Você está na página 1de 6

Comissionamento

e transferência
Comissionamento
e transferência
ANDRÉ TANAKA -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quando ouvimos sobre comissionamento, certamente nos lembramos das palavras do nosso Mestre:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e
for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. Estes sinais hão de
acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas
línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará
mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. (Marcos 16.15-18)

E, de fato, a comissão que Cristo confiou a nós deve ser o projeto mais importante que temos, uma vez que
ela é a estratégia que permitirá a concretização da vontade de Deus por meio de nossas vidas. Contudo, a Bíblia
nos mostra que existe um padrão para que isso aconteça:

Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus,
santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua
vontade, assim na terra como no céu. (Mateus 6.9-10)

Diante da passagem que conhecemos como a “oração do Pai nosso”, Jesus revela que a forma como Seu Reino
será estabelecido na Terra é de acordo com os parâmetros que já existem no Céu. Essa estrutura celestial não
segue os moldes humanos, porque está fundamentada em princípios vindos do próprio Espírito Santo, como
justiça, paz e alegria:

Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça,


e paz, e alegria no Espírito Santo. (Romanos 14.17)

Entretanto, quando olhamos ao redor e vemos como nossa cultura está distante daquilo que Deus projetou,
podemos ficar desanimados, visto que a transformação do lugar onde vivemos pode parecer impossível de
alcançar. Porém, se observarmos as Escrituras, notaremos um novo conceito em relação a nossa realidade,
diferente da maneira como enxergamos naturalmente. Isto é, a mente humana compreende que tudo aquilo que
podemos ver com os nossos próprios olhos é real e concreto. Mas quando Jesus pede, na oração de Mateus 6.10,
por um Reino do Céu, Ele está estabelecendo um padrão de que, na verdade, a realidade é constituída não pelo
que é visível, e sim pelo que é eterno.

Portanto, se este mundo não é eterno, então podemos concluir que as experiências e percepções vindas dele
são abstratas. Como consequência, o Reino do Céu, por ser duradouro para sempre, afeta nossa dimensão
natural de forma concreta. Logo, a cultura de onde vivemos deve estar sujeita aos princípios celestiais, fazendo
com que toda doença, opressão e condenação deem lugar a um governo construído sobre justiça, paz e alegria.

2 COMISSIONAMENTO E TRANSFERÊNCIA
Uma vez que nós somos chamados para fazer parte dessa transformação social, precisamos entender que
somos revestidos de autoridade e poder, atributos esses com características diferentes. O primeiro deles é nossa
credencial para seguirmos em nome de Cristo no momento que fomos enviados na Grande Comissão. Outro
exemplo foi a comissionamento dos doze discípulos:

Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre


todos os demônios, e para efetuarem curas. (Lucas 9.1)

Já o poder é a capacitação recebida para cumprirmos a missão que nos foi atribuída:

Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na
cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. (Lucas 24.49)

Sendo assim, a única forma de termos sucesso na execução do nosso chamado é entendendo que precisamos
não somente de autoridade, como também de poder. Em Atos 2 lemos de que forma os discípulos foram
empoderados com a capacitação do Alto:

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo


lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e
encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas
entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles.
Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras
línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem. (Atos 2.1-4)

Esse texto relata os primeiros acontecimentos na igreja primitiva após a ascensão de Jesus. Antes disso, os
discípulos ainda não tinham manifestado poder algum, embora tivessem autoridade. Aquelas pessoas foram tão
impactadas que Pedro, o que havia negado a Cristo alguns dias antes por medo, se tornou ousado para anunciar
o Evangelho e levar três mil almas ao Novo Nascimento. Tudo isso em um único dia. Dessa mesma forma nós,
mediante o revestimento de autoridade e poder, somos capazes de cumprir o chamado da Grande Comissão
que nos foi confiado.

Contudo, para que isso aconteça, devemos ser bons mordomos das promessas que recebemos do Senhor,
reagindo com passos de obediência em direção aos Seus planos. Ao mesmo tempo, precisamos buscar o poder
do Alto em secreto, a fim de que estejamos aptos para sustentar o que Ele colocar em nossas mãos. Como
resultado, almas serão acrescentadas, tal como acontecia no livro de Atos:

Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia,


os que iam sendo salvos. (Atos 2.47b)

Diante disso, percebemos que os discípulos presenciaram um grande romper de desenvolvimento da Igreja
e do Reino. O motivo disso era que eles não transferiam a responsabilidade de cumprir a Grande Comissão para
outras pessoas ou situações. Pelo contrário, entenderam que a Terra seria moldada aos padrões celestiais por
meio do estilo de vida que tinham. Logo, se quisermos que nosso ambiente profissional, ministerial ou familiar
seja impactado com poder e autoridade, devemos assumir a posição de que somos os encarregados por atrair o
romper dos Céus. De outro modo, nós nunca veremos as promessas que foram lançadas sobre nossas vidas se
realizando enquanto estivermos nos escondendo atrás de desculpas.

3 COMISSIONAMENTO E TRANSFERÊNCIA
Assim como o enfermo no tanque de Betesda foi direcionado por Jesus a tomar uma decisão, precisamos
também abandonar as justificativas que nos impedem de alcançar níveis maiores em Deus:

Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo,


perguntou-lhe: Queres ser curado? Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não
tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois,
enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Então, lhe disse Jesus: Levanta-
te, toma o teu leito e anda. Imediatamente, o homem se viu curado e,
tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado. (João 5.6-9)

Da mesma maneira como Cristo ordenou para que o homem levantasse de seu leito, nós temos que reagir
à Grande Comissão com obediência, visto que já estamos revestidos de autoridade. À medida que dermos
os primeiros passos em direção ao nosso chamado, veremos que as circunstâncias se encaixarão em “efeito
dominó”. Uma após outra nos levando a uma experiência constante de crescimento para continuarmos a obra
iniciada em Jesus.

Porém, uma vez que estamos autorizados como cidadãos do Reino, não podemos esquecer que o poder exerce
uma função essencial para termos sucesso. Isso significa que a obediência não pode caminhar sozinha, mas
deve estar acompanhada pela capacitação que vem do Senhor. Portanto, quanto mais procurarmos conhecê-lO
e fazer da Sua presença nossa maior busca, mais ficaremos vulneráveis para sermos restaurados à Sua imagem.
No momento que nosso coração for alinhado com o d’Ele em secreto, poderemos caminhar em ousadia contra as
trevas, instituindo a cultura do Reino por onde quer que formos.

De acordo com o que você aprendeu nesta aula, responda:

1. O que mudou em sua forma de pensar depois desta aula?

2. Como a realidade do Reino pode ser concreta, mesmo sendo invisível?

4 COMISSIONAMENTO E TRANSFERÊNCIA
3. Quanto você acredita estar envolvido com a Grande Comissão? Por quê?

4. Qual a diferença entre autoridade e poder?

5. Como podemos ser capacitados para cumprir a missão que nos foi dada?

6. De que forma o chamado de Cristo sobre você afeta sua convivência com outras pessoas?

5 COMISSIONAMENTO E TRANSFERÊNCIA
5. O que você pode fazer para que as pessoas ao seu redor
sejam revestidas de autoridade e poder?

DESAFIO PESSOAL: Defina em seus devocionais um momento intencional de comunhão com o Senhor, a fim de que
Ele confirme as promessas que já estão sobre sua vida e lhe revista com poder para colocá-las em prática. Não se
esqueça de nos contar seu testemunho.

6 COMISSIONAMENTO E TRANSFERÊNCIA

Você também pode gostar