Você está na página 1de 11

Sandra Mara Dobjenski

XXX EXAME DA OAB


DIREITO TRABALHISTA
71. Uma indústria de calçados, que se dedica à exportação, possui 75 empregados.
No último ano, Davi foi aposentado por invalidez, Heitor pediu demissão do
emprego, Lorenzo foi dispensado por justa causa e Laura rompeu o contrato por
acordo com o empregador, aproveitando-se da nova modalidade de ruptura trazida
pela Lei nº 13.467/17 (Reforma Trabalhista).
De acordo com a norma de regência, assinale a opção que indica, em razão dos
eventos relatados, quem tem direito ao saque do FGTS.
A Davi e Laura, somente.
B Todos poderão sacar o FGTS.
C Laura, somente.
D Davi, Heitor e Lorenzo, somente.
. FUNDAMENTAÇÃO: CLT, Art. 484-A. O contrato de trabalho poderá ser
extinto por acordo entre empregado e empregador, caso em que serão devidas
as seguintes verbas trabalhistas:
I - por metade:
a) o aviso prévio, se indenizado; e
b) a indenização sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço,
prevista no § 1º do art. 18 da Lei no 8.036, de 11 de maio de 1990;
II - na integralidade, as demais verbas trabalhistas.
§ 1o A extinção do contrato prevista no caput deste artigo permite a
movimentação da conta vinculada do trabalhador no Fundo de Garantia do
Tempo de Serviço na forma do inciso I-A do art. 20 da Lei no 8.036, de 11 de
maio de 1990, limitada até 80% (oitenta por cento) do valor dos depósitos.
§ 2o A extinção do contrato por acordo prevista no caput deste artigo não
autoriza o ingresso no Programa de Seguro-Desemprego.
Art. 20 Lei 8036 - A conta vinculada do trabalhador no FGTS poderá ser
movimentada nas seguintes situações:
I-A - extinção do contrato de trabalho prevista no ;
III - aposentadoria concedida pela Previdência Social;
Sandra Mara Dobjenski

72. João e Maria são casados e trabalham na mesma empresa, localizada em


Fortaleza/CE. Maria ocupa cargo de confiança e, por absoluta necessidade do
serviço, será transferida para Porto Alegre/RS, lá devendo fixar residência, em razão
da distância.
Diante da situação retratada e da legislação em vigor, assinale a afirmativa correta.
A A transferência não poderá ser realizada, porque o núcleo familiar seria desfeito,
daí ser vedada por Lei.
B A transferência poderá ser realizada, mas, como o casal ficará separado, isso
deverá durar, no máximo, 1 ano.
C João terá direito, pela CLT, a ser transferido para o mesmo local da esposa e, com
isso, manter a família unida.
D Não há óbice para a transferência, que poderá ser realizada sem que haja
obrigação de a empresa transferir João.
.FUNDAMENTAÇÃO: Art. 469 da CLT Ao empregador é vedado transferir o
empregado, sem a sua anuência, para localidade diversa da que resultar do
contrato, não se considerando transferência a que não acarretar
necessariamente a mudança do seu domicílio .
§ 1º - Não estão compreendidos na proibição deste artigo: os empregados que
exerçam cargo de confiança e aqueles cujos contratos tenham como condição,
implícita ou explícita, a transferência, quando esta decorra de real necessidade
de serviço.
§ 2º - É licita a transferência quando ocorrer extinção do estabelecimento em
que trabalhar o empregado.
§ 3º - Em caso de necessidade de serviço o empregador poderá transferir o
empregado para localidade diversa da que resultar do contrato, não obstante
as restrições do artigo anterior, mas, nesse caso, ficará obrigado a um
pagamento suplementar, nunca inferior a 25% (vinte e cinco por cento) dos
salários que o empregado percebia naquela localidade, enquanto durar essa
situação.
73. Vera Lúcia tem 17 anos e foi contratada como atendente em uma loja de
conveniência, trabalhando em escala de 12x36 horas, no horário de 19 às 7h, com
Sandra Mara Dobjenski

pausa alimentar de 1 hora. Essa escala é prevista no acordo coletivo assinado pela
loja com o sindicato de classe, em vigor.
A empregada teve a CTPS assinada e tem, como atribuições, auxiliar os clientes,
receber o pagamento das compras e dar o troco quando necessário.
Diante do quadro apresentado e das normas legais, assinale a afirmativa correta.
A A hipótese trata de trabalho proibido.
B O contrato é plenamente válido.
C A situação retrata caso de atividade com objeto ilícito.
D Por ter 17 anos, Vera Lúcia fica impedida de trabalhar em escala 12x36 horas,
devendo ser alterada a jornada.
.FUNDAMENTAÇÃO: Art. 7º da CF|88 São direitos dos trabalhadores urbanos
e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: XXXIII -
proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e
de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de
aprendiz, a partir de quatorze anos.
Trabalho proibido: Seu objeto é plenamente lícito, entretanto, as
circunstâncias fáticas tornam contrário ao ordenamento jurídico. Ex: Trabalho
noturno do menor; PM que faz bico de vigilante; menor que trabalha em
condições de insalubre.
Trabalho ilícito: Seu objeto é plenamente ILÍCITO, não sendo admitido de
nenhuma hipótese pelo ordenamento jurídico. Ex: Contador da boca de fumo.
Art. 404, CLT
Ao menor de 18 (dezoito)anos é vedado o trabalho noturno, considerando este
o que for executado no período compreendido entre as 22(vinte e duas) e as 5
(cinco) horas.
74. O sindicato dos empregados X entabulou, com o sindicato dos empregadores Y,
uma convenção coletiva de trabalho para vigorar de julho de 2019 a junho de 2021.
Nela ficou acertado que a jornada seria marcada pelos trabalhadores por meio de
um aplicativo desenvolvido pelos sindicatos; que haveria instituição de banco de
horas anual; que, nas jornadas de trabalho de até 7 horas diárias, haveria intervalo
para refeição de 20 minutos; e que a participação nos lucros seria dividida em 4
parcelas anuais.
Sandra Mara Dobjenski

Considerando o teor da norma coletiva e suas cláusulas, e considerando o disposto


na CLT, assinale a afirmativa correta.
A A convenção é nula quanto à participação nos lucros, que não pode ser dividida
em mais de 2 parcelas anuais.
B É nula a fixação de pausa alimentar inferior a 30 minutos para jornadas
superiores a 6 horas, mesmo que por norma coletiva.
C Inválida a cláusula referente à modalidade de registro da jornada de trabalho, que
não pode ser feito por meio de um aplicativo.
D Inválido o banco de horas estipulado, pois, em norma coletiva, ele somente pode
ser realizado para compensação semestral.
FUNDAMENTAÇÃO: Art 611-A. A convenção coletiva e o acordo coletivo de
trabalho têm prevalência sobre a lei quando, entre outros, dispuserem sobre:
III - banco de horas anual;
III - intervalo intrajornada, respeitado o limite mínimo de trinta minutos para
jornadas superiores a seis horas.
X - modalidade de registro de jornada de trabalho;
XV - participação nos lucros ou resultados da empresa.
Logo, o que não foi respeitado foi somente em relação ao intervalo
intrajornada que não pode ser inferior a 30 minutos nas jornadas superiores a
6 horas.
75. Edimilson é vigia noturno em um condomínio residencial de apartamentos. Paulo
é vigilante armado de uma agência bancária. Letícia é motociclista de entregas de
uma empresa de logística.
Avalie os três casos apresentados e, observadas as regras da CLT, assinale a
afirmativa correta.
A Paulo e Letícia exercem atividade perigosa e fazem jus ao adicional de
periculosidade. A atividade de Edimilson não é considerada perigosa, e, por
isso, ele não deve receber adicional.
B Considerando que os três empregados não lidam com explosivos e inflamáveis,
salvo por disposição em norma coletiva, nenhum deles terá direito ao recebimento
de adicional de periculosidade.
Sandra Mara Dobjenski

C Os três empregados fazem jus ao adicional de periculosidade, pois as profissões


de Edimilson e Paulo estão sujeitas ao risco de violência física e, a de Letícia, a
risco de vida.
D Apenas Paulo e Edimilson têm direito ao adicional de periculosidade por conta do
risco de violência física.
FUNDAMENTAÇÃO: Art. 193 da CLT São consideradas atividades ou operações
perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho e
Emprego, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem
risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador a:
I - inflamáveis, explosivos ou energia elétrica;
II - roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais
de segurança pessoal ou patrimonial.
§ 1º - O trabalho em condições de periculosidade assegura ao empregado um
adicional de 30% (trinta por cento) sobre o salário sem os acréscimos
resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da
empresa.
§ 2º - O empregado poderá optar pelo adicional de insalubridade que
porventura lhe seja devido.
§ 3º Serão descontados ou compensados do adicional outros da mesma
natureza eventualmente já concedidos ao vigilante por meio de acordo
coletivo.
§ 4o São também consideradas perigosas as atividades de trabalhador em
motocicleta.
DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO
76. O juiz, em sede de execução trabalhista, intimou a parte para cumprir despacho,
determinando que o exequente desse seguimento à execução, indicando os meios
de prosseguimento na execução, já que não foram encontrados bens no patrimônio
do réu.
Com fundamento na legislação vigente, assinale a afirmativa correta.
A O processo ficará parado aguardando a manifestação do exequente por período
indefinido de tempo.
Sandra Mara Dobjenski

B A declaração de prescrição somente poderá ocorrer por requerimento da parte


contrária.
C A prescrição intercorrente ocorrerá após dois anos, se a parte não cumprir
com o comando judicial.
D O juiz deverá intimar novamente a parte, a fim de dar início ao curso do prazo
prescricional.
FUNDAMENTAÇÃO: Art. 11-A. Ocorre a prescrição intercorrente no processo
do trabalho no prazo de dois anos. § 1o A fluência do prazo prescricional
intercorrente inicia-se quando o exequente deixa de cumprir determinação
judicial no curso da execução. § 2o A declaração da prescrição intercorrente
pode ser requerida ou declarada de ofício em qualquer grau de jurisdição.
Definição: Prescrição intercorrente é a perda de um direito pelo decurso do
tempo, em razão da inércia da parte, que não toma iniciativa no sentido de
praticar atos processuais necessários para a execução da dívida, paralisando
o processo, por mais de 2 anos [...] há prescrição intercorrente quando o
exequente deixar de praticar ato que dependa exclusivamente dele para. a
continuação da execução. [Renato Saraiva. Aryanna Linhares. Processo do
Trabalho para concursos.]
77. Em sede de reclamação trabalhista proposta por Sávio, os pedidos liquidados
somaram valor inferior a 40 salários mínimos nacionais. A ação foi movida em face
do exempregador e da União, em razão de alegação de responsabilidade
subsidiária.
Sobre o caso apresentado, assinale a opção que indica o procedimento a ser
seguido.
A A ação correrá sob o rito sumaríssimo, pois cabível o rito especial para qualquer
parte na Justiça do Trabalho, desde que o valor da causa seja compatível.
B A ação correrá sob o rito ordinário, porque, em que pese o valor da causa,
figura ente de direito público no polo passivo.
C A ação correrá no rito ordinário, mas, caso a primeira ré não seja encontrada, não
será possível realizar a citação por edital, em vista de a segunda ré ser a União.
D A ação correrá no rito sumaríssimo, e, em caso de prova testemunhal, cada parte
terá direito a ouvir até três testemunhas.
Sandra Mara Dobjenski

FUNDAMENTAÇÃO: Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda


a quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento da
reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.
Parágrafo único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas
em que é parte a Administração Pública direta, autárquica e fundacional.
PROCEDIMENTO SUMARÍSSIMO : NÃO EXCEDER 40X O SALÁRIO MINIMO !!!
EXCLUIDAS DO SUMARÍSSIMO:
ADM.DIRETA / AUTARQUICA FUNDACIONAL
78. No decorrer de uma reclamação trabalhista, que transitou em julgado e que se
encontra na fase executória, o juiz intimou o autor a apresentar os cálculos de
liquidação respectivos, o que foi feito. Então, o juiz determinou que o cálculo fosse
levado ao setor de Contadoria da Vara para conferência, tendo o calculista
confirmado que os cálculos estavam adequados e em consonância com a coisa
julgada. Diante disso, o juiz homologou a conta e determinou que o executado
depositasse voluntariamente a quantia, sob pena de execução forçada.
Diante dessa narrativa e dos termos da CLT, assinale a afirmativa correta.
A Equivocou-se o juiz, porque ele não poderia homologar o cálculo sem antes
conceder vista ao executado pelo prazo de 8 dias.
B Correta a atitude do magistrado, porque as contas foram conferidas e foi impressa
celeridade ao processo do trabalho, observando a duração razoável do processo.
C A Lei não fixa a dinâmica específica para a liquidação, daí porque cada juiz tem
liberdade para criar a forma que melhor atenda aos anseios da justiça.
D O juiz deveria conceder vista dos cálculos ao executado e ao INSS pelo prazo de
5 dias úteis, pelo que o procedimento adotado está errado.
FUNDAMENTAÇÃO: Art. 879 - Sendo ilíquida a sentença exequenda, ordenar-
se-á, previamente, a sua liquidação, que poderá ser feita por cálculo, por
arbitramento ou por artigos.
§ 2o Elaborada a conta e tornada líquida, o juízo deverá abrir às partes prazo
comum de oito dias para impugnação fundamentada com a indicação dos itens
e valores objeto da discordância, sob pena de preclusão.
79. Wilma foi dispensada sem justa causa e recebeu a indenização correspondente
do ex-empregador. Ela, no entanto, alega ter direito a uma equiparação salarial com
Sandra Mara Dobjenski

um colega que realizava as mesmas atividades. Em razão disso, Wilma procura


você, como advogado(a), e, com sua assessoria, dá início a um acordo extrajudicial
com o ex-empregador.
O acordo é materializado em documento, especificando o valor e a identificação da
parcela, sendo assinado pelas partes e seus respectivos advogados, e levado à
Justiça do Trabalho para homologação. Contudo, a juíza do caso nega-se a
homologar o acordo, argumentando que ele seria lesivo à trabalhadora, proferindo
decisão nesse sentido.
Diante disso, e de acordo com a norma legal, assinale a opção que indica a medida
processual adequada para buscar a reforma da decisão proferida.
A Não há medida cabível, por se tratar de decisão interlocutória.
B Recurso Ordinário.
C Mandado de Segurança.
D Novo pedido de homologação de acordo extrajudicial idêntico, mas agora dirigido
para outra Vara.
FUNDAMENTAÇÃO: Art. 846, CLT. Aberta a audiência, o juiz ou presidente
proporá a conciliação.
· Art. 850, CLT. Terminada a instrução, poderão as partes aduzir razões
finais, em prazo não excedente de 10 (dez) minutos para cada uma. Em
seguida, o juiz ou presidente renovará a proposta de conciliação, e não se
realizando esta, será proferida a decisão.
· A homologação de acordo é faculdade do juiz. Não fere direito líquido e
certo da parte a recusa do juiz em homologar o acordo.
SÚMULA 418, TST. A homologação de acordo constitui faculdade do
juiz, inexistindo direito líquido e certo tutelável pela via do mandado de
segurança.
· A sentença homologatória de acordo é irrecorrível para as partes (art.
831, CLT), transitando em julgado na data de sua homologação (súmula 100, V,
TST).
SÚMULA 100, V, TST. O acordo homologado judicialmente tem força de
decisão irrecorrível, na forma do art. 831 da CLT. Assim sendo, o termo
conciliatório transita em julgado na data da sua homologação judicial.
Sandra Mara Dobjenski

· Se não tiver ocorrido o TJ é cabível é cabivel recurso ordinário, no prazo


de 8 dias.
· É lícito às partes formular acordo mesmo depois de encerrado o juízo
conciliatório.
· As contribuições previdenciárias incidirão sobre o valor do acordo
celebrado e homologado após o trânsito em julgado.
OJ 376, SDI-1, TST .É devida a contribuição previdenciária sobre o valor do
acordo celebrado e homologado após o trânsito em julgado de decisão
judicial, respeitada a proporcionalidade de valores entre as parcelas de
natureza salarial e indenizatória deferidas na decisão condenatória e as
parcelas objeto do acordo.
Na justiça do trabalho, só caberá mandato de segurança se o juízo indeferir o
pedido de TUTELA PROVISÓRIA antes da sentença.
 TEVE PEDIDO DE TUTELA PROVISÓRIA INDEFERIDO OU
CONCEDIDO ANTES DA SENTENÇA?
 RECURSO = MANDATO DE SEGURANÇA.
 TEVE PEDIDO DE TUTELA PROVISÓRIA INDEFERIDO OU
CONCEDIDO NA SENTENÇA?
 RECURSO = RECURSO ORDINÁRIO.
FUNDAMENTO: A Súmula de nº 414, II, do TST:
Súmula de nº 414 do TST: MANDADO DE SEGURANÇA. TUTELA PROVISÓRIA
CONCEDIDA ANTES OU NA SENTENÇA (nova redação em decorrência do CPC
de 2015) - Res. 217/2017 - DEJT divulgado em 20, 24 e 25.04.2017
II – No caso de a tutela provisória haver sido concedida ou indeferida antes da
sentença, cabe mandado de segurança, em face da inexistência de recurso
próprio.
NOTA: O rito processual na Justiça Trabalhista não comporta impugnações, de
imediato, das decisões interlocutórias do magistrado de piso. Trata-se do
princípio da irrecorribilidade das decisões interlocutórias:
Art. 893º, § 1º da CLT §1º - Os incidentes do processo são resolvidos pelo
próprio Juízo ou Tribunal, admitindo-se a apreciação do merecimento das
decisões interlocutórias somente em recursos da decisão definitiva.
Sandra Mara Dobjenski

80. Considere as quatro situações jurídicas a seguir.


(i) A Instituição ABCD é uma entidade sem fins lucrativos.
(ii) Rosemary é uma empregadora doméstica.
(iii)O Instituto Sonhar é uma entidade filantrópica.
(iv) Mariana é uma microempreendedora individual.
Considere que todas essas pessoas são empregadoras e têm reclamações
trabalhistas ajuizadas contra si e que nenhuma delas comprovou ter as condições
para ser beneficiária de justiça gratuita.
Assinale a opção que indica, nos termos da CLT, quem estará isento de efetuar o
depósito recursal para recorrer de uma sentença desfavorável proferida por uma
Vara da Justiça do Trabalho.
A A Instituição ABCD e o Instituto Sonhar, somente.
B Todos estarão dispensados
C Instituto Sonhar, somente.
D Mariana e Rosemary, somente.
FUNDAMENTAÇÃO: Isentos de depósito recursal (art. 899, §10º)
Beneficiários da justiça gratuita;
Entidades filantrópicas;
Empresas em recuperação judicial.
Massa falida (súmula 86 TST)
Pagamentos de depósito recursal pela Metade (Art. 899, §9º)
Entidades s/ fins lucrativos;
Empregadores domésticos;
MEI – microempreendedores individuais;
Microempresas e empresas de pequeno porte.
Art. 899 - Os recursos serão interpostos por simples petição e terão efeito
meramente devolutivo, salvo as exceções previstas neste Título, permitida a
execução provisória até a penhora.
§ 9 O valor do depósito recursal será reduzido pela metade para entidades
sem fins lucrativos, empregadores domésticos, microempreendedores
individuais, microempresas e empresas de pequeno porte.
Sandra Mara Dobjenski

§ 10. São isentos do depósito recursal os beneficiários da justiça gratuita, as


entidades filantrópicas e as empresas em recuperação judicial.