Você está na página 1de 28

MANUAL DE INSTALAÇÃO

V.2 R.1
Índice
1. Conheça O Sistema ................................................................................4
1.1. Composição.........................................................................................5
1.2. Versões Contempladas .......................................................................6
1.3. Normas Técnicas .................................................................................6
1.4. Usos Possíveis .....................................................................................9
1.5. Cisternas (Definições E Aplicações).................................................. 10
1.6. Infraestrutura Da Instalação ............................................................ 10
1.6.1. Infraestrutura Hidráulica .............................................................. 10
1.6.2. Infraestrutura Elétrica ................................................................... 11
1.6.3. Infraestrutura Civil ........................................................................ 11
2. Instalação Do Tanque .......................................................................... 12
2.1. Versão Aérea .................................................................................... 12
2.2. Versão Enterrada ............................................................................. 13
2.2.1. Verificação Do Solo E Presença De Lençol Freático ...................... 13
2.2.2. Escavação Da Vala ......................................................................... 13
2.2.2.1. Cava Seca ................................................................................... 13
2.2.2.2. Cava Úmida ................................................................................ 17
2.2.3. Ancoragem .................................................................................... 22
2.2.3.1. Vigas De Ancoragem .................................................................. 22
2.2.3.2. Fita E Catraca De Ancoragem..................................................... 23
2.2.3.3. Conexão Elétrca ......................................................................... 23
2.2.3.4. Conexão Hidráulica .................................................................... 24
2.3. Garantia ........................................................................................... 27
2.3.1. Coberturas Da Garantia ................................................................ 27
2.3.2. Curvas Da Bomba Syllent Ip68 ...................................................... 27
2.3.3. Cartão De Garantia ....................................................................... 28
Desenhos Ilustrativos
FIGURA 1 - CROQUI ILUSTRATIVO DO SISTEMA ........................................................................................... 4
FIGURA 2 - PLACA DE ALERTA PARA TORNEIRAS NÃO POTÁVEIS ................................................................ 9
FIGURA 3 - CONFIGURAÇÕES DA LAJE RADIER ........................................................................................... 12
FIGURA 4 - CROQUI DE ESCAVAÇÃO - CAVA SECA - CISTERNAS 2⌀ ............................................................ 14
FIGURA 5 - CROQUI DE ESCAVAÇÃO - CAVA SECA - CISTERNAS 2,5⌀ ......................................................... 15
FIGURA 6 - CROQUI DE ESCAVAÇÃO - CAVA ÚMIDA - CISTERNAS 2⌀ ........................................................ 18
FIGURA 7 - CROQUI DE ESCAVAÇÃO - CAVA ÚMIDA - CISTERNAS 2,5⌀ ..................................................... 19
FIGURA 8 - CROQUI ILUSTRATIVO - VIGA DE ANCORAGEM ....................................................................... 22
FIGURA 9 - CROQUI ILUSTRATIVO - SISTEMA DE ANCORAGEM ................................................................. 23
FIGURA 10 - CABOS PARA CONEXÃO ELÉTRICA .......................................................................................... 24
FIGURA 11 - LUVA PARA CONEXÃO DE ENTRADA/SAÍDA EM PVC ............................................................. 25
FIGURA 12 - FLANGE EM PVC DE 32 ........................................................................................................... 25
FIGURA 13 - MODELO DE CONEXÃO COM CAIXA SUPERIOR...................................................................... 26
FIGURA 14 - CURVA DE VAZÃO - BOMBA SYLLENT IP68............................................................................. 27

Tabelas
TABELA 1 - DIMENSÕES DA LAJE RADIER ................................................................................................... 12
TABELA 2 – MEDIDAS A E B – CISTERNAS 2⌀ .............................................................................................. 14
TABELA 3 - MEDIDAS A E B – CISTERNAS 2,5⌀ ............................................................................................ 15
TABELA 4 - MEDIDAS A E B – CISTERNAS 2⌀ ............................................................................................... 18
TABELA 5 - MEDIDAS A E B – CISTERNAS 2,5⌀ ............................................................................................ 19
TABELA 6 - ESPECIFICAÇÕES DE ANCORAGEM ........................................................................................... 22
TABELA 7 – PERÍODO DE GARANTIA ........................................................................................................... 27
1. CONHEÇA O SISTEMA

A sua Cisterna Pronta foi desenvolvida para uma instalação mais rápida,
prática e segura. Conheça agora o seu sistema e siga atentamente aos
passos de instalação indicado neste manual.

Figura 1 - Croqui Ilustrativo do Sistema

1) Tampa de inspeção.

2) Conexão das calhas.

3) Conexão com a rede elétrica.

4) Saída para consumo (recalque).

5) Camadas de Brita e Areia

6) Tanque em PRFV ECOCASA.

7) Saída/Ladrão (galeria pluvial).

8) Camada de terra.

9) Camada de areia.
1.1. COMPOSIÇÃO

A Cisterna Pronta® é um produto exclusivo da ECOCASA Tecnologias


Ambientais e traz consigo grandes inovações como a possibilidade de ser
enterrada sem a necessidade de construção de lajes assim como seu
exclusivo sistema “plug and play”, que permite uma rápida instalação.
O sistema contempla os seguintes itens:
► Tanque em PRFV ECOCASA: Fabricado com tecnologia exclusiva
que suporta as cargas da terra sem a necessidade de construção de
lajes, evitando obras complexas e possibilitando que a instalação
ocorra em média 5 vezes mais rápido em comparação com as
cisternas convencionais.
► Tanque em PRFV ECOCASA: Fabricado com tecnologia exclusiva
que suporta as cargas da terra sem a necessidade de construção de
lajes, evitando obras complexas e possibilitando que a instalação
ocorra em média 5 vezes mais rápido em comparação com as
cisternas convencionais.
►Filtro para água da chuva: Com tecnologia para separação dos
detritos provenientes do telhado com cota de 5 cm de desnível.
►Freio d’água: Diminui a velocidade de entrada da água na Cisterna,
evitando o turbilhonamento de partículas de poeira não
interceptadas pelo elemento filtrante decantadas no fundo do
reservatório.
►Conjunto Flutuante: Sistema que capta a água somente da parte
superior da Cisterna (Água mais limpa) conectado à bomba de
recalque.
►Bomba de Recalque: Já instalada no interior da Cisterna, a bomba
é acionada por comandos externos (Pressostato ou boia elétrica) de
acordo com cada projeto. A água armazenada na cisterna pode ser
recalcada para um reservatório superior ou para seu consumo final
no ponto de uso por exemplo.
►Pressostato: Sistema de automação para acionamento da bomba
de recalque por diferença de pressão. O pressostato faz o
acionamento automático da bomba assim que algum ponto de
consumo (Como uma torneira, por exemplo) é acionado.

1.2. VERSÕES CONTEMPLADAS

►3.000 L
►5.000 L
►10.000 L
►15.000 L
►20.000 L
►25.000 L
►30.000 L
►35.000 L
►40.000 L
►45.000 L
►50.000 L

1.3. NORMAS TÉCNICAS

No Brasil, os projetos de Aproveitamento de Água da Chuva possuem


diretrizes normativas através da ABNT/ NBR 15527 /2007.
A norma trata da coleta, filtragem, reservação e uso desta água, sendo que
alguns tópicos são de extrema relevância para a qualidade do projeto e
devem ser observados com atenção especial, a saber, Norma 15527, Item:
► 3.1 - Água de Chuva: água resultante de precipitações
atmosféricas coletada em coberturas, telhados, onde não haja
circulação de pessoas, veículos ou animais.

► 3.2 - Água não Potável: água que não atende à Portaria n


518 do Ministério da Saúde.

► 3.3 - Área de Captação: área em metros quadrados,


projetada na horizontal da superfície impermeável da
cobertura onde a água é captada.

► 3.4 - Coeficiente de Escoamento Superficial: coeficiente de


“runoff C” coeficiente que representa a relação entre o volume
total de escoamento superficial e o volume total precipitado,
variando conforme a superfície.

► 3.5 - Conexão Cruzada: qualquer ligação física através de


peça, dispositivo ou outro arranjo que conecte duas tubulações
das quais uma conduz água potável e a outra água de
qualidade desconhecida ou não potável.

► 3.6 - Demanda: consumo médio (Mensal ou diário) a ser


atendido para fins não potáveis.

► 3.7 - Escoamento Inicial: água proveniente da área de


captação suficiente para carregar a poeira, fuligem, folhas,
galhos e detritos.

► 3.8 - Suprimento: fonte alternativa de água para completar


o reservatório de água de chuva.
► 4.1 - Concepção do sistema de aproveitamento de água de
chuva:

► 4.1.1 - A concepção do projeto do sistema de coleta de água


de chuva deve atender às ABNT NBR 5626 e ABNT NBR 10844.
No caso da ABNT NBR 10844, não deve utilizar caixa de areia e
sim caixa de inspeção.

► 4.1.2 - No estudo devem constar o alcance do projeto, a


população que utiliza a água de chuva e a determinação da
demanda a ser definida pelo projetista do sistema.

► 4.1.3 - Incluem-se na concepção os estudos das séries


históricas e sintéticas das precipitações da região onde será
feito o projeto de aproveitamento de água de chuva.

► 4.3.5 - O volume dos reservatórios deve ser dimensionado


com base em critérios técnicos, econômicos e ambientais,
levando em conta as boas práticas de engenharia, podendo, a
critério do projetista, ser utilizados os métodos contidos no
Anexo A ou outro, desde que devidamente justificado.

► 4.4.3 - O sistema de distribuição de água da chuva deve ser


independente do sistema de água potável, não permitindo a
conexão cruzada de acordo com a ABNT NBR 5626.
► 4.4.4 - Os pontos de consumo, como, por exemplo, uma
torneira de jardim, devem ser de uso restrito e identificados
com placa de advertência com a seguinte inscrição “Água não
potável” e a identificação gráfica conforme a figura abaixo:

Figura 2 - Placa de Alerta Para Torneiras Não Potáveis

► 4.4.5 - Os reservatórios de água de distribuição de água


potável e de água de chuva devem ser separados.
Fonte: NBR 15.527/2007 – Associação Brasileira de Normas Técnicas

1.4. USOS POSSÍVEIS

De acordo com as Normas Técnicas Brasileiras, a água de chuva é destinada


apenas para fins não potáveis, apresenta normalmente excelentes
características físico químicas, podendo substituir a água potável com
vantagens em diversos fins, tais como:
► Processos Industriais ► Resfriamento de equipamentos ► Reserva de
Incêndio ► Drenagem de vasos sanitários ► Irrigação de paisagismos,
hortaliças e outras ► Limpeza de piso, ruas e calçadas ► Limpeza de
equipamentos ► Lavagem de veículos ► Entre outros (não potáveis).
1.5. CISTERNAS (DEFINIÇÕES E APLICAÇÕES)

A Cisterna (Reservatório de armazenamento) é o principal elemento de um


projeto de aproveitamento de água da chuva, esta pode variar em volume
e material de que é feita, podendo ser construída em alvenaria ou em
polímeros.
O projeto Cisterna Pronta® foi concebido e desenvolvido em compósito de
PRFV (Polímero reforçado com fibra de vidro), a geometria utilizada é a que
oferece a melhor performance estrutural tanto para cisternas enterradas
quanto aéreas, os processos produtivos asseguram um produto com alto
índice de qualidade e robustez.
Os sistemas são todos automatizados, de forma a assegurar que a qualidade
de água atenda com a exigência de cada projeto.

1.6. INFRAESTRUTURA DA INSTALAÇÃO

O sistema de aproveitamento de águas pluviais, Cisterna Pronta®, foi


desenvolvido de forma a requerer da obra o mínimo de infraestrutura. O
sistema já vem montado, seguindo o conceito de “plug and play”, bastando
fazer as conexões hidráulicas de águas pluviais, de consumo da água de
chuva e elétrica dos equipamentos de forma simples e rápida.

1.6.1. INFRAESTRUTURA HIDRÁULICA

A infraestrutura hidráulica necessária consiste no sistema de calhas de


drenagem pluvial, já previstas em todas as obras, separa- se então a fração
(área) de telhado destinada à coleta da água de chuva, interfere-se nas
tubulações de descidas da área separada e as direciona para o sistema de
filtragem e cisterna de reservação, desta conecta-se à rede de recalque
(hidráulica de consumo) e pronto, o sistema já está instalado, disponível
para o uso.
1.6.2. INFRAESTRUTURA ELÉTRICA

A eficiência energética, tão importante quanto eficiência hídrica, também


foi considerada no desenvolvimento do projeto como sendo um dos pilares,
bombas de última geração, alto rendimento energético, baixa potência,
compõem os modelos aplicáveis nas diferentes capacidades e versões.
É necessário somente um ponto de alimentação elétrica bifásica 220V,
conforme exigência de projeto (Figura 12).

1.6.3. INFRAESTRUTURA CIVIL

Seguindo as diretrizes do desenvolvimento, o projeto também requer um


mínimo de obras civis para a sua instalação, de maneira que sua execução
seja rápida e simples tanto para a versão aérea, quanto para a aversão
enterrada, como segue:
► Versão aérea: basta uma laje nivelada, posicionada sobre o solo
no local selecionado conforme o projeto do fabricante, sobre esta
posiciona-se o tanque pronto. (Tabela 1).
► Versão enterrada: basta a abertura de uma vala, conforme
especificado nas próximas páginas, no local selecionado, posiciona-
se o tanque dentro da vala e segue com o reaterro, de acordo com as
indicações do projeto fornecido antes da entrega do produto. (Item
2.2.2).
Importante: Os processos descritos acima são apenas de caráter ilustrativo
e não instrutivo. Para a correta instalação do sistema leia atentamente o
manual a partir do item 2.
2. INSTALAÇÃO DO TANQUE

2.1. VERSÃO AÉREA

Para as versões aéreas deve-se construir uma laje radier para apoio da
Cisterna Pronta® (armação a ser dimensionada pelo cliente) respeitando o
perímetro adicional de 0,5m e as medidas conforme a Figura 3:

Figura 3 - Configurações da Laje Radier

Tabela 1 - Dimensões da Laje Radier


2.2. VERSÃO ENTERRADA

A instalação da Cisterna Pronta® enterrada é bem mais simples em relação


aos modelos convencionais. Siga atentamente os procedimentos a seguir
para garantir a total segurança e garantia de seu equipamento.

2.2.1. VERIFICAÇÃO DO SOLO E PRESENÇA


DE LENÇOL FREÁTICO

Antes de iniciar a escavação é recomendada a sondagem do solo para


identificar a existência de lençóis freáticos. Caso não seja feito o estudo o
lençol pode ser identificado durante a escavação da vala. Sempre que for
identificada a presença de Lençol freático é necessário que se entre em
contato com o departamento técnico da Ecocasa. A presença de lençol
freático indicará se há a necessidade ou não de ancoragem para os modelos
de 5.000L e 10.000L. Já as versões acima de 15.000L devem
obrigatoriamente serem ancoradas.
Importante: Todos os modelos acima de 15.000 L devem ser ancorados de
acordo. Versões inferiores à 15.000 L devem ser ancoradas apenas na
presença de lençol freático na profundidade da escavação

2.2.2. ESCAVAÇÃO DA VALA

2.2.2.1. CAVA SECA

Antes de iniciar a escavação da vala leia o item 2.2.3 (Ancoragem). A


escavação assim como o reaterro deve seguir os croquis da figura 4 para
versões de Ø 2,0 metro e figura 5 para versões de Ø 2,5 metro.
Figura 4 - Croqui de Escavação - Cava Seca - Cisternas 2⌀

Tabela 2 – Medidas A e B – Cisternas 2⌀


Figura 5 - Croqui de Escavação - Cava Seca - Cisternas 2,5⌀

Tabela 3 - Medidas A e B – Cisternas 2,5⌀


Instruções de instalação:
1. Abrir a vala conforme as dimensões indicadas.
2. Atenção para a altura do tubo que abastecerá a cisterna.
3. Nivelar e compactar o fundo da vala mecanicamente (Sapo). Se não
realizada a compactação o tanque ficará estruturalmente comprometido.
4. Lançar sobre o fundo da vala uma camada de 0,2 m de brita 1.
5. Lançar sobre a brita uma camada de 0,2 m de areia grossa.
6. Apoiar a cisterna pronta® (tanque) sobre o a areia atentando-se para
a posição dos tubos de entrada e saída, conferir o nivelamento do tanque.
7. Faça o reaterro da cisterna pronta® (tanque) com areia grossa até a
metade do tanque.
8. Coloque água até a metade do volume do tanque.
9. Complete o reaterro com a terra original da vala isenta de pedras,
galhos e entulhos ou use solo apropriado para o aterro.
► Reutilizar a terra original apenas se for própria para o aterro.
► Em locais com lençol freático aflorado, consulte nosso setor de
engenharia.
► Não use compactador mecânico para compactar o solo depois do
reaterro do tanque.
*Para outras situações consulte nosso setor de engenharia.
10. Certifique-se ainda que no local de instalação da cisterna pronta
possua:
► Instalação hidráulica para o consumo de água da chuva
► Rede de água pluviais para escoamento do excedente das chuvas até a
galeria pluvial (atenção para a cota).
► Rede elétrica para a alimentação da bomba (padrão 220v~2 para outras
opções contate nosso departamento de engenharia).
Importante:

► Nunca adicione mais do que 30 cm de terra acima do tubo de entrada na


Cisterna. Caso seja necessário consulte o departamento de pós-venda para
elaboração de um projeto especial.

►Nunca construir lajes ou qualquer tipo de obra sobre a cisterna. Caso haja
trânsito de veículos ou necessite apoiar quaisquer tipos de peso sobre a
cisterna, contate nosso departamento de engenharia para as devidas
orientações.

2.2.2.2. CAVA ÚMIDA

Antes de iniciar a escavação da vala leia o item 2.2.3 (Ancoragem). A


escavação assim como o reaterro deve seguir os croquis da figura 6 para
versões de Ø 2,0 metro e figura 7 para versões de Ø 2,5 metro.
Figura 6 - Croqui de Escavação - Cava Úmida - Cisternas 2⌀

Tabela 4 - Medidas A e B – Cisternas 2⌀


Figura 7 - Croqui de Escavação - Cava Úmida - Cisternas 2,5⌀

Tabela 5 - Medidas A e B – Cisternas 2,5⌀


Instruções de instalação:

1. Abrir a vala conforme as dimensões indicadas.


2. Atenção para a altura do tubo que abastecerá a cisterna com água de
chuva.
3. Nivelar e compactar o fundo da vala mecanicamente (Sapo)
4. Construir laje conforme especificação do desenho de laje (Neste caso
fornecido pela Ecocasa).
5. Lançar sobre a laje uma camada de 30cm de pedrisco 4,8 a 9,5mm e
nivelar.
6. Apoiar a cisterna pronta ® (tanque) sobre o pedrisco atentando-se
para a posição dos tubos de entrada e saída, conferir o nivelamento do
tanque.
7. Aperte as cintas de ancoragem.
8. Faça o reaterro da cisterna pronta® (tanque) com pedrisco até a
altura dos tubos do tanque.
9. Coloque água até a metade do volume do tanque.
10. Complete o reaterro com a terra original da vala isenta de pedras,
galhos e entulhos ou use solo apropriado para o aterro.
► Reutilizar a terra original apenas se for própria para o aterro.
► Em locais com lençol freático aflorado, consulte nosso setor de
engenharia.
► Não use compactador mecânico para compactar o solo depois do
reaterro do tanque.
► Para outras situações consulte nosso setor de engenharia.
11. Certifique-se ainda que no local de instalação da cisterna pronta
possua:
► Instalação hidráulica para o consumo de água da chuva.
► Rede de água pluviais para escoamento do excedente das chuvas até a
galeria pluvial (atenção para a cota).
► Rede elétrica para a alimentação da bomba (padrão 220v~2 para outras
opções contate nosso departamento de engenharia).

Importante:

► Nunca adicione mais do que 30 cm de terra acima do tubo de entrada na


Cisterna. Caso seja necessário consulte o departamento de pós-venda para
elaboração de um projeto especial.

►Nunca construir lajes ou qualquer tipo de obra sobre a cisterna. Caso haja
trânsito de veículos ou necessite apoiar quaisquer tipos de peso sobre a
cisterna, contate nosso departamento de engenharia para as devidas
orientações.
2.2.3. ANCORAGEM

A ancoragem deve ser realizada em Cisternas com volumes acima de


15.000L. Para Cisternas com volumes inferiores a 15.000L não é necessário
ancorar, exceto caso seja detectado lençol freático. Para casos não
aplicáveis, prosseguir para o item 2.2.3.3 (Conexão Elétrica).
► Para os modelos de 3.000L, 5.000L e 10.000L na existência de lençol
freático, consultar com o nosso departamento de engenharia as medidas
adequadas para vigas de ancoragem.

2.2.3.1. VIGAS DE ANCORAGEM

Para construção das vigas de ancoragem siga o desenho da figura 8 com as


medidas da tabela 6.

Figura 8 - Croqui Ilustrativo - Viga de Ancoragem

ESPECIFICAÇÃO DE ANCORAGEM
VOLUME DO TANQUE DIÂMETRO DO TANQUE COMPRIMENTO DO TANQUE PONTOS DE ANCORAGEM L A B
15M³ 2,5M 3,5 3 4,5 1,26 1
20M³ 2,5M 4,5 3 5,5 1,26 1
25M³ 2,5M 5,5 4 6,5 1,26 1
30M³ 2,5M 6,5 5 7,5 1,76 1
35M³ 2,5M 7,5 5 8,5 1,76 1
40M³ 2,5M 8,5 6 9,5 1,76 1
45M³ 2,5M 9,5 6 10,5 1,26 1,5
50M³ 2,5M 10,5 6 11,5 1,26 1,5
Tabela 6 - Especificações de Ancoragem
Imporante: Atente-se ao posicionamento da viga de ancoragem
(conforme a Figura 9 - Croqui Ilustrativo - Sistema de Ancoragem). Nunca
posicionar a viga de ancoragem na sombra do tanque.

Figura 9 - Croqui Ilustrativo - Sistema de Ancoragem

2.2.3.2. FITA E CATRACA DE ANCORAGEM

As fitas de ancoragem e catracas são fornecidas conjuntamente com a Cisterna Pronta.

2.2.3.3. CONEXÃO ELÉTRCA

Para conectar o sistema elétrico da Cisterna Pronta® basta conectar os fios do cabo PP
3x2,5 mm à rede elétrica conforme a figura 10.
Importante: Por padrão os cabos da conexão elétrica seguem a seguinte disposição:
► VERDE = Terra
► MARROM = FASE I
► AZUL = FASE II
As cores podem variar de acordo com a disponibilidade de estoque. Em caso de variação
consulte o departamento de Pós venda antes de efetuar a conexão.

Figura 10 - Cabos Para Conexão Elétrica

2.2.3.4. CONEXÃO HIDRÁULICA

► Tanto a entrada (calhas) quanto a saída (galeria pluvial) são equipadas


com tubos de 100 mm de diâmetro a serem conectadas às respectivas
tubulações.
► Entrada: A sua Cisterna Pronta® pode conter uma ou mais entradas. Cada
entrada receberá uma tubulação da calha que direcionará a água da chuva
para o interior da Cisterna.
► Saída: O número de saídas será o mesmo número de entradas. As saídas
guiarão a água excedente para a galeria pluvial evitando o “afogamento”
do sistema e exercendo a função de sifão e autolimpeza.
Importante: Para efetuar a conexão das tubulações de entrada e saída
basta lixar e colar os tubos com cola específica para PVC.
Figura 11 - Luva Para Conexão De Entrada/Saída em PVC

Com a conexão elétrica, a entrada/saída de água proveniente das calhas


ligadas, finaliza-se com a conexão da saída para consumo, conforme as
opções listadas a seguir:
► Inicialmente conecta-se um tubo PVC marrom de 32 (1’’) na flange
conforme a figura 12.

Figura 12 - Flange em PVC de 32

Deste ponto em diante existem duas possibilidades:


► Conectar a Cisterna Pronta® diretamente em uma torneira de uso
restrito (TUR). A bomba será ativada pelo sistema de automação todas as
vezes que a torneira for aberta.
► Conectar a Cisterna Pronta® à uma caixa d’água de reuso superior. Para
isso siga os diagramas da figura 13.
► A caixa d’água superior assim como toda sua rede deve ser isolada da
caixa de água potável direcionando o consumo final para fins não potáveis
(como vasos sanitários, por exemplo.)
► O funcionamento automático da caixa superior se dá através da
instalação de um sistema realimentador automático. Recomenda-se a
instalação de dois realimentadores, sendo um com água da rede pública
para manter um nível mínimo de água na caixa superior. Para saber sobre
outros tipos de instalações, entre em contato com nosso departamento de
pós-venda.

Figura 13 - Modelo de Conexão Com Caixa Superior


2.3. GARANTIA
2.3.1. COBERTURAS DA GARANTIA

A tabela 7 descreve as coberturas de garantia nos equipamentos que


constituem a Cisterna Pronta. O certificado de garantia está na última
página deste manual.

Tabela 7 – Período de Garantia

2.3.2. CURVAS DA BOMBA SYLLENT IP68

Figura 14 - Curva de Vazão - Bomba Syllent Ip68


2.3.3. CARTÃO DE GARANTIA
A Ecocasa Tecnologias Ambientais garante este produto nos períodos descritos na
tabela 7.

Produto Modelo

Cliente / Usuário

Endereço

CEP Cidade

Revendedor Vendedor

Data Nota Fiscal n°

Termo de Garantia

A Ecocasa, assegura ao proprietário do produto, garantia contra qualquer defeito de fabricação


pelo prazo especificado acima a contar da data da nota fiscal de compra do primeiro cliente/ usuário.

Prescrições

1- Os produtos são garantidos contra quaisquer defeitos de montagem ou fabricação, constatados.


2- A garantia tem validade pelo prazo especificado de 12 meses, contados a partir da data de
fornecimento, somente ao primeiro usuário.
3- Somente serão substituídas as peças cobertas por esta garantia, se forem constatados os defeitos,
por assistente técnico ou pessoa devidamente autorizada Ecocasa, e ainda, mediante a
apresentação deste certificado de garantia, corretamente preenchido e/ou nota fiscal de compra.
4- Produtos de desgaste natural / consumíveis tais como filtros, pastilhas etc, não são cobertos pela
garantia.
5- A execução de um serviço ou troca de peça em garantia não causa prorrogação ou reinício do
prazo de garantia.

Cancelamento da Garantia

1- Danos por mau uso ou acidente.


2- Agentes da natureza (Inundação por exemplo)
3- Uso em desacordo com o prospecto / manual de instruções.
4- Instalações elétricas deficitárias, impróprias ou sujeitas a oscilações excessivas.
5- Violações ou consertos feitos por pessoas não autorizadas.
6- Rasuras ou emendas neste certificado ou na nota fiscal de compra.
7- Volume de esgoto lançado acima do especificado pelo aparelho.
8- Falta de instalações de alvenaria apropriadas para o devido funcionamento do aparelho.

NOTAS

É imprescindível a apresentação deste certificado de garantia, devidamente preenchido pelo revendedor e


/ ou nota fiscal de compra, para o atendimento em garantia.

Em caso de defeito ou dúvidas sobre este produto, entre em contato com a Assistência
Técnica Ecocasa pelo telefone (019) 3442-8434.

Você também pode gostar