Você está na página 1de 8

UERJ FACULDADE DE TECNOLOGIA - ENGENHARIA QUÍMICA

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA E AMBIENTAL


QUÍMICA ANALÍTICA DE PROCESSOS – CARIN VON MÜHLEN

LISTA DE EXERCÍCIOS 4 – TITULAÇÃO ÁCIDO-BASE E PRECIPITAÇÃO

Titulação ácido-base
Estudo dirigido:
1) Qual é a estratégia adotada para realizar cálculos de pH em cada região da curva de titulação quando:
a) Se titula um ácido forte com uma base forte;
b) Se titula uma base forte com um ácido forte;
c) Se titula uma base fraca com um ácido forte;
d) Se titula um ácido diprótico com uma base forte.
2) O que é o tratamento sistemático do equilíbrio e quando deve ser aplicado?

Cálculos:
1) Calcule o pH, em cada um dos pontos, na titulação de 50,0 mL de uma solução de NaOH 0,0100 mol.L -1 com uma
solução de HCl. A solução titulante foi preparada a partir da diluição de 25 mL de uma solução 1,0 mol.L-1 de HCl em
uma balão volumétrico de 250 mL, com água destilada.
Volumes de ácido adicionados: 0,00 mL; 1,00 mL; 2,00 mL; 3,00 mL; 4,00 mL; 4,50 mL; 4,90 ml; 4,99 mL; 5,00 ml;
5,01 mL; 5,10 mL; 6,0 mL; 8,0 mL; 10,00 mL.

2) Qual indicador deve ser utilizado para detectar os pontos de equivalência:


a) Ba(OH)2 0,040 mol L-1 com HCl 0,100 mol L-1
b) 20 mL de Ácido propanoico 2×10-3 mol L-1 titulados com NaOH 0,00500 mol L-1
c) Quando 10 mL de H3PO4 0,100 mol L-1 foram transferidos para um balão volumétrico de 100 mL, que foi completado
com água destilada, e 25 mL dessa solução foram titulados com NaOH 0,100 mol L-1

3) 4-metil anilina, conhecida como p-toluidina (pka = 5,0) foi titulado com uma solução de KOH 1,00 mol L-1. A solução
de ácido tinha um volume de 100,00 mL e uma molaridade de 0,100 mol L-1. Determine o pH para os volumes
adicionados de base que são dados a seguir e faça um gráfico de pH versus Vb. Considere Vb = 0, 1, 5, 9, 9,9, 10, 10,1
e 12 mL.

4) 50,00 mL de uma amostra de vinagre (densidade 1,060 g/mL) foram diluídos a 250,00 mL em um balão volumétrico.
Uma alíquota de 25,00 mL de solução diluída foi adicionada à um erlenmeyer juntamente com 25 mL de água destilada
e o indicado. Essa solução foi titulada com 34,60 mL de NaOH 0,0965 mol L-1. Calcule a quantidade de ácido acético
(CH3COOH, MM 60,05 g/mol) em mg por mL de vinagre não diluído.

5) Uma solução contendo 50,0 mL de benzilamina 0,0319 mol L-1 foi titulada com uma solução de HCl 0,05000 mol L-
1
. Calcule o pH nos seguintes volumes de ácido adicionado: Va = 0;12,0; (1/2) de Ve; 30,0 mL; Ve e 35,0 mL.

6) Um composto dibásico B (pkb1= 4,00 e pkb2=8,00) foi titulado com uma solução de HCl 1,00 mol L-1. A solução
inicial de B tinha uma concentração igual a 0,100 mol L-1. E um volume de 100,00 mL. Determine o pH nos volumes
de ácido adicionados que são dados a seguir, e faça um gráfico do pH contra Va: Va = 0,0; 1,0; 5,0; 9,0; 10,0; 11,0; 15,0;
19,0; 20,0 e 22,0 mL.

7) 25 mL de uma solução de 2 –aminofenol 0,2000 mol/L foram diluídos em um balão volumétrico de 250,00 mL, e o
volume foi completado com água destilada. Calcule o pH quando 25,00 mL da solução de 2-aminofenol diluída são
titulados com 10,90 mL de uma solução de HClO4 0,01500 mol/L. PKa (NH3) = 4,78. Pka (OH) = 9,97. Qual indicado
você utilizaria nessa titulação? Fundamente sua resposta com base no princípio de ação dos indicadores ácido-base.

8) Determine a concentração de ácido fosfórico em uma amostra de refrigerante (em %m/v), sabendo que 10 mL da
amostra foram diluídos em um balão de 100 mL e alíquotas de 20 mL dessa solução foram tituladas contra NaOH 0,100
mol L-1 em triplicata. Nessa titulação, fenolftaleína foi utilizada como indicador. Os volumes de titulante consumido
foram de 15,30 mL, 15,32 ml e 15,32 mL, descontando o volume do branco. Sabendo que a incerteza da bureta é
estimada em 0,02 mL, calcule a incerteza relativa para essa medição.
9) Para realizar uma titulação ácido base, foi necessário preparar uma solução de NaOH à 0,1 mol/L de concentração
nominal. Para preparar essa solução, inicialmente foram preparados 100 mL uma solução estoque com concentração de
5% (m/v). Para essa solução, o NaOH (em lentilhas pequenas) foi pesado ao 0,1 mg e dissolvido em um béquer com
água, para então transferir para um balão volumétrico de 100 mL e completar o volume com água livre de CO2. Para
o preparo de 1L da solução 0,1 mol L-1 foi utilizado um cilindro e uma pipeta graduada. A solução de NaOH
na concentração nominal de 0,1 mol.L-1 preparada foi transferida para um frasco de plástico limpo e rinsado.
a) Qual foi a massa de NaOH pesada? b) Qual foi o volume da solução estoque transferido para o cilindro
graduado para o preparo da solução diluída?

10) Para padronizar a solução de NaOH à 0,1 mol/L de concentração nominal foi utilizado o biftalato de potássio,
KHC8H4O4. a) qual das duas substâncias é o padrão primário? Justifique sua resposta. b) Para consumir-se
cerca de 20,00 mL de titulante até a viragem do indicador, qual a massa de biftalato de potássio que deve ser
pesada ao 0,1 mg se for preparar uma solução de 100 mL e usar alíquotas de 20,00 mL de titulado em cada
erlenmeyer? c) sabendo que o pka do biftalato de potássio é 5,40, qual o pH do ponto de equivalência dessa
titulação? d) Qual indicador você utilizaria com base em qual argumentação?

11) a) Sabendo que foi pesada exatamente a massa calculada de biftalato de potássio da questão anterior, e que foram
gastos 20,05, 20,15 e 20,15 mL de titulante nas três titulações e 0,05 mL de branco, qual é a concentração exata de
NaOH e o fator dessa solução? Esse NaOH foi utilizado para titular 20 mL de ácido clorídrico 0,1000 mol/L-1.
Determine: b) pH em ½ do volume de equivalência (VE). c) o pH no VE. d) o pH da solução após 1 mL do VE.

12) A valeriana é uma planta herbácea, de sabor aromático pouco amargo. A diversidade de seus afeitos terapêuticos
são conhecidos desde os tempos do Renascimento. A associação entre Passiflora + Valeriana possui atividade calmante,
diminui a sensação ansiolítica e relaxa. O ácido valérico (ácido pentanóico) extraído das raízes da valeriana é uma ácido
graxo de cadeia linear, cujo pKa é 4,843. A mesma solução de NaOH da questão anterior foi utilizada para titular ácido
pentanóico presente em um extrato de valeriana. Para preparar a amostra, 10 mL do extrato foram diluídos em um balão
volumétrico de 250 mL. Uma alíquota de 15 mL dessa solução foi utilizada para cada titulação e, em média, 18,32 mL
de titulante, descontado o volume do branco. a) qual é a concentração de ácido pentanóico na amostra? Determine o pH
da titulação em: b) V=0, c) v=1/2VE, d) VE, e) V= 1,00 mL após o VE.

13) Após tomar um refrigerante, o Governador do Estado do Rio de Janeiro teve um mal estar.
Para averiguar se havia alguma alteração na composição desse refrigerante, seus assessores solicitaram uma análise do
teor de ácido fosfórico à um laboratório da UERJ. Para fazer essa dosagem, os laboratoristas realizaram uma titulação
ácido-base, utilizando uma alíquota de 10 mL de amostra, que foi diluída com água destilada em um balão volumétrico
de 200 mL, de onde foram retiradas alíquotas de 20 mL para cada titulação. Para essa determinação, até a mudança de
coloração do indicador alaranjado de metila no erlenmeyer, foram consumidos 13,28 mL de uma solução de NaOH,
cuja padronização resultou na concentração de 0,1013 mol.L-1. Uma segunda determinação foi realizada utilizando a
fenolftaleína como indicador. Nessa etapa, foram consumidos 26, 62 mL do mesmo titulante. Foi também realizado um
branco dessa titulação, onde foram consumidos 0,10 mL de titulante.
Qual foi o pH do primeiro e do segundo pontos de equivalência?
Qual foi a concentração (em % m/v) do ácido fosfórico no refrigerante que o governador tomou?
Você considera essa concentração fora da normalidade, considerando que a ANVISA estabelece como limite máximo
de ácido fosfórico em refrigerantes 0,07% (m/v) como P2O5, o que equivale a 0,09%(m/v) como H3PO4?

(para o H3PO4 PKa1 = 2,148, pKa 2 = 7,199 e pka3 = 12,15 / MM H = 1,000, P= 30,974, O = 15,999 g/mol).

Respostas:Titulação ácido-base:
1.VHCl V total [H+] adicionada [OH-] [H+] restante pH
0.00 50.00 0.00E+00 1.00E-02 1.00E-12 12.00
1.00 51.00 1.96E-03 7.84E-03 1.28E-12 11.89
2.00 52.00 3.85E-03 5.77E-03 1.73E-12 11.76
3.00 53.00 5.66E-03 3.77E-03 2.65E-12 11.58
4.00 54.00 7.41E-03 1.85E-03 5.40E-12 11.27
4.50 54.50 8.26E-03 9.17E-04 1.09E-11 10.96
4.90 54.90 8.93E-03 1.82E-04 5.49E-11 10.26
4.99 54.99 9.07E-03 1.82E-05 5.50E-10 9.26
5.00 55.00 9.09E-03 0.00E+00 1.00E-07 7.00
5.01 55.01 9.11E-03 5.50E-10 1.82E-05 4.74
5.10 55.10 9.26E-03 5.51E-11 1.81E-04 3.74
6.00 56.00 1.07E-02 5.60E-12 1.79E-03 2.75
8.00 58.00 1.38E-02 1.93E-12 5.17E-03 2.29
10.00 60.00 1.67E-02 1.20E-12 8.33E-03 2.08
2. a) azul de bromotimol, b) fenolftaleína (pH= 8,02) c) pH = 4,67 alaranjado de metila e 9,76 timolftaleína.
3. 3,00; 4,05; 5,00; 5,95; 7,00; 8,98; 10,96; 12,25
4. 40,10 mg/mL 5. 10,92; 9,57; 9,35; 8,15; 5,53; 2,74 6.( problema 12-23 do Harris) 11,49; 10,95; 10,00; 9,05; 8,00; 6,95;
6,00; 5,05; 3,54; 1,79.
7.

B + H2O  BH+ + OH-

VE1 = 0,0200 mol/L x 25,00 mL = 0,015 ml/L x VE


VE1 = 33,33 mL
VE2 = 66,66 mL

O maior pKa é Pka (OH) = 9,97, consequentemente, terá o maior kb: Ka1 = 1,07 x 10-10 Kb1 = kw/ka = 9,35 x 10-5
Para o NH3: Ka2 = 1,66 x 10-5 kb2 = 6,02 x 10-10

Titulação de uma base fraca por um ácido forte.

Logo, o ponto é antes do primeiro PE. Sistema tampão Henderson-Hasselbalch:

[B] = [0,02000 mol/L x 25,00 mL – (0,01500 mol/L x 10,90mL)] / (25,00+10,90 mL) = 0,009373 mol/L
[BH+] = (0,01500 mol/L x 10,90 ml)/35,90 mL = 0,004554 mol/L

pH = 9,97 + log (0,009373/0,004554) = 10,28

Calculando pelas frações volumétricas:

[B] = (33,33-10,9)/33,33
[BH+] = 10,9 /33,33

pH = 9,97 + log (22,43/10,9) pH = 10,28

Para escolher o indicador, calcular o pH no primeiro PE:

todo” o B foi convertido em BH+ , um ácido fraco, cujo pH é estabelecido pela reação
BH+  B + H+

Ka1 = [B][H+]/[BH+] [BH+] = 0,02000 mol/L *(25/(25+33,33) = 0,008572 mol/L


1,07 x 10-10 = x2/ 0,008572 mol/L
X= 9,577 x 10-7 pH = 6,01 A faixa de viragem de um indicador ácido base é pKa+_1 = poderia ser o
vermelho de metila.

Para o segundo PE:

todo” o BH+ foi convertido em BH22+, um ácido fraco, cujo pH é estabelecido pela reação
BH+  BH+ + H+
Ka2 = [BH+][H+]/[BH22+] [BH 2 2+] = 0,02000 mol/L * (25/(25+66,66) = 0,005455 mol/L
-5 2
1,66 x 10 = x / 0,005455
[H+] = 3,01x10-4 pH = 3,52 poderia usar o alaranjado de metila como indicador.

8. H3PO4
Fenolftaleína – segundo hidrogênio.
1 mol H3PO4 – 2 mols de NaOH
x------------------15,31mLxL/1000 mL x 0,100mol/L =1,531 x 10-3 mol
x=7,655 x 10-4 mol de H3PO4

7,655x10-4 mol – 20 mL
y--------------------100 mL
y= 3,8275 x 10-3 mol em 10 mL de amostra
ou 3,827 x 10-2 mol em 100 ml
1 mol de H3 PO4 tem --- 97,994g
3,827 x 10-2 --------------z
Z= 3,75 g/100 mL

Incerteza relativa = 0,02/15,31= 0,0013

9. a) 100 mL á 5%
5,0000 g
b) 1 mol de NaOH tem 39,997g
x ------------------------ 5 g
x=0,12501mol em 100 ml = 1,2501 mol/L

1,2501 mol/L x V1 = 0,100 mol/L x 1000 mL


V1= 79,994 mL
Considerando uma pipeta graduada de 100 mL, o volume transferido seria de 80 mL.

10. a) O padrão primário é o biftalato de potássio, porque ele não é higroscópico, é estável à luz, de estequiometria conhecida e alta
pureza.

b) 0,1 mol/lL em 100 mL


1 mol de biftalato tem ---- 204,222g
0,01 mol ----------------------m
M= 2,042g

c) no pE: VE=20,00 mL
M- + H2O ↔ MH + OH- pka=5,40 Ka = 3,98 x 10-6 kb = Kw/ka = 1x10-14/ 3,98 x 10-6 = 2,51x10-9
Kb = [MH] [OH-] / [M-]
[OH ] = kb/ [M-]
- 2
[OH-]2= 2,51x10-9x0,05mol/L [OH-]= 1,25 x 10-10
-
[M ]= 0,1 mol/L/2 = 0,05 mol/L pOH= 4,95
pH= 9,05

d) o indicador utilizado seria a fenolftaleína, considerando o intervalo de pka de 9,30+-1, o pH ainda estaria dentro dessa faixa.

11. C1V1=C2V2 0,1000 mol/L x 20,00 mL = C2 x 20,07 mL


C2= 0,09967 mol/L
Fator= concentração real/nominal = 0,9967
a) VE = 20,07 mL. 1/2VE= 10,03 mL
Para ácido forte, ½ de Ve= ½ da concentração: 20,00 mL x 0,05000 mol/L = (20,00 + 10,03 mL) x C2
C2= 0,03330 mol/L de H+
pH= 1,477

b) No VE, ácido forte e base forte, pH=7,00


c) Considerar apenas a diluição da base: 0,09967 mol/L x 1 mL/41,07 mL = 2,427 x 10-3 mol/L de OH-
pOH=2,61, pH=11,38

a) 12) 0,09967 mol/L x 18,32 mL= C2 x 15,00 mL


C2= 0,1217 mol/L de ácido pentanóico no erlenmeyer
0,1217 mol/L x 250 mL = C3 x 10,00 mL
C3= 3,043 mol/L de ácido pentanóico no extrato

b) Ka= x2/(C2 – x)
1,435 x 10-5 = x2/(0,1217)
X= 1,322 x 10-3 mol/L]
pH= 2,879 (0,5)

c) ½ de VE, Hendersson –Hasselbalch, sistema tampão: pH = pKa = 4,843

d) VE = 18,32 mL
M- + H2O ↔ MH + OH- pka=4,843 Ka = 1,435 x 10-5 kb = Kw/ka = 1x10-14/ 1,435 x 10-5 = 6,966x10-10
Kb = [MH] [OH-] / [M-]
[OH-]2 = kb/ [M-] [OH-]2= 6,966x10-10x0,05479 mol/L [OH-]= 6,177 x 10-6
-
[M ]= (0,1217 mol/Lx15,00 mL/(15,00 mL + 18,32 mL) = 0,05479 mol/L pOH= 5,209
pH= 8,79
d) Considerar apenas a diluição da base: 0,09967 mol/L x 1 mL/34,32 mL = 2,904 x 10-3 mol/L de OH-
pOH=2,537, pH=11,463

13. pH PE1 = ½ (pka1 + pka 2) = ½(2,148+7,199) = 4,67


pH PE2 = ½ (Pka2 + pka3) = ½ (7,199+12,15)= 9,68

13,28 mL x 0,1013 mol.L-1 = 20 mL x X


X = 0,06726 mol L-1.

10 mL x X = 200 mL x 0,06726 mol L-1.


X = 1,345 mol L-1 de ácido fosfórico na amostra.

PE2
(26,62-0,10 mL)x 0,1013 mol L-1 = 2 x 20 mL x X
X= 0,06716 mol L-1.

0,06716 mol – 1000 mL


X ------------200 mL
X= 0,01343 mol

0,01343 mol – 10 mL
X ---------------1000 mL
X = 1,343 mol L-1
Como a determinação do segundo PE é considerada mais precisa, essa será a concentração utilizada para os cálculos.
MM H3PO4 = (1,008 g x 3) + 30,974 g + (15,999 x 4) = 97,994g / mol

1 mol – 97,994g
1,343 – x
X= 131,60 g

131,61 g – 1000 mL
X ----------100 mL
X = 13,16 % (m/v)

P2 O5 – 141,943g / mol.

1 mol – 141,943 g
X - 0,07g
X=4,932 x 10-4 mol.

2 mol H3 PO4 – 1 mol de P2 O5

9,863 x 10-4 mol / 100 mL de H3PO4

1 mol de H3 PO4 tem ------- 97,994 g


9,863 x 10-4 mol -----------
X = 0,097 g de H3 PO4/100 mL
Titulação por precipitação

Estudo dirigido:
1. Em que o método de Fajans é superior ao método de Volhard considerando-se a titulação de íons cloreto?
2. Por que as cargas na superfície das partículas de precipitados mudam de sinal no ponto de equivalência em
uma titulação?
3. Explique como ocorre a viragem do indicador em uma titulação argentimétrica de Mohr.
4. Por que o tiossulfato de sódio pode ser utilizado como padrão primário e o nitrato de prata não?

Cálculos:

1.Considere a titulação de 25,0 mL de uma solução de KI 0,08230 mol L-1 com uma solução de AgNO3 0,05110 mol L-
1. Calcule o pAg+ nos seguintes volumes de Ag+ adicionados: a) 39,00 mL; b) Ve; c) 44,30 mL.

2.Realizar os cálculos necessários para gerar uma curva de titulação para uma alíquota de 50,00 mL de solução de NaCl
0,05000 mol L-1 com Ag NO3 0,1000 mol L-1 (para o AgCl Kps = 1,82 × 10-10). Traçar um gráfico de pAg x VAgNO3
– Curva de titulação.

3. Um tanque contém uma solução de NaBr. 25,00 mL desta solução foi titulada com 29,65 mL de AgNO3 0,0975
mol/L. 275 g de NaBr é agora adicionado ao tanque e misturado. 25,00 mL desta nova solução foi então titulada com
42,18 mL da mesma solução de nitrato. Calcule o volume do tanque.

4. Escreva uma marcha analítica para íons cloreto em soro fisiológico. Utilizando o Método de Mohr. Incluindo
volumes e massas de reagentes. Dados (M.M. AgNO3 = 169,873 g/mol e NaCl = 58,442 g/mol).

5. Uma amostra de 8,165g contendo brometo é analisada pelo método de Volhard. Essa amostra foi dissolvida em água
destilada e transferida quantitativamente para um balão volumétrico de 100 mL. 10 mL dessa solução foram transferidos
para um erlenmeyer e 50,0 mL de solução de AgNO3 0,1214 mol/L são adicionados para precipitação de AgBr. O
excesso de Ag+ é então titulado com solução padrão de SCN- 0,1019 mol/L, gastando-se 11,76 mL. Calcule a
porcentagem de brometo na amostra.

6. Uma solução padrão de Ag+ foi preparada pela dissolução de 1,2243g de AgNO3 seco (MM 169,87g/mol) em água
em um balão volumétrico de 250,00 mL. Uma diluição foi feita pela transferência com pipeta volumétrica de 10,00 mL
dessa solução para um segundo balão volumétrico de 250,00 mL, e diluída até a marca. a) Encontre a concentração de
Ag+ na solução diluída. b) Uma alíquota de 25,00 mL de uma solução de uma amostra amostra contendo Cl- foi titulada
com a solução diluída de Ag+, e o ponto de equivalência foi atingido om a adição de 37,38 mL da solução de Ag+.
Encontre a concentração de Cl- na amostra sabendo que a solução da amostra foi preparada pela diluição de 10 mL de
amostra em um balão volumétrico de 100 mL, sendo o volume completado até o menisco com água destilada.
c) encontre o PAg para essa titulação em ½ de Ve, no Ve e em 10 mL de titulante após o Ve, sabendo que o Kps do
AgCl é 1,8 x 10-10.

7. Uma solução contendo 25,00 ml de Hg2(NO3)2 0,04132 mol L-1 foi titulada com uma solução de KIO3 0,05789 mol
L-1.
Hg22+ + 2IO3- ↔ Hg2 (IO3)2 (s)

O produto de solubilidade para o Hg2(NO3)2 é 1,3 x 10-18. Calcule a concentração dos íons Hg22+ na solução (a) após a
adição de 34,00 mL de KIO3 , (b) após a adição de 36,00 mL de KIO3 e (c) no ponto de equivalência.

Respostas:

Precipitação: 1. a) 13,08 b) 8,04 c) 2,53

5. Calcular o excesso de Ag+:

0,1019 mol – 1000 mL


x----------------11,76
X= 0,001198 mol SCN ou Ag+
0,1214 mol –1000 ml
y----------------50 ml
y= 0,006070 mol de Ag+
0,006070-0,001198 = 0,004872 mol de Ag+ que reagiram com o brometo, logo:

0,004872 mol – 10 mL
z------------------100 mL
z=0,04872 mol

1 mol de bromo tem 79,904g


0,04872 mol ---------w
W=3,893g

8,165g ---100%
3,893g –A
A=47,68% de brometo na amostra.

6. 1,2243g – 250,00 mL
a) 1 mol AgNO3 – 169,87g
X – 1,2243g
X = 7,2072 x 10-3 mol

7,2072 x 10-3 mol – 250 mL


X ---------------------1000 mL
X = 0,028828 mol L-1

C1V1=C2V2
0,028828 mol L-1 x 10,00 mL – X x 250,00 mL
X = 1,1531x 10-3 mol L-1
A concentração da solução de AgNO3 será 0,0011531 mol L-1.

b) C1V1 = C2V2
1,1531x 10-3 mol L-1 x 37,38 mL = C2 x 25,00 mL
C2 = 1,7242 x 10-3 mol.L-1
Diluição da amostra à 10%, concentração final = 0,01724 mol L -1

c) PAg em ½ de VE : [Ag+] = Kps/[Cl-]


[Cl-] = (1,724 x 10-3/2) x (25,00 mL /(25,00 mL+18,69 mL)

[Cl-] = 4,933x 10-4 mol.L-1

[Ag+]= 1,8 x 10 -10/ 4,933x 10-4 mol.L-1


[Ag+]= 3,649 x 10-7
pAg = 6,44

d) No VE = 37,38 mL
[Ag+]²= Kps
[Ag+] = 1,34x10-5
pAg = 4,87

e) 10 mL após o VE = 47,38 mL
[Ag+] = 1,1531x 10-3 mol L-1 x (10 mL/(72,38 mL)
[Ag+]=1,5931 x 10-3 mol L-1 pAg = 3,798

7. (Ex pg 138 Harris exp)


Ve x 0,05789 mol/L = 2 x 25,00 x 0,04132 mol L-1
Ve=35,69 mL

a) Antes do PE:
[Hg22]= (35,69-34,00/35,69) x 0,04132 molL-1 (25,00/(25,00+34,00) = 8,29 x 10-4 mol L-1

b) 0,31 mL após o PE
[IO3-]= 0,05789 mol/L (0,31/(25,00+36,00)) =2,9 x 10-4 mol/L

[hg22+]= kps/[IO3-]2 = 1,3 x10-18/(2,9x10-4)2 = 1,5x10-11 mol L-1


c) No PE Hg2 (IO3)2 ↔ Hg22+ + 2IO3-
X 2x
2
X (2x) = kps x=[Hg22+]= 6,9 x 10-7 mol L-1

Você também pode gostar