Você está na página 1de 40

Lançamento da Tour 2021

AULA
SHOW
O Enem,
o sonho
& você
em
REVISTA

FABIANO OLIVEIRA @proffabianooliveira


IV Tour
ENEM, O SONHO & VOCÊ! COM
Fabiano Oliveira

AULA-SHOW
Língua Portuguesa, Literatura e Redação com Paródias
JANEIRO 2021- APOIO - SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DE SERGIPE/DED E CENTRO DE EXCELÊNCIA DOM LUCIANO JOSÉ CABRAL

INSTAGRAM
@PROFFABIANOOLIIVEIRA
APRESENTAÇÃO
O ENEM, O SONHO & VOCÊ é uma
aula show itinerante que reúne os
principais conteúdos de Língua,
Literatura e Redação através de
paródias e músicas. O projeto é
formatado, dirigido, produzido e
apresentado por Fabiano Oliveira,
mestre em linguística, especialista em
metodologia do Ensino Superior e
professor do Centro de Excelência
Dom Luciano José Cabral Duarte. Em
2019, a Tour passou diversas cidades
sergipanas, tendo sido lançada, no ano
anterior, em Belém, Estado do Pará.
Para que a Tour fosse assistida por
mais de 17 mil alunos em suas quatro
edições, o projeto contou e conta com
parceria da Secretaria de Educação do
Estado de Sergipe, em especial o
Departamento de Educação. Diversas
cidades sergipanas e brasileiras
receberão a turnê pedagógica com
novas paródias, mas, com o mesmo
amor, carinho e respeito de sempre,
em 2021. O ENEM, O SONHO & VOCÊ
É O MEU PRESENTE PARA O ALUNO
DA ESCOLA PÚBLICA DO MEU PAÍS.
SEJAM BEM-VINDOS A NOSSA AULA
SHOW! A PORTA PARA O FUTURO É
A EDUCAÇÃO. OBRIGADO!

FABIANO OLIVEIRA
Para realizar sonhos,

existem a seta e o

caminho. O alvo é você

quem faz!

FABIANO OLIVEIRA
Professor
PARÓDIA
Letra registrada por Fabiano Oliveira
O CONCRETISMO ASSIM NASCEU!

Paródia: Poema visual

Vou ser sincero com você


O concretismo assim nasceu
A poesia então sofreu
A geometria apareceu
E desenhou demais
E o que o poema traz
Não adianta por lamento no poema
Que a imagem traz
Que a imagem traz
Que a imagem traz

Poema visual e o som da palavra


Poesia social linguagem simples exalta
Poema marginal e o tropicalismo
Verso abandonado, traz o geometrismo

Poema desenhado que ocupa a página


Poesia marginal sem escola literária
O rock ‘n’ roll se une ao concretismo
Fundando assim a arte do tropicalismo
Iê,iê, iê, iê, iê, iê...
Baixa aqui a paródia
1 - LINGUAGENS
O QUE É LITERATURA?

A literatura (do latim littera, que significa “letra”) é uma das manifestações
artísticas do ser humano, ao lado da música, dança, teatro, escultura,
arquitetura, dentre outras.
Ela representa comunicação, linguagem e criatividade, sendo considerada a arte
das palavras.
Atualmente, o gênero épico, que envolvia as narrativas históricas baseado
nas lendas e na mitologia, foi substituído pelo gênero narrativo. Sendo assim, os
gêneros literários são classificados em:
Gênero Lírico: possui um caráter sentimental com presença do eu lírico,
por exemplo, as poesias, odes e sonetos.
Gênero Narrativo: possui um caráter narrativo, ou seja, envolve
narrador, personagens, tempo e espaço, por exemplo, os romances,
contos e novelas.
Gênero Dramático: possui um caráter teatral, ou seja, são textos para
serem encenados, por exemplo, tragédia, comédia e farsa

IMAGEM: INTERNET
Resumindo: É a arte da palavra.
Significado das palavras: o material da literatura
Quando uma mensagem está em sentido literal, ou seja, de acordo com o
significado do dicionário, ela é chamada de denotativa.
Por outro lado, se uma mensagem possui um sentido mais subjetivo e figurado,
dizemos que ela é conotativa.

Resumindo:
Denotação: emprego do sentido real, literal das palavras e expressões.
Conotação: emprego do sentido subjetivo, com vários sentidos.

Na literatura, principalmente, nas poesias, predomina a conotação.

IMAGEM: INTERNET
PARÓDIA

BANG
Paródia registrada por Fabiano Oliveira

Vem! Então, vem!


Vem, pra literatura Faço apenas uma divisão
Arte da palavra, enfim Palavra não tem só um sentido não!
Romance, drama, poesia Se você quiser, eu vou te ensinar!
Aqui é assim! Vou te contar
(Refrão inicial)
É! denotativa, linguagem objetiva!
Vem! No dicionário, assim está cons-tan-do!
Pra literatura aprender É! conotativa, linguagem subjetiva!
Arte da palavra conhecer É a palavra em seu sentido amplo!
Tem de ser assim é só estudar!
Pra passar! Vem! Pra literatura
Arte da palavra, enfim
Então, vem! Romance, drama, poesia, aqui é assim!
Faço apenas uma divisão Ah, ah, ah, ah....
Palavra não tem só um sentido não!
Se você quiser, vou te ensinar! É! denotativa, linguagem objetiva
Vou te contar No dicionário, assim está constando!
É! Conotativa, linguagem subjetiva!
É! denotativa, linguagem objetiva! É a palavra em seu sentido amplo!
No dicionário assim está cons-tan-do!
É! conotativa, linguagem subjetiva! Vem! Pra literatura
É a palavra em seu sentido amplo! Arte da palavra, enfim
Romance, drama, poesia, aqui é assim!
Vem, pra literatura Ah, ah, ah, ah....
Arte da palavra, enfim (Refrão do meio da música)
Romance , drama, poesia...aqui é assim!
Ah, ah, ah, ah....

Vem!
Pra literatura aprender
Arte da palavra conhecer
Tem de ser assim! é só estudar!
Pra passar!
2 - FIGURAS DE LINGUAGEM
RESUMÃO DO ENEM

As figuras de linguagem são recursos usados na fala ou na escrita para tornar mais
expressiva a mensagem transmitida.
É muito importante saber identificar as diversas figuras de linguagem, porque desta
forma é possível compreender melhor diferentes textos.
Compreender e saber usar figuras de estilo nos capacita a usar de forma mais eficaz a
linguagem como fenômeno social e nos ajuda a vislumbrar o simbolismo de algumas
conversas e obras escritas.

Vamos distinguir algumas figuras de linguagens com exemplos em músicas. Aprendendo e


se distraindo.
⦁ Música: Exagerado (Cazuza)
Figura: Hipérbole
“Por você eu largo tudo, vou mendigar, roubar, matar. Até nas coisas mais banais, pra
mim é tudo ou nunca mais”.
‘Por você, eu dançaria tango no teto.
Eu iria a pé do Rio a Salvador.
Eu limparia os trilhos do metrô’.
. Música: Pais e Filhos - Legião urbana
Eufemismo: Ela se jogou da janela do quinto andar nada é fácil de entender...
.Música: A lenda
Prosopopeia – dá características humanas a seres inanimados.
‘Bem lá no céu, uma lua existe, vivendo só, no seu mundo e triste”.
“A lua me traiu, acreditei que era pra valer...”
.Anáfora
Repetição da mesma palavra no começo de várias frases ou membros da mesma frase.
Ex.: Música:
Quando não tinha nada eu quis
Quando tudo era ausência esperei
Quando tive frio tremi
Quando tive coragem liguei...
Vejamos outros exemplos:
⦁ Comparação: " Como se eu fosse flor, você me cheira" Ivete Sangalo
Antítese: "Não existiria som se não houvesse o silencio, Não haveria luz se não
houvesse escuridão " Milton Nascimento
⦁ Onomatopéia: O Calhambeque, bi-bi
⦁ Quero buzinar o Calhambeque/ Bi Bidhu! Bidhubidhu Bidubi!! Roberto Carlos
⦁ Metáfora: "Você é a escada da minha subida" Cogumelo Plutão
⦁ Hipébole: "Tá vendo aquela lua que brilha lá no céu?
Se você me pedir eu vou buscar só pra te dar
Se bem que o brilho dela nem se compara ao seu
Deixa eu te dar um beijo, vou mostrar o tempo que perdeu" Exaltasamba
⦁ Ironia: " Mentes tão bem, que parece verdade o que você me fala, vou
acreditando" Zezé de Camargo e Luciano
⦁ Eufemismo: "Se despiu da fantasia, se vestiu de amor" Roupa nova.
⦁ Prosopopeia:" Meu coração que se foi, sem dizer se voltava depois". Roupa nova
⦁ Pleonasmo: "Se manda ir embora, eu saio lá fora, ela chama pra trás" Leandro e
Leonardo.
3. Dicas de Redação
Elementos de textualidade. Os principais são: Coesão,
coerência, informatividade, situacionalidade. (LIMITE-SE AO
TEMA E AS PALAVRAS-CHAVE). Para nota mil é importante
- Argumentos convincentes
- Dados históricos
- Elementos coesivos
- Conhecer o tema – Use e abuse de exemplos, diálogo entre o
passado e presente.
- Revolução francesa, Revolução industrial e Pensadores sobre
educação.

Fabiano, quando um candidato pode tirar nota 1000? Quando...


• O candidato entendeu tema...
• A norma culta é respeitada...
• O texto é econômico...
• As ideias são articuladas com conectores. ...
• Não há generalizações. ...
• As afirmações são comedidas e serenas. ...
• Não há frases nem expressões clichê ...
• O candidato demonstra ter conhecimento da área.
PARÓDIA Borbulhas de amor
Paródia registrada por Fabiano Oliveira

Para citar e enriquecer você procura


A dissertação Filme, novela, jornal ou uma música
Dividida entre coerência e coesão Um pensador você procura!
Bem na introdução
Dissertativo!!!
Põe a tese que fizera

Na sequência então E anote


Deve ter fato, contexto e repertório Essa dica
Desenvolva então Para o Fim!
Seja claro na leitura Tenha calma, leia o texto
Pra dizer!!
E pra fazer o texto!! O meu texto!!
Quatro ou cinco parágrafos devo usar! É Dissertativo!
Tópico frasal no texto colocar
Com citação e dados (Arranjo)
Dissertativo o texto!
E pra fazer o texto!!
Para citar e enriquecer você procura
Filme, novela, jornal ou uma música ---- Quatro ou cinco parágrafos devo usar
Um pensador você procura! Tópico frasal no texto colocar
Dissertativo!!! Com citação e dados
Dissertativo o texto!
(arranjo)
Na intervenção Para citar e enriquecer você procura
O problema necessita de solução Filme, novela, jornal ou uma música
Ponha solução Um pensador você procura!
Então, detalha e conclua. Dissertativo o texto!

Nessa redação
Quatro ou cinco parágrafos devo usar!
Deve ter fato, contexto e repertório
Desenvolva então Tópico frasal no texto colocar
Seja claro na leitura Com citação e dados
Dissertativo o texto!
E pra fazer o texto!!
Quatro ou cinco parágrafos devo usar Para citar e enriquecer você procura
Tópico frasal no texto colocar Filme, novela, jornal ou uma música ----
Com citação e dados Um pensador você procura
Dissertativo o texto! Dissertativo!!!
O meu texto
Dissertativo!!
JÁ BAIXOU
SEU EP/CD
BAIXE NO WWW.SUAMUSICA.COM.BR

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO


@proffabianooliveira
Facebook
Espaço Enem
CD/EP de paródias
4 – Tipologias textuais
As tipologias textuais, também chamadas de tipos textuais ou
tipos de texto, são as diferentes formas que um texto pode apresentar,
visando responder a diferentes intenções comunicativas.
Os aspectos constitutivos de um texto divergem mediante a
finalidade do texto: contar, descrever, argumentar, informar…
Diferentes tipos de texto apresentam diferentes características:
estrutura, construções frásicas, linguagem, vocabulário, tempos
verbais, relações lógicas, modo de interação com o leitor…

DICÃO PARA ENEM!


• Texto narrativo – romances, contos, fábulas, depoimentos...
• Texto descritivo – Folhetos turísticos, cardápios de restaurantes,
classificados
• Texto dissertativo (expositivo e argumentativo) - Jornais, sermões,
opiniões.
• Texto explicativo (injuntivo e prescritivo) – Receitas, bulas de
remédio, manual.
É de salientar que um único texto pode apresentar passagens de várias
tipologias textuais.
5 - Gêneros textuais
Tipos textuais e gêneros textuais são duas categorias diferentes de
classificação textual.
Os tipos textuais são modelos abrangentes e fixos que definem e
distinguem a estrutura e os aspectos linguísticos de uma narração,
descrição, dissertação e explicação.
Os gêneros textuais concretizam esses aspectos gerais em situações
cotidianas de comunicação. São textos flexíveis e adaptáveis que
apresentam um intenção comunicativa bem definida e uma função social
específica, adequando-se ao uso que se faz deles.
Exemplos de gêneros textuais
• romance;
• conto;
• crônica;
• notícia;
• carta;
• receita;
• manual de instruções;
• regulamento;
• relato de viagem;
• verbete de dicionário;
• artigo de opinião;
Tudo que eu disser
Você estudará
O Enem sempre vem pra quem sonhar
Tudo que eu disser
Só basta acreditar
Tipo textual cairá...

Se você quiser
É só observar as tipologias PARÓDIA
LUA
O texto injuntivo é instrutivo
Uma bula de remédio, você diz!

Se você quiser

DE
O texto narrativo vai contar
Contar toda a história que
quiser
Com enredo, fato, clímax e lugar!!

Agora é com você


O texto argumentativo vai convencer
São quatro tipos!
CRISTAL
E nunca confunda com gêneros. (repete)

Tipo textual
Que me faz estudar
forma e conteúdo
Assim, eu vou passar!

Tipo textual
É a classificação
Que recebe um texto
Por sua forma, então!

Tipo textual
Que me faz estudar
forma e conteúdo
Assim, eu vou passar!

Tipo textual
É a classificação
Que recebe um texto
Por sua forma, então
6 – Concretismo no Brasil

Palavras-chave: Poesia - visual - Geometrismo - Linguagem - imagem


Concretismo foi um movimento literário do século XX surge com força
vanguardista a partir de 1955, mas já mostra algumas nuances em 1950 quando
Décio Pignatari, Haroldo de Campos e Augusto de Campos começam a fazer
experimentalismos sintáticos.
O princípio geral da poesia construtivista é certamente a ausência ou
substituição da frase e do verso, que eram usados para compor um todo e não
como unidade mínima do poema. Assim, palavra, frase, verso, aliadas a uma
disposição espacial, a uma forma, às vezes, a um som compunham o poema
construtivista, rompendo com a barreira entre poesia e artes plásticas,
convergindo para uma experimentação espaciotemporal na qual está imersa
nossa sensibilidade.
Os poemas visuais são textos que, diferente das produções literárias
tradicionais, mesclam o contexto visual com o contexto literário. São conhecidos
por apresentarem desenhos, símbolos, construídos com as próprias palavras, que
estão diretamente ligados à mensagem escrita que apresenta.

A principal característica do Concretismo é a


geometrização e visualização da linguagem: há
uma integração entre o som, a imagem e as
palavras, além de uma forte ligação com a
música, as artes visuais e o design.
São, normalmente, curtos e os símbolos podem ser facilmente reconhecidos, em
sua maioria, remetem a conceitos já conhecidos pelos leitores.
Graveto
Paródia: Poema visual
Letra registrada por Fabiano Oliveira

Vou ser sincero com você


O concretismo assim nasceu
A poesia então sofreu
A geometria apareceu
E desenhou demais
E o que o poema traz
Não adianta por lamento no poema
Que a imagem traz
Que a imagem traz
Que a imagem traz

Poema visual e o som da palavra


Poesia social linguagem simples exalta
Poema marginal e o tropicalismo
Verso abandonado, traz o geometrismo

Poema desenhado que ocupa a página


Poesia marginal sem escola literária
O rock ‘n’ roll se une ao concretismo
Fundando assim a arte do tropicalismo
Iê,iê, iê, iê, iê, iê...
Parte II – Literatura
7 - Barroco no Brasil
O Barroco no Brasil tem início no final do século XVII. No país, essa
tendência artística teve grande destaque na arquitetura, escultura, pintura e
literatura.
Na literatura, o marco inicial do barroco é a publicação da obra
“Prosopopeia” (1601) de Bento Teixeira. Na escultura e arquitetura, Aleijadinho
foi, sem dúvida, um dos maiores artistas barrocos brasileiros.
Contexto histórico:

Música – O quereres – Caetano Veloso


Onde queres revólver, sou coqueiro
E onde queres dinheiro, sou paixão
Onde queres descanso, sou desejo
E onde sou só desejo, queres não
E onde não queres nada, nada falta
E onde voas bem alto, eu sou o chão
E onde pisas o chão, minha alma salta
E ganha liberdade na amplidão
Onde queres família, sou maluco
E onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon, sou Pernambuco
E onde queres eunuco, garanhão
Onde queres o sim e o não, talvez
E onde vês, eu não vislumbro razão
Onde o queres o lobo, eu sou o irmão
E onde queres cowboy, eu sou chinês
Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor
Análise:
A canção O quereres, de Caetano Veloso, deixa clara a oposição de ideias,
característica do Barroco, onde o ser amado nunca encontra a realização no eu-
lírico o que leva a infelicidade e sofrimento do mesmo. Nessa letra podemos
observar também que o compositor explora o uso de metáforas e de um
vocabulário difícil, que são marcas do cultismo. Outro ponto importante é a
contradição entre os próprios versos da música, afirmando ainda mais o
conflito amoroso que o eu-lírico está passando, sendo incapaz de satisfazer o
ser amado no momento certo.
8 - Arcadismo no Brasil
No Brasil, o Arcadismo teve como marco inicial a publicação de “ Obras
Poéticas”, de Cláudio Manuel da Costa em 1768 e, ademais, a fundação da
“Arcádia Ultramarina”, em Vila Rica.
Vale lembrar que o nome dessa escola literária provém das Arcádias, ou
seja, das sociedades literárias da época.
Os principais escritores brasileiros desse período são: Cláudio Manuel da
Costa, Santa Rita Durão, Basílio da Gama e Tomás Antônio Gonzaga.
Contexto histórico: Inconfidência Mineira e o Iluminismo
Características do Arcadismo
• Exaltação da natureza
• Valorização do cotidiano e da vida simples, pastoril e no campo (bucolismo)
• Crítica a vida nos centros urbanos
• Modelo clássico
• Linguagem simples
• Utilização de pseudônimos
• Objetividade
• Temas simples: amor, vida, casamento, paisagem
• Fugere Urbem (fugir da cidade)
• Inutilia Truncat (cortar o inútil)
• Aurea Mediocritas (mediocridade áurea/vida comum)
• Locus Amoenus (refúgio ameno/agradável)
Paródia
Pequena Eva
Letra registrada por Fabiano Oliveira

Minha Marília Bela


Com pastor
Inutilia truncat não exagera mais!
Olha só o Arcadismo apareceu
Foi em Minas
O arcadismo é campestre!!!
E assim, o Barroco já era
Fugere urbem, bordões mitológicos
Marília de Dirceu
E idealiza o amor
Tomás Antônio Gonzaga quem escreveu
Em sua poesia campestre
E idealizou o amor
Sou Dirceu e você, diz pra mim o que você será!!
Em sua poesia campestre
Sou Dirceu e você será
Minha Marília Bela (Bela)
O nosso amor é idealizado (Bela)
Minha Marília Bela (Bela)
A luz do iluminismo irá brilhar
O nosso amor é idealizado (Bela)
Na França aconteceu!
A luz do iluminismo irá brilhar (Bela)
Na França, aconteceu!
E cantando bem alto
Me disfarço de pastor a todo instante
E cantando Bem alto
E cubro meu corpo com a lã que dá
(se disfarça de pastor a todo instante)
Bucólico é o Dirceu!
E cobre seu corpo com a lã que dá
Bucólico é o Dirceu
Minha Marília Bela (Bela)
O nosso amor é idealizado (Bela)
Com pastor
A luz do iluminismo irá brilhar
Olha só o Arcadismo apareceu
Na França aconteceu!
É o fim
Da idade das trevas na terra
E cantando bem alto
Sem a força de Deus
Me disfarço de pastor a todo instante
O iluminismo irá combater a fé
E cubro meu corpo com a lã que dá!
Sou um falso burguês!
Agora, vem de pastor
Com sua poesia campestre
Minha Marília....Beeeeeeela! Ohh ohh
Sou Dirceu e você será
Iê, Iê, hum…
E o Arcadismo era (Era)
Campestre de muita simplicidade (Era)
Pastorialismo eu vou encontrar
Em Minas aconteceu!

E cantando bem alto


se disfarça de pastor a todo instante
E cobre seu corpo com a lã que dá
Burguês, então, nasceu!

Num espaço distante


Na cidade não vai morar morar
Porque o campo é o seu lugar
No Classicismo irá se inspirar
E o poeta?
9 - Romantismo no Brasil
O Romantismo no Brasil teve como marco inicial a publicação do
livro de poemas de Gonçalves de Magalhães (1811-1882), intitulado
" Suspiros poéticos e saudades", em 1836. Dividiu-se em poesia e
prosa. A poesia divide-se em 3 gerações e a prosa em romances com
temas regionalistas, urbanos, indianistas e histórico. O autor que
inaugura a prosa no Brasil foi Joaquim Manuel de Macedo. Vamos
cantar?
As principais características da literatura romântica no Brasil são:
• Rompimento com a tradição clássica;
• Amor platônico, idealismo;
• Idealização da mulher;
• Subjetivismo e egocentrismo;
• Indianismo (tema do índio);
• Nacionalismo e ufanismo;
• Culto à natureza;
• Sentimentalismo exacerbado;
• Maior liberdade formal;
• Religiosidade;
• Evasão e escapismo.
Conheça os três grandes poetas românticos. Gonçalves Dias
(barbudo) , Álvares de Azevedo (no meio) e Castro Alves (Bigode
fino).
Paródia -
Diga que vai ler !
Anna Beatriz, Sandrielly Bispo feat. Fabiano Oliveira

Da primeira
geração eu vou falar
Saudade, Natureza, exaltação
O índio era bom selvagem
Aqui tem belas paisagens cê vai ver -
A canção do Exílio
A pátria idealiza
Há presença do amor
Gonçalves Dias eterniza

Então diga que vai ler


O romantismo é bom demais
O índio
Herói se faz
Então diga que vai ler
O romantismo é bom demais
O tema
Do índio traz
Ultrarromantismo também conheço
Geração do pessimismo
ULTRARROMANTISMO também conheço
Geração do pessimismo
Ela é depressiva Gonçalves Dias é o maior nome da poesia romântica
Tédio, morte e dor 2x
a “Canção do exílio” de
Terceira geração eu vou falar
Gonçalves Dias traz à tona muito
Castro Alves autor dessa geração
É o poeta dos escravos dos ideais literários do autor: a
Em seus versos declamados exaltação da paisagem, o
Cê vai ver engrandecimento nacional e o
É O POETA DO CONDOR
liberdade vai raiar equilíbrio entre o sentimento
É O POETA DO CONDOR exacerbado e a adjetivação
A mulher sensualiza! simples no acabamento formal.
Então diga que vai ler
O ROMANTISMO é bom demais
O tema
Do escravo traz!
Então diga que vai ler
O ROMANTISMO é bom demais
O tema
Do Escravo traz
ROMANTISMO PROSA
A prosa romântica brasileira foi marcada pelos estilos dos textos, não por gerações, como
aconteceu com a poesia. O primeiro romance em prosa foi A moreninha, de Joaquim Manuel de
Macedo, em 1843. No entanto, o grande nome de o José de Alencar, responsável pelo projeto de
nacionalizar nossa literatura. As principais obras do autor são Iracema e Senhora. A obra do autor
é dividida em:
• Prosa Urbana
• Prosa Sertaneja
• Prosa Regionalista
• Prosa Histórica
• Prosa Indianista
PARÓDIA
Letra registrada por Fabiano Oliveira
feat. Lidiane Moreira e Rolemberg Costa

ÍNDIA IDEALIZADA
Nossa história de romance
Tem amor e muita traição
Lê, lê, lê
É uma índia idealizada
Que trai por amor sua nação

Desse amor nasceu Moacir


Filho do sofrimento puro
Corre mais que ema selvagem
É dona desse hálito puro

Índia é superior a tudo!

Oh Iracema idealizada
Sou Martim, cê me deu uma flechada
Oh índia, sua beleza
Oh índia é pura natureza

Oh Iracema idealizada
Sou Martim, cê me deu uma flechada
Oh índia, sua beleza
Oh índia é pura natureza!
10 - Realismo no Brasil
O Realismo é a escola literária que analisa a realidade. Marcado pelo
objetivismo, pela veracidade e pela denúncia social, o Realismo
brasileiro tem início com a obra de Machado de Assis “Memórias
Póstumas de Brás Cubas”, publicada em 1881.
Contexto histórico do realismo no Brasil
Quando o Realismo surge no Brasil em 1881, o País passava pelo
processo do abolicionismo, um movimento que tinha surgido na Europa e
promoveu o fim da escravidão brasileira em 1888.
Na mesma altura, em 1889, ocorre a Proclamação da República.
É nesse cenário, influenciado pelo Positivismo, pelo Socialismo e pelo
Marxismo, que se desenvolvem ao longo dos anos 1800, que o Realismo
surge no Brasil.
Características do realismo brasileiro
• Inversão dos ideais do Romantismo;
• Enfoque no homem e no seu cotidiano;
• Crítica social;
• Linguagem simples e objetiva;
• Personagens e ambientes descritos de forma detalhada.
O Realismo no Brasil dá enfoque ao homem, ao seu cotidiano e à crítica
social.

Obras do realismo brasileiro


Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (1881) é uma obra ousada, a
partir da qual tem início o processo de inversão dos ideais românticos ao
desmascarar interesses presentes nas relações sociais.
Dividida em 160 capítulos, começa com o relato da morte do seu narrador, Brás
Cubas, o “defunto autor”.
Dom Casmurro, de Machado de Assis (1899)
Outra incrível obra de Machado de Assim, Dom Casmurro trata da desconfiança na
relação conjugal, mais uma vez opondo-se aos ideais do romantismo.
Dom Casmurro apresenta-se em 148 capítulos, que não são suficientes para revelar a
dúvida quanto à traição de Capitu com Escobar. Capitu é o amor da vida do narrador
Bentinho, conhecido como “Dom Casmurro” (será?); Escobar é o seu melhor amigo.
O romance é um enigma. Não se pode afirmar traição.
EVIDÊNCIAS
Paródia
Diz a verdade
Letra registrada por Fabiano Oliveira
...
O realismo que agora vou contar
É machadiano
O Realismo que agora vou trazer
É contra o clero!
O medo e a frustração humana vão
Revelar que não há um herói não
Machado a denunciar a hipocrisia enfim
Da burguesia
Em Dom casmurro, Bento tenta convencer
Sobre o adultério
O realismo fala coisas que se opõem
À igreja e ao clero
Mas, a verdade a ciência vai dizer
O romantismo espaço não vai ter
É PRECISO ACEITAR QUE NÃO DÁ MAIS
Pro Romantismo e a hipocrisia
Tema da loucura, tem também adultério
Ironias e aparências
Denúncias e evidências
A burguesia vem fingindo
Não há espaço para o seu coração
É Machadiano!

Chega de mentiras
De negar os seus desejos
O realismo vem com tudo
Seu amor é por dinheiro
A linguagem objetiva
Traz a frustração humana sim
Só quero ouvir você dizer assim
Diz a verdade,
a ciência sabe
O realismo é a objetivo, sim
Diz a verdade,
a ciência sabe
Que a linguagem é objetiva enfim
11. Naturalismo no Brasil
O Naturalismo no Brasil tem como marco inicial a publicação do
romance "O Mulato" (1881), do maranhense Aluísio de Azevedo.
O naturalismo foi um movimento artístico e cultural que se manifestou
na literatura, no teatro e nas artes plásticas, e teve como principais
características a objetividade, a impessoalidade e o retrato fiel da
realidade.
Características do Naturalismo

As características do naturalismo seguem os ideais do realismo,


ou seja, estão relacionadas com a percepção da realidade.
No entanto, trata-se de um realismo mais exagerado e que abrange
sobretudo, os problemas da realidade social e de seus personagens.
• Radicalização do realismo
• Oposição aos ideais românticos
• Cientificismo e Determinismo
• Positivismo e Darwinismo
• Linguagem coloquial, clara e objetiva
• Descrições minuciosas
• Visão mecanicista do homem
• Romance experimental
• Temas sociais, obscuros e polêmicos
• Personagens patológicas (mórbidas, desequilibradas e doentias)
• Foco na análise de comportamentos humanos
• Sensualismo e erotismo
• Impessoalidade e engajamento
• Explicação pelas forças da natureza
- Forte apelo sexual das personagens e ligação com o instinto animal.

Aspectos de O Cortiço, de Aluísio Azevedo


1.Linguagem coloquial
2.Observação da realidade
3.Retrato objetivo da sociedade
4.Evolucionismo, cientificismo e positivismo
5.Descrição de ambientes e personagens
6.Problemas humanos e sociais
PARÓDIA
Letra registrada por Fabiano Oliveira

A FORÇA
A linguagem naturalista é
DO AMBIENTE de baixo calão e
representa a sociedade
registrada por Aluísio Azevedo.
Se prepara, vai rolar tara
Se prepara, vai rolar tara
Se prepara, Vai rolar tara
Traz coletividade é da classe baixa
Você já tá sabendo e eu também
O natural é instinto, eu sei também
O sexo invade, com animalidade
Raça e meio dominando a coletividade!

No naturalismo vai rolar tesão!


No Cortiço há animalização!
Seus personagens são polêmicos, então!
é tara, se prepara !
A força do ambiente, bem na sua cara!
Bem na sua cara!
A força do ambiente, bem na sua cara!
bem na sua cara!
A força do ambiente bem na sua cara!
Cheguei!
Tô preparada pra dançar!
No pátio do Cortiço, eu vou bailar!
E pra Jerônimo requebrar ah, ah e rebolar ah ah!
Eu sou Rita linda leve e solta
Como uma serpente louca!
Rita linda leve e solta
Jerônimo tem a tara louca
Rita linda leve e solta
Como uma serpente louca!
Rita linda leve e solta...
A força do ambiente bem na sua cara!
Bem na sua cara!
A força do ambiente bem na sua cara!
Bem na sua cara!
A força do ambiente bem na sua cara!
Vai rolar tara, vai rolar tara
Bem na sua cara!
Vai rolar tara, vai rolar tara
Bem na sua cara!
Vai rolar tara, vai rolar tara
Bem na sua cara!
Vai rolar tara, vai rolar tara
Bem na sua cara!
O Determinismo determina a ação!
O Positivismo é a ciência, então!
Seus personagens são polêmicos, então!
É tara, se prepara!
A força do ambiente, bem na sua cara!

CLIQUE AQUI!
SIGA O CANAL ESPAÇO ENEM NO YOUTUBE
11 - Parnasianismo
O Parnasianismo é um movimento literário que surgiu na mesma
época do Realismo e do Naturalismo, no final do século XIX. De influência
e tradição clássica, tem origem na França.
Muitas características do Parnasianismo encontram-se presentes no
Realismo. Observe, no entanto que, no Parnasianismo foram criadas
apenas poesias, não existe prosa parnasiana.
Em resumo, as características do Parnasianismo são:
• Idealização da arte pela arte
• Busca da perfeição formal
• Preferência pelo soneto
• Preferência pela descrição
• Rimas raras
• Vocabulário culto
• Objetivismo
• Racionalismo
• Universalismo
• Apego à tradição clássica
• Gosto pela mitologia greco-latina
• Rejeição do lirismo
“Lapidação das palavras, presente o descritivismo, arte pela arte é o ideal
do Parnasianismo”.
12 - Simbolismo
O simbolismo é um movimento artístico que surgiu no século XIX e teve como
principais características o subjetivismo, o espiritualismo, a religiosidade e o misticismo.
Na época em que se desenvolveu, o capitalismo e a industrialização estavam se
consolidando na cena mundial, e diversas descobertas científicas transmitiam a ideia de
evolução da civilização.
No entanto, isso acabou gerando muitos problemas sociais, como o aumento das
desigualdades, o que levou os artistas a negarem a ideia de progresso.

As características do simbolismo envolvem sobretudo, os aspectos místicos,


espirituais, intuitivos e transcendentais da literatura simbolista.
Os escritores simbolistas buscavam compreender diversos aspectos da alma humana,
compondo obras que exaltassem a realidade subjetiva.
De tal modo, é notório nas obras simbolistas a fuga da realidade, característica
manifestada por uma linguagem expressiva, imprecisa e vaga.
Oposto ao realismo e naturalismo, a subjetividade do escritor simbolista propõe a
valorização do “eu”, da imaginação e da realidade subjetiva, em detrimento das
descrições da realidade objetiva e de questões sociais, abordadas nos movimentos
anteriores.
Assim, o simbolismo vem negar a lógica e a razão.
Principais características
• Oposição ao racionalismo, materialismo e cientificismo
• Negação dos valores do realismo e naturalismo
• Musicalidade
• Misticismo, religiosidade e sublimação
• Mistério, fantasia e sensualismo
• Subjetivismo e individualismo
• Linguagem fluida e musical
• Aproximação da poesia e da música
• Universo onírico e transcendental
• Valorização da espiritualidade humana
• Exploração do consciente e inconsciente
• Combinações sonoras e sensoriais
• Uso de figuras de linguagem
Paródia -
Letra registrada por Fabiano Oliveira
A música na sombra
...

0 amor e
A música na sombra
O simbolismo no ar
Sinestesia ronda
Toda a poesia

Eu vejo Cruz e Souza

o poder
Sem lógica, sem razão
Autor de pele negra
sua poesia reina
Sugestão!

O Simbolismo contra o realismo


Combate o naturalismo
o parnasiano também

Aqui nesse poema


Há misticismo, eu sei
Há figuras de linguagens
Cosmos e sonhos
Sem ciência eu sei!!
(completar)

Com Cruz e Souza


Misticismo tem
Nega valores do realismo
Do naturalismo também!

É tão musical
Homem depressivo
Com texto sugestivo
Que nunca vai dizer

Quem sugere é você!!


A musicalidade
O ritmo no ar
Metáfora que ronda
Toda a poesia!!! Ahh aaha
(arranjos)

Com Cruz e Souza


Misticismo tem
Nega valores do realismo
Do naturalismo também!

É tão musical
Homem depressivo
Com texto sugestivo
Que nunca vai dizer
Quem sugere é você!!
13 - Pré-Modernismo
O Pré-Modernismo foi um período de intensa movimentação
literária que marcou a transição entre o simbolismo e o modernismo.
Caracteriza-se pelas produções desde início do século até a
Semana de Arte Moderna, em 1922.
Para muitos estudiosos, esse período não deve ser considerado uma
escola literária, uma vez que apresenta inúmeras produções artísticas e
literárias distintas.
Em outras palavras, ele reúne um sincretismo estético, com presença
de características neo-realistas, neo-parnasianas e neo-simbolistas.
Características do pré-modernismo
Ruptura com o academicismo;
Ruptura com o passado e a linguagem parnasiana;
Linguagem coloquial, simples;
Exposição da realidade social brasileira;
Regionalismo e nacionalismo;
Marginalidade das personagens: o sertanejo, o caipira, o mulato;
Temas: fatos históricos, políticos, econômicos e sociais.
Autores Pré-modernistas
1. Euclides da Cunha (1866-1909)
Destaque para:
Euclides Rodrigues da Cunha foi um escritor, poeta, ensaísta,
jornalista, historiador, sociólogo, geógrafo, poeta e engenheiro
brasileiro.
Publicou Os Sertões: Campanha de Canudos, em 1902, a qual é
dividida em três partes: A Terra, o Homem, A Luta. Essa obra
regionalista retrata a vida do sertanejo. Publicou também a Guerra de
Canudos (1896-1897) no interior da Bahia.

2. Graça Aranha - Canãa (Terra prometida).


3. Monteiro Lobato - O Vale do Paraíba - Urupês.
4. Lima Barreto - O Rio de Janeiro e a classe baixa.
5. Augusto do Anjos (1884-1914)
Apesar de ser considerado simbolista, o poeta Augusto dos Anjos teve
grande destaque no período pré-moderno.
Conhecido como o "poeta da morte" pelos temas inquietantes e
sombrios explorados, ele ocupou a cadeira n° 1 da Academia Paraibana
de Letras.
Sua única obra publicada em vida, Eu (1912), reúne diversos poemas
que chocam pelos temas, pela agressividade, pelo uso de uma
linguagem coloquial e cotidiana, bem como o de palavras consideradas
antipoéticas.

MÚSICA
Sobradinho – Sá e Guarabira
O homem chega e já desfaz a natureza
Tira gente, põe represa, diz que tudo vai mudar
O São Francisco, lá pra cima da Bahia
Diz que dia, menos dia, vai subir bem devagar
E passo a passo, vai cumprindo a profecia
Do beato que dizia que o sertão ia alagar
O sertão vai virar mar, dá no coração
O medo que algum dia o mar também vire sertão
Vai virar mar, dá no coração
O medo que algum dia o mar também vire sertão
14 - Modernismo no Brasil
O modernismo no Brasil teve como marco inicial a Semana de Arte
Moderna, em 1922, momento marcado pela efervescência de novas ideias e
modelos.
Lembre-se que o modernismo foi um movimento cultural, artístico e
literário da primeira metade do século XX.

Contexto histórico do Modernismo


O Modernismo surge num momento de insatisfação política no Brasil.
Isso, em decorrência do aumento da inflação que fazia aumentar a crise e
propulsionava greves e protestos.
A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) também trouxe reflexos para a
sociedade brasileira.
Assim, numa tentativa de reestruturar o país politicamente, também o
campo das artes - estimulado pelas Vanguardas Europeias - encontra-se a
motivação para romper com o tradicionalismo.
Foi a “Semana de arte moderna” que marca a essa tentativa de mudança
artística

Características do Modernismo
A liberdade é a característica principal do movimento modernista em
suas mais diferentes manifestações artísticas, tanto no Brasil, como na
Europa. No continente europeu, o Modernismo foi um conjunto de
tendências artísticas que excediam a liberdade criadora e o rompimento
com o passado. Não foi diferente no Brasil, onde a busca pelo novo e pela
identidade local permearam esse movimento. Resultado de muitas correntes
artísticas, o Modernismo na Europa e no Brasil resultou da quebra de
paradigmas e dos valores tradicionais.
Na literatura brasileira, as principais características do Modernismo
são:
· Fragmentação
· Síntese
· Busca pela linguagem brasileira
· Nacionalismo
· Ironia, humor e paródia
· Relato do cotidiano
· Revisão crítica do passado histórico e cultural
· Subjetivismo
· Versos livres
15 - Primeira Fase Modernista do Brasil
A Semana de Arte Moderna de 1922 foi estabelecida como o marco
do movimento modernista nas artes do Brasil.
A mostra influenciou as artes plásticas, o teatro e a literatura
transformando-se em um divisor de águas no setor brasileiro. A Semana
de Arte Moderna marca o que ficou denominado como o primeiro
momento modernista do Brasil.
Características
• Rompimento com as estruturas do passado
• Anarquismo, sentido destruidor
• Volta às origens
• Linguagem coloquial
• Valorização do índio brasileiro
• Nacionalismo ufanista, exagerado e utópico
• Caráter revolucionário
Autores: Mário de Andrade e Oswald de Andrade são os principais
destaques.
IMAGINE - JOHN LENNON
A LIBERDADE VEM
O MODERNISMO TRAZ
SURGE EM 22
COM LINGUAGEM COLOQUIAL!!

IMAGINA O MODERISMO
COM SEUS VERSOS LIVRES

IMAGINA OS ANDRADES
COMBATENDO O PASSADO
O MOVIMENTO ANTROPOGAFICO
A VOLTA AS ORIGENS COM OS ÍNDIOS!

IMAGINA O MODERNISMO
COM SEUS VERSOS LIVRES

TRAZ POESIAS E PROSAS


A LíNGUA BRASILEIRA
HÁ O ANARQUISMO DESTRUÍDOR
TRAZ PARÓDIAS, IRONIA E HUMOR

IMAGINA O TEATRO
LOTADO DE ARTISTAS!
SÃO PAULO DESVAIRADA
DIZENDO NÃO AO TRADICIONAL

IMAGINA O FUTURISMO
TÃO VELOZ, ENFIM
TRAZ O CUBISMO DE PICASSO
SURREAL É SONHAR
HÁ ANARQUISMO DESTRUÍDOR
TRAZ PARÓDIA IRONIA E HUMOR
IRONIA E HUMOR
IRONIA E HUMOR!
MAIS BRASILEIRA!!
MAIS BRASILEIRA!!

PARÓDIA
REPETE
IMAGINA O MODERNISMO
COM SEUS VERSOS LIVRES

Letra registrada por Fabiano Oliveira TRAZ POESIAS E PROSAS

Imagina o modernismo
A LÍNGUA BRASILEIRA
HÁ O ANARQUISMO DESTRUÍDOR
TRAZ PARÓDIAS, IRONIA E HUMOR
MAIS BRASILEIRA
MAIS BRASILEIRA...
16 - Segunda geração modernista na prosa
- O que foi a geração de 1930?
A geração de 1930 é composta por escritores da prosa modernista da
segunda geração. Preocupados com o contexto sociopolítico brasileiro – alguns
deles, inclusive, foram perseguidos pela ditadura de Getúlio Vargas –, esses
escritores utilizaram os seus livros como veículo de reflexão política e combate
ao regime vigente. Portanto, as obras desse período lançam um olhar crítico e
realista sobre o Brasil da Era Vargas.
O romance de 1930 faz uma retomada do regionalismo romântico; porém,
a partir de uma perspectiva realista, e não mais idealizadora. Nesse
neorrealismo, além de rejeitar a idealização romântica, os autores também
deixaram de lado a impessoalidade realista do século XIX. Os romances desse
período resultaram de um engajamento político; portanto, trazem a visão
pessoal do autor ou autora sobre a realidade brasileira.
Resumo da segunda fase do modernismo brasileiro
- Contexto histórico:
• Quebra da bolsa de Nova Iorque;
• Revolução de 1930;
• Era Vargas (1930-1945);

Características da segunda geração modernista


A segunda fase do modernismo durou de 1930 a 1945 e apresentou as seguintes
características:
• Foco no mundo contemporâneo;
• Reflexão sobre o sentido de existir;
• Conflito espiritual: fé versus desilusão;
• Textos focados no contexto sociopolítico.
• Liberdade no uso da linguagem;
• Liberdade formal;
• Perspectiva realista;
• Presença de “cor local” na prosa.
Principais autores:
• Graciliano Ramos; José Lins do Rego; Jorge Amado; Rachel de Queiroz e Erico
Veríssimo.
Paródia É com vidas secas

Pequena
...
Quando modernismo chegar entenda
A seca será a temática abordada iá, iá

Eva Tem o nordeste como temática (tema)


Pobreza, miséria a denunciar
Segunda geração irá se consagrar
Letra registrada por Fabiano Oliveira
Quando modernismo chegar entendo
A seca será a temática abordada iá, iá
Tem o nordeste como temática (tema)
Pobreza, miséria a denunciar
Segunda geração irá se consagrar

É com Vidas Secas


Que Graciliano Oh
É com Vidas Secas
Que ele denuncia o opressor oh...

É com Vidas Secas


Que Graciliano Oh
É com Vidas Secas
Que ele denuncia o opressor oh...

É de Jorge Amado,
E José Lins do Rego
Capitães da areia, meu bem
Menino de engenho
Capitães da areia, meu bem
Menino de engenho

Capitães da areia
É de Jorge Amado oh
Capitães da areia
Pedro Bala contra o opressor
Segue no instragram @ proffabianooliveira
Sabe aquele seu sonho mais secreto e que pouca gente acredita? Só depende de você!
Acredite! Todos os obstáculos são apenas provas para que você seja um grande vencedor. Ocupe
seu espaço e nunca se esqueça de que diante de pessoas ruins, falta de apoio ou circunstâncias
negativas, conduza a situação com foco no pensamento: "Eu nasci para ser vencedor e nada vai me
atrapalhar!" Afinal, o caminho se faz entre o alvo e a seta.
Sua voz é sua revolução. Enfim, chegou a hora!
Fabiano Oliveira
Professor Msc. da Rede Pública de ensino de Sergipe.

Redes sociais de Fabiano


@proffabianooliveira
Espaço Enem no Youtube
Facebook
suamusica.com.br