Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

CURSO DE FÍSICA MÉDICA

CAMILA CECHIN MARINELLO


LUANY NOBRE FURLAN

ELETROSTÁTICA

PORTO ALEGRE, RS
2020
1. Eletrização por Atrito

Ao aproximar o canudo atritado dos pedaços de papel, eles foram atraídos pelo
canudo, ficando grudados. Inicialmente, o papel higiênico e o canudo estavam neutros,
ou seja, possuíam a mesma quantidade de prótons e elétrons. Todavia, quando atritado, o
canudo ficou com um maior número de cargas negativas, e o papel higiênico de cargas
positivas. Por isso, quando o canudo, cuja carga é negativa, se aproxima dos pedaços de
papel, cuja carga positiva é atraída pelos elétrons, fazendo com que os papéis se prendam
a superfície do canudo, comprovando assim que corpos eletrizados atraem corpos neutros.

Segurando os dois canudos eletrizados de forma paralela entre si, ocorre uma
resistência ao aproximá-los, fazendo com que eles sofram repulsão. Isso devido os
canudos serem de cargas iguais, ou seja, ambos com carga negativa.

Quando a região atritada de um canudo é aproximada de uma lata vazia de


refrigerante, a qual encontra-se em repouso sobre uma superfície plana e horizontal, a lata
é atraída pelo canudo. Conforme ele é afastado da lata lentamente, ocorrerá uma atração
entre ambos objetos, já que foram sujeitos a forças elétricas. Isso faz com que a lata saia
do repouso e se locomova de acordo com a orientação do canudo, pois a superfície da lata
é neutra, enquanto a do canudo está eletrizada negativamente.

2. Um Canudo Eletrizado Contra a Parede


Quando um canudo atritado é jogado contra a parede ele fica junto a ela, devido as
cargas dos dois corpos, canudo carregado negativamente e a parede neutra. A força que
faz com que isso ocorra é elétrica, a qual pode ser calculada por meio da Lei de Coloumb.

3. Construindo um Versarium Caseiro


Um eletroscópio montado com um canudinho de refresco, eletrizado pela metade e
equilibrado na ponta de um lápis, foi aproximado de um barra de vidro eletrizada. Após
esse processo, o canudo e a barra de vidro sofreram repulsão, devido estarem carregados
com a mesma carga, negativa, já que ambos foram atritados.
Ao repetir o procedimento anterior, utilizando uma régua de acrílico eletrizada,
aproximando-a do canudinho negativamente carregado, houve atração entre eles, já que,
com o auxílio da série Triboelétrica, a régua de acrílico possui carga positiva, enquanto o
canudo, eletrizado, possui carga negativa, logo, houve uma atração.

4. Eletrização Por Indução


Quando o canudo atritado é aproximado do lado oposto ao papel seda, ocorre uma
indução. Ou seja, o canudo negativamente carregado ao se aproximar da cartolina neutra,
atrai os prótons e repele os elétrons, esses elétrons repelidos fazem com que o papel seda
neutro sofra repulsão por conta de suas cargas negativas. Assim, ele se afasta da cartolina
por repulsão, devido as cargas serem de sinais iguais.
Quando o dedo (neutro) é encostado na cartolina, na parte em que se encontra o
papel seda, os elétrons da cartolina são conduzidos para o dedo, fazendo com que ela
possua maior quantidade de prótons. Esses prótons da cartolina atraem os elétrons do
papel seda.
Ao afastarmos o dedo e em seguida o canudo, a cartolina fica carregada
positivamente, pois os elétrons ficaram no dedo. Assim, os elétrons do papel seda são
atraídos, fazendo com que ele fique com maior número de prótons.
O papel seda é classificado como isolante e possui carga positiva. Isso porque, o
corpo induzido (seda) é carregado com carga de sinal oposto a do indutor (canudo), cuja
carga é negativa.

Você também pode gostar