Você está na página 1de 6

O DOM DA PROFECIA

E O PROFETA
DE OFÍCIO
O DOM DA PROFECIA E O PROFETA DE OFÍCIO
ANDRÉ TANAKA -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Algumas pessoas acreditam que os dons espirituais cabem apenas aos líderes, presbíteros ou cristãos mais maduros,
quando, na verdade, os dons estão acessíveis a todos. Sobre o dom da profecia, há ainda mais enganos. Toda a Igreja é
profética, pois ela deve viver segundo a mente e o coração de Deus, fluindo no espírito da profecia. Até mesmo no nosso
convívio diário com as pessoas precisamos expressar a natureza e o caráter de Deus, essa é a forma de fazermos bom
uso do dom profético que nos foi amorosamente concedido. Sabemos que:

o testemunho de Jesus é o espírito da profecia. (Apocalipse 19.10)

Nossa conexão com Deus foi perdida por causa do pecado do orgulho cometido por Adão e Eva no Jardim do Éden.
Mas, após a morte de Jesus Cristo, nosso Salvador, esses dons foram disponibilizados a nós para restabelecer nossa
conexão com Deus. No entanto, em muitos de nós, o dom da profecia segue adormecido, e o Senhor quer despertar
Sua Igreja para essa dádiva – lembrando que Ele disponibilizou o Espírito Santo para nos guiar nesta jornada.

Em todos os casos, o dom profético é saber e comunicar a mente e o coração de Deus revelados através do Espírito
Santo. Deus tem pensamentos sobre todas as pessoas, e o profético descreve algo que Ele pensa, mesmo que essa
pessoa não o saiba.

O ministério profético é composto pelos dons do Espírito Santo e pelos dons de Cristo após Sua ascensão. Na
carta aos Efésios, Paulo lista os cinco ministérios de Cristo: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores.
Enquanto em Coríntios, o mesmo autor expõe os dons do Espírito: sabedoria, palavra da ciência, fé, dons de curar,
operação de maravilhas, profecia, discernir os espíritos, variedade de línguas e interpretação das línguas. Note que
nos dois relatos encontramos as palavras “profetas” e “profecia”. Contudo, mover-se no dom da profecia e ser, de
fato, um profeta são duas coisas distintas. Vamos entender melhor essas diferenças:

O dom do Espírito Santo

A história do cristianismo possui vários períodos de avivamento seguidos de temporadas de falta de fé e esperança.
Cremos que o Senhor deseja quebrar esse padrão repetido tantas vezes através da restauração do ministério profético.
Para essa ruptura, a Igreja precisa entender que Deus sempre terá mais revelações para nós, mesmo nos tempos
atuais. No século XVI, vivemos um tempo marcado pela compreensão da salvação. O século seguinte foi marcado pela
santidade, que nos levou a buscá-la mais profundamente. Já no século XVIII, a manifestação do poder do Espírito
Santo foi mais latente, e, hoje, temos vivido tempos de profundas revelações bíblicas.

Parece complexo, mas o dom da profecia é um dom, assim como o de curar, o de falar em línguas, o de ter
discernimento de espíritos etc., e é consequência do batismo no Espírito Santo. Perceba como a profecia é
exposta nas Escrituras:

Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro,


segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; a outro, no mesmo
Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; a outro, operações de
milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade
de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. (1 Coríntios 12.8-10)

2 VIDA EM COMUNIDADE
Esse texto nos mostra que existe uma atuação profética, que é diferente do profeta de ofício, como veremos
mais adiante. O Senhor nos incentiva a conhecer, desejar e procurar os dons espirituais, porém é importante
lembrar que Ele os distribui como quer.

Os dons de Cristo após Sua ascensão

Enquanto o dom da profecia é dado pelo Espírito Santo, o dom do ofício de profeta nos é concedido por Cristo
ressurreto, com finalidades específicas de preparação da Igreja para os últimos dias até a segunda vinda de
Jesus. Esses dons não podem ser indicados por homens, apenas pelo próprio Deus. A junção desses cinco ofícios
é de extrema importância na composição do Corpo de Cristo, a Igreja:

Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus,
para cumprir todas as coisas. E ele mesmo deu uns para apóstolos, e
outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores
e doutores. Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do
ministério, para edificação do corpo de Cristo. (Efésios 4.10-12 – ARC)

A importância do Ministério Profético

Por muito tempo, erroneamente, a profecia tinha apenas conotação de previsão do futuro ou adivinhações.
Mas o ministério profético deve funcionar como a nuvem e a coluna de fogo que guiavam o povo de Deus no
deserto após terem sido libertos da escravidão do Egito: dando direção e esperança.

A Palavra nos revela que, ao profetizar, devemos trazer esperança ao coração das pessoas:

Mas o que profetiza fala aos homens, edificando,


exortando e consolando. (1 Coríntios 14.3)

Isso significa que precisamos ser cuidadosos e cheios de amor ao compartilhar uma profecia. Com o tempo
e a prática, identificamos a melhor forma de entregar uma palavra. No fim das contas, compreendemos que é
mais importante a pessoa se sentir amada por Deus do que qualquer revelação que possamos dizer.

Mas, diante de tudo isso, surge a dúvida: afinal, como se relacionam o dom e o ministério? Tudo o que vivemos
no sobrenatural pode evoluir, inclusive, nossa atuação no dom profético, por isso temos seis níveis do profético.
O primeiro começa com o simples mover no dom da profecia, sendo o último a “profecia suprema”.

3 VIDA EM COMUNIDADE
NÍVEIS DE AUTORIDADE DO MINISTÉRIO PROFÉTICO

1. Ambiente profético

Neste ambiente, naturalmente, pessoas se movem no dom, entregam palavras e, quanto mais fluem, mais
profética fica a atmosfera daquele local. Este clima é intensificado quando um profeta de ofício está neste lugar.
Isso fica evidente na bíblia, conforme lemos um fato na vida de Saul:

Sucedeu, pois, que, virando-se ele para despedir-se de Samuel, Deus lhe mudou
o coração; e todos esses sinais se deram naquele mesmo dia. Chegando eles
a Gibeá, eis que um grupo de profetas lhes saiu ao encontro; o Espírito de
Deus se apossou de Saul, e ele profetizou no meio deles. (1 Samuel 10.9-10)

O Rei Saul não compartilhou uma profecia antes nem depois do seu encontro com o grupo de profetas, ele
apenas o fez no dia em que esteve com eles, e o espírito de Deus se apoderou dele.

Isso quer dizer que, quando você estiver compartilhando os pensamentos e desejos do Senhor onde existe a
presença de um profeta de ofício, será ainda mais fácil fluir neste dom. Portanto, exercite quando tiver essas
oportunidades. É importante ressaltar que, neste caso, a pessoa pode ainda não ter o dom da profecia, mas
acaba se movendo por conta da atmosfera.

2. Dom da Profecia

Este nível faz referência a quem recebe o dom da profecia. Existe uma diferença entre dom do Espírito e o
fruto do Espírito.

Equivocadamente, relacionamos que todas as pessoas que se movem nos dons do Espírito têm maturidade
espiritual – sendo que, na verdade, ela é demonstrada através do fruto, e não por meio do exercício do dom. Logo,
a nossa sabedoria vem do tempo que passamos com Deus no nosso lugar secreto e do quanto permitimos ser
transformados por Ele.

O desenvolvimento no fluir profético assemelha-se a uma criança aprendendo a andar. Primeiro, ela aprende
a engatinhar; depois, a andar; por último, a correr. Por isso, devemos começar aos poucos, entregando palavras
proféticas que apenas consolem a vida das pessoas, de acordo com a fé que temos.

Tendo, porém, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada:
se profecia, seja segundo a proporção da fé. (Romanos 12.6)

Portanto, precisamos plantar e cultivar a fé, para que, assim como um grão de mostarda, ela cresça e se transforme
em uma árvore frondosa. Lentamente, nossa fé contribuirá para o aperfeiçoamento no dom da profecia.

4 VIDA EM COMUNIDADE
3. Ministério do Dom da Profecia

Conforme a intimidade com Deus é aprofundada, mais afiados nos tornamos para ouvir o Espírito Santo
e fluir no dom do profético. Depois de passar tempo tentando, trabalhando, discernindo as vozes internas e
entendendo como Ele se comunica conosco, consequentemente, acabaremos sendo mais intensos ao profetizar.
Muitas vezes, aprendemos com os erros – e tudo bem, desde que não profetizemos coisas que vão alterar
significativamente a vida de alguém

Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em


que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou
de profecia, ou de doutrina? É assim que instrumentos inanimados, como a
flauta ou a cítara, quando emitem sons, se não os derem bem distintos, como
se reconhecerá o que se toca na flauta ou cítara? Pois também se a trombeta
der som incerto, quem se preparará para a batalha? (1 Coríntios 14.6-8)

O texto nos mostra que não adianta ter uma flauta se não sabemos tocar. Igualmente, é um desperdício
carregarmos o dom profético se não soubermos fazer bom uso dele. Quanto mais estivermos em sintonia com o
Espírito Santo, melhor fluiremos no dom.

Para isso, além da conexão com Deus, é importante ter um conselho profético: pessoas ungidas, de confiança e
que fluem no dom da profecia para nos aconselhar, ensinar e guiar. Assim, poderemos nos exercitar, e isso trará mais
segurança para ministrarmos. Dessa forma, é essencial tirarmos um tempo para orar individualmente sobre um
assunto específico e ver quais palavras o grupo trouxe em comum, de forma que uma palavra confirme a outra. Isso
vai trazer uma afinação para a nossa “flauta”: o fluir no dom profético.

4. Pregador Profético

O pregador profético é aquele que revela o coração de Deus, acessa coisas extremamente complexas e as
transforma em algo palatável para as pessoas. Ele não apenas traz uma palavra profética, mas revela direção
através da forma como comunica e consegue transmitir a mente do Pai. O dom da profecia é para edificação do
corpo de Cristo.

5. O Profeta de Ofício

O profeta de ofício é aquele que Deus chamou para ser profeta, e mesmo esse precisa desenvolver seu nível se
exercitando. Aquele que ocupa esse ofício traz direcionamentos certos para a Igreja, para as pessoas ou nações.
Normalmente, estes são os que conseguem apontar um número de CPF, um endereço ou nomes completos.
Porém, mais do que isso, eles indicam qual é o caminho certo para chegar ao local apontado pelo apóstolo. É um
nível completamente diferente do dom da profecia; neste caso, o profeta conhece o coração do Pai de forma
intensa e profunda, possui uma vida extremamente íntima com o Senhor. A Palavra diz que Deus revelaria
segredos para essas pessoas, cujo estilo de vida é transformado pela constante e intensa exposição à Presença.
Claramente, poucos fazem parte deste nível.

6. Bíblia

O único nível em que não existe a menor chance de erro é a Palavra suprema. A única profecia que é 100%
exata é a própria Bíblia. Caso você não viva num ambiente profético, ou não tenha direcionamento algum do
Senhor, leia as Escrituras para compreender, profundamente, a mente e o coração de Deus, afinal, são as Suas
palavras, promessas e profecias que estão registradas nesses textos.

5 VIDA EM COMUNIDADE
Por fim, é importante ressaltar que não podemos profetizar coisas negativas. Por exemplo, se vemos um
espírito de morte ao lado da pessoa, não devemos dizer: “Eu vejo que você tem tido muitos pensamentos
suicidas. Eu declaro agora: Morte, vá embora”. Isso não edifica nem exorta ninguém, pelo contrário, deixa a
pessoa assustada e com medo. Neste caso, seria adequado falar algo como: “Eu declaro vida sobre você, declaro
a paz do Senhor inundando todo o seu ser. Declaro disposição para seus dias, renovo e fôlego de vida”. Da mesma
forma, não é aconselhável dar datas, trazer profecias sobre casamentos, filhos nem respostas para grandes
decisões.

Para finalizarmos esta aula, coloque em prática aquilo que aprendeu respondendo às perguntas abaixo:

1. Em qual nível de profético você se encontra?

2. Qual é a definição de profético?

3. Quais são os níveis de profético?

4. Qual é a diferença entre dom profético e profeta de ofício?

5. Qual é a diferença entre dom do espírito e fruto do espírito?

DESAFIO PESSOAL:
Crie um conselho profético. Encontre pelo menos três pessoas que também estejam aprendendo a fluir no
sobrenatural e convide-as para fazer parte deste seu treinamento por sete dias. Durante esse período, definam algo
para pedir para que o Espírito Santo revele a vocês sobre outra pessoa.

Dia 1: Peça ao Espírito Santo uma palavra que vá trazer consolo a cada um do grupo;

Dia 2: Peça uma palavra que vá trazer encorajamento a cada um;

Dia 3: Pergunte qual é o versículo favorito de cada um;

Dia 4: Peça a Ele para mostrar a você um brinquedo que essa pessoa tinha durante a infância;

Dia 5: Pergunte qual é a comida que cada um do grupo comeu hoje;

Dia 6: Pergunte qual é a cor do sapato que a pessoa está usando hoje;

Dia 7: Pergunte sobre algo que Ele colocou em cada um do grupo no dia em que os criou.

6 VIDA EM COMUNIDADE