Você está na página 1de 7

A vida seria muito monótona e chata se todos os dias fizéssemos exatamente as mesmas coisas, ou seja,

se enfrentássemos a jornada com segurança e controle absoluto de todos os detalhes. As pessoas têm
uma enorme força de vontade, mas para poder praticá-la têm que definir novos objetivos. Os desafios
que se tornam objetivos são um estímulo e ajudam as pessoas a crescer e avançar no caminho da vida
com a satisfação de ser cada dia um pouco mais sábio e competente. O desafio seria um objetivo
pessoal para quem demonstra que pode por si só lutar para alcançar essa meta. O desafio é o objetivo a
ser cumprido através de um plano de ação.Existem vários tipos de desafio e que apresentam uma
ordem diferente de dificuldade. Quanto mais difícil o desafio maior será o seu esforço para alcançá-lo.
Há duas épocas do ano que são ideais para estabelecer novos desafios. Por exemplo, o mês de Janeiro,
pois iniciar o ano implica deixar para trás tudo que é negativo e recomeçar um ano novo com certa dose
de ilusão. Outro momento para iniciar novos desafios é o mês de Setembro, momento que os adultos
voltam ao trabalho após as férias de verão na Europa.

A primeira Embaixadora de Boa Vontade para a 3ª Idade em Moçambique é a sua esposa, Isaura
Fernandes. Nas suas declarações, lembra as percepções que devem ser desencorajadas sobre a condição
de idoso.

“O envelhecimento nunca pode ser definido como uma doença. É resultado do desenvolvimento e,
como tal, isso significa que a pessoa ao possuir 60 ou mais de 65 anos, obtendo a sua reforma, não deve
ficar parada, porque até é prejudicial para a própria pessoa, prejuízo físico e mental”, defendeu.

Sabe-se que uma das maiores conquistas da humanidade foi o aumento dos anos de

vida, além de uma melhoria na saúde da população idosa, mesmo que essas conquistas não

estejam nem mesmo próximas do ideal. Chegar à velhice, que antigamente era privilégio de

poucas pessoas, hoje é comum, mesmo em países subdesenvolvidos. Porém, esta conquista se

transformou em um dos grandes desafios para o século XXI.

Conforme Leone; Maia e Baltar (2010), observa-se que a demografia brasileira


sofreu alterações que tiveram início nos anos de 1970, com a migração das famílias da zona

rural para a zona urbana, acarretando transformações no estilo de vida da população, com a

queda na mortalidade infantil e uma diminuição do número de pessoas nas famílias. Com a queda da
natalidade, têm início as modificações na estrutura etária da população brasileira

O envelhecimento populacional é um fenômeno que acontece em ritmo acelerado em

todos os países do mundo. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -

IBGE (2010), atualmente no Brasil há mais de 26 milhões de pessoas idosas - cerca de 13,7%

da população total, com idade acima de 60 anos. Conforme estimativas, os idosos farão parte

de um grupo maior que o de crianças com até 14 anos, em 2030. E, em 2055, estima-se que o

número de idosos será maior que o de crianças e jovens com até 29 anos. Observa-se que, em

2025, serão 64 milhões de velhos e, em 2050, um em cada três brasileiros será idoso,Há alguns séculos,
a “velhice” era vinculada à pobreza, à inatividade, à quietude.

Somente a partir da década de 1960 novas imagens são integralizadas e associadas ao

processo de envelhecimento, quais sejam, a saúde, atividade, aprendizagem e satisfação


pessoal, perpassando as duas dimensões: Uma considerada como sucessão de perdas e outra

que assume a vida como um estágio de observação e equilíbrio (SIMÕES, 1998).

De tal modo, em virtude das várias mudanças relacionadas às transformações destes

conceitos, faz-se necessário a compreensão dos diversos significados que podem interferir no

processo de reconhecimento do envelhecimento, tal como as várias definições do termo

“velhice”. Para tanto, procurou-se traçar o percurso histórico dos conceitos de velhice, assim

como os fatos que as originaram e que suportaram sua definição.

Os procedimentos metodológicos se apoiaram na pesquisa bibliográfica de natureza

descritiva. Buscou-se publicações, teses, dissertações e artigos sobre os conceitos de “velhice”

e “envelhecimento” nas bases de dados da Scientific Library on-line (Scielo) e da literatura

Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS); no período de 1959 a 2017,

o que totalizou 89 produções. Esta escolha deveu-se ao fato de que no ano 1959 ocorreu a

primeira publicação sobre o tema “velhice”, utilizando-se os seguintes descritores: “velhice”,


“envelhecimento”, “conceituações de velhice e envelhecimento

Segundo as últimas pesquisas do IBGE, a expectativa de vida em nosso país agora é de 75 anos, sendo
assim, o número de idosos presentes na sociedade aumentou gradativamente e ainda vai aumentar.

Entretanto, os idosos ainda enfrentam muitos desafios nos dias de hoje, o que pode causar-lhes
frustração, depressão e atrair as mais diversas doenças.

O apoio da família é o mais importante para ajudar as pessoas da terceira idade a superarem tais
obstáculos, afinal, ao se sentirem apoiados, eles também se sentirão mais amados e dispostos a
enfrentar seus problemas diários

Quais são os principais desafios enfrentados pelos idosos

A seguir listamos os principais desafios que as pessoas na terceira idade enfrentam e como superá-los
da melhor maneira.

Abandono da família

Os filhos crescem, conquistam sua independência financeira e se casam, logo, saem de casa para
começarem a sua própria família, o que é totalmente natural.

Porém, em alguns casos o idoso acaba sendo esquecido, ninguém o visita, liga ou se preocupa em como
ele está, o que gera um sentimento terrível de abandono e pode desencadear doenças como a
depressão.

Este assunto deve ser levado a sério, pois a terceira idade é uma fase que torna as pessoas mais
sensíveis no âmbito emocional, então é preciso dar atenção à esse ponto importante.

Falta de respeito
Sabe aquela frase: respeito é bom e todo mundo gosta? Pois é, ela é totalmente verdadeira. Mas no
caso dos idosos, algumas pessoas simplesmente esquecem que eles merecem não apenas o mesmo
respeito que outras pessoas, mas sim muito mais.

Lembrando que respeitar um idoso não se trata apenas de obedecê-lo, mas sim dar atenção ao que ele
tem a dizer, ter paciência com suas queixas e estar disponível para ajudá-lo sempre que for preciso.

Perda da audição

Infelizmente mais de 14% da população brasileira sofre com problemas de audição, e dentro dessa
parcela quem mais sofre são os idosos, pois possuem muita dificuldade de adaptação à nova fase da
vida.

Não ouvir bem traz muitos desafios para pessoas na terceira idade uma vez que muitos começam a
sentir vergonha de conversar com os familiares e amigos por não conseguirem entender o que estão
falando, e em muitos casos, por não o compreenderem.

Para solucionar tal problema, o idoso deve visitar um médico especializado, que o ajudará a encontrar o
aparelho auditivo ideal para o seu caso.

Transportes públicos

Por mais que os idosos paguem menos na passagem de ônibus ou até mesmo não paguem, eles
enfrentam grandes desafios para utilizar não apenas esse meio de transporte, mas todos os outros. Nas
grandes cidades, por exemplo, poucos cobradores, motoristas e passageiros dão a atenção que eles
merecem.

Conseguir um lugar para se sentar então, pior ainda. Muitas pessoas não respeitam os assentos
dedicados às pessoas da terceira idade e tomam o seu lugar.

Instabilidade no equilíbrio
Conforme a idade avança, alguns problemas de saúde costumam aparecer, muitas vezes, em
decorrência de uma má alimentação e falta de atividades físicas ao longo da vida. Dentre os desafios
mais comuns está a dificuldade de se equilibrar em determinados ambientes, como piso úmido, escadas
etc., o que ocasiona quedas e fraturas que podem comprometer a qualidade de vida do idoso.

Por exemplo, se o idoso cai e quebra um osso da perna, ele necessitará de uma cirurgia para solucionar
o problema. Se ele tiver osteoporose, a recuperação será muito mais lenta e exigirá mais cuidados
especiais.

Levando tudo isso em consideração, é importante que você ofereça uma estrutura adequada para o
idoso viver com segurança e diminuir, ao máximo, esses acidentes.

Transporte público

Embora os idosos tenham direito à passagem franqueada, eles ainda enfrentam desafios para utilizar os
transportes públicos. Principalmente em cidades grandes, nem sempre o motorista e o cobrador
costumam dar a atenção devida aos passageiros da terceira idade, alguns costumam ser grosseiros ao
ter que passar alguma informação ou prestar algum tipo de ajuda.

Sem contar com a enorme dificuldade que há em conseguir um banco para sentar. Apesar dos diversos
avisos dentro do ônibus, algumas pessoas não respeitam a lei e não cedem o seu lugar para que o idoso
possa sentar.

Para solucionar esse tipo de problema, só lhe resta conversar com o idoso e orientá-lo sobre o que ele
precisa fazer nesse tipo de situação a fim de evitar futuros transtornos, pois esse tipo de problema vai
muito além do seu poder para resolvê-lo completamente.

Falta de interação social

A falta de interação social é um mal que compromete a saúde emocional, tornando-se, talvez, um dos
maiores desafios enfrentados pelos idosos na sociedade. Não são todas as pessoas que têm paciência
para conversar com os mais velhos, por isso, é importante que eles sejam incluídos nos ambientes em
que se sintam bem e à vontade para contar suas histórias.
Uma boa dica é incentivá-lo a participar dos grupos da terceira idade, que normalmente estão presentes
em todas as cidades. Nesses locais, eles costumam fazer atividades que trazem a motivação para cuidar
melhor de si mesmos. Sem contar que frequentemente participam de bailes, bingos, atividades ao ar
livre e muito mais. Isso ajudará o idoso a interagir socialmente e diminuir, em grande escala, os riscos de
depressão e ansiedade.

Como você pôde observar, são muitos os desafios que os idosos enfrentam na sociedade, mas apesar
disso não há motivos para que eles desistam. Existem muitas atividades que eles podem realizar para se
sentir independentes e fortes e, claro, com a sua ajuda, esse processo se tornará muito mais fácil. Sendo
assim, não economize no carinho e amor e demonstre como essa pessoa é especial para você todos os
dias. Com certeza verá que essa atitude fará toda a diferença.

Gostou do conteúdo e quer ajudar outras pessoas a enfrentar esses desafios? Então compartilhe este
artigo nas suas redes sociais!