Você está na página 1de 18

ESCASSEZ:

LIVRO
ALEX FORBES
"Eu estou passando por uma grande transformação. Uma mudança irreversível.
Um novo caminho. Uma nova vida. Um novo modo de ser e viver. Hoje eu sentir
pela primeira vez a vontade de me afastar da pessoa que eu mais considero na
vida. Não sei porque sou tratado como se fosse nada por alguém que eu
considero tudo. É triste. E isso não é algo novo para mim. Enfim, tenho
esperança de melhorar e isso é bom."

- Extraído de: Diário Alex Forbes, 22/04/2020.


SUMÁRIO
1. "Capítulo 1 - Eu senti em você." ....................................................................
2. "Capítulo 2 - Desistir de você." ....................................................................
3. "Capítulo 3 - Ela sabia." ...............................................................................
4. "Capítulo 4 - E chegou a primavera." ................................................................
5. "Capítulo 5 - Definições de amor." ................................................................
6. "Capítulo 6 - Medos." ....................................................................................
7. "Capítulo 7 - Virou de cabeça para baixo." ......................................................
8. "Capítulo 8 - Espelho." ....................................................................................
9. "Capítulo 9 - Prazer em lhe ter de volta." ......................................................
10. "Capítulo 10 - Minha mente." .........................................................................
11. "Capítulo 11 - Solidão." ..................................................................................
12. "Capítulo 12 - "Coronavírus: o impacto da doença na saúde mental de
adolescentes e jovens"." .......................................................................................
13. "Capítulo 13 - Perdão." ...................................................................................
Capítulo 1 - Senti em você

Quando te conheci não imaginava que sentiria algo assim.

Eu estava no momento mais forte da minha depressão.

Todos os dias antes de me arrumar para ir para a aula, que tinha início as
13:30, eu desabava até as 13:25.

Quando entrava por aquele portão azul, tinha que ocultar tudo e manter a
postura de uma pessoa forte e poderosa.

Sempre fui contra o suicídio, mas tentei 8 vezes.

Sempre odiei amizades por elas sempre decepcionarem as pessoas ao


meu redor.

Eu tinha muito pavor da palavra amigo. Gostava de dizer que as pessoas


eram apenas conhecidas minhas ou no máximo colegas.
Independentemente de quem fosse.

Mas eu senti em você, algo que não conseguia entender. Eu sentia que
você não me decepcionaria jamais.
Capítulo 2 - Desistir de você

Eu sempre desabava até as 13:25. Mas isso mudou com um tempo.

Você era minha dupla de todas as tardes. Mas, errei com você e me deixou
sozinho.

Te ver com sua nova dupla eram os gatilhos necessários que eu precisava para
cair cada vez mais.

Eu conseguia sentir a mesma dor que já sentia.

A dor que eu sempre encontrava ao chegar em casa.

A dor de ter sido trocado pelo amor da minha vida, também por erro meu.

Uma dor tão emocional que acabou se tornando física. Sentia como se
houvesse algo dentro de mim explodindo-me e consumindo por inteiro.

Uma escuridão.

Olhava pra ti de longe e o via ser feliz com ele e ficava feliz, mas, ao mesmo
tempo sentia a dor de não ter sido o melhor para você.

Ainda continuei amando você e tentando lhe deixar ao meu lado.

Aceitei sua frieza e morei no inverno.

Tentava lhe mostrar que estava aprendendo e me esforçando para ser um


amigo melhor. Todos os dias.

Você não conseguia me ver, ou se negava a isso.

Mesmo assim eu não queria desistir de você...


Capítulo 3 - Ela sabia

A dor aumentou. E aumentava quando percebi que vocês estavam ficando


cada vez mais próximos. E longe de mim.

Houve uma tarde que eu não aguentei.

"Boom, boom, boom."

Explosões dentro de mim destruindo todos os meus órgãos e eu não conseguia


não me contorcer sentado na cadeira.

"O que está acontecendo com você?" - Questionou minha colega preocupada.

"Não é nada. Estou com dor de barriga" - Respondi.

"Você está muito quente. Precisa ir para casa." - minha colega indagou.

Ela conversou com a nossa instrutora e fui levado para outro local para aguardar
minha mãe vir me buscar.

Coloquei o capacete e subi em cima da moto e conseguia vê-la chorar pelo


retrovisor ao perceber que eu estava fazendo isso também.

Sem falar uma palavra, chegamos em casa. Ela sabia que eu tinha inventado
uma dor de barriga falsa para poder sair de lá.

Ela sabia que a dor vinha de dentro do meu coração. Não sei como, mas ela
sabia.
Capítulo 4 - E chegou a primavera

Tempo passou e finalmente você percebeu.

Eu conversei contigo sobre tudo e editei um vídeo para te mostrar como me


sentia.

O vídeo tinha o mesmo nome desse livro, Escassez. E simbolizava o vazio, a


escassez que eu recebia de você.

E finalmente você melhorou.

Finalmente se reaproximou de mim e finalmente eu não desabava mais depois


das 13:25.

Você continuou lá, mas também aqui.

O inverno já não existia mais e chegou a primavera.

E antes que me pergunte, eu coloquei o mesmo nome nesse livro para você se
lembrar de tudo que aconteceu também.
Capítulo 5 - Definições de amor

"Você pode nos contar sobre o amor?


Hmm, bem, há amor de crianças
Amor próprio
Amor de Deus
Amor de um parceiro
Amor de um amigo
Amor de um irmão
Todos eles têm uma forma diferente
Mas todos eles são os mesmos no final
É sobre sensibilidade, é sobre paixão
É sobre a entrega incondicional de si a outra pessoa
E há amor pela humanidade
Esse é o amor que é agora mais necessário
Amor da humanidade"

Extraído da música BLACK EFFECT - The Carters.


Capítulo 6 - Medos

Assim como qualquer outra pessoa, assim que entra para uma escola
nova, seja ela de dança ou de qualquer outra coisa, sempre busca se
enturmar. Novos amigos. Formar novos vínculos.
Comigo não foi diferente. Eu sentia essa vontade muito grande em mim porque
eu via que aqueles amigos que eu poderia ter, seriam com certeza os melhores.
Ter amigos da dança. Que incrível. Sempre gostei de andar rodeado de
pessoas, nunca gostei de andar só. E amigos de uma coisa que eu sou
apaixonado em fazer. Seria a combinação perfeita.
Eu tentei de todas as formas possíveis me encaixar. Participei de eventos antes
de entrar na academia. Confesso que fiz todo um preparo para isso acontecer, e
infelizmente não deu certo. E o maior culpado disso sou eu mesmo. Eu sentia
que nunca era interessante o suficiente. Por ser novato na dança, eu não sabia
do que falar e o que falar. Isso percorreu profundamente em mim.
Esse medo de não ser aceito me impediu de criar os laços que tanto queria. Eu
até consegui com alguns, mas eu sempre estrago tudo. Eu nunca me perdoarei
por esses medos. E por não ter tentado mais. Se ao menos eu tivesse tentado
de uma forma melhor, de uma forma mais, enfim. No fundo eu acredito que não
posso fazer parte deles.
Capítulo 7 - Virou de cabeça para baixo

Teve um momento da minha vida em que ela quase virou de cabeça para
baixo. Abandonei a dança pela primeira vez por não acreditar mais que
seria capaz. Mas não apenas isso, as circunstâncias financeiras da minha
família aqui não eram suficientes para me manter em uma academia daquele
nível e eu tinha acabado de perder meu emprego.
Com isso fui morar com meu pai em outro estado. Uma nova vida. Um
recomeço. E que sinceramente foi uma das tentativas mais frustantes de toda
minha vida.
Eu me sentia sozinho em maior parte do tempo e sentia um arrependimento
enorme. Longe de todos os meus amigos, todos os dias eu ficava relembrando
todos os momentos que tive com cada um e caía em todas as recordações. Mas
o medo tomava conta de mim e me impedia de retornar. Não apenas o medo,
mas também uma escolha bastante difícil: trocar uma vida de luxo, poder e mais
coisas que sempre quis por coisas e pessoas que amo? Bom, muitos me diziam
"Mas você tem tudo aí, pode até mesmo recomeçar sua vida na dança e ganhar
mais sucesso". Sim, eu tive tudo, menos o meu coração. Tinha esquecido de
trazer comigo na mala. Então, eu voltei.
No começo foi uma escolha extremamente difícil. Mas no momento que cheguei
na minha cidade, eu percebi com lágrimas e mais lágrimas que eu de fato tinha
que voltar. Ver todos os meus amigos, minha família, se sentir em casa e a
liberdade de seguir o que eu mais amo nesse mundo: dançar. Mesmo que
isso, depois de um certo tempo pudesse se tornar um pesadelo para mim, eu
faria tudo novamente, sem hesitar.

Não há nada melhor no mundo que fazer o que se ama. Não há dinheiro. Não há
poder e glória que sejam maiores da sensação que você tem ao fazer algo que
se sente bem.
Capítulo 8 - Espelho

Eu sempre fui uma pessoa cheia de autoestima e perder isso foi um terror
pra mim.

Quando finalmente eu consegui retornar para as aulas, eu já não tinha


mais o mesmo corpo, o mesmo equilíbrio, a mesma flexibilidade. Eu já não
conseguia confiar em mim mesmo como fazia antes. Eu lembro-me do dia em
que me escondi atrás dos outros colegas para não realizar a sequência com
medo do que iriam achar de mim quando errasse. No fim daquela aula, eu olhei
pra mim mesmo no espelho da academia e pensei: - "O que você está fazendo
aqui?". Segurei o choro e parti para outra aula.

Com todas essas coisas ruins acontecendo eu sentia como se eu estivesse em


uma praia sozinho aproveitando as ondas do mar. Vinha uma onda. Eu pulava.
Vinha outra onda. Me derrubava mas não me feria muito. As ondas começaram
a ficar cada vez mais fortes e pesadas pra mim. Eu comecei e temer que eu e
meu corpo não seriam fortes o suficiente para enfrentar as ondas mas mesmo
assim eu continuei porque eu ainda acreditava em mim. Eu acreditava que seria
capaz. E a onda veio tão forte que me engoliu por inteiro. Inundou toda a minha
coragem. Inundou toda a minha confiança. Levou de mim tudo o que ainda
sobrava. Deitei-me na areia e ali fiquei.
Eu travei a minha mente em um estado em que eu só conseguia estar
desapontado comigo mesmo. Não conseguia mais imaginar-me em nada. Tudo,
exatamente que eu fizesse já não era mais suficiente para mim.

Quebrei o espelho do meu quarto e deitei acima dos vidros e pedaços


espalhados pelo chão. Enquanto isso, os meus erros, dos mais simples
erros vinham na minha mente me atordoar.
Capítulo 9 - Prazer em lhe ter de volta

Essa casa escura e sozinha me faz pensar em tudo. Luzes apagadas, tudo
em escuridão refletindo meu interior. Me deito no chão da cozinha e só
consigo, as vezes, não pensar em nada, apenas sentir.

Sentir o vazio, os erros, as consequências deles, a forma como sou tratado por
você e o efeito disso em mim. Pensamentos, pensamentos, sensações,
sensações, emoções, emoções e dor.

Querida escuridão, prazer em lhe ter de volta. Eu senti que de alguma forma
você voltaria para mim. Eu tentei evitar você todos os dias. Tentei não lembrar
de você todos os dias. Mas você é inevitável. Quero que saiba que eu não estou
com medo de você. Fique o tempo que quiser. Sua cor é poesia para mim. E
acredito que você me fará uma boa companhia.
Capítulo 10 - Minha mente

"Toda vez, todo momento que eu penso em desistir, eu penso em como


vou deixar os meus inimigos felizes. E isso me dói ainda mais,
porque não há nada que eu possa fazer para impedir isso acontecer."

"A dor que eu sinto é tão forte que eu mal consigo respirar."

"A verdade um dia vai aparecer de qualquer forma, e quando ela aparecer
eu irei tomar minha decisão final."

"Se eu chegar a escolher partir, eu quero que você saiba que eu lutei
demais. Mas toda luta traz uma dor. E quando a dor é forte demais, quando
a dor percorre por dentro te fazendo contorcer cada membro do seu corpo,
é difícil de resistir a isso. Mas eu espero que um dia você não precise
descobrir."

"Eu sou uma pessoa bastante sensitiva. Eu sinto as coisas antes delas
acontecerem. Isso é horrível."

"Infelizmente, a dor de realizar sequências, falhas durante a aula, ter seu pé


sendo literalmente esticado, não é a única que existe entre um bailarino e
o seu sonho de se tornar o melhor".

"Será que sou tão incapaz assim?"

"Toda vez que quero pensar e e estou triste, eu subo na meia ponta. Gosto
de ver a dor dos meus ossos sendo pressionados desaparecer enquanto
sigo pensando. Já fiquei 30 minutos assim. A dor física, as vezes, passa
despercebida quando a dor de dentro é maior."

"Depois da dor sempre vem o ódio. E a partir do momento que eu sentir


isso acontecer em mim eu prefiro o meu fim do que fazer mal a voce."
Capítulo 11 - Solidão

eu venho pensado bastante

essas paredes dessa casa me fazem refletir sobre tudo

você me diz que a solidão pode ser boa e eu acredito

mas as vezes não

me deito no chão da cozinha

do meu lado esquerdo está uma garrafa de tequila

de outro lado, uma de conhaque

desce uma única lágrima do meu olho esquerdo enquanto eu digo em voz alta

Eu perdoou você e acredito em você

por isso, mesmo assim eu fico.


Capítulo 12 - "Coronavírus: o impacto da
doença na saúde mental de adolescentes
e jovens"

"A crise gerada pela covid-19, doença causada pelo novo


coronavírus, tem um forte impacto na vida de jovens com
problemas de saúde mental pré-existentes. A perda da
rotina, o fechamento das escolas e o cancelamento das provas
são alguns dos fatores envolvidos.

Uma pesquisa do instituto YoungMinds, organização não-


governamental pela saúde mental dos jovens, mostrou que a
pandemia está tendo um efeito profundo em jovens
com questões ligadas a saúde mental. Embora eles entendam a
necessidade das medidas de isolamento social, diz a pesquisa,
isso não diminuiu o impacto em sua saúde.

Para adolescentes, perder a liberdade é algo muito difícil. Lígia e


sua família, por exemplo, estão em isolamento em seu
apartamento no Reino Unido desde o dia 18
de março, porque sua mãe está nos últimos meses da gravidez.

Para alguém que estava sempre fora de casa, encontrando


amigos e trabalhando, ela diz que é um desafio ficar presa em
um apartamento com quatro pessoas.

'Desde o início do isolamento, minha ansiedade aumentou


muito", diz Ligia. 'Com frequência, ela vem sem que eu espere.
Tenho dificuldade em respirar e pensar direito.
É uma sensação de confusão.'
Capítulo 12 - "Coronavírus: o impacto da
doença na saúde mental de adolescentes
e jovens"

Naomi, de 21 anos, diz que sua ansiedade também aumentou


muito por causa do coronavírus. Estudante de psicologia,
ela teve as provas de final de semestre canceladas e,
embora as aulas tenham sido feitas às distância, pela
internet, a falta de rotina e incertezas quanto ao curso a
afetaram.

Coisas que ela fazia para controlar a ansiedade, como


voluntariado e seguir uma rotina rígida que a fazia sair de
casa, não são mais uma opção. Então ela teve que
desenvolver novas ferramentas.

Naomi tem escrito um diário, onde tenta responder questões


como 'O que está me fazendo me sentir assim?' e 'Pelo que
estou grata hoje?'.

'Essas perguntas me ajudam a pontuar o que eu fiz durante


o dia, o que foi positivo, e também o que me preocupa', diz
ela.
Ao mesmo tempo, ela tem medo de que pessoas como ela,
que tem problemas de saúde mental crônicos, sejam
esquecidas."

- Texto extraído da matéria da BBC NEWS BRASIL


(04/04/2020) - "Coronavírus: o impacto da doença na saúde
mental de adolescentes e jovens"
Capítulo 13 - Perdão

Por mais que você seja assim

Eu te entendo, e te perdoou

E fazer isso faz com que a dor fique de lado

faz com que o ódio desapareça

e eu não seja mal com você.

Acredito em você

e acredito que mesmo quando faz essas coisas comigo

você não é

ou não quer ser mal.

por isso, eu fico.

o mundo é horrível demais para seguir sozinho, sem um amigo que possa
confiar profundamente.

Sem alguém para dividir os momentos.

o perdão é algo libertador.

E eu senti muito sua falta, irmão.


AUTOR:
ALEX FORBES
PRODUÇÃO (E-BOOK):
ALEX FORBES
EDIÇÃO(E-BOOK):
ALEX FORBES

ESCASSEZ: LIVRO
2021

Você também pode gostar