Você está na página 1de 25

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP CAMPUS FLAMBOYANT

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO
Dimensionamento de ar condicionado para um escritório

Goiânia
2020
NOME DO ALUNO RA TURMA

Augusto da Silva Lemes C47EG16 EM8P-42

Érica da Silva L. Quintero D29BCEO EM8P-42

Itácio da Silva Santos T9571H0 EM7P-42

Hiugo Onofre da Silva D0904C6 EM8P-42

REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO
Dimensionamento de ar condicionado para escritório

O trabalho de pesquisa e
desenvolvimento, para dimensionamento
de ar condicionado de um escritório, segue
apresentado como requisito parcial para
aprovação da disciplina de Refrigeração e
ar condicionado do 6°/7° semestre do
curso de Engenharia Mecânica.

Orientadora: Prof.ª Adriane Faria de Almeida

Goiânia
2020
1

1 INTRODUÇÃO

Ar condicionado, são sistemas que visam obtenção de condições específicas


do ar nos diversos tipos de ambiente, de modo a proporcionar conforto térmico aos
ocupantes ou proporcionar condições especiais exigidas.
O condicionamento de ar, segundo a definição técnica de aplicação, é um
processo de tratamento de ar destinado ao controle simultâneo: temperatura do ar,
umidade relativa do ar, pureza e distribuição de ar de um ambiente.

2 OBJETIVOS

O referente trabalho teórico é a parte principal de um dimensionamento de uma


ar condicionado pra um ambiente de escritório, obedecendo normas brasileiras
técnicas, que regem desde o dimensionamento até processo de instalação do
equipamento.
No trabalho será composto de dados regionais de Florianópolis, condições
ideais de trabalho regido pela norma regulamentadora 17, layout do escritório,
quantidade de trabalhadores, presença de carga elétrica, dentre elas equipamento
utilizados em escritório, iluminação e eletrodomésticos de uma copa.

3 DIMENSIONAMENTO DA CARGA TÉRMICA

Dimensões do escritório
Comprimento = 4 m
Largura = 6 m
Altura = 3 m
Área = 24 m²
Obs: o escritório não possui cobertura.

Janelas:
Comprimento = 1,20 m
Altura = 1,30 m
Largura = 3 mm
2

Porta:
Altura = 2,20 m
Largura = 1,20 m

Equipamentos de uso contínuo e suas respectivas potencias:


4 computadores de 130 w.
6 lâmpadas de 10 w.
1 frigobar de 250 w.
1 impressora de 8 w.
1 cafeteira 200 w.
1 micro-ondas 300 w.
1 fax 20 w.

Tabela 1 – Condições internas de verão

Fonte: NBR 6401.

Tabela 2 – Fatores determinantes da iluminância adequada

Fonte: NBR 5413..


1

Figura 1 – Cáculo luminotécnico

Fonte: Inter luz

Tabela 3 – Dados climatológicos para florianópolis (2010)

Fonte: Instituto nacional de meteorologia.


2

Tabela 4 – Condições externas para verão

Fonte: NBR 6401.


3

Tabela 5 – Condições externas para inverno

Fonte: NBR 6401.

De acordo com a tabela acima temos, os seguintes valores de temperatura.


Temperatura interna 𝑇𝑖 = 23 °𝐶 = 296 𝐾.
Temperatura externa (leste e sul) 𝑇𝑒 = 32 °𝐶 = 305 𝐾.
Temperatura externa (oeste) 𝑇𝑒 = 29 °𝐶 = 302 𝐾.
Temperatura externa (norte) 𝑇𝑒 = 31 °𝐶 = 304 𝐾.

Carga térmica devido a radiação.


Obs: a construção foi feita com tijolos de 06 furos na vertical, com 90mm de
largura, e que espessura do reboco total seja de 30 mm de cada lado.
4

Figura 2 – Dimensão de parede com reboco

𝑆𝑒çã𝑜 𝐴 = (𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 + 𝑎𝑟𝑔𝑎𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 + 𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜) (1)


𝐿 𝐿𝑎𝑟𝑔𝑎𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝐿
𝑅𝑎 = 𝐾𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 + 𝐾 + 𝐾𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 (2)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 𝑎𝑟𝑔𝑎𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎 𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜

Tabela 6 – Densidade de massa aparente, condutividade e calor específico de materiais

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.

0,03 0,09 0,03


𝑅𝑎 = 1,15 + 1,15 + 1,15
𝑚2 ∗𝐾
𝑅𝑎 = 0,13 𝑊

𝑆𝑒çã𝑜 𝐵 = (𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 + 𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 + 𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜) (3)


𝐿 𝐿 𝐿
𝑅𝑎 = 𝐾𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 + 𝐾𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 + 𝐾𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 (4)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜

0,03 0,09 0,03


𝑅𝑎 = + +
1,15 0,7 1,15
5

𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑎 = 0,18
𝑊
Resistência térmica da parede.
𝐴𝑎 +𝐴𝑏
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 = 𝐴𝑎 𝐴𝑏 (5)
+
𝑅𝑎 𝑅𝑏

{[(0,01 ∗ 0,14) + (0,01 ∗ 0,09)] + [(0,14 ∗ 0,24)]}


𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 =
[(0,01 ∗ 0,14) + (0,01 ∗ 0,09)] [(0,14 ∗ 0,24)]
{ + }
0,13 0,18
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 = 0,175
𝑊

Figura 3 – Dimensão tijolo de seis furos

Tabela 7 – Resistência térmica superficial interna e externa

Fonte: NBR 15220.

𝑅𝑇 = 𝑅𝑒 + 𝑅𝑝 + 𝑅𝑖 (6)
𝑅𝑇 = 0,04 + 0,175 + 0,13
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑇 = 0,345
𝑊
6

Coeficiente global de transmissão de calor:


1
ℎ=𝑅 (7)
𝑇

1
ℎ=
0,345
𝑊
ℎ = 2,9
𝑚2∗𝐾
Cálculo da carga térmica da parede:
𝑄 = 𝑈 ∗ 𝐴 ∗ [(𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) + ∆𝑇] (8)

Tabela 8 – Valor de acréscimo no diferencial de temperatura (∆𝑇)

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.

Cálculo das resistências do reboco e da parede.


𝐿
𝑅𝑝 = 𝐾∗𝐴 (9)

𝑅𝑇 = 𝛴𝑅𝑝 (10)
Cálculo da carga térmica devido a radiação.
∆𝑇
𝑄=𝑅 (11)
𝑇

Parede face leste:


𝑄 = 𝑈 ∗ 𝐴 ∗ [(𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) + ∆𝑇] (12)
𝑄 = 2,9 ∗ 24 ∗ [(305 − 296) + 5,5]
𝑄 = 1009 𝑊
Resistência do reboco face leste:
𝐿𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 2 ∗ 𝐾 (13)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,03
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 2 ∗
1,15 ∗ 4 ∗ 6
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 0,0022
𝑊
7

Resistência da parede face leste:


𝐿𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 𝐾 (14)
𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,09
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 =
0,7 ∗ 4 ∗ 6
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 0,0536
𝑊
Resistência total face leste:
𝑅𝑇 = 𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 + 𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 (15)
𝑅𝑇 = 0,0022 + 0,0536
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑇 = 0,0558
𝑊
Carga térmica devido a radiação face leste:
∆𝑇
𝑄𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 𝑅 (16)
𝑇

(305 − 296)
𝑄𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 =
0,0558
𝑄𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 161 𝑊
Parede face norte:
𝑄 = 𝑈 ∗ 𝐴 ∗ [(𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) + ∆𝑇] (17)
𝑄 = 2,9 ∗ 24 ∗ [(304 − 296) + 2,7]
𝑄 = 745 𝑊
Resistência do reboco face norte:
𝐿𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 𝐾 (18)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,03
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 =
1,15 ∗ 3 ∗ 6
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 0,0014
𝑊
Resistência da parede face norte:
𝐿𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 𝐾 (19)
𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,09
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 =
0,7 ∗ 3 ∗ 6
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 0,0071
𝑊
Resistência total face norte:
𝑅𝑇 = 𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 + 𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 (20)
8

𝑅𝑇 = 0,0014 + 0,0071
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑇 = 0,0085
𝑊
Carga térmica devido a radiação face norte:
∆𝑇
𝑄𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 𝑅 (21)
𝑇

(304 − 296)
𝑄𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 =
0,0085
𝑄𝑛𝑜𝑟𝑡𝑒 = 941 𝑊
Parede face sul:
𝑄 = 𝑈 ∗ 𝐴 ∗ [(𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) + ∆𝑇] (22)
𝑄 = 2,9 ∗ [24 − (2 ∗ 1,3 ∗ 1,2)] ∗ [(305 − 296) + 0]
𝑄 = 545 𝑊
Resistência do reboco face sul:
𝐿𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑠𝑢𝑙 = 2 ∗ 𝐾 (22)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,03
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 = 2 ∗
[(1,15 ∗ 3 ∗ 6) − (2 ∗ 1,3 ∗ 1,2)]
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑠𝑢𝑙 = 0,0034
𝑊
Resistência da parede face sul:
𝐿𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑠𝑢𝑙 = 𝐾 (23)
𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,09
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑠𝑢𝑙 =
[(0,7 ∗ 3 ∗ 6) − (2 ∗ 1,3 ∗ 1,2)]
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑠𝑢𝑙 = 0,0095
𝑊
Resistência total face sul:
𝑅𝑇 = 𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑠𝑢𝑙 + 𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑠𝑢𝑙 (24)
𝑅𝑇 = 0,0034 + 0,0095
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑇 = 0,0129
𝑊

Carga térmica devido a radiação face sul:


∆𝑇
𝑄𝑠𝑢𝑙 = 𝑅 (25)
𝑇

(305 − 296)
𝑄𝑠𝑢𝑙 =
0,0129
9

𝑄𝑠𝑢𝑙 = 698 𝑊
Na parede face sul, temos duas janelas, logo temos que calcular a carga
térmica, que entra no ambiente devido ao vidro transparente.
Calculado através da seguinte equação:
𝑄 = 𝐴 ∗ [∆𝑇 ∗ ℎ𝑣𝑖𝑑𝑟𝑜 + 𝐹𝑠𝑜𝑙𝑎𝑟 ∗ 𝑅𝑠𝑜𝑙𝑎𝑟 ] (26)
𝑄 = {2 ∗ 1,3 ∗ 1,2 ∗ [(305 − 296) ∗ 5,18] + [(0,87 ∗ 113,5)}]
𝑄 = 244 𝑊

Tabela 9 – Fator solar nominal para materiais homogêneos

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.

Tabela 8 – Coeficientes globais de transmissão de calor

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.


10

Tabela 10 – Coeficientes globais de transmissão de calor através de vidros

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.

Tabela 10 – Calor liberado por pessoa

Fonte: Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder


Parede face oeste:
𝑄 = 𝑈 ∗ 𝐴 ∗ [(𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) + ∆𝑇] (27)
𝑄 = 2,9 ∗ {[24 − (2,2 ∗ 1,2)] ∗ [(302 − 296) + 5,5]}
𝑄 = 712 𝑊
Resistência do reboco face oeste:
𝐿𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 2 ∗ 𝐾 (28)
𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,03
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 2 ∗
1,15 ∗ [(4 ∗ 6) − (2,2 ∗ 1,2)]
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 0,0024
𝑊
Resistência da parede face oeste:
𝐿𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 𝐾 (29)
𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒 ∗𝐴𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙

0,09
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 =
0,7 ∗ (4 ∗ 6) − (2,2 ∗ 1,2)
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 0,0064
𝑊
11

Resistência total face oeste:


𝑅𝑇 = 𝑅𝑟𝑒𝑏𝑜𝑐𝑜𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 + 𝑅𝑝𝑎𝑟𝑒𝑑𝑒𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 (30)
𝑅𝑇 = 0,0024 + 0,0064
𝑚2 ∗ 𝐾
𝑅𝑇 = 0,0088
𝑊
Carga térmica devido a radiação face oeste:
∆𝑇
𝑄𝑙𝑒𝑠𝑡𝑒 = 𝑅 (31)
𝑇

(302 − 296)
𝑄𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 =
0,0088
𝑄𝑜𝑒𝑠𝑡𝑒 = 682 𝑊
Carga térmica devido a infiltração:
𝑞 = (ℎ𝑒 − ℎ𝑖 ) ∗ 𝜌𝑎𝑟 ∗ 𝑄 (32)

Tabela 11 – Propriedades dos gases ideais

Fonte: Termodinâmica (7ª ed.) - Cengel.

O valor de temperatura, 𝑇𝑖 = 296 𝐾 foi aproximado.


𝑘𝐽
𝑇𝑖 = 295 𝐾 ℎ𝑖 = 295,17
𝑘𝑔
𝑘𝐽
𝑇𝑒 = 305 𝐾 ℎ𝑒 = 305,22
𝑘𝑔
12

Tabela 12 – Infiltração de ar

Fonte: NBR 6401.

Substituindo na equação de carga térmica por infiltração em janelas:


𝑞𝑗𝑎𝑛𝑒𝑙𝑎 = (305,22 − 295,17) ∗ 1,2 ∗ 3
𝑘𝐽
𝑞𝑗𝑎𝑛𝑒𝑙𝑎 = 36,2

Transformando em watts:
𝑞𝑗𝑎𝑛𝑒𝑙𝑎 = 36,2 ∗ 0,2777
𝑞𝑗𝑎𝑛𝑒𝑙𝑎 = 10 𝑊
Substituindo na equação de carga térmica por infiltração em portas:
𝑞𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑠 = (305,22 − 295,17) ∗ 1,2 ∗ 6,5
𝑘𝐽
𝑞𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑠 = 78,4

Transformando em watts:
𝑞𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑠 = 78,4 ∗ 0,2777
𝑞𝑝𝑜𝑟𝑡𝑎𝑠 = 22 𝑊
Equação de carga térmica devido a pessoas:
𝑞𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 = 𝑁𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 ∗ (𝑞𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 + 𝑞𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 ) (33)
13

Tabela 13 – Valores pra ocupação dos recintos

Fonte: NBR 6401.

Tabela 14 – Calor liberado por pessoas

Fonte: NBR 6401.


14

Aproximando 𝑇𝑖 = 24 °𝐶.
Calculando o calor sensível por pessoa:
𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑞𝑠𝑒𝑛𝑠𝑖𝑣𝑒𝑙 = 61

Transformando em watts:
61
𝑞𝑠𝑒𝑛𝑠𝑖𝑣𝑒𝑙 =
0,8598
𝑞𝑠𝑒𝑛𝑠í𝑣𝑒𝑙 = 71 𝑊
Calculando o calor latente por pessoa:
𝑘𝑐𝑎𝑙
𝑞𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 = 52

Transformando em watts:
52
𝑞𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 =
0,8598
𝑞𝑙𝑎𝑡𝑒𝑛𝑡𝑒 = 60 𝑊
Substituindo na equação de carga térmica devido a pessoa:
𝑞𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 = 4 ∗ (71 + 60)
𝑞𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 = 524 𝑊
Carga térmica dos equipamentos:
Computador
𝑞𝑐𝑜𝑚𝑝𝑢𝑡𝑎𝑑𝑜𝑟 = 4 ∗ 130
𝑞𝑐𝑜𝑚𝑝𝑢𝑡𝑎𝑑𝑜𝑟 = 520 𝑊
Impressora
𝑞𝑖𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑠𝑜𝑟𝑎 = 1 ∗ 8
𝑞𝑖𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑠𝑜𝑟𝑎 = 8 𝑊
Frigobar
𝑞𝑓𝑟𝑖𝑔𝑜𝑏𝑎𝑟 = 1 ∗ 250
𝑞𝑓𝑟𝑖𝑔𝑜𝑏𝑎𝑟 = 250 𝑊
1 cafeteira 200 w.
𝑞𝑐𝑎𝑓𝑒𝑡𝑒𝑖𝑟𝑎 = 1 ∗ 200
𝑞𝑐𝑎𝑓𝑒𝑡𝑒𝑖𝑟𝑎 = 200 𝑊
1 micro-ondas 300 w.
𝑞𝑚𝑖𝑐𝑟𝑜𝑛𝑑𝑎𝑠 = 1 ∗ 300
𝑞𝑚𝑖𝑐𝑟𝑜𝑛𝑑𝑎𝑠 = 300 𝑊
15

1 fax 20 w.
𝑞𝑓𝑎𝑥 = 1 ∗ 20
𝑞𝑓𝑎𝑥 = 20 𝑊

Calcular carga térmica devido a ventilação:

Tabela 15 – Vazão eficaz mínima de ar exterior para ventilação

Fonte: NBR 2008b.

Inicialmente, será calculada a vazão.


𝑄 = (𝐹𝑝 ∗ 𝑁𝑝𝑒𝑠𝑠𝑜𝑎𝑠 + 𝐹𝑎 ∗ 𝐴)/1000 (34)
𝑄 = (3,8 ∗ 4 + 0,5 ∗ 4 ∗ 6)/1000
𝑄 = 0,0272 𝑚3 /𝑠
16

𝑚3
Convertendo para : .

𝑄 = 0,0272 ∗ 3600
𝑚3
𝑄 = 98

Carga térmica devido a ventilação:
𝑞𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = (𝑇𝑒 − 𝑇𝑖 ) ∗ 𝑐𝑝,𝑎𝑟 ∗ 𝜌𝑎𝑟 ∗ 𝑄 (35)
𝑞𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = (305 − 296) ∗ 1,004 ∗ 1,2 ∗ 98
𝑞𝑣𝑒𝑛𝑡𝑖𝑙𝑎çã𝑜 = 1063 𝑊
Carga térmica devido a iluminação artificial:
Lâmpada de led 10 W – 06 unidades
𝑄𝑖𝑙𝑢𝑚𝑖𝑛𝑎çã𝑜 = 6 ∗ 10
𝑄𝑖𝑙𝑢𝑚𝑖𝑛𝑎çã𝑜 = 60 𝑊
Calculando carga térmica total:
𝑄𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 𝛴𝑄 (36)
𝑄𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 1009 + 161 + 745 + 941 + 545 + 698 + 244 + 712 + 682 + 10 + 22 + 71
+ 60 + 524 + 520 + 8 + 200 + 250 + 300 + 20 + 1063 + 60
𝑄𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 8845 𝑊
Transformando watts em BTU:
𝑄𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 =∗ 3,412
𝑄𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 = 30179 𝐵𝑇𝑈
Adotando o fator de correção climática:
𝑄𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑎 = 30179 ∗ 0,9
𝑄𝑐𝑜𝑟𝑟𝑖𝑔𝑖𝑑𝑎 = 27161 𝐵𝑇𝑈
Logo será adotado um equipamento de 30000 BTU
De acordo com o site web ar condicionado, o valor médio da instalação em
Goiânia custa 790,00 reais.
de acordo com o site click ar condicionado ar condicionado split Elgin eco power
quente frio 30000 220v, custa 4135,00 reais.

Para determinação do fluido refrigerante deve-se considerar a temperatura do


espaço refrigerado (temperatura mínima do ciclo) e a temperatura do ambiente
externo (temperatura máxima do ciclo).
17

Figura 3 – Ciclo real de refrigeração por compressão a vapor

Fonte: Princípios de termodinâmica para engenharia

Figura 4 – Diagrama temperatura entropia de um ciclo real de refrigeração por compressão a vapor

Fonte: Princípios de termodinâmica para engenharia.

Análise de um ciclo de um ciclo de refrigeração por compressão de vapor.

Estado 01 – vapor saturado.


Obs: Nos cálculos será considerado estado 01 sendo como vapor saturado, mesmo o diagrama
mostrando vapor super aquecido
𝑇01 = 12 °𝐶
𝑃01 = 443,31 𝑘𝑃𝑎
𝑘𝐽
ℎ01 = 257,27
𝑘𝑔
18

𝑘𝐽
𝑠01 = 0,92554
𝑘𝑔 ∗ 𝐾
Devido a presença de irreversibilidades durante o processo de compressão adiabática, havendo um
aumento de entropia específica entre a entrada e saída do compressor.

Estado 02 – vapor superaquecido


Esse estado pode ser determinado pela eficiência do compressor.
𝑇02𝑠 = 40 °𝐶
𝑃02 = 1000 𝑘𝑃𝑎
𝑘𝐽
ℎ02𝑠 = 271,71
𝑘𝑔
𝑘𝐽
𝑠02𝑠 = 0,9179
𝑘𝑔 ∗ 𝐾

( 𝑐)
ṁ 𝑠
𝜂𝑐 = Ẇ (37)
( 𝑐)

(ℎ02𝑠 −ℎ01 )
𝜂𝑐 = (ℎ02 −ℎ01 )
(38)
(ℎ02𝑠 −ℎ01 )
ℎ02 =
𝜂𝑐
+ ℎ01 (39)
(271,71 − 257,27)
ℎ02 = + 257,27
0,8
𝑘𝐽
ℎ02 = 275,32
𝑘𝑔
Estado 03 – vapor sub resfriado.
Obs: os valores de entalpia e entropia serão aproximados para liquido saturado na mesma pressão.
𝑃03 = 1000 𝑘𝑃𝑎
𝑇03 = 39,37 °𝐶
𝑘𝐽
ℎ03 = 107,32
𝑘𝑔
𝑘𝐽
𝑠03 = 0,39189
𝑘𝑔 ∗ 𝐾
Estado – 04 mistura liquido vapor.
𝑘𝐽
ℎ03 = ℎ04 = 107,32
𝑘𝑔
𝑃04 = 443,31 𝑘𝑃𝑎
𝑇04 = 12 °𝐶
ℎ04 −ℎ𝑙04
𝑋04 =
ℎ𝑣04 −ℎ𝑙04
(36)
(107,32 − 68,18)
𝑋04 =
(257,27 − 68,18)
𝑋04 = 0,21
𝑠04 = 𝑠𝑙04 + 𝑋04 ∗ (𝑠𝑣04 − 𝑠𝑙04 ) (40)
𝑠04 = 0,26246 + 0,21 ∗ (0,92554 − 0,26246)
19

𝑘𝐽
𝑠04 = 0,40171
𝑘𝑔 ∗ 𝐾
Cálculo da vazão mássica do refrigerante R134a.
Balanço de lei na evaporadora.
𝛴ṁ𝑒 ∗ ℎ𝑒 + 𝑄 = 𝛴ṁ𝑠 ∗ ℎ𝑠 + 𝑊 (41)
𝑄𝐿 = ṁ𝑅 ∗ (ℎ01 − ℎ04 ) (42)
𝑄𝐿
ṁ𝑅 =
ℎ01 −ℎ04
(43)
8,845
ṁ𝑅 =
257,27 − 107,32
𝑘𝑔
ṁ𝑅 = 0,06
𝑠
Balanço de lei no compressor.
𝛴ṁ𝑒 ∗ ℎ𝑒 + 𝑄 = 𝛴ṁ𝑠 ∗ ℎ𝑠 + 𝑊 (44)
|𝑊𝑒 | = ṁ𝑅 ∗ (ℎ02 − ℎ01 ) (45)
|𝑊𝑒 | = 0,06 ∗ (275,32 − 257,27)
|𝑊𝑒 | = 1.08 𝑘𝑊
Determinando o coeficiente de performance do sistema.
𝑄𝐿
𝐶𝑂𝑃 =
𝑊𝑒
(46)
8,845
𝐶𝑂𝑃 =
1,08
𝐶𝑂𝑃 = 8,2

4 RESULTADOS

O desenvolvimento do trabalho caracterizou-se com a presença de vários


dados concretos retirados de muitas normas técnicas brasileiras. Desde então foi
possível segui-las e determinar valores determinantes para o funcionamento da
refrigeração de ar condicionados em ambientes de escritórios.

5 CONCLUSÃO

Com os dados presentes nas normas, as quais desempenham papéis de suma


importância no contexto técnico, quais são relacionadas. O dimensionamento de ar
condicionado contribuiu, de maneira excelente para o desenvolvimento do
conhecimento adquirido na sala de aula, com a disciplina de refrigeração e ar
condicionado.
20

Este trabalho ofereceu oportunidades de absorver novas normas de referências


de estudo, tanto na área de engenharia mecânica, engenharia elétrica, engenharia de
segurança do trabalho e engenharia civil.

REFERÊNCIAS

REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO PARTE II - AR CONDICIONADO –


UFBA - Universidade Federal da Bahia.

http://interluz.com.br/index.php/calculo
Instalações de ar condicionado (6ª ed.) - Hélio Creder.

NBR 15220 - Desempenho térmico de edificações - Parte 1: Definições,


símbolos e unidades.

NBR 15220 - Desempenho térmico de edificações - Parte 2: Métodos de cálculo


da transmitância térmica, da capacidade térmica, do atraso térmico e do fator solar de
elementos e componentes de edificações.

NBR 15220 – Desempenho térmico de edificações - Parte 3: Zoneamento


bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de
interesse social.

NBR 15220 - Desempenho térmico de edificações - Parte 4: Medição da


resistência térmica e da condutividade térmica pelo princípio da placa quente
protegida.

NBR 15220 - Desempenho térmico de edificações - Parte 5: Medição da


resistência térmica e da condutividade térmica pelo método fluximétrico.

NBR 5413 - Iluminância de interiores.

NBR 6401- Instalações centrais de ar-condicionado para conforto - Parâmetros


básicos de projeto.

NR 17 – ERGONOMIA.

www.clicarcondicionado.com/produto/ar-condicionado-split-electrolux.

www.webarcondicionado.com.br/instalacao-de-ar-condicionado-split-precos.

Você também pode gostar