Você está na página 1de 7

Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

Aquecedor de pára brisa traseiro: uma abordagem


prática (Fig. 3 - A1).

A análise deste circuito é fundamentada na


distribuição equalizada da temperatura na superfície
do vidro, por isso temos que estabelecer a potência de
cada resistor em função dos comprimentos dos filetes
resistivos impressos no vidro: filetes horizontais de
comprimento “x” e filetes verticais de comprimento
“y”.

R1
I1
x
2
= I2 [ ] [ ] [ ] [ ] [ ]
2 R2
x
= I3
2 R3
x
= I4
2 R4
x
= I5
2 R5
x
(3A.1).

I 12
x[ ] [ ]
R1 R
= I 12 a
y
(3A.2).

I1
2
[ ] [ ] [ ] [ ]
Ra
y
2 Rb
= Ib
y
= Ic
2 Rc
y
= I5
2 Rd
y
(3A.3).

I 52 [ ] [ ]
R5
x
R
= I 52 d
y
(3A.4).

Por se tratar de uma estrutura simétrica, podemos


simplificar o circuito com a eliminação dos braços
inferiores (por opção), pois isso não afetará as
correntes dos braços superiores: esse procedimento
só altera a corrente de saída da fonte (Fig. 3 - A2).

O nó (1) é conectado ao “positivo” da fonte, com


corrente de entrada I , e duas correntes de saída:
I b e I 3 . Essas correntes retornam para a fonte
pelo nó (2).
Vcc
I3 = (3A.5), enquanto I b será definida
R3
com o resistor equivalente dos braços superiores (Fig. 3 - A3): R3,4 = R2∥(2 R a + R1 )

R3,4 =
[ R 2 (2 R a + R1)
2 R a + R1 + R2 ] (3A.6).

Resistência equivalente nós (1) e (2):

R1,2 = 2 Rb + R3,4 (3A.7) ou R1,2 = 2 Rb +


[ R2 (2 Ra + R1 )
2 Ra + R 1 + R 2 ] .

1
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

Vcc Vcc
I b= I b= (3A.8).
R 1,2
[
R (2 Ra + R 1)
2 Rb + 2
2 Ra + R 1 + R 2 ]
A corrente I b vai entrar no nó (3) e se dividir nas
correntes I 1 e I 2 . A queda de tensão entre (3) e (4)
(Vd 3,4)
é Vd3,4 = I b ( R3,4 ) , e assim, I1 = ou
R1 + 2 Ra
I b ( R3,4 )
I1 = (3A.9). Substituindo por (3A.6) e
R1 + 2 Ra
(3A.8), teremos:

Vcc
[ R 2 (R1 + 2 R a)
]
I1 =
2 Rb + 2
[
R (2 R a + R1)
2 R a + R1 + R2 ] R2 +( R1 + 2 Ra )

(3A.10).
R1 + 2 Ra

(Vd 3,4) I b R3,4


I2 = ou I2 = (3A.11) ou
R2 R2

Vcc
[ R2 (R1 + 2 R a)
]
I2 =
2 Rb +
[
R 2 (2 R a + R1)
2 R a + R1 + R 2 ] R2 +( R1 + 2 Ra )

(3A.12).
R2

O cálculo dos resistores pode ser feito em relação ao valor de um dos resistores, assim, vamos
aplicar as relações (3A.1), (3A.2) e (3A.3) para determinar os resistores Ra , Rb , R2 e
R3 , tendo R1 como referência.
R
Cálculo de Ra : de (3A.2) I 12 1 = I 12 a
x
R
y [ ] [ ]
Ra x = R1 y Ra = R 1
y
x
fazendo

x
= z teremos Ra = zR1 (3A.13).
y

[ ] [ ] ()
2
R1 2 R2 I1
Cálculo de R2 : de (3A.1) I 12 = I2 2 2
I 2 (R2 x)= I 1 (R1 x) R2 = R 1
x x I2
(3A.14).

2
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

I b (R 3,4 )

De (3A.9) e (3A.11)
I 1 R1 + 2 Ra
I2
=
I b (R 3,4 )
ou
I1
I2
=
[
I b (R 3,4 ) R2
]
R1 + 2 Ra I b ( R3,4 )
ou
I1
=
R2
I 2 R1 + 2 Ra
R2
I1 R2
(3A.15). Substituindo Ra por (3A.13) = (3A.16).
I 2 R 1 + 2 zR 1

( )
2
R2
Substituir (3A 16) em (3A.14) : R2 = R 1 . Resolver para R2
R 1 + 2 R1 z

R2 = R 1(4 z 2 + 4 z +1) ou R2 = R 1( 2 z + 1)2 (3A.17).

[ ] [ ] ()
2
Ra R I1
Cálculo de Rb : de (3A.3) I 12 = I 2b b I 2b Rb y = I 21 Ra y ou Rb = Ra como
y y I 2b

()
2
I1
(3A.13) Ra = zR1 , então Rb = R1 z (3A.18).
I 2b

Vcc
[ R 2 ( R 1 + 2 R a)
]
[ ]
R (2 R a + R1) R2 +(R1 + 2 Ra )
2 Rb + 2
2 R a + R1 + R 2
De (3A.10) I1 = e (3A.8)
R 1 + 2 Ra

I b=
Vcc
teremos
I1
=
[ R 2(R 1 + 2 R a)
R2 +(R1 + 2 Ra ) ] ou
2 Rb +
[
R2 (2 Ra + R 1)
2 Ra + R 1 + R 2 ] Ib R1 + 2 Ra

I1
Ib
=
[ R2
R2 +(R 1 + 2 R a) ] (3A.19). Substituir (3A .19) em (3A.18), tudo em função de R1 :

[ ]
2
R1 (2 z + 1)2
Rb = 2
R1 z (3A.20) com Ra = R 1 z e (3A.17)
[ R1 (2 z + 1) ]+(R1 + 2 R1 z)

[ ]
2
2 R1 (2 z + 1)2 R1
R2 = R 1( 2 z + 1) . Simplificar o termo entre colchetes 2
[ R1 (2 z + 1) ]+( R1 + 2 R1 z) R1
2
(2 z + 1)2 R1 z (2 z + 1)
ou Rb = (3A.21).
4(z + 1)
2
4(z + 1)2

3
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

[ ] [ ] ()
2
R3 R I1
Cálculo de R3 : de (3A.1) I 32 = I 12 1 2 2
I 3 R3 x = I 1 R 1 x R3 = R 1 (3A.22).
x x I3

Com as expressões de I3 (3A.5) e de I1 (3A.10)

[ ( )
]
Vcc R 2(R 1 + 2 R a)

( )
R2 (2 Ra + R 1) R2 +(R1 + 2 Ra )
2 Rb +
2 Ra + R 1 + R2
I1 R1 + 2 Ra
= . Resolver no Symbolab (Fig. 3 - A4):
( )
I3 Vcc
R3

I1 R2 R 3
Voltar as variáveis originais = (3A.23).
I 3 2 R b (R2 + 2 R a + R1 ) + R2 (2 R a + R1 )

R1 z (2 z + 1)2
Adequar a expressão (3A.23) em função de R1 : Ra = R 1 z , (21.21) Rb = e
4(z + 1)2
(3A.17) R2 = R 1(2 z + 1)2 :

[( ]
I1 [R1 (2 z + 1)2 ] R3
= (3A.24)

)
I3 R1 z (2 z + 1)2
2 2
{[R 1(2 z + 1)2] + [2 R1 z ] + R 1}+ [R 1(2 z +1)2 ](2[ R1 z ] + R 1)
4( z + 1)

Substituir (3A.24) em (3A.22)

[( ]
2 2
[ R 1 (2 z + 1) ]R 3
R3 = R1 resolver

)
2
R 1 z (2 z + 1) 2 2
2 2
{[ R1 (2 z + 1) ]+ [2 R1 z] + R1 }+ [ R1 (2 z +1) ](2[R1 z ]+ R1 )
4 ( z + 1)
no Symbolab (Fig. 3 - A5):

4
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

4
R1 (2 z + 1)
Voltar as variáveis originais: R3 = 2
(3A.25).
(z + 1)

Problema 3.71 – Perspectiva prática.

Especificar os valores dos resistores da rede de resistores da Fig. 21 – A:


Dados: comprimento horizontal dos filetes R1 a R5 : x = 1 m . Distância entre os filetes
horizontais, que determina o comprimento dos filetes verticais Ra a Rd : y = 0,025m .
Potência linear especificada para os filetes resistivos impressos: 120 W /m . Fonte de
alimentação 12 Vcc.
y 0,025
A constante dimensional, será: z = z= ou z = 0,025 .
x 1

Vd 2
O valor de um resistor com potência e queda de tensão conhecidas, é dado por: . R=
P
Cálculo de R3 : Como R3 é ligado diretamente nos terminais da fonte de alimentação de 12
V e tem potência linear especificada de 120 W /m , num filete impresso de 1m de comprimento,
122
teremos: R3 = ou R3 =1,2 Ω .
120

R1 (2 z + 1) 4 R3 ( z + 1)2
Cálculo de R1 a partir de (21.25) R3 = resolver para R1 R1 =
( z + 1)2 (2 z + 1) 4
2
1,2(0,025 + 1)
R1 = 4
ou R1 =1,0372 Ω .
(2(0,025) + 1)

Cálculo de Ra : com (21.13) Ra = zR1 , teremos Ra = 0,025(1,0372) ou Ra = 0,02593Ω .

R1 z (2 z + 1)2
Cálculo de Rb : com (21.21) Rb = 2
, teremos
4(z + 1)

(1,0372) 0,025(2(0,025)+ 1)2


Rb = 2
ou Rb = 0,00680Ω .
4( 0,025 + 1)

5
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

Cálculo de R2 : com (21.17) R2 = R 1( 2 z + 1)2 , teremos R2 =1,0372(2( 0,025) + 1)2 ou


R2 =1,143513 Ω .

Com os valores do braço central e dos braços superiores, por simetria, vamos encontrar os valores
dos braços inferiores.
R4 = R2 = 1,143513Ω , R5 = R 1 = 1,0372Ω , Rc = R b =0,00680 Ω e
Rd = Ra = 0,02593 Ω .

Para verificar a potência dos resistores, dentro da relação “z”, calcular as correntes Ib , I1 e
I2 .

Vcc
Cálculo de I b : Com (21.8) I b =

[
R (2 Ra + R 1)
2 Rb + 2
2 Ra + R 1 + R2 ]
12
I b= ou I b = 21 A .
2(0,0068)+
[
1,143513(2(0,025)+ 1,0372)
2(0,025)+ 1,0372 + 1,143513 ]
Cálculo de I 1 : Com (21.9) I1 =
I b ( R3,4 )
R1 + 2 Ra
e (21.6) R3,4 =
[ R 2 (2 R a + R1)
2 R a + R1 + R2 ] Com

R3,4 =
[ 1,143513 [1,0372 + 2(0,02593)]
1,143513 +[1,0372 + 2(0,02593)] ] ou R3,4 = 0,55781Ω e

21( 0,55781)
R1 + 2 R a =1,0372 + 2(0,02593) ou R1 + 2 R a =1,08906 Ω , teremos I1 = ou
1,08906
I 1 = 10,7561 A .

I b R3,4 21( 0,55781)


Cálculo de I 2 : Com (21.11) I2 = , teremos: I2 = ou
R2 1,143513
I 2 = 10,2439 A .

Cálculo da potência distribuída

Rb : PRb = Rb . I 2b PRb =(0,0068) 21


2
PRb = 3 W .

P Rb 3
Potência distribuída no comprimento do filete impresso: PRb /m = PRb / m =
y 0,025
PRb /m =120 W /m , conforme especificado.

R1 : PR 1 = R1 . I 21 PR 1 =(1,0372)10,75612 PR 1 = 119,9974 W .

6
Análise de circuitos elétricos CC e CA Pedro Barros Neto

PR1 119,9974
Potência distribuída no comprimento do filete impresso: Pdist = PR 1 /m =
x 1
PR 1 /m = 119,9974 W /m , próximo do valor especificado.

2 2
R2 : P R 2 = R2 . I 2 PR 2 =(1,143513) 10,2439 PR 2 = 119,997 W .

PR2 119,997
Potência distribuída no comprimento do filete impresso: Pdist = PR 2 /m =
x 1
PR 2 /m = 119,997 W /m , próximo do valor especificado.

2 2
Ra : PRa = Ra . I 1 PRa =(0,02593) 10,7561 PRb = 2,9999W .

P Rb 2,9999
Potência distribuída no comprimento do filete impresso: PRb /m = PRb /m =
y 0,025
PRb /m =119,997 W /m , conforme especificado.

Mapa das potências


8 resistores verticais de 3 W : 24 W .
5 resistores horizontais de 120 W: 600 W
Potência toral dissipada: 624 W.