Você está na página 1de 10

TEMPERATURA E CALOR

INTRODUÇÃO
Iniciaremos nossos estudos com a diferenciação dessas duas
grandezas físicas escalares, temperatura e calor. Temperatura é a
medida de agitação de átomos e moléculas. Quanto maior a velocidade
de translação das moléculas, maior será a temperatura da substância.
Quando, em um sistema, há dois corpos com diferentes temperaturas,
haverá transferência de energia do corpo com maior temperatura para o
corpo com menor temperatura. Essa energia é o calor.
A transferência cessa quando não há mais diferença de
temperatura. Nesse momento, podemos dizer que o sistema alcançou
o equilíbrio térmico.
“Se três sistemas apresentam-se isolados de qualquer outro
universo externo e dois sistemas consecutivos estiverem em equilíbrio
térmico com o terceiro, então os dois sistemas consecutivos estarão
em equilíbrio térmico entre si”. Essa é a Lei Zero da Termodinâmica.
O instrumento que mede a temperatura de uma substância (em
nível macroscópico) é o termômetro.
A escala Fahrenheit é usada nos EUA, por exemplo. Já a escala
O 1º termômetro foi inventado por Galileu, no final do século XVI. Kelvin, usada no S.I., foi desenvolvida pelo físico irlandês William
Eram chamados de termoscópios. Thomson (Lorde Kelvin). Ele chegou à conclusão de que havia uma
temperatura mínima possível, que recebeu o nome de zero absoluto
(0 K, lê-se zero Kelvin, e não zero grau Kelvin) e seria atingida quando
todas as partículas de um corpo estivessem imóveis2.
Em 1925, Einstein e Bose previram que certo tipo de partículas,
chamadas de bósons, quando submetidas a baixas temperaturas
(próximas de 0 K), formariam um novo estado da matéria (como
sólido, líquido e gasoso). O primeiro condensado de bósons foi
produzido em um laboratório na Universidade do Colorado, em 1995.
A temperatura chegou na ordem de 10–7 K. Esse novo estado da
matéria ficou conhecido como condensado de Bose-Einstein.
Voltando às escalas, temos que saber como transformar a leitura
de uma escala para outra.

CELSIUS E FAHRENHEIT
Quando a temperatura aumentava, o líquido subia. Quando Podemos ver, através das escalas, que 32˚F equivalem a 0˚C e que
diminuía, o líquido descia. Então, para medir essas variações de 212˚F equivalem a 100˚C. Podemos, então, fazer um gráfico F x C.
temperatura dos dias, por exemplo, bastava fazer marcações
equidistantes no tubo.
Os termômetros usados hoje em dia para medir a temperatura
do corpo de uma pessoa é um termoscópio graduado em uma escala
termométrica (graus Celsius, por exemplo), constituído por um tubo
capilar de vidro, fechado a vácuo, e um bulbo, contendo mercúrio.
O mercúrio é ideal para essa função porque é o único metal líquido
na temperatura ambiente. Por ser metal, tem boa condução de
calor, sofrendo dilatação1 em um curto intervalo de tempo. O bulbo
do termômetro também é feito de metal, para que a transferência
de calor do corpo para o termômetro seja feita rapidamente e, em
poucos minutos, ocorra o equilíbrio térmico. Assim, a temperatura do
termômetro é a mesma do corpo.
Existem várias escalas termométricas. As mais famosas são:
Celsius, Fahrenheit e Kelvin. Os pontos fixos das escalas serão as 2
Com o avanço da física podemos descobrir que, mesmo a 0K, os
temperaturas de fusão e de ebulição da água, no nível do mar.
átomos ainda têm um nível mínimo de energia, bem conhecido. Conforme
1
Vamos estudar no próximo módulo esse fenômeno. Adiantando, quando a temperatura se aproxima desse valor fica cada vez mais difícil extrair a sua
um corpo sofre uma variação de temperatura, suas dimensões variam. energia. O 0K é uma idealização.

PROMILITARES.COM.BR 127
TEMPERATURA E CALOR

32 = a ⋅ 0 + b EXERCÍCIOS DE
∴ 212 = a ⋅ 100 + b
FIXAÇÃO
Na 1ª equação, podemos tirar que b = 32, então:
180 9 01. Num recipiente com água, dois termômetros determinam,
= 100a + 32 ∴=
212 a =
100 5 simultaneamente, a temperatura, sendo um deles graduado em graus
Fahrenheit e o outro em graus Celsius. A diferença entre as leituras
Logo: dos dois termômetros é 100,00.
9C C F − 32 Com base nas informações fornecidas, é correto afirmar que a
F= + 32 ou =
5 5 9 temperatura da água contida no recipiente, em graus Fahrenheit, é
a) 85,0. c) 100,0.
Observação b) 185,0. d) 180,0.

O coeficiente angular mede a variação em graus Fahrenheit em


02. Sobre escalas termométricas, considere as seguintes afirmações:
relação à variação em graus Celsius:
I. A temperatura normal do corpo humano é 36,5 ºC. Na escala
∆ oF 9 ∆ oF Fahrenheit, essa temperatura corresponde a um valor maior do
=
a ∴= ∴ ∆=
o
F 1,8 ∆ oC que 100 ºF.
∆ oC 5 ∆ oC
II. Na escala Kelvin, todas as temperaturas são representadas por
valores positivos.
III. A temperatura de 0 ºC na escala Kelvin corresponde a 300 K.
KELVIN E CELSIUS Está(ão) correta(s) apenas:
Essa relação é mais simples. Note que, na escala Kelvin, os valores
a) I. c) II. e) III.
são 273 a mais que na escala em graus Celsius. Então:
b) I e II. d) II e III.
C= K - 273
03. Construiu-se um alarme de temperatura baseado em uma coluna
Perceba que a variação na escala Kelvin é a mesma que na escala de mercúrio e em um sensor de passagem, como sugere a figura a
Celsius, ou seja, ∆°C =∆K. Note também que 0 K equivale a –273 °C. seguir.

Exercício Resolvido

01. 86 K equivale a qual valor na escala Celsius?

Resolução:
C F − 32 C 86 − 32
= ∴= ∴
= C 30o C
5 9 5 9

Exercício Resolvido

02. Uma pessoa está com febre. Sua temperatura variou 2 °C. Qual
seria essa variação em °F e em K?
A altura do sensor óptico (par laser/detetor) em relação ao nível, H,
Resolução: pode ser regulada de modo que, à temperatura desejada, o mercúrio,
∆oF = 1,8 ∆oC ∴ ∆oF = 1,8 ⋅ 2 = 3,6 oF subindo pela coluna, impeça a chegada de luz ao detetor, disparando
∆oC = ∆K ∴ ∆K = 2K o alarme. Calibrou-se o termômetro usando os pontos principais
da água e um termômetro auxiliar, graduado na escala centígrada,
de modo que a 0°C a altura da coluna de mercúrio é igual a 8cm,
enquanto a 100°C a altura é de 28cm. A temperatura do ambiente
monitorado não deve exceder 60°C.
Exercício Resolvido
O sensor óptico (par laser/detetor) deve, portanto estar a uma altura
03. Em certa escala X, a água, no nível do mar, sofre fusão de
à temperatura de 20 °X e sofre ebulição a 80 °X. Qual o valor a) H = 20cm c) H = 12cm e) H = 4cm
numérico de 68 °X na escala °C?
b) H = 10cm d) H = 6cm
Resolução:
04. Com respeito à temperatura, assinale a afirmativa mais correta:
Temos que:
a) A escala Celsius é utilizada em todos os países do mundo e é uma
20 = a ⋅ 0 + b escala absoluta. A escala Kelvin só é usada em alguns países por
80 = a ⋅ 100 + b isso é relativa.
Logo: b) A Kelvin é uma escala absoluta, pois trata do estado de agitação
80 = 100 ⋅ a + 20 ∴ a = 0,6 ∴ X = 0,6 C + 20 das moléculas, e é usada em quase todos os países do mundo.
68 = 0,6 C + 20 ∴ C = 80oC c) A escala Celsius é uma escala relativa e representa, realmente, a
agitação das moléculas.

128 PROMILITARES.COM.BR
TEMPERATURA E CALOR

d) As escalas Celsius e Kelvin referem-se ao mesmo tipo de medida e 08. Observe o texto abaixo:
só diferem de um valor constante e igual a 273. "Os centros urbanos possuem um problema crônico de
e) A escala Celsius é relativa ao ponto de fusão do gelo e de vapor aquecimento denominado ilha de calor.
da água e o intervalo é dividido em noventa e nove partes iguais. A cor cinza do concreto e a cor vermelha das telhas de barro nos
telhados contribuem para esse fenômeno.
05. Para medirmos a temperatura de um objeto, utilizamos principalmente O adensamento de edificações em uma cidade implica diretamente
3 escalas termométricas: Celsius (ºC), Fahrenheit (ºF) e Kelvin (K). A relação no aquecimento. Isso acarreta desperdício de energia, devido ao uso
entre elas pode ser vista no quadro abaixo. de ar condicionado e ventiladores.
Um estudo realizado por uma ONG aponta que é possível diminuir
a temperatura do interior das construções. Para tanto, sugere que
todas as edificações pintem seus telhados de cor branca, integrando a
campanha chamada 'One Degree Less' (Um grau a menos)".
O título da campanha, “Um grau a menos”, pode ser ambíguo para
algum desavisado, uma vez que a escala termométrica utilizada não
é mencionada. Em caráter global, são consideradas três unidades de
temperatura: grau Celsius (ºC), grau Fahrenheit (ºF) e kelvin (K). A
relação entre as variações de temperaturas nas três escalas é feita por
meio das expressões:
em que:
DtK = DtC ⇒ DtK é a variação da temperatura em kelvin.

Utilizando a escala como referência, podemos dizer que 0 ºC e 50 ºC ∆tC ∆tF


= ⇒ DtC é a variação da temperatura em Celsius.
equivalem, em Kelvin, a 5 9 DtF é a variação da temperatura em Fahrenheit.
a) 212 e 273. d) 273 e 37.
b) 273 e 373. e) 273 e 323. Na campanha, a expressão “Um grau a menos” significa que a
temperatura do telhado sofrerá variação de 1 grau, como por
c) 212 e 32.
exemplo, de 30 ºC para 29ºC.
06. Fossas abissais ou oceânicas são áreas deprimidas e profundas Considerando-se que o 1 grau a menos, da campanha, corresponde a
do piso submarino. A maior delas é a depressão Challenger, na Fossa 1 ºC, essa variação de temperatura equivale a variação de
das Marianas, com 11.033 metros de profundidade e temperatura da a) 1 ºF. c) 0,9 ºF. e) 273 K.
água variando entre 0°C e 2°C. De acordo com o texto, pode-se dizer b) 1 K. d) 32 ºF.
que a pressão total sofrida por um corpo que esteja a uma altura de
33 m acima do solo dessa depressão e a variação de temperatura na
09. Antônio, um estudante de Física, deseja relacionar a escala Celsius
escala absoluta (Kelvin) valem, respectivamente
(ºC) com a escala de seu nome (ºA). Para isso, ele faz leituras de duas
a) 1,101⋅ 108 N m2 e 2K. temperaturas com termômetros graduados em ºC e em ºA. Assim,
ele monta o gráfico abaixo. Qual a relação termométrica entre a
b) 11,01⋅ 108 N m2 e 2K.
temperatura da escala Antônio e da escala Celsius?
c) 1,101⋅ 108 N m2 e 275K.
d) 11,01⋅ 108 N m2 e 275K.
a) A = C + 40
e) 110,1⋅ 108 N m2 e 2K.
C
b) A= − 100
07. Para testar os conhecimentos de termofísica de seus alunos, o 2
professor propõe um exercício de calorimetria no qual são misturados c) A = 2C – 80
100 g de água líquida a 20 °C com 200 g de uma liga metálica a 75
C
°C. O professor informa que o calor específico da água líquida é 1 cal/ d) A= + 90
(g·°C) e o da liga é 0,1 cal/(g·°X), onde X é uma escala arbitrária de 4
temperatura, cuja relação com a escala Celsius está representada no 10C
gráfico. e) =
A − 40
9
10. O gráfico a seguir apresenta a relação entre a temperatura na
escala Celsius e a temperatura numa escala termométrica arbitrária
X. Calcule a temperatura de fusão do gelo na escala X. Considere a
pressão de 1 atm.

Obtenha uma equação de conversão entre as escalas X e Celsius e,


considerando que a mistura seja feita dentro de um calorímetro ideal,
calcule a temperatura final da mistura, na escala Celsius, depois de
atingido o equilíbrio térmico.

PROMILITARES.COM.BR 129
TEMPERATURA E CALOR

EXERCÍCIOS DE 05. Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a

TREINAMENTO escala Celsius, conforme o gráfico a seguir.

01. Roberto, empolgado com as aulas de Física, decide construir um


termômetro que trabalhe com uma escala escolhida por ele, a qual
chamou de escala R. Para tanto, definiu –20 ºR como ponto de fusão
do gelo e 80 ºR como temperatura de ebulição da água, sendo estes
os pontos fixos desta escala. Sendo R a temperatura na escala criada
por Roberto, C a temperatura na escala Celsius, e considerando que o
experimento seja realizado ao nível do mar, a expressão que relaciona
corretamente as duas escalas será:
a) C = R – 20
b) C = R + 20 As temperaturas de fusão do gelo e ebulição da água, sob pressão
R + 20 normal, na escala X são, respectivamente,
c) C =
2 a) - 60 e 250. d) -160 e 400.
R − 20 b) -100 e 200. e) - 200 e 300.
d) C =
2 c) -150 e 350.
02. Dois termômetros idênticos, cuja substância termométrica é o
álcool etílico, um deles graduado na escala Celsius e o outro graduado 06. O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos
na escala Fahrenheit, estão sendo usados simultaneamente por um da América. A diferença entre a máxima temperatura do verão e a
aluno para medir a temperatura de um mesmo sistema físico no mínima no inverno anterior foi de 60 °C. Qual o valor dessa diferença
laboratório de sua escola. na escala Fahrenheit?
Nessas condições, pode-se afirmar corretamente que a) 108 °F d) 33 °F
a) os dois termômetros nunca registrarão valores numéricos iguais. b) 60 F
°
e) 92 °F
b) a unidade de medida do termômetro graduado na escala Celsius c) 140 F °

é 1,8 vezes maior que a da escala Fahrenheit.


07. Ao aferir-se um termômetro mal construído, verificou-se que
c) a altura da coluna líquida será igual nos dois termômetros, porém
os pontos 100°C e 0°C de um termômetro correto correspondiam,
com valores numéricos sempre diferentes.
respectivamente, a 97,0°C e -1,0°C do primeiro.
d) a altura da coluna líquida será diferente nos dois termômetros.
Se esse termômetro mal construído marcar 19,0°C, a temperatura
correta deverá ser de:
03. Um termômetro digital, localizado em uma praça da Inglaterra,
marca a temperatura de 10,4 ºF. Essa temperatura, na escala Celsius, a) 18,4 °C. d) 23,4 °C.
corresponde a b) 19,4 C. °
e) 28,4 °C.
a) –5 °C. c) –12 °C. e) –39 °C. c) 20,4 C. °

b) –10 °C. d) –27 °C.


08. Construiu-se um alarme de temperatura baseado em uma coluna
04. Com o objetivo de recalibrar um velho termômetro com a escala de mercúrio e em um sensor de passagem, como sugere a figura a
totalmente apagada, um estudante o coloca em equilíbrio térmico, seguir.
primeiro, com gelo fundente e, depois, com água em ebulição sob
pressão atmosférica normal. Em cada caso, ele anota a altura atingida
pela coluna de mercúrio: 10,0 cm e 30,0 cm, respectivamente,
medida sempre a partir do centro do bulbo. A seguir, ele espera que
o termômetro entre em equilíbrio térmico com o laboratório e verifica
que, nesta situação, a altura da coluna de mercúrio é de 18,0 cm. Qual
a temperatura do laboratório na escala Celsius deste termômetro?

A altura do sensor óptico (par laser/detetor) em relação ao nível, H,


pode ser regulada de modo que, à temperatura desejada, o mercúrio,
subindo pela coluna, impeça a chegada de luz ao detetor, disparando
o alarme. Calibrou-se o termômetro usando os pontos principais
da água e um termômetro auxiliar, graduado na escala centígrada,
de modo que a 0 °C a altura da coluna de mercúrio é igual a 8 cm,
enquanto a 100 °C a altura é de 28 cm. A temperatura do ambiente
monitorado não deve exceder 60 °C.
O sensor óptico (par laser/detetor) deve, portanto estar a uma altura
de
a) 20°C d) 50°C
a) H = 20 cm. d) H = 6 cm.
b) 30°C e) 60°C
b) H = 10 cm. e) H = 4 cm.
c) 40°C
c) H = 12 cm.

130 PROMILITARES.COM.BR
TEMPERATURA E CALOR

09. Para medir a febre de pacientes, um estudante de medicina criou de gelo é + 24. Os números x e y são, respectivamente, as medidas
sua própria escala linear de temperaturas. Nessa nova escala, os nas escalas E1 e E2 correspondentes a 16 ºC. Se os números 16, x e y
valores de 0 (zero) e 10 (dez) correspondem respectivamente a 37 °C formam, nessa ordem, uma Progressão Geométrica, o ponto de vapor
e 40 °C. A temperatura de mesmo valor numérico em ambas escalas na escala E2 é
é aproximadamente a) 120. c) 78. e) 57.
a) 52,9°C. d) -8,5°C. b) 99. d) 64.
b) 28,5°C. e) -28,5°C.
c) 74,3 C.
° 15. A relação entre as escalas termométricas Celsius, Fahrenheit e
Kelvin pode ser expressa pela seguinte equação matemática:
10. Uma panela com água é aquecida de 25 °C para 80 °C. A variação tC tF − 32 tK − 273
de temperatura sofrida pela panela com água, nas escalas Kelvin e = =
5 9 5
Fahrenheit, foi de
a) 32 K e 105 °F. d) 99 K e 105 °F.
em que tC é a temperatura em graus Celsius (ºC), tF é a temperatura
b) 55 K e 99 F.
°
e) 105 K e 32 °F. em graus Fahrenheit (ºF), e tK é a temperatura em Kelvin (K). Com
c) 57 K e 105 °F. relação ao exposto, assinale o que for correto.
01) Existe um valor numérico para o qual a temperatura nas escalas
11. O texto a seguir foi extraído de uma matéria sobre congelamento Celsius, Fahrenheit e Kelvin é a mesma.
de cadáveres para sua preservação por muitos anos, publicada no 02) Considere um termômetro na escala Celsius e outro na escala
jornal “O Estado de S.Paulo” de 21.07.2002. Fahrenheit medindo simultaneamente a temperatura de um
"Após a morte clínica, o corpo é resfriado com gelo. Uma injeção mesmo objeto. Se o termômetro na escala Celsius está marcando
de anticoagulantes é aplicada e um fluido especial é bombeado para o uma temperatura negativa, então o termômetro na escala
coração, espalhando-se pelo corpo e empurrando para fora os fluidos Fahrenheit sempre marcará uma temperatura negativa.
naturais. O corpo é colocado numa câmara com gás nitrogênio, 04) Considere que uma pessoa está com febre quando sua
onde os fluidos endurecem em vez de congelar. Assim que atinge a temperatura corporal é maior que 37 ºC. Assim, quando uma
temperatura de -321°, o corpo é levado para um tanque de nitrogênio pessoa está com 96,8 ºF, essa pessoa está com febre.
líquido, onde fica de cabeça para baixo".
08) Se um objeto sofre uma variação de temperatura de 15 ºC então
Na matéria, não consta a unidade de temperatura usada. Considerando ele sofrerá uma variação de 27 ºF.
que o valor indicado de -321° esteja correto e que pertença a uma das
16) 25 ºC é equivalente a 77 ºF.
escalas, Kelvin, Celsius ou Fahrenheit, pode-se concluir que foi usada
a escala
16. Um professor de Física encontrou dois termômetros em um
a) Kelvin, pois trata-se de um trabalho científico e esta é a unidade
antigo laboratório de ensino. Os termômetros tinham somente
adotada pelo Sistema Internacional.
indicações para o ponto de fusão do gelo e de ebulição da água.
b) Fahrenheit, por ser um valor inferior ao zero absoluto e, portanto, Além disso, na parte superior de um termômetro, estava escrito o
só pode ser medido nessa escala. símbolo ºC e, no outro termômetro, o símbolo ºF. Com ajuda de uma
c) Fahrenheit, pois as escalas Celsius e Kelvin não admitem esse valor régua, o professor verificou que a separação entre o ponto de fusão
numérico de temperatura. do gelo e de ebulição da água dos dois termômetros era de 20,0 cm,
conforme a figura abaixo. Com base nessas informações e na figura
d) Celsius, pois só ela tem valores numéricos negativos para a
apresentada, podemos afirmar que, a 5,0 cm, do ponto de fusão do
indicação de temperaturas.
gelo, os termômetros registram temperaturas iguais a:
e) Celsius, por tratar-se de uma matéria publicada em língua
portuguesa e essa ser a unidade adotada oficialmente no Brasil.

12. Considere uma escala termométrica X tal que, sob pressão normal,
ao ponto de fusão do gelo faça corresponder o valor - 20° X e ao
ponto de ebulição da água o valor 180° X. Uma queda de temperatura
de 5° C corresponde na escala X a
a) 16. d) 8.
b) 12. e) 5.
c) 10.

13. Em uma conferência pela internet, um meteorologista brasileiro


conversa com três outros colegas em diferentes locais do planeta. Na
conversa, cada um relata a temperatura em seus respectivos locais.
Dessa forma, o brasileiro fica sabendo que, naquele momento, a a) 25 ºC e 77 ºF. d) 25 ºC e 45 ºF.
temperatura em Nova Iorque é TNI = 33,8 °F, em Londres, TL = 269 K,
b) 20 ºC e 40 ºF. e) 25 ºC e 53 ºF.
e em Sidnei, TS = 27 °C. Comparando essas temperaturas, verifica-se:
c) 20 ºC e 45 ºF.
a) TNI >TS >TL d) TS >TNI >TL
b) TNI >TL >TS e) TS >TL >TNI
17. Uma temperatura é tal que 18 (dezoito) vezes o seu valor na
c) TL >TS >TNI escala Celsius é igual a –10 (menos dez) vezes o seu valor na escala
Fahrenheit. Determine essa temperatura.
14. Duas escalas termométricas E1 e E2 foram criadas. Na escala a) 8ºF d) 64 ºF
E1, o ponto de fusão do gelo sob pressão de 1 atm (ponto de gelo)
b) 16 ºF e) 128 ºF
corresponde a + 12 e o ponto de ebulição da água sob pressão de
1 atm (ponto de vapor) corresponde a + 87. Na escala E2, o ponto c) 32 ºF

PROMILITARES.COM.BR 131
TEMPERATURA E CALOR

18. Fossas abissais ou oceânicas são áreas deprimidas e profundas


do piso submarino. A maior delas é a depressão Challenger, na Fossa
das Marianas, com 11.033 metros de profundidade e temperatura da
água variando entre 0 ºC e 2 ºC. De acordo com o texto, pode-se dizer
que a pressão total sofrida por um corpo que esteja a uma altura de
33 m acima do solo dessa depressão e a variação de temperatura na
escala absoluta (Kelvin) valem, respectivamente
a) 1,101 . 108 N/m² e 2K.
b) 11,01 . 108 N/m² e 2K.
c) 1,101 . 108 N/m² e 275K.
d) 11,01 . 108 N/m² e 275K.
e) 110,1 . 108 N/m² e 2K.
Utilizando conhecimentos básicos acerca do comportamento de gases
ideais, é CORRETO afirmar que
19. Dois termômetros de mercúrio têm reservatórios idênticos e tubos
cilíndricos feitos do mesmo vidro, mas apresentam diâmetros diferentes. a) o eixo x representa a temperatura em fahrenheit, e o eixo y, o
Entre os dois termômetros, o que pode ser graduado para uma volume.
resolução melhor é b) o eixo y representa a temperatura em kelvin, e o eixo x, o volume.
a) o termômetro com o tubo de menor diâmetro terá resolução c) o eixo x representa a pressão em pascal, e o eixo x, o volume.
melhor.
d) o eixo y representa a pressão, e o eixo x, a temperatura em kelvin.
b) o termômetro com o tubo de maior diâmetro terá melhor
e) o eixo y representa a temperatura em fahrenheit, e o eixo x, o
resolução.
volume.
c) o diâmetro do tubo é irrelevante; é apenas o coeficiente de
expansão de volume do mercúrio que importa. 22. Um termômetro com defeito está graduado na escala Fahrenheit,
d) como o vidro é o mesmo, o que importa é o coeficiente de indicando 30º F para o ponto de fusão do gelo e 214 ºF para o ponto
expansão linear para o de maior diâmetro. de ebulição da água. A única temperatura neste termômetro medida
corretamente na escala Celsius é
20. Um estudante monta um dispositivo termométrico utilizando uma a) 158. c) 122. e) 194.
câmara, contendo um gás, e um tubo capilar, em formato de “U”,
b) 86. d) 50.
cheio de mercúrio, conforme mostra a figura. O tubo é aberto em
uma das suas extremidades, que está em contato com a atmosfera.
23. Um estudante de Física resolveu criar uma nova escala termométrica
que se chamou Escala NOVA ou, simplesmente, Escala N. Para isso,
o estudante usou os pontos fixos de referência da água: o ponto de
fusão do gelo (0° C), correspondendo ao mínimo (25° N) e o ponto de
ebulição da água (100° C), correspondendo ao máximo (175° N) de
sua escala, que era dividida em cem partes iguais. Dessa forma, uma
temperatura de 55°, na escala N, corresponde, na escala Celsius, a uma
temperatura de
a) 10 °C. d) 30 °C.
b) 20 °C. e) 35 °C.
c) 25 °C.

24. O gráfico abaixo mostra como estão relacionadas as escalas


Inicialmente a câmara é imersa em um recipiente contendo água e termométricas Celsius e Fahrenheit.
gelo em fusão, sendo a medida da altura h da coluna de mercúrio
(figura) de 2 cm. Em um segundo momento, a câmara é imersa em
água em ebulição e a medida da altura h da coluna de mercúrio passa
a ser de 27 cm. O estudante, a partir dos dados obtidos, monta uma
equação que permite determinar a temperatura do gás no interior
da câmara (q), em graus Celsius, a partir da altura h em centímetros.
(Considere a temperatura de fusão do gelo 0ºC e a de ebulição da
água 100 ºC.)
Assinale a alternativa que apresenta a equação criada pelo estudante.
a) q = 2h c) q = 4h – 8
27h d) q = 5h² – 20
b) q = No inverno, a temperatura, na cidade de Nova York, chega a atingir o
2
valor de 10,4 ºF. Na escala Celsius, esse valor corresponde a
21. Considere a temperatura de fusão do chumbo como TFC = 327 a) – 12,0. c) – 38,9.
ºC, o calor específico do chumbo como cC = 0,03 cal/g ºC, o calor
latente de fusão do chumbo como LFC = 6,0 cal/g, o coeficiente de b) – 13,6. d) – 42,0.
expansão térmica do latão igual a 20 x 10–6 ºC–1, 1 cal = 4,2 J, e utilize
(3)1/2 = 1,7. 25. Uma pessoa está numa sala de 20 °C e outra numa sala de 35
°
C. Ambas vestem roupas leves, exatamente iguais. Depois de algum
Um computador monitora um experimento de expansão isobárica de
tempo, as duas pessoas entram numa mesma sala que está a 28 °C.
25 g de um gás ideal. Seu software, não configurado corretamente,
Qual a sensação que cada uma deve ter? Por quê?
reproduz, na tela do computador, o gráfico a seguir.

132 PROMILITARES.COM.BR
TEMPERATURA E CALOR

EXERCÍCIOS DE Utilizando o quadro abaixo, que relaciona as temperaturas em °C

COMBATE
(graus Celsius), °F (Fahrenheit) e K (Kelvin), podemos mostrar que as
temperaturas médias máximas, expressas em K, para Pernambuco e
para Águas Belas, ambas em 2015, foram, respectivamente,

01. (MACKENZIE 2003) Os termômetros são instrumentos utilizados


para efetuarmos medidas de temperaturas. Os mais comuns se
baseiam na variação de volume sofrida por um líquido considerado
ideal, contido num tubo de vidro cuja dilatação é desprezada. Num
termômetro em que se utiliza mercúrio, vemos que a coluna desse
líquido “sobe” cerca de 2,7 cm para um aquecimento de 3,6 °C. Se a
escala termométrica fosse a Fahrenheit, para um aquecimento de 3,6 °F,
a coluna de mercúrio “subiria”:
a) 11,8 cm. c) 2,7 cm. e) 1,5 cm.
b) 3,6 cm. d) 1,8 cm.

02. (MACKENZIE 1999) As escalas termométricas constituem um


modelo pelo qual se traduz quantitativamente a temperatura de
um corpo. Atualmente, além da escala adotada pelo SI, ou seja, a a) 300 e 317. c) 304 e 315. e) 254 e 302.
escala Kelvin, popularmente são muito utilizadas a escala Celsius e a b) 273 e 373. d) 242 e 232.
Fahrenheit. A temperatura, cuja indicação na escala Kelvin é igual à da
escala Fahrenheit, corresponde na escala Celsius a: 07. (UFPR 2017) Vários turistas frequentemente têm tido a oportunidade
a) – 40 °C. c) 313 °C. e) 574,25 °C. de viajar para países que utilizam a escala Fahrenheit como referência para
b) 233 °C. d) 301,25 °C. medidas da temperatura. Considerando-se que quando um termômetro
graduado na escala Fahrenheit assinala 32 °F, essa temperatura
corresponde ao ponto de gelo, e quando assinala 212 °F trata-se do ponto
03. (MACKENZIE 1999) Num determinado trabalho, cria-se uma
de vapor. Em um desses países, um turista observou que um termômetro
escala termométrica X utilizando as temperaturas de fusão (–30 °C)
assinalava temperatura de 74,3 °F. Assinale a alternativa que apresenta a
e de ebulição (130 °C) de uma substância, como sendo 0 °X e 80
temperatura, na escala Celsius, correspondente à temperatura observada
°X, respectivamente. Ao medir a temperatura de um ambiente com
um termômetro graduado nessa escala, obtivemos o valor 26 °X. Essa pelo turista.
temperatura na escala Celsius corresponde a: a) 12,2 °C c) 23,5 °C e) 33,5 °C
a) 14 °C. c) 22 °C. e) 41 °C. b) 18,7 °C d) 30 °C
b) 18 °C. d) 28 °C.
08. Leia o texto a seguir:
04. (MACKENZIE 1998) Para se medir a temperatura de um certo A ARTE DE ENVELHECER
corpo, utilizou-se um termômetro graduado na escala Fahrenheit e
o valor obtido correspondeu a 4/5 da indicação de um termômetro 1
O envelhecimento é sombra que nos acompanha desde a
graduado na escala Celsius, para o mesmo estado térmico. Se a escala concepção: o feto de seis meses é muito mais velho do que o embrião
adotada tivesse sido a Kelvin, esta temperatura seria indicada por: de cinco dias.
a) 25,6 K. c) 241 K. e) 305 K. Lidar com a inexorabilidade desse processo exige uma habilidade
b) 32 K. d) 273 K. na qual nós somos inigualáveis: a adaptação. Não há animal capaz
de criar soluções diante da adversidade como nós, de sobreviver em
nichos ecológicos que vão do calor tropical às geleiras do Ártico.
05. (MACKENZIE 1997) Relativamente à temperatura –300 °C (trezentos
graus Celsius negativos), pode-se afirmar que a mesma é: Da mesma forma que ensaiamos os primeiros passos por imitação,
temos que aprender a ser adolescentes, adultos e a ficar cada vez mais
a) uma temperatura inatingível em quaisquer condições e em
velhos.
qualquer ponto do Universo.
A adolescência é um fenômeno moderno. 2Nossos ancestrais
b) a temperatura de vaporização do hidrogênio sob pressão normal,
passavam da infância à vida adulta sem estágios intermediários. Nas
pois, abaixo dela, este elemento se encontra no estado líquido.
comunidades agrárias o menino de sete anos trabalhava na roça e as
c) a temperatura mais baixa conseguida até hoje em laboratório. meninas cuidavam dos afazeres domésticos antes de chegar a essa
d) a temperatura média de inverno nas regiões mais frias da Terra. idade.
e) a menor temperatura que um corpo pode atingir quando o A figura do adolescente que mora com os pais até os 30 anos, sem
mesmo está sujeito a uma pressão de 273 atm. abrir mão do direito de reclamar da comida à mesa e da camisa mal
passada, surgiu nas sociedades industrializadas depois da Segunda
06. (IFPE 2017) Pernambuco registrou, em 2015, um recorde na Guerra Mundial. Bem mais cedo, nossos avós tinham filhos para criar.
temperatura após dezessete anos. O estado atingiu a média máxima A exaltação da juventude como o período áureo da existência
de 34 °C segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima humana é um mito das sociedades ocidentais. Confinar aos jovens a
(APAC). A falta de chuvas desse ano só foi pior em 1998 – quando foi publicidade dos bens de consumo, exaltar a estética, os costumes e
registrada a pior seca dos últimos 50 anos, provocada pelo fenômeno os padrões de comportamento característicos dessa faixa etária tem o
“El Niño”, que reduziu a níveis críticos os reservatórios e impôs o efeito perverso de insinuar que o declínio começa assim que essa fase
racionamento de água. Novembro foi o mês mais quente de 2015, se aproxima do fim.
aponta a APAC. Dos municípios que atingiram as temperaturas mais A ideia de envelhecer aflige mulheres e homens modernos, muito
altas esse ano, Águas Belas, no Agreste, aparece em primeiro lugar mais do que afligia nossos antepassados. Sócrates tomou cicuta aos
com média máxima de 42 °C. 70 anos, Cícero foi assassinado aos 63, Matusalém sabe-se lá quantos
(Fonte: g1.com.br). anos teve, mas seus contemporâneos gregos, romanos ou judeus

PROMILITARES.COM.BR 133
TEMPERATURA E CALOR

viviam em média 30 anos. No início do século 20, a expectativa de


vida ao nascer nos países da Europa mais desenvolvida não passava
dos 40 anos.
A mortalidade infantil era altíssima; epidemias de peste negra, DESAFIO PRO
varíola, malária, febre amarela, gripe e tuberculose dizimavam
populações inteiras. Nossos ancestrais viveram num mundo devastado

1
por guerras, enfermidades infecciosas, escravidão, dores sem analgesia Em um experimento existem três recipientes E1, E2 e E3. Um
e a onipresença da mais temível das criaturas. Que sentido haveria em termômetro graduado numa escala X assinala 10°X quando
pensar na velhice quando a probabilidade de morrer jovem era tão imerso no recipiente E1, contendo uma massa M1 de água a
alta? Seria como hoje preocupar-nos com a vida aos cem anos de 41°F. O termômetro, quando imerso no recipiente E2 contendo
idade, que pouquíssimos conhecerão. uma massa M2 de água a 293 K, assinala 19°X. No recipiente E3
3
Os que estão vivos agora têm boa chance de passar dos 80. Se existe inicialmente uma massa de água M3 a 10°C. As massas
assim for, 4é preciso sabedoria para aceitar que nossos atributos se de água M1 e M2, dos recipientes E1 e E2, são transferidas para
modificam com o passar dos anos. Que nenhuma cirurgia devolverá o recipiente E3 e, no equilíbrio, a temperatura assinalada pelo
aos 60 o rosto que tínhamos aos 18, mas que envelhecer não é termômetro é de 13°X. Considerando que existe somente troca
sinônimo de decadência física para aqueles que se movimentam, não M
fumam, comem com parcimônia, exercitam a cognição e continuam de calor entre as massas de água, a razão 1 é:
M2
atentos às transformações do mundo. M3
a) 2 + 0,2
Considerar a vida um vale de lágrimas no qual submergimos de M2
corpo e alma ao deixar a juventude é torná-la experiência medíocre.
b) 2
Julgar, aos 80 anos, que os melhores foram aqueles dos 15 aos 25
é não levar em conta que a memória é editora autoritária, capaz M3
de suprimir por conta própria as experiências traumáticas e relegar c) 1 +
M2
ao esquecimento inseguranças, medos, desilusões afetivas, riscos
desnecessários e as burradas que fizemos nessa época. d) 0,5
Nada mais ofensivo para o velho do que dizer que ele tem
5 M3
e) 0,5 − 2
“cabeça de jovem”. É considerá-lo mais inadequado do que o rapaz M2
de 20 anos que se comporta como criança de dez.
Ainda que maldigamos o envelhecimento, é ele que nos traz a
aceitação das ambiguidades, das diferenças, do contraditório e abre
espaço para uma diversidade de experiências com as quais nem
2 O gráfico representa a relação entre a temperatura
medida em uma escala de temperatura hipotética W e a
temperatura medida na escala Celsius, sob pressão normal.
sonhávamos anteriormente.
(DRÁUZIO VARELLA. Folha de São Paulo, 23/01/2016.)

O processo de adaptação consiste na capacidade do ser humano de


criar soluções diante das adversidades, permitindo sua sobrevivência
desde os trópicos, cuja temperatura média é de 20 °C às regiões
polares, onde termômetros atingem temperaturas próximas a -40 °C.
Considerando os valores acima, a variação em módulo temperatura na
escala Kelvin, corresponde a:
a) 20.
b) 40.
c) 60.
d) 80.

09. (MACKENZIE 2017) Uma escala termométrica A adota para a


temperatura da água em ebulição à pressão normal, de 70 °A, e para
a temperatura de fusão do gelo à pressão normal, de 20 °A. Outra A temperatura de fusão do gelo e a de ebulição da água são, em
escala termométrica B adota para a temperatura da água em ebulição graus W, respectivamente iguais a
à pressão normal, de 90 °B, e para a temperatura de fusão do gelo à
a) - 40 e 40.
pressão normal, de 10 °B.
b) - 40 e 110.
A expressão que relaciona a temperatura das escalas A (θA) e B (θB) é
c) 20 e 110.
a) θB = 2,6 ⋅ θA – 42 d) θB = 1,6 ⋅ θA – 22
d) - 40 e 100.
b) θB = 2,6 ⋅ θA – 22 e) θB = 1,6 ⋅ θA + 42
e) 20 e 100.
c) θB = 1,6 ⋅ θA – 22

10. (IFSUL 2017) Ao atender um paciente, um médico verifica que,


entre outros problemas, ele está com temperatura de 37,5 °C e deixa-o
3 Um estudante desenvolve um termômetro para ser
utilizado especificamente em seus trabalhos de laboratório.
Sua ideia é medir a temperatura de um meio fazendo a leitura
em observação no posto de saúde. Depois de uma hora, examina-o
da resistência elétrica de um resistor, um fio de cobre, por
novamente, medindo a temperatura e observa que ela aumentou 2 °C.
exemplo, quando em equilíbrio térmico com esse meio. Assim,
O valor dessa variação de temperatura, na escala Fahrenheit, e a para calibrar esse termômetro na escala Celsius, ele toma como
temperatura final, na escala Kelvin, são respectivamente iguais a referências as temperaturas de fusão do gelo e de ebulição da
a) 3,6 °F e 233,5 K. c) 35,6 °F e 233,5 K. água. Depois de várias medidas, ele obtém a curva apresentada
na figura.
b) 35,6 °F e 312,5 K. d) 3,6 °F e 312,5 K.

134 PROMILITARES.COM.BR
TEMPERATURA E CALOR

GABARITO
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
01. B 04. C 07. C 10. 10
02. C 05. E 08. B
03. C 06. C 09. C
EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO
01. B 17. B
02. B 18. A
03. C 19. A
A correspondência entre a temperatura T, em °C, e a resistência 04. C 20. C
elétrica R, em Ω, é dada pela equação
05. C 21. E
100 × (R − 16)
a) T = 100 × (R − 16) 06. A 22. D
6,6 d) T =
16 07. C 23. B
100 × 6,6 08. A 24. A
b) T = 100 × (R − 6,6)
R - 16 e) T =
16 09. A 25. A que estava na sala a 20
R − 6,6 10. B °C sentirá calor, pois entrará
c) T =
6,6 × 100 num ambiente de temperatura
11. C mais elevada do que o anterior.
12. C
4 Uma escala termométrica arbitrária X está relacionada com A que estava na sala de 35 °C
a escala Fahrenheit F, de acordo com o gráfico a seguir. 13. D sentirá uma sensação de frescor,
pois entrará num ambiente de
14. B
temperatura mais baixa do que
15. 24 no anterior.
16. A
EXERCÍCIOS DE COMBATE
01. E 04. E 07. C 10. D
02. D 05. A 08. C
03. C 06. C 09. C
DESAFIO PRO
01. B 03. A 05. B
As temperaturas de fusão do gelo e ebulição da água, sob 02. B 04. C
pressão normal, na escala X valem, respectivamente,
a) 0 e 76. d) 76 e 152.
ANOTAÇÕES
b) 0 e 152. e) 152 e -30.
c) 60 e -30.

5 O nitrogênio, à pressão de 1,0 atm, condensa-se a uma


temperatura de -392 graus numa escala termométrica X. O
gráfico representa a correspondência entre essa escala e a escala
K (Kelvin).

Em função dos dados apresentados no gráfico, podemos


verificar que a temperatura de condensação do nitrogênio, em
Kelvin, é dada por:
a) 56. d) 200.
b) 77. e) 273.
c) 100.

PROMILITARES.COM.BR 135
TEMPERATURA E CALOR

136 PROMILITARES.COM.BR