Você está na página 1de 43

AOERGS

Associação dos Orientadores Educacionais


do Rio Grande do Sul

PLANO DE AÇÃO PARA A


ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL
DURANTE E PÓS
PLANO DE AÇÃO PARA A ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL
DURANTE E PÓS-PANDEMIA COVID-19

Associação dos Orientadores Educacionais do Rio Grande do Sul


Fundada em 09 de março de 1966
Entidade declarada de Utilidade Pública em 27/09/82
SEDE PRÓPRIA: AV. ALBERTO BINS, 325- CJ./73/74 CEP: 90030-142 PORTO ALEGRE-RS
FONE/FAX: 51 3221-3487/32271306
CNPJ: 871355470001-82.
Email: aoergs@aoergs.org.br
PLANO DE AÇÃO PARA A ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL DURANTE E PÓS PANDEMIA COVID-19

JUSTIFICATIVA
AOERGS

JUSTIFICATIVA

A Orientação Educacional tem por objetivo A situação atípica provocada pela


fortalecer e promover espaços para o pandemia COVID-19, cuja principal forma de
diálogo entre gestão, docentes, discentes, proteção à vida e à saúde, até o momento,
família e comunidade, visando a humanizar é o distanciamento físico, segundo a
o processo de ensino e aprendizagem, Organização Mundial Saúde (OMS), também
bem como proporcionando condições afetou o contexto escolar. As escolas
apropriadas ao estudante para desenvolver- públicas e privadas foram fechadas na sua
se integralmente em sua cidadania e com totalidade, no Rio Grande do Sul, no dia 23
dignidade. de março de 2020, atendendo às medidas
sanitárias necessárias para a proteção da
A partir dessa compreensão, a Associação vida.
dos Orientadores Educacionais do Rio
Grande do Sul (AOERGS), entidade civil sem Outrossim, é imprescindível pensar
fins lucrativos, fundada em 9 março de 1966, diferentes formas e estratégias de trabalho
busca congregar e promover o trabalho dos para a Orientação Educacional, considerando
profissionais da Orientação Educacional os estudantes das diferentes etapas e
neste Estado. Distribuídos nas diferentes modalidades da Educação Básica e das redes
redes, estadual, municipal e particular, os de ensino, da Educação de Jovens e Adultos,
profissionais da Orientação Educacional da Educação Infantil ao Ensino Médio, da
são respaldados pela Lei nº 5.564, de 21 educação especial, indígena e quilombola, da
de dezembro de 1968, que cria a profissão educação do campo, das escolas urbanas,
de Orientador Educacional, e pelo Decreto incluindo os que vivem em situação de rua.
nº 72.846, de 26 de setembro de 1973, que
regulamenta a Lei e trata de suas atribuições. A AOERGS tem a intenção, neste Projeto, de
Estes profissionais desenvolvem ações que contribuir, a partir da ação–reflexão–ação,
objetivam garantir o direito à Educação na elaboração de um planejamento coletivo
de qualidade para todos, considerando a com diretrizes gerais para a Orientação
diversidade étnica, racial, cultural, linguística, Educacional no RS, que dê conta dessa
religiosa e de gênero no contexto escolar. multiplicidade de realidades e contextos
na condição de distanciamento social e de
É finalidade precípua da AOERGS promover um provável retorno presencial às escolas,
a Orientação Educacional em todas as quando houver total segurança.
redes, pública (federal, estadual e municipal)
e privada, reafirmando a importância do
trabalho dos profissionais da Orientação
Educacional no processo de desenvolvimento
integral de todos estudantes.

4
PLANO DE AÇÃO PARA A ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL DURANTE E PÓS PANDEMIA COVID-19

OBJETIVO GERAL
AOERGS

OBJETIVO GERAL

A AOERGS visa a subsidiar os Orientadores humanizar esse processo e proporcionar


Educacionais do RS na elaboração da proposta condições ao estudante para desenvolver-
de trabalho da Orientação Educacional, se integralmente, a partir do respeito às
integrada à legislação educacional e aos singularidades, aos saberes, aos ritmos, aos
direitos e objetivos de aprendizagem da Base tempos e às histórias de vida de cada sujeito
Nacional Comum Curricular e do Referencial de direitos.
Curricular Gaúcho. Intenciona igualmente

6
PLANO DE AÇÃO PARA A ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL DURANTE E PÓS PANDEMIA COVID-19

DESENVOLVIMENTO
AOERGS

DESENVOLVIMENTO

(com o Ministério Público) dos direitos


1 | CONTATO/BUSCA fundamentais previstos na Constituição
Federal de 1988. O artigo 208, § 3º, obriga o
Estratégias para prover o encontro, o
Poder Público a “recensear os educandos no
contato, a busca de informações são
ensino fundamental, fazer-lhes a chamada
permanentemente necessárias ao Orientador
e zelar, junto aos pais ou responsáveis,
Educacional. Portanto, compete a ele mapear
pela frequência à escola”. Essa prescrição
e acompanhar a situação individual e coletiva
é repetida no inciso III do art. 5º, da Lei de
da comunidade escolar, utilizando diferentes
Diretrizes e Bases da Educação, LDB, Lei
meios e instrumentos, num universo
nº 9.394/1996, e no art. 56 do Estatuto
intersetorial, ampliando a relação família-
da Criança e do Adolescente, ECA, Lei nº
comunidade-escola, na garantia de direitos,
8.069/1990.
do acesso e da permanência com progressão
escolar e condições para a construção de
1.2 BUSCA ATIVA ESCOLAR
aprendizagens significativas.
A Busca Ativa Escolar é uma plataforma
Para tanto, pode-se contatar direção,
gratuita para ajudar os municípios e o Estado
supervisão, professores, redes de apoio,
a combater a exclusão escolar. É uma
alunos e suas famílias. Os meios de contato
solução tecnológica e ao mesmo tempo uma
podem ser:
metodologia inovadora por meio da qual
Telefone o Unicef, a União Nacional dos Dirigentes
Whatsapp Municipais de Educação (Undime), o
Facebook Colegiado Nacional de Gestores Municipais
E-mail de Assistência Social (Congemas) e o
Amigos Conselho Nacional de Secretarias Municipais
Vizinhos de Saúde (Conasems) apoiam os gestores
Rádio das redes na identificação das crianças e
dos adolescentes que estão fora da escola,
Redes De Assistência Social, Conselho
ajudando-os a voltar às salas de aula, para ali
Tutelar
permanecer e aprender.
Lideranças Comunitárias
Visita Presencial. www.buscaativaescolar.org.br
1.1 FICHA DE COMUNICAÇÃO DE ALUNO
INFREQUENTE – FICAI

A Orientação Educacional é corresponsável


pelo encaminhamento da FICAI, uma
atribuição que ratifica a importância da
atuação do profissional na efetivação jurídica

8
AOERGS

escolar. Ações tais como previamente levar a


2 | ACOLHIMENTO criança para conhecer a escola e explicar a ela
VIRTUAL OU PRESENCIAL como funciona podem favorecer a segurança
(Equipe Diretiva, funcionários/ necessária para afastá-la da família. A
as, professores/as as famílias, as Orientação Educacional poderá criar várias
crianças e os/as estudantes) estratégias para este momento, envolvendo
os professores, direção, funcionários, pais e
O acolhimento nos remete à reflexão sobre o os/as estudantes, tais como:
pertencimento. Como destaca Souza:
Preparar o ambiente para o acolhimento;
“É preciso que a escola viabilize a Criar diferentes espaços e formas para
possibilidade e estimule a inserção fazer a escuta ativa da comunidade
comunitária das pessoas a fim de escolar;
promover uma vivência construtora. O
Propiciar escuta individual ou em
sentido de pertencer a uma sociedade,
a uma cultura deve ser ampliado na pequenos grupos;
convivência escolar. A escola é um lugar Favorecer técnicas de grupo; círculos
fundamental para construção e reflexão virtuais ou presenciais;
sobre o sentido de pertencimento, quer Produzir mensagens e vídeos para o
dizer, ter uma identidade, partilhar de um
momento;
modelo que reúna ética, moral, afetividade,
conhecimento, definidora de papéis sociais Expor fotos de momentos vividos na escola
de homens e mulheres em um espaço- ou de projetos presenciais desenvolvidos;
tempo determinado”. (2006, p. 31) Utilizar legendas ou aplicativos de mídia,
como o Tik Tok.
A importância da escola na vida de uma
criança ou adolescente vai muito além do
ensino, mesmo que esse seja de forma
não intencional. A instituição pode estar SUGESTÃO DE LEITURA:
intimamente envolvida no crescimento e no
Modelo Pedagógico. Metodologias de Êxito
desenvolvimento dos valores e princípios
da Parte Diversificada do Currículo Práticas
que seguirão uma pessoa durante toda a sua Educativas.
vida.
O que é acolhimento? Quem deve ser acolhido?
Como acolher os diferentes segmentos da
O acolhimento é uma ação pedagógica que
comunidade escolar? Quando acolher? Estas
exige postura ética na escuta empática e outras questões são foco de reflexões neste
das crianças, dos/as estudantes, dos/ referencial teórico.
as professores/as, das equipes diretivas,
dos/as funcionários/as, reconhecendo o ACESSE AQUI
protagonismo individual e coletivo, com o
objetivo de favorecer a integração de todos
os envolvidos no processo de ensino e
aprendizagem. A integração é necessária
para criar espaços e condições que envolvam
os estudantes em atividades que garantam
seu pleno desenvolvimento. O acolhimento
das famílias, das crianças e dos estudantes
é fundamental durante todo período escola,
seja na primeira inserção à vida na escola,
seja na mudança de turma, de série e até de
instituição.

Já no ato da matrícula, é de fundamental


importância instruir as famílias sobre os
procedimentos de adaptação das crianças,
especialmente para as que iniciam o processo

9
AOERGS

Pesquisa nas redes sociais;


3 | SONDAGEM
Questionário socioemocional;
DIAGNÓSTICA
Visita e entrevista com líderes
comunitários;
Coordenar o processo de sondagem de
interesses, aptidões e habilidades das Visita e entrevista com os profissionais
crianças e dos estudantes é uma das (saúde) da rede apoio da comunidade;
atribuições do/da profissional da Orientação Pesquisa documental, de arquivos
Educacional, descrita na legislação (Decreto escolares, da comunidade e outros.
Federal nº 72.846/1973).

A sondagem diagnóstica é um processo


4 | ORIENTAÇÕES
contínuo do uso de diferentes recursos REFERENTES À
e estratégias para identificar interesses, SAÚDE
dificuldades, necessidades e potencialidades
envolvendo aspectos afetivos, biológicos, Considera-se que saúde integral é o grau
cognitivos, psicossociais, culturais e de bem-estar que permite às crianças e
econômicos das crianças e dos estudantes: aos estudantes crescer e se desenvolver
dados imprescindíveis na elaboração, de acordo com seu potencial biológico,
organização e execução do Projeto Político psicológico e social.
Pedagógico e da Proposta Pedagógica da
escola. No conjunto de esforços organizados em
caráter intersetorial e interdisciplinar, a
Após a coleta de dados, é importante atenção integral visa a oferecer respostas
responder às seguintes questões: De que tipo adequadas às exigências cabíveis e
de parceria a sua escola precisa para resolver necessárias para alcançar e manter a saúde
os problemas identificados? Quais meios a das crianças, dos adolescentes e mesmo
escola utilizará para atrair as parcerias? dos adultos. Tal ação passa pelo trabalho
contínuo e articulado com a comunidade
Dentre as possíveis parcerias, sugere- escolar e as redes de atendimento da saúde.
se: centros de saúde, universidades,
Organizações Não Governamentais (ONGs), É importante destacar que o Programa
Conselhos de Direitos das Crianças e Saúde na Escola (PSE), política intersetorial
dos Adolescentes, Centro de Referência da Saúde e da Educação, foi instituído em
de Assistência Social (CRAS), Centro de 2007. Nele, as políticas voltadas às crianças,
Referência Especializado em Assistência aos adolescentes, aos jovens e aos adultos
Social (CREAS), Conselhos Comunitários, da educação pública brasileira se unem para
Defensoria Pública, Polícia Militar, Conselho promover saúde e educação integral dos
Tutelar, profissionais da saúde na área de estudantes da rede pública de ensino.
Psicologia, comunidade local.
O Programa visa à integração e à articulação
Criar uma rede de apoio com conexão direta permanente da educação e da saúde,
com a Orientação Educacional é fundamental proporcionando melhoria da qualidade de
para garantir direitos, suprir necessidades vida da população brasileira. Contudo, como
e humanizar o processo de ensino e consolidar essa atitude dentro das escolas?
aprendizagem, proporcionando condições Essa é a questão que nos guiou para
apropriadas às crianças e aos estudantes elaboração da metodologia das Agendas
para desenvolverem-se integralmente. de Educação e Saúde, a serem executadas
como projetos didáticos nas Escolas.
Alguns recursos de sondagem diagnóstica:
Pesquisa in loco (visita às residências); O PSE tem como objetivo contribuir para a
Pesquisa virtual (Google formulário); formação integral dos estudantes por meio
Entrevistas (a estudantes e aos familiares); de ações de promoção, prevenção e atenção
à saúde, com vistas ao enfrentamento das
Ficha de anamnese; vulnerabilidades que comprometem o pleno

10
AOERGS

desenvolvimento de crianças e jovens da distância requerida entre as pessoas;


rede pública de ensino. Dispor orientações escritas (Cartilha)
acerca dos protocolos elaborados pelas
O público beneficiário do PSE são os autoridades sanitárias para o período
estudantes da Educação Básica, gestores pandêmico;
e profissionais de educação e saúde, Exibir cartazes informativos.
comunidade escolar e, de forma mais
amplificada, estudantes da Rede Federal de
Educação Profissional e Tecnológica e da
Educação de Jovens e Adultos (EJA).
5 | ORIENTAÇÕES
ACESSE AQUI SOCIOEMOCIONAIS
Programa Saúde nas Escolas
O ser humano é um ser essencialmente
social. Relacionar-se com o mundo e com os
Dentre os temas para a formação em saúde, outros é uma condição primordial da vida em
sugere-se: sociedade. Nossa capacidade de conhecer,
Higiene e saúde; conviver, trabalhar e ser, assim como de lidar
com nossas emoções é essencial durante
Saúde mental;
os desafios cotidianos. Ao se dedicar ao
Sexualidade e doenças sexualmente desenvolvimento dessas potencialidades, o
transmissíveis; que se procura, através do gerenciamento
Programas e campanhas de prevenção ao de emoções, é proporcionar relações sociais
uso abusivo de álcool e de drogas ilícitas; benéficas e investir na busca de soluções
Programas e campanhas de prevenção ao para os problemas do dia a dia,
suicídio.
O Referencial Curricular Gaúcho (como está
Na abordagem dos temas, pode se utilizar no inciso IV, artigo 2º, da Resolução Ceed nº
recursos diversos, como cards com 345/2018) destaca os direitos e objetivos de
orientações das autoridades sanitárias, aprendizagens (tratados como equivalentes
cartilhas, live, vídeos entre outros. aos conceitos, competências e habilidades
da BNCC).
OBS: Chamamos a atenção para o atual cenário
de crise sanitária, que exige muitos cuidados Os princípios éticos, políticos e estéticos que
e orientações técnicas dos profissionais orientam a base curricular nacional visam
da saúde. As orientações sanitárias devem à formação humana integral, considerando
ser constantemente trabalhadas com toda os direitos e objetivos de aprendizagens
a comunidade escolar, de forma virtual ou socioemocionais.
presencial.
5.1 EMPATIA
Dentre as ações, evidencia-se:
Criar e divulgar um protocolo de É a capacidade de se colocar no lugar do
atendimento do/da Orientador/a outro. Permite o entendimento das ações e
Educacional – horários agendados, emoções dos outros indivíduos e estimula a
disposição da sala para manter o abertura ao diálogo e à cooperação.
distanciamento e fazer um check list
para o atendimento no SOE, conforme 5.2 RESPONSABILIDADE
orientações das autoridades sanitárias;
Ter disponível álcool gel, máscaras, Desenvolver a noção de que há consequências
toalhas de papel, álcool 70, panos de em cada atitude tomada é de extrema
limpeza, termômetro, limpeza, água e importância para a vida em sociedade. Por
copos descartáveis; esse motivo, há necessidade de aprender
Observar a ventilação do espaço e a a guiar as decisões com princípios éticos e
organização do mobiliário para manter a democráticos.

11
AOERGS

5.3 AUTOESTIMA também precisa considerar que a harmonia


se estabeleça e, dessa maneira, o convívio
Está ligada ao autoconhecimento e à em sociedade se guie através do diálogo e
capacidade de entender seus pontos fortes do respeito.
e suas limitações, sem que isso cause um
prejuízo à sua confiança. 5.10 ÉTICA

5.4 CRIATIVIDADE Poder avaliar de que maneira as situações


são conduzidas por você mesmo e pelos
Tem como foco o estímulo do pensamento outros, a partir dos valores sociais e de
crítico e da pesquisa a partir do uso da condutas que não causem prejuízo moral à
imaginação e da capacidade de criar algo sociedade.
novo, a fim de encontrar soluções inéditas
para questões que se apresentem no dia a 5.11 ORGANIZAÇÃO
dia.
Permite que se entenda a importância
5.5 COMUNICAÇÃO do planejamento para o atingimento dos
objetivos, bem como a importância dos
Ao conseguir se expressar de maneira trabalhos desenvolvidos em grupos ou do
assertiva e segura, conseguimos comunicar gerenciamento de tarefas para se chegar a
nossas opiniões e nossos sentimentos de resultados propostos.
maneira clara e direta.
5.12 PROJETO DE VIDA.
5.6 AUTONOMIA
É um tema transdisciplinar desenvolvido em
Ao nos conhecermos e sabermos qual a todas as modalidades e etapas de ensino.
melhor maneira de nos cuidar e cuidar dos Consiste na capacidade de nutrir anseios,
outros, a capacidade tomar decisões por desejos, habilidades e ainda fazer projeções
contra própria (e que impactem positivamente de futuro. O Projeto de Vida é um processo de
na coletividade) é estimulada. construção que permeia toda nossa vida, ele
também está referenciado no texto da BNCC
5.7 FELICIDADE e sempre fez parte práxis da Orientação
Educacional.
Embora as definições para o termo sejam
as mais variadas possíveis a partir das Para além das aprendizagens socioemocio-
áreas do conhecimento que a estudam, a nais descritas na BNCC, outras temáticas de-
felicidade entra como uma aprendizagem vem ser trabalhadas, atendendo demandas
socioemocional na medida em que representa especificas do seu tempo e das necessida-
o ato de se sentir bem de uma maneira ampla des levantadas na sondagem.
(considerando fatores emocionais, sociais e
psíquicos como elementos de formação de Algumas sugestões de orientações
cada um). socioemocionais:
Refletir sobre o valor da VIDA;
5.8 PACIÊNCIA Vivenciar momentos de interação e
afetividade de maneira inovadora;
Em tempos de alta ansiedade e estimulação
Fortalecer laços entre pares em
acentuada através dos meios digitais, a
ambientes virtuais e sociais;
paciência ganha ares de virtude. Entretanto,
está totalmente ligada à capacidade de se Cuidar da saúde física e emocional,
controlar diante de situações complexas e de reconhecendo suas emoções, autocrítica
buscar soluções com calma e tranquilidade. e capacidade para lidar com elas;
Fazer-se respeitar e promover o respeito
5.9 SOCIABILIDADE ao outro e aos direitos humanos, com
acolhimento e valorização da diversidade,
A capacidade de se relacionar com os demais sem preconceitos de qualquer natureza;

12
AOERGS

Buscar uma rede de parceiros (saúde, ensino e aprendizagem para atender


assistência social, Promotoria de às especificidades individuais dos/das
Educação, Conselho Tutelar) para estudantes (Inteligências Múltiplas);
colaborar na discussão, reflexão, Promover ações para que todos os
orientação e no enfrentamento das envolvidos no processo de ensino
demandas psicossociais; e aprendizagem (mães, pais ou
Realizar Círculos virtuais ou presenciais; responsáveis, professores, funcionários,
Desenvolver projetos interdisciplinares; equipe diretiva) possam reconhecer
e compreender as diferentes etapas
Utilizar recursos humanos, materiais e
do desenvolvimento humano, suas
tecnológicos disponíveis e adequados à
características e necessidades (da
proposta de trabalho.
Educação Infantil à Educação de Jovens
e Adultos);
6 | ORIENTAÇÕES Contribuir para a superação
PEDAGÓGICAS da fragmentação do processo
educativo, tendo como objetivo a
São eixos do fazer do Orientador Educacional interdisciplinaridade;
as concepções e práticas educativas Desenvolver projetos interdisciplinares em
instituídas na Educação em e para os Direitos parceria com os diferentes componentes
Humanos, a partir de seus processos de curriculares;
promoção, proteção, defesa e aplicação na Mobilizar os professores para a
vida cotidiana e cidadã de estudantes. qualificação do processo de ensino e
aprendizagem, através da composição,
Promover ações que envolvam toda a caracterização e acompanhamento das
comunidade escolar, empregando os turmas;
recursos (humanos, materiais e estruturais), Realizar leituras e análise de textos;
as metodologias de ensino e de aprendizagem Propiciar espaços e tempos para os
e a formação continuada dos professores, é diálogos com os diferentes segmentos da
imprescindível para garantir que a idealização comunidade escolar;
do projeto político-pedagógico aconteça
efetivamente. Aplicar testes e avaliações específicas,
referendadas legalmente, quando
necessário;
A persistência da pandemia e a consequente
duração das medidas sanitárias e de Acompanhar todos os processos de
distanciamento social implicam em outra planejamento, organização e realização
organização de currículo, de ensino e de das atividades desenvolvidas com as
intervenções pedagógicas. Para tanto, crianças e os/as estudantes;
as possibilidades e limites do ensino Coordenar, pesquisar, avaliar e colaborar
híbrido (combinação da continuidade das no processo de identificação, de análise
atividades não presenciais em conjunto com das causas e de acompanhamento dos
possíveis atividades presenciais) devem ser alunos que apresentam dificuldades
considerados neste atual contexto. na aprendizagem, visando ao
redirecionamento da ação pedagógica e
Neste enfoque, relevam-se as seguintes coletando informações sobre os alunos;
ações: Coordenar reuniões pedagógicas,
Adequar as atividades à realidade e às juntamente com os demais especialistas,
condições dos alunos; direção, professores e demais
Atentar para a transição entre etapas e profissionais da Escola;
modalidades e possíveis dificuldades Contribuir e acompanhar o trabalho
nesses processos; desenvolvido pelos profissionais da rede
Diversificar as concepções, as de apoio, psicopedagogo, psicólogo, AEE
metodologias, a avaliação e os e outros, fazendo a interlocução com os
recursos utilizados no processo de professores da classe regular;

13
AOERGS

materiais e tecnológicos adequados à políticas, éticas, científicas, estéticas e às


realidade escolar; utopias (sonhos). Faz a inserção do pessoal
Auxiliar na busca da individualidade no social, como sujeito social e cidadão/ã,
e da autonomia da gestão escolar, através da reflexão, problematização, análise
tornando os alunos sujeitos de direitos, e discussão crítica. Além do mais, oportuniza
pessoas em condições peculiares de pensar coletiva e criativamente soluções
desenvolvimento; possíveis para as dificuldades que se
apresentarem em qualquer situação da vida.
Manter permanente contato com os
pais ou responsáveis, informando-os e
orientando-os sobre o desenvolvimento O Projeto de Vida é um tema transdisciplinar
do aluno, bem como obtendo dados de desenvolvido em todas as modalidades e
interesse, para a melhoria da qualidade etapas de ensino. Ele consiste na capacidade
do processo educativo; de nutrir anseios, desejos, habilidades
e ainda fazer projeções de futuro. É um
Promover a troca de experiências
processo de construção que permeia toda
entre professores, juntamente com os
a vida, conduzindo cada sujeito a entender
demais especialistas e profissionais da
o mundo do trabalho e fazer escolhas
comunidade escolar;
alinhadas à cidadania e ao seu projeto de
Indicar leituras, para estudo e reflexão vida, com liberdade, autonomia, criticidade e
com a Comunidade Escolar; responsabilidade.
Promover grupos de estudo, juntamente
com a Equipe Gestora e com demais Para que este tema se desenvolva no contexto
profissionais da escola. escolar, são relevantes as seguintes ações:
Coordenar o processo de Orientação
7 | ORIENTAÇÕES PARA Profissional do aluno, incorporando-o a
ação pedagógica;
A CIDADANIA E PARA A
Fomentar e promover o desenvolvimento
ESCOLHA PROFISSIONAL e a participação em projetos culturais e
(PROJETO DE VIDA) desportivos, de orientação profissional,
em grupos de dança, teatro, corais,
Segundo Paulo Freire, a escola para a xadrez e outros;
cidadania deve ser: Divulgar para o estudante cursos
extracurriculares, levando-o a identificar
[...] coerente com a liberdade. Coerente suas potencialidades, características
com o seu discurso formado, libertador.
básicas de personalidade e limitações,
É toda escola que, brigando para ser ela
preparando-o para futuras escolhas;
mesma, luta para que os educandos-
educadores também sejam eles mesmos. Promover o protagonismo juvenil através
E como ninguém pode ser só, a Escola de projetos de formação de liderança e
Cidadã é uma escola de comunidade, responsabilidade social. (representante
de companheirismo. É uma escola de de turma, conselheiro de classe, membro
produção comum do saber e da liberdade. de Grêmio Estudantil).
É uma escola que vive a experiência tensa
da democracia. (FREIRE, 1997, apud Participar com a Comunidade Escolar
GADOTTI, 2004). na criação, na organização e no
funcionamento das instâncias colegiadas,
tais como: Conselhos Escolares,
A Orientação Educacional trabalha junto
Associação de Pais e Professores,
aos estudantes, professores, funcionários e
Grêmio Estudantil, e outros, incentivando
familiares no processo de elaboração e de
a participação e a democratização das
desenvolvimento de práticas de exercício de
decisões e das relações, na escola;
direitos e de construção de aprendizagens
pautadas no diálogo, na intersubjetividade Participar, com a Comunidade Escolar,
e na interdisciplinaridade, como mediadora no processo de elaboração e atualização
de tomada de decisões. Ela relaciona as do Regimento Escolar e na utilização
escolhas às questões sociais, culturais, deste como instrumento de suporte
pedagógico;

14
AOERGS

Acompanhar e rever a elaboração do


Planejamento Curricular, juntamente com
8 | MANUTENÇÃO,
os demais especialistas, a direção e os VALORIZAÇÃO
educadores; E EXPANSÃO DA
Facilitar a troca de informações sobre ORIENTAÇÃO
os estudantes entre os professores, a
equipe gestora e os pais, analisando EDUCACIONAL
periodicamente a ação pedagógica da
escola; Para manter, valorizar e expandir a OE, é
imprescindível:
Discutir e defender ideias, pontos de
vista e decisões comuns, com base Realizar e promover pesquisas e estudos,
em direitos humanos, na inclusão, na emitindo pareceres e informações
consciência socioambiental e na ética; técnicas na área;
Construir um cronograma de ação com Lutar pela manutenção, valorização e
a participação dos estudantes e de expansão da Orientação Educacional
representantes de turmas, de pais e mães nos currículos escolares, defendendo
ou responsáveis e parceiros; a profissão, denunciando casos de
exercício ilegal da profissão;
Engajar-se no desenvolvimento de ações
positivas para a promoção dos direitos Defender e qualificar a Orientação
humanos e da sustentabilidade social, Educacional, participando de suas
ambiental e patrimonial; entidades representativas, bem como de
movimentos que promovam políticas em
Incentivar a criança, o adolescente
favor desta profissão;
e o jovem, a pensar, refletir, analisar,
argumentar, e criar condições e Desenvolver o trabalho, considerando a
estratégias que favoreçam o seu ética profissional;
desenvolvimento pleno enquanto sujeitos Cumprir e fazer cumprir o Código de Ética
de direitos; do Orientador Educacional;
Diferenciar direitos e deveres privados e Acompanhar e avaliar o aluno estagiário
públicos; em Orientação Educacional junto à
Propagar a Cultura de Paz; instituição formadora;
Promover a Integração família e escola; Realizar outras atividades correlatas com
a função.
Proporcionar eventos, visitas e outras
ações que contribuam para as escolhas
profissionais dos/das estudantes;
Organizar celebrações, datas AVALIAÇÃO
comemorativas, formaturas;
Integrar a comunidade local às atividades Utilizaremos a observação direta, a avaliação
da escola. contínua e a avaliação institucional prevista
para o final do ano letivo para verificar a
satisfação da comunidade escolar com a
proposta.

15
AOERGS

REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Lei nº 5.564 de 21 de dezembro de 1968.
Consulta Pública. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME,
Lei nº 6.672 de 22 de abril de 1974.
2015.
Lei nº 71.132 de 13 de janeiro de 1978.
Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto
da Criança e do Adolescente. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996
BRASIL. Lei nª 13.185, de 06 de novembro de 2015. Lei nº 8.069, 13 de julho de1990 – Estatuto da
Programa de Combate à Intimidação Sistemática Criança e do Adolescente.
(Bullying).
Lei nº 13.431 de 4 de abril de 2017, estabelece o
Código de Ética dos Orientadores Educacionais do sistema de garantia de direitos da criança e do
Brasil. adolescente vítima ou testemunha de violência
e altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990
CONCEIÇÃO, L. F. Coordenação Pedagógica e
(Estatuto da Criança e do Adolescente).
Orientação Educacional: princípios e ações em
formação de professores e formação do estudante. Pesquisa do Tribunal de Contas do Estado (TCE/
Porto Alegre: Mediação, 2011. RS) sobre perfil dos Orientadores Educacionais.
Publicada em 22/05/2018. Disponível em:
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS
HUMANOS. Assembleia Geral das Nações Unidas http://www1.tce.rs.gov.br/portal/page/portal/
em Paris. 10 dez. 1948. tcers/administracao/gerenciador_de_conteudo/
noticias/TCE-RS%20lan%E7a%20pesquisa%20
Decreto nº 72. 846 de 26 de setembro de 1973.
sobre%20perfil%20dos%20orientadores%20
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes educacionais
necessários e a prática educativa. 42ª reimpressão.
Programa Saúde na Escola. Disponível em: http://
São Paulo: Paz e Terra, 1996 (coleção leitura)
portal.mec.gov.br/expansao-da-rede-federal/194-
GADOTTI, Moacir, ROMÃO, José E. Educação de secretarias-112877938/secad-educacao-
jovens e adultos: teoria, prática e proposta. 4.ed. continuada-223369541/14578-programa-saude-
São Paulo: Cortez/IPF, 2001. nas-escolas
GRINSPUN, M. P. S. Z. A orientação educacional: LÜCK, Heloísa. Planejamento em orientação
conflito de paradigmas e alternativas para a educacional. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.
escola. São Paulo: Cortez, 2001.
Revistas PROSPECTIVA, nº 29, 30, 32, 40.
Resolução CEED nº 345/2018. Institui e orienta a
SOUZA, Milena Pimentel de. O sentimento de
implementação do Referencial Curricular Gaúcho
pertencimento à escola e a depredação do
– RCG, elaborado em Regime de Colaboração, a ser
patrimônio escolar. Disponível em: https://
respeitado obrigatoriamente ao longo das etapas,
monografias.brasilescola.uol.com.br/educacao/o-
e respectivas modalidades, da Educação Infantil e
sentimento-pertencimento-escola-depredacao-
do Ensino Fundamental, que embasa o currículo
patrimonio-escolar.htm
das unidades escolares, no território estadual.
Referencial Político Pedagógico da AOERGS, 2003.

16
AOERGS

ANEXO 1
Materiais de apoio, links de acesso.

Declaração Universal dos Direitos Lei do Estágio - Lei nº 11.788, de 25 de


Humanos. setembro de 2008.
www.unicef.org/brazil/declaracao-universal- www.presrepublica.jusbrasil.com.br/
dosdireitos-humanos legislacao/93117/le i-do-estagio-lei-11788

Lei nº 13. 185, de 06 de novembro de 2015, Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de


que institui o Programa de Combate à 1998, dispõe sobre as sanções penais e
Intimidação Sistemática Bullying. administrativas derivadas de condutas e
www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ atividades lesivas ao meio ambiente, e dá
ato20152018/201 5/lei/l13185.htm outras providências.
www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9605.
Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, htm
dispõe sobre o Estatuto da Criança e do
Adolescente e dá outras providências. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003,
ECA. dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá
www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.ht outras providências.
legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI
Lei nº 13.431 de 4 de abril de 2017, &numero=10741&ano=2003&ato=c8egXU61
estabelece o sistema de garantia de 0dRpWT951
direitos da criança e do adolescente vítima
ou testemunha de violência e altera a Lei HADDAD, Jane; SHUDO, Regina. Inventário
nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto Diário das Emoções
da Criança e do Adolescente). janehaddad.com.br/arquivos/inventario_
www2.camara.leg.br/legin/fed/ emocoes_criancas.pdf
lei/2017/lei-13431- 4-abril-2017-784569-
publicacaooriginal-152306-pl.html

17
AOERGS

EMOÇÕES E SENTIMENTOS: SINAIS


BIOLÓGICOS E PESSOAIS
Como sinal biológico e pessoal, não podemos escolher, por exemplo, como explicamos e
mudar o que sentimos, mas podemos compartilhamos informações sobre medos,
aprender como conduzir estes sentimentos. ansiedades, alegrias, tristezas e raiva...

Neste sentido, e tomando como base este Nossa comunicação traz muitas vezes
conceito, é importante conhecer, permitir-se e uma enxurrada de emoções positivas ou
aceitar de forma consciente os sentimentos, negativas, que são apontadas no campo
para desenvolver habilidades para uma vida biológico e alisadas no nosso físico.
mais plena.
As emoções, para o bem e para o mal, são
Emoções em grande escala exercem funções inevitáveis. Conhecê-las é o primeiro passo
contagiosas. Assim, se tivermos consciência para elaborar de forma consciente estratégias
sobre o manejo com elas, podemos também de ação!

SENTIMENTOS E EMOÇÕES:
CONHECER E VIABILIZAR PARA TER UMA VISÃO MAIS NORMATIVA

MEDO Ou seja, sentimos medo frente a alguma


ameaça ou algum sinal de que alguma ameaça
A Orientação Educacional é corresponsável pode vir. Quando estamos com medo, nosso
Talvez seja a mais primitiva das emoções. pensamento em geral se torna catastrófico,
Pode nos congelar, nos impelir a fugir e, nos preparando para o pior cenário possível.
em casos extremos, nos preparar para nos Após sentirmos medo, tendemos a ficar
defendermos. Tipicamente, quando sentimos “hipervigilantes” em situações semelhantes,
medo, nosso sangue sai das nossas mãos procurando por sinais de perigo (e desatentos
e estômago e vai para as nossas pernas. às outras coisas).
Nossa musculatura fica rígida, nosso
coração acelera, e nossa respiração fica RAIVA
curta (puxamos mais ar do que soltamos).
Se sentimos medo quando alguma ameaça
Sua função é clara: o que chamamos de se dirige a nós, sentimos raiva quando algo
medo é uma série de respostas fisiológicas ameaça uma pessoa ou coisa importante
que nosso corpo produz para nos ajudar a para nós. A mãe que se vê encurralada por
fugir de uma ameaça. Sentir medo e fugir um urso na floresta provavelmente só sente
aumenta as nossas chances de sobreviver medo. A mesma mãe, quando vê seu bebê
em um mundo que já foi mais perigoso do sendo atacado, além do medo, sente muita
que é hoje – um mundo em que, detrás de raiva do urso. A raiva nos prepara para o
qualquer moita, poderia haver um predador. ataque, para proteger o que é importante para

18
AOERGS

nós. Provavelmente a raiva foi fundamental pode ter sido importante em nossa história
para a sobrevivência de uma espécie que evolutiva? Os pesquisadores se dividem entre
tem filhotes tão frágeis quanto os bebês duas explicações. De um lado, a tristeza pode
humanos. Podemos sentir raiva quando ser uma maneira de economizar energia,
temos uma meta importante bloqueada. E poupar recursos quando o mundo não está
raiva também pode ser um efeito colateral favorável. Pelo outro, a tristeza, nossos
comum de frustração. Quando sentimos lábios para baixo e as marcas de lágrimas
raiva, tendemos a fechar os punhos e apertar em nossas bochechas têm um importante
os dentes. Comportamentos agressivos com poder comunicativo. Gosto de pensar que,
os quais visamos a machucar o próximo na medida, a tristeza é uma cola social, uma
se tornam mais prováveis e trazem mais maneira de sermos escutados e cuidados.
satisfação.
Imaginem uma criança chorando na sua
ALEGRIA frente e pare para pensar: qual é a sua
postura típica em relação a ela? Em geral,
Infelizmente, a psicologia ainda pesquisa frente a alguém sofrendo, temos o impulso de
pouco sobre as emoções que gostamos de cuidar, de nos aproximar. Curiosamente, nos
sentir. Temos tantas emoções prazerosas, sentimos muito mais próximos de alguém
agrupadas sobre esse guarda-chuva de que demonstra fragilidade e tristeza do que
felicidade, quanto temos emoções que de alguém “hiperpotente”, que demonstra
não gostamos de sentir. Amor, felicidade, não sofrer.
empolgação: são tantas sensações
prazerosas que temos dificuldade em Quando estamos tristes, nos sentimos
distingui-las. Como as outras emoções, a cansados e sem energia. Às vezes, ficamos
alegria estreita a nossa atenção para eventos com a sensação de que nada mais vai
congruentes com o sentimento. Eventos ser prazeroso e de que as coisas vão
alegres, por assim dizer, atraem outros ser desanimadoras para sempre. Temos
eventos alegres. Ou seja, podemos fazer um dificuldade de nos lembrar de momentos
ciclo virtuoso quando nos colocamos em felizes e tendemos a ruminar um passado de
situações que trazem prazer. arrependimentos.

TRISTEZA Fonte:

Uma das emoções mais difíceis de entender danjosua.blogosfera.uol.com.br/2018/07/26/


talvez seja a tristeza. Qual a utilidade dessas um-guia-para-as-emocoes-medo -raiva-
lágrimas e dessa falta de energia? Como isso tristeza-e-alegria/

19
AOERGS

Círculos em
Movimento
CÍRCULOS DE APOIO EM RESPOSTA
AO DISTANCIAMENTO SOCIAL
Por Kay Pranis

Os círculos de apoio on-line devem iniciar i) O que é uma fonte de força para você
dando-se as boas-vindas, esclarecendo como neste momento?*
o processo funcionará e a ordem de falar. j) Que formas de conexão você está
Então comece com uma abertura intencional descobrindo ou recuperando?
– respiração profunda, meditação, leitura k) Como você gostaria de usar esse tempo?*
inspiradora, ou mesmo propondo um l) Qual é a oportunidade de crescimento
alongamento ou movimento. Uma rodada de deste momento, tanto pessoal como
valores: profissionalmente?
Qual é um valor em que você está tentando se
m) Quem é um modelo para você nesta
situação?*
apoiar neste momento de nossas vidas?
n) O que te ajuda a lembrar de que nunca
Ofereça diretrizes-padrão com quaisquer está sozinho?*
adições especiais necessárias para a o) Qual é sua música favorita para levantar o
tecnologia. espírito?*
Escolha perguntas abaixo que lhe pareçam p) O que te faz morrer de rir – algo que você
adequadas às suas circunstâncias e decida a pode rir mesmo em tempos difíceis? (Filme,
ordem das perguntas. programa de TV, etc.)*
Possíveis perguntas para círculos de suporte q) Como esse momento está afetando seus
on-line: relacionamentos na família?
r) Qual é a parte mais difícil desta situação
a) Nesta nova realidade, pelo que você é para você?
grato? s) O que é uma coisa positiva que você pode
b) Como a ansiedade está se manifestando fazer por si mesmo na próxima semana?*
em você – no corpo, no espírito, na mente e t) Como podemos nos apoiar neste
no coração? momento difícil?*
c) Qual é o seu maior medo? Onde o medo u) Do que está se orgulhando em sua
se manifesta em seu corpo? resposta a este momento difícil?*
d) Que práticas pessoais estão alimentando
seus medos? * Use sempre uma ou mais perguntas positivas depois
e) O que está fazendo para apoiar outra de ter permitido que os participantes falem sobre medos,
preocupações, dor. É muito importante terminar com
pessoa neste momento? uma sensação de possibilidade positiva e esperança,
d) Com quem você pode falar sobre suas mesmo em situações muito difíceis.
ansiedades e preocupações?
e) O que te dá esperança?* No final, você quer um forte senso de
f) Você tem práticas intencionais para conexão e apoio entre os participantes. Faça
interromper pensamentos de desesperança uma rodada de check-out: Como estão se
ou ansiedade? sentindo ao final de nosso círculo? Termine
g) Qual é o presente deste momento? O que com uma cerimônia de encerramento: um
este momento lhe trouxe de bom?* exercício de respiração, música, meditação,
leitura inspiradora.
h) O que está lhe trazendo conforto neste
momento?*

20
AOERGS

MODELO DE FICHA DE ANAMNESE

1 | Identificação
Nome do aluno (a):
Idade: Gênero: ( ) M ( ) F
Data de Nascimento: / /

2 | Dados familiares
Nome do pai:
Nome da mãe:
Responsável pelo(a) aluno(a):
Nº de irmãos: Gêneros: Idades:
Posição no bloco familiar:
Pais: ( ) Casados ( ) Separados ( ) Separados com nova estrutura familiar. Qual?
Reação da criança à situação:
Em caso de separação, a criança vive com quem?
Quem costuma trazê-lo e buscá-lo a escola?
Quem toma as decisões a respeito do aluno? A quem recorrer caso haja necessidade da presença
do responsável?
Filho: ( ) Biológico ( ) Adotivo
A criança é ciente de sua adoção? ( )Sim ( ) Não
Reação da criança à situação:

3 | Histórico da Escolaridade
Inicio da escolarização
Recebe apoio pedagógico em casa? De quem?
Apresenta alguma dificuldade na fala: ( ) Não ( ) Sim. Qual?
Foi notada alguma dificuldade com a aprendizagem?
Caso tenha sido percebido, o aluno foi avaliado por algum profissional? ( ) Sim ( ) Não. Qual?

De que área?
Ainda faz acompanhamento de um profissional específico? Ou tem apoio pedagógico especializado
(professor particular, Psicopedagogo)?

Repetiu alguma série?

Que disciplinas o aluno se interessa mais e/o possui maior facilidade para aprender?

Que disciplinas o aluno não têm interesse e/ou possui dificuldade?

Faz atividades extraescolares? Quais?

4 | Aspectos motores
Apresenta alguma dificuldade de locomoção, postura e /ou coordenação?
( ) Sim ( ) Não

O desempenho nas aulas de educação física é bom? Possui interesse por essa disciplina?
( ) Sim ( ) Não

Apresenta boa coordenação motora fina (preensão do lápis, uso da tesoura, desenho)?
( ) Sim ( ) Não

21
AOERGS

5 | Aspectos perceptivos
Apresenta alguma dificuldade para enxergar? (aproxima objetos dos olhos, franze a testa, etc.)
( ) Sim ( ) Não

Aparenta ter dificuldade para ouvir? (Necessita que se repita uma explicação dada anteriormente,
etc.) ( ) Sim ( ) Não
Especificar:

É desatento? ( ) Sim ( ) Não.


Especificar:

É agitado? ( ) Sim ( ) Não.


Especificar:

6 | Aspectos emocionais
( )Tranquilo ( ) Ansioso ( ) Seguro ( ) Alegre ( ) Queixoso ( ) Intolerante. Outros:

7 | Sociabilidade
Faz amigos com facilidade? ( ) Sim ( ) Não.
Prefere fazer trabalho sozinho ou em grupo? ( ) Sozinho ( ) Grupo.
Possui baixa tolerância a frustração? ( ) Sim ( ) Não.
Ajuda os colegas quando necessário? ( ) Sim ( ) Não.
Adapta-se facilmente a novos grupos de trabalho? ( ) Sim ( ) Não.
Mantém contato com os colegas de sala fora da escola? ( ) Sim ( ) Não.
Possui rede de contatos virtuais? Interage através de telefone, E-mail, Messenger, Facebook,
WhatsApp, Instagram, Twitter etc.? ( ) Sim ( ) Não.

8 | Atitudes sociais predominantes


( ) Obediente ( ) Independente ( ) Comunicativo ( ) Agressivo ( )Cooperador

9 | Sono
( ) Normal ( ) Insônia ( ) Pesadelos ( ) Hipersonia (excesso de sono)

10 | Medidas disciplinares empregadas pelos pais:

11 | Como seu (sua) filho (a) reage quando é contrariado (a), e qual a sua atitude nesta ocasião?

12 | Saúde
Apresenta problemas neurológicos? Qual?
Faz acompanhamento médico ( ) ou Psicológico ( )? Outro ( )

13 | O aluno (a) necessita de apoio educacional especial?


( ) Sim ( ) Não. Caso a resposta seja positiva justifique-a:

14 | Outras informações importantes:

de de .

Assinatura do Responsável

22
AOERGS

ANEXO 2
Projetos desenvolvidos por Orientadores
Educacionais do Rio Grande do Sul nas
diferentes redes de ensino.

ESCOLA GENERAL OSÓRIO CONECTADA COM A


SOLIDARIEDADE NO ACESSO À EDUCAÇÃO PARA TODOS.
Catucia Venturini de Toledo
Orientadora Educacional
Osório, RS.

#todosjuntosescolageneralosório aparelho celular ou outro, nem internet, nem


#lageneralosórioconectadapelasolidariedade condições financeiras atuais para adquirir o
#todoscomacessoaeducação aparelho e possibilitar o acesso.

PÚBLICO-ALVO: 6º a 9° anos do ensino Conforme a problemática apresentada, nos


fundamental reunimos, montamos este projeto, com a
união de ideias dos professores relacionados
JUSTIFICATIVA às disciplinas de Português, Ensino Religioso,
Projeto de Vida, mais a participação da
Acreditamos que a educação é a principal Supervisão Escolar e da Direção. O projeto
ferramenta de transformação do indivíduo foi coordenado pela Orientação Educacional.
e do mundo, principalmente em momentos
difíceis como o que estamos vivendo O trabalho envolveu a interdisciplinaridade,
atualmente com a pandemia do Coronavírus. com a meta de mobilizar os alunos e suas
famílias como parceiros para contribuir de
Estamos vivendo um momento único. A forma solidária com a escola na doação de
pandemia trouxe mudanças em nossas aparelhos tecnológicos como computadores,
vidas, com transformações não só de tablets, notebooks e celulares novos e
comportamento, de sentimentos, como usados, em boas condições de uso para
também de mudanças sociais e na educação, serem doados a alunos que não possuem,
acentuando ainda mais as desigualdades para que possam acessar as aulas da Escola
sociais presentes em nossa sociedade. General Osório. Os equipamentos serão
doados para alunos carentes, tendo em vista
A partir da necessidade de todos os alunos a necessidade de acesso à educação por
migrarem para uma plataforma virtual meio da tecnologia.
(Google Classroom), sentimos falta de
alguns dos nossos alunos no acesso à sala A intenção é não deixar ninguém sem acesso
de aulas virtuais e durante as atividades à oportunidade da educação à distância; por
on-line. Através do contato do SOE com as isso o projeto tem o objetivo de garantir que
famílias, algumas relataram que não tem todos os alunos tenham acesso à sala de

23
AOERGS

aula virtual. O projeto conta com a ATIVIDADES


solidariedade da comunidade de Osório e da
região, visto que neste momento de pandemia 1. Reunião virtual entre toda a equipe
do novo Coronavírus, as aulas tiveram que envolvida na organização e divulgação do
ser suspensas para evitar aglomeração de projeto: SOE, Supervisão Escolar, Direção,
pessoas. professores das disciplinas de Português,
Ensino Religioso e Projeto de Vida, do
As doações serão recebidas na Escola 6º ao 9º ano do ensino fundamental.
Estadual de Ensino Fundamental General O objetivo é fazer trocas e elaborar
Osório, R. Cel. Reduzino Pacheco, 308 - atividades, sugestões e critérios. Após
Centro da cidade de Osório, através de definidas coletivamente as propostas,
agendamento pelo telefone (51) 3663-1963 serão agendados os encontros com os
ou pelo e-mail: escolageneralosorio11cre@ alunos.
gmail.com As entregas para os alunos, serão
de acordo com a arrecadação. 2. Diálogo realizado pelo SOE e professores
envolvidos para a apresentação do
OBJETIVOS Projeto, com cada turma, através de
Google Meet.
• Arrecadar aparelhos para distribuir para
alunos em situação de vulnerabilidade 3. Sugestões de atividades:
social e, dessa forma, incentivá-los a dar
continuidade aos estudos e à realização • Alunos de 6º e 7ª ano: Construção de um
de atividades de forma on-line. post para publicação nas redes sociais
da Escola, que deve conter imagem e as
• Buscar facilitar a prática do isolamento informações do projeto. Objetivo principal
social e possibilitar que mais pessoas do post é divulgar e incentivar a doação
fiquem em casa e evitem a proliferação de aparelhos tecnológicos. Cada aluno
do Coronavírus. irá realizar o seu post. A turma deverá
escolher dois para postar no Facebook
• Incluir todos os alunos no sistema de da escola.
aulas remotas proposto pela SEDUC -
Plataforma Virtual Google Classroom. • Alunos de 8º e 9º ano: Produção de um
vídeo curto: Tik Tok ou outro aplicativo
• Realizar diálogo junto aos alunos sobre o (apresentação de paródia, teatro, poesia,
significado de solidariedade. Sensibilizar dança... dinâmica escolhida pelo grupo),
a comunidade através de vídeos e posts com no máximo 2 minutos de edição,
elaborados pelos alunos na plataforma com a finalidade de sensibilização e
nas salas de aulas das disciplinas solicitação de doação de aparelhos
participantes. tecnológicos. Pode ser um trabalho
individual ou coletivo, podendo participar
do vídeo as famílias e ou responsáveis.

24
AOERGS

PROJETO EMPATIA NA ESCOLA: PORTAS FECHADAS,


MAS CORAÇÕES ABERTOS PARA A APRENDIZAGEM EM
TEMPOS DE PANDEMIA
Aline Freire de Souza Aguiar
Orientadora Educacional
Rio Grande, RS.

Para a diminuição de contado social, escolha. Todos os vídeos ficam gravados e


em tempos de pandemia e de escolas podem ser acessados após a transmissão.
fechadas, a Escola Engenheiro Roberto
Bastos Tellechea, situada no bairro A escola já realizava rodas de conversas
Parque Marinha, na cidade do Rio Grande, com os alunos no ano de 2019 sobre
vem se reinventando e se estruturando temáticas diversas. Nesses encontros,
na nova modalidade de ensino remota. conhecemos a essência de cada um. Na
LIVE, muitos professores e estudantes
Com a entrada do mês de junho, ao qual faz participaram e relataram a importância
alusão ao dia mundial da empatia, a escola da saúde física e mental nesse momento.
lançou para os alunos o “Projeto Empatia A saudade e os pedidos para a volta das
na Escola”, que visa discutir e problematizar aulas foram muitos, o que nos deixa
emoções e sentimentos pessoais e sociais, bastante estimulados para projetar novas
uma vez que a empatia nos desacomoda, nos atividades que aproximem os estudantes
colocando no lugar do outro. Dessa forma, da escola, mesmo que de forma remota.
conseguimos movimentar a escola através de
reflexões, pensamentos e produções, nesse Ainda não sabemos quando tudo isso irá
tempo de isolamento social, e projetar um acabar, quando voltaremos a nos abraçar
retorno com maior respeito e solidariedade e estarmos em contato diariamente,
entre a comunidade escolar. Esse projeto vem desejamos que esse momento sirva de
sendo planejado e executado pelo Serviço reflexão, de aprendizagem e de preparação
de Orientação Educacional da nossa escola. para uma escola melhor, com seres
humanos responsáveis e dignos em suas
Uma das atividades promissoras do projeto atitudes para consigo e para com o outro.
foi a realização da LIVE Tellechea, uma roda
de conversas on-line transmitida pela página Atividades desenvolvidas pelos estudantes
do Facebook da escola, aberta a toda a
comunidade escolar. Até o momento foram
três encontros de diálogo e de reflexão com
a comunidade. O primeiro trouxe a discussão
sobre a empatia dentro do espaço escolar; o
segundo foi destinado aos pais dos nossos
alunos dos anos iniciais e tratou sobre a
alfabetização em tempos de pandemia; o
terceiro, seguindo um pedido dos próprios
estudantes, foi uma abordagem sobre o
preconceito na sociedade e na escola. A
próxima Live já tem data e assunto para
desenvolver, falaremos sobre as escolhas
profissionais após a pandemia, refletindo
como a família e a escola podem auxiliar nessa

25
AOERGS

26
AOERGS

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO PROFESSORA AGLAE KEHL


ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL – SOE

PLANO DE AÇÃO PARA PERÍODO PANDÊMICO / 2020


Cláudia Figueiró.
Orientadora Educacional
Guaíba RS.

I – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: uma abordagem educacional, envolvendo


todas as pessoas relacionadas com o
Tipos de Instituições: Públicas
processo de educação (alunos, professores,
Sistema de Ensino: Educação Básica funcionários e Equipe Diretiva), visando
Turnos: Manhã, tarde e noite assim a contribuir para a manutenção de um
clima de harmonia, satisfação e confiança na
Orientadora Educacional: Claudia Figueiró escola, que favoreça o desenvolvimento da
Souza aprendizagem.
Público-Alvo: Ensino Fundamental (Anos
Iniciais e Anos Finais) e Ensino Médio Diurno III – DESENVOLVIMENTO:
e EJA; Educação Infantil de 0 a 5 anos.
1º PERÍODO DE ISOLAMENTO/
II – JUSTIFICATIVA: RESGUARDO (SEM AULAS):

A Orientação Educacional é parte de • Contato frequente das Equipes Diretivas


um todo da escola, e com ela interage (diretor, vice-diretor, supervisor,
permanentemente, assim como com a coordenador, orientador) com os
própria sociedade. Para compreender o professores, funcionários e comunidade
aluno e contribuir positivamente com sua escolar através das redes sociais
aprendizagem, é necessário refletir sobre (página da escola no facebook, blog, site,
vários temas que não se esgotam no interior Instagram, WhatsApp e/ou Telegram)
da realidade física e pedagógica da escola: visando o fortalecimento de vínculos e a
o contexto social, político e econômico da divulgação das atividades escolares.
comunidade; os aspectos cognitivos, afetivos
e psíquicos dos alunos. • Registros das tarefas por setor (home
office): o que cada um está fazendo?
Diante da pandemia estabelecida a nível Temos uma carga horária de trabalho
mundial pela contaminação do COVID-19, que precisará ser justificada mais tarde
que culminou com o isolamento social e, e é importante que cada profissional
consequentemente, com o cancelamento das tenha o controle das suas atividades.
aulas presenciais, o Serviço de Orientação Exemplo: ligações, reuniões, retorno de
Educacional apresenta estratégias e e-mails, orçamento, leituras, organização
sugestões para vencer os obstáculos que documental...
certamente se apresentarão.
• Acompanhamento online das
II – OBJETIVO GERAL: atividades postadas pelo departamento
pedagógico, a fim de evitar repetições
Prestar atendimento de orientação dentro de e engessamentos. Podemos criar um

27
AOERGS

rodízio ou escala, que tal? • Realização de reuniões periódicas com os


professores via web conferência (zoom,
• Linha direta com o SOE – via Facebook, WhatsApp), visando manter a
Messenger, Telegram ou WhatsApp. coesão do grupo e fortalecer laços.
Houve um crescimento no número de
casos de depressão e automutilação, ESSENCIAL: Não esquecer os casos de
principalmente na faixa etária da inclusão no planejamento das atividades! Esses
adolescência. Estarei online diariamente alunos precisam de atividades diferenciadas,
nos horários anteriormente divulgados adaptadas às suas necessidades e condições.
pelo setor para atender à comunidade,
efetuando o registro desses atendimentos. 2º PERÍODO DE RETORNO DAS
Estou organizando também um canal no ATIVIDADES ESCOLARES (COM AULAS):
YouTube para a postagem de mensagens,
vídeos e entretenimento para nossos • Capacitação dos profissionais da
alunos. educação na questão da atuação e da
prevenção ao tipo de crise vivenciada
• Elaboração de um relatório semanal (epidemias, pandemias, eventos
de atividades por turma/professor. climáticos...): como lidar; procedimentos
Isso facilitará bastante para o preestabelecidos; estratégias de
acompanhamento e aprovação dos superação.
diários de classe, principalmente com
aqueles colegas mais “esquecidos”. • Foco no domínio das tecnologias
voltadas à educação, extensivo a todos
• Elaboração de um relato de experiências os profissionais: oficinas e aulas práticas
do período de quarentena – tipo um envolvendo as TICs.
diário, que pudesse contar com as
contribuições de toda a comunidade • Campanhas de estimulação e de
escolar. Como estão se sentindo, o que integração com a comunidade escolar
estão fazendo para manter a rotina de visando cuidados com o meio ambiente,
estudos, quem está fazendo companhia higiene pessoal, preservação da natureza,
para quem, do que estão sentindo mais reciclagem, valores, qualidade de vida.
falta... Poderia ser uma página específica
dentro da página da escola, ou um diário • Verificação das aprendizagens e do
virtual: algo que pudesse reunir o maior alcance das atividades enviadas durante
número de participantes a fim de nos dar o recesso, com retomadas específicas e
uma visão do “todo” da escola. flexibilização dos métodos avaliativos no
primeiro momento.
• Organização de um horário específico
para as postagens das atividades por ESSENCIAL: Lembrar que os pais e familiares
turma ou por professor, a fim de não não são necessariamente professores nem
acumular tarefas e evitar também a estão preparados para ministrar aulas e lições.
ansiedade e o estresse quanto a materiais Fatalmente teremos muitas dificuldades e
e à organização. Exemplo: Segunda-feira, não podemos exigir que os alunos retornem
9h = 3º ano Turma 31; ou Professor... para a escola com todos os conhecimentos
– toda terça-feira, às 14h. Isso ajuda necessários para a continuidade do processo
bastante na rotina familiar. cognitivo.

• Momento on-line do professor: Compreensão e tolerância serão as palavras-


Estabelecer um horário semanal para chaves do período.
cada professor estar disponível para o
esclarecimento de dúvidas dos alunos IV– AVALIAÇÃO
quanto às atividades/aulas enviadas.
Exemplo: Quinta, das 9h às 10h – plantão Utilizaremos a observação e a avaliação
do professor X; das 10h às 11h – plantão institucional prevista para o final do ano letivo
do professor Y. Tudo isso pode ser feito para verificar a satisfação da comunidade
no próprio Facebook da escola. escolar com a proposta.

28
AOERGS

V – PERÍODO DE EXECUÇÃO: GRINSPUN, M. P. Z. (Org.). A Prática dos


Orientadores Educacionais. São Paulo: Cortez,
Ano letivo de 2020. 1998. MALDONADO, M.T. Comunicação
entre pais e filhos: a linguagem do sentir. São
BIBLIOGRAFIA Paulo: Saraiva 1997.

ACKERMAM, H. Diagnóstico e Tratamento NEVES, I. de G. & SIQUEIRA, O. K. Dinâmica


das Relações Familiares. Porto Alegre. Artes de Orientação Educacional. Porto Alegre:
Médicas, 1980. Globo, 1987. PARO, V. H. Qualidade do ensino:
a contribuição dos pais. São Paulo: Xamã,
ARROYO, M. G. Ofício de Mestre: imagem 2007. PRADO, D. O que é família. São Paulo:
e autoimagens. Petrópolis, Rio de Janeiro: Brasiliense, 1981.
Vozes. 2000. CAMPOS, J.C. CARVALHO, H. A.
A Psicologia do Desenvolvimento: Influência SYMANSKY, H. A relação família/escola:
da Família. São Paulo: EDICOM, 1983. desafios e perspectivas. Brasília: Plano, 2001.
CARVALHO, M. de L. R. da Silva. A Função do Guaíba, 23 de março de 2020.
Orientador Educacional. São Paulo: Cortez,
1989.

29
AOERGS

PROJETO INTEGRADO ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL E


EQUIPE PEDAGÓGICA
Márcia Heinen de Oliveira
Orientadora Educacional

O trabalho da Orientação Educacional • Atualizamos dos dados, com os celulares


integrado com a equipe pedagógica na dos grupos de WhatsApp, com a
pandemia foi pautado na busca intermitente conectividade da plataforma Córtex. Se
de alunos para realização das atividades, não baixaram o aplicativo, somos nós que
ajuda às famílias, participação e orientações estamos fazendo nos celulares, também
ao segmento professores e ao Conselho orientando a baixarem as atividades e
Escolar; assessoria à equipe pedagógica e à como devem enviar.
direção quanto às normativas legais que nos
são fornecidas pela AOERGS. • Realizamos reuniões com o Conselho
Escolar para deliberação de não volta
ALGUMAS AÇÕES: às aulas, com decisões dos diferentes
segmentos. Os pais estavam temerosos
• Estamos envolvidos na atuação da de tomarem decisões porque não
não volta às aulas. O professor Leonel conseguiram falar com seus pares.
e Sabrina, com o Grêmio Estudantil.
Realizamos diálogos com a comunidade • Elaboramos uma pesquisa virtual sobre
sobre o retorno presencial o retorno, usando o Google Forms. Foi
divulgada nos grupos de whatsApp e
• Elaboramos kits Facebook para as famílias responderem.
pedagógicos para
entrega às famílias • Foram montados kits para cada aluno do
nos anos iniciais, primeiro ao quinto ano, de A10 a B20, com
com cadernos, lápis, mensagens dos professores e livros.
borracha, lápis de cor,
apontador, tesoura, • Primeiro ano atividades no primeiro
régua, cola, folhas caderno.
coloridas, alfabeto
móvel, máscara etc.

30
AOERGS

ORGANIZAÇÃO DA RETIRADA E ENTREGA DE ATIVIDADES


REMOTAS EM TEMPO DE PANDEMIA
Núcleo de Orientadores Educacionais de Bagé, NOEB

O trabalho da Orientação Educacional Este MODELO UTILIZADO NA ESCOLA PARA


projeto foi desenvolvido para conclusão do REGISTRO DAS ENTREGA E DEVOLUTIVA
curso Técnico de Administração e tem por DAS ATIVIDADES REMOTAS 2020
objetivo o controle da retirada e da devolutiva Turma: Data:
das atividades pedagógicas na escola Dr.
João Thiago do Patrocínio, no município DISCIPLINAS
de Bagé. Tal controle se dá através de uma (marcar material que compõe o poligrafo da
planilha em que, tanto na retirada como na semana)
devolutiva do material, o aluno deve assinar ( ) Língua Portuguesa
seu nome. ( ) Matemática
( ) Ciências
Os professores são orientados a encaminhar ( ) Geografia
atividades pedagógicas para serem ( ) História
impressas na quinta-feira, e estas devem ( ) Espanhol
contemplar as mesmas habilidades ( ) Educação Física
desenvolvidas nos grupos de WhatsApp. ( ) Arte
Este material recebe o nome de “polígrafo da
semana”. Todas as terças-feiras, a escola faz ALUNOS QUE UTILIZAM MATERIAL
IMPRESSO
a entrega do material impresso aos alunos
que optaram. NOME RETIRADA DEVOLUTIVA
ALUNO A
Desta maneira, há um controle de quem retira ALUNO B
e devolve as atividades, possibilitando que ALUNO C
haja acompanhamento da equipe diretiva e
que as estratégias necessárias para resgate
Após a devolutiva das atividades escolares,
dos alunos que não realizam atividades
o material é separado em sacos plásticos e
sejam implementadas. Aos Professores é
identificado com nome do professor, para
possibilitado realizar o acompanhamento
que seja retirado na escola e corrigido.
das aprendizagens dos alunos sem acesso à
Este movimento consta na planilha de
internet. Assim, os alunos tem seu direito de
acompanhamento das atividades remotas,
aprendizagem garantido.
que é quinzenalmente disponibilizado nos
grupos do WhatsApp.
As estratégias de ensino à distância são
importantes para a redução dos efeitos
negativos do distanciamento social, mas as
evidências indicam que lacunas de diversas
naturezas serão criadas sem a interação
presencial.

31
AOERGS

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL EM TEMPOS DE PANDEMIA


Núcleo de Orientadores Educacionais de Bagé, NOEB

O projeto tem o objetivo de acompanhar os o auxílio de recursos tecnológicos. Entre


alunos da Escola Municipal Dr. João Thiago eles, como meio de interação com os alunos,
do Patrocínio, em tempos da pandemia é utilizado o aplicativo WhatsApp, pois os
COVID-19, visando ao desenvolvimento da educandos possuem um grupo denominado
Inteligência Emocional. “Hora do Recreio”, que possibilita contato
com a escola.
Tem como objetivos específicos:
compreender os sentimentos, as emoções As atividades realizadas dentro deste
e as atitudes dos alunos; destacar a projeto são a aplicação de questionários, a
importância da Inteligência Emocional em visualização de vídeos, a reflexão sobre eles e
tempos de pandemia; e desenvolver ações a vivência de dinâmicas. A intenção é propôr
que trabalhem a Inteligência Emocional. ações em que os alunos possam exercer a
empatia e que abordem os sentimentos e as
O projeto é realizado de forma remota, com emoções.

32
AOERGS

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA

PROJETO DE INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO AO USO


ABUSIVO DE ÁLCOOL E DE OUTRAS DROGAS
Lourdes Alaídes Kalata Biberg
Orientadora Educacional
Porto Alegre, RS.

INTRODUÇÃO Em geral as drogas afetam a saúde das


pessoas e seu desenvolvimento pessoal. O
Os problemas gerados pelo consumo de consumo de drogas induz a comportamentos
drogas são muito variados, Sua origem não descontrolados, a condutas que, em
se situa num fator causal único. É o resultado muitos casos, não medem os riscos ou as
de um processo em que as características consequências. Um perigo que se corre ao
da pessoa, da droga que é consumida e da consumir substâncias psicoativas, aliás, o
sociedade se entrelaçam. mais importante, é a sua capacidade para
desenvolver dependência.
O consumo de drogas não é um fenômeno
novo na humanidade. Desde a suas origens, A dependência é o conjunto de
o homem aprendeu a utilizar drogas com comportamentos e de reações que
distintos fins rituais mágicos, religiosos, compreendem o impulso e a necessidade
curativos. Com o passar do tempo, as imperiosa de tomar a substância de forma
drogas utilizadas e as formas com que são contínua ou regular, ou seja, para sentir os
consumidas foram mudando. Atualmente, o seus efeitos ou para evitar o mal-estar que
incremento de seu consumo e a incorporação provoca a privação de tal substância.
de outras substâncias se tem convertido em
um fenômeno preocupante. Consideramos que uma pessoa está saudável
quando mantém um equilíbrio adequado
Droga é qualquer substância que, uma vez entre seu físico, sua mente e sua forma de
introduzida no organismo através de distintas relacionar-se. A saúde está determinada por
vias, altera ou modifica as funções corporais. nosso estilo de vida. Por isso, para prevenir
Existem muitas classes de drogas. A grande o consumo de drogas é fundamental educar
maioria é composta de substâncias com para a saúde. A prevenção é antecipar-se,
as quais convivemos e que fazem parte de atuar para evitar que nossos jovens venham
nossa forma de vida. Todas as substâncias a consumir drogas.
psicoativas apresentam um denominador
comum. Ao serem ingeridas, seja qual for a JUSTIFICATIVA
forma, passam ao sangue e, através dele, ao
cérebro e a todo o organismo, provocando Diante do crescimento considerável do uso
diferentes efeitos que levam o organismo a e do abuso do álcool e de outras drogas,
excitar, relaxar ou distorcer a realidade. bem como do decorrente aumento da
violência e de acidentes de trânsito, fazem–
Algumas drogas são legais, como álcool, se necessárias ações envolvendo toda a
o tabaco e os fármacos. Outras são ilegais, comunidade escolar para informação e
como a maconha, a cocaína, a heroína, o prevenção, visando à promoção da saúde e
crack, etc. do bem estar das pessoas.

33
AOERGS

OBJETIVO • Sequência dos “Momentos de Reflexão”,


semanais, com todos os alunos, no início
Dar continuidade ao processo de aumento das aulas, no pátio da escola, em ambos
do nível de conscientização da comunidade os turnos.
escolar a respeito do uso, abuso e
dependência do álcool e de outras drogas Início:

OPERACIONALIZAÇÃO DURAÇÃO: Durante o ano letivo.

• Abordagem, sensibilização e informação AVALIAÇÃO: Será realizada no final do ano


como prevenção, junto aos professores, letivo. juntamente com todos os envolvidos.
pais, alunos e funcionários.
BIBLIOGRAFIA:
• Vídeos do Programa “Saber salva nas
escolas”, do Ministério da Educação e Um guia para família – SENAD, SECRETÁRIA
Ministério da Saúde. NACIONAL ANTIDROGAS.

• Palestras, Prencional Del consumo de drogas (guia para


famílias) ayuntamento de Madrid.
• Oficinas com alunos.
- Plano municipal contra as drogas.
• Sequências no desenvolvimento, durante
o ano letivo, do Projeto Cidadania: Prática -Recortes de jornais, ZH Correio do povo,
de Valores na Escola. revistas.

A SEGUIR, UMA CARTA ENDEREÇADA AOS PROFESSORES:


ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA
(SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL)

Lourdes Alaídes Kalata Biberg


Orientadora Educacional
Porto Alegre, RS.

Prezado Professor: a partir do início da adolescência desde que


conduzidos de forma adequada. Como já
Com o objetivo de facilitar o planejamento foi explicado anteriormente, informações
das aulas, incluindo orientações e atividades mal colocadas podem aguçar a curiosidade
que possam contribuir para a informação e dos jovens, levando-os a experimentar
prevenção ao uso do álcool e outras drogas, drogas discursos antidrogas e mensagens
conforme projeto em desenvolvimento em amedrontadoras ou repressivas, além de não
nossa escola, transcrevo abaixo os itens 11 eficazes podem até mesmo estimular o uso.
e 12 da publicação “Um guia para a família”,
da série “Vamos descobrir um Brasil sem Nos programas de prevenção mais
drogas”, do Ministério da Saúde (Pg. 23). adequados, o uso de drogas deve ser
discutido dentro de um contexto mais
“11. COMO AS ESCOLAS PODEM amplo da saúde. As drogas, a alimentação,
COLABORAR NA PREVENÇÃO DO USO os sentimentos, as emoções os desejos, os
INDEVIDO DE DROGAS” ideais, ou seja, a qualidade de vida entendida
como bem-estar físico, psíquico e social,
Diversas escolas têm adotado programas são aspectos a serem abordados no sentido
educativos com esse objetivo Eles podem de levar o jovem a refletir sobre como viver
ser de grande ajuda aos jovens, sobretudo de maneira saudável. Os jovens devem
aprender a conhecer suas emoções e a lidar

34
AOERGS

com suas dificuldades e problemas. Um • Saber que as crianças enfrentam


modelo de prevenção deve contribuir para problemas e que é correto pedir ajuda
que os indivíduos se responsabilizem por si para resolver estes problemas.
mesmos, a fim de que comportamentos de
risco da sociedade como um todo possam • Saber que existe uma força maior que é
ser modificados. Deus e a importância desta busca através
de momentos de espiritualidade.
1.2. EM SE TRATANDO DE JOVENS QUE
JÁ USAM DROGAS, QUAL DEVE SER A • Ter uma visão positiva de si (autoestima).
ATITUDE DA ESCOLA?
1.2 | PLANEJAMENTO DAS AULAS
De preferência a escola deve ter algumas
regras bem estabelecidas, tais como não OBJETIVOS:
autorizar o uso de drogas, sejam legais
(álcool, fumo) sejam ilegais (maconha, • Discutir a qualidade de vida num contexto
cocaína), nas suas dependências. Por outro mais amplo de saúde.
lado, seria abusivo e contraproducente a
escola tomar atitudes drásticas com alunos • Distinguir entre remédios e drogas ilegais.
que fazem uso de drogas (como a expulsão).
A exclusão só irá diminuir as chances de os • Identificar indivíduos de quem é seguro
jovens serem compreendidos e seus casos receber remédios.
tratados de forma adequada.
• Desenvolver a habilidade de ajudar os
Nesse sentido, se for detectado que os outros.
alunos estão utilizando algum tipo de droga
de forma abusiva, e a escola não souber lidar
• Aprender sobre a amizade.
com esse tipo de situação, ela deve procurar
apoio em serviços de saúde. Neles os alunos
• Identificar os sentimentos e como eles
receberão atendimento especializado e, se
afetam o comportamento.
for o caso, serão tratados. O mais importante
é estimularem as atividades criativas que
possam absorver e entusiasmar os jovens. • Assumir responsabilidades pelos seus
Para alguém afastar-se das drogas, é atos.
necessário que existam outras opções
mais interessantes e prazerosas, que • Saber que as pessoas têm problemas e
possam ocupar o tempo que seria utilizado que é certo pedir ajuda.
com drogas, dentro de um contexto muito
saudável. • Perceber a importância da busca de
deus para o fortalecimento espiritual das
Abaixo, acrescento uma relação de temas pessoas.
para contribuir no planejamento das aulas.
• Levantar os aspectos positivos de si, para
1 | DA 1º À 4º SÉRIE a construção de uma boa autoestima.

1.1 | OBJETIVOS GERAIS: 2 | DA 5º à 8º SÉRIE

• Saber da importância dos cuidados com 2.1 | OBJETIVOS GERAIS:


a saúde, alimentação e hábitos saudáveis.
• Saber da importância dos cuidados com
• Saber da diferença entre remédios e a saúde, alimentação e hábitos saudáveis.
drogas, legais e ilegais (material de
limpeza, como álcool, detergentes). • Desenvolver a habilidade de saber
recusar e dizer não, quando não estamos
• Saber de quem pode receber remédios. de acordo com algo.

35
AOERGS

• Compreender a amizade. • Utilizar o raciocínio científico para chegar


a uma decisão.
• Compreender a importância de ajudar os
outros. • Ter senso crítico para avaliar filmes,
programas de televisão, propagandas e
• Aprender a lidar com as situações e com músicas como fontes de informação.
as pressões que apresentam.
• Compreender as consequências de
• Desenvolver estratégias de como lidar decisões a curto e a longo prazo.
com rejeições, frustações, decepções e
fracassos. • Saber quais os elementos de amizades
saudáveis.
• Ter compreensão das transformações
que ocorrem nesta idade, tanto com • Desenvolver estratégias para enfrentar o
relação ao corpo como com o emocional estresse.
(adolescência).
• Aprender a conhecer as suas emoções e
2.2 | PLANEJAMENTO DAS AULAS lidar com suas dificuldades e problemas.

OBJETIVOS: • Ter conhecimento dos fatores que


envolvem a adolescência, conhecimento
• Aprender e estimular hábitos, atitudes e do corpo, doenças contagiosas e as
comportamentos que possam contribuir sexualmente transmissíveis.
para uma vida mais saudável.
• Saber que as pessoas têm problemas e
• Aprender a avaliar a credibilidade de que é certo pedir ajuda.
fontes de informação e solicitações.
• Perceber os aspectos positivos e ter uma
• Saber como manter a sua individualidade visão positiva de si (autoestima).
e ainda pertencer ao grupo de colegas.
• Perceber a importância da busca de
• Compreender a importância de ajudar os Deus para o fortalecimento espiritual das
outros (solidariedade). pessoas.

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA


(SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL)
REUNIÃO COM PAIS 5º A 8º SÉRIES (POR SÉRIE)
ENTREGA DE AVALIÇÕES DO 2º BIMESTRE

Lourdes Alaídes Kalata Biberg


Orientadora Educacional
Porto Alegre, RS.

COMO OS PAIS E/OU RESPONSÁVEIS A família pode oferecer aos filhos um


PODEM FAZER PREVENÇÃO AO USO DE ambiente de amor e acolhimento, dando-lhes
DROGAS a estabilidade emocional necessária para
criar seu projeto de vida.
A família tem papel preponderante no
desenvolvimento saudável das crianças e No meio familiar, os pais devem administrar
adolescentes. Todas as experiências vividas normas de convivência que podem ser
no âmbito familiar serão carregadas em um modelo de aprendizagem, que facilita
boa parte ao longo do desenvolvimento dos a socialização dos filhos, a convivência
sujeitos. solidária e a autonomia. Ou seja, o que se faz

36
AOERGS

é muito mais importante do que o que se diz. • Saber fazer combinações.

Nas escolas, os programas de prevenção • Saber dizer não quando for preciso,
ao uso de drogas mais adequados devem mantendo a amorosidade (explicar o
ser discutidos dentro de um contexto porquê de tal posição).
amplo de saúde, buscando compreender
todas as consequências dos efeitos do uso • Desenvolver a autonomia e a
de drogas ilícitas para o seu organismo, responsabilidade.
assim como as consequências sociais
e emocionais no seu entorno. Os jovens REFERÊNCIAS
devem aprender a conhecer suas emoções
e a lidar com suas dificuldades e problemas. Um guia para a família da série “VAMOS
Reconhecer-se como seres incompletos, em DESCOBRIR UM BRASIL SEM DROGAS”,
constante aprendizagem, capazes de fazer do governo federal, guia para família
e refazer suas trajetórias de vida. A saúde (ayuntamento de Madri).
está determinada por nosso estilo de vida.
PREVENÇÃO é chegar antes, é evitar.

ALGUMAS ORIENTAÇÕES QUE PODEM


CONTRIBUIR:

• Manter o diálogo sempre.

• É importante favorecer o uso satisfatório


do tempo livre do filho.

• Saber escutar (encontrar um tempo para


isso) e compreender as diferentes fases
de desenvolvimento e suas caraterísticas.

37
AOERGS

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA

PROJETO “CIDADANIA - PRÁTICA DE VALORES NA


ESCOLA”
Lourdes Alaídes Kalata Biberg
Orientadora Educacional
Porto Alegre, RS.

APRESENTAÇÃO da existência social.

A educação em valores é uma exigência A noção de solidariedade, para os educadores


da sociedade atual, inserida no mundo em valores, não deve ser ensinada como
globalizado e marcada, no início deste simples substantivo feminino, reduzindo-a a
século, por tantas mudanças tecnológicas um conceito gramatical ou metalinguístico,
e novos paradigmas políticos, culturais e e sim como uma prática contra injúrias
educacionais, ora debatidos por diferentes que outros estejam sofrendo, no âmbito
agentes sociais. Temas como ecologia, político ou comunitário. Há ensino de valores
educação sexual, direitos e deveres do quando o professor, ao preparar suas aulas
cidadão, ética na política e na vida política, ou atividades curriculares, planeja, organiza,
são pautas de congressos, seminários, redireciona e avalia os temas transversais,
encontros internacionais, nacionais e locais. que não são assuntos que atravessam as
diferentes áreas do currículo.
Esses espaços de formação levam-nos a
crer que o currículo escolar, sem dúvida, Para que a educação em valores se realize,
ficou defasado, ou melhor, não conseguiu há, pois, necessidade de ser considerada no
acompanhar a velocidade de transformação plano do professor como objetivo geral da
do mundo pós-industrial. Por isso, a escola disciplina, em nível de transversalidade. Para
não pode, na atual estrutura da educação que a prática de valores seja uma realidade, o
básica em que as crianças e os jovens ficam educador terá de se organizar didaticamente
grande parte do dia na escola, deixar de para a instrução de valores dentro e fora da
ensinar a prática de valores. sala de aula. Assim, só podemos dizer que
um aluno aprendeu valores quando, após
O trabalho explícito com a prática de valores o desenvolvimento de conteúdos em sala,
pode advir das atividades docentes e os professores, na escola, em diferentes
curriculares no interior da sala de aula. Durante ocasiões, e os pais, no lar, observam que
uma aula de Língua Portuguesa, por exemplo, seus alunos ou filhos não apresentam
o professor comprometido com a educação melhor rendimento escolar, mas diminuíram
de valores não se limitará a indicar ou os conflitos interpessoais, estão mais
solicitar de seus alunos uma lista de palavras abertos à socialização e mais efetivamente
como justiça, dignidade e solidariedade, para assimilaram e integraram valores, atitudes
exemplificar os substantivos abstratos, como e normas na prática social, de modo que os
assinalam as gramáticas escolares. Mais do valores assimilados tenderão a acompanhá-
que abstratas, essas palavras, na sociedade, los por toda a vida.
são categorias que se aplicam às práticas
sociais, isto é, às atividades socialmente Em substância, podemos dizer que
produzidas e, ao mesmo tempo, produtoras educamos em valores quando os alunos

38
AOERGS

se fazem entender e entendem os demais • Ouvir (é a melhor maneira de formar


colegas: aprendem a respeitar e a escutar o pessoas seguras e felizes);
outro, aprendem a ser solidários e tolerantes,
a trabalhar em equipe, a compartilhar ou • Estimular a criança a dizer o que sente;
socializar o que sabem, a ganhar e perder, a
tomar decisões. Enfim, é assim o resultado • Valorizar (o melhor de cada um é
da educação em valores na escola: ajudar os essencial para o crescimento);
alunos a se desenvolverem como pessoas
humanas e fazer ser possível, visível ou real • Bater papo sobre valor (funciona mais do
o desenvolvimento harmonioso de todas as que sermão);
qualidades do ser humano.
• Acreditar no estudante (é uma forma de
Por estar inserida em determinada ajudá-lo a crescer);
comunidade, a escola traz para o seu
interior os conflitos, as aflições e as mais • Acreditar (para melhorar a imagem que a
diversas demandas comunitárias que criança tem de si mesma);
levam professores, alunos e gestores
escolares a criarem espaços em seus • Respeitar, ouvir e orientar (funciona tanto
projetos pedagógicos, para que as crianças quanto o elogio).
e adolescentes discutam e opinem sobre
suas inquietações e aspirações pessoais e
OBJETIVO
coletivas. É exatamente nesse momento,
quando os agentes educacionais criam
Reforçar a intenção da escola em ser um
espaços, ocasiões, fóruns para discussão
espaço social de construção dos significados
sobre a violência urbana, meio ambiente,
éticos necessários e constitutivos de toda e
paz, família, diversidade cultural, equidade
qualquer ação de cidadania, oportunizando,
de gênero e sociedade, informática, que
assim, que o aluno venha a ter maiores
a educação em valores começa a ser
objetivos para com a sua vida escolar, através
desenhada e vivenciada como processo
de um trabalho organizado e contínuo na
social que se desenvolve na escola.
escola, além de buscar estratégias para
uma conscientização da importância da
Não é uma tarefa fácil abordar a questão dos
pontualidade, assiduidade, participação e
valores na educação escolar. E sabemos o
comprometimento nas aulas, melhorando os
porquê. A pedagogia tradicional levou-nos a
índices de aproveitamento.
acreditar, por muitos séculos, que a principal
tarefa da escola era a de transmitir conteúdos
PÚBLICO ALVO: Toda a comunidade escolar.
escolares. É um modelo pedagógico que não
se enquadra mais às exigências do mundo
moderno. PERÍODO: Durante o ano de 2006

A educação escolar não se restringe mais, OPERACIONALIZAÇÃO


como no passado, a mera transmissão
de conhecimentos, em que a atividade de Após reflexões sobre o tema pela equipe
ensinar era centrada no professor, detentor pedagógica e administrativa, foi elaborado
dos saberes, e o aluno, um mero recebedor o projeto que será apresentado ao grupo de
da matéria. Na sociedade atual, com a professores, a fim de ser apreciado colocado
ampliação das ambiências de formação em prática.
escolar, o aluno passa a ser o centro do
processo didático-pedagógico, e a educação Serão fornecidos subsídios ao grupo, bem
escolar é agora entendida como processo de como a equipe administrativa e pedagógica
desenvolvimento físico, intelectual e moral do dará apoio e fará o acompanhamento
educando. contínuo para o bom desenvolvimento do
mesmo.
Enfim, para sermos uma escola acolhedora,
precisamos: As datas comemorativas, também estão
inseridas no projeto.

39
AOERGS

Sugestões a serem debatidas com o grupo • Caminhadas, teatros/dramatizações;


de professores:
• Jogos em sala de aula;
• Relato quinzenal ao SOP/SOE sobre o
andamento do projeto; • Trabalho com músicas;

• Apresentações dos alunos ao final do • Redações, narrações;


bimestre sobre temas pertinentes;
• Trocas de apresentações e
• Temas para os bimestres: 1º correspondências entre as turmas;
solidariedade, 2º respeito e honestidade,
3º meio ambiente, 4º paz; • Participação de pais para leitura e
reflexões de temas com as turmas.
• Pesquisa com jornais abordando
situações do cotidiano; REFERÊNCIAS:

• Leitura de um livro por bimestre nas séries Bondoni, Teresa. Da unidade à diversidade.
iniciais, com apresentação escrita e oral, Revista Diversidade.
refletindo com toda a turma, contribuindo
para a avaliação bimestral; Cavalcante, Meire. Como criar uma escola
acolhedora. Revista Nova Escola, Março
• Valorização dos projetos nas séries iniciais /2005.
pela titular da turma nos resultados das
avaliações; Martins, Vicente. Prática de valores na escola.
Revista construir Notícias.
• Autoavaliação com os alunos nos
aspectos de hábitos e atitudes;

• Avaliação anexa ao boletim;

• Montagem das regras de convivência,


juntamente com a turma, professores,
SOE/SOP;

40
AOERGS

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA

PROJETO: RECREIO COM BRINCADEIRAS


Lourdes Alaídes Kalata Biberg
Orientadora Educacional
Porto Alegre, RS.

JUSTIFICATIVA DESENVOLVIMENTO

Considerando a intenção do projeto A partir de um levantamento do que a


“Cidadania: Prática de valores na Escola” e escola dispõe de jogos e brinquedos,
a necessidade de oferecermos atividades organizar uma campanha com os pais
prazerosas e tranquilas para os alunos no para a arrecadação de brinquedos usados,
horário do recreio, justifica-se este projeto. mas perfeitos, para montarmos uma caixa
de brinquedos para os alunos pequenos.
OBJETIVO
Consertar alguns jogos que necessitam
Trabalhar a questão do recreio, oferecendo de reparos, adquirir outros, incentivar as
um espaço com oportunidades de rodas cantadas, etc. Formar um grupo de
brincadeiras jogos e uma melhor alunos que queiram colaborar, para serem
convivência aos alunos da escola através os “Ajudantes do Recreio” (como monitores).
de um trabalho planejado e acompanhando.
Realizar reuniões periódicas com este grupo,
alimentando o trabalho e acompanhando-o.
Serão fornecidos certificados de
PÚBLICO ALVO: Alunos dos turnos da participação como voluntários aos alunos
manhã e tarde. monitores. Agregar mais profissionais da
escola que queiram colaborar para o bom
INÍCIO DO PROJETO: andamento e consolidação deste espaço,
como um momento de lazer, prazer e
PERÍODO: Durante o ano letivo boa convivência. Estarão participando a
auxiliar de disciplina e duas estagiárias.
COORDENAÇÃO: SOE

41
AOERGS

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL AFONSO GUERREIRO LIMA


(SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL)

PROJETO INTEGRAÇÃO FAMÍLIA – ESCOLA – COMUNIDADE


(COMISSÃO DE PAIS DE APOIO À ESCOLA)

APRESENTAÇÃO PÚBLICO ALVO: Toda a comunidade escolar.

A família é fundamental na formação de PERÍODO: Durante o ano letivo


seus filhos. É um modelo de identificação
e de convivência. A família é um espaço de COORDENAÇÃO: SOE
crescimento e aprendizagem para todos
os seus membros. Considerando estes OPERACIONALIZAÇÃO
aspectos, é que propomos um trabalho
envolvendo uma maior presença da família Após uma sondagem com os pais, por
na escola. Para isto, oferecemos um espaço ocasião da primeira reunião no início do
para os pais e/ou familiares contribuírem nas ano, selecionaremos os que gostariam de
atividades de aula e participarem em eventos, participar, levando em consideração as opções
palestras, reuniões, no recreio ou em oficinas de cada um sobre a forma com que gostariam
para pais e alunos. de participar: primeiro, num trabalho com as
turmas; segundo, nos eventos; terceiro, como
Esta participação poderá se dar como oficineiro, socializando alguma habilidade ou
contribuição em trabalhos específicos na talento que tenha. Serão realizadas reuniões
turma, como, por exemplo, na leitura de um sistemáticas para o planejamento das ações
livro, de um texto ou de uma letra de uma e para avaliação.
música, e após fazer reflexões sobre o tema,
de acordo com a necessidade do grupo. AVALIAÇÃO: Será realizada após cada
atividade ou durante o andamento do
OBJETIVO trabalho.

Oportunizar aos pais um espaço para darem


sua contribuição à escola, inclusive às turmas,
participando nas questões da educação, dos
valores e da troca de experiências, visando a
beneficiar o aluno. Será uma forma de o aluno
valorizar a escola, dar mais importância a ela,
já que um familiar seu ou de um colega está
colaborando. Este trabalho é complementar
ao projeto “Cidadania: Prática de valores na
Escola”, que está sendo desenvolvido na
escola desde o início do ano.

42

Você também pode gostar