Você está na página 1de 4

UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DE FEIRA DE SANTANA

ÁYLA MATOS DE SOUSA

MÁRCIA DE JESUS DOS SANTOS MIRANDA

MATHEUS MOTA MOREIRA

NAMARA CARAMELLO

PÉRENQUIS SILVA MARQUES

CASO CLÍNICO

RINITE ALÉRGICA

FEIRA DE SANTANA

2021
O Sr W.A.A., um vendedor de loja de tecidos aposentado de 65 anos, procurou
a farmácia com os sintomas de rinite alérgica: prurido no nariz, olhos ou boca,
sibilos, rinorreia e obstrução nasal e sinusal. Adquiriu um xarope de loratadina +
sulfato de pseudoefedrinamg/mL + 12 mg/mL, por indicação de um vizinho.

Ao ingerir a primeira dose do xarope, sentiu considerável melhora nos sintomas


respiratórios, entretanto iniciou um quadro de arritmia cardíaca e precisou ser
levado ao serviço de urgência com uma crise hipertensiva (PA 18/15 mm/Hg).

PERGUNTA-SE

Qual a razão desta crise hipertensiva? Explique.

O uso adequado do medicamento é de 5 mL a cada 12 horas, o paciente fez uso


de uma superdosagem que logo acarretou o aumento dos efeitos colaterais,
como as arritmias e a hipercinesia, o paciente, por já ser um idoso, a adesão
terapêutica é baixa, além da fisiologia corporal é diminuída e aumenta o risco
das reações adversas.
Quais seriam os medicamentos mais indicados para o tratamento deste
paciente?

Os medicamentos de primeira escolha são os anti-histamínicos h1, pois tem


como ação farmacológica a broncodilatação, diminuição da permeabilidade
vascular (edema), diminuição da produção de secreção, diminuição da dor e
purido. Sendo eles difenidramina, dexclorfeniramina, clorfeniramina. Outros
medicamentos que pode ser usado nesse caso são as soluções salinas em gotas
ou em spray, que são seguras, podem ser usadas várias vezes ao dia, e podem
ser compradas sem a apresentação de receita médica. Estas soluções auxiliam
a higiene nasal, ajudando a eliminar as substâncias irritantes e os alérgenos.
Além disso, também contribuem para a redução da secreção nasal. O mais
usado de inicio seria o cloreto de sódio em spray, podendo ser adicionado se
necessário essas outras substancias como a Fenilefrina, Nafazolina,
Tetrahidrozolina, Oximetazolina, Xilometazolina que tem ação
descongestionantes.
(PREFEITURA DE BELO HORIZONTE, 2012)

Quais as orientações não farmacológicas poderiam ser dadas a este


idoso?

O tratamento não farmacológico deve começar com um controle do ambiente


onde a pessoa se encontra. Dependendo do ambiente e das condições
financeiras as pessoas ficam expostas a poluente ambientas e agentes
desencadeadores, que podemos citar: ácaros, fungos, baratas, alérgenos
ocupacionais. Evitar exposição ao fumo e a poluentes ambientas, como queima
de materiais velhos, o que causa uma fumaça que é totalmente influenciável. O
quarto da pessoa deve ser ensolarado e ventilado, evitar matérias pena e da
preferência a a espuma, látex e fibra. A utilização de capas impermeáveis contra
acarás é importante. Evitar tapetes, carpetes, cortinas e almofadões. Dar
preferência a pisos laváveis (cerâmica, vinil e madeira) e cortinas do tipo persianas
ou de material que possa ser limpo com pano úmido, Evitar bichos de pelúcia,
estantes de livros, revistas, caixas de papelão ou qualquer outra local onde possam
ser formadas colônias de ácaros no quarto de dormir. Combater o mofo e a umidade,
principalmente no quarto de dormir. Evitar o uso de vassouras, espanadores e
aspiradores de pó comuns. Evitar animais de pelo e pena, especialmente no quarto.
Evitar inseticidas e produtos de limpeza com forte odor. Dar preferência à vida ao ar
livre. Esportes podem e devem ser praticados, evitando-se dias com alta exposição
aos polens ou poluentes em determinadas áreas geográficas. E a utilização de óleos
essenciais como um terapia auxiliar no tratamento.

Você também pode gostar