Você está na página 1de 313

OTIS Service Center Brasil

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

L i n h a D e s i g n

• Indicador de posição seguimentado - D 01 • Painel de operações em aço inox - D02

Ordem de fornecimento Ordem de fornecimento


ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Insertos em alto relevo e Braile - D03 • Soleira para porta - D04

Ordem de fornecimento Ordem de fornecimento


ATC (artigo técnico de campo)

• Puxador de porta em aço inox - D05 • Grade de aço para porta - D06

ATC (artigo técnico de campo)

• Protetor acolchoado para cabina - D08 • Tapete personalizado para cabina - D13

Ordem de fornecimento Ordem de fornecimento


ATC (artigo técnico de campo)

Novos Kits ! L i n h a D e s i g n

• Substituição de botão redondo iluminado por:

- Botão NEL em controle microprocessado - D18

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

- Botão NEL em controle SELECTRON - D19

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

1
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

Novos Kits ! L i n h a D e s i g n

• Substituição de botão quadrado iluminado por:


- Botão NEL em controle ADV-311 - D20

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

- Botão NEL em controle SELECTRON - D21

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Substituição de painel de operação (POC) (6613E/F/G/GA)


e botoeira de andar (6600A) por botão NEL - D25

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Indicador de posição de 2” (10 seguimentos) no painel de


operação POC - D29

• Corrimão redondo parametrizado - D24

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Espelho de cabina - D25

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

2
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

Novos Kits ! L i n h a D e s i g n

• Canto de cabina arredondado - D26

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Rodapé de cabina - D44

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Inserto Braile para porta batente de portas de pavimento - D43

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Subteto curvo parametrizado - D23

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

3
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

L i n h a P e r f o r m a n c e

• Amortecedores - P01 • Sistema de nivelamen. REED SWITCH - P02

ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Ventilação para motores - P04 • Ventilação para cabina - P05

ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Painel de proteção para motores J3P - P07 • Lubrificador e limpador de guias - P09

ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Amortecedor externo - P10

ATC (artigo técnico de campo)

Novo Kit ! L i n h a P e r f o r m a n c e

• Proteção anti-raio - P03

ATC (artigo técnico de campo)

4
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

L i n h a S e g u r a n ç a

• Avental protetor - S01 • Iluminação e alarme de emergência - S02

ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Fecho com sist. chave de emergência - S03 • Disp. Levant. de degraus Esc. Rolante - S04

ATC (artigo técnico de campo)

• LAMBDA II - S06 • Barricada de prot. Escada Rolante - S07

ATC (artigo técnico de campo) ATC (artigo técnico de campo)

• Sist. monit. Segur. Escadas Rolantes - S11 • Iluminação para casa de máquinas - S12

ATC (artigo técnico de campo)

• Lustre para fundo do poço - S13 • Chave geral para casa de máquinas - S14

ATC (artigo técnico de campo)

• LAMBDA 3D - S15

ATC (artigo técnico de campo)

Novos Kits ! L i n h a S e g u r a n ç a

• Sistema de resgate OTISMATIC - S15

Ordem de fornecimento

5
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

Novos Kits ! L i n h a S e g u r a n ç a

• Limitador para alongamento de cabos de tração - S17

ATC (artigo técnico de campo)

• Luz de emergência para casa de máquinas - S18

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Iluminação para passadiço / poço do elevador - S19

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Sensor de carga para elevadores - S20

ATC (artigo técnico de campo)

6
OTIS
○ ○ ○ ○ ○
Kit
○ ○ ○ ○ ○ ○

Novos Kits ! L i n h a S e g u r a n ç a

• Câmera de circuito fechado de TV para elevadores - S22


Lista de preço
Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Sintetizador de voz - S23

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

• Intercomunicador de 3 pontos - S24

Ordem de fornecimento
ATC (artigo técnico de campo)

7
DESIGN INDICADOR DE POSIÇÃO SEGUIMENTADO - D01

O indicador de posição é a única forma que o Elevador tem


para se comunicar com você. O INDICADOR DE POSIÇÃO
SEGUIMENTADO faz com que essa comunicação seja o mais
eficiente e prático possível:

· Substitui os indicadores mais antigos do tipo colmeia


ou à válvula por um mais moderno e eficiente;
· Pode ser utilizado nos painéis de operações e nas
lanternas e botoeiras de andar;
· Proporciona uma visão muito mais clara e visível da
sinalização do andar;
· Atende as necessidades tanto de1 quanto de 2 dígitos,
em caso de edifícios mais altos;
· Um ano de garantia.

· Display eletrônico digital de 10 seguimentos;


· Visor em acrílico vermelho;
· 110V.

Indicador de posição segmentado

O seu Elevador em forma de novo, com cara de novo.


KTS-133 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Indicador de posição seguimentado - VS0D01

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Condição 'A' S-G-T-P-L-M-C-O-1 ao 9


Condição marcação
Condição 'B' S-1S-2S-3S-G-1G-2G-3G-T-P-L-1L-2L-3L-M-1M
2M-3M-C-O-A ao 39

Número de indicadore(s) Indicadore(s)

SIMPLEX
Comando
DUPLEX

N° de paradas N=

Velocidade V= m/s

D01-A (PARA INDICADOR À VÁLVULA BO6395H/J)


D01-B (PARA LANTERNA DE ANDAR BOA9582D)
OTIS KIT D01-C (PARA POC BOA6613B E BOA6985G)
D01-D (PARA POC BO6613A)
D01-E (PARA BOTOEIRA DE ANDAR TIPO BO9720__ )
D01-F (PARA BOTOEIRA TIPO “COLMÉIA”)

Observações:

Folha 1/1
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – E.03.04
OTIS
DATA : 15/07/01
OPERAÇÕES
DE SUBSTITUIÇÃO DO INDICADOR DE REVISÃO : 0
CAMPO POSIÇÃO SEGMENTADO PÁG. 1 DE 3

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Descrição
0 Transcrição da ATC E.03.04 emitida por Sílvia Arassiro - 15/07/96

1. OBJETIVO:
Descrever o procedimento e instruções de montagem para a substituição do Indicador de
posição a válvula e colmeia para Indicador de posição Segmentado.

2. APLICAÇÃO:
Sistemas de marcação eletrônica de andares tipo colmeia e a válvula.

3. PROBLEMA:
Os indicadores de posição a válvula e colmeia possuem tecnologia antiga de baixo desempenho.

4. AÇÃO:
Desenvolvimento de indicadores de posição segmentado IPS digital.

4.1 Procedimento

Na substituição por IPS digital, todos os materiais serão fornecidos para a montagem completa
do conjunto, na obra.

1. O vidro BO499A2, deverá ser colocado na placa face existente com adesivo 3M-EC4475A.
2. O painel BO6843CW1, deverá ser preso atrás do vidro, com o auxílio dos suportes
BO180AG1 e respectivos parafusos e porcas, vide fig. 1.
3. Serão conectados ao painel com display, os condutores fornecidos através de terminais
específicos.
4. A fiação do passadiço/ cabina será aproveitada. Apenas as extremidades dos condutores,
terão seus terminais trocados.
5. Para a indicação de unidade e dezena, instalar vide fig. 2.
6. O painel decodificador PDI (BO6840AR1/AR2), deverá ser fixado no controle existente, no
mesmo local do anterior. Para a instalação vide fig. 3.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE OPERAÇÕES DE CAMPO


Ó

MARCELO YOSHINOBU KUBA SILVIA ARASSIRO FÁBIO PISA


C
DATA 15/07/01
SUBSTITUIÇÃO DO INDICADOR DE
OTIS ATC - E.03.04 POSIÇÃO SEGMENTADO
PÁG. 2 DE 3
REVISÃO : 0

FIG. 1
43SD181900

(1) BO175T51

BO180AG1

(2) BO6843CW1

FIG. 2

Para indicação de unidade e dezena (Botoeira) os


painéis devem ser considerados nas posições abaixo
indicadas.

Estes fechos deverão interligar


os pontos K1, K4e K10;
K5 e K9 respectivamente.
( ver detalhe na fig. 3)

OBS.: Para fazer estas


interligações, utilizar as
linhas restantes do cabo
BO174E2
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI
Ó
C
DATA 15/07/01
SUBSTITUIÇÃO DO INDICADOR DE
OTIS ATC - E.03.04 POSIÇÃO SEGMENTADO
PÁG. 3 DE 3
REVISÃO : 0

FIG. 3

PGC (39) HL1

3 K11U
2 FPS 1
UNIDADE
K10U
4
PIC K9U
K1
21 C
K8U
20 P K6 K8 K2
K7U
. T
. K6U K9 K10
. M
K5U
. L K5 K11 K3
K4U
G
K3U
PIB S
K2U K4
0...19 K1U

1M...3M
K10D
K9D DEZENA
1L...3L
. K5D K1
.
K4D
. 1G...3G
. K6 K8 K2
K3D
2
1S...3 K2D K9 K10
1 S
K1D K5 K11 K3
BARRAS PDI

NOTA: FAZER A CONEXÃO ENTRE OS CONTATOS DO K4


INDICADOR DE POSIÇÃO (PIC) E A INDICAÇÃO DESEJADA NO
PAINEL DECODIFICADOR (PDI) CONFORME CONTRATO.
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI
Ó
C
DESIGN PANIEL DE OPERAÇÕES EM AÇO INOX - D02

Para substituir as várias placas que formam o painel de


operações em acrílico, a OTIS desenvolveu o PAINEL DE
OPERAÇÕES EM AÇO INOX:

· Possui um design diferenciado e moderno, contendo


informações personalizadas sobre a capacidade e
número de pessoas;
· Uma placa de aço apenas ao invés de várias em acrílico
para formar o painel;
· Tamanho de 190 x 520mm para até 14 paradas;
· Tamanho de 190 x 570mm para até 20 paradas;
· Instalação em duas horas.
· Um ano de garantia.

· Placa face em aço inox lixado com espessura de


1,9mm;
· Botões redondos e iluminados contendo as marcações
dos andares;
· Fechadura Yale para serviço independente;
· Painel de chamada eletrônico à tiristor.

PAINEL DE OPERAÇÕES EM AÇO INOX

O seu Elevador em forma de novo, com cara de novo.


MKTS-034 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição da placa face POC - VS0D02

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

BO6613C
POC existente
BO6613D

Número de paradas parada(s)

Marcação de andar

Número de pessoas pessoas

Capacidade Kg

Observações:

Folha 1/1
No. D.4.05
UNIDADE ELEVADORES OTIS LTDA. DATA: 06/08/96
DE
REVISÃO: 0
SERVIÇOS
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO PÁG. 1 DE 1

TÍTULO:
SUBSTITUIÇÃO DA PLACA FACE (POC)
BAQUELITE PARA AÇO INOX

1. ASSUNTO: Descrever o procedimento para substituir a Placa Face (POC)


baquelite para aço inox.

2. ABRANGÊNCIA: Gerentes de CSO/CR; Chefes de Serviços; Técnicos e


Mecânicos.

3. RESPONSABILIDADES: A substituição do POC deve ser executada por um


técnico qualificado, sendo de responsabilidade deste e da sua supervisão, o
atendimento das instruções aqui descritas.

4. PROCEDIMENTO:

SEGURANÇA
Cumprir todos os procedimentos de Segurança em vigor, durante a execução
desta instalação.

1. Desconectar o ponto 1(K16) e o ponto 3 (HL1) do painel de chamada;


2. Desconectar os pontos de ligação do botão de Alarme e fechadura de Serviço
Independente;
3. Retirar a placa face de baquelite, desconectando e identificando os pontos 2
(CA_) dos painéis de chamada;
4. Conectar os pontos 2 (CA_) dos painéis de chamada do novo POC;
5. Conectar os pontos de ligação do botão de Alarme e fechadura de Serviço
Independente , o ponto 1(K16) e o ponto 3 (HL1) do painel de chamada;
6. Fixar o POC com 6 parafusos antivandalismo;
7. Testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de carro.
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


Ã
N
A
PI

GERENTE ENGENHARIA DE SERVIÇOS: GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING:


Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO JOSÉ AMORIM FLÁVIO MATTOS


C
DESIGN INSERTOS EM ALTO-RELEVO E BRAILE - D03

A função principal do elevador é proporcionar o máximo em conforto


e segurança para todos os usuários. No caso de deficientes físicos, o
elevador pode muitas vezes ser uma necessidade importantíssima.
Como líder mundial, a OTIS sempre tem muito cuidado em atender
todos os usuários. Para permitir a utilização do elevador a portadores
de deficiência visual, a OTIS desenvolveu os INSERTOS EM ALTO
RELEVO E BRAILE:

· Instalados no painel de operações da cabina, permite que


portadores de deficiência visual comandem o elevador com
facilidade;

· Atendem à norma ABNT – Elevadores para portadores de


deficiência Física e à lei n° 1042 de 01/04/96 – do DF 02/04/
96;

· Oferecem melhores condições de segurança e conforto com


custo acessível;

· Podem ser utilizados em qualquer tipo de painel de operações,


de aço inoxidável ou chapa de aço, com botões redondos,
quadrados ou antivandalismo;

· Feitos com chapa de aço inoxidável escovado de 0,4mm;


· Caracteres em alto-relevo com altura de 16mm;
· Sinalização Braile com altura de 0,5mmarredondada e polida;
· Dois formatos (oblongo ou oval estilizado) com dimensões de
21,5 x 30mm;
· Acabamento da sinalização : Espelhado ou pintado em preto;
· Tipos de marcações : G1, G1 à G4, S, S1 à S7, T, 1 à 40, C, P e SL;
· Tipos de símbolos : “abrir porta”, “fechar porta”, “alarme”,
“subir” e “descer”;
· Opção por substituição completa por um botão liso (sem
numeração);
· Instalação : Fixados no painel de operações ao lado esquerdo
do botão, com adesivo 3M de alta qualidade;
· Tempo médio de instalação : 1 hora por painel;
· Garantia de 1 ano.
MKTS-162 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Simbologia alfanuméria e Braile - VS0D03

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Acabamento Pintado Botão tipo BO323F2 (redondo acrílico)


Espelhado A323AF1 (redondo preto)
BAA323C1 (antivândalismo)
BX303MB1/B306GC2 (quadrado)
Número de paradas FAA25090A/J (Nel)

Qtd de POC'S

Marcações
1 15 29 G2 SL -7
2 16 30 G3 PB 1S
3 17 31 G4 SF 2S
4 18 32 S1 H 3S
5 19 33 S2 PG A
6 20 34 S3 RC L
7 21 35 S4 RE C1
8 22 36 S5 0 M
9 23 37 S6 -1 SS
10 24 38 S7 -2
11 25 39 T -3
12 26 40 C -4
13 27 G P -5
14 28 G1 SL -6

Observações:

Folha 1/1
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.04.07
DATA : 18/07/97
ENGa SERVIÇOS
SIMBOLOGIA ALFANUMÉRICA E REVISÃO : 0
UNSE BRAILLE PÁG. 1 DE 4

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 18/07/97 Preliminar

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalação dos Insertos com Símbolos


Alfanuméricos e Braille (PN. BAA232B e BAA232C), de forma a adequar os atuais POC´s às
normas de elevadores para “Portadores de Deficiência Visual”.

2. APLICAÇÃO: Para Painéis de Operações do Carro (POC) que utilizam os botões:


⇒ BO323F2(Redondo Acrílico)
⇒ A323AF1(Redondo Preto)
⇒ BAA323C2 (Antivândalo)
⇒ BX306MB1/B306GC2(Quadrado)

3. PROBLEMA: Os atuais POC’s não atendem às normas de elevadores para “Portadores de


Deficiência Visual”.

4. AÇÃO:

4.1. Acessar a casa de máquinas e proceder o bloqueio elétrico com o carro na última parada,
conforme as normas de segurança;

4.2. Acessar a cabina e limpar o POC com álcool isopropílico. Garantir que o POC esteja limpo,
desengordurado e seco;

IMPORTANTE
Instalar primeiro a carreira de botões do lado direito e posteriormente todos os botões
do lado esquerdo, começando sempre de cima para baixo.

OBSERVAÇÃO
Instalar o inserto com exatidão, pois uma vez colado, a tentativa de remoção danificará o
inserto e o POC.
4.3. Posicionar o gabarito no botão que será instalado o inserto Braille;

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
SILVIA YOSHIMI ARASSIRO JOSE AMORIM FLÁVIO MATTOS

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


OTIS ATC - D.04.07
SIMBOLOGIA ALFANUMÉRICA E DATA : 18/07/97
PÁG. 2 DE 4
UNSE BRAILLE
REVISÃO : 0

INSERTO

BOTÕES REDONDOS
BOTÃO QUADRADO

G
S

INSERTO
GABARITO

4.4. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege o inserto e fixá-lo no
POC com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10seg;

4.5. Liberar o elevador para o público somente 20min após a instalação.

5. MATERIAL:

INSERTO: SÍMBOLO ALFANUMÉRICO E BRAILLE


PARTE NÚMERO TIPO ACABAMENTO SÍMBOLO ALFANUMÉRICO

BAA250B_ - E ESPELHADO

BAA250B_ - P PINTADO EM PRETO

BAA250C_ - E ESPELHADO

BAA250C_ - P PINTADO EM PRETO

Marcação: G, G1, G2, G3, G4, S, S1, S2, S3, S4, S5, S6, S7, T,PB, C, P, SL, 1 ao 40
Símbolos: Abrir Porta, Fechar Porta, Alarme, Seta Subir e Seta Descer.

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


OTIS ATC - D.04.07
SIMBOLOGIA ALFANUMÉRICA E DATA : 18/07/97
PÁG. 3 DE 4
UNSE BRAILLE
REVISÃO : 0

GABARITO PARA INSTALAÇÃO


PARTE NÚMERO UTILIZADO PARA BOTÕES TIPO

BAA27CW1 BO323F2
(REDONDO ACRÍLICO) BAA27CW1
PARA BOTÃO
REDONDO
ACRÍLICO

BAA27CW2 A323AF1
(REDONDO PRETO) BAA27CW2
PARA BOTÃO
REDONDO
PRETO

BAA27CW3 BAA323C2
(ANTIVÂNDALO)
BAA27CW3
PARA BOTÃO
ANTIVANDALO

BAA27CW4
PARA
BOTÃO
BAA27CW4 BX306MB1/B306GC2 QUADRADO
(QUADRADO ACRÍLICO)

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


OTIS ATC - D.04.07
SIMBOLOGIA ALFANUMÉRICA E DATA : 18/07/97
PÁG. 4 DE 4
UNSE BRAILLE
REVISÃO : 0

• Deverão ser fornecidos os insertos correspondentes à marcação de andar e um


gabarito de acordo com o tipo do botão existente.

• O suprimento será feito normalmente pelo Service Center via Ordem Inter Office.

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


DESIGN SOLEIRA PARA PORTA - D04

SOLEIRA PARA PORTA

· Modelos diferentes para atender a todos os tipos e


tamanhos de porta existentes;
· Permite uma abertura e um fechamento de porta mais
suave, sem vibrações.

· Fabricado em alumínio extrudado;


· Fixada por parafusos;

SOLEIRA PARA PORTA - D04

O seu Elevador em forma de novo, com cara de novo.


MKTS-164 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Soleira para porta - VS0D04

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Padrão 50ADN

Quantidade:

Comprimento: mm

Padrão A50ABN

Quantidade:

Comprimento: mm

Padrão BO50BF

Quantidade:

Comprimento: mm

Padrão BX50ADN

Quantidade:

Comprimento: mm

Padrão BX50YX

Quantidade:

Comprimento: mm

Padrão BXA50ABM

Quantidade:

Comprimento: mm

Observações

Folha 1/1
DESIGN PUXADOR DE PORTA EM AÇO INOX - D05

PUXADOR DE PORTA EM AÇO INOX

· Em aço inox lixado, que garante mais durabilidade e


resistência;
· Design estilizado;
· Disponível para porta de pavimento tipo batente,
modelo “AK”;

· Fabricado em chapa de aço inox lixado com 2mm


de espessura;
· Empunhadura em plástico ABS.
MKTS-164 BR

OTIS
Kit
DESIGN GRADE DE AÇO PARA PORTA - D06

Em duas opções :

· Grade de aço inox que permite uma uniformização visual da


porta de pavimento de aço inox tipo batente, modelo “AK”,
substituindo as grades de aço pintadas, com acabamento em
esmalte sintético ou duco na cor escolhida pelo cliente;

· Design moderno, com maior espaço entre os furos da


grade, proporcionando maior resistência à corrosão;

· A substituição dos vidros aramados pela grade facilita o


fechamento das portas devido ao maior deslocamento de ar,
aumentando a vida útil dos amortecedores;

· Chapa de aço inoxidável ou aço pintado com


tratamento anticorrosivo, tipo “cataforese”;
· Dimensões de 770 x 115mm,com espessura de 0,9mm;
· Oito fileiras de furos, com diâmetro de 5mm cada, por toda
a extensão da grade;.
MKTS-164 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - E.01.01
DATA : 04/11/97
ENGa SERVIÇOS
REVISÃO : 0
UNSE GRADE PARA PORTA BO9515AK PÁG. 1 DE 1

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 04/11/97 Transcrição da ATC E.01.01 - BRASIL - de 20/05/94
Emitido por: Paulo Machado

1. OBJETIVO: Informar ao campo a introdução de novo produto.

2. APLICAÇÃO: Porta BO9515AK.

3. PROBLEMA: Foram registrados problemas de insatisfação de Clientes quando da


substituição das grades de portas de andar em unidades sob serviço (reparo "T"), em
função das grades BO49CM1 serem fornecidas pelo Service Center/SBC na cor azul
(cataforese), o que nem sempre permite harmonia estética para o Cliente.

4. AÇÃO: Visando eliminar este problema a Eng./SBC desenvolveu uma nova parte
número, BO49CM2, pela qual a grade receberá um acabamento na cor preta,
favorecendo assim a estética junto ao Cliente, principalmente nas unidades mais
antigas.
Favor divulgar esta informação junto aos Supervisores, Representantes de Vendas, e
demais envolvidos nos processes de materiais em sua CSO/CR.

BO 49 CM 2 BO 26 DY2 (PRETO)
BO 49 CM 1 BAA 26 M1 (AZUL)
PARTE N.º ACABAMENTO

5. MATERIAL: Não se aplica.


A
D
LA

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
TR
N
O
C

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS DIRETOR DE OP. CAMPO & MARKETING
ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO JOSE AMORIM FLÁVIO MATTOS
O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
DESIGN ACOLCHOADO PARA CABINA - D08

O Protetor Acolchoado para cabine mantém seu Elevador


totalmente recoberto para ser utilizado no transporte de
qualquer carga, afastando a possibilidade de dano e conservando
a cabine sempre nova.
Com um designe moderno que facilita a instalação, o Protetor
acolchoado é um item indispensável para seu Elevador.

· Material resistente e lavável;


· Disponível para cabines de tamanhos diferenciados;
· Formado por 3 módulos independentes que protegem
completamente o fundo e as laterais da cabine;
· A junção de módulos é feita rapidamente através de
velcros;
· A embalagem é uma prática bolsa com alça, fácil de
guardar e transportar;

· Material : Lonita sintética;


· Cor : Azul marinho;
· Espuma interna com espessura de 20mm;
· Logo OTIS bordado na cor azul;
· Os módulos são “pendurados” em pítons fixados na
cabine através de rebites de alumínio.

PROTETOR ACOLCHOADO PARA CABINE

Seu Elevador em forma de novo, com cara de novo.


MKTS- BR

OTIS
Kit
* ACOLCHOADO PARA POC FRONTAL *

Painel posterior à porta

Símbolo Dimensão mm
HL
PP
LP

Medidas em "mm"

Obs.: Deve-se preencher as três medidas para a especificação.

Contrato :
Des . BAA24700B

Unidade :
Filial :

Nota:
HL Altura da cabina
PP Profundidade da cabina
LP Largura do piso da cabina

Part number : BAA24700B -

Especificado por ______________________ Data ____/____/_________/

OTIS Protetor Acolchoado para cabina


Protetor lateral direito (como mostra)
Protetor lateral esquerdo (ao contrário)
* ACOLCHOADO PARA POC LATERAL *

Painel posterior à porta

Símbolo Dimensão mm
HL
PP
LP

Medidas em "mm"

Obs.: A soma das três medidas do POC em relação ao seu comprimento


teto e piso, devem coincidir com a medida "HL" da pequena tabela acima.

Qual a localização do POC ?


Des . BAA24700B

Direita
Esquerda

Nota: Contrato :
HL Altura da cabina Unidade :
PP Profundidade da cabina Filial :
LP Largura do piso da cabina

Part number : BAA24700B -

Especificado por ______________________ Data ____/____/_________/

OTIS Protetor Acolchoado para cabina


Protetor lateral direito (como mostra)
Protetor lateral esquerdo (ao contrário)
* ACOLCHOADO PARA LUZ LATERAL *

Painel posterior à porta

Símbolo Dimensão mm
HL
PP
LP

Medidas em "mm"

Obs.: A soma das três medidas do POC em relação ao seu comprimento


teto e piso, devem coincidir com a medida "HL" da pequena tabela acima.

Qual a localização do LUZ ?


Des . BAA24700B

Direita
Esquerda

Nota: Contrato :
HL Altura da cabina Unidade :
PP Profundidade da cabina Filial :
LP Largura do piso da
cabina
Part number : BAA24700B -

Especificado por ______________________ Data ____/____/_________/

OTIS Protetor Acolchoado para cabina


OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.00.08
DATA : 06/04/98
ENGa SERVIÇOS
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE REVISÃO : 1
UNSE CABINA PÁG. 1 DE 9

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 18/09/97 Preliminar
1 06/04/98 Introdução de acolchoados para cabinas com estéticas Luxor e
Precious.

1. OBJETIVO: Informar o procedimento para escolha e instalação de acolchoado para proteção


de cabina.

2. APLICAÇÃO: Para cabinas modelos com estéticas Standard, Luxor e Precious.

3. PROBLEMA: Por não haver uma proteção, podem ocorrer riscos ou danos nos painéis da
cabina durante o transporte de materiais nos elevadores.

4. AÇÃO: Desenvolvimento de uma linha de acolchoados para as cabinas em questão.

4.1 Escolha do acolchoado

As tabelas 1, 2 e 3 do ítem 5 dessa ATC mostram os conjuntos disponíveis para cabinas com
estéticas Standard, Luxor e Precious respectivamente. Para saber a parte número do acolchoado
para um determinado tipo de cabina, os seguintes dados são necessários:
Estética da cabina.
Dimensões do piso (largura x profundidade).
Altura livre entre o piso e o teto ou subteto, conforme o caso.
Mão da cabina.
Cruzando esses dados na tabela, obtém-se a parte número correspondente do acolchoado.

Exemplo:
Cabina com estética Luxor.
Dimensões do piso: largura=1110 mm x profundidade=1345 mm
Altura livre : 2110 mm
Mão : direita
Cruzando os dados acima na tabela 2, obtém-se BAA24700C15. Essa é portanto a parte
número que se deve pedir ao Service Center para a cabina do exemplo.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

MARCELO YOSHINOBU KUBA EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 2 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

4.2 Procedimento para instalação do acolchoado.

4.2.1 Acessar a casa de máquinas e proceder o bloqueio elétrico com o carro na última
parada, conforme as normas de segurança descritas na ATC C.00.03.

IMPORTANTE !
Verificar se as dimensões internas da cabina correspondem às identificadas na
embalagem do acolchoado.

ATENÇÃO!
Usar sempre o óculos de segurança e o GFCI ao utilizar a furadeira !

4.2.2 Para cabinas com estéticas Standard e Luxor:


Posicionar o gabarito (lado esquerdo) no canto extremo superior esquerdo do painel
posterior e furar utilizando broca de aço de 5/32” . Virar o gabarito (lado direito) e
posicioná-lo no canto extremo superior direito do painel posterior e realizar a furação;

Medida obtida Medida obtida


com o gabarito X X com o gabarito
(REF) (REF)

Vista
“A” Linha do
ESQUERDA DIREITA
Subteto

Gabarito
Lado LADO Gabarito
LADO
Esquerdo ESQUERDO Lado
DIREITO
Direito

Painel da Cabina

Onde:
X = 120 mm para os painéis de cabinas Standard, obtidas c/ gabarito BAA27DP1.
X = 32 mm para o painél posterior das cabinas Luxor, obtidas com o gabarito BAA27BP1.
X = 130 mm para os painéis laterais das cabinas Luxor, obtidas com gabarito BAA27BP1.
A

Nota: Para cada kit de acolchoado segue junto 1 (um) gabarito e um jogo de suportes e
D
LA

rebites para fixação desse acolchoado.


O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 3 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

Teto

Subteto

ENCOSTAR O
Painel da GABARITO NO
Cabina SUBTETO

Vista de “A”

4.2.3 Para cabinas com estética Precious:


Posicionar o gabarito, encostando-o na moldura da iluminação, no canto superior esquerdo
do painél posterior e furar utilizando broca de aço de 5/32”. Virar o gabarito e repetir a
furação no canto superior direito do painél.

Moldura da iluminação

Lado Lado
esquerdo direito

X X

A
D

Onde:
LA

X = 70 mm para os painéis da cabinas Precious, obtidas com gabarito BAA27BT1.


O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 4 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

4.2.4 Repetir a furação para os painéis laterais direito e esquerdo.

4.2.5 Fixar os suportes utilizando rebitadeira (POP);

4.2.6 Pendurar o acolchoado nos suportes extremos do painel posterior, copiar as furações
intermediárias e rebitar ( Obs.: Verificar a altura utilizando o gabarito);

Copiar a
furação e
rebitar

4.2.7 Repetir o ítem anterior (4.2.6) para os painéis laterais direito e esquerdo;

4.2.8 Desbloquear e religar a chave geral do elevador.

5. MATERIAL:

Tabela 1: Cabinas com estéticas standard

Parte Número Cabina N Passag. LP PP HL Mão


BAA24700B1 119 4 940 945
BAA24700B2 6 1170 1000
BAA24700B3 119/121 8 1170 1170
BAA24700B4 119 1370 1040 2170 -
BAA24700B5 119/121 10 1170 1600
BAA24700B6 12 1370 1600
BAA24700B7 121 6 1170 1000
BAA24700B8 8 1370 1040
BAA24700B9 4 853 D
A

BAA24700B10 E
D
LA

BAA24700B11 122 930 2110 D


O

BAA24700B12 5 985 E
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 5 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

Tabela 1 (continuação): Cabinas com estéticas standard

Parte Número Cabina N Passag. LP PP HL Mão


BAA24700B13 1170 D
BAA24700B14 6 985 E
BAA24700B15 D
BAA24700B16 1110 E
BAA24700B17 7 1203 D
BAA24700B18 E
BAA24700B19 1170 1203 D
BAA24700B20 8 E
BAA24700B21 1110 1346 2110 D
BAA24700B22 E
BAA24700B23 122 9 1170 D
BAA24700B24 1400 E
BAA24700B25 10 1350 D
BAA24700B26 E
BAA24700B27 11 1170 2200 D
BAA24700B28 E
BAA24700B29 12 1529 D
BAA24700B30 1350 E
BAA24700B31 13 1760 D
BAA24700B32 E
Nota:
Cabina 119 e 121 (POC frontal)
Cabina 122 ( POC lateral, conforme mão da porta)
Tabela 2: cabinas com estética Luxor
Parte Núm. N. pas. LP PP HL MÃO

BAA24700C1 4 853 dir


BAA24700C2 930 esq
BAA24700C3 5 dir
BAA24700C4 985 esq
BAA24700C5 6 1170 dir
BAA24700C6 2110 esq
BAA24700C7 6D 930 1203 dir
BAA24700C8 esq
BAA24700C9 6W 985 dir
A

BAA24700C10 1110 esq


D
LA

BAA24700C11 7 dir
O

BAA24700C12 1203 esq


TR

BAA24700C13 8 1170 dir


N
O

BAA24700C14 esq
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 6 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

Tabela 2 (continuação): cabinas com estética Luxor

Parte Núm. N.pas. LP PP HL MÃO


BAA24700C15 8D 1110 1345 dir
BAA24700C16 2110 esq
BAA24700C17 9 1170 1400 dir
BAA24700C18 esq
BAA24700C19 4 853 dir
BAA24700C20 930 esq
BAA24700C21 5 dir
BAA24700C22 985 esq
BAA24700C23 6 1170 dir
BAA24700C24 esq
BAA24700C25 6D 930 1203 dir
BAA24700C26 2210 esq
BAA24700C27 6W 985 dir
BAA24700C28 1110 esq
BAA24700C29 7 1203 dir
BAA24700C30 esq
BAA24700C31 8 1170 1203 dir
BAA24700C32 esq
BAA24700C33 8D 1110 1345 dir
BAA24700C34 esq
BAA24700C35 9 1170 1400 dir
BAA24700C36 esq
BAA24700C37 6 1170 dir
BAA24700C38 985 esq
BAA24700C39 6W dir
BAA24700C40 1110 esq
BAA24700C41 7 dir
BAA24700C42 1203 2310 esq
BAA24700C43 8 1170 dir
BAA24700C44 esq
BAA24700C45 8D 1110 1345 dir
BAA24700C46 esq
BAA24700C47 9 1170 1400 dir
BAA24700C48 esq
BAA24700C49 6 1170 dir
BAA24700C50 985 esq
BAA24700C51 6W dir
A

BAA24700C52 1110 esq


D
LA

BAA24700C53 7 dir
O

BAA24700C54 1203 2410 esq


TR

BAA24700C55 8 1170 dir


N

BAA24700C56 esq
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 7 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

BAA24700C57 8D 1110 1345 dir


BAA24700C58 esq
BAA24700C59 9 1170 1400 dir
BAA24700C60 esq

Tabela 3: cabinas com estéticas Precious


Parte Núm. N. pas. LP PP HL MÃO

BAA24700D1 4 853 dir


BAA24700D2 930 esq
BAA24700D3 5 dir
BAA24700D4 985 esq
BAA24700D5 6 1170 dir
BAA24700D6 esq
BAA24700D7 6D 930 1203 dir
BAA24700D8 esq
BAA24700D9 6W 985 dir
BAA24700D10 1110 esq
BAA24700D11 7 2110 dir
BAA24700D12 1203 esq
BAA24700D13 8 1170 dir
BAA24700D14 esq
BAA24700D15 8D 1110 1345 dir
BAA24700D16 esq
BAA24700D17 9 1170 dir
BAA24700D18 1400 esq
BAA24700D19 10 dir
BAA24700D20 esq
BAA24700D21 12 1350 1529 dir
BAA24700D22 esq
BAA24700D23 13 1760 dir
BAA24700D24 esq
BAA24700D25 4 853 dir
BAA24700D26 930 esq
BAA24700D27 5 dir
BAA24700D28 985 esq
BAA24700D29 6 1170 dir
BAA24700D30 2210 esq
BAA24700D31 6D 930 1203 dir
BAA24700D32 esq
A

BAA24700D33 6W 985 dir


D
LA

BAA24700D34 1110 esq


O

BAA24700D35 7 dir
TR

BAA24700D36 1203 esq


N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 8 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

Tabela 3 (continuação): cabinas com estética Precious


Parte Núm. N.pas. LP PP HL MÃO

BAA24700D37 8 1170 1203 dir


BAA24700D38 esq
BAA24700D39 8D 1110 1345 dir
BAA24700D40 esq
BAA24700D41 9 1170 2210 dir
BAA24700D42 1400 esq
BAA24700D43 10 dir
BAA24700D44 esq
BAA24700D45 12 1350 1529 dir
BAA24700D46 esq
BAA24700D47 13 1760 dir
BAA24700D48 esq

Notas:
PP: profundidade do piso da cabina
LP: largura do piso da cabina
HL: altura interna da cabina

Painel
Painel
Lateral
Posterior

HL
A
D
LA

PP
O
TR

LP
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - D.00.08
ACOLCHOADO PARA PROTEÇÃO DE DATA : 06/04/98
PÁG. 9 DE 9
UNSE CABINA
REVISÃO : 1

Observações:
Para as cabinas com POC lateral, o protetor será fornecido com um rasgo para acessar o
POC;
Para as cabinas com dimensões diferentes da tabela, deverá ser informado as dimensões PP,
LP e HL;
Será fornecido o kit completo com (1) protetor posterior, (2) protetores laterais, (n) suportes de
fixação (com rebites) e (1) gabarito de instalação;
Este material deverá ser solicitado para o Service Center através de Ordem Inter Office.

Ferramental Necessário:
Furadeira Elétrica
Broca de aço rápido 4mm (5/32”)
Rebitadeira para rebite POP
Óculos de segurança
GFCI

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
DESIGN TAPETE PERSONALIZADO PARA CABINA - D15

TAPETE PERSONALIZADO: Desenvolvido para proteger o chão da


cabine contra riscos.
É resistente durável e proporciona conforto.

Disponível em várias cores, permite que seja gravado a marca ou


o logotipo d condomínio, deixando a cabine do seu elevador
ainda mais bonita.

· Retém sujeiras
· Manutenção simples, podendo ser feita com aspirador de
pó e lavagem
· Vida útil média de 5 anos
· Tempo médio de instalação : Imediata
· Garantia de 1 ano

· Confeccionado de acordo com o tamanho da cabine;

· Composto de filamentos em vinil entrelaçado;

TAPETE PERSONALIZADO

Requinte OTIS ao seu alcance.


MKTS- BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Tapete personalizado para cabine - VSD15
*** Mão esquerda ***

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Medidas

A mm
B mm
C mm
Tapete Mão esquerda D mm
B

E mm
F mm

C E
A

Logotipo * Logotipo *

Liso e sem borda Com logo e Liso e com Com logo


sem borda borda e com borda

Cor do tapete:
Ver cor indicada no mostruário
Cor da borda (se houver):

* Enviar modelo do Logotipo do cliente (se houver) anexo a esta Ordem de fornecimento.

Observações

Folha 1/1
ORDEM DE FORNECIMENTO
Tapete personalizado para cabine - VSD15
*** Mão direita ***

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Medidas

A mm
B mm
C mm
Tapete Mão direita B D mm
E mm
F mm

E C
A
F

Logotipo * Logotipo *

Liso e sem borda Com logo e Liso e com Com logo


sem borda borda e com borda

Cor do tapete:
Ver cor indicada no mostruário
Cor da borda (se houver):

* Enviar modelo do Logotipo do cliente (se houver) anexo a esta Ordem de fornecimento.

Observações

Folha 1/1
ORDEM DE FORNECIMENTO
Tapete personalizado para cabine - VSD15
*** Abertura central ***

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Medidas

A=F mm
C=E mm
B mm
Abertura central D mm
B

As medidas 'A' e 'F' devem ser


iguais. Isso se aplica também
as medidas 'C' e 'E'.

C E
A

Logotipo * Logotipo *

Liso e sem borda Com logo e Liso e com Com logo


sem borda borda e com borda

Cor do tapete:
Ver cor indicada no mostruário
Cor da borda (se houver):

* Enviar modelo do Logotipo do cliente (se houver) anexo a esta Ordem de fornecimento.

Observações

Folha 1/1
Novo ! SUBSTITUIÇÃO DE BOTÃO REDONDO ILUMINADO POR:
NEL EM CONTROLE MICROPROCESSADO - D18
DESIGN NEL EM CONTROLE SELECTRON - D19

Para substituir os botões quadrados do painel de


operação de seu elevador, a Otis desenvolveu os botões
tipo Nel, que podem ser fornecidos nas versões: botão Nel
(1) ou botão Nel antivandalismo (2).

· Os botões Nel têm design moderno e apresentam


maior durabilidade devido aos componentes serem mais
resistentes, diminuindo assim a ação de vandalismo;
· Os botões acompanham insertos em braille,
atendendonormas brasileiras para deficientes visuais;
· As marcações de andar são inseridas ao lado do
botão Nel, o que permite mais visibilidade, adequando-se
também às normas brasileiras;
· Tempo médio de instalação: 1h, variável de acordo
com a quantidade de botões;
· Garantia de 1 ano;
· Para a instalação, não é necessário fazer furos. Os
botões Nel serão adaptados ao painel de operação através
de uma placa face de inox;

· Pode ser utilizado para controles


microprocessados (ADV210 de todas as linhas,
ADV311, CVF, LVF e MVF) e controles selectron; Placa face meramente ilustrativa
· Trabalha com tensão de, no máximo, 30V para
controles microprocessados e tensão de, no
máximo, 135V para controles SELECTRON;
MKTS-421 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição de Botão ADV por NEL em controles
microprocessados - VSD18

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do Otis Kit D-03
(Formulário BO-O-CC1/113) com suas marcações correspondentes

- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais

N = Número de pavimentos

Botão NEL
Antivandalismo

Dados para especificação do Kit para o POC

Inserto para Botão NEL Sim


* Obrigatório *

Marcação dos pavimentos

Quantidade de POC'S 1 POC


por carro 2 POC'S

Opcionais existentes DOB - Botão de abrir portas


DCB - Botão de fechar portas
Alarme

Observações:

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de Botão ADV por NEL em controles microprocessados - VSD18

Dados para especificação do Kit para a botoeira de andar

Inserto para Botão NEL Seta para subir


Opcional Seta para descer

Número de pavimentos
acima da entrada principal

Número de pavimentos
abaixo da entrada principal

DCL - Coletivo na descida


Comando
FCL - Coletivo seletivo

GIC G5C
Carros no grupo G2C G6C
G3C G7C
G4C G8C

1 (SBR)
2 (DBR)
Carreira de botões 3 (TBR)
4 (QBR)
(MBR)

Notas: Se for solicitado insertos Braille para as Botoeiras de Andar:

Se coletivo na descida:
Para os pavimentos abaixo do principal: somente setas para subir
Para o pavimento principal: setas para subir e descer
Para os pavimentos acima do principal: somente setas para descer

Se coletivo seletivo:
Para o pavimento terminal inferior: somente setas para subir
Para Os pavimentos intermediários: setas para subir e descer
Para o pavimento terminal superior: somente setas para descer

Observações

Folha 2/2
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 1 DE 7

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição

1. OBJETIVO:

Descrever o procedimento para a substituição dos botões ADV (redondo iluminado) por NEL
em controles microprocessados.

2. APLICAÇÃO:

Para Painel de Operação do Carro (POC) e Botoeira de Andar com botões ADV (redondo
iluminado) onde o controle é microprocessado: ADV210, ADV210-SL2, ADV210-DP,
ADV210HD, ADV311VF, CVF, LVF e MVF.

Este pacote trabalha exclusivamente com tensão de alimentação de, no máximo, 30 Vdc e
será fornecido com conexão apropriada para ser adaptado às estações remotas RS4 / 5,
RS11 / 14, localizadas nos POCs e Botoeiras de Andar, e à RSEB, localizada nos controles.

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do


Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-P6/001) com suas marcações
correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são
opcionais

3. PROBLEMA:

Atualização técnica e estética.

4. AÇÃO:

4.1. Para Painel de Operação do Carro (POC):

4.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03
A

4.1.2. Abrir o Painel de Operação do Carro (POC) e desligar a alimentação 30 Vdc e o HL2
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 2 DE 7

4.1.3. Retirar o conjunto botão ADV + painel, sem retirar a conexão elétrica existente

4.1.4. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixações (FAA72N1).


Também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F) correspondente, de
acordo com a marcação do pavimento ou símbolo de cada botão (vide itens 4.1.5.,
4.1.6. e 4.1.7.)

Cabos de conexão Para controles


com RSEB:
BAA174AC16

Para controles com


RS4 / 5 no POC:
Para controles com BAA174AC1
RS11 / 14 no POC:
BAA174AC3

Placa face

Suporte
Porca FAA72N1
BAA180FS1

Anel de borracha Inserto Braille


BAA376D3 BAA250F

Botão NEL

4.1.5. Limpar a placa face com álcool isopropílico. Garantir que o POC esteja limpo,
desengordurado e seco

IMPORTANTE:
Instalar primeiro a carreira de botões do lado direito e posteriormente todos os do lado
esquerdo, começando sempre de cima para baixo.

OBSERVAÇÃO:
Instalar o inserto com exatidão, pois uma vez colado, a tentativa de remoção danificará o
inserto e o POC.
A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 3 DE 7

4.1.6. Posicionar o gabarito no botão que será instalado o inserto Braille

4.1.7. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege o inserto e fixá-lo
no POC com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10 segundos

Inserto Botão NEL


Braille

Gabarito

4.1.8. Efetuar a conexão elétrica dos botões NEL novos:

4.1.8.1. Quando houver RS4 / 5, utilizar o conjunto de cabos de conexão


BAA174AC1. Este conjunto de cabos vem com uma etiqueta com a
gravação RS4 / 5:

• Verificar os pontos das RS4 / 5 em que cada um dos pontos do botão


ADV estava ligado
• Cada um dos cabos novos vem com uma numeração indicando que este
deve ser conectado exatamente no mesmo ponto da RS4 / 5 onde
estava conectado o cabo antigo do botão ADV
• Retirar um cabo antigo por vez da RS4 / 5, sempre se atentando à
numeração do ponto onde estava ligado e efetuar a conexão do novo
obedecendo ao descrito no item anterior
• A outra ponta do conjunto BAA174AC1 deve ser conectada ao botão
NEL

Ponto do botão ADV antigo Cabo de conexão BAA174AC1


2 2
1 1
3 3
A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 4 DE 7

Conectar à RS4 / 5
existente

Conectar ao
Botão NEL

4.1.8.2. Quando houver RS11 / 14, utilizar o conjunto de cabos de conexão


BAA174AC3. Este conjunto de cabos vem com uma etiqueta com a
gravação RS11 / 14:

• Verificar o bloco da RS11 / 14 em que o botão ADV estava ligado


• O conjunto de cabos BAA174AC3 deve ser conectado exatamente no
mesmo bloco da RS11 / 14 onde estava conectado o cabo antigo do
botão ADV
• Retirar o cabo antigo do bloco da RS11 / 14 onde o botão ADV
estava ligado, sempre se atentando à numeração do bloco onde
estava ligado, e efetuar a conexão do novo obedecendo ao descrito no
item anterior
• A outra ponta do conjunto BAA174AC3 deve ser conectada ao botão
NEL

Conectar à RS11 / 14
existente

Conectar ao
Botão NEL
A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 5 DE 7

4.1.8.3. Quando houver RSEBs no controle, utilizar o conjunto de cabos de conexão


BAA174AC16. Este conjunto de cabos vem com uma etiqueta com a
gravação RSEB:

• Verificar os pontos do botão ADV em que cada um dos cabos antigos


estava ligado
• Cada um dos cabos novos vem com uma numeração indicando que este
deve ser conectado exatamente no mesmo ponto do botão ADV onde
estava conectado o cabo antigo
• Retirar um cabo antigo por vez do botão ADV, sempre se atentando
à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo antigo no borne do conector
sindal correspondente ao cabo novo com mesma numeração do ponto
onde estava conectado o cabo antigo do botão ADV
• A outra ponta do conjunto BAA174AC16 deve ser conectada ao botão
NEL

Ponto do botão ADV antigo Cabo de conexão BAA174AC16


2 2
1 1
3 3

Conectar aos cabos


antigos

Conectar ao
Botão NEL

4.1.9. Repetir os itens 4.1.3. a 4.1.8. para os demais botões

4.1.10. Religar a alimentação 30 Vdc e o HL2

4.1.11. Fechar e fixar o POC e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de carro
A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 6 DE 7

4.2. Para Botoeira de Andar:

4.2.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

4.2.2. Abrir a Botoeira de Andar e desligar a alimentação 30 Vdc e o HL2

4.2.3. Retirar o conjunto botão ADV + painel, sem retirar a conexão elétrica existente

4.2.4. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixações (FAA72N1).


Se for solicitado, também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F)
correspondente, seta de subida ou descida (aplicar o mesmo procedimento utilizado
nos itens 4.1.5., 4.1.6. e 4.1.7. para a Botoeira de Andar)

Cabos de conexão Para controles


com RSEB:
BAA174AC16

Para controles com


RS4 / 5 na Botoeira:
Para controles com BAA174AC1
RS11 / 14 na Botoeira:
BAA174AC3

Placa face

Suporte
Porca FAA72N1
BAA180FS1
Anel de borracha Inserto Braille BAA250F
BAA376D3 (se for solicitado)

Botão NEL

4.2.5. Aplicar o mesmo procedimento utilizado no item 4.1.8. para a Botoeira de Andar

4.2.6. Repetir os itens 4.2.3. a 4.2.5. para os demais botões

4.2.7. Religar a alimentação 30 Vdc e o HL2


A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - G.04.03
OTIS
DATA : 21/02/2003
ENGENHARIA
Substituição de Botões ADV por NEL em REVISÃO: 0
DE PRODUTO
controles microprocessados PÁG.: 2 DE 2

4.2.8. Fechar e fixar a Botoeira de Andar e testar a eficácia do sistema, realizando


chamadas de andar

5. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Painel de Operação do Carro BO-O-CC1/117 D18-A
Botoeira de Andar BO-O-D7/108 D18-B
Inserto Braille BO-O-CC1/113

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

6. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

7. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Por Kit (por botão


Comando Base
substituído)
Coletivo na descida 0,33 h. (20 min.) 0,125 h. (7,5 min.)
Coletivo seletivo 0,33 h. (20 min.) 0,12 h. (7,2 min.)

A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição de Botão redondo iluminado utilizado com controle
Selectron por Botão NEL - D19

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do Otis Kit D-03
(Formulário BO-O-CC1/113) com suas marcações correspondentes

- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais

N = Número de pavimentos

Botão NEL
Antivandalismo

Dados para especificação do Kit para o POC

Inserto para Botão NEL Sim


* Obrigatório *

Marcação dos pavimentos

Quantidade de POC'S 1 POC


por carro 2 POC'S

Opcionais existentes DOB - Botão de abrir portas


DCB - Botão de fechar portas
Alarme

Observações:

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de Botão redondo iluminado utilizado com controle Selectron por Botão NEL - D19

Dados para especificação do Kit para a botoeira de andar

Inserto para Botão NEL Seta para subir


Opcional Seta para descer

Número de pavimentos
acima da entrada principal

Número de pavimentos
abaixo da entrada principal

DCL - Coletivo na descida


Comando
FCL - Coletivo seletivo

GIC G5C
Carros no grupo G2C G6C
G3C G7C
G4C G8C

1 (SBR)
2 (DBR)
Carreira de botões 3 (TBR)
4 (QBR)
(MBR)

Notas: Se for solicitado insertos Braille para as Botoeiras de Andar:

Se coletivo na descida:
Para os pavimentos abaixo do principal: somente setas para subir
Para o pavimento principal: setas para subir e descer
Para os pavimentos acima do principal: somente setas para descer

Se coletivo seletivo:
Para o pavimento terminal inferior: somente setas para subir
Para Os pavimentos intermediários: setas para subir e descer
Para o pavimento terminal superior: somente setas para descer

Observações

Folha 2/2
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 1/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL
1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento para a substituição dos botões redondo iluminados utilizados com
controle Selectron por Botões NEL.

3. APLICAÇÃO:

Para Painel de Operação do Carro (POC) e Botoeira de Andar com botões redondo iluminados
onde o controle é do tipo Selectron.

Este pacote trabalha exclusivamente com tensão de alimentação de 135 V e será fornecido com
conexão apropriada para ser adaptado à fiação existente.

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do


Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-P6/001) com suas marcações correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais

4. PROBLEMA:

Atualização técnica e estética.

5. AÇÃO:

5.1. Para Painel de Operação do Carro (POC):

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03
A

5.1.2. Abrir o Painel de Operação do Carro (POC) e desligar as linhas de HL1 e +135V,
D
LA

respectivamente
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


O

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


Ã

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 3/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL
5.1.3. Retirar o conjunto botão antigo + painel, sem retirar a conexão elétrica existente

5.1.4. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixações (FAA72N1).


Também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F) correspondente, de acordo
com a marcação do pavimento ou símbolo de cada botão (vide itens 5.1.5., 5.1.6.,
5.1.7. e 5.1.8.)

5.1.5. Limpar a placa face (interna e externamente) com álcool isopropílico. Garantir que o
POC esteja limpo, desengordurado e seco

IMPORTANTE:
Instalar primeiro a carreira de botões do lado direito e posteriormente todos os do lado esquerdo,
começando sempre de cima para baixo.

OBSERVAÇÃO:
Instalar o inserto com exatidão, pois uma vez colado, a tentativa de remoção danificará o inserto
e o POC.

5.1.6. Somente para botões de chamada:

5.1.6.1. Fixar o Painel eletrônico (BAA26800DS1) no seu suporte (BAA316ZW1)

5.1.6.2. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege a fita dupla
face e colar o suporte na parte interna da placa face

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 4/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL

Porca FAA72N1 Anel de borracha


BAA376D3

Conectar ao Botão NEL (o que possui


o terminal macho correspondente)
Placa face

Painel eletrônico de
interface
BAA26800DS1 Suporte
BAA180FS1
Inserto Braille
BAA250F

Botão NEL

Suporte para Painel


eletrônico c/ fita dupla face
BAA316ZW1

5.1.7. Posicionar o gabarito no botão que será instalado o inserto Braille

5.1.8. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege o inserto e fixá-lo
no POC com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10 segundos

Inserto Botão NEL


Braille

Gabarito A
D

5.1.9. Efetuar a conexão elétrica dos botões NEL novos:


LA
O
TR

5.1.9.1. Para botões de chamada:


N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 5/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL
• Verificar os pontos do botão antigo em que cada um dos cabos existentes
estava ligado
• Retirar um cabo existente por vez do botão antigo, sempre se
atentando à numeração do ponto onde estava ligado
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente no ponto do Painel
eletrônico de interface correspondente, ou seja, no ponto com a mesma
numeração de onde estava conectado o cabo existente do botão antigo

Ponto do Painel
Sinal Ponto do botão antigo
eletrônico de interface
Chamada 2 2
135 V 1 1
HL1 3 3

• O Painel eletrônico de interface já vem com um conjunto de cabos. Uma


das pontas já está conectada aos pontos B1, B2 e B3 do Painel eletrônico.
A outra ponta deve ser conectada ao botão NEL (o que possui o terminal
macho correspondente)

Painel eletrônico de interface Conectar o cabo antigo


correspondente ao 135 V

Conectar ao Botão NEL


(o que possui o terminal
macho correspondente)
Conectar o cabo antigo
correspondente ao sinal de
chamada

Conectar o cabo antigo


correspondente ao HL1 A
D

5.1.9.2. Para botões de abrir e / ou fechar portas:


LA
O

• Verificar os pontos do botão antigo em que cada um dos cabos existentes


TR

estava ligado
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 6/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL
• Retirar um cabo existente por vez do botão antigo, sempre se
atentando à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente diretamente no botão NEL
(o que possui o terminal de parafusos) nos pontos C e NO

Ponto do botão Ponto do botão NEL (o que


Sinal
antigo possui o terminal de parafusos)
Abrir e / ou
2 NO
fechar portas
135 V 1 C

Nota: Para o botão de abrir e / ou fechar portas, não é necessário o


Painel eletrônico de interface

5.1.10. Repetir os itens 5.1.3. a 5.1.9. para os demais botões (de acordo com a função de
cada um, ou seja, de chamada (item 5.1.9.1.) ou de abrir e / ou fechar portas (item
5.1.9.2.))

5.1.11. Religar a alimentação HL1 e +135V, respectivamente

5.1.12. Fechar e fixar o POC e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de carro

5.2. Para Botoeira de Andar:

5.2.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2.2. Abrir a Botoeira de Andar e desligar as linhas de HL1 e +135V, respectivamente

5.2.3. Retirar o conjunto botão antigo + painel, sem retirar a conexão elétrica existente

5.2.4. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixações (FAA72N1). Se


for solicitado, também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F)
correspondente, seta de subida ou descida (aplicar o mesmo procedimento utilizado
nos itens 5.1.5., 5.1.6., 5.1.7. e 5.1.8. para a Botoeira de Andar)
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 7/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL

Porca FAA72N1 Anel de borracha


BAA376D3

Conectar ao Botão NEL (o que possui


o terminal macho correspondente)
Placa face

Painel eletrônico de
interface
Suporte
BAA26800DS1
BAA180FS1
Inserto Braille
BAA250F
(se for solicitado)

Botão NEL

Suporte para Painel


eletrônico c/ fita dupla face
BAA316ZW1

5.2.5. Aplicar o mesmo procedimento utilizado no item 5.1.9.1. para a Botoeira de Andar

5.2.6. Repetir os itens 5.2.3. a 5.2.5. para os demais botões

5.2.7. Religar a alimentação HL1 e +135V, respectivamente

5.2.8. Fechar e fixar a Botoeira de Andar e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas
de andar

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Painel de Operação do Carro BO-O-CC1/118 D19-A
Botoeira de Andar BO-O-D7/109 D19-B
Inserto Braille BO-O-CC1/113

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.


A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/02/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.04 PÁGINA: 8/8

Substituição de Botões redondo iluminados utilizados com controle


Selectron por Botões NEL

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Por Kit (por botão


Comando Base
substituído)
Coletivo na descida 0,33 h. (20 min.) 0,125 h. (7,5 min.)
Coletivo seletivo 0,33 h. (20 min.) 0,12 h. (7,2 min.)

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
Novo !
SUBSTITUIÇÃO DE BOTÃO QUADRADO ILUMINADO POR:
BOTÃO NEL EM CONTROLE ADV311 - D20
DESIGN BOTÃO NEM EM CONTROLE SELECTRON - D21

Para substituir os botões quadrados do painel de


operação de seu elevador, a Otis desenvolveu os botões
tipo Nel, que podem ser fornecidos nas versões: botão Nel
(1) ou botão Nel antivandalismo (2).

· Os botões Nel têm design moderno e apresentam


maior durabilidade devido aos componentes serem mais
resistentes, diminuindo assim a ação de vandalismo;
· Os botões acompanham insertos em braille,
atendendonormas brasileiras para deficientes visuais;
· As marcações de andar são inseridas ao lado do
botão Nel, o que permite mais visibilidade, adequando-se
também às normas brasileiras;
· Tempo médio de instalação: 1h30, variável de
acordo com a quantidade de botões;
· Garantia de 1 ano;
· Para a instalação, não é necessário fazer furos. Os
botões Nel serão adaptados ao painel de operação através
de uma placa face de inox;

· Pode ser utilizado para controles ADV311


(microprocessados) e controles selectron;
· Trabalha com tensão de, no máximo, 30V para
controles microprocessados e tensão de, no
máximo, 135V para controles SELECTRON;
MKTS-433 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição de Botão quadrado utilizado com controle ADV -
311VF por Botão NEL - VSD20

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do Otis Kit D-03
(Formulário BO-O-CC1/113) com suas marcações correspondentes

- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais

N = Número de pavimentos

Botão NEL
Antivandalismo

Dados para especificação do Kit para o POC

Inserto para Botão NEL Sim


* Obrigatório *

Marcação dos pavimentos

Quantidade de POC'S 1 POC


por carro 2 POC'S

Opcionais existentes DOB - Botão de abrir portas


DCB - Botão de fechar portas
Alarme

Observações:

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de Botão quadrado utilizado com controle ADV - 311VF por Botão NEL - VSD20

Dados para especificação do Kit para a botoeira de andar

Inserto para Botão NEL Seta para subir


Opcional Seta para descer

Número de pavimentos
acima da entrada principal

Número de pavimentos
abaixo da entrada principal

DCL - Coletivo na descida


Comando
FCL - Coletivo seletivo

GIC G5C
Carros no grupo G2C G6C
G3C G7C
G4C G8C

1 (SBR)
2 (DBR)
Carreira de botões 3 (TBR)
4 (QBR)
(MBR)

Notas: Se for solicitado insertos Braille para as Botoeiras de Andar:

Se coletivo na descida:
Para os pavimentos abaixo do principal: somente setas para subir
Para o pavimento principal: setas para subir e descer
Para os pavimentos acima do principal: somente setas para descer

Se coletivo seletivo:
Para o pavimento terminal inferior: somente setas para subir
Para Os pavimentos intermediários: setas para subir e descer
Para o pavimento terminal superior: somente setas para descer

Observações

Folha 2/2
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 1/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento para a substituição dos botões quadrados utilizados com controle
ADV311VF por Botões NEL.

3. APLICAÇÃO:

Para Painel de Operação do Carro (POC) e Botoeira de Andar com botões quadrados onde o
controle é do tipo ADV311VF.

Este pacote trabalha exclusivamente com tensão de alimentação de, no máximo, 30 Vdc e
será fornecido com conexão apropriada para ser adaptado à fiação existente que vem da
RSEB.

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do


Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-P6/001) com suas marcações
correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são
opcionais

4. PROBLEMA:

Atualização técnica e estética.

5. AÇÃO:

5.1. Para Painel de Operação do Carro (POC):

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03
A
D

5.1.2. Abrir o Painel de Operação do Carro (POC) e desligar a alimentação 30 Vdc e o HL2
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C

COORDENADOR
O

GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Ã

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 2/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
5.1.3. Retirar o conjunto botão de chamada quadrado + painel, sem retirar a conexão
elétrica existente

5.1.4. Fixar, em cada uma das carreiras de botão de chamada, a placa face BAA147CM,
utilizando os suportes BAA180FM1 nos botões extremos e BAA180FM2 nos
intermediários, de forma a manter fixada a placa face no POC

BAA180FM1 BAA180FM2

DISTRIBUIÇÃO DOS SUPORTES / CARREIRA DE BOTÃO

N 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30
O O O O O O O O O O O O O O O
O X X X X X X X X X X X X X
O X X X X X X X X X X X X
O X ∅ ∅ ∅ X ∅ ∅ X ∅ ∅ ∅
CARREIRA DE BOTÃO

O X X X ∅ X X ∅ X X X
O X X X X X X X X X
O X X ∅ X X ∅ ∅ X
O X X ∅ ∅ X X ∅
O X X X X X X
O X X ∅ ∅ X
O X X X X
O X X ∅
O X X
O X
O

N = Número de Pavimentos
X = Botão sem Suporte
O = Botão com Suporte BAA180FM1
∅ = Botão com Suporte BAA180FM2
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 3/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
5.1.5. Instalar o botão NEL + fixação (FAA72N1). Também proceder à instalação do inserto
Braille (BAA250F) correspondente, de acordo com a marcação do pavimento de
cada botão (vide itens 5.1.8., 5.1.9. e 5.1.10.)

Botões de
chamada

BAA180FM1

Porca
Rasgo p/ Rasgo p/
FAA72N1
botões botões
quadrados quadrados
BAA180FM2

BAA147CM

BAA180FM1

Placa Face Placa Face

Vista de Frente Vista de Trás

Cabos de conexão
BAA174AC16

Placa face
Porca FAA72N1

Placa face
Suporte BAA147CM
BAA180FM
Inserto Braille
BAA250F
A
D
LA
O
TR

Botão NEL
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 4/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
5.1.6. Retirar o conjunto botão de alarme / abrir porta / fechar porta antigo + painel, sem
retirar a conexão elétrica existente

5.1.7. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixação (FAA72N1).


Também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F) correspondente, de
acordo com o símbolo de cada botão (vide itens 5.1.8., 5.1.9. e 5.1.10.)

Cabos de conexão
BAA174AC16

Placa face

Suporte
Porca FAA72N1 BAA180FS1

Inserto Braille
Anel de borracha BAA250F
BAA376D3

Botão NEL

5.1.8. Limpar a placa face (interna e externamente) com álcool isopropílico. Garantir que o
POC esteja limpo, desengordurado e seco

IMPORTANTE:
Instalar primeiro a carreira de botões do lado direito e posteriormente todos os do lado
esquerdo, começando sempre de cima para baixo.

OBSERVAÇÃO:
Instalar o inserto com exatidão, pois uma vez colado, a tentativa de remoção danificará o
inserto e o POC.
A
D
LA

5.1.9. Posicionar o gabarito no botão que será instalado o inserto Braille


O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 5/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
5.1.10. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege o inserto e fixá-
lo no POC com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10 segundos

Inserto Botão NEL


Braille

Gabarito

5.1.11. Efetuar a conexão elétrica dos botões NEL novos utilizando o conjunto de cabos de
conexão BAA174AC16. Este conjunto de cabos vem com uma etiqueta com a
gravação RSEB:

• Verificar os pontos do botão quadrado em que cada um dos cabos


existentes estava ligado
• Cada um dos cabos novos vem com uma numeração indicando que este
deve ser conectado exatamente no mesmo ponto do botão quadrado, onde
estava conectado o cabo existente
• Retirar um cabo existente por vez do botão quadrado, sempre se
atentando à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente no borne do conector
sindal correspondente ao cabo novo com a mesma numeração do ponto
onde estava conectado o cabo existente do botão quadrado
• A outra ponta do conjunto BAA174AC16 deve ser conectada ao botão NEL

Ponto do botão quadrado onde cabo Cabo de conexão


existente estava ligado BAA174AC16
2 2
1 1
3 3
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 6/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL

Conectar aos cabos


existentes

Conectar ao
Botão NEL

5.1.12. Repetir os itens 5.1.3. a 5.1.11. para os demais botões

5.1.13. Religar a alimentação 30 Vdc e o HL2

5.1.14. Fechar e fixar o POC e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de carro

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 7/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
5.2. Para Botoeira de Andar:

5.2.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.2.2. Abrir a Botoeira de Andar e desligar a alimentação 30 Vdc e o HL2

5.2.3. Retirar o conjunto botão de chamada quadrado + painel, sem retirar a conexão
elétrica existente

5.2.4. Fixar a placa face BAA147CL, utilizando os suportes BAA180FM1, de forma a


manter fixada a placa face na Botoeira

BAA180FM1

5.2.5. Instalar o botão NEL + fixação (FAA72N1). Também proceder à instalação do inserto
Braille (BAA250F) correspondente, seta de subida ou descida (aplicar o mesmo
procedimento utilizado nos itens 5.1.8., 5.1.9. e 5.1.10. para a Botoeira de Andar)

Rasgo p/ Placa
botão BAA147CL
quadrado

Botão
Placa face
da
botoeira Botão Suporte
BAA180FM1
A
D
LA

Porca
FAA72N1
O
TR

Placa Face
N

Vista de Frente Vista de Trás


O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 8/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL

Cabos de conexão
BAA174AC16

Placa face
Porca FAA72N1

Suporte Placa face


BAA180FM BAA147CL

Inserto Braille
BAA250F
(se for solicitado)

Botão NEL

5.2.6. Aplicar o mesmo procedimento utilizado no item 5.1.11. para a Botoeira de Andar

5.2.7. Repetir os itens 5.2.3. a 5.2.6. para os demais botões

5.2.8. Religar a alimentação 30 Vdc e o HL2

5.2.9. Fechar e fixar a Botoeira de Andar e testar a eficácia do sistema, realizando


chamadas de andar

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.05 PÁGINA: 9/9

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle ADV311VF


por Botões NEL
6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Painel de Operação do Carro BO-O-CC1/119 D20-A
Botoeira de Andar BO-O-D7/110 D20-B
Inserto Braille BO-O-CC1/113

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Por Kit (por botão


Comando Base
substituído)
Coletivo na descida 0,417 h. (25 min.) 0,175 h. (10,5 min.)
Coletivo seletivo 0,417 h. (25 min.) 0,167 h. (10 min.)

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição de Botão quadrado utilizado com controle Selectron
por Botão NEL - VSD21

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do Otis Kit D-03
(Formulário BO-O-CC1/113) com suas marcações correspondentes

- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais

N = Número de pavimentos

Botão NEL
Antivandalismo

Dados para especificação do Kit para o POC

Inserto para Botão NEL Sim


* Obrigatório *

Marcação dos pavimentos

Quantidade de POC'S 1 POC


por carro 2 POC'S

Opcionais existentes DOB - Botão de abrir portas


DCB - Botão de fechar portas
Alarme

Observações:

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de Botão quadrado utilizado com controle Selectron por Botão NEL - VSD21

Dados para especificação do Kit para a botoeira de andar

Inserto para Botão NEL Seta para subir


Opcional Seta para descer

Número de pavimentos
acima da entrada principal

Número de pavimentos
abaixo da entrada principal

DCL - Coletivo na descida


Comando
FCL - Coletivo seletivo

GIC G5C
Carros no grupo G2C G6C
G3C G7C
G4C G8C

1 (SBR)
2 (DBR)
Carreira de botões 3 (TBR)
4 (QBR)
(MBR)

Notas: Se for solicitado insertos Braille para as Botoeiras de Andar:

Se coletivo na descida:
Para os pavimentos abaixo do principal: somente setas para subir
Para o pavimento principal: setas para subir e descer
Para os pavimentos acima do principal: somente setas para descer

Se coletivo seletivo:
Para o pavimento terminal inferior: somente setas para subir
Para Os pavimentos intermediários: setas para subir e descer
Para o pavimento terminal superior: somente setas para descer

Observações

Folha 2/2
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 1/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento para a substituição dos botões quadrados utilizados com controle
Selectron por Botões NEL.

3. APLICAÇÃO:

Para Painel de Operação do Carro (POC) e Botoeira de Andar com botões quadrados onde o
controle é do tipo Selectron.

Este pacote trabalha exclusivamente com tensão de alimentação de 135 V e será fornecido
com conexão apropriada para ser adaptado à fiação existente.

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do


Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-P6/001) com suas marcações
correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são
opcionais

4. PROBLEMA:

Atualização técnica e estética.

5. AÇÃO:

5.1. Para Painel de Operação do Carro (POC):

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.1.2. Abrir o Painel de Operação do Carro (POC) e desligar as linhas de HL1 e +135V,
respectivamente

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 2/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
5.1.3. Retirar o conjunto botão de chamada quadrado + painel, sem retirar a conexão
elétrica existente

5.1.4. Fixar, em cada uma das carreiras de botão de chamada, a placa face BAA147CM,
utilizando os suportes BAA180FM1 nos botões extremos e BAA180FM2 nos
intermediários, de forma a manter fixada a placa face no POC

BAA180FM1 BAA180FM2

DISTRIBUIÇÃO DOS SUPORTES / CARREIRA DE BOTÃO

N 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30
O O O O O O O O O O O O O O O
O X X X X X X X X X X X X X
O X X X X X X X X X X X X
O X ∅ ∅ ∅ X ∅ ∅ X ∅ ∅ ∅
CARREIRA DE BOTÃO

O X X X ∅ X X ∅ X X X
O X X X X X X X X X
O X X ∅ X X ∅ ∅ X
O X X ∅ ∅ X X ∅
O X X X X X X
O X X ∅ ∅ X
O X X X X
O X X ∅
O X X
O X
O

N = Número de Pavimentos
X = Botão sem Suporte
O = Botão com Suporte BAA180FM1
∅ = Botão com Suporte BAA180FM2
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 3/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
5.1.5. Instalar o botão NEL + fixação (FAA72N1). Também proceder à instalação do inserto
Braille (BAA250F) correspondente, de acordo com a marcação do pavimento de
cada botão (vide itens 5.1.6., 5.1.9. e 5.1.10.)

5.1.6. Limpar a placa face (interna e externamente) com álcool isopropílico. Garantir que o
POC esteja limpo, desengordurado e seco

IMPORTANTE:
Instalar primeiro a carreira de botões do lado direito e posteriormente todos os do lado
esquerdo, começando sempre de cima para baixo.

OBSERVAÇÃO:
Instalar o inserto com exatidão, pois uma vez colado, a tentativa de remoção danificará o
inserto e o POC.

Botões de
chamada

BAA180FM1

Porca
Rasgo p/ Rasgo p/
FAA72N1
botões botões
quadrados quadrados
BAA180FM2

BAA147CM

BAA180FM1

Placa Face
Placa Face

Vista de Frente Vista de Trás


DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 4/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL

Painel eletrônico
de interface
BAA26800DS1
Suporte
BAA180FT
Suporte para Painel
eletrônico c/ fita dupla face
BAA316ZW1

Placa face

Porca FAA72N1 Placa face


BAA147CM
Suporte
BAA180FM Inserto Braille
BAA250F

Botão NEL

5.1.7. Retirar o conjunto botão de alarme / abrir porta / fechar porta antigo + painel, sem
retirar a conexão elétrica existente

5.1.8. Instalar o botão NEL + suportes (BAA180FS1 e BAA376D3) e fixação (FAA72N1).


Também proceder à instalação do inserto Braille (BAA250F) correspondente, de
acordo com o símbolo de cada botão (vide itens 5.1.6., 5.1.9. e 5.1.10.)
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 5/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL

Placa face

Porca FAA72N1
Suporte
BAA180FS1

Anel de borracha
BAA376D3 Inserto Braille
BAA250F

Botão NEL

5.1.9. Posicionar o gabarito no botão que será instalado o inserto Braille

5.1.10. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege o inserto e fixá-
lo no POC com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10 segundos

Inserto Botão NEL


Braille

Gabarito

5.1.11. Somente para botões de chamada:

5.1.11.1 Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege a fita


dupla face e colar o suporte BAA180FT1 atrás do POC, entre as duas
carreiras de botão de chamada

5.1.11.2. Fixar o Painel eletrônico BAA26800DS1 no suporte BAA316ZW1

5.1.11.3. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege a fita


dupla face e colar o suporte BAA316ZW1 no suporte BAA180FT
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 6/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL

Placa face

Suporte c/
painéis

Botões

Suporte
BAA180FT1

Suporte
Suporte BAA316ZW1
com Painel eletrônico BAA180FT1
BAA26800DS1

Fita dupla
Placa face face
Interna do POC
Detalhe da montagem
dos painéis
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 7/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
5.1.12. Efetuar a conexão elétrica dos botões NEL novos:

5.1.12.1. Para botões de chamada:

• Verificar os pontos do botão quadrado em que cada um dos cabos


existentes estava ligado
• Retirar um cabo existente por vez do botão quadrado, sempre se
atentando à numeração do ponto onde estava ligado
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente no ponto do Painel
eletrônico de interface correspondente, ou seja, no ponto com a mesma
numeração de onde estava conectado o cabo existente do botão
quadrado

Ponto do botão quadrado


Ponto do Painel
Sinal onde cabo existente
eletrônico de interface
estava ligado
Chamada 2 2
135 V 1 1
HL1 3 3

• O Painel eletrônico de interface já vem com um conjunto de cabos. Uma


das pontas já está conectada aos pontos B1, B2 e B3 do Painel
eletrônico. A outra ponta deve ser conectada ao botão NEL (o que
possui o terminal macho correspondente)

Painel eletrônico de interface Conectar o cabo existente


correspondente ao 135 V

Conectar ao Botão NEL


(o que possui o terminal
macho correspondente)
Conectar o cabo existente
correspondente ao sinal de
chamada

Conectar o cabo existente


correspondente ao HL1
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 8/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
5.1.12.2. Para botões de abrir e / ou fechar portas:

• Verificar os pontos do botão antigo em que cada um dos cabos


existentes estava ligado
• Retirar um cabo existente por vez do botão antigo, sempre se
atentando à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente diretamente no botão
NEL (o que possui o terminal de parafusos) nos pontos C e NO

Ponto do botão antigo Ponto do botão NEL (o


Sinal onde cabo existente que possui o terminal de
estava ligado parafusos)
Abrir e / ou
2 NO (Normalmente Aberto)
fechar portas
135 V 1 C (Comum)

Nota: Para o botão de abrir e / ou fechar portas, não é necessário


o Painel eletrônico de interface

5.1.13. Repetir os itens 5.1.3. a 5.1.12. para os demais botões (de acordo com a função de
cada um, ou seja, de chamada (item 5.1.12.1.) ou de abrir e / ou fechar portas (item
5.1.12.2.))

5.1.14. Religar a alimentação HL1 e +135V, respectivamente

5.1.15. Fechar e fixar o POC e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de carro
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 9/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
5.2. Para Botoeira de Andar:

5.2.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.2.2. Abrir a Botoeira de Andar e desligar as linhas de HL1 e +135V, respectivamente

5.2.3. Retirar o conjunto botão de chamada quadrado + painel, sem retirar a conexão
elétrica existente

5.2.4. Fixar a placa face BAA147CL, utilizando os suportes BAA180FM1, de forma a


manter fixada a placa face na Botoeira

BAA180FM1

5.2.5. Instalar o botão NEL + fixação (FAA72N1). Também proceder à instalação do inserto
Braille (BAA250F) correspondente, seta de subida ou descida (aplicar o mesmo
procedimento utilizado nos itens 5.1.6., 5.1.9. e 5.1.10. para a Botoeira de Andar)

Painel de
chamada
BAA26800DS1

Rasgo p/ Placa Suporte


botão BAA147CL BAA316ZW1
quadrado

Botão
Placa face
da
botoeira Botão Suporte
BAA180FM1

Porca
FAA72N1

Placa Face Vista de Frente Vista de Trás


DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 10/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL

Suporte
BAA180FM

Placa face
Porca FAA72N1

Placa face
Painel eletrônico BAA147CL
de interface
BAA26800DS1
Inserto Braille
BAA250F
(se for solicitado)

Botão NEL
Suporte para Painel
eletrônico c/ fita dupla face
BAA316ZW1

5.2.6. Aplicar o mesmo procedimento utilizado no item 5.1.12.1. para a Botoeira de Andar

5.2.7. Repetir os itens 5.2.3. a 5.2.6. para os demais botões

5.2.8. Religar a alimentação HL1 e +135V, respectivamente

5.2.9. Fechar e fixar a Botoeira de Andar e testar a eficácia do sistema, realizando


chamadas de andar
DATA: 14/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.04.06 PÁGINA: 11/11

Substituição de Botões quadrados utilizados com controle Selectron por


Botões NEL
6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Painel de Operação do Carro BO-O-CC1/120 D21-A
Botoeira de Andar BO-O-D7/111 D21-B
Inserto Braille BO-O-P6/001

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Por Kit (por botão


Comando Base
substituído)
Coletivo na descida 0,417 h. (25 min.) 0,175 h. (10,5 min.)
Coletivo seletivo 0,417 h. (25 min.) 0,167 h. (10 min.)
S U B S T I T U I Ç Ã O D E P A I N E L D E O P E R A Ç Ã O ( P O C ) ( 6 6 1 3 E / F/G/GA)
E BOTOEIRA DE ANDAR (6600A) POR BOTÃO NEL - D25

DESIGN Novo ! INDICADOR DE POSIÇÃO DE 2” (10 SEGUIMENTOS


NO PAINEL DE OPERAÇÃO (POC) - D29

Para substituir o painel de operação e as botoeiras


de andar de seu elevador, a Otis desenvolveu o painel de
operação (POC) e as botoeiras de andar com botão NEL.

· Os botões Nel têm design moderno e apresentam


maior durabilidade devido aos componentes serem mais
resistentes, diminuindo assim a ação de vandalismo;
· Os botões acompanham insertos em braille,
atendendonormas brasileiras para deficientes visuais;
· As marcações de andar são inseridas ao lado do
botão Nel, o que permite mais visibilidade, adequando-se
também às normas brasileiras;
· Tempo médio de instalação: 1h, variável de acordo
com a quantidade de botões;
· Garantia de 1 ano;

· Com a instalação deste kit, há a substituição


completa do POC antigo por um POC novo (placa face,
botões, etc.), mantendo-se apenas o controle existente.
Como opção, o POC poderá ter um indicador de posição de
2” (10 seguimentos).

· Pode ser utilizado para controles


que possuam POC dos dois tipos 6613E/F/G/GA e
botoeira de andar tipo 6600A;
· Trabalha com tensão de, no máximo, , 135V para
controles SELECTRON;
MKTS-428 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de andar dos
tipos 6600A com Botão mecânico preto por Botão NEL - D25 com a
opção de Indicador de posição 2" no POC - D29

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas:
- É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-
CC1/113) com suas marcações correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são opcionais
- Para Botoeiras de Andar com indicador de posição / seta direcional / dial conjugado, somente serão fornecidas
Botoeiras novas sem estes opcionais. Se Cliente deseja tê-los, sugere-se a troca de tecnologia de controle de
movimento
- Para POCs e Botoeiras de Andar em que já existe a opção de luz de chamada registrada, será fornecido um
painel com transformador - a ser instalado no controle existente - para prover a tensão apropriada. Quando
ainda não há esta opção, com este kit também não será possível tê-la.

N = Número de pavimentos Tensão da luz 110V


220V

Botão NEL Luz de chamada Sim


Antivandalismo registrada existente Não

Dados para especificação do Kit para o POC

Placa face - POC

ALT_POC Altura total do POC existente mm

LARG_POC Largura do POC existente mm


Alt_POC

Notas:

Se houver Painel auxiliar e / ou Gabinete para Interfone,


tomar como a altura total do POC existente a soma das
alturas de todas estas placas face juntas.

Larg_POC

Folha 1/5
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de andar dos tipos 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL - D25 com a opção de Indicador de posição 2" no POC - D29

Dados para especificação do Kit para o POC - continuação

Indicar os itens existentes no POC antigo

Capacidade Passageiros Carga Kg

Marcação dos pavimentos

Quantdade de POC 1 POC Indicador de posição Sim, multiluz


por carro 2 POC'S na cabina Não

Interfone Sim Não Chave de 'ventilador' Sim Não

Chave de 'Luz' Sim Não Chave de 'Emergência' Sim Não

Botão 'Alarme' Sim Não Botão 'Abrir porta Sim Não


ou 'AP'

Botão de 'Fechar Sim Não Chave de Serv. Independ. Sim Não


porta' ou 'FP' Liga-Desliga Serv.'

Chave de Serv. Sim Não Botão 'Direto' Sim Não


Cabineiro 'Aut. Cab.' (para Serv. Cabineiro)

Botão de 'Subida' ou Sim Não Botão de 'Descida' ou 'D' Sim Não


S' (p/ Serv. Cabineiro) (p/ Serv. Cabineiro)

Botão de 'Partida' Sim Não Luz indicativa de subida Sim Não


(p/ Serv. Cabineiro) e descida (p/ serv. Cabin.)

Botão de 'NS' ou Sim Não Botão de 'ND' ou Sim Não


(nivelamento manual) (nivelamento manual)

Chave de Sim Não ** Chave 'Liga-desl. Carga' Sim Não


Andar principal' Carga' (p/ ultrapassar
Serv. Carga)

Chave para acionar Sim Não Luz indicativa de gerador Sim Não
Gerador do motor ligado

Chave de 'Serv. Sim Não


Hospital'

** No POC novo, não será fornecido esta chave nem as luzes indicativas deste módulo. O
restante das outras chaves e módulos será fornecido conforme solicitado.

Folha 2/5
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de andar dos tipos 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL - D25 com a opção de Indicador de posição 2" no POC - D29

Dados para especificação do Kit para o POC - continuação

Indicar os itens solicitados no POC NOVO

Inserto para botão NEL Sim ** Obrigatório **

Placa face Inox escovado Indicador de posição de 2" Sim


Inox espelhado novo no POC Não

Notas: 1 - O indicador de posição novo é o de 10 seguimentos, com altura do display


igual a 2" (5cm aproximadamente).

2 - Com a solicitação desta opção:

* Seram fornecidos em painel com transformador para prover a tensão apropriada


e um painel PDI (painel decodificador) - a serem instalados no controle / seletor
existentes.
* Se houver um indicador de posição tipo 'multiluz' existente na cabina, este será
substituido por uma placa cega na verga (Indicar dimensões abaixo):

Se indicador de posição FP (mm) =


existente na verga, informar
dimensões para placa cega GP (mm) =

HP (mm) =
DIST_FUROS_BOT

Indicador existente GP

HP
FP

3 - Este item (indicador de posição de 2" novo no POC) faz parte do Otis Kit D29.

Observações

Folha 3/5
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de andar dos tipos 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL - D25 com a opção de Indicador de posição 2" no POC - D29

Dados para especificação do Kit para o POC - continuação

Placa face

Nota:

Se comando for DCL (Coletivo na descida),


preencher somente as dimensões referentes às
Botoeiras de andar dos pavimentos terminais.
DIST_FUROS_BOT

ALT_BOT_PAV

LARG_BOT_PAV

LARG_BOT_PAV_TERM Largura da botoeira existente - Pavimentos terminais mm

ALT_BOT_PAV_TERM Altura da botoeira existente - Pavimentos terminais mm

DIST_FUROS_BOT_TERM Distr. entre furos Botoeira existente - Pavimentos terminais mm

LARG_BOT_PAV_INTERM Largura da botoeira existente - Pavimentos intermediários mm

ALT_BOT_PAV_INTERM Altura da botoeira existente - Pavimentos intermediários mm

DIST_FUROS_BOT_INTERM Distr.entre furos Botoeira existente - Pavimentos intermediários mm

Observações

Folha 4/5
ORDEM DE FORNECIMENTO - Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de andar dos tipos 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL - D25

Dados para especificação do Kit para a botoeira de andar

Inserto para Botão NEL Seta para subir


*** Opcional *** Seta para descer

Número de pavimentos
acima da entrada principal

Número de pavimentos
abaixo da entrada principal

DCL - Coletivo na descida


Comando
FCL - Coletivo seletivo

GIC G5C
Carros no grupo G2C G6C
G3C G7C
G4C G8C

1 (SBR)
2 (DBR)
Carreira de botões 3 (TBR)
4 (QBR)
(MBR)

Notas: Se for solicitado insertos Braille para as Botoeiras de Andar:

Se coletivo na descida:
Para os pavimentos abaixo do principal: somente setas para subir
Para o pavimento principal: setas para subir e descer
Para os pavimentos acima do principal: somente setas para descer

Se coletivo seletivo:
Para o pavimento terminal inferior: somente setas para subir
Para Os pavimentos intermediários: setas para subir e descer
Para o pavimento terminal superior: somente setas para descer

Observações

Folha 5/5
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 1/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO
0 Transcrição da ATC - G.04.07 de 11/04/03
Inclusão da opção de Indicador de posição de 2” novo no POC (10 segmentos) e
1
de luzes indicativas

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento para a substituição dos botões mecânicos pretos utilizados em


POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A por botões NEL e com a
opção de Indicador de posição de 2” (10 segmentos) no POC.

3. APLICAÇÃO:

Para Painel de Operação do Carro (POC) dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do
tipo 6600A com botões mecânico preto, em que o controle existente é mantido.

Este pacote trabalha com tensão de alimentação de 135 Vcc (para os sinais de chamada e
fechaduras) e de 24 Vcc (para as luzes de chamada registrada e Indicador de posição
de 2”) e será fornecido com placa face nova, botões, fechaduras, indicador de posição, luzes
indicativas e outros itens necessários para adaptação destes ao controle existente. Serão
mantidas as caixas existentes e a fiação existente.

Notas: - É obrigatório o fornecimento de insertos Braille no POC, via especificação do


Otis Kit D-03 (Formulário BO-O-CC1/113) com suas marcações
correspondentes
- Os insertos Braille para as Botoeiras de Andar (setas indicadoras) são
opcionais
- Para Botoeiras de Andar com indicador de posição / seta direcional / dial
conjugado, somente serão fornecidas Botoeiras novas sem estes opcionais.
Se Cliente deseja tê-los, sugere-se a troca de tecnologia do controle de
movimento
- Para POCs e Botoeiras de Andar em que já existe a opção de luz de chamada
registrada, será fornecido um painel com transformador - a ser instalado no
controle existente - para prover a tensão apropriada. Quando não há esta
opção, com este kit também não será possível tê-la
- Quando for solicitado indicador de posição de 2” (10 dígitos) novo no POC,
serão fornecidos um painel com transformador para prover a tensão
apropriada e um painel PDI (painel decodificador) - a serem instalados no
controle / seletor existentes
ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 2/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

4. PROBLEMA:

Atualização técnica e estética.

5. AÇÃO:

5.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2. Para POCs e Botoeiras de Andar em que já existe a opção de luz de chamada registrada:

5.2.1. Será fornecido um painel com transformador (BO6840CN) - a ser instalado no


controle existente - para prover a tensão apropriada às luzes de chamada registrada
dos botões NEL novos (24 Vcc)

5.2.2. Para efetuar esta instalação, deve-se retirar a alimentação de 135 Vcc das luzes
de chamada registrada existentes (TTL), o (+) e (-), de dentro do controle e isolá-
la. Para verificar quais são os pontos, vide no diagrama elétrico do controle existente
a área referente ao TTL.

Ponto do Ponto do botão


Ponto no controle existente
painel NEL
HL1 (Fonte de alimentação) 1 ---
110 / 220 V (Fonte de alimentação) 2 ---
Ver no diagrama elétrico existente o ponto
3 (-)
referente ao (-) da luz de chamada registrada
Ver no diagrama elétrico existente o ponto
4 (+)
referente ao (+) da luz de chamada registrada

Nota: Em alguns controles, os pontos referentes ao (+) e (-) da luz de


chamada registrada são os mesmos da alimentação do indicador de
posição, indicador de direção e / ou lanterna. Este novo painel com
transformador somente será utilizado para as luzes de chamada
registrada (24 Vcc), ou seja, a alimentação do restante da sinalização
(135 Vcc) continua inalterada. Favor verificar - depois de efetuar a
conexão do painel - se esta mudança foi feita de acordo com o descrito
anteriormente, ou seja, se as luzes de chamada registrada estão
alimentadas com 24 Vcc (e polarizadas corretamente) e se os
indicadores de posição / indicadores de direção / lanternas com 135
Vcc.
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 3/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

5.3. Para Painel de Operação do Carro (POC):

5.3.1. Abrir o Painel de Operação do Carro (POC) e desligar as linhas de HL1 e +135 Vcc,
respectivamente

5.3.2. Retirar o POC existente (Placa face, Botões, Painel auxiliar e Gabinete de interfone),
sem retirar a conexão elétrica existente

5.3.3. Posicionar o POC novo de uma maneira que cubra todo o rasgo e todas as furações
do POC existente

5.3.4. Marcar as seis furações indicadas da placa face nova com um lápis

5.3.5. Fazer as furações, para a fixação dos parafusos antivândalo fornecidos, com macho
e contramacho M4. Reposicionar o POC novo e conferir a furação efetuada

POC novo

Parafuso
antivândalo
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 4/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

5.3.6. Efetuar a conexão elétrica do POC novo:

5.3.6.1. Botões NEL de chamada:

• No POC novo, verificar os pontos do botão mecânico preto em que cada


um dos cabos existentes estava ligado
• Retirar um cabo existente por vez deste botão, sempre se atentando
à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente diretamente no botão
NEL nos pontos C e NO

Ponto do botão mecânico


Sinal preto onde cabo Ponto do botão NEL
existente estava ligado
Sinal de retorno NO NO
para controle (Normalmente Aberto) (Normalmente Aberto)
135 Vcc C (Comum) C (Comum)
HL1 (Ver Nota) (-) (-)
24 Vcc (Ver
(+) (+)
Nota)

Nota: Para POCs em que já existe a opção de luz de chamada


registrada, será fornecido um painel com transformador
(BO6840CN) - a ser instalado no controle existente - para
prover a tensão apropriada (24 Vcc). Ou seja, deve-se retirar
a alimentação de 135 Vcc que havia para as luzes de
chamada registrada e isolá-la. Fazer a conexão entre o
ponto 4 (24 Vcc) do painel com transformador e o ponto que
alimenta as luzes de chamada registrada, utilizando o cabo
e os terminais BO190D3 (fêmea) fornecidos no kit.
Quando ainda não há esta opção, com este kit também não
será possível tê-la

5.3.6.2. Botões NEL de alarme e / ou abrir portas:

• No POC novo, verificar os pontos do botão mecânico preto em que cada


um dos cabos existentes estava ligado
• Retirar um cabo existente por vez deste botão, sempre se atentando
à numeração do ponto onde estava ligado
• Cortar o terminal e decapar a ponta do cabo
• Efetuar a conexão desta ponta do cabo existente diretamente no botão
NEL nos pontos C e NO
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 5/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

Ponto do botão mecânico


Sinal preto onde cabo existente Ponto do botão NEL
estava ligado
Sinal de
NO NO
retorno para
(Normalmente Aberto) (Normalmente Aberto)
controle
135 Vcc C (Comum) C (Comum)

5.3.6.3. Fechaduras em geral:

• No POC novo, retirar os cabos existentes de cada chave, sempre se


atentando à função de cada uma (se é de Luz, Ventilador, Serviço
de Cabineiro etc.)
• Cortar os terminais existentes e decapar as pontas dos cabos
• Colocar os novos terminais BO190D2 (fêmea) nos cabos e efetuar a
conexão nas fechaduras respectivas do POC novo (conforme a função
de cada uma)

5.3.6.4. Indicador de posição de 2” (10 segmentos) novo:

• Serão fornecidos - junto com o kit - um painel com transformador


(BO6840CN) para prover a tensão apropriada (24 Vcc) e um painel PDI
(Painel decodificador: BO6843BB), a serem instalados no controle /
seletor existentes
• Fazer a conexão entre o ponto 4 (24 Vcc) do painel com transformador e
o ponto 1-FPS do painel PDI, utilizando o cabo e os terminais BO190D3
(fêmea) fornecidos no kit
• Deve-se retirar a alimentação de 135 Vcc do ponto PIB do seletor
existente e isolá-la
• Fazer a conexão entre o ponto 2-FPS do painel PDI e este ponto PIB,
utilizando o cabo e os terminais (187AL1 para o PIB e BO190D3 para o
painel PDI) fornecidos no kit
• Retirar um cabo existente por vez dos contatos das barras de andar
(PIC) do seletor existente
• Cortar os terminais existentes e decapar as pontas dos cabos
• Colocar os novos terminais BO190D3 (fêmea), fornecidos no kit, nos
cabos e efetuar a conexão nos pontos K1U a K11U e K1D a K10D do
painel PDI, marcando - em uma anotação à parte - a numeração do
bloco do controle onde cada cabo está ligado (bloco que desce
para a cabina) e seu correspondente no painel PDI
• Fazer a conexão entre os contatos das barras de andar (PIC) e a
indicação desejada no painel PDI (1 a 29, T, 1S, 2S etc.; conforme
contrato), utilizando os cabos e terminais (187AL1 para as barras de
andar e BO190D3 para o painel PDI) fornecidos no kit
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 6/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

• No POC novo, conectar os pontos (K1U a K11U e K1D a K10D) do


Indicador de posição de 2” (10 segmentos) a seu ponto correspondente
no bloco que vem do controle, de acordo com a anotação à parte feita
anteriormente
• Se houver um indicador de posição tipo “multiluz” existente na cabina,
deve ser instalado uma placa cega na verga (fornecida no kit) para tapar
o rasgo deixado pelo indicador antigo

Barras de
Indicador de
Controle andar (PIC) Painel PDI novo
posição de 2” (10
existente do seletor (BO6843BB)
segmentos) novo
existente
Ponto 4 -
Painel com
- 1-FPS -
trafo
(BO6840CN)
- PIB 2-FPS -
PIC - Barras
Pontos respectivos
de andar
na placa (1 a 29,
com a
T, 1S, 2S etc.; de
marcação
- acordo com a -
desejada de
marcação
cada andar
desejada de cada
(1 a 29, T,
andar)
1S, 2S etc.)
Pontos: Pontos:
K1U a K11U K1U a K11U
- - e e
K1D a K10D K1D a K10D
(respectivamente) (respectivamente)

5.3.6.5. Luzes indicativas:

• Quando necessário, será fornecido - junto com o kit - um painel com


transformador (BO6840CN) - a ser instalado no controle existente - para
prover a tensão apropriada (24 Vcc)
• Fazer a conexão entre o ponto 4 (24 Vcc) do painel com transformador e
o ponto que irá alimentar o led indicativo de gerador ligado, utilizando o
cabo e os terminais BO190D3 (fêmea) fornecidos no kit
• No POC novo, retirar um cabo existente por vez dos contatos das
luzes indicativas
• Cortar os terminais existentes e decapar as pontas dos cabos
• Colocar os novos terminais BO190D3 (fêmea), fornecidos no kit, nos
cabos e efetuar a conexão
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 7/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

Material a ser Conexão elétrica


Luz Tensão
fornecido no
indicativa Ponto do de
kit e instalado
nova material Sinal trabalho
(Localização)
fornecido
Sinal de luz de
1
Subida e Painel com luz descida
Descida (p/ indicativa Sinal de luz de
2 135 Vcc
Serviço BO625B2 subida
Cabineiro) (POC)
3a HL1
Sinal de gerador
A1 110 / 127
ligado
Vca
A2 HL1
2 - Led
Contator (POC) Normal indicativo
aberto 1 BAA26800BW1
Gerador
(POC)
ligado
Normal
0 Vcc 24 Vcc
aberto 2
1 24 Vcc
Led indicativo
BAA26800BW1 Normal aberto 1
(POC) 2 - Contator
(POC)

Notas: 1 - Luz indicativa de subida e descida (p/ Serviço de


Cabineiro): conectá-la aos mesmos pontos que
alimentavam as luzes indicativas do POC antigo (de
acordo com a tabela acima)
2 - Contator de gerador ligado: conectá-lo aos mesmos
pontos que alimentavam a luz indicativa de gerador
ligado do POC antigo (de acordo com a tabela acima)
3 - Led indicativo de gerador ligado: conectá-lo aos pontos
indicados na tabela acima
4 - Normal aberto 1 e 2 são 2 pontos diferentes do mesmo
contato normalmente aberto

5.3.7. Repetir o item 5.3.6. para os demais botões, fechaduras e luzes indicativas (de
acordo com a função de cada um, ou seja, botão de chamada (item 5.3.6.1.), botão
de alarme e / ou abrir portas (item 5.3.6.2.), fechaduras (item 5.3.6.3.) ou luzes
indicativas (item 5.3.6.5.))

5.3.8. Religar a alimentação HL1 e +135 Vcc, respectivamente

5.3.9. Fechar e fixar o POC novo e testar a eficácia de todo o sistema, realizando
chamadas de carro
DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 8/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

5.4. Para Botoeira de Andar:

5.4.1. Abrir a Botoeira de Andar existente e desligar as linhas de HL1 e +135 Vcc,
respectivamente

5.4.2. Retirar esta Botoeira (Placa face e Botões), sem retirar a conexão elétrica existente

5.4.3. Aplicar o mesmo procedimento utilizado no item 5.3.6.1. para a Botoeira de Andar

5.4.4. Religar a alimentação HL1 e +135 Vcc, respectivamente

5.4.5. Fechar e fixar a Botoeira de Andar nova na caixa existente utilizando os parafusos
10-32 x 3/8” fornecidos e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de andar

Caixa da Placa face


botoeira existente BAA147DX
será mantida

Parafuso
10-32 x 3/8”

Inserto Braille
Porca FAA72N1 BAA250F
(se for solicitado)
Anel
BAA376D3

Botão NEL

5.4.6. Repetir os itens 5.4.1. a 5.4.5. para as demais Botoeiras


DATA: 04/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - G.04.07 PÁGINA: 9/9

Substituição de POC dos tipos 6613E/F/G/AG e Botoeira de Andar do tipo 6600A com Botão
mecânico preto por Botão NEL, com a opção de Indicador de posição de 2” no POC

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Painel de Operação do Carro BO-O-CC1/121 D25-A
Botoeira de Andar BO-O-D7/112 D25-B
Inserto Braille BO-O-CC1/113

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Por pavimento (POC e


Comando Base
Botoeiras de Andar)
Coletivo na descida 0,583 h. (35 min.) 0,366 h. (22 min.)
Coletivo seletivo 0,583 h. (35 min.) 0,45 h. (27 min.)
Novo ! CORRIMÃO REDONDO PARAMETRIZADO - D24
DESIGN ESPELHO DE CABINA - D45

· Os corrimãos de cabina são produzidos em


alumínio anodizado e trazem elegência à estética de sua
cabina bem como mais segurança aos usuários;
· Os corrimãos auxiliam na proteção dos painéis e podem
ser instalados nas laterias ou no fundo das cabinas;
· São instalados com fização especial (rebite e parafuso),
que diminuem ações de vandalismo;
· Podem ser fornecidos em três opções: natural fosco,
preto ou bronze;
· Tempo médio de instalação: 1h30;
· Garantia de 1 ano;
· Confeccionado de acordo com o tamanho da cabina;
· O esélho realça a beleza da cabina, oferecendo maior
conforto aos usuários;
· Os corrimãos e o espelho podem ser adquiridos
separadamente.

Espelho de cabina

Corrimão preto Corrimão bronze Corrimão natural fosco


MKTS-434 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Corrimão redondo parametrizado - VSD24

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

(CW) Largura interna da cabine (mm) ( Medida entre 760mm e 2100 mm )

(CD) Profundidade interna da cabine (mm) ( Medida entre 690mm e 2100 mm )

Cabine CD : Profundidade
interna da cabine

Frente da cabine

CW: Largura interna da cabine

*** VER PÁGINAS SEGUINTES ***

Observações

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Subteto curvo - VSD23

AC-250: Alumínio anodizado - Natural fosco - Painel fundo


AC-260: Alumínio anodizado - Natural fosco - Painel lateral
Opção de corrimão redondo AC-251: Alumínio anodizado - Preto fosco - Painel fundo
AC-261: Alumínio anodizado - Preto fosco - Painel lateral
AC-252: Alumínio anodizado - Bronze - Painel fundo
AC-262: Alumínio anodizado - Bronze - Painel lateral

Localização do POC Frente da cabina


Lateral da cabina

Assento para ascenssorista Não existe


Existe

Observações

Folha 2/2
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 1/7

Corrimão redondo parametrizado

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever o procedimento para a instalação do corrimão redondo em cabinas de diversas


dimensões.

3. APLICAÇÃO

Para cabinas com as seguinte dimensões:

• 760 ≤ Largura interna da cabina (CW) ≤ 2.100 mm


• 690 ≤ Profundidade interna da cabina (CD) ≤ 2.100 mm

CABINA CD

FRENTE DA
CABINA

CW

Nota: O POC deve ter espessura máxima de 45 mm

4. PROBLEMA

Atualização estética.

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 2/7

Corrimão redondo parametrizado

5. AÇÃO

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

5.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2. Se for solicitado corrimão no fundo da cabina:

5.2.1. Montar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 no corrimão BAA139S998,


utilizando os parafusos antivândalo fornecidos

Suporte
BAA316CKP

Corrimão
BAA139S

Furo inferior
do suporte

5.2.2. Posicionar esta montagem realizada no item 5.2.1. no centro do painel (ou seja, de
forma eqüidistante dos painéis adjacentes), sendo que os furos inferiores dos
suportes (BAA316CKP3 e BAA316CKP4) estejam a uma altura de 810 mm em
relação ao piso da cabina

5.2.3. Marcar as quatro furações indicadas com um lápis

5.2.4. Verificar se as alturas das furações da montagem de corrimão efetuada no item


5.2.1. estão na altura determinada em relação ao piso da cabina:

Altura em relação ao piso da cabina (mm)


Furos superiores 870
Furos inferiores 810

Nota: Verificar se furos inferior e superior de cada suporte estão alinhados.


DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 3/7

Corrimão redondo parametrizado

5.2.4.1. Se as furações conferem:

• Desmontar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 do corrimão


BAA139S998
• Repetir item 5.2.3., mas - desta vez - marcando as furações com um
punção
• Efetuar as furações com uma broca de 5 mm

5.2.4.2. Se as furações não conferem, refazer itens 5.2.1. ao 5.2.4. (até que as
verificações de furação indicadas no item 5.2.4. confiram)

4 furações a
serem realizadas

5.2.5. Posicionar e fixar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 no painel nas furações


realizadas

5.2.6. Fixá-los com os 4 rebites de aço tipo POP fornecidos (4,8 mm x 12,7 mm - Cor
preta), utilizando a rebitadeira adequada

5.2.7. Montar novamente o corrimão BAA139S998 nos suportes BAA316CKP3 e


BAA316CKP4, utilizando os parafusos antivândalo fornecidos
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 4/7

Corrimão redondo parametrizado

Painel da
cabina

Furo superior Corrimão


do suporte BAA139S

Rebites de aço
tipo POP
Parafuso
antivândalo
Furo inferior
do suporte Suporte
BAA316CKP

Corrimão
montado no
fundo da cabina

5.3. Se for solicitado corrimão na lateral da cabina:

5.3.1. Montar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 no corrimão BAA139S999,


utilizando os parafusos antivândalo fornecidos

5.3.2. Posicionar esta montagem realizada no item 5.3.1. no centro do painel (ou seja, de
forma eqüidistante dos painéis adjacentes), sendo que os furos inferiores dos
suportes (BAA316CKP3 e BAA316CKP4) estejam a uma altura de 810 mm em
relação ao piso da cabina
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 5/7

Corrimão redondo parametrizado

Nota: Se cabina possuir canto curvo, a centralização deve ser feita em relação ao
canto curvo, de forma que a colocação do corrimão no painel lateral não
interfira com o corrimão colocado no painel do fundo.

5.3.3. Marcar as quatro furações indicadas com um lápis

5.3.4. Verificar se as alturas das furações da montagem de corrimão efetuada no item


5.3.1. estão na altura determinada em relação ao piso da cabina:

Altura em relação ao piso da cabina (mm)


Furos superiores 870
Furos inferiores 810

Nota: Verificar se furos inferior e superior de cada suporte estão alinhados.

5.3.4.1. Se as furações conferem:

• Desmontar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 do corrimão


BAA139S999
• Repetir item 5.3.3., mas - desta vez - marcando as furações com um
punção
• Efetuar as furações com uma broca de 5 mm

5.3.4.2. Se as furações não conferem, refazer itens 5.3.1. ao 5.3.4. (até que as
verificações de furação indicadas no item 5.3.4. confiram)

5.3.5. Posicionar e fixar os suportes BAA316CKP3 e BAA316CKP4 no painel nas furações


realizadas

5.3.6. Fixá-los com os 4 rebites de aço tipo POP fornecidos (4,8 mm x 12,7 mm - Cor
preta), utilizando a rebitadeira adequada

5.3.7. Montar novamente o corrimão BAA139S999 nos suportes BAA316CKP3 e


BAA316CKP4, utilizando os parafusos antivândalo fornecidos
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 6/7

Corrimão redondo parametrizado

Corrimão
montado na
lateral da cabina

Corrimão
montado no
fundo da cabina

5.3.8. Se houver mais de um corrimão lateral a ser instalado, repetir os itens 5.3.1. ao
5.3.7.
DATA: 04/04/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.16 PÁGINA: 7/7

Corrimão redondo parametrizado

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Corrimão redondo
BO-O-C27/001 D24
parametrizado

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. CUSTO DO MATERIAL

Por metro
Corrimão redondo Base (R$) *
(R$) *
AC-250 - Alumínio anodizado - Natural fosco - Painel fundo 9,00 13,88
AC-260 - Alumínio anodizado - Natural fosco - Painel lateral 9,97 13,88
AC-251 - Alumínio anodizado - Preto fosco - Painel fundo 8,82 14,71
AC-261 - Alumínio anodizado - Preto fosco - Painel lateral 9,85 14,71
AC-252 - Alumínio anodizado - Bronze - Painel fundo 8,91 14,29
AC-262 - Alumínio anodizado - Bronze - Painel lateral 9,91 14,29

* Custo por corrimão - Referência Abr/03

Custo total do material - Painel fundo (R$) = Base (R$) + (Por metro (R$) x Largura
interna da cabina (m))

Custo total do material - Painel lateral (R$) = Base (R$) + (Por metro (R$) x Profundidade
interna da cabina (m))

Exemplos:

- Custo por corrimão AC-250 para cabina com largura interna de 1.200 mm (R$) =
9,00 + (13,88 x 1.200/1.000) = 9,00 + (13,88 x 1,2) = 25,66

- Custo por corrimão AC-262 para cabina com profundidade interna de 2.000 mm (R$) =
9,91 + (14,29 x 2.000/1.000) = 9,91 + (14,29 x 2) = 38,49

9. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total por corrimão: 70 minutos = 1,17 horas (35 minutos x 2 técnicos)


ORDEM DE FORNECIMENTO

Espelho de cabina parametrizado - D45

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - Preencher uma Ordem de Fornecimento por unidade

- Todas as informações solicitadas devem ser informadas obrigatoriamente

- O espelho e os seus suportes (um na parte inferior e outro na superior do espelho) serão
instalados somente na metade superior do painel do fundo da cabina

- Dimensões da cabina:

- 760 <= Largura interna da cabina (mm) <= 2.100

Dados para especificação do Kit

CW_CANTO = Largura interna da cabina até os cantos (mm) =

Obs.1: - Se houver canto de cabina arredondado no painel do fundo da cabina, tomar as


dimensões acima até o início do(s) canto(s) arredondado(s);

Se não houver canto de cabina arredondado no painel do fundo da cabina, tomar as


dimensões acima até o(s) canto(s) reto(s)

Cabina

Frente da cabina

CW_canto

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Espelho de cabina parametrizado - D45

Dados para especificação do Kit- continuação

CH_subteto = Altura interna da cabina até o subteto (mm) =

Obs.: Neste item, a dimensão solicitada é a altura do piso acabado até o subteto. Se não existir subteto,
informar a altura do piso acabado até o teto.

Há corrimão no painel de fundo da cabina ?

Sim Não Se sim, informar a altura do suporte do corrimão até o piso acabado (mm):
Altura (mm):

Painel de fundo
da cabina

Corrimão

ALT_CORRIMÃO
= Altura do suporte
do corrimão até o
piso acabado
Suporte

Piso acabado

Corrimão
montado no
fundo da cabina

AC-280: Alumínio anodizado - Natural fosco


Acabamento dos suportes AC-281: Alumínio anodizado - Preto fosco
do espelho AC-282: Alumínio anodizado - Bronze

Observações

Folha 2/2
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 1/7

Espelho de cabina parametrizado

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever o procedimento para a instalação do espelho em cabinas de diversas dimensões.

3. APLICAÇÃO

Para cabinas com as seguintes dimensões:

• 760 ≤ Largura interna da cabina (CW) ≤ 2.100 mm

CABINA

FRENTE DA
CABINA

CW

O espelho e os seus suportes (um na parte inferior e outro na superior do espelho) serão instalados
somente na metade superior do painel do fundo da cabina.

4. PROBLEMA

Atualização estética.

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 2/7

Espelho de cabina parametrizado

5. AÇÃO

Notas: 1 - Verificar se o espelho e os seus suportes estão com as dimensões


corretas:

• Espelho (valores aproximados):


¾ Largura (mm) = Largura do painel de fundo da cabina até os cantos
(mm)
¾ Altura (mm) = Altura do piso acabado até o subteto - 1.000 (mm)

• Suportes do espelho (valores aproximados):


¾ Comprimento (mm) = Largura do painel de fundo da cabina até os
cantos (mm)

2 - A montagem deve ser realizada por 2 técnicos

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

5.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2. Acessar à cabina

5.3. Se não houver corrimão no fundo da cabina:

5.3.1. No painel do fundo, marcar com um lápis as furações a uma altura de 890 mm do
piso acabado. Se não houver furações já existentes no local de fixação, procurar
espaçá-las - preferencialmente - de maneira eqüidistante. Verificar se furos estão
alinhados

Suporte do espelho
(vista de trás)
Comprimento de acordo
com largura do painel

Clipes

Nota: A quantidade de furos necessária será de acordo com a quantidade de


clipes fornecidos no suporte do espelho.
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 3/7

Espelho de cabina parametrizado

5.3.2. Se as furações:

5.3.2.1. Estão na altura determinada e estão alinhados (a linha dos furos deve estar
perpendicular aos painéis laterais):

• Repetir item 5.3.1., mas - desta vez - marcando as furações com um


punção
• Efetuar as furações com uma broca de 7 mm

5.3.2.2. Não estão na altura determinada e / ou não estão alinhados, refazer itens
5.3.1. ao 5.3.2. (até que as verificações de furação indicadas no item 5.3.2.
confiram)

5.3.3. Posicionar o suporte inferior do espelho no local de fixação e os clipes nas furações
marcadas. Fixá-lo no painel

Espelho será
apoiado aqui Painel da
cabina
Suporte
inferior do
espelho

Clipe

890 mm

Piso acabado

Esta parte do
suporte para baixo

Nota: Verificar se o suporte do espelho está bem fixo e rígido, a fim de evitar-
se sua soltura e / ou do próprio espelho do painel.

5.3.4. Um técnico deve encostar o espelho no painel - apoiando-o sob o seu suporte inferior
- e segurá-lo nesta posição, e o outro deve marcar com um lápis as furações para
o suporte superior do espelho a uma altura de 34 mm da parte superior do
espelho. Se não houver furações já existentes no local de fixação, procurar espaçá-
las - preferencialmente - de maneira eqüidistante. Verificar se furos estão alinhados

Notas: 1 - A medida mencionada acima (34 mm) é em relação ao espelho e não


à sua chapa de Eucatex
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 4/7

Espelho de cabina parametrizado

2 - A quantidade de furos necessária será de acordo com a quantidade


de clipes fornecidos no suporte do espelho

5.3.5. Se as furações:

5.3.5.1. Estão na altura determinada e estão alinhados (a linha dos furos deve estar
perpendicular aos painéis laterais):

• Repetir item 5.3.4., mas - desta vez - marcando as furações com um


punção
• Efetuar as furações com uma broca de 7 mm

5.3.5.2. Não estão na altura determinada e / ou não estão alinhados, refazer itens
5.3.4. ao 5.3.5. (até que as verificações de furação indicadas no item 5.3.5.
confiram)

5.3.6. Um técnico deve encostar o espelho no painel - apoiando-o sob o seu suporte inferior
- e segurá-lo nesta posição, e o outro deve posicionar o suporte superior no local de
fixação e os clipes nas furações marcadas. Fixá-lo no painel

Esta parte do
suporte para cima

Subteto

Suporte
superior do
espelho
Clipe

Painel da
34 mm cabina

Chapa de
Espelho Eucatex

Notas: 1 - Verificar se - para fixar o suporte superior no painel - é necessário


remover o subteto. Se sim, fazê-lo antes de realizar este item. Uma
vez que espelho e suportes estejam fixados, recolocar o subteto em
sua posição inicial
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 5/7

Espelho de cabina parametrizado

2 - Verificar se o suporte do espelho está bem fixo e rígido, a fim de


evitar-se sua soltura e / ou do próprio espelho do painel

Esquema geral Suporte Painel da


superior do cabina
espelho

Espelho

Clipes

Suporte
inferior do
espelho

Suporte superior do
espelho montado no
fundo da cabina

Espelho montado
no fundo da
cabina
Suporte inferior do
espelho montado no
fundo da cabina
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 6/7

Espelho de cabina parametrizado

5.4. Se houver corrimão no fundo da cabina:

5.4.1. No painel do fundo, posicionar o suporte inferior do espelho sob o suporte do


corrimão e marcar com um lápis as furações. A partir deste ponto, repetir item 5.3.
para corrimão existente no fundo da cabina
DATA: 01/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.22 PÁGINA: 7/7

Espelho de cabina parametrizado

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Espelho de cabina
BO-O-G99/012 D45
parametrizado

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 1,5 h. (90 min) / espelho (45 min. x 2 técnicos)


Novo !
CANTO DE CABINA ARREDONDADO - D26
DESIGN RODAPÉ DE CABINA - D44

· Os cantos arredondados e o rodapé ajudam a


realçar a estética da cabina;

· São produzidos em aço inox ou em PVC com 6


opções de cores: madeira, bege texturado, verde
texturado e azul texturado;

· Tempo médio de instalação: 1h30 para os cantos


aredondados e 30 min. para o rodapé; Canto arredondado

· Garantia de 1 ano;

· Confeccionado de acordo com a medida da cabina;

· O rodapé pode ser montado no fundo ou nas


laterias da cabina. Tem altura de 65 mm e
espessura de 5,5mm.

Placa face meramente ilustrativa

Rodapé
MKTS-442 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO

Canto de cabina arredondado parametrizado - VSD26

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: - Preencher uma Ordem de Fornecimento por unidade

- Todas as informações solicitadas devem ser informadas obrigatoriamente

- O canto arredondado será fixado em um raio de 90 mm do canto reto da cabina, ou seja, nesta área não
pode haver item algum que possa obstruir sua fixação. Por exemplo:

A placa face do POC, o rodapé ou o espelho existentes devem estar a, no mínimo, 90 mm dos cantos retos

- Em cabinas com abertura lateral, não é possível instalar o canto correspondente ao lado da coluna batente
no painel frontal (lado em que a porta da cabina se fecha)

Dados para especificação do Kit

Cabina

Porta de abertura Porta de abertura Porta de abertura


lateral lateral central
(máximo possível de 3 (máximo possível de 3 (máximo possível de 4
cantos arredondados) cantos arredondados) cantos arredondados)

Fechamento de Fechamento de Fechamento de


porta de cabina porta de cabina porta de cabina

Não é possível instalar canto arredondado


neste canto da porta de abertura lateral

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Canto de cabina arredondado parametrizado - VSD26

Dados para especificação do Kit- continuação

Há placa face de POC, Sim, há itens que podem obstruir a fixação do canto
corrimão, rodapé ou arredondado a menos de 90mm de pelo menos um dos
espelho a menos de 90 mm cantos retos da cabina.
de algum dos cantos retos Não, todos os itens estão a 90mm ou mais de qualquer um
da cabina ? dos cantos retos da cabina.

Abertura lateral
Tipo de porta de cabina
Abertura central

Altura interna da cabina até (CH <=2.500mm)


o teto (mm)

Obs: Neste item, a dimensão solicitada é a altura do piso acabado até o teto (sem considerar o subteto,
mesmo que ele exista).

AC-211: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Madeira


AC-212: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Bege texturizado
AC-213: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Cinza
AC-214: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Branco texturizado
Opção de acabamento AC-215: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Verde texturizado
AC-216: Aço revestido em laminado plástico de PVC na cor Azul texturizado
AC-217: Aço inox escovado
AC-218: Aço inox espelhado
AC-219: Aço inox pré-pintado

Somente no painel do fundo / 2 cantos;


Somente no painel frontal / 1 canto (abertura lateral); 2 cantos
Acabamento dos (abertura central);
suportes do espelho Nos paineis do fundo e frontal / 3 cantos (abertura lateral);
4 cantos (abertura central);
Outra configuração / informar quantidade necessária de cantos:

Observações

Folha 2/2
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 1/6

Canto de cabina arredondado parametrizado

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever o procedimento para a instalação do canto arredondado em cabinas de diversas


dimensões.

3. APLICAÇÃO

Para cabinas nas seguintes condições:

• Altura interna da cabina até o teto (CH) ≤ 2.500 mm

Nota: Neste item, a dimensão solicitada é a altura do piso acabado até o teto (sem
considerar o subteto, mesmo que ele exista).

• O canto arredondado será fixado em um raio de 90 mm do canto reto da cabina, ou seja,


nesta área não pode haver item algum que possa obstruir sua fixação. Por exemplo:

- A placa face do POC, o corrimão, o rodapé ou o espelho existentes devem estar a, no


mínimo, 90 mm dos cantos retos

• Em cabinas com abertura lateral, não é possível instalar o canto correspondente ao lado
da coluna batente no painel frontal (lado em que a porta da cabina se fecha)

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 2/6

Canto de cabina arredondado parametrizado

Cabina

Porta de abertura Porta de abertura Porta de abertura


lateral lateral central
(máximo possível de (máximo possível de (máximo possível de
3 cantos 3 cantos 4 cantos
arredondados) arredondados) arredondados)

Fechamento de Fechamento de Fechamento de


porta de cabina porta de cabina porta de cabina

Não é possível instalar canto arredondado


neste canto da porta de abertura lateral

4. PROBLEMA

Atualização estética.

5. AÇÃO

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

5.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2. Acessar à cabina e verificar se é possível instalar o(s) canto(s) arredondado(s) sem
remover o subteto existente (se houver). Se não for possível, remover o subteto
existente para a realizar a instalação do(s) canto(s) arredondado(s)

5.3. Verificar se há itens - como placa face de POC, corrimão, rodapé ou espelho - que
possam obstruir a fixação do(s) canto(s) arredondado(s) a menos de 90 mm de pelo
menos um dos cantos retos da cabina. Se houver, no canto que ocorrer isto, não será
possível instalar o canto arredondado

5.4. Se for solicitado canto arredondado no fundo da cabina:

5.4.1. Posicionar o gabarito de montagem no canto reto em que será instalado o canto
arredondado, apoiando-o no piso acabado e encostando o lado que não há furação
no canto do painel do fundo da cabina
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 3/6

Canto de cabina arredondado parametrizado


Gabarito

Furações a serem
realizadas para
fixação do canto
arredondado
Encostar este lado
no canto reto

Apoiar este lado


no piso acabado 102,5 mm

5.4.2. Efetuar as furações indicadas com uma broca de 3,5 mm

5.4.3. Posicionar o gabarito de montagem, apoiando-o no piso acabado e encostando o


lado que não há furação no painel lateral da cabina deste mesmo canto reto

5.4.4. Efetuar as furações indicadas com uma broca de 3,5 mm

Um dos cantos retos da


cabina
Nota: Não pode haver
item algum a 90 mm
ou menos de
qualquer canto reto

Gabarito encostado
em um dos cantos
retos da cabina
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 4/6

Canto de cabina arredondado parametrizado

5.4.5. Fixar os insertos com os rebites de alumínio tipo POP fornecidos nas furações
efetuadas nos painéis, utilizando a rebitadeira adequada

5.4.6. Posicionar e fixar o canto arredondado nos insertos colocados neste canto reto

Através destes Vista de trás do Vista de frente do


oblongos, fixar o canto arredondado canto arredondado
canto arredondado
nos insertos

Vista de topo do
canto arredondado

Inserto
Canto
Procedimento de Procedimento de
reto
fixação do canto fixação do canto
arredondado (passo 1) arredondado (passo 2)
Canto
Vista de topo do canto arredondado Vista de topo do canto
arredondado arredondado
Inserto
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 5/6

Canto de cabina arredondado parametrizado

5.4.7. Se houver mais que um canto arredondado a ser instalado no painel do fundo, repetir
os itens 5.4.1. ao 5.4.6.

Cantos arredondados
instalados no painel
do fundo da cabina

5.5. Se for solicitado canto arredondado na frente da cabina:

5.5.1. Repetir o item 5.4. para o painel frontal

Nota: Em cabinas com abertura lateral, não é possível instalar o canto


correspondente ao lado da coluna batente (lado em que a porta da cabina se
fecha).
DATA: 18/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.20 PÁGINA: 6/6

Canto de cabina arredondado parametrizado

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Canto de cabina arredondado
BO-O-C24/233 D26
parametrizado

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 0,33 h. (20 min) / canto arredondado


ORDEM DE FORNECIMENTO
Rodapé de cabina parametrizado - VSD44

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas:

- Preencher uma Ordem de Fornecimento por unidade

- Todas as informações solicitadas devem ser informadas obrigatoriamente

- Deve ser feita uma pré-análise das características dos locais e das dimensões dos painéis da cabina onde os rodapés
devem ser fixados, para ver se é possível ou não a instalação. O rodapé possui as seguintes dimensões:

- Altura: 65 mm
- Espessura: 5,5 mm
- Comprimento: parametrizado (dentro dos limites de cabina a seguir):
- 760 <= Largura interna da cabina (mm) <= 2.100
- 690 <= Profundidade interna da cabina (mm) <= 2.100

Dados para especificação do Kit

CW_CANTO = Largura interna da cabina até os cantos (mm) =

CD_CANTO = Profundidade interna da cabina até os cantos (mm) =

Obs.1
Se houver canto de cabina arredondado, tomar as dimensões acima até o início do(s) canto(s)
arredondado(s)
Se não houver canto de cabina arredondado, tomar as dimensões acima até o(s) canto(s) reto(s)

Cabina CD_Canto

Frente da cabine

CW_Canto

Folha 1/3
ORDEM DE FORNECIMENTO - Rodapé de cabina parametrizado - VSD44

Há placa face de POC a Sim, a placa face do POC está a menos de 65mm de altura do
menos de 65mm de altura piso acabado da cabina, podendo obstruir a fixação do rodapé.
do piso acabado da cabina ?
Não, a placa face do POC está a 65mm de altura ou mais do
piso acabado da cabina, não podendo obstruir a fixação.

Obs. 2: Se a resposta acima for sim:

Qual a localização do POC ? Painel lateral


Painel frontal

Se o POC estiver localizado no painel lateral, informar (vide figura abaixo):

Placa face POC (mm) = Obs.3: Se houver canto de cabina arredondado, tomar as
dimensões acima até o início do(s) canto(s) arredondado(s).
Lat_Fundo (mm) =
Se não houver canto de cabina arredondado, tomar as
dimensões acima até o(s) canto(s) reto(s)
Lat_Frente (mm) =

LAT_FUNDO

CABINA LATERAL
POC PLACA FACE POC DA CABINA

LAT_FRENTE

FRENTE DA
CABINA

Há espelho no painel do Sim, o espelho está a menos de 65mm de altura do piso acabado
fundo a menos de 65mm da cabina, podendo obstruir a fixação do rodapé;
de altura do piso da cabina
Não, o espelho está a 65mm de altura ou mais do piso acabado
da cabina, não podendo obstruir a fixação do rodapé;

Obs.4: Se a resposta acima for sim, não será possível fornecer rodapé para o painel do fundo.

Observações

Folha 2/3
ORDEM DE FORNECIMENTO - Rodapé de cabina parametrizado - VSD44

Somente no fundo da cabina


Localização do rodapé: Somente nas laterais da cabina
Nas lateriais e no fundo da cabina

Obs. 5: Para responder este item, deve-se verificar as Notas (vide começo da Ordem de
Fornecimento), Obs.1, Obs.2, Obs.3 e Obs.4.

AC-270: Alumínio anodizado - Natural fosco


Acabamento do rodapé AC-271: Alumínio anodizado - Preto fosco
AC-272: Alumínio anodizado - Bronze

Observações

Folha 3/3
DATA: 25/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.21 PÁGINA: 1/5

Rodapé de cabina parametrizado

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever o procedimento para a instalação do rodapé em cabinas de diversas dimensões.

3. APLICAÇÃO

Para cabinas com as seguintes dimensões:

• 760 ≤ Largura interna da cabina (CW) ≤ 2.100 mm


• 690 ≤ Profundidade interna da cabina (CD) ≤ 2.100 mm

CABINA CD

FRENTE DA
CABINA

CW

Deve ser feita uma pré-análise das características dos locais e das dimensões dos painéis da
cabina onde os rodapés devem ser fixados, para ver se é possível ou não a instalação. Nesta
pré-análise, deve ser feita as seguintes verificações:

1 - Se há espaço disponível ou algo que impeça sua instalação no local. O rodapé possui as
seguintes dimensões:

• Altura: 65 mm
• Espessura: 5,5 mm
• Comprimento: parametrizado (dentro dos limites de cabina mostrados acima):

2 - Se houver saída para ventilação no piso da cabina, o rodapé não pode tapá-la. Neste
caso, o rodapé deve ser fixado um pouco acima do piso acabado (vide item 5.3.1.)
ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 25/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.21 PÁGINA: 2/5

Rodapé de cabina parametrizado

4. PROBLEMA

Atualização estética.

5. AÇÃO

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

5.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03

5.2. Acessar à cabina

5.3. Se for solicitado rodapé no fundo da cabina:

5.3.1. No painel do fundo, marcar com um lápis as furações a uma altura de 34 mm do


piso acabado (se não houver saída para ventilação no piso da cabina). Se não
houver furações já existentes no local de fixação, procurar espaçá-las -
preferencialmente - de maneira eqüidistante. Verificar se furos estão alinhados

Rodapé
(vista de trás)
Comprimento de acordo
com largura do painel

Clipes

Notas: 1 - Se houver mais que um rodapé a instalar na mesma cabina, verificar


o tamanho do painel para saber qual o rodapé correspondente

2 - Se houver saída para ventilação no piso da cabina, marcar as


furações a uma altura de 42 mm do piso acabado

3 - A quantidade de furos necessária será de acordo com a quantidade


de clipes fornecidos no rodapé

5.3.2. Posicionar o rodapé no local de fixação sob o piso acabado (se não houver saída
para ventilação no piso da cabina) e os clipes nas furações marcadas

Nota: Se houver saída para ventilação no piso da cabina, posicionar o rodapé a 8 mm


do piso acabado
DATA: 25/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.21 PÁGINA: 3/5

Rodapé de cabina parametrizado

5.3.3. Verificar se as alturas das furações realizadas conferem com a altura dos clipes do
rodapé

5.3.3.1. Se as furações conferem:

• Repetir item 5.3.1., mas - desta vez - marcando as furações com um


punção
• Efetuar as furações com uma broca de 7 mm

5.3.3.2. Se as furações não conferem, refazer itens 5.3.1. ao 5.3.3. (até que as
verificações de furação indicadas no item 5.3.3. confiram)

Painel da
cabina
Rodapé

Clipe

- 34 mm (sem saída de ventilação


no piso da cabina)
- 42 mm (com saída de ventilação
Piso acabado no piso da cabina)

5.3.4. Posicionar e fixar o rodapé no painel nas furações realizadas

Rodapé montado
no fundo da
cabina
DATA: 25/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.21 PÁGINA: 4/5

Rodapé de cabina parametrizado

5.4. Se for solicitado rodapé nas laterais da cabina:

5.4.1. Repetir o item 5.3. para os painéis laterais

Rodapé montado
no fundo da
cabina

Rodapés
montados nas
laterais da cabina
DATA: 25/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.21 PÁGINA: 5/5

Rodapé de cabina parametrizado

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Rodapé de cabina
BO-O-C24/234 D44
parametrizado

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 0,5 h. (30 min) / rodapé


DESIGN
Novo ! INSERTO BRAILLE PARA PORTA BATENTE
DE PORTAS DE PAVIMENTO - D43

Para atender a norma NBR 13994 - item 5.1.16 - a Otis


desenvolveu o kit Inserto Braille para batentes das portas de
pavimento.

· Dois insertos de porta de pavimento fixados em


ambos os lados do batente da porta;
· Fixação de alta resistência;
· Tempo médio de instalação de 15 min. por
pavimento.;

· Aço inox com marcação em fundo preto;


· Dimensões do inserto (altura x largura): 70x 50mm.;
MKTS-440 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO

Inserto em braile para os batentes das portas de pavimento - D43

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: 1 - Preencher uma Ordem de Fornecimento por unidade

2 - Inserto Braille para o batente da porta de pavimento é um item exigido pela norma NBR 13994 - Elevadores
para transporte de pessoa portadora de deficiência (item 5.1.16. - Identificação do pavimento nos batentes das
portas):

“5.1.16.1. A identificação do pavimento deve ser afixada em ambos os lados dos batentes das portas, na altura
da botoeira de pavimento, em todos os pavimentos, e ser visível a partir do interior da cabina e do acesso. As
marcações devem formar um contraste com o fundo e ter dimensões mínimas de 50 mm em alto ou baixo
relevo de 0,8 mm.

5.1.16.2. A marcação Braille de identificação do pavimento deve ser colocada imediatamente abaixo da
designação do pavimento.

5.1.16.3. Estas marcações podem ser em placas gravadas e permanentemente fixadas.”

3 - Serão fornecidos 2 insertos por pavimento com as seguintes características:

Em aço inox com marcação com fundo preto e adesivo por todo o inserto
Dimensões do inserto (altura x largura): 70 x 50 mm (aproximadamente)
Altura da marcação: 50 mm (aproximadamente)

4 - Este kit aplica-se a elevadores que possuam o batente de porta de pavimento com largura mínima de 55
mm.

Dados para especificação do Kit

Marcação dos pavimentos

Número de pavimentos

Observações:

Folha 1/1
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - E.00.05 PÁGINA: 1/4

Inserto Braille para os batentes das portas de pavimento

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever procedimento para instalação de inserto Braille no batente da porta de pavimento.

3. APLICAÇÃO

Elevadores que possuam o batente de porta de pavimento com largura mínima de 55 mm.

4. PROBLEMA

Inserto Braille para o batente da porta de pavimento é um item exigido pela norma NBR
13994 - Elevadores para transporte de pessoa portadora de deficiência (item 5.1.16. -
Identificação do pavimento nos batentes das portas):

“5.1.16.1. A identificação do pavimento deve ser afixada em ambos os lados dos batentes
das portas, na altura da botoeira de pavimento, em todos os pavimentos, e ser
visível a partir do interior da cabina e do acesso. As marcações devem formar um
contraste com o fundo e ter dimensões mínimas de 50 mm em alto ou baixo
relevo de 0,8 mm.

5.1.16.2. A marcação Braille de identificação do pavimento deve ser colocada


imediatamente abaixo da designação do pavimento.

5.1.16.3. Estas marcações podem ser em placas gravadas e permanentemente fixadas.”

Inexistência de um kit de instalação que supra esta exigência da Norma.

Notas: 1 - Serão fornecidos 2 insertos por pavimento com as seguintes características:

• Em aço inox com marcação com fundo preto e adesivo por todo o inserto
• Dimensões do inserto (altura x largura): 70 x 50 mm (aproximadamente)
• Altura da marcação: 50 mm (aproximadamente)

2 - A adequação do elevador a esta exigência da Norma não significa que ele


atende a toda a Norma, mas - sim - somente a este item

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - E.00.05 PÁGINA: 2/4

Inserto Braille para os batentes das portas de pavimento

5. AÇÃO

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

Para a instalação dos insertos Braille para os batentes das portas de andar, siga os seguintes
passos:

5.1. Acessar ao pavimento e proceder à Instalação dos insertos Braille (BAA250K)


correspondentes, de acordo com sua marcação (vide itens 5.2., 5.3. e 5.4.)

5.2. Limpar o batente da porta de pavimento com álcool isopropílico. Garantir que o batente
esteja limpo, desengordurado e seco

5.3. Posicionar o gabarito no batente em que será instalado o inserto Braille e na altura da
botoeira de andar

5.4. Retirar a película protetora do adesivo de transferência que protege a fita dupla face e
colar o inserto no batente da porta com o auxílio do gabarito. Pressionar o inserto por 10
segundos
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - E.00.05 PÁGINA: 3/4

Inserto Braille para os batentes das portas de pavimento

OBSERVAÇÃO:
Instalar o inserto com exatidão - utilizando o gabarito fornecido junto com o kit - pois uma vez
colado, a tentativa de remoção danificará o inserto e o batente.

São 2 insertos por pavimento: um em cada batente da porta

5.5. Repetir os itens 5.1. a 5.4. para o outro batente da porta

5.6. Repetir os itens 5.1. a 5.5. para os outros pavimentos


DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - E.00.05 PÁGINA: 4/4

Inserto Braille para os batentes das portas de pavimento

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Inserto Braille p/ batente de
BO-O-D7/113 D43
porta de pavimento

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

20 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 0,25 h. (15 min.) / pavimento


DESIGN
Novo ! SUBTETO DE CABINA - D23

Os subtetos buscam a estética da cabina com luminosidade


oferecendo mais conforto aos usuários.
Podem ser fornecidos nas seguintes versões:

LUX: Osubteto Lux é composto por placa curva em PVC


leitoso branco e com iluminação central fluorescente
sobreposta;
LUX Steel: A versão Steel substitui a placa PVC branca por
placa de aço escovado;
Modern: O subteto Modern é composto por placa curva
em PVC leitoso branco e com iluminação fluorescente nas duas
laterias;
LUX
Modern Steel: A versão Modern Steel substitui a placa
PVC branca por placa de aço escovado;

· Os subtetos são pré-montados e acompanham


iluminação, reatores e fiação;
· São confeccionados de acordo com o tamanho da LUX Steel
cabina;
· Tempo médio de instalação: 1h30;
· Garantia de 1 ano.

Modern

Modern Steel
KTS-435 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Subteto curvo parametrizado - VSD23

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

(CW) Largura interna da cabine (mm) ( Medida entre 760mm e 2100 mm )

(CD) Profundidade interna da cabine (mm) ( Medida entre 690mm e 2100 mm )

Cabine CD : Profundidade
interna da cabine

Frente da cabine

CW: Largura interna da cabine

*** VER PÁGINAS SEGUINTES ***

Observações

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Subteto curvo - VSD23

AC-234: Iluminação lateral - Defletor branco


Opção de subteto curvo : AC-235: Iluminação lateral - Defletor inox escovado
AC-236: Iluminação central - Defletor branco
AC-237: Iluminação central - Defletor inox escovado

110V
Tensão da luz
220V

AC-234
AC-234 / AC-235
AC-235

AC-236
AC-236 / /AC-237
AC-237

Observações

Folha 2/2
DATA: 28/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.15 PÁGINA: 1/6

Subteto curvo parametrizado

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO

Descrever o procedimento para a instalação do subteto curvo em cabinas de diversas


dimensões.

3. APLICAÇÃO

Para cabinas com as seguinte dimensões:

• 760 ≤ Largura interna da cabina (CW) ≤ 2.100 mm


• 690 ≤ Profundidade interna da cabina (CD) ≤ 2.100 mm

CABINA CD

FRENTE DA
CABINA

CW

Nota: O POC deve ter espessura máxima de 45 mm


A
D

4. PROBLEMA
LA
O

Atualização estética.
TR
N

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
C
O
Ã

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


N

DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


PI
Ó
C
DATA: 28/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.15 PÁGINA: 3/6

Subteto curvo parametrizado

5. AÇÃO

5.1. Com o carro no último pavimento, acesse ao topo do carro seguindo os procedimentos de
segurança descritos na ATC - D.00.03

5.2. Remover o subteto, reatores, difusor de ar e fiação utilizada para iluminação e / ou


ventilação da parte interna do teto da cabina

5.3. Efetuar furações na parte interna do teto da cabina conforme esquema abaixo:

• 4 furos de 7 mm
• 1 furo de 10 mm

65 mm 65 mm
Frente da cabina

335 mm 335 mm

4 furos de 7 mm Lado da cabina

1 furo de 10 mm
335 mm 150 mm 335 mm
100 mm

65 mm 65 mm
Vista inferior do teto
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.15 PÁGINA: 4/6

Subteto curvo parametrizado

5.4. Com um técnico em cima da cabina para segurar as porcas M6, o outro - dentro desta -
deve apertar os parafusos e contraporcas (usadas para calço, se necessário). Feito isso,
o técnico sobre a cabina deve voltar para o interior desta, a fim de ajudar o outro técnico
a posicionar o subteto no teto

5.5. Quando o subteto estiver posicionado, um técnico deve voltar para cima da cabina e -
com um outro permanecendo dentro desta - realizar o ajuste final de fixação

AC-234 / AC-235

AC-236 / AC-237

A
D
LA
O

Nota: O Subteto curvo vem pré-montado, inclusive com as luminárias, os reatores,


TR

os inversores e a fiação elétrica. Será necessária somente a conexão


N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 28/03/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.15 PÁGINA: 5/6

Subteto curvo parametrizado

elétrica destes à tensão de luz e à bateria existentes (através do cabo de


interface para iluminação).

5.6. Será fornecido um cabo de interface para iluminação BAA174HF1 que deve ser
conectado ao bloco da fiação pré-montada com o subteto

Conectar ao bloco da
fiação pré-montada com Conectar à tensão de luz
o subteto e à bateria existente

Pontos do conector sindal


(respectivamente):
- LUZ -
- LUZ +
- BAT +
- BAT -

Cabo de interface para


iluminação
BAA174HF1

6. MATERIAL

Descrição Formulário de Especificação Instrução de Instalação


Subteto curvo parametrizado BO-O-C40/005 D23

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS


A
D
LA

Total: 8 horas (4 horas x 2 técnicos)


O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
PERFORMANCE AMORTECEDORES - P01

Para fazer com que a viagem de elevador tenha sempre o


máximo em conforto e segurança, a OTIS desenvolveu um
sistema de AMORTECEDORES (foto maior e detalhe 1 ) que
garante um funcionamento preciso e eficiente para a porta :

· Possibilita o perfeito fechamento da porta;


· Diminui os ruídos no fechamento da porta;
· Vida útil maior das peças da porta devido ao sistema
de molas ;
· Instalação em 4 horas;
· Um ano de garantia.

· Fechador com amortecimento hidráulico, sistema


pinhão e cremalheira;
· Mola com duas válvulas independentes que permitem
controlar a velocidade de fechamento de 180° a 20° e o
fechamento final de 20° até 0°;
· Sistema específico para portas à esquerda ou à direita
por fechamento adicional à tração;

Consulte o Chefe de serviços da OTIS sobre o tipo de


amortecedor adequado às posta do seu edifício.

AMORTECEDORES

O seu elevador em forma de novo para garantir ainda mais o


MKTS-040 BR

seu conforto.

OTIS
Kit
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – E.01.18
OTIS
DATA : 28/07/00
OPERAÇÕES
DE Instalação e ajustes do amortecedor REVISÃO : 1
CAMPO BE1 e BE2 ( Dorma )
PÁG. 1 DE 4

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 09/06/00 Preliminar .
1 28/07/00 Complementação da instrução com desenhos esquemáticos .

1. OBJETIVO: Informar os técnicos de campo sobre a correta instalação e ajuste dos


amortecedores Dorma nas portas batentes .

2. APLICAÇÃO: Elevadores de porta batente com amortecedor de porta do tipo Dorma .

3. PROBLEMA: Instalação incorreta de amortecedores deste tipo no campo , gerando chamados


e baixa performance do componente .

4. AÇÃO: 1 - Para retirada do amortecedor ruim :


1.1 Acessar o topo do carro ;
1.2 Retirar a tampa do batente para ter acesso ao amortecedor ;
1.3 Abrir a porta de andar até 90 graus em relação a soleira de porta ;
1.4 Com a porta de andar aberta , fechar as válvulas de ajuste do amortecedor ;
1.5 Retirar o parafuso que acopla a biela ao amortecedor, puxar a biela para baixo
deixando a porta sem ação do amortecedor;
1.6 Retirar da porta a biela de acionamento do amortecedor ;
1.7 Abrir as válvulas do amortecedor ;
1.8 Retirar os parafusos de fixação do amortecedor e o próprio amortecedor ;

2 - Para instalação de um novo amortecedor :


2.1 Abrir as válvulas de ajuste do amortecedor de porta novo ;

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO
Ó

José Luiz França Duarte ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO ANTONIO CARLOS BARBOZA
C
DATA : 28/07/00
Instalação e ajustes do amortecedor
OTIS ATC - E.01.18 BE1 e BE2 ( Dorma )
Pág. 2 de 4
REVISÃO : 1

Válvulas de ajuste do
amortecedor

Figura 1

2.2 Fixar o novo amortecedor no batente de porta com os parafusos de fenda ;

parafusos de fixação parafusos de fixação

2.3 Abrir a porta de andar até 90 graus em relação a soleira e mante-la aberta
para a próxima etapa ;

Porta aberta

2.4 Fechar as válvulas de ajuste do amortecedor de porta ( figura 1 ) ;

2.5 Encaixar a biela no amortecedor com defasagem em relação a soleira de – 45


graus ( colocar a biela 45 graus para dentro do poço ) ;

Posição da biela na posição Andar


do fechamento final
A
D

- 45
LA

graus Amortecedor
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI
Ó
C
DATA : 28/07/00
Instalação e ajustes do amortecedor
OTIS ATC - E.01.18 BE1 e BE2 ( Dorma )
Pág. 3 de 4
REVISÃO : 1

2.6 Girar a biela do o amortecedor de – 45 graus no sentido de abertura até


encosta-la na porta de andar que está aberta a 90 graus em relação a soleira

Sentido de Nesta posição a biela


movimentação estará encostando na
da biela folha de porta de andar

- 45
graus

2.7 Desencaixar a biela do amortecedor , com a porta de andar aberta a 90 graus


em relação a soleira inserir a mesma na calha que fica na parte superior da
folha de porta de andar e encaixar a mesma no amortecedor (lembrar que o
amortecedor permaneceu parado por razão do fechamento das válvulas );

Biela desencaixada do amortecedor


para ser encaixada na porta de andar

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI
Ó
C
DATA : 28/07/00
Instalação e ajustes do amortecedor
OTIS ATC - E.01.18 BE1 e BE2 ( Dorma )
Pág. 4 de 4
REVISÃO : 1

2.8 Encaixar a biela no amortecedor , parafusar a biela e afrouxar aos poucos os


parafusos de ajuste das válvulas de amortecimento (afrouxar os dois
parafusos) ;

Parafusar o encaixe da biela no


amortecedor

2.9 Ajustar o primeiro amortecimento no parafuso 1 e o ajuste dos últimos 20graus


até o fechamento total da porta no parafuso 2 (válvulas identificadas com
números no corpo do amortecedor ) ;

Válvula de amortecimento 1
(Ajuste de porta aberta até à 20
graus para fechamento total )

Válvula de amortecimento 2
(Ajuste de porta de 20 graus
até o fechamento total )

OBS . : Estaremos modificando o tipo do parafuso de ajuste do amortecedor de fenda para


sextavado conforme desenho abaixo ; a sequencia de ajuste não se modifica , estamos
modificando o tipo do parafuso para facilitar o ajuste do amortecedor e diminuir seu tempo
instalação .
A

Parafusos de ajuste com


D

cabeça sextavada
LA
O
TR
N
O

5. MATERIAL: Não aplicável.


C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI
Ó
C
PERFORMANCE REED SWITCH - P02

Para evitar sustos e tropeções com aqueles desníveis entre


a cabine e o pavimento que sempre nos pegam
desprevenidos, a OTIS desenvolveu o REED SWITCH:

· Aletas nos barramentos permitem uma maior


precisão nas paradas do Elevador;

· Perfeito nivelamento entre a cabine e o


pavimento;

· Instalação em 5 horas ;

· Um ano de garantia.

· Aletas em aço com espessura de 1,5mm;

· Bloco REED SWITCH em policarbonato injetado;

REED SWITCH

O seu elevador em forma de novo para garantir ainda mais


o seu conforto.
MKTS-041 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 1 DE 4

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 08/12/98 Transcrição da ATC C.01.04 – BRASIL – 29/06/96
Emitido por: Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para substituir o sistema de nivelamento de Micro


Switch para Reed Switch.

2. APLICAÇÃO: Em todos os elevadores com seletor BOA/BO7039A, que tenham ainda,


nivelamento por Micro Switch.

3. PROBLEMA: O antigo sistema não fazia o nivelamento com precisão.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE:
A substituição do sistema de nivelamento de Micro Switch para Reed Switch, deve ser
executada por um técnico qualificado, sendo de responsabilidade deste e da sua supervisão, o
atendimento das instruções aqui descritas.

ATENÇÃO:
Cumprir todos os procedimentos de segurança em vigor, durante a execução desta instalação.

1. Substituir os condensadores U e D Parte N°. BX226BB500 (1µF X 400V), por diodos U e D


Parte N°. 612B2 (1A X 800V).

2. Substituir o diodo B do freio por um condensador Parte N°. BX226D1 (1µF X 600V a óleo).
Este condensador deverá ser montado em local apropriado e ligado de acordo com diagrama.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 2 DE 4

Obs.: Esta modificação se faz necessária somente nos elevadores de 1 (uma) velocidade.

3. Acrescentar um resistor Parte N°. BO232D4 (1,5K X 10W) em série com os contatos LV1 e
LV2.

A ligação deste resistor varia de acordo com o diagrama utilizado, para tanto, damos abaixo os
pontos onde ele deverá ser ligado para cada diagrama.

DIAGRAMA LIGAÇÃO
BO e BOAS/F7020CD e CE Entre a interligação controle-seletor (S1) e a interligação LV1 e LV2.
BOS/F7020CG Entre o ponto 10 (dez) do PGC e a interligação LV1 e LV2.
BOS/F7020CH Entre o ponto 13 (treze) do PGC e a interligação LV1 e LV2.
BOAS/F7020CG e CH Entre o ponto 33 (trinta e tres) do PGC e a interligação LV1 e LV2.

A montagem deste resistor (BO232D4 - 1,5KΩ x 10W) deverá ser feita no próprio carrinho do
seletor através de estojos, vide fig. 1.

4. Substituir os “micros”por “reeds”, conforme procedimento:

a. Retirar todos os tropeços (GOA95T1) das barras de andar;


b. Furar as porcas soldadas à projeção por dentro da barra, nas quais se fixavam os
tropeços, utilizando broca de 1/4” - 6,34mm;
c. Montar os “reeds”conforme fig. 1, alinhados com o contato central do carrinho do seletor.
Realizar a ligação elétrica dos “reeds” conforme fig. 1.
d. Após a montagem dos “reeds” nivelar o carro no último andar. Em seguida montar as
lâminas acionadoras deste mesmo andar de maneira a deixá-las com as folgas laterais
iguais, ou seja, centradas com o rasgo do “reed” de acordo com a fig. 2. As demais
lâminas acionadoras deverão ser montadas e alinhadas em prumo, usando-se as lâminas
do último andar como referência.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 3 DE 4

As folgas de ajuste de todas as lâminas deverão ser divididas, ou seja, a lâmina acionadora
deverá estar centralizada com a barra, como mostra a fig. 2.

IMPORTANTE:
Antes de ligar o equipamento em funcionamento “normal” é necessário observar o
cumprimento de todas as etapas, principalmente as etapas 1, 3, 4c e 4d. Caso não forem
observadas, “danificarão a ampola reed irremediavelmente”.

5. Considerando-se que todas as etapas anteriores foram atendidas e que a fita do seletor
esteja marcada, proceder da seguinte maneira para ajustar o nivelamento:

a. Balancear a carga do elevador;


b. Colocar o elevador no andar intermediário (master) ;
c. Ajustar o freio para um desnivelamento máximo de 60mm entre carga balanceada e carro
vazio para elevadores de uma velocidade (45mpm) e 20mm para elevadores de duas
velocidades (60mpm) ;
d. Com carga balanceada ajustar o nivelamento correto do elevador no andar intermediário
(master) . Para tanto, solte somente ¾ de volta o parafuso de fixação do reed-switch e
desloque-o para cima ou para baixo, até conseguir o nivelamento perfeito, tanto de subida
como de descida, sem mexer na lâmina acionadora. Feito isto no andar master, aperte os
parafusos de fixação dos reeds;
e. O nivelamento dos demais andares deverá ser feito através das lâminas acionadoras.
Para isto, solta-se o parafuso de fixação da lâmina acionadora somente ¾ de volta e
move-se a lâmina para cima ou para baixo, com o auxílio de um alicate universal,
tomando o devido cuidado para não mover o conjunto que fixa a lâmina acionadora
lateralmente. Obtido o ajuste perfeito, aperta-se novamente o parafuso de fixação.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 4 DE 4

FIGURA 1.
PAR. F. C.R.R.M. 8-32X7/8”
128A3
69A6

BO303AP1

PAR. F.C.C. AM4X16 DIN 84


ARRUELA DE PRESSÃO A4 DIN 127
128H3

BO232D4
BO175R285 (1,5KΩ X 10W)
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 5 DE 4

FIGURA 2. BO72G1

BO339DS1

127AE3
BO130A1
ARRUELA PRESSÃO A5 DIN 127
PAR. F. C.C. AM5X20 DIN 84

BO327AK1

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.01.04
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE SISTEMA DE NIVELAMENTO REVISÃO : 0

REED SWITCH PÁG. 6 DE 4

5. MATERIAL:

1 - BAA21450A1 (PARTES PARA BLOCO REED SWITCH).


N - BAA21450B1 (PARTES PARA COLOCAÇÃO DAS ALETAS NO BARRAMENTO).

Obs.: N = quantidade/andar

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
PERFORMANCE VENTILAÇÃO PARA MOTORES - P04

O elevador no seu prédio precisa estar disponível 24 horas


por dia, pronto para carregar pessoas para cima e para
baixo, a qualquer hora. Para evitar que o motor sofra um
superaquecimento e pare, a OTIS desenvolveu o SISTEMA
DE VENTILAÇÃO PARA MOTORES :

· Impede que o superaquecimento ocorra;

· Aumenta a vida útil do motor;

· Adaptável aos equipamentos 11VTR, 3122, 3142 e


2722 ;

· Instalação em 3 horas;

· Um ano de garantia;

· Motor 110 / 220V, 60Hz


· Potência de 1/6CV
· Vazão de 6,6 m³/min

SISTEMA DE VENTILAÇÃO PARA MOTORES

O seu elevador em forma de novo para garantir ainda mais


o seu conforto.
MKTS-042 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - B.01.03
DATA : 18/12/98
ENGa SERVIÇOS
VENTILAÇÃO FORÇADA PARA MÁQUINA REVISÃO : 0
UNSE
11 VTR PÁG. 1 DE 2

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 18/12/98 Transcrição da ATC B.01.03 – BRASIL – 27/05/96
Emitido por: Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalar a Ventilação Forçada na Máquina 11VTR.

2. APLICAÇÃO: Em máquinas 11VTR.

3. PROBLEMA: Aquecimento excessivo da máquina.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE:
A instalação da Ventilação Forçada deve ser executada por um técnico qualificado, sendo de
responsabilidade deste e da sua Supervisão, o atendimento das instruções aqui descritas.

4.1. MONTAGEM DO VENTILADOR

CABO EL CB 2X1 mm2


EBO20 - PRETO

BO316BAC1 BO336CB2

(4) AR FE SEG A6,4 DIN6798


(4) PAR FE CS M6X20 DIN 933
(4) PORCA FE SEXT M6 DIN934
BO316BAD1

BAA20390A
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - B.01.03
DATA : 18/12/98
ENGa SERVIÇOS
VENTILAÇÃO FORÇADA PARA MÁQUINA REVISÃO : 0
UNSE
11 VTR PÁG. 2 DE 2

4.2. CONEXÃO ELÉTRICA

16 AWG OU EQUIVALENTE BLOCO DE CONEXÃO


( NOTA 2 )
ELETROVENTILADOR
P/ ILUMINAÇÃO ( NOTA 3 )
( LUZ +)

TERMOCONTATO
( NOTA 1 )
HL1

Z X Y Z X Y

W V
V U
U W

110V 220V ( NOTA 3 )

OBS.: Para inverter o sentido de rotação trocar Y por W.

4.3. NOTAS

1. O termocontato deverá ser fixado na parte superior do enrolamento, do lado oposto ao


ventilador e sua parte metálica voltada para a bobina.
OBS.: Não deverá ser removida a isolação do temocontato.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
PERFORMANCE VENTILAÇÃO PARA CABINE - P05

Viajar de elevador deve ser sempre uma atividade


agradável e tranqüila.
Para proporcionar um ambiente muito mais arejado e
confortável, a OTIS desenvolveu o VENTILADOR PARA
CABINE:

· Localizado no sub-teto , não fica visível e não altera


o design da cabine (foto em detalhe);

· O ar circula pelas laterais da cabine, roporcionando


uma ventilação constante;

· Ventila silenciosamente durante a viajem ;

· Pode ser instalado em qualquer modelo de


elevador;

· Instalação em 6 horas para cabine;

· Um ano de garantia;

· Motor 110 / 220V, 50 / 60Hz


· Rotação de 1600 RPM
· Vazão de 10 m³/min

VENTILAÇÃO PARA CABINE

O seu elevador em forma de novo para garantir ainda mais


o seu conforto.
MKTS-043 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.00.05
DATA : 16/11/98
ENGa SERVIÇOS
REVISÃO : 0
UNSE VENTILADOR PARA CABINA
PÁG. 1 DE 3

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 16/11/98 Transcrição da A.T.C. D.00.05 – BRASIL – de 03/06/96
Emitida por Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalar o Ventilador para Cabina.

2. APLICAÇÃO: Em todos os tipos de elevadores.

3. PROBLEMA: Excesso de calor na cabina do elevador.

4. AÇÃO:

1) Caso a cabina não possua condições para a colocação do ventilador, realizar rasgo no teto
de ∅ 290mm.

2) Posicionar o suporte e verificar o alinhamento do ventilador.

3) Fixar o conjunto do ventilador através das ferragens de fixação.

4) Instalar a fechadura de acionamento do ventilador no Painel de Operações do Carro.

5) Realizar as ligações elétricas através dos cabos BO175R316 e BAA174A101.

6) Testar o funcionamento do Ventilador.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.00.05
DATA : 16/11/98
ENGa SERVIÇOS
REVISÃO : 0
UNSE VENTILADOR PARA CABINA
PÁG. 2 DE 3

TETO
4.1) Montagem do Ventilador

(2) BO336CB2

(2) 40ED182380 B 3,5 X 13 DIN

(2) 334H5

θ 290 θ 375

FERRAGENS DE
FIXAÇÃO

(2) BAA180AZ1

FERRAGENS DE
FIXAÇÃO
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.00.05
DATA : 16/11/98
ENGa SERVIÇOS
REVISÃO : 0
UNSE VENTILADOR PARA CABINA
PÁG. 3 DE 3

4.2) Ligação Elétrica

BR VD AM PR BR VD AM VM

110V 220V

4.3) Notas:

Antes de montar o ventilador no suporte, deve-se fazer o ajuste do campo magnético da seguinte
forma:

− Colocar o motoventilador em suporte que o mantenha com o eixo do motor na posição


horizontal. Alimentar o motor por uns 30 segundos. Desligar o motor, e aguardar até que o
mesmo pare a rotação espontaneamente, sem tocar no eixo. Após paralisado, determinar a
folga “A” e montar pacote com arruelas com a mesma altura “A”.

MOTOR

A
ANEL
ELÁSTICO
HÉLICE

BUCHA AZUL

CORTAR O FIO NA MONTAGEM, DE


ACORDO COM O COMPRIMENTO
NECESSÁRIO.

5. MATERIAL: Verificar no formulário BOOP1/009.


A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
PERFORMANCE PAINEL DE PROTEÇÃO PARA MOTORES J3P - P07

O PAINEL DE PROTEÇÃO PARA MOTORES J3P é o guarda-


costas do seu elevador, evitando que o motor queime e pare
desnecessariamente. O painel interrompe a viagem e registra a
ocorrência através de leds quando ::

· Ocorre um superaquecimento do motor;


· As chaves comando de abertura ou fechamento da
cabine são acionados por um período mais prolongado;
· Ocorre uma demora maior que o habitual na viagem
entre um andar e outro;
· O elevador permanece em baixa velocidade por um
tempo excessivo;
· Instalação em horas;
· Um ano de garantia

· Painel de circuito impresso com base em fibra de vidro;


· Dimensão de 90 x 120mm;
· Motor do elevador trava com comando acionado;
· Funciona quando:
· O tempo de abertura ou fechamento da porta for maior
do que 17 segundos;
· A temperatura do motor for superior à 140°C;
· O tempo de percurso entre andares exceder 17
segundos;

PAINEL DE PROTEÇÃO PARA MOTORES J3P

O seu elevador em forma de novo para garantir ainda mais o


seu conforto.
MKTS-172 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.00.07
DATA : 08/07/98
ENGa SERVIÇOS
PROTEÇÃO PARA MOTORES REVISÃO : 0
UNSE INSTALADOS - PAINEL J3P PÁG. 1 DE 7

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 08/07/98 Transcrição da A.T.C. C.00.07 - BRASIL - de 14/Ago/96
Emitido por: Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para a substituição dos painéis J e P3P pela


instalação do painel J3P.

2. APLICAÇÃO: A equipamentos instalados que não possuem o painel J3P.

3. PROBLEMA: Falta de proteção contra inversão ou falta de fase.

4. AÇÃO:

ATENÇÃO:
Cumprir todos os procedimentos de Segurança em vigor, durante a execução desta
instalação.

a) Nivelar o carro na última parada e desligar/ bloquear a chave geral;


b) Retirar a ligação do ponto 1 do painel J e ligar ao ponto 1AC do painel J3P;
c) Retirar a ligação do ponto 2 do painel J e ligar ao ponto 2AC do painel J3P;
d) Retirar a ligação do ponto 3 do painel J e ligar ao ponto 3AC do painel J3P;
e) Eliminar os pontos 5 e 6 do painel J e ligar confirme esquema abaixo;

Obs.: Ligar do ponto 35 do painel PGC ao ponto P1 do painel J3P e ao ponto P1 da linha+
(folha 2 do diagrama).
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.00.07
DATA : 08/07/98
ENGa SERVIÇOS
PROTEÇÃO PARA MOTORES REVISÃO : 0
UNSE INSTALADOS - PAINEL J3P PÁG. 2 DE 7

REMOVER ACRESCENTAR P/ 35
+ P3P PGC
+ 5/8/9 P3P
4
P P1
P/ 35 P
PGC P1
2LS 5/8/9 2LS
P/ PIB ÁREA 7

f) Com operador 9550T, retirar a ligação do ponto 1 do painel P3P e ligar ao ponto DO/DC
do painel J3P;
g) Sem operador 9550T, o ponto DO/DC do painel J3P fica sem ligação;
h) Retirar a ligação do ponto 2 do painel P3P e ligar ao ponto HL1 do painel J3P;
i) Eliminar a ligação do ponto 3 do painel P3P;
j) Eliminar a ligação do ponto 4 do painel P3P;
l) Retirar a ligação do ponto 5 do painel P3P e ligar ao ponto X do painel J3P;
m) Retirar a ligação do ponto 6 do painel P3P e ligar ao ponto 11 do painel J3P;
n) Passar a fiação do ponto 4 da chave UD ao ponto UD do painel J3P;
o) Passar a fiação do ponto 17 do painel PGC ao ponto INS do painel J3P;
p) Eliminar o fecho do HL1 ao HL2 no painel PGC;
q) Passar a fiação do ponto HL2 do painel PGC ao ponto HL2 do painel J3P;
r) Substituir a escova PIB (BYA6839F2) do seletor para (BX6839W1), permanecendo no
mesmo ponto a ligação da PIB (vide detalhe);

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.00.07
DATA : 08/07/98
ENGa SERVIÇOS
PROTEÇÃO PARA MOTORES REVISÃO : 0
UNSE INSTALADOS - PAINEL J3P PÁG. 3 DE 7

ESCOVA ATUAL ESCOVA A LIGAR


(BYA6839F2) (BX6839W1)
LIGAÇÃO DO
LIGAÇÃO DA PIB P1 PIB

s) Ligar o ponto 18 da chave G ao ponto G do painel J3P;

t) Utilizar uma extremidade do contato isolado da escova PIB (BX6839W1) para a ligação do
ponto CK do painel J3P, e a outra extremidade ligar a linha do ponto P1;
u) Testar a eficácia do sistema conforme Planilha de Testes.

PLANILHA DE TESTES

INDICAÇÃO DOS LEDS


PONTOS DO O QUE DEVE V J C M T F
PASSOS ELEVADOR PAINEL COMO TESTAR ACONTECER C 3 K T O C G I
C P P F
1AC
01 PARADO 2AC Altere a seqüência de O relé J3P deverá ser L L D D D D D D
3AC fase ativado
1AC Desconecte no painel
02 PARADO 2AC PF os fusíveis F1-F2- O relé J3P desativará L D D D D D D L
3AC F3, um a um
Inverta no painel PF
1AC ou na entrada do
03 PARADO 2AC transformador os O relé desativará L D D D D D D L
3AC pontos 1AC-2AC-
3AC, dois a dois
O relé J3P desativará
após 17seg e
Feche os contatos 7/8 permanecerá após a
04 PARADO DO/DC da chave DC retirada do jumper, p/ L D D D L D D D
(somente c/ operador voltar o sistema,
9550T) desligue e ligue a
chave geral
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.00.07
DATA : 08/07/98
ENGa SERVIÇOS
PROTEÇÃO PARA MOTORES REVISÃO : 0
UNSE INSTALADOS - PAINEL J3P PÁG. 4 DE 7

Desconecte ligação
do termo contato na
05 PARADO P11 caixa de ligação do O relé j3p desativará L D D D D L D D
motor

Desconecte os pontos O relé desativará no


CK e UD, feche do máx em 20seg, para
06 PARADO CK/UD ponto UD para a voltar o sistema, L D D L D D D D
linha+ (135V) desligue a chave
geral
Desconecte o ponto O relé desativará no
G, feche do ponto g máx em 20seg, para
07 PARADO G para linha+ (135V) voltar o sistema, L D D D D D L D
desligue a chave
geral
Desconecte a ligação
do termocontato na O relé j3p desativará D
08 CORRENDO P11 caixa de ligação do após o nivelamento e L D / D D L D D
motor abertura de portas L
1AC Desconecte no painel O relé j3p desativará D
09 CORRENDO 2AC PF os fusíveis F1-F2- imediatamente, L D / D D D D L
3AC F3, um a um desligando o carro L
Desconecte o ponto
INS, faça uma O relé j3p desativará, D
10 CORRENDO INS chamada e durante a parando o carro L D / D D L D D
corrida desconecte o imediatamente L
termocontato

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - C.00.07
DATA : 08/07/98
ENGa SERVIÇOS
PROTEÇÃO PARA MOTORES REVISÃO : 0
UNSE INSTALADOS - PAINEL J3P PÁG. 5 DE 7

LEGENDA NA INDICAÇÃO DOS LED’S:

• L= Ligado
• D= Desligado
• D/L= Piscando com o carro em movimento

OBS.:

• Led CK Ligado carro entre andares


• Led CK Desligado carro nivelado
• O Tempo para desativação do relé do relé J3P é de 20seg com tolerância de mais ou
menos 2seg.

5. MATERIAL: não aplicável.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON GOMES ARTHUR AMARAL


C
PERFORMANCE LUBRIFICADOR E LIMPADOR AUTOMÁTICO DE GUIAS - P09

A OTIS, líder mundial na produção de Elevadores, se preocupa também em oferecer o máximo de durabilidade para seus
equipamentos. Para isso, desenvolveu estes produtos, que garantem maior vida útil às peças e componentes do Elevador.

Esse produto, fabricado pela OTIS, é específico para


elevadores que utilizam o sistema de patins deslizantes e
mantém as guias de cabines e contrapesos sempre limpos
e lubrificados.

· Proporciona conforto no transporte dos usuários;


· Agiliza a manutenção de guias de elevadores que
utilizam patins deslizantes;
· Propicia maior tempo de funcionamento do
elevador principalmente em cidades litorâneas,
onde o ressecamento de guias ocorre com
freqüência;
· Aumento da vida útil das guias, patins e
corrediças;
· Auto-lubrificação de guias que possibilita a
eliminação de ruídos e vibrações provocadas por
guias secas;
· Instalação rápida, em apenas 50 minutos;
· Um ano de garantia;

· Material: caixa plástica fabricada em polipropileno


injetado, com um conjunto de filtros limpador e
lubrificador;
· Cor: Branca
· Dimensões: 125mm x 125mm x 450mm
· Suportes: Fabricados em chapa de aço ABNT 1020
e acabamento em pintura eletrostática a pó na cor
amarelo.
MKTS-172 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - A.01.03
DATA : 26/09/97
ENGa SERVIÇOS
LUBRIGUIDE REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 1 DE 8

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição

0 26/09/97 Preliminar

1. OBJETIVO: Essa ATC visa orientar e instruir o pessoal de campo na instalação e utilização do
lubriguide.

2. APLICAÇÃO: FO435AP1 - para guias T3


FO435AP2 - para guias # 1 e # 2

3. PROBLEMA: Falta de lubrificação das guias que pode ocasionar ruidos, aquecimento do
motor e maior frequência nas rotinas de manutenção.

4. AÇÃO: Desenvolvimento de um dispositivo para lubrificação automática dos guias.

4.1 DESCRIÇÃO

O lubriguide consiste de uma caixa plástica que funciona como reservatório de óleo, possuindo
um feltro de limpeza com rasgo para ser encaixado nas guias das cabinas e contra peso. O feltro
de limpeza é ligado ao reservatório de óleo por um feltro de lubrificação, mantendo o feltro de
limpeza permanentemente úmido através de processo eletrostático, mantendo assim a guia
devidamente lubrificada. Ver foto da figura 1 abaixo.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS DIRETOR DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

MARCELO YOSHINOBU KUBA JOSE AMORIM FLÁVIO MATTOS


C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 2 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

caixa

feltro de lubrificação

feltro de limpeza
Figura 1 - Lubriguide

O lubriguide deverá ser montado em um suporte feito em chapa de aço carbono fixo à
corrediça por parafusos. Os suportes a serem utilizados deverão ser escolhidos conforme o
tipo de corrediça do equipamento.

4.2 PROCEDIMENTOS

IMPORTANTE !
ANTES DA INSTALAÇÃO DO LUBRIGUIDE, DEVERÁ SER FEITA UMA LIMPEZA DAS
GUIAS DA CABINA E DO CONTRAPESO.

• Suba, colocando etiqueta de manutenção em todos os pavimentos.


• Com o carro no último pavimento, acesse o topo do carro para proceder a instalação dos
lubriguides, conforme descrito abaixo.

ATENÇÃO !
AO ACESSAR O TOPO DO CARRO PARA INSTALAR O LUBRIGUIDE, SIGA TODOS OS
PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DESCRITOS NA ATC D.00.03

NOTA: Para instalar os lubriguides nas corrediças do contrapeso, coloque o carro em


inspeção, dirija-se aproximadamente à metade do percurso do passadiço, e posicione o topo
do carro a aproximadamente 80 cm abaixo das corrediças do contrapeso.

a) Corrediças com patins inteiriços para equipamentos UMVs : BO6261A1, BX506-VII-17,


BX501-VI-28, BX501-VI-30, BX506-VII-1, BX506-VII-10 (corrediças compostas por sapatas,
suporte da sapata e patins inteiriços- figura 2).
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 3 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

patim sapata

suporte da
sapata

Figura 2

Suporte: BAA316WL1
Ferramentas necessárias: 1 chave combinada de 10 mm
1 chave combinada 9/16”
1 chave de fenda de 1/4”

A foto da figura 3 a seguir mostra um lubriguide instalado em uma corrediça tipo BX506-VII-1

Rasgos para
ajuste do
lubriguide no
Lubriguide
Guia guia

Parafusos de
fixação dos patins

Suporte Rasgos para


BAA316WL1 ajuste do
Sapata da suporte na
corrediça sapata da
corrediça

Figura 3

Montagem:
• Faça uma pré-montagem do lubriguide no suporte de fixação utilizando os parafusos de
fenda M6 x 20 e as arruelas A6,4 e B6.
• Com a chave combinada 9/16”, retire os parafusos da tampa de fixação dos patins na
corrediça.
• Posicione o suporte com o lubriguide sobre a corrediça, encaixando o feltro do lubriguide na
A
D

guia (ver figura 3).


LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 4 DE 8
UNSE REVISÃO : 0
• Recoloque os parafusos, agora com as arruelas lisas A10,5 e fixe o suporte.
• Ajuste o lubriguide na guia, movimentando-o para frente apenas até o feltro encostar
levemente na guia e aperte os parafusos de fixação do lubriguide no suporte.

b) Corrediça de cabina tipo BXFO237DS502 com patins tri-partidos para equipamentos


ACs , ADVs , e Servo drives (figura 4).

Figura 4

Suporte: BAA316WM1
Ferramentas necessárias: 1 chave combinada de 19 mm
1 chave combinada de 10 mm
1 chave de fenda 1/4”

A figura 5 mostra a foto de um lubriguide instalado em uma corrediça tipo BXFO237DS502

Lubriguide

Corrediça

Porcas de fixação
BAA316WM1
da corrediça

Figura 5

Montagem:
• Faça uma pré-montagem do lubriguide no suporte de fixação utilizando os parafusos de
fenda M6 x 20 e as arruelas A6,4 e B6.
• Com a chave combinada de 19 mm, retire as porcas de fixação da corrediça (ver figura 5).
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 5 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

• Posicione o suporte com o lubriguide conforme mostra a figura 5, encaixando o feltro do


lubriguide na guia.
• Recoloque as porcas, agora com as arruelas lisas A 13 e fixe o suporte.

• Ajuste o lubriguide na guia, movimentando-o para frente apenas até o feltro encostar
levemente na guia e aperte os parafusos de fixação do lubriguide no suporte.

c) Corrediça de contra peso tipo BXFO316CDJ501 com patins tri-partidos para


equipamentos ACs , ADVs e Servo drives ( figura 6).

Figura 6

Suporte: BAA316WN1
Ferramentas necessárias: 1 Furadeira com broca de aço rápido de 8 mm
1 extensão elétrica
1 chaves combinada de 10 mm
1 chave inglesa 6”
1 chave de fenda de 1/4”
GFCI
Óculos de segurança

A figura 7 mostra a foto de um lubriguide instalado em uma corrediça tipo BXFO316CDJ501

Lubriguide

Figura 7
Suporte BAA316WN1

Corrediça
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 6 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

Montagem:
• Faça uma pré-montagem do lubriguide no suporte de fixação utilizando os parafusos de
fenda M6 x 20 e as arruelas A6,4 e B6.
• Com a furadeira e a broca de 8 mm, faça dois furos na viga U na armação do contra peso
conforme mostra o croqui da figura 8. Utilize o suporte como máscara para marcar a furação.
ATENÇÃO !
AO UTILIZAR A FURADEIRA USE SEMPRE O GFCI E O ÓCULOS DE SEGURANÇA.

• Monte o suporte com o lubriguide como mostra a foto da figura 7, encaixando o feltro do
lubriguide na guia e fixe-os com os parafusos sextavados M6 x 20, porcas sextavadas M6 e
as arruelas lisas e de pressão A6,4 e B6 respectivamente.
• Ajuste o lubriguide na guia, movimentando-o para frente apenas até o feltro encostar
levemente na guia e aperte os parafusos de fixação do lubriguide no suporte.

Guia
Guia 2 furos passantes
de φ8 mm

40 ~ 50 mm

Armação do
Corrediça contrapeso

Corte A - A
Figura 8

5. MATERIAL

O lubriguide é um produto da linha OTISKIT e deve ser solicitado ao Service Center via ordem
inter office conforme relacionado a seguir:

• Equipamentos UMVs com guias # 1 e/ou # 2 - solicitar através de parte no BAA5860A1.


• Cabinas de equipamentos ACs , ADVs, Servo Drives com guias # 1 ou # 2 - solicitar através
de parte no BAA5860A2.
• Contra peso de equipamentos ACs , ADVs , Servo drives com guias # 1 ou # 2 - solicitar
através de parte no BAA5860A3.
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 7 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

• Cabinas de equipamentos ACs , ADVs , Servo Drives com guia T3 - solicitar através de parte
no BAA5860A5.
• Contra peso de equipamentos ACs , ADVs , Servo Drives com guia T3 - solicitar através de
parte no BAA5860A6.

O kit refere-se ao material para um par de corrediças. Por exemplo, para solicitar lubriguides
para uma unidade ADV com guia # 2 e contra peso com guia T3, fazer o pedido da seguinte
forma:
1 kit BAA5860A2 ( para as corrediças de cabina )
1 kit BAA5860A6 ( para as corrediças de contrapeso)

Se a unidade possuir guias # 2 para a cabina e o contrapeso, o pedido devera ser feito como a
seguir:
2 kits BAA5860A2

Caso haja necessidade de solicitar somente os lubriguides, utilize as partes nos confome a
seguir:
FO435AP1 - lubriguide para guia T3
FO435AP2 - lubriguide para guias # 1 e # 2

A tabela anexa na próxima página mostra a lista de materiais com a composição de cada kit.

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC- A.01.03 LUBRIGUIDE DATA : 26/09/97
PÁG. 8 DE 8
UNSE REVISÃO : 0

5.1 Lista de materiais

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
PERFORMANCE AMORTECEDOR EXTERNO - P10

A OTIS, líder mundial na produção de elevadores, está sempre


investindo em tecnologia para desenvolver produtos que
atendam às necessidades de seus consumidores.
O AMORTECEDOR EXTERNO foi desenvolvido para portas tipo
batente (eixo vertical) e permitem um fechamento suave e
preciso, além de um fácil ajuste e manutenção dos
componentes:

· Design moderno e alta tecnologia;


· Velocidade de fechamento da porta controlada por
válvulas facilmente ajustadas;
· 2 estágios ajustáveis de fechamento da porta,
proporcionando maior conforto ao usuário;
· Sistema reversível, podendo ser instalado em portas mão
direita ou esquerda
· Instalação fácil e rápida, em apenas 40 minutos;
· Um ano de garantia;

Mola
· Sistema de pinhão e cremalheira, totalmente controlado
hidraulicamente;
· 2 válvulas controlam o fechamento da porta com atuação
independente: uma controla o fechamento inicial e a outra
o final;
· Sistema reversível para instalação em portas de ambas as
mãos sem a necessidade de inversão do mecanismo;
· Corpo de alumínio fundido sob pressão;

Alavanca
· Calha de alumínio (dim 456mm) com braço deslizante em
aço;
Cobertura da mola
· Plástico na cor prata, utilizado como acabamento para o
sistema de mola;
Calço
· Em alumínio, utilizado para fixação da mola hidráulica.
MKTS-181 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - E.01.11
DATA : 16/09/97
ENGa SERVIÇOS
AMORTECEDOR EXTERNO REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 1 DE 4

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 16/09/97 Preliminar

1. OBJETIVO: Informar o procedimento para instalar o Amortecedor Externo BAA23360Y1

2. APLICAÇÃO: Portas de Eixo Vertical (Tipo Batente) com profundidade do marco de porta
até 155mm.

3. PROBLEMA: Os amortecedores atuais são de difícil instalação e ajuste.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE!
• Verificar a profundidade do marco de alvenaria da porta (conforme foto acima), caso esta
medida seja maior que 155mm não poderá ser instalado este amortecedor.

AMORTECEDOR

155
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS DIRETOR DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO JOSE AMORIM FLÁVIO MATTOS


C
OTIS ATC - E.01.11 AMORTECEDOR EXTERNO DATA : 16/09/97
PÁG. 2 DE 4
UNSE REVISÃO : 0

4.1 Proceder a etiquetagem;

4.2 Parar o elevador na altura da soleira do andar onde será instalado o amortecedor e abrir
a porta do andar utilizando a chave de emergência;

ATENÇÃO!
• Acessar o topo do carro seguindo os procedimentos descritos na ATC D.00.03.
• Jamais acesse o passadiço sem que haja uma dupla segurança impossibilitando que
o carro se movimente.

4.3 Testar a chave de emergência e inspeção;

4.4 Colocar o carro no modo inspeção, desligar a emergência mais o contato da fita ou
safety;

4.5 Retirar o sistema amortecedor existente;

4.6 Medir 210mm com o auxílio de uma trena e marcar a porta e o marco;

4.7 Posicionar o gabarito nesta marca e copiar as furações utilizando furadeira com broca
para aço de 1/8”;

ATENÇÃO!
• Ligar a furadeira através do GFCI

A
D
LA
O

ENCOSTAR O
TR

GABARITO NO
N
O

MARCO DA PORTA
C

ENCOSTAR O
O
Ã

GABARITO NO
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


MARCO DA PORTA
A
PI
Ó
C
OTIS ATC - E.01.11 AMORTECEDOR EXTERNO DATA : 16/09/97
PÁG. 3 DE 4
UNSE REVISÃO : 0

4.8 Realizar os furos com broca para aço de 5/32” ( Obs.: Para os furos no marco da porta,
caso seja necessário, utilizar broca de vídia para furar a alvenaria);
4.9 Retirar o parafuso do bloco da calha, com auxílio de uma chave Allen 5mm e soltar o
braço da alavanca;

4.10 Fixar a calha no marco da porta utilizando (2) parafusos autoatarrachantes B4,8X50;

4.11 Fixar o calço com o amortecedor na porta utilizando (4) parafusos autoatarrachantes
M4,8X32;

4.12 Fixar o braço da alavanca no amortecedor utilizando o parafuso de cab. sextavada


M6X12;

4.13 Tensionar o amortecedor até o braço da alavanca coincidir com o bloco da calha e fixar
com o parafuso do bloco(utilizar chave Allen 5mm);

(2) PAR. B4,8X50 CALHA

BRAÇO
(1) PAR.
DO BLOCO
(4) PAR. M4,8X32
(1) PAR. M6X12

4.14 Passar um pouco de vaselina no interior da calha para facilitar o deslizamento do bloco;

4.15 Ajustar os dois estágios do amortecedor com o auxílio de uma chave de fenda angular
de 6mm;

4.16 Colocar a capa no amortecedor;

ALAVANCA
A
D

CAPA
LA
O
TR

AMORTECEDOR
N
O

PARAFUSO M4,8X32 CALÇO


C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - E.01.11 AMORTECEDOR EXTERNO DATA : 16/09/97
PÁG. 4 DE 4
UNSE REVISÃO : 0

MONTAGEM DO AMORTECEDOR NA PORTA


4.17 Religar a emergência e o contato de fita ou safety e colocar a chave de inspeção no
modo Normal;

4.18 Fechar a porta certificando-se que a mesma esteja trancada, realizar uma chamada no
andar da instalação e testar o sistema.

5. MATERIAL

Parte Número Consiste de: Descrição


(1) BAA27DM1 Gabarito
(4) 40CH185100 PFFC M4,8X32
BAA23360Y1 (1) BAA255P1 Calço
(1) BO320BE2 Amortecedor
(1) BAA329D1 Capa
(1) BAA288AX1 Alavanca

• A parte número BAA233360Y1 consiste no kit completo para a instalação do amortecedor


• Solicitar o kit para o Service Center através de Ordem Inter Office ( ítem de estoque)

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
PERFORMANCE
Novo ! PROTEÇÃO ANTI-RAIO - P03

EM UMA FRAÇÃO DE SEGUNDOS, TUDO PODE ACONTECER AO SEU ELEVADOR

De uma hora para outra as chuvas fortes podem causar


aquele estrago. É difícil prever, mas é muito difícil prevenir. A
proteção Anti-Raio OTISKIT cria uma barreira de proteção
contra sobretensões causadas por descargas atmosféricas ,
evitando a queima dos componentes eletrônicos do seu
elevador. Mas não é só pelos benefícios que a proteção Anti-
Raio vale a pena. Comparando o custo e o prejuízo ao
transtorno com possíveis paralisações por equipamentos
danificados, a proteção Anti-Raio torna-se indispensável.
Não se trata de fazer tempestade em copo d’água.
A PROTEÇÃO ANTI-RIAO é necessária para o seu conforto e a
segurança do seu patrimônio.

O kit consiste em um conjunto de 8 supressores, instalados ao


longo da linha de alimentação do equipamento, conforme
abaixo :
a) 2 centelhadores, na chave geral da casa de máquinas;
b) 1 varistor de potência, na entrada do controle;
c) 2 varistores (135 / 20 Volts), no transformador do
controle;
d) 3 placas de supressão na fiação (controle / cabine / poço).

Tempo de instalação : 90 minutos


Garantia de 2 anos. A garantia é válida se o sistema de pára-
raios e o aterramento do edifício estiverem conforme normas
NBR 5410 (NB3) e NBR 5419 da ABNT.

Conheça as dicas para a verificação do sistema de aterramento :

· Perfeito estado de conservação das hastes;


· Conecção entre as hastes e o quadro principal;
· Conecção do condutor neutro e do terra no quadro
principal;
· Condutor neutro exclusivo para casa de máquinas;

Produto testado e aprovado pelo Instituto de Eletrotécnica e


MKTS- BR

energia da USP.

OTIS
Kit
DATA: 25/07/02
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC – G.00.35

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTI RAIO

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 28/10/98 Preliminar
1 25/07/02 Acréscimo para ligação 380/440

1. OBJETIVO: Fornecer informações para instalação do Kit de proteção ANTI RAIO.

2. APLICAÇÃO: Em equipamentos microprocessados ( ADV e VF ).

3. PROBLEMA: As placas eletrônicas dos equipamentos microprocessados podem sofrer


danos quando sujeitas a surtos de sobretensão devido a descargas atmosféricas.

4. AÇÃO: Instalar o Kit de supressores ao longo da instalação, desde a chave geral até as
Remote Station (RS) conforme diagrama unifilar abaixo para formar uma barreira de
proteção para as placas eletrônicas contra picos de sobre tensão.

4.1. Diagrama unifilar simplificado:

CASA DE MAQUINAS
CONTROLE S3 S5 S6
CH. GERAL Cabo manobra POC da
A 22 V LCB
B Cabina
110 V
S1 S2 Fiação
TRF S4 Andar
S7 terminal
A = Bloco terminal de entrada ( 3 fases + PE ) inferior
B = Linha de alimentação e comunicação das Rem. Station (RS)

4.2. Identificação e instalação dos supressores do kit:

SUPRESSOR TIPO QTD PARTE NO INSTALAÇÃO ( LOCALIZAÇÃO)


S1 Centelhador 220 2 BAA605Y1 Após os fusíveis da ch. geral da casa de máq.
Centelhador 380/440 3 BAA605Y2
S2 (Var.) Conj. Varistores 1 BAA605X1/2/3 Borne de entrada da alimentação do controle
S3 Varistor 1 BAA605W1 Saída de 22 Volts do transformador TRF (contr.)
S4 Varistor 1 BAA605W2 Saída de 110 Volts do transformador TRF (contr.)
S5 Painel Linha de comunicação da placa LCB no controle
S6 de 3 BAA26800CZ2 Final da linha de comunicação da cabina ( POC )
S7 supressores Final da linha de comunicação do passadiço

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE OPERAÇÕES DE CAMPO


JURANDYR MORAES T. JUNIOR SILVIA YOSHIMI ARASSIRO FABIO PISA

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


Página 1 de 4
DATA: 25/07/02
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC – G.00.35

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTI RAIO

4.3. Detalhes para instalação:

4.3.1- Centelhadores:
Devem ser instalados junto a chave geral na casa de maquinas, após os fusíveis e fixados a
fiação com a janela de inspeção voltada para baixo.

A ) 220 V

CHAVE GERAL
R L1
E C
N O
T S L2 N
R T
A R
T L3 O
D
A L
N PE E

Aterramento
S1 S1 BAA605Y1

Janela de inspeção

B ) 380/440 V

CHAVE GERAL
R L1
E C
N O
T S L2
N
R T
A R
T L3
D O
A L
N PE E

Aterramento BAA605Y2
S1 S1 S1

Janela de inspeção

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


Página 2 de 4
DATA: 25/07/02
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC – G.00.35

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTI RAIO

4.3.2 – Conjunto de Varistores:


Devem ser instalados no interior do controle conforme abaixo:

CONTROLE
Fixar com a
fita adesiva
S2 no fundo do
controle

Fio verde
Fiação
interna
BAA605X1 (220 V)
L1 L2 L3 PE BAA605X2 (380 V)
Bornes de entrada BAA605X3 (440 V)

Chave geral

S3 S4

22V 0V 110V 0V

Bornes do transformador TRF BAA605W1 BAA605W2

4.3.3 – Painéis supressores:


Devem ser instaladas nos extremos das linhas serial; no controle junto a placa LCB, no
passadiço no primeiro pavimento e na cabina dentro do POC conforme informações abaixo.

CONTROLE, PASSADIÇO e POC

DL1 DL2 RTN +30V

A placa deverá
ser inserida na
1 fiação e fixada
2 S5/ 6/ 7 através da fita
3 adesiva
4

BAA26800CZ2
Linha serial

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


Página 3 de 4
DATA: 25/07/02
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC – G.00.35

INSTALAÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO ANTI RAIO

5. MATERIAL:
O material do kit é especificado pelas listas de material BAA5826R1/2/3 no formulário
BO-O-A12/002 conforme tabela abaixo:

LM no Tensão de alimentação
BAA5826R1 208 / 220 Volts
BAA5826R2 380 Volts
BAA5826R3 440 Volts

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


Página 4 de 4
SEGURANÇA AVENTAL PROTETOR - S01

Não há muito que se ver no poço do elevador. Para evitar


que você acidentalmente, descubra isso na prática, a OTIS
desenvolveu o AVENTAL PROTETOR para seu elevador. Ele
é utilizado quando o elevador para fora do andar e é a
maneira mais segura de resgatar os passageiros presos:

· Chapa de aço instalada embaixo da soleira;


· Proteção completa para você e seus objetos
pessoais contra possíveis quedas no poço;
· Pode ser instalado em qualquer modelo de
elevador;
· Instalação em 2 horas;
· Atende à norma NBR 7192 / 85 ABNT;
· Um ano de garantia.

· Chapa de aço pintada com 1,5mm de espessura;


· Suporta força de 700N, quando aplicada em um
ângulo reto em qualquer posição da chapa, sem
flexionar mais que 6mm e sem deformação
permanente.

AVENTAL PROTETOR

O seu elevador fica em forma de novo e você fica ainda


mais seguro.
MKTS-035 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.05.03
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS
AVENTAL PROTETOR REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 1 DE 4

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 08/12/98 Transcrição da A.T.C. D.05.03 – BRASIL – de 29/05/96
Emitida por Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalar o Avental Protetor.

2. APLICAÇÃO: Em elevadores Modelo e Tradicional.

3. PROBLEMA: Falta de segurança em equipamentos que não possuem o avental protetor.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE!
Cumprir todos os procedimentos de Segurança em vigor, durante a execução desta
instalação.

1) Retirar o avental existente;

2) Posicionar o Avental Protetor na altura da soleira e se necessário realizar as demais


furações;

3) Fixar os suportes na plataforma;

4) Verificar a eficácia do sistema.Observar o correto posicionamento do avental, ou seja, se este


não está interferindo no movimento do carro.

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.05.03
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS
AVENTAL PROTETOR REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 2 DE 4

4.1) MONTAGEM DO AVENTAL PROTETOR

FIXAÇÃO

(3) SUPORTE

AVENTAL
PROTETOR

4.2) NOTAS:

a) Quando o poço do elevador for menor que 1400mm, verificar se realmente pode ser instalado
o avental com 750mm de altura, pois o mesmo poderá bater no fundo do poço antes que a
mola atue, neste caso, sugerimos rebaixar o poço se possível pelo menos na área em que o
avental toca.

Poço ≥ K + Curso + Folga + Avental


A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.05.03
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS
AVENTAL PROTETOR REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 3 DE 4

avental
0,75cm K
poço

curso

5cm
folga mínima
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.05.03
DATA : 08/12/98
ENGa SERVIÇOS
AVENTAL PROTETOR REVISÃO : 0
UNSE
PÁG. 4 DE 4

b) Quando se trata de elevador com fecho tipo “L” nas portas dos pavimentos, existirá na soleira
um recorte que livra a interferência da mesma com os fechos, portanto na instalação do
avental, deixar recorte livre.

LINHA DA
AVENTAL SOLEIRA

RECORTE
DEIXAR

5. MATERIAL: Ver formulário BO.O.R1/002

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
SEGURANÇA ILUMINAÇÃO E ALARME DE EMERGÊNCIA - S02

Com o SISTEMA DE ILUMINAÇÃO E ALARME DE


EMERGÊNCIA desenvolvido pela OTIS, se acabar a força do
seu edifício enquanto você estiver no elevador, você não
fica no escuro dentro da cabine:

· Iluminação mantida dentro da cabine por mais de


uma hora;
· Sirenes no topo da cabine indicam sua posição
imediatamente;
· Pode ser instalado em qualquer modelo de
elevador;
· Vem acompanhado de uma bateria de 6V que
dispensa manutenção, recarregada
automaticamente em 24 horas;
· Instalação em 2 horas;
· Atende à norma NBR 7192/95;
· Um ano de garantia;

· 50 / 60Hz selecionáveis por chave;


· Consumo de 3,5W (carregando a bateria)ou 1,5W
(bateria em flutuação);
· Lâmpadas 2 x 9W fluorescentes e compactas, tipo
Dulux S/E;
· Buzzer local: sonalarme AS – 06/30 V.0.1
· Busser remoto: para 6VCC, com consumo até
200Ma.

ILUMINAÇÃO E ALARME DE EMERGÊNCIA

O seu elevador fica em forma de novo e você fica ainda


MKTS-036 BR

mais seguro.

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.05.04
DATA : 30/10/98
ENGa SERVIÇOS
ILUMINAÇÃO E ALARME DE REVISÃO : 0
UNSE EMERGÊNCIA PÁG. 1 DE 3

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 30/10/98 Transcrição da ATC D.05.04 – BRASIL – 04/06/96
Emitido por: Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalar o Sistema de “Luz de


Emergência”(BAA24710H1).

2. APLICAÇÃO: Em elevadores Modelos e Tradicionais.

3. PROBLEMA: O antigo sistema apresentava má performance.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE:
A instalação do Sistema de “Luz de Emergência” deve ser executada por um técnico
qualificado, sendo de responsabilidade deste e da sua supervisão, o atendimento das
instruções aqui descritas.

ATENÇÃO:
Cumprir todos os procedimentos de Segurança em vigor, durante a execução desta
instalação.

4.1. MÓDULO DE CARGA/COMUTAÇÃO

Instalar o módulo de carga/comutação no topo do carro, em local adequado.


Este módulo dispõe de 4 furos de 4mm de diâmetro, dispostos conforme desenho a seguir:
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.05.04
DATA : 30/10/98
ENGa SERVIÇOS
ILUMINAÇÃO E ALARME DE REVISÃO : 0
UNSE EMERGÊNCIA PÁG. 2 DE 3

172
4 X ∅4

84 34

162

A barra de terminais apresenta a indicação das conexões:

BUZZER

BC AZ BC
ALIMENTAÇÃO 110/220V
LÂMPADA BOTÃO (ajustar chave
+ ALARME seletora )

Verificar a tensão e ajustar a chave seletora.

CHAVE
SELETORA DE
TENSÃO

220V 110V
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.05.04
DATA : 30/10/98
ENGa SERVIÇOS
ILUMINAÇÃO E ALARME DE REVISÃO : 0
UNSE EMERGÊNCIA PÁG. 3 DE 3

ATENÇÃO: Antes de efetuar as conexões para as lâmpadas ( pontos BC, AZ, BC ), pressione a
chave “Desliga/Liga/Teste” na posição “Desliga”.

4.2. MÓDULO DE ILUMINAÇÃO

Instalar o módulo de iluminação no teto ou posição acima do POC.


Efetuar as ligações através dos blocos de conexão.

BRANCO BC
AO MÓDULO
COMUTADOR AZUL AZ LÂMPADAS

BRANCO BC

ATENÇÃO: Antes de efetuar as conexões para as lâmpadas ( pontos BC, AZ, BC ), pressione a
chave “Desliga/Liga/Teste” na posição “Desliga”.

Instalar o suporte/refletor através de dois parafusos


Encaixar o difusor transparente.
Aparafusar os parafusos antivandalismo no difusor transparente.

4.3. TESTES/OPERAÇÃO

Caso a bateria esteja descarregada, será necessário aguardar pelo menos 30 minutos, após
efetuadas as conexões, para que a bateria apresente carga suficiente para a execução dos
testes a seguir (observar se o led vermelho está aceso, indicando presença de alimentação):
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
FECHO COM SISTEMA DE
SEGURANÇA CHAVE DE EMERGÊNCIA - S03

A OTIS desenvolveu o sistema de FHECHO COM SISTEMA DE


CHAVE DE EMERGÊNCIA, para que você não dê nenhum paço em
falso na hora de entrar no elevador:

· Impede que a porta seja aberta pelo lado de fora do


elevador se a cabine não estiver no local exato de
parada;
· Não permite que a cabine se movimente até que a
porta esteja fechada e travada;
· Instalação em apenas 30 minutos por porta de andar;
· Acompanha uma CHEVE DE EMERGÊNCIA para que o
técnico OTIS possa ter acesso à cabine, quando estiver
fora do local correto, em caso de falta de energia
elétrica;
· Se a porta não estiver devidamente fechada, a CHAVE
DE EMERGÊNCIA fica retida, sinalizando o ocorrido;;
· Um ano de garantia.

· Fecho eletrônico;
· O esforço sobre as roldanas para destrincamento do
fecho deve ser no mínimo, igual a 0,6Kg + - 10%;
· Dois estágios de trincamento;
· Duas seguranças elétricas (DS e ADS);
· Sistema diferenciado para portas à esquerda e à
direita.

FECHO COM SISTEMA CHAVE DE EMERGÊNCIA

O seu elevador fica em forma de novo e você fica ainda mais


seguro.
MKTS-037 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – E.01.06
DATA : 17/12/98
ENGa SERVIÇOS

UNSE
FECHO COM SISTEMA DE CHAVE REVISÃO : 0

DE EMERGÊNCIA PÁG. 1 DE 1

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 17/12/98 Transcrição da ATC E.01.06 – BRASIL – 29/06/96
Emitido por: Silvia Yoshimi Arassiro

1. OBJETIVO: Descrever o procedimento para instalação do fecho com sistema de emergência


ABXMCOA9538B.

2. APLICAÇÃO: Para portas tipo batente (Eixo Vertical) BO9515AG e acionado através de
rampa móvel BXMCO9534AF.

3. PROBLEMA: Falta de documentação oficial.

4. AÇÃO:
IMPORTANTE:
A instalação do Fecho deve ser executada por um técnico qualificado, sendo de
responsabilidade deste e da sua supervisão, o atendimento das instruções aqui descritas.

ATENÇÃO:
Cumprir todos os procedimentos de Segurança em vigor, durante a execução desta
instalação.

1. Retirar o antigo fecho;


2. Verificar se o furo atual possiblilita a introdução da nova chave de emergência (BO194F1),
caso negativo, será necessário realizar furo de θ19mm;
3. Instalar o novo fecho;
4. Ajustar o fecho e testar a eficácia do sistema.

5. MATERIAL:
Parte Número Descrição
ABXMCOA9538B1 Fecho mão direita
ABXMCOA9538B2 Fecho mão esquerda
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
Ó

SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCOS BOVO ARTHUR AMARAL


C
DISPOSITIVO DE LEVANTAMENTO DE DEGRAUS
SEGURANÇA PARA ESCADAS ROLANTES - S04

A OTIS desenvolveu o DISPOSITIVO DE LEVANTAMENTO DE


DEGRAUS PARA ESCADAS ROLANTES, uma proteção a mais
para impedir que alguém seja pego de surpresa pela
escada rolante:

· Dois trilhos móveis na parte superior e dois na


inferior para movimentar a escada;
· Utilização de um micro de segurança que
interrompe o movimento da escada rolante;
· Corte imediato da fonte de energia da secada
sempre que algum objeto for inserido entre os
degraus nas partes curvas da escada;
· Indicado para escadas com ângulo de 30°;
· Instalação em 10 horas;
· Um ano de garantia.

· Trilhos curvos móveis em aço;


· Micro eletromecânico;
· Sistema de segurança para patamares superior e
inferior.

DISPOSITIVO DE LEVANTAMENTO DE DEGRAUS PARA


ESCADAS ROLANTES

Os usuários ganham mais segurança e você ganha mais


tranqüilidade.
MKTS-038 BR

OTIS
Kit
SEGURANÇA LAMBDA II - S06

LAMBDA II PLUS – Sistema de proteção ao usuário de


elevadores com porta de abertura automática. Desenvolvido
para atender às necessidades de edifícios de pequeno e médio
porte. O LAMBDA II PLUS é composto de sensores instalados
na entrada do elevador que , quando interrompidos, evitam o
fechamento das portas, garantindo a segurança de pessoas com
problemas de locomoção, idoso, crianças e até mesmo de
adultos transportando carrinho de bebê ou de supermercado.

· Garante máxima proteção e segurança aos passageiros;


· Reduz os danos às portas, especialmente em locais
onde há lenta movimentação ou utilização de
equipamentos pesados;
· Pode ser instalado em edifícios residenciais e
comerciais de pequeno porte;
· Instalação em 2 horas;
· Os emissores e os receptores são embutidos na porta,
em local discreto, dificultando o alcance de pessoas que
tenham a intenção de danificar o equipamento;
· O sistema é blindado, o que impede a penetração de
poeira, evitando eventuais paralisações;
· Custo acessível;
· Tempo médio de instalação: 2horas;
· 1 ano de garantia.

· 35 feixes (35emissores e 35 detectores) de raios


infravermelhos invisíveis e inofensivos, formando uma
rede de segurança em toda a entrada do elevador;
· Distância máxima entre o emissor e o receptor: 3
metros;
· Alimentação de entrada em duas voltagens: 110V AC
ou 220V AC (corrente alternada.)

LAMBDA II PLUS
MKTS-066 BR

Segurança OTIS ao seu alcance.

OTIS
Kit
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 1 DE 10

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Descrição
0 Preliminar

1. OBJETIVO: Descrever a instalação do sistema de reabertura automática de porta EPS1000.

2. APLICAÇÃO: Para portas automáticas de abertura central e lateral. Este dispositivo substitui
o Lambda II

3. PROBLEMA: Falta de procedimento para instalação do EPS1000.

4. AÇÃO:

4.1 Instruções para instalação :

4.1.1 Execute o procedimento para acesso ao topo do carro conforme ATC D.00.03, deixando
carro aproximadamente 40 cm acima do pavimento.
4.1.2 Execute o bloqueio elétrico conforme descrito na ATC C.00.03.
4.1.3 Retire o dispositivo de reabertura de porta antigo, se houver.
4.1.4 Posicione e fixe os detectores nos painéis de porta, conforme descrito abaixo:

IMPORTANTE!
Para identificar os detectores, verifique as etiquetas que se encontram na parte
superior das barras
Do pavimento, olhando para a cabina, instale o transmissor no lado esquerdo e o
receptor no lado direito.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 2 DE 10

Detalhes para instalação

11,5 mm 26,5 mm

A barra detectora deve ser


posicionada aproximadamente 6 mm
375 mm acima da soleira do carro e de 3 a 6
mm da extremidade do painel; 6 mm
é preferido para proteção da
extremidade da porta .
285 mm Coloque de pé os detectores com as
“costas” voltadas para o painel de
porta. Com o auxílio de um nível,
garanta que os detectores não
290 mm ficarão desalinhados e que os
1866 mm

mesmos fiquem equidistantes entre


si.
285 mm Utilize os furos do detector como
modelo para fazer a marcação das
furações dos parafusos.

295 mm

280 mm

50 mm Figura 1
6 mm

IMPORTANTE!
As barras devem ser montadas com uma tolerância de +/- 10 mm na vertical e +/-
4 mm lado a lado.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 3 DE 10

4.1.4a PORTAS DE ABERTURA LATERAL

detectores

Linha de soleira de carro


Linha de soleira de andar
Figura 2

Sem a interferência do sistema de trincos (ver figura 2), o detector deverá ser montado no limite
do painél.

detectores

Linha de soleira do carro


Linha da soleira de andar

Figura 3

Com a interferência do sistema de trinco (figura 3), o detector poderá ser montado do outro lado
da rampa.

Para portas de cabina modelo, monte as barras diretamente no painel e no batente de porta. Os
detectores devem estar alinhados entre si, fixados com os parafusos que acompanham o kit.

Onde não for possível o alinhamento dos detectores, será necessário utilizar os espaçadores
conforme mostra a figura 4 a seguir.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 4 DE 10

Figura 4

9 mm

9 mm

Espaçadores 3 mm

Transmissor Receptor

Linha de soleira do carro

Nota: Os espaçadores e tapa vistas são fornecidos em um kit separado das barras detectoras.
Veja o item 7 dessa ATC sobre fornecimento com as partes números para requisição
desse item.

4.1.4b PORTAS DE ABERTURA CENTRAL

Detectores

Linha de soleira do carro


Figura 5
Linha de soleira de andar

Quando não houver interferência de trincos, o detector deverá ser montado no limite do painél
(figura 5).
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 5 DE 10

Detectores

Linha de soleira do carro

Linha de soleira de andar

Figura 6

Com a interferência do sistema de trincos, o detector deverá ser montado no outro lado da
rampa.

As barras detectoras podem ser diretamente montadas no painél de portas em cabinas modelo
de abertura central. Para cabinas tradicionais pode-se usar um kit de tapa vista e espaçadores
para preencher espaços entre a porta do carro e a porta de andar. Tampe os furos não utilizados
com os tampões inclusos no kit e fixe as barras detectoras com os parafusos que também
acompanham o kit.

Caso não haja necessidade instalar o tapa-vista/kit de espaçadores (cabina modelo), fixe as
barras detectoras conforme mostra a figura 7 abaixo:

Linha de soleira
do carro Receptor
Transmissor
Figura 7

No caso de haver necessidade do tapa vista/espaçadores (cabina tradicional), instale conforme


mostra a figura 8 a seguir:
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 6 DE 10

9 mm

9 mm

Espaçador e tapa vista


respecitivamente 18 mm

36 mm O tapa vista pode ser


utilizado nas duas
posições conforme
necessidade
Linha de soleira do carro Figura 8

4.1.4c DISPOSIÇÃO DA FIAÇÃO DAS BARRAS DETECTORAS

Utilize os clipes que acompanham o kit para fixar os cabos das barras detectoras conforme as
figuras 9 e 10 abaixo

Figura 9 – Abertura Central Figura 10 – Abertura Lateral


A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 7 DE 10

4.1.5 Instale a interface universal FPS0270 (fonte) no topo do carro e conecte a fiação com
detectores, conforme indicado abaixo:

A interface FPS0270 pode ser alimentada tanto em 115VAC ou 230VAC dependendo da


configuração de tensão da interface e do fornecimento de energia disponível. Dois lances
de contatos do relé são para conectar a saída da unidade de interface ao sistema de
reversão de porta do elevador.
A disposição dos componentes na interface FPS é demonstrada na Figura abaixo :

contatos
para a

SELETOR
TENSÃO
interligação
do Lambda relê transformador
LC ao
controle

LED vermelho LED verde


Entrada
para
Entrada
conexão do
para
Detetor
Entrada da
conexão do alimentação
receptor
Detetor
transmissor

A caixa de interface pode ser montada no topo do carro do elevador através dos furos de
montagem externas e parafusos na melhor posição encontrada.
- Conecte a alimentação elétrica nos terminais correspondentes.
- Identifique o tipo de sistema de reversão de porta do elevador
- Identifique a configuração do contato em uso do sistema (NA ou NF) EX: SGS, EDP, LRD.
- Utilize os contatos de saída da placa FPS0270 para promover a interligação entre o LAMBDA
LC ao controle .
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 8 DE 10

- Conecte o transmissor ( TX ) e o receptor ( RX ) aos blocos de terminal da interface.


- Ligue a alimentação, verifique se ambos os LEDS, vermelhos e verde, estão ligados. Sem
interromper os feixes de luz entre os sensores , o LED vermelho deve estar apagado e o relé
deve estar energizado.

Para garantir um funcionamento seguro em caso de falta de energia, o relé está normalmente em
estado energizado e desligará quando algum dos feixes de luz for interrompido entre os
sensores. O N/O ( normalmente aberto ) e N/C ( normalmente fechado ) indicados no circuito
impresso indica o estado do contato quando energizado.

LEDS INDICADORES

O LED verde quando aceso indica que a alimentação está presente. O LED vermelho acende
para indicar que o sistema identificou uma obstrução dos feixes de luz entre as barras
detectoras. Nessa condição o relé não deverá estar energizado.

Funcionamento :
No estado operacional, é visível uma indicação do sistema em operação através de um pequeno
LED vermelho localizado na barra detetora RECEPTOR
Somente se iluminará quando o feixe de luz estiver obstruído (Veja a seção Defeitos/Soluções).

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 9 DE 10

Microchave seletora e funções selecionáveis :


Localize as microchaves na barra detectora receptora conforme mostra a figura 12.

Seletor de funções

Barra receptora –
vista de cima

Microchave 2 - On Off
Microchave 1 - On Off

Figura 12

A barra receptora possui duas microchaves DIP com controle de duas funções no sistema:
Bloquear/Cancelar feixes de luz avariado e sensibilidade do sistema.

Microchave 1 – Bloquear/cancelar feixes de luz avariado


O software que controla o funcionamento do sistema contém uma sub-rotina que permite que
qualquer feixes de luz seja ignorado se algum ponto da barra receptora fique permanentemente
obstruído ou avariado. Isto permite que os pontos receptores remanescentes continue a
funcionar sem interromper o elevador. Se esta função não for requerida a mesma pode ser
desativada colocando a Microchave 1 na posição OFF.
Se o sistema estiver operando com algum ponto receptor avariado ou danificado o LED vermelho
piscará. Se outros pontos receptores forem então obstruídos o LED se acenderá.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 10 DE 10

Microchave 2 – Sensibilidade do sistema


Controla a sensibilidade do sistema, otimizando a performance dependendo da distância entre as
barras detetoras. Para portas com abertura menor que 1.5 metros, a Microchave deverá ficar em
OFF.

Para operar a microchave seletora e selecionar a função desejada, basta retirar a proteção e
com o auxilio de uma pequena chave de fenda ou objeto similar, mudar a seleção da
Microchave. A proteção deve ser reposta para prevenção de entrada de pó e sujeiras na
Microchave.

5. FALHA/SOLUÇÕES

O sistema foi projetado para “falhar” no modo de segurança, causado por falha no cabo ou na
alimentação. Para determinar as causas mais comuns do problema, verifique na barra receptora
se o LED vermelho (aproximadamente a 1700 mm do piso) está aceso ou apagado.
Normalmente deve estar apagado. Somente deverá acender quando os feixes estiverem
obstruidos.

Se o LED vermelho estiver apagado mas a porta não fecha, as causas possíveis são:
a) A tensão de 24 volts não está presente na unidade. Verifique os cabos e a fonte.
b) O sinal de saída está desconectada do controle.
c) O controle não está respondendo aos sinais. Isso pode ser verificado conectando-se o sinal
de entrada à terra. Isso deverá fazer com que a porta se feche. Caso negativo, o problema
está no controle do sistema.

Se o LED vermelho está aceso sem obstruções visíveis, fazendo com que a porta fique aberta,
as causas possíveis são:
a) A tensão de 24 volts não está presente na barra transmissora (lado esquerdo olhando do hall
para a cabina).
b) As barras estão obstruídas permanentemente ou sujas.
c) A distância entre as unidades é maior que o máximo permitido.

Se as observações acima não resolver o problema, substitua a unidade


A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 11 DE 10

6. ROTINA DE MANUTENÇÃO

As barras detetoras devem ser periodicamente limpos para que o sistema tenha uma ótima
condição de trabalho. O acúmulo de pó e sujeiras podem causar obstrução do feixe de luz e
consequentemente causar falhas no sistema.

7. MATERIAL:

Parte número Descrição Observação


DETECTORES + FONTE + KIT DE Kit Completo para instalação
AAA24591W1
FIXAÇÃO do Lambda LC.

AAA24591W1 - Detetores e fonte de


alimentação

Package Size : 2400mm x


100mm Dia., 5.6 Kg

Volume : 2400x100 21

Peso : 5.6 Kg

Para reposição somente das réguas


AAA24591W2 SOMENTE DETECTORES + KIT DE FIXAÇÃO
detectoras.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 12 DE 10

AAA24591W2 - Detetores

Package Size : 1920mm


x 100mm Dia., 1.2 Kg

Volume : 1920x100 22

Peso : 1,2 Kg

Opcional – Para cabinas


tradicionais.
AAA24591W3 TAPA VISTA + KIT DE ESPAÇADORES + KIT DE FIXAÇÃO
Deverá ser solicitado além do
kit completo .

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC – D.03.05
OTIS
DATA : 17/04/01
OPERAÇÕES
DE Instalação do EPS 1000 (Lambda LC) REVISÃO : 0
CAMPO PÁG. 13 DE 10

AAA24591W3 - Espaçadores para portas


tradicionais

Kit de parafusos
Tapa vista (2X)
Espaçador 9mm (2x)
Espaçador 3mm

Package Size : 2400mm x 100mm Dia., 3.0 Kg


23

Volume : 2400x100 Peso : 5.6 Kg

A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 1: 16 Nov 99


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES GERENTE DE INSTALAÇÕES E OP. CAMPO


Ó

JOÃO PAULO ROSA LOPES SILVIA YOSHIMI ARASSIRO MARCELO MASSAHARU YAMANE
C
SEGURANÇA BARRICADA DE PROTEÇÃO PARA ESCADAS ROLANTES - S07

Para garantir que os usuários continuem seguros durante a


realização de serviços de manutenção na Escada Rolante, a
OTIS desenvolveu a BARRICADA DE PROTEÇÃO PARA
ESCADAS ROLANTES.

· Cobre as duas entradas da escada rolante, isolando


cerca de 4m² de cada parte;
· Alerta e evita que crianças ou adultos ultrapassem
o local em que está sendo feita a manutenção,
garantindo mais segurança;
· Informa ao público que o equipamento se encontra
em manutenção, garantindo maior segurança aos
usuários;
· Atende à norma internacional WWJSSS item 6.3;
· Instalação: 10 minutos para montar e desmontar;

· Formada por 14 módulos, sendo 7 justapostos e


encaixados um a um para a proteção inferior e 7
para a proteção superior;
· Cada módulo confeccionado em copolímero de
polipropileno, com dimensões de 1000 x 800 x
5mm;
· Não propagador de chama;
· Acabamento na cor amarela e texto de alerta em
silk-screen na cor preta.

BARRICADA DE PROTEÇÃO PARA ESCADAS ROLANTES


Os usuários ganham mais segurança e você ganha mais
tranqüilidade.
MKTS-068 BR

OTIS
Kit
OTIS ATC - G.00.12 BARRICADA DE SEGURANÇA DATA : 07/11/97
PÁG. 1 DE 2
UNSE PARA ESCADAS ROLANTE REVISÃO : 0

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 07/11/97 Transcrição da ATC G.00.12 BRASIL - de 19/05/97
Emitida por Luiz de Antoni

1. OBJETIVO: Apresentar a nova barricada de segurança para ser utilizada nas atividades de
manutenção.

2. APLICAÇÃO: Em todas as escadas rolantes.

3. PROBLEMA: A falta deste equipamento pode ocasionar algum acidente.

4. AÇÃO: Impedir a passagem e também alertar ao público que o equipamento está inoperante
em manutenção.

4.1) MONTAGEM: A montagem completa da barricada requer 14 módulos (por escada), sendo
7 para cada patamar.

Fabricadas em copolímero de polipropileno extrusado em corpo único, oferecendo uma


combinação de rigidez e leveza.

módulos com 1,00 m de altura

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
OTIS ATC - G.00.12 BARRICADA DE SEGURANÇA DATA : 07/11/97
PÁG. 2 DE 2
UNSE PARA ESCADAS ROLANTE REVISÃO : 0

Para cada patamar deverão ser montados 7 módulos como mostra na figura:

Módulos vistos por cima

Base de apoio

Patamar da escada

5. MATERIAL

Part No do módulo: BAA438DM1


Part No do conjunto barricada com 14 módulos: BAA438DM2
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
SISTEMA DE MONITORAÇÃO E SEGURANÇA
SEGURANÇA PARA ESCADAS ROLANTES - S11

Para garantir que a manutenção ou reparos nas escadas


rolantes possam ser efetuados de uma forma mais precisa,
rápida e segura, possibilitando assim uma maior
disponibilidade destes equipamentos para os usuários, a
OTIS desenvolveu o SISTEMA DE MONITORAMENTO E
SEGURANÇA PARA ESCADAS ROLANTES. Este sistema é
formado por oito componentes, que deveram ser
instalados em conjunto. São eles:
1- Dispositivo eletrônico de Monitoração;
2- Tomada multipolar para caixa de inspeção *;
3- Caixa de Serviço inferior;
4- Caixa de Serviço superior;
5- Protetor para Disjuntor;
6- Coletor de óleo;
7- Suporte de segurança para a retirada de degraus;
8- Presilhas de fixação.
* A Caixa de inspeção é uma ferramenta utilizada pelo
técnico da OTIS e não será comercializada.

Estes dispositivos em conjunto permitirão:


· Reduzir ao mínimo o tempo de escada parada por
tornar mais ágil e segura a execução da
manutenção preventiva e corretiva;
· Agregar maior segurança aos usuário de escadas
rolantes, introduzindo novas tecnologias
incorporadas aos produtos atuais;
· Agilizar a identificação de ocorrências técnicas no
equipamento, proporcionando maior rapidez na
execução da manutenção corretiva;
· Evitar curtos-circuitos no sistema de proteção do
comando da escada, reduzindo a possibilidade de
uma quebra.

AVENTAL PROTETOR

O seu elevador fica em forma de novo e você fica ainda


MKTS-161 BR

mais seguro.

OTIS
Kit
SEGURANÇA LUSTRE PARA FUNDO DO POÇO - S13

O LUSTRE PARA FUNDO DO POÇO, integrado a uma caixa


de comando, permite a perfeita iluminação do poço. Bem
como elimina a possibilidade de movimentação de
elevador durante manutenção neste local.

· O acendimento da luminária está condicionado ao


acionamento da chave de parada de emergência,
possibilitando o controle do equipamento;
· O refletor amplia a eficiência da iluminação;
· Atende às normas ABNT NBR 7192/85 item 4.1.8.3
e norma WWJSSS;
· Fácil instalação, em apenas 1 hora;
· Um ano de garantia;

Luminária
· Produzida em material termoplástico auto
extinguível, poliamida 6.6;
· Grau de proteção IP44;
· Isolação classe 2;
· Soquete plástico tipo E27;
· Lâmpada incandescente de 60W
· Dimensão externa 206x111x112,5mm;
· Proteção contra respingos de água e objetos
sólidos maiores que 5mm.

Caixa de comando
· Produzida em material termoplástico auto
extinguível, poliamida 6.6;
· Grau de proteção IP55;
· Proteção contra pó e jato de água;
· Botão de partida tipo soco (NA+NF)
· Tomada para iluminação2P+T, 25 A – 250V;
· Dimensão externa 141x114x91,5mm.

LUSTRE PARA FUNDO DO POÇO


O seu elevador em forma de novo e você fica ainda mais
seguro.
MKTS-180 BR

OTIS
Kit
SEGURANÇA ILUMINAÇÃO PARA CASA DE MÁQUINAS - S12

A Iluminação para casa de máquinas é mais um item


de segurança que atende as exigências da ABNT, além de
facilitar a manutenção por permitir uma perfeita
visualização dos equipamentos.

· É protegida contra explosão, poeira e jatos de


água;
· Possui uma estrutura em alumínio de alta
resistência e globo de cristal resistente à impactos;
· Reduz a possibilidade de risco de incêndio na casa
de máquinas;
· Fácil manutenção;
· Atende às normas NBR 7192/95 item 4.2.4 e
norma internacional de segurança WWJSSS;
· Rápida instalação, em apenas 30 minutos;
· Um ano de garantia.

· Blindagem tipo IMB simples, que protege contra


umidade, gases não inflamáveis (NEC
classelll), grau de proteção IP65;
· Corpo e grade de proteção em liga de alumínio de
alta resistência mecânica e contra corrosão;
· Soquete de porcelana reforçada tipo E-27;
· Lâmpada incandescente de 200W.

ILUMINAÇÃO PARA CASA DE MÁQUINAS


O seu elevador em forma de novo e você fica ainda mais
seguro.
MKTS-180 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - B.00.10
DATA : 26/08/97
ENGa SERVIÇOS
LUMINÁRIA BLINDADA REVISÃO : 0
UNSE PARA CASA DE MÁQUINAS PÁG. 1 DE 2

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição


0 26/08/97 Preliminar

1. OBJETIVO: Informar o procedimento para instalar a luminária blindada BAA417F1.

2. APLICAÇÃO: Para Casa de Máquinas em geral.

3. PROBLEMA: Algumas luminárias da Casa de Máquinas estão inadequadas e não atendem


as Normas de Segurança WWJSSS.

4. AÇÃO:

ALERTA DE SEGURANÇA
Cumprir todas as normas de segurança em vigor durante a execução desta instalação.
Cuidado ao trabalhar com energia elétrica.

4.1 Desligar o disjuntor da iluminação da Casa de Máquinas, bloquear e etiquetar;

4.2 Retirar a luminária existente;

4.3 Desrosquear a grade blindada e o globo de proteção;

4.4 Fixar a luminária blindada na caixa de ligação existente no teto através de (2) parafusos
autoatarrachantes de 3,5X16. Vide desenho abaixo; Para caixa
de ligação
de 2”X 4”

Para caixa
de ligação
de 2” X 2”

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE ENGENHARIA DE SERVIÇOS GERENTE DE OP. CAMPO & MARKETING
SILVIA YOSHIMI ARASSIRO JOSE AMORIM FLÁVIO MATTOS

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


OTIS ATC - B.00.10
LUMINÁRIA BLINDADA DATA : 26/08/97
PÁG. 2 DE 2
UNSE PARA CASA DE MÁQUINAS
REVISÃO : 0

4.5 Colocar a lâmpada incandescente de 200W ( tensão conforme condições de obra) e


rosquear a grade blindada e o globo de proteção;

4.6 Instalar as demais luminárias da casa de máquinas;

4.7 Religar o disjuntor e testar a iluminação.

5. MATERIAL:

Parte Número Descrição


BAA417F3 Luminária blindada com lâmpada 110V/ 200W
BAA417F4 Luminária blindada com lâmpada 220V/ 200W

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


SEGURANÇA CHAVE GERAL PARA CASA DE MÁQUINAS - S14

A CHAVE GERAL PARA CASA DE MÁQUINAS permite


ativar e desativar o fornecimento de energia elétrica do
elevador com total segurança, pois elimina o rico de
contato de pessoas com as partes energizadas, bem como
protege o equipamento, desligando-se automaticamente
em caso de sobrecarga ou curtos-circuitos.

· Possui terminais para aterramento, aumentando a


segurança do edifício, diminuindo os riscos de
incêndio;
· A chave é totalmente blindada contra explosões;
· Permite o travamento mecânico através de
cadeado de segurança, evitando o acionamento da
chave inadvertidamente;
· Possibilita a redução de preço da apólice de
seguros contra incêndio no prédio;
· Atende às exigências da Norma ABNT NBR 7192/8
item 4.3.5 e WWJSSS;
· Fácil instalação, em apenas 3 horas;
· Um ano de garantia;

· Acabamento em pintura eletrostática / poliéster na


cor cinza;
· Possui trinco externo com cadeado de segurança;
· Fusível: tipo NH/SIEMENS com capacidade de
interrupção de 120KA até 500 VCA ou 100KA até
250VCC.

CHAVE GERAL PARA CASA DE MÁQUINAS


O seu elevador em forma de novo e você fica ainda mais
seguro.
MKTS-180 BR

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - B.00.09
DATA : 13/08/01
OPERAÇÕES
DE CHAVE GERAL BLINDADA PARA REVISÃO : 1
CAMPO CASA DE MÁQUINAS PÁG. 1 DE 3

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Descrição
1 Atualização de referências
0 Preliminar emitida por Sílvia Arassiro - 04/09/97

1. OBJETIVO: Informar o procedimento para instalar a chave geral blindada BAA21398A

2. APLICAÇÃO: Casa de Máquinas em geral.

3. PROBLEMA: Algumas chaves gerais da Casa de Máquinas estão inadequadas e não


atendem a Norma de Segurança WWJSSS.

4. AÇÃO:

IMPORTANTE
Esta instalação deverá ser executada por eletricista autônomo ou empresa de prestação
de serviços cadastrado e habilitado para esta tarefa.
O eletricista que executar o serviço deverá acessar a casa de máquinas para realizar a
instalação sempre acompanhado de um técnico habilitado da OTIS.

CONCEITO
CHAVE GERAL DO PRÉDIO PARA O ELEVADOR: é a chave localizada fora da casa de
máquinas.
CHAVE GERAL DO ELEVADOR: é a chave localizada dentro da casa de máquinas.

ATENÇÃO
Cumprir todas as normas de segurança em vigor durante a execução desta instalação.
Cuidado ao trabalhar com energia elétrica.

4.1 Proceder a etiquetagem e bloqueio elétrico da CHAVE GERAL DO ELEVADOR;

4.2 Descer e desligar a CHAVE GERAL DO PRÉDIO PARA O ELEVADOR, bloquear e


etiquetar;
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE OPERAÇÕES DE CAMPO


Ó

MARCELO YOSHINOBU KUBA SILVIA ARASSIRO FÁBIO PISA


C
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - B.00.09
DATA : 13/08/01
OPERAÇÕES
DE CHAVE GERAL BLINDADA PARA REVISÃO : 1
CAMPO CASA DE MÁQUINAS PÁG. 2 DE 3

4.3 Retornar à casa de máquinas;

4.4 Desconectar os cabos elétricos e retirar a CHAVE GERAL DO ELEVADOR existente;

ATENÇÃO
Verificar se todas as ligações da CHAVE GERAL DO ELEVADOR estão desenergizadas.

Fixar a nova CHAVE GERAL

4.5 DO ELEVADOR utilizando as seguintes ferragens para:

Aço (4) Arruela Paralela A6,4


FIXAÇÃO (4) Parafuso auto-atarrachante
CONF. TABELA M5,6 x 16
CHAVE Alvenaria (4) Arruela Paralela A6,4
GERAL PAINEL AÇO/ (4) Parafuso 5 X 40
ALVENARIA
(4) Bucha Nylon S10

4.1 Conectar o cabo Terra no terminal de aterramento;

4.2 Realizar as ligações dos cabos elétricos;

4.3 Colocar os fusíveis;

4.4 Fechar a tampa da CHAVE GERAL DO ELEVADOR e deixar na posição DESLIGA;

4.5 Descer, desbloquear e religar a CHAVE GERAL DO PRÉDIO PARA O ELEVADOR;

4.6 Retornar à casa de máquinas e testar as tensões de entrada;

4.7 Ligar a CHAVE GERAL DO ELEVADOR.


A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI

ENG. DE OPERAÇÕES DE CAMPO COORDENADORA DE OPERAÇÕES DE CAMPO GERENTE DE OPERAÇÕES DE CAMPO


Ó

MARCELO YOSHINOBU KUBA SILVIA ARASSIRO FÁBIO PISA


C
CHAVE GERAL BLINDADA PARA DATA : 13/08/01
OTIS ATC - B.00.09 CASA DE MÁQUINAS PÁG. 3 DE 3
REVISÃO : 1

TRINCO PARA
CADEADO

ENTRADA

(3) FUSÍVEIS NH

ALAVANCA SAÍDA
LIGA/ DESLIGA

TRINCO PARA
CADEADO

TERMINAL DE
TAMPA COM DISPOSITIVO DE SEGURANÇA (
ATERRAMENTO
ABRE SOMENTE NA POS. DESLIGA)

ATENÇÃO
A fiação de entrada da chave geral deverá estar sempre chegando pelos bornes
superiores.
5. MATERIAL:

Parte Número Descrição


BAA21398A1 Chave geral blindada – até 60A
BAA21398A2 Chave geral blindada – até 100A
BAA21398A3 Chave geral blindada – até 125A

Parte Número Descrição


BAA375C1 Fusível NH – 25A
BAA375C2 Fusível NH – 32A
BAA375C3 Fusível NH – 40A
BAA375C4 Fusível NH – 50A
BAA375C5 Fusível NH – 63A
BAA375C6 Fusível NH – 80A
BAA375C7 Fusível NH – 100A
BAA375C8 Fusível NH – 125A
A
D
LA

• Serão fornecidos (1) chave geral , (3) fusíveis NH e ferragens de fixação.


O

• Os fusíveis são dimensionados pela corrente de corrida a plena carga.


TR
N
O
C
O
Ã
N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
SEGURANÇA LAMBDA 3D - S15

LAMBDA 3D – Sistema de proteção ao usuário de elevadores


com porta de abertura automática. Composto de sensores
instalados na entrada do elevador e um sistema de proteção
secundário que se projeta na passagem do corredor, detectando
a aproximação de passageiros.
O LAMBDA 3D controla a abertura e o fechamento das portas,
assegurando o bem estar físico e a comodidade dos usuários.

· Garante máxima proteção e segurança aos passageiros;


· Qualquer interrupção nos feixes faz com que a porta se
abra imediatamente, sem tocar nos passageiros;
· Reduz os danos às portas, especialmente em locais
onde há lenta movimentação ou utilização de
equipamentos pesados;
· Os emissores e os receptores são embutidos na porta,
em local discreto, dificultando o alcance de pessoas que
tenham a intenção de danificar o equipamento;
· O sistema é blindado, o que impede a penetração de
poeira, evitando eventuais paralisações;
· Tempo médio de instalação: 2 horas;
· Um ano de garantia.

· 56 feixes (56 emissores e 56 detectores) de raios


infravermelhos invisíveis e inofensivos, com 99mm de
distância entre um ponto e outro, formando uma rede
de segurança em toda a entrada do Elevador;
· Distância máxima entre o emissor e o receptor: 4
metros;
· Início da área de detecção: Aproximadamente a 30% da
abertura da porta;
· Alimentação de entrada em duas voltagens: 110V AC
ou 220V AC (corrente alternada).

LAMBDA 3D
MKTS- BR

Segurança OTIS ao seu alcance.

OTIS
Kit
OTIS ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO ATC - D.03.03
DATA : 07/06/99
ENGa SERVIÇOS
SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA REVISÃO : 0
UNSE PORTA, LAMBDA III
PÁG. 1 DE 18

HISTÓRICO DAS REVISÕES DO DOCUMENTO:

Revisão Data Descrição

0 07/06/99 Prelimina

1. OBJETIVO:
Manual de Instalação, Resolução de Problemas e Operação do Lambda III

2. RECOMENDAÇÃO:

Este produto é para uso nas instalações em que a distância entre os detetores, quando as portas
estiverem completamente abertas, não exceda 157 polegadas (4000 mm).
Para a substituição do dispositivo de reversão/inversão do tipo foto célula, existe uma “chave de corte”
que deve ser desabilitada.
Quando a energia for removida do equipamento, favor seguir a política da empresa e realizar o
procedimento de bloqueio elétrico.
Se o serviço de bombeiros (frases 1 ou 2) for necessário em sua área,
o Lambda deve ser instalado em um operador com características de “nudging(*)”.

3. APLICAÇÃO:

Sistema De Reversão/Inversão de Porta, Lambda III

4. AÇÃO

4.1. Montagem do Detetor e das Unidades Emissora e Receptoras de Porta

Observação: Os termos Abertura pela mão direita (MD) e Abertura pela mão esquerda (ME)
podem ser vistos do interior do carro, desde que se esteja de frente para as portas.

4.1.1. Com o cabo e o conector no topo, coloque o detetor do Lambda (componente Otis n.
AAA24591Q) contra a porta do carro MD ou a placa do batente (strike plate). O detetor tem um
conector cinza no fim do cabo.

4.1.2. Com o cabo e o conector no topo, coloque o emissor do Lambda (componente Otis n.
AAA24591P) contra a porta do carro ME ou a placa do batente. O emissor tem um conector preto
no fim do cabo.
A
D
LA
O
TR
N
O
C

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


O
Ã
N

Form. ATC1.DOC Rev. 0:07/06/99


A
PI

CENTRO DE CAPACITAÇÃO E SUPORTE COORD. CENTRO DE CAPACITAÇÃO E SUPORTE GERENTE DE INSTALAÇÕES & OP. CAMPO
Ó

FÁBIO DA SILVA SECCO ÁLVARO PEREIRA DE ALMEIDA NETTO EDNILSON DA SILVA GOMES
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 2 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

4.2. Para montar tanto o Detetor quanto o Emissor:

4.2.1. O detetor e o emissor devem ser montados de 1/2 “ a 1.0” da extremidade da porta. Em ambos
os casos, assegure que as unidades sejam montadas em paralelo com a porta. A distância entre
o emissor e o detetor não pode exceder 157 polegadas (4000mm); a base de ambos deve ser de
1/32 a ¼” (1 a 6mm) acima da soleira da porta. Durante a montagem, calce a base do emissor ou
do detetor para assegurar que estejam eqüidistantes em relação à soleira e que estejam na altura
apropriada em relação à mesma.

Vide no Apêndice no final deste trabalho, as técnicas de montagem para uso com diferentes portas e
combinações de montagem.

4.3. Montagem do Controle do Detetor da Porta e Conexão com a alimentação

4.3.1. Monte o Controle do Detetor da Porta (componente Otis n. AAA24591R_) na posição vertical no
topo do carro, para a frente e perto do operador da porta. Para facilitar a visualização dos LED’s
de diagnóstico, a unidade deve ser colocada de maneira que a tampa frontal do controle esteja
visível ao efetuar a manutenção preventiva no topo do carro.

4.3.2. Prenda o controle de montagem à superfície vertical com os quatro parafusos fornecidos
(parafusos M6 WHIZ) através das abas/flanges na caixa de montagem. Se não houver superfície
vertical de montagem, use o suporte de montagem (componente Otis n. AA316GBA1) que é
fornecido junto com algumas configurações. Prenda o suporte de montagem no topo do carro
usando parafusos de lâmina de metal que também são fornecidos, e prenda o controle do detetor
da porta no suporte usando os quatro parafusos através das abas/flanges.

Observação: O controle deve ser montado na posição vertical a no mínimo 5” do topo do


carro. Isto assegurará que o controle seja à prova d’água e os cabos que saem da base da
caixa de controle ficarão protegidos.

4.3.3. Remova a tampa e a placa do circuito impresso no controle do detetor da porta.

4.3.4. Instale um conduíte de ½ polegada a partir do circuito de energia do controle adequado de 115
VCA (92-132 VCA). A alimentação não deve ser a mesma da iluminação e da ventilação do
carro.

Observação: Para controles que possuam foto células, a alimentação ao Lambda III pode
vir da alimentação existente de 115VCA (nominal) para um dispositivo de feixe de luz ou
detetor eletrônico, desde que a alimentação não venha da iluminação do carro. Se não
existir alimentação para o feixe de luz ou detetor eletrônico, a alimentação deverá vir de
uma fase do secundário do transformador principal de energia (TRF) através de fusíveis
montados no controle. Dois fusíveis devem ser usados, um em cada linha de alimentação
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 3 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

4.3.5. Passe a fiação da alimentação e a fiação do relê pelo conduíte e para dentro da unidade de
controle. Use práticas de segurança ao lidar com eletricidade de acordo com todos as leis
aplicáveis a circuitos eletrônicos.

4.3.6. Conecte a energia de entrada como se segue:

4.3.6.1. Para 115VCA:

4.3.6.2. Remova o plugue J6 da placa de circuito do controle do detetor da porta.

4.3.6.3. Conecte a fase no J6-2 e o neutra no J6-3.

4.3.7. Conecte o terra do chassi (terra de segurança) no parafuso que fica no interior do painel
posterior, utilizando a arruela “xícara” para prender os fios.

4.3.8. Faça as conexões no plugue removível da placa de circuito do controle como segue:

J4-1 Contato N.C.


J4-2 Contato N.O. (Este contato não é usado na operação normal)
J4-3 Contato COM

4.3.9. Insira a placa do circuito impresso atrás no compartimento do controle e insira os plugues
adequados no J6 e J4.
OBS:.As características da operação da Tabela 1 só são lidas pelo sistema Lambda com a
energia “ligada”

4.4. Tabela 1:

4.4.1. AJUSTES DOS DIP SWITCH, CARACTERISTÍCA DE OPERAÇÃO

OBSERVAÇÕES:
1. A chave dip switch é lida apenas com a energia ligada para a seleção da característica. Portanto é
necessário circular a energia para ativar a característica depois de mudar o ajuste da chave.
2. Ajustes de fábrica - todas as chaves na posição aberta.

4.4.1.1. Funções da Chave de inclinação e Ajustes de Defeito em negrito


Chave/posição Significado (Desligar/Ligar para ativar)
1/Aberto Falha do Led de atraso (PADRÃO). Liga o LED de manutenção quando um número
específico de feixes adjacentes falhar. Os números são definidos pelas chaves 4 e 5.
1/Fechado LED de manutenção imediata. Liga o LED de manutenção para qualquer falha única no
feixe.
2/Aberto Detecção de Feixe “Fraco” ligada (PADRÃO). Determina quando um feixe está fraco e
ignora-o.
2/Fechado Detecção de Feixe “Fraco”desligada. Desliga a detecção do feixe “Fraco”
A

3/Aberto Sem alarme (cigarra) na reversão (PADRÃO).


D
LA

3/Fechado alarme (cigarra) soa quando a reversão está ativa.


O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 4 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

4.4.1.2. Configurações de detecção do Feixe Ignorado (o padrão é ABERTO, ABERTO)


Chave 4 Chave 5 Significado (Desligar/Ligar para ativar)
Aberto Aberto 3 falhas consecutivas dos feixes =Reversão Contínua. LED indicador de
falhas liga após 2 de qualquer dos 3 feixes consecutivos terem falhado
(PADRÃO)
Aberto Fechado 2 falhas consecutivas dos feixes =Reversão Contínua. LED indicador de
falhas liga qualquer falha no feixe.
Fechado Aberto Estado indefinido. Resposta será a mesma que a PADRÃO.

Fechado Fechado 1 falha de feixe =Reversões Contínuas e LED indicador


de falhas

4.4.1.3. Ajustes da Função 3-D


Chave/Pos Significado (Desligar/Ligar para ativar)
6/Aberto Habilita detecção 3D (PADRÃO)
6/Fechado Desabilita todas as detecções 3D
7/Aberto Desabilita a detecção 3D na posição quase fechada.
Posições (PADRÃO)
7/Fechado Habilita detecção3D na posição quase fechada
desde que 3D esteja habilitado

4.4.1.4. Reservado
Significado (Desligar/Ligar para ativar)
Chave/Po
s
8/Aberto RESERVADO (PADRÃO)
RESERVADO.
8/Fechad
o

4.5. TABELA 2

4.5.1. PROCEDIMENTOS DE AJUSTE PARA 3D

OBSERVAÇÃO:

1. sistema Lambda III deve operar corretamente do modo que vem de fábrica. Entretanto, em algumas
situações pode ser necessário regular alguns dos ajustes de fábrica.
2. IMPORTANTE: Estes procedimentos de ajuste dividem os ajustes do DIP SWITCH que são usados
para a seleção de características. Seleções de característica são lidas apenas com a energia
“ligada”. Os ajustes do DIP SWITCH, são lidos apenas na remoção do jumper XJ4. IMPORTANTE:
É essencial que os ajustes de seleção de característica sejam registrados ANTES do procedimento
de ajuste ser realizado e que sejam então restaurados no fim da ajuste, de forma que as
características adequadas estejam em efeito quando a energia entra em circulação.
A
D

3. Estes procedimentos mudam valores que estão armazenados/guardados na memória não – volátil
LA

(que é a memória que é mantida constante, sem energia). Para assegurar que a memória seja
O

corretamente atualizada, esperar pelo menos 20 segundos depois de executar uma ajuste, antes de
TR

desligar a energia do sistema.


N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 5 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

4. Para Selecionar Diferentes Ajustes de Sensibilidade (Selecionar combinações pré – ajustadas de


X1, X2 e X3)
(Vide Figura 2)

4.5.1.1. Ajuste da sensibilidade 3D padrão de Fábrica:

• Registrar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação


• Ajustar a chave no1 fechada e a chave no2 aberta
• Remover e então reinserir o plugue do jumper XJ4
• Restaurar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação

4.5.1.2. Ajuste padrão de Fábrica da sensibilidade “A” 3D (mais sensível):

• Registrar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação


• Ajustar a chave no1 aberta e a chave no2 fechada
• Remover e então reinserir o plugue do jumper XJ4
• Restaurar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação

4.5.1.3. Ajuste padrão de Fábrica da sensibilidade “B” 3D (mais sensível):

• Registrar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação


• Ajustar a chave no1 fechada e a chave no2 aberta
• Remover e então reinserir o plugue do jumper XJ4
• Restaurar os ajustes normais de todas as posições da chave de inclinação

4.5.2. Para zonas do visor ou para ajuste individual de X1, X2 ou X3:


(Vide Figura 2)

4.5.2.1. Registro de ajustes normal de todas as posições da chave de inclinação

• Ajuste a chave no1 e a chave no2 para OPEN (aberta)


• Ajuste a chave no6 e a chave no7 para o código apropriado: ABERTO, ABERTO para zona do visor;
FECHADO, ABERTO para ajuste X1; ABERTO, FECHADO para ajuste X2; FECHADO, FECHADO
para ajuste X3
• Remova XJ4. O LED indicador de falha 3D deve vir no controle.
• Se os limites da zona do visor forem demonstrados na tela, posicione manualmente as portas e
observe a manutenção do detetor e do emissor do LED.

OBS:. Vide figura 2 para códigos de interpretação.

Tranque a tampa e assegure que o fecho do trinco de ajuste esteja corretamente engatado.
Neste ponto a energia pode ser aplicada no controle se desejado. Entretanto, se os cabos da
A
D

unidade da porta ainda não estiverem conectados, a chave de energia na base do controle deve
LA

ser chaveada para a posição OFF (desligada). Recomendação: Esta chave não remove toda a
O

energia da placa de controle! Ela desconecta a energia das unidades da porta (Emissor e aparatos
TR

do detetor) e também do microprocessador. Entretanto, ainda existe tensão na placa.


N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 6 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

FIGURA 2

ZONAS DA PORTA

Pequeno alvo Detecção de


movendo peq. alvo
SOMENTE

posições padrão de
fávrica
(+/-12%)

Códigos de ajuste do
i

Ligado

PROCEDIMENTOS DE REGULAGEM Piscando


1) Registrar os ajustes originais da chave de inclinação
2) Selecionar a função através das chaves de inclinação Desligado
3) Remover XJ4
4) Se ajustar X1, X2, ou X3, ajuste a separação desejada da porta
5) Insira XJ4 e espere pelo menos 20 segundos
6) Restaure os ajustes da chave original de inclinação REGULAGEM DE AJUSTES DA DIP SWITCH
SW1 SW2 SW6 SW7 FUNÇÕES

AB AB AB AB Zonas do visor
AB AB FE AB Seleciona X1
AB AB AB FE Seleciona X2
AB AB FE FE Seleciona X3
FE AB - - Ajustar padrão de Fábrica
4.6. Instalação de Cabos Interligados AB FE - - Ajustar a Sensibilidade do Ajuste
“A”
FE FE - - Ajustar a Sensibilidade do Ajuste
“B”

IMPORTANTE:

Para máxima vida do cabo, um raio de inclinação mínima de 3” (76mm) é recomendado em


todas as extenções de movimento dos cabos interconectados (AAA174XX1). O problema em
fornecer um raio de inclinação mínima, pode resultar em diminuição da vida do cabo ou uma
ruptura prematura. Posicionar os cabos de inteconexão do detetor e do emissor. O cabo do
detetor está posicionado com o conector cinza no fim do cabo do detetor, e o conector preto
no terminal do cabo do controle. O cabo emissor está posicionado com o conector preto no
terminal do cabo do emissor e o conector cinza no terminal do cabo do controle.
Recomendação: não conecte nem desconecte os cabos da unidade da porta com a Chave de
alimentação do LAMBDA III. A Chave de alimentação do LAMBDA III está localizada na base
da composição do controle.Conecte os cabos nos conectores do emissor e do detetor,
assegurando que os conectores sejam ambos da mesma cor. Aperte os parafusos do
conector para mantê-los no lugar.
A

4.6.1. Conecte o cabo às entradas na base do controle do LAMBDA III. Certifique-se de que as cores
D
LA

do conector correspondem às cores indicadas acima do recorte na caixa. Pressione os


conectores firmemente para a posição e aperte os parafusos.
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 7 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

4.7. Cabo de Apoio

4.7.1. Instale os grampos para prender os cabo, de forma que os cabos fiquem distantes de qualquer
coisa que possa obstruí-los ou retirar a isolação. Use as ilustrações como um guia para as
localizações aproximadas. Usando um grampo como um gabarito, faça um furo através do
grampo na placa do batente ou da porta. Prenda com o parafuso de auto - atarraxante que foi
fornecido.

4.7.2. Feche a porta; marque-a logo acima do maior ponto da volta do cabo. Abra a porta e marque-a
logo abaixo do menor ponto da volta do cabo. Posicione o retentor na porta do carro de modo
que este “se enquadre” nestes dois pontos. Certifique-se de que os cabos não tocam o retentor
(sinal). Faça dois orifícios, usando o retentor como gabarito, e prenda-o na porta usando dois
parafusos auto - atarraxante.

4.7.3. Prenda o suporte do cabo (componente n. 316EAN1) no fim do “caminho” soltando o parafuso
whiz de 3/8” que segura o “caminho” ao parafuso[-mestre]. Deslize o suporte abaixo da cabeça
do parafuso e reaperte-o. Prenda o cabo no suporte com uma “capa/invólucro de fiação”.

4.7.4. Enrole os cabos que sobrarem do controle prenda-os de forma segura.

5. TESTE

5.1. Aplique energia no sistema.

5.2. Ligue a chave liga/desliga do LAMBDA III na base do painel do controle do detetor da porta - ON.

5.3. Quando as portas começarem a fechar, interrompa o feixe com a mão e verifique a parada e
reversão das portas.

6. Procedimentos de Resolução de Problemas

6.1. Se as portas não abrirem:

6.1.1. Quando o LED verde de energia estiver tremulando ou não acender:

• Cerfique-se de que a chave Liga/Desliga do LAMBDA III na base do controle do detetor da porta está
Ligada.
• Verifique o fusível F1 na placa do circuito do controle do detetor da porta.
• Verifique a tensão nos conectores J6 (AC) na placa do controle do detetor da porta: (Para 115 VCA:
faixa de tensão de 92-132 VCA nos terminais J6-2 à J6-3)
A

6.1.2. Se o LED verde de energia estiver constantemente acesso:


D
LA
O

• Verifique a fiação do contato do relê de inversão em J4 na placa do controle do detetor da porta.


TR

• Verifique se os cabos estão seguramente conectados.


N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 8 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

• Verifique se não há obstruções entre o emissor e o detetor (tais como, goma de mascar, sujeira,
arranhões, etc.). Limpe as lentes com um pano limpo e seco.

6.2. Se as portas ainda não fecharem:

6.2.1. Um feixe fraco pode ser a causa das portas ficarem abertas. Mantenha a energia aplicada ao
sistema por pelo menos dois minutos e então “ligue” a chave Liga/Desliga da Unidade de
alimentação da Porta. O sistema vai se reajustar e os feixes fracos irão rearmar quando isto
feito. Quando reaplicar energia nas unidades da porta (por exemplo, ligá-los), observe os LEDs
vermelhos de falha do emissor e do detetor, ambos dentro do controle, ou os LEDs visíveis perto
do topo das unidades da porta (OBSERVAÇÃO: o LED vermelho no emissor da unidade da porta
deve ser visto APENAS quando as portas estão na posição “completamente aberta”, para que
esta indicação de modo de falha seja apropriada. Este LED vai piscar e aproximar-se na
condição plenamente ligado, quando as portas estiverem próximas da posição “fechada” sob
operação normal). Conte o número de vezes que o LED pisca (taxa de aprox. 1 segundo) depois
da energia ser ligada. Esta indica o número de feixes falhos para cada unidade.

6.2.2. B. Se o LED vermelho ficar constantemente ligado, isto indicará que o emissor/detetor precisa
ser substituído.

7. Operação 3D e Resolução de Problemas

7.1. Visão Operacional geral

7.1.1. A operação 3D é uma nova característica que detecta pessoas ou objetos entrando ou deixando
a zona da porta do passadiço ou a área externa da porta do passadiço. A operação do sistema
3D como um todo pode ser habilitada ou desabilitada de acordo com um ajuste da posição da
chave de inclinação no 6. A característica do sistema 3D opera como se segue: Os feixes de luz
infravermelha da unidade emissora da porta na passagem da entrada do passadiço a um ângulo
de 30 graus do plano do trajeto da porta. Se um objeto está no “meio” da abertura da porta, parte
das luzes irão refletir no objeto e parte na unidade detetora da porta. Se o sinal estiver forte o
bastante, ocorrerá uma inversão/reversão.

7.1.2. A área de detecção para “captação” dos objetos 3D varia de acordo com a separação das portas,
mas é sempre no centro da separação das portas. Quando as portas estão completamente
abertas, a zona de detecção inicia-se aprox. 30% da dimensão da abertura da entrada a partir do
plano da porta da cabine (por exemplo: uma detecção de abertura de 48 polegadas deveria
iniciar a aprox. 14 polegadas). Quando as portas fecham, a zona de detecção retrocede para as
portas da cabine. Na separação da porta de 16 polegadas ou menos da cabine, a zona-meta de
detecção fica dentro das portas típicas do passadiço. O alcance vertical de 3D é entre aprox. 18
polegadas e 54 polegadas da base das unidades da porta.

7.1.3. O sistema 3D tem um sistema embutido de CARACTERÍSTICA ANTI-INTERFERÊNCIA. Se há


detecção contínua (ou várias intermitentes) de objetos 3D persistindo por aprox. 12 segundos
sem uma obstrução do feixe da cortina (por exemplo: uma pessoa parada na entrada, mas sem
entrar), o sistema 3D se auto- desabilita. O sistema 3D reinicia sempre que um feixe da cortina é
A

quebrado (por exemplo: uma pessoa entra ou sai do carro).


D
LA
O

7.1.4. A natureza do objeto de detecção varia dependendo da distância de separação de porta. Para
TR

separações maiores que aprox. 24 polegadas, o sistema é projetado para detectar grandes e
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 9 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

pequenos objetos. Um objeto grande neste contexto é uma parte do corpo humano. Um objeto
pequeno poderia ser um braço estendido. O objeto maior e mais provável será identificado.

7.1.5. Quando as portas fecham, a operação de detecção muda. Na região de 24 polegadas à 18


polegadas, o sistema vai tratar de objetos grandes como interferências e ignorá-las. Entretanto,
esta irá identificar pequenos objetos tais como um braço estendidos ou mãos.

7.1.6. Nas últimas 18 polegadas do caminho da porta aproximadamente, o sistema apenas identificará
pequenos objetos (visto que esta região é habilitada pela chave dip switch no 7) que são
rapidamente movidos para dentro ou para fora da zona do passadiço da porta (por exemplo: uma
Segunda e última tentativa para estender uma mão na região para parar as portas). Se o sistema
perceber falsamente/erroneamente objetos nesta região, a chave DIP no 7 pode ser usada para
habilitar ou desabilitar a operação 3D nesta região.

8. TESTE 3D DE CAMPO

OBSERVAÇÕES:
a) Para os propósitos deste teste um ÓTIMO OBJETO DE TESTE é um pedaço de papel branco
de 8-1/2 por 11 polegadas (por exemplo: usar as folhas de um caderno) mantido perpendicular
ao chão e paralelo à direção do trajeto da porta, em uma orientação “paisagem”, em qualquer
posição vertical entre 18 e 54 polegadas acima do chão.
b) Um OBJETO DE TESTE “fraco” é um pedaço de espuma da embalagem de transporte que é
aproximadamente do mesmo tamanho (8-1/2 por 11).
c) Ao realizar os testes, não esqueça da característica de “tempo/intervalo” anti-interferência 3D. A
característica anti-interferência desabilita a detecção 3D se houver 12 segundos de detecção 3D
intermitente contínua ou acumulada sem o feixe da cortina ser rompido. Para reabilitar o 3D
depois de uma interrupção, o “tempo/intervalo” quebra os feixes da cortina.

8.1. Ajuste a característica BUZZER ON (CAMPAINHA LIGADA) no controle.

• Ajuste a posição da chave de inclinação no3 para “fechado”.


• Faça a energia entrar em ciclo.

8.2. Com as portas em sua posição completamente aberta, mantenha o ÓTIMO OBJETO distante de seu
corpo e aproxime-o lentamente da cabine no centro da abertura da porta. A campainha vai soar
quando o objetivo/alvo é detectado. Continue aproximando-o da cabine até o objetivo/alvo não seja
mais identificado. Marque e meça a distância das portas da cabine no início da detecção e no final
da zona de detecção com um pêndulo-prumo (por exemplo: uma fita métrica do objeto/alvo ao chão
pode ajudar). O alcance da detecção contínua deveria ir de encontro ou exceder o alcance
especificado na tabela abaixo (distancias máximas a mínimas).

8.3. Repita os procedimentos do passo 2), mas use o OBJETO DE TESTE “fraco”. Compare com a tabela
abaixo.
A

8.4. Restitua a característica do BUZZER (campainha) para sua configuração normal.


D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 10 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

Abrir ÓTIMO OBJETO DE TESTE OBJETO DE TESTE “fraco”


(polegadas) Distância Máx. Distancia Mín. Distância Máx. Distância
Mín.

48 16.8 8.7 12 8.7


42 14.7 7.6 11 7.6
36 12.6 6.6 9 6.6

9. Resolução de Problemas:

9.1. Se NÃO houver detecção de objetos.

• Verifique se a posição da chave de inclinação no 6 está aberta.


• Verifique se o 3D não está desabilitado pela função desabilitação de incômodo por quebrar o feixe da
cortina.
• A operação de detecção deveria ser verificada pela simulação de uma entrada “do andar” no
elevador – NÃO por ficar na zona do passadiço.

9.2. Detecção falsa ocorrendo próximò da posição fechada da porta.

• Verifique novamente a instalação das unidades da porta. Verifique especialmente se a distância da


soleira é a mesma para cada unidade da porta. Também, verifique se o espaçamento do emissor da
parte plana do trajeto da porta NÃO excedeu o espaçamento do detector a partir do plano da porta.
Se excedeu, a luz pode escapar diretamente através da abertura da porta do emissor para o detetor.
• Se a instalação parecer OK, mas ocorrer falsa detecção nesta região, desabilite a operação 3D na
posição “quase-fechado” assegurando que a chave DIP posição no 7 esteja aberta.
• Se disparos falsos ainda ocorrerem, desabilite totalmente a função 3D funcional fechando a chave
DIP no 6.

9.3. Detecção falsa ocorrendo na posição aberta.

• Verifique novamente a instalação. Verifique especialmente se ambas as unidades da porta estão


planas contra a porta. Se, por exemplo, as unidades foram montadas sobre de uma junção ou dobra,
podem não estar planas depois dos fechos de instalação serem apertados. Para esta situação
reloque as unidades para uma seção plana da porta ou acrescente calços para tornar a superfície
montada plana.
• Se a instalação está OK mas ainda há falsos trajetos, tente o AJUSTE DA SENSIBILIDADE 3D
REDUZIDA “B” (Vide seção de Procedimentos Especiais da tabela 1).
• Como último recurso, desabilite totalmente a função 3D fechando a chave DIP de no6.
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 11 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

10. MATERIAL

10.1.Componente para substituição

Descrição do Componente para substituição Número do componente


Composição do Lambda III – Padrão AAA24591T*
Controle do Lambda III – 115 VCA AAA24591R1
Placa do Controle – 115 VCA AAA26800XB1
Relê de Controle 24VDC AAA613CZ21
Fusível da placa de Controle– 115VCA AAA375BY15
Unidade emissora – Padrão AAA24591P*
Unidade de detecção - Padrão AAA24591Q*
Cabo de Interconexão do Detetor/Emissor AAA174XX1
Suporte [ braçadeira ou braquete] do montagem do Controle AAA316GBA1
Suporte de Montagem Paralelo AAA308TM1
Grampo de Montagem da Unidade da Porta (Base), LHO AAA316GAZ1
Grampo de Montagem da Unidade da Porta (Base), RHO AAA316GAZ2
Grampo de Montagem da Unidade da Porta, (Base), Topo/Meio AAA316GAZ3
Grampo de Montagem da Unidade da Porta (para unidades perplexas) AAA316GAZ5
Suporte [ braçadeira ou braquete] angular da Unidade da Porta AAA316GAZ6
Suporte [ braçadeira ou braquete] de Retenção da base da Unidade da AAA316GAZ7,8
Porta (para Suportes do montagem paralelo). Esquerda/Direita
Grampo do Cabo 336CZ9
Retentor do cabo 326T1
Suporte [ braçadeira ou braquete] do Cabo 316EAN1
Parafuso de auto-rosqueamento (porcas) 298909
Parafuso Whiz M6X12 não 124M6x12-8.8Z
Porcas Whiz M6 não 7201 M6-9-Z
Parafusos de Lâmina de Metal 298888
Capa/invólucro da fiação AAA652AA10

Observações:
Os componentes indicados com (*) apresentam múltiplas versões. Favor verificar o componente
para substituição pelo número do componente.

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 12 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

Apêndice A: Unidade da Porta Montada

(Portas de Abertura Central)

1. Limites de Alinhamento

O detetor e o emissor devem estar alinhados em toda a extensão do trajeto da porta. As unidades
podem tolerar até 0/-6 mm de desalinhamento paralelo, e um desalinhamento vertical de + 6 mm , e um
desalinhamento angular de + 6mm com as portas na posição fechada. As unidades da porta podem ser
montadas diretamente na porta ou no batente se a linha de visão não estiver obstruída.

2. Montagem com “Suportes De Montagem Paralelos”

2.1.1. Modernização (Vide Figuras A-1a e A-1b)

• Posicione a unidade da porta na extremidade da porta entre 0.5 e 1 polegada da extremidade da


porta. Alinhe-a verticalmente e assegure que a base esteja a ¼ de polegada da soleira .
• IMPORTANTE: em certos sistemas da porta a forma da base convexa pode bloquear ou
parcialmente bloquear os feixes da cortina se a unidade da porta estiver instalada rente à porta. Se
este for o caso, um espaçador, calço, ou um suporte [ braçadeira ou braquete] obtido por meio de
pedido especial, como um ABA316FUL2-4, pode ser usado para aumentar a distância de montagem
em relação à porta. Estes mesmos suportes também podem ser usados para reduzir a abertura/fenda
entre a cabine e as portas do passadiço, se assim desejado.
• Monte as portas usando parafusos auto - atarraxante fixados no orifício da aba/flange do suporte
plástico.
• IMPORTANTE. Para o orifício da aba/flange da base, monte um suporte apropriado na esquerda ou
direita. Este suporte assegura que os componentes internos do Lambda não deslizem para fora do
suporte plástica durante a operação.

2.1.2. Novos equipamentos (Vide figura A-2)

• Coloque a unidade da porta sobre o suporte da base convexa. Posicione verticalmente para
assegurar que a base esteja a ¼ de polegada dentro da soleira.
• Monte as portas usando parafusos de auto - atarraxante fixados no orifício da aba/flange do suporte
plástico.
• IMPORTANTE. Para o orifício da aba/flange da base, monte um suporte apropriado na esquerda ou
direita. Este suporte assegura que os componentes internos do Lambda não deslizem para fora do
suporte plástica durante a operação. A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 13 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

MODERNIZAÇÃO
CONFIGURAÇÃO DA ABERTURA CENTRAL
COM
SUPORTES DE MONTAGEM PARALELOS
AAA24591T4 --- Sistema 3D - 115VCA

Porta do Carro Porta do Carro

Suporte de montagem – Suporte de montagem –


paralelo paralelo
AAA308TM1 AAA308TM1

FIGURA A-1a

MODERNIZAÇÃO
CONFIGURAÇÃO DA ABERTURA CENTRAL
COM
SUPORTES DE MONTAGEM PARALELOS
AAA24591T4 --- Sistema 3D - 115VCA

Porta do Porta do

SUPORTE
(Ordem Especial)

ABA316FUL2 (5/8”)
ou
ABA316FUL3 (1”)
ou
ABA316FUL4 (1 ¼”)
A
D
LA

Suporte de Montagem –
paralelo Suporte de Montagem –
O

AAA308TM1 paralelo
Figura A-1b
TR

AAA308TM1
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 14 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

NOVO EQUIPAMENTO
CONFIGURAÇÃO DA ABERTURA CENTRAL
COM
SUPORTES DE MONTAGEM PARALELOS
AAA24591T1 --- Sistema 3D - 115VCA

Porta do Carro Porta do Carro


Junta/base
convexa/
Contrapilastra

Junta/base
convexa/
Suporte do Contrapilastra
retentor Suporte do
da Junta/base retentor
convexa/ da Junta/base
Contrapilastra convexa/
AAA326AJ1 Contrapilastra
AAA326AJ1

Suporte de montagem – Suporte de montagem –


paralelo AAA308TM1 paralelo
AAA308TM1

FIGURA A-2

APÊNDICE B

RESERVADO PARA INSTALAÇÃO DE MONTAGEM DA FACE


DE LÂMINA SIMPLES NO BATENTE DA PORTA
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 15 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

Apêndice C: Unidades de montagem da Porta


(Portas de abertura lateral – Montagem Convencional)

1. Limites de Alinhamento

O detetor e o emissor devem estar alinhados em toda a extensão do trajeto da porta. As unidades
podem tolerar até 0/-6 mm de desalinhamento paralelo, um desalinhamento vertical de + 6 mm , e um
desalinhamento angular de + 6mm. As unidades da porta podem ser montadas diretamente na porta ou
no batente se a linha de visão não estiver obstruída.

1.1. MODERNIZAÇÃO

1.1.1. Montagem da unidade da porta no batente (vide Figura C-1):

• Posicione e alinhe a unidade da porta no suporte/braquete de mudança de ângulo


AAA283ALP21,22,23, ou 24 (OBSERVAÇÃO: este componente não é fornecido com os sistemas do
Lambda III e deve ser ESPECIALMENTE ENCOMENDADA) A posição horizontal deve estar entre 1/
2 e 1 polegada da margem do suporte e a posição vertical deve ser tal que quando instalada a base
da unidade da porta, esta esteja a ¼ dentro da soleira da porta. Monte a unidade da porta no suporte
com parafusos de auto-rosqueamento.
• Instale o ângulo apropriado mudando do suporte de montagem (AAA283ALP21,22,23, ou 24) no
batente da porta. A placa do batente existente pode ter que ser cortada ao longo de sua extensão
vertical, para instalar o suporte de mudança do ângulo.

1.1.2. Montagem da unidade da porta na porta (vide Figura C-1): Instale de acordo com as instruções
do Apêndice A para portas de abertura central.

1.2. NOVOS EQUIPAMENTOS

1.2.1. Montagem da unidade da porta no batente (Vide figura C-2):

1.2.2. Monte a unidade da porta nos orifícios pré-perfurados na placa/chapa do batente usando os
parafusos de auto-rosqueamento/apertos fornecidos.

1.2.3. Montagem da unidade da porta na porta (vide Figura C-1):

1.2.4. Instale de acordo com as instruções do Apêndice A para portas de abertura central.
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 16 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

MODERNIZAÇÃO
LÂMINA ÚNICA DE ABERTURA DA DIREITA
com
SUPORTES DE MONTAGEM PARALELOS
AAA24591T4 --- Sistema 3D, 115VCA

Placa do Batente da
Porta
Porta do Cabo

Suporte Adaptador
AAA238ALP21,22,23 ou 24
Ordem Separada

Suporte de montagem –
paralelo AAA308TM1
Suporte de montagem –
paralelo
AAA308TM1

FIGURA C-1

NOVO EQUIPAMENTO
LÂMINA ÚNICA DE ABERTURA DA DIREITA
COM
PRENDEDOR/SIPORTE DE MONTAGEM PARARLELO
AAA24591T1 --- Sistema 3D, 115VCA

Placa do Batente da
Porta
Porta do Carro
A
D
LA

Suporte de montagem –
O

Suporte de montagem – paralelo AAA308TM1


TR

paralelo AAA308TM1
FIGURA C-2
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
OTIS ATC - D.03.03 SISTEMA DE REVERSÃO/INVERSÃO DA
DATA : 15/05/03
PÁG. 17 DE 18
UNSE PORTA, LAMBDA III REVISÃO : 0

Apêndice D: Limitação da Instalação 3D Geral

A instalação deve assegurar que a área acinzentada demostrada abaixo esteja desobstruída para o
trajeto da luz da unidade emissora da porta na entrada do elevador. Geralmente, a obstrução mais
próxima é um protetor de captação preso na porta do passadiço. O teste de obstrução deve ser
feito enquanto as portas estiverem fechando considerar a liderança da porta do passadiço em
relação às portas do carro.

PORTA DA CABINE

regulador do fluxo
Cortina de feixe
de luz

feixe de luz
3D

extrusão do Alumínio

45
graus proteção das lentes

A área escurecida DEVE estar desobstruída

A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07/06/99


PI
Ó
C
SEGURANÇA
Novo ! SISTEMA DE RESGATE OTISMATIC - S15

OTISMATIC – Na ocorrência de falta de energia no edifício, o


dispositivo de resgate OUTMATIC é acionado, efetuando
automaticamente a movimentação da cabine em velocidade
reduzida até o andar mais próximo – em conformidade com
todas as regras de segurança. Com a cabine nivelada, o
OTISMATIC comanda a abertura da porta, permitindo assim a
liberação dos passageiros de forma tranqüila e segura.
O dispositivo é equipado com um conjunto de baterias próprias
carregadas durante o período em que o equipamento
permanece em “stand by”.

Após o resgate, o OTISMATIC é automaticamente desligado,


permitindo que, no retorno da energia, o elevador esteja pronto
para funcionar em operação normal.
O dispositivo é também equipado com um sistema de auto
diagnóstico que detecta a presença de qualquer irregularidade
em seu funcionamento, incluindo as condições de bateria,
garantindo que o equipamento não seja acionado caso exista
alguma falha.

· Resgate seguro e rápido nos casos de paralisação por


falta de energia;
· Redução de riscos de acidentes com usuários devido a
pânico entre os passageiros presos;
· Maior confiabilidade e tranqüilidade na utilização dos
elevadores, considerando o risco da falta de energia;
· Tempo de instalação: 8 horas;
· Garantia de um ano.

O OTISMATIC pode ser instalado em qualquer tipo de controle


com as seguintes características:

· Tensões de alimentação 220V/ 380V;


· Motores AC (1 ou 2 velocidades) ou motores VVVF;
· Motores até 14,9Kw / 380V ou 11,5Kw / 20V;
· Operadores de porta automáticos AC (trifásico) ou DC.
MKTS- BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Sistema de resgate OTISMATIC - VSS15

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

220 Vac
Tensão do motor
380 Vac

Potência do motor P= Kw

Número de paradas N= paradas

Tipo de operador de porta

Trifásico Corrente contínua

DO2000 6970A
HSDS MRDS
30S DCDS
9550C SELCOM (DC)
A9550CC OVL
9550T OUTRO
9550Y
SELCOM (AC)
OUTRO

Observações

Folha 1/1
SEGURANÇA
Novo ! LIMITADOR PARA ALONGAMENTO DE CABOS DE TRAÇÃO - S17

A Otis desenvolveu o kit Limitador para alongamento de


cabos de tração, que avisa previamente quando os cabos
de aço precisam ser encurtados devido ao alongamento
ocorrido por desgaste natuarl. Além disso, com a instalação
do kit, o elevador é automaticamente desligado - por
motivo de segurança - quando o contrapeso atinge uma
distância mínima pré-determinada por norma NBR, entre
o contrapeso e a mola (ou pistão do pára-choque).

· Proporciona ainda mais segurança aos usuários,


uma vez que o dispositivo limitador não permite
que o contrapeso se choque com a mola, evitando
risco de acidentes;
· O kit é instalado na guia de contrapeso do
elevador;
· Tempo médio de instalação: 2 horas;
· Garantia de 1 ano;

· O kit pode ser instalado em qualquer tipo de


elevador que possua contrapeso;

· É composto por base e fixação, haste acionadora,


mola em aço e microcontato eletromecânico;
MKTS-429 BR

OTIS
Kit
DATA: 02/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.02.37 PÁGINA: 1/9

Limite para Cabos de Tração Alongados

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Limite para Cabos de Tração Alongados (limite
CTA).

3. APLICAÇÃO:

Qualquer tipo de equipamento que possua contrapeso.

4. PROBLEMA:

Inexistência de um kit de instalação que desligue o elevador quando o contrapeso atingir uma
distância mínima pré-determinada (entre o contrapeso e a mola ou pistão do pára-choque).

Este limite CTA indicará quando os cabos de tração deverão ser encurtados.

5. AÇÃO:

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas conforme
as regras de segurança.

Para a instalação do limite CTA siga os seguintes passos:

5.1. Montagem mecânica

5.1.1. Posicionar a cabina no último pavimento e certificar-se de que ela está nivelada

5.1.2. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC - C.00.03
A
D
LA
O
TR

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:


N
O
C
O

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ
Ã

ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST


N

Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97


A
PI
Ó
C
DATA: 02/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.02.37 PÁGINA: 3/9

Limite para Cabos de Tração Alongados

5.1.3. Acessar ao fundo do poço. Lembrar-se de calçar a porta deste pavimento e providenciar
uma boa iluminação

5.1.4. O limite CTA deve ser instalado na lateral da guia do contrapeso e do lado oposto ao da
corrente / cabo de compensação. Caso o contrapeso possua duas correntes / cabos de
compensação, ao instalar o limite, certificar-se de que não irão bater na haste
acionadora do dispositivo

Local a ser
instalado o
LIMITE CTA

5.1.5. O limite CTA vem preparado para ser instalado do lado esquerdo do contrapeso. Caso
se necessite instalá-lo do lado direito, basta inverter as posições do micro, da haste
acionadora e da mola. Esta inversão pode ser feita no próprio local

5.1.6. Deslizar o cabeçote, para que a haste fique o mais próximo possível da guia do
contrapeso, mas que ainda seja possível seu livre acionamento. Posicionar a base de
A

fixação de todo o conjunto para o lado da parede, atrás do contrapeso, assim não
D

haverá possibilidade alguma da cabina bater no dispositivo. Apertar todos os parafusos,


LA

mas não muito; pois a posição final do limite CTA ainda será ajustada para cima ou
O
TR

para baixo
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 02/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.02.37 PÁGINA: 4/9

Limite para Cabos de Tração Alongados

Micro
Haste acionadora
Cabeçote

Mola
Base de
fixação

5.1.7. Dobrar a vareta da haste acionadora para o lado do contrapeso e cortar o excesso com
um alicate. Antes de dobrar a vareta, calcular uma distância suficiente para que esta,
quando o contrapeso encostar na haste, não pegar no coxim da corrediça ou roller-
guide

Coxim da
corrediça ou
roller-guide

Distância
mínima pré-
determinada
A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 02/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.02.37 PÁGINA: 5/9

Limite para Cabos de Tração Alongados

5.1.8. Medir a distância mínima pré-determinada entre o contrapeso e a mola ou pistão de seu
pára-choque da seguinte maneira:

5.1.8.1. Abaixar a haste acionadora até ouvir o “click” do micro do dispositivo

5.1.8.2. Segurar nesta posição e medir a distância da ponta da haste até a mola ou
pistão do pára-choque do contrapeso

Equipamento Distância mínima pré-determinada (mm) *


Gen2 50
Outros equipamentos 150

* Distância entre o contrapeso e a mola ou pistão de seu pára-choque

5.1.8.3. Uma vez constatada esta distância, fixar todos os parafusos de fixação do limite
CTA com firmeza na guia

5.2. Conexões elétricas do Limite de Cabos de Tração Alongados

5.2.1. O micro do limite CTA está ligado num contato NA (normalmente aberto), ou seja,
quando o contrapeso atingir esta distância mínima pré-determinada, o contato elétrico
abrirá e, conseqüentemente, devendo evitar a movimentação do elevador. Este contato
deve ser ligado no circuito principal de segurança da seguinte maneira (itens em ordem
de preferência; ligar naquele que for mais fácil):

• Em série com o limite final de descida, ou


• Em série com o micro da polia tensora do limitador de velocidade (se houver), ou
• Em série com a chave de emergência do fundo do poço (se houver)

5.2.2. Religar o elevador e testar se o limite CTA está funcional da seguinte maneira:

5.2.2.1. Realizar algumas viagens na cabina (do pavimento mais inferior ao último), verificando
o seu funcionamento

5.2.2.2. Posicionar a cabina no último pavimento


A
D
LA

5.2.2.3. Acessar ao fundo do poço e soltar a mola da haste acionadora. Com isto, a haste ficará
O

solta, simulando o acionamento do limite CTA


TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
DATA: 02/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - G.02.37 PÁGINA: 6/9

Limite para Cabos de Tração Alongados

5.2.2.4. Sair do fundo do poço, não esquecendo de voltar o elevador à operação normal e
realizar algumas chamadas de andar, constatando se este não se movimenta

5.2.2.5. Acessar ao fundo do poço novamente e colocar a mola da haste acionadora de volta à
sua posição original

5.2.2.6. Sair do fundo do poço novamente, não esquecendo de voltar o elevador à operação
normal e testar a eficácia do sistema, realizando chamadas de andar

6. MATERIAL

Formulário de Instrução de
Descrição
Especificação Instalação
Limite para Cabos de Tração Alongados BO-O-C17/032 S15

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

20 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 2 horas / kit


A
D
LA
O
TR
N
O
C
O
Ã
N
A
PI
Ó
C
SEGURANÇA
Novo ! LUZ DE EMERGÊNCIA PARA CASA DE MÁQUINAS - S18

Para atender a norma Mercosul de elevadores (NM 207


item 6.3.6 Iluminação e tomadas elétricas), a Otis
desenvolveu o kit luz de emergência para casa de
máquinas.

· Iluminação mantida dentro da casa de máquinas


por 2 horas, em caso de falta de energia;
· O kit acompanha uma bateria que dispensa
manutenção e recarrega automaticamente em 24
horas;
· Tempo médio de instalação: 1h30;
· Garantia de 1 ano;

· 50 / 60Hhz e 110 / 220V.


MKTS-430 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO

Luz de Emergência para Casa de Máquinas - VSS18

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas:

1 - O fornecimento de uma tomada elétrica próxima a Luz de Emergência deve ser por conta do
cliente

2 - Localização do kit:

* Distância do kit até a máquina a iluminar: máximo de 5 m. (livre de obstruções)


* Distância do kit até a tomada elétrica:
* Máximo de 1,50 m. (sem a extensão)
* Máximo de 3 m. (com a extensão fornecida junto com o kit)

3 - Dimensões do kit: 40 cm x 7,5 cm x 8 cm

4 - Autonomia média com as duas lâmpadas ligadas: 2 h. (com tempo mínimo de carregamento da
bateria: 24 h.)

5 - Será fornecido um kit por carro

Dados para especificação do Kit

1 5
Carros na mesma casa 2 6
de máquinas 3 7
4 8

Tensão da luz 110V


220V

Observações:

Folha 1/1
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - B.00.15 PÁGINA: 1/4

Luz de Emergência para Casa de Máquinas

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO
0 Transcrição da ATC - B.00.15 de 16/05/03
1 Revisão das instruções de conexão elétrica (item 5.2.)

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Luz de Emergência para Casa de


Máquinas.

3. APLICAÇÃO:

Qualquer tipo de equipamento.

4. PROBLEMA:

A Luz de Emergência para Casa de Máquinas é um item exigido pela norma Mercosul (NM
207 - item 6.3.6. - Iluminação e tomadas elétricas):

“… Deve-se dispor de luz de emergência independente e automática, com uma autonomia


mínima de 1 h., que assegure uma iluminação mínima de 10 lx sobre a máquina, de modo a
garantir a realização das operações de resgate.”

Inexistência de um kit de instalação que supra esta exigência da Norma.

Notas: 1 - O fornecimento de uma tomada elétrica próxima a Luz de Emergência deve


ser por conta do cliente (ver condições no item 5.1.2.)

2 - Será fornecido um kit por carro

5. AÇÃO:

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

Para a instalação da Luz de Emergência siga os seguintes passos:

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - B.00.15 PÁGINA: 2/4

Luz de Emergência para Casa de Máquinas

5.1. Montagem mecânica

5.1.1. Acessar à casa de máquinas

5.1.2. Posicionar a luz de emergência em um local - seja na parede ou no teto da casa de


máquinas - com as seguinte condições:

• Distância do kit até a máquina a iluminar: máximo de 5 m. (livre de obstruções)


• Distância do kit até a tomada elétrica:
• Máximo de 1,50 m. (sem a extensão)
• Máximo de 3 m. (com a extensão fornecida junto com o kit)

40 cm x 7,5 cm x 8 cm
(Aproximadamente)

5.1.2.1. Utilizar o gabarito fornecido juntamente com a Iluminação de Emergência, a


fim de realizar as furações para fixação do kit. Marcar os pontos indicados
neste gabarito e efetuar as furações com uma broca de 6 mm

5.1.2.2. Colocar nestas furações as buchas de nylon S6 e fixar nestas os parafusos


fornecidos

5.1.2.3. Posicionar a Luz de Emergência nos parafusos fixados e prendê-la através de


seus furos oblongos

Notas: 1 - O fornecimento de uma tomada elétrica próxima a Luz de Emergência


deve ser por conta do cliente

2 - Se necessária a utilização da extensão, instalá-la com a fiação e as


canaletas correspondentes fornecidas junto com o kit
DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - B.00.15 PÁGINA: 3/4

Luz de Emergência para Casa de Máquinas

5.2. Conexões elétricas da Luz de Emergência para Casa de Máquinas

5.2.1. Conectar a Luz de Emergência à tomada fornecida pelo cliente (com ou sem a
utilização da extensão), a fim de que ocorra o carregamento inicial:

5.2.1.1. Deixá-la carregando durante 24 h. com o seletor na posição “OFF”.


Neste ponto, o led deve estar na seguinte condição:

Led (vermelho) CHARGE


Condição aceso

Nota: Quando estiver totalmente carregada, o led deve continuar nesta


condição

5.2.1.2. Após este período de carregamento inicial (24 h.), deixar o seletor na posição
“2TS” (de duas lâmpadas)

5.2.2. Testar o seu funcionamento da seguinte forma:

5.2.2.1. Desligá-la da tomada e verificar se acende

5.2.2.2. Religá-la à tomada e pressionar o botão “TEST” e verificar se acende

5.2.2.3. Em ambos os casos (itens 5.2.2.1. e 5.2.2.2.), checar se há boa iluminação


sobre a máquina, de modo a garantir a realização de uma eventual operação
de resgate

5.2.3. Na falta de energia, o led deve estar na seguinte condição:

Led (vermelho) CHARGE


Condição apagado

Notas: 1 - Autonomia média com as duas lâmpadas ligadas: 2 h.

2 - Tempo mínimo de carregamento da bateria: 24 h.


DATA: 11/07/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - B.00.15 PÁGINA: 4/4

Luz de Emergência para Casa de Máquinas

6. MATERIAL

Formulário de Instrução de
Descrição
Especificação Instalação
Luz de Emergência para Casa de Máquinas BO-O-F7/001 S18

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

15 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 1,5 h. / kit


SEGURANÇA
Novo ! ILUMINAÇÃO PARA PASSADIÇO / POÇO DO ELEVADOR - S19

Para atender a norma Mercosul de elevadores (NM 207


item 5.9 Iluminação da caixa), a Otis desenvolveu o kit de
iluminação para passadiço / poço do elevador.

· Proporciona iluminação no passadiço / poço para


ser acionada durante a realização de manutenção
preventiva ou corretiva dos elevadores;
· A iluminação pode ser ativada através de um
interruptor localizado no fundo do poço ou na casa
de máquinas;
· Tempo médio de instalação: 1hora base e mais 15
minutos por pavimento;
· Garantia de 1 ano;

· O kit é composto por chicote (fiação), interruptores


e luminárias com lâmpadas de 100W instaladas, no
máximo, a cada 7 metros na parede do passadiço.
MKTS-436 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO

Iluminação para passadiço / poço do elevador - S19

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

Notas: 1 - Preencher uma Ordem de Fornecimento por unidade

2 - Todas as informações solicitadas devem ser informadas obrigatoriamente

3 - Para facilitar a especificação deste Otis Kit, está se adotando a seguinte configuração de passadiço:
- Percurso (m) = 3 x (N - 1)
- Última altura (m) = 5
- Profundidade do poço (m) = 1,50
- Frente da caixa (m) = 3
- Lado da caixa (m) = 3
- Distância entre controle e chave geral (m) = 8

Dados para especificação do Kit

N = Número de pavimentos

Tensão da luz 110V


220V

Observações

Folha 1/1
DATA: 30/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - A.00.11 PÁGINA: 1/4

Iluminação para caixa do elevador

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Iluminação para caixa do elevador.

3. APLICAÇÃO:

Qualquer tipo de elevador (exceto sem casa de máquinas).

4. PROBLEMA:

A Iluminação para caixa do elevador é um item exigido pela norma Mercosul (NM 207 -
item 5.9. - Iluminação da caixa):

“A caixa deve ser provida com iluminação elétrica permanente, proporcionando iluminação
mínima de 20 lx durante reparos e manutenção, mesmo quando todas as portas estão
fechadas. …”

Inexistência de um kit de instalação que supra esta exigência da Norma.

5. AÇÃO:

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

Para a instalação da Iluminação para caixa do elevador siga os seguintes passos:

5.1. Montagem mecânica

5.1.1. Com o kit fornecido, acessar ao topo do carro e posicionar a cabina no pavimento
mais inferior

5.1.2. Uma das caixas com interruptores de luz do kit deve ser descida até o fundo do
poço, onde ela será instalada (a que possui conexão direta com as luminárias)
ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 30/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - A.00.11 PÁGINA: 2/4

Iluminação para caixa do elevador

Nota: A outra caixa será instalada na casa de máquinas

5.1.3. Mover o carro para cima, o suficiente para poder acessar ao fundo do poço com
segurança, e sair do topo do carro

5.1.4. Acessar ao fundo do poço. Lembrar-se de calçar a porta deste pavimento e


providenciar uma boa iluminação

5.1.5. Marcar os furos de fixação da caixa com o interruptor na parede da caixa, 0,50 m.
acima do nível do piso mais inferior

Esquema geral
Chave geral

Interruptor de luz
(Casa de máquinas)

Controle

0,50 m.

Chicote do kit
Luminárias com
lâmpadas de 100 W
Passadiço
(Caixa do elevador)
Interruptor de luz
(Fundo do poço)

Poço + 0,50 m.

5.1.6. Fazer os furos com uma broca de 6 mm

5.1.7. Fixar a caixa com o interruptor de luz com as buchas de nylon S6 e parafusos
fornecidos

5.1.8. Sair do fundo do poço e voltar ao topo do carro

5.1.9. Mover o carro para cima, guiando o chicote do kit e fixando as luminárias na parede
da caixa com as buchas de nylon S6 e parafusos fornecidos

Nota: Para prender o chicote na parede da caixa, utilizar as braçadeiras e as buchas


de cor preta fornecidas (furos de 8 mm)
DATA: 30/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - A.00.11 PÁGINA: 3/4

Iluminação para caixa do elevador

5.1.10. Ao chegar ao último pavimento, fixar a última luminária a 0,50 m. do topo da caixa

5.1.11. Passar a outra caixa com interruptor de luz e a ponta que vem da última luminária
instalada no topo da caixa para a casa de máquinas

5.1.12. Mover o carro para baixo até o pavimento mais próximo e sair do topo do carro

5.1.13. Acessar à casa de máquinas

5.1.14. Marcar os furos de fixação da caixa com o interruptor na parede da casa de


máquinas e o mais próximo possível do controle cuja caixa será iluminada

5.1.15. Fazer os furos com uma broca de 6 mm

5.1.16. Fixar a caixa com o interruptor com as buchas de nylon S6 e parafusos fornecidos

5.2. Conexões elétricas

5.2.1. Conectar a ponta que vem do interruptor instalado na casa de máquinas e a que vem
da última luminária instalada no topo da caixa à luz existente (seja no controle ou na
chave geral; escolher aquele que for mais próximo)

5.2.2. Testar a eficácia do sistema, verificando se - ao acionar os interruptores (tanto na


casa de máquinas quanto no fundo do poço) - a caixa do elevador se ilumina

Esta ponta vem do


interruptor de luz instalado
na casa de máquinas

Interruptor de luz
(Casa de máquinas)

Esta ponta vem da última


luminária instalada no topo
da caixa
Chicote do kit

Luminárias com
lâmpadas de 100 W
Interruptor de luz
(Fundo do poço)
DATA: 30/05/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - A.00.11 PÁGINA: 4/4

Iluminação para caixa do elevador

6. MATERIAL

Formulário de Instrução de
Descrição
Especificação Instalação
Iluminação para caixa do elevador BO-O-F3/052 S19

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

20 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Base Por pavimento


1 h. 0,25 h. (15 min.)
SEGURANÇA
Novo ! SENSOR DE CARGA PARA ELEVADORES - S20

Para garantir mais segurança aos usuários, evitando o


excesso de passageiros ou carga no elevador, a Otis
desenvolveu o kit Sensor de carga para Elevadores.
Este kit nos traz como benefício:

· Agilizar o tráfego de passageiros, pois ao atingir


80% da capacidade da cabina, o elevador
automaticamente é direcionado ao andar
solicitado sem parar em andares intermediários
para atender novas chamadas;
· Evitar acidentes, uma vez que atingir 10 % acima
de sua capacidade de carga o elevador não se
movimenta até que a carga em excesso seja
retirada;
· Conservar os equipamentos, pois o sensor evita a
movimentação constante dos elevadores com
excesso de carga;
· Garantia de 1 ano;
· Instalação médio de instalação: 4 horas.

· Pode ser instalado em elevadores que possuam


plataforma sem isolação de ruído (geralmente cargueiros)
e controle com placa LCB1 ou LCB2 (ADV, CVF, LVF).
É importante lembrar que, se uma destas condições não
estiver satisfeita, este kit não poderá ser instalado.
MKTS-437 BR

OTIS
Kit
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 1/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Sensor de carga em elevadores que


possuam plataforma sem isolação de ruído e controles com placa operacional LCBI ou LCBII.

3. APLICAÇÃO:

Elevadores que possuam as seguintes características:

• Plataforma sem isolação de ruído (geralmente elevadores de carga) e


• Controle com placa operacional LCBI ou LCBII

4. PROBLEMA:

O principal objetivo da utilização de um sensor de carga em elevadores é monitorar a carga


presente dentro da cabina - através dos sinais de LNS (Ultrapassagem automática com carro
lotado: 80% da capacidade da cabina) e OLD (Sobrecarga: 110% da capacidade da cabina) -,
de maneira a obter-se maior segurança na utilização do equipamento.

Com isso, deseja-se:

• Evitar acidentes
• Preservar patrimônio
• Agilizar tráfego

Através deste kit, pode-se suprir estes benefícios para os elevadores indicados no item 3.

5. AÇÃO:

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.
ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 2/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
Para a instalação do sensor de carga, siga os seguintes passos:

5.1. Montagem mecânica

Caixa de alimentação do sensor de carga:

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.1.2. Acessar ao topo do carro e posicionar a caixa de alimentação do sensor de carga na


travessa superior, conforme desenho a seguir:

Caixa de
alimentação do
sensor de carga Travessa superior
posterior

Sensor de carga Travessa superior

Frente da
cabina

5.1.3. Marcar os furos de fixação da caixa

5.1.4. Fazer os furos com uma broca de 4 mm

5.1.5. Fixar a caixa com os parafusos, porcas e arruelas M4 (fornecidos no kit) na travessa
superior posterior

Travessa superior
posterior

Caixa de alimentação
do sensor
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 3/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
Sensor de carga:

5.1.6. Posicionar o sensor de carga na travessa superior

5.1.7. Marcar os furos de fixação do sensor

5.1.8. Fazer os furos com uma broca de 5 mm

5.1.9. Utilizar macho para fazer roscas para parafusos M6

5.1.10. Fixar o sensor com os parafusos M6 (fornecidos no kit) na travessa superior

Travessa superior

Sensor de carga

5.2. Conexões do sensor e da sua caixa de alimentação

Conexões na caixa de
alimentação do sensor
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 4/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
5.2.1. O sensor de carga possui um cabeamento que deve ser conectado à sua caixa de
alimentação conforme indicado a seguir:

Caixa de alimentação do sensor


Cabo do sensor
(LOAD CELL)
1 Malha
2 Preto
3 Vermelho
4 Verde
5 Branco
6 -
7 -

5.2.2. A alimentação e os contatos que indicam os valores das cargas devem ser
conectados (com os cabos fornecidos no kit) conforme indicado a seguir:

Caixa de alimentação
Sinal Conectar à
do sensor
1 0V
POWER
2 30 Vcc Alimentação 30 Vcc do POC
3 30 Vcc
Contato 1
4 LNS Entrada da RS5 / RS14 / RSEB (ver nota)
5 30 Vcc Alimentação 30 Vcc do POC
Contato 2
6 OLD Entrada da RS5 / RS14 / RSEB (ver nota)
7
Contato 3 - -
8
9
Contato 4 - -
10

LNS - Ultrapassagem automática com carro lotado (80% da capacidade da cabina)


OLD - Sobrecarga (110% da capacidade da cabina)

Nota: Conectar cada um dos sinais (LNS e OLD) a uma entrada disponível:

• Se houver RS5 / RS14 (POC): diretamente na RS existente no POC


• Se houver RSEB (controle): no bloco K existente no POC

Em ambos os casos, anotar os endereços das entradas a que os sinais


foram conectados, pois serão utilizados posteriormente para
programação da placa operacional (item 5.4.).
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 5/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII

Esquema elétrico

5.3. Ajuste do sensor

Deve-se ajustar o sensor de carga conforme procedimento a seguir:

5.3.1. Quando o sensor estiver alimentado, aguardar 15 minutos antes de proceder a


qualquer ajuste de carga

Nota: Não coloque carga alguma dentro da cabina.

5.3.2. Afrouxar os contatos dos pontos ZERO, GAIN, LEVEL 1 e LEVEL 2 localizados na
caixa de alimentação do sensor

5.3.3. Para ajustar o ponto ZERO (apertando ou afrouxando o contato), fazer a seguinte
medição utilizando um multímetro:

Pontos de Pontos de medição de tensão


Faixa de tensão admissível
ajuste (LOAD CELL)
6 (-)
ZERO 0,50 a 1 Vcc
7 (+)

Notas: Se encontrar valores negativos durante medição:

• Verificar se o multímetro está medindo a tensão dos pontos


corretamente (pontos 6(-) e 7 (+))
• Inverter conexão dos cabos do sensor: verde (4) com branco (5)

5.3.4. Para ajustar o ponto GAIN (apertando ou afrouxando o contato):

5.3.4.1. Posicionar o ímã fornecido no kit sobre a inscrição MAGNET da caixa de


alimentação do sensor de carga
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 6/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
5.3.4.2. Fazer a seguinte medição utilizando um multímetro:

Pontos de Pontos de medição de tensão


Faixa de tensão admissível
ajuste (LOAD CELL)
6 (-)
GAIN 4 a 6 Vcc
7 (+)

Nota: Devido à interação entre as duas medições (itens 5.3.3. e 5.3.4.), é normal
repetir-se os ajustes dos pontos ZERO (tensão entre 0,50 e 1 Vcc) e
GAIN (tensão entre 4 e 6 Vcc) até que sejam obtidos valores dentro
destas faixas simultaneamente.

5.3.4.3. Remover o ímã da caixa de alimentação

5.3.5. Aplicando cargas de 80% e 110% da capacidade da cabina, ajustar os pontos


LEVEL 1 e LEVEL 2 respectivamente (apertando ou afrouxando os contatos) da
seguinte maneira:

Carga
Pontos de ajuste Condição de ajuste
(% da capacidade da cabina)
80% LEVEL 1
Até led correspondente
acender
110% LEVEL 2

Nota: Levar em consideração seu próprio peso durante ajuste.

5.4. Programação da placa operacional

Para concluir a instalação, deve-se programar as RS5 / RS14 / RSEB conforme procedimento
a seguir:

5.4.1. Para controles com placa LCBI:

5.4.1.1. Religar o sistema do elevador e conectar a URM à placa LCBI

5.4.1.2. Para habilitar a programação, abrir a chave S1 da placa LCBI


DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 7/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
5.4.1.3. Pressionar <M><1><3><4> na URM e fazer a programação conforme tabela
a seguir:

I/O SÍMBOLO DESCRIÇÃO RS PINO


Load Non Stop
6 LNS Ver nota
(Ultrapassagem automática com carro lotado)
Overload
5 OLD Ver nota
(Sobrecarga)

Nota: Verificar os endereços anotados das entradas a que os sinais


foram conectados (item 5.2.2.).

5.4.1.4. Fechar a chave S1 da placa LCBI

5.4.2. Para controles com placa LCBII:

5.4.2.1. Religar o sistema do elevador e conectar a URM à placa LCBII

5.4.2.2. Pressionar <M><1><3><2> na URM e fazer a programação conforme tabela


a seguir:

I/O SÍMBOLO DESCRIÇÃO RS PINO


Load Non Stop
6 LNS Ver nota
(Ultrapassagem automática com carro lotado)
Overload
5 OLD Ver nota
(Sobrecarga)

Nota: Verificar os endereços anotados das entradas a que os sinais


foram conectados (item 5.2.2.).
DATA: 20/06/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 0
ATC - D.00.19 PÁGINA: 8/8

Sensor de carga para elevadores com plataforma sem isolação de ruído


e controle com placa LCBI ou LCBII
6. MATERIAL

Formulário de Instrução de
Descrição
Especificação Instalação
Sensor de carga para elevadores com plataforma sem
BO-O-C21/001 S20
isolação de ruído e controle com placa LCBI ou LCBII

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.

7. PRAZO DE ENTREGA

60 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Total: 4 horas / kit


SEGURANÇA
Novo ! CÂMERA DE CIRCUITO FECHADO DE TV
PARA ELEVADORES - S22

Para monitorar as imagens internas da cabina, bem como


o comportamento dos usuários, sejam condôminos,
funcionários ou visitantes, a Otis desenvolveu o kit de
câmeras de circuito fechado de TV para instalação em
elevadores.
Com a instalação deste kit é possível :

· Oferecer maior segurança aos usuários;


· Evitar acidentes;
· Inibir atos de vandalismo, bem como controlar a
preservação do patrimônio;
· Agilizar providências na ocorrência de vandalismo;

· Garantia de 1 ano;
· Tempo médio de instalação: 4 horas;

· O kit é composto por: minicâmera colorida, fonte


de alimentação e cabeamento. Além disso há a
opção de instalação do monitor colorido e
gravador de imagem;

· Pode ser instalado em qualquer tipo de


equipamento;

AVENTAL PROTETOR

O seu elevador fica em forma de novo e você fica ainda


mais seguro.
MKTS-439 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores - VSS22

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos
Notas:
1 - Preencher uma Ordem de Fornecimento por contrato
2 - Somente pode haver reaproveitamento do monitor existente para a câmera do elevador, se
monitor não for da marca Philips
3 - Todas as informações solicitadas devem ser informadas obrigatoriamente
4 - Quando a instalação for realizada na Grande São Paulo, o próprio fornecedor responsabiliza-se
pela instalação. Nos outros casos, a filial Otis deve desenvolver e contratar localmente uma
mão-de-obra técnica especializada neste tipo de instalação.
Mas, em ambos os casos, sempre deve haver um técnico Otis acompanhando o serviço por
motivos de segurança.
5 - Para mais informações, vide ATC D.00.18

Dados para especificação do Kit

1 5
Carros com câmera 2 6
3 7
4 8

Carros possuem espelho ? Sim


Não

Número de pavimentos

Obs. 1

Para facilitar a especificação deste Otis Kit, está se adotando a seguinte configuração de passadiço:

P = Percurso (m) = 3 x (N - 1)+F55


UA = Última altura (m) = 5

Monitor novo para a câmera Não, será reaproveitado o monitor existente (exceto se for marca PHILIPS)
do elevador na portaria Sim, deve ser fornecido um monitor novo (quando ainda não existe ou
quando monitor existente é da marca Philips)

Folha 1/2
ORDEM DE FORNECIMENTO - Câmera de circuito fechado de TV para elevadores - S22

Obs. 2

Não é possível reaproveitar monitor da marca Philips para a câmera do elevador. Neste caso, para instalar a
câmera, deve ser solicitado um monitor novo.

Obs. 3
Não, não há necessidade
Divisor de tela para Sim, tipo Seqüencial (somente quando especificado monitor novo)
monitor novo Sim, tipo Quad (somente quando especificado monitor novo)

O seqüenciador ou o divisor de tela possibilita mostrar as imagens de todos os elevadores com câmera em
apenas um monitor. Eis alguns tipos:

- Seqüencial: mostra a imagem de cada câmera uma de cada vez em seqüência


- Quad: mostra 4 imagens de uma vez, ou seja, divide a tela do monitor em 4
- Para casos em que há de 5 a 8 carros com câmera, há a necessidade de um Duplicador de Quad, que
mostra imagens de 4 em 4 em seqüência

Obs. 4

Distância entre passadiço do elevador até o ponto onde está / estará localizado o
monitor da Portaria (m) =

A distância a ser considerada neste item não é a distância em linha reta, mas, sim, o caminho
(através de eletrodutos / caixas de passagem) pelo qual a fiação e o cabeamento devem percorrer do
passadiço ao ponto de observação.

Gravador novo para o Não, será reaproveitado o gravador existente ou não há necessidade
circuito fechado de TV Sim, deve ser fornecido um gravador novo

Obs. 5

Quando a instalação for realizada na Grande São Paulo, o próprio fornecedor responsabiliza-se pela instalação.
Nos outros casos, a filial Otis deve desenvolver e contratar localmente uma mão de obra técnica especializada
neste tipo de instalação.

Mas, em ambos os casos, sempre deve haver um técnico Otis acompanhando o serviço por motivos de segurança.

Observações

Folha 2/2
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 1/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO
0 Transcrição da ATC - D.00.18 de 06/06/03
1 Correção do código da Instrução de Instalação (item 6): de D36 para S22

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Câmera de circuito fechado de TV para


elevadores.

3. APLICAÇÃO:

Qualquer tipo de elevador.

4. PROBLEMA:

Os principais objetivos da utilização de câmeras em elevadores são:

• Monitorar as imagens internas da cabina


• Monitorar o comportamento dos usuários (condôminos, funcionários, visitantes etc.)

Com isso, deseja-se:

• Obter maior segurança


• Evitar acidentes
• Inibir atos de vandalismo / Preservar patrimônio
• Agilizar providências

Através deste kit, pode-se suprir estas necessidades.

5. AÇÃO:

Nota: Quando a instalação for realizada na Grande São Paulo, o próprio fornecedor
responsabiliza-se pela instalação. Nos outros casos, a filial Otis deve
desenvolver e contratar localmente uma mão de obra técnica especializada neste
tipo de instalação. Mas, em ambos os casos, sempre deve haver um técnico Otis
acompanhando o serviço por motivos de segurança.
ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 2/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

Para a instalação da Câmera de circuito fechado de TV para elevadores siga os seguintes


passos:

5.1. Montagem da câmera

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.1.2. Acessar ao interior da cabina e procurar um ponto que seja o mais alto e que não
dificulte a manutenção / limpeza do elevador. Deve-se buscar sempre um
posicionamento de câmera de onde se obtenha o melhor campo visual
possível. Há duas possibilidades:

5.1.2.1. Nos elevadores com espelho, instalá-la na frente da cabina:

• No canto, sobre o lado do batente da porta deslizante; ou,


• No centro, sobre a entrada da cabina

Nota: Neste caso, utiliza-se câmera com lente com foco direcionado para a
imagem refletida pelo espelho. Dessa forma, visualiza-se todo o interior
da cabina, bem como parte do externo refletido pelo espelho (enquanto a
porta estiver totalmente aberta).

5.1.2.2. Nos elevadores sem espelho, instalá-la no fundo da cabina:

• No canto; ou,
• No centro do painel do fundo

Nota: Neste caso, utiliza-se câmera com lente com foco direcionado,
preferencialmente, para o sentido diagonal ou frontal do elevador, de
maneira que a primeira imagem vista seja a do rosto do usuário.
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 3/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

5.1.3. Uma vez escolhida a melhor posição para a câmera, fazer 4 furos - com uma broca
de 6 mm - lateralmente à cabina a fim de fixar sua base (serão utilizados parafusos
de rosca soberba)

Furos para
fixação da base Base da
com parafusos de câmera
rosca soberba

Nota: Não realizar os furos no teto da cabina.

5.1.4. Fixar firmemente a base da câmera com as buchas de nylon S6 e parafusos de rosca
soberba fornecidos junto com o kit

Câmera
Foco da
câmera

Base da
câmera
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 4/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

5.1.5. A câmera é instalada no elevador dentro de um DOME acrílico, que a protegerá


contra depredação, pó e umidade, aumentando a vida útil do equipamento. Este
DOME é acoplado à base da câmera por um sistema de encaixe com travas

Dome acrílico

4"

5.2. Montagem da fonte de alimentação da câmera

5.2.1. Acessar ao topo do carro e posicionar a fonte de alimentação sobre a cabina, em um


lugar próximo a câmera e que esteja dentro dos padrões de segurança. Utiliza-se
uma fonte individual de 12 Vdc que é alimentada com a tensão de luz do edifício
(110 ou 220 Vac)

40 mm
FONTE DE
ALIMENTAÇÃO
12 Vdc

45 mm

70 mm

5.2.2. Fixá-la com braçadeiras

5.2.3. Conectá-la à tensão de luz existente

Nota: Antes de ligar, verifique se a tensão de trabalho da fonte corresponde à


tensão da luz do edifício (110 ou 220 Vac). Caso contrário, ajuste a chave
de seleção para a tensão correspondente.
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 5/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

5.3. Montagem dos cabos de alimentação e coaxial à câmera

5.3.1. Fazer um furo no teto da cabina com broca de 8 mm para a passagem dos cabos de
alimentação (fonte → câmera) e do coaxial (câmera → monitor) e colocar um ilhós
para proteger os cabos do furo com canto vivo

5.3.2. Passá-los pelo furo e conectá-los à câmera. Neste ponto, os cabos de alimentação
da câmera já estão todos conectados. Agora, deve-se realizar o restante da
montagem do cabo coaxial (câmera → monitor)

5.3.3. Religar o carro e movê-lo para cima e / ou para baixo, de tal forma que se possa
realizar os procedimentos dos itens 5.3.4. ao 5.3.6. com segurança

Nota: Ao acessar ao fundo do poço, lembrar-se de calçar a porta do pavimento


e providenciar uma boa iluminação.

5.3.4. Uma vez que uma ponta do cabo coaxial está conectada à câmera, a outra ponta
deve ser posicionada e fixada no teto da cabina (dentro dos padrões de segurança)
até encontrar o cabo de manobra. Em seguida, desce pela lateral externa da cabina,
sempre acompanhando o cabo de manobra, até atingir - na sua parte inferior - seu
ponto de fixação na cabina

5.3.5. A partir desta fixação, o cabo coaxial deve ser fixado no lado mais externo do cabo
de manobra - a cada 0,50 m - com adesivos de baixa resistência mecânica à tração,
até encontrar o ponto de fixação do cabo de manobra na parede do passadiço

5.3.6. A partir deste ponto, deve-se descer o cabo pela parede do passadiço, passando e
fixando-o através de eletrodutos instalados especialmente para esta finalidade ou
aproveitando alguma calha já existente (desde que adequada ao uso), até o andar
onde está / estará instalada o monitor (geralmente na portaria)

5.3.7. Passar o cabo para fora do passadiço e levá-lo por tubulações - sempre da maneira
mais discreta possível, de preferência embutida - até o monitor

Notas: Dos itens 5.3.1. ao 5.3.7., o cabo:

1 - Deve estar imune a qualquer tipo de esforço mecânico de tração,


torção ou cisalhamento, mas jamais pode oferecer obstáculo ou
resistência ao movimento dos cabos de manobra, os quais têm toda
a preferência de funcionamento, por questão de lógica e segurança

2 - Não deve sofrer exposição ao sol, nem entrar em contato com a


umidade

5.3.8. Testar a eficácia do sistema


DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 6/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

5.4. Considerações importantes

Para que se tenha noções sobre obtenção de melhores resultados de imagens, apresenta-se
diversas considerações / situações para instalação de câmeras em elevadores:

5.4.1. Câmeras de sistemas “fechados”: alguns equipamentos de circuito fechado de TV já


instalados - como por exemplo: Philips Observation, Exxus, MTC - utilizam-se do
monitor de vídeo para alimentação das câmeras e de plugs de conexão especiais,
não permitindo a aplicação de câmeras de sistemas “abertos” (como este kit, que
utiliza conectores BNC ou F). Além disso, também utilizam cabos de pares e
filamento rígido que, devido ao balanço do cabo de manobra, podem ter os
filamentos rompidos em muito pouco tempo, gerando - com isso - manutenção
constante.

As câmeras que utilizam cabos coaxiais (como este kit), além de proporcionarem
imagens perfeita sem interferências, podem ser agregadas a quaisquer sistemas já
existentes que utilizam cabos coaxiais

5.4.2. Seqüenciadores / Divisores / Multiplexadores: a visualização das imagens de várias


câmeras pode ser efetuada em monitores de vídeo (diversos tamanhos e formas),
em conjunto com equipamento que alterne ou divida sua tela, de modo a aparecer
todas as imagens do sistema em uma tela só

5.4.2.1. Seletores seqüenciais (para 4 ou até 8 câmeras): apresentam as imagens na


tela do monitor uma a uma. O ponto negativo desse equipamento é que,
enquanto está mostrando a imagem de uma câmera, oculta a das demais

Tensão
110 / 220 Vac Tensão
Cabos Cabos Cabos 110 / 220 Vac
Fonte de aliment. coaxiais Seletor coaxiais
Tensão
12 Vdc Câmeras Monitor
110 / 220 Vac Seqüencial

5.4.2.2. Divisores (para 4 câmeras): conhecidos como QUAD SPLITER, recebem


simultaneamente a imagem de até 4 câmeras em tempo real numa mesma
tela de monitor, permitindo - portanto - visualização simultânea de quatro
elevadores

Tensão
110 / 220 Vac Tensão
Cabos Cabos Cabos 110 / 220 Vac
Fonte de aliment. coaxiais Divisor Quad coaxiais
Tensão
12 Vdc Câmeras Monitor
110 / 220 Vac Spliter
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 7/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

É possível ainda, com este equipamento, visualizar-se de 5 a 8 imagens, mas


- para isso - há a necessidade da instalação de um equipamento extra, o
Duplicador de Quad, que mostra imagens de 4 em 4 em seqüência

Tensão Tensão Tensão


110 / 220 Vac 110 / 220 Vac Tensão
110 / 220 Vac
Cabos 110 / 220 Vac
Cabos Cabos Cabos
Fonte de aliment. coaxiais Duplicador de coaxiais Divisor Quad coaxiais
12 Vdc Câmeras Monitor
Quad Spliter

5.4.2.3. Multidivisores / Multiplexadores: equipamentos que admitem até 16 imagens


de câmera numa mesma tela de monitor (20" ou 29"), permitindo que sejam
gravadas simultaneamente e as apresente individualmente (tela cheia) na
reprodução de uma fita gravada.

Os sistemas mais modernos são constituídos de Multiplexadores ou sistema


DIGITALIZADOS que recebem até 16 imagens de câmera, portanto - se
houver espaço nestes equipamentos - basta conectar o cabo vindo do
passadiço do elevador para poder visualizar as imagens de cada uma
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 8/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

6. MATERIAL

Constante
Qtde. Material novo fornecido Condição
/ Opcional
Minicâmera colorida com lente
1
fixa
1 Fonte de alimentação
1 Dome em acrílico fumê
Cabeamento coaxial e fixações no
Variável
interior do passadiço Constante Constante
Cabeamento de alimentação e
Variável
fixações para a câmera
Cabeamento e tubulação do
Variável passadiço até o ponto de
observação
Se não existir Monitor
ou
1 Monitor colorido
Se Monitor existente for marca
Philips
Mais que um carro com câmera
e
1 Seqüencial 4 x 2 Se solicitado Monitor novo
e
Se solicitado Seqüenciador
Mais que um carro com câmera
Opcional
e
1 Divisor de tela do tipo Quad Color Se solicitado Monitor novo
e
Se solicitado Divisor Quad
De 5 a 8 carros com câmera
e
1 Duplicador de Quad Se solicitado Monitor novo
e
Se solicitado Divisor Quad
1 Gravador Time Lapse 960 horas Se solicitado Gravador

Formulário de Instrução de
Descrição
Especificação Instalação
Câmera de circuito fechado de TV para elevadores BO-O-CC3/003 S22

Obs.: A bula “Instrução de Instalação” acompanha o material do kit.


DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 1
ATC - D.00.18 PÁGINA: 9/9

Câmera de circuito fechado de TV para elevadores

7. PRAZO DE ENTREGA

30 dias (a partir do pedido colocado no fornecedor).

8. HORAS DE INSTALAÇÃO - SERVIÇOS

Na Grande São Paulo, o próprio fornecedor responsabiliza-se pela instalação do kit.

Nos outros casos, a filial Otis deve desenvolver e contratar localmente uma mão de obra
técnica especializada neste tipo de instalação.

Mas, em ambos os casos, sempre deve haver um técnico Otis acompanhando o serviço por
motivos de segurança.

Total: 4 h. / kit
SEGURANÇA
Novo ! SINTETIZADOR DE VOZ - S23

A Otis desenvolveu o kit sintetizador de voz que oferece


aos usuários ainda mais conforto, pois fornece informações
sobre a operação do elevador através de mensagem de
voz. Alguns exemplos: elevador subindo; elevador
descendo; 6° andar; térreo; etc.

· O sintetizador somente poderá ser instalado em


elevadores que possuam controles com placa
operacional LCB2 (ADV-DP / CVF / LVF) ou RCB2
(E311V / E335M / E411M);

· Tempo médio de instalação: 4horas;

· Garantia de 1 ano;

· O kit é composto por um sintetizador de voz


instalado no topo da cabina; um auto-falante
instalado na parte interna da cabina; cabos e
conecções;

· As mensagens variam de acordo com o número de


paradas de cada equipamento;
MKTS-422 BR

OTIS
Kit
ORDEM DE FORNECIMENTO
Sintetizador de voz - Para controles com placa LCBII - VSS23

Contrato: Unidade(s): CSO/CR:

Edifício:

Data: _____/_____/_________/ Chefe de serviços/Técnico:

NOTA:
PREENCHER UMA ORDEM DE FORNECIMENTO POR CONTRATO
TODAS AS INFORMAÇÕES SOLICITADAS DEVEM SER ENVIADAS OBRIGATORIAMENTE

Dados técnicos

110V
Tensão da luz
220V

Português
Idioma das mensagens
Espanhol

LCBII
Controle com placa
RCBII

Notas: Tipos de controle com LCBII: Tipos de controle com RCBII:

ADV-DP (c/ LCBII) MVF


CVF E311VF
LVF E335M
E411M

Marcação dos pavimentos

*** VER PÁGINAS SEGUINTES ***

Observações:

Folha 1/3
ORDEM DE FORNECIMENTO - Sintetizados de voz - VSD22

Marque com um 'X' na colima 1 as mensagens que deveram ser programadas para esta unidade:

1 Opções Mensagens - Português Mensagens - Espanhol


4SUB QUARTO SUBSOLO SUBSUELO CUATRO
3SUB TERCEIRO SUBSOLO SUBSUELO TRES
2SUB SEGUNDO SUBSOLO SUBSUELO DOS
1SUB PRIMEIRO SUBSOLO SUBSUELO UNO
1° PRIMEIRO ANDAR PISO UNO
2° SEGUNDO ANDAR PISO DOS
3° TERCEIRO ANDAR PISO TRES
4° QUARTO ANDAR PISO CUATRO
5° QUINTO ANDAR PISO CINCO
6° SEXTO ANDAR PISO SEIS
7° SÉTIMO ANDAR PISO SIETE
8° OITAVO ANDAR PISO OCHO
9° NONO ANDAR PISO NUEVE
10° DÉCIMO ANDAR PISO DIEZ
11° DÉCIMO PRIMEIRO ANDAR PISO ONCE
12° DÉCIMO SEGUNDO ANDAR PISO DOCE
13° DÉCIMO TERCEIRO ANDAR PISO TRECE
14° DÉCIMO QUARTO ANDAR PISO CATORCE
15° DÉCIMO QUINTO ANDAR PISO QUINCE
16° DÉCIMO SEXTO ANDAR PISO DIECISEIS
17° DÉCIMO SÉTIMO ANDAR PISO DIECISIETE
18° DÉCIMO OITAVO ANDAR PISO DIECIOCHO
19° DÉCIMO NONO ANDAR PISO DIECINUEVE
20° VIGÉSIMO ANDAR PISO VEINTE
21° VIGÉSIMO PRIMEIRO ANDAR PISO VEINTIUNO
22° VIGÉSIMO SEGUNDO ANDAR PISO VEINTIDÓS
23° VIGÉSIMO TERCEIRO ANDAR PISO VEINTITRÉS
24° VIGÉSIMO QUARTO ANDAR PISO VEINTICUATRO
25° VIGÉSIMO QUINTO ANDAR PISO VEINTICINCO
26° VIGÉSIMO SEXTO ANDAR PISO VEINTISÉIS
27° VIGÉSIMO SÉTIMO ANDAR PISO VEINTISIETE
28° VIGÉSIMO OITAVO ANDAR PISO VEINTIOCHO
29° VIGÉSIMO NONO ANDAR PISO VEINTINUEVE
30° TRIGÉSIMO ANDAR PISO TREINTA
31° TRIGÉSIMO PRIMEIRO ANDAR PISO TREINTA Y UNO
32° TRIGÉSIMO SEGUNDO ANDAR PISO TREINTA Y DOS
1 ZERO CERO
2 UM UNO
3 DOIS DOS
4 TRÊS TRES
5 QUATRO CUATRO
6 CINCO CINCO
7 SEIS SEIS
8 SETE SIETE
9 OITO OCHO
10 NOVE NUEVE
11 COBERTURA PENTHOUSE
12 GARAGEM GARAJE
13 HALL HALL

Folha 2/3
ORDEM DE FORNECIMENTO - Sintetizados de voz - VSD22

Marque com um 'X' na colima 1 as mensagens que deveram ser programadas para esta unidade:

1 Opções Mensagens - Português Mensagens - Espanhol


14 LOBBY LOBBY
15 LIVING LIVING
16 MEZANINO ------
17 PORTARIA ------
18 SALÃO DE FESTAS SALÓN DE BAILE
19 SOBRELOJA ENTREPISO
20 ELEVADOR LIVRE CABINA DISPONIBLE
21 ELEVADOR SUBINDO CABINA DISPONIBLE PARA SUBIR
22 ELEVADOR DESCENDO CABINA DISPONIBLE PARA BAJAR
23 PORTA ABRINDO PUERTA ABRIENDO
24 PORTA FECHANDO PUERTA CERRANDO
POR FAVOR DESOBSTRUA A POR FAVOR DEJEN LIBRES LAS
25
PASSAGEM PUERTAS
ELEVADOR COM EXCESSO DE EL ASCENSOR NO PARTE DEBIDO
26
PASSAGEIROS A LA SOBRECARGA
27 PRINCIPAL ------
ESTE ELEVADOR ESTÁ EL ASCENSOR ESTÁ
MOMENTANEAMENTE FORA DE MOMENTANEAMENTE FUERA DE
28
SERVIÇO, LAMENTAMOS O SERVICIO, LAMENTAMOS EL
INCONVENIENTE INCONVENIENTE
PIL PILOTIS ------
TERR TÉRREO PLANTA BAJA

Outras mensagens especiais para gravar

Observações:

Folha 3/3
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 2
ATC - D.00.14 PÁGINA: 1/9

Sintetizador de Voz para controle com placa LCBII ou RCBII

1. HISTÓRICO DAS REVISÕES DO PROCEDIMENTO

REVISÃO DESCRIÇÃO
0 Preliminar
1 Adaptação da ATC ao novo OtisKit - D22
2 Correção do código da Instrução de Instalação (item 6): de D22 para S23

2. OBJETIVO:

Descrever o procedimento de instalação do kit de Sintetizador de Voz em controles que


utilizam placa operacional LCBII ou RCBII.

3. APLICAÇÃO:

Controles com placa operacional LCBII (ADV-DP c/ LCBII, CVF e LVF) ou RCBII (MVF,
E311VF, E335M e E411M).

4. PROBLEMA:

Inexistência de um kit de instalação do Sintetizador de Voz nos tipos de controle


microprocessado descritos acima.

5. AÇÃO:

Todas as operações descritas neste manual devem obrigatoriamente ser executadas


conforme as regras de segurança.

Para a instalação do Sintetizador de Voz siga os seguintes passos:

5.1. Montagem mecânica

5.1.1. Acessar à casa de máquinas e proceder ao bloqueio elétrico, conforme ATC -


C.00.03

5.1.2. Acessar ao topo do carro e posicionar a caixa do Sintetizador de Voz na travessa


superior, conforme desenho a seguir:

ELABORADO POR: APROVADO POR: HOMOLOGADO POR:

COORDENADOR GERENTE DE ENGENHARIA DIRETOR DE OPERAÇÕES


DANIEL DENTE LUZ ANTONIO DORIVAL THOMAZINI GASTÓN FUREST
Form. ATC2.DOC Rev. 0: 07 jan 97
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 2
ATC - D.00.14 PÁGINA: 2/9

Sintetizador de Voz para controle com placa LCBII ou RCBII

Sintetizador de Voz
Travessa superior
posterior

Frente da
cabina

5.1.3. Marcar os furos de fixação da caixa

5.1.4. Fazer os furos com uma broca de 7 mm

5.1.5. Fixar a caixa com os parafusos, porcas e arruelas M6 (fornecidos no kit) na travessa
superior posterior

5.2. Conexões do Sintetizador

5.2.1. A caixa do Sintetizador de Voz BAA25500F1 possui dois conectores conforme


indicado a seguir:

5.2.1.1. Conector de três pinos (alimentação):

• Ponto 1: 110 / 220 Vac (Luz (+))


• Ponto 2: Vazio
• Ponto 3: HL1 (Luz (-))

O cabo de alimentação BAA174GT1 deve ser conectado à Luz (+) e Luz (-)
na caixa de junção.
DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 2
ATC - D.00.14 PÁGINA: 3/9

Sintetizador de Voz para controle com placa LCBII ou RCBII

Nota: Antes de ligar, verifique se a tensão de trabalho do Sintetizador


corresponde à tensão da luz do edifício (110 ou 220 Vac). Caso
contrário, ajuste a chave de seleção para a tensão
correspondente.

5.2.1.2. Conector de seis pinos (sinais):

• Ponto 1: SP+ (Alto-falante (+))


• Ponto 2: SP- (Alto-falante (-))
• Ponto 3 (Vermelho): 30 Vdc (Alimentação Serial)
• Ponto 4 (Branco): RTN (Alimentação Serial)
• Ponto 5 (Preto): DL2 (Linha Serial)
• Ponto 6 (Verde): DL1 (Linha Serial)

Nota: Atentar-se à coloração dos cabos e / ou à numeração dos bornes


a que os cabos estão conectados, pois fiação com alimentação
invertida pode queimar as RS14 do Sintetizador.

Para a conexão da linha serial (cabo de 4 vias do conjunto de cabos


BAA174GT2), utilize os conectores BAA303AG1 (um para cada linha),
conectando-os internamente à linha serial do POC.

O cabo do alto-falante (cabo de 2 vias do conjunto de cabos BAA174GT2)


deve ser conectado diretamente ao alto-falante fornecido.

Após a fixação dos cabos, amarre a fiação com as braçadeiras fornecidas.

5.3. Montagem do Alto-falante

Existem duas formas de fixação do alto-falante, conforme descrito a seguir:

5.3.1. POC preparado para Sintetizador:

Condições:

5.3.1.1. Existir o espaço para instalação do alto-falante com estojos instalados na


placa face do POC e

5.3.1.2. Ter disponível furos para saída do som

Caso estejam satisfeitas as duas condições acima simultaneamente, deve-se:

5.3.1.3. Retirar o alto-falante BAA25500J1 da caixa fornecida e fixá-lo no POC


DATA: 06/08/03
ARTIGO TÉCNICO DE CAMPO REVISÃO: 2
ATC - D.00.14 PÁGINA: 4/9

Sintetizador de Voz para controle com placa LCBII ou RCBII

5.3.1.4. Passar o cabo para ligação do alto-falante (cabo de 2 vias do conjunto de


cabos BAA174GT2) juntamente com o cabo da linha serial (cabo de 4 vias
do conjunto de cabos BAA174GT2)

5.3.2. POC não preparado para Sintetizador:

Condições:

5.3.2.1. Itens 5.3.1.1. e 5.3.1.2. não satisfeitos

Neste caso, deve-se:

5.3.2.2. Fazer um furo no teto da cabina com broca de 8 mm para a passagem do


cabo do alto-falante (cabo de 2 vias do conjunto