Você está na página 1de 4

1.

Faça um paralelo comparativo dos componentes do trato gastrointestinal (desde


a boca até o ânus) das diferentes espécies animais (ex. aves, suínos, ruminantes,
equinos/coelhos, peixes).

2.      O que é inglúvio, pro-ventrículo e moela?

Inglúvio: é uma dilatação do esôfago onde os alimentos são armazenados e amolecidos


(papo)

Pro-ventrículo: é o estômago glandular das aves, onde ocorrem secreções de


pepsinogênio e ácido clorídrico.

Moela: é o estômago mecânico das aves, onde ocorrem as contrações musculares que
trituram os alimentos.

3. Quais são as funções da saliva, e quais particularidades entre as diferentes espécies


animais?

A saliva tem como funções a lubrificação (auxilia na deglutição), o


umedecimento de alimentos e ela possui enzimas que auxiliam na digestão. A enzima
amilase, que auxilia na digestão do amido, está presente em suínos, equinos e aves em
poucas quantidades e os ruminantes não tem. As lipases que ajudam na digestão da
gordura estão presentes em ruminantes jovens. As lisozimas não fazem parte da saliva
dos ruminantes e os peixes não possuem enzimas na saliva.

4.      Quais as características do ambiente ruminal?

O ambiente ruminal funciona como uma câmara de fermentação, sem secreções,


com bactérias, fungos e protozoários, é um local anaeróbico, com pH em torno de 6-7,
sua temperatura é próxima aos 39 graus, possui de 10 a 15% de matéria seca, a
fermentação dos alimentos pelos microrganismos resulta em produção de gases, amônia
e ácidos graxos voláteis, possuem papilas que aumentam a área de superfície de
absorção dos AGVs, os microrganismos presentes neste ambiente são fonte de proteína
de alto valor biológico e a parede ruminal absorve amônia.

5.      Quanto à preensão de alimentos: Quais os principais órgãos utilizados pelos


bovinos e pelos ovinos na preensão de alimentos? Por que os ovinos conseguem ter
maior seletividade durante a colheita de alimentos do que os bovinos?

Por possuírem movimentos limitados nos lábios, os bovinos utilizam a língua


como principal órgão de preensão de alimentos. Por não possuírem incisivos superiores
eles precisam colher o pasto com a língua e leva-lo à boca após corta-lo ou arranca-lo
por pressão dos incisivos inferiores contra a placa dental do intermaxilar para
finalmente fazer a introdução deste para dentro da boca.

Os ovinos utilizam os lábios, a língua e os dentes para preensão de alimentos. E


é exatamente por conta desta anatomia bucal, que os ovinos são mais eficientes na
seletividade durante a colheita de alimentos, pois eles possuem muita mobilidade nos
lábios e fazem preensão utilizando os lábios, dentes e língua, desta maneira conseguindo
apreender com maior facilidade partes específicas da forragem, mesmo o de menor
tamanho. Enquanto que os bovinos por possuírem a língua como principal órgão de
preensão dos alimentos, apresentam certa dificuldade na apreensão de partes menores
das forragens, tornando a seleção menos eficiente.

6.      Qual a importância da salivação em ruminantes? Por que a mastigação é essencial


para a salivação de ruminantes? Qual tipo de alimento (volumoso ou concentrado)
estimula mais a salivação e por quê?

A salivação em ruminantes é importante, pois elas possuem bases (bicarbonatos


e fosfatos) que neutralizam os ácidos produzidos pela fermentação no rúmen, para que o
pH no rúmen não se torne muito ácido. A mastigação é essencial, pois ela faz com que
aumente a produção de saliva. O alimento volumoso estimula mais a salivação, porque
ele possui uma maior quantidade de fibras e suas partículas tem tamanhos maiores, com
isso, os ruminantes são obrigados a mastigar mais vezes o alimento, produzindo assim
mais saliva.

7.      Quais os tipos de digestão que ocorrem nos estômagos dos ruminantes? Explique
como se diferencia essa digestão nos diferentes compartimentos.

Ocorre digestão mecânica e química.

8.      Quais sãos os três principais grupos de microrganismos ruminais? Dentre estes,


qual grupo é tido como o principal (mais importante)? Por que estes grupos de
microrganismos são importantes para os ruminantes?

Os três principais grupos de microrganismos ruminais são: bactérias, fungos e


protozoário. O principal entres estes, é o grupo das bactérias. São importantes para os
ruminantes, pois eles são digeridos e acabam se tornando uma fonte de proteína de alto
valor biológico.

9.      O que é goteira esofágica e para que serve?

Goteira esofágica é uma estrutura tubular que formada pela musculatura lisa presente no
rúmen e retículo, que tem como função fazer com que p leite não vá para o rúmen e caia
direto no abomaso.

10.  Quais são as diferenças entre fermentadores pre-gastricos e fermentadores pós-


gástricos? Faça um paralelo entre essas espécies quanto a forma de digestão e os
produtos da digestão que o animal pode aproveitar. 

A diferença é que os ruminantes tem mais compartimentos

Pré gástrico- tem uma fermentação do alimento antes do estomago químico =


ruminantes

Rumen, retículo, omaso e abomaso


O equino e o coelho são pós gástricos, por que no intestino grosso essa fermentação,
depois do estômago e serve para absorver os AGVs

No rúmen é só bactéria que digere, fibrolíticas, lipilíticas, proteolíticas, e aí começa a


crescer massa bacteriana. O lixo da bactéria são os AGVs que são absorvidos na parede
do rúmen e são utilizados pelos ruminantes como fonte de energia – produção de leite e
gordura. A proteína vem dos microrganismos também além do alimento. Conseguem
aproveitar fibra

O monogástrico só digere o alimento pelas enzimas do organismo, absorve a glicose e a


proteína vem direto do alimento. Não aproveitam fibra

11.  Qual é o principal local de absorção de nutrientes no trato digestivo? Qual célula


realiza a absorção?

O principal local de absorção de nutrientes no trato digestivo é o intestino


delgado. As células epiteliais que revestem o intestino delgado (enterócitos), são as
responsáveis por esta absorção.

12.  Explique qual é a função das glândulas anexas.

Glândulas salivares: tem como função umedecer os alimentos

Pâncreas: pode ser dividido em pâncreas exócrino e endócrino. O exócrino diz respeito
a função de produção de bicarbonato de sódio que serve para elevar o pH do bolo
alimentar, e de produção de enzimas digestivas, como as proteolíticas (tripsinogênio,
quimiotripsinogênio, procarboxipeptidase), amilase, lactase e lipase. O pâncreas
endócrino está relacionado a produção dos hormônios insulina e glucagon.

Vesícula biliar: armazena e produz sais biliares como o colesterol, fosfolipídeos e


pigmentos biliares e tem como função auxiliar na digestão e na absorção de lipídeos.

13.  Quais são os hormônios produzidos no trato digestivo que estão envolvidos com a
digestão? Explique a função de cada um deles, bem como onde são produzidos.

A gastrina, histamina e acetilcolina são produzidas pelas células no epitélio gástrico, e


elas tem como função estimular as células parietais nas glândulas gástricas para secretar
ácido clorídrico. Os hormônios colecistocinina, secretina e peptídeo inibidor gástrico
inibem a secreção de ácido clorídrico e são produzidos no epitélio duodenal.

HORMÔNIO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO


Estimula o ácido gástrico e a secreção
Gastrina Antro, duodeno x (células G) do pepsinogênio. Estimula o
crescimento da mucosa gástrica
Estimula a secreção da enzima
pancreática. Estimula a contração da
Colecistoquinina Duodeno, jejuno (células I)
vesícula biliar. Relaxa o esfincter de
Oddi. Inibe o esvaziamento gástrico.
Secretina Duodeno, jejuno (células S) Estimula a liberação de água e de
bicarbonato a partir das células ductais
pancreáticas. Estimula o fluxo e a
alcalinidade da bile. Inibe a secreção
do ácido gástrico e a motilidade e
inibe a liberação da gastrina
Inibe a liberação dos hormônios
gastrointestinais. Inibe a liberação do
Ilhotas pancreáticas (células D), ácido gástrico. Inibe a secreção de
Somatostatina antro, duodeno água e dos eletrólitos pelo intestino
delgado. Inibe a secreção dos
hormônios pancreáticos
Estimula a liberação de todos os
hormônios gastrintestinais (exceto a
secretina). Estimula a secreção
Peptídeo liberador de gastrintestinal e a motilidade. Estimula
Intestino delgado
gastrina a secreção do ácido gástrico e a
liberação da gastrina antral. Estimula o
crescimento da mucosa intestinal do
pâncreas
Inibe o ácido gástrico e a secreção de
Polipeptídeo inibidor pepsina. Estimula a liberação
Duodeno, jejuno (células K)
gástrico pancreática de insulina em resposta à
hiperglicemia
Estimula a motilidade do trato
Motilina Duodeno, jejuno gastrintestinal superior. Pode iniciar o
complexo motor migratório
Primariamente funciona como um
neuropeptídeo. Potente vasodilatador.
Peptídeo intestinal Neurônios ao longo do trato
Estimula a secreção pancreática e
vasoativo gastrintestinal
intestinal. Inibe a secreção do ácido
gástrico
Estimula o crescimento da mucosa do
Neurotensina Intestino delgado (células N)
intestino delgado e do grosso
Peptídeo-1 semelhante ao glucagon.
Estimula a liberação de insulina. Inibe
Enteroglucagon Intestino delgado (células L) a liberação do glucagon pancreático.
Peptídeo-2 semelhante ao glucagon.
Potente fator enterotrófico
Inibe a secreção gástrica e pancreática.
Peptídeo YY Intestino delgado distal, cólon
Inibe a contração da vesícula biliar
Atua no sistema nervoso central
Grelina Células endócrinas do estômago
agindo como estimulador da fome
Atua no sistema nervoso central como
Produzida por adipócitos e liberada
Leptina na circulação
estimulador da saciedade (inibindo a
fome)

Você também pode gostar