Você está na página 1de 3

Ministério da Educação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná


Câmpus Pato Branco
Curso técnico em Agrimensura

Aluno: Pablo Gabriel Sustisso


Turma: 231GB

Tipos de Estado e suas características

Bom, primeiramente o que é um Estado? É uma organização a qual possui um


determinado poder sobre um povo, que surgiu na Europa com o fim de substituir o
feudalismo a partir do século XIV. Esta organização de poder trouxe com ela uma
configuração econômica exercida em uma determinada região, e temos vários tipos de
estados os quais possuem características diferentes uns dos outros, eles são: o
Estado absolutista, liberal, socialista, nazista e fascista, de bem-estar social e o
neoliberal.

Começaremos então pelo Estado absolutista que teve seu surgimento no


século XIV sendo predominante na Europa entre os séculos XVI e XVII. Foi a primeira
manifestação do Estado Moderno, tendo como características o poder real, isto é, o
poder concentrado nas mãos de um rei que controla o Estado, as práticas econômicas
e judiciárias e pela sua unidade territorial do exército. Seu principal pensador foi o
inglês matemático e filósofo Thomas Hobbes.
Inspirado nos ideais “Libertè, Egalitè, Fraternitè” da Revolução Francesa, o
Estado Liberal surgiu (entre os séculos XVII e XVIII) para combater o Estado
absolutista, tendo assim sua concentração de poder nas mãos do povo, o qual exerce
por meio de representantes (que no final o capital acabou se concentrando nas mãos
de poucos). Seus principais pensadores foram John Locke, que representava a
centralidade da liberdade humana, Monstesquieu que fez a divisão dos poderes do
Estado e Adam Smith tendo a sua influência como liberalista econômico. As
características do Estado liberal se davam pela iniciativa privada sem a intervenção
estatal (“O crescimento econômico de uma nação resulta da atuação dos indivíduos
movidos por interesses próprios”), e então as atividades econômicas se
autorregulariam por meio da oferta e demanda do mercado, temos também a
separação entre as esferas pública e privada e a crítica da burguesia à interferência do
Estado. No entanto, a palavra “liberal” realmente possibilitava liberdades?
O próximo Estado é o socialista, que surge na França no contexto do
Iluminismo, sendo uma reação ao Estado liberal, questionando a divisão em duas
classes centrais como sendo a burguesia e o proletariado, afirma que a promessa de
liberdade e da riqueza por meio da iniciativa privada não foi cumprida pelo Estado
liberal tendo em questão as classes operárias, que viviam nas condições de
assalariado. O primeiro Estado socialista foi implementado no começo da Revolução
Russa em 1917, já que a Rússia passava por sérios problemas sociais por conta da
industrialização recente do país. Seus principais pensadores foram Karl Marx e
Friedrich Engels, tendo como ideais a superação do capitalismo, fim da propriedade
privada, a socialização dos meios de produção e o comunismo. As características
principais do socialismo são: uma economia planificada, isto é, regulada pelo partido,
projeto de participação política da classe trabalhadora, forte burocracia estatal e, como
consequência, o atraso tecnológico na indústria e no campo em relação as sociedades
capitalistas.
Os Estados nazista (Alemanha) e fascista (Itália, liderado por Benito
Mussolini, liderado por Anton Drexler) surgiram logo após a primeira Guerra
Mundial, tendo como seus principais objetivos a busca por novos territórios com
matéria-prima, reconstruir a economia nacional (como estamos falando em um
contexto Pós-Primeira Guerra isso se encaixaria em uma estratégia adotada pela
Alemanha) e afastar o país do socialismo. Com isso, o Estado nazifascista adotava
uma política Totalitária, isto é, o Estado pairava sobre as demais organizações da
sociedade (pública e privada), desde a economia até a moral. Um sistema político
totalmente antiliberal, antisocialista e anticomunista, qualquer um que vinha se opor
contra o Estado tomava punição direta sem nenhum direito civil. O Estado nazista
possui algumas características próprias que o fascismo não segue, bem como o
xenofobismo e o racismo e seu contexto histórico, onde os nazistas perseguiram e
mataram milhões de judeus, ciganos, comunistas e qualquer outro tipo de nação que
não servisse ao Estado nazista.
Os Estados de bem-estar social e Neoliberalista são evoluções do Estado
liberal, onde o de bem-estar social se opusera ao liberalismo proclamando mais
intervenção do estado nas propriedades privadas, a regularização das relações
comerciais e de trabalho tendo o Estado como provedor de direitos sociais, acordos
seguindo a legislação trabalhista, salário mínimo e jornada máxima de trabalho
legalmente garantidos e mais burocracia e encargos trabalhistas. Já no Estado
neoliberalista promovem o enfraquecimento do Estado e a diminuição da participação
estatal na economia, defendendo assim a mínima cobrança de impostos e a
privatização dos serviços públicos.

Referências
PORFÍRIO, Francisco. “Neoliberalismo”; Mundo Educação. Disponível
em:<https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/neoliberalismo-1.htm>. Acesso em 4
de Setembro de 2020.

PENA, Rodolfo F. Alves. “O que é Neoliberalismo?”; Brasil Escola. Disponível em: <
https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/geografia/o-que-e-neoliberalismo.htm>. Acesso
em 4 de Setembro de 2020.

NAGAMINE, Lucas Civile. “Diferença entre Estado de bem-estar social e Estado


liberal”; Politize. Disponível em: <https://www.politize.com.br/estado-de-bem-estar-
social-e-estado-liberal-diferenca/>. Acesso em 4 de Setembro de 2020.

LIMA, Ana Paula. “O Estado: as suas formas e características ao longo da história”;


Polícia Militar de Minas Gerais. Disponível em:
<https://www.policiamilitar.mg.gov.br/conteudoportal/uploadFCK/ctpmbarbacena/04072
016121211140.pdf>. Acesso em 4 de Setembro de 2020.

Você também pode gostar