Você está na página 1de 40

TIRA DÚVIDAS

NOVO MODELO
GFIP/SEFIP
PERGUNTAS E RESPOSTAS abril/2015

O novo modelo da GFIP, implementa pela versão 8.0 do SEFIP, trouxe mudanças significativas quanto
à forma de geração e retificação da GFIP.

Por esta razão, este informativo apresenta perguntas e respostas sobre a GFIP/SEFIP, agrupadas por
assunto, visando esclarecer as principais alterações contempladas no Novo Modelo da GFIP.

Além das informações contidas neste informativo, é indispensável a consulta aos seguintes
documentos:

Documento Onde encontrar?


Sites http://idg.receita.fazenda.gov.br e
Manual da GFIP/SEFIP 8.4 www.caixa.gov.br
Site
http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/38/MPS
Instrução Normativa SRP 09 de 24/11/2005 -SRP/2005/9.htm
Site http://idg.receita.fazenda.gov.br , caminho:
Informativo Novo Modelo da GFIP nº 003,
Orientação Tributária/Declarações e Demonstrativos/
de 25/05/2005 – GFIP com Tomadores
GFIP/Informativos
Leiaute de Folha de Pagamento SEFIP 8.0 Site www.caixa.gov.br e no diretório C:\Arquivos de
Programas\CAIXA\SEFIP
Manual Operacional do SEFIP 8.0 diretório C:\Arquivos de Programas\CAIXA\SEFIP

Para acessar o arquivo de instalação do SEFIP 8.4 – Plataforma Gráfica, os caminhos são:

Site http://idg.receita.fazenda.gov.br Site www.caixa.gov.br

caminho: caminho:
Orientação Tributária/Declarações e Download (parte superior da página)/
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 1
Demonstrativos/GFIP/Aplicativos FGTS
GFIP/SEFIP

ÍNDICE

Assunto Perguntas

A INTRODUÇÃO 01 a 07

B GERAÇÃO DA GFIP A PARTIR DA VERSÃO 8.0 DO SEFIP 08 a 18

C GERAÇÃO DA GFIP COM TOMADOR DE SERVIÇO 19 a 25

D IMPORTAÇÃO DE DADOS (VALIDAÇÃO) 26 a 36

E MODALIDADE 37 a 50

F CÓDIGOS DE RECOLHIMENTO 51 a 55

G AUSÊNCIA DE FATO GERADOR (GFIP SEM MOVIMENTO) 56 a 61

GFIP COMPETÊNCIA 13 E DEMAIS GFIP COM INFORMAÇÃO DE 13º


H 62 a 73
SALÁRIO

RETENÇÃO EM NOTA FISCAL FATURA (LEI 9.711/98) NA


I 74
COMPETÊNCIA DEZEMBRO x GPS 12 E 13 x GFIP 12 E 13

J REMUNERAÇÃO COMPLEMENTAR FGTS 75

K RETIFICAÇÃO DA GFIP 76 a 88

L COMPLEMENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES 89 a 91

RETIFICAÇÃO DE GFIP GERADA ATÉ A VERSÃO 7.0 DO SEFIP OU EM


M 92 a 94
MEIO PAPEL

N RETIFICAÇÃO DA GFIP X MODALIDADE 95 a 104

O PEDIDO DE EXCLUSÃO 105 a 106

P ÓRGÃOS PÚBLICOS E SUAS PARTICULARIDADES 107 a 109

Q COMPROVAÇÃO DE ENTREGA 110 a 114

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 2


A - INTRODUÇÃO

1) Qual o ato normativo que aprovou o Novo Modelo da GFIP?


Instrução Normativa SRP 09 de 24/11/2005 (DOU 25/11/2005), a qual aprova:
SEFIP 8.0; e
Manual da GFIP/SEFIP 8.0.
1.1) Qual o ato normativo que aprova a versão vigente do SEFIP e do Manual da
GFIP?
Instrução Normativa RFB nº 880, de 16/10/2008, a qual aprova:
SEFIP 8.4; e
Manual da GFIP/SEFIP 8.4.

2) Qual foi o programa gerador da GFIP no Novo Modelo?


SEFIP 8.0, disponível somente em Plataforma Gráfica (Windows). A partir da versão 8.0, deixou de ser
disponibilizado o SEFIP DOS.

3) A partir de quando passou a ser obrigatória a utilização do SEFIP 8.0?


O SEFIP 8.0 tornou-se obrigatório a partir de 01/02/2006. (IN/SRP 09/2005, art. 3º)

4) A versão 7.0 do SEFIP continua sendo utilizada?


Não, sua utilização foi até 31/01/2006.

5) Quais as informações contempladas no Manual da GFIP/SEFIP 8.4? O manual está


dividido em 6 capítulos conforme segue:

Capítulo Conteúdo
Informações básicas sobre a GFIP (o que é, quem
declara, o que informar, ausência de fato gerador, prazo
de entrega, centralização de recolhimento para o FGTS),
I – ORIENTAÇÕES GERAIS
penalidades, guarda da documentação, bases de
incidência e não incidência.

Orientação para preenchimento da GFIP, campo a


II – INFORMAÇÕES CADASTRAIS campo, obedecendo a mesma ordem das telas do
III – INFORMAÇÕES FINANCEIRAS programa SEFIP.

Detalha situações específicas como trabalhador avulso,


dirigente sindical, magistrados, construção civil, área
rural, obrigações discutidas judicialmente, competência
IV – ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS
13 e Novo Modelo da GFIP/SEFIP para a Previdência
Social a partir da versão 8.0 do SEFIP.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 3


Contempla procedimentos para a nova sistemática de
retificação da GFIP a partir do Novo Modelo,
V – RETIFICAÇÃO DE INFORMAÇÕES
implementados pela versão 8.0 do SEFIP.

VI – PADRÕES MONETÁRIOS E Moedas utilizadas por período e legislação básica da


LEGISLAÇÃO BÁSICA Previdência Social e da GFIP.

6) O Manual da GFIP/SEFIP 8.0 substituiu quais manuais?


a) Manual de preenchimento da GFIP 7.0 (a partir de 01/02/2006);
b) Manual dos Formulários Retificadores (a partir de 01/12/2005).
(IN SRP 09/2005, art. 7º)

6.1) O atual Manual da GFIP/SEFIP 8.4 substituiu qual manual?


a) Manual de preenchimento da GFIP 8.3.

7) Quais informações podem ser consultadas no SEFIP 8.4 no menu Editar\Localizar? No


referido menu, constam duas guias de consulta, conforme segue:

Guias de Consulta Principal Outros


Nome CBO
CNPJ CNAE-Fiscal
Conteúdo de Pesquisa CEI FPAS
PIS/PASEP/CI

Empresa Código
Procurar por Tomador/Obra Descrição
Trabalhador

B - GERAÇÃO DA GFIP A PARTIR DA VERSÃO 8.0 DO SEFIP

(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo IV, item 10)

8) Como deve ser gerada a GFIP a partir da versão 8.0 do SEFIP?


A partir da versão 8.0 do SEFIP, o empregador/contribuinte deve elaborar apenas uma GFIP única
para cada chave.

9) O que é chave da GFIP?

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 4


A chave é composta por parâmetros extraídos da própria GFIP, não podendo existir mais de uma GFIP
com a mesma chave. Portanto, o conceito de GFIP única deve sempre estar associado ao conceito de
chave. Ou seja, haverá somente uma única GFIP para cada chave.

A chave da GFIP terá as seguintes informações, conforme o código de recolhimento:

Códigos de Recolhimento
115, 150, 155, 211 130, 135, 608 650
CNPJ/CEI do empregador CNPJ/CEI do empregador CNPJ/CEI do empregador

Competência Competência Competência

Chav FPAS FPAS FPAS


e Código de Recolhimento Código de Recolhimento Código de Recolhimento
CNPJ/CEI do Tomador Número do
processo/Vara/Período

10) A GFIP de matriz e filial(filiais) possui chave diferente?


Sim, em virtude do CNPJ ser diferente para cada estabelecimento. Significa que a GFIP pode ser
gerada separadamente (um arquivo NRA.SFP por estabelecimento) ou de forma conjunta (um arquivo
NRA.SFP contendo todos os estabelecimentos).

11) A partir da versão 8.0 do SEFIP ainda teremos códigos declaratórios (905, por
exemplo)?
Não. Teremos apenas códigos de recolhimento. Os códigos declaratórios 9xx foram extintos na versão
8.0 do SEFIP.
A dupla natureza da GFIP (recolhimento x declaração), existente até a versão 7.0 do SEFIP, foi
substituída pelo campo Modalidade. Mais informações ver perguntas 12 e 51 a 55.

12) Quais os códigos de recolhimento existentes a partir da versão 8.0 do SEFIP?


A partir da versão 8.0 do SEFIP, os códigos de recolhimento válidos para a Previdência Social e para o
FGTS são oito:
115 - situações em geral;
130 - trabalhadores avulsos portuários;
135 - trabalhadores avulsos não portuários (código novo);
150 - cessão de mão-de-obra e empreitada parcial;
155 - empreitada total ou obra própria;
211 - cooperados que prestam serviços por intermédio de cooperativa de trabalho (código novo);
608 - dirigente sindical;
650 - reclamatória trabalhista.

Nota: Existirão também códigos de recolhimento válidos apenas para o FGTS, os quais são: 145, 307,
317,327, 337, 345, 418, 604, 640 e 660.
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo III, item 1.2)
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 5
13) O que é Modalidade?
É um indicativo obrigatório para cada trabalhador, de interesse exclusivo do FGTS, o qual sinaliza:
a) recolhimento; ou
b) declaração; ou
c) retificação; ou
d) confirmação de dados.
Mais informações ver perguntas 37 a 50.

13.1) A partir da versão 8.4, restaram apenas os indicativos de:


a) recolhimento; ou
b) declaração; ou
c) confirmação de dados.

14) Quais os tipos de arquivos gerados pelo SEFIP a partir da versão 8.0?
A partir da versão 8.0 do SEFIP os arquivos gerados são:
a) GFIP Inicial
b) GFIP Retificadora
c) GFIP sem Movimento
d) Pedido de Exclusão
Os referidos arquivos terão a denominação NRA.SFP e serão enviados via internet através do
Conectividade Social (CNS).

15) O que é GFIP INICIAL?


É a primeira GFIP com valores entregue para determinada chave.
A Previdência Social entende tratar-se de GFIP Inicial em virtude de controles estabelecidos no
processamento da GFIP, inexistindo marca sinalizadora desta condição.

16) O que é GFIP RETIFICADORA?


É a GFIP enviada com o objetivo de substituir informações prestadas de forma incorreta/incompleta
para uma determinada chave.
A Previdência Social entende tratar-se de GFIP Retificadora em virtude de controles estabelecidos no
processamento da GFIP, inexistindo marca sinalizadora desta condição. Mais informações ver
perguntas 76 a 94.

17) O que é GFIP SEM MOVIMENTO?


É a GFIP enviada para dizer que inexiste fato gerador ou outra informação a ser prestada para a
Previdência Social ou para a CAIXA.
Mais informações ver perguntas 56 a 61.

18) O que é Pedido de Exclusão?

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 6


É um pedido enviado, em casos específicos, para eliminar GFIP entregue
incorretamente/indevidamente, quando a correção não puder ser feita apenas com envio de GFIP
retificadora.
Mais informações ver perguntas 105 e 106

C - GERAÇÃO DA GFIP COM TOMADOR DE SERVIÇO

19) Uma empresa construtora podia entregar uma GFIP 115 para informar o pessoal
administrativo e 150 (e/ou 155) para informação das obras. Isso pode ser feito a partir da
versão 8.0 do SEFIP?
Sim, porém considerando o conceito de chave para a Previdência Social, os códigos 115, 150 e 155
contêm uma exceção.

Considerando uma mesma competência, para o mesmo CNPJ e mesmo FPAS, havendo diferença entre
os códigos de recolhimento, a regra geral define que teríamos chaves diferentes. Essa regra não vale
quando a única diferença nas chaves de duas GFIP for entre os códigos 115 e 150 ou 115 e 155.

Por isso, a empresa construtora que possui obras executadas por empreitada parcial (código 150) e
obras por empreitada total ou obra própria (código 155) numa mesma competência, deverá gerar as
GFIP da seguinte forma a partir da versão 8.0 do SEFIP:
a) um arquivo NRA.SFP no código de recolhimento 150 contendo a GFIP do tomador administração +
as GFIP dos tomadores das obras executadas por empreitada parcial;
b) um arquivo NRA.SFP no código de recolhimento 155 contendo as GFIP dos tomadores das obras
executadas por empreitada total ou obra própria.

Exemplo: Na competência 12/2005, a Construtora Azul, CNPJ 11.111.111/0001-91 possui apenas fatos
geradores relativos à remuneração de trabalhadores conforme segue: a) administração;
b) obras contratadas por empreitada parcial – Paraíso e Particular
c) obra contratada por empreitada total – Tratoria
d) obra própria – Tradicional
A Construtora Azul na competência 12/2005, transmitirá dois arquivos NRA.SFP, cujas GFIP serão
geradas por tomador conforme segue:

Arquivo
Trabalhadores Composição da Chave
NRA.SFP
CNPJ 11.111.111/0001-91
Tomador Administração Competência 12/2005
Tomador Obra Paraíso (empreitada parcial) FPAS 507 1
Tomador Obra Particular (empreitada parcial) Código de recolhimento 150

Tomador Obra Tratoria (empreitada total) CNPJ 11.111.111/0001-91 1


Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 7
Competência 12/2005
Tomador Obra Tradicional (obra própria) FPAS 507
Código de recolhimento 155

20) As empresas construtoras que executam obras apenas por empreitada parcial e as
empresas prestadoras de serviço como devem gerar a GFIP?
A partir da versão 8.0 do SEFIP, as empresas construtoras que executam obras apenas por
empreitada parcial e as empresas prestadoras de serviço mediante cessão de mão-de-obra deverão
transmitir um arquivo NRA.SFP no código de recolhimento 150 contendo a GFIP do tomador
administração + as GFIP das obras/tomadores.

Exceção: A empresa de trabalho temporário, em virtude de utilizar FPAS diferentes para a


administração e para os trabalhadores cedidos (FPAS 515 e 655) fará dois arquivos NRA.SFP nos
respectivos códigos de recolhimento:
a) 115 para a administração;
b) 150 para os tomadores de trabalho temporário.

21) A empresa optante pelo SIMPLES que execute obra própria como deve proceder?
Durante o período de execução da obra, deve entregar duas GFIP, conforme segue:

Código de Recolhimento 155 150


Fatos geradores obra Própria demais fatos geradores
FPAS 507 normal da empresa
SIMPLES não optante Optante
RAT 3% 0%
Outras Entidades 0079 0000

(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo III, item 2.2, nota 6)

22) A empresa não construtora com FPAS 507 que execute obra própria como deve
proceder?
A empresa que possuir FPAS 507 e que edificar obra própria, tendo informações relativas à Opção
pelo Simples, ao Código de Outras Entidades ou à Alíquota RAT distintas das informações da
obra, deverá elaborar GFIP com código 150, para informar os dados e trabalhadores não referentes à
obra, e GFIP com código 155, para informar os dados e trabalhadores referentes à obra.
Se, por outro lado, as informações relativas à Opção pelo Simples, ao Código de Outras
Entidades ou à Alíquota RAT forem iguais às informações da obra, a empresa construtora poderá
optar pela entrega de:
a) dois arquivos NRA.SFP (códigos de recolhimento 150 e 155) na forma disposta no parágrafo
anterior; ou

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 8


b) um arquivo NRA.SFP (código de recolhimento 155) contendo os dois tomadores (tomador
administração + tomador obra própria)
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo IV, item 4, nota 9)

23) A empresa não construtora com FPAS diferente de 507 que execute obra própria
como deve proceder?
Considerando que as chaves são diferentes em virtude do código FPAS (FPAS obra igual a 507; FPAS
empresa diferente de 507), a empresa continua elaborando GFIP com código 115, para informar os
dados e trabalhadores não referentes à obra, e GFIP com código 155, para informar os dados e
trabalhadores referentes à obra.

24) A cooperativa de trabalho deverá entregar GFIP distintas para o pessoal


administrativo e para os cooperados cedidos?
Sim, pois para o pessoal administrativo deverá utilizar o código de recolhimento 115, e para informar
os cooperados que prestam serviços a tomadores deverá utilizar o código de recolhimento 211. Essa
diferença de código de recolhimento torna as chaves das GFIP diferentes, o que impede a substituição
de uma GFIP por outra.

25) Qual a diferença na composição da chave de GFIP com códigos de recolhimento


130, 135 , 608 e 650?
25.1) Códigos de Recolhimento 130, 135 e 608
Para os códigos 130, 135 e 608, o CNPJ/CEI do tomador de serviço também integra a chave, além do
CNPJ/CEI do empregador/contribuinte, da competência, do FPAS e do código de recolhimento. Assim,
para tais códigos de recolhimento, a Previdência Social somente considera como GFIP retificadora
aquela que tenha o mesmo CNPJ/CEI do tomador de serviço de uma GFIP anteriormente entregue e
número de controle diferente. Para esses códigos de recolhimento, GFIP com tomadores distintos
podem ser enviadas em arquivos NRA.SFP distintos ou num único arquivo.
25.2) Código de Recolhimento 650
Para o 650, o número do processo, a vara e o período também compõem a chave, além do CNPJ/CEI
do empregador/contribuinte, da competência, do FPAS e do código de recolhimento. Assim, para este
código de recolhimento, a Previdência Social somente considera como GFIP retificadora aquela que
tenha o mesmo número do processo, mesma vara e mesmo período de uma GFIP anteriormente
entregue e número de controle diferente. Para esse código de recolhimento, GFIP com informações de
reclamatórias trabalhistas distintas podem ser enviadas em arquivos NRA.SFP distintos ou num único
arquivo.

Quando houver entrega de mais de uma GFIP, com chaves diferentes, todas as GFIP são consideradas
válidas, não havendo substituição.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 9


Maiores informações sobre a geração de GFIP com tomador de serviço, consultar:
a) Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo I, item 7.2 e Capítulo III, item 1.2.1;
b) Informativo Novo Modelo da GFIP nº 003, de 25/05/2005,
disponível no site Site http://idg.receita.fazenda.gov.br , caminho: Orientação
Tributária/Declarações e Demonstrativos/ GFIP/Informativos

D - IMPORTAÇÃO DE DADOS (VALIDAÇÃO)


(Manual Operacional do SEFIP 8.4 Plataforma Gráfica)

26) Onde estão dispostos os procedimentos operacionais relativos ao SEFIP? No Manual


Operacional do SEFIP 8.4.
Após a instalação do SEFIP SEFIP 8.4 plataforma gráfica, basta percorrer o caminho a seguir para
acessar o Manual Operacional: C:\Arquivos de Programas\CAIXA\SEFIP\Manual Operacional.doc

27) É possível conviver na mesma máquina o SEFIP 7.0 plataforma gráfica com o SEFIP
8.4 plataforma gráfica?
Não.

28) É possível conviver na mesma máquina o SEFIP 7.0 DOS com o SEFIP 8.4
plataforma gráfica?
Sim, em virtude dos sistemas utilizarem plataformas diferenciadas.

29) É possível importar a base do SEFIP 7.0 DOS para o SEFIP 8.4 plataforma gráfica?
Sim, conforme segue:
a) Caso o SEFIP 8.4 não contenha nenhuma informação instalado o SEFIP 8.4, na tela de abertura
constará a seguinte pergunta: Como você irá carregar as informações no SEFIP? Selecionar
a opção Importar Base DOS.
b) Caso o SEFIP 8.4 já contenha informação no menu do SEFIP, selecionar Ferramentas, opção
Importar Base de Dados – DOS.
Observação: Fechar o SEFIP DOS antes de executar as referidas operações.

30) É possível restaurar backup do SEFIP DOS no SEFIP plataforma gráfica 8.4?
Não. No entanto, o backup DOS pode ser restaurado no SEFIP 7.0 DOS e importado no SEFIP
plataforma gráfica 8.4.
Após a restauração, fechar o SEFIP DOS e proceder a importação da base DOS para o SEFIP
plataforma gráfica, conforme orientações contidas na pergunta anterior.

31) O SEFIP 8.4 plataforma gráfica restaura backup do SEFIP 7.0 plataforma gráfica?
Sim, através da opção Ferramentas\Restaurar backup.
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 10
32) O que é validação?
Validação é o procedimento pelo qual a empresa gera a GFIP através da importação das informações
necessárias, geradas pelo programa de folha de pagamento e gravadas em um arquivo denominado
SEFIP.RE. Nesse caso não será necessária a digitação das informações no SEFIP para geração da
GFIP.
Para que o programa de folha de pagamento possa gerar corretamente o arquivo SEFIP.RE, é
necessária sua adequação conforme instruções contidas no documento Leiaute de Folha de
Pagamento, que é instalado automaticamente no diretório C:\Arquivos de Programa\CAIXA\SEFIP,
quando se instala o SEFIP, com o nome de FOLHA.doc. Este documento também pode ser obtido pela
Internet na página da CAIXA (www.caixa.gov.br).
(Manual Operacional do SEFIP 8.4 Plataforma Gráfica, item 4)

33) A partir da versão 8.0 do SEFIP, como será feita a validação?


A partir da versão 8.0, o SEFIP passa a acatar até cinco cargas consecutivas de SEFIP.RE, desde que:
a) o movimento não tenha sido fechado;
b) a chave seja a mesma;
c) as modalidades sejam diferentes;
d) cada trabalhador esteja vinculado a uma única modalidade.
A empresa deverá importar o primeiro arquivo SEFIP.RE, não fechar o movimento, importar o segundo
arquivo, e assim por diante, até importar todos os arquivos, para somente ao final fechar o
movimento. O SEFIP aceita a importação de até 3 arquivos SEFIP.RE, pois são 3 as modalidades
possíveis (branco, 1 e 9), sendo somadas as informações de cada arquivo. Somente haverá
substituição de um arquivo por outro caso o arquivo a importar tenha a mesma modalidade de um
arquivo já importado.

34) Além da validação, existe outra maneira de gerar a GFIP?


Sim, a partir da digitação dos dados diretamente no programa SEFIP.

35) É possível gerar GFIP utilizando os procedimentos de validação e digitação de dados


simultaneamente?
Sim, após a validação (importação do arquivo SEFIP.RE gerado por programa de folha de pagamento)
é possível complementar ou corrigir informações através da digitação de dados diretamente no
programa SEFIP.

36) Quais situações podem ensejar a utilização simultânea dos procedimentos de


validação e digitação de dados na geração da GFIP?
De maneira geral, sempre que for necessário corrigir, complementar ou excluir informações após a
validação (importação do arquivo SEFIP.RE gerado por programa de folha de pagamento). Como
exemplo, podemos citar:
a) inclusão de contribuinte(s) individual(is) que prestaram serviços na competência e não constaram
do arquivo SEFIP.RE importado do programa de folha de pagamento;
b) inclusão da base de cálculo relativa à contratação de cooperativa de trabalho, a qual não constou
do arquivo SEFIP.RE importado do programa de folha de pagamento;
c) correção do valor de salário-família, o qual constou do arquivo SEFIP.RE importado do programa
de folha de pagamento como sendo de 200,00 quando o correto era 190,00.
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 11
E - MODALIDADE
(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. I, item 7.1)

37) Qual a finalidade da informação da Modalidade?


A função deste campo é indicar o recolhimento ou a declaração do valor devido ao FGTS, bem como a
confirmacão de informações anteriores para o FGTS.
A informação da Modalidade é obrigatória, mesmo para os trabalhadores sem direito ao depósito do
FGTS (contribuintes individuais em geral, por exemplo). Sem essa informação o trabalhador não
poderá ser informado na GFIP.

A modalidade:
a) Corresponde ao Registro Tipo 00, Campo 18;
b) constará do arquivo NRA.SFP;
c) será impressa na Relação de Trabalhadores - RE no título do relatório (por tipo de modalidade);
d) terá função equivalente à dupla natureza da GFIP (recolhimento x declaração) existente até a
versão 7.0 do SEFIP, inclusive

38) Quais são os tipos de Modalidade?

As modalidades podem ser:

MODALIDADE FINALIDADE
Indica recolhimento ao FGTS para as categorias 01 a 07. Na GFIP Inicial, pode
ser utilizada também para as categorias 11 a 26, desde que haja algum
Branco trabalhador das categorias 01 a 07 com recolhimento de FGTS no movimento.
Ainda que seja indicada a modalidade branco para as categorias 11 a 26, o
SEFIP não calcula FGTS, em função da categoria informada.
Indica declaração apenas, sem recolhimento ao FGTS. Para as categorias 01 a
07, a CAIXA tratará como confissão de dívida.
1
As categorias 11 a 26 não são “trabalhadas” pela CAIXA, por não terem direito
ao FGTS.
Indica os trabalhadores para os quais não há nenhuma retificação na presente
GFIP, confirmando a informação anterior. É utilizada para o trabalhador que
constou de GFIP anterior com modalidade branco, 1 ou 9
9 Na CAIXA não haverá nenhuma ação em relação aos trabalhadores com
modalidade 9. Eles somente constarão do arquivo por necessidade da
Previdência, que trabalhará com o conceito de GFIP retificadora, e substituirá
todas as informações, inclusive trabalhadores, da GFIP anterior.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 12


39) Para que serve a informação da Modalidade para a Previdência Social?
A informação da Modalidade é utilizada exclusivamente pelo FGTS, sendo indiferente para a
Previdência. A GFIP é processada pela Previdência Social sem levar em consideração esta informação.

40) Qual modalidade deverá ser utilizada quando a GFIP contiver informações exclusivas
para a Previdência Social, como por exemplo, somente contribuintes individuais?
Quando a GFIP contiver exclusivamente informações de interesse da Previdência Social a modalidade
a ser utilizada deverá ser:
“1”, para inclusão de trabalhador;
“9”, para confirmar informações de trabalhador informado anteriormente. Mais
informações ver perguntas 95 e 96.

41) Como serão tratadas as declarações pela CAIXA?


Caso não seja recolhido o FGTS de um trabalhador (categorias 01 a 07), a informação desses
trabalhadores com a modalidade 1 será considerada confissão de dívida para o FGTS.

42) Qual modalidade deve ser utilizada no caso de recolhimento de FGTS fora do prazo?
Somente a Modalidade Branco gera recolhimento de FGTS. Portanto, sempre que o empregador
desejar recolher FGTS, inclusive fora do prazo, utilizará a Modalidade Branco, mesmo quando o
trabalhador foi informado anteriormente com Modalidade Branco, sem que tenha havido o
depósito correspondente. Os acréscimos legais decorrentes do recolhimento em atraso do FGTS,
são calculados pelo SEFIP com base na informação dessa situação prestada na abertura do
movimento (“FGTS Em atraso”), quando também deverá ser informada a data em que será
efetuado o recolhimento.

43) O que acontece quando é informada a modalidade “Branco” (recolhimento para FGTS)
para trabalhadores com direito ao FGTS (categorias 01 a 07), sem que tenha havido o
respectivo recolhimento?
Caso a empresa não recolha o FGTS no prazo de 60 dias do envio do arquivo, a CAIXA converte a
informação de “recolhimento” em declaração; ou seja, passa a tratar como se fosse modalidade 1.
Quando a empresa for efetuar o recolhimento, deverá apresentar novo arquivo, idêntico ao enviado
anteriormente, indicando modalidade branco para os trabalhadores.
Neste caso, para a Previdência Social não haverá diferença entre as GFIP, sendo considerada válida a
GFIP enviada anteriormente, por se tratar de duplicidade de informações.

44) Como serão tratadas as informações pelo FGTS quando várias GFIP são entregues
com modalidade "branco", e os recolhimentos respectivos não são efetuados?
Todas as GFIP serão tratadas como "declaração", e será considerado como valor devido ao FGTS a
soma dos valores de cada GFIP.

45) Sabendo que o recolhimento do FGTS não será efetuado, qual modalidade deve ser
utilizada?

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 13


Deve ser utilizada a Modalidade “1” para todos os trabalhadores. Quando for depositar o FGTS o
empregador deverá enviar novo arquivo, com as mesmas informações anteriores e utilizar a
Modalidade Branco.

46) Como deve proceder a empresa que entrega GFIP sem depósito do FGTS para as
categorias 01 a 07 (modalidade 1) e necessita depositar o FGTS à medida que vai
demitindo os trabalhadores?
Considerando que a GFIP deve ser entregue no prazo, independentemente da quitação do FGTS e da
contribuição previdenciária, a empresa deve:
a) entregar GFIP no prazo com todos os fatos geradores, informando modalidade 1 para todos os
trabalhadores;
b) quando for depositar o FGTS para trabalhador(es) demitidos, envia outra GFIP com todos os fatos
geradores informando:
modalidade branco  para o(s) trabalhador(es) que deseja depositar o FGTS;
modalidade 9  para os demais trabalhadores.

Exemplo: A Empresa Aurora Comércio Ltda., que possui 03 trabalhadores (categoria 01) e 01
trabalhador (categoria 11), para a competência janeiro/2006 apresenta a seguinte situação: a)
06/02/2006 entrega GFIP no prazo sem depositar o FGTS;
b) 03/04/2006 deposita o FGTS apenas para o trabalhador André em virtude de sua demissão;
c) 05/06/2006 deposita o FGTS para os demais trabalhadores.

O preenchimento dos três arquivos NRA.SFP para a competência 01/2006 deverá ser feito da seguinte
forma:

GFIP 01/2006
GFIP 1 enviada em GFIP 2 enviada em GFIP 3 enviada em
Trabalhador Categoria
06/02/2006 03/04/2006 05/06/2006
Remuneração Mod. Remuneração Mod. Remuneração Mod.
André 01 1.000,00 1 1.000,00 Branco 1.000,00 9
Bento 01 1.000,00 1 1.000,00 9 1.000,00 Branco
Célia 01 1.000,00 1 1.000,00 9 1.000,00 Branco
Joel 11 2.000,00 1 2.000,00 9 2.000,00 9

DICA IMPORTANTE!!!

O SEFIP 8.0 gera automaticamente um backup com os dados existentes no momento exato que
antecede o fechamento.

É conveniente guardá-lo pelo prazo em que pode ser necessária uma retificação pois, a partir da
versão 8.0 do SEFIP, é necessário o envio da GFIP retificadora com todos os dados contidos no
arquivo anterior (a retificar), com as devidas correções.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 14


47) Qual a diferença entre utilizar a modalidade 9 ou a modalidade 1, já que nas duas
modalidades não há recolhimento ao FGTS?
A CAIXA vai utilizar a informação contida na modalidade 1 como confissão de dívida. Continuará
existindo o conceito de GFIP complementar para o FGTS. Significa que os trabalhadores que tiverem
modalidade 1 em diferentes GFIP, terão suas remunerações somadas na CAIXA, aumentando o valor
da dívida confessada. Por sua vez as informações dos trabalhadores com modalidade 9 não são
“trabalhadas” pela CAIXA.

48) Há possibilidade da CAIXA considerar que a empresa ainda deve recolher o valor
referente à modalidade 1, mesmo tendo recolhido o FGTS dos trabalhadores
informados nessa modalidade?
Sim. Caso seja entregue primeiro uma GFIP com a modalidade branco e depois outra com a
modalidade 1; ou seja, sendo a declaração posterior ao recolhimento, a CAIXA considera o total
informado na declaração como confissão de dívida.

Exemplo 1:

GFIP A GFIP B Valor devido ao FGTS


(Base de Cálculo)
Remuneração 800,00 1.000,00

1.000,00
Modalidade branco 1

Exemplo 2:

GFIP A GFIP B Valor devido ao FGTS


(Base de Cálculo)
Remuneração 800,00 800,00

800,00
Modalidade branco 1

49) E se houver recolhimento de FGTS posterior a uma declaração?


Quando houver recolhimento posterior à declaração, ou seja, for informada a modalidade 1 e depois
a modalidade branco para o mesmo trabalhador, o valor recolhido abaterá, total ou parcialmente, o
valor declarado.

Exemplo 1:

GFIP A GFIP B Valor devido ao FGTS


(Base de Cálculo)
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 15
Remuneração 1.000,00 800,00

R$ 200,00
Modalidade 1 Branco

Exemplo 2:

GFIP A GFIP B Valor devido ao FGTS


(Base de Cálculo)
Remuneração 1.000,00 1.500,00

0,00
Modalidade 1 Branco

50) A empresa entregou uma GFIP contendo a modalidade branco para os trabalhadores e
depois entregou outra GFIP, contendo a modalidade 1 para os mesmos trabalhadores,
gerando indevidamente débito junto ao FGTS. Como fazer para eliminar a informação
da GFIP com a modalidade 1?
Considerando que as remunerações informadas nas duas GFIP são iguais, não haverá necessidade de
retificação para a Previdência Social. Para o FGTS, a empresa deve entregar um formulário de
retificação em meio papel, cujo preenchimento deve obedecer ao disposto na Circular CAIXA que
estabelece procedimentos pertinentes à retificação de informações ao FGTS.

F - CÓDIGOS DE RECOLHIMENTO
(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. III, item 1.2)

51) Ocorreram alterações nos códigos de recolhimento a partir do novo modelo da GFIP?
Sim. Os códigos deixaram de ter dupla natureza (recolhimento x declaração).
A GFIP é o documento utilizado pelos empregadores para cumprimento de duas obrigações:
a) recolhimento do FGTS; e
b) prestação de informações à Previdência Social.
A separação em GFIP de pagamento e GFIP declaratória, era necessária para permitir o cumprimento
da obrigação junto à Previdência Social sem que fosse necessário efetuar simultaneamente o
recolhimento ao FGTS.
Esta possibilidade continuará existindo, porém através da informação da “Modalidade”, de forma
individual por trabalhador, a qual terá função equivalente à dupla natureza da GFIP (recolhimento x
declaração) existente até a versão 7.0 do SEFIP, inclusive. Mais informações ver perguntas 37 e 38.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 16


52) Quais códigos de recolhimento poderão ser utilizados a partir da versão 8.0 do SEFIP?
A partir da versão 8.0 do SEFIP, os códigos de recolhimento válidos para a Previdência Social e para o
FGTS são apenas oito:
115 - situações em geral;
130 - trabalhadores avulsos portuários;
135 - trabalhadores avulsos não portuários (código novo);
150 - cessão de mão-de-obra e empreitada parcial;
155 - empreitada total ou obra própria;
211 - cooperados que prestam serviços por intermédio de cooperativa de trabalho (código novo);
608 - dirigente sindical;
650 - reclamatória trabalhista.
Os demais códigos de recolhimento (145, 307, 317, 327, 337, 345, 418, 604, 640 e 660) são de
interesse exclusivo do FGTS e não serão processados pela Previdência Social.
Os códigos declaratórios (9XX) não poderão mais ser utilizados.

53) Em que situações deverão ser utilizados os códigos de recolhimento 145, 3XX
(parcelamento de FGTS), 418, 604, 640 e 660?
A utilização desses códigos deve seguir as instruções contidas no Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo
III, item 1.2.1 e em Circular da CAIXA.

54) Quais os códigos de recolhimento com informação de tomador de serviço?


130 - trabalhadores avulsos portuários;
135 - trabalhadores avulsos não portuários (código novo);
150 - cessão de mão-de-obra e empreitada parcial;
155 - empreitada total ou obra própria;
211 - cooperados que prestam serviços por intermédio de cooperativa de trabalho (código novo);
608 - dirigente sindical.

55) Como gerar a GFIP para os códigos de recolhimento com informação de tomador de
serviço a partir da versão 8.0 do SEFIP?
A GFIP continua sendo gerada por tomador, observando-se o conceito de GFIP única por chave.
Significa dizer que quando o CNPJ/CEI do Tomador estiver ausente na chave (códigos de recolhimento
150, 155 e 211) todas as GFIP da competência/estabelecimento serão geradas num único arquivo
NRA.SFP por código de recolhimento.
Por outro lado, quando o CNPJ/CEI do Tomador estiver presente na chave (códigos de recolhimento
130, 135 e 608), teremos duas opções de geração da GFIP:
a) um arquivo NRA.SFP para cada tomador de serviço; ou
b) um arquivo NRA.SFP para todos os tomadores de serviço.
Maiores informações sobre a geração de GFIP com tomador de serviço, consultar:
a) Perguntas 19 a 25 deste informativo;
b) Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo I, item 7.2 e Capítulo III, item 1.2.1;
c) Informativo Novo Modelo da GFIP nº 003, de 25/05/2005, disponível no site Site
http://idg.receita.fazenda.gov.br , caminho: Orientação Tributária/Declarações e Demonstrativos/
GFIP/Informativos

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 17


G - AUSÊNCIA DE FATO GERADOR (GFIP SEM MOVIMENTO)
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo I, item 5)

56) Quando informar a ausência de fato gerador (GFIP sem movimento)?


A GFIP sem movimento deve ser entregue para o primeiro mês da ausência de informações, ficando
dispensada a entrega para os meses subseqüentes, até a ocorrência de fatos que determinem a
declaração à Previdência e/ou ao FGTS ou o recolhimento ao FGTS.
Exemplo:
No período de 08/2005 a 01/2006, a empresa teve fato gerador apenas na competência 11/2005
(pagamento a contribuinte individual - autônomo). Como proceder?
a) Competência 08/2005 Transmitir arquivo NRA.SFP com indicativo de ausência de fato gerador,
por ser a primeira competência sem fato gerador.
b) Competência 11/2005 Transmitir arquivo NRA.SFP com fato gerador, informando o pagamento ao
contribuinte individual.
c) Competência 12/2005 Transmitir arquivo NRA.SFP para a competência 12/2005, com ausência de
fato gerador, o qual terá validade até a próxima GFIP com fato gerador.

Compet. 08/2005 09/200 10/200 11/200 12/200 13/200 01/200


5 5 5 5 5 6
GFIP/SEFIP Ausência Com Ausência
de fato - - fato de fato - -
Cód. 115 gerador gerador gerador

57) A partir da versão 8.0 do SEFIP, como gerar a GFIP com ausência de fato gerador
(GFIP sem movimento)?
a) Abrir movimento com o código de recolhimento 115 (a GFIP sem movimento será gerada somente
neste código);
a) Assinalar a opção Ausência de Fato Gerador (Sem Movimento) na tela de abertura do movimento
do SEFIP.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 18


58) Quando na competência 13 houver ausência de fato
gerador o empregador/contribuinte deve entregar GFIP sem movimento? Sim.

59) Quais situações ensejam a transmissão de GFIP sem movimento para a


competência 13?
a) O empregador/contribuinte possui somente trabalhadores sem direito ao recebimento do 13º
salário (contribuintes individuais, por exemplo);
b) Os trabalhadores com direito ao 13º salário foram todos demitidos antes do dia 20/12, devendo a
contribuição previdenciária incidente sobre o 13º salário ser recolhida na GPS da competência da
rescisão (GPS 12). Neste caso, a base de cálculo do 13º salário para a Previdência Social, paga
nas rescisões de contrato, será informada na GFIP da competência da rescisão (GFIP 12), no
campo Base de Cálculo 13º Salário Previdência Social – Referente à competência do
movimento (Registro Tipo 30, Campo 22).

60) Se o empregador/contribuinte entregou GFIP sem movimento para a competência


13 e, na competência janeiro do ano seguinte continua sem fato gerador, como proceder?
O empregador/contribuinte deve entregar uma nova GFIP sem movimento para a competência

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 19


janeiro, para informação ao FGTS, pois a GFIP da competência 13 é exclusiva para a Previdência
Social, ou seja, não é processada pela CAIXA.

61) Se o empregador/contribuinte entregou GFIP com informações quando deveria ter


entregue GFIP sem movimento, como proceder?
a) Primeiro  enviar Pedido de Exclusão para a GFIP incorreta;
b) Segundo  enviar GFIP sem movimento após o envio do Pedido de Exclusão.
Para substituição de uma GFIP com informações por outra sem movimento é necessário observar
a ordem de envio dos arquivos acima referida. Mais informações ver perguntas 105 e 106.

H - GFIP COMPETÊNCIA 13 E DEMAIS GFIP COM


INFORMAÇÃO
DE 13º
SALÁRIO
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo IV, item 9)

62) A partir de quando é obrigatória a entrega da GFIP competência 13?


A partir do ano de 2005. Para os anos de 1999 a 2004, é facultativa a entrega de GFIP/SEFIP para a
competência 13.

63) Em qual versão do SEFIP é possível gerar a GFIP da competência 13? Somente
a partir da versão 8.0 do SEFIP ou versão posterior.

64) Qual o prazo de entrega da GFIP da competência 13? Até 31 de janeiro do ano
seguinte.

65) Qual a modalidade do trabalhador a ser informada na GFIP 13?


Na GFIP 13, o SEFIP permite apenas as modalidades 1 e 9, em virtude de não ser devido depósito de
FGTS nesta GFIP. Trata-se de informação exclusiva para a Previdência Social.

66) O que deve ser informado na GFIP/SEFIP da competência 13?


a) base de cálculo das contribuições previdenciárias da competência 13, referentes ao 13º salário;

b) dedução do 13º salário-maternidade abatida da GPS da competência 13 (corresponde ao


ressarcimento do 13º salário proporcional aos dias de afastamento de trabalhadora em
licençamaternidade no ano);
c) compensação abatida da GPS da competência 13;

d) retenção sobre nota fiscal/fatura (Lei 9.711/98) sofrida em dezembro e abatida da GPS da
competência 13;

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 20


e) valor referente a competências anteriores, inferiores ao limite mínimo para recolhimento, incluído
na GPS da competência 13.

67) Relativamente ao 13º salário, houve alteração na forma de preenchimento do campo


Remuneração 13º Salário (Registro tipo 30, Campo 17) nas GFIP de competência janeiro
a dezembro?
Não, pois o valor informado neste campo é base de cálculo apenas para o FGTS, o qual continua
sendo devido na(s) competência(s) do pagamento do 13º salário, quer seja pago em parcelas ou de
uma única vez.

Exemplo 1: adiantamento pago em novembro e 2ª parcela paga em dezembro


O empregado recebeu em 11/2005 remuneração mensal de 1.000,00 e adiantamento de 13° salário
de 500,00. Em 12/2005, recebeu remuneração mensal de 1.000,00, e a segunda parcela do 13°
salário de 500,00.
Como informar as GFIP das competências 11, 12 e 13/2005?

Campo do SEFIP GFIP 11/2005 GFIP 12/2005 GFIP 13/2005


Remuneração sem 13º salário
1.000,00 1.000,00 -
(Registro tipo 30, Campo 16)
500,00 500,00
Remuneração 13º Salário
(1ª parcela) (2ª parcela) -
(Registro tipo 30, Campo 17)
Base FGTS Base FGTS
1.000,00
Base de Cálculo 13° Salário
(1ª e 2ª parcelas
Previdência Social – Referente à
- - somadas)
Competência do Movimento
Base Prev.
(Registro tipo 30, Campo 22)
Social

Exemplo 2: rescisão de contrato na competência novembro


O empregado demitido em 20/11/2005, com remuneração mensal de 1.200,00, recebeu remuneração
de 800,00 pelos 20 dias trabalhados e 1.100,00 referente a 11/12 avos de 13º salário (não houve
adiantamento de 13º salário no ano).
Como informar a GFIP da competência 11/2005?

Campo do SEFIP GFIP 11/2005


Remuneração sem 13º salário
800,00
(Registro tipo 30, Campo 16)
Remuneração 13º Salário 1.100,00
(Registro tipo 30, Campo 17) Base FGTS
Base de Cálculo 13° Salário Previdência Social –
1.100,00
Referente à Competência do Movimento
Base Previdência Social
(Registro tipo 30, Campo 22)
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 21
Código de Movimentação
I1
(Registro tipo 32, Campo 10)
Data de Movimentação
20/11/2005
(Registro tipo 32, Campo 11)

Exemplo 3: rescisão de contrato na competência dezembro – entre o dia 21 e 31


O empregado demitido em 23/12/2005, com remuneração mensal de 3.000,00, recebeu remuneração
de 2.300,00 pelos 23 dias trabalhados e 3.000,00 a título de pagamento do 13º salário em parcela
única no dia 20 de dezembro.
Como informar as GFIP das competências 12 e 13/2005?

Campo do SEFIP GFIP 12/2005 GFIP 13/2005


Remuneração sem 13º salário
2.300,00 -
(Registro tipo 30, Campo 16)
3.000,00
Remuneração 13º Salário
(parcela única) -
(Registro tipo 30, Campo 17)
Base FGTS
0,01
Base de Cálculo 13° Salário 3.000,00
(apenas para possibilitar o fechamento do
Previdência Social – Referente Base
movimento no SEFIP, visto que o SEFIP
à Competência do Movimento Previdência
exige informação de valor neste campo
(Registro tipo 30, Campo 22) Social
no caso de rescisão)
Código de Movimentação
I1 -
(Registro tipo 32, Campo 10)
Data de Movimentação
23/12/2005 -
(Registro tipo 32, Campo 11)

Notas:
a) A GPS 13 foi recolhida em 20/12 e conteve a contribuição previdenciária relativa ao 13º salário
anual pago ao trabalhador demitido após o recolhimento da GPS 13. Neste caso, o 13º salário pago
no dia 20/12 (antes da rescisão) será informado na GFIP 13/2005 para fechar com o recolhimento
feito na GPS 13/2005.
b) nas rescisões de contrato até o dia 20/12, proceder conforme o Exemplo 2.

68) O campo Remuneração 13º salário deve ser informado também para as categorias
sem direito ao FGTS (categorias 12, 19, 21 e 26 – servidores de órgãos públicos)? Sim.
Informar o valor correspondente a cada parcela do 13º salário pago, devido ou creditado aos
trabalhadores no mês de competência. (Manual GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo III, item 4.3)

69) A remuneração paga ao contribuinte individual a título de 13° salário deve ser
informada no campo Remuneração 13º salário?

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 22


Não. Deve ser adicionada ao valor da remuneração mensal e informada no campo Remuneração
sem 13° Salário na competência em que houver o pagamento. (Manual GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo
III, item 4.3)

70) Como informar na GFIP o ajuste de 13º salário decorrente de remuneração variável
(horas extras, comissões por vendas, por exemplo)?
O ajuste de 13º salário (complemento) deve ser informado na GFIP da competência 12.
Como a contribuição previdenciária sobre o 13º salário vence em 20 de dezembro, é provável que,
nesse momento, não se conheça o valor exato do 13º, devendo ser feito um ajuste do mesmo
considerando a remuneração efetiva de dezembro. A contribuição previdenciária referente ao ajuste
de 13º salário (complemento) deve ser recolhida juntamente com as demais contribuições da
competência 12.
Ver exemplos no Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo III, item 4.8.2 e Capítulo IV, item 9, Exemplo 2.

71) O empregador/contribuinte que entregar a GFIP 12/2005 na versão 7.0 do SEFIP


deve preencher os campos Contribuição Descontada do Empregado Referente à
Competência 13 (Registro tipo 10, Campo 24) e Valor Devido à Previdência Social
Referente à Competência 13 (Registro tipo 10, Campo 26)?
O preenchimento dos referidos campos é opcional, visto que as informações relativas ao 13º salário,
destinadas à Previdência Social, serão informadas na GFIP 13.

72) Havendo o preenchimento dos campos Contribuição Descontada do Empregado


Referente à Competência 13 e Valor Devido à Previdência Social Referente à Competência
13 na competência 12/2005 (versão 7.0 do SEFIP), com a entrega da GFIP 13/2005
(versão 8.0 do SEFIP) haverá duplicidade de informações?
Não, em virtude da GFIP 12/2005 conter apenas a contribuição previdenciária relativa ao 13º salário,
enquanto que a GFIP 13/2005 contém a base de cálculo do 13º salário para a Previdência Social.
Portanto, trata-se de informações complementares, não caracterizando duplicidade.

73) As empresas que não informaram a contribuição previdenciária relativa ao décimo


terceiro salário na GFIP da competência 12 (campos Contribuição Descontada do
Empregado Referente à Competência 13 e Valor Devido à Previdência Social Referente à
Competência 13), estão obrigadas a entregar a GFIP da competência 13 para os anos de
1999 a 2004?
Não.

I - RETENÇÃO EM NOTA FISCAL FATURA (LEI


9.711/98)
NA COMPETÊNCIA DEZEMBRO x GPS 12 E 13 x GFIP 12 E
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 23
13
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo III, item 3.1)

74) O valor da retenção sobre nota fiscal/fatura sofrida em dezembro pode ser abatido
das contribuições previdenciárias devidas na competência 13?
Sim, devendo ser informado na GFIP 13, campo Retenção (Lei 9.711/98), o valor efetivamente
abatido na GPS 13.
Restando saldo a abater, este deve ser informado na GFIP 12, também no campo Retenção (Lei
9.711/98), de forma que os valores informados nas duas GFIP representem o somatório das
retenções sofridas nas diversas notas fiscais/faturas emitidas no mês de dezembro.
Exemplo 1: retenção abatida integralmente na GPS 13

Empresa sofreu retenção no mês de dezembro/2005 no valor de 2.500,00 e abateu integralmente na


GPS 13, conforme segue:

GFIP
Campo Retenção (Lei 9.711/98)
GPS
(Registro Tipo 20, Campo 18)
GPS 13 GPS 12 GFIP 13 GFIP 12
Valor Devido
3.000,00 5.000,00 Tomador A 500,00 0, 00
Previdência Social
Retenção abatida na (2.500,00) (0,00)
Tomador B 1.000,00 0,00
GPS
Valor a Recolher
Previdência Social 500,00 5.000,00 Tomador C 1.000,00 0, 00
( campo 6 da GPS)
Total Retenção 2.500,00 0,00

Exemplo 2: retenção abatida integralmente nas GPS 13 e 12

Empresa sofreu retenção no mês de dezembro/2005 no valor de 7.000,00 e abateu 3.000,00 na GPS
13 e 4.000,00 na GPS12, conforme segue:

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 24


GFIP
Campo Retenção (Lei 9.711/98)
GPS
(Registro Tipo 20, Campo 18)
GPS 13 GPS 12 GFIP 13 GFIP 12
Valor Devido
3.000,00 5.000,00 Tomador A 3.000,00 500,00
Previdência Social
Retenção abatida (3.000,00 ) ( 4.000,00 )
Tomador B 0,00 1.500,00
na GPS
Valor a Recolher
Previdência Social 0,00 1.000,00 Tomador C 0,00 2.000,00
( campo 6 da GPS)
Total Retenção 3.000,00 4.000,00

Informar no campo Retenção (Lei 9.711/98) da GFIP 13 o valor efetivamente abatido e o saldo
na GFIP 12, também no campo Retenção (Lei 9.711/98), de forma que esses dois valores
representem o somatório da retenção sofrida nas diversas notas fiscais/faturas emitidas no mês de
dezembro.

Exemplo 3: retenção abatida parcialmente nas GPS 13 e 12

Empresa sofreu retenção no mês de dezembro/2005 no valor de 10.000,00 e abateu 3.000,00 na GPS
13 e 5.000,00 na GPS 12, restando um saldo de 2.000,00 que poderá ser compensado em
competências futuras, conforme segue:
GFIP
Campo Retenção (Lei 9.711/98)
GPS (Registro Tipo 20, Campo 18)

GPS 13 GPS 12 GFIP 13 GFIP 12


Valor Devido
Previdencia Social 3.000,00 5.000,00 Tomador A 3.000,00 1.000,00
Retenção abatida (3.000,00) (5.000,00) Tomador B 0,00 2.000,00
na GPS
Valor a Recolher
Previdência Social 0,00 0,00 Tomador C 0,00 4.000,00
(campo 6 da GPS)

Total Retenção 3.000,00 7.000,00

Mesmo não sendo possível abater integralmente o valor da retenção nas GPS 12 e 13, na GFIP 12 informar
sempre o saldo entre o total da retenção sofrida em dezembro menos o valor abatido na GPS 13.
Neste exemplo, temos:
Total da retenção sofrida em dezembro......................................................... 10.000,00
Retenção abatida na GPS 13 ........................................................................ (3.000,00)
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 25
Saldo da retenção a informar na GFIP 12 ..................................................... 7.000,00
Do total de 10.000,00 de retenção sofrida em dezembro, foi abatido em GPS o valor de 8.000,00
restando o valor de 2.000,00 que poderá ser compensado em competências futuras.

J - REMUNERAÇÃO COMPLEMENTAR FGTS


(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. III, item 4.4)

75) Qual a finalidade do campo “Remuneração Complementar do FGTS”?


Este campo tem a finalidade de indicar que o valor informado no campo “Remuneração sem 13º
salário” será considerado exclusivamente para o FGTS, para complementar o valor da remuneração do
trabalhador de categorias 01 a 07, informada a menor em GFIP anterior. O recolhimento da
contribuição ao FGTS sobre esse valor fica condicionado à indicação de modalidade branco. Para a
Previdência Social o valor total da remuneração deve ser informado no campo “Base de Cálculo da
Previdência Social”.

Exemplo:
Um trabalhador categoria 01 foi informado com remuneração 800,00, quando o correto seria
1.000,00. A GFIP retificadora deverá apresentar a remuneração complementar desse trabalhador
(200,00) no campo Remuneração sem 13º Salário e a remuneração integral (1.000,00) no campo
Base de Cálculo da Previdência Social.

GFIP 1
Remuneracao sem 13º salário 800,00
Modalidade branco

GFIP 2 (Retificadora)
Remuneracao sem 13º salário 200,00
Remuneração Complementar para o FGTS Sim Não
Modalidade branco
Base de Cálculo da Previdência Social 1.000,00

K - RETIFICAÇÃO DA GFIP
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo I, item 1.2 e Capítulo V)

76) Como será a retificação a partir do novo modelo da GFIP, para a Previdência Social
e para o FGTS?
Para a Previdência Social a retificação será efetuada exclusivamente mediante a entrega de uma nova
GFIP (GFIP retificadora). Os formulários retificadores (RDE, RDT, RDT Coletiva e RRD) foram

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 26


processados pela Previdência Social quando entregues na rede bancária até 30/11/2005 (IN SRP
09/2005, art. 4º) .
Para o FGTS, em casos específicos, além da GFIP retificadora será necessário o preenchimento de
formulários retificadores, conforme instruções contidas em Circular da CAIXA que estabelece
procedimentos pertinentes à retificação de informações ao FGTS, transferência de contas FGTS e à
devolução de valores recolhidos ao FGTS.

77) Qual a abrangência da sistemática de retificação implementada pela versão 8.0 do


SEFIP?
O processo de retificação com entrega de nova GFIP é aplicado para qualquer competência desde
01/1999, independentemente da versão do SEFIP em que foi gerada a GFIP incorreta ou se foi
apresentada em meio papel.
(Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo V, item 1)

78) Existe diferenciação na sistemática de retificação para a Previdência Social e para o


FGTS?
Para a Previdência, considera-se retificadora toda nova GFIP que contenha a mesma “chave” de
uma GFIP apresentada e com número de controle diferente.
Os campos da “chave” são diferentes para a GFIP/SEFIP até versão 7.0 do SEFIP e a partir da versão
8.0 do SEFIP:
• para versão 7.0 ou anterior do SEFIP, ou ainda, para a GFIP entregue em meio papel, a “chave” é
composta pelos campos CNPJ/CEI do empregador/contribuinte e Competência.
• para versão 8.0 ou posterior do SEFIP, a “chave” é composta pelos campos CNPJ/CEI do
empregador/contribuinte, Competência, Código de recolhimento e FPAS, além do
CNPJ/CEI do tomador/obra (para os códigos 130, 135 e 608) e Processo/Vara/Período
(para o código 650).

Para o FGTS, as informações prestadas incorretamente ou indevidamente, devem ser corrigidas


conforme as orientações contidas na Circular CAIXA que trata da matéria.
(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo V, item 1)

79) Quais informações devem ser prestadas na GFIP retificadora?


A GFIP retificadora deverá ser apresentada com todas as informações corretas que deveriam ter sido
apresentadas inicialmente. Assim a GFIP retificadora deverá conter:
a) as informações corretas apresentadas anteriormente;
b) as informações incorretas apresentadas
anteriormente, devidamente corrigidas;
c) as informações não incluídas anteriormente.

80) E quando for necessária a exclusão de informação prestada indevidamente?


A GFIP retificadora não deverá conter a informação apresentada anteriormente de forma indevida. Por
exemplo: se a GFIP a ser retificada foi apresentada com 50 trabalhadores, sendo que um trabalhador
foi informado indevidamente, a GFIP retificadora deve ser apresentada sem esse trabalhador, ou seja,
com 49 trabalhadores.
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 27
81) Como será o processamento da GFIP pela Previdência Social para que a retificação
seja efetuada corretamente?
Para a Previdência Social a GFIP retificadora poderá substituir a GFIP anterior ou ser tratada como
informação em duplicidade. Em qualquer das hipóteses, somente uma GFIP será válida a Previdência.
Para a definição entre substituição (retificação) ou duplicidade, alguns parâmetros deverão ser
analisados. Esses parâmetros são representados pela Chave e pelo Número de Controle.

82) O que é a chave de uma GFIP e qual sua finalidade?


O conceito de chave terá importância fundamental para a Previdência Social. A chave de uma GFIP é o
conjunto de informações básicas nela existente, de acordo com o código de recolhimento. São
informações necessárias para individualizar as respectivas GFIP. Havendo alguma diferença entre as
informações que compõem as chaves de duas ou mais GFIP, todas as GFIP serão válidas para a
Previdência Social.

A chave da GFIP será composta pelas seguintes informações, conforme o código de recolhimento:

Códigos de Recolhimento
115, 150, 155, 211 130, 135, 608 650
CNPJ/CEI do empregador CNPJ/CEI do empregador CNPJ/CEI do empregador

Competência Competência Competência

Chav FPAS FPAS FPAS


e Código de Recolhimento Código de Recolhimento Código de Recolhimento
CNPJ/CEI do Tomador Número do
processo/Vara/Período

(Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo I, item 7.2)

83) O que é Número de Controle e qual sua finalidade?


É um código de 16 posições composto de letras, números e sinais aritméticos (soma e divisão) que
representa o conjunto de informações de interesse da Previdência Social (incluindo as informações da
chave) que constam em cada GFIP. A alteração em qualquer uma dessas informações, implica na
geração de Números de Controle distintos, ao passo que duas GFIP que tenham as informações de
interesse da Previdência Social exatamente iguais, terão o mesmo Número de Controle. O Número de
Controle será fundamental para processamento da retificação na Previdência Social e será impresso
nos seguintes relatórios:
Comprovante de Declaração à Previdência
Relação de Estabelecimentos Centralizados – REC
Relação de Tomador/Obra – RET
Resumos da RE

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 28


Comprovante de Solicitação de Exclusão
Comprovante de Solicitação de Retificação para o FGTS

As informações de interesse exclusivo para o FGTS não interferem na geração do Número de Controle.

Assim, no processamento da GFIP pela Previdência Social, inicialmente será analisada a chave da GFIP
e posteriormente o Número de Controle. Poderemos então ter três combinações quando duas GFIP
são analisadas:
a) Chaves iguais e Números de Controle iguais: a GFIP enviada posteriormente será
exatamente igual à GFIP anterior. Será tratada como DUPLICIDADE, caso em que não haverá
substituição de uma GFIP por outra, permanecendo válida para a Previdência Social a GFIP
enviada anteriormente;
b) Chaves iguais e Números de Controle diferentes: somente neste caso é que teremos
efetivamente a RETIFICAÇÃO. A GFIP enviada posteriormente substituirá na Previdência Social a
GFIP anterior.
c) Chaves diferentes: duas GFIP com chaves diferentes são distintas uma da outra, permanecendo
ambas válidas para a Previdência Social. Não haverá substituição de uma por outra e nem será
considerada como informação em duplicidade.

Números de controle
Duplicidade
iguais
Chaves
iguais
Números de controle
GFIP retificadora
diferentes

Chaves As GFIP das respectivas chaves


diferentes serão consideradas válidas

84) Como proceder para retificar uma GFIP informada no código 115 quando o correto
seria o código 150?
Para a Previdência a retificação sempre será feita mediante a entrega de uma nova GFIP. Neste caso,
considerando que a única diferença na chave seria entre os códigos de recolhimento 115 e 150, as
chaves serão consideradas iguais. Portanto basta a entrega de uma GFIP retificadora, com código de
recolhimento 150 e com as informações de todos os tomadores/obras (tomador administração +
demais tomadores/obras). Essa GFIP 150 irá substituir a GFIP 115.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 29


Na nova GFIP/SEFIP, os trabalhadores que constavam da GFIP com código 115 e
passaram para a GFIP com código 150, relativamente ao tomador administração, devem
ser informados com a modalidade 9.

(Ver Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo V, item 3.5, Exemplo nº 6, alínea “a”)

85) É possível gerar GFIP com informação exclusiva de retenção?


Não houve alteração no preenchimento da GFIP nessa situação. Importante ressaltar que essa
informação não poderá mais ser enviada de maneira isolada para o tomador em um arquivo NRA.SFP.
Nas GFIP com códigos de recolhimento 150, 155 e 211 as informações referentes a todos os
tomadores devem ser enviadas num único arquivo, ou seja, a GFIP com informação exclusiva de
retenção deve ser enviada no mesmo arquivo em que forem prestadas as informações dos demais
tomadores., bastando para isso assinalar a opção “Informação exclusiva de retenção” na tela de
Movimento do Toamdor. Mais informações ver pergunta 90.

86) Como efetuar a retificação da GFIP competência 12 quando for informado


indevidamente o campo Base de cálculo 13º da Previdência Social - referente à
competência do movimento?
Para as empresas em geral, na competência 12, o campo Base de cálculo 13º da Previdência Social -
referente à competência do movimento somente deve ser preenchido nas situações previstas no
Manual da GFIP/SEFIP, Cap. III, item 4.8.1 (movimentação definitiva e ajuste de 13º salário variável).
Quando este campo for preenchido indevidamente, deve ser entregue uma GFIP retificadora sem o
preenchimento deste campo, ou com preenchimento do valor correto, se for o caso.

87) Uma empresa entregou a GFIP A, para o estabelecimento 0001, a competência


01/2006, o código de recolhimento 115 e o FPAS 515, contendo 1 trabalhador (campo
Modalidade branco ou 1) e remuneração de 600,00 para o trabalhador. Posteriormente,
verificou que a remuneração correta deste trabalhador era 400,00 e entregou a GFIP B,
informando a modalidade 1 e a remuneração de 400,00. A CAIXA somou as remunerações
e considera que a remuneração do trabalhador é 1.000,00 (600,00 + 400,00). Como
retificar?
Para correção, deve ser transmitida uma nova GFIP/SEFIP para a mesma chave da GFIP/SEFIP
incorreta (estabelecimento 0001, a competência 01/2006, o código de recolhimento 115 e o FPAS 515)
e contendo a informação devida; ou seja, GFIP C contendo a remuneração correta para o trabalhador a
retificar na Modalidade 9.
Caso tenha sido recolhido o FGTS sobre os R$ 600,00, haverá direito à devolução do FGTS recolhido a
maior.
Para o FGTS, as informações prestadas incorretamente ou indevidamente, devem ser corrigidas ou a
devolução dos valores recolhidos ao FGTS solicitadas conforme as orientações contidas na Circular
CAIXA que trata da matéria.

Informação
GFIP COMP. Entrega Remun. Modalidade
complementar no SEFIP

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 30


A 09/2005 07/10/05 600,00 1 -

B 09/2005 25/11/05 400,00 1 -

C (retificadora) 09/2005 03/12/05 400,00 9 25/11/05

88) O mesmo procedimento é aplicável quando a modalidade for branco nas duas GFIP?
Depende. Caso o FGTS tenha sido recolhido somente para a remuneração de R$ 600,00 ou para as
duas remunerações, é aplicado o mesmo procedimento.
Caso somente tenha sido recolhido o FGTS em uma das duas GFIP, mesmo havendo a modalidade
branco nas duas, considerar que a CAIXA converterá em declaração (modalidade 1) a remuneração
para a qual não foi recolhido o FGTS e devem ser corrigidas ou solicitada a devolução dos valores
recolhidos ao FGTS conforme as orientações contidas na Circular CAIXA que trata da matéria.

L - COMPLEMENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES

89) A partir da versão 8.0 do SEFIP é possível entregar GFIP com complementação de
informações (GFIP Complementar)?
Não. Com a versão 8.0 do SEFIP acaba o conceito de GFIP complementar. Assim, no caso de omissão
de informações, deve ser enviada uma GFIP retificadora, observado o conceito de chave. A GFIP
retificadora sempre deverá conter os dados informados anteriormente mais as novas informações.
Caso a informação omitida se refira a chave diferente daquela constante de GFIP já entregue, enviar a
GFIP para a chave correspondente à informação omitida, contendo apenas os dados relativos a esta
chave.

90) (...)

91) A partir de 01/02/2006 como corrigir a omissão de fatos geradores/informações?


Exclusivamente através de GFIP retificadora gerada na versão 8.0 do SEFIP e posteriores,
devendo esta GFIP conter:
a) dados contidos na GFIP anterior; mais
b) dados omitidos na GFIP anterior.

M - RETIFICAÇÃO DE GFIP GERADA ATÉ A VERSÃO 7.0 DO SEFIP OU


EM MEIO
PAPEL
(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. V, item 4)
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 31
92) O que será diferente na retificação de GFIP gerada até a versão 7.0 ou em meio
papel?
Para retificação dessas informações não será adotado integralmente o conceito de chave, ou seja,
serão considerados somente o CNPJ/CEI do empregador e a competência. Assim, como regra geral,
serão substituídas todas as GFIP existentes com o mesmo CNPJ/CEI do empregador e com a mesma
competência informados na GFIP retificadora.

Exemplo: Na competência 03/2003 foram entregues dois arquivos de um mesmo CNPJ, porém com
FPAS distintos: 507 e 566. A GFIP de FPAS 507 apresentou erro. Para retificação, deve-se enviar uma
GFIP retificadora com o mesmo CNPJ e Competência, FPAS 507 e código de recolhimento 115. Essa
GFIP retificadora além de substituir a GFIP incorreta (FPAS 507) substituirá também a GFIP que não
apresentava erros (FPAS 566). Será necessário enviar outra GFIP retificadora para o mesmo CNPJ e
competência, código de recolhimento 115 e FPAS 566.

SEFIP Comp Cód FPAS GFIP

6.0 03/2003 115 507 Errada

6.0 03/2003 115 566 Correta

GFIP RETIFICADORAS

SEFIP Comp Cód FPAS Modalidade FGTS

8.0 03/2003 115 507 branco, 1 ou 9

8.0 03/2003 115 566 branco, 1 ou 9

93) Existem exceções a essa regra?


Sim. Existem quatro exceções relacionadas à retificação de GFIP com informações de:
a) Obras de empreitada total (155/908);
Dirigente Sindical (608/910);
b) Trabalhador avulso não portuário (códigos 130/909, com FPAS diferente de 680);
c) Reclamatória Trabalhista.
Tais exceções estão detalhadas no Manual da GFIP/SEFIP 8.4, Capítulo V, itens 4.3 a 4.6, que deverá
ser consultado quando for necessária a retificação de uma dessas GFIP.

94) Como proceder na retificação de GFIP gerada na versão 7.0 ou anterior ou em meio
papel, que tenham informações de tomadores de serviço e obras de construção civil? A
GFIP retificadora sempre deve ser entregue com as informações de todos os tomadores e obras,
mesmo que o erro tenha ocorrido na informação de um tomador ou obra apenas. Essa regra deve ser
observada para GFIP informadas com códigos de recolhimento 130/909, 150/907, 155/908 e 911.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 32


N - RETIFICAÇÃO DA GFIP X MODALIDADE
(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. I, item 7 e Cap. V)

95) (...)

96) Como definir a Modalidade a ser utilizada numa retificação?

a) modalidade branco

Deve ser utilizada para recolhimento ao FGTS e prestação de informações à Previdência. Esta
modalidade possibilita que o aplicativo SEFIP gere as informações ao FGTS e à Previdência, emitindo a
guia de recolhimento, após a transmissão do arquivo pelo Conectividade Social, para quitação do
Fundo de Garantia. Pode, também, ser utilizada para contribuintes individuais quando no mesmo
movimento existirem trabalhadores com FGTS.
b) modalidade 1

Deve ser utilizada nas situações em que não é recolhido o FGTS devido no mês de competência,
configurando a confissão de débito para o Fundo de Garantia, bem como para prestar informações à
Previdência. Esta modalidade deve ser utilizada para contribuintes individuais quando não existirem
trabalhadores com FGTS no movimento.
c) modalidade 9

Deve ser utilizada para confirmação ou retificação das informações prestadas anteriormente, para
trabalhador que constou em GFIP/SEFIP anterior, em qualquer modalidade.

97) Nas GFIP geradas até a versão 7.0 ou em meio papel não havia a informação de
Modalidade. Como definir a Modalidade a ser utilizada numa GFIP retificadora?

a) Deve-se usar modalidade branco para os trabalhadores para os quais haverá recolhimento de
FGTS;
b) Deve-se usar modalidade 1 para os trabalhadores para os quais se quer confessar o valor de
FGTS;
c) Deve-se usar modalidade 9 para confirmar os dados dos trabalhadores para os quais não há
alterações.

98) (...)

99) No caso de modificação da remuneração do trabalhador para maior devemos utilizar a


modalidade branco ou 1, ou utilizar 9? Por exemplo: Na GFIP o trabalhador foi informado
com a remuneração de 800,00 e Modalidade Branco ou 1, quando o correto seria
1.000,00.
Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 33
Como se trata de informação complementar deve ser utilizada a mesma modalidade (Branco ou 1)
também na GFIP retificadora. Utilizando o exemplo acima, os campos da GFIP retificadora devem ser
preenchidos conforme abaixo:

GFIP Inicial:
“Remuneração sem 13º Salário” 800,00;

“Modalidade FGTS” Branco ou 1

GFIP Retificadora:
“Remuneração sem 13º Salário” 200,00;

“Modalidade FGTS” Branco ou 1

“Remuneração Complementar para o FGTS” SIM NÃO

“Base de Cálculo da Previdência Social” 1.000,00.

Caso a informação inicial tenha sido feita com a remuneração de 800,00 e Modalidade “1”, se a
empresa for recolher o valor total do FGTS, a GFIP retificadora poderá ser informada com a
remuneração de 1.000,00 e Modalidade Branco, sem a necessidade de utilização dos campos
“Remuneração Complementar para o FGTS” e “Base de Cálculo da Previdência Social”. Neste caso a
GFIP retificadora deve ser preenchida da seguinte forma:
GFIP Inicial:
“Remuneração sem 13º Salário” 800,00;

“Modalidade FGTS” 1
GFIP retificadora:
“Remuneração sem 13º Salário” 1.000,00;

“Modalidade FGTS” Branco

“Remuneração Complementar para o FGTS” SIM NÃO

100) E se a modificação fosse para reduzir a remuneração, por exemplo, de 1.000,00


para 800,00?
Nesse caso, se o recolhimento foi efetuado, deve-se usar a modalidade 1. Caso contrário deve-se usar
a modalidade branco para que o SEFIP gere guia de recolhimento.

101) Qual modalidade deve ser utilizada na retificação de informações de um


trabalhador informado anteriormente com Modalidade Branco, sem que tenha havido o
respectivo depósito do FGTS?

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 34


Modalidade branco se o contribuinte for efetuar o recolhimento ou modalidade 1 para apenas declarar
o valor.

102) (...)
103) (...)
104 (...)
O - PEDIDO DE EXCLUSÃO
(Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo IV, item 10.2.4; Capítulo V, item 2 e item 4.8)

105) Quais as situações que ensejam o envio de Pedido de Exclusão?


O Pedido de Exclusão é uma novidade da versão 8.0 do SEFIP e será utilizado quando uma nova GFIP
não substitui a GFIP incorreta, conforme segue:
a) houve envio de GFIP com informações, sendo o correto a GFIP sem movimento (primeiro enviar
o Pedido de Exclusão para a GFIP incorreta e depois a GFIP sem movimento);
b) a GFIP enviada apresentou erro num dos dados componentes da chave (a GFIP retificadora não
substitui a GFIP incorreta por possuírem chaves diferentes).

106) Como gerar o Pedido de Exclusão na versão 8.0 do SEFIP?


Basta cadastrar a empresa no SEFIP com os dados da chave da GFIP a ser excluída, não sendo
possível informar trabalhadores, remunerações e fatos geradores.
Na tela Abertura do Movimento, assinalar a opção Pedido de Exclusão de Informações Anteriores.
Após o fechamento, é gerado um arquivo NRA.SFP que deverá ser enviado via Conectividade Social. O
SEFIP emite o Comprovante de Solicitação de Exclusão, que deverá ser guardado pelo prazo
legalmente previsto.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 35


P - ÓRGÃOS PÚBLICOS E SUAS PARTICULARIDADES

107) Como informar no SEFIP o servidor que possui dois vínculos com o órgão público
(professor, por exemplo) um com FGTS (regime celetista) e outro sem FGTS (regime
estatutário)?
Se o servidor público titular de cargo efetivo não estiver amparado por regime próprio, ficará
vinculado ao regime geral de Previdência Social. Neste caso, contribuirá para a Previdência social
sobre a remuneração recebida nos dois regimes (celetista e estatutário) e para o FGTS apenas sobre a
remuneração do regime celetista.
O servidor será cadastrado duas vezes na tela CADASTRO DO TRABALHADOR do SEFIP (Registro Tipo
30), conforme exemplo a seguir:

Dados Tela Cadastro do Trabalhador

(Registro tipo 30) Primeiro registro Segundo registro

Nome Marta Macedo Marta Macedo

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 36


PIS 111.00000.18-0 111.00000.18-0
Categoria 01 (celetista - com FGTS) 21 (estatutário - sem FGTS)
CBO 02321 02321
Ocorrência 05 05
Data Admissão 01/05/2000 01/05/2000 ou outra data
Modalidade Branco Branco

O SEFIP exige o código de ocorrência 05 (múltiplo vínculo), devendo o órgão público informar o valor
descontado do segurado (Registro tipo 30, campo 20) para as duas categorias, pois o código de
ocorrência 05 bloqueia o SEFIP para o cálculo da referida contribuição.
Quanto à data de admissão, o SEFIP aceita data igual (em virtude das categorias serem distintas) ou
diferente.
Ressaltamos que a Modalidade deverá ser igual, pois o SEFIP não aceita modalidades diferentes para
o mesmo trabalhador.
O SEFIP calculará FGTS apenas sobre a remuneração informada para a categoria 01 e contribuição
previdenciária sobre a remuneração das duas categorias (01 e 21) .



Raciocínio semelhante aplica-se às empresas em geral que possuem trabalhador prestando

serviços simultaneamente na condição de empregado (categoria 01 – com FGTS) e de
contribuinte individual – autônomo (categoria 13 – sem FGTS).

108) O órgão público que, até a versão 7.0 do SEFIP, gerava GFIP por departamento ou
por categoria de trabalhador como deverá proceder a partir da utilização da versão 8.0 do
SEFIP?
Deverá observar o conceito de chave, ou seja, entregar GFIP única por chave (CNPJ, competência,
FPAS e código de recolhimento).

Exemplo:

A Prefeitura de Saramandaia, CNPJ 11.111.111/0001-11, na competência 11/2005, possui os


seguintes servidores/trabalhadores vinculados ao regime geral de previdência Social – RGPS:

Nome Categoria Descrição Direito ao FGTS

André 01 empregado celetista sim


Breno 19 prefeito não

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 37


Maria 20 cargo em comissão não
Nadir 21 titular de cargo efetivo não
Paulo 13 contribuinte individual autônomo não

Com a versão 8.0 do SEFIP, a Prefeitura de Saramandaia fará GFIP única incluindo os 5
servidores/trabalhadores, cujos dados da chave serão:

CNPJ 11.111.111/0001-11
Competência 11/2005
FPAS 582
Código de Recolhimento 115

Considerando que o trabalhador André, categoria 01, possui direito ao depósito do FGTS, do ponto de
vista da Modalidade teremos duas possibilidades:
a) Modalidade Branco para todos  se for depositado o FGTS para o trabalhador André;
b) Modalidade 1 para todos  se não for depositado o FGTS para o trabalhador André.

A Modalidade Branco pode ser utilizada para todos os trabalhadores na GFIP Inicial quando, pelo
menos um trabalhador tem direito ao depósito do FGTS. Embora utilizando a Modalidade Branco
para todos, o SEFIP não calcula FGTS para as categorias 19, 20, 21 e 13, pois essas categorias não
estão sujeitas a depósito de FGTS.

109) Os órgãos públicos que, até a versão 7.0 do SEFIP, exigiam das empresas
prestadoras de serviço mediante cessão de mão-de-obra e empreitada, GFIP por contrato
ou a geração da GFIP em arquivo separado por tomador, poderão adotar igual
procedimento a partir da versão 8.0 do SEFIP?
Não, em virtude do conceito de GFIP única por chave (CNPJ, competência, FPAS e código de
recolhimento) que deverá ser observado pelas prestadoras de serviço mediante cessão de mão-deobra
e construção civil.

Para os códigos de recolhimento 150 (cessão de mão-de-obra e empreitada parcial) e 155


(empreitada total), como o tomador/obra não compõe a chave, deve haver uma única GFIP (único
arquivo NRA.SFP) englobando todos os tomadores/obras, considerando o mesmo estabelecimento, a
mesma competência, o mesmo FPAS e o mesmo código de recolhimento. Assim, há uma única GFIP
para o código 150 e uma única GFIP para o código 155, relacionando todos os tomadores/obras.
(Manual da GFIP, Capítulo IV, item 10.4)

Para a comprovação dos trabalhadores que prestaram serviço ao órgão público, este deverá exigir de
seus prestadores a cópia dos seguintes documentos relativos à GFIP:

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 38


Código de Recolhimento 150 Código de Recolhimento 155

Protocolo do Conectividade Social Protocolo do Conectividade Social

Relação de Tomador/Obra – RET (específica) Comprovante de Declaração à Previdência (específico)

Relação de Trabalhadores – RE (específica) Relação de Tomador/Obra – RET (específica)

Relação de Trabalhadores – RE (específica)

Nota: O órgão público deve conferir o Número de Arquivo constante nos documentos, que deverá ser
igual para todos os relatórios de mesmo código de recolhimento na competência, além dos campos
Tomador/Obra e Inscrição Tomador que deverão conter os dados do órgão público (na GFIP código
150) e os dados da obra (na GFIP código 155).
(Manual da GFIP/SEFIP 8.0, Capítulo I, item 11.2, nota 4)


Q - COMPROVAÇÃO DE ENTREGA
(Manual da GFIP/SEFIP, Cap. I, item 11)

110) De que forma será comprovada a entrega de uma GFIP?


A comprovação da entrega será feita mediante a apresentação do Protocolo de Envio de Arquivos,
emitido pelo Conectividade Social mais o Comprovante de Declaração à Previdência.

111) O que é Número de Arquivo e qual a sua finalidade?


O Número de Arquivo é um código de 16 posições, formado por letras, números e sinais aritméticos
(soma e divisão) que identifica um arquivo NRA.SFP. Este arquivo pode conter uma ou mais GFIP de
uma mesma empresa (estabelecimentos diferentes) ou de diversas empresas. O Número de Arquivo
será impresso nos seguintes relatórios: Protocolo de Envio de Arquivos
Comprovante de Declaração à Previdência
Relação de Estabelecimentos Centralizados – REC
Relação de Tomador/Obra – RET
Resumos da RE
Comprovante de Solicitação de Exclusão
Comprovante de Solicitação de Retificação para o FGTS.

O Número de Arquivo terá como finalidade vincular a GFIP ao Protocolo de Envio de Arquivos e será a
única informação que constará simultaneamente nos dois documentos.

112) A entrega da GFIP de estabelecimentos (matriz e filiais) ou de empresas distintas


deve ser feita em arquivos NRA.SFP distintos?
Não. Desde que essas GFIP sejam da mesma competência e do mesmo código de recolhimento,
poderão ser gravadas em um único arquivo NRA.SFP.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 39


113) No caso de entrega de várias GFIP através de um único arquivo NRA.SFP, como será
comprovada a entrega de cada documento?
O Protocolo de Envio de Arquivos será único para comprovação da entrega de cada uma das GFIP,
uma vez que esses documentos serão gravados num único arquivo NRA.SFP, ao qual será atribuído
um único Número de Arquivo. O Protocolo deverá ser reproduzido em quantidade necessária para
fazer parte de cada GFIP.

114) O que acontece com o Número de Controle e o Número de Arquivo se as informações


de um arquivo NRA.SFP contendo várias GFIP forem geradas novamente, sem nenhuma
alteração?
O(s) Número(s) de Controle das GFIP do novo arquivo NRA.SFP continuam iguais, já que não houve
alteração nas informações de interesse da Previdência Social. Por sua vez, o Número de Arquivo será
diferente, mesmo não havendo alteração em seu conteúdo.

Tira Dúvidas Novo Modelo GFIP/SEFIP abril/2015 40