geométricos.
NCT: nº de átomos coordenados + nº
pares não-ligantes
NCT Arranjo Geométrico

2 linear

3 trigonal plano

4 tetraédrico

5 bipiramidal trigonal

6 octaédrico
 Número de oxidação de um átomo é a
carga que ele teria se suas ligações
fossem completamente iônicas.

H Cl
 É definida em termos da diferença entre
o número de elétrons que ele tem
quando livre e o número de elétrons que
lhe pode ser atribuído quando ele
pertence a uma molécula ou íon.

Carga Formal: EV-(½EL+ENL)


 Exemplo:
H N H

Carga formal nitrogênio: 5-(½x6 + 2) = 0.


Calcule a carga formal:
N
O O
 Nem o número de oxidação nem a
carga formal fornecem uma descrição
precisa das cargas reais nos átomos.

Carga
negativa
b) Determinação das estruturas geométricas:
1- determinar o número total de elétrons de
valência dos átomos envolvidos
2- atribuir octetos para todos os átomos
coordenados
3- determinar o número de pares não-ligantes
4- determinar o número de coordenação total:
número de átomos coordenados+número de
pares não
5-determinar o arranjo dos átomos
coordenados
6-determinar a estrutura geométrica
Exemplo: BF3
1) 3(boro) +3x7(flúor)=24
2) 3 x 8 =24
3) ½(24-24)=0
4) 3+0=3 F
5) trigonal plano
6) trigonal plana
B

F F
 O modelo de repulsão de pares de elétrons no nível de
valência permite prever a geometria das espécies, mas não
há nenhuma indicação sobre quais orbitais atômicos tomam
parte nas ligações químicas.
Orbitais atômicos Orbitais geometria Ângulos de Exemplos
híbridos ligação
s+p sp Linear 180º CO2,BeH2
s+p+p sp2 Trigonal plana 120° NO3-,O3
s+p+p+p sp3 Tetraédrica 109,5° H2O,ClO3-
d+s+p+p+p dsp3 Bipiramidal 120º e 90º PCl5,ICl2-
trigonal
d+d+s+p+p+p d2sp3 octaédrica 90° BrF5,XeF4
 Some os elétrons de valência de todos os
átomos.
 Escreva os símbolos para os átomos a fim de
mostrar quais átomos estão ligados entre si e
una-os com ligação simples.
 Complete os octetos dos átomos ligados ao
átomo central.
 Coloque qualquer sobra de elétrons no átomo
central, mesmo que fique com mais de oito
elétrons.
 Se não existem elétrons suficientes para dar
ao átomo central um octeto, tente ligações
múltiplas.
 Com relação a cargas formais em
espécies covalentes, não são
eletrostaticamente favoráveis:
a) Cargas iguais em átomos adjacentes
b) Cargas opostas em átomos não
adjacentes
c) Cargas duplas em qualquer átomo
d) Cargas em desacordo com as
eletronegatividades relativas dos
átomos.
 Orbitais σ :  Orbitais π:
Cilindricamente Não possui simetria
simétricos ao eixo cilíndrica
internuclear Função de onda muda
Não mudam de sinal de sinal quando
quando sofrem sofrem rotação de
rotação de 180° 180°
Resultam das Originam de
superposições frontais superposição lateral
de OA’s de OA’
+ + +
+
-
- -

- + - - + - + -

- + - + - +
- + +
3a1
3a1
Energia

2e
2e
2p

2a
2a1 2s 1
1s
1
1e e

1a1 1a1
 Boro, carbono e nitrogênio
 Oxigênio, flúor, neônio
 São encontradas em metais.
 Nesses metais cada átomo está ligado a
vários átomos vizinhos.
 Os elétrons ligantes estão relativamente
livres para mover-se pela estrutura
tridimensional do metal.
 Bons condutores elétricos
 Bons condutores térmicos: usados na
fabricação de utensílios de cozinha,
ferros elétricos.
 Apresentam brilho e cor típicos.
 Resistência ao calor
 Altas temperaturas de fusão e ebulição.
 Alguns exemplos de ligas metálicas
Liga Composição
Aço Ferro e carbono
Aço inoxidável Ferro, carbono, níquel e crômio
Bronze Cobre e estanho
Latão Cobre e zinco
Ouro 18K Ouro(75%) e prata e/ou cobre(25%)
Amálgamas Ligas que contém mercúrio.
Amálgamas odontológicos: 70% de
Ag, 18% de Sn, 10% de Cu e 2% de Hg
Solda Chumbo e estanho
Fusível Bismuto, chumbo, estanho e cádmio
a) Li2
b) Li3
b) Li4
d) Lin
 Metal ser constituído apenas de um
elemento → ligação essencialmente
covalente.
 Orbitais moleculares
Teoria de
Bandas

Orbitais
moleculares da
banda de níveis
de energia
Banda é estão
composta deslocalizados.
por número
de orbitais
igual ao
número de
Orbitais
orbitais
moleculares
atômicos
espalham-se
sobre muitos
átomos:
bandas de
orbitais
moleculares
 Orbitais atômicos preenchidos. Ex.: Be
a) condutores: temperatura condutividade

T2> T1
b) Semicondutores
temperatura condutividade

Você também pode gostar