Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CÍVEL

DA COMARCA DE CACOAL/RO

Autos: ​2021.17.1
Assunto: Ação De Reparação De Dano Em Razão De Publicações Ofensivas
Em Grupo De Whatsapp
Autor(es): RANIVAN DA SILVA
Réu(s): JOSÉ DE OLIVEIRA e ANA SANTOS

RANIVAN DA SILVA ​ajuizou AÇÃO DE


REPARAÇÃO DE DANO EM RAZÃO DE PUBLICAÇÕES OFENSIVAS EM
GRUPO DE WHATSAPP ​em face de JOSÉ DE OLIVEIRA ​e ANA SANTOS, ​partes
devidamente qualificadas nos autos.

Narra o autor que é sindico do condomínio Pedral no município de Pedra Santa.


Após constatar necessidade de melhorias: pintura, instalação de bancos e
brinquedos na área comum do prédio, o requerente levou as demandas à
Assembleia de moradores para uma deliberação conjunta das medidas a serem
tomadas.

Em Assembleia, os integrantes e moradores JOSÉ DE OLIVEIRA e ANA SANTOS,


demonstraram desagrado às propostas do requerente, afirmando que eram
melhorias desnecessárias e feitas só para “engordar o bolso” de alguns. Tendo os
dois interesse com a vaga de síndico e durante o período de votação das melhorias,
os réus JOSÉ DE OLIVEIRA e ANA SANTOS, produziram e encaminharam “memes”
denegrindo a imagem do requerente em um grupo com mais de 100 moradores.
Desse modo, requer uma indenização por danos morais no valor de R$ 10.000,00
(dez mil reais).

Os réus, em contestação, alegam que as postagens foram elaboradas com a


finalidade de educar os moradores do condomínio Pedral. Negam danos e pedem
que: a) Seja a demanda julgada improcedente, uma vez que não há provas
suficientes do dano experimentado pelo Autor; b) Subsidiariamente, em caso de
procedência do pedido principal, seja diminuído o valor pretendido para, no máximo,
um salário mínimo vigente; c) A condenação do Autor ao pagamento de custas,
despesas processuais e honorários advocatícios a serem arbitrados por Vossa

  
Excelência; d) Requer que todas as intimações e publicações sejam realizadas em
nome e encaminhadas ao advogado infra-assinado.

Da análise dos documentos juntados, em especial dos comentários e “memes” em


redes sociais, restou comprovado os danos morais por parte dos réus, devido ao
teor pejorativo das postagens.

Ademais, ainda que os réus aleguem que a produção e divulgação das imagens
foram com finalidade educativa, como uma medida de alerta, ainda assim
divulgaram a imagem do autor sem sua permissão, além de associá-la a alguém
sem ética que tenta enriquecer às custas dos moradores, o que prejudicou sua
confiança com os mesmos.

Uma vez comprovada a autoria das postagens por parte dos réus e os danos
causados em virtude delas, em decorrência do nexo de causalidade acima
declinado, exsurge a obrigação de indenização.

Com base nas condições econômicas dos requeridos, em homenagem aos


princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, fixo em dois salário mínimo
vigente o valor da indenização por dano moral a ser pago por cada uma das partes
rés ao autor. Ante o exposto, JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTE O PEDIDO
para:

a) Condenar aos réus o pagamento do valor de dois salários mínimos vigentes, por
cada uma das partes, monetariamente atualizado a partir do desembolso e
acrescida dos juros legais a contar da citação, a título de danos morais;

Cacoal, ____ de _______ de _______.

JÚLIO CÉSAR NASCIMENTO COSTA

JUIZ DE DIREITO

  

Você também pode gostar