Você está na página 1de 5

EETI – Escola de

Engenharia e TI
Disciplina: Aplicações de Redes de Computadores
Curso: Ciência da Computação / Sistemas de Informação
Professor (a): Sandro Alex

Atividade 04 – Roteamento dinâmico: RIPv2, OSPF e BGP

O objetivo desta atividade é implementar os protocolos de roteamento RIPv2, OSPF e BGP


em um único cenário de rede. Depois de finalizada a atividade será possível acessar o servidor Web
da Empresa B partindo do laptop que está na conexão sem fio da rede privada da Empresa A, e
vice-versa!

A Empresa A utiliza o protocolo de roteamento RIPv2, enquanto que a Empresa B utiliza o


protocolo de roteamento OSPF. Já os provedores de acesso a Internet (ISPs), que são sistemas
autônomos (ASs) distintos, utilizam o protocolo de roteamento BGP.

Por uma limitação no software de simulação de rede que será utilizado, o Packet Tracer, não
é possível utilizar mais de um roteador em cada AS. Tal software não implementar iBGP, portanto
as mensagens BGP não são trafegadas dentro do AS!

Nesta atividade serão construídas duas redes com topologias físicas iguais, uma para cada
empresa: Empresa A e Empresa B. A topologia possui uma rede privada, com endereços que não
trafegam na Internet, e uma rede pública que pode ser alcançada pelos hosts da Internet. As redes
privadas das duas empresas possuem os mesmos endereços IPs privados, porém seus endereços
IPs públicos devem ser diferentes!

Para permitir o acesso da rede privada a Internet o roteador que interliga a rede pública a
privada implementa o NAT, ou seja, quando algum host da rede privada acessar a Internet o seu
endereço será traduzido para o endereço deste roteador.

Os servidores DNS e HTTP de ambas estão na rede pública, sendo possível então acessa-
lo a partir de qualquer host da Internet, ou partindo da rede privada desde que seja usado NAT.

Cada empresa se conecta a Internet através de um provedor local de acesso a Internet (ISP
Local) de sua preferência. Os ISPs locais se conectam a ISPs Regionais permitindo a troca de
tráfego entre os ISPs Locais. Cada ISP tem uma única administração, ou seja, eles formam um
Sistema Autônomo (AS).

1) Empresa A ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
a. Rede privada
i. Coloque 4 roteadores, um Access Point (AP) e um laptop
ii. Os roteadores devem se conectar conforme pode ser visto na figura a seguir
1. O protocolo de roteamento dinâmico utilizado deve ser o RIPv2
a. Atente para o fato que as sub-redes possuem máscara /30
b. O RIPv1 não suporta classless!
1
Sucesso!
2. Os endereços das sub-redes estão marcados na figura
3. A figura mostra os nomes dos roteadores como sugestão
4. As interfaces dos roteadores devem ter endereços fixos
5. O roteador que separa a rede privada da rede pública deve fazer NAT,
permitindo que a rede privada acesse a rede pública
a. Atente para colocar as configurações de default gateway neste
roteador, apontando para a interface do roteador do ISP que está
ligada a seu Hub
b. Permita, neste roteador, a distribuição do endereço do default
gateway através do protocolo de roteamento dinâmico
iii. Rede sem fio
1. Coloque o AP e o Laptop interligados através da rede sem fio
2. Coloque “RIP” como SSID e escolha a segurança WPA Personal com
criptografia AES e atribua a senha “rede_rip”
3. O AP deve possuir IP fixo e o Laptop dinâmico
4. A porta Internet do AP deve ser conectada a interface do roteador
b. Rede pública
i. Coloque um servidor e um hub
1. Interligue o servidor e o roteador que separa a rede pública da privada
através do Hub
ii. O servidor deve possuir IP fixo e o endereço do default gateway atribuído a ele deve
ser o endereço IP configurado na interface do roteador do ISP ligado a seu Hub
iii. No servidor deverão ter SOMENTE os serviços DNS e HTTP executando
1. Desligue TODOS os outros serviços deste servidor!
2. Altere a página Web colocando o nome Site da Empresa A
3. Devem existir registros no DNS permitindo acesso aos servidores Web
através dos nomes www.empresaA.intranet e www.empresaB.intranet
a. Crie um registro do tipo A, servidor.empresaA.intranet, apontando
para o IP do servidor da empresa A
b. Crie um registro do tipo CNAME, www.empresaA.intranet,
apontando para o registro servidor.empresaA.intranet
c. Crie um registro do tipo A, servidor.empresaB.intranet, apontando
para o IP do servidor da empresa B
d. Crie um registro do tipo CNAME, www.empresaB.intranet,
apontando para o registro servidor.empresaB.intranet
c. Roteador de interconexão
2
Sucesso!
i. Entre as redes cabeada e sem fio coloque um roteador com duas interfaces ethernet.
Como sugestão, utilize o roteador 2621XM pois ele já vem com elas :).
ii.
iii. Como as redes estão conectadas diretamente através das interfaces ethernet,
nenhuma configuração de roteamento é necessárias pois o roteador já fará o
encaminhamento de pacotes entre as duas redes!
2) Empresa B ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
a. Rede privada
i. Coloque 4 roteadores, um Access Point (AP) e um laptop
ii. Os roteadores devem se conectar conforme pode ser visto na figura a seguir
1. O protocolo de roteamento dinâmico utilizado deve ser o OSPF
a. Atente para o fato que as sub-redes possuem máscara /30
2. Os endereços das sub-redes estão marcados na figura
3. A figura mostra os nomes dos roteadores como sugestão
4. As interfaces dos roteadores devem ter endereços fixos
5. O roteador que separa a rede privada da rede pública deve fazer NAT,
permitindo que a rede privada acesse a rede pública
a. Atente para colocar as configurações de default gateway neste
roteador, apontando para a interface do roteador do ISP que está
ligada a seu Hub
b. Permita, neste roteador, a distribuição do endereço do default
gateway através do protocolo de roteamento dinâmico
iii. Rede sem fio
1. Coloque o AP e o Laptop interligados através da rede sem fio
2. Coloque “OSPF” como SSID e escolha a segurança WPA Personal com
criptografia AES e atribua a senha “rede_ospf”
3. O AP deve possuir IP fixo e o Laptop dinâmico
4. A porta Internet do AP deve ser conectada a interface do roteador
b. Rede pública
i. Coloque um servidor e um hub
1. Interligue o servidor e o roteador que separa a rede pública da privada
através do Hub
ii. O servidor deve possuir IP fixo e o endereço do default gateway atribuído a ele deve
ser o endereço IP configurado na interface do roteador do ISP ligado a seu Hub
iii. No servidor deverão ter SOMENTE os serviços DNS e HTTP executando
1. Desligue TODOS os outros serviços deste servidor!
3
Sucesso!
2. Altere a página Web colocando o nome Site da Empresa A
3. Devem existir registros no DNS permitindo acesso aos servidores Web
através dos nomes www.empresaA.intranet e www.empresaB.intranet
a. Crie um registro do tipo A, servidor.empresaA.intranet, apontando
para o IP do servidor da empresa A
b. Crie um registro do tipo CNAME, www.empresaA.intranet,
apontando para o registro servidor.empresaA.intranet
c. Crie um registro do tipo A, servidor.empresaB.intranet, apontando
para o IP do servidor da empresa B
d. Crie um registro do tipo CNAME, www.empresaB.intranet,
apontando para o registro servidor.empresaB.intranet
3) Internet Service Provider: ISP --------------------------------------------------------------------------------------------
a. ISP Local A
i. Coloque um roteador e utilize o protocolo de roteamento BGP
ii. A interface ethernet deve ser conectada ao Hub da Empresa A e a interface serial ao
roteador do ISP Regional
iii. A figura mostra alguns parâmetros de configuração e nomeação como sugestão!
b. ISP Local B
i. Coloque um roteador e utilize o protocolo de roteamento BGP
ii. A interface ethernet deve ser conectada ao Hub da Empresa B e a interface serial ao
roteador do ISP Regional
iii. A figura mostra alguns parâmetros de configuração e nomeação como sugestão!
c. ISP Regional
i. Coloque um roteador e utilize o protocolo de roteamento BGP
ii. Devem existir duas interfaces seriais. cada uma deve ser conectada a um ISP Local
iii. A figura mostra alguns parâmetros de configuração e nomeação como sugestão!

4
Sucesso!
• Efetue pings para testar as conectividades entre os hosts
• Observe que, por se tratar de endereço IP privado, as duas empresas podem ter os mesmos endereços
internos. Isso não pode ser feito na rede pública!
• Os cenários das empresas são iguais, logo é possível minimizar o trabalho criando a Empresa A e, em
seguida, copiando para a Empresa B. Os endereçamento devem ser refeitos pois são perdidos na cópia!
• Confira a tabela de roteamento dos roteadores para checar o funcionamento dos protocolos de
roteamento dinâmico
• Teste seu cenário acessando com o navegador os sites http://www.empresaA.intranet e
http://www.empresaB.intranet a partir dos dois Laptops
• Atente para o fato de que o AP está trabalhando como roteador e, por isso, ele está fazendo NAT.
Sendo assim, a rede sem fio não é vista fora dela. Ou seja, o endereço que navega fora da rede é, na
verdade, o endereço da interface Internet do AP!
• Lembre-se de que é necessário SALVAR as configurações realizadas nos roteadores pois, caso esta
tarefa não seja feita, elas serão apagadas quando o equipamento for desligado/reiniciado.
• Preste BASTANTE atenção aos endereçamento pois endereços errados vão impossibilitar os acessos.

5
Sucesso!