Você está na página 1de 2

Como ler e entender roteiros: Um mini-curso

Com a publicação das cenas do roteiro, nós Twilighters reparamos que muita gente
(inclusive nós) tem problemas para decifrar a linguagem de um roteiro cinematográfico.
Nada mais normal, afinal, acredito que a maioria aqui não tem experiência na área!
Roteiros devem ser lidos/escritos de um modo que ao ler tu imagine exatamente o que o
roteirista quis dizer, a leitura deve fluir e por isso existem regras de formatação. O roteiro
de “Crepúsculo”, por exemplo, tem 109 páginas, roteiros são formatados de modo que cada
página se transforme em 1 minuto na tela. Claro que isso varia muito. Essas variações
podem ser calculadas pelo número de diálogos numa mesma página (diálogos acontecem
mais rápido do que descrições) ou pela quantidade de ações que o personagem faz na
mesma página (o que deixa o tempo daquela página com uma “minutagem” maior).
E porque nós realmente queremos que todos aproveitem ao máximo as traduções do
roteiro, estamos dando uma adaptada para ficar um modo mais literário, mas como isso
também não resolve todos os nossos problemas, preparamos um mini-guia de como ler e
entender roteiros de cinema. Esperamos que vocês aproveitem!

- Roteiros sempre são escritos no presente, não existe verbo no passado ou no futuro, visto
que eles narram uma ação do momento.
- Não deveria existir gerúndio também, mas dá pra notar que a Melissa Rosenberg gosta de
usar (além de que também não deveriam ter sublinhados, negritos ou itálicos).
- V.O.(que aparece ao lado do nome de quem fala o diálogo, nós deixamos como Narração)
significa Voice Over, ou seja, é a voz por cima da imagem, mais ou menos como uma
narração. O personagem NÃO está falando isso em cena, seria como num flashback
(quando lembra do passado) ou num flashforward (quando é do futuro).
- O.S., essa sigla vai vir no mesmo lugar do V.O., porém significa Off Screen, ou seja, o
personagem está fora da tela, mas dentro do tempo do filme. Como se ele estivesse no
telefone, ou em outro cômodo onde a câmera não está (Ex.: Estou falando lá da cozinha,
mas a câmera está na sala).
- Parênteses com frases entre pedaços de um diálogo, significam indicação de uma ação
que o personagem faz enquanto fala. Ex.:
CHARLIE
Você cortou o cabelo.
(ele coça a cabeça)
Mas eu gostei.
- O que fica em CAIXA ALTA são indicações que são importantes no roteiro. Sons, sempre
ficam em caixa alta (como ESTALIDO), que é para o pessoal na pós-produção poder saber
certinho aonde que vai cada som.
- Indicações abaixo do nome do personagem e em cima da fala dele significam indicações
para o ator e são sempre no gerúndio. Ex.:
BELLA
(suspirando)
Como eu queria ir para casa.
- FADE IN e FADE OUT são o modo de dizer que a tela 'abre' ou 'fecha', por exemplo, no
início de um filme, que a tela fica preta e depois aparece a primeira imagem.
- Cabeçalho:
CENA 1 - INTERNA – CASA DE CHARLIE – DIA
Significa que é dentro da casa do Charlie durante o dia (essa não era muito difícil).
CENA 2 - EXTERNA – ESCOLA DE FORKS – NOITE
Significa que é na parte de fora da escola de Forks, durante a noite.
- Sempre que um personagem aparece pela primeira vez, será descrito mais ou menos
assim: “ISABELLA SWAN, 17 anos, magra, com a pele branca e cabelos escuros.” Muitas
vezes ao invés de 17 anos, temos só o número “17” ao lado do nome, mas sim, sempre vai
indicar a idade.