Você está na página 1de 167

MÉTODO SEDONA

Prefácio
por Jack Canfield
Há 20 anos eu ouvia clientes e amigos elogiarem o Método Sedona e, recentemente,
finalmente fiz o curso com minha esposa e meu filho de 12 anos. Fiquei
impressionado com a simplicidade do Método e o efeito profundo que teve em minha
vida. Em meu trabalho com “ Canja de Galinha para a Alma” e em meus Seminários de
Autoestima, tive a oportunidade de ver muitas técnicas e muitos processos de
autoaperfeiçoamento.Mas este supera de longe todos os outros por causa de sua
facilidade de uso, seu forte impacto e a velocidade com que os resultados são
obtidos. O Método Sedona é uma maneira muito rápida de se livrar de sentimentos
como raiva, frustração, ciúme, ansiedade, estresse e medo, além de muitos outros
problemas - até mesmo a dor física com a qual praticamente todos lutam em
determinado momento.
Uma das grandes consequências de seguir o seminário é a amizade que fiz com Hale
Dwoskin. Hale é uma das pessoas mais calmas, planas e alegres que já conheci, uma
prova clara de que o Método Sedona faz maravilhas. Estou em êxtase com essa
amizade. Durante o seminário, fiquei constantemente impressionado com o estilo de
ensino requintado de Hale. Dê um passo após o outro. O resultado foi que eu já enviei
muitos parentes, amigos e colegas para seminários do Método Sedona, e também fiz
com que toda a equipe "Sopa de Galinha para a Soul Enterprises" descobrisse o
método por meio de programas de rádio que Hale elaborou.

É, portanto, um prazer recomendar este método que é uma grande ajuda para
alcançar a felicidade, o sucesso, a paz e o bem-estar emocional duradouro . Ler este
livro é equivalente a seguir o curso básico do Método Sedona e vários cursos
avançados ao mesmo tempo. Com uma infinidade de técnicas práticas e histórias de
caso autênticas e exemplares, Hale explica clara e profusamente tudo o que é
necessário saber para dominar o processo de liberação e continuar usando o Método
dia após dia, momento após momento, em situações reais como por exemplo , para
alcançar relacionamentos mais harmoniosos e gratificantes, alcançar segurança
financeira, desenvolver uma profissão satisfatória, abandonar maus hábitos, perder
peso e desfrutar de boa saúde. Hale revela o poderoso segredo do Método Sedona
para manifestar o que você quer da vida, enquanto ensina como se sentir confortável
e confortável com o que você já tem. Além disso, o Método permite alcançar uma
maior paz, alegria e tranquilidade de espírito com tudo o que se vive diariamente.
Portanto, eu recomendo fortemente a leitura do Método Sedona. Aconselho o leitor a
deixar a simplicidade de sua mensagem e o poder desse processo abrir as portas
para todas as maravilhas que a vida tem a oferecer. É uma das poucas coisas no
mundo hoje que dá muito mais do que promete, muito mais. Encorajo o leitor a
prestar muita atenção à mensagem que Hale apresenta neste livro. Se você fizer isso,
essa mensagem mudará sua vida.

NOTAS DO AUTOR

As histórias deste livro são autênticas. No entanto, para salvaguardar a privacidade


de certos indivíduos que foram alunos do Método Sedona ou cujas vidas
influenciaram a minha, alteramos os nomes e outros detalhes de identificação
daqueles mencionados neste trabalho.

INTRODUÇÃO
O que é o Método Sedona?
Você se sente aquecido e de coração aberto, sua espinha coçando agradavelmente e seu
corpo flutuando no ar. Ao olhar ao redor da sala, as cores parecem mais vivas e os sons mais
nítidos, como se você estivesse realmente experimentando o ambiente ao seu redor pela
primeira vez. Sua mente fica muito mais calma, mas muitas possibilidades novas e
maravilhosas voam em sua consciência sobre como melhorar sua vida e viver feliz agora.
Você se sente relaxado e calmo, sabendo que tudo está indo bem e que tudo está se
desenvolvendo de acordo.
Seus olhos estão cheios de lágrimas, porque você acha difícil acreditar que exercícios
tão simples possam fazer uma diferença tão profunda e imediata em como você se
sente. Você se sente animado com o futuro e sabe que pode enfrentar qualquer coisa
que aconteça com um novo sentimento de força interior, calma e confiança, não
importa quantos obstáculos a vida lhe lance.
E o melhor é que tudo isso é só o começo.
É muito fácil para você ter esse tipo de experiência por conta própria, como dezenas
de milhares de outras pessoas que têm vivido e usado as técnicas simples, mas
poderosas, que os Sedona Training Associates ensinaram em nossos seminários e
programas de áudio por anos. Agora, você pode aprender essas técnicas neste livro.
Você está disposto a ser muito feliz? Você quer alcançar tudo o que sempre quis em
toda a sua vida? Você está pronto para encontrar o que seu coração sempre buscou?
Se você responder não a todas as três perguntas, não se preocupe em ler este livro.
Se você responder sim a qualquer uma delas, o Método Sedona lhe ensinará uma
maneira prática de entrar em contato com uma fonte interna de felicidade sem
limites, realizar seus sonhos mais impossíveis, realizar todo o seu potencial e passar
de buscador a "descobridor espiritual".
Vivemos em um mundo que muda continuamente, nem sempre de forma positiva. A
maioria de nós anseia por uma certeza, segurança e solidez que não podemos
encontrar fora de nós mesmos, não importa o quanto tentemos. Mas essas
qualidades já existem dentro de nós, esperando para se manifestar. É como se
tivéssemos um poço dos desejos ou uma fonte de alegria e vitalidade interior que
não está ligada à rede de abastecimento de água. No entanto, secretamente, todos
nós temos uma ferramenta para reconectar.
Você está intrigado? Isso espero. Porque adoraria compartilhar com você um processo
simples que pode fornecer tudo isso: o Método Sedona. Essa técnica já ajudou muitos
milhares de pessoas a aproveitarem sua capacidade natural de se libertarem das emoções
desconfortáveis e indesejadas que nos impedem de criar e preservar a vida que escolhemos.
Abdicamos de nossa capacidade de tomar decisões neles. Nós até imaginamos que nossas
emoções podem ditar quem devemos ser. Isso é demonstrado pelo nosso uso da linguagem.
Você já disse a alguém "Estou com raiva" ou "Estou triste"? Quando falamos assim,
inadvertidamente dizemos às pessoas ao nosso redor e a nós mesmos que essa raiva é
parte de nós, que somos a nossa raiva ou que nós são a nossa tristeza Interagimos com os
outros e connosco próprios como se fôssemos as nossas emoções.Na verdade, até
inventamos histórias inteiras de porque nos sentimos assim, para justificar ou explicar esta
falsa percepção da nossa identidade.
Não é que, de vez em quando, os sentimentos não pareçam justificados. Mas acontece que
os sentimentos nada mais são do que sentimentos, não são o que somos e podemos livrar-
nos deles facilmente. Quando decidimos abandoná-los, somos livres para perceber o que
realmente está lá e para agir, ou parar de agir, em

dois

consequência. Isso se traduz em uma maior capacidade de gerenciar a vida: para


tomar decisões mais fortes e claras. Ele permite que você e eu ajamos de uma forma
que nos ajude a alcançar nossos objetivos e aspirações, em vez de sabotá-los. Tenho
testemunhado o processo de liberação de emoções que se transforma na capacidade
de ter mais dinheiro, relacionamentos melhores, saúde física mais radiante e bem-
estar, e a capacidade de ser feliz, calmo e equilibrado, seja o que for que nos rodeia.
Parece bom, certo? Eu acreditei nisso já em 1976, quando conheci Lester Levenson, o
homem que inspirou a criação do Método Sedona e que também se tornaria meu
mentor. Naquela época, eu era um buscador ávido, embora confuso, que participara
de vários seminários ministrados por professores do Oriente e do Ocidente. Ele havia
estudado uma variedade de disciplinas centradas no corpo, incluindo ioga, tai chi e
shiatsu. Ele participou ativamente de muitos cursos de crescimento pessoal,
incluindo EST, Atualismo, Seminários Theta e Renascimento. Nesses seminários, tive
muitas experiências agradáveis e ouvi e compreendi, pelo menos intelectualmente,
muitas idéias úteis. No entanto, eu me senti incompleto. Ansiava por uma resposta
simples e enérgica para algumas questões importantes, mas intrigantes, como: "Qual
é o propósito da minha vida?", "O que é verdade?", "Quem sou eu?" e "Como posso me
sentir calmo e em paz com minha vida?" Muito do que ouvi e experimentei não fez
nada além de me fazer mais perguntas. Ninguém parecia ter respostas realmente
satisfatórias ou ter realmente descoberto sua verdadeira natureza. Havia também
uma crença forte, quase universal, de que o crescimento era difícil e exigia bloquear o
espírito para reviver questões dolorosas e não resolvidas. Tudo isso mudou durante
meu primeiro e feliz encontro com esse homem excepcional.

O encontro com Lester Levenson

Conheci Lester em um seminário conduzido por um orador conhecido e do qual


Lester estava participando como convidado. Naquele dia, um grupo de nós saiu para
comer juntos. A presença de Lester imediatamente me pareceu única. Ele estava em
completa paz e equilíbrio mental, à vontade consigo mesmo. Ele era uma pessoa
simples, fácil de conversar e tratava a todos como seus amigos, até eu, que era um
completo estranho. Era evidente que ele havia terminado sua busca e que havia
descoberto as respostas que eu procurava. Eu sabia que precisava descobrir mais.
Quando perguntei o que ele estava fazendo, ele me convidou para um seminário que
aconteceria no fim de semana seguinte. Tudo o que ele me disse foi que "um grupo
de pessoas vai se sentar ao redor de uma mesa para se libertar". Eu não tinha certeza
do que significava me libertar, mas sabia que se pudesse pelo menos me apontar na
direção das qualidades que Lester personificava, eu definitivamente queria isso. Eu
dei um salto de fé e me inscrevi ali mesmo.
Naquele fim de semana eu estava praticamente na mesma situação que você agora.
Ia embarcar numa viagem que me causou certo mal-estar. Eu não sabia ao certo em
que me envolveria e, tendo já participado de tantos seminários, também nutria um
saudável grau de ceticismo. Vi que ele me perguntava: “Por Deus! Vai ser mais uma
decepção? À medida que o seminário avançava, no entanto, observei enquanto eu e
muitos outros na classe nos desfazíamos de crenças e limitações profundamente
arraigadas com surpreendente facilidade e rapidez, mas sem ter que reviver ou
explicar a história de nossas vidas.
Praticamente no dia seguinte, eu sabia que havia encontrado o que procurava. Na verdade, lá
no fundo, eu sabia disso. Processo de libertação foi o que nasci para compartilhar com o
mundo e até hoje nunca vacilei. Nos últimos 26 anos, vi milhares de pessoas mudarem de
vida

para melhor, radicalmente mas sem alarde, apenas aprendendo uma técnica de
elegante simplicidade mas grande poder.

As origens do Método Sedona

À medida que minha amizade com Lester se desenvolveu, descobri mais sobre ele
que confirmou minhas primeiras impressões. Ele foi uma pessoa que dominou o
maior desafio da vida. Em 1952, aos 42 anos, Lester, um físico e um grande
empresário, estava no auge do sucesso mundial, mas era um homem infeliz e com
saúde muito debilitada. Ele tinha muitos problemas de saúde, incluindo depressão,
fígado inchado, cálculos renais, acessos de raiva, hiperacidez e úlceras que
perfuraram seu estômago, com ferimentos correspondentes. Ele estava tão mal que,
após sua segunda trombose coronária, os médicos o enviaram para seu sótão, ao sul
do Central Park, em Nova York, para que pudesse morrer em paz.
Lester era uma pessoa que adorava desafios. Então, em vez de desistir, ele decidiu voltar ao
laboratório dentro dele para encontrar algumas respostas. Graças a essa determinação e
concentração, ele foi capaz de abrir caminho através de sua mente consciente para
encontrar o que precisava. O que ele descobriu foi a ferramenta definitiva para o crescimento
pessoal - uma maneira de se libertar de todas as limitações internas. Ele ficou tão animado
com sua descoberta que o usou intensamente por três meses. No final desse período, seu
corpo voltou à saúde plena. Além disso, ele entrou em um estado de profunda paz que nunca
o deixou, até o dia de sua morte, 18 de janeiro de 1994.

O que Lester descobriu em primeira mão é que somos todos seres ilimitados,
limitados apenas pelas idéias restritivas que abrigamos em nossas mentes. Essas
idéias de limitação não são verdadeiras; além disso, precisamente porque não são
verdadeiros, eles podem ser descartados ou baixados.
A experiência de Lester o fez perceber que não apenas ele poderia praticar essa
técnica, mas também poderia ensinar outros a fazê-la. O resultado foi que ele
começou a trabalhar com pessoas, tanto em pequenos grupos quanto
individualmente. Lester acreditava firmemente que o crescimento pessoal não
depende de nenhuma fonte externa, nem mesmo de um professor, e ele não queria
ser o guru de ninguém. Mas porque as pessoas ao seu redor se sentiam em um
estado tão elevado, apesar de seus protestos e tentativas de impedir que isso
acontecesse, muitos dos alunos de Lester insistiram em considerá-lo seu guru.
Assim, em 1973, percebeu que era necessário formalizar seus ensinamentos em um
sistema que outros pudessem ensinar, deixando-o de lado. Ele inventou uma maneira
de transformar suas técnicas poderosas de desenvolvimento pessoal em um sistema
de aplicação prática, um sistema que hoje é chamado de Método Sedona e que é o
assunto deste livro.

Como a liberação influenciou minha vida

Desde o início, senti que meu relacionamento com Lester era como o de bons
amigos. Fui atraído por ele e seus ensinamentos tão imediatamente que
imediatamente segui os três cursos que ele oferecia: o Curso Básico em novembro, o
Curso Avançado em janeiro e o Treinamento de Instrutor em fevereiro. Ele estava com
pressa para aprender o máximo que pudesse. Além disso, comecei a trabalhar com
ele para compartilhar seus ensinamentos com o mundo.
Trabalhar com Lester me permitiu passar mais tempo com ele, vê-lo em ação e ver como ele
enfrentava os desafios inevitáveis da vida. Eu fiquei muito impressionado. Uma maneira de
se relacionar era sentar-se em uma cafeteria e conversar longamente. Ele sempre gostou de
sentar e conversar tomando uma xícara de café, sempre, quase até a morte. Ele costumava
dizer: "Meu escritório é minha carteira e o lugar mais próximo para tomar um bom café."
Nossas reuniões sempre foram um pouco engraçadas e às vezes me frustravam, porque
sempre achei que era importante falar a verdade, enquanto

que Lester sempre direcionou a conversa para tópicos tão prosaicos quanto possível.
No entanto, sempre que estávamos juntos, isso aprofundava minha compreensão e
experiência direta da verdade, mesmo quando não estávamos falando sobre ela.
Lester foi um exemplo vivo, e não uma pessoa para pontificar. Isso me ajudou a
descobrir a oportunidade de me libertar e experimentar uma liberdade maior em
todos os momentos, e essa prática que sigo até agora.
Eu me envolvi tanto que até comecei a organizar, na sala do meu apartamento no
Upper Side End, grupos de apoio para pessoas que usavam o Método Sedona. Mas
não demorei muito para perceber que precisava amadurecer e crescer pessoalmente
antes que pudesse ser útil para Lester e sua organização incipiente. Decidi ajudá-lo
como voluntário e participante ativo, não como empregado, pois continuei a explorar
de maneiras diferentes como a libertação afetava minha vida diária.

Depois de um curto período, abri uma joalheria. O sucesso dessa empreitada me deu a
oportunidade de trabalhar meio período, enquanto analisava minha vida e minha liberação
em tempo integral. Continuei com o negócio e com meu envolvimento mais informal com
Lester até cerca de 1981. Conforme trabalhava com o Método em meus negócios e vida
pessoal, fiquei cada vez mais convencido de que havia encontrado uma técnica que poderia
ajudar qualquer pessoa. No final dos anos 1970, Lester mudou-se para o Arizona. Exceto por
meio de seus ensinamentos, meu contato com ele naquela época era ocasional, mas ele
continuou a me influenciar profundamente.

Então, em 1981, fui convidado a vir a Phoenix para participar novamente de um Treinamento
de Instrutor. Esse seminário deu início a uma nova fase em nossos relacionamentos. Além
disso, renovou meu desejo de trabalhar ao lado de Lester para compartilhar o Método com o
mundo. Comecei a liderar workshops de graduação do Método Sedona regularmente em
Nova York, voando para o Arizona várias vezes por ano para treinamento adicional e para
participar de retiros de uma semana ou mais, que chamamos de Intensivos. O fato de dirigir
workshops e participar de Treinamentos e Intensivos aumentou muito meu uso do Método.
Vi ótimos resultados em mim e nos amigos que também participaram.

Na mesma época, decidi participar mais ativamente, em tempo integral, do mundo dos
negócios. Trabalhei por um curto período no negócio de vendas de imóveis industriais
do meu pai em Nova York e arredores, mas não o via como meu trabalho. Então entrei
em uma empresa que vende flats e apartamentos como uma cooperativa. Logo pude
usar o Método para apoiar minha habilidade como vendedor e me tornei um dos
melhores vendedores da empresa. Por um tempo gostei de tudo, mas depois tive a
oportunidade de colaborar com meu irmão na criação de um departamento de
investimentos na imobiliária de meu pai. Felizmente, passei a vender prédios de
escritórios, shopping centers e outros investimentos imobiliários.
Pela primeira vez em nossas vidas, meu irmão e eu nos tornamos amigos. Pude livrar-me do
antigo fardo que carregava em nossos relacionamentos anteriores e nos tornamos uma
grande equipe de negócios. No entanto, enfrentamos o problema recorrente de iniciar muitos
negócios, dos quais poderíamos realmente fechar. Então, quando eu menos esperava, Lester
me ligou para perguntar como iam as coisas. Eu expliquei o que estava acontecendo. Ele
disse uma frase que virou completamente nossas citações finais e o resto de minha carreira
de negócios de cabeça para baixo. Ele simplesmente disse: 'Deixe as contas com o banco;
não os use na cabeça ». Sem me dizer mais nada sobre isso, descobri uma tendência para
mim e para muitas pessoas que vendem, que é "manter as contas na cabeça". Estava tão
ocupado pensando em como seria ótimo fechar cada negócio que, na verdade,

esqueci de fechar. Assim que comecei a me libertar em vez de fantasiar, fechamos


muito mais vendas.
Outra lição importante sobre a liberação que aprendi quando recebi uma lista de
cotações de nove shoppings à venda de quem se conheciam afetuosamente no setor,
como um corretor da bolsa da Xerox. Um corretor Xerox é alguém que obtém por
escrito de outros corretores e principais, listagens de propriedades para venda e suas
cotações, em seguida, copia e envia para outros corretores e principais sem se
preocupar em verificar os fatos ou entrar em contato com o proprietário ou agente
autêntico.
Enviei uma cópia da lista para um de meus melhores clientes e ele respondeu
prontamente com uma oferta quase imbatível.
Ele estava obviamente encantado, então peguei o telefone para ligar para a pessoa
que pensei ser o diretor, apenas para descobrir que o relacionamento era de um
corretor da Xerox e não havia como entrar em contato com o verdadeiro proprietário.
Perturbado, percebi que não havia nada que pudesse fazer a não ser me libertar.
Então eu fiz. Esvaziei minha mente e liberei todos os meus sentimentos em relação
ao caso, até que cheguei ao ponto em que não me importava se fechava ou não o
negócio. O próximo telefonema em nosso escritório foi do verdadeiro proprietário dos
shopping centers, respondendo a um anúncio de busca de imóveis que por acaso
estava aparecendo no Wall Street Journal. Quando ele nos ofereceu os orçamentos
para essas mesmas propriedades, quase desmaiei.
É apenas um dos muitos casos que me levaram a entender a verdade de palavras que
ouvi repetidamente de Lester: "Até o impossível se torna completamente possível
quando você está totalmente liberado dele."
Também me acostumei a usar o Método ao fechar negócios, às vezes quando as
pessoas estavam negociando contratos de milhões de dólares e tentando me
enganar ou enganar uns aos outros, inventando uma história totalmente nova sobre o
que havíamos combinado, em vez de apenas assinar os papéis e trocar os cheques.
Eram situações tensas, porque havia muito dinheiro em jogo. Porém, à medida que ia
me libertando, sabia quando calar a boca, algo muito difícil para um corredor. Ele
também sabia quando reivindicar o que era certo. As recompensas financeiras
superaram minhas expectativas.
No início de 1987, economizei dinheiro suficiente para me mudar para o Arizona e me
juntar a Lester novamente para ajudá-lo a compartilhar sua técnica magnífica com o
mundo. Para desespero de meu irmão e meu pai, mudei-me para Phoenix e me tornei
um voluntário em tempo integral para a organização sem fins lucrativos de Lester, o
Sedona Institute, fazendo o que fosse necessário para divulgar suas ideias. Passei a
maior parte dos últimos anos da vida de Lester trabalhando próximo a ele em sua
missão, quase sem compensação financeira. O motivo pelo qual não me importava
em trabalhar de graça era que via o bem que isso poderia fazer e o quanto eu estava
me aprimorando como pessoa.
Em 1989, Lester me pediu para me mudar para Sedona para ajudá-lo a vender parte
dos imóveis da organização para que os graduados arrecadassem dinheiro. Foi então
que conheci minha esposa, Amy. Eu a vi em uma aula de caratê e imediatamente
percebi o que ela significava para mim, então no dia seguinte perguntei se ela queria
sair comigo. Mas a essa altura ela já estava namorando outro homem e pediu meu
cartão para o caso de sua situação mudar. Alguns meses depois, ele me ligou e
concordamos em sair. Foi uma quarta-feira. No sábado seguinte, Amy estava
participando do Curso do Método Sedona.
Hoje Amy e eu temos um relacionamento lindo e amoroso, mas nem sempre foi assim. No
começo as coisas eram difíceis. Honestamente, quando nos conhecemos, ela se interessava
por outros homens, então eu tive que fazer muitos exercícios de liberação para que no final
ela me escolhesse. Depois de casados, ainda tínhamos nossas desavenças, o que, claro,
continua acontecendo, naturalmente. Mas ambos

6
Usamos o Método Sedona e, quando algo está perturbando, deixamos passar. Em
minha opinião, nosso relacionamento tem a rara peculiaridade de continuar
melhorando e de nos amarmos cada vez mais.
No início da década de 1990, meu relacionamento com Lester alcançou tal grau de
confiança e respeito mútuo que ele decidiu colocar os direitos autorais de seus
ensinamentos em meu nome e me pediu para continuar seu trabalho. Eu mantive a
organização que ele havia criado até dois anos após sua morte. Então, em 1996,
achei que Amy e eu estávamos mais interessados em abrir uma nova empresa, a
Sedona Training Associates, para divulgar o Método de forma mais ampla.
Uma das coisas que mais me impressionam sobre a libertação é que ela se tornou
um sentimento de paz, felicidade, alegria e tranquilidade imutáveis que está sempre
comigo, aconteça o que acontecer ao meu redor. Não que não haja altos e baixos,
mas, como Lester costumava dizer, esse é realmente o "método de cima para baixo".
Sei por experiência própria que o que pensávamos ser uma experiência limitante, ou
algo realmente terrível, hoje é algo normal, e esses limites só se colocam a cada vez,
em níveis mais elevados. Não tenho ideia de quão "alto" eles vão chegar, e estou
ansioso para descobrir. A boa notícia é que o bem que experimentei usando o Método
não é único. Pessoas em todo o mundo são conhecidas por alcançarem o mesmo
tipo de resultados espetaculares em suas vidas. Anos atrás, um estudo sobre a
eficácia do Método Sedona foi conduzido com uma agência de seguros chamada
Mutual of New York. Vários corretores de seguros foram treinados no Método e suas
vendas foram comparadas a um grupo de controle o mais semelhante possível
durante seis meses. Naquele período, o grupo que aprendeu o Método superou o
grupo de controle em 33%. Além disso, o estudo foi dividido em duas partes de três
meses, e o resultado no segundo trimestre foi melhor do que no primeiro. A eficácia
do Método aumentou com o tempo.

Como usar este livro

Neste livro, você descobrirá o Método Sedona, uma técnica que pode ser usada
diariamente pelo resto da vida. Ao liberar toda a carga emocional que se instalou no
caminho que o levaria a fazer o que sabe que deve fazer e o que deseja fazer, verá
que está obtendo maior sucesso em tudo o que faz. O livro não vai lhe dar uma lista
totalmente nova de "deveria" e "não deveria", ou novos comportamentos que você
"deveria" tentar implementar em sua vida. Já impomos muitos "deverias" a nós
mesmos. Ao contrário, você aprenderá a mudar de dentro para fora. Quando você
muda de dentro para fora, as mudanças são permanentes.
Além disso, ao experimentar este sistema simples em sua vida, você não deixará de
descobrir mais maneiras de aplicá-lo. Todos os insights que você pode obter ao ler
este livro e trabalhar com o Método são apenas a ponta do iceberg. Essa técnica
simples pode afetar todos os aspectos da sua vida, porque parte do fato de que já
somos seres ilimitados. Se você pensar em sua vida passada, provavelmente verá
instantâneos desse estado ilimitado, o que é natural para nós. Certamente você
também verá momentos em que se sentiu em um estado de fluxo, momentos em que
tudo parecia estar funcionando sem nenhum esforço de sua parte. Usando o Método
Sedona, você pode, a partir de agora, experimentar o fluxo como parte de sua vida
diária.
Não sei que tipo de leitor você é. Talvez você seja um daqueles que participam plenamente
do que lêem, ou talvez apenas colete ideias úteis nas quais possa recorrer mais tarde.
Recomendo que participe plenamente e faça todos os exercícios propostos no livro. A
experiência me diz que a única maneira de aprender efetivamente a se libertar é fazendo
você mesmo. Experiência direta. A leitura deste livro não deixará de fornecer benefícios
adicionais, pois é assim que você aprenderá a

integre a habilidade prática de aproveitar sua habilidade natural de se libertar das


limitações.
O livro está dividido em duas partes. Na Parte Um, exploramos os fundamentos do processo
de liberação e as motivações ocultas da limitação interna. São apresentadas diferentes
técnicas que podem ajudá-lo a avançar no caminho da liberdade, por exemplo, diferentes
maneiras de lidar com a resistência, de estar "presente", de resolver seus sentimentos sobre
conflitos passados, de atingir seus objetivos e de equilibrar questões. situações emocionais
negativas. Na Parte Dois, examinaremos algumas áreas específicas de sua vida nas quais o
Método Sedona pode ter um efeito forte e positivo. Isso inclui saber como se livrar da culpa,
vergonha, medo e ansiedade; banir os maus hábitos; acumular riqueza; gerir uma empresa;
melhorar relacionamentos; desenvolver uma saúde magnífica e contribuir para a criação de
um mundo de paz e harmonia.
Peço que trabalhe com o material em ordem. Cada capítulo constrói uma base sólida
para os que se seguem. Você não aprenderá tudo o que este livro pode lhe ensinar
até que tenha trabalhado os capítulos em ordem e feito todo o possível para aplicar o
que está aprendendo à sua vida diária. Tente ser o mais receptivo possível ao que é
dito no livro e considere isso uma oportunidade de mudar sua consciência e sua vida.
Se você quiser ir ainda mais longe quando terminar o livro, Sedona Training
Associates oferece uma versão em áudio deste curso, bem como seminários em
muitas das principais cidades dos Estados Unidos e ao redor do mundo.
Não acredite em nada que eu te digo
Por favor, não acredite em nada neste livro, a menos que você possa provar a si
mesmo. O fato de algo ser dito por escrito não o torna verdadeiro. Há uma tendência,
principalmente diante de qualquer tipo de autoridade, de aceitar sem mais o que se
diz sobre boatos ou opiniões. Lester estava convencido de que devemos evitar essa
atitude com nossos professores. Em vez disso, temos que estar abertos para a
mensagem do professor como um experimento crescente. Só devemos aceitar o que
ele nos ensina quando pudermos verificá-lo com nossa própria experiência direta.
Lester chamou esse processo de "levar para verificar".
Aconselho você a pegar tudo o que encontrar neste livro e dar uma olhada. Abra-se o
máximo que puder para a mensagem, mas sem aceitá-la cegamente. O material será
muito mais valioso para você quando você o tiver analisado e aplicado, ou testado,
em situações da vida real.
As idéias do Método Sedona podem parecer contradizer o que você aprendeu com
outros métodos e modalidades. Mas você não precisa se esquecer de outras coisas
que aprendeu. Basta colocá-los de lado, da melhor maneira possível, enquanto
explora este livro. Aconselho fortemente que você evite comparações e julgamentos,
mesmo por enquanto. Quando tiver tempo para tirar suas próprias conclusões, você
pode comparar novamente este material com tudo o que aprendeu anteriormente e
ver onde ele se encaixa. Normalmente, as pessoas consideram a liberação um
excelente complemento para outras técnicas e terapias que já usaram.
Quando diferentes caminhos ou formas de crescimento são comparados, a contradição é
inevitável. Isso não invalida necessariamente os diferentes pontos de vista. Quando se trata
de descobrir a si mesmo, se você souber contemplar várias possibilidades, descobrirá que
entende e aplica com maior profundidade, sinceridade e utilidade as idéias que surge. Muitos
são os raios que conduzem a um único sol.

É uma questão de ressonância


Na minha opinião, tudo no mundo tem sua vibração, ou ressonância, incluindo você e
todos que você encontra. Você já notou que algumas pessoas tendem a encorajá-lo
quando você está com elas, enquanto outras parecem tendem a te deprimir, e que
muitas vezes não é necessário que elas digam ou façam nada

para produzir tal efeito? Conforme nos libertamos e crescemos em nossa


consciência, nossa ressonância, ou frequência, tende a aumentar. Mas não é
simplesmente uma questão de "superior" ou "inferior". Todos nós nos relacionamos
melhor com algumas pessoas do que com outras, mesmo que elas estejam no
mesmo nível de vibração que nós. O mesmo pode obviamente ser dito de professores
e ideias.
Ao ler O Método Sedona, você pode descobrir que vibra intensamente com certos capítulos,
enquanto outros o deixam um tanto confuso ou indiferente. As várias partes deste livro terão
valores diferentes para você em ocasiões diferentes. Com o tempo, conforme você trabalha
no lançamento, outras partes se destacam mais do que no início. A razão é que você mudou
e se preparou para ver as coisas de uma nova perspectiva. Quando isso acontecer, permita-
se comemorar a mudança e corrigir seus pensamentos.

Adote uma atitude moderada e divertida


Em primeiro lugar, cuide de si mesmo ao realizar o processo deste livro. Seja seu
melhor amigo e assistente, e não um sargento ou um tirano. Transforme-se com a
experiência da alegria. Em breve, você fará muitas descobertas interessantes e
inspiradoras sobre como você tem se limitado. Portanto, quando essas limitações
diminuem uma após a outra, você se sentirá mais leve, mais feliz, mais relaxado e
mais confortável.
O Método Sedona nos lembra o que nosso espírito já reconhece intuitivamente.
Podemos possuir liberdade e felicidade agora. Não temos que esperar que eles
cheguem em algum dia distante, quando tivermos trabalhado o suficiente para
merecê-los, ou quando tivermos conseguido nos preparar de alguma forma. Temos
motivos para ser felizes e desfrutar disso agora.
9

cÜ | ÅxÜt ctÜàx

CLARO
MÉTODO SEDONA

A Parte Um coleta a maior parte do material normalmente coberto pelas versões ao vivo ou
de áudio do Curso Básico do Método Sedona. Inclui também material dos Cursos Avançados
e outro completamente novo, para que você possa pegar todas essas ferramentas, dar uma
guinada na sua vida e mantê-la no novo caminho daqui para frente. São técnicas
extremamente simples - como você verá em breve - mas também têm uma força muito maior
do que você pode imaginar neste estágio. No entanto, à medida que você continua a aplicar
essas técnicas e princípios à sua vida, a facilidade e a força delas crescerão em você
exponencialmente.
Depois de mais de 25 anos aprendendo este processo pela primeira vez, ainda o vejo
todos os dias com renovada surpresa em meus olhos. Quando penso na facilidade
com que as pessoas podem fazer mudanças positivas em suas vidas, sempre fico
surpreso e grato por ter tido a oportunidade de compartilhar esse processo
graciosamente poderoso com o mundo.

10

1
Além do ciclo
repressão-expressão
As mudanças rápidas e positivas que ocorreram na vida de Joe assim que ele
começou a usar o Método Sedona são um exemplo perfeito do que pode acontecer a
todos nós. Problemas persistentes desaparecem, novas possibilidades empolgantes
surgem e o dom de descobrir coisas sem querer suaviza o fluxo dos eventos. Quando
Joe descobriu o Método, ele estava passando por um momento difícil, tanto pessoal
quanto profissionalmente. Um ano e meio antes, ele havia sofrido um acidente de
avião que o deixou em uma cadeira de rodas por sete meses, sua empresa o obrigava
a deixar o emprego, e ele e sua esposa, de quem estava separado, tinham três anos.
anos de idade, envolvido em questões jurídicas complexas para negociar um acordo
de divórcio. Em poucas semanas, tudo deu uma volta de 180 graus. Primeiro, a ex-
mulher de Joe concordou em ir à mediação, com a qual chegaram a um acordo
amigável. Mais tarde, por acaso, ele se encontrou em um baile beneficente com o
presidente da empresa que estava processando por demissão injusta. Até então, o
presidente não tinha ouvido falar da demissão de Joe e, na segunda-feira seguinte,
seu advogado ligou para ele com a notícia de um acordo favorável muito melhor do
que a oferta original.
Além do mais, Toe decidiu passar um longo fim de semana em uma ilha quente e
paradisíaca para comemorar sua boa sorte. Enquanto estava sentado lendo um livro
na praia em Nassau, ele começou a falar sobre coisas inconseqüentes com uma
mulher que mais tarde se revelou o amor de sua vida. Ela não estava pensando em
nenhum encontro, porque ela tinha que pegar o avião para casa em algumas horas.
Mas Jean parecia uma pessoa familiar, e quando disse a Joe que também morava em
Toronto, ele perguntou: "Não quero saber de sua vida, mas você mora em tal e tal
lugar?"
"Sim " , respondeu ela.
-Has Grace disse Joe. Lá é o escritório do meu terapeuta. Devo ter visto você no
metrô. Você também vai ao centro?
"Sim, uma ou duas vezes por semana " , respondeu Jean.
"Eu trabalho no centro de Toronto ", disse Joe , " no Scotia Plaza, 53º andar ."
- Uau! Eu trabalho aos 30.
Passe uma hora. Quando Joe se levantou para sair, seus números de telefone foram
trocados e, em duas semanas, nenhum dos dois pensou no que havia acontecido, até
que Joe largou aquele pedacinho de papel de seu bloco de notas e se lembrou.
Quando ele ligou, eles se deram incrivelmente bem. Eles logo se apaixonaram e Joe
pediu a Jean em casamento.
Quanto mais Joe aplicava o Método Sedona, mais rápido sua carreira como executivo de
banco de investimento avançava e mais alto ele voava. Sua renda aumentou
exponencialmente. No caso dele, e no que diz respeito ao dinheiro, o Método tem sido algo
incrível. Além disso, Joe continuou a usá-lo para se livrar de preocupações com sua condição
física, incluindo os ossos da perna esquerda, a rótula da direita, a mão e o crânio. Embora os
médicos lhe tenham dito que nunca mais voltaria a andar bem, hoje ele o faz com perfeição e
praticamente sem dor. Joe usa as mesmas técnicas do Método Sedona que você descobrirá
neste livro - de manhã e à noite e ao longo do dia. O resultado é que você é uma pessoa feliz
e bem-sucedida, acha a vida divertida e flui suavemente de um evento para o outro. Igual

onze

Ele diz: "Sinto-me abençoado. O Método Sedona transforma as grandes questões em


pequenas.

A vida como a conhecemos

Harmonia e felicidade sem reservas vêm naturalmente a cada um de nós, mas é assim que
se parece um dia de trabalho típico e é como muitas pessoas se sentem: acordamos,
rastejamos para fora da cama e antes mesmo. Quando chegamos ao banheiro, nós comece
a se preocupar e agende o que vai acontecer no dia que nos espera. Já gastamos a pouca
energia que conseguimos armazenar com o sono, se tivermos a sorte de poder dormir.
Depois disso, muitos de nós vão para o trabalho, aumentando ainda mais o estresse do
trânsito, multidões correndo para o trabalho também ou simplesmente pela frustração com o
"desperdício" de tempo. Quando chegamos, não temos ilusões de estar lá e ficamos
apavorados com as coisas que temos que fazer. Aos trancos e barrancos o dia vai passando,
e esperamos chegar a hora do almoço ou o fim do dia. Temos uma variedade de interações
com colegas de trabalho, algumas satisfatórias e outras não. Como pensamos que pouco
pode ser feito com o que está acontecendo ou com o sentimento que isso produz,
geralmente nos limitamos a esconder nossas emoções e esperar que o dia passe o mais
rápido possível.

Quando o dia acaba, estamos exaustos por ter reprimido nossos sentimentos. Talvez
relutantemente vamos ao bar da esquina para sair com os amigos, comer, beber e
assistir ao noticiário da TV - mais uma camada de estresse., Confiando que nosso
sentimentos irão desaparecer. Embora seja possível que depois nos sintamos um
pouco melhor, a realidade é que os sentimentos não fizeram nada além de se
esconder. Somos como panelas de pressão humanas com fechos abertos, e é
preciso muita energia para impedir que a tampa saia. Quando finalmente chegamos
em casa para encontrar nosso cônjuge e nossos filhos, e eles querem nos contar
sobre o dia que tiveram, não temos mais forças para ouvir.
Podemos tentar fazer uma cara boa, até que pequenas coisas nos façam perder os
nervos. No final, a família se distribui em frente à televisão, até a hora de dormir. Na
manhã seguinte, levantamos e começamos o filme inteiro novamente.
Um pouco deprimente, hein? Mas isso não é familiar?
Talvez o seu caso seja um pouco diferente; Espero que seja melhor do que o
desenhado. Talvez você seja um pai que fica em casa com os pequenos. Talvez um
empresário independente que cuida da maior parte dos negócios do dia por telefone
ou online. Mas, apesar de tudo, a tendência provavelmente é semelhante. Parece que
os sulcos pelos quais costumamos correr vão se aprofundando com o tempo, até
termos a sensação de que não há como escapar.
Bem, não tem que ser assim. Existe uma lacuna.

Lançamento

Uma das muitas maneiras pelas quais criamos desencanto, infelicidade e julgamentos
errados é agarrando-nos a pensamentos e sentimentos que nos limitam. Não que "segurar"
seja impróprio por si só. A coisa perfeitamente apropriada em muitas situações. Por
exemplo, eu nem pensaria em aconselhá-lo a não se segurar no volante do carro que está
dirigindo ou na escada que está subindo. Obviamente, as consequências seriam terríveis.
Mas você já manteve um ponto de vista que não combinava com você? Você se apegou a
uma emoção, embora não pudesse fazer nada para satisfazê-la, endireitá-la ou mudar a
situação que parecia causá-la? Você manteve a tensão ou ansiedade após o

12

fato inicial que os produziu? Essa é a maneira de manter o que discutiremos neste
livro.
Qual é o oposto de apego? Bem, "deixe
ir", é claro. Tanto o apego quanto o
desapego fazem parte do processo “Para mim, um dos maiores benefícios
natural da vida. Essa ideia fundamental até agora é a experiência de não ter que
é a base do Método Sedona. Seja você gastar tanto tempo com 'pensamentos'
quem for, se estiver lendo estas desnecessários sobre certas emoções
palavras, posso assegurar-lhe que destrutivas. Eu sei como libertá-los. A
muitas vezes já experimentou o energia que costumava usar na raiva, no
desapego, muitas vezes sem ter medo e na inveja pode ser muito bem
consciência do que estava aproveitada em projetos exigentes que
acontecendo, e mesmo sem ter sido já considerei como profissional e em
ensinado o Método. Abandonar ou família.
liberar é uma capacidade natural com a
qual todos nascemos, mas cujo uso é —Par Heiberg, Noruega
condicionado à medida que
envelhecemos. Onde mais
ficamos presos no fato de que não sabemos quando deixar ir e quando esperar. E
muitos de nós optam erroneamente pelo último, muitas vezes em nosso próprio
detrimento.
Existem alguns sinônimos para apegar-se e deixar ir que provavelmente irão
esclarecer esse ponto: fechar e abrir, por exemplo. Ao lançar uma bola, você deve
manter a mão fechada em torno dela durante grande parte do movimento do braço.
Mas se não abrirmos nossas mãos e lançarmos a bola no momento certo, ela não
chegará aonde queríamos. Podemos até nos machucar. Outros sinônimos são
contração e expansão. Para respirar, contraímos os pulmões para forçar a saída do ar
usado e depois os expandimos para enchê-los novamente. Não podemos apenas
inspirar; para completar o processo respiratório, também temos que expirar. Enrijecer
e relaxar os músculos é outro exemplo. Se não pudéssemos fazer as duas coisas,
nossos músculos não funcionariam adequadamente, já que muitos deles trabalham
em pares opostos.
É interessante notar o componente emocional de segurar e soltar, e o grau em que nossos
sentimentos afetam nosso corpo. Você já percebeu que, quando está chateado, costuma
prender a respiração? No processo de respiração, se alguém se apega a emoções não
resolvidas, tanto a inspiração quanto a expiração podem ser inibidas. A maioria de nós
também mantém tensão residual em nossos músculos, o que nunca nos permite relaxar
completamente. Mais uma vez, são as emoções não resolvidas ou reprimidas que formam a
base dessa restrição.
Mas por que estagnamos? Quando reprimimos nossas emoções, em vez de nos
permitirmos vivenciar plenamente nossos sentimentos no momento em que
aparecem, eles persistem e nos incomodam. Ao evitar nossas emoções, evitamos
que elas fluam através de nós, se transformando ou se dissolvendo, e isso não parece
bom.

Repressão e expressão

Você já viu uma criança cair e olhar em volta para ver se há motivo para ficar
constrangida? Quando as crianças acreditam que ninguém está olhando para elas,
em um instante elas se soltam, espanam a poeira e agem como se nada tivesse
acontecido. A mesma criança, em situação semelhante, vendo a oportunidade de
chamar a atenção, pode desatar a chorar e correr para os braços do pai. Ou você já
viu uma criança ficar com raiva de um colega de classe ou dos pais, e até mesmo
dizer algo como "Eu te odeio e nunca mais vou falar com você", e então, depois de
alguns minutos, a criança se sente e se comporta como se nada tivesse ocorrido?

13

A maioria de nós perdeu essa capacidade natural de liberar nossas emoções porque,
embora, quando crianças, o fizéssemos automaticamente e sem controle consciente,
nossos pais, professores, amigos e a sociedade como um todo nos ensinaram a nos
reprimir à medida que envelhecíamos. Cada vez que nos diziam 'não', para nos
comportarmos, ficarmos quietos, para pararmos de ter vergonha, 'meninos não
choram' ou 'meninas não ficam com raiva' e para crescer e ser responsáveis,
aprendemos a reprimir nossas emoções. Além disso, éramos considerados adultos
quando chegamos ao ponto de saber reprimir a nossa euforia natural pela vida e
todos os sentimentos que os outros nos faziam acreditar inaceitáveis. Tornamo-nos
mais responsáveis pelas expectativas dos outros, e não pelas necessidades de nosso
próprio bem-estar emocional.
Há uma piada que ilustra esse ponto: nos primeiros dois anos de vida de uma criança,
todos ao seu redor tentam fazer com que ela ande e fale, e nos próximos dezoito
anos, todos tentam fazê-la sentar e ficar quieta.
A propósito, não há nada de errado em disciplinar a criança. Ele deve saber onde
estão os limites para funcionar na vida e, às vezes, deve ser protegido de perigos
manifestos. Simplesmente acontece que os adultos, sem querer, podem exagerar.
O que queremos dizer com "repressão" aqui é manter nossas emoções encobertas,
empurrando-as para baixo, negando-as, reprimindo-as e fingindo que não existem.
Qualquer emoção que atinge a consciência e não é liberada é imediatamente
armazenada em uma parte da mente chamada subconsciente. Em grande medida,
reprimimos nossas emoções fugindo delas. Desviamos a atenção deles o suficiente
para podermos recuperá-los. Certamente você já ouviu que "o tempo cura tudo". É
algo discutível. Para a maioria de nós, o que realmente significa é:
Dê-me tempo suficiente e posso suprimir qualquer coisa.
Garanto a você, há momentos em que a repressão pode ser uma opção melhor do
que a expressão - por exemplo, quando você está trabalhando e seu chefe ou colega
de trabalho diz algo com que você não concorda, mas não é o momento certo para
falar sobre isso. . O que é prejudicial e improdutivo é a repressão habitual.
Fugimos de nossas emoções quando assistimos televisão, quando vamos ao cinema,
dirigimos, quando consumimos medicamentos prescritos ou não, quando praticamos
esportes e quando nos entregamos a uma série de atividades destinadas a nos
ajudar a desviar a atenção do nossa dor emocional durante o tempo suficiente para
sermos capazes de colocá-la de volta em segundo plano. Tenho certeza de que você
concordará que a maioria das atividades desta lista não são inadequadas por si
mesmas. Acontece simplesmente que tendemos a buscar essas atividades ou ingerir
essas substâncias em excesso, até perdermos o controle. Nós os usamos para
compensar nossa incapacidade de lidar com nossos conflitos emocionais internos. O
voo excessivo está tão arraigado em nossa cultura que deu origem a muitas
indústrias florescentes.
No momento em que somos rotulados como adultos, sabemos como nos reprimir tão
bem que reprimir a nós mesmos se torna uma segunda natureza na maioria das
vezes. Passamos a saber como fazê-lo tão bem ou melhor do que antes, quando a
princípio sabíamos como deixar ir. Na verdade, suprimimos tanto de nossa energia
emocional que somos todos como pequenas bombas-relógio. Muitas vezes, nem
sabemos que reprimimos nossas verdadeiras reações emocionais até que seja tarde
demais: nosso corpo mostra sinais de doenças relacionadas ao estresse,
estremecemos, nosso estômago dá um nó, ou explodimos e dizemos ou fazemos
algo que lamento mais tarde.
A repressão é um lado do balanço desse pêndulo, que é o que normalmente fazemos com
nossas emoções. O outro lado é a expressão. Se estamos com raiva, gritamos; se estamos
tristes, choramos. Colocamos nossa emoção em ação. Nós sopramos um pouco daquela
panela de pressão emocional interior

14

mas não apagamos o fogo. Muitas vezes, a pessoa se sente melhor assim do que com a
repressão, especialmente se bloqueamos nossa capacidade de nos expressarmos.
Geralmente nos sentimos melhor depois; no entanto, a expressão também tem suas
desvantagens. A boa terapia geralmente se baseia em nos ajudar a entrar em contato com
nossas emoções e expressá-las. E não há dúvida de que relacionamentos saudáveis e
duradouros não sobreviveriam se não expressássemos nossos sentimentos com clareza.
Mas o que acontece quando nos expressamos inadequadamente em situações fora da
terapia? E quanto aos sentimentos da pessoa a quem acabamos de nos expressar? A
expressão inadequada pode muitas vezes levar a mais desacordos e conflitos, e a uma
intensificação mútua das emoções, cujo controle podemos perder.
Nem a repressão nem a expressão representam qualquer problema em si mesmas.
Eles são simplesmente dois extremos diferentes do mesmo espectro que define
nossa maneira usual de abordar as emoções. O problema surge quando vemos que
não controlamos se reprimimos ou expressamos, e muitas vezes nos encontramos
fazendo o oposto do que pretendíamos. Muitas vezes ficamos presos em uma
extremidade do espectro ou na outra. É nesses momentos que precisamos encontrar
a liberdade para deixar ir ou deixar ir.

A terceira alternativa: liberar

O ponto de equilíbrio e a alternativa natural para a repressão e expressão


inadequadas é a liberação, ou desapego - o que chamamos de Método Sedona. É o
equivalente a diminuir a intensidade do calor e começar a esvaziar com segurança o
conteúdo de nossa panela de pressão interna. Uma vez que todo sentimento
reprimido tenta subir à superfície, a liberação nada mais é do que interromper
momentaneamente a ação interna de manter esses sentimentos fechados e deixá-los
vir à tona, e você verá com que facilidade o fazem com a força de seu próprio vapor.
Ao usar o Método Sedona, você descobrirá que é capaz de se reprimir ou se
expressar livremente e no momento certo, e descobrirá que mais frequentemente
escolherá o ponto de equilíbrio, a terceira opção de deixar ir. É algo que você já sabe
fazer.
Embora você certamente tenha se tornado um especialista em repressão ou
expressão, apesar disso, você não para de se desapegar. O riso autêntico, por
exemplo, é uma das maneiras de você se soltar espontaneamente, e os benefícios do
riso em termos de saúde e alívio do estresse estão bem documentados. Pense na
última vez em que você caiu na gargalhada. Talvez tenha sido em um programa de
TV, ou em uma conversa com um amigo, quando algo de repente te surpreendeu com
o quão divertido foi. Você sentiu um formigamento interno, ouviu uma risada vindo de
dentro e todo o seu corpo começou a pular. Conforme você ria, provavelmente se
sentia cada vez mais leve por dentro e progressivamente mais feliz e relaxado, quase
afetuoso e eufórico. Esta também é uma boa descrição do que você pode
experimentar às vezes ao usar o processo descrito neste livro. Embora na maioria
das vezes você esteja liberando você não rirá alto, você freqüentemente sorri e sente
a mesma sensação de alívio interior que produz risos autênticos.
Você já perdeu suas chaves ou óculos, virou a casa de cabeça para baixo, apenas
para encontrá-los no bolso? Pense na última vez que aconteceu com você.
Certamente, enquanto você estava revirando a casa toda, sua tensão aumentava e,
talvez, se você estivesse desesperado o suficiente, tivesse que esvaziar as latas de
lixo. Você fica pensando onde poderia ter deixado suas chaves. E então, quase
quando você estava prestes a desistir, você colocou a mão no bolso e deu um suspiro
de alívio - conforme a tensão e a ansiedade diminuíam quando você viu que já tinha
as chaves, ou os óculos. Depois de chamá-lo de tudo que pode ser chamado de
pessoa, certamente sua mente estava calma, seus ombros relaxados e talvez você
tenha sentido uma onda de alívio percorrer todo o seu corpo. É mais um exemplo de
como você libera já nesses momentos.

quinze

Ao aperfeiçoar o uso do Método, você verá que é capaz de atingir esse ponto de
compreensão e relaxamento, mesmo em questões que vêm desde a antiguidade e
para cuja resolução você dedicou boa parte de sua vida. Você descobrirá que as
respostas estão dentro de você há muito tempo.
Às vezes, ocorre uma liberação espontânea no meio de uma discussão. Pense em
uma ocasião em que você teve uma discussão acalorada com alguém de quem
gosta, quando aconteceu o seguinte: você era teimoso, completamente certo de que
estava certo e que sua posição era justificada, e de repente você encontrou o olhar da
outra pessoa, sem fingir , você olhou nas profundezas de seu ser, você se conectou a
ela naquele nível que a torna alguém especial para você por causa de sua própria
maneira de ser. Naquele instante, algo dentro de você relaxou e sua postura não
parecia mais correta. Talvez você tenha passado a ver o conflito da perspectiva da
outra pessoa. Talvez você tenha parado por um momento para reconsiderar a
situação e então encontrou uma solução fácil e ganha-ganha.
Quando você dominar as idéias deste livro, aprenderá a ver mais do que seu próprio
ponto de vista, o que o libertará de todos os tipos de conflitos, mesmo alguns que
talvez tenha esquecido.

O processo de libertação

Se você revisar sua vida, certamente se


lembrará de muitos casos em que se libertou.
Normalmente nos libertamos, soltamos ou “No trabalho, sou mais enérgico,
deixamos ir, por acidente ou quando ativo e positivo. Eu sou um vendedor
encurralados, sem alternativa. Ao se concentrar e a rejeição não tem o mesmo efeito
em despertar e fortalecer essa capacidade sobre mim. Na verdade, vejo que
natural que está dentro de você por meio da agora recebo muito menos rejeição.
prática do Método Sedona, você saberá como
—David Fordham, Londres,
colocar o processo de liberação sob seu
Inglaterra
controle consciente e torná-lo uma opção viável
em sua vida.
todos os dias, mesmo em dias como o descrito acima.
O diagrama a seguir permitirá que você entenda melhor o processo de liberação, seja
a liberação espontânea que você já faz, ou a liberação consciente que fará ao
explorar este livro. Também o ajudará a distinguir melhor entre liberar, reprimir e
expressar. Cada categoria representa um processo pelo qual todos nós passamos o
tempo todo.
Conforme pratica a liberação, você notará que tende a se mover do lado direito para o
esquerdo deste diagrama. Às vezes, você verá diferenças apenas em uma categoria,
mas outras vezes verá diferenças em muitas.
Às vezes você pode se forçar a ir para o lado certo, o que provavelmente já faz. Por exemplo,
você pode se forçar a tomar a decisão de parar de pensar em um determinado problema.
Mas esta não é a verdadeira libertação. Se você forçar uma decisão, poderá ficar
desconfortável por dentro, aumentando a tensão. Quando você se força a mudar um
comportamento sem mudar a maneira como se sente, verá que em algumas categorias você
vai para a direita, mas em outras irá para a esquerda. Quando você se libera
conscientemente, todo o processo vai para a direita.
Mas o que queremos dizer com liberar ou deixar ir, conscientemente? Como podemos
colocar a liberação em prática?

16
Diagrama de fluxo libertador

APATIA
   
DOR   CORAGEM
COM MEDO  
DESEJO LANÇAMENTO ACEITAÇÃO
VAMOS PARA    

ORGULHO PAZ
 

Tenso LANÇAMENTO Relaxado

Infeliz LANÇAMENTO Feliz

Confuso LANÇAMENTO É claro

Morto LANÇAMENTO Vivo

Pesado LANÇAMENTO Claro

Fechadas LANÇAMENTO Aberto

Contratado LANÇAMENTO Expandido

Improdutivo LANÇAMENTO Produtivo

Ineficaz LANÇAMENTO Eficaz

Liberação prática

Existem três maneiras de abordar o processo de liberação, e todas levam ao mesmo


resultado: liberar sua capacidade natural de se livrar imediatamente de quaisquer
emoções indesejadas e deixar que parte da energia reprimida em seu subconsciente
se vá embora. A primeira maneira é decidir se livrar de um sentimento indesejado. A
segunda é aceitar o sentimento e deixar a emoção simplesmente existir. O terceiro é
mergulhar no âmago da emoção.
Deixe-me explicar pedindo que você participe de um exercício simples. Pegue uma
caneta ou algum pequeno objeto que você esteja disposto a jogar fora sem pensar
duas vezes. Agora coloque-o na sua frente e segure-o bem. Finja que é um de seus
sentimentos limitadores e que sua mão representa sua vontade ou sua consciência.
Se você segurasse o objeto por tempo suficiente, ele começaria a parecer estranho,
mas familiar.
Agora abra sua mão e role o objeto através dela. Observe que é você quem se apega
a ele; não está preso à sua mão. O mesmo vale para seus sentimentos. Eles estão tão
ligados a você quanto aquele objeto está à sua mão. Muitas vezes acreditamos que
um sentimento se apega a nós. E não é verdade ... estamos sempre no controle, o
que acontece é que não sabemos.
Agora, largue esse item.
O que aconteceu? Você deixou cair o objeto e ele caiu no chão. Isso foi difícil? Claro
que não. Isso é o que queremos dizer com 'deixar ir'.

17

Você pode fazer o mesmo com qualquer sentimento: decida deixá-lo ir.
Continuando com a mesma analogia: se você andasse com as mãos abertas, não
seria difícil segurar a caneta ou outro objeto que você estivesse segurando? Pois, da
mesma forma, quando você permite ou aceita um sentimento, você está abrindo sua
consciência, e isso permite que o sentimento caia por conta própria - como as nuvens
que cruzam o céu ou a fumaça que sobe pela chaminé com a corrente de ar abrir. É
como tirar a tampa de uma panela de pressão.
Se você agora pegasse o mesmo objeto - um lápis, uma caneta ou uma pedra - e o
aumentasse o suficiente, ele pareceria cada vez mais com um espaço vazio. Você
veria os interstícios entre as moléculas e os átomos. Quando você mergulha no
âmago de um sentimento, observa um fenômeno semelhante: na verdade, não há
nada lá.
Ao dominar o processo de liberação, você descobrirá que mesmo seus sentimentos
mais profundos estão apenas na superfície.
No fundo, você está vazio, silencioso e em paz, e não na dor e escuridão que muitos
de nós assumimos. Na verdade, mesmo nossos sentimentos mais extremos não têm
mais substância do que uma bolha de sabão. E você sabe o que acontece quando
você toca aquela bolha de sabão com o dedo: ela explode. Isso é exatamente o que
acontece quando você mergulha no âmago de um sentimento.
Lembre-se desses três exemplos enquanto passamos pelo processo de libertação
juntos. O desapego o ajudará a se livrar de todos os padrões indesejados de
comportamento, pensamento e sentimento. A única coisa que se pede a você é que
esteja o mais aberto possível ao processo. A liberação o deixará livre para acessar
um pensamento mais claro, mas não é um processo de reflexão. Embora ajude você a
ter mais criatividade, você não precisa ser especialmente criativo para ser eficiente
nesse processo.
Quanto mais você se dedicar a ver, ouvir e sentir o processo de liberação em ação, em vez de
pensar em como e por que ele funciona, melhor você sairá dele. Deixe-se levar o máximo que
puder pelo seu coração, não pela cabeça. Se você se encontrar um tanto travado em suas
tentativas de entendê-lo, pode usar o mesmo processo para se libertar de "querer entender".
Garanto que, à medida que trabalhar com este processo, você o compreenderá melhor com a
experiência direta de segui-lo.
Então vamos!

Decidir largar

Fique confortável e olhe para dentro. Você pode ter os olhos abertos ou fechados.

Etapa 1: concentre-se em uma questão sobre a qual gostaria de se sentir melhor e,


em seguida, permita-se sentir o que está sentindo naquele momento. Não precisa ser
um sentimento forte. Na verdade, você pode verificar como se sente a respeito deste
livro e o que deseja obter dele. Apenas aceite o sentimento e deixe-o ser o mais
completo e bom que puder.
Pode parecer uma instrução simplista, mas deveria ser. Muitos de nós vivemos em
nossos pensamentos, em nossas imagens e histórias sobre o passado e o futuro, ao
invés de ter consciência de como realmente nos sentimos neste momento. O único
momento em que podemos realmente fazer algo sobre a maneira como nos sentimos
(e, nesse sentido, nossa profissão e nossa vida) é AGORA. Não há razão para esperar
que um sentimento seja forte para liberá-lo. Na verdade, se você se sentir
entorpecido, abatido, confuso, sozinho ou vazio por dentro, são sentimentos que
podem ser liberados com a mesma facilidade que outros mais reconhecíveis. Você
apenas tem que fazer tudo o que puder. Quanto mais você trabalhar com esse
processo, mais fácil será para você identificar o que está sentindo.

18

Etapa 2: faça a si mesmo uma das seguintes perguntas:


• Você poderia se livrar desse sentimento?
• Você poderia permitir que esse sentimento estivesse aqui?
• Você pode aceitar esse sentimento?

Essas perguntas não perguntam nada mais do que se é possível realizar essa ação.
"Sim" e "não" são respostas aceitáveis. Muitas vezes você vai desistir, mesmo se
disser "não". Responda da melhor maneira possível à pergunta que escolheu, com o
mínimo de reflexão, evitando pensar a respeito ou entrar em um debate interno sobre
as vantagens daquela ação ou suas consequências.
Todas as perguntas usadas neste processo são deliberadamente diretas. Eles não
são importantes em si mesmos, mas têm como objetivo guiá-lo na experiência de
liberação, na experiência de abrir mão do apego. Vá para a Etapa 3, qualquer que seja
sua resposta à primeira pergunta.

Etapa 3: qualquer que seja a pergunta com a qual você começou, pergunte-se agora
pergunta simples: você faria? Em outras palavras, estou disposto a deixar ir?
Mais uma vez, fique longe do debate tanto quanto possível. Lembre-se também de
que você sempre faz esse processo por si mesmo, com o objetivo de alcançar sua
própria liberdade e clareza. Não importa se o sentimento é justificado, é antigo ou
correto.
Se a resposta for "não" ou se você não tiver certeza, pergunte-se: eu prefiro ter esse
sentimento ou quero ser livre? Mesmo que a resposta ainda seja "não", vá para a Etapa 4.

Etapa 4: Faça a si mesmo esta pergunta simples: Quando?


É um convite para se libertar AGORA. Você pode se descobrir se libertando com
facilidade. Lembre-se de que deixar ir é uma decisão que você pode tomar quando
quiser.

Etapa 5: Repita as quatro etapas anteriores quantas vezes forem necessárias, até se
sentir livre desse sentimento específico.
Você provavelmente descobrirá que, em cada estágio do processo, está se soltando
um pouco mais. No início, os resultados podem ser muito sutis. Mas se você for
constante, logo haverá resultados cada vez mais óbvios. Você pode ver que existem
diferentes camadas de sentimentos sobre um determinado tópico. Mas o que você
libera é liberado.

Aceite um sentimento

Você deve ter observado que, ao se concentrar em seus sentimentos na Etapa 2 do processo
de liberação acima, você os deixou ir. Eles simplesmente desapareceram. Como passamos
muito tempo resistindo e reprimindo nossos sentimentos, em vez de deixá-los fluir livremente
em nós, aceitar ou permitir que um sentimento exista costuma ser suficiente para permitir
que ele se vá.
Minha aluna Natalie aprendeu a se libertar sem esforço, reconhecendo seus
sentimentos do momento. Como uma pessoa que dirige para o trabalho todos os
dias, e por causa da sua inquietação, você costumava ter muitos problemas com
caminhões na estrada. Pensamentos barulhentos e imagens horríveis de acidentes
passavam por sua mente e ele estava apavorado. Então ele começou a ouvir uma fita
de lançamento guiado de um de nossos programas de áudio enquanto dirigia para o
trabalho na estrada secundária. Ela estava falando sozinha. "Então você tem
ansiedade?" Sim, estou ansioso. "Você seria capaz de se permitir sentir tanta
ansiedade quanto sente?" "Sim". Ele descobriu que, em nenhum momento, ele havia
superado isso. Simplesmente permitindo seu medo em vez de enfrentá-lo, suas
sensações físicas de respiração rápida e tremores desapareceram, e sua mente se
acalmou.

19

Mergulhar

A experiência de liberação por imersão pode ser completamente diferente dos


processos descritos acima. Em primeiro lugar, não é recomendado que tente
mergulhar enquanto faz outra coisa. Funciona muito melhor quando você dedica um
tempo para se concentrar. E quando funciona melhor é quando você entra em contato
com um sentimento mais forte.
Isso é o que você pode experimentar: você recebe notícias que afetam você. Você
começa a sentir uma forte sensação de medo ou tristeza e tem a chance de dedicar
alguns minutos para se libertar. Sente-se, feche os olhos e relaxe com a sensação o
melhor que puder. Em seguida, faça a si mesmo perguntas do seguinte tipo:

• Qual é a essência desse sentimento?


• Você poderia me permitir entrar conscientemente nesse núcleo?
• Você poderia permitir que eu mergulhasse nele?

Provavelmente, você descobrirá sua própria versão dessas questões ao longo do


tempo, à medida que as trabalhar. Você pode se imaginar mergulhando de fato no
centro do sentimento ou pode descobrir que só sente o que está naquele núcleo.
Depois de começar a cavar mais fundo, você pode experimentar várias imagens e
sensações. Você também pode observar que a sensação se intensifica
temporariamente. Portanto, continue se perguntando: eu poderia cavar ainda mais
fundo? Ouse descer a profundidades maiores, além de qualquer imagem, sensação
ou história que você possa contar a si mesmo sobre esse sentimento.
Persistindo nessa direção, você chegará a um ponto em que algo explode dentro de
você ou poderá descobrir que não pode ir mais fundo. Você saberá que atingiu o
âmago quando seu espírito estiver calmo e você se sentir em paz por dentro. Você
pode até mesmo se encontrar banhado por uma luz interior ou rodeado por um vazio
e um silêncio aconchegante e agradável.
Se você não tiver certeza, se ficar preso e achar que não pode passar por esse
processo, ou se não se sentir completo e livre do sentimento original, passe para uma
das outras formas de liberação.
Lembre-se de que, se a sensação ainda for forte ou mesmo intensificada, você não
atingiu o âmago. Todos os sentimentos, exceto a paz, estão na superfície. Talvez seja
algo diferente do que lhe foi dito anteriormente sobre mergulhar em um sentimento.
Muitos de nós evitamos mergulhar nele, porque temos medo de nos perder ou de que
piore. No entanto, se você realmente conseguir quebrar a superfície e chegar ao
âmago real, descobrirá que não há nada mais longe da verdade, como minha aluna
Margie descobriu.
Margie veio para a aula com um profundo sentimento de pesar por ter continuado por
mais de dez anos, desde que se sentiu traída pelo povo de outra organização de
autoajuda. Sem entrar nos detalhes da história, concordamos mutuamente que
mergulhar no luto seria a melhor maneira de ele se livrar disso. Fiz-lhe as perguntas
acima mencionadas e, a princípio, sua dor tornou-se mais aguda. Quando ela começou
a chorar, eu apenas a incentivei a ir além das sensações e da história, e continuamos
com o processo. Para a surpresa de Margie, em apenas alguns minutos, ela entrou em
um estado de profunda paz. Mais tarde, ele disse que havia evitado a tristeza porque
se sentia como se estivesse se afogando em um mar de dor. Uma vez liberada, ela
percebeu que a dor estava apenas na superfície. O que ela realmente vinha evitando
dentro de si, sem saber, era um mar de amor.
A maioria das pessoas, ao trabalhar com esse sistema de liberação, descobre que se
torna cada vez mais fácil penetrar no âmago de qualquer emoção e deixá-la se
dissolver. Eles observam que toda sensação, por mais traumática que seja, tem
pouca substância e é mais barulhenta do que louca.

vinte

Sentimentos mentem

Quando você se pega refletindo sobre um certo sentimento, explicando a função útil
que ele desempenha e justificando que está completamente certo ao se agarrar a ele,
é um sinal de que você caiu em muitas mentiras. Conforme você avança em sua
exploração do desapego, uma das coisas que você notará é que os sentimentos que
você libera tendem a defender sua própria autopreservação. Los sentimientos mienten
y hacen promesas vacías, por ejemplo: «El miedo hace que estés seguro», «Si me
siento culpable, no lo haré de nuevo», «Si mantengo mi enfado, critico a otra persona
(en vez de herirme sólo a eu mesmo)". Tudo o que acontece é que certo sentimento
perpetua o problema que parece evitar. É mentira.
Duas frases que uso em minhas aulas resumem esse ponto. Eles podem lembrá-lo de
um koan ( enigma aparentemente absurdo com quase nenhuma solução imediata) do
Zen Budismo, algo que não pode ser compreendido a menos que seja liberado. Lá vão
eles: 'Sentimentos mentem. Eles nos dizem que, ao deixar ir, obteremos algo que já
temos ao nos agarrarmos a eles.

A mente é como um computador

Para colocar o Método Sedona em perspectiva, vamos examinar as várias maneiras


como a mente humana funciona de maneira semelhante à do computador.
Obviamente, a operação de um computador é baseada em parte no modelo da mente
humana, portanto, não faz sentido pensar nisso. Certamente você sabe que o
computador precisa de uma parte mecânica e outra parte de programas, hardware e
software. Quanto à nossa analogia, vamos pensar que hardware equivale ao cérebro e
sistema nervoso, e software equivale a nossos pensamentos, sentimentos, memórias
e crenças, além de nossa inteligência básica inata.
Qual é o sistema operacional humano? Os programas que movem o corpo e a mente
são a inteligência oculta que permite ao sistema funcionar e acumular conhecimento.
Quase tudo de que precisamos para funcionar bem na vida é inato. As únicas
exceções são as habilidades específicas que adquirimos, que podem variar muito.
Eles variam de tocar um instrumento musical para realizar uma cirurgia no cérebro.
O mesmo acontece conosco como o
computador, que funciona de forma mais
rápida e eficiente quanto maior a memória, ou
espaço, disponível. Ao longo da vida, temos
“Meus benefícios incluem a liberação experiências e acumulamos dados até que
de sentimentos que me nossa memória residente se encha e nosso
incapacitaram e produziram poder de processamento fique
ansiedade no trabalho; maior sucesso sobrecarregado e diminua a velocidade. Em
e alegria em minha vida profissional; computadores, para liberar espaço, você
e muito menos medo do futuro. pode excluir ou compactar arquivos. Da
—Bonnie Jones, Olympia mesma forma, experiências cujo conteúdo
(Washington) emocional é
neutras e que parecem completas, são muito comprimidas. Por outro lado,
experiências incompletas ou emocionalmente carregadas são como programas e
arquivos que foram deixados abertos e que continuam a funcionar em segundo plano
em nossas vidas. Eles usam muita memória que temos e nossa capacidade de
processamento.
Quando somos jovens, os programas abertos geralmente não são um grande problema, mas
à medida que envelhecemos, há menos memória disponível, mesmo para funções corporais
como respiração ou digestão. A consequência é que todo o sistema fica sobrecarregado e
começa a falhar. Então o

vinte e um

Arquivos e programas abertos afetam nossa capacidade básica de funcionar de


maneira eficaz na vida e de aprender habilidades novas e úteis. Eles criam confusão
mental e conflito, porque frequentemente nos enviam mensagens que se contradizem
e interferem umas nas outras e em nossas intenções conscientes.
Quando aplicamos o Método Sedona, liberamos as cargas emocionais que mantêm
programas e arquivos antigos funcionando em segundo plano em nossas vidas.
Desta forma, aumentamos a memória que temos e aceleramos nossa capacidade de
processamento. A liberação nos permite preservar a sabedoria adquirida por meio da
experiência, sem que nossa energia e memória sejam esvaziadas por nos sentirmos
emocionalmente incompletos. Em outras palavras, quanto mais usamos o Método,
melhor funciona o sistema humano.

Libero por escrito: o que você quer da sua vida?

Na ocasião, ao longo do Método Sedona , você será convidado a analisar seus


sentimentos no papel, em algumas planilhas que você mesmo irá preparar. Na
Sedona Training Associates, chamamos esse tipo de processo de "liberação por
escrito". Para tanto, aconselho que compre um caderno espiral ou um simples diário
para o resto da leitura. Quando terminar o livro, e por uma questão de privacidade,
rasgue as partes que usou para a liberação escrita. Não há razão para você manter
essas notas.
Portanto, antes de continuar a ler, pegue seu novo diário de lançamento e faça uma
lista de tudo que você gostaria de mudar ou melhorar em sua vida. Esta lista servirá
como sua declaração de intenção para este curso de autoaprendizagem sobre o
Método Sedona. Voltaremos a ele à medida que passarmos pelo processo juntos,
então dedique o tempo que for necessário e seja o mais minucioso possível.
Ao escrever suas intenções, lembre-se de não se limitar ao que você acha que é
"possível" de alcançar lendo este livro. Você está descobrindo uma ferramenta que o
acompanhará pelo resto de sua vida. Divirta-se. Este livro pretende ajudá-lo a iniciar
um processo que pode levá-lo a possuir, ser e fazer tudo. O processo é tão poderoso e
funciona tão facilmente que muitas das intenções em sua lista se concretizarão,
mesmo que você não as trabalhe diretamente.

Escreva seus benefícios

Ao liberar, eu recomendo fortemente que você anote seus benefícios, na ordem em


que os ganhou, para se estimular a uma autodescoberta ainda maior. Registre esses
resultados positivos em seu diário de libertação ou compre outro caderno, pequeno,
para carregá-lo no bolso ou na bolsa, e anote seus pensamentos nele.
A seguir está uma pequena lista dos tipos de benefícios que você pode esperar do
trabalho com o material deste livro.

• Mudanças positivas no comportamento ou atitude


• Maior facilidade, eficiência e alegria nas atividades diárias
• Comunicações mais abertas e eficazes
• Maior capacidade de resolver problemas
• Mais flexibilidade
• Fique mais relaxado e sinta-se mais confiante em suas apresentações
• Conquistas
• Completações
• Novos começos
• Aquisição de novas habilidades e competências
• Aumento de sentimentos positivos
• Diminuição de sentimentos negativos

22

• Mais amor pelos outros

Além desses benefícios, ao explorar o material deste livro, você descobrirá seus
padrões de limitação e maneiras específicas de mudar sua vida para melhor.
Recomendo que, quando essas descobertas ocorrerem, você as anote.

Retorno ou vida

Meu objetivo nestas páginas é ajudá-lo a aprender tudo o que você precisa ter, ser e
fazer o que quiser. Eu prometo a você que se você trabalhar fielmente com o Método
Sedona, ele transformará positivamente todos os aspectos de sua vida. Quando o
estresse e a tensão internos se dissolverem facilmente, você ficará surpreso com o
sorriso em sua boca e gargalhadas.
Agora, e antes de iniciar o próximo capítulo, brinque com o que acabamos de fazer juntos
para ver o que você pode descobrir por si mesmo. Pratique a liberação ao longo do dia e veja
como você já está liberando por conta própria. Quanto mais você se concentra nessa
maneira de lidar com seus sentimentos, maiores são os benefícios e a facilidade de
liberação que você adquire. Ser consistente. Quanto mais você explorar a libertação, mais
natural será como uma alternativa à repressão - e isso o fará se sentir livre.

As questões básicas de lançamento neste capítulo

• Qual é o seu sentimento ATUAL?


• Você poderia aceitar / permitir isso?
• Você poderia deixar para lá?
• Você deixaria passar?
• Quando?

2,3
dois

Sua fórmula para o sucesso


Ao longo deste livro, minha intenção é guiá-lo, por meio da experiência, no
aprendizado de como se livrar das reações ou sentimentos que o impedem de ter o
melhor desempenho, atingir seu potencial máximo e viver uma vida cheia de
felicidade, alegria e bem-estar. Já que você teve a chance de discutir as questões de
libertação, pelo menos em breve, este capítulo lhe fornecerá algumas orientações
detalhadas para usar o Método Sedona com eficácia. São sugestões baseadas na
experiência de mais de 25 anos ministrando seminários e retiros sobre o Método,
além de treinar outros instrutores do Método e discutir as melhores formas de obter o
máximo benefício da libertação.
Peço que, à medida que você avança, esteja ciente de que o processo de liberação é
totalmente interno. Ou seja, não tem nada a ver com nada ou ninguém além de você.
Ele pertence apenas às suas reações ou sentimentos internos em relação às pessoas
ou às circunstâncias de sua vida. Quando você se livra deles, o processo é tão fácil e
agradável que pode até fazer você rir. As pessoas costumam rir muito em meus
workshops. Uma vez que o processo de liberação funciona em um nível básico e
interno, mesmo quando você pratica o Método com outra pessoa - como você
aprenderá a fazer agora - você descobrirá que nunca precisa compartilhar detalhes
pessoais para obter os resultados máximos desse trabalho. Você pode liberar com
um parceiro e continuar a proteger sua privacidade.
À medida que você participa das explorações que este livro contém, apenas libere
seus sentimentos o melhor de sua capacidade. "Com o melhor de sua capacidade"
significa "com o melhor de suas habilidades no momento." Você nunca deve forçar
um sentimento ou uma liberação que realmente não existe. Além disso, você apenas
libera o que está sentindo agora. Se, por exemplo, você trabalha com raiva, as
questões de liberação não se referem a nenhum tipo de raiva o tempo todo. Eles são
simplesmente um convite para liberar a raiva que você sente AGORA. Lembre-se de
que, dada a natureza relaxante desse processo e da natureza humana em geral, nem
sempre você pode vivenciar seus sentimentos com intensidade. Isso não significa
que você não esteja fazendo um ótimo trabalho. Em geral, desapegar-se é eficaz
tanto para sentimentos fortes quanto para fracos. Na verdade, se você se acostumar
a se desapegar no curso de sua vida diária - mesmo nas "coisas sem importância
" - no final vai parecer que tudo tem pouca importância. Ao começar a liberar sua
tensão interna e outros sentimentos estressantes, você perceberá que experimenta
uma sensação de alívio e maior consciência. É apenas um dos muitos benefícios que
você pode obter com o Método Sedona.
Garanto-lhe que você fará um progresso tremendo - e rápido - e experimentará muitos efeitos
poderosos e positivos da liberação quando aplicar o que aprendeu. Como já observamos, na
Sedona Training Associates, chamamos essas mudanças de "benefícios". No entanto,
lembre-se de que às vezes há surpresas. São resultados agradáveis, com certeza, mas
inesperados. Por exemplo, o aspecto específico da sua vida que você gostaria de mudar com
a aplicação do Método Sedona pode não se transformar tão rapidamente quanto você
gostaria, enquanto outro aspecto começa a mudar imediatamente. Pode acontecer que o
look que você propõe seja realmente o último em sua vida a mudar. Mas é mais provável que
as mudanças aconteçam muito mais rápido do que você jamais sonhou.

24

Em outras palavras, imagine que certa


pessoa use o Método Sedona
“Como mestre de cerimônias, consegui
especificamente para obter maior
fazer discursos preparados, mas nunca
sucesso financeiro. Você lê o livro com
soube improvisar. Sempre que me
atenção, trabalha com cuidado com o
chamavam para falar, sem poder me
material que ele contém e, no entanto,
preparar com antecedência, ficava tenso e
não vê nenhum benefício financeiro
nervoso. Desde que comecei a usar as
imediato. Em vez disso, você pode ver
técnicas de Sedona, sou uma pessoa mais
sua saúde melhorar no início e, então,
relaxada e calma quando tenho que falar de
descobrir melhorias em seus
forma improvisada. O resultado é que
relacionamentos pessoais. Depois
disso, você poderá desenvolver
melhores habilidades profissionais. E minhas palestras são muito mais eficazes.
só então você poderá ter o sucesso Consegui me—Charles
livrar do medo do palco ».
Stark, Nova York
financeiro que inicialmente buscou.
Por favor, não me interpretem mal. O Método Sedona certamente causará grandes
mudanças em sua vida. O que acontece é que, às vezes, essas mudanças podem não
chegar exatamente na ordem que você esperava ou na ordem esperada. A mudança
também pode ser gradual. Talvez seus amigos, colegas de trabalho e funcionários
notem as mudanças antes de você.
Ao incorporar a liberação em sua vida regularmente, você logo descobrirá que se torna mais
sensível aos seus sentimentos. É um sinal de que você está avançando. Significa que você
está preparado para estar ciente de muitas das emoções que tem reprimido ou evitado e
para liberá-las. Em minha experiência, as pessoas normalmente não têm sentimentos que
não são capazes de enfrentar - embora eu tenha alguns alunos que passaram uma ou duas
noites inquietos e incapazes de dormir quando sua resistência a certos sentimentos
diminuiu. Mas eles continuaram se libertando e imediatamente liberaram tudo o que os
preocupava. A maioria das pessoas não é afetada pelo sono, se não de maneira positiva. A
boa notícia é que quanto mais você usa o
liberar, mais fácil será liberar. E é isso
que cria a segurança para você
vivenciar todos os seus sentimentos -
dolorosos ou agradáveis - com maior
profundidade. Ao sentir todos os seus
“Eu consigo dormir a noite toda depois sentimentos mais plenamente, você
de muitos anos de problemas de obtém ainda mais prazer e realização
insônia. É algo fantástico. em tudo o que faz.
—Rosella
A analogia a seguir reflete um Schroeder
pouco o que significa usar o Método Sedona. Você já
comeu em um bar ou cafeteria onde os pratos ou bandejas são expostos em
diferentes compartimentos e o cliente escolhe o que deseja? Nesse caso, você deve
ter notado que, após remover a placa ou bandeja de um compartimento, elas são
substituídas imediatamente. O mesmo vale para nossas emoções quando as
liberamos. Se houver mais sentimentos relacionados a um tópico do que você
começou a liberar, eles aparecerão até que todos aqueles relacionados àquele tópico
se esgotem, até que o "compartimento" esteja vazio. No entanto, ao contrário desse
tipo de restaurante, qualquer sensação de que você tira e solta desaparece para
melhor. Quando você passar pelos processos deste livro, provavelmente começará
liberando um sentimento de cada vez, depois em grupo, até ter tal habilidade para
liberar sentimentos que, no final, trabalhará nos níveis mais profundos - na verdade
"pilhas" de sentimentos sobre um determinado tópico por vez.
Muitas vezes acontece que é quando não estamos procurando nem tentando
alcançar algo que a mente relaxa o suficiente para que a liberação e a compreensão
sejam possíveis.

25

Quando você finalmente experimenta a liberação, compreensão e benefícios ao


trabalhar com o Método, você pode descobrir que eles surgem quando menos espera.
Portanto, você deseja reservar espaço ao longo do dia para a possibilidade de
benefícios futuros e estar aberto ao inesperado. Faça tudo o que puder para relaxar e
aceitar que o controle do tempo de seus maiores avanços e entendimentos, incluindo
o máximo em sua verdadeira natureza, pode ser completamente ilusório.

Perguntas frequentes

Os alunos que frequentam os cursos do Método Sedona costumam fazer as


seguintes perguntas. Revise-os quantas vezes você precisar enquanto trabalha no
processo de liberação.

Com que frequência devo liberar? Liberar é uma coisa boa e, portanto, nunca pode ser
exagerado. Quanto mais você aplicar o Método ao longo do dia, mais benefícios
obterá dele. Pode-se liberar em qualquer lugar e a qualquer momento, para se sentir
melhor imediatamente, com ideias mais claras, mais autoconfiança e mais vivo.
Simplesmente, deixe que seu interior se abra, seus sentimentos saiam e envolvam
você. Pense que cada problema em sua vida é uma oportunidade para maior
liberdade. Lembre-se também de que você deve se divertir. Evite transformar o
lançamento em mais um "deveria". À medida que você adquire o hábito de abrir mão
do momento em que os sentimentos vêm à tona, você desenvolverá um impulso
maravilhoso que o ajudará quando sentimentos mais profundos surgirem. Além
disso, será mais fácil liberá-los.
Quanto tempo leva para aprender a deixar ir? Você decide. No Capítulo 1, você
aprendeu algumas idéias básicas da técnica de liberação. A rapidez com que você
pode ver resultados apreciáveis depende de quanto você aplica o que aprende em
sua vida cotidiana. Deixar ir fica mais fácil quanto mais você pratica. Também é
possível que sinta ou não sinta grandes mudanças imediatamente. Os resultados
podem aparecer repentinamente ou podem ocorrer em níveis muito profundos. Como
algo tão simples pode ser tão poderoso? As ferramentas mais úteis e de força vital
são freqüentemente as mais simples. Quando os processos são mantidos simples,
eles são fáceis de lembrar e repetir. Ninguém precisa convencê-lo de como é
importante respirar, por exemplo. Porém, se eu quisesse dar instruções sobre o
procedimento a seguir para respirar, diria: "Inspire, inspire ... e repita quantas vezes
forem necessárias." Existe algo mais simples? No entanto, poucas coisas são mais
importantes para a vida.
Ao usar o Método, você descobrirá que é algo fácil, que pode se tornar uma segunda
natureza, e que pouco mais concentração exigirá de você do que respirar. Lembra que, no
Capítulo 1, comparamos os sentimentos reprimidos a uma panela de pressão emocional?
Quando você libera com frequência, também descobrirá que abrir a tampa sobre seus
sentimentos e deixá-los sair é mais natural do que tentar mantê-los espremidos por dentro.
Qual é a sensação de liberar? A experiência de desapego é muito pessoal. A maioria
das pessoas tem uma sensação imediata de relaxamento e calma ao usar esse
processo. Outros sentem que uma energia percorre seu corpo, como se estivessem
voltando à vida. Com o tempo, as mudanças podem se tornar mais pronunciadas.
Além das sensações físicas, você observará que sua mente se acalma gradativamente
e que os pensamentos que nela permanecem se tornam mais claros. Você começará
a perceber mais soluções do que problemas. À medida que avança no processo, você
pode até desfrutar da experiência da liberação.
Como posso saber se estou fazendo certo? Se, ao liberar, você observar qualquer mudança
positiva em seus sentimentos, atitude ou comportamento, você está fazendo isso bem.
Porém tudo

26

tópico em que você trabalha pode exigir diferentes quantidades de liberação. Se não
mudar completamente no início, não pare de desistir. Continue liberando até obter o
resultado desejado.
O que eu tenho que fazer se eu for pego pelos velhos modelos novamente, ou se eu
simplesmente esquecer de liberar? Em primeiro lugar, é importante compreender que é algo
pelo qual se deve esperar e que nada acontece. Sua capacidade de liberar espontaneamente
e quando for necessário aumentará com o tempo. Em breve você saberá como lançar em
"tempo real". Nesse ínterim, você sempre poderá fazer isso quando perceber que houve um
problema. Muito em breve, quando você se encontrar no meio de um antigo padrão de
comportamento, saberá como liberar quando esse padrão estiver em movimento e pará-lo.
Ao fazer isso, você descobrirá que é capaz de mudar o padrão. Depois de um curto período,
você aprenderá a antecipar seu comportamento antes de cair em velhos hábitos, você se
libertará e não os seguirá. Finalmente, você não precisará mais liberar no que diz respeito a
esse costume em particular, porque você o terá liberado completamente. Se você for
consistente, sua atitude e eficácia irão mudar para melhor, mesmo em face de velhos
problemas. Você pode até chegar a um ponto em que só se lembra que teve um certo
problema quando alguém o lembra.

Pode ser útil agendar breves períodos de liberação ao longo do dia para lembrar-se de
fazer isso.
Tenho que mudar minhas crenças ou acreditar em algo novo para seguir o Método
Sedona? Em absoluto. Como eu disse na Introdução, não acredite em nada do que é
dito neste livro se você não puder provar por si mesmo. Só porque algo é dito por
escrito não significa que seja verdade. O conhecimento é inútil enquanto você não
puder verificá-lo com sua própria experiência. Basta que você seja o mais receptivo
possível ao que é dito neste livro e que considere isso uma oportunidade de mudar
sua consciência e sua vida. Esteja aberto à descoberta e seja aquele que aprova ou
rejeita. Quaisquer que sejam suas idéias religiosas ou políticas, o processo de
libertação apenas as reforçará. Pessoas que usaram o Método Sedona dizem que ele
as ajuda a se sintonizar melhor com sua experiência e convicções espirituais e trazê-
las à luz.
O que devo fazer se já estiver fazendo terapia ou algum outro sistema de crescimento
pessoal? Uma vez que o desapego é a essência de qualquer boa terapia e uma
ferramenta muito eficaz para o crescimento pessoal, você descobrirá que usar o
Método Sedona é uma ajuda ideal para outros sistemas. E isso se aplica aos
sistemas que você pode usar no momento ou aqueles que usará no futuro. Se você
combinar o lançamento com outras formas de autoteste, os resultados serão mais
rápidos e fáceis. Com o Método será mais fácil perseverar em qualquer processo que
esteja em andamento em sua vida, pois será capaz de compreender e aplicar as
ideias que está aprendendo de forma mais consistente. Os que aprendem o Método
costumam comentar que é a peça que faltava e que procuraram em tudo o que
haviam feito antes para se ajudar.
Nota: Se estiver seguindo algum tratamento psicológico ou médico, não o altere sem
antes consultar o seu médico.

Aproveite a força de suas diferentes maneiras de sentir

A maioria de nós tem uma forma dominante de sentir fisicamente: visual (visão),
cinestésica (sensação física) ou auditiva (som). Se você não tem certeza de qual é a
sua principal forma de sentir, além de se fazer as perguntas de liberação, tente
incorporar todos os três modos ao processo. Em seguida, use aquele que melhor se
adapta a você.

27

Sensação visual

Se você é guiado pelo sentido da visão, ou apenas gosta de trabalhar com ele, deixe
as imagens visuais virem à tona enquanto você se questiona sobre a liberação. Para
começar, aqui estão algumas sugestões:
• Visualize um nó no qual você sente tensão ou outra sensação em seu corpo e veja
como isso se desfaz quando você o solta.
• Imagine que há uma tampa com dobradiças em sua panela de pressão interna e
aceite que tudo que você precisa fazer é levantá-la para deixar a sensação sair.
Observe como você abre, enquanto as dobradiças cedem. Se você usar essa imagem
com frequência, em pouco tempo saberá como manter essa tampa aberta e deixar
seus sentimentos irem e virem com facilidade.
• Imagine apertar uma sensação em sua mão e, em seguida, observe sua mão se
abrir e a sensação ir embora. Como você verá na seção sobre sensação cinestésica,
você pode reforçar essa imagem fisicamente fechando o punho enquanto segura um
sentimento e abrindo a mão ao soltá-lo.
• Imagine que seus sentimentos são bolsões de energia indesejada presos em seu
corpo. Imagine fazer buracos nesses sacos e observar a energia negativa saindo.
• Você também pode experimentar seus sentimentos limitantes como uma sensação de
escuridão. Nesse processo, imagine como a escuridão desaparece quando iluminada pela
luz.

A sensação cinestésica

Se você é uma pessoa predominantemente cinestésica, é guiado por suas sensações


físicas. Portanto, permita-se experimentar uma sensação o mais plenamente possível
primeiro em seu corpo e, em seguida, relaxe, abra-se e sinta a sensação de alívio à
medida que você se solta. Você pode preferir reforçar a experiência de liberação com
algum movimento. Experimente o seguinte:

• Coloque as palmas das mãos no peito. Conforme você libera um sentimento,


levante ligeiramente as mãos, criando um espaço imaginário através do qual ele pode
subir e sair.
• Feche o punho e coloque-o sobre o peito, e então abra a mão quando liberar um
sentimento.
• Combine a ação física de abrir os braços com o mesmo sentimento interior que
você tem quando está prestes a abraçar alguém que você ama muito. Em primeiro
lugar, junte as mãos à sua frente como se fosse orar e permita-se tomar consciência
de tudo o que o cerca naquele momento. Em seguida, abra lentamente os braços e,
ao mesmo tempo, sinta-se bem-apessoado. Continue abrindo o máximo que puder
enquanto move lentamente as mãos para os lados, até que estejam o mais afastadas
possível, mas sem criar qualquer tensão. Se você passar por todo o processo sem
prestar muita atenção nele, provavelmente se sentirá mais leve.
• Outra maneira simples de reforçar fisicamente seu processo de liberação e ajudar a
guiá-lo mais com o coração do que com a cabeça é colocar a mão no ponto do corpo
onde você sente uma sensação - geralmente é em torno do plexo solar ou da barriga.
Use esta ação para lembrá-lo de se concentrar no sentimento em si, e não em seus
pensamentos sobre ele.

Sensação auditiva

Se você for guiado pelo sentido auditivo, as questões básicas de liberação delineadas no
Capítulo 1 e discutidas ao longo deste livro podem ser mais do que suficientes para induzi-lo
a liberar. Você também pode se envolver em uma conversa interna positiva e estimulante
para se assegurar de que está indo bem ao se fazer as perguntas.

28

No entanto, se você usar a conversação, mantenha-a mínima e evite debates. É


sempre melhor simplesmente responder "sim" ou "não" para liberar as perguntas, em
vez de debater os benefícios de abrir mão ou antecipar as possíveis consequências.
À medida que você ganha experiência na liberação, pode se surpreender com o que
ouve, como aconteceu com uma de minhas alunas, que aceitou um sentimento de
crítica e ouviu as palavras "ruim, ruim, ruim" repetidas com sua própria voz em sua
mente. , como se ela fosse um cachorro indisciplinado. Isso o fez rir, e desta forma se
libertou

As pessoas que são guiadas por qualquer uma das três maneiras de sentir podem se
beneficiar colocando as sugestões acima em prática várias vezes. Lembre-se do
breve exercício do capítulo anterior, em que você segurou e deixou cair uma caneta,
lápis ou qualquer objeto pequeno. Por que não usar essa técnica se ela nos ajuda?
Segure um objeto enquanto você se questiona sobre a libertação. Quando estiver
pronto para liberar, solte esse objeto, como um reforço tangível de sua experiência
interior.
Para se concentrar em sua habilidade natural de liberação, jogue um jogo simples ao
longo do dia. O objetivo é ensaiar apegar-se aos sentimentos e deixá-los partir. Mas
mantenha a pressão baixa e brinque apenas com pequenos transtornos e
sentimentos ocasionais. Sempre que estiver segurando, dê a si mesmo permissão
para continuar. Em seguida, analise-se para determinar se está disposto a dar uma
chance ao processo de liberação. Se estiver, faça a si mesmo as perguntas
libertadoras: "O que estou sentindo? Você poderia me permitir ter esse sentimento?
Eu poderia largar isso? Você lançaria isso? Quando? Agora, como me sinto? Você
poderia se livrar desse sentimento? Eu faria? Quando?" E assim por diante. Este jogo
melhora a fluência emocional.

Quando dois ou mais se concentram em um objetivo

Você pode ter ouvido uma versão ou outra da história que se segue. É um dos meus
favoritos. Um homem chega ao céu e encontra Deus nas portas do paraíso. Depois de
recebê-lo, Deus lhe pergunta: "Meu filho, você tem algum último desejo antes de
passar toda a eternidade no céu?" "Sim", responde o homem. "Gostaria de ver como é
o inferno, para poder apreciar melhor minha sorte." Deus diz: "Tudo bem". Estale os
dedos e eles imediatamente entrarão no inferno. Diante deles, e até onde a vista
alcança, está uma mesa cheia das mais deliciosas iguarias que alguém já imaginou
ou desejou, e em ambos os lados da mesa, até onde a vista alcança, milhões de
pessoas morrendo de fome.
O homem pergunta a Deus: "Por que essas pessoas estão morrendo de fome?" Deus
Ele responde: "Todos deveriam comer da mesa com pauzinhos de três metros." "É
muito difícil", diz o homem com compaixão. Deus estala os dedos novamente e eles
voltam para o céu.
Ao entrar, o homem se surpreende ao ver uma cena quase idêntica - uma mesa lotada
que chega até onde a vista alcança - exceto que todos estão felizes e bem
alimentados. Ele se vira e pergunta a Deus: «O que as pessoas comem aqui? Eles
devem ter utensílios diferentes. "Não, meu filho", disse Deus, "aqui todo mundo
também come com pauzinhos de três metros." O homem está confuso. "Não entendo.
Como é possível?"
Deus responde: "No céu, nós nos alimentamos."
Os processos discutidos neste livro são retirados dos programas de áudio do Método
Sedona, bem como dos Cursos Básico e Avançado que ministramos na Sedona
Training Associates. São expressamente concebidos para que os possa seguir
sozinho ou partilhe-os com um amigo, familiar ou pessoa querida. Quando as
pessoas se reúnem para focar na liberdade, uma força impressionante é
desencadeada. É por isso que Sedona Training Associates organiza
29

seminários para analisar o assunto, e que você pode se beneficiar compartilhando


este material com outras pessoas. Na terra, como no céu, quando nos preocupamos
com as necessidades dos outros, ninguém fica "sem comida".
Se você decidir fazer os exercícios neste livro junto com outra pessoa, você pode
fazer perguntas um ao outro ou orientar um ao outro em suas explorações. Tudo que
você precisa fazer é compartilhar o máximo que puder com seu parceiro e ler o livro.
Mostre ao seu parceiro que você acredita na autoridade do autoconhecimento dele e,
para isso, deixe-o ter sua própria experiência.
Ao facilitar a liberação para seu parceiro, esforce-se para liberar a si mesmo. Será
algo que ocorrerá naturalmente se você tiver uma atitude aberta. Deixe seu parceiro
se aprofundar no processo o quanto quiser. Abstenha-se de dirigir, julgar suas
respostas ou aconselhá-los. Não é seu trabalho "consertá-lo".
Evite falar sobre as explorações até que você e seu parceiro as tenham concluído naquela
sessão e concordem em discuti-las. Certifique-se de aceitar o ponto de vista do seu parceiro,
mesmo que não concorde com o seu. Ele pode dizer: "Estou triste" e você pode pensar que
ele está realmente com raiva, por exemplo. Portanto, ajude-o a se livrar da tristeza. Tenha o
detalhe para aceitar sem hesitar o que ele lhe disser. Uma discordância comum entre os
parceiros é se houve ou não uma liberação total. Você pode pensar que ele deve continuar
lançando sobre um assunto, mesmo que ele diga: «Eu me sinto bem. Terminei". Novamente,
por mais forte que seja a tentação, não é apropriado impor seus sentimentos e
interpretações a um parceiro.
Evite desempenhar o papel de conselheiro ou terapeuta, a menos que você seja um
profissional nessas funções e seu parceiro peça especificamente que você desempenhe
esse papel com ele. Além disso, se verificar que seu parceiro está em um estado de saúde
que normalmente exigiria a assistência de um profissional, sugira que ele procure toda a
ajuda necessária nesse sentido. Se você não tem certeza de que eles precisam de
assistência médica, pode sugerir em qualquer caso, apenas para ter certeza.

Kenneth: abandonando seu apego a uma história

Kenneth foi uma testemunha direta dos ataques ao World Trade Center em Nova York em 11
de setembro de 2001. Apesar de estar se libertando todos os dias desde então, ele esteve
em um estado permanente de grande ansiedade por um mês quando chegou ao retiro de
sete dias em Sedona naquele mês de outubro. Ele contou ao grupo esta história dramática:
“Eu estava atrasado para um encontro que tinha marcado com um cliente para as 9 da
manhã do outro lado da rua do Ground Zero. Ao saírem do metrô, as escadas rolantes
ficaram entupidas pela multidão, mostrando a exasperação dos nova-iorquinos. Quando
cheguei à rua, virei à direita e vi muita gente parada olhando para a Torre Norte, que já estava
em chamas. Na época, nenhum de nós sabia o que havia acontecido. Parecia que havia um
incêndio em dois andares. Enquanto corria para o trabalho, tudo que pensei foi: 'Traga os
bombeiros aqui logo!'
“Ao entrar no prédio do meu cliente, peguei o elevador até o 14º andar. Mas não havia
ninguém lá e o escritório estava fechado. Alguns minutos da hora se passaram e o
prédio já havia sido evacuado. Desci, saí do prédio e fiquei algum tempo na calçada
para observar o incêndio. Depois de 5 ou 10 minutos, não me lembro exatamente
quanto tempo, houve uma explosão tremenda na outra torre - um som parecido com o
de um isqueiro de fogão a gás. Primeiro houve um rugido, mas amplificado um milhão
de vezes. Estranhamente, eu nem sabia que era um acidente de avião até mais tarde
chegar em casa e falar ao telefone com minha namorada, que estava assistindo o que
aconteceu na CNN em Illinois. Na época, parecia que uma bomba havia explodido. Foi
então que nós na rua percebemos que era mais do que apenas um incêndio.
“Quando ocorreu a explosão, uma imensa quantidade de papéis começou a cair sobre
nós. Pessoas em pânico começaram a correr pela Day Street. Na pressa deles

30

por terem se afastado o máximo que puderam, quase me atropelaram. Na época, ele
não estava liberando conscientemente. Mais do que medo, ele estava curioso. Tentei
ligar no meu celular, pois queria contar para minha namorada o que estava vendo,
mas não funcionou, pois o transmissor ficava no topo das torres. Depois de alguns
minutos, a cacofonia de sirenes de bombeiros e policiais começou, indo em direção a
onde estávamos. Os papéis continuavam caindo, mas ainda não a poeira. Foi algo
surreal. Lembro-me de que um pedaço de papel caiu aos meus pés e percebi que
tinha o nome de um banco alemão. Isso tocou em mim, porque eu sou alemão. “O
próximo evento dramático, que ainda me assombra, foi quando as pessoas
começaram a pular dos andares superiores da Torre Norte. Era uma manhã linda e
clara, então tudo parecia irreal para mim. Era uma imagem perfeita no Panavisión, e
eu senti como se estivesse assistindo a um filme. Cores perfeitas e fotos
panorâmicas. Uma imagem ficou gravada em minha mente: um empresário pulando
com sua pasta na mão. Em um dia tão claro, aquele homem com as pernas para
cima, as mãos para baixo, e a gravata no ar e acenando enquanto voava para baixo.
As torres eram muito altas, por isso demorou muito para chegar ao solo. Agradeço
não ter visto os impactos dos corpos, pois outros prédios esconderam de mim.
"Então eu soube que algo muito sério estava acontecendo. As pessoas choravam nas ruas e
cada vez que alguém se jogava, todos gritavam "Aaaaaah", prendendo a respiração. Eu me
senti compelido a assistir, mesmo que fosse horrível. Mas eu disse a mim mesmo: 'VOCÊ
TEM que sair daqui AGORA! Outra coisa pode acontecer. Não sabemos o que causou o
impacto. Talvez haja mais bombas. SAIA AQUI E VÁ PARA CASA! ' Então abri caminho no
meio da multidão até a estação de metrô Brooklyn Bridge, alguns quarteirões ao norte de
onde eu estava. Para chegar lá, passei por um parque próximo à Prefeitura. Havia milhares de
pessoas no parque, uma multidão assistindo aos acontecimentos. Uma ou duas vezes eu
estava prestes a me virar e olhei por cima do ombro. Mas eu havia decidido ir embora.
Felizmente, o metrô ainda estava funcionando, mas eu era quase a única pessoa a usá-lo, e
ele logo parou.

»Cheguei em casa e liguei imediatamente para minha namorada do telefone fixo. Ele
explicou o que tinha visto. Compartilhei com ela meus sentimentos e o impacto que o
que aconteceu teve sobre mim. Então entrei em estado de choque nervoso. Não
consegui ligar a TV imediatamente porque ela estava guardada em um armário. Eu o
tirei e liguei. Parecia muito ruim, porque as antenas tinham saltado. Fui dominado
pela sensação de que de uma forma ou de outra o ataque não era real, uma sensação
terrível de descrença, apesar de ter presenciado o ocorrido. Eu precisava
urgentemente que o drama se desenrolasse diante de mim.
À medida que Kenneth lembrava a história, eu o orientei no processo de liberação de
fragmentos da experiência: os sons, as imagens, os sentimentos, os pensamentos, as
sensações. Isso liberou algum medo e ansiedade. Mas ele ofereceu muita resistência
e costumava responder "não" quando perguntado: "Você poderia simplesmente
esquecer isso?" Eu sabia que todos nós no grupo nos beneficiaríamos com o
processo de libertação de Kenneth, já que todos nós tínhamos sido profundamente
afetados pela escala da tragédia. Até que Kenneth fosse capaz de reconhecer que, no
fundo, estava orgulhoso de ter vivido uma situação única e de ter desenvolvido uma
história tão magnífica sobre ela, ele não poderia se libertar totalmente. Uma vez que
ele realmente viu o orgulho e o liberou, a ansiedade que estava sentindo desapareceu,
para nunca mais voltar.
Como diz Kenneth: “O orgulho é um sentimento muito poderoso, mas finalmente consegui
me livrar dele. Consistência valeu a pena. No final, me senti estranho ao grupo. Eu estava
apenas lidando com aquele evento específico. Não se tratava de agradar Hale ou obter a
aprovação de alguém, nem mesmo de mim. Após a liberação, me senti bem. O 11 de
setembro ainda estava muito presente nos sentimentos das pessoas e elas não paravam de
falar sobre isso, mas nunca tirei

31

Eu toquei no assunto novamente durante todo o tempo que estive em Sedona. Melhor
ainda, eu estava realmente cansada dele.

Armadilhas comuns para evitar

Muitas pessoas encontram armadilhas comuns ao embarcar no caminho do


desenvolvimento pessoal, qualquer que seja sua direção. Aqui estão algumas dicas
para evitá-los.
• "Eu sofro, logo existo." Por mais estranho que possa parecer, essa declaração
reflete a maneira como muitos de nós vivemos nossas vidas. Nós nos identificamos
com nossos problemas, pensando que somos os únicos que os temos. É quase como
se acreditássemos que justificamos nossa existência tendo obstáculos a superar,
problemas a resolver e pela quantidade de sofrimento que somos capazes de
suportar. Também nos identificamos com o sofrimento que criamos para nós
mesmos. Ficamos tão acostumados a ser a pessoa com certo problema que muitas
vezes temos medo de não saber quem seríamos sem ele. Quando paramos para
refletir sobre "nossos" problemas, podemos até descobrir que ficamos tão apegados
a esses padrões de pensamento e comportamento que é difícil nos imaginarmos sem
eles. Em vez de estarmos abertos à incerteza que vem do desapego, nos agarramos à
sensação artificial de segurança de saber o que esperar, mesmo que as expectativas
não sejam benéficas.
Não tem que ser assim. Pense em um problema que você acha que tem e pergunte-
se: "Eu preferiria ter a falsa sensação de segurança que saber tudo sobre esse
problema dá, ou preferiria ser livre?" Se você preferir ser livre, você o fará
espontaneamente deixe de lado o apego a ele, ou você começará a descobrir
soluções naturais, em vez de justificar o problema ou ficar preso nele.
• "Mas sobre o que vou falar?" Muitos de nós baseiam uma parte significativa de
nossa comunicação interpessoal em tentar fazer os outros compreenderem nossos
problemas ou em ter pena dos problemas dos outros. Freqüentemente, tornamo-nos
tão hábeis em expor nossos problemas aos outros que não queremos abandonar
nossa experiência. Não é que compartilhar problemas seja uma coisa ruim. Na
verdade, a liberdade de compartilhar suas preocupações com outras pessoas
costuma ser o primeiro passo para se desapegar e seguir em frente. Além disso,
saber estar disponível para amigos e colegas quando eles estão emocionalmente
necessitados mostra que você é um bom amigo. Ficamos presos em compartilhar
continuamente o mesmo problema, indefinidamente, sem alívio.
Se você estiver contando a mesma história mais de uma vez, veja se está buscando
uma solução ou aprovação para essa questão. Se sim, pergunte-se:
Eu poderia me livrar de querer que outras pessoas concordassem comigo que eu tenho
esse problema?
Você poderia me liberar de desejar a aprovação para este problema?
• "É meu, é por isso." O orgulho é um sentimento de mudança. Não temos orgulho de
nossas realizações, mas realmente ficamos entusiasmados por ter um orgulho sutil
de nossos problemas. Eles nos fazem sentir muito especiais. Esse obstáculo no
caminho da liberdade pode ser o orgulho de ter superado o problema, de tê-lo
suportado por tanto tempo ou de ter um problema que nos é exclusivo.
Fique de olho no orgulho. Observe seus problemas ao se libertar deles e veja se eles
fazem você se sentir "especial". Se você descobrir algum grau de orgulho e puder
admiti-lo honestamente e deixá-lo ir, você também se sentirá livre para se libertar do
problema.
• "Não é aconselhável perguntar por quê." Querer entender ou descobrir por que ou
onde surgem os problemas também pode ser um grande obstáculo para desistir.
Porque temos que nos agarrar aos nossos problemas para

32

compreendê-los. Se há algo importante para você entender, abandonar o desejo de


entender muitas vezes proporciona com muito menos esforço o entendimento que
você tem buscado. Pergunte a si mesmo:
Prefiro entender meus problemas ou apenas me livrar deles? Se você preferir o último,
recomendo enfaticamente que você abra mão do desejo de compreendê-lo.
A razão pela qual isso é tão importante é que para entender um problema, devemos
deixar o momento presente, que é o único lugar onde podemos realmente consertar
alguma coisa. Além disso, só precisamos realmente entender um problema se
planejamos ocorrer novamente ou persistir de alguma forma.
Anos atrás, enquanto ministrava um curso do Método Sedona, sugeri a meus alunos que, se
eles deixassem de lado o desejo de entender seus problemas, as respostas apareceriam.
Havia um homem em particular que teve dificuldade em aceitar essa ideia. Ele era um
engenheiro elétrico e "sabia" sem sombra de dúvida que precisava do desejo de entender as
coisas de sua profissão, caso contrário, não seria capaz de fazer seu trabalho. Não fiz
objeções ao seu ponto de vista; Eu simplesmente disse a ele para permanecer aberto ao
menos para a possibilidade de que abrir mão do desejo de entender o problema pudesse lhe
fazer algum bem.

“Com um histórico pessoal de pobreza e disciplina física excessiva, venho


trabalhando em minha personalidade há muitos anos. Mas ainda existem
vários problemas, apesar dos meus esforços para mudá-los. Depois de
concluir o Curso, sinto-me aliviado de grande parte da minha antiga
angústia e sou mais capaz de lidar com medos arraigados que surgem.
Não tenho certeza se me reconheço, mas estou preparado para surpresas.
Quando enfrento os desafios diários, o Método aparece imediatamente,
então obtive ferramentas altamente eficazes e um estilo de vida mais
tranquilo e feliz.
—Ivonne Wigman, Kingston, Austrália
Durante as duas semanas de curso, o engenheiro teve uma experiência que mudou
completamente sua maneira de ver as coisas. Eu estava trabalhando na criação de
uma amostra de circuito e precisava de uma determinada parte para terminá-la. Mas
quando ele foi procurá-lo no armazém - uma sala com fileiras sobrepostas de cubos
empilhados em prateleiras que iam do chão ao teto, e preenchidos com pequenos
pedaços de eletrônicos dispostos de acordo com suas características - o cubo onde
aquela peça deveria seja ele estava vazio. Ele pensou: tenho certeza de que deixar de
querer entender o que está acontecendo certamente não funcionará para esse tipo de
problema, mas vou tentar mesmo assim. Então ele ficou ali por alguns minutos e
desistiu do desejo de descobrir onde a peça poderia estar. Então ele se viu dobrando
uma esquina, na direção de outra fileira de barcos, onde encontrou um cuja etiqueta
tinha outra coisa, e quem sabe? lá estava a peça que eu procurava. Ele ficou pasmo,
porque o fizera por diversão, certo de que não daria certo; mas funcionou.
Eu o encorajo a estar aberto à possibilidade de obter as respostas que anseia em sua
vida por meio desse processo de abrir mão do desejo de compreender. Como o
engenheiro elétrico, você pode se surpreender.
• "Pare de correr pela vida." Aborde sua nova vida como se você sempre tivesse
estado no mundo. Vivemos em um mundo incrivelmente rápido, onde continuamente
nos forçamos a nos mover mais rápido apenas para acompanhar. Na pressa de atingir
nossos objetivos, mesmo no âmbito do autoaperfeiçoamento, muitas vezes pulamos o
momento preciso que oferece a melhor oportunidade de nos descobrirmos e nos
reconhecermos: agora.

33

A exploração: buscando a liberdade que existe aqui e agora

Qualquer que seja o ponto no passado em que sua consciência tenha sido ancorada,
além de se libertar diretamente desse problema, desenvolva o hábito de inverter a
situação. A maioria de nós sabe exatamente como encontrar problemas e limitações.
Somos especialistas em encontrar limitações devido ao nosso hábito de encontrar
problemas quando eles não existem.
A liberdade que é inerentemente nossa está sempre mais próxima do que nosso
próximo pensamento. A razão pela qual perdemos nossa liberdade é que saltamos de
pensamento em pensamento, de uma percepção familiar para outra, esquecendo o
que realmente está acontecendo aqui e agora.
Mesmo ao trabalhar em um determinado problema, permita-se descobrir onde o
problema não existe . Observe que mesmo o seu pior problema nem sempre está com
você no momento presente (AGORA). Quando você começar a ter consciência da
liberdade ilimitada de sua natureza essencial, descobrirá que essa consciência
coloca todos os seus supostos problemas em sua perspectiva correta e permite que
você viva seu estado natural de liberdade agora.
O processo a seguir o ajudará a seguir nessa direção. É uma forma de vivenciar o que
está além de seus aparentes problemas e entrar em contato com a segunda forma de
liberação: a aceitação.
Perceba facilmente suas percepções sensoriais, começando com a audição. Você
saberia se limitar a ouvir, escutar ou aceitar o que está sendo ouvido neste momento?
Então, enquanto continua a focar no ouvido: Você também saberia aceitar o silêncio
que cerca e permeia tudo o que se ouve?
Por alguns minutos, mude continuamente de ouvir o que é ouvido para ouvir o que
não é ouvido e vice-versa, incluindo seus pensamentos.
Quando você se sentir pronto, concentre-se no que você vê. Você saberia aceitar tudo
o que é visto da melhor maneira possível?
Depois, você saberia também aceitar ou observar o espaço, ou o vazio, que envolve toda
imagem e todo objeto, inclusive o espaço em branco entre as linhas desta página?
Alterne entre as duas percepções novamente por alguns momentos.
Em seguida, concentre-se em quaisquer sentimentos que surjam neste momento.
Você seria capaz de aceitar qualquer sensação que é percebida neste momento?
Depois, você seria capaz de aceitar o espaço, ou a ausência de sensação, que envolve
qualquer sensação?
Alterne suavemente as duas formas de percepção.
Então, você saberia como se concentrar em um problema específico e aceitar essa
memória com todas as imagens, sons, sensações, pensamentos e sentimentos
associados a ela?
Você saberia então como observar que a maior parte de sua experiência ocorre fora
desse problema específico?
E você poderia pelo menos aceitar a possibilidade de que esse problema não seja tão
absorvente quanto parecia?
Alternativamente, passa de aceitar o problema e suas percepções associadas, para
observar e aceitar o que está realmente aqui e agora.
Ao fazer tudo isso, você verá que vai adquirindo progressivamente um novo senso de
clareza em relação aos seus supostos problemas, além de perceber o requinte do que
já existe aqui e agora.

Crescer pode ser divertido

Eu imploro que você participe ativamente do processo de libertação. Quanto mais você
investe, mais você aproveita. Mas ponha de lado quaisquer idéias desagradáveis que você
tenha sobre o trabalho. Muitas pessoas acreditam que "nada é alcançado sem

3. 4

dor". Conforme você pratica o desapego, tenho certeza de que descobrirá que não
precisa ser verdade. Em vez de trabalhar nesse processo, permita-se embarcar nele
como um jogo de exploração de tudo o que é realmente possível para você. Sim, o
crescimento pessoal e a cura - tornar - se um todo - podem ser lúdicos e divertidos.
Tenha a coragem de fazer grandes mudanças para melhor em sua vida. Conceda a si
mesmo a felicidade, o sucesso e o bem-estar que você merece. Quero que você tenha
tudo isso, e esse processo foi desenvolvido para te ajudar a chegar lá. Ao permitir que
a facilidade, a simplicidade e o incrível poder do Método Sedona se manifestem nas
páginas deste livro e por meio de suas explorações pessoais, você obterá uma
ferramenta que sempre estará com você de agora em diante. Por quase 30 anos,
pessoas como você têm usado essa técnica incrível para melhorar radicalmente
todos os aspectos de suas vidas.
35

Seu mapa para chegar lá


para a liberdade emocional

Leia este capítulo com a mente e o coração abertos. É projetado para ajudá-lo a
analisar e liberar através dos nove estados emocionais fundamentais que todos nós
experimentamos ao longo do dia: apatia, tristeza, medo, desejo, raiva, orgulho,
coragem, aceitação e paz.
Esta informação o ajudará não apenas a ver mais claramente seus sentimentos e os
dos outros, mas também a incorporar o processo de liberação consciente em sua
vida.

Liberdade / imperturbável

Liberdade, ou imperturbabilidade, é o objetivo final do Método Sedona: a liberdade de


decidir ter, ser ou fazer ou não ter, ser ou fazer tudo e qualquer coisa. Este é o estado
natural de ser quando nada do que acontece em nossa vida pode nos perturbar mais.
Sua liberdade já está aqui e agora, descansando logo abaixo da superfície de suas
emoções, e conforme você domina a liberação, você eventualmente a descobrirá.
Então, nada nem ninguém pode perturbá-lo. Você estará ciente de tudo o que está
acontecendo e irá gostar, mas não se sentirá apegado a nenhum resultado específico
ou preocupado com isso. Você ficará calmo, em paz.
Você pode estar dizendo a si mesmo agora: “Não sei se quero me livrar de todas as
minhas emoções. Eles dão cor à vida. Eles me fazem sentir viva. Garanto-lhe que a
libertação de forma alguma leva à falta de vida emocional. Ocorre exatamente o
oposto. Já que geralmente nos seguramos tanto, não nos permitimos sentir o
suficiente. Esse atordoamento nos separa da bondade e riqueza naturais da vida,
muito mais do que nos separa das chamadas emoções negativas. Quando você
entender que pode se desapegar dos seus sentimentos e começar a fazê-lo, você
será capaz de sentir tudo em um grau maior e de uma forma muito positiva. Você
ficará seguro sabendo que nenhum sentimento tem poder sobre você, a menos que
você decida permitir.

Descubra sua intuição

Outra razão pela qual muitas pessoas hesitam quando começam a abrir mão de seus
sentimentos é a crença de que eles fornecem informações e percepções
importantes. Minha experiência me diz o contrário. Embora possa parecer que
sentimentos restritivos surgem do mesmo lugar abaixo da consciência que a intuição,
este é de fato o conhecimento natural de nossa verdadeira natureza, que as emoções
bloqueiam. Quando liberamos, descobrimos a intuição.
Lester Levenson costumava dizer: "A intuição está certa 100 por cento do tempo." É
algo que você pode achar difícil aceitar até que descubra a diferença entre sua
intuição e suas reações emocionais. Portanto, use o processo de eliminação para
melhor distingui-los. Tudo o que você precisa fazer é liberar na hora certa e prestar
atenção. Você logo descobrirá que, conforme libera um sentimento restritivo, ele
diminui ou desaparece, enquanto a intuição

36

só se torna mais claro e calmo quando você libera. Você não pode liberar a intuição.
Na verdade, quanto mais você liberar, mais intuitivo você será, sem precisar nem
mesmo liberar no momento.

Os nove estados emocionais


Inerentes a todos nós estão nove estados emocionais: apatia, tristeza, medo, desejo,
raiva, orgulho, coragem, aceitação e paz. No final deste capítulo, esses estados
emocionais são listados em um gráfico. Eles estão situados ao longo de uma escala
de energia e ação. Na apatia, quase não temos energia e realizamos pouca ou
nenhuma ação externa. Temos mais energia e fazemos mais atividades externas
quando ascendemos ao luto. Cada emoção sucessiva nesta escala, até chegarmos à
paz, tem mais energia e nos dá maior capacidade de ação externa.
A analogia a seguir pode ser útil para você. Imagine que suas emoções são como se
você estivesse vivenciando um mar de energia canalizado por uma mangueira,
representando seu corpo e sua mente. Quando você está em apatia, a mangueira fica
quase completamente enrolada e torcida, então deixa entrar muito pouca energia. No
luto, é um pouco mais aberto. Quando você chega a coragem, é muito aberto, então
você pode concentrar sua energia em criar o que você decidir. Em paz, não há mais
constrição: o mar e você são um e o mesmo. Entre outras coisas, pensar sobre suas
emoções dessa maneira pode ajudá-lo a parar de se julgar pelos sentimentos que
tem ou não tem. Afinal, as emoções nada mais são do que energia.
Use o lembrete neste capítulo para ajudá-lo a identificar qual estado emocional você
está experimentando em determinado momento. Consulte as listas de palavras e
frases que descrevem cada um dos sete estados emocionais sempre que tiver
dificuldade em se conectar com o que está sentindo. Por exemplo, se você perceber
que costuma desistir, tem sentimentos negativos sobre si mesmo ou sobre os outros,
ou apenas tem dificuldade em se desvencilhar, provavelmente está passando por um
estado de apatia. Você pode se pegar pensando: “Não sou como todo mundo. Tenho
razão. Sou mais inteligente do que ninguém ', ou que você se sente satisfeito consigo
mesmo e melhor do que ... Pensamentos e sentimentos dessa natureza indicam que
você certamente está experimentando um estado de orgulho.
Ao trabalhar neste material, você provavelmente descobrirá que pode se relacionar
com certas emoções mais facilmente do que outras e que tende a passar mais
tempo experimentando alguns estados emocionais do que outros. No entanto, é
importante trabalhar para liberar suas emoções enquanto experimenta os nove
estados emocionais, para alcançar a verdadeira imutabilidade e liberdade na vida.
As nove categorias emocionais são uma forma de compreender a grande parte de nossa
mente que está abaixo de nossa consciência. Essa parte da mente é como uma gaveta de
lixo: você sabe, onde jogamos fora tudo o que não sabemos mais o que fazer com isso.
Alguns de nós têm arrecadação, sótão ou garagem nesse estilo. Ao longo do tempo, temos
jogado nessa parte da nossa mente tudo o que não sabíamos manejar ou que de qualquer
forma não está resolvido. Como mencionei antes, qualquer sentimento que não seja
abandonado é armazenado na mente subconsciente, que se enche de entulhos emocionais e
pensamentos e sentimentos restritivos. Dado o acúmulo de questões não resolvidas que a
maioria de nós desenvolve, muitas vezes é difícil lembrar o que consideramos importante e
muito fácil lembrar o que desejamos esquecer.
Não sei qual será o seu caso, mas quando eu costumava usar uma gaveta de lixo, sempre
ficava frustrado quando tentava encontrar algo nela. No final, eu o esvaziei e organizei seu
conteúdo. Com o Método Sedona, você também pode fazer o mesmo com a mente. Ao
passar o tempo trabalhando com os nove estados emocionais e liberando-os, você verá

37

que todas as emoções estão relacionadas entre si de uma forma muito organizada.
Isso o ajudará a filtrar esse acúmulo, descartar o que não é mais necessário e
descobrir o que é importante para você. Ao liberar, você observará que sua mente
está se aguçando e que sua memória está gradualmente se limpando. Você não
apenas verá mais claramente o que está sentindo naquele momento, mas também
começará a compreender melhor as emoções das outras pessoas.
Ao visualizar a escala de energia e ação, ou
ao revisar o gráfico no final deste capítulo, “Entender meus sentimentos me
imagine que coragem, aceitação e paz estão dá uma vida mais serena e focada.
enterradas sob outras emoções. Me sinto mais presente a cada
Quando você deixar de lado sua apatia, sua momento. O curso do Método
dor, seu medo, seu desejo, sua raiva e seu Sedona me deu o que outros
orgulho, você revelará aquelas emoções de cursos nunca me deram: um
energia superior, que constituem quem você sistema bem definido que me
realmente é e que sempre estiveram lá. O ajuda a atingir meu objetivo de
resultado será que toda a sua vida mudará liberar barreiras. Além disso, posso
completamente. Tudo será mais fácil para decidir por mim mesmo para onde
você. ir e com que velocidade.
Você deve estar ciente de que esta volta
completa pode não ocorrer imediatamente. —BV Ghent, (Bélgica)
Pode ser um processo gradual. Porém, toda
vez
participas en el proceso de liberar, sin que importe por dónde empieces —sea en la
apatía, la pena, el miedo, el deseo, la ira o el orgullo—, descubrirás que tiendes a
gravitar de forma natural hacia el coraje, la aceptación y a paz. Reconhecer suas
virtudes ocultas dessa maneira pode fazer uma grande diferença na maneira como
você se sente e age, e na ideia geral que você tem da vida.
Ao ler as nove seções a seguir, tente estar o mais aberto possível a quaisquer
sentimentos, pensamentos ou imagens que surjam. Peço que pare sempre que quiser
liberar o que aparecer. E pare no final de cada seção para passar algum tempo
liberando tudo em sua consciência.

Apatia

Quando sentimos apatia, parece-nos que o desejo está morto e que não adianta. Não
podemos fazer nada e ninguém pode nos ajudar. Sentimo-nos inchados e pesados e
não vemos como escapar. A mente pode ficar cheia de tanto barulho que ficamos
entorpecidos. As imagens que vemos são restritivas e destrutivas. Só pensamos no
fracasso e que não podemos fazer nada e ninguém pode fazer nada também. Temos
pouca ou nenhuma força para agir sobre essas imagens e pensamentos, porque por
dentro somos empurrados em muitas direções opostas.
Cheryl estava aposentada e morava na mesma casa há 30 anos, período que passou
recolhendo todo tipo de objetos e resíduos. Na verdade, sua casa parecia aquela
gaveta de lixo de que falei antes quando me referi à mente subconsciente. Quando ela
decidiu participar do Curso Básico do Método Sedona, ela disse que se sentia muito
pesada e apática com a situação ao seu redor. O interessante é que durante o curso
ele nunca foi liberado diretamente de tudo relacionado à sua ânsia de acumular lixo ou
à sua apatia. Ele estava simplesmente estabelecendo seu objetivo em sua falta de
determinação. Mas quando ela chegou para começar a segunda semana do curso -
parecendo mais vital - ela contou com entusiasmo que, ao dar alta ao longo da
semana, se viu limpando e jogando coisas fora. Quando tudo ao seu redor estava em
melhor forma, sua força e autoconfiança aumentaram continuamente. Ele disse que
estava se forçando a limpar seu

38

casa, mas nunca poderia fazer isso. Quando ele relaxou com a liberação, ele se viu
fazendo essas tarefas.

Palavras e expressões que descrevem apatia

• Sair • Fracasso
• Sobrecarregado • Frio
• Entediado • Impotente
• sonolento • impreciso
• Exausta • incorrigível
• Isolado • Indeciso
• Letárgico • Indiferente
• Preso • Insensível
• Fadado ao fracasso • Sem utilidade
• Choque nervoso • Invisível
• Muito cansado • Morto
• depressivo • Negativo
• Derrotado • Eu não ligo
• Desanimado • Não me importa
• Fora do centro • Não posso
• Negligenciado • Não consigo ganhar
• apático • esquecido
• Desespero • Fracassado
• Decepcionado • Perdido
• Desmoralizado • Preguiçoso
• Desolado • Por que tentar?
• Desperdiçado • Qual é o ponto?
• Desprezível • Resignado
• Distraído • Sem graça
• inveterado • Vamos esperar
• dormente • Vão
• É muito tarde  
Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu apatia. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Repita o processo de liberação mais algumas vezes até sentir que pode abrir mão de
parte do que está sentindo, ou de tudo isso. Em seguida, passe para a próxima
sensação.

A pena

Quando sentimos tristeza ou dor, queremos que alguém nos ajude porque pensamos
que não podemos fazer nada sozinhos. Achamos que talvez outra pessoa possa fazer
algo. Imploramos que alguém aja por nós. Nosso corpo tem um pouco mais de
energia do que no estado de apatia, mas está tão contraído que dói. Nossas mentes
estão um pouco menos confusas do que em apatia, mas ainda é barulhento e opaco.
Imaginamos nossa tristeza e nossas deficiências e muitas vezes nos perdemos
nessas imagens. Só pensamos no quanto sofremos, no que perdemos e se podemos
conseguir alguém para nos ajudar.

39

Quando a mãe idosa de Sarah sofreu um derrame, Sarah percebeu que suas vidas
haviam mudado. Ela se sentiu profundamente triste por perder o relacionamento que
costumava desfrutar quando sua mãe se sentia forte. Dada a quantidade de ajuda
que sua mãe precisava agora, era como se Sarah assumisse o papel de mãe e a mãe
o de filha, pelo menos por algum tempo. Chegou o dia em que Sarah decidiu
mergulhar na dor e encontrou um pouco de paz. Ela entendeu que, ao usar o Método
Sedona, ela poderia se permitir sofrer adequadamente, ao invés de permanecer presa
em um estado permanente de luto. Embora houvesse tristeza e incerteza, também
havia uma sensação de grande alívio e movimento. A liberação tornou mais fácil para
ela aceitar as mudanças que ocorreram em sua mãe.

Palavras e expressões que descrevem a pena:

• Ninguém se importou • Doeu


• Abandonado • Luto
• Downcast • choroso
• Acusado • Abusado
• Aflito • Exilado
• Anseio • Melancólico
• Desculpe • Ninguém me ama
• Atormentado • Não desejado
• Envergonhado • Não tem direito
• chocado • Não querido
• Culpado • Nostalgia
• Decepcionado • Esquecido
• Sem supervisão • Dor
• De coração partido • Perdido
• Desespero • Pesar
• Dor • Pobre de mim
• Trapaceado • Porque eu?
• Exausta • Rejeitado
• Ferido • Relegado
• Ignorado • remorso
• Impotente • Se pelo menos ...
• incompreendido • Torturado
• Inconsolável • Traído
• Inepto • Triste
• Infeliz • Tristeza
• Pena • Vulnerável

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu pena. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento ou melhor do que
você pode? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Antes de continuar, repita o processo de liberação mais algumas vezes até sentir que
pode abrir mão de parte do que está sentindo, ou de tudo isso. Em seguida, passe
para a próxima sensação.

O medo

Quando temos medo, queremos atacar, mas não o fazemos, porque achamos que o risco é
muito grande. Acreditamos que certamente receberemos mais

40

golpes de que damos. Queremos começar, mas não o fazemos porque pensamos que vamos
nos machucar. Nosso corpo tem um pouco mais de energia do que a dor, mas ainda está tão
contraído que, acima de tudo, dói. As sensações sobem e descem rapidamente, como água
fria em uma panela quente. A mente é um pouco menos confusa do que a dor, mas ainda é
barulhenta e embotada. Nossas imagens e pensamentos são sobre condenação e
destruição. A única coisa em que podemos pensar e tudo o que vemos é que vamos nos
machucar, o que podemos perder e que devemos proteger a nós mesmos e aos que estão ao
nosso redor.
Liberation é uma ferramenta maravilhosa para lidar com o medo, como Judy bem descobriu
em um acampamento no Marrocos e no Quênia. Em uma estrada isolada e dilapidada nas
Montanhas Atlas, o SUV no qual ela e outras 11 pessoas viajavam subitamente capotou e
começou a girar. Por alguns momentos, todos pensaram que iam morrer, até que o veículo
parou no meio do penhasco. Com os corações batendo forte, todos eles desceram
cuidadosamente do carro em direção à encosta, onde foram deixados por conta própria a
noite toda em condições miseráveis. Estava frio e o vento soprava. Eles tinham poucos
suprimentos, alguns deles sofriam de diarreia e um homem ferido teve um colapso nervoso.
No entanto, no meio de tudo isso, Judy não parava de liberar seu medo. O resultado foi que
ela ficou tranquila, até mesmo fascinada, se perguntando se eles conseguiriam sair daquela
situação difícil e achando que era uma aventura incrível, que finalmente acabou. E o melhor
de tudo é que viveu para contá-lo, sem arrastar nenhum sentimento traumático sobre o
ocorrido.

Palavras e expressões que descrevem o medo:

• Ameaçado • Mau pressentimento


• Apreensivo • Medo do palco
• Assustado • Náusea
• Apavorado • Nervoso
• Apanhado • Obcecado
• Envergonhado • Pânico
• Cauteloso • Paralisado
• Covardia • Paranóico
• Auto-consciente • Cauteloso
• Desconfiado • Preocupado
• Desejos de fuga • suspeito
• Desesperado • Reservado
• Dúvida • suado
• Cético • Supersticioso
• Evasivo • Suspeito
• histérica • Tremido
• Horrorizado • Tenso
• taciturno • Terror
• Pouco claro • Tímido
• Agitado • Hesitante
• Inseguro • Vulnerável
• irracional  

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece teve medo. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação que
essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?

41

Antes de passar para a próxima sensação, repita o processo mais algumas vezes até
sentir que pode abrir mão de parte ou de tudo o que está sentindo.

O desejo

Quando sentimos desejo, queremos possuir. NÓS QUEREMOS. Ansiamos por


dinheiro, poder, sexo, pessoas, lugares e coisas, mas hesitamos. Podemos ou não
alcançá-lo. Temos um sentimento oculto de que não podemos, ou não devemos, tê-lo.
Nosso corpo tem um pouco mais de energia do que o medo. Ele ainda está bastante
contraído, mas agora as sensações às vezes são agradáveis, especialmente quando
comparadas às três emoções anteriores de baixa energia. Os sentimentos podem ser
muito intensos. Nossa mente está um pouco menos confusa do que com medo, mas
ainda com ruídos e obsessões. Podemos tentar aliviar nossas imagens com
fantasias positivas, mas, no fundo, elas são realmente imagens do que não temos.
Nossos pensamentos estão preocupados com o que precisamos alcançar e o que
não temos. Não importa o quanto realizemos, nunca estamos satisfeitos e raramente
desfrutamos o que possuímos.
Ron é um fã de basquete de Seattle com uma paixão pelos Sonics. No ano em que o
time disputou o play-off contra o Chicago Bulls, ele estava com muita vontade. Ele se
lembrava de perder a paciência quando criança quando estava preocupado com um
jogo - ele literalmente tremia com o esforço de querer que seu time vencesse. Assim,
nas poucas vezes que teve a chance de assistir a uma final entre o Sonics e o Bulls,
ele passou um tempo nas arquibancadas liberando o desejo que tinha de controlar o
resultado. Isso o fez se sentir muito melhor. Ele gostava muito mais do jogo e, o mais
engraçado, parecia-lhe que se libertava como se 10.000 pessoas estivessem fazendo
isso. Ron não estava aplaudindo mecanicamente o time, e no final da partida, já com
os nervos à flor da pele, sentiu a mesma euforia. Hoje, sua esposa zomba de Ron ter
que ir a todos os jogos, porque os Sonics ganham sempre que ele os vê jogar das
arquibancadas.

Palavras e expressões que descrevem o desejo:

• Hoarder • Luxurioso
• Alheio ao ambiente • Licencioso
• Desejos • Manipulador
• Compulsivo • Machiner
• Consentindo abertamente • Pequeno
• Rampage • Não posso esperar
• Cruel • Nunca é suficiente
• Egoísta • Sempre insatisfeito
• Inveja • Obcecado
• Exigente • obeso
• Explosivo • perverso
• Frenesi • possessivo
• Frustrado • Arrogante
• glutão • Previsão
• Fome • Quer
• Impaciente • Raptor
• Impulsivo • Desonesto
• Insaciável • Imprudente
• Insensível • Eu tenho que possuir
• Sensual • Voraz

42
Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu desejo. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento ou melhor do que
você pode? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Antes de passar para a próxima sensação, repita o processo de liberação mais
algumas vezes até sentir que pode abrir mão de parte ou de tudo o que está sentindo.

Raiva

Quando sentimos raiva, queremos nos apressar para ferir e impedir os outros, mas
hesitamos. Podemos bater ou não. Nosso corpo tem um pouco mais de energia do
que desejo. Você está menos contraído e as emoções podem ser muito intensas e
explosivas. Nossa mente está menos confusa do que de desejo, mas ainda com
barulho, teimosia e obsessão. Nossas imagens se referem à destruição e ao que
faremos aos outros. Nossos pensamentos estão em como fazer justiça por nós e
como fazer com que outros paguem. Essa força pode nos assustar e pode fazer com
que voltemos a experiências de menor grau de energia, podendo até infligir danos. As
ações que realizamos são principalmente destrutivas para nós mesmos e para as
pessoas ao nosso redor.
Paige guardava rancor de um ex-namorado que, em sua opinião, a traiu. Embora o
relacionamento deles tivesse terminado dois anos antes, sempre que ela pensava
nele, ela observava que ele sentia tanta raiva que praticamente a paralisava. Quando
isso aconteceu, ele se permitiu imaginar maneiras de se vingar. Enquanto ele
alimentava a memória do dano que havia sido feito a ele, a dor da experiência
continuou viva. Mais importante, sua raiva a estava impedindo de iniciar um
relacionamento novo e satisfatório.
Quando Paige seguiu o Curso do Método Sedona, um de seus objetivos era liberar
sua raiva profunda e perdoar seu ex-namorado. Na aula, ela ficou surpresa ao
descobrir como era fácil para ela deixar de lado suas mágoas e decepções restantes,
que desapareceram com apenas algumas sessões de perguntas. Quase
imediatamente, ele começou a se abrir para a possibilidade de um novo
relacionamento. Então, sempre que sentimentos negativos surgiam, ela
simplesmente os liberava e se sentia mais leve, mais feliz e mais otimista em relação
à vida.

Palavras e expressões que descrevem raiva:  

• Aquecido • Obstinado
• Agressivo • Palestrante
• nervoso • Durado
• Prestes a explodir • Enfurecido
• Amargo • Nervoso
• Queimando • Exigente
• Beligerante • Explosivo
• abrupto • Frustrado
• Cáustica • Nervoso
• Com ciumes • Furioso
• colérico • Hostilidade
• Desafiador • taciturno
• Cruel • Impaciência
• Destrutivo • indignado

43

• Impiedoso • Fúria
• Instintos assassinos • Rebelde
• irado • Ressentimento
• Irritado • Rigoroso
• Louco • Selvagem
• Indelicado • Forte
• Malicioso • revivido
• Pequeno • Cabeça dura
• Teimoso • Vingativo
• Odiar • vicioso
• perverso • violento
• Petulante • Vulcânico
 
• Arrogante

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu raiva. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Como nos sentimentos anteriores, repita o processo várias vezes até sentir que pode abrir
mão de parte do que está sentindo, ou de tudo isso. Então continue.

O orgulho

Quando sentimos orgulho, queremos preservar nosso status. Não estamos dispostos
a mudar ou mudar; conseqüentemente, evitamos que outros se movam para evitar
que nos alcancem. Nosso corpo tem um pouco mais de energia do que na raiva, mas
muitas vezes não podemos ter. Embora seja menos apertado, geralmente é opaco e
menos visível. Nossa mente está um pouco menos confusa do que com raiva, mas
ainda é barulhenta, rígida e egocêntrica. Nossas imagens e nossos pensamentos
referem-se ao que fizemos e sabemos. Se estivermos cientes da existência de outras
pessoas de alguma forma, esperamos que vejam como escondemos nossas dúvidas
persistentes.
Martin era o que muitos considerariam um executivo dinâmico. Em sua carreira
profissional, ele ascendeu rapidamente na empresa sem se preocupar muito com
quem estava caminhando na estrada. No entanto, quando ele comprou as fitas do
Método Sedona, foi porque ele encontrou uma barreira em sua profissão. Achei que
ainda estava fazendo a coisa certa, mas não estava mais obtendo os resultados que
queria. Várias promoções o haviam esquecido e ele não entendia por que seus chefes
não viam que ele era muito melhor do que as pessoas que promoviam.
Ouvindo as fitas, Martin descobriu que tinha ficado orgulhoso, que não o deixava ver suas
deficiências e que não podia aproveitar o apoio que estaria disponível se ele estivesse aberto
a recebê-lo. Ao se despedir, passou a valorizar seus colegas de trabalho de forma mais
espontânea, e sentiu-se mais disposto a trabalhar para toda a equipe, sem tentar manter as
distâncias que costumava manter com eles. Depois de fazer essa mudança, eles o
promoveram. Hoje Martin sabe que pode continuar subindo até o topo sem pisar em
ninguém na estrada.

Palavras e expressões que descrevem o orgulho:

• Auto-absorvido • Isolado
• Entediado • Altivo
• Apegar-se às suas ideias • Arrogante

44

• Autoritário • Inflexível
• Fechadas • Insensível
• Acreditava • Inteligente
• Crítico • Intolerante
• desdém • Irrepreensível
• desdenhoso • Cheio de preconceitos
• complacente • estragado
• Distante • Melhor que você
• Dogmático • Nunca errado
• Egoísta • Obcecado
• Pretensioso • Paternalista
• Esnobe • Petulante
• especial • Presunçoso
• estóico • Reto
• Falsa dignidade • regozijar-se
• Falsa humildade • Rígido
• Falsa virtude • Sabe tudo
• Braggart • Santurrón
• Frio • Auto-satisfeito
• Hipócrita • Sentenious
• Destemido • Superior
• Implacável • Cabeça dura
• Inquebrável • Vão
Reserve alguns minutos para lembrar a última vez em que você ou alguém que você
conhece se sentiu orgulhoso. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Repita o exercício várias vezes até sentir que pode abandonar parte ou tudo o que
está sentindo antes de passar para a próxima sensação.
Lembre-se de que os seis primeiros estados emocionais, na verdade, formam uma
crosta fina que esconde os próximos três sentimentos de coragem, aceitação e paz.
Se as seis primeiras incluem principalmente atitudes do tipo "não consigo", à medida
que nos permitimos desvendar os três estados emocionais seguintes, começamos a
sentir o "eu posso".

A coragem

Quando sentimos coragem, estamos prontos para agir sem hesitação. Podemos
fazer. Podemos corrigir. Podemos mudar qualquer coisa sempre que necessário.
Temos a vontade de deixar ir e seguir em frente. Nosso corpo tem muito mais energia
do que orgulho e podemos usá-lo para ações exteriores e construtivas. A energia que
temos à nossa disposição é abundante e clara. A mente fica menos confusa do que
no orgulho e é muito menos barulhenta. Somos flexíveis, resilientes e de mente
aberta. Nossas imagens e pensamentos se referem ao que podemos fazer e aprender
e como podemos ajudar os outros da mesma maneira. Estamos motivados e
dependemos apenas de nós mesmos, sem deixar de querer que os outros tenham
sucesso. Sabemos rir em voz alta, mesmo de nossas próprias falhas. Vida é divertida.
Cada vez que dizemos "sim" às questões da libertação, utilizamos a energia da coragem.
Uma vez que este é o nosso estado natural, podemos acessá-lo em qualquer

Quatro cinco

momento, por mais oculto que possa parecer devido à predominância de qualquer
um dos outros sentimentos.
Além de instrutor do Método Sedona, David é mímico profissional e realiza um show
de 40 minutos sobre os perigos das drogas, voltado para estudantes de centros
públicos urbanos da cidade de Nova York. Todos os anos, pelo menos 20.000
crianças, do jardim de infância à oitava série, assistem ao seu desempenho, e hoje
David os encara com um espírito constante de coragem e aceitação. Mas não foi
sempre assim. Por cinco ou seis anos, ele teve medo de perder o controle, de não
poder fazer o seu trabalho ou de não saber dominar os alunos. No local onde ele se
apresentou, frequentemente havia até 500 meninos rebeldes. Ele tinha um vago medo
de que algo desse errado, que eles lutassem ou não ficassem em silêncio e que a
apresentação fosse um fracasso.
Agora, graças aos exercícios de liberação que realiza antes e durante suas apresentações,
David não sente nenhum medo, e muitas vezes viveu as situações que antes temia. Pode
acontecer que o diretor de um centro libere todo um grupo de alunos que não para de gritar,
ou que o típico menino esteja entre o público que pergunta tudo com a intenção de se
destacar. David apenas deixa a tensão em seu estômago se aliviar, olhando calmamente para
os alunos e dizendo: "Estou ansioso para fazer o que vim fazer por vocês e em um momento,
vou continuar como se não tivesse se eu tivesse parado para falar com você. Mas eu não
poderei fazer isso se você também fizer seu show enquanto eu trabalho. " É assim que as
crianças são conquistadas. Seu compromisso com a liberdade permitiu-lhe exercer uma
influência muito positiva com sua mensagem vital sobre os alunos em risco perante os quais
atua. David diz: “Quando ajo com coragem e aceitação, trago harmonia para o mundo. Eu só
posso fazer isso quando eu deixar os sentimentos se soltarem dentro de mim. Então minhas
ações são automaticamente mais amorosas e compassivas.

Palavras e expressões que descrevem coragem:

• Aberto • Euforia
• Acessível • Feliz
• Afetuoso • Firme
• Agudo • Flexível
• Feliz • Forte
• Apaixonado • honrado
• Ousado • Humor
• Auto-suficiente • Impaciente
• Capaz de recuperar • Incansável
• Centrado • Independente
• Clareza • Engenhoso
• Compaixão • Iniciativa
• Competente • Integridade
• Com visão de futuro • Destemido
• confiável • Invencível
• Consciente • Lucid
• Criativo • Motivado
• Determinado • Objetivos claros
• Acordado • Otimista
• Dinâmico • Perspectiva
• Disposto • Positivo
• Entusiasmado • Posso
• Esplêndido • Responsivo
• Espontâneo • Resolvido
• Estábulo • Claro
• Estudioso • Confidencial

46

• solícito • Vivo
• Vigoroso  

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu raiva. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação
que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento ou melhor do que
você pode? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Se você acha difícil liberar um sentimento bom, lembre-se de que, ao fazer isso, você
permite que ele melhore. Todos nós temos um grande estoque de emoções positivas
que outras emoções restritivas escondem. Por esse motivo, muitas vezes os
sentimentos positivos são reforçados na liberação, enquanto os negativos são
enfraquecidos. Além disso, você enfraquece sua tendência eterna de se conter e se
apegar.
Repita o processo de liberação mais algumas vezes até sentir que pode abrir mão de
parte do que está sentindo, ou de tudo isso. Em seguida, passe para a próxima
sensação.

A aceitação

Quando experimentamos aceitação, temos e gostamos de tudo como é. Não precisamos


mudar nada. As coisas são assim, e é assim que são boas. Eles são lindos como são. Nosso
corpo tem muito mais energia do que coragem. A maior parte dessa energia está em
repouso, mas à nossa disposição se precisarmos. É uma energia leve, quente e aberta. A
mente está menos confusa do que na raiva e quase silenciosa e satisfeita. Nossas imagens
e nossos pensamentos estão apaixonados pela perfeição das coisas. A vida é alegre.

Ralph e sua esposa estavam participando de um retiro de sete dias comigo em


Sedona. Todas as manhãs, antes do início do curso, eles costumavam dar uma
caminhada. Um dia, eles chegaram a um lugar conhecido como Bell Rock, onde Ralph
passou um tempo se lançando contra seus alvos. Quando o sentimento familiar de
"Isso nunca vai acontecer" o atingiu, ele imediatamente reconheceu que a mensagem
era apenas um sentimento. Ele nem mesmo teve que se agarrar a ele. O que tornou a
experiência tão especial foi como ela era visual. Enquanto ele estava lá, ele podia ver
um turbilhão de sentimentos surgindo de dentro dele, e ele observou que estava
simplesmente aceitando-os, sem ter que estender a mão para segurá-los. A imagem
do redemoinho se repetiu várias vezes, sempre com menos força, até que finalmente
desapareceu.
Embora toda aquela visão não durasse mais do que um minuto ou mais, foi de grande
força. Ralph diz: “Era como um cachorro vira-lata se aproximando da porta, e eu sabia
que, se alimentasse a sensação, ele voltaria. Mas se ele não o fizesse, ele iria embora.
De volta à aula, ela compartilhou o quão boa e livre ela se sentiu.

Palavras e expressões que descrevem a aceitação:

• Aberto • Bem estar


• Abundância • caloroso
• Afetuoso • Compaixão
• Grato • Misturado
• Feliz • Compreensivo
• Queimando • Considerado
• Harmonia • Cortes
• Harmonioso • Deleite
• Espanto • Educado

47

• Empatia • Naturalidade
• Enriquecido • Participante
• Equilíbrio • Plenitude
• Eufórico • Radiante
• Jeitoso • Claro
• Indulgente • Confidencial
• Ingênuo • Legal
• Integrador • Calmo
• Intuitivo • Eu tenho
• Brincalhão • Macio
• Magnânimo • Tudo vai bem
• Nada a mudar  

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece se sentiu aceito. Em seguida, pense por um momento sobre a
sensação que essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?
Lembre-se de fazer tudo o que puder para liberar sentimentos positivos.
Como nos sentimentos anteriores, repita o processo várias vezes até sentir que pode
abrir mão do que está sentindo, ou de tudo isso. Em seguida, passe para o último
sentimento: paz.

A paz

Quando experimentamos paz, sentimos: 'Eu sou. Eu sou um todo, algo completo em mim
mesmo. Todos e tudo fazem parte de mim. Tudo é perfeito". O corpo tem muito mais energia
do que na aceitação, mas está em repouso total, calmo. A energia é calma e silenciosa. A
mente, clara e vazia, mas totalmente consciente. Não há necessidade de imagens ou
pensamentos. A vida é como é e está tudo bem.
Minha revisora, Stephanie, me contou sobre um momento de paz e realização pessoal
que ela experimentou recentemente enquanto segurava o bebê de seis semanas de
suas amigas. Quando o bebê se aninhou inocentemente contra seu peito, Stephanie
foi levada pela experiência da confiança que a pequena demonstrava. Ele liberou
completamente todas as suas expectativas e preocupações. Ele não planejou o
futuro nem se preocupou com o passado, ele apenas descansou no AGORA com
aquela criaturinha. Nada impedia amar e ser amado. Ela só precisava de um coração.
No que dizia respeito à paz, simplesmente tinha que ser.

Palavras e expressões que descrevem a paz:

• alheio ao tempo • Claro


• Calmo • Perfeição
• Centrado • Plenário
• Consciência • Puro
• Fortitude • Realizado
• Espaço • Resplandecente
• Para sempre jovem • Ser estar
• Eterno • Serenidade
• Identidade • Calmo
• Ilimitado • Sou
• Inesgotável • Tudo
• Livre • Quieto
48

Reserve alguns minutos para se lembrar da última vez em que você ou alguém que
você conhece sentiu paz. Em seguida, pense por um momento sobre a sensação que
essa memória produz em você neste momento.
Você poderia aceitar esse sentimento da melhor maneira
possível? Você saberia como deixar para lá?
Você deixaria ir
Quando?

A exploração: não somos nossos sentimentos

Veja como você se sente após a jornada através dos nove estados emocionais. Se
você se permitiu sentir a importância do que está lendo (da melhor forma possível), já
pode se sentir um pouco mais relaxado, aberto e em contato com suas emoções. Se
você não tiver certeza ou não observar nenhuma alteração, não se preocupe. Lembre-
se de que você está aprendendo uma nova habilidade e pode demorar um pouco para
dominá-la. Você tem muito mais experiência em reprimir e expressar seus
sentimentos do que em deixá-los partir. Em breve você estará mais em contato com
eles e será mais fácil identificá-los e liberá-los.
Para concluir nossa jornada através dos nove estados de energia, vamos gastar
alguns minutos discutindo a seguinte declaração: “Sentimentos nada mais são do
que sentimentos. Eles não são nós mesmos. Eles não são fatos e podemos deixá-los
ir. Essas palavras simples resumem o conteúdo do Método Sedona. Mas o que eles
realmente significam?
A primeira parte ("Sentimentos são
apenas sentimentos") pode parecer
óbvia, mas não é assim que a maioria de “Enquanto eu ouvia o programa de áudio
nós vive. Vivemos em uma cultura que em meu caminhão, algo interessante
lida principalmente com sentimentos em aconteceu comigo. Eu estava ouvindo
ambas as extremidades de um amplo ruídos estranhos de que não gostava,
espectro. Em um deles, negamos nossos então fui até o posto de gasolina mais
sentimentos e o efeito que eles têm em próximo e estacionei. Eu tinha acabado
nossos processos de pensamento de discar o número do telefone da
racional, nossa saúde ou nossa garagem para enviar um trailer para mim,
experiência de vida. No outro extremo, quando um homem veio correndo e disse:
nós os divinizamos, dando uma
'Seu caminhão está pegando fogo!' Então
importância exagerada às supostas
ele pegou um extintor de incêndio,
mensagens que vão transmitir e o que
significam sobre quem somos. quebrou a tampa e apagou o fogo antes
que eu pudesse reagir. Normalmente sou
A ideia de agir racionalmente e a de não uma pessoa que fica tranquila diante dos
negar nossas emoções têm seu ponto de problemas, mas, nesse caso, era como se
vista verdadeiro. No entanto, a maioria de eu fosse um observador de algo que
nós se perde e perde a capacidade de aconteceu com outra pessoa.
decidir em cada uma dessas ideias. —Victoria Menear, Pleasant
Dependendo de como nossa mente Hill, Califórnia
racional interpreta nossa entrada
sensorial em um determinado momento,
muitas vezes podemos oscilar entre uma
ideia e outra.
A maioria de nós tende a identificar nossas emoções como se fossem quem somos. Como
disse na Introdução e no Capítulo 1, essa identificação é encontrada até mesmo em nosso
modo de falar, por exemplo, quando dizemos que "estamos com raiva" em vez de "estamos
com raiva". É a nossa identificação com os sentimentos que muitas vezes o torna mais difícil
do que deveria

49

seja o ato de liberá-los. Temos a tendência de nos apegar à nossa identificação com
um sentimento porque pensamos: "É o que eu sou." Cremos: "Eu sinto, logo existo."
Do ponto de vista da libertação, as coisas não são assim. A segunda parte da
afirmação ("Eles não somos nós") nos lembra que esta é uma identificação falsa.
Recomendo que você examine essa ideia por si mesmo. Pense se é mais preciso
observar que os sentimentos vêm e vão, enquanto você realmente sempre
permanece.
Se você não tem certeza de quem é além de seus sentimentos ou emoções, deixe as
coisas como estão por enquanto. Conforme você explora o Método Sedona e começa
a praticar a liberação ao longo do dia, você revelará sua verdadeira natureza que está
por trás das limitações auto-impostas criadas por nossos sentimentos.
Quando você se sentir perdido na identificação com um sentimento, pode se
perguntar: "Sou este sentimento ou apenas tenho um sentimento?" Esta pergunta
simples pode ajudar você a se diferenciar de uma identidade falsa. Você também
pode usar a pergunta da primeira etapa do Método, “O que estou sentindo?” Para
ajudá-lo a reconhecer que você não é o sentimento. Acontece que você tem um
sentimento. Isso abre a oportunidade de deixar ir.
Ao avançar na análise da afirmação anterior, chegamos a "Eles não são fatos". Já lhe
ocorreu que achava que estava certo - que pensava, por exemplo, que alguém que
você conhece gostava de você - apenas para descobrir depois que o oposto era
verdade? Ou você nunca teve certeza de que algo iria dar errado, para que mais tarde
tudo desse certo? Eles são apenas dois exemplos de como nos relacionamos com as
informações que recebemos de nossos sentimentos. Vivemos em um mundo de
coisas e ideias que são suposições, acreditando que nos relacionamos com os fatos.
De certa forma, nossos sentimentos nada mais são do que histórias que criamos
sobre um determinado conjunto de sensações. Muitas vezes, senão sempre, essas
histórias vêm quando o sentimento já surgiu em nossa consciência. Em seguida, os
usamos para explicar por que nos sentimos assim.
Tratar os sentimentos como fatos pode ser um problema, porque muitas vezes não
percebemos que tomamos algo como certo até que seja tarde demais. A essa altura,
já tomamos uma decisão que nos parecia razoável, mas então vemos que foi baseada
em uma reação emocional automática.
A última parte da declaração se concentra no assunto deste livro: "Podemos deixar ir."
Quanto mais você aceita e usa sua habilidade natural de liberação, mais cada parte
de sua experiência será transformada.

Comprometa-se com o seu crescimento

Antes de passar para o próximo capítulo, aconselho você a praticar a liberação dos
nove estados emocionais mais algumas vezes. Cada vez que reler este capítulo, você
obterá mais informações e se aprofundará no uso do Método. Aproveite a
oportunidade para examinar sua vida de uma nova perspectiva de alta e baixa
energia, e observe como diferentes estados emocionais afetam sua vida. Além disso,
faça o possível para incorporar mais plenamente o processo de liberação em sua
vida. Usar o Método ao longo do dia é quando a tarefa se torna mais árdua. Mas é
assim que você começará a ver os resultados profundos discutidos neste livro.

cinquenta

Gráfico dos nove estados emocionais

Seu roteiro para a liberdade emocional

Apatia Dor Com medo Desejo Vamos para


Sair Ninguém Ameaçado Hoarder Aquecido
Sobrecarregado eu importo Apreensivo Alheio a quê Agressivo
Entediado Abandonado Assustado rodeia Nervoso
Sonolento Abatido Apavorado Ânsia Prestes a explodir
Exausta Acusado Apanhado Compulsivo Amargurado
Isolado Exausta Envergonhado Consentimento em Queimando
Torpid Angustiado Cauteloso excesso Beligerante
Preso Saudade Covardia Selvageria Abrupta
Sentenciado á Desculpe Contido Cruel Cáustica
fracasso Atormentado Suspeito Egoísta Com ciumes
Também Chocado Desejos de Inveja Colérico
cansado Culpado escapar Exigente Desafiador
Depressivo Desapontado Desesperado Explosivo Cruel
Derrotado Desconsiderado Dúvida Frenesi Destrutivo
Desanimado Desconsolado Cético Frustrado Frágil
Fora do centro Desespero Evasivo Glutão Argumentativo
Negligenciado Dor Histérico Fome Durado
Apático Trapaceado Horrorizado Impaciente Animado
Desespero Ferido Tímido Impulsivo Nervoso
Desapontado Ignorado Incerto Insaciável Exigente
Desmoralizado Impotente Agitado Insensível Explosivo
Sombrio Incompreendido Inseguro sensual Frustrado
Desperdiçado Inconsolável Irracional Libidinoso Furioso
Insignificante Inepto Mau pressentimento Licencioso Furioso
Distraído Infeliz Susto do palco Manipulador Hostilidade
Inveterado Pena Náusea plotter Tímido
Dormente Doeu Nervoso Significar Impaciência
É muito tarde Luto Obcecado Não posso esperar Indignado
Fracasso Choroso Pânico Nunca é Impiedoso
Frio Maltratado Paralisado o suficiente Instintos assassinos
Impotente Exilado Paranóico Obcecado Colérico
Impreciso Melancolia Cauteloso Obcecado Irritado
Incorrigível Ninguém me ama Preocupado Perverso Louco
Indeciso Não desejado Suspeito Possessivo Indelicado
Indiferente Não tem direito Reservado Prepotente Malicioso
Insensível Não querido Supersticioso Previsão Significar
Sem utilidade Nostalgia Suspeito Quer Teimoso
Invisível Esquecido Tremendo Voraz Odiar
Morto Dor Tenso Sempre Perverso
Negativo Perdido Terror insatisfeito Petulante
eu não ligo Pesar Tímido Tortuoso Prepotente
Não me importa Pobre de mim Hesitante Imprudente Fúria
Não posso Porque eu? Vulnerável Tenho que Rebelde
não consigo ganhar Rejeitado  
possua Ressentimento
Esquecido Relegado  
Voraz Rigoroso
Fracassado Remorso Selvagem
   
Perdido Se pelo menos ...    
Forte
Preguiçoso Torturado    
Agitado
Por que Traído    
Cabeça dura
tentar? Triste    
Vingativo
Qual sentido Tristeza    
Vicioso
Tem? Vulnerável    
Violento
Resignado      
Vulcânico
Choque nervoso        
Sem graça        
Vamos esperar        
Vão        

51

Orgulho Coragem Aceitação Paz


Absorto em si mesmo Aberto Aberto Alheio ao tempo
Entediado Acessível Abundância Calmo
Apegando-se às suas ideias Afetuoso Afetuoso Centrado
Isolado Agudo Grato Consciência
Arrogante Feliz Feliz Integridade
Arrogante Apaixonado Queimando Espaço
Autoritário Ousado Harmonia Para sempre jovem
Fechadas Autossuficiente Harmonioso Eterno
Acreditava Capaz de recuperar Espanto Identidade
Crítico Centrado Bem estar Ilimitado
Desdém Clareza Caloroso Livre
Depreciativo Compaixão Compaixão Claro
impertinente Competente Misturado Perfeição
Distante Com visão de futuro Considerado Completo
Dogmático Confinado Cortes Puro
Egoísta Consciente Deleite Realizado
Pretensioso Criativo Educado Resplandecente
Esnobe Decidido Empatia Ser estar
Especial Acordado Enriquecido Serenidade
Estóico Dinâmico Equilíbrio Sedate
Falsa dignidade Disposto Eufórico Sou
Falsa humildade Entusiasmado Jeitoso Tudo
Virtude falsa Esplêndido Indulgente Quieto
Fanfarrão Espontâneo Ingênuo  
Frio Estábulo Integrador  
Hipócrita Estudioso Intuitivo  
Destemido Euforia Brincalhão  
Implacável Feliz Magnânimo  
Inexorável Empresa Nada para mudar  
Inflexível Flexível Naturalidade  
Insensível Forte Participante  
Inteligente Honroso Plenitude  
Intolerante Humor Radiante  
Irrepreensível Impaciente Certo  
Cheio de preconceitos Incansável Confidencial
Estragado Independente Legal  
Melhor que você Inteligente Sedate  
Nunca errado Iniciativa eu tenho  
Teimoso Integridade Macio  
Paternalista Audacioso Tudo vai bem  
Petulante Invencível    
Presunçoso Lúcido    
Reto Motivado    
Gloat Objetivos claros    
Rígido Otimista    
Smarty Perspectiva    
Santurrón Positivo    
Satisfeito consigo mesmo Posso    
Sentencioso Receptivo    
Superior Resolvido    
Cabeça dura Certo    
Vão Confidencial    
 
Solícito    
 
Vigoroso    
 
vivo    

       

52

Elimine sua resistência


Em vez de permitir que o fluxo da vida nos leve aonde queremos ir, a maioria de nós
passa muito tempo nadando contra a corrente. Presumimos que, para conseguir o
que queremos, temos que trabalhar duro e lutar contra as águas que nos carregam. E
se não fosse assim? E se pudéssemos realmente usar o fluxo natural da vida para
nos ajudar a ter o que desejamos? Sem dúvida você já experimentou o que é estar no
meio do fluxo. Pense em um dia em que tudo correu perfeitamente. Parecia que você
estava no lugar certo, na hora certa e fazendo a coisa certa. Agora pense em um dia
TÍPICO. Qual preferes? O maior obstáculo para permanecer no fluxo do dia, e todos os
dias, é se opor ao que é.
A boa notícia: você pode abrir mão da resistência como faz com qualquer outro
sentimento.
A resistência nos impede de avançar em todos os aspectos de nossa vida,
especialmente nos de crescimento pessoal e felicidade. Se você leu até aqui, já terá
passado pela experiência de muitas vezes liberar sentimentos. Provavelmente, você
percebeu que em certos momentos está disposto a liberar sem qualquer hesitação,
enquanto em outros é mais fácil abandonar o livro e fazer outra coisa - qualquer outra
pessoa . É justamente esse tipo de resistência que nos impede de perseverar em
nossas boas intenções, mesmo quando se referem a uma atividade tão claramente
benéfica quanto o trabalho que fazemos neste livro.
É importante observar que abrir mão da resistência não significa que você deva
permitir que os outros o controlem. Você pode continuar defendendo a coisa certa
sem qualquer resistência. Se você já praticou artes marciais, como aikido, caratê,
taekwondo, você sabe que se bater em alguém com o punho fechado, você se
machucará. Mas se você relaxá-lo um pouco - deixando-o sem resistência - você terá
muito mais poder e muito mais força. Quem pratica artes marciais sabe que quando o
oponente te ataca, se você não resistir , pode usar essa energia contra ele. A mesma
coisa acontece toda vez que você libera o sentimento de resistência. Você tem mais
força com menos esforço e mais resistência e resiliência emocional.
O que é resistência?
Você já começou um trabalho com uma exaltação fanática e, a certa altura, perdeu o
entusiasmo? Isso é resistência. A resistência é completamente insidiosa. É uma das coisas
que mais nos impede de ter, fazer ou ser o que queremos na vida. Na verdade, muitas vezes
resistimos ou nos opomos a coisas que realmente gostamos e com as quais nos
preocupamos. E o fato de alguém nos dizer para fazer algo seguro se torna um gatilho para
resistência. Isso pode aparecer mesmo quando gostaríamos de fazer o que nos dizem para
fazer. A resistência pode se sabotar e ser contraproducente, ela atua constantemente, pois
vivemos em um mar de "devo", "eu tenho que",
" Deve" e outros imperativos. Sempre que há um imperativo, surge uma resistência. Quando
te dizem que você deve fazer algo, ou que você tem que fazer algo, o que você sente por
dentro? "Que não! Não me diga o que fazer! A mesma coisa acontece quando você diz a si
mesmo o que fazer. Se você disser a si mesmo: "Você tem que consertar as contas", o que
acontece? Certamente você vai responder: "Ah, sim?" Ou se disser a si mesmo «É melhor não

53

faça isso ”, referindo-se a um hábito que você deseja abandonar, você pode se ver
fazendo isso sozinho e com maior intensidade ou frequência. Esta é a nossa mente.
Nós simplesmente não gostamos que nos digam o que fazer. No entanto,
continuamos dizendo a nós mesmos, e então nos perguntamos que não estamos nos
divertindo e com as coisas que não são feitas.
A primeira vez que me lembro da intervenção da resistência em minha vida, era muito
jovem. Um padrão de resistência começou um dia, quando me senti retraído e não
queria sair para brincar. Adoro sair para brincar com meus amigos na rua onde
morava, mas naquele dia queria ficar sozinha e brincar com meus brinquedos. Mas
ficar sozinha irritou minha mãe, então ela insistiu que eu fosse brincar com as
amigas. Como essa situação se repetiu várias vezes consecutivas, logo se tornou um
assunto de discussão entre mim e minha mãe. Sem perceber, minha mãe me levou a
resistir a brincar com meus amigos. Eu só sentia oposição aos seus deveres , mas
por muitos anos pensei que não gostava de brincar com os outros, o que
simplesmente não é verdade.
A resistência se manifesta de muitas maneiras, algumas delas muito sutis. Talvez
você se esqueça de coisas que são importantes para você. Ou talvez você veja que,
aos poucos, está se afastando das coisas que são realmente úteis para você.
Suponha, por exemplo, que você faça a liberação muito bem. Você gosta e acha que é
a melhor coisa que já foi inventada depois do pão fatiado. Então, depois de alguns
dias, algumas semanas ou alguns meses, você tem dificuldade em se convencer a
fazê-lo, embora já tenha tido a experiência de como isso é útil para você. O que
aconteceu? Você encontrou a resistência. Provavelmente, você fez do lançamento um
"deveria". Em situações como essa, o "deveria" cria uma força oposta igual ou maior
do que a força que você exerce ao tentar fazer algo acontecer.
A seguir estão algumas definições de resistência que podem ajudá-lo a reconhecê-la:
* Resistência é como querer avançar no freio.
* Sempre que você pensa que deve ou tem que fazer algo, você está em um estado
de resistência.
* Resistência é a oposição à força, real ou imaginária.
* A resistência está empurrando o mundo para que ele empurre na direção oposta.
* Sentir ou pensar "Não consigo" é resistência. Requer um esforço consciente para
superar o esforço inconsciente (o hábito) de reprimir sentimentos. Este hábito
inconsciente é resistência.
* Resistance é apenas mais um programa que fizemos para proteger outros
programas. (No Capítulo 12, explicarei o que são os programas e como eles nos
afetam).
* Resistência é quando ainda não decidimos fazer ou não fazer algo, mas em todo o
caso fazemos e é difícil. Para tornar mais fácil para nós, tudo o que precisamos fazer
é decidir fazer e fazer - ou decidir não fazer e não fazer.

Resistência de liberação

Para liberar a resistência sempre que perceber que está sentindo isso, você pode usar o
processo básico de liberação de três etapas que aprendeu no Capítulo 1. Você mesmo pode
ler as perguntas ou pedir que alguém as analise para você.

Passo 1. Permita-se aceitar a resistência neste momento.


Etapa 2. Faça a si mesmo uma das três perguntas a
seguir: Eu poderia me livrar dessa resistência?
Você poderia me permitir sentir a resistência agora? Você
pode aceitar o sentimento de resistência?
Em seguida, pergunte:
Você faria isso?
Quando?

54

Etapa 3. Repita as duas etapas anteriores quantas vezes forem necessárias, até se
sentir à vontade.

Quando você realmente compreender


que pode abandonar a resistência, “Durante 30 anos, foi necessário muito
verá que o faz sem ter que pensar esforço para limpar o meu apartamento.
demais. Como sempre, pense que Odiei o momento em que tive que enfrentar
"sim" e "não" são respostas aceitáveis. o problema. Hoje estou 100% motivado a
Muitas vezes você vai desistir, mesmo jogar fora tudo o que não serve mais. Pela
se disser "não". Portanto, responda às primeira vez na vida, posso dar dois passos
perguntas que você escolher sem seguidos no quarto sem tropeçar em nada.
parar muito para pensar sobre elas, Ele sempre deu a desculpa de que não tinha
não queira criticar a posteriori ou tempo. Mas hoje tenho quatro empregos
entrar em um debate interno sobre os diferentes, que me ocupam cerca de 80
benefícios de liberar sua resistência horas por semana, mas ainda tenho força e
ou as consequências de liberá-la. Seja tempo para limpar. E não é que eu seja um
qual for sua resposta, vá para a jovem com uma energia ilimitada. O que eu
próxima etapa. tenho, e o que o Método Sedona me deu, é
Os resultados podem ser sutis no a liberdade para fazer isso. "
início. No entanto, eles se tornarão
aparentes muito em breve,
especialmente se você for constante. -Terence O'Brien. Tóquio, Japão)
Você pode descobrir que tem várias
camadas de resistência em relação a
uma determinada questão, de modo
que a liberação completa pode
adquirir
às vezes. No entanto, cada camada que você solta desaparece em seu benefício.
Jane leciona cursos de gerenciamento de tempo em empresas há anos. Mas sua
própria capacidade de procrastinar permanece, como ela diz, "viva e bem". Porém, em
vez de se punir por esse hábito, é muito mais fácil para ele abrir mão da resistência,
que faz parte de deixar tudo para o amanhã. Ele pergunta:
Você poderia aceitar o quanto eu não gosto dessa tarefa horrível? Então, para começar,
escolha pequenos fragmentos da tarefa e observe-a ganhar velocidade. Não, você
nem sempre avança com coros de anjos cantando nas suas costas, mas avança com
mais facilidade. A verdade está desbloqueada.
“Como qualquer outra coisa, abrir mão da resistência não vai funcionar, a menos que
você realmente faça isso”, diz Jane. Mas quando você faz isso, é uma técnica
perfeita. Então, há uma sensação de movimento e uma mudança de perspectiva. '

Três outras maneiras de eliminar a resistência.

Todos nós carregamos resistência em nossos ombros, então podemos procurar


coisas em nosso ambiente contra as quais resistimos e das quais podemos nos
livrar. Tente o seguinte

1. Olhe ao redor da sala onde você está agora e pegue qualquer coisa.
2. Concentre sua resistência nele e pergunte-se: Eu poderia sentir tanta resistência
quanto possível a esse objeto?
3. Em seguida, siga os três passos básicos para libertá-la: Posso libertá-la? Eu faria?
Quando?
4. Repita este exercício várias vezes seguidas e, a seguir, continue o que estava
fazendo. Você verá que todas as coisas em sua vida se tornarão mais fáceis quanto
mais você liberar a resistência.

55
É um ótimo exercício para quando você tem tempo no trabalho, em trânsito ou
sempre que quiser se sentir mais relaxado e com disposição para "levantar e
caminhar".
Outra ótima maneira de liberar a resistência é admitir que, quando você se opõe a ter,
ser ou fazer algo, provavelmente também se opõe a não ter, ser ou fazer algo. Quando
isso acontece, o seguinte processo se aplica:

1. Pense em algo que você está


relutante em fazer. Agora pergunte a si
mesmo:
Eu poderia me permitir abandonar minha resistência
para fazer ...? Eu faria?
Quando?
2. Em seguida, pergunte-se o contrário:
Você poderia me permitir deixar ir minha resistência
em não fazer ...? Eu faria?
Quando?
3. Continue repetindo os dois primeiros conjuntos de perguntas até sentir que a
resistência desapareceu. Então veja como você faz facilmente o que tinha que fazer.

Este mesmo processo serve para liberar em coisas que você resiste ter ou ser.
Simplesmente substitua as palavras have ou be pela palavra do .
Você se pergunta como pode colocar essa técnica em prática em sua vida? Vejamos
duas possibilidades. Suponha que você resista a não ter dinheiro, um sentimento
muito comum, sem dúvida. Pense que provavelmente você também resiste a tê-lo. Se
não o fizer, provavelmente terá mais do que o suficiente. Ou suponha que você resista
a ficar sozinho, a não ter um relacionamento. Libere os dois lados dessas questões e
veja o que acontece em sua vida. Acho que uma agradável surpresa espera por você.
Muitas vezes, quando tentamos nos libertar e falhar, sabemos que estamos batendo
em um muro de resistência. Se é isso que está acontecendo com você, outra maneira
de abordar o problema é permitir-se agarrar-se à sua resistência teimosa. Uma vez
que você tenha se dado permissão para fazer o que já está fazendo, espaço
suficiente será criado dentro de você para você se soltar. Pergunte a si mesmo: você
poderia me dar permissão para esperar um momento? Muitas vezes acontece que,
neste ponto, a pessoa se liberta espontaneamente. Mas se a resistência não for
totalmente liberada, volte às três questões básicas de liberação: Posso deixar de
segurar? Eu faria? Quando? Você pode alternar várias vezes, concedendo a si mesmo
para esperar e permitir-se deixar ir em uma base regular.

Bob se define como uma pessoa que tem muitos problemas com resistência.
“Normalmente, sou determinado e firme, mas alguns dias atrás tive um dia em que
não conseguia decidir nada. Era como se o lápis estivesse preso a um leque. No final,
resolvi deixar o lápis preso ali, e a situação foi resolvida imediatamente. Bob
geralmente vê sua resistência desaparecer quando ele mergulha nela, ou se pergunta:
Será que eu poderia simplesmente me permitir oferecer toda a resistência que estou
apresentando?

A exploração: entrar em contato com a resistência.

Durante os cursos do Método Sedona, muitas vezes realizamos um exercício simples, mas
poderoso, projetado para nos ajudar a entender como é a resistência no reino físico. Quanto
melhor soubermos como nos conectar com a sensação de resistência, mais fácil será
abandonar. Portanto, eu recomendo que você faça este exercício

56

mais com o coração do que com a mente. Em outras palavras, não tente encontrar o
resultado correto . Não existe.
O exercício pode ser feito de duas maneiras. Na primeira versão, faz-se. Na segunda,
é feito com outros colegas. A maioria das pessoas acha útil abandonar a resistência
e os sentimentos por trás dela.

Explore apenas a resistência física.

Para começar, coloque as mãos à sua frente como se estivesse orando, as palmas se
tocando. Decida arbitrariamente qual mão empurrar e qual mão resistir. Seja qual for
a sua decisão de empurrar, empurre suavemente contra o outro, que resiste, e faça
com que fique na posição.
Ao fazer isso, permita-se experimentar o melhor que puder para resistir.
Em seguida, libere a resistência à pressão sem tentar controlar ou fazer nada em
particular com as mãos. Deixe-os fazer o que quiserem.
Repita este exercício várias vezes, alternando as mãos de empurrar e resistir, e
observando seus sentimentos ao liberar.
Quando terminar, passe algum tempo refletindo sobre o exercício e usando o
processo básico de liberação para liberar quaisquer pensamentos ou sentimentos
que surgirem.

Explore a resistência física com um parceiro.

Nesta versão do exercício, lembre-se que é uma exploração, e não para ver quem é
mais forte ou pode derrubar o outro. É muito importante nunca fazer nada que possa
machucar emocionalmente seu parceiro.
Para começar, vocês se encaram e se olham nos olhos. Decida quem vai empurrar e
quem vai resistir. Neste exemplo, vamos supor que seu parceiro empurra. Em
seguida, estendendo ambos os braços para os lados, junte as palmas das mãos.
Agora seu parceiro empurra suavemente suas mãos. Você apenas resiste ao
empurrão, mantendo as duas mãos firmes. A pressão aplicada deve ser forte o
suficiente para que vocês dois sintam a resistência, mas não tão forte que a pessoa
que está resistindo tenha medo de cair.
Enquanto seu parceiro empurra suas mãos, permita-se entrar em contato com a
sensação de resistência. Em seguida, libere a resistência com o melhor de sua
capacidade, sem tentar controlar ou fazer nada em particular com as mãos. Deixe-os
fazer o que quiserem.
Em seguida, troque os papéis e repita o exercício. Aquele que pressionou antes agora
resiste, e vice-versa. Troque de papéis várias
«Com o Método Sedona à vezes, até que vocês dois tenham uma ideia
minha disposição, já não me clara de como é resistir e abandonar a
sinto impotente quando resistência.
sentimentos negativos. Tenho Durante este exercício, você pode descobrir
uma ferramenta para me forçar padrões em você mesmo e nos outros que estão
a entrar em uma espiral que relacionados à resistência. Esteja confiante para
afunda e até mesmo mudar compartilhar suas descobertas com seu parceiro
minha maneira de pensar. após terminar o exercício, mas evite iniciar um
debate intelectual. Eles devem apoiar um ao
--Dr. Saul Weiner, Buffalo outro, por sua vez, liberando tudo o que surgir.
Grove, Illinois.

57

Liberação escrita: folha


"Coisas que eu tenho que fazer"

O processo a seguir foi desenvolvido para ajudá-lo a liberar sua resistência. É fácil de
usar. Para se preparar, faça duas colunas em uma página em branco de seu diário de
libertação. A primeira coluna é chamada de "Coisas que acho que tenho que fazer." A
segunda: «O que sinto agora? ».
Comece fazendo uma lista na primeira coluna de tudo que você acha que "tem" a
fazer.
Em seguida, pegue cada uma dessas coisas ou itens e escreva como você se sente
sobre isso AGORA. Pode ser que mais de uma emoção esteja envolvida. Ao fazer esta
exploração, verifique especialmente se há resistência, bem como quaisquer outros
sentimentos que possam surgir.
Em seguida, libere completamente cada sentimento - e qualquer resistência. Assim
que estiver totalmente liberado, você pode colocar uma marca de seleção ao lado
desta seção ou riscá-la.

COISAS QUE PRECISO FAZER.  

Coisas que eu acredito O que é AGORA meu


oque tenho que fazer sentimento sobre isso?
Pagar as contas Raiva eu
Limpar a casa Depressivo
Ir trabalhar Cansado L
Ser amável Com medoeu

Repita os passos acima e continue liberando o que você sente AGORA, até que esteja
totalmente liberado nessa seção da primeira coluna. Lembre-se também de liberar os
chamados sentimentos positivos, para que possa passar para estados de energia
superiores.

O processo de abrir mão da resistência.

Você pode usar este processo para começar a liberar ou continuar a liberar sua
resistência. Pode ser aplicado a um determinado tópico que você escolher na folha
"Coisas que acho que preciso fazer" acima, ou você pode usá-lo simplesmente para
se libertar daquela atração interior que todos experimentamos como resistência.
Você pode ler as perguntas sozinho ou pedir a alguém que compartilhe o processo de
liberação para lê-las para você. A propósito, ao liberar sozinho, você tem a opção de
substituir o pronome pessoal da primeira pessoa, "eu", pela segunda pessoa, "você",
se isso fizer com que o processo pareça mais natural para você.
Para começar, pense em algo que você acha que deve fazer, precisa fazer ou é
importante para você fazer, qualquer uma dessas possibilidades. Veja como você
pressiona dentro de si mesmo quando pensa sobre isso, como você empurra.

58

Você poderia aceitar esse sentimento de resistência? Você poderia simplesmente


permitir que ele estivesse lá?
Então você poderia deixar
pra lá? O Farias?
Quando?
Agora pense no mesmo ou em algo diferente que você acha que é muito importante
fazer, ou que alguém lhe disse que você deveria fazer - por exemplo, perder peso,
parar de fumar, ganhar mais dinheiro, pagar suas contas ou quitar dívidas. Observe
que isso cria imediatamente resistência dentro de você.
Você poderia aceitar esse sentimento de
resistência? Então, você poderia deixá-lo ir?
O Farias?
Quando?
Em seguida, pense em outra coisa em sua vida a que você resiste. Também
tendemos a resistir às coisas que temos que fazer repetidamente, até mesmo coisas
tão simples como escovar os dentes, levar o lixo para fora ou cortar a grama. Para
muitas pessoas, as tarefas de manutenção que fazemos com frequência, como lavar
louça, são palavrões. Sinta realmente o que significa resistir. Aceite isso. Que esteja

Então você poderia deixar
pra lá? O Farias?
Quando?
Encontre algo mais em sua vida que você resista. Existem certas sensações às quais
nos opomos, como ruídos muito altos ou luzes muito brilhantes, ou certas inflexões
da voz das pessoas, até mesmo certos cheiros. Encontre algumas dessas coisas às
quais você resiste.
Você poderia aceitar essa resistência em sua
consciência? Então você poderia deixar pra lá?
O Farias?
Quando?
Também resistimos a certas pessoas. Agora pense em alguém em sua vida a quem
você se opõe. Lembre-se de que resistência não significa que você não se importe
com essas pessoas. Às vezes, até resistimos àqueles que queremos. Você pensa em
alguém? Pode ser um parente parente - algo bastante comum - ou outra pessoa ao
seu redor.
Você poderia permitir essa resistência em sua
consciência? Você poderia aceitar isso?
Então você poderia deixar
pra lá? O Farias?
Quando?
Outra coisa importante a que resistimos são nossos sentimentos. Muitas vezes não
queremos sentir o que sentimos, especialmente se o descrevemos como
"desagradável". A maioria das pessoas resiste a certas emoções mais do que outras,
como medo ou raiva. Neste momento, você sente que está resistindo a certos
sentimentos?
Você poderia permitir essa resistência em sua
consciência? Você poderia se permitir resistir um
momento?
Então você poderia deixar
pra lá? O Farias?
Quando?
Agora pense em algo que você reluta em fazer para achar que isso o diverte.
Curiosamente, muitos de nós resistimos às coisas que nos são benéficas, que
gostamos de fazer. Ainda existem dúvidas. Portanto, pode parecer que nunca
encontramos tempo para atividades prazerosas.
Você poderia se permitir sentir a resistência? Aceite em sua consciência

59

Então você poderia deixar


pra lá? O Farias?
Quando?
Também resistimos ao nosso corpo - certas sensações ou sua aparência. Mesmo
quando estamos com o peso ideal (como se isso fosse possível em nossa cultura
obcecada por peso), a maioria de nós é obcecada por quilos e nossa aparência, e seja
o que for, resistimos, mesmo que tenhamos um ótimo dia. Portanto, procure algo em
seu físico que você resista, algo em seu corpo, seja sua aparência, como você o sente
ou algo semelhante.
Apenas aceite a resistência em sua consciência.
Você poderia deixá-la ir?
O Farias?
Quando?
Qualquer um dos tópicos acima seria ótimo para uma discussão mais detalhada. Use
este processo sempre que sentir que está resistindo ou gostaria de se integrar melhor
ao fluxo da vida.

Fique no riacho.

Se não houvesse resistência, todos nós nos libertaríamos em nenhum momento.


Portanto, é importante que continuemos a liberar constantemente a resistência, para
permitir que nossos sentimentos aflorem e se dissipem. À medida que você continua
lendo este livro, trabalhando no processo descrito nele, lembre-se de liberar
resistência sempre que se sentir preso.
Aqui estão três dicas importantes para lidar com a resistência e se manter atualizado:

• Peça, não imponha. Já falamos sobre o que acontece quando alguém lhe diz que você
tem que fazer ou deveria fazer algo. Provoca resistência imediatamente. Quando você é
quem manda, seus imperativos também geram resistência nos outros. Portanto, seja
inteligente. Evite causar resistências desnecessárias nos outros e, por isso, em vez de
dizer-lhes coisas, pergunte-lhes. Se você adquirir esse hábito, verá que terá muito mais
cooperação. Nesse sentido, também gostaria de recomendar que você se comunique
consigo mesmo dessa mesma forma, para obter mais colaboração e menos resistência
de dentro.

• Faça o que você faz e não faça o que não faz. Muitas vezes pensamos que deveríamos
estar fazendo algo diferente do que estamos fazendo, ou que deveríamos estar fazendo
algo que não estamos fazendo. A maneira de resolver o dilema é permitir-se fazer o que
está fazendo quando o faz, e não fazer o que não está fazendo quando não o está
fazendo - sem o peso da dimensão extra de "deveria". Sempre que você encontrar o
"deveria", reserve um minuto para liberar sua resistência.
Lembre-se de que isso não significa que você deva ficar preso à rotina. Na
realidade, você alcançará o oposto. Ao abandonar os "deverias" e a resistência
correspondente que eles geram, você descobrirá que faz facilmente o que está
fazendo, sem ficar obcecado com o que não está fazendo. Isso inclui tudo o que
você tentou ou deixou de fazer. Você vai sair da rotina que a resistência criou em
sua vida.

• Diminua a pressão. Você acha difícil o que está fazendo? É um sinal claro de que você se
chocou contra a sua própria resistência. Você provavelmente está se esforçando ou
sentindo a pressão de outra pessoa. No primeiro caso, tome uma decisão consciente de
remover a pressão. O resultado será que você provavelmente descobrirá que consegue
fazer muito mais fácil, rápido e ainda mais eficiente e divertido o que está tentando fazer.
O seguinte é um fato

60

interessante: você não pode sentir que os outros o pressionam. Você só pode
sentir que empurra de volta. Portanto, se você acha que outras pessoas estão
pressionando você, deixe de lado seus sentimentos de querer retribuir a pressão
ou resistir à pressão. A consequência será que você observará que tudo o que
fizer será feito com muito mais facilidade e graça.

Antes de passar para o próximo capítulo, discuta como a resistência bloqueia as


intenções que você escreveu no final do Capítulo 1. Ao liberar sua resistência nessas
áreas, comece a notar a facilidade e a fluidez que estão sempre presentes, bem como
a maior facilidade e fluidez que estão sempre presentes, além da maior facilidade e
fluidez que se manifestam quando você libera a resistência.
Quanto mais você praticar o abandono da resistência, melhor se sentirá e mais fácil
será sua vida.
A resistência pode ser um grande obstáculo para ter o que você quer e sentir da
maneira que deseja. Mas você pode facilmente abandonar isso e desfrutar dos
benefícios de uma vida sem resistência e cheia de todos os seus desejos.
61

Sua chave para a serenidade


Você provavelmente já ouviu a Oração da
Serenidade. E se você for como a maioria de nós,
"Conceda-me, Senhor, a
vai perceber que às vezes fica esperando por uma
serenidade para aceitar as
resposta. Bem, aqui está! Ao fazer o que é dito
coisas que não posso mudar, a
neste capítulo, você descobrirá uma maneira de
coragem para mudar as coisas
aceitar as coisas que não pode mudar. Você verá
que posso mudar e a sabedoria
que está mudando com facilidade e coragem tudo
para ver a diferença"
que precisa ser mudado em sua vida. E, além disso,
Oração da Serenidade,
você terá a sabedoria de distinguir entre as duas
Reinhold Niebuhr
situações ao seu alcance.

Qual é a resposta? É tão simples que você pode ficar desconcertado: abrir mão do
sentimento de querer mudá-lo - e esse "isso" se refere a qualquer coisa em sua vida,
ou que esteja dentro de sua experiência pessoal, que você não goste e deseje ser
diferente de como é, incluindo eventos do passado. É uma solução que, se mantiver
uma atitude aberta à sua elegância e simplicidade, tem o poder de libertar.
Como o desejo de mudar as coisas nos ajuda? Além do benefício óbvio de nos
sentirmos melhor à medida que nos soltamos, existem outros. Vamos começar
examinando a aceitação. Nem sempre é fácil aceitar o que não podemos mudar. A
mente se rebela contra essa ideia. No entanto, quando deixamos de lado o desejo de
mudar as coisas como estão, naturalmente passamos a um estado de maior
aceitação, sem ter que nos esforçar para que isso aconteça.
Quando se trata de coisas para mudar, examine sua experiência pessoal. Reveja
rapidamente sua vida e faça uma lista mental de tudo que você gostaria de mudar. É
provável que seja um relacionamento extenso e muito de seu conteúdo tem uma
longa história. Até agora, muitas coisas que você queria mudar não mudaram,
mudaram? Embora a mente nos diga que o desejo de mudar alguma coisa realmente
a muda, ou que querer mudar o que precisa ser mudado nos fará começar a trabalhar
nisso, na maioria dos casos, acontece o contrário. Quando nos concentramos no
desejo de mudar um problema, nossa consciência disso o faz persistir. Nós
mantemos o problema em mente, para mudar ou resistir a ele.
As coisas funcionam conforme explicado abaixo. Talvez tenhamos uma experiência
da qual não gostamos (o chefe grita conosco), ou alguém que amamos acontece
com alguma coisa (um amigo fica doente ou sofre um acidente), ou talvez não
gostemos das notícias que ouvimos naquele dia (O mercado de ações entra em
colapso). Portanto, queremos mudá-lo. Pensamos: "Espero que isso não aconteça
comigo" ou "Espero que isso nunca aconteça novamente" e é aí que ficamos presos.
A mente vê e cria imagens, por isso não traduz negociações com precisão - palavras
não ou nunca . O resultado é que ele interpreta nossas esperanças ao contrário e as
mantém assim.
Se você não acredita em mim, tente agora não imaginar um sapato. O que aconteceu?
Como acontece com a maioria de nós, você imediatamente perceberá um sapato em
sua mente. Quanto mais tentamos não criar o que não queremos, mais forte é a força
com que nos agarramos a essa ideia; então, maior a probabilidade de acreditarmos
em nossa realidade.

62

Qual é então a solução? Muito fácil. Livre-se da sensação de querer mudar alguma
coisa, e imediatamente as imagens indesejadas que você guarda em sua mente
desaparecerão; então você irá corajosamente trabalhar para mudar tudo o que
precisa ser mudado.
Finalmente, como podemos
distinguir entre o que podemos e o «O melhor método de Autoajuda que já vi.
que não podemos mudar? Este é um No início, usei o Método para me ajudar a
processo muito simples. Sempre que controlar minhas explosões de raiva.
você não tiver certeza se deve Quando criança, sofri abusos psicológicos.
mudar algo em sua vida ou deixar Tornei-me um conselheiro para ajudar
que continue como está, decida abrir outras pessoas que sofreram tanto ou mais
mão do sentimento de querer mudar. do que eu. Mas, apesar do meu treinamento
Se você se libertar desse e dos meus estudos, nada do que tentei
sentimento, e é algo que não pode teve o efeito desejado. Desde que aprendi
sobre o Método Sedona, percebi muitas
ser mudado, você verá que o aceita vezes as razões e os sentimentos por trás
como é, sem nenhum esforço. Por de meu comportamento destrutivo. Isso me
outro lado, se for algo que precisa deu a liberdade que sempre busquei.
ser mudado, o desapego o ajuda a Obrigado. Obrigado da minha família.
entrar em ação facilmente para Finalmente me encontrei ».
realizar uma mudança.
Teste esse princípio em sua vida e
veja o que acontece. Como em tudo -Donna B. Gisclair, Morgan City,
o mais que é dito neste livro, por Los Angeles
favor, não aceite apenas o que eu
digo.

Preso em um sentimento?

Abandonar o desejo de mudar o que você sente AGORA é a chave para alcançar a
serenidade quando foi difícil se libertar de certos sentimentos ou crenças, ou quando
você se sente inseguro quanto à liberação.
Quando hesitamos em abrir mão, geralmente é porque queremos permanecer no
controle. Esta etapa pode nos ajudar a liberar nossa necessidade de controle. No
Capítulo 4, discutimos diferentes processos para abandonar a resistência. Essa é
outra maneira de abordar o mesmo tipo de dilema. Você pode usá-lo como mais um
passo em qualquer ponto do seu processo de liberação, então, abandonar o desejo de
mudar as coisas funciona como uma válvula de escape para o Método.
Se você ficar preso, deixe de lado o desejo de mudar essa situação. Pergunte a si
mesmo: gostaria de mudar isso? A resposta será invariavelmente "sim". Então deixe ir.
O seguinte é um pequeno processo que você pode tentar. Leia as seguintes
perguntas na segunda pessoa (você poderia ...?) Ou na primeira pessoa (eu poderia
...?) Sempre que você tiver um problema para liberar ou sentir algo de que não gosta.
É um processo em que um parceiro também pode ajudá-lo.
Primeiro, veja se você se sente um pouco preso a alguma coisa em sua vida ou se
ficou paralisado em algum ponto do processo de desapego. Você poderia aceitar essa
sensação de congestionamento com o melhor de sua capacidade?
Em seguida, verifique se deseja alterar a situação do engarrafamento. Se sim, você
poderia se permitir ter essa sensação também?
Agora você poderia abandonar o desejo de mudar a
geléia? O Farias?
Quando?
Veja como você se sente agora. Você se sente tão preso quanto? Menos preso? Em
qualquer caso, ainda sente vontade de mudar?
Você poderia abandonar o desejo de
mudar isso? Você faria se pudesse?

63

Quando?
Mais uma vez, veja como você se sente por dentro. Se você esteve aberto a essa
experiência, provavelmente ela já o considera um pouco ou muito mais leve.
Agora, olhe para dentro de você novamente. Veja se ainda existe aquele desejo de
mudar a forma como você se sente. Se houver, você poderia abandonar o desejo de
mudá-lo? O Farias?
Quando?
Sim, liberar o congestionamento pode ser tão simples. É por isso que o aconselho a
cultivar o hábito de observar quando quiser mudar o que sente. Embora o processo
possa parecer muito óbvio para você, quando aprendi o Método pela primeira vez,
muitas vezes me esquecia que existia essa forma de deixar ir. Mas sempre que me
lembrava de me perguntar se havia algo que eu queria mudar - então consegui abrir
mão do desejo de mudar - aquela sensação que alguns minutos antes parecia
insuperável simplesmente desaparecia.
Os instrutores das primeiras aulas do Método Sedona que participei sabiam que era
uma maneira fácil de me libertar. Até se tornou uma piada entre eles. Primeiro, eu
passaria alguns minutos reclamando porque era um problema importante e de longo
alcance, eu estava trabalhando muito nisso, mas ele se recusava a desaparecer. Eles
me perguntaram se você gostaria de mudar isso? Isso costumava ser o suficiente para
me fazer liberar espontaneamente, muitas vezes com risos incontroláveis.
Lester Levenson encontrou nessa técnica uma das primeiras chaves para se libertar das
limitações internas. Ao descobri-lo, ele reviu sua vida e percebeu que queria mudar tudo, até
as coisas menores, como o fim dos filmes e eventos inconseqüentes de muitos anos antes.
Quando ela abandonou o desejo de mudar as coisas, ela foi capaz de remover facilmente
muitas de suas limitações internas e se sentiu muito mais feliz do que jamais sonhou. E não
parou por aqui, é claro ...

Frank: serenidade em meio ao caos.

Frank é um promotor que lida com crimes menores em um tribunal superior. Os casos
em que trabalha, diz ele, são como "gelo na geladeira" - infrações de trânsito e
pequenos furtos, principalmente. A agenda é sempre muito extensa, então o caos é
enorme. Antes, ele era facilmente agitado por tal atividade frenética. Mas desde que
ela estudou o Método Sedona alguns anos atrás, cuidar de todo aquele trabalho e das
diferentes personalidades daqueles que comparecem perante a Corte tornou-se
muito mais fácil e requer pouco esforço. O que muitos promotores levam horas para
resolver, Frank o faz com calma e em poucas horas.
Frank diz: “Um juiz me disse:“ A maioria dos promotores, quando interrompida,
precisa de tempo para se reorganizar. Se isso acontecer seis vezes, eles ficam
irritados. Se ocorrer 10, eles estão prestes a pular a jugular de alguém. Mas, no seu
caso, já o vi ser interrompido 40 vezes. Você ajudou a todos com calma, e então
imediatamente focou e recuperou o fio do que estava falando ”. Ele ficou
impressionado com a imperturbabilidade que estou desenvolvendo. Garanto-lhe que
ainda estou trabalhando nisso. Mas quando as pessoas me incomodam, faço o
exercício de liberação correspondente. Por isso estou me divertindo e sendo muito
mais carinhoso com os outros, até no tribunal. Sinto-me muito mais livre e leve ... »
Frank sempre se pergunta: você poderia permitir que eu tenha um dia calmo e natural?
Você poderia me permitir tratar a todos com respeito? Você poderia abandonar qualquer
comportamento de auto-sabotagem, passado, presente ou futuro? Algum tempo atrás,
ele percebeu que poderia praticar a liberação em qualquer coisa. Se ele parasse de
querer que o que estava acontecendo ao seu redor na sala mudasse, seu humor
mudaria naturalmente. Muitas vezes, liberar o desejo de mudar uma determinada
pessoa ajuda a ganhar casos.

64

“Coisas estranhas podem acontecer no tribunal”, diz ele. “Muitas vezes ajudo o
arguido nos processos judiciais. Muitos me agradecem quando percebem que os
tratarei com dignidade. Eu digo a eles com sinceridade: “No fundo, você não é uma
pessoa má; acontece que ele fez alguma coisa errada em determinado momento ”.
Com outros réus, é como se do outro lado da sala eles me esbofeteassem com toda a
força. Eles acham que vou atrás deles, então rejeitam minha ajuda e pioram a situação
deles. Quando eles agem assim, continuo amando-os e liberando-os em minha mente
e não me preocupo mais com o resultado. Tudo depende do juiz e do júri, não de mim.
Se esses réus forem condenados depois, coisas que acontecem muitas vezes, sinto
pena deles, mas também me livrei disso.
Frank encontrou serenidade porque decidiu aceitar tudo o que acontece AGORA.
Nada é mais importante para ele do que paz de espírito. Usando o Método Sedona,
ela descobriu: "A vida é para ser vivida e aproveitada a cada momento."

Libere o desejo de mudar

Vamos trabalhar juntos um pouco mais na questão de querer mudar as coisas.


Algumas páginas atrás, pedi que você revisse rapidamente as coisas em sua vida que
você não gosta e que deseja mudar. Para este exercício, vamos analisar essa lista e
retornar a um ou mais tópicos que você escreveu no final do Capítulo 1 como
objetivos que você propôs para este curso de autoaprendizagem.
Vamos começar por um momento para nos concentrar e relaxar. Sinta-se à vontade e
feche os olhos. Mas lembre-se que você pode ficar de olhos abertos sem perder
nenhum dos benefícios, já que o Método é uma ferramenta que deve ser utilizada no
dia a dia. Em qualquer caso, deixe sua atenção se deslocar e se mover mais para
dentro. Veja o que você pode fazer e esteja mais ciente de seus sentimentos e de seu
estado interior, mesmo com os olhos abertos. Essa mudança provavelmente já
começou a acalmá-lo.
Se você ler este material sozinho, peço-lhe que sempre se lembre de que deve seguir
seu próprio ritmo e sentir como se fosse eu quem lhe fizesse as perguntas ou como
se você estivesse se perguntando na segunda pessoa.
Agora, pense em uma pessoa, lugar ou coisa específica em sua vida que você
gostaria que fosse diferente, que gostaria de mudar . Você aceitaria algum sentimento
que o jeito dele de ser gera? Aceite sem reservas.
Você poderia abandonar o desejo de
mudar isso? O Farias?
Quando?
Como você se sente agora? Existe algum sentimento de querer mudar determinada
situação?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de mudar
isso? O Farias?
Quando?
Verifique novamente se ainda deseja alterá-lo. Se você esteve aberto ao processo,
pode agora ver a situação da perspectiva de encontrar soluções, em vez de ficar
preso no problema. Talvez você também tenha descoberto que não há nada a mudar
e que a situação é perfeita como está. Continue perguntando a si mesmo, até que
você não queira mais mudá-lo e possa aceitá-lo totalmente como é.
Lembre-se de ter a possibilidade de se desapegar em qualquer etapa do processo.
Por exemplo, quando você tem dificuldade em abrir mão de querer mudar alguma
coisa, pergunte a si mesmo se deseja mudar o grau de dificuldade e depois solte.
Você irá recuperar imediatamente o processo.
Se você ainda não consegue soltar, faça outra pergunta: e se eu quisesse que as
coisas fossem assim? Se você conseguir pegar o jeito dessa excelente pergunta, ela o
deixará livre para deixá-la ir.

65

Você pode até expandir as perguntas para extensões ridículas. Você pode se
perguntar: e se eu tivesse passado minha vida inteira tentando desenvolver esse grau
de estagnação ou criar esse grau de dificuldade? Você pode descobrir que está se
soltando espontaneamente.
Lembre-se também de que é sempre uma boa ideia permitir-se parar por um
momento se tiver problemas para se soltar. Desta forma, invariavelmente, mais
espaço é criado para liberar.
Concentre-se novamente em você mesmo e permita-se tomar consciência de algo
que deseja mudar. Pode ser uma pessoa, um lugar, uma coisa, uma situação. Seja o
que for, apenas foque nisso e sinta como é mudá-lo.
Então você poderia mudar
isso? Eu faria?
Quando?
Agora concentre-se exatamente nisso, ou em alguma outra coisa em sua vida que
você gostaria de mudar. E você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Lembre-se de que não há nada de errado em mudar as coisas que você gostaria de
mudar na vida. Muitas vezes ficamos presos no desejo, em vez de agirmos. Portanto,
é uma boa ideia deixar de lado o desejo de mudar as coisas.
Concentre-se novamente na mesma situação ou em alguma outra coisa em sua vida
que você gostaria de mudar.
Você poderia , por enquanto, como um experimento, abandonar o desejo de
mudá-lo? O Farias?
Quando?
Veja como você se sente por dentro agora. Talvez você tenha a sensação de que, bem
no fundo de você e à medida que você deixa de lado o desejo de mudar as coisas, os
espaços se abrem. Deixar de lado o desejo de mudar as coisas o deixa um pouco
desconfortável? Isso faz você sentir que está perdendo um pouco o controle? Você
pode aceitar esse sentimento?
Então você poderia abandonar o desejo de
mudar isso? O Farias?
Quando?
Veja se há algo no que você sente agora que gostaria de mudar. Se sim,
você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
O Farias?
Quando?
Quando queremos mudar as coisas, dizemos que não está certo como está. Dizemos
a nós mesmos que eles devem ser mudados, consertados ou melhorados de uma
forma ou de outra. Mas muitas vezes isso não é verdade. Ou se é verdade que algo
precisa ser mudado, o desejo de mudar nos mantém presos. Manter o desejo de
mudar realmente não nos ajuda a seguir em frente e tomar as ações necessárias.
Agora, você poderia se permitir exatamente como se sente agora? Você poderia
aceitar isso? Sempre que você aceita como se sente, sempre que permite, você adota
uma maneira natural de abrir mão do desejo de mudá-lo.

Se você está disposto a abrir mão do desejo de mudar como se sente e as


circunstâncias de sua vida, agora deve se sentir mais calmo, mais relaxado e mais
concentrado - e mais capaz de realmente mudar as coisas. Esta é a chave autêntica
para a serenidade.

Vá mais fundo à medida que avança

Antes de ler o próximo capítulo, reserve alguns minutos para analisar como deseja
mudar certos fatos, memórias e sentimentos, para deixar de lado o desejo de mudá-
los. Neste processo, veja se você é capaz de abordar as questões cada vez mais
profundamente, permita-se também observar aspectos de sua vida nos quais você já
se sente

66

realizado e grato, e que você aceita


como eles são. Se você fizer isso
« O benefício mais evidente do Método é o
todos os dias, mesmo que seja um
sentimento de paciência. No início do
processo parecia supérfluo. Com o passar pouco, prometo que terá um efeito
profundo em sua vida. Os resultados
do tempo, comecei a entender o significado
provavelmente o surpreenderão e o
de tudo isso e me agarrei ao processo de
liberação redundante. Quanto mais eu encherão de alegria.
praticava, mais percebia que as coisas que
me preocupavam eram minha criação. Isso
criou mais problemas porque eu repeti em
minha mente todas as cenas perturbadoras,
e repeti a mesma ideia para mim mesma e
como era importante para mim a ideia de
nunca ter percebido que nada é realmente
tão importante, pelo menos não tanto
quanto ser feliz. »
—MM, Bronx (Nova York)
-
67

Mergulhe em sua libertação


Se você leu até aqui e praticou os processos propostos nos capítulos anteriores com
sua própria experiência, tenho certeza de que já começou a descobrir que os
sentimentos influenciam muito seu modo de agir e sua clareza de espírito; Também
acredito que você já é capaz de liberar sentimentos indesejados. Ao deixá-los ir, você
não apenas se sente melhor, como funciona melhor. Neste capítulo, vamos examinar
o Método Sedona em um nível ainda mais profundo e forte: motivações ou
necessidades ocultas.

Você está motivado pelo que deseja?

Sim e não. Pense por alguns minutos no que você deseja. Você quer mais dinheiro e
menos dívidas? Você quer ter um relacionamento melhor com a família e amigos ou
iniciar um relacionamento especial de amor? Você quer melhor saúde, ou pelo menos
menos sofrimento e dor? Você quer sucesso, ou pelo menos parar de se sentir um
fracasso? Você quer mais tempo livre e menos pressão? Você quer um carro novo,
um vestido novo, um novo aparelho de som, um novo penteado, uma nova vida? Sua
lista pode ser interminável.
Você realmente quer tudo isso? Ou você está procurando a felicidade que essas
coisas representam? E se você pudesse alcançar a felicidade sem a necessidade de
tudo o que você associa? Querer é equivalente a carecer, não possuir. Nossa vida é
limitada pela tendência que temos de nos concentrar na luta que leva à posse, ao
invés da própria posse. Quando abandonamos um desejo, nos sentimos mais capazes
de possuir. Também observamos um aumento correspondente no que já possuímos.
Quem se dedica a vender sabe que quando se quer fazer uma venda muitas vezes é
quando é mais difícil. E vice-versa, quando você pensa que não precisa vender, muitas
vezes acontece que você vende. O motivo é que a melhor maneira de tornar o que
decidimos uma realidade é a partir da posição de que "está tudo bem", quer o
entendamos ou não. Este modelo se aplica a todos os aspectos de nossa vida. Todos
somos motivados por quatro desejos fundamentais que estão por trás de nossos
pensamentos: sentimentos, crenças, atitudes e modelos de comportamento. Esses
motivadores subjacentes - o desejo de aprovação, controle, segurança e separação -
formam o núcleo de nossa limitação. Quando liberamos essas necessidades,
podemos conseguir o que queremos e permanecer motivados. Nesse processo,
simplesmente liberamos a sensação de privação e carência.

Começamos a vida com tendências determinadas pela hereditariedade e pelo ambiente,


- e se você acredita em reencarnação, pelo passado. Essas tendências podem ser
qualquer coisa, desde predisposições genéticas ou ambientais até preferências
simples. Mas, em geral, essas tendências principalmente subconscientes não
assumem ou governam nossas vidas até que envelheçamos. Na infância, eles apenas
dão dimensão ao vivido. No entanto, quando atingimos a maturidade, aprendemos a
sublimar nossas necessidades ocultas com desejos mais adultos - coisas que estão
longe da verdadeira motivação. É possível, por exemplo, que identifiquemos um carro
com controle, ou dinheiro com segurança. (Cada um de nós atribui significados
diferentes a objetos diferentes). Esta é uma das razões pelas quais a felicidade que
alcançamos ao conseguir o que queremos é tão passageira. Só acreditamos no que
queremos.

68

A experiência me diz que outra razão pela


«Tenho experimentado uma confiança
qual não estamos totalmente satisfeitos significativamente melhor graças à
em "conseguir o que queremos" é que não libertação, especialmente do medo das
podemos obter nada externo ao que
emoções fortes. Esses sentimentos fortes
realmente queremos. No entanto, muitas podem surgir, mas desaparecer
pessoas negam a si mesmas as coisas suavemente ou são reduzidos a um nível
que pensam que desejam, porque pensam que permite que você continue pensando,
que nunca poderão, ou foram informadas ouvindo e reagindo razoavelmente, muitas
de que estão erradas a ponto de desejá- vezes enquanto continua a se liberar. "
las. O método
Sedona ajudou literalmente dezenas de milhões de milhares de pessoas a se
libertarem de impor tais limitações a si mesmas, e você também pode.

Como tudo começou.

A história que se segue é apenas isso, uma história. Qualquer semelhança que possa
ter com sua vida é mera coincidência. Embora o objetivo seja que você veja como
suas motivações ocultas podem ter evoluído, não tem a intenção de ser uma nova
teoria do desenvolvimento infantil, nem de confirmar ou refutar qualquer teoria. Nem
tem a intenção de substituir ou questionar qualquer experiência espiritual particular.
A experiência de sua vida pode ser semelhante ou diferente. De qualquer forma, faça
tudo o que puder para se identificar com a evolução do personagem desta história,
sem se preocupar muito em como isso se aplica a você.

Partimos da premissa de que somos, e sempre fomos, um Ser Ilimitado. Então você -
o protagonista - começa como uma consciência indiferenciada, nada sabendo em
particular, plena e consciente de si mesmo, essa é a tela sobre a qual se pinta a
história, pois abre inclusive a possibilidade de que ela se desenrole. Além disso, a tela
ainda não foi marcada ou alterada pelo avanço da história.
Em determinado momento, nessa consciência natural e sem qualquer preconceito de
que você é, sons, sensações e imagens começam a surgir. Alguns sons se repetem,
como o bater suave do seu coração e a respiração da sua mãe, semelhantes ao fluxo
e refluxo das ondas do mar. Ao longe também há sons abafados, como a voz da sua
mãe, a de outras pessoas e tudo o que acontece ao seu redor. Quando o corpo de sua
mãe se move pela vida e seu mundo se move em uníssono, são produzidas
sensações de calor, balanço suave e flutuação. Há também uma semi-escuridão
ondulante que envolve e preenche a consciência. Todas essas sensações, sons e
imagens vêm e vão na consciência calma.
Este Ser continua até que, quando o seu mundo começa a se contrair, novas sensações
surgem na consciência. Porque, independentemente da hora, há uma transição de um mundo
repleto de sensações, sons e imagens relativamente silenciosos, para outro mundo repleto
de diferentes e mais fortes. A experiência de nascer às vezes é violenta. Por mais traumática
que possa parecer a transição, no entanto, depois de passada, essas sensações também
fluem para dentro e para fora da consciência. Por um tempo, passamos a maior parte do dia
dormindo. Logo as imagens se tornam mais nítidas à medida que os olhos começam a
funcionar neste novo mundo. Os ouvidos e o resto do corpo também se acostumam a viver
em um mundo cheio de ar em vez de líquido amniótico. O tempo passa e os padrões
aparecem em nossa consciência à medida que diferentes grupos de sensações, sons e
imagens surgem em intervalos variados. Alguns deles logo serão reconhecidos como "seu"
corpo. Ainda existe um sentimento subjacente de unidade entre você, como pano de fundo, e
qualquer percepção produzida.

69

Existe um profundo sentimento de amor, mesmo em relação a experiências que


poderiam ser descritas como traumáticas. As percepções, inclusive as do corpo, não
têm nome ou significado. Eles simplesmente surgem e depois desaparecem em
quem você é. Partes do corpo se tornam objetos do jogo quando você descobre que
certas mudanças internas as fazem reagir. Eles são apreciados, mas ninguém em
particular os possui.
Se você teve uma infância que a maioria consideraria normal, presenças benignas
aparecem e desaparecem em sua consciência, que mais tarde você chamará de
mamãe e papai. Essas presenças chegam com certos padrões de percepção. O tempo
passa e, por meio da paciente repetição dos vários movimentos dessas presenças
benevolentes, você começa a se familiarizar com o mundo dos conceitos e símbolos.
Mamãe e papai apontam um para o outro repetidamente e dizem "mamãe" ou "papai"
e, em seguida, apontam para o seu corpo e repetem seu nome. É um jogo divertido e
qualquer tentativa que você fizer para participar dele é recompensada. No final, você
descobre que certas mudanças perceptivas internas fazem com que seu corpo emita
sons como o deles. Naquele momento, quando você começa no mundo dos conceitos
e símbolos, começa a ser mais difícil - exceto nos momentos de sono - permanecer a
unidade básica que você é. O sentimento de separação ou estranhamento de sua
natureza básica aumenta em você.
Nem tudo na vida é divertido e divertido, é claro. A experiência de algumas pessoas
até este ponto é bastante traumática. Mas este trabalho que está sendo executado, e
que mais tarde você chamará de sua vida, não o integrou totalmente. A consciência
continua no processo irregular de identificação com o protagonista, da mesma forma
que agora você provavelmente se identifica com os personagens de um bom
romance ou filme. Quando você começa a usar a linguagem, pode passar por um
período em que se refere na terceira pessoa ao que mais tarde pensa ser você. "É o
brinquedo de Hale" ou "É o brinquedo de Mary" e não "Meu brinquedo". Você chora se
se machuca, ou grita se não consegue o que quer, mas sem a teimosia que aparece
depois.
Então, por volta de dois ou dois anos e meio, ocorre outra transição. Agora você está
tão convencido de que é uma identidade separada (por exemplo, Hale ou Mary) que
de repente tudo se torna meu brinquedo, minhas necessidades e eu . Agora, as
sensações, imagens e sons que surgem na consciência recebem um nome e uma
história com base nessa crença crescente em um eu . E é aí que você começa a
querer mudar as coisas. Você resiste como eles são. Você quer que eles sejam como
você deseja. O nome dessa fase é "Os dois anos terríveis". Muitas vezes é um
momento difícil para os pais e para a criança. O mundo não é mais tão seguro quanto
parecia. Você pode competir com outros irmãos pela atenção de outras pessoas.
Obter a aprovação da mamãe e do papai é extremamente importante, e não obtê-la
pode ser perigoso. Você quer controlar o que até agora parecia um mundo perfeito.
Você anseia por tranquilidade e simplicidade quando seus pais e seu mundo
controlam você; ao mesmo tempo, você quer se impor ao seu mundo. Você quer
provação, e até desaprovação, que vem de fora, mas também quer amar tudo o que
existe de novo. Você deseja estar são e salvo e sobreviver, mas também deseja a
sensação de ser uma entidade separada que pode morrer e desaparecer. Você sonha
em ser uma unidade novamente - uma coisa com tudo o que existe - mas se sente
impedido de afirmar sua identidade exclusiva e separada.
Portanto, para alguns de nós, desenvolver a separação é um processo gradual que
começa muito antes de dois anos; para outros, é algo muito repentino. Mas parece
não haver possibilidade de retrocesso para ninguém, a menos que, conforme a
pessoa envelhece, ela empreenda um processo como o que você está aprendendo
neste livro. Por mais que desejemos a segurança e a unidade que sentíamos quando
éramos pequenos, o processo de desenvolvimento ainda está em andamento.

70

Há algo sobre isso que você conhece? Poderíamos expandi-lo sem nunca terminar,
considerando todos os detalhes sutis e não tão sutis de cada nascimento e como a
vida da criança se desenvolve. No entanto, o que foi dito é suficiente para você
entender o que se pretende - especificamente, que quando nos fechamos na
identificação com um corpo e mente particulares até pensarmos que eles são
nossos, começamos a ser mais motivados por algumas necessidades básicas (
necessidades ocultas) que reforçam nosso senso de separação e nos causam
sofrimento sem fim.

Cinco etapas para liberar as necessidades subjacentes

Sempre que você abre mão de seus


sentimentos e pensamentos restritivos
que estão no nível oculto das
necessidades, você acelera seu
progresso. Conforme mencionado no
Capítulo 1, você pode notar que em
alguns aspectos de sua vida eles estão
ganhando ordem, embora você nunca
se entregue diretamente a eles. Como
tudo está diretamente relacionado às
necessidades, muitas coisas mudam
imediatamente quando você abre mão
dessas necessidades.

O que você prefere, quer aprovação ou tem ? ¿ Será controlar ou tê-lo ? ¿ Quer segurança ou
tem ? A resposta é óbvia. O que se segue é um procedimento fácil de cinco etapas para
liberar essas necessidades. Quando você o incorpora em suas atividades diárias, verá que é
muito mais fácil para você. O mero ato de trazer essa necessidade à sua consciência
geralmente fará com que você a libere espontaneamente, mesmo antes de fazer a si mesmo
as perguntas. Essas perguntas substituem uma série de perguntas básicas de liberação (ou
podem ser adicionadas ao final delas) que você ouviu até agora. Deste ponto em diante, não
faremos mais as perguntas de acompanhamento "Você faria isso?" e quando?" porque
quando o liberamos para um nível mais profundo, a decisão de fazê-lo vem mais rápida e
espontaneamente. No entanto, peço que você tenha toda a confiança para usá-los a qualquer
momento que precisar, para ajudá-lo em seu processo de libertação.
Você pode empreender esse processo sozinho, lendo silenciosamente as perguntas a
seguir, ou fazê-lo com a ajuda de um parceiro.

Passo 1: Concentre-se no seu tópico e permita-se aceitar tudo o que sentir AGORA.
Etapa 2: cave um pouco mais fundo para ver se o sentimento ATUAL surge de um
sentimento de necessidade. Faça a si mesmo uma das seguintes perguntas:

• O sentimento surge da necessidade de aprovação, controle, segurança ou


separação?
• Qual é a sensação de necessidade por trás desse sentimento?

Se você não tem certeza de qual desejo está por trás do sentimento, ou se suspeita
que pode haver vários desejos ao mesmo tempo -como freqüentemente acontece-,
escolha aquele que você acha que domina ou que você gostaria de liberar em
primeiro lugar . Em seguida, vá para a etapa 3

Etapa 3: faça a si mesmo uma das seguintes perguntas.


• Posso me permitir desejar (aprovação, controle, segurança ou separação)?

71

• Você poderia aceitar o desejo (para aprovação, controle, segurança ou


separação)?
• Você poderia abandonar a necessidade (de aprovação, controle, segurança ou
separação)?
Ao liberar sobre necessidades, simplifique as perguntas. Depois de perceber que
pode abrir mão dos desejos, você perceberá que o faz sem pensar muito a respeito.
Lembre-se de que "sim" e "não" são respostas aceitáveis e que muitas vezes você vai
deixar escapar mesmo que diga "não". Além disso, se quiser, reserve um momento
antes de liberar, pois isso geralmente cria espaço para uma liberação ainda maior que
eles ouvem que a resposta é não. Responda à pergunta escolhida da melhor maneira
possível, com o mínimo de pensamento. Abstenha-se de considerações adicionais ou
de discutir os benefícios de uma ação ou suas consequências. Seja qual for a
resposta, vá para a próxima etapa.
Peço que você tenha em mente que não está sendo solicitado a abrir mão do
controle, da aprovação, da segurança ou da separação, mas sim com qualquer
sentimento de falta deles ou de desejo.

Etapa 4: você pode usar esta etapa em qualquer ponto do processo de liberação para
lidar com quaisquer sentimentos, necessidades ou sentimentos de indecisão ou
estagnação. Como você viu no Capítulo 5 ("Sua chave para a serenidade"), é a válvula
de segurança do Método.

Basta perguntar: eu gostaria de mudar isso?


A resposta será invariavelmente "sim". Mas se você não tiver certeza, verifique se
gosta do assunto como ele é. Contanto que você não goste de algo assim, é uma
indicação de que deseja alterá-lo.
Em seguida, pergunte-se: você poderia abandonar o desejo de
mudar
Na isso? dos casos, mesmo se você não conseguir, pode responder "sim" a essa
maioria
pergunta. Abandonar o desejo de mudá-lo fará com que o engarrafamento
desapareça e o colocará de volta no caminho. Como você deve se lembrar, querer
mudar é um subconjunto de querer controlar.

Etapa 5: Repita as quatro etapas anteriores quantas vezes forem necessárias, até se
sentir livre da necessidade específica em que está trabalhando.
Lester pensou que, quando liberamos, é mais importante focar no desejo de "Minha
filha e eu tínhamos uma relação de aprovação, controle e segurança, do que a

disfuncional e tínhamos perdido a separação. Achei que, se soltássemos, eu o


contataria. Depois de aprender o suficiente das três primeiras necessidades,
liberando, comecei a procurar novamente, a sensação de querer estar separado e
nos reconectamos. Ele simplesmente desaparecerá por si mesmo. Foi parte de
termos resolvido nossas diferenças, um processo que ele seguiu. Exceto nisso, mas
hoje minha filha também liberta. capítulo e no próximo, nossas perguntas agora
comunicamos
Em muitos anos,melhor
a do que a libertaçãomaior
em todo o do livro se concentrará - Carole
parte
Dunham, Miami (Flórida) exclusivamente na aprovação, controle e segurança. Nem
é preciso dizer que, se você perceber que deseja se separar,
você pode abandonar esse desejo com toda
a liberdade.
Exploração: Observando com perfeição, liberando o
precisa.

Lester Levenson costumava dizer: "Liberte-se e permita-se ver a perfeição onde parece
haver uma imperfeição aparente." Durante esse processo, aceite seus pensamentos, seus
sentimentos, seus sentimentos e as histórias que você conta. Que tudo esteja lá

72

e entender que está tudo bem assim. Parte do que acontece quando liberamos isso é
que começamos a reconhecer a perfeição subjacente a nossos pensamentos e
sentimentos.
Comece ficando confortável e focando sua atenção dentro de você.
Agora, lembre-se de alguns dos principais tópicos com os quais trabalhou até agora
neste livro, ou de um tópico novo e diferente que está atualmente em sua
consciência. Ao pensar sobre essa situação, esse problema, essa intenção ou essa
meta, familiarize-se com como você se sente a respeito agora.
Você pode aceitar esse sentimento?
Em seguida, vá um pouco mais fundo e veja se consegue determinar se o sentimento
atual vem de um desejo de aprovação, controle, segurança ou separação. Ao abrir
mão das necessidades, lembre-se de que não há nada de errado em ter aprovação,
controle, segurança ou individualidade; você apenas deixa ir a sensação, ou o
sentimento, de que não os possui.
Seja qual for a necessidade, pergunte: Eu poderia me permitir sentir
isso? Então eu poderia soltá-la?
Olhe para o mesmo assunto novamente e considere qual é o seu novo sentimento
AGORA. O sentimento vem do desejo de aprovação, controle, sobrevivência ou
separação?
Você poderia abandonar esse sentimento de necessidade? Você poderia deixá-lo se soltar?
Em seguida, concentre-se novamente em seu tópico e veja se há algo que esteja
causando resistência. Talvez você resista à mudança dele, à situação em que se
encontra, ou pode haver um aspecto específico dele que você suspeita.
Você poderia se permitir sentir a
resistência? Então você poderia se permitir
deixar isso ir?
Veja se há algo mais neste tópico que você resiste. Você
poderia largar essa resistência?
Lembre-se de que resistência significa empurrar o mundo para que ele empurre na
direção oposta. Significa dizer que as coisas não estão certas como estão e se
aproximar delas.
Repita os últimos passos da resistência mais duas ou três vezes e depois
prossiga. Veja agora se há algo neste tópico que você gostaria de mudar.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Encontre algo mais sobre o assunto, ou como você se sente a respeito, que gostaria
de mudar.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Existe algo sobre o assunto que de uma forma ou de outra parece
bloqueado? Você quer mudar essa sensação de estagnação?
Você poderia abandonar o desejo de mudar esse sentimento de estagnação?
Verifique novamente: há algo no modo como você se sente a respeito do assunto ou
em sua atitude em relação a ele que parece estagnado?
Quando nos sentimos presos, queremos tornar as coisas diferentes, mas isso nos
paralisa ainda mais. Para abandonar essa paralisia, tudo o que precisamos fazer é
abandonar o desejo de mudar as coisas.
Então, você poderia abandonar o desejo de mudar qualquer sentimento estagnado que
possa estar sentindo agora?
Então veja como você se sente agora sobre o assunto em questão. Observe que seus
sentimentos já mudaram. Este pequeno processo provavelmente já fez uma grande
diferença.
Escondido atrás do seu tópico, há algo que você gostaria de controlar, por exemplo, a
maneira como você o sente ou como pensa que é?
Você poderia aceitar esse sentimento de querer
controlar? Então você poderia abandoná-lo?

73

Concentre-se novamente na situação e veja se consegue encontrar algo sobre ela que
o faça se sentir um pouco inseguro ou ameaçado, e observe que tudo decorre do
desejo de insegurança ou sobrevivência.
Você poderia abandonar o desejo de segurança ou sobrevivência?
Repita a série anterior de perguntas várias vezes, eliminando qualquer sensação
remanescente de desejo por segurança.
E agora, concentre-se e tome consciência de como se sente por dentro. Você verá
que provavelmente sente muito mais espaço e leveza. Se houver algum desejo de
manter esse sentimento bom, observe que ele vem do desejo de controle. Observe
também que há muito mais bons sentimentos do que esses sentimentos. Nossos
sentimentos de limitação são finitos, enquanto os bons são infinitos.
Então, você poderia abandonar o desejo de controlar a sensação boa e deixá-la como
está?
Agora, relaxe com o que você está sentindo agora. Aceite-o totalmente. Sempre que
aceitamos totalmente um sentimento, abandonamos o desejo de mudá-lo ou
controlá-lo. Aceitamos como está, pelo menos por enquanto. Se ainda houver alguma
sensação de contração ou negatividade sobre o assunto em questão, volte sua
atenção para a maior leveza de que está ciente e esqueça o resto. -Por agora.
Deixe o melhor que você sabe
possuir você Relaxe nesta
situação
Deixar você descansar
A bondade natural que você sente por dentro está sempre presente, por mais extremos que
seus sentimentos possam se tornar. A bondade está localizada abaixo de suas emoções e
pensamentos, e você pode tê-la contanto que direcione sua atenção para ela. O poder total
do seu potencial ilimitado está à sua disposição e, se permitir, poderá eliminar naturalmente
o sentimento de limitação que ainda possui.
Você poderia se permitir ir ainda mais longe neste momento e confiar no poder que
conhece o caminho?
Permita-se, mesmo por este momento, ver a perfeição onde a imperfeição parece
estar.
Por um momento, você poderia controlar a ideia de que talvez tudo esteja bem e se
desenrole como deveria?
Agora, em um momento, comece a direcionar gradualmente sua atenção para fora
novamente e observe que tudo o que você obteve com este processo sempre o
acompanhará. Cada processo é um começo, uma abertura para a vida que você
sempre quis e uma descoberta do que é realmente verdadeiro para você.
Então, deixe que isso flua suavemente em sua vida.
Use esse processo - e a perspectiva que ele oferece - quantas vezes quiser para
ganhar mais liberdade em um determinado assunto ou simplesmente para se sentir
mais feliz e mais vivo.

74
7

Soltar quatro
necessidades básicas
Quando Lester Levenson analisou seu próprio processo, ele passou muito tempo
revisando seu passado e deixando de lado suas motivações internas. Ele descobriu
que quando as pessoas limpam seu passado de tudo relacionado aos quatro desejos
básicos, elas podem facilmente se livrar dos enormes fardos que estão carregando
em suas vidas e nunca mais terão que carregá-los novamente.
Neste capítulo, vamos analisar as quatro necessidades básicas com mais detalhes e
fazer alguns exercícios de liberação escritos dirigidos a cada uma delas. É
interessante notar que todo desejo ou necessidade inclui uma força oposta. Portanto,
o desejo não apenas cria uma sensação de carência em nós, mas também
experimentamos vários graus de conflito entre o desejo de controlar e ser controlado,
de ser aprovado e desaprovado, de estar seguro e inseguro, de separar-se e de
unidade. Dependendo da personalidade de cada um, todos acalentamos esses
desejos em diferentes graus. Além disso, cada situação em que nos encontramos
desencadeia forças opostas em nossa consciência, em maior ou menor grau.

É de se admirar que praticamente todos nós


ficamos presos em algum lugar no meio?
Somos todos um pouco como o "puxa-me
“O Método Sedona me ajudou a aumentar
de volta" do Doutor Dolittie do Doutor Dolittie,
minha confiança, o que me permitiu
que é sobre um animal semelhante a uma
assumir riscos maiores e me analisar mais
lhama com duas cabeças, cada uma
profundamente. Sou menos afetado por
olhando em direções opostas. Devido aos
críticas ou desaprovação. Quando algo me
desejos conflitantes, a maioria de nós dá
'confronta' fico mais calmo. Procuro menos
três passos à frente em nossos objetivos de
as falhas e sou mais compreensivo. Aceito
vida e dois passos para trás antes de
os outros como são, sem tentar controlar
podermos seguir em frente novamente. Se
seu comportamento. Minhas habilidades
nesta seção a liberação é um pouco
de resolução de problemas também
tranquila para você. Eu recomendo que você
melhoraram. Antes, eu costumava buscar
confunda a princípio, leve isso consigo para
conselhos antes de dar qualquer passo, e
trabalhar mais nos desejos primários e que
agora encontro minhas próprias soluções
você se sinta confortável com eles antes de
com mais rapidez e me sinto confortável
começar a se concentrar em seus opostos.
com elas.
Obviamente, se durante o processo você
—Jeanle A., Seattle (Washington) notar os opostos, não se preocupe com
eles, deixe-os

manifestar como você faz. Mas você não deve se preocupar, porque é um processo
holístico. Quando liberamos uma certa necessidade, ao mesmo tempo sempre
liberamos parte de seu oposto. É como jogar uma moeda, o que é impossível se cara
e coroa não forem lançadas ao mesmo tempo.

75

O desejo de controlar

Quando queremos controlar, pensamos que não temos controle algum. Reconhecer o
sentimento de querer controlá-lo o ajudará a saber que não é um sentimento, embora
carregue um sentimento.
Parece um tanto difícil e agressivo, como se você estivesse dizendo: "Tem que ser
como eu digo." Quando queremos controlar, sentimos que não temos controle algum
e como se tivéssemos que agir para recuperá-lo. Os sinônimos do desejo de controle
são a resistência e o desejo de mudar, bem como o desejo de compreender,
manipular, impulsionar, consertar, forçar, fazer o que dizemos, estar certo e ser o
primeiro, entre outros. Quando deixamos de lado o desejo de controlar, sentimos que
controlamos melhor as coisas.
Lembra-se da Oração da Serenidade que aparece no início do Capítulo 5? Quando
você começar a abandonar o desejo de mudar ou controlar as coisas em sua vida,
verá que aceita o que não pode mudar, que muda o que precisa ser mudado e que se
preocupa muito menos com coisas que estão além de sua ao controle. Não há nada
de errado em fazer o que for preciso para mudar as coisas que precisam ser
mudadas nos negócios ou na vida pessoal. No entanto, muitas pessoas ficam presas
no desejo de mudar ou controlar coisas que estão bem como estão ou não podem
ser alteradas, como o passado ou o tempo. O desejo de mudá-los nos impede de ver
que eles estão bem como estão.
Como eu disse no Capítulo 4 ("Eliminando sua resistência"), a resistência é a razão
pela qual você pode perder a motivação no meio de um projeto que você iniciou com
todo o entusiasmo. Resistência também é sinônimo de desejo de controle. Pode
sabotar seu crescimento pessoal e impedi-lo de seguir em frente em todos os
aspectos de sua vida. Pode até mesmo impedir você de fazer coisas que gosta de
fazer ou que trazem muitos benefícios, como o Método Sedona. Resistir é como
tentar avançar com o freio acionado. Como eu já disse, ela surgirá sempre que você
achar que deve, deve ou deve fazer algo. Quando você abre mão da resistência, sua
vida começa a fluir em direção ao que é melhor para você.

O desejo de ser controlado

Um subconjunto do desejo de controlar é a força integrada oposta de querer ser controlado.


Quando essa força é o que nos motiva, ansiamos por alguém para quem nossa vida e nossos
sentimentos. Queremos que nos digam o que fazer. Preferimos seguir a liderar. Você
reconhecerá o desejo de ser controlado, porque é um sentimento de fraqueza e preguiça,
como se dissesse: "Quero abrir mão do meu poder". Quando queremos ser controlados,
sentimos como se quiséssemos estar fora de controle e não fazer nada a menos que a
permissão seja concedida primeiro.
Entre os sinônimos do desejo de ser controlado estão a resistência e o desejo de
mudar (ambos aparecem em ambos os aspectos do controle), bem como o desejo de
ser confundido, de ser manipulado, de ceder, de resolver os problemas, de continuar ,
de ser oprimido, de culpar e de ser a vítima, para citar alguns. Quando abandonamos
o desejo de ser controlados, sentimos que temos maior controle e uma melhor
disposição para controlar nossa vida.
No processo de liberação, quando você trabalha com a sensação de querer controlar,
verifique dentro de si o seu oposto, pelo menos de vez em quando. Mesmo a pessoa
mais motivada e autocontrolada nutre esse desejo oposto.

A liberação escrita: o desejo de controlar

Este processo escrito de duas partes foi projetado para ajudá-lo a liberar o desejo de
controlar. É muito simples. Para preparar a primeira parte, faça duas colunas em uma folha
em branco de seu diário de libertação. Você também pode fazer isso com o

76

computador. O título da primeira coluna é: «Casos específicos em que


Eu queria controlar ». A segunda é: "Qual é o meu desejo a este respeito AGORA?"
Comece escrevendo na primeira coluna todos os casos que você lembra e que
gostaria de controlar. Então, na segunda coluna, escreva seu desejo ATUAL (por
exemplo, desejo de aprovação, desejo de controle, desejo de segurança). Você pode
abreviá-lo para "d / a" (desejo de aprovação), "d / c" (desejo de controle) e "d / s"
(desejo de segurança). Quando você liberar completamente esse desejo, coloque
uma marca de seleção ao lado da abreviatura ou risque-a. Repita os passos acima e
continue liberando seu desejo ATUAL até sentir que está completamente liberado
daquele incidente. Lembre-se de liberar seus chamados sentimentos positivos, para
que você possa continuar avançando em direção a estados de energia mais elevados.

LIBERE O DESEJO DE CONTROLE.

Casos específicos em O que é AGORA meu


O que eu quero controlar? desejo sobre isso?

A última vez que  


eu fui ao dentista Eu estava com medo d / c
Choveu todo o  

fim de semana Boring d / c, d / a
Eles não cabiam em mim  

as contas D / s frustrado

Quando estiver pronto para seguir em frente, prepare outra folha para a segunda parte
do processo. Desenhe duas colunas em outra folha de seu diário, a primeira com o
título "Como tento controlar" e a segunda com o título "Como tento ser controlado".
A seguir, faça uma lista de suas várias maneiras de assumir o controle de sua vida
atual (no trabalho, nos relacionamentos etc.). Pegue cada uma das seções e
familiarize-se com seu desejo ATUAL, escreva se estiver relacionado ao desejo de
aprovação, controle ou segurança e libere-o completamente. Quando você liberar
completamente esse desejo, coloque uma marca de seleção ao lado de sua
abreviatura ou risque-a.
Em seguida, faça uma lista de todas as maneiras pelas quais você tem de tentar ser
controlado em sua vida atual (no trabalho, nos relacionamentos etc.). Pegue cada
seção e familiarize-se com o seu desejo ATUAL, anote se está relacionado ao desejo
de aprovação, controle ou segurança e libere-o completamente. Quando você liberar
completamente esse desejo, coloque uma marca de seleção ao lado de sua
abreviatura ou risque-a.

Lembre-se de que não há necessariamente algo errado com suas ações, mesmo que
seja o desejo de controlar o que as motiva. Este processo simplesmente o ajuda a
permanecer ciente de quais ações vêm de seu desejo de controlar, tornando mais
fácil para você liberá-lo no momento. Então você pode agir ou não; você decide.

77

LIBERE O DESEJO DE CONTROLE.

Como eu tento controlar Como eu tento ser controlado

Fazendo perguntas Não assumindo


d/a,d/c responsabilidades d / c
Exigente d / c Não dizendo meu
 
opinião d / a, d / c
Sendo certo Deixando meu
d / a, d / c, d / s me sente
 
exceder d / c , d / s

O processo de abandonar o desejo de controlar

Comece acomodando-se e focalizando sua atenção dentro de você. Se você perceber


que está agarrado a qualquer parte de sua consciência, pergunte-se se isso é devido
ao desejo de controlar.
Você pode aceitar a sensação de querer controlar?
Você poderia deixá-lo se soltar?
Você tem a sensação física agora de que deseja controlar ou mudar? Você
poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Repita as duas últimas perguntas para quantas sensações físicas desejar.
Agora encontre algo em sua vida que você gostaria de controlar.
Você poderia deixar de lado o desejo de mudar isso?
Encontre algo mais em sua vida que você deseja
controlar. Você poderia abandonar o desejo de
controlar isso?
Repita a última série de perguntas para quantos tópicos desejar e siga em frente.
Em seguida, pense em uma situação do passado que você lembra que queria
controlar. Aceite a sensação de querer controlá-la novamente.
Você pode largar agora?
Ao se concentrar nessa questão, e em quaisquer outras questões de controle do
passado, veja como o desejo de controlar influenciou sua vida, como isso o fez sentir,
como o fez agir. Existe um tema recorrente relacionado ao controle em sua vida?
Você poderia aceitar essa tendência ou qualquer ação que venha do desejo de
controlar?
Marque se você deseja controlar sua sensação de querer
controlar. Você poderia abandonar o desejo de controlar ou mudar
isso?
Agora, deixe o desejo de controlar entrar em sua consciência - se necessário, acorde-
o lembrando-se de algum evento - e então relaxe no que é sua própria essência. Você
poderia mergulhar em seu núcleo?
E um pouco mais fundo ainda?
E ainda mais?
Veja de onde vem a sensação de querer controlar. Se você
ainda não fez isso, você poderia deixá-la ir agora?

78

Em seguida, concentre-se em seu sentimento ATUAL. Observe a mudança que


ocorreu em sua consciência, liberando pelo menos um pouco a sensação de querer
controlar. Imagine como seria sua vida se você sempre sentisse que está no controle,
que está calmo, confortável e que não há nada que você ache que precise mudar;
tudo está perfeitamente como está.
Se você está ciente de que ainda existe um certo desejo de controle, você poderia fazê-
lo desaparecer agora?
Descanse agora e sinta-se confortável.

Desejo de aprovação / amor

Quando queremos aprovação, pensamos que não a temos. Consequentemente,


agimos de uma forma que nos ajuda a alcançá-lo, ao mesmo tempo em que
continuamos a impedir sua verdadeira realização. Concentramo-nos em nós próprios
e nos sentimos constrangidos. Nossa preocupação com o que os outros pensam de
nós é evidente. Podemos dizer "sim" quando queremos dizer "não". Talvez deixemos
os outros rir de nós ou nos controlem para fazer com que nos amem. Podemos
assumir responsabilidades excessivas ou não delegar tarefas porque acreditamos
que isso nos tornará mais populares.
É fácil reconhecer o desejo de aprovação, porque é um sentimento de fraqueza e
impotência, como se você estivesse dizendo "Dê-me" ou "Faça por mim". Quando
buscamos aprovação, pensamos que não somos o objeto de amor e que temos que
fazer algo para recuperá-lo. Sinônimos do desejo de aprovação são o desejo de amor,
aceitação, admiração, carinho, que nos percebam, que nos compreendam, que nos
acariciem, que nos mimam e nos amem, entre outros. Ao abandonar o desejo de
aprovação, nos sentimos mais amorosos e atenciosos, mais amados e aceitos.
O desejo de aprovação, na verdade, tem duas forças opostas, cada uma com um
sentimento muito diferente. Eles são o sentimento de querer desaprovação e querer
amar. Ambos são descritos separadamente abaixo.

O desejo de desaprovação

Quando queremos ser reprovados, sentimos que não queremos aprovação.


Consequentemente, agimos de uma forma que nos ajuda a mantê-la longe de nós.
Assim como acontece com o desejo de aprovação, focamos em nós mesmos e nos
sentimos constrangidos. Estamos abertamente preocupados com o que os outros
pensam de nós, mas fingimos que não nos importamos. Costumamos dizer "não"
quando poderíamos muito bem dizer "sim". Deixamos os outros rirem de nós para ter
certeza de que não gostam de nós. Podemos fugir das responsabilidades ou deixar
coisas por fazer. Nós nos abandonamos para nos tornar impopulares.
Esse desejo é facilmente reconhecido porque a pessoa se sente indefesa,
desprotegida e é acompanhada pela atitude de "me deixe em paz". Quando queremos
desaprovação, sentimos que não queremos amor e que devemos fazer algo para
garantir que não o recebamos. Sinônimos do desejo de desaprovação são, entre
outros, o desejo de que não sejamos amados, de que sejamos rejeitados, de que
sejamos menosprezados, de nos escondermos e de sermos mal interpretados.
Quando abandonamos o desejo de desaprovação, nos sentimos mais capazes de ser
amados e aceitos, e mais capazes de amar e cuidar dos outros também.

O desejo de amar

Quando queremos amar, sentimos que não podemos dar o suficiente. Consequentemente,
agimos de uma forma que nos ajuda a sentir amor, enquanto

79

na verdade, sabotamos a possibilidade de sentir amor. Nós nos concentramos nos


outros e sentimos que renunciamos a nós mesmos. Nossa preocupação com os
sentimentos dos outros é evidente. Tal como acontece com o desejo de aprovação,
podemos dizer "sim" quando queremos dizer "não". Podemos deixar que os outros
zombem de nós ou nos controlem para que se sintam melhor. Podemos assumir
muitas responsabilidades ou deixar de delegar tarefas porque pensamos que é assim
que beneficiamos os outros.
Você será capaz de reconhecer esse sentimento de desejo de amor porque se sente
indulgente e vulnerável e com um óbvio sentimento de rendição ou "deixe-me fazer
isso por você". Quando queremos amar, sentimos que não podemos dar amor ou
aprovação suficiente e que devemos fazer algo para que os outros entendam o
quanto nos importamos. Sinônimos do desejo de amar são o desejo de aprovar,
aceitar, admirar, cuidar, mimar, compreender, acariciar, sacrificar, educar e gostar, só
para citar alguns. Quando abandonamos o desejo de amar, nos sentimos mais plenos
por dentro e, ao mesmo tempo, somos capazes de amar e cuidar dos outros sem ter
que ser às nossas custas.

A liberação escrita: o desejo de aprovação / amor

Este processo escrito de duas partes foi desenvolvido para ajudá-lo a liberar o desejo
de aprovação. Como fez ao abandonar o desejo de controle, para preparar a primeira
parte, separe uma folha em branco de seu diário da libertação em duas colunas. O
título do primeiro é "Casos específicos nos quais eu queria aprovação" e o título do
segundo, "Qual é o meu desejo a este respeito AGORA?" E, claro, você pode abreviar
as palavras.
Comece escrevendo na primeira coluna todos os casos de que você se lembra para
os quais deseja aprovação. Então, na segunda coluna, escreva seu desejo ATUAL em
relação a esses casos (por exemplo, desejo de aprovação, desejo de controle ou
desejo de segurança). Quando você liberar totalmente essa necessidade, faça um
sinal próximo a ela ou risque-a. Repita as etapas acima e continue deixando de lado
seu desejo ATUAL até sentir que está completamente liberado daquele incidente.
Como sempre, lembre-se de liberar também seus chamados sentimentos positivos,
para que possa continuar a se mover em direção a estados de energia mais elevados.

LIBERE O DESEJO DE APROVAÇÃO / AMOR.

Casos específicos em que O que é AGORA meu


Eu queria aprovação desejo sobre isso?

Meu primeiro encontro Desajeitado - envergonhado d / a

A apresentação Nervoso - d / c, d / a

O coquetel Autoconsciente - d / c , d / s
80

Quando você se sentir pronto para seguir em frente, prepare uma segunda folha em
seu diário, com duas colunas. O título da primeira é "Como procuro aprovação". O do
segundo, "Como faço para buscar a desaprovação."
A seguir, faça uma lista de todas as maneiras pelas quais você tenta obter aprovação
em sua vida atual (no trabalho, nos relacionamentos etc.). Em seguida, pegue cada
seção, familiarize-se com seu desejo ATUAL, escreva se estiver relacionado ao desejo
de aprovação, controle ou segurança e libere-o completamente. Em seguida, marque
ou risque o desejo ATUAL e concentre-se na próxima ação.

LIBERE O DESEJO DE APROVAÇÃO / AMOR.

Como procuro aprovação Como procuro a reprovação

Parece bom Rebelando-se d / c,


d/a,d/c d/a,d/s

Dar presentes d / a Falha em d / a , d / c

Ser um mártir d / a Chegando tarde


 
d / c, d / a

A seguir, faça uma lista de todas as suas maneiras de buscar a desaprovação em sua
vida atual. Então, pegue cada seção, analise seu desejo ATUAL por ele, escreva se ele
se relaciona com o desejo de aprovação, o desejo de controle ou o desejo de
segurança, e então libere-o completamente. Quando você abandonar completamente
esse desejo, aponte para a abreviatura ou risque-o.

O processo de liberação do desejo de aprovação

Para começar, acomode-se e volte sua atenção para dentro. Lembre-se de tantos
casos quanto você puder em que você deseja aprovação.
Você poderia aceitar a sensação de querer aprovação?
Você poderia largá-la?
Pense em uma situação em sua vida em que você sentiu que alguém o desaprovava,
não o amava ou não o reconhecia como você achava que merecia. Veja como é
desejar aprovação.
Você poderia aceitar esse sentimento de querer aprovação? Você poderia largá-la?
Agora pense em uma determinada pessoa, seja do trabalho ou de sua vida pessoal,
cuja aprovação você sempre e repetidamente deseja.
Você poderia se permitir desejar a aprovação dele agora, só por um
momento? Você poderia deixar ir
Repita esta última série de perguntas para quantas pessoas quiser. Em seguida,
pense em uma ocasião em que você desejou sua própria aprovação. Talvez você
desaprove algo que fez, não disse ou parou de fazer. Talvez você não tenha
alcançado algo que achava que deveria, e realmente levou isso a sério.
Você poderia aceitar seu desejo de aprovação agora em sua consciência?

81

Então você poderia abandoná-lo?


Repita as perguntas com quantos casos de desejo de sua própria aprovação você
quiser.
Agora vamos explorar o desejo de aprovação um pouco mais. Geralmente é um padrão na
vida de cada pessoa. Então, quais são seus pensamentos, sentimentos e comportamentos
recorrentes que se originam do desejo de aprovação? Talvez: "Não é minha culpa" ou
"Ninguém liga". Você pode se sentir envergonhado, desprotegido, vulnerável ou magoado.
Seus comportamentos podem incluir fazer coisas para chamar a atenção, ser educado, dar
falsos elogios ou dizer "sim" quando você realmente quer dizer "não". Deixe todos esses tipos
de desejos de aprovação se integrarem à sua consciência.
Você poderia deixar o desejo de aprovação estar presente?
Então você poderia abandoná-lo?
Repita as etapas acima mais algumas vezes, praticando a liberação com quaisquer
imagens que apareçam.
Então aceite totalmente o desejo de aprovação em sua consciência.
Você poderia mergulhar em sua própria essência?
E ainda mais
profundamente? E ainda
mais?
Ele atinge seu âmago, até o ponto em que nasce, e o deixa se dissolver.
Agora imagine como será a vida quando você abrir mão do desejo de aprovação.
Você será uma pessoa confiante e saberá que é importante para os outros. Aprovar
ou não, você se sentirá bem.
É uma possibilidade real. Quando você abre mão do desejo de aprovação,
misteriosamente as pessoas o aprovam muito mais do que antes.

O desejo de segurança / sobrevivência

Quando queremos segurança, sentimos que não temos. Encaramos a vida como se
fosse uma luta pela sobrevivência. Todos eles, pelo menos em um nível sutil,
parecem inimigos para nós. Muitas vezes podemos pensar que as menores
mudanças ou decisões representam uma ameaça à nossa vida e reagimos de
acordo. Evitamos correr riscos, mesmo que isso signifique abrir mão do sucesso.
Evitamos o confronto, mesmo que seja necessário. Damos a volta ao mundo à espera
do próximo desastre.
Você pode reconhecer o desejo por segurança porque geralmente inclui uma
sensação de ameaça, mal-estar, suspeita ou morte iminente. Em casos extremos, é
um medo paralisante; Parece-nos que vamos morrer. Também sentimos que faríamos
qualquer coisa para recuperar a segurança. Sinônimos do desejo de segurança são o
desejo de sobreviver, de vingança, de proteger a nós mesmos e aos outros, de atacar,
de defender, de matar e de estar seguro, para citar alguns. À medida que
abandonamos o desejo de segurança, sentimo-nos mais seguros e calmos onde quer
que estejamos, sem aquela sensação de que temos que alcançar a segurança às
custas dos outros.

O desejo de morrer

A força embutida que se opõe ao desejo de segurança, ou sobrevivência, é o sentimento de


querer morrer. Quando desejamos morrer, sentimos como se a vida nos tivesse dominado.
Temos medo de viver, por isso queremos acabar com tudo. Abordamos a vida como se fosse
um campo minado. Somos nosso pior inimigo. Tal como acontece com o desejo de
sobrevivência, muitas vezes sentimos as menores mudanças ou decisões e reagimos a elas,
como se fossem uma ameaça para nossas vidas. No entanto, ao contrário do desejo de
sobrevivência, podemos buscar o risco e o confronto, na esperança secreta de que o pior
acontecerá. Podemos dar a volta ao mundo esperando o próximo desastre, secretamente
esperando que ele ocorra.

82

Às vezes é difícil distinguir o desejo de morrer do desejo de segurança. Também pode


incluir uma sensação de estar ameaçado, inquieto, em perigo, na defensiva ou
enfrentando a morte iminente. No entanto, você pode reconhecê-lo porque também
pode produzir um sentimento de desesperança e derrota, como se o fim estivesse
próximo. Em casos extremos, é medo paralisante ou apatia; Sentimos que vamos
morrer e não nos importamos. Quando desejamos morrer, sentimos que não
queremos segurança e podemos até fazer coisas para ter certeza de que não
estamos seguros.
Entre os sinônimos para o desejo de morrer estão o desejo de perigo, de acabar com
tudo, de expor-se a si mesmo e aos outros, de ser atacado, de ficar indefeso, de ser
morto, aniquilado ou ameaçado. Quando abandonamos o desejo de morrer, nos
sentimos mais seguros e confortáveis com a vida. Queremos viver e desfrutar ao
máximo, sem nos preocupar com as consequências.

O comunicado escrito: o desejo de segurança


Este processo escrito em duas partes foi desenvolvido para ajudá-lo a liberar o desejo
por segurança. Mais uma vez, assim como fez com a liberação dos desejos de
controle e aprovação, para preparar a primeira parte, separe em duas colunas uma
folha em branco de seu diário da libertação. O título da primeira coluna será 'Casos
específicos em que eu queria segurança'. A segunda é: "Qual é o meu desejo a este
respeito AGORA?"
Comece escrevendo na primeira coluna todas as vezes que você se lembra quando
queria segurança. Em seguida, na segunda coluna, escreva seu desejo ATUAL sobre
ele (por exemplo, desejo de aprovação, desejo de controle ou desejo de segurança)
ou sua abreviatura. Quando você abandonar completamente esse desejo, faça um
sinal próximo a ele ou risque-o. Repita os passos acima e continue liberando seu
desejo ATUAL até sentir que está completamente liberado no que diz respeito ao
incidente. Como sempre, lembre-se de liberar também os chamados sentimentos
positivos, para que possa atingir estados de energia mais elevados.
Quando você se sentir pronto para seguir em frente, prepare outra folha para a
segunda parte do processo. Separe-o em duas colunas. O título do primeiro é "Como
procuro segurança". O do segundo, "Como coloco minha segurança em risco".
A seguir, faça uma lista de todas as suas formas de buscar segurança em sua vida
atual (no trabalho, nos relacionamentos, etc.). Pegue cada seção, familiarize-se com
seu desejo ATUAL, escreva se estiver relacionado ao desejo de aprovação, controle
ou segurança e libere-o completamente. Em seguida, marque ou risque o desejo
ATUAL e concentre-se em sua próxima ação.
A seguir, faça uma lista de todas as formas de comprometer sua segurança na vida
atual. Pegue cada seção, familiarize-se com o desejo ATUAL, escreva se está
relacionado ao desejo de aprovação, controle ou segurança e libere-o
completamente. Quando você abandonar completamente esse desejo, faça um sinal
ao lado de sua abreviatura ou risque-o.

83

LIBERE O DESEJO DE SEGURANÇA.

Casos específicos em que O que é AGORA meu


Eu queria segurança desejo sobre isso?

Visitar o medico Medo - d / c, d / s

O acidente de trânsito Eu quase perdi minha vida -


 
d/c,d/a,d/s

Demissão do trabalho Problemas econômicos

 
d / c, d / s , d / a

O processo de abrir mão do desejo de segurança

Para começar, volte sua atenção para dentro. Deixe o corpo relaxar. Familiarize-se
com a sensação geral que está tendo no momento.
LIBERE O DESEJO DE SEGURANÇA.

Como procuro segurança Como posso colocar em perigo meu


segurança    

Apólices de seguro d / s Correr riscos


   
d / c, d / s

Economizar d / a, d / s Doente - d / a, d / s

Mantenha o estado atual Mudando - d / s


d / a d / s,    

Você poderia aceitar o sentimento ATUAL e entender que está tudo bem?
Agora, lembre-se de uma situação em sua vida em que se sentiu ameaçado ou em
perigo, uma época em que o sentimento de querer segurança surgiu em você.
Você poderia aceitar em sua consciência a sensação de querer
segurança? Você poderia deixar isso ir
Em seguida, concentre-se na mesma situação ou em outra em que você se sinta
muito ameaçado. Você poderia aceitar esse sentimento de desejo por segurança?
Então você poderia abandoná-lo?
Repita as etapas acima quantas vezes quiser e depois siga em frente. Agora, permita-
se sentir neste mesmo momento e tanto quanto possível o desejo de segurança ou
sobrevivência, mas sem forçá-lo. Se necessário, pesquise

84

memórias, tendo em mente que todos os desejos nada mais são do que energia. Eles
não são "bons" nem "maus". Eles simplesmente são.
Você poderia deixar a sensação de querer segurança ser liberada?
Mais uma vez, convide seu sentimento de desejo de segurança para entrar em sua
consciência.
Você poderia deixar isso ir
Repita o processo várias vezes, observando que as coisas que antes o ameaçavam
agora parecem cada vez menos perigosas.
Lembre-se de que desejos ou necessidades são sistemas de crenças, programas que
usamos para fazer nossa vida funcionar. Conseqüentemente, experimentamos
pensamentos, sentimentos e comportamentos recorrentes. Quando você quer
segurança, pode pensar: “Oh, isso não está certo. Algo ruim vai acontecer "ou" Não é
assim. Vai ser um grande erro. Você pode se sentir assustado, ameaçado ou fora de
controle. Você pode ter um ataque de pânico. Você pode congelar bem no meio de
uma reunião ou situação importante. Seu comportamento pode incluir programação
excessiva, vigilância obsessiva, briga quando não há nada contra o que lutar, fugir e
fazer tudo o que puder para preservar o estado atual das coisas.
Você pensa sobre o que faz quando pensa que deseja segurança: um pensamento
recorrente, uma ação que você executa ou um sentimento. Você realmente pode
aceitar tudo isso em sua consciência?
Então, você poderia abandonar a sensação de querer segurança da qual surge essa
tendência?
Repita a etapa anterior quatro ou cinco vezes, liberando as imagens que vêm à mente.
Você poderia, agora, deixar o sentimento de querer segurança surgir novamente?
Você poderia mergulhar no âmago do desejo de segurança ou sobrevivência? Você
saberia ir ainda mais fundo?
E ainda mais?
E um pouco mais?
Se você continuar observando quaisquer resquícios do desejo de segurança ou
sobrevivência agora, você poderia liberá-lo?
Veja como você se sente seguro agora após o lançamento. Imagine como será sua
vida ao parecer mais seguro e liberar a sensação de insegurança, ao se sentir mais
confortável e calmo.
Descanse por um momento na segurança interior que você descobriu.

O desejo de estar separado

Quando queremos estar separados, sentimos que não queremos pertencer a nada ou
a ninguém, ou que precisamos manter uma identidade separada. Consequentemente,
agimos de forma a nos ajudar a manter uma identidade diferenciada. Estamos
sempre em um processo permanente de nos diferenciar de todas as outras pessoas e
coisas. Queremos mostrar que somos diferentes, melhores e especiais. Costumamos
dizer ao mundo: "Deixe-me em paz". Para a maioria de nós, o desejo de se separar,
apesar de sua sutileza, é tão prevalente que, por mais que influencie tudo o que
dizemos, fazemos ou pensamos, muitas vezes é difícil discernir claramente. O desejo
de separação pode ser muito forte ou muito sutil. No primeiro caso, é um sentimento
de rejeição e afastamento. Muitos de nós pensamos que a separação é a essência de
quem somos. Quando queremos nos separar, somos empurrados em duas direções:
queremos nos afastar de todos os outros ou queremos nos destacar da multidão.
Não queremos ser seres comuns e integrados.
Sinônimos do desejo de separação incluem o desejo de ficar sozinho, rejeitar, menosprezar,
se destacar, ser especial, ser marginalizado, se retirar e

85

desconectar. Quando deixamos de lado o desejo de estar separados, nos sentimos


mais capazes de nos relacionar com os outros, conectar-nos com eles, sem perder
nossa singularidade.

O desejo de ser um

Quando queremos ser um, sentimos o desejo de pertencer, ou como se


precisássemos eliminar nossa identidade separada e nos fundirmos com os outros
ou com todas as outras coisas. Pessoas que seguiram caminhos espirituais
geralmente são altamente motivadas por esse desejo. Estamos sempre em busca da
unidade, ignorando a unidade subjacente que já está presente sem a necessidade de
esforço. Tal como acontece com o desejo de separação, o desejo de ser um, apesar
de sua sutileza, é tão prevalente na maioria de nós que influencia tudo o que dizemos,
fazemos ou pensamos. Mas na medida em que temos algum sentimento de querer
ser um, sempre nos sentimos um pouco, ou muito, sozinhos e isolados, e queremos
acabar com essa solidão e isolamento. Muitas vezes, preenchemos nossas vidas
com sinais externos de conexão, para esconder ou evitar nossos sentimentos de
isolamento.
O desejo de ser um pode ser intenso ou sutil. É como um sentimento de saudade, de
desejo de conexão. Entre seus sinônimos estão o desejo de unir, aceitar, ser igual,
normal, se reunir, se associar, participar e se conectar. Quando abandonamos o
desejo de ser um, somos mais capazes de sentir a unidade que já existe no aqui e
agora, sem precisar buscá-la fora de nós.

A liberação escrita: o desejo de separação

Este processo escrito em duas partes foi projetado para ajudá-lo a liberar o desejo de
separação. Também aqui, como nos processos escritos anteriores, para preparar a
primeira parte, divida uma folha em branco do seu diário de lançamento em duas
colunas. O título da primeira coluna é "Casos específicos em que você desejava a
separação". O do segundo, "Qual é o meu desejo AGORA a este respeito?" Comece
escrevendo na primeira coluna quantas vezes você puder se lembrar quando queria
se separar ou queria ser um. Em seguida, na segunda coluna, escreva seu desejo
ATUAL (por exemplo, desejo de aprovação, desejo de controle, desejo de segurança
ou desejo de separação ou unidade) ou sua abreviatura. Quando você abandonar
completamente esse desejo, sinalize ou risque-o. Repita os passos acima e continue
liberando seu desejo ATUAL até sentir que está completamente liberado daquele
incidente. Lembre-se também, mais uma vez, de liberar seus chamados sentimentos
positivos, para que possa continuar a se mover em direção a estados de energia mais
elevados.
Quando você achar que está pronto para começar, prepare outra folha para a segunda parte
do processo. Também separe-o em duas colunas. O primeiro é intitulado "Como procuro a
separação". A segunda, "Como faço para buscar a unidade."
Agora, faça uma lista de todas as suas maneiras de buscar a separação em sua vida
atual (no trabalho, nos relacionamentos, etc.). Em seguida, pegue cada seção,
familiarize-se com seu sentimento ATUAL, escreva se está relacionado com o desejo
de aprovação, controle, segurança, separação ou unidade e libere-o completamente.
Em seguida, marque ou risque o desejo ATUAL e concentre-se na próxima ação
86

LIBERE O DESEJO DE SEPARAÇÃO.

Casos específicos em que O que é AGORA meu


Eu queria a separação desejo sobre isso?

Meu divórcio Raiva d / c , d / sep.

Promoção de emprego Orgulho d / a, d / set

Visita da minha tia Oprimido - d / c , d / a

Faça uma lista agora de todas as maneiras que você tem para buscar unidade em sua
vida atual. Pegue cada seção, familiarize-se com seu sentimento ATUAL, escreva se
ele se relaciona com o desejo de aprovação, controle, segurança ou unidade, e então
libere-o completamente. Depois de fazer isso, marque ou risque a abreviatura desse
desejo.

LIBERE O DESEJO DE SEPARAÇÃO.


 

Como procuro a separação Como procuro unidade

Sucesso d / a , d / c , d / sep Meditação d / u , d / c .

Vá para a outra sala Falar por telefone


d / cv, d / sep d / a, d / u

Para julgar as pessoas Sexo - dá,


d / a , d / c , d / sep d / s , d / u 
     

Processo para abandonar o desejo de separação

Comece acomodando-se e focalizando sua atenção internamente. Apenas


seja. Você poderia aceitar o sentimento ATUAL e entender que está tudo bem?
Agora, lembre-se de uma situação em sua vida em que se sentiu solitário ou desejou
que os outros se afastassem de você, uma época em que seu desejo de separação
ou união foi despertado.
Você poderia aceitar em sua consciência esse sentimento de desejo de separação ou
unidade?
Você poderia deixar isso ir

87

Agora concentre-se na mesma situação ou em outra em que você sentiu o desejo de


"me deixar em paz" ou ansiava por separação ou unidade. Você poderia aceitar esse
desejo de separação ou unidade?
Então você poderia abandoná-lo?
Repita as etapas acima quantas vezes quiser e depois siga em frente.
Em seguida, permita-se experimentar, sem forçar as coisas, toda a amplitude que
agora você pode dar ao desejo de se separar ou ser um. Se necessário, acorde-o
suavemente, ainda pensando que todos os desejos nada mais são do que energia.
Eles não são "bons" ou "maus": simplesmente são.
Você poderia abandonar o desejo de se separar ou de ser um?
Mais uma vez, deixe o sentimento de desejo de separação ou unidade entrar em sua
consciência.
Você poderia deixar isso ir
Repita o processo várias vezes, observando que as coisas que antes o separavam
agora parecem cada vez menos importantes e que você se sente mais imerso no
fluxo. Lembre-se de que desejos são sistemas de crenças, programas que usamos
para administrar nossas vidas. Conseqüentemente, experimentamos pensamentos,
sentimentos e comportamentos recorrentes. Quando você deseja a separação, pode
pensar: "Eu realmente sou especial" ou, se quiser união, "Estou completamente
sozinho, isolado de tudo o que realmente importa para mim". Você pode se sentir
isolado, solitário ou rejeitado. Você pode simplesmente se sentir marginalizado,
perdido ou insatisfeito com o ambiente.
Pense no que você faz quando sente que deseja ser um: um pensamento recorrente,
uma ação que você realiza ou um sentimento. Você realmente pode aceitar tudo isso
em sua consciência?
Então, você poderia abandonar esse sentimento de querer se separar, ou ser um, do qual
surge essa tendência?
Repita a etapa anterior quatro ou cinco vezes, liberando as imagens que vêm à mente.
Agora, você poderia permitir que esse sentimento de querer se separar ou ser um
ressurgisse?
Você poderia mergulhar no âmago desse desejo?
Você poderia cavar mais fundo?
E ainda mais?
E um pouco mais?
Se você ainda está ciente de algum resquício de desejo de separação ou desejo de ser
um neste momento, você poderia liberá-lo?
Observe como agora, após a liberação, você se sente muito mais unido e confortável.
Imagine como será a sua vida à medida que você se conectar mais e mais com o
fluxo do que existe, e como você se sentirá calmo e confortável quando tiver a
sensação usual de que tudo está bem e está se desenvolvendo de acordo.
Descanse por um momento na unidade interna que você descobriu.

A anatomia de uma árvore Imagine-a da limitação

Imagine que você está perdido no meio de uma densa floresta de limitação imaginária. Qual
é a anatomia dessas árvores? No nível mais sutil, eles são feitos de átomos que, em nosso
mundo, chamamos de "pensamentos". Os ramos representam os nove estados emocionais.
O tronco e as raízes que se estendem para os lados a partir de sua base representam o
desejo de aprovação e o desejo de controle, assim como seus opostos. A raiz principal, que
afunda no solo, representa o desejo de segurança e seu oposto. Finalmente, a base
representa o desejo de ser separado e seu oposto, o desejo de ser um. (Veja a ilustração na
próxima página).
Se quisermos sentir essas árvores imaginárias de limitação e romper essa floresta pela
libertação, existem várias maneiras de fazê-lo. Nós poderíamos soltar um

88

átomo a cada vez, trabalhando para mudar nosso pensamento. Mas isso levaria
muito tempo. Poderíamos prosseguir ainda mais ativamente e arrancar algumas
folhas soltas (sentimentos). Mas as folhas tendem a brotar. Ou podemos começar a
podar os galhos (os nove estados emocionais). No entanto, se você já podou uma
árvore, sabe que os galhos tendem a reaparecer com mais vigor do que antes. Só
começamos a nos mover de forma significativa quando começamos a cortar o tronco
e as raízes laterais (o desejo de aprovação e o desejo de controle). Obviamente,
muitas árvores brotam novamente de tocos, mesmo depois que parte de suas raízes
são arrancadas.
89

Não há muita certeza de ter eliminado essa árvore imaginária até que comecemos a
cortar sua raiz principal: o desejo de segurança, e seu oposto, o desejo de morrer.
Lembre-se agora de que, na floresta da limitação em que você está perdido, todas as
árvores são imaginárias.
Todas as limitações são imaginárias. Em qualquer ponto desse processo, você pode
vislumbrar o que está além das árvores, o pano de fundo de perfeição e infinito que
sustenta a floresta, mas não é influenciado por ela. Portanto, ao usar o Método
Sedona, aceite a possibilidade de que grandes pedaços da própria floresta caiam e
desapareçam. Freqüentemente, quando você menos espera, irá liberar
espontaneamente grandes pedaços de sua limitação imaginária. É algo que ocorrerá
com cada vez mais frequência à medida que você se liberar no reino dos quatro
desejos básicos.

90

8
Defina e alcance seus objetivos
Neste capítulo, exploraremos uma aplicação poderosa do Método Sedona: definição
e realização de metas. Não posso garantir que o processo descrito aqui o ajudará a
atingir qualquer meta que você estabeleceu para si mesmo, mas posso prometer que
aumentará drasticamente as chances a seu favor. Este processo não só pode ajudá-
lo a discernir quais objetivos você realmente pode e deve perseguir, mas também o
ajudará a abandonar objetivos que não são apropriados. Além disso, você começará
a se sentir melhor em relação ao estabelecimento de metas em geral.
Quando você ouve a palavra "meta" ou "meta", isso evoca fortes sentimentos positivos ou
negativos? Vivemos em uma cultura em que as metas são muito importantes, mas a maioria
de nós nutre sentimentos conflitantes sobre o estabelecimento de metas e sua realização.
Internalizamos tantos deveriam e não deveriam ditar o que devemos querer e pelo que
devemos lutar na vida, que os objetivos que buscávamos no passado, ou que buscamos
agora, muitas vezes não parecem seja o nosso.
Você tem metas para o seu trabalho? Sua família está tendo influência indevida em
suas decisões? Você acha que seus amigos e colegas aceitam apenas determinados
objetivos? Se você respondeu "sim" a alguma das perguntas acima, você não está
sozinho. Às vezes, a maioria de nós se sente encurralada ou pressionada em direção
a objetivos que provavelmente não teríamos escolhido se dependesse de nós.
Além disso, tivemos diversas experiências em nossa luta para alcançar nossos
objetivos: algumas foram boas, outras nem boas nem más, e outras frustrantes.
Embora tenhamos tentado com todas as nossas forças atingir certos objetivos, no
final desistimos, porque demoramos muito para alcançá-los. Alcançamos outros
objetivos sem nem tentar. Esses tipos de experiências influenciam nossas
impressões sobre o estabelecimento de metas e geram um amplo espectro de
reações emocionais. Simplificando, há muita confusão em torno de todo esse tópico.
Quando Lester Levenson liderou a criação do processo de definição de metas que você está
prestes a aprender, ele estava ciente da confusão que muitas pessoas sentem a respeito. Ao
projetar um sistema simples, ele estava confiante de que seria capaz de aliviar grande parte
do sofrimento associado aos objetivos. Elaborou conscienciosamente um processo com o
qual, além de criar o que queremos em nossas vidas, obtemos um benefício ainda maior ao
nos libertarmos de nossos objetivos: a imperturbabilidade.

Torne-se "Imutável"

Todos nós dedicamos muito do nosso tempo para fugir dos conteúdos atuais ou potenciais
da nossa vida, ou para nos aproximar deles, conteúdos que são o resultado dos nossos
apegos e das nossas aversões. São os objetos reais ou imaginários que mantemos na
consciência e que conferem o poder de conceder ou negar o estado natural de felicidade. Os
anexos são coisas das quais queremos manter próximos. As aversões, aquelas que
queremos afastar. Em ambos os casos, a palavra-chave é 'manter'. Uma vez que eles são a
principal causa de

91

nosso sofrimento desnecessário, uma definição elementar de liberdade seria não ter
apegos ou aversões.
Quando você estabelece uma meta e usa a liberação para alcançá-la, você desperta
em sua consciência os apegos e as aversões que tem sobre aquele tópico específico.
Então, quando você abre mão de seus apegos e aversões a esse objetivo, você o
alcança ou não. Mas, em ambos os casos, você aliviou seu fardo de sofrimento. Você
se tornou livre.
Os resultados são obtidos por meio de um estado de sentimento interior que Lester
chamou de "imutabilidade". Ser imutável significa não se exibir de forma alguma,
independentemente de um determinado objetivo ser alcançado ou não. Ao contrário
da crença popular, os objetivos não são alcançados quando são fortemente
desejados. Na verdade, se você analisar honestamente suas experiências anteriores,
descobrirá que a maioria dos objetivos que alcançou são aqueles que você deixou de
desejar, mesmo que sem tentar. Muitas pessoas se concentram no esforço que leva à
liberação e, então, atribuem os resultados a esse esforço e não à liberação. Eles
estão errados.
Ao passar por esse processo, você descobrirá que lutar é desnecessário. Isso não
significa, é claro, que você não deva tomar medidas ativas para atingir seus objetivos.
Significa simplesmente que as etapas que você decidir dar exigirão menos esforço e
drama. Quando você se permite se libertar a ponto de ser imutável quanto a atingir
uma meta, duas coisas podem acontecer. Você pode descobrir que abandona
completamente esse objetivo e, portanto, se sentir aliviado, ou pode descobrir que
tem mais probabilidade de alcançá-lo do que quando o desejava. Como Lester
costumava dizer: “Até o impossível se torna completamente possível quando você
está completamente liberado dele. E você sabe que é, quando não grita, quando
permanece inalterado.
Você pode se preocupar agora, pois, se for imutável, não desfrutará dos frutos de
seus esforços. Permita-me afastar esse medo. É algo que, na minha experiência, não
poderia estar mais longe da verdade.
Quanto mais imutável você for, mais livre se sentirá para aproveitar o que tem
naquele momento, sem o medo usual de perder ou se decepcionar.
No Capítulo 6, ("Aprofundando sua liberação"), examinamos nossas motivações e
como tendemos a confundir objetos com sentimentos. Queremos aprovação,
controle, segurança e separação, além de seus opostos, e erroneamente acreditamos
que os objetos nos concedem esses desejos. Portanto, outra razão pela qual
podemos ter sentimentos conflitantes sobre as metas é que, mesmo quando
obtemos algo que pensamos que queremos, isso nunca realmente nos satisfaz.
Afinal, por quanto tempo gostamos de um carro, um aparelho de som ou um novo par
de sapatos? Normalmente não muito. Quase no momento em que adicionamos um
novo item à nossa lista, passamos para o próximo, porque a felicidade que buscamos
não está realmente naquele item. Em vez disso, é nosso estado natural de ser.
Quando nos esquecemos de buscar objetos e resultados, nos tornamos imutáveis.
Isso significa que você deve parar de estabelecer metas? Claro que não. Eu
recomendo fortemente que você estabeleça seus objetivos usando o processo
descrito neste capítulo, até que você os alcance ou libere seu desejo por eles. Negar
que você deseja algo não fará com que o desejo desapareça. Enquanto você não
reconhecer um desejo e o conseguir ou se livrar dele, ele irá corroê-lo por dentro.
Fique tranquilo; Você se divertirá perseguindo seus objetivos usando este processo,
porque se sentirá mais livre e feliz a cada passo que der.

Robert: manifestar-se sem confusão

Aos 63 anos, Robert pensava há muito tempo em se aposentar. Ele estava


executando um projeto multimilionário para o governo federal que estava se
deteriorando e ele estava desesperado

92

porque eu queria que fosse um sucesso. Então ele se viu no meio de um divórcio
tempestuoso, que sua esposa achou muito lucrativo. De repente, sua situação
financeira ficou difícil e ele ficou furioso. Foi quando ele comprou as fitas do Método
Sedona e começou a ouvi-las.
Alguns anos atrás, Robert havia feito sua própria descoberta sobre a imutabilidade.
Ele viu que se realmente precisasse ou quisesse que algum objeto material fosse seu,
a primeira coisa que tinha que fazer era articular claramente em sua mente
exatamente o que queria. O segundo e mais importante passo foi expressar qualquer
sentimento de necessidade ou desejo, deixar ir. Então, mais cedo ou mais tarde, o que
ele quisesse se materializaria. Sempre que conseguia fazer isso, ele obtinha
resultados surpreendentes. 'pelo contrário, se você estava ansioso ou ávido por
aquela coisa, sua aquisição nunca ocorreu. Foi uma revelação para ele ver esse
fenômeno explicado no Método Sedona. No final, ele entendeu sua relação com as
necessidades básicas de aceitação, controle e segurança. Ele acredita sinceramente
que não foi por acaso que, no meio do programa de áudio, ele experimentou um
"milagre" que literalmente o transformou em um milionário da noite para o dia. Devido
a uma sequência imprevisível de eventos, um de seus investimentos triplicou de valor.
E a história não termina aqui, pois Robert se propôs vários objetivos. A prioridade era
livrar-se de todos os sentimentos negativos sobre as pessoas que tinham a ver com
sua vida. Ele o alcançou quase imediatamente por meio da liberação diária. Ele
também queria mais dinheiro do que ganhava com os lucros de suas ações e um
emprego para poder trabalhar em casa e definir seu próprio horário. Ele estava
disposto a largar o emprego e as viagens, mas seu chefe não o deixou sair. Então ele
se tornou um conselheiro. 'Embora quase ninguém no governo federal trabalhe em
casa, Robert sim. Ele dobrou sua renda após sua "aposentadoria". Além disso, ele
queria morar em uma casa perto de um lago. Com o Processo de Definição de Metas,
ela manifestou seu sonho de ter uma casa por um ano. Ele simplesmente visualizou
um pôr do sol sobre o lago, sentado atrás de sua mesa de trabalho. Em seguida, ele
usaria as três questões básicas de liberação e abandonaria o sonho completamente.
Ele não deixou que isso o afligisse.
Um dia, Robert estava dirigindo à beira de um lago e viu uma placa anunciando a
venda de várias propriedades. Ele parou para olhar algumas casas bonitas que, por
vários motivos, não eram atraentes para ele. Então ele percebeu um caminho que
levava a outra casa mais perto da água. Ao entrar, ele podia ver o lago de uma janela
da frente. Na verdade, todos os quartos, exceto os dois banheiros, davam para o lago.
A casa era do tamanho certo para ele: nem muito grande, nem muito pequena. Os
proprietários anteriores haviam removido algumas partições e apenas algumas
pequenas alterações eram necessárias. Como o preço era bom, Robert comprou a
casa no mesmo dia.
Nas palavras de Robert: 'A imutabilidade é importante para mim. Tudo o que tenho de
que gosto e tudo o que queria ter, chegou graças a esse estado. Não posso dizer com
que frequência isso ocorre. A mente é uma propriedade preciosa. Antes de descobrir
o Método, eu já sabia que era preciso definir metas e relaxar a mente. O Método me
ensinou como fazer.

Libere sentimentos sobre o


estabelecimento de metas

Antes de realmente começarmos a trabalhar no processo de definição de metas, vamos


praticar a liberação geral de metas. Como expliquei no início do capítulo, a maioria de nós
tem sentimentos diferentes sobre a busca de um objetivo. Vivemos em uma sociedade
voltada para objetivos, uma sociedade que muitas vezes é implacável. Se alcançamos esses
objetivos em nossas tentativas anteriores, podemos ficar entusiasmados com isso. Mas
mesmo no caso de

93

No passado tivemos sucesso, podemos ter algum medo de adotar uma nova forma
de trabalhar com metas e seguir em frente. E se não tivermos sucesso? Se tentamos
atingir metas antes e fracassamos, provavelmente transferiremos nossos
sentimentos em relação a esses fracassos anteriores para quaisquer esforços
futuros.
Portanto, veja como você se sente sobre sua história em relação às metas que você
definiu anteriormente para si mesmo. Analise como você se sente em geral sobre os
objetivos.
Permita-se sentir o que você pode sentir AGORA sobre os objetivos. Aceite o
sentimento da melhor maneira possível. Deixe estar lá.
Então, você poderia se permitir observar de que desejo vem (aprovação, controle ou
garantia)?
Você poderia abandonar esse desejo?
Pense agora em um momento específico em que você não atingiu uma meta. Você
consertou. Você deu os passos para alcançá-lo e, apesar de tudo, não foi assim que
aconteceu. Como você se sente sobre essa história agora?
Aceite como você se sente agora por não ter alcançado esse objetivo. Você
poderia permitir que o sentimento simplesmente estivesse lá?
Verifique se isso vem de um desejo interno de aprovação, controle ou segurança.
Então, seja qual for o desejo, você poderia simplesmente deixá-lo ir?
Repita o processo, concentrando-se na mesma memória, se ainda tiver sentimentos a
respeito. Ou passe para outro momento em que você definiu uma meta e não a alcançou,
determine quais desejos surgem neste momento e libere-os da melhor maneira possível.
Agora lembre-se de que alguém já o pressionou para realizar algo. Talvez você se
dedique a vendas, ou trabalhe em uma empresa que impõe um certo objetivo a você.
Muitas vezes somos pressionados a tentar alcançar objetivos que talvez não nos
sintamos capazes de alcançar. Seus pais ou cônjuge podem ter estabelecido uma
meta para você. Quando você se lembrar de tal situação, veja quais são seus
sentimentos sobre isso AGORA.
Permita-se sentir o que está sentindo agora sobre aquele momento em que foi
pressionado a atingir um objetivo.
Em seguida, verifique de que desejo veio.
Você poderia abandonar esse desejo?
Concentre-se novamente naquele momento específico em que estava sendo
pressionado a atingir uma meta, fosse você mesmo ou outras pessoas que
exerceram essa pressão e veja como você se sente a respeito agora.
Existe um sentimento de desejo relacionado a essa memória? Você poderia abandonar
esse desejo?
Agora pense em uma meta que você acha que deveria, deveria ou tem de alcançar.
Você pode não querer propor, mas acha que deveria. Como isso te faz sentir por
dentro?
Você poderia deixar esse sentimento estar lá; apenas deixe existir? Esse
sentimento desperta alguma resistência ou outro desejo?
Você poderia largá-los?
Concentre-se na pressão para atingir os objetivos, seja você quem os exerce ou
outras pessoas o fazem, e aceite em sua consciência esse sentimento de pressão
para ter, fazer ou ser.
Você poderia permitir que a pressão estivesse lá para aceitá-lo totalmente?
Verifique qual desejo desperta essa pressão dentro de você.
Então você poderia abandoná-lo?
Buscar metas deve ser sempre uma decisão. Quanto mais pudermos começar do zero
a cada momento, sem ideias preconcebidas e sem carregar uma carga excessiva do
passado, mais chances teremos de ter sucesso e alcançar os objetivos que
estabelecemos para nós mesmos. Quando você considera que deixou ir o suficiente

94

de suas crenças e sentimentos restritivos, você estará preparado para continuar com
o que é dito abaixo sobre o Processo de Definição de Metas.

Prepare suas declarações de missão

Formule uma declaração de missão

Escrever seus objetivos é uma das chaves para alcançá-los. Na verdade, estudos com
pessoas de sucesso mostram que aqueles que colocam seus objetivos por escrito
têm mais probabilidade de alcançá-los do que aqueles que apenas pensam neles.
Além disso, formular um objetivo corretamente pode fazer a diferença entre se ele é
finalmente alcançado ou não. Antes de avançar para a formulação de seus objetivos,
existem alguns pontos a serem considerados:

• Formule seu objetivo para AGORA, como se já tivesse sido alcançado. Muitos de nós
caímos na armadilha de pensar que, no futuro, criaremos o que quisermos. Mas o
futuro parece nunca chegar. Quantas vezes você já disse a si mesmo: "Farei isso
amanhã" e não disse? Sempre que você pensa: "Farei isso mais tarde" ou "... na
próxima semana" ou "... no próximo ano", você projeta sua meta para o futuro.
Formulá-lo como um evento futuro geralmente o mantém sempre fora de alcance.
Isso me lembra um anúncio inteligente que um de meus alunos viu em um pub inglês, que
dizia: "Cerveja grátis amanhã." Ninguém jamais foi capaz de se beneficiar com a oferta.
• Formule sua meta de maneira positiva. Inclua nele o que você quer, não o que você
não quer. Foco na solução. Sua declaração de meta deve refletir o resultado final que
você gostaria de alcançar. Evite incluir qualquer coisa que você queira se livrar na
declaração, porque pensar sobre o que você não quer faz exatamente isso existir.
Digamos, por exemplo, que você queira parar de fumar. Não seria correto formular
seu objetivo assim: "Eu me permito parar de fumar."
Você lembra que costumávamos dizer que a mente não traduz palavras negativas
como "não", "não faça", "pare", porque pensa em imagens? Tente não pensar em um
elefante branco e no que você está pensando? Em um elefante branco.
Sempre coloque algo no alvo que a mente possa visualizar. Por exemplo: "Eu me
permito ser um não fumante." Você pode imaginar ser um não fumante, pois é algo
que você pode ver - outras pessoas que não fumam. Você também pode imaginar
uma sensação cinestésica de respirar profunda e livremente ou subir um longo lance
de escadas sem ficar sem fôlego. Formular seus objetivos dessa forma faz uma
grande diferença.
• Seu objetivo deve parecer realista e correto para você. Deve parecer possível - com
o sentimento de "eu consigo". Digamos que você ganhe $ 1.000 por semana, mas o
que você realmente deseja é ganhar $ 10.000. Aumentar sua renda de $ 1.000 para $
10.000 por semana pode ser um salto muito grande para você aceitar em uma única
declaração de missão. Em vez disso, você pode começar formulando sua meta
assim: "Meu objetivo é ganhar US $ 2.500 por semana sem esforço." É um avanço em
relação à sua situação atual, mas parece mais realista.
Quanto mais alcançável for a meta que você estabeleceu para si mesmo - formulada
de tal forma que a mente possa pelo menos aceitá-la como uma possibilidade - mais
fácil será para você liberar os obstáculos que guarda dentro de si para atingir essa
meta.
• Inclua-se na formulação do objetivo. Em outras palavras, se você deseja limpar a casa,
você pode formular seu objetivo assim: "Eu concordo em limpar minha casa", em vez de: "A
casa está limpa". Quando você diz "A casa está limpa", pode não acreditar. Se você colocar
desta forma, de certa forma, você também pode começar a ter esperança de que um milagre
aconteceria e que a casa se limparia sozinha. Por outro lado, se no passado você teve muita
resistência em limpar sua casa, então você libera no objetivo «Eu aceito

95

limpe a casa com facilidade ”, você pode se ver limpando. Isso é muito mais fácil.
• Seja preciso e conciso. Concentre-se em um objetivo em cada afirmação. Não
espalhe sua energia criando objetivos múltiplos. Além disso, use o mínimo de
palavras possível, sempre se certificando de fazer uma declaração completa do que
deseja. Escolha as palavras exatas que transmitem o significado específico que o
deixa animado. O entusiasmo é importante.
Há anos, numa das nossas oficinas, um homem fixou um objectivo: «Permito-me ter
um bom rendimento, poder ter um carro desportivo novo, uma casa no campo,
empregadas domésticas que cuidam da segunda residência, e a mulher perfeita com
quem compartilhar tudo isso ». Como você verá, havia vários alvos em um e eles
estavam empurrando aquele homem em direções diferentes. O instrutor o ajudou a
simplificar seu objetivo, dividindo-o em objetivos individuais específicos. Em seguida,
eles criaram uma meta abrangente que abrangia toda a situação:
"Eu me permito ter todas as coisas boas da vida e apreciá-las." Você verá que tudo vai
lá.
• Seja específico, mas não restritivo. Deixe as coisas o mais abertas que puder, para
que possa propor melhores resultados do que inicialmente propôs.
• Elimine a palavra "querer". Como explicamos em detalhes no Capítulo 6, o desejo o
impede de ter. O que você prefere, gostaria de ter muito dinheiro ou realmente ter
muito dinheiro? Quer ter o relacionamento perfeito ou realmente tê-lo? Deseja ter boa
saúde ou ter boa saúde? "Querer" sempre equivale a um sentimento de carência ou
privação, portanto, evite incluir esse sentimento de carência em sua declaração de
missão.
• Formule sua meta de uma forma que facilite a entrega. Certifique-se de formular sua
declaração de missão de uma forma que não inclua o desejo de aprovação, controle,
segurança ou separação. Uma área em que você pode ter problemas é nos
relacionamentos. Por exemplo, se você definir a meta "Eu permito que Mary (ou Joe)
me ame", você pode ficar preso no desejo de aprovação. Em primeiro lugar, você irá
onde for necessário e fará o que for preciso para tentar fazer com que essa pessoa o
ame. E se descobrir que essa pessoa não é a pessoa certa para você? A meta seria
muito mais aberta e inclusiva se você formulasse assim: "Eu me permito ter um
relacionamento de amor." É mais fácil liberar com base nesse objetivo, e o resultado
pode ou não ser um relacionamento com a pessoa em quem você está interessado.
Outro objetivo que pode causar problemas para você é: "Eu permito que ________
(nome de outra pessoa) tenha / seja / faça _________ (algo que você quer que eu
tenha / seja / faça)." Se você formular uma declaração de missão dessa maneira, isso
indica que deseja controlar a experiência dessa outra pessoa. Se alguém em seu
ambiente parece precisar de ajuda, é muito mais libertador formular seu objetivo
assim: "Eu permito que ________ (nome da pessoa) tenha o que quiser para si
mesma." Essa abordagem é especialmente útil para pessoas que sofrem de algum
tipo de sofrimento. Isso lhes dá sua própria força e capacidade de compreender: seu
próprio ser.
• Formule o resultado final, não os meios para alcançá-lo. Vamos voltar ao exemplo
anterior de ganhar uma renda semanal de $ 2.500. Ao formular sua declaração de
missão, não explique como você vai conseguir o dinheiro. Já vi pessoas fazerem
afirmações como estas: "Permito-me ganhar US $ 2.500 por semana trabalhando
dezoito horas por dia, seis dias por semana", e toda uma lista de outras ações que
consideraram necessárias para atingir seus objetivos. Na verdade, todas essas são
limitações. As ações que pensamos que deveríamos realizar muitas vezes nada têm
a ver com o objetivo em si. Eles nada mais são do que obstáculos artificiais que
atrapalham.
Quando neste capítulo trabalharmos em seus objetivos, você aprenderá a liberar de
uma forma concreta a cada passo que der. Você deve estar sempre aberto ao
inesperado. E se alguém lhe desse uma grande quantia em dinheiro? E sim

96
você vai ganhar na loteria? Muitas coisas podem acontecer, o que permite que você
abrigue um objetivo em sua consciência.
• Formule sua meta de uma forma que se relacione com coragem, aceitação ou paz.
"Eu me permito ...", "Eu posso ..." ou "Eu me abro para a possibilidade de que ..." são
boas maneiras de iniciar um objetivo relacionado à coragem. "Eu tenho ..." é uma boa
maneira de iniciar uma meta de aceitação. "Eu sou ..." é uma boa maneira de iniciar
uma meta relacionada à paz. Essas maneiras de iniciar uma declaração de meta
permitem que a mente use sua criatividade para gerar possibilidades de como a meta
pode ser produzida.
Aliás, se você ainda não tem coragem de enfrentar um determinado objetivo, alcançá-
lo será um grande passo em frente. Depois disso, você sempre pode reformular a
meta para aumentar ainda mais a energia em direção à aceitação ou paz.

Exemplos de declarações de missão

Você pode usar esses exemplos básicos para criar suas próprias declarações de
objetivos. Tudo o que você precisa fazer é ajustar o texto final para refletir sua
situação particular.

Trabalho / Profissão / Economia


• Eu me permito administrar meu _______ (negócio / departamento) de forma eficaz e com sucesso.
• Eu me permito liberar com facilidade durante meu dia de trabalho.
• Permito-me ter e desfrutar facilmente do trabalho que melhor me convém neste
momento da minha ______ (vida / profissão).
• Permito-me encontrar e desenvolver facilmente uma profissão que aproveite ao
máximo minhas habilidades criativas (ou habilidades) e que me traz muitas
recompensas financeiras.

Relações / Comunicação
• Eu permito que meu relacionamento com _______ seja _______ (escolha na lista a
seguir: fácil, relaxado, confortável, caloroso, harmonioso, atencioso, construtivo,
solidário, aberto, honesto, gentil ou mutuamente benéfico).
• Eu me permito comunicar-me de maneira fácil e eficaz com meu _______ (escolha a
categoria apropriada: cônjuge, colegas de trabalho, chefe, subordinados, filhos,
amigos ou o nome de uma pessoa).
• Eu permito que minha situação com _______ seja resolvida de uma forma justa e
benéfica para todos os envolvidos.
• Eu me permito amar e me aceitar (ou me perdoar) ou faço o mesmo com _______
(insira o nome da pessoa), aconteça o que acontecer.
• Permito-me ajudar com amor ______ (inserir nome) no seu crescimento e liberdade.
• Eu permito que _______ (inserir nome) tenha o que quiser para si mesmo.

Dieta
• Permito-me atingir e manter o meu peso ideal sem qualquer ansiedade.
• Permito-me desfrutar de alimentos que me mantêm no meu peso, saudável e em forma.

Saúde geral
• Eu me permito liberar naturalmente e com calma.
• Permito-me dormir bem e acordo revigorado e descansado em _______
• Eu me permito estabelecer e manter facilmente um estilo de vida que promova
uma boa saúde e boa forma.
• Permito-me desfrutar de não ser fumante.

97

Atividade: escreva seus objetivos

Agora que você sabe todos os detalhes de como escrever uma declaração de missão,
volte para a lista de intenções para este curso que você escreveu em seu diário de
lançamento, como sugeri no Capítulo 1, e escolha um ou dois elementos para
trabalhar . Pode ser necessário mais de um objetivo para reescrever usando as
diretrizes e exemplos acima, mas eu recomendo que você limite o número de objetivos
em que está trabalhando ativamente em qualquer momento por dois motivos.
Primeiro, porque é mais provável que você leve seus objetivos até o fim (seja a
conquista deles ou a liberação completa) se conseguir evitar a dispersão de energia
concentrando-se em muitos objetivos ao mesmo tempo. E em segundo lugar, porque,
como o Método nos ajuda a deixar ir em um nível tão profundo, você notará que
muitos dos itens de sua lista são alcançados sem ter que trabalhar conscientemente
neles.
Em uma folha em branco de seu caderno de liberação, reescreva os objetivos que
você selecionou usando as diretrizes acima. Conforme você trabalha no processo de
definição de metas e no processo de ação que se segue, será útil ter suas
declarações de metas escritas da melhor maneira possível.

O Processo de Determinação de Metas

O processo de definição de metas é


incrivelmente simples. Você vai se «Iniciei este curso num momento de
concentrar nas declarações de metas grande confusão no meu negócio.
positivas, uma após a outra, e vai usar Durante os 22 meses anteriores,
cada uma como se fosse um ímã para sofremos quatro contratempos
empurrar para fora de sua mente importantes, e as vendas da minha
subconsciente qualquer atitude empresa caíram para um nível sem
negativa que possa ter em relação a precedentes - 80% do que era normal.
essa meta, e então você vai deixar vai. Tive de tomar muitas decisões difíceis e
Se o processo o deixa nervoso ou ainda tenho forças para desenvolver e
cético, tenha uma coisa em mente: se implementar um plano de recuperação.
você sempre fizer o que sempre fez, Com as ferramentas do Método, tive
sempre alcançará o que sempre uma metodologia para tomar decisões,
alcançou. agir e dormir à noite. Além disso, todas
as ações ficaram mais fáceis, claras e
O processo de definição de metas é com um objetivo mais bem definido. A
uma oportunidade de aprender como empresa mudou drasticamente. Não
fazer o que você faz de uma nova saímos completamente do túnel, mas já
vimos a luz no seu fim »
maneira .

Passo 1: Escreva seu objetivo no topo —MP, Nova York


de uma folha de papel, usando o texto
correto.
Etapa 2: leia o alvo silenciosamente ou em
em voz alta e, abaixo dela, escreva a primeira coisa que pensar ou sentir a respeito.

Etapa 3: pergunte a si mesmo que desejo está por trás desse pensamento ou sentimento,
usando a pergunta: Isso vem de um desejo de aprovação, controle ou segurança?
Escreva o desejo em questão com a abreviatura correspondente: para o desejo de
aprovação, escreva d / a. Para o controle, d / c. Para segurança, d / s. Se houver mais
de um desejo, basta escrever as abreviaturas correspondentes.

98

O PROCESSO DE DETERMINAÇÃO DE OBJETIVOS.

OBJETIVO: Eu me permito atingir e manter meu peso ideal sem qualquer ansiedade.
Qual é o meu sentimento ATUAL em relação a este objetivo?

Eu desejo - eu gosto de comer - d / a,


d / c. Raiva - eu odeio dietas - d /
c
Frustração - não tenho tempo para
fazer exercícios - d / a, d / c
Coragem - eu consigo - d / a

Passo 4: Libere todos os desejos que surgirem no momento ATUAL sobre o


sentimento ou pensamento que você escreveu. Pergunte-se: eu poderia abrir mão do
desejo de aprovação, controle ou segurança? Ao descartar um determinado desejo,
risque-o ou marque-o com uma marca de seleção.

Etapa 5: Repita as etapas 2, 3 e 4 até sentir coragem, aceitação ou paz quanto ao


objetivo. Depois de sentir um desses estados emocionais superiores, você pode ter
certeza de que removeu uma camada de limitação sobre aquele objetivo específico.
Em seguida, você tem três desempenhos possíveis na Etapa 6.

Etapa 6: sua primeira opção é continuar repetindo o processo anterior para eliminar
mais algumas camadas de limitação desse objetivo específico.

A segunda opção é deixar o processo de definição de metas de lado por enquanto e


continuar com seus negócios. Faça o que puder para liberar sempre que pensar
nessa meta ao longo do dia.
Um pequeno aviso sobre o abandono prematuro: Antes de interromper o processo, é
melhor atingir pelo menos um estado de coragem, aceitação ou paz. Caso contrário,
você manterá em sua mente um resultado que não é nada ideal. Além disso, você
provavelmente não terá interesse em repetir a liberação em qualquer nível de energia
que esteja abaixo da coragem.
A terceira opção na Etapa 6 é continuar com o Processo de Determinação de
Objetivo, trabalhando através do Processo de Ação na próxima seção.

O Processo de Atuação

O Processo de Atuação pretende ser um complemento do Processo de Definição de


Metas e irá ajudá-lo a liberar melhor suas limitações internas - as barreiras
emocionais, mentais e comportamentais - que o impedem de agir e perseguir seus
objetivos com eficácia. Além disso, esse processo o ajudará a distinguir entre as
etapas de ação realmente necessárias para atingir determinado objetivo e as que não
o são. Dessa forma, você pode economizar muito tempo e esforço.
Muitos de nós evitamos estabelecer uma determinada meta porque imaginamos que
não temos a vontade de realizar as ações necessárias para alcançá-la. Quando você
libera seus passos de ação, você pode achar que é possível liberar seu

99

resistência a tomar essas ações concretas ou que, de fato, as ações são


desnecessárias e um mero produto mental.
Portanto, pegue uma folha em branco do seu diário de libertação e vamos começar.

Passo 1: Escreva sua declaração de missão no topo da página, usando todo o texto.
Para isso, é melhor não usar abreviaturas.

Etapa 2: Depois de ler a meta em silêncio, pergunte-se: Que ações acho que preciso
realizar para atingir essa meta? Em seguida, em linhas separadas, escreva todas as
ações que vierem à mente. Haverá alguns que virão à mente imediatamente.
Você também tem a opção de escrever uma única ação por vez e repetir as etapas 3,
4 e 5 antes de passar para a próxima ação.

Etapa 3: ao lado de cada ação específica, escreva quaisquer pensamentos ou


sentimentos que você tenha a respeito dela.

Etapa 4: pergunte a si mesmo que desejo está por trás desse pensamento ou sentimento, usando o
Pergunta: Isso vem de um sentimento de aprovação, controle ou segurança? Escreva o
desejo, como fez durante o Processo de Definição de Metas, e escreva uma
abreviatura ao lado da pergunta: d / a (aprovação), d / c (controle) ed / s (segurança).
Se mais de um desejo surgir, escreva as abreviações correspondentes.

Passo 5: Libere todos os desejos que surgirem no momento ATUAL no


sentimento ou pensamento que você escreveu. Use a pergunta: Posso abrir mão do
desejo de aprovação, controle ou segurança? Ao descartar um determinado desejo,
risque-o ou marque-o com uma marca de seleção. Continue liberando cada passo da
ação até sentir coragem, aceitação ou paz.

Etapa 6: Repita as etapas 2, 3, 4 e 5 até concluir o Processo de ação para todas as


ações que você gravou. Se você tiver pouco tempo, pode levar alguns minutos para
concluir o processo em algumas etapas e, posteriormente, concluir as demais. Mas
gaste pelo menos o tempo necessário para se sentir corajoso em cada etapa em que
trabalhar.

Etapa 7: comece a agir onde for apropriado. Além disso, continue liberando antes de
executar as etapas de ação, enquanto as executa e depois de executá-las.

Se você já usa um programa de gerenciamento de tempo no computador, ou um livro


que contém um plano de ação diário, pode encurtar o processo anterior seguindo as
mesmas sete etapas - sem escrever seus pensamentos ou sentimentos - ao planejar
o dia. Basta indicar as abreviações dos desejos e riscá-los ou apagá-los à medida que
vai liberando.
À medida que você se acostuma a liberar seus passos de ação antes de executá-los,
você começará a se mover mais rápido e mais facilmente. Além disso, você abordará
seus objetivos e etapas de ação com um sentimento de entusiasmo renovado e
motivação aprimorada. Muitas vezes você também vai pensar em ações muito mais
criativas do que aquelas que ocorreriam a você se você não se liberasse.

100

O PROCESSO DE ATUAÇÃO.

OBJETIVO: Permito-me manter meu peso ideal sem qualquer ansiedade.


Quais ações eu acho que devo Qual é o meu sentimento
comprometer-se a alcançar ATUAL sobre isso?
este objetivo?  

Ir ao ginásio Vergonha (eu não gosto


 
fazer exercício físico em
 
público) - d / set , d / a , d / s , d / c .

Comece a dieta Resistência (não quero)


 
d / c, d / a

Pare de "coceira" Penalidade (como) - d / c , d / s

Livre de seus objetivos e ações

Para obter os melhores resultados, siga este processo sempre que possível, sozinho
ou com um parceiro. Quanto mais você trabalhar nisso, mais camadas de obstáculos
removerá. Você não precisa escrever tudo. Basta você trabalhar internamente com o
objetivo e as etapas da ação. Você sempre pode tomar nota de suas reflexões mais
tarde.
Para começar, pense em uma meta que você estabeleceu para si mesmo e que já
anotou. Em seguida, leia em silêncio, observando quaisquer pensamentos que lhe
ocorrerem a respeito. Permita-se experimentar aquele sentimento geral sobre a meta.
Considere se o sentimento vem de um desejo de aprovação, controle ou
segurança. Você poderia abandonar este desejo
Leia o alvo silenciosamente novamente e veja o que vem à mente. Mais uma vez,
permita-se sentir o sentimento geral sobre a meta agora.
Que desejo isso desperta em você? Você
poderia abandonar este desejo
Repita as etapas anteriores mais três ou quatro vezes. Cada vez que você ler
silenciosamente o objetivo, observe como seu sentimento sobre ele muda. Talvez
você já se sinta muito positivo em relação ao objetivo, ou talvez apenas se aproxime
dessa atitude positiva. O que quer que você sinta, permita-se tal sentimento e
continue se libertando de qualquer sentimento oculto de desejo.
Quando você já sente coragem, aceitação ou paz em relação à meta, tem várias opções de
como proceder. Você pode deixar o objetivo de lado e voltar a ele mais tarde, ou pode
prosseguir para liberar suas etapas de ação, da seguinte maneira:
Leia sua meta novamente e pense em uma ação que você pode realizar para alcançá-
la.
Qual é o seu sentimento ATUAL sobre essa ação?
Você poderia simplesmente deixar esse sentimento estar lá?

101

Esse sentimento vem de uma sensação de desejo de controle, aprovação ou segurança?


Você poderia abandonar este desejo
Agora, concentre-se nesta etapa da ação ou em outra que você pode realizar para
atingir seu objetivo. Veja como você se sente ao fazer essa ação. Você poderia aceitar
o sentimento mais plenamente em sua consciência?
Você poderia identificar o desejo de onde veio?
Então você poderia abandonar esse desejo?
Repita esta última série de perguntas sobre a versão em relação a várias outras
etapas de ação.
Agora veja como você se sente muito mais positivo em relação ao objetivo, depois de
liberá-lo diretamente e também após liberar as etapas de ação envolvidas em atingir
o objetivo.

A exploração: experimente, deixe ir


e tornar realidade

Você já pode usar a visualização para atingir seus objetivos. Nesse caso, tenho
certeza de que você apreciará os resultados do processo a seguir, pois a visualização
tem muito mais força quando combinada com a liberação. Muitos dos que estudaram
o Método Sedona falam dos grandes benefícios da combinação de ambos.
Recomendo que você gaste alguns minutos por dia explorando esse processo.
Fique confortável, relaxe e concentre-se em si mesmo. Você pode acompanhar esse
processo com os olhos abertos ou fechados, embora pareça que a maioria das
pessoas com quem trabalhei ache mais fácil visualizar com os olhos fechados.
Portanto, se você fizer este exercício sozinho, leia cada uma das instruções e feche
os olhos para colocá-lo em prática. Quando você achar que terminou completamente
o que foi pedido a você, abra os olhos e leia a próxima pergunta ou instrução. Em
seguida, feche-os novamente enquanto atende ou executa. Lembre-se também de
reservar um tempo para seguir seu próprio ritmo. Não há razão para correr.
Depois de ter passado por todo o processo várias vezes, não há dúvida de que
conseguirá fazê-lo sozinho e de memória, sem nem mesmo ter que ler as instruções.
Outra possibilidade é que você tenha um parceiro que irá ler as instruções passo a
passo.
Comece pensando em um determinado objetivo, talvez aquele que você acabou de
formular por escrito.
Em seguida, usando sua imaginação, componha uma imagem de como as coisas
serão quando você atingir esse objetivo. Se você for uma pessoa visualmente
orientada, provavelmente verá uma imagem real. Mas se você é uma pessoa
governada por sentimentos (cinestésicos), em vez de uma imagem, você pode ter
uma sensação física. E se você governar pelo ouvido, é possível que na mente você
ouça uma narração sobre aquela situação. Use qualquer combinação de sentidos que
seja confortável para você. Algumas pessoas insistem em visualizar, porque acham
que a imagem tem que ser visual. Por favor, esqueça.
Portanto, permita-se agora criar a imagem mais nítida possível de como as coisas serão
quando você tiver alcançado o que se propôs a fazer. Insira-o da melhor maneira que você
souber. Satisfaça seus sentimentos, se puder. Como parece? Que se sente? O que ouves?
Observe suas percepções em cada um dos níveis do seu ser.
Em seguida, veja se há algum sentimento dentro de você que diga: "Não, eu não
posso ter isso" ou "Isso não é real" ou "Isso é pura fantasia". Identifique quaisquer
sentimentos que impeçam a sua imagem ideal de se tornar realidade.
Você poderia aceitar esse sentimento oposto?
Pergunte a si mesmo: isso vem do desejo de aprovação, controle ou
segurança? Seja qual for o desejo, você poderia deixá-lo ir?
102

Então, usando a sensação ou sensações com as quais você se sente mais


confortável, imagine novamente que alcançou seu objetivo. Como vão ficar as coisas
depois de fazer isso?
Em seguida, verifique se há algo dentro de você que diz: "Não, eu não posso ter", "Eu
não deveria ter", "Eu não tenho" e traga essa crença, pensamento ou sentimento à
frente em sua consciência.
Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança?
Você poderia deixar isso ir
Repita esse processo cinco ou seis vezes, liberando tudo que se opõe ao seu objetivo.
Observe que isso se torna mais acessível cada vez que você retorna à visualização e à
liberação. Aumente o sentimento de "Eu posso fazer isso" ou "Eu posso ter isso".
Agora, imagine que você tem ou faz o que está em seu objetivo. Experimente como
se estivesse acontecendo agora. Tente tornar a imagem o mais viva e autêntica
possível.
Analise se você oferece algum tipo de resistência, mesmo sutil, para fazer seu
objetivo aqui agora, já realizado. Você tem alguma dúvida de que está experimentando
esse resultado?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar esse esforço e aceitar conscientemente
essa resistência por um momento? Deixe estar lá.
Você poderia abandonar a resistência do alvo que entra em sua experiência?
Em seguida, volte à visualização novamente e permita-se ver, sentir e ouvir que você
tem ou obtém exatamente o que deseja.
Você poderia aceitar totalmente essa imagem em sua consciência, assumi-la, apropriá-
la e deixá-la realmente existir?
E agora descanse. Pense que está tudo bem ter o que você deseja. É bom que em sua
consciência você tenha alcançado esse objetivo. Você merece.
Quando estiver pronto, pare gradualmente de se concentrar em sua consciência e
concentre-se no mundo exterior.

Mais dois passos à frente

Nos próximos dois capítulos, você aprenderá duas técnicas adicionais que o ajudarão
a atingir um estado de imutabilidade: o Processo de Gosto / Não Gosta e o Processo
de Vantagens / Desvantagens. Ambas as técnicas nos permitem adotar uma atitude
mais neutra em relação aos nossos vários apegos e aversões, o que os torna
complementos libertadores para o Processo de Definição de Metas. No entanto,
antes de seguir em frente, permita-se trabalhar um pouco mais em seus objetivos.
Tenho certeza de que o material do capítulo que você acabou de ler pode e fará uma
profunda diferença em sua vida e em sua capacidade de realizar tudo o que planejou.

103

9
Além dos anexos
e aversões
Se você leu os capítulos anteriores e aplicou diligentemente as técnicas descritas
neles, tenho certeza de que já fez um progresso substancial em seu caminho para a
liberdade emocional. A maioria dos que participam dos workshops do Curso Básico
do Método Sedona, ao chegar a esta seção, sorriem e riem abertamente, e dizem que
se sentem mais leves, mais calmos e mais lúcidos do que nunca. Eles acham difícil
acreditar com que rapidez e sem esforço passaram pelo reino de crenças e
sentimentos indesejáveis nos quais estavam presos, às vezes por muitos anos. Eles
estão entusiasmados com a ideia de que a abordagem do Método para estabelecer
metas, em particular, coloca em suas mãos a liberdade e o poder de decidir seu
destino. Além disso, uma vez que eles tiveram experiências positivas com a
libertação, eles estão mais abertos para a verdadeira promessa do que isso pode
proporcionar. . Eles começam a usá-lo com mais frequência e procuram outros
aspectos de sua vida para aplicá-lo.
Assim que você se interessou em aplicações da vida real do método de Sedona, tais
como aqueles descritos na segunda parte deste livro, os gostos / Processo Não
gosta que você está prestes a aprender vai ser de grande valor para você. É uma
ótima maneira de se aprofundar ainda mais em um tópico específico em um tempo
"O maior
muito e mais
curto importante
e pode benefício éútil para se livrar de seus apegos e aversões a
ser especialmente
que sempre tive um medo
pessoas, anormal
lugares de No entanto, você pode usar o Taste Process!
e coisas.
multidões, grupos e aglomerações de
pessoas, sejam elas reuniões sociais ou Não gosta de liberar um pouco mais
não, e o Método acabou com esse sobre qualquer tópico que você escolher.
medo." Como vimos no Capítulo 8, todos nós
—GH Malinoski, Parque da tendemos a nos apegar às coisas de que
Normandia, Austrália Ocidental gostamos e desenvolver um apego a
elas. Também tendemos a fugir de
o que não gostamos e desenvolvemos aversão a isso. Cada vez que abandonamos
nossos gostos e desgostos em um determinado tópico, nos libertamos desses
apegos e repulsões em relação a esse tópico. Se usarmos essa técnica com bastante
frequência, toda a nossa vida será mais livre, o que acaba aumentando nossa
felicidade e paz de espírito.

Qual é o objetivo deste processo?

Ao longo deste livro, você teve a oportunidade de trabalhar com lápis e papel. Para
muitas pessoas, a liberação por escrito é comparável a trabalhar na liberação com
um parceiro, mas é apenas uma de suas opções. Você também pode usar o Método
de forma eficaz, muito eficaz, de fato, sem nunca ter que recorrer ao lápis ou à caneta.
Quando você passa pelo processo de curtir / desgostar, pode ser útil objetivar a
experiência de seus lançamentos, colocando-os por escrito. No entanto, realizar uma
série rápida de lançamentos de Gostos / Não Gostos internos enquanto você trabalha
em suas ocupações do dia a dia pode ajudá-los a funcionar sem problemas.

104

Uma das áreas fundamentais nas quais o Processo de Gostos / Não Gostos pode
influenciar positivamente são os relacionamentos. E é que, mesmo em nossos
relacionamentos mais íntimos, a maioria de nós nutre gostos e desgostos em cada
uma das pessoas. Na verdade, muitos de nós mantemos listas conscientes ou
semiconscientes de coisas de que gostamos e de coisas de que não gostamos em
nosso parceiro, família, amigos e colegas. Em seguida, comparamos tudo o que eles
fazem a essas listas internas, o que tende a reforçar nossas expectativas em relação
às pessoas e nossa maneira usual de nos relacionarmos com elas. Infelizmente, os
modelos que reafirmamos não são os mais saudáveis, nem mesmo nas relações
saudáveis. Pelo contrário, são modelos motivados pelos quatro desejos básicos.
Como você logo descobrirá, o resultado de liberar tanto o que você gosta quanto o
que não gosta em relação a uma determinada pessoa é que você pode se abrir mais
para ela.
Em nossos relacionamentos pessoais, ficamos obcecados com as coisas de que
gostamos e escondemos debaixo do tapete as coisas de que não gostamos. Mas
obviamente as aversões crescem logo abaixo de nossa consciência, até que
finalmente explodem e sobem à superfície. Em relacionamentos que "não funcionam",
o oposto é verdadeiro. Esquecemos todas as coisas de que gostamos nesses
relacionamentos e nas pessoas com quem interagimos. Começamos a eliminar
todas as coisas boas e nos fixamos obsessivamente em tudo de que não gostamos
nessas pessoas. O processo de likes / dislikes restaura o equilíbrio entre as duas
partes da equação que os relacionamentos representam, daí sua grande utilidade.
Isso nos permite estar conectados com muito mais força com as pessoas.
Esse processo não é exclusivo dos relacionamentos pessoais, é claro. Também é
muito eficaz para trabalhar com relações profissionais. A maioria de nós tem alguém
em nossa vida profissional - pelo menos uma pessoa - com quem achamos que
devemos interagir, embora não gostemos dessa pessoa. Pode ser um fornecedor, um
cliente ou qualquer outra pessoa chave para os nossos negócios, com quem
tenhamos que manter uma relação permanente, e temos a sensação de que não
temos outra alternativa. Desejamos que o relacionamento melhore ou termine. Você
pode tentar aplicar esse processo a uma pessoa tão difícil. Se você liberar gostos e
desgostos, tenho certeza de que descobrirá que se sente melhor em relação a essa
pessoa.
Além disso, você pode usar o Processo de Gosta / Não Gosta para liberar suas
tendências e crenças pessoais que o mantêm preso na estrada. Por exemplo, você
pode pensar que fala demais ou pensa demais, ou age muito tímido, orgulhoso ou
crítico demais. Você sabe o que eu quero dizer. O valor de aplicar Gostos / Não Gostos
a uma tendência como o excesso de peso é que será difícil para você pensar que pode
haver alguma simpatia nisso, especialmente se o excesso de peso for um problema
para você. Mas ao analisar o assunto, você descobrirá que existem alguns motivos
ocultos que o levam a acreditar que pesar mais do que o conveniente é uma coisa
boa. Descobrir esses gostos e deixar ir pode ser a chave para mudar esse padrão de
comportamento.
Semelhante às listas de gostos e desgostos sobre as pessoas com quem
interagimos, a maioria de nós tem listas sobre nós mesmos, e elas geralmente são
muito menos positivas do que aquelas que temos sobre as pessoas ao nosso redor.
Portanto, eu aconselho você a aplicar o processo de curtir / não gostar em algum
ponto também. Pode ser uma experiência muito esclarecedora e extremamente
libertadora.

O processo de curtir / desgostar

Normalmente, uma folha de papel é usada para realizar o processo de Gostar / Não
Gostar. No entanto, por enquanto, sugiro que você não escreva nada. Apenas leia este
processo para você ou peça a seu parceiro que leia para você e faça o melhor que
puder.

105

você pode. Depois de alguma liberação inicial da imaginação, vou instruí-lo a preparar
uma folha na qual escrever o processo.
Para começar, deixe um assunto ocorrer a você. Como você pode usar esse processo
para tantos tipos diferentes de tópicos, se achar difícil pensar em um tópico agora,
volte para as intenções que determinou em seu diário de lançamento, como sugeri no
Capítulo 1, ou para uma meta que você leu o Capítulo 8 e escolha um deles.
O que você gosta nessa pessoa, nesse lugar ou nessa coisa?
Sinta qualquer sentimento gerado dentro de você. Aceite-o totalmente. Vem
do desejo de aprovação, controle ou segurança? Você poderia deixar isso ir
Agora, pense novamente sobre o seu tópico.
O que você não gosta nessa pessoa, nesse lugar ou nessa coisa?
Novamente, permita-se sentir quaisquer sentimentos gerados neste momento.
Você poderia deixar esse sentimento estar aí?
Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança? Você poderia deixar isso ir
Repita as etapas acima, alternando entre o que você gosta e o que não gosta no
assunto e, em seguida, libere seus sentimentos e desejos ATUAIS. Você pode
descobrir que o mesmo aspecto aparece como "gostei" e "não gostei", ou que um
item da lista apareceu mais de uma vez. Nada acontece. Sempre que isso acontecer,
libere esses elementos. Lembre-se também de que é importante abandonar seus
"bons" sentimentos; Essa prática o ajudará a obter maior clareza e a mergulhar em
tudo o que já pode ser bom em uma determinada situação.
Quando você tiver completado cerca de nove rodadas de liberação no total, pare e
veja como seus sentimentos são diferentes sobre o que você está liberando. Cada
par de gostos e desgostos compõe uma camada de limitação, ou relutância, sobre
um determinado assunto. Freqüentemente, um tema contém muitas dessas
camadas. Nas primeiras vezes que você usar o processo de Gostar / Não Gostar,
você pode se surpreender com sua eficácia.
Suzanne: ficando mais confortável com compromissos de vendas

O processo de likes / dislikes ajudou Suzanne, uma instrutora do Método Sedona, a


superar sua relutância em simplesmente ligar para as empresas para promover suas
aulas. Como freelancer, sempre acreditei que não estava arriscando tudo o que podia
arriscar ou obtendo tudo que podia. «Sou uma pessoa que viveu experiências
surpreendentes e fez de tudo. Eu morei no exterior e falo várias línguas. Mas nunca
fui capaz de influenciar meu trabalho público - a coisa mais importante sobre mim, ou
meu eu autêntico - e aplicar tudo isso totalmente à minha vida ", diz ele. "Eu acho que
muitas pessoas têm uma vida interior que não corresponde à sua vida exterior, então
minha história pode ser útil para elas." Ele traçou um rascunho de metas para vender
treinamento para empresas e começou a divulgá-lo até que sua mente mudou e os
telefonemas se tornaram fonte de bons sentimentos.
“Fazer uma ligação pode ser um desafio. Quando eu definia minha meta, às vezes me pegava
dizendo coisas negativas como: Vamos! Não posso vender isso, porque eles não vão querer.
O mercado não está em um bom momento e as empresas não têm dinheiro para treinamento
agora. Eles não vão pagar o que nós queremos que eles paguem. Eles têm muito trabalho e
nunca vou conseguir falar com a pessoa certa ao telefone. ' Idéias desse tipo. Comecei então
a trabalhar nos gostos e desgostos: gosto muito de rir e conversar com as pessoas ao
telefone. Eu não gosto de correio de voz. Adoro fazer novos amigos. Não gosto do tempo
que leva para isso. Gosto de falar do Método para as pessoas, porque é algo que me
estimula. A consequência foi que fiz minhas ligações. Como ele lançou no

106

coisas que eu resisto e que aceito, os telefonemas foram se tornando automáticos e estão
dando resultados fantásticos.

A liberação por escrito de seus gostos / desgostos

Por escrito, o processo de Gosto / Não Gosto é exatamente o mesmo que fizemos
acima, exceto que agora você anota suas respostas às perguntas, como uma forma
de controlar seu próprio processo. Então, pegue seu diário de lançamento e vamos
começar. Para fazer isso, desenhe uma linha vertical no centro da página, deixando
um espaço no topo para escrever o seu tópico. Existem oito etapas no total.

Etapa 1: escreva seu tópico no topo da página. Lembre-se de que o assunto pode ser o nome
de uma pessoa, um lugar, uma coisa ou algumas palavras que descrevem uma situação em
qualquer aspecto de sua vida em que você gostaria de experimentar maior liberdade. Você
pode escrever o nome de uma cidade para a qual está pensando em se mudar, por exemplo,
Nova York. Na coluna da esquerda escreva: Sabores. À direita: aversões. Agora você está
pronto para a segunda etapa.

Etapa 2: Pergunte a si mesmo: O que eu gosto em _______ (seu tópico)? A então escreve
a coluna da esquerda é o primeiro pensamento ou sentimento que ocorre a você.
Continuando com o exemplo de Nova York, você poderia escrever: "Animação" ou
"Teatros da Broadway".

Passo 3: Para verificar de qual desejo básico vem o seu gosto, pergunte-se: Existe
algum desejo de aprovação, controle ou segurança? Depois de identificar o desejo do
qual vem o pensamento ou sentimento, escreva-o, usando as abreviaturas usuais: d /
a, para desejo de aprovação; d / c, para desejo de controle; ed / s, pelo desejo de
segurança.

Etapa 4: deixe de lado o desejo subjacente, usando uma das seguintes perguntas:

• Você poderia aceitar este desejo totalmente?


• Você poderia cancelar o desejo de _______ (nome do desejo em questão)?

Elimine o desejo assim que o deixar ir, e passe para o desgosto. Trabalhe com apenas
um sabor de cada vez.

Etapa 5: Pergunte a si mesmo: O que eu não gosto em _______ (seu tópico)? Mais tarde,
Escreva o primeiro pensamento ou sentimento que ocorrer a você na coluna certa. No
exemplo de Nova York, você poderia escrever "Muitas pessoas" ou "Muito barulho".

Etapa 6: verifique qual é o desejo básico de onde vem a sua antipatia e por ele
Pergunte a si mesmo: existe um desejo de aprovação, controle ou segurança?
Etapa 7: permita-se abrir mão do desejo subjacente, usando uma das seguintes
perguntas:

• Você poderia aceitar este desejo totalmente?


• Você poderia abandonar o desejo _______ (nome do desejo em questão)?

Risque o desejo ao liberá-lo e, em seguida, passe para outra degustação. Trabalhe


com apenas uma aversão de cada vez.

107

Etapa 8: Repita as etapas 2 a 7 várias vezes, alternando entre gosto e não gosto,
depois outro gosto e não gosto, e assim por diante, até notar uma mudança positiva
em sua atitude em relação ao assunto. Você pode trabalhar nisso pelo tempo que
decidir. Quanto mais você investe no processo de Gosto / Não Gosto, mais você
aproveitará dele.

O PROCESSO DE GOSTOS / AVERSÕES.

Tópico: O que eu gosto / não gosto na mudança para Nova York?


Prazeres Aversões

Animação - d / a Muita gente -


  d/s,d/c

Teatros da Broadway Muito barulho - d / c,


d/a,d/c d / sep

Novo trabalho - d / s , d / c Longe da família -


  d / s, d / c

Muito confortável Aluguel muito caro -


d / c, d/c,

Ao trabalhar com o processo de Gostos / Não Gostos, você descobrirá que ele abre
muitas portas internas que você pode nem perceber que bateu. Ao abri-los, você
liberará as limitações que estão bloqueadas por trás deles. Isso o deixará livre para
realmente aproveitar seus relacionamentos e sua vida. Eu o encorajo a experimentar
esse processo antes de passar para o próximo capítulo.
108

10

Boa tomada de decisão

No final do Capítulo 8, prometi que lhe ensinaria mais duas técnicas que o ajudariam a atingir
o estado de imutabilidade. O processo de Gosta / Não gosta é o segundo deles. É uma
ferramenta poderosa cuja função é ajudá-lo a descobrir áreas nas quais você esteve preso e,
posteriormente, liberá-las. Com uma quantidade adequada de liberação concentrada, você
pode facilmente mudar esses padrões recorrentes de pensamento, comportamento e
situações. Hoje, 26 anos depois que aprendi a ideia, ainda uso as folhas de Gostei / Não
gostei regularmente. Até trabalhei com um deles esta manhã antes de me sentar para
escrever. Na verdade, é certamente meu tipo de exercício favorito.
Use o processo de Gostar / Não Gostar para estender seu trabalho a uma série de
coisas diferentes, incluindo:

• Objetivos. Além de trabalhar diretamente com um objetivo, pergunte-se: Qual é a


vantagem de ter esse objetivo? E qual é o inconveniente de ter esse objetivo?

• Decisões: Quando surge uma oportunidade, por exemplo, a oferta de um novo


emprego, e você não tem certeza se aceita ou não, trabalhar com as vantagens e
desvantagens o ajudará a ver a situação muito melhor. O processo elimina a
confusão que é gerada por mudanças profissionais, compras, viagens e o início de
novos projetos.
• Problemas. Você pode usar esse processo para evitar gastos excessivos ou para
não salvar de forma adequada. Outros problemas que podem ser resolvidos são as
dificuldades com certos tipos de pessoas, deixando coisas inacabadas ou a falta de
decisão, para citar apenas alguns.
• Hábitos e tendências. Não sabe por que não consegue parar de fumar e sente a
necessidade de fazer compras o dia todo? A técnica Vantagens / Desvantagens pode
revelar apegos e aversões ocultas.
• Sentimentos positivos. É libertador para mim aplicar a técnica das vantagens e
desvantagens aos sentimentos positivos, por exemplo ter abundância, mais alegria,
sentir-me mais vivo ou reconhecer o meu verdadeiro carácter. Esses podem não ser
seus objetivos agora, embora muitas pessoas gostariam de experimentar muitas
dessas qualidades. Quando você libera um sentimento positivo, tal fato sempre
aprofunda sua liberação e limpa a área em questão, mesmo que você se sinta bem a
respeito.

Como você pode ver, estou empolgado com esse processo, então por que não
trabalhamos um pouco juntos? Pense em um aspecto de sua vida que poderia ser
aplicado a este processo: uma decisão que você deve tomar, um problema que
gostaria de resolver, uma meta que gostaria de alcançar ou qualquer outro tópico que
gostaria de liberar profundamente. Se você precisa de uma fonte de inspiração, volte
ao trabalho que fez em seu diário de libertação quando leu as seções “O que você
quer da sua vida?” No Capítulo 1, ou “Escreva seus objetivos por escrito” no Capítulo
8.

109

O Processo Prós / Contras

Esse processo é semelhante ao processo de Gostar / Não Gostar que estudamos no


Capítulo 9 (consulte a página 198), mas captura a imaginação de maneira um pouco
diferente. Depois de usar os dois processos, você descobrirá qual deles se aplica
melhor aos diferentes tipos de problemas em sua vida.
Para começar, acomode-se e volte sua atenção para dentro. Pense no tópico que
você está lançando: uma meta, um problema ou qualquer outra coisa.
Que vantagem você acha de que este tema seja como está? Lembre-se de aceitar o
primeiro pensamento ou sentimento que ocorrer a você.
A vantagem vem de um desejo de aprovação, controle ou segurança?
Seja qual for o desejo, você poderia deixá-lo ir?
Que inconveniência você acha que este tópico é como está?
Vá um pouco mais fundo e veja se o problema decorre de um desejo de aprovação,
controle ou segurança.
Você poderia simplesmente deixar pra lá?
Repita as etapas acima, alternando entre os prós e os contras do tópico e, em
seguida, libere seus sentimentos e desejos ATUAIS. Se você acha difícil pensar em
novas vantagens ou desvantagens, lembre-se de liberar esse fato e seguir em frente.
Seja diligente. Quanto mais fundo você vai no processo, mais você vai conseguir sair
dele.
Depois de ter completado um total de nove rodadas de liberação, pare e veja como
você está se sentindo diferente sobre o assunto que está liberando. Cada vantagem e
desvantagem juntas formam uma camada de inconsciência ou limitação sobre um
determinado assunto, de modo que o processo é semelhante ao da extração de óleo.
Quanto mais profunda a camada perfurada, mais compreensão e liberdade resultam
desse tópico específico.
Você pode nunca chegar ao grande momento “Aí está!”, Mas provavelmente irá se
deparar com vários outros momentos menores ao longo do caminho. Se você liberar
consistentemente os prós e os contras, tenho certeza que mudanças profundas
ocorrerão.

Nunca vi tal processo produzir um


“A melhor coisa sobre o lançamento de efeito não positivo em mim ou naqueles
problemas antigos com o Método em que ajudei a focar.
Sedona é que ele é único. Não encontrei
nenhuma outra ferramenta ou técnica Laura: descubra um
que tenha tal eficácia instantânea e decisão esquecida
permanente na eliminação das barreiras
conscientes e inconscientes que nos A seguir está uma história que
impedem de viver com conforto, demonstra a importância que pode
tranquilidade e alegria. Desde que tem o Processo de Vantagens /
aprendi o Método Sedona e o estou Desvantagens.
usando, vivo com menos medo, mais Muitos anos atrás, conheci uma mulher
paz e com uma parte muito mais chamada Laura que estava muito
profunda de mim e com maiores preocupada em exceder seu peso ideal. O
relacionamentos espirituais. Mesmo instrutor que trabalhava individualmente
quando estou em meio a situações de com ela na aula a orientava nas questões
estresse e 'urgência', sou capaz de Vantagens / Desvantagens, mas sempre
manter a calma e enfrentar os desafios que lhe perguntavam: "Qual é a vantagem
de uma perspectiva equilibrada. de estar acima do peso?", Ela não
- Jeff Goodman, San José conseguia pensar em nenhuma. Laura
(Califórnia) repetia: "Nenhum". Em vez disso, ele não
tinha

110

dificuldade em pensar nas desvantagens. No entanto, o instrutor insistiu. Isso fez


Laura deixar escapar seu sentimento ATUAL sobre o fato de que nenhuma vantagem
ocorreu a ela.
No final, cerca da nona vez após repetir a pergunta, Laura começou a se sentir
frustrada e rebateu: "Por que você está me perguntando quais são as vantagens de ser
gorda? Que vantagem poderia haver em ser gordo como eu? Eu estava preparado para
lutar uma batalha. O instrutor calmamente perguntou a ele novamente: "Qual é a sua
vantagem sobre o peso?" De repente, Laura teve um vislumbre de uma memória oculta
e começou a chorar. Vinte anos antes, ela era uma mulher de rara beleza e com seu
peso ideal. Enquanto ela ficou hospitalizada por alguns dias, seu marido decidiu fazer
um investimento que sabia que sua esposa não aprovaria. Ele imaginou que poderia
explicar isso a ela mais tarde, quando apresentasse os lucros extraordinários que
esperava alcançar. Mas foi um investimento irresponsável e não deu certo.
Quase no final da internação de Laura, um dia seu marido apareceu e disse
constrangido: “Querida, sinto muito, mas perdi o dinheiro que costumávamos investir.
Ele desapareceu. Ela ficou tão furiosa naquele instante que teve um pensamento
fugaz: "Oh, eu sei muito bem como devolver a ele." Pouco tempo depois de sair do
hospital, ela deixou de ser aquele tipo de mulher que faz todo mundo olhar para ela
para aquela outra que faz todo mundo desviar o olhar para não vê-la, e começou a
engordar. Na verdade, ele continuou fazendo isso e não tinha ideia de por que tal
coisa estava acontecendo com ele. Ele havia se esquecido de que havia tomado uma
decisão específica.
Bem, 20 anos depois, ela ainda estava pesando mais do que deveria, embora ela e o marido
tivessem se divorciado há muito tempo. Ele tentou fazer dieta, mas não ajudou. Quando ela
redescobriu sua decisão de punir seu ex-marido e liberou seus sentimentos, ela saiu de um
imenso atoleiro que estava em seu subconsciente e liberou o principal motivo pelo qual ela
se alimentava por ser gorda. No dia seguinte à aula, ele ligou para uma nutricionista que um
amigo havia recomendado um ano e meio antes. Ele imediatamente começou a tomar
medidas para perder peso, ações que eventualmente começaram a dar frutos. Mais ou
menos um ano depois, Laura estava com peso normal. Anos depois, ele continua a mantê-lo.

A liberação por escrito de suas


vantagens / desvantagens

Por escrito, o Processo Prós / Contras é exatamente o mesmo que seguimos acima,
exceto que agora você escreve suas respostas às perguntas como uma forma de
monitorar seu progresso. Então, pegue o diário de lançamento e vamos começar.
Existem oito etapas no total.

Etapa 1: escreva seu tópico no topo da página. Em seguida, desenhe uma linha
vertical no centro dela. A coluna à esquerda é a coluna "Vantagens". O da direita,
aquele sobre "Inconveniências".

Passo 2: Pergunte a si mesmo: Que vantagem _______ (seu tópico) me dá? Escreva no
Coluna da esquerda: o primeiro pensamento ou sentimento que ocorre com você,
sem modificá-lo nem um pouco.

Passo 3: Verifique qual é o desejo básico de onde vem a sua vantagem, e para isso
Pergunte a si mesmo: existe um desejo de aprovação, controle ou segurança? Depois
de identificá-lo, escreva o desejo de onde veio o pensamento ou sentimento, usando
as abreviaturas usuais: d / a, para desejo de aprovação; d / c, para desejo de controle;
d / s, por desejo de segurança.

Etapa 4: permita-se deixar de lado o desejo subjacente usando uma das seguintes
perguntas:

111

• Você poderia deixar esse desejo estar lá?


• Você poderia abandonar o desejo de _______ (aprovação, controle ou garantia)?

Risque o desejo quando você deixá-lo ir, depois passe para o lado negativo. Trabalhe com
apenas um lead por vez. Suprima o desejo de fazer uma lista. No entanto, se mais de uma
vantagem ou desvantagem ocorrer a você espontaneamente ao mesmo tempo, anote-as
todas e, em seguida, libere os desejos associados a cada uma, um após o outro.

Etapa 5: Pergunte a si mesmo: O quão ruim é _______ (seu tópico) para mim? Escreva no
Coluna direita o primeiro pensamento ou sentimento que ocorre com você, sem
modificá-lo no mínimo.

Passo 6: Verifique de qual desejo básico vem o seu problema e para que
Pergunte a si mesmo: existe um desejo de aprovação, controle ou segurança? Escreva
a abreviatura correspondente ao lado do problema.

Etapa 7: libere o desejo subjacente usando uma das seguintes perguntas:

• Você poderia deixar esse desejo estar lá?


• Você poderia abandonar o desejo de _______ (aprovação, controle ou garantia)?

PROCESSO DE VANTAGENS / DESVANTAGENS.


Tópico: Qual vantagem / desvantagem aceitar uma promoção no
trabalho?
Vantagem Inconvenientes

Melhor salário - d / a , d / s Mais responsabilidade -


 
d / c , d / s,

Recursos mais interessantes Possibilidade de


d/a, falha - d / c, d / s

Viagem - d / c , d / s Menos tempo livre -


 
d / c, d / set

Risque o desejo que você deixou ir. Trabalhe com apenas um problema de cada vez.

Passo 8: Repita os passos 2 a 7 muitas vezes, alternando entre uma vantagem e uma
desvantagem, depois outra vantagem e outra desvantagem e assim por diante até se
sentir satisfeito ou pelo menos pronto para descansar um pouco.

112

Carol Sue.: Criar um divórcio amigável

De acordo com Carol Sue, quando ela disse ao ex-marido hoje que queria o divórcio,
ele ficou muito bravo e começou a gritar com ela. Ela passou o dia seguinte liberando
seus sentimentos sobre o relacionamento deles, usando o Procedimento de Limpeza
- que abordarei no Capítulo 11 - e outras técnicas. Mas o Processo Prós / Contras
realmente a ajudou a lidar com o divórcio de maneira tranquila e rápida, sem
prejudicar suas finanças em nada. Depois de fazer o exercício de prós / contras sobre
o tema dos advogados, ele foi a um escritório de advocacia. Seu marido a
acompanhou. O advogado queria cobrar US $ 7.000 deles. Entre as desvantagens dos
advogados estava o gasto de tempo e dinheiro. Como Carol Sue estava liberando, ela
e o marido conseguiram conversar com calma e resolveram contratar um paralegal,
que completou os papéis do divórcio em um dia e cobrou apenas algumas centenas
de dólares.
Embora caro! Sue afirma ser materialista, ela não tentou se agarrar a nada durante o
processo de divórcio. Nas suas palavras: «Funcionou perfeitamente. No começo, fui
eu que me divorciei de meu marido, mas depois de passar pelo Processo de
Vantagens / Desvantagens, permiti legalmente que ele se divorciasse de mim. Se eu
tivesse me divorciado dele, teria ficado em casa por mais 30 dias. Mas eu queria sair
imediatamente. Foi uma vantagem. Sei que pode parecer um incômodo, mas foi uma
vantagem para mim - deixei que ele ficasse com tudo: o carro, a casa e os móveis.
Peguei o que queria quando saí. Para mim, ser livre é uma grande vantagem. Nem
preciso de apartamento, porque agora viajo e fico com amigos e família. Guardo
todas as minhas coisas na casa da minha filha. Liberá-los foi uma grande vantagem.

A consistência tem sua recompensa

O que vem primeiro é sempre o óbvio. Mas se você tiver a virtude da constância, obterá o
melhor óleo e introduzirá uma mudança profunda em sua consciência. Algumas vezes,
trabalhei dias na mesma folha de Vantagens / Desvantagens, voltando a ela até achar que
estava completa, o que me trouxe muitos benefícios e muitas idéias úteis. Antes de passar
para o próximo capítulo, recomendo que você analise pelo menos uma planilha de Vantagens
¡Desvantagens que você mesmo preparou. Eu prometo que você ficará feliz por ter feito.

A lista a seguir lhe dará algumas idéias.

Quais são as vantagens e desvantagens de ...?


• abundância • comer em excesso
• pobreza / dívida • a liberdade
• esta decisão • a doença
• a tranquilidade • a saúde
• o estresse • casamento / parceiro
• a alegria • permanecer solteiro
• a pena • trabalhar
• o medo • jogo / lazer
• exercício físico • estar desempregado
• fumar • dar
• para beber • receber

113

onze

O procedimento de limpeza
Lester Levenson criou originalmente o Procedimento de Limpeza para uso exclusivo
dos instrutores do Método Sedona porque ele sabia o quão importante era que eles
abandonassem o desejo de aprovação, controle ou segurança, bem como qualquer
reação que pudessem ter para aqueles que participaram seu treinamento, lições.
Treinamos nossos instrutores para apoiar plenamente aqueles que frequentam suas
aulas. Embora eu não tenha sido um instrutor de verdade até vários anos depois,
tenho usado esse processo desde 1977; é outra das minhas aplicações favoritas do
Método. Você pode usá-lo para completar uma interação - positiva ou negativa - com
qualquer pessoa, incluindo você.
Por que você tem que liberar em seus relacionamentos positivos? Você pode querer se sentir
ainda melhor do que com a pessoa que usa como sujeito desse processo, para se relacionar
com ela com maior sinceridade, honestidade e carinho. Todos nós temos pessoas em
nossas vidas com quem interagimos repetidamente - nosso marido, nossa esposa, nossos
amantes, nossos filhos ou nossos parceiros de trabalho - todos os tipos de pessoas. Tenho
certeza que você não quer carregar o excesso de bagagem que carregou em uma reunião
anterior com qualquer uma dessas pessoas e carregá-la até seu próximo encontro com elas
e outras futuras.

O procedimento de limpeza visa


“Desde que descobrimos o Método acelerar os benefícios do método
Sedona, a comunicação e a harmonia Sedona. É composto por uma série de
entre meu marido e eu são ainda perguntas que podem ser feitas antes,
maiores. Nosso futuro parece mais durante ou depois de encontros,
brilhante. reuniões e interações espontâneas,
Além disso, abordo situações familiares especialmente aquelas envolvendo
e de trabalho extremamente difíceis pessoas difíceis. Ao trabalhar com as
com muito mais facilidade. Não caio perguntas de limpeza regularmente,
mais em depressões profundas e meus você começará a entender o quanto
baixos são menos frequentes e graves. elas podem ajudá-lo a melhorar seus
Meu marido está mais feliz e no que diz relacionamentos, comunicar-se com
respeito à economia, as coisas estão mais eficácia, resolver conflitos e
melhores para ele. incorporar com mais facilidade o hábito
—Carolyn Graham, Brick, de deixar entrar em sua vida. O
NJ processo também aumentará sua
eficiência e contribuirá para
integridade de todas as suas interações.
Tenho um carinho especial pelo Procedimento de Limpeza, porque me ajudou a
romper e vivenciar plenamente minhas emoções. Quando comecei a usar o Método
Sedona, estava liberando "do pescoço para cima", o que significa que estava liberando
mais pensamentos do que sentimentos. Embora o Método tenha tido uma grande
influência em minha vida e em mim pessoalmente, eu sabia que poderia ir mais
fundo. Foi aplicando o Procedimento de Limpeza ao meu relacionamento com minha
mãe que finalmente consegui sentir da cabeça aos pés.
À
À medida que fui crescendo, e em parte devido ao meu relacionamento com minha
mãe, passei de uma criança sensível e receptiva a uma adolescente muito desligada
de seus sentimentos. Minha mãe estava psicanalisando por mais de dez anos, e ela
costumava

114

sempre voltando para casa com suas últimas ideias e reflexões, com as quais ele
tentou me endireitar. Para acabar com esse tipo de relacionamento, com o tempo fui
treinando para evitar o contato com meus sentimentos.
Usando o procedimento de limpeza, quando soltei minha mãe, parecia que uma
parede em meu coração estava desmoronando, deixando uma energia quente e
carinhosa fluir por meu corpo. Desde então, sempre fui capaz de sentir e conhecer
plenamente meus sentimentos. Meu relacionamento com minha mãe hoje, quando
escrevo este livro, é excelente. Nós dois usamos o Método, e ele nos ajudou a nos
tornarmos amigos e a deixar de ser aquela mãe e aquele filho que se separaram um
do outro.
Quando você começar a usar o Procedimento de Limpeza, descobrirá que ele tem uma
capacidade quase mágica de ajudá-lo a se livrar de quaisquer sentimentos não resolvidos
que você carrega de alguma interação que teve com outra pessoa. Talvez você acabou de
falar com um amigo ao telefone, ou ficou com um menino ou uma menina para ir ao cinema,
Ou talvez você estivesse conversando com seu marido, sua esposa, seu filho ou sua filha, e
ainda se sinta preocupada ou insatisfeitos com o que vocês disseram um ao outro. Talvez
você encerrou uma reunião de negócios tensa ou teve um conflito com o caixa do banco ou
do supermercado. Este processo de liberação incrivelmente simples irá ajudá-lo a se livrar de
tudo o que aconteceu para que você possa seguir em frente com sua vida sem ter que
carregar aquele pesado peso mental e emocional.
O procedimento de limpeza pode lhe dar paz de espírito, mesmo com pessoas que
não estão mais vivas. Você pode limpar tudo relacionado a parentes ou
relacionamentos antigos, a pessoas de quem pode estar separado, mas de quem
continua a carregar muitos sentimentos.
Como disse na Introdução, houve um tempo em que me dedicava ao ramo imobiliário. Antes
e depois de qualquer reunião com meus clientes, sempre usei esse processo. Se eu tivesse
me encontrado antes com um. cliente, e independentemente de a reunião ter terminado de
forma favorável ou desfavorável, ele costumava usar o Procedimento de Limpeza antes de
vê-lo novamente, para garantir um sucesso ainda maior. Meus clientes costumavam
comentar que eu não era como os outros corretores imobiliários com quem negociavam.
Que era muito mais fácil trabalhar com um intermediário calmo e gentil, ao mesmo tempo
que fazia bem o seu trabalho.
Você pode realizar o procedimento de limpeza enquanto estiver no carro. Quando
você está andando na rua. No escritório, entre uma ligação e outra. Sentado
calmamente em casa. Enquanto faz seus exercícios na academia. Você pode usá-lo
em qualquer situação em que haja uma interação humana na qual você gostaria de
se sentir melhor.
Aí você tem a maneira de fazer isso.

O procedimento de limpeza

O Procedimento de Limpeza é composto por três grupos de questões, cada uma


voltada para um desejo particular; primeiro, o do controle; então a aprovação; e,
finalmente, segurança! sobrevivência. Quando você começar a trabalhar nisso, siga
estas etapas e diretrizes básicas:

1. Comece visualizando o rosto da pessoa que você decidiu liberar. (Lembre-se


de que este exercício também pode ser uma experiência auditiva ou
cinestésica para você.)
2. Em seguida, faça a si mesmo uma das perguntas de limpeza de cada vez e
deixe seus desejos ocultos virem à tona. Muitas vezes, a primeira pergunta de
cada série será suficiente para fazer com que você libere espontaneamente o
desejo em que está focado naquele momento. Aceite totalmente o desejo ou
deixe-o ir.
3. Comece com a série de perguntas de limpeza sobre controle e continue com elas
até sentir que pode "dar a essa pessoa o direito de ser" como ela é. Na maioria das
vezes, abandonar totalmente nada mais é do que

115
uma decisão. Se você estiver aberto a isso, é possível alcançá-lo muito
rapidamente, mas demore o tempo que for necessário.
4. Faça a si mesmo as duas primeiras perguntas de limpeza em cada série
repetidamente e continue liberando tudo o que surgir, até que possa responder
honestamente "sim" à terceira pergunta. Ser honesto produz melhores
resultados. A terceira pergunta em cada série é projetada para ajudá-lo a ver
se você está completamente liberado em relação a esse desejo particular por
aquela pessoa.
5. Faça o mesmo para cada série de perguntas de limpeza e seguindo sua
ordem. Você saberá que está completamente liberado em relação a uma
pessoa quando puder ver seu rosto e sentir apenas aceitação ou afeição por
ela.

Perguntas de limpeza

As perguntas em negrito e itálico são as perguntas de limpeza padrão. Os que estão


em itálico são apenas sugestões para facilitar a liberação de cada desejo. Você pode
abandonar os desejos sem usar nenhuma das perguntas adicionais ou fazendo suas
próprias perguntas.

Etapa 1: controle
1. Essa pessoa tentou controlar você? (Ou parecia que sim?)
Por um momento, para ser capaz de liberar espontaneamente, ou pergunte a si
mesmo uma das seguintes perguntas:

• Em caso afirmativo; Você poderia agora deixar de lado o desejo de controlá-la?


• Em caso afirmativo; Você poderia deixar de lado a resistência a ela?
• Em caso afirmativo; Você gostaria de mudar a situação?

2. Você tentou controlar essa pessoa? (Ou parecia que sim?)


Reserve um momento para liberar espontaneamente ou pergunte-se uma das
seguintes perguntas:

• Em caso afirmativo; Você poderia agora deixar de lado o desejo de controlá-la?


• Se sim, gostaria de mudar a situação?

3. Você agora concede a essa pessoa o direito de ser quem ela é?


Lembre-se de que a terceira questão nada mais é do que uma decisão.
Repita as três perguntas de controle acima até reconhecer que a pessoa tem o direito
de ser quem é.

Etapa 2: Aprovação
1. Você não gostou ou desaprovou algo sobre essa pessoa? (Ou foi o que
pareceu?) Reserve um momento para liberar-se espontaneamente ou pergunte-se
uma das seguintes perguntas:

• Você poderia liberar, por enquanto, sua antipatia ou desaprovação por essa pessoa?
• Se sim, gostaria de mudar a situação?

2. Essa pessoa não gostou ou desaprovou algo em você? (Ou então


parecia?)
Reserve um momento para liberar espontaneamente ou pergunte-se uma das
seguintes perguntas:

• Você poderia abrir mão do desejo de sua aprovação?


• Se sim, gostaria de mudar a situação?

116

3. Você só tem sentimentos de amor / aceitação em relação a essa


pessoa? Lembre-se de que a terceira questão nada mais é do que uma
decisão.
Repita as três perguntas de aprovação acima até sentir apenas amor / aceitação.

Etapa 3: Segurança / Sobrevivência


1. Essa pessoa o desafiou, ameaçou ou enfrentou você? (Ou parecia que sim?)
Reserve um momento para liberar espontaneamente ou pergunte-se uma das
seguintes perguntas:
• Você poderia abandonar o desejo de desafiar, ameaçar ou confrontá-la?
• Você poderia abandonar o desejo de segurança com essa pessoa?
• Se sim, gostaria de mudar a situação?

2. Você desafiou, ameaçou ou enfrentou essa pessoa? (Ou então


parecia?)
Reserve um momento para liberar espontaneamente ou pergunte-se uma das
seguintes perguntas:

• Você poderia abandonar o desejo de desafiar, ameaçar ou confrontar essa pessoa?


• Você poderia abandonar o desejo de se proteger dessa maneira?
• Se sim, gostaria de mudar a situação?

3. Você tem apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança diante


dessa pessoa?
Lembre-se de que a terceira questão nada mais é do que uma decisão.
Repita as três perguntas de segurança acima até ter apenas uma sensação de bem-
estar, segurança e confiança com a pessoa que está liberando.
Depois de concluir as três etapas, visualize o rosto da pessoa com quem está
trabalhando novamente (ou ouça-a ou sinta-a) e desfrute do sentimento de aceitação
/ afeto por ela. Se houver qualquer sentimento diferente de carinho / aceitação, volte
às perguntas de limpeza.

Por que concluir o processo o beneficia?

Muitas pessoas fazem de tudo para conseguir um verdadeiro "sim" para a terceira pergunta
de cada série, embora saibam que isso causará uma grande mudança em suas consciências.
Eles serão capazes de perceber a importância de dar às pessoas o direito de ser quem são,
mesmo depois de terem tido problemas com elas.
Eles podem até amar e aceitar as pessoas depois do
conflito que tiveram com elas. Mas pode ser difícil
para eles imaginar que só têm uma sensação de
bem-estar, segurança e confiança com certas
«Recuperei o meu sentido de
pessoas.
humor - um grande aliado em
tempos de necessidade - e E se a pessoa de quem você está liberando for
agora tenho a liberdade de alguém que tentou enganá-lo no seu negócio? Por
continuar a criar e a recriar- que você quer confiar nela? Muito simples: quando
me todos os dias. Não é você sente desconfiança, fica pensando que alguém
disso que se trata a vida? " vai te trair. Lembre-se de que aquilo em que você
focaliza sua atenção, seja o que for, está incorporado
à sua realidade. Quando você se sente ameaçado,
Amanda Kanini, Londres você dá poder a outro
(Inglaterra)

117

pessoa, e essa pessoa pode perceber isso e agir de acordo. Se você se sente
inseguro, outras pessoas se sentem mais fortalecidas, porque intuitivamente sabem
que podem controlar, manipular e ameaçar você.
Se você se permitir experimentar uma sensação de bem-estar, segurança e confiança
ao final do Procedimento de Limpeza, será você quem estará no controle. Então você
não terá que temer fazer negócios com ninguém. Você será mais capaz de discernir,
porque o Método o ajuda a ver mais claramente como você e os outros interagem.
Contanto que você decida nunca fazer negócios com alguém que o traiu, ao ponto de
manter um sentimento de desconfiança, você pode atrair pessoas não confiáveis para
sua experiência.
Você raramente libera em favor de outra pessoa. Em um relacionamento próximo e
saudável, você pode se entregar para melhorar esse relacionamento, o que beneficia
seu parceiro. Quando, por exemplo, minha esposa Amy e eu nos conhecemos, ela
gostava que eu fizesse o Procedimento de Limpeza em sala de aula. À medida que
me soltei e fiquei mais leve, fui uma pessoa mais engraçada. Mas se você vive em um
relacionamento difícil, provavelmente não vai abrir mão de nenhum em favor de seu
parceiro; Você faz isso para sua própria liberdade e felicidade.
Responder a todas as três perguntas será de seu interesse. Você pode obter uma
liberação melhor e mais fácil com este processo e verá por sua própria experiência de
trabalhar com o processo que ele realmente o ajuda em todos os seus
relacionamentos.

Tom: resolvendo um mal-entendido profissional


Tom teve um conselheiro por vários anos que também era seu melhor amigo. A certa altura,
eles tiveram um problema de comunicação que os levou a um confronto. Seu conselheiro
acusou Tom de usar seus materiais sem sua permissão e, mesmo quando tal acusação foi
provada como falsa, parecia não haver maneira de resolver a tensão que havia sido criada
em seu relacionamento. Tom nutria muitos sentimentos fortes sobre a situação. Ele se
sentiu zangado e traído, desapontado e até culpado. Então, por alguns dias seguidos, ele
aplicou o Procedimento de Limpeza a seu conselheiro enquanto passeava com o cachorro
pela vizinhança.
Você tentou me controlar? Você pode ter certeza. Eu poderia deixar de tentar controlá-
lo? Certo. Ele me desaprovou de uma forma ou de outra? Com certeza. Você poderia
largar isso? Sim Eu me senti ameaçado? Claro que sim. Foi por esse processo que
Tom passou, fazendo a si mesmo as perguntas e liberando profundamente. No final,
ele decidiu que havia chegado o momento de mudar seu relacionamento com seu
conselheiro.
Embora a amizade nunca tenha recuperado o grau que tinha antes, a carga emocional
em torno dela foi neutralizada, porque na realidade ela não tinha substância alguma.
Tom resume bem: “Eu percebi que o conteúdo de uma discordância geralmente é
menos importante do que toda a carga emocional que adicionamos a ela. Quando
fazemos o procedimento de limpeza, geralmente podemos reconquistar o
relacionamento, independentemente de finalmente nos reconciliarmos ou não. "

Um breve processo de limpeza

Fique confortável e concentre-se em si mesmo. Pense em uma pessoa a quem você


gostaria de aplicar esse processo. Para sua primeira exploração, escolha alguém com
quem você não se sinta sobrecarregado, para não oprimir você. Mas tente escolher
uma pessoa por quem sinta alguma resistência, ou algum desejo de aprovação,
controle ou segurança. Desta forma, ao final deste processo, você terá a autêntica
sensação de tê-lo concluído corretamente.

118

Portanto, concentre-se na pessoa que você escolheu.


Essa pessoa tentou controlar você?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de controlá-
la? Você tentou controlar essa pessoa?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de
controlá-la? Ela tentou controlar você?
O gesso despertou alguma resistência dentro de
você? Se sim, você poderia deixá-la ir?
Você tentou controlar essa pessoa?
Se sim, você poderia, por enquanto, abandonar o desejo de controlá-la?
Repita essas perguntas mais algumas vezes. Deixe de lado o desejo de controle, com
o melhor de sua capacidade, abraçando-o em sua experiência.
Quando estiver pronto, passe para a terceira pergunta desta série:
Você poderia dar a essa pessoa o direito de ser quem ela é? Você poderia?
Você concederia a essa pessoa o direito de ser a pessoa que é? Lembre-se
de que esta questão nada mais é do que uma decisão.
Você agora concede a essa pessoa o direito de ser quem ela é? E
agora, você não gostou ou desaprovou algo sobre essa pessoa?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar a atitude de negar seu amor ou
aprovação? Essa pessoa não gostou ou desaprovou algo em você?
Se parecer que sim, você poderia abrir mão do desejo de
aprovação? Você não gostou ou desaprovou algo sobre essa
pessoa?
Nesse caso, você poderia abandonar sua atitude de negar-lhe afeto, aprovação. Você
poderia, por enquanto, deixar de lado essa desaprovação dela?
Essa pessoa não gostou ou desaprovou algo em você?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar o desejo de obter a aprovação dessa
pessoa, o desejo de que ela ame ou cuide de você?
Quando estiver pronto, passe para a terceira pergunta:
Você poderia ter por essa pessoa apenas sentimentos de afeto e aceitação? Você se
permitiria aceitar ou amar?
Lembre-se novamente de que é apenas uma decisão.
Você sente agora por essa pessoa apenas sentimentos de amor?
Se a resposta for sim, vá para a próxima série de perguntas. Se for negativo, volte e
trabalhe um pouco mais com todas essas questões.
Essa pessoa o desafiou, ameaçou ou enfrentou você? Se sim, você
poderia abandonar o desejo de se proteger dela? Você desafiou,
ameaçou ou confrontou essa pessoa?
Você poderia abandonar o desejo de desafiar, ameaçar ou confrontá-la?
Essa pessoa o desafiou, ameaçou ou enfrentou você?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar qualquer desejo de segurança que tal
desafio pudesse ter despertado?
Você desafiou, ameaçou ou confrontou essa pessoa? Se sim,
você poderia abandonar essa situação agora?
Quando estiver pronto, passe para a terceira pergunta:
Você poderia se permitir ter apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança
em relação a essa pessoa?
Você poderia se permitir abrigar esse sentimento?
Você tem apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança em relação a
essa pessoa?
Se você não puder responder honestamente "sim", repita todo o ciclo de perguntas.
Em seguida, olhe para dentro de si mesmo e veja como se sente agora em relação a
essa pessoa. Acho que você notará que houve uma grande mudança, uma mudança
que provavelmente demorou um pouco. Emocionante, certo?

119

Uma ultima ideia

Recomendo que você siga o Procedimento de limpeza mais duas vezes, em duas
pessoas diferentes, antes de passar para o próximo capítulo. Depois de incorporar
essa técnica em sua vida, todos os relacionamentos humanos serão mais agradáveis
e relaxados. Na Parte Dois, começaremos a aplicar essa ferramenta importante em
muitas áreas diferentes de sua vida.
120

12

Resumo
!! Parabéns !! Você chegou ao final da Parte Um do Curso do Método Sedona. Tudo o
que resta a ser feito é reunir tudo o que você aprendeu em uma visão geral única.
Então, você será ainda mais capaz do que é agora para avançar com ousadia e
incorporar a liberação em todas as áreas e todos os aspectos de sua vida. As
aplicações da vida real são obviamente abordadas na Parte Dois deste livro. Este
capítulo trata de três temas principais introduzidos por Lester Levenson: os Três
Aspectos da Mente, o Diagrama "I" e os Seis Passos. Cada um deles pode fazer você
entender o Método com maior amplitude e profundidade. Depois de entender por que
o sistema funciona da maneira como funciona, sua utilidade aumentará.

Os três aspectos da mente

A maioria de nós confunde nossos pensamentos com nossa identidade. Na verdade,


somos mais do que nossa mente. Portanto, não interprete mal o diagrama abaixo
como uma representação tripla de "você". O potencial ilimitado que constitui o seu
"você" autêntico é representado neste diagrama pelo sinal do infinito que aparece
atrás dos Três Aspectos da Mente; ou, para ser mais exato, por causa do papel em
branco em que este diagrama foi impresso. Sempre que usamos o Método,
aproveitamos o campo infinito de nossas possibilidades, usando a mente para
desmontar sua própria programação limitada.

121

Os três aspectos da mente incluem:

• O sentido de "eu": o sentimento de identidade pessoal, por exemplo: "Eu, Hale", "Eu,
Maria" ou "Eu, (seu nome)", que direciona seus aspectos do programa.
• O discernidor é a lente através da qual vemos o mundo.
• Os aspectos do programa: as qualidades de sentir / registrar! repetição da mente,
que inclui nossos cinco sentidos, nosso banco de memória, além de nossas
tendências, decisões, atitudes, julgamentos e interpretações.

Os três Aspectos da Mente se unem para funcionar de uma maneira muito simples. Para
começar, "eu" percebo o que está acontecendo no mundo. Meus cinco sentidos físicos -
visão, olfato, tato, audição e paladar - fornecem informações para mim através das lentes do
meu discernidor. Então, com base nas informações à "minha" disposição, "eu" decido o que
fazer na minha vida e como enfrentar o mundo.
Neste livro, quando falo sobre um programa, quero dizer uma combinação dessas três
coisas:

1. Um conjunto de instruções
2. Um sistema de crenças
3. Uma decisão tomada conscientemente no momento e agora inconscientemente
seguindo seu curso.

Em alguns de nossos Cursos Avançados, ensinamos um sistema para lançar


programas. Obviamente, neste livro você já aprendeu como liberar os programas de
mestrado, os quatro desejos ou necessidades básicas: o desejo de controle, o desejo
de aprovação, o desejo de segurança e o desejo de separação.
O que você acha que acontece quando o senso de discernimento se fecha?
Informações precisas não são recebidas. Infelizmente, é algo que acontece em maior
ou menor grau com a maioria de nós. Existem muitas coisas que podem obstruir o
senso de discernimento. A seguir estão alguns exemplos que você pode reconhecer:

• Faróis altos. Por que está estabelecido que o motorista deve desligar os faróis altos
quando outro carro vier da direção oposta? Porque essas luzes tornam a visão difícil. Eles
podem e causam acidentes. Uma luz forte obstrui nosso senso de discernimento quando
tentamos não ficar cegos.
• Ruídos altos. Se você ficar sujeito a muito ruído por um tempo, sua audição ficará
obstruída. Qualquer pessoa que já foi a um show de rock sabe o que quero dizer.
Quando você volta ao mundo depois de um daqueles shows, é difícil ouvir o que eles
te dizem. Outras pessoas precisam gritar para que você as ouça.
• Drogas e álcool. Drogas e álcool podem entorpecer seus sentimentos. É por isso
que existem restrições legais à quantidade dessas substâncias que podem ser
consumidas se você vai dirigir, e é também por isso que muitas prescrições e
medicamentos alertam para o funcionamento de máquinas. Já houve casos de
anulação de documentos legais porque seus signatários alegaram estar "sob a
influência" de álcool ou drogas quando os assinaram.
• A doença. A doença pode desligar seu discernimento. Não precisa ser uma doença
grave. Se não, pense na última vez que você pegou um resfriado e, com aquela dor de
cabeça, estava tentando se concentrar.
• Falta de sono. Até a falta de sono pode nos levar a dizer e fazer coisas que Lugo
lamenta, porque não fomos capazes de receber e processar as informações
corretamente.

122

Convido-o a analisar que outras coisas obstruem o seu discernimento no seu caso.
Veja quais tipos de coisas tornam difícil para você pensar rápido, ver as coisas com
clareza ou se sentir bem ao longo do dia. Observe tudo o que impede que as
informações cheguem até você. E para que você não fique obcecado por isso,
procure também tudo que o ajude a perceber com clareza.
É claro que há uma coisa que paralisa a capacidade de discernir mais do que
qualquer outra, e é algo que sempre nos acompanha: nossos sentimentos.
Dependendo de sua intensidade, nossos sentimentos ou emoções interferem em
diferentes graus na percepção do que realmente está acontecendo ao nosso redor.
Se um sentimento for forte o suficiente, perdemos a capacidade de distinguir a
reação correta. Funcionamos no piloto automático. Os programas da mente estão no
controle e não percebemos que existe uma separação de sentimento. Então, na
medida em que nos identificamos com qualquer emoção, é essa que nos governa.
Não somos nós que o governamos.
Pense em experiências anteriores.
Tenho certeza de que você se
lembrará de muitas vezes em que
estava chateado ou preocupado e, “Não consegui explicar o quanto o Método
portanto, não agiu ou fez coisas de Sedona me ajudou. Senti a pressão econômica
que se arrependeu mais tarde. Você que todos os agricultores sentem nesta
certamente encontrará pessoas que temporada, o que me causou uma
ficaram tristes, com raiva ou preocupação que determinou meu estado
chateadas e que acidentalmente se emocional. Em apenas alguns dias, liberei
machucaram de uma forma que não carga interna suficiente para ser capaz de lidar
perceberam até alguns dias depois. com novas estratégias financeiras que me
A "raiva cega" também parece
tiraram da depressão e me trouxeram mais
familiar para você? Você deve
conhecer pessoas que ficaram tão renda do que eu jamais poderia imaginar em
zangadas com outras que suas uma situação tão ruim para meus produtos. Eu
mentes de repente ficaram nubladas gosto do meu trabalho de novo, e nem penso
e partiram para o ataque. Eles em jogar a toalha »
podem não se lembrar de nada que —Sandra Perry, Earlimart (Califórnia)
se seguiu a essa explosão de raiva
até serem separados de suas
vítimas.

É aí que entra o Método Sedona. Ajuda-nos a liberar emoções que bloqueiam nosso senso de
discernimento. Um dos propósitos das perguntas que usamos no Método é nos ajudar a
perceber com mais clareza. Quando você se pergunta, ou quando alguém lhe pergunta: "O
que você sente? Isso o lembra de que você não é o sentimento, você apenas tem um
sentimento (ver Capítulo 3). Assim que você reconhece esse detalhe, seu senso de
discernimento se abre um pouco. Dê um passo adiante e pergunte a si mesmo: "Este é um
sentimento de querer aprovação, controle ou segurança?" E ele reconhece: “Oh! Nesse caso,
quero o controle. Seu discernimento se abre um pouco mais. Em seguida, faça a si mesmo a
pergunta libertadora: "Será que posso deixar isso pra lá?" E quando você o libera, na liberação
do sentimento, seu discernimento se abre ainda mais. O Método atua no momento atual
ajudando-nos a processar as informações que recebemos do meio ambiente e que acionam
nossos programas, principalmente os programas básicos do desejo de aprovação, controle,
segurança e separação. Esses programas, nossas reações, produzem um ruído de fundo
interno constante. Portanto, quando sentimentos e pensamentos são acionados, em vez de
permitir que eles automaticamente nos coloquem em ação ou nos impeçam de agir, temos a
capacidade de nos soltar e reagir apropriadamente.

À medida que empregamos o Método, nosso discernidor começa a permanecer em uma


posição aberta, ao invés de regredir para um estado quase fechado. Podemos receber e
processar mais informações em menos tempo. Podemos acessar mais facilmente nossa
intuição e discerni-la. Podemos sentir nossas emoções

123

mais plenamente, incluindo prazer e alegria. Podemos desfrutar até das coisas mais
simples da vida.
Como você viu no Capítulo 6 ("Aprofundando sua Libertação"), os programas
humanos eram originalmente baseados em tudo o que era voltado para a
sobrevivência. À medida que evoluiu de macacos para humanos, a espécie não teve
muito tempo para avaliar todos os perigos que estavam surgindo. Precisávamos
saber instantaneamente quando era hora de lutar e quando fugir. Alguns chamam
esse reflexo de nossa "mentalidade da selva". Se tivéssemos que lembrar
constantemente ao coração para bater, não teríamos a energia ou os meios para lutar
ou fugir. Muitas pessoas ainda estão perdidas na selva que fazemos para nós
mesmos. Parece que depositamos nos bancos do nosso programa mais do que
precisamos para sobreviver.
A seguir está um exemplo imaginário de como a programação pode começar a perder
o controle. Suponha que, quando criança, você teve um parente que o maltratou, uma
mulher alta de cabelos grisalhos. Então, depois de interagir com ela frequentemente,
você tomou a decisão inconsciente de que todas as mulheres altas e de cabelos
grisalhos são perigosas. O aspecto sentir / registrar / repetir da mente capta essas
informações pertinentes e, a partir desse ponto, você vê o mundo através do vidro
dessa decisão. Você está sempre alerta para se proteger de mulheres altas e de
cabelos grisalhos. É uma atitude que se torna uma segunda natureza e você logo
esquece que em algum momento você tomou essa decisão. Agora que é uma forma
automática de reagir ao mundo, você não pensa mais nisso conscientemente. Parece
que é algo tão natural quanto seus programas de sobrevivência, como respiração,
batimento cardíaco ou digestão.
O tempo voa. Muitos anos depois, você está em uma entrevista de emprego. As
coisas estão indo muito bem: você encontrou a postura perfeita que é o próximo
passo certo. Embora a pessoa que está conduzindo a entrevista seja uma mulher de
cabelos grisalhos, ela está do outro lado da mesa e na sua altura. Então está tudo
bem. Então ela disse: "Eu gostaria de contratar você". Você responde: "Gosto de
trabalhar". Ambos defendem. aperta a mão e de repente você percebe que ela é muito
mais alta do que você. Você nota uma sensação estranha na boca do estômago. A
mulher de cabelos grisalhos quer lhe mostrar a fábrica, mas quando você inicia sua
visita, você tem pensamentos conflitantes: "Não tenho certeza se este trabalho me
convém." "E se eu estiver errado?" "O lugar parece bom, não é?" Pode terminar a visita
ou não, porque por dentro sente que deve fazer tudo o que estiver ao seu alcance
para sair desta perigosa situação. Infelizmente, você pode fugir sem motivo de uma
oportunidade de trabalho ideal.
É assim que as pessoas tomam decisões todos os dias, com base na programação do
passado que nada tem a ver com o presente. Felizmente, o Método Sedona nos ensina como
evitar a operação automática. Isso nos ajuda a usar nosso senso de discernimento para nos
libertar das limitações auto-impostas e, assim, funcionar da melhor maneira em nossas
vidas.
Uma vez que o aspecto sentimento / registro / repetição da mente é responsável por
nossas funções automáticas (circulação, respiração, temperatura corporal, etc.), bem
como nossa reação às ameaças percebidas, todo o nosso funcionamento geral
permanece afetado quando sobrecarregado. A doença se instala. Muitas das
ameaças que percebemos são pura imaginação; no entanto, eles colocam uma
pressão sobre todo o sistema físico e o tornam mais lento. Cada vez que liberamos,
nos livramos do excesso de programas e aliviamos a carga que colocamos em nosso
sistema nervoso automático.

124

Simplificando, quando você libera seus sentimentos e os desejos subjacentes que os


motivam, você vê exatamente o que está acontecendo, aumentando assim sua
capacidade de ser eficiente. Você se liberta para estar aqui AGORA, neste momento,
onde você pode responder de acordo com suas circunstâncias atuais, de uma
posição de discernimento e compreensão.
Todo o nosso senso de limitação surge da identificação com o "eu" pessoal. Como
dissemos no Capítulo 6, nascemos com certas tendências. No entanto, essas
tendências não foram travadas para resistir à picada do sofrimento pessoal até que
percebemos que éramos o "eu" ou o "eu" a que todos eles se referiam. A verdade é
que, como vimos no diagrama dos Três Aspectos da Mente, iniciamos e nunca
deixamos o estado de potencial ilimitado, de infinito, que está no fundo. Qualquer
sofrimento que aparentemente tenhamos, e todas as limitações que parecem nos
amarrar, são apenas sobrepostos a quem realmente somos.
Com o Método, descobrimos o potencial ilimitado que está por trás de nossa mente, que está
localizado bem atrás de nossos sentimentos, que está bem atrás dos problemas que temos
na vida. Você provavelmente já observou que, à medida que se torna mais consciente desse
potencial ilimitado, ele fica mais ao seu alcance a cada momento. Se você se lembra de
como se sentiu quando começou a ler

125

Por meio deste livro e trabalhando com seus processos, você notará que agora se
sente menos amarrado aos seus sentimentos e problemas, e mais capaz de enfrentar
qualquer coisa que a vida lhe lance. E isso é só o começo. Conforme você trabalha
com o Método, você obterá mais e mais dele.
Outra coisa a se notar sobre o Diagrama "I" é completamente óbvia e muitas pessoas
esquecem. Se você olhar a página onde está impressa, como fez com o diagrama dos
Três Aspectos da Mente, verá que, embora haja algo escrito na página, também é
verdade que está quase todo em branco. Outra maneira de olhar para o nosso
potencial ilimitado é como olhamos para o espaço em branco nesta página: a maior
parte dele brilha, sem nada para escondê-lo. Este também é o caso de nossas vidas.
Você sempre tem um potencial muito mais ilimitado à sua disposição do que
imagina. Com o uso do Método, você verá melhor essa realidade. Uma comparação
do que estamos fazendo com o método é pegar uma borracha e, progressivamente,
diminuir ou eliminar as limitações que permanecem na página (pensamentos,
sentimentos, desejos). Isso está liberando.
A parte mais agradável do Método é deixar as coisas como estão. Mesmo que ainda
haja algo escrito na página, o espaço em branco se torna mais evidente e mais
operativo em sua vida.
Mergulhar em parte do Método começa com uma certa obstrução no topo - o desejo de
aprovação, controle, segurança e separação; ou apatia, tristeza, medo, desejo, raiva ou
orgulho. Quando você mergulha até o âmago, o que você descobre é o papel oculto, o espaço
em branco, nosso potencial ilimitado.
Portanto, olhe para a palavra "I" no topo da página. Representa nosso senso ilimitado
de quem somos: "Eu, Hale" ou "Eu (seu nome)". Se não tivéssemos programas
vinculados a esse sentido, ele se dissolveria imediatamente em um potencial
ilimitado. Na verdade, a limitação muitas vezes desaparece ao longo do dia. Mas,
sem nossos pensamentos, sentimentos e desejos programados, ele não iria
reaparecer e nos parar.
Vamos examinar o diagrama, seção por seção, para ver onde cada um se encaixa.
Como você pode ver, o desejo mais profundo
- estar separado - é aquele ao qual não nos referimos com tanta freqüência quanto os
outros neste livro. O desejo de estar separado vem da sensação de ser um indivíduo à
parte do potencial ilimitado. Lembre-se de que você pode liberar diretamente a
qualquer momento que decidir fazê-lo (consulte a página 163). Os outros três
desejos, que aparecem no diagrama logo abaixo da separação, são sobreviver como
um corpo (também conhecido como desejo por segurança), desejo por aprovação e
desejo por controle. O desejo de segurança baseia-se na suposição de que somos os
corpos limitados em que habitamos.
Mesmo que você não tenha nenhuma inclinação metafísica, tenho certeza de que
pelo menos pensa que a vida é muito mais do que aparenta. Este é provavelmente um
dos motivos que o levaram a ler este livro no início. O corpo é o menor de nós, não o
maior. Ao liberar, você descobrirá que talvez, apenas talvez, o corpo não seja tudo o
que você é. Ao abandonar seu desejo de segurança ou sobrevivência, você começará
a se sentir mais seguro.
O segundo programa mais profundo é o sentimento de desejo de sobrevivência. Por baixo,
está o sentimento de necessidade de aprovação. Achamos que se todos nos amam e se
preocupam conosco, estaremos seguros e poderemos sobreviver. Acreditamos que, de
alguma forma, precisamos obter o amor e a aprovação do mundo exterior. Na minha opinião,
não é assim; e você provavelmente já descobriu por si mesmo. Tenho certeza de que você
percebeu que, ao abandonar o desejo de amor ou aprovação, você se sente mais amoroso,
mais aprovador e mais inclinado a aprovar. Abaixo do desejo de aprovação está o sentimento
de desejo de controle. Às vezes, as pessoas não nos aprovam adequadamente. Eles não nos
dão o presente certo, não nos fazem o elogio certo ou não são tudo para nós.

126

bom que eles deveriam. E você sabe o que quero dizer. Então, queremos controlá-los para
obter sua aprovação da maneira que gostamos. Em alguns casos, desistimos de nossos
esforços para obter a aprovação de uma determinada pessoa, ou em determinada situação,
ou sentimos uma ameaça aparente que nada tem a ver com os outros ou com o amor.
Nesses casos, queremos controlar diretamente - e não por aprovação - para estar seguro ou
sobreviver como um corpo. É isso que representa a flecha que liga o desejo de controle ao
desejo de sobrevivência como corpo.
Os quatro desejos ou necessidades culminam nos nove estados emocionais: apatia,
tristeza, medo, desejo, raiva, orgulho e as partes limitadas de coragem, aceitação e
paz. Por este motivo, APMDIOCAP aparece no diagrama abaixo o desejo de controle.
Os sentimentos são o que usamos para tentar obter aprovação, controle e segurança,
e para manter um senso de separação. Nossos sentimentos também motivam
nossos pensamentos.
No Método Sedona , sempre nos concentramos mais no que sentimos do que no que
pensamos. E fazemos assim porque é quase impossível fazer mudanças em nossa vida
apenas pela disposição para ter pensamentos positivos. Se você já experimentou, sabe que
pode ser muito difícil, a menos que você lide com a apatia, a tristeza, o medo, o desejo, a
raiva e o orgulho que pode sentir, e os desejos subjacentes. No entanto, o que você
certamente já observou é que seu pensamento se torna positivo de uma forma natural
quando você começa a se liberar sobre qualquer assunto, sentimento ou desejo. Você não
precisa tentar pensar positivamente. É simplesmente algo que ocorre espontaneamente.
Você não precisa fazer nenhum esforço. Você não precisa tentar fazer nada.
Aos 20 anos, pouco antes de seguir o Método Sedona, eu era uma pessoa
extremamente tímida. Achei que afirmações positivas me ajudariam a me sentir mais
à vontade com as pessoas. Por meses a fio, eu passava o dia repetindo para mim
mesma: "Sinto-me muito confortável perto de outras pessoas", sem sucesso. Quando
penso nisso agora, não posso deixar de rir, porque a única coisa que mudou foi que
ouvi aquele som repetidamente na minha cabeça, como se fosse um disco, mas não
mudou meu humor. Essa timidez que se arrastou por toda a minha vida só
desapareceu logo depois que comecei a gozar. Hoje me sinto confortável diante de
grandes grupos de pessoas e quando estou sozinha. Não preciso fazer nenhum
esforço para manter esse estado. Com base em minha própria experiência e com as
milhares de pessoas com quem trabalhei, acho um erro presumir que os
pensamentos são os únicos responsáveis por nossa infelicidade ou ineficácia na
vida.
Desde a década de 1920, o pensamento positivo gozou de grande popularidade em
todo o mundo, e sistemas abrangentes foram criados para aprimorar nossa
capacidade de fazê-lo. Você provavelmente já ouviu a expressão: "O mundo é como
você o pensa", ou uma de suas variações. O pensamento positivo pressupõe que os
pensamentos negativos são reais e que somos a soma do que pensamos. Se isso
fosse verdade, pouco poderíamos fazer a respeito, exceto cobrir os pensamentos
negativos com os positivos. Infelizmente, nosso subconsciente está tão
sobrecarregado que tal tarefa seria colossal.
Em vez disso, o Método é eficaz porque, embora tenhamos pensamentos, não somos
nossos pensamentos. Imagine que todos nós temos um barril dentro de nós que
representa o subconsciente. Esse barril tem um revestimento dourado que representa
nosso potencial ilimitado, nosso conhecimento intuitivo, que é coberto por uma pilha
de maçãs podres que representam apatia, tristeza, medo, desejo, raiva, orgulho e
todos os desejos. Mesmo que cobríssemos o revestimento dourado com maçãs em
boas condições (pensamentos e sentimentos positivos), o que aconteceria no final
com essas maçãs? É isso: eles acabariam apodrecendo. Além disso, colocar maçãs
boas em camadas sobre as podres não faz nada mais do que esconder ainda mais o
revestimento dourado.

127
O Método é um meio de esvaziar o barril, para que você descubra o revestimento de
ouro que está à sua disposição, aqui e agora, em sua vida, neste exato momento. A
única razão pela qual você não pode vê-lo é que ele está oculto pela camada de
pensamentos, sentimentos, crenças e desejos restritivos que você tem. Deixe-os de
lado e seu pensamento será mais positivo.
É fácil ver que, em certa medida, seu pensamento influencia sua percepção do mundo; E se
você estiver disposto a ir um pouco mais fundo, pode até ver que isso influencia o que
realmente acontece em sua vida. A seguir, um exemplo concreto do mundo das vendas. Se
você é um vendedor e tem uma atitude positiva 'Eu me sinto confiante sobre você e o que
vende-, é mais fácil vender seu produto. Mas se você tiver um dia ruim, se houver vários
clientes que rejeitam o que você vende, ou se você não vende nada há muito tempo, fica
difícil fazer uma venda, porque aos poucos você se sente menos positivo. É hora de liberar. O
resultado será que aos poucos o seu pensamento se tornará positivo, e o mesmo acontecerá
com o seu mundo.

Você notou que a ênfase neste livro, ao contrário da maioria dos programas de
autoaperfeiçoamento, não tem nada a ver com fazer você mudar seu
comportamento? A razão é que, por meio da liberação, as pessoas naturalmente se
movem em uma direção positiva. Como já disse, a mudança duradoura, positiva e
autêntica vem de dentro, e não é o resultado de uma tentativa de impô-la de fora.
Para verificar isso, pense em suas próprias experiências anteriores.

Por exemplo, antes de ter as ferramentas do


“Depois de anos em busca de um Método, você pode ser capaz de parar de
caminho espiritual que fizesse fumar temporariamente e depois voltar ao
sentido para mim, sempre acabava vício. Ou talvez você tenha substituído a
de mãos vazias. O Método Sedona compulsão alimentar por tabaco. Portanto,
é o primeiro caminho que ao sublimar sua ansiedade, você certamente
realmente me ensinou como é fácil engordou. Essas coisas acontecem porque
abrir mão de tudo que me prendeu quando você desiste de um hábito em um
na vida. Nenhum outro me lugar, ele geralmente aparece em outro. Isso
ensinando é o que muitas pessoas e organizações
mostrou exatamente como obtê-lo. fazem quando tentam mudar de fora para
Sou muito grato por essas dentro. É diferente quando você abandona
ferramentas com as quais mudei
completamente um hábito. Quando você
muda de dentro para fora, as mudanças
minha vida e que a tornaram mais
duram e são sempre positivas. Qualquer
fácil e feliz. mudança que você fizer usando o Método dá
—Leandra Ginevra, San Pedro, a você mais liberdade geral, porque revela
Califórnia mais do potencial ilimitado da pessoa que
você é.

Eu o encorajo a refletir sobre o diagrama "I". Trabalhe com ele. Use-o para verificar
seu progresso. Não apenas acredite: prove a si mesmo.

Os Seis Passos são a síntese da essência do Método Sedona. Eles foram concebidos
por Lester Levenson em 1974 para resumir todo o processo de locação. Ele estava
trabalhando com um pequeno grupo de pessoas em quem confiava para treinar como
conselheiros - pessoas que o estavam ajudando a sistematizar seus ensinamentos
em um método independente - quando ele descobriu os Seis Passos e os escreveu na
folha em branco inicial de um livro ele estava lendo. Desde então, eles não mudaram
substancialmente.
Pode ser útil consultar as Seis Etapas sempre que usar o Método. Muitas pessoas
reduziram a lista para caber em sua bolsa ou carteira. Conheço outras pessoas que o
publicaram no quadro de tarefas diárias. Você também pode pendurá-lo na parede ao
lado de sua mesa de trabalho ou criar um protetor de tela do

128

computador com os Seis Passos, para tê-los sempre à mão e lembrar que você deve
praticar a liberação ao longo do dia. Também recomendo que, quando você se sentar
para realizar uma liberação específica ou escrita, tenha a lista diante dos olhos. Mais
tarde, se você ficar travado em algum ponto, poderá examinar os Seis Passos e eles o
ajudarão a seguir em frente. Como eu disse, eles representam a essência de tudo o
que você tem feito e continuará a fazer à medida que você desdobra sua exploração
do Método.

Os seis passos
1. Permita-se querer liberdade / imperturbabilidade (seu objetivo) mais do que o
desejo de aprovação, controle, segurança e separação.
2. Decida que você pode liberar e ser livre / imperturbável (atingir seu objetivo).
3. Permita-se perceber que todos os seus sentimentos culminam nos quatro
desejos: o desejo de aprovação, o desejo de controle, o desejo de segurança e o
desejo de separação. Então, permita-se abrir mão dos desejos.
4. Seja consistente. Liberte o desejo de aprovação, o desejo de controle, o desejo de
segurança e o desejo de separação em todos os momentos, esteja você sozinho ou
com outras pessoas.
5. Se você ficar preso, libere o desejo de controle ou mude a estagnação.
6. Sempre que você libera, você fica mais leve, mais feliz e mais eficiente. Se você
fizer isso continuamente, você sempre será mais leve, mais feliz e mais eficiente.

Vamos agora dar uma olhada em cada uma dessas etapas

Passo 1: Permita-se querer liberdade / imperturbabilidade (seu objetivo) mais do


que o desejo de aprovação, controle, segurança e separação.
Isso não quer dizer que você deva desejar liberdade mais do que qualquer outra coisa.
Também não significa que você não alcançará seus objetivos ou começará a experimentar a
liberdade até que tenha eliminado completamente qualquer sentimento de desejo de
aprovação, controle, segurança ou separação. Isso significa que quanto mais você inclina
seu equilíbrio interno em direção à liberdade / imperturbabilidade, mais rápido verá os
resultados do Método em sua vida e mais cedo colocará seu objetivo em sua consciência.
É interessante notar que o desejo de liberdade / imperturbabilidade é o que nos atrai
para este tipo de trabalho. Muitos, senão a maioria deles, tendem a preferir
permanecer inconscientes. Eles literalmente não veem que existe uma saída, que
existe uma alternativa. Como você já atingiu este ponto no Método Sedona, pode ter
certeza de que é uma das pessoas sortudas neste planeta que está disposta a mudar
para melhor e de dentro para fora.
Para reforçar seu desejo de liberdade, você pode escolher a liberdade sempre que
possível. Se você tem alguma dúvida sobre continuar ou não com o Método, há uma
pergunta que o ajudará a ter um bom discernimento. Isso é muito útil, especialmente
se você tiver problemas para se livrar de uma sensação de desconforto.

• Prefiro essa estagnação (esse sentimento) ou prefiro ser livre?

Na maioria das vezes, assim que você fizer essa pergunta a si mesmo, verá a energia
em torno da estagnação mudando. Muitas vezes, a pergunta fará com que você abra
mão de tudo o que está segurando no momento. Sim, usamos o verbo "querer" na
formulação da Etapa 1. Se você usar esse desejo para transformar todos os outros
em um desejo de liberdade, você não precisará mais dele e ele desaparecerá por si
mesmo.

129

Passo 2: Decida que você pode liberar e ser livre / imperturbável (atingir seu
objetivo). Cada vez que você libera, é apenas uma decisão, uma escolha simples.
Você tem que tomar essa decisão a cada momento de cada dia. Obviamente, isso
não significa que a partir de agora você sempre decidirá liberar. Mas quando você
decide, quando você decide usar o Método e ser livre, fica cada vez mais fácil. Quanto
mais você souber reconhecer que a liberdade está ao seu alcance e que pode
alcançá-la com facilidade, mais provável será que você decida conquistá-la.

Passo 3: Permita-se perceber que todos os seus sentimentos culminam nos quatro
desejos: o desejo de aprovação, o desejo de controle, o desejo de segurança e o
desejo de separação. Então, permita-se abrir mão dos desejos.
Esta etapa é o núcleo do Método. Ao explorar a liberação, você verá com mais clareza
que seus desejos básicos subjacentes o fazem se sentir diferente do que decidiria
sentir, e que você age de maneiras das quais se arrependerá mais tarde. À medida
que essa consciência tomar conta, você perceberá que está se soltando
espontaneamente, imediatamente e com maior facilidade.

Etapa 4: seja consistente. Liberte o desejo de aprovação, o desejo de controle, o


desejo de segurança e o desejo de separação em todos os momentos, esteja você
sozinho ou com outras pessoas.
Sempre que há um problema, você tem a oportunidade de liberá-lo e revertê-lo. Mude
sua perspectiva de vida completamente, reconhecendo que cada queda é uma
oportunidade para chegar ainda mais alto. Tornar a liberação algo constante não
significa que você tenha que fazer muitas coisas - embora à primeira vista possa
parecer - porque você está criando um novo hábito. É sobre estar mais ciente do
potencial ilimitado que está por trás de tudo o que você experiencia. O uso
consistente de libertação não significa que você tenha que se fazer as perguntas
sobre libertação o tempo todo. Significa que você relaxa para ser quem realmente é.
Você está calmo e o mais aberto possível para liberar quaisquer sentimentos que
surjam no momento ATUAL. Você busca a verdade.
O exercício de desapego pode se tornar uma segunda natureza e aparentemente
automático, como a repressão e a expressão agora são na maioria de nós. Já que
sempre fazemos algo com nossos sentimentos em todo caso, por que simplesmente
não os deixamos ir?

Passo 5: Se você ficar preso, deixe de lado o desejo de controle ou mude o impasse.
Essa etapa é tão importante que dediquei um capítulo inteiro a ela, "Sua chave para a
serenidade" (consulte a página 121). É a válvula de segurança do Método, uma ação única
que, na maioria dos casos, o levantará e o colocará de volta no caminho de onde parou.
Especificamente: quando queremos mudar ou controlar como nos sentimos, ficamos presos.
Portanto, quando abandonamos o desejo de mudar ou controlar como nos sentimos no
momento ATUAL, toda a dinâmica é mudada.
É muito simples. Deixe de lado o desejo de mudar ou controlá-lo se ...
• Você se sente oprimido.
• Você se afasta da liberação.
• Você se esqueceu de liberar.
• Você acha que não pode deixar ir.
• Você não tem certeza do que sente.
• Você acha que há certos padrões que são mais difíceis de abandonar do que outros.
• Você só quer parar de tentar e deixar para lá AGORA.

Etapa 6: Sempre que você libera, você fica mais leve, mais feliz e mais eficiente. Se você
fizer isso continuamente, você sempre será mais leve, mais feliz e mais eficiente.

130

Como eu disse na Introdução, Lester costumava chamar o Método Sedona de


"método top-down", referindo-se ao fato de que ao usar essa técnica, observa-se que
o que agora pensamos como uma experiência limite acaba se tornando algo sem
importância. Não é que não continue a haver altos e baixos. Conforme você libera,
seus pontos altos aumentam ainda mais, mas o mesmo ocorre com seus pontos
baixos. Você será capaz de sentir os seus sentimentos com mais precisão, porque,
ao liberar, você se abre mais, se torna mais sensível e se discerne melhor. Mas
mesmo que sinta mais os seus sentimentos, você também os está deixando partir
com muito mais facilidade; Por esse motivo, você notará que com o tempo sua
liberdade aumenta rapidamente.
É por isso que o incentivo a escrever os benefícios que obtém ao trabalhar com este
livro. Ao monitorar as mudanças positivas que ocorrem em sua vida, você reconhece:
"Sim, me sinto mais livre, me sinto mais feliz, as coisas estão melhores, estou cada
vez mais eficiente." Quando você reconhece isso, você alimenta todo o positivo em
vez do negativo, o que o levará de volta à Etapa 1. Quando você vir que está mais livre
e feliz, seu desejo por mais do mesmo será reforçado.
Experimente uma pergunta que Lester costumava
fazer a si mesmo: Será que as coisas poderiam ser
melhores?
Se eles pudessem ir melhor, quando você liberar, eles iriam melhor.
Em particular, se você tem tendência a entender, depois de ler este capítulo, você
pode descobrir que o Método Sedona é melhor compreendido. Tudo isso é baseado
em fórmulas repetíveis que funcionam enquanto você permitir.

A varredura: sem problemas

Antes de passar para a Parte Dois, gostaria de compartilhar com vocês uma das
idéias mais fortes que temos explorado nos Cursos do Método Avançado de Sedona:
não há nenhum problema neste momento. Eu mantive essa ideia para mim até agora
porque sei que você pode achar difícil aceitá-la, mas e se todos os chamados
problemas que você está tendo agora fossem apenas memórias? Eu o desafio a
analisar essa questão por si mesmo e pelo menos contemplar essa possibilidade. Se
você puder aceitar pelo menos parte da ideia, e trabalhar com ela da melhor maneira
possível no sentido descrito aqui, você terá outra ferramenta poderosa para
transformar radicalmente sua vida para melhor.
A razão pela qual os problemas parecem persistir com o tempo é que sempre que
eles não existem, neste momento, saímos para encontrá-los. Sim, nós realmente
procuramos problemas. Tendemos a filtrar nossas experiências com base na crença
de que temos um certo problema, censurando inconscientemente qualquer coisa em
nossa consciência que não apóie essa crença, incluindo o fato de que o problema
não está aqui AGORA.
Venho trabalhando há muitos anos abrigando essa ideia no fundo da minha
consciência; entretanto, somente nos últimos anos usei-o em nossas aulas e retiros.
Uma das primeiras vezes que o compartilhei com um grupo foi em um retiro de 7
dias, há alguns anos. Henry se aposentou com uma cinta de perna e com muitas
dores devido a uma ruptura no ligamento do joelho. Os médicos disseram a ele que a
dor provavelmente duraria cerca de seis meses, até que os ligamentos sarassem.
Então ele ficou muito cético quando eu disse que até a dor é uma memória. Sim,
existem sensações ATUAIS, mas a dor em si é apenas uma memória. Henry estava
tão cético que passou as próximas 24 horas tentando provar que eu estava errado.
Ele tinha certeza de que se enfrentasse as sensações que estava experimentando,
não pararia de sentir dor.
No dia seguinte na aula, Henry disse que estava mais do que surpreso que, apesar do fato de
ter duvidado do que eu havia dito, toda vez que ele procurava por dor no presente, ele não
conseguia encontrar. Ele passou a explicar que não só não conseguia encontrar dor no
presente, mas que não a sentia mais periodicamente, e que o

131

o inchaço foi reduzido em 85%. Ele também não precisava mais do suporte para
andar.
Convido-o a questionar os seus problemas que afirma ter há tanto tempo, a
contemplar pelo menos a possibilidade de que não sejam mais do que memórias e a
permitir-se estar aberto ao que possa descobrir.
Para liberar o sofrimento causado por suas percepções, comece pensando sobre um
problema que você costumava pensar que tinha. (Observe que fiz a frase no passado
propositalmente.)
Se for difícil para você aceitar que o problema é algo do passado, inclua o momento
mais recente como parte do passado. A maioria de nós imagina o passado pelo
menos como ontem, ano passado ou anos atrás. Para entender o que estou
sugerindo, peço que considere passado tudo o que não acontece neste exato
momento, mesmo o que aconteceu um segundo ou mesmo um nanossegundo atrás.
Em seguida, faça a si mesmo a seguinte pergunta: Você poderia deixar-me lembrar
como eu costumava pensar que tinha esse problema?
A mudança de consciência que se segue a esta pergunta pode fazer você rir, pode
fazer você vibrar por dentro ou pode simplesmente abrir em sua consciência a
possibilidade de que "Sim, até isso é uma memória".
Em seguida, pergunte-se: eu gostaria de mudar o que vem do passado?
Se a resposta for 'sim', pergunte-se: Posso largar e! desejo de mudar o que vem do
passado? Em seguida, libere o melhor que puder.
Se a resposta for 'não', vá para o próximo ponto.
A última pergunta desta série é: Será que posso deixar de lado o desejo de acreditar que sou
novo esse problema? Ou: Você poderia liberar a expectativa de que esse problema volte
a surgir?
Como de costume, faça tudo o que puder para deixar ir. No entanto, se você descobrir
que ainda está retendo a memória do problema neste ponto, repita as etapas desde o
início até que possa se soltar totalmente.

Use o processo Prós e Contras

Recomendo que, ao trabalhar os problemas usando o Processo de Prós e Contras do


Capítulo 10, você tenha uma perspectiva do passado. Em vez de perguntar: "Qual é a
vantagem de ter esse problema específico?" e "Qual é a desvantagem de ter esse
problema específico?" pergunta: "Qual foi a vantagem ...?" e "Qual foi a desvantagem
...?" Em seguida, siga as etapas descritas no Capítulo 10
Trabalhar no passado com as vantagens e desvantagens abre a possibilidade de que
o problema seja apenas uma memória e não se reproduza. Isso o libera para
abandonar esse padrão específico de consciência, sem aceitar nenhum sentimento
de restrição. Ao fazer isso, você descobrirá que pode chegar ao âmago do sentimento
muito mais rápido e se libertar muito mais completamente.

À
À medida que você trabalha mais a partir dessa perspectiva, ficará cada vez mais fácil para
você deixar de lado até mesmo aqueles problemas que costumava pensar que existiam há
muito tempo, e isso o ajudará a aprofundar-se em tudo o que aprendeu na Parte Um.

Cuide de um sentimento ou um momento de cada vez

Frequentemente, quando alguém escreve um livro como este, pede aos leitores que
assumam compromissos que duram pelo menos 21 dias, para que possam adquirir um novo
hábito de pensamento e ação. Acho que é algo artificial e poderoso. O que eu recomendo, ao
contrário, é que você se limite a um momento de cada vez e faça o possível para aplicar o
que aprendeu. Se você se esquecer de liberar em determinado ponto, isso não significa que,
de alguma forma, você deixou de ser diligente. Significa apenas que você tem uma nova
chance de

132

pegue a gota AGORA. Conforme você consegue fazer isso momento após momento,
você se sentirá encorajado a continuar se beneficiando da liberação e a aceitar a
verdade da pessoa que você é.

Stephanie: não existe <'perder tempo'

Em nosso trabalho conjunto neste livro, minha revisora, Stephanie, iniciou o processo
de aprendizagem de como aplicar o Método Sedona. Um dia, enquanto
conversávamos ao telefone sobre a estrutura de um capítulo, ela mencionou que
costumava ficar irritada com a sugestão de que eu largasse sua história.
"Aconteceram coisas em minha vida que me afetaram profundamente", disse ele.
«Não aceito que me digam que são mentiras ou ficções. Além disso, mesmo quando
libero meus sentimentos sobre esses eventos, continuo me lembrando deles. Eu a
incentivei a relaxar um pouco mais e ver o que aconteceria se ela parasse de pensar
em como ela experimentaria esses eventos novamente. Em seguida, continuamos
com nosso trabalho.
Poucos dias depois, Stephanie me ligou de novo e perguntou: "Você se lembra de que
eu disse que me incomodava ser mandada lançar minha história?" Eu disse que
lembrava. Bem, há um assunto de que me envergonho e de que nunca falei, que tem
determinado a minha vida nos últimos dois anos. Quando desligamos o telefone, me
sentei e decidi que iria desligá-lo, embora não achasse realmente possível. Como
experiência, pelos próximos dois dias eu viveria minha vida livremente, como se a
vergonha fosse algo irreal.
“Logo depois de tomar essa decisão, devo ter chorado por cerca de cinco minutos,
continuando a liberar e permitir que tudo mexesse em mim. Quando parei, o telefone
tocou. Ela era uma amiga das aulas de Sedona. Parecia um presente do céu. Então
decidi aproveitar a oportunidade para contar a ele meu 'segredo profundo e sombrio' e
descobrir se minha vergonha havia realmente ido embora .
"Quando fiz isso, foi muito interessante", disse Stephanie com uma risada. Primeiro,
fiquei quente da cabeça aos pés. Então eu senti uma tristeza profunda por cerca de
três segundos ... e então eu estava bem, perfeitamente bem. Ela ficou surpresa com a
energia que seu corpo exalava. Ela só lamentou a dor que sentiu, porque, como ela
disse, “Hale, eu perdi muito tempo não sendo feliz. Foi muito fácil ser livre, mas
estava completamente entregue à minha dor.
Se você acha que perdeu seu tempo, como Stephanie, deixe-me convencê-lo, como eu
a convenci. Na minha opinião, não existe perda de tempo. Todos nós fazemos
exatamente o que devemos fazer para que nossas vidas funcionem. Sinceramente,
todo o tempo e toda energia que investimos em nossas histórias e nossos
sofrimentos os recuperamos multiplicados por mil quando liberamos essas histórias e
esses sofrimentos. Não estamos perdendo tempo.
Não existem erros.
133

fxzâÇwt ctÜàx

APLICAÇÃO A
A VIDA REAL

Na Parte Dois, "Aplicação na Vida Real", exploraremos algumas das muitas maneiras
pelas quais você pode aplicar o Método Sedona à sua vida, além do óbvio sentir-se
melhor AGORA. Cada capítulo desta seção pode ser expandido em seu próprio livro
sobre um aplicativo específico, e talvez o faça no futuro. No entanto, meu objetivo
atual é ajudá-lo a começar a usar o Método em uma ampla variedade de situações e
circunstâncias. Pretendo ajudá-lo a incorporar este material em sua vida e torná-lo
seu. Ao trabalhar com ele, você descobrirá mais e mais maneiras de aproveitar o
Método Sedona para o sucesso e a liberdade.
No final da Parte Dois, dediquei um capítulo inteiro para ajudar o mundo, caso você
deseje participar de tal empreendimento. Convido você a se juntar a mim na
divulgação desta mensagem de liberdade em todo este nosso mundo, muitas vezes
problemático, compartilhando o Método Sedona com as pessoas que você ama.
Juntos podemos espalhar paz, alegria, prosperidade e bem-estar em todo o mundo.

134

13
O segredo da libertação
do medo e da ansiedade
Lester Levenson costumava dizer: "Medo e isso acontecerá." Eu havia observado que o medo
de qualquer tipo, desde ansiedade crônica extrema e ataques de pânico, até preocupação e
inquietação comuns - até mesmo nervosismo - é um obstáculo em nossa consciência. Ao
insistir continuamente em evitar o que tememos, nos lembramos disso continuamente, como
se fosse um mantra perverso ou um ponto de meditação, e se torna um programa que
restringe nossa felicidade e liberdade. O medo pode nos impedir de fazer o que gostaríamos
ou deveríamos fazer, porque criamos “e se ...?” Ou expectativas muito rebuscadas sobre as
ações que queremos realizar. O medo também nos impede de abandonar nossos
"problemas", porque não podemos prever o que acontecerá quando baixarmos a guarda.
Tendo a mostrar aos meus alunos que a palavra inglesa FEAR é um acrônimo para "False
Evidence Appearing Real" porque a maioria das expectativas terríveis das pessoas são
totalmente infundadas. Mesmo onde o medo parece ter uma base real, o risco que ele pode
representar é geralmente exagerado, se é que é. Obviamente, qualquer coisa que nos ajude a
nos livrar do medo com mais facilidade pode fazer uma profunda diferença em nossas vidas.

Então, qual é o segredo de abandonar o medo? Isso pode te surpreender. Mas, na


minha experiência, é verdade. Até certo ponto, inconscientemente queremos ou
esperamos que aconteça o que tememos. Não conscientemente, mas
subconscientemente. Assim que aceitarmos essa realidade, podemos nos libertar.
Eu sei que essa ideia pode ser difícil de aceitar. Você pode estar se perguntando: "Por
que eu iria querer uma doença?" ou "Por que eu iria querer uma auditoria fiscal?" Mas
pense nisso. Quando vemos algo no mundo de que não gostamos, pensamos:
"Espero que não aconteça comigo" ou "Espero que nunca mais aconteça". O que a
mente ouve e imagina, é claro, é o medo de que isso aconteça, como se
estivéssemos realmente pensando: "Quero que aconteça comigo". E, dessa forma,
nossa energia criativa começa a fluir nessa direção. Porque, como disse no Capítulo
8, a mente só cria por meio de imagens. Uma vez que não pode traduzir as palavras
não ou nunca em imagens , ele as ignora.
Quando não gostamos de algo que vivemos, do que lemos no jornal ou vemos na
televisão, podemos despertar em nós intenções que nunca desejaríamos. O mesmo
pode acontecer quando não queremos determinada experiência, ou quando algo
trágico acontece a uma pessoa conhecida ou amada. É comum que essas situações
despertem nossa resistência. Então, como queremos mudar essa situação, dizemos:
"Espero não ter câncer como meu pai" ou "Espero nunca mais cometer esse erro
estúpido novamente". Lembre-se de que tudo isso ocorre abaixo do nível de
consciência. A maioria de nós não afirma conscientemente que deseja ficar doente.
Não dizemos: "Quero perder dinheiro" ou "Quero sofrer um acidente". Mas todos nós
dissemos o contrário. Sempre que fazemos isso, sem perceber, temos em mente o
que tememos.
Tudo isso funciona de outra maneira também. Se nos preocupamos com algo,
pensamos que de alguma forma estamos nos preparando para um resultado
inevitável. Caso ocorra essa coisa indesejada, queremos estar preparados
internamente e em nossa vida. Preferimos a falsa sensação de segurança que nos
preparar para o que não é

135

queremos, à incerteza que deriva de não


sabermos o que vai acontecer, mesmo que o
que sabemos que vai acontecer não seja algo “Eu costumava acordar no meio da
positivo. Mas, mais uma vez, embora seja noite pensando no que tinha que
fazer no dia seguinte, ou nos
possível que tenhamos sucesso na
preparação para um desastre, também é medos, preocupações e
possível que com essa preparação interna e sentimentos de culpa pelo que
externa causemos tal desastre. Sempre que aconteceu ou pode acontecer.
nos preocupamos, temos em mente o que Desde que estou usando o Método
não queremos e é isso que geralmente Sedona, essas 'conversas
noturnas' diminuíram
conseguimos.
Portanto, antes de começarmos a trabalhar no drasticamente e, quando ocorrem
desbloqueio juntos, gostaria de abordar alguns novamente, posso relaxar e
aspectos práticos. Em primeiro lugar, se você foi
—Kathleen
adormecer. " Bell, Oakley, Illinois
diagnosticado com um transtorno de ansiedade,
você deve saber que
As informações fornecidas neste livro não têm como objetivo substituir seu
relacionamento com o terapeuta ou médico. Por favor, não mude o tratamento que
está seguindo sem consultar a pessoa que trata de sua doença. Em segundo lugar,
sugiro que você considere a possibilidade de que seu diagnóstico original tenha se
tornado uma profecia autorrealizável. Ao continuar lendo este capítulo, libere-se de
qualquer coisa relacionada à sua situação, com a mente e o coração abertos,
sabendo que há uma possibilidade de que isso mude. Terceiro, se você tem um medo
terrível de alguma coisa, pode pular direto para o Capítulo 18, "Transbordando de
saúde", quando terminar este capítulo. Os lançamentos que você encontrará ali são
um complemento ao tema em questão.
Cada leitor deve continuar a aplicar o processo básico de liberação ao tema do medo
e da ansiedade. Essa fórmula não pretende substituir seu trabalho de abrir mão dos
desejos de controle, aprovação e segurança que estão por trás de seus medos e
sentimentos. Uma palavra de advertência: na maioria das vezes, o medo subsiste do
desejo de segurança ou sobrevivência, ou do desejo de morrer.
Uma observação final: uma das maneiras pelas quais os sentimentos de medo nos
enganam é dizendo-nos que, se os enfrentarmos de frente e deixarmos que vão
embora, o pior acontecerá. Minha experiência me diz que não há nada mais longe da
verdade. São os sentimentos adormecidos na mente subconsciente que, em última
análise, têm o potencial de dar frutos. Qualquer medo é sempre melhor à luz da
consciência do que à espreita na escuridão das sombras.

Um atalho para liberar o medo

Fique confortável e concentre-se em si mesmo. Comece trazendo à mente algo que


causa medo ou ansiedade - você pode querer começar com algo simples - para ver
exatamente o que você teme que vá acontecer. Dedique alguns minutos para ver se
há uma sensação profunda de medo agora, ou apenas uma sugestão de medo. Não
importa do que se trata; apenas observe e aceite.
Agora pergunte-se: você poderia abandonar o desejo de que isso acontecesse?
Talvez a pergunta tenha feito você rir. "Mas vamos lá!", Você diz. "Eu realmente não
quero que isso aconteça." Bem, tente se fazer a pergunta novamente e veja o que
mais você descobre. Na verdade, se você voltar para a mesma coisa agora, talvez já
consiga ver a diferença. Portanto, concentre-se na mesma coisa que o assusta, ou
em outra coisa, e faremos a nós mesmos uma série de perguntas para liberar o medo
de uma forma muito simples.
O que você tem medo de acontecer?
O que você não quer que aconteça? Você poderia agora
abandonar o desejo de que isso aconteça?

136

Depois que você supera o choque do fato de que, de alguma forma, deseja que algo
negativo aconteça, geralmente é muito fácil abandonar o medo dessa maneira,
porque conscientemente não é isso que você realmente deseja.
Se você ficar preso a um medo específico e for muito difícil abandoná-lo, você apenas
precisa voltar às questões usuais de liberação. Verifique o que o desejo desperta a
cada momento e libere-o, ou analise se deseja mudar o fato de ter dificuldades e libere
o desejo de mudá-lo. Em seguida, tente este atalho novamente.
Concentre-se novamente em algo que você
teme. Pode ser o mesmo de antes ou algo
diferente. Observe o que exatamente você “Durante anos sofri de uma fobia
teme que aconteça. Se você tem medo de social que me paralisou. Sou
estudante e todos os dias conheço
altura, por exemplo, é possível que por trás novas pessoas, o que me deixa tão
desse medo esteja o medo de cair. ansioso que muitas vezes sinto
Você poderia deixar de desejar que isso que meu coração vai explodir, só
acontecesse? Pense no mesmo medo, ou em de sentar na aula! Nos últimos dez
outra coisa que você não quer que aconteça, anos, passei por uma dúzia de
algo que o preocupa ou algo que o deixa psicólogos e tratamentos, e
nervoso. Você pode ter medo de falar em nenhum deles me ajudou nem a
público. Isso pode incluir medo de cometer metade do que o Método Sedona
erros ou parecer um idiota em uma sala ajudou. Gostaria de dizer às
lotada. pessoas com extrema timidez ou
Qualquer que seja o medo subjacente que ansiedade social que elas não
você sinta: você poderia abandonar o desejo estão sozinhas. Você pode se
de que isso acontecesse? libertar dessas correntes. O
Veja como você se sente por dentro. Não foi fácilMétodo me devolveu minha vida.
deixar ir assim? Este processo o ajudará a limpar os
recessos de sua mente subconsciente. Depois de
liberar algo que você inconscientemente queria que
acontecesse, você verá uma enorme diferença em
muitos aspectos de sua vida, incluindo seu humor. —MH, Allentown , Pensilvânia
Divirta-se tentando este atalho você mesmo.
Adicione este pequeno truque à caixa de ferramentas de aplicativos do Método
Sedona e aproveite os resultados. É muito útil para aqueles momentos em que
pensamentos de medo surgem na consciência, mas você não tem tempo para
percorrer todo o processo em profundidade. Sempre que você se pegar pensando em
consequências não intencionais, apenas deixe de lado o desejo de que isso aconteça
perguntando a si mesmo: Você poderia abrir mão do desejo de que isso acontecesse?

Libere o medo dos outros

Que tipo de imagem você tem em mente quando se preocupa com alguém que ama? Se for
sincero, admitirá que não são imagens muito positivas. Também favorecemos as intenções
adversas quando nos preocupamos com outras pessoas. Quando você se preocupa com
alguém, além de deixar de desejar o que pensa que aconteça com alguém, você pode se
perguntar: Você prefere pensar - ___________ (o que o preocupa
o que acontece) ou pensa ___________ (o oposto)?
A resposta é clara, certo? Se seu marido, sua esposa, seu filho, sua filha ou seu
melhor amigo estão correndo tarde da noite, você prefere pensar que eles saíram da
estrada e ficaram na sarjeta, ou que simplesmente chegaram tarde? Acho que, como
a maioria de nós, você preferirá pensar algo positivo. Portanto, permita-se abandonar
o desejo ou expectativa de outra forma.

Jennifer: se não for agora, quando?

137

Jennifer descobriu o Método aos 58 anos , após décadas de busca por uma resposta
para sua ansiedade e depressão. Ele diz: “Acho que a ansiedade é um hábito. Quando
jovem, aprendi ansiedade e perfeccionismo com minha mãe. Quando eu tinha 12
anos, tomei uma decisão que afetou minha vida desde então. Eu fiz algo que pensei
que faria minha mãe me odiar e me deixar em paz. A única maneira que eu poderia
pensar para purificar um crime tão hediondo era ser uma filha que se sacrifica pelo
resto da minha vida. "
Aos 20 anos, Jennifer começou a ter palpitações e ataques de pânico. Ela foi ao médico e
começou a ler livros de autoajuda, mas, como ela mesma diz: “Minha história toda contava
principalmente o que estava acontecendo comigo. Foi bom ter alguém me ouvindo, mas não
havia mensagem concreta: 'É assim que você vai se sentir melhor e se livrar de toda essa
merda.' Aos 34 anos, seu marido morreu em um acidente de carro, deixando-a sozinha para
educar seu filho de oito anos. Ele ainda não havia superado a tristeza quando se casou
novamente, três anos depois. Nos anos 80, o ginecologista prescreveu Prozac, achando que
a ansiedade tinha a ver com problemas hormonais, mas Jennifer não gostou. Em seguida,
passo para o Xanax.
Um dia, ela recebeu um pacote com uma promoção para fitas Sedona Training
Associates. Como ela diz: «Ele cuidou das minhas necessidades. Eu pensei, 'Que
diabos!' E pedi o programa completo. Já havia gasto tanto dinheiro em terapia que
fiquei muito cético. Então comecei a lançar e parei de lançar várias vezes. Ele teve que
liberar sobre o próprio assunto de liberação. Mas como vou trabalhar de carro, foi
confortável para mim ouvir o programa nas minhas viagens. Houve outra ideia que me
encorajou: aos 58 anos eu podia dizer a mim mesmo: 'Se não for agora, quando? Em
30 anos, você fará 88, como sua mãe. O que você vai fazer nos próximos 30 anos? '
“A liberação não resolveu instantaneamente minha ansiedade, mas logo percebi que
estava me sentindo melhor. E ela estava disposta a fazer qualquer coisa para parar de
tomar os comprimidos novamente. Tudo o que sei é que este é um ótimo programa.
Demiti meu terapeuta em 4 de julho, que é o Dia da Independência e também meu
aniversário.
Hoje, quando Jennifer começa a ficar ansiosa, ela pode pensar por um momento:
"Preciso de um antidepressivo!" Você teme que seus sentimentos fiquem fora de
controle. Então ele se lembra: "É apenas um sentimento que tenho." O Método Sedona
ajudou você a lidar com a ansiedade e a entender o que ela é. “O Método é uma
ferramenta maravilhosa”, diz ele. «Já não me sinto no vazio e não penso na minha
ansiedade. A ansiedade era uma bola atada aos meus pés com a corrente
correspondente, que arrastei para todo lado e que desapareceu. Agora estou
descobrindo quem sou e aprendendo a me aceitar sem esse fardo.
Deixe seus medos para trás

Como outros problemas, seus medos nada mais são do que padrões embutidos em
sua consciência. Portanto, outra maneira eficaz de deixar ir é referir-se a eles como
memórias, fazendo as perguntas da libertação no tempo passado. Lembre-se de que
o passado pode ser tão recente quanto o último segundo.
Para começar, lembre-se de qualquer medo que você teve.
Em seguida, pergunte-se: você poderia se permitir lembrar que tinha medo de _______ ?
Você gostaria de mudar isso do passado?
Se a resposta for "sim", pergunte-se: você poderia abandonar o desejo de mudar isso
do passado? Em seguida, libere o melhor que puder.
Se a resposta for 'não', vá para a próxima etapa.
A pergunta que completa o ciclo desta série é: Você poderia abandonar o desejo de ter
medo de _______
Como sempre, libere o melhor que puder. No entanto, se você notar que agora você
ainda está segurando a memória do medo, volte e repita o

138

passos desde o início, até que você possa se soltar totalmente. Pode ser um
lançamento muito poderoso.

Bob: uma virada na ansiedade crônica

Em Sedona Training Associates, recebemos regularmente cartas entusiasmadas de


pessoas que seguiram nossos cursos e que estão chocadas por terem se livrado de
suas formas indesejadas de sentir, pensar e acreditar. Bob nos enviou duas dessas
cartas. O que se segue é um trecho do primeiro.

“O Método Sedona me salvou de mais de 40 anos de dor psicológica resultante de um caso


grave de transtorno de ansiedade. Após 18 meses de uso do programa de áudio, aqueles
medos que me paralisaram quase desapareceram. Eu não achei que fosse possível. Sou
muito grato ao Método Sedona e à ótima vida que agora posso desfrutar.

Como resultado de suas descobertas iniciais, Bob decidiu participar de um retiro de sete
dias em Sedona, Arizona, no início de outubro, e voltou para casa com o compromisso
renovado de ouvir programas de áudio. Algumas semanas depois, ele enviou uma
segunda carta.

“Tenho o prazer de informar que no final de outubro eu estava completamente livre do


meu transtorno de ansiedade. Isso é o que eu esperava quando recebi as primeiras
fitas que encomendei há dois anos. Qualquer outra coisa estava além das minhas
intenções e, portanto, eu não estava procurando por isso.
“No início eu estava indo muito e continuei melhorando com o Método Sedona. Mais tarde,
intensifiquei os exercícios de liberação e ouvindo as fitas que Lester Levenson fez. De
alguma forma, ele sentiu que estava prestes a ser completamente livre. Então, no domingo,
13 de outubro, acordei sentindo-me calmo comigo mesmo. Foi uma sensação surreal. De
repente, percebi que devia ser a isso que Lester estava se referindo quando disse que se
deve 'aquietar a mente'. Nos três dias seguintes, experimentei incidentes que normalmente
teriam desencadeado alguns sinais de ansiedade. Essas dicas continuaram aparecendo
quando ele não estava pronto para elas. Agora, para minha surpresa, o comportamento
compulsivo não apenas desapareceu, mas foi substituído por sentimentos de confiança. Em
16 de outubro, minha reação aos estímulos causadores de ansiedade foi esperar que eu não
tivesse sentimentos de ansiedade. Foi algo importante e acho que marcou a virada final para
mim, libertando-me de um problema que me atormentava a maior parte da minha vida.

“Embora eu não tenha alcançado o que parece para a maioria de nós a perspectiva
mística do universo de que Lester falou, sou capaz de me identificar com os
elementos-chave do que ele chamou de ser livre. Posso sentir a distinção e
separação entre meu corpo, minha consciência e meu pensamento. Para mim, a
importância do corpo vem perdendo intensidade. É como se você olhasse sutilmente
para as coisas por um outro vidro e se esquecesse de pensar no seu corpo. Também
experimento o que Lester descreveu como ausência de ego. Este é o aspecto mais
agradável de se tornar livre.
»Hoje, sinto uma ausência total de medo e ansiedade em todas as situações. É como
se os sentimentos alojados na mente subconsciente que causaram a ansiedade
tivessem desaparecido completamente. O medo e a ansiedade não são mais um
obstáculo. Isso não era problema e do qual eu vinha tentando me libertar todos esses
anos.
Dicas para se mover mais rápido

139

Os processos descritos neste capítulo realmente o ajudarão a eliminar tudo o que diz
respeito aos seus medos. Uma ideia para se livrar da ansiedade cedo é fazer uma
lista das coisas das quais você costumava ter medo e, em seguida, abandonar o
desejo de que cada uma delas aconteça.
Além disso, ao longo do dia, se você notar que está preocupado com algo ou tem
medo de que algo ruim aconteça, analise o que é realmente que você tem medo de
acontecer. Em seguida, pergunte-se: você poderia abandonar o desejo de que isso
acontecesse?

140
14

Fuja da tirania da culpa


e a vergonha
A culpa e a vergonha são sentimentos astutos que causam muito sofrimento
desnecessário. Quase idênticos na maneira como agem dentro de nós, a culpa e a
vergonha geralmente formam um único complexo. Mas, assim como é possível sentir
culpa sem sentir vergonha, não podemos sentir vergonha sem sentir culpa. A maneira
de distinguir entre um e outro é a seguinte: culpa é o sentimento que se segue a algo
que é percebido como uma má ação: "Eu fiz algo errado." Vergonha é o sentimento de
que "erramos" ou nos tornamos "maus" pelo que fizemos. No diagrama dos nove
estados emocionais, a culpa flutua no meio de várias categorias. Está relacionado
com a energia de todas as emoções, desde a apatia ao orgulho. A vergonha, por outro
lado, é um sentimento relacionado ao luto.
Neste capítulo, analisaremos e desmascararemos os equívocos comuns sobre culpa e
vergonha - os traiçoeiros ladrões de nossa felicidade, nossa liberdade e nossa paz de
espírito. Em seguida, veremos algumas estratégias simples para liberar esses sentimentos
autodestrutivos. Visto que, na maioria dos casos, eles são intercambiáveis, no restante deste
capítulo me referirei à culpa e à vergonha coletivamente, e falarei de "culpa" ou "culpa",
vergonha.

As mentiras consagradas no nome


de culpa e vergonha

Existem três mitos importantes sobre culpa / vergonha que muitas vezes limitam
nossas vidas e nos deixam infelizes. A primeira e maior mentira é que a culpa pode
nos impedir de ser punidos. Na verdade, a culpa é um inconsciente "eu devo a você"
pedindo punição. Assim é. Quando nos sentimos culpados, atraímos punição do
mundo e a criamos para nós mesmos. E aí está o problema: nunca acreditamos que
fomos punidos o suficiente.
Como surge a autopunição? Primeiro, fazemos algo, ou pensamos fazer algo, que
achamos que não devemos fazer ou que não é certo fazer. É curioso que muitas
vezes nos sentimos culpados mesmo quando não realizamos nenhuma ação externa.
Então, quer "escapemos do castigo" ou não aos olhos do mundo, ainda estamos
cientes do que fizemos ou pensamos, e que não escaparemos facilmente da forca.
Por pensarmos que a punição externa é inevitável, punimos a nós mesmos na falsa
esperança de que isso nos impedirá de receber essa punição. Mas, como não temos
ideia de como o governo interno dos outros, e mesmo o nosso, determinará qual é o
grau apropriado de punição, invariavelmente o exageramos.
A primeira vez que me lembro de ter infligido tal punição a mim mesma por culpa foi na pré-
escola, depois de ficar com raiva de um colega de classe e empurrá-lo com tanta força que
ele escorregou, caiu e quebrou vidros. Eu me senti tão mal por magoá-la, e eu estava com
tanto medo que a professora e meus pais pudessem me punir, que peguei um pedaço de
vidro e me cortei de propósito, confiando em mim mesmo que tal ação me protegeria do
iminente repercussões dele. meu ato. Obviamente não funcionou. Eles me repreenderam e
me puniram. Porém, era algo

141

tão insignificante que nem me lembro o que aconteceu, exceto que fui punido e que,
por precaução, também tive um corte na mão.
Pare um momento para pensar sobre algo que
você fez, disse ou não disse, ou mesmo pensou
“O Método Sedona funciona no
ou sentiu, e sobre o qual se sente culpado. Veja
se você está se punindo e vivendo com medo de reino dos sentimentos e permite
uma punição externa iminente. Quando você que as pessoas eliminem
pensar sobre as coisas pelas quais tem se pensamentos e emoções
sentido culpado, veja se sua culpa realmente o negativas. É rápido e eficiente
porque vai direto ao cerne do
impediu de ser punido, assim como aquele
problema. É um atalho para quem
sentimento "prometeu" que aconteceria. Como
acontece com muitas das mentiras que nossos o usa.
sentimentos nos contam, você geralmente
descobre que a culpa teve o efeito oposto. Ele fez —Dr .. Elliot Grumer, Phoenix,
você se punir. E se suas ações envolveram outras Arizona
pessoas
pessoas, provavelmente não os impedirá de receber punição. Afinal, se o sentimento
de culpa realmente evitasse o castigo externo, as prisões não estariam mais vazias?
Uma segunda mentira consagrada pelo tempo sobre a culpa é que o sentimento de
alguma forma nos impede de repetir nossas ações "ruins". Mas, você nunca fez, disse
ou pensou - você ou alguém que você conhece - mais de uma vez algo pelo qual se
sentiu culpado? Claro que sim. Nós todos temos. A culpa muitas vezes nos leva a
fazer, ou continuar fazendo, exatamente as mesmas coisas que achamos que erramos
- novamente como autopunição. A culpa é uma das principais causas das ações das
quais nos arrependemos mais tarde.
Considere o seguinte exemplo. Imagine que você está fazendo dieta para perder peso. Você
cai na tentação de comer um biscoito ou sorvete e se sentir culpado por isso. Então, o que
você faz? Isso é. Você se pune por comer outro biscoito ou outra bola de sorvete. Agora você
se sente ainda mais culpado. Sem perceber, como uma punição crescente por sua culpa,
você termina o saco de biscoitos ou todo o pote de sorvete. E muito provavelmente, você não
vai se permitir aproveitar o mínimo. Parece familiar, certo? A indústria da dieta prospera com
base nesse fenômeno pouco compreendido que causa o fracasso da maioria das pessoas
que fazem dieta.
Esta é também a razão pela qual o mundo está cheio de pessoas que de várias
maneiras expiam os pecados que pretendem cometer novamente, pelo menos
inconscientemente, se não abertamente.
Com isso, não estou dizendo que todos nós começamos fazendo o que queremos
com libertinagem irresponsável, ignorando as normas de conduta moral ou
disciplinada. No entanto, como a maioria dos nossos sentimentos de culpa não nos
impede de fazer coisas das quais nos arrependeremos mais tarde, quando liberamos
decisivamente nossa culpa / vergonha, os benefícios costumam ser muito profundos.
Estar livre da culpa / vergonha significa ser livre para tomar decisões melhores, mais
saudáveis e benéficas.
A culpa também desempenha um papel importante em sua incapacidade de superar o abuso
que receberam na infância. Quando nossos pais, tutores, professores ou diretores espirituais
nos maltratam quando crianças, achamos difícil aceitar que essas pessoas possam fazer
algo errado. Quando somos jovens, as pessoas mais velhas, especialmente aquelas que nos
influenciam, como nossos pais, têm um poder enorme em comparação com o que fazemos.
Afinal, eles nos fornecem comida e abrigo e devem nos proteger do mundo exterior. Já que
não podemos sobreviver sozinhos, a descoberta da falibilidade dessas pessoas representa
uma ameaça direta à nossa sobrevivência. Podemos elevar os adultos em nossas vidas ao
status de deuses, ou pelo menos representantes de Deus. Portanto, quando ocorre o abuso,
queremos culpá-lo.

142

o único outro protagonista que encontramos: nós mesmos. E fazemos isso como
uma forma distorcida e imaginária de autoproteção.
Nos cursos de Método, trabalhei frequentemente com sobreviventes de abuso
infantil. São pessoas que tendem a se culpar pelo que aconteceu, motivo pelo qual
muitos se sentem culpados e se punem a vida inteira por erros cometidos por adultos
em quem confiaram. Quando você libera seus sentimentos de culpa e para de culpar
e punir a si mesmo pelos erros daqueles que o maltrataram, você é capaz de se
libertar dos padrões emocionais, mentais e viscerais de trauma e vergonha em que
está preso.

Annie: largue a carga

Como você bem sabe, a mente e o corpo estão intimamente conectados. Muitas
vezes, quando trabalhamos duro para nos desapegar, descobrimos que a mente se
apega à memória de uma história. Também é típico que, quando reprimimos os
sentimentos, eles tentam se manifestar por meio do corpo.
Annie é um exemplo claro da conexão entre mente e corpo. Ele chegou ao Retiro de Sete Dias
em Sedona, Arizona, com fortes dores no pescoço e nas costas, dizendo que sentia como se
seus ombros pesassem 5.000 quilos. É uma dor muito comum, por isso, quando ela veio até
mim em busca de ajuda no meio da semana, perguntei se ela me permitiria conduzi-la em
uma liberação de cinco ou dez minutos que poderia beneficiar o resto do grupo. A verdade é
que não me importava que história estava por trás da dor de Annie. No entanto, ela revelou
que estava muito preocupada com sua filha de 24 anos, que estava grávida na época.
“Sinceramente, pensei em me livrar de meus medos de mãe indo à terapia e usando o
Método Sedona. Mas agora tudo o que tem a ver com controle ressurge. O fato é que minha
filha começou a ter ataques de epilepsia aos 13 anos. Na primeira vez, ela teve certeza de
que estava morrendo. Nos anos que se seguiram, olhando para minha filha, muitas vezes
revivi o terror daquela experiência. Embora ele não tenha tido uma convulsão por dois anos,
temo que tantos remédios possam afetar a criança. Eu me sinto responsável.
Primeiro, conduzi Annie por uma liberação geral de sua dor física. No meio do
processo, ele disse que se sentia como Atlas, que não era sua função segurar o
mundo em seus ombros. Eu perguntei a ele se ele poderia deixar isso ir, e ele
concordou que iria colocar o mundo para baixo. Com isso ele liberou um pouco de sua
dor, mas não paramos por aqui. A próxima série de perguntas produziu uma liberação
ainda mais profunda: Você já se puniu o suficiente? Você poderia deixar de lado o
desejo de se punir? E você poderia se livrar da culpa? Quando ela teve alta
completamente, a dor passou e ela não sentiu mais, exceto por uma pontada quando
sua filha a buscou no aeroporto. Ele imediatamente soltou novamente, e o
aborrecimento desapareceu.
É assim que Annie descreve uma libertação tão importante: “Houve muitas coisas
das quais me livrei. Ela carregou literalmente por 24 anos a culpa de ter uma filha que
não era perfeita. Este foi o fardo que caiu dos meus ombros. Agora eu entendo no
nível mais profundo que a epilepsia de minha filha não tinha nenhuma relação com
qualquer coisa que eu fiz ou não fiz. Além disso, não sou responsável pelo caminho
que você percorreu. Não é 'meu', mas pertence a si mesmo. E ele vai se preocupar
com o que fazer. Não sinto mais que preciso controlar o mundo para torná-lo melhor
para ela. Eu só tenho que estar presente para o que está acontecendo neste exato
momento. Nada que eu temia aconteceu, então foi fácil deixar ir. A força do universo
sabe qual é o caminho da minha filha, o do bebê que ela vai ter e o meu ».

Quatro processos curtos para liberar


sentimentos de culpa / vergonha

143

Visto que já transformamos algumas crenças que pareciam inamovíveis para nós,
vamos agora examinar as maneiras práticas de eliminar a tirania da culpa / vergonha.
São maneiras de aprimorar, em vez de substituir, os diferentes processos de liberação
que você aprendeu na Parte Um deste livro.

1. Libere seus desejos subjacentes


Como parte da síndrome de proteção devido à autopunição de que falei antes,
tentamos usar nossos sentimentos de culpa e vergonha para obter aprovação,
controle ou segurança. Portanto, esta série simples de perguntas sobre a libertação
pode ajudá-lo.
Estou usando essa culpa / vergonha para obter aprovação, controle ou garantia?
Você poderia abrir mão do desejo de aprovação, controle ou segurança?
Ou você pode substituir isto: Eu poderia deixar de lado o desejo de usar a culpa /
vergonha dessa maneira?
A palavra "usar" pode ajudá-lo a assumir a responsabilidade por sentir culpa /
vergonha e liberá-la mais facilmente mais tarde.

2. Decida que você já está se punindo o suficiente


Outra boa maneira de liberar a culpa / vergonha é decidir que você já está se punindo
o suficiente e, então, deixar de lado o desejo de se punir. Você pode usar as seguintes
perguntas:
Posso decidir que já me castiguei o suficiente? Eu poderia
deixar de lado o desejo de me punir?
Você poderia parar de pensar em me punir novamente no futuro?
Se for difícil para você se livrar da culpa / vergonha dessa forma, volte às perguntas
básicas até que possa responder sim a todas elas.

3. Avalie os prós e os contras


A combinação do processo que acabei de mencionar com as Vantagens / Desvantagens é
uma excelente ferramenta para tomar uma decisão sobre continuar a se punir ou se culpar
pelo que aconteceu. Lembre-se de que é melhor fazer perguntas no tempo passado para
permitir que a liberdade ocorra AGORA. Isso também aumenta a probabilidade de que
qualquer versão seja a última necessária em um determinado tópico. Alterne entre as duas
perguntas a seguir:
• Que vantagem me deu punir a mim mesmo?
• Qual foi o inconveniente de me punir?

4. Aceite seus verdadeiros sentimentos sobre o que aconteceu


A culpa se torna persistente também quando às vezes fingimos nos sentir culpados,
embora pensemos secretamente: “Eu fiz isso. Estou feliz por ter feito isso. E eu faria
isso de novo. Nisso, a culpa se distingue da vergonha. Se você cair nessa armadilha,
reconhecer a verdade de seus sentimentos liberará grande parte de sua culpa. Depois
disso, o saldo disso pode ser liberado perguntando:
• Você poderia abandonar o desejo de fazer de novo?

Um suspiro de alívio
Olhar para a culpa e a vergonha de uma nova perspectiva não só abrirá novas
oportunidades para você na vida, mas tenho certeza de que agora é muito mais fácil
para você lidar com esses sentimentos opressores e liberá-los. Peço que você use as
ferramentas que aprendeu neste capítulo para se encorajar a mudar nessa direção.
Em última análise, a culpa e a vergonha nada mais são do que sentimentos. Eles não
são você, e você pode deixá-los ir. Portanto, respire fundo de alívio e, quando estiver
pronto, siga em frente.

144

quinze

Acabar com os maus hábitos


Uma das principais aplicações do Método Sedona é acabar com hábitos indesejados.
Nem todos os hábitos são ruins. Acontece que geralmente fazemos certas coisas
que sabemos não são boas para nós. Para a maioria das pessoas, quebrar costumes
não é fácil. Eles são como sulcos profundos em nossos padrões de pensamento,
sentimento e comportamento. Além disso, como geralmente gastamos muito tempo
e energia primeiro criando esses modelos e depois combatendo-os, às vezes
resistimos ao processo de deixar ir, mesmo quando já sabemos como fazê-lo.
Pense nas coisas que você pensa que faz regularmente. Talvez você fume. Talvez
você pense que come muito ou pouco. Você pode ser viciado em televisão, filmes,
sexo ou álcool. Nem todos os vícios ou hábitos são tão óbvios. Alguns são mais
sutis. Você acha que tem que estar certo? Você acha que precisa ser notado, ouvido
ou visto? Você tem a sensação de que não consegue parar de julgar a si mesmo ou
aos outros? Esses também são vícios. Mesmo os desejos de aprovação, controle,
segurança e separação são vícios.
Há muitas coisas em que nos sentimos viciados, ou fazemos regularmente, não
importa o quanto tentemos parar. Se você já tentou parar de ceder a um mau hábito,
sabe que pode ser muito difícil.

Meu objetivo neste capítulo, como em todo


o livro, é mostrar a você como mudar de
“Por muitos anos, estive desesperado dentro para fora, ensinando-o a se
para não conseguir parar de fumar. desvencilhar das motivações internas que o
Agora que tenho o Método, é claro que fazem agir de uma forma que mais tarde se
fumo menos sem nenhum esforço. arrependerá. Você provavelmente já deve
Alguns dias atrás, fiquei chocado ao ter notado que nos outros capítulos não
perceber que ele havia passado a tarde tentei dizer a você o que fazer. Não acredito
inteira sem nem mesmo pensar em na eficácia de fornecer listas de novos
tabaco. E hoje mais um adiantamento: comportamentos que devem ser seguidos,
fiquei no prédio na hora do almoço; Eu pois comportamentos que muitas vezes
comi na sala de jantar; e não perdi nada são impostos de fora só se tornam novos
quando comecei a trabalhar novamente hábitos restritivos.
sem ter fumado. Pela primeira vez A propósito, tenho visto pessoas que são
altamente dependentes de produtos químicos -
desde que comecei a fumar (há 45
e outras que foram diagnosticadas com um
anos!), Parecia natural não fumar.
desequilíbrio químico orgânico - quebrando os
diferentes tipos de hábitos causados por
produtos químicos. Se você tem uma situação
médica dessa natureza, este
—ML Carbondale (Flórida)
Este capítulo será benéfico para você, assim como a leitura do que é dito no capítulo
18, "Transbordando de saúde".
Antes de prosseguir, gostaria de salientar que não sugiro que você pare o que já está
fazendo se estiver em um grupo como os Alcoólicos Anônimos, ou se estiver em
tratamento para alguma dependência química ou mesmo emocional. Use tudo o que é
dito neste capítulo para ajudá-lo com o que você já está fazendo, e não

145

mude o seu tratamento de qualquer forma sem consultar primeiro o seu médico. Se
você está seguindo um programa de 12 passos, não se desvie de onde está sem a
permissão de seu líder. Em nosso trabalho com a comunidade de recuperação
médica, descobrimos que a liberação é uma ajuda tremenda para manter a disciplina
necessária para se livrar de substâncias prejudiciais e para lidar com e evitar
recaídas.

Uma maneira diferente de acabar com os maus hábitos

Se há um hábito em sua vida que você deseja modificar ou eliminar, existe uma
maneira muito simples de alcançá-lo. Por exemplo, imagine que você tem o hábito de
comer mais sobremesas do que deveria no jantar, ou de comer mais sobremesas do
que deveria. Nessa situação, muitos de nós decidiríamos: "Não quero mais
sobremesas". Uma decisão tão drástica pode durar alguns dias ou, se realmente
tivermos vontade, algumas semanas, e depois comer a sobremesa novamente, talvez
mais do que antes.
Esta é outra maneira de enfrentar o dilema quando você sentir vontade de comer uma
sobremesa. Em vez de dizer: "Não vou fazer mais isso ", faça um pacto: "Olha. Se
quiser pode pegar, mas primeiro solte ». A razão para liberar antes é que todos os
padrões de hábitos são condicionados por padrões de sentimento. Alguns
sentimentos vêm à nossa consciência, e a maneira que temos de neutralizá-los é
realizando uma determinada ação, por exemplo, comer em excesso Aviso: se você é
viciado em uma substância ou medicamento controlado, ou em álcool, observe que
Esta instrução - " permita-se levá-lo "- pode não ser recomendado para você. Portanto,
apenas libere os sentimentos que o deixam ansioso com aquela substância em que
você é viciado quando eles surgirem e continue com sua disciplina.
Voltando ao exemplo anterior, digamos que você queira comer um pedaço de bolo. Se
você disser a si mesmo que não aguentará, está apenas entrando em um cabo de
guerra. Você não pega o bolo, mas a ideia de perdê-lo te assombra. Você sente que
está faltando alguma coisa. Você faz o mantra "como esse bolo deve ser bom!"
mantenha o desejo em sua mente, o que só cria uma tensão interna. Então, de
qualquer forma, você acaba tendo o bolo, ou depois de dois dias você desiste e tem
duas fatias em vez da fatia original. Por outro lado, se você primeiro liberar a
sensação que o faz pensar que precisa pegar o bolo e depois se permitir pegá-lo se
ainda quiser, tudo ficará mais fácil. Isso cria um espaço de liberação em torno do
hábito, e você logo verá como ele desaparece.
Conheço uma atriz que acreditava que era muito importante ter um certo peso, por
motivos óbvios de sua profissão. Na época dessa história, há 20 anos ele tentava
perder 10 quilos e nunca alcançou o peso ideal. Ele havia tentado dietas
inimagináveis. Ela estava se exercitando como uma mulher desesperada. Na verdade,
ele estava correndo tanto que quebrou os joelhos e não conseguiu mais correr. Tive
que encontrar outros exercícios aeróbicos. Os cursos anteriores do Método Sedona
duravam dois fins de semana -o dia de hoje é só dar-, e a instrutora sugeriu à atriz que
no meio da semana tentasse um pequeno truque que falei antes: dê-se ao luxo de
comer tudo que eu quiser, desde que liberte primeiro . Isso a ajudou a fazer uma
descoberta.
Cerca de dois dias depois, a mulher saiu e tomou o primeiro sorvete de caramelo em
muitos anos, e ela realmente gostou e ficou satisfeita. No entanto, como naquela
semana, sempre que ia comer, antes de ter alta, perdeu 2,5 quilos em apenas dois
dias. Isso foi há muitos anos, e a última vez que a vi ela ainda mantinha seu peso
ideal.
Se essa atriz e milhares de outras pessoas alcançaram seus objetivos, você também pode.
Não é complicado. Em vez de tentar corrigir ou mudar seu mau hábito, concorde consigo
mesmo que, da próxima vez que quiser fumar um cigarro, o

146
Na próxima vez que você quiser ligar a TV, na próxima vez que quiser comer um doce, poderá
fazê-lo se, depois de liberá-lo, ainda quiser fazê-lo. Você notará que o hábito desaparecerá
gradualmente, ou talvez muito rapidamente. Eu vi literalmente centenas de pessoas
desistirem de usar este sistema. Portanto, experimente você mesmo e verá que é uma forma
muito eficaz de aplicar o Método.
Depois de apresentar os princípios sobre como quebrar os maus hábitos e vencer o
vício, vamos examinar algumas aplicações práticas.

Libere a memória do mau hábito

Uma boa maneira de abandonar os maus hábitos é usar a perspectiva sem


problemas, que discutimos no Capítulo 12 (na página 246). A razão é que os maus
hábitos, como outros problemas, nada mais são do que padrões de nossa
consciência que se tornaram habituais. Tenho visto verdadeiros vícios
desaparecerem rápida e facilmente quando aqueles que os sofreram enfrentaram e
liberaram essa tendência.
Uma das deficiências que eu acho que os programas de 12 passos têm é a afirmação e
garantia contínua por parte das pessoas que vêm às reuniões: “Eu sou um
_______ (insira o vício em questão, por exemplo, alcoólatra, viciado em sexo ou
glutão)". Isso pode ser muito útil no início para acabar com a tendência de negar a realidade,
mas quando a pessoa completa as etapas do programa e abandona o vício, seria muito
melhor dizer: «Olá, aqui é _______ (insira o seu nome )
e era um _______ (insira o vício em questão) ».
Eu tinha um amigo que havia aprendido o Método e também estava muito envolvido em
programas de 12 passos, e ele discutia o que acabei de dizer. Mas a realidade era que ele
havia ficado bloqueado em sua vida e não era capaz de se soltar, por mais que tentasse,
porque estava apenas voltando aos velhos problemas. Um dia, insisti que ele pelo menos
considerasse a ideia de que problemas são apenas memórias. Depois de apenas dez
minutos trabalhando nessa direção, o bloqueio que se arrastava por 18 meses desapareceu
completamente e sua vida mudou de alto a baixo.
Se você contemplar a possibilidade de que o passado não dite o futuro, os resultados
que você obtém podem ser miraculosos.
Comece lembrando de um mau hábito que você pensava ter. Observe que eu digo a
você no pretérito de propósito.
Em seguida, pergunte-se: Posso me lembrar que pensei que tinha esse vício?
Em seguida, pergunte-se: eu gostaria de mudar isso do passado? Se a resposta for
Sim, pergunte-se: eu poderia deixar de lado o desejo de mudar isso do
passado? Se a resposta for 'não', vá para a próxima etapa.
A última pergunta desta série é: Será que posso deixar de lado o desejo de pensar que tenho
novo esse mau hábito? O: Você poderia deixar de ter esse mau hábito de novo? Como
sempre, deixe escapar o melhor que puder. No entanto, se você descobrir que neste
momento ainda está se apegando à memória do vício, repita os passos desde o início
até que possa se soltar completamente.

Vantagens / desvantagens e gostos / desgostos

Os processos de vantagens / desvantagens e gostos / desgostos são ótimas ferramentas


para lidar com os maus hábitos. Se você tentou mudar um desses hábitos sem sucesso,
lembre-se de que, no subconsciente, há pelo menos uma vantagem ou gosto oculto
relacionado a esse comportamento específico. Se você conseguir colocar esse benefício no
nível de sua consciência e deixá-lo ir, verá que o hábito desaparece por si mesmo. Lembre-se
de que quando você trabalha diretamente com um mau hábito, deve fazê-lo no passado.
Considere a possibilidade de que isso não aconteça novamente.
Imediatamente após participar de um retiro de sete dias em Sedona, Steve decidiu aplicar o
Método ao seu vício em compras. Ele adora roupas de qualidade tanto que

147

Ele até publicou um livro sobre como encontrar boas oportunidades de compra, algo
que ele pesquisava na época. “Costumo ser exagerado em tudo”, diz ele. “Quando
cheguei nas lojas, foi como se colocassem todas as suas peças na minha frente para
me fazer dizer 'sim'. Tecnicamente, eu poderia pagar, mas eu realmente precisava
investir meus recursos dessa forma? No final, ele sempre tinha que comprar cinco ou
seis coisas a mais do que queria inicialmente.
Usando os princípios que havia aprendido,
disse a mim mesmo que, se ainda quisesse «Era viciado em soníferos e em
algo depois de divulgá-lo, poderia comprá- bebida. Por três anos, todas as
lo. Quando me deparei com uma camisa noites eu tomava um comprimido
excelente em uma loja, me soltei e também
fiz várias considerações. As vantagens depois de cinco ou seis drinques
eram: a) a vestimenta fica bem em mim; b) para esquecer a vida e o sono, sem
Eu poderia usar naquela estação, e não perceber o quanto o problema
seria mais uma peça de roupa no meu estava piorando. O estresse me
armário; c) já tinha comprado uma gravata causou colite severa, e passei dias
que combinava muito bem; ed) teve um na cama com uma almofada
desconto de 80%. Como os prós superaram térmica. Quando terminei o curso, os
comprimidos para dormir e a bebida
os contras, comprei a camisa. Mas, mais acabaram. Depois de um ano, posso
tarde naquele dia, usei a mesma técnica e finalmente decidir tomar um copo de
havia muitas outras coisas que não vinho de vez em quando, e a diarreia
comprei. Então eu sei que a técnica passa ».
funciona. —SD Phoenix (Arizona)

Libere seus maus hábitos

Antes de ceder a um hábito, é conveniente liberar sobre ele, mas muitas vezes você
não terá tempo para tomar uma decisão diferente e melhor. Mais tarde, você verá que
poderia ter liberado antes e não o fez. Aconteceu que "você fez de novo", e isso
produz certos sentimentos: culpa, vergonha, raiva, tristeza e assim por diante.
Você não precisa se preocupar. Liberar após o fato também pode ser uma boa
maneira de quebrar hábitos ruins. Sempre que você libera sentimentos relacionados a
um vício ou vício - antes, durante ou depois - você enfraquece o ímpeto que o leva
nessa direção. Em última análise, o processo de liberação o ajudará a mudar
completamente esse comportamento. Você irá incorporá-lo em sua vida diária.
Lembre-se de que são nossos padrões de sentimento que criam nossos padrões de
comportamento. Quando acabamos com os primeiros, os comportamentos também
desaparecem sem esforço.
Para começar, fique confortável. Em seguida, pense em um mau hábito específico do
qual você gostaria de se livrar. Pode ser o vício em álcool, tabaco, drogas, sexo,
comer demais, televisão ou qualquer outra coisa que o paralise e atole. Quando você
tiver esse hábito em mente, concentre-se em si mesmo e considere seu sentimento
ATUAL sobre essa situação.
Você poderia aceitar o sentimento e deixá-lo estar presente?
Veja como é ter esse vício específico. Observe também como você se recrimina por
causa desse comportamento recorrente. Mais uma vez, concentre-se em seu
sentimento ATUAL sobre esse vício.
Você poderia cavar um pouco mais fundo para ver se esse sentimento vem de um
desejo de aprovação, controle ou segurança?
Você poderia abandonar esse desejo, seja ele qual for?
Repita as etapas acima quantas vezes forem necessárias para começar a se sentir mais leve,
mais aliviado e relaxado. Quando você libera seus sentimentos sobre

148

o mau hábito, seu objetivo é fazê-lo a ponto de se sentir bem de qualquer maneira,
tenha ou não êxito em se livrar do vício em questão. Eu entendo que pode parecer
uma concessão. No entanto, se você for capaz de liberar-se a ponto de parecer tão
aceitável manter o hábito quanto abandonar, você evitará a luta e, com ela, será muito
mais fácil livrar-se de seu mau hábito ou vício.
Concentre-se novamente em como você se sente em relação ao vício. Limite-se a
perceber a sensação de que esse mau hábito o desperta.
O sentimento vem do desejo de aprovação, controle ou segurança?
Você poderia abandonar o desejo?
Repita as etapas acima mais algumas vezes.
Lembre-se agora de um momento específico em que o hábito estava ativo, um
momento em que você cedeu a esse comportamento específico. Talvez tenha sido
porque você bebeu ou fumou um cigarro. Ou que você comeu um biscoito extra.
Qualquer coisa em que você esteja se concentrando, permita-se perceber os
sentimentos que surgiram antes de realizar aquela ação específica.
Você pode aceitar esse sentimento?
Você poderia identificar o desejo que está por trás desse sentimento e que o
motiva? Você poderia deixar isso ir
Concentre-se novamente naquele exato momento e pense em como você se sentiu
antes de agir. Houve algum outro sentimento que o empurrou para esse mau hábito?
Pode ser fome, raiva, tristeza, uma sensação de vazio ou compulsão. Pode ser algo
sutil ou muito forte.
Muitas vezes adotamos comportamentos de dependência para nos anestesiar diante
de nossos próprios sentimentos. É por isso que no início pode ser difícil percebê-los.
Mas não abandone o processo. Quanto mais você fizer esse trabalho, mais óbvios
seus sentimentos se tornarão.
Qualquer que seja o seu sentimento antes de praticar aquele seu comportamento
habitual, experimente-o novamente agora, da melhor maneira que puder.
Verifique se vem do desejo de aprovação, controle ou segurança. Você
poderia deixar isso ir
A seguir, pense em como você se sentiu quando adotou aquele determinado
comportamento: comer o biscoito, beber, fumar o cigarro ou seja lá o que for que
você focalize. Preste muita atenção a quaisquer sentimentos positivos artificiais que
ela produziu em você e a quaisquer outros que você teve na época. Talvez você
também estivesse lutando uma batalha dentro de si mesmo.
Você consegue aceitar como se sentiu ao se imaginar no meio dessa ação? Que
desejo desperta neste momento?
Você poderia deixar isso ir
Os comportamentos com os quais estamos acostumados costumam produzir uma
sensação de alívio ou alegria injustificados. Mas quando abandonamos o
comportamento, sentimos a alegria de forma direta, sem a necessidade do
comportamento, pois em todos os momentos temos bons sentimentos à nossa
disposição. Lembre-se de que todos os sentimentos restritivos, mesmo os chamados
positivos, podem ser abandonados.
Concentre-se novamente naquele momento específico quando você estava
praticando aquele comportamento. Identifique e aceite os sentimentos que o levaram
a adotá-lo.
Existe um desejo oculto?
Você poderia deixar isso ir
Agora lembre-se de como você se sentiu imediatamente após se comportar dessa
maneira. Ao terminar, você sentiu algum tipo de culpa, nojo, tristeza ou qualquer outro
sentimento? Talvez você tenha pensado: "Uau! Já fiz de novo ". Veja se houve algum
sentimento de desaprovação ou perda de controle. Você poderia fazer o seu melhor
para estar ciente desse sentimento agora?
Lembre-se de que esses sentimentos são apenas sentimentos.
Abaixo deles, existe algum desejo de aprovação, controle ou segurança?

149

Você poderia deixar isso ir


Repita as etapas acima várias vezes.
Reserve um minuto para observar como seu sentimento geral já mudou em relação a
esse vício ou mau hábito específico. Pode ser apenas uma pequena mudança ou uma
grande mudança. Em qualquer caso, indica que você começou a se mover em uma
direção positiva.
Agora, considere como você se sente em relação a quebrar esse hábito. As pessoas
costumam ter sentimentos residuais de tentativas anteriores de mudar hábitos ruins.
Podem ser aqueles momentos em que você diz a si mesmo: "Vou desistir", mas você
não conseguiu. Se você tiver quaisquer sentimentos residuais ou dúvidas sobre como
mudar esse mau hábito, apenas aceite esse sentimento em sua consciência.
Existe um desejo subjacente de aprovação, controle ou segurança? Você poderia
largá-la?
Olhe para dentro de você novamente e permita-se sentir como se sente agora sobre
como superar o vício ou o mau hábito. Você pode aceitar esse sentimento?
Você quer aprovação, controle ou segurança?
Você poderia abandonar esse desejo?

Nick: Chega de dependência de barras de chocolate

Nick estava viciado em M&M. Como ele mesmo disse: “Ele era um monstro de doces.
Eu não poderia passar um dia sem eles. Algumas noites, ele tinha que sair correndo
de casa para pegá-los. Noventa por cento do motivo pelo qual ele me levou ao cinema
foi para poder comprar uma boa quantidade de doces. Honestamente, eu não me
importava sobre o que o filme era. Hoje, porém, ele não tem desejo por doces. O que
o ajudou foi liberar a sensação de necessidade do M&M, aceitando de verdade aquele
desejo em sua consciência. De vez em quando continua gostando das barras de
chocolate, mas aos poucos elas deixaram de ser o centro principal de sua atividade.
“A verdade é que todos nós permitimos que certas coisas controlem nossas vidas.
Quando liberamos sobre eles, nosso poder é liberado. Antes, o M&M podia comigo,
coisa que não acontece mais comigo agora. A maior dádiva desse processo foi me
libertar para aproveitar o momento presente. Esteja lá quando eu estiver lá. Eu vivo
AGORA mais do que nunca.
Mais algumas ideias

Eu sugiro que você freqüentemente use o processo de liberação com um objetivo.


Quanto mais você fizer isso, mais você obterá com isso. Mas também é muito
importante que você continue se livrando de seus maus hábitos enquanto segue esse
processo, antes de iniciá-lo e ao concluí-lo.
Além disso, a menos que você esteja sob supervisão médica ou isso vá contra as
regras do programa de 12 passos que você está seguindo, tente concordar consigo
mesmo que está tudo bem se você se entregar a esse mau hábito depois de liberar os
sentimentos que o motivam a colocá-lo em prática. Ao aceitá-lo dessa forma, será
cada vez mais fácil não cair em um vício, que acabará desaparecendo.

150

16

Construa sua própria riqueza


Bem-vindo ao minicurso sobre liberdade econômica e abundância. Neste capítulo,
veremos vários exercícios que o ajudarão a aplicar o Método Sedona para aumentar
sua prosperidade. Todos os exercícios são planejados para serem usados com
freqüência e repetidamente, para que você obtenha cada vez mais benefícios deles.
Os exercícios são baseados no material da Parte Um, então, se você ainda não
terminou essa parte, volte a este capítulo quando terminar, mesmo que seja um
aspecto que lhe interesse muito.
Maior riqueza é um dos benefícios mais comentados de quem participa de nossos
seminários ou ouve nossos programas de rádio. Quando liberamos qualquer aspecto de
nossa vida, naturalmente nos tornamos mais positivos e, portanto, tendemos a atrair mais
abundância. Naturalmente, a abundância não é apenas econômica. Mas o mundo gira em
torno do dinheiro - talvez demais - é por isso que a maioria de nós tem um sentimento mais
ou menos intenso sobre o assunto de nossa economia. Quando começamos a abandonar
nossas crenças sobre esse aspecto de nossa vida, fica mais fácil receber, ter e até
economizar dinheiro.
Como muitas pessoas, eu achava que dinheiro não era muito espiritual. Então,
gastava o que ganhava e não me permitia ganhar o que merecia. Desde que comecei
a usar o Método para liberar essa crença, experimentei maior abundância em todos
os aspectos da minha vida, não apenas financeiramente.
Deixe as contas para o banco;
não os carregue na sua
cabeça

O desejo é um estado emocional em que nos impedimos de ter o que queremos,


muitas vezes sem perceber. Como disse na Introdução, quando estava no ramo
imobiliário, "mantinha as contas na cabeça" em vez de deixá-las com o banco.
Quando finalmente decidi deixar de lado meu pensamento positivo sobre como seria
bom poder vender, e apenas comecei a tentar vender, fechei muitos outros contratos.
Vendedores, empresários e fabricantes tendem a manter as contas na cabeça. Mas
eles não são os únicos, longe disso. Outro setor em que muitas pessoas caem no
defeito de fazer contas de cabeça é o de investimentos.
Você pode ter ouvido o ditado sobre investimentos: "Os touros e os ursos ganham
dinheiro, mas os porcos são abatidos." Por trás dessas palavras está um segredo, do
qual você pode ter alguma experiência direta. Muitas decisões de investimento são
baseadas em sentimentos, não em fatos reais ou intuição clara. Os investidores que
fracassam, e até mesmo alguns que têm sucesso, geralmente começam a contar
seus ganhos e perdas antes de realmente fechar um negócio. Eles contam os
benefícios que vão obter e os gastam mentalmente antes que se tornem realidade.
Eles também tendem a permanecer em uma transação por mais tempo do que
deveriam, caso ela possa melhorar. Ambas as ações são devidas ao desejo e à
substituição inerente da realidade pela fantasia. Se você é um desse tipo de
investidor, pode liberar imediatamente seu desejo, determinando que necessidade
está implícita nele: aprovação, controle ou segurança. Ao fazer isso, você decidirá
melhor onde e como investir.

151

O medo também faz parte do problema do


investimento emocional. Muitas vezes as
“Posso dizer sem reservas que o
pessoas não agem de acordo com o que a
Método Sedona funciona. Eu havia
intuição lhes diz ser a coisa certa a fazer no
estabelecido uma meta para mim
mercado, porque têm medo de cometer erros.
mesma ao organizar minhas
Ou o medo os paralisa e os impede de lucrar
finanças. Depois de libertá-la,
ou reduzir perdas. Portanto, se você se
descobri que meu verdadeiro
encontrar preso ao investimento baseado no
objetivo era me permitir conhecer
medo, permita-se abandonar esse medo
meu próprio valor. Nas três semanas
diretamente ou considere-o um desejo e libere-
seguintes, fiz mais por minhas
o como tal.
Também é comum que muitos investidores se finanças do que fizera nos oito
enganem, acreditando que controlam a situação meses anteriores.
"Noel Kelly." Boormall
mais do que realmente controlam, porque analisam
(Pensilvânia)
o que aconteceu depois e dizem a si mesmos que
já sabiam o que iria acontecer. Eles tendem a ser
comerciantes mais "brincalhões"
quão autêntico. Quando se trata de dinheiro, eles tomam as decisões erradas. Mais
uma vez, são as emoções que influenciam nossas percepções que nos levam a fazer
coisas das quais nos arrependemos mais tarde.
Se você liberar antes de iniciar ou abandonar um negócio ou transação comercial,
verá que suas oportunidades melhorarão. Se quando você tem um sentimento, antes
de agir você libera, você será capaz de ver a diferença entre intuição e medo ou
ganância. Quanto mais você usar o Método em suas atividades de investimento, mais
verá que é guiado por fatos e não por fantasia, mais por intuição do que por desejo ou
medo.

Liberação sobre as atividades


econômicas de seus pais

Ao considerar o assunto riqueza e liberdade financeira, uma das coisas em que a


maioria das pessoas fica presa é resistir a querer mudar a maneira como seus pais
viam e administravam o dinheiro. Pode, no seu caso, ser algo óbvio ou pode
surpreendê-lo muito. A maioria de nós ou segue as idéias econômicas de nossos pais
- funcionem ou não - ou as resiste. Em ambos os casos, nossa atitude obscurece
nosso próprio poder de criar o que quisermos na vida. Além disso, nos impede de ter
o que queremos.
Nancy, uma estudante do Método Sedona, fez uma grande descoberta a esse respeito
um dia, quando estava ouvindo as fitas de meu programa sobre liberdade econômica.
Como ela diz: «Um pirata baixou algum programa para o meu sistema operacional. É
um ciclo contínuo que repete a mensagem: 'O dinheiro é escasso'. Eu não tinha
percebido a convicção com que havia adotado as atitudes de meus pais em relação
ao dinheiro. Tanto que os recrio em minha vida.
»Minha mãe está em uma boa situação financeira, mas ela está sempre preocupada
por não ter dinheiro suficiente. Obviamente, sua atitude remonta mais longe, aos
meus avós. É a mentalidade do agricultor. O dinheiro é um segredo. Você tem que se
comportar como uma pessoa pobre, mesmo que não seja. Você não deve se gabar
do sucesso. Eu trabalho por comissão, o que significa que minha situação é de fome
total ou pura. Hoje percebo que criei propositalmente o padrão de retraimento quando
beirava o sucesso. Porém, agora que desisti dessa atitude, me sinto mais livre.
Portanto, pense na atitude de seus pais em relação ao dinheiro, como eles trataram
você quando se tratava de dinheiro e como trataram uns aos outros.
Em seguida, pergunte-se: há algo nas atitudes e ações de seus pais com relação ao
dinheiro que você gostaria de trocar ou resistir?

152
Você poderia abandonar o desejo de mudar ou se opor ao jeito deles de ser?
Pense em outra coisa a que você resiste sobre a maneira como seus pais
administravam o dinheiro ou a atitude deles em relação a ele.
Você poderia abandonar essa resistência agora? Você poderia simplesmente deixar isso
escapar? Em seguida, pense em outra coisa que você gostaria de mudar na maneira
como seus pais administravam o dinheiro, algo que aconteceu com eles a respeito de
dinheiro ou a maneira como o trataram financeiramente.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Repita as perguntas acima mais algumas vezes antes de prosseguir. Seus pais tinham
um padrão negativo em questões financeiras, um padrão que você imitou sem perceber,
que adotou em sua própria vida?
Se sim, você poderia aceitar essa atitude, essa crença ou esse padrão
habitual? Tudo resulta de um desejo de aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo, você poderia se permitir deixá-lo ir?
Existe alguma outra maneira pela qual você copiou a organização de suas finanças de
seus pais que você não gostou e gostaria de mudar?
Por enquanto, você poderia simplesmente aceitar?
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso? Você poderia abandonar o desejo de
imitar seus pais?
Como disse no capítulo sobre culpa e vergonha, durante os primeiros anos de nossa
vida e à medida que crescemos, nossos pais são como deuses. Alimentam-nos,
abrigam-nos e vestem-nos e, inconscientemente, copiamos o seu modo de vida,
mesmo que o que façam não funcione bem.
Analise agora se neste preciso momento você notou aquela sua velha atitude de
imitar seus pais.
Se sim, você poderia simplesmente deixar as coisas como estão? Existe um sentimento
de desejo de aprovação, controle ou segurança?
Se sim, você poderia se permitir abandonar esse desejo?
Agora verifique novamente se você é de alguma forma contra as atitudes de seus
pais em relação ao dinheiro e se há algo neles que você deseja mudar. Ou você de
alguma forma copia seus pais?
Você poderia permitir que as coisas fossem assim, aceitá-las?
Tudo resulta de um desejo de aprovação, controle ou segurança?
Você poderia se permitir abandonar esse desejo?
Reserve alguns minutos para observar como você se sente agora, após a liberação.
Este é um assunto muito valioso para exploração posterior. Além disso, é
inteiramente possível se libertar das crenças e atitudes de nossos pais em relação ao
dinheiro que nos impedem. Agora você pode ser como decidir ser. Você não precisa
mais ser do jeito que eles queriam que você fosse e não precisa viver continuamente
se opondo ao jeito deles de ser. A chave é abandonar sua resistência (a sensação de
precisar mudar o que era ou o que é) e abandonar o desejo de ser como seus pais
para obter a aprovação deles.

Libere o medo do dinheiro

Outra área em que ficamos presos em relação ao dinheiro - e, realmente, em relação a


qualquer coisa - é o medo. Se você se lembra do que dissemos no Capítulo 13, "O segredo da
libertação do medo e da ansiedade", inconscientemente queremos que aconteça o que
tememos. Há um impulso nessa direção sem que o desejemos propositalmente ou
tenhamos consciência disso. Pense em seus próprios medos em relação ao dinheiro.
Aconteceram coisas a todos nós sobre dinheiro de que não gostávamos, ou aconteceram a
pessoas que conhecemos. Portanto, queremos evitar ou impedir que essas experiências
voltem a acontecer, o que obviamente significa que continuamos a mantê-las em mente.
Vamos começar a analisar

153

Coloque essas questões juntas, porque tenho certeza de que você prefere remover
todas essas expectativas de sua consciência e não encorajá-los a experimentá-las
novamente.
Meus pais cresceram durante a Grande Depressão e meu pai viu sua família perder a
casa. Minha mãe tentou, com pouco sucesso, convencê-lo a comprar imóveis. Como
corretor de imóveis, ele ganhava um bom salário em comissões e fazia outros ganhar
milhões com seus negócios. Mas ele perdeu muitas compras de imóveis que poderia
ter feito sozinho, o que lhe renderia milhões de dólares por um pequeno investimento.
Na verdade, às vezes ele alugava nossas casas, embora pudesse comprá-las e vendê-
las logo depois com um lucro considerável. Sem perceber, nessas questões copiei a
maneira de agir de meu pai. Minha esposa, Amy, teve que me persuadir por alguns
anos antes que eu percebesse o que estava acontecendo e deixasse de lado meu
medo de possuir um imóvel. Então, compramos uma casa unifamiliar em Phoenix,
que depois vendemos com um bom lucro. Hoje temos uma bela casa em Sedona,
Arizona. Sei que não teríamos sido capazes de pagar tudo isso se eu não tivesse
liberado o medo herdado de meu pai de possuir bens imóveis.
E se acontecer algo assim que você teme porque tem dinheiro ou liberdade financeira?
Você pode ter medo de uma auditoria fiscal, de ter que pagar mais impostos ou de
fazer maus investimentos.
Qualquer que seja o medo que você tenha: você poderia, apenas por um momento,
abandonar o desejo de que isso aconteça? Sei que parece estranho, mas, como vimos
em outros capítulos, funciona.
De que outras coisas você tem medo se tiver muito dinheiro no banco?
Você poderia considerá-los garantidos?
Você tem medo de que eles prejudiquem seus relacionamentos?
Analise quais são seus medos pelo fato de ter muito dinheiro ou liberdade
econômica, e escolha qualquer um deles.
Você poderia deixar de desejar que isso acontecesse?
Procure que mais do que apenas temas aconteçam se você tiver total liberdade
financeira e muito dinheiro. Você pode ter medo de não saber como administrar o
dinheiro com responsabilidade.
Você poderia deixar de desejar que tal coisa acontecesse?        
Repita as perguntas acima várias vezes, deixando seus medos
     
desaparecer.    

     
Além de seguir o atalho de
«Parece que os benefícios que obtive e deixe de lado o desejo de o que
Eu continuo recebendo van aumentando sem você tem medo que se torne realidade também
não precisa de nenhum esforço extra. Antes você poderia fazer uma lista dos
seguindo o curso, eu nunca tinha recebido um medos que você tem sobre dinheiro,
pagamento extra para produzir no meu trabalho. Ao a abundância Y a liberdade
terminar o curso, recebi o primeiro. Então econômico e gratuito diretamente
foram repetidos todos os meses, além de sobre eles usando as perguntas
três prêmios de melhor produtor. Então o de os desejos de aprovação,
gerentes me perguntaram como se poderia   controle e segurança. Em qualquer
     
motivar outros a fazerem como caso, conforme você remove o
mim". medo, você se sentirá mais livre para
—Meter Piezzo, St. Agustine (Flórida) vá em frente e crie exatamente o
  tipo de prosperidade que você deseja
 
tua vida.

Gosta e não gosta de dinheiro

Nossas crenças e atitudes em relação ao dinheiro muitas vezes nos impedem de


alcançar a liberdade e abundância financeiras. Eles são, em muitos casos, como o ar
que

154

nós respiramos: não temos consciência deles e dos apegos e aversões que escondem. O
processo de Gostar / Não Gostar (ver Capítulo 9) ajuda a elevar essas camadas ao nível de
consciência para que possamos liberá-las.
Quando você trabalhar suas crenças e atitudes, pedirei que o faça em duas fases.
Comece com sua situação financeira atual. Pense em como você está certo quando
se trata de dinheiro. Lembre-se de que é importante liberar gostos e desgostos.
O que você gosta na sua situação financeira atual? Vem do
desejo de aprovação, controle ou segurança? Seja qual for o
desejo, você poderia deixá-lo ir?
Pode ser difícil pensar em coisas de que você gosta, especialmente se sua situação
financeira não for o que você gostaria que fosse. Mas se você estiver travado nesse
ponto, pode ter certeza de que desejos ou sentimentos subconscientes o estão
impedindo de se desapegar e seguir em frente. Portanto, seja o mais receptivo que
puder, tornando-se consciente do primeiro pensamento ou sentimento que vier à
mente e aceitando-o quando fizer a si mesmo as perguntas que se seguem.
Existe algo de que você não gosta em sua situação financeira atual?
Veja se vem do desejo de aprovação, controle ou segurança. Qualquer que seja esse
desejo: você poderia deixar para lá?
Existe algo de que você gosta em sua situação financeira atual? Vem do desejo de
aprovação, controle ou segurança? Você poderia se permitir deixar isso ir?
Existe algo de que você não gosta em sua situação financeira atual? Vem do desejo de
aprovação, controle ou segurança?
Sinta-se à vontade para ficar apenas com esses tipos de perguntas, fazendo cerca de
nove repetições em cada par de gostos e desgostos.
Quando estiver pronto, vamos mudar de marcha.
Você poderia simplesmente aceitar o que é certo em sua vida hoje quando se trata de
dinheiro? Mesmo que a situação não seja a que você necessariamente escolheria ou
a que, em última análise, gostaria de alcançar, se conseguir aceitá-la como é, terá um
bom ponto de partida para seguir em frente.
Então, por enquanto, você poderia se permitir aceitar a maneira como as coisas
são hoje? Que eles estejam lá? Sabe que eles estão bem?
Quanto mais liberdade você tem para se permitir aceitar a situação como ela é, mais
você pode tomar medidas para torná-la como deseja.
Pense de novo. Você poderia simplesmente aceitar ou admitir qualquer coisa em sua
vida que atualmente tenha a ver com dinheiro?
Seus pensamentos, seus sentimentos, suas atitudes e suas ações: Você
poderia, por um momento, deixá-los ser como são, aceitá-los?
Agora, reserve alguns minutos para observar como você se sente diferente após seguir os
processos acima. Dedique-se a incorporá-los ao seu dia a dia. Por exemplo, quando você vir
que está fazendo algo da maneira que sua mãe ou pai costumava fazer, e não da maneira
que você gostaria, libere a resistência ou o desejo de mudar e veja o que acontece. Se você
perceber um medo ou preocupação momentâneo cruzando sua consciência, libere-os
usando as perguntas de aprovação, controle ou segurança OU simplesmente deixe ir o
desejo de que o que você teme aconteça. Você também pode trabalhar em curtir e não curtir
com um objetivo específico.
Finalmente, aceite sua situação financeira como ela é. Quanto mais você aceitar, mais
liberdade terá para mudá-lo.

O procedimento de limpeza com dinheiro

Vamos continuar analisando os obstáculos que te impedem de ter o que quer na vida,
que te impedem de ter uma certa liberdade econômica. O procedimento de limpeza é
uma excelente ferramenta para resolver e equânime com o

155

pessoas; mas também é uma ótima maneira de melhorar suas interações comerciais
e econômicas.
Lembre-se de algumas coisas. Em primeiro lugar, quando você usa esse
procedimento, parte da liberação que você faz acontecerá espontaneamente. Em
segundo lugar, liberar é sempre uma decisão simples, assim como deixar a situação
ser o que é. Terceiro, aceite tudo o que vier à sua consciência enquanto trabalha
nesse processo. Se você estiver pronto, comece.
Você já teve a sensação de que o dinheiro estava tentando controlá-lo? Pode parecer
uma pergunta estúpida para você, porque o dinheiro é um objeto inanimado, mas
você pode ter sentido esse sentimento.
Você poderia aceitar seu sentimento de querer controlar o dinheiro
novamente? Então você poderia abandoná-lo?
Você tentou controlar o dinheiro? A maioria de nós deseja controlar o dinheiro o tempo
todo. Portanto, a pergunta é fácil.
Nesses momentos, você poderia abrir mão do desejo de controlar o dinheiro? O dinheiro
tentou controlar você? Ou você já se sentiu controlado pelo dinheiro?
Em caso afirmativo, você poderia abrir mão do desejo de ser o único no controle? Você
tentou controlar o dinheiro?
Se sim, você poderia abrir mão do desejo de controlar o dinheiro?
O dinheiro tentou controlar você ou parecia que sim? Você já se sentiu vítima ou à
mercê de dinheiro?
Você poderia abandonar o desejo de controlar o
dinheiro? Você tentou controlar o dinheiro de uma forma
ou de outra?
Se sim, você poderia agora abandonar o desejo de controlar o dinheiro?
Você poderia dar ao dinheiro o direito de ser o que o dinheiro é?
Lembre-se de que esta última pergunta é apenas uma decisão e que, ao decidir dar ao
dinheiro o direito de ser o que é, você estará mudando drasticamente seu
relacionamento com ele. Você poderia dar ao dinheiro o direito de ser o que o dinheiro
é, apenas por enquanto? Você agora reconhece que o dinheiro é o direito de ser o que é
dinheiro?
Se você consegue, mesmo que seja um pouco, veja que se sente melhor por dentro.
Se sua resposta for 'não', você obviamente pensa que mais liberação precisa ser feita
na questão do controle. Continue repetindo as perguntas até soltá-las. Se você
responder 'sim', vá para a nova seção sobre aprovação.
Você não gostou ou desaprovou algo sobre dinheiro ou algo relacionado a
ele? Em caso afirmativo, você poderia deixar de lado suas dúvidas sobre a
aprovação do dinheiro?
Você poderia abandonar essa aversão ou desaprovação ao dinheiro?
Você sentiu que o dinheiro de alguma forma não gostava de você ou desaprovava você?
Eu sei que parece estranho, mas você pode se sentir assim.
Você poderia abrir mão do desejo de aprovação do dinheiro?
Você não gostou ou desaprovou parte do dinheiro?
Você poderia, por enquanto, deixar de lado sua antipatia ou desaprovação pelo dinheiro?
De alguma forma, parecia que você não gostava de dinheiro, desaprovava ou estava
escondido de você? Eu sei que pode parecer que a pergunta não faz sentido, mas
esses sentimentos ainda podem existir.
Você poderia abrir mão do desejo de aprovação do dinheiro?
Você não gostou ou desaprovou algo sobre dinheiro ou algo relacionado a
ele? Você poderia abrir mão do desejo de esconder sua aprovação do
dinheiro?
O dinheiro de alguma forma parecia não gostar ou desaprovar algo em você?
Você poderia abandonar o desejo de aprovação?
Por enquanto, você poderia se permitir abrigar nada além de amor e aceitar sentimentos
em relação ao dinheiro? Você poderia realmente?
Você se permitiria ter apenas um sentimento de amor e aceitação em relação ao
dinheiro?
Você só tem um sentimento de amor e aceitação em relação ao dinheiro?

156

Lembre-se de que esta última questão é uma decisão ou escolha. Observe mais uma
vez como essa pequena liberação de aprovação em relação ao dinheiro mudou um
pouco mais sua consciência. Você pode continuar a fazer a si mesmo as perguntas
de aprovação, se necessário, ou passar a discutir o desejo de segurança em relação a
dinheiro.
Você sentiu de alguma forma que o dinheiro o desafiou, se opôs, ameaçou de alguma
forma, ou que tudo sobre o dinheiro o fez?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar o desejo de segurança ou
sobrevivência? Você desafiou o dinheiro, se opôs a ele ou o ameaçou de alguma
forma?
Mais uma vez, como o dinheiro não é uma pessoa, mesmo que o antropomorfizemos,
essas perguntas podem parecer estranhas para você. Mas você pode se sentir assim.
Você poderia abandonar o desejo de desafiar, se opor ou ameaçar o dinheiro?
O dinheiro desafiou você, se opôs a você ou ameaçou você? Ou era esse o sentimento dele?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de segurança ou sobrevivência que o
sentimento gera em sua consciência?
Você de alguma forma desafiou, se opôs ou ameaçou o dinheiro?
Você poderia abandonar o desejo de fazer isso sozinho?
O dinheiro desafiou você, se opôs a você ou ameaçou você? Ou era esse o sentimento
dele? Em caso afirmativo, você poderia abandonar o desejo de segurança ou
sobrevivência?
Você desafiou, se opôs ou ameaçou o dinheiro? Ou você queria? Você poderia apenas
permitir que isso seja lançado?
Você poderia se permitir ter apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança
com o dinheiro?
Você se permitiria ter apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança com
o dinheiro?
Você tem apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança com o dinheiro?
Você pode repetir o ciclo dessas perguntas quantas vezes forem necessárias, até
poder dizer "sim" às três perguntas finais. Se você puder fazer isso, verá que todos os
seus sentimentos em relação ao dinheiro mudam. Embora este seja um objeto e não
uma pessoa, em nossa consciência sentimos a relação que temos com ele. Liberar
sentimentos sobre ele como este pode realmente eliminar muitas reações negativas.

Julia: liberdade para merecer o melhor

Julia descobriu o Método quando imigrou da Romênia para o Canadá há cerca de três
anos. Foi uma mudança difícil. Ela era mãe solteira e precisava aprender duas
línguas, francês e inglês, já que morava em Québec. Além disso, ele teve problemas
financeiros. A renda de seu trabalho na manicure era de cerca de US $ 900 por mês,
uma quantia que era igual às suas despesas. Quase não tinha mais dinheiro para
comer, muito menos para outra coisa. “Com tantas preocupações e sofrimentos, não
havia liberdade”, diz ele. “Fiquei surpreso quando comecei a descobrir o Método
Sedona, porque era muito fácil e funcionava muito rapidamente. Quatro dias depois
de abandonar minha resistência à falta de abundância, ganhei um novo cliente de
uma comunidade judaica ortodoxa. Ele viu um pequeno anúncio que coloquei em
uma cabine telefônica. Ele me enviou sua mãe, sua avó, suas sobrinhas e seus
amigos. Em um mês e meio, meu negócio triplicou. Ele estava ganhando $ 2.000 e
não havia feito nada além de se libertar.
Julia percebeu que herdou sua consciência de pobreza das atitudes das pessoas que viviam
com ela em seu país. Em seu subconsciente, ela tinha medo de ficar rica. Quais são as
vantagens de ser pobre e rico? Ele costumava se perguntar. Ele decidiu acabar com o hábito
de comprar a coisa mais barata que pudesse encontrar. Ele continuou a se libertar da
convicção de que merecia um status melhor, perguntando a si mesmo perguntas como
estas: Posso me permitir lembrar a crença de que eu não tinha

157

dinheiro? y: Posso me lembrar que costumava pensar que não podia ter dinheiro? Ele
também observou que seu apego ao dinheiro era baseado no desejo de segurança /
sobrevivência. “Antes de lançar, estamos acorrentados sem saber”, diz Julia. «Depois
de aprender a libertar, saber que estamos acorrentados, algo que dói se não o
deixarmos ir. Em minha resistência, meu plexo solar doía. Mas enquanto eu
trabalhava em meus objetivos de segurança financeira, a dor foi diminuindo
gradualmente. Hoje sinto-me calmo e posso confiar nos meus rendimentos ».

Vantagens e desvantagens do dinheiro

Agora vamos usar o Processo de Vantagens / Desvantagens para nos concentrar em


ter o que queremos na vida. Lembre-se de abandonar os prós e os contras. Liberar os
dois caminhos colocará em sua consciência o objetivo da liberdade econômica e da
abundância.
Qual é a vantagem de ter liberdade
ou abundância econômica? Vem de “Eu tinha trabalhado para empresas Fortune
um desejo de aprovação, controle ou 500 por 25 anos e me sentia como se
segurança / sobrevivência? estivesse perdido. Sempre quis ter meu
Qualquer que seja o desejo, você próprio negócio, cortar o cordão umbilical
poderia se permitir deixá-lo ir? com a nave-mãe, por assim dizer. Alguém me
Qual é a inconveniência de ter emprestou as fitas do Método Sedona; Eu os
liberdade econômica ou abundância? deixei no carro e os ouvi por um ano. Nesse
Se nada acontecer com você, libere tempo, tornei-me independente do meu
nesta mesma circunstância. Em negócio, sem nenhum medo. Eu apenas
seguida, pense se isso cultiva um pensei que a prosperidade viria para mim, e
desejo de aprovação, controle ou milagrosamente aconteceu. Não sei como
segurança. explicar. Trabalho menos, ganho mais, fico
Qualquer que seja o desejo, você
mais tranquila e, além disso, faço o que
poderia se permitir deixá-lo ir?
gosto. Acho que o segredo está no Método,
Lembre-se que se você não quer ter
liberdade econômica ou abundância porque não há mais nada na minha vida que
hoje, provavelmente existem mudou.
—Rick Forrest, Claremont, Califórnia
desvantagens em tê-los. Portanto,
permanece
tão aberto quanto possível a este processo e concentre-se no primeiro pensamento
ou sentimento que ocorre, seja ele qual for. Em seguida, solte-o. Enquanto você não
desmascarar as desvantagens ocultas, elas continuarão a governar sua vida.
Qual é a vantagem de ter liberdade ou abundância econômica?
Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança? Você
poderia se permitir deixar isso ir?
Qual é a inconveniência de ter liberdade econômica ou abundância?
Analise se vem do desejo de aprovação, controle ou segurança. Você
poderia abandonar esse desejo?
Repita as perguntas prós e contras pelo menos nove vezes, certificando-se de liberar todas
as vezes. Como já disse, às vezes me pergunto sobre as vantagens e desvantagens de um
determinado tópico por mais de uma hora e ao mesmo tempo. Na verdade, muitas vezes
passei ainda mais tempo nisso. Como cada vantagem e cada desvantagem juntas formam
uma camada de sentimento sobre um determinado assunto, quando você as deixa ir, você
começa a se aproximar da posse da liberdade econômica e da abundância que sempre
desejou.
158

Visualize sua situação financeira ideal

Visualize como seria sua vida se você alcançasse a abundância e liberdade


econômica total. Lembre-se de usar os cinco sentidos em cada nível do exercício.
Sua "imagem" pode ser visual, cinestésica ou auditiva. Mas desenhe uma imagem
expressiva em que você tenha todo o dinheiro que sempre quis, liberdade financeira
total e abundância fenomenal. Experimente profunda e intensamente.
Em seguida, pense se há algo dentro de você agora que diz: "Não, não posso aceitar".
Ele não deveria ter. "Não é real". "Não é possível". Ou qualquer outro pensamento ou
sentimento que se oponha a essa imagem.
Escondido nessa oposição, existe um desejo de aprovação, controle ou
segurança? Você poderia abandonar esse desejo por enquanto?
Permita-se novamente imaginar que você tem abundância AGORA, que você tem
liberdade financeira Al-LORA. Imagine que é neste exato momento. Observe como é
essa situação, sinta e ouça.
Verifique se há pensamentos ou sentimentos contra isso. Em seguida, veja se há
algum desejo de aprovação, controle ou segurança associado a esses pensamentos
ou sentimentos.
Então, você poderia abandonar esse desejo?
Visualize novamente que você tem liberdade financeira e abundância. Como está sua
vida agora e nesta situação?
Veja se tudo vem do desejo de aprovação, controle ou segurança. Você
poderia deixar isso ir
Analise se há desejos na própria imagem. Em
caso afirmativo, você poderia deixar isso ir?
Permita-se visualizar novamente a liberdade econômica e a abundância em sua vida
agora. Veja se há algo dentro de você que continua a se opor a essa imagem ou diz
"Não posso" ou "Não deveria" tê-lo.
Sim é assim; Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo, você poderia se permitir deixá-lo ir?
Imagine, novamente, liberdade econômica e abundância AGORA. Pense que é bom tê-
los.
Você poderia se permitir aceitar totalmente esta imagem em sua consciência? Aceite,
encoraje e deixe estar lá.
Certifique-se de que não há problema em tê-lo e que ele existe AGORA. Tudo o que você
precisa fazer é aceitar a liberdade financeira e a abundância em sua vida, sabendo que você
merece.

Estabeleça metas e tome medidas

Eu recomendo que você escreva uma meta para o que você gostaria de criar quando
se trata de dinheiro. O Processo Objetivo o libertará, porque o ajudará a manter
sempre em mente o que você realmente deseja, enquanto se livra de todos os
sentimentos que se opõem a esse desejo. Como de costume, lembre-se de trabalhar
com a liberação quando começar a dar passos para atingir seus objetivos
financeiros. Ao liberar as ações que pode realizar ou que já está realizando,
descobrirá que gera resultados com muito mais facilidade do que antes. (Esse
processo é discutido com mais detalhes no Capítulo 8, "Definindo e alcançando suas
metas").

Uma ultima ideia

Por favor, releia este capítulo frequentemente. Quanto mais você trabalhar com este
material, mais você lucrará com ele. Quando você começar a aceitar verdadeiramente
que tem direito à liberdade e segurança financeiras, será mais fácil para você assumir
uma atitude positiva em relação à sua prosperidade.

159

17
A magia dos relacionamentos
Você já se perguntou por que alguns relacionamentos íntimos funcionam e outros
não? Por que muitos de nós parecem ter os mesmos relacionamentos com várias
pessoas diferentes? Por que alguns acham muito fácil encontrar um parceiro e outros
têm que fazer o melhor? As respostas a essas perguntas e outras do mesmo tipo
estão neste minicurso sobre relacionamentos íntimos. Os exercícios, ideias e
processos deste capítulo podem e irão acelerar o processo que o leva a descobrir e
viver seu caráter natural de cuidado.
A resposta para a maioria das perguntas intrigantes de relacionamento é, na verdade, muito
simples. A maioria de nossos relacionamentos, e nossos padrões de relacionamento em
geral, baseiam-se mais na necessidade do que no amor. Certamente você não ficará
surpreso com isso. No entanto, pode surpreendê-lo saber que há algo que você pode fazer
sobre isso e você sabe do que se trata: liberar. Qualquer sentimento que não seja de amor é
um sentimento de não amor. Visto que sua natureza essencial é o amor que você busca nos
outros e nos outros, cada vez que você se liberta usando o Método Sedona, você está se
libertando dos sentimentos de não amor e se tornando uma pessoa mais amorosa interna e
externamente. Quanto mais afetuoso você for, melhores serão seus relacionamentos e mais
atraente você despertará em seu parceiro. É simples assim. Toda a liberação que você já
está praticando e que praticará neste capítulo, melhorará seus relacionamentos atuais e
futuros.

Pare de procurar amor nos lugares errados

A maioria de nós busca o amor como se estivéssemos tentando encher uma xícara
que "vaza", que está perdendo seu conteúdo. Cada vez que parecemos receber afeto
de uma fonte externa, especialmente de outra pessoa, apenas reforçamos a ideia de
que o amor pode ser encontrado fora de nós mesmos. Portanto, o "gotejamento" é
inerente ao sentimento de receber amor ou aprovação. Parte desse gotejamento é o
medo de perder o afeto, o ressentimento para com as pessoas de quem pensamos
que devemos recebê-lo e o simples ato de desviar o olhar do amor que, por natureza,
já somos,
Uma boa notícia. Para reverter todos esses dilemas, basta abandonar o desejo de
amor ou aprovação. Você também pode acelerar o processo procurando maneiras
mútuas de amar - em vez de tentar obtê-lo - e maneiras mútuas de oferecer amor, bem
como de recebê-lo. Se você tem algum tipo de relacionamento próximo ou íntimo - seu
parceiro, um amigo, um parente - e pode chegar ao ponto de querer o melhor que você
sabe sobre a outra pessoa como ela é, então vocês dois podem relaxar e ser honestos
um com o outro. Isso favorece interações muito mais saudáveis e satisfatórias.
Existem algumas chaves importantes para melhorar os relacionamentos que muitas vezes
são esquecidas. Um é seu caráter mútuo. Se, interna ou externamente, você fizer algo que
não seja mútuo com seu parceiro, a única coisa que conseguirá é que ambos se sintam
frustrados. A seguir, um exemplo simples de meu relacionamento com minha esposa. Eu só
gostava de assistir filmes de "meninos" e Amy só queria assistir a filmes de "meninas". Foi
um grande dilema quando ligamos a televisão ou decidimos ir ao cinema. Em vez de tentar
impor nossa vontade ao outro, ou presumir que um deveria se sacrificar pelo outro, o que não
seria uma solução mútua, discutimos abertamente a questão, liberamos os sentimentos que
ela nos provocava e começamos

160

para descobrir o tipo de filme que ambos poderíamos desfrutar. Na verdade, à medida
que nos libertamos para alcançar a mutualidade, hoje estamos ambos mais abertos
aos gostos um do outro no que diz respeito ao cinema, e há poucas ocasiões em que
não concordamos sobre o que gostamos. Quando não estamos, vamos
simplesmente ver o filme que um dos dois escolhe, se nos sentirmos mútuos, ou
cada um vai sozinho ao cinema ou com um amigo. Em qualquer caso, nos sentimos
muito mais confortáveis. Agora, até gosto de muitos filmes de meninas tanto quanto
de meninos. E Amy também gosta de alguns filmes de meninos.
Para que o amor seja verdadeiramente solidário, ele também deve ser incondicional. Quanto
mais você for capaz de se dar e oferecer seu amor sem esperar nada em troca, mais feliz
você será. Em vez disso, o que a maioria de nós em um relacionamento é uma troca: "Eu farei
uma coisa por você, se você fizer isso por mim." No comércio, a troca pode ser ótima;
entretanto, o amor autêntico é mais do que apenas um negócio.
O amor ou afeição autênticos devem sempre apoiar os dois envolvidos. Se um dá ao outro às
custas de si mesmo, não é um ato de dar. São situações que podem se transformar em co-
dependência e até abuso. Portanto, ao dar, certifique-se de dar algo que é desejado e que
você também goste de dar. Agora, isso não significa que você sempre tenha que fazer o que
o outro quer; Nem significa que você só deve fazer o que quiser. Significa que vocês dois se
permitem explorar formas de relacionamento que são mutuamente benéficas.
Você fará um grande progresso se seguir essas poucas diretrizes em seus
relacionamentos íntimos.

E se o seu parceiro já for


uma pessoa perfeita?

Se você já esteve em um relacionamento romântico, provavelmente passaria pelo que


muitos chamam de "fase da lua de mel". A menos que seu relacionamento seja muito
recente, o tipo de amor, afeto e alegria que você sentiu durante essa fase
provavelmente não passa de uma lembrança agora. Então, qual é a diferença entre o
que você pode almejar como sua lua de mel e o que você sente hoje? Muito simples:
no início do relacionamento, você amava e aceitava seu parceiro como ele era. É até
possível que você a amasse porque ela tinha um certo jeito de ser, embora, hoje, esse
jeito de ser, ou certos aspectos, te deixem furioso.
Quando um relacionamento pode acabar, é quando seu parceiro diz ou faz algo, ou se
comporta de uma maneira que você se recusa a aceitar internamente. Então você
começa a oferecer resistência a esse traço ou comportamento específico, enquanto
espera que a pessoa o manifeste novamente. Conforme declarado no Capítulo 8,
começamos essas listas informais de coisas dentro de nosso parceiro que queremos
mudar , ou para as quais oponemos, e então começamos a comparar tudo o que você
faz com essa lista interna. Se houver uma coincidência, colocamos um sinal e nossa
resistência aumenta. Uma vez que começamos a lista, não paramos de procurar
aspectos para adicionar a ela. Todo esse processo geralmente sai do controle,
terminando em separação, divórcio ou simplesmente abandonando um
relacionamento que não é mais útil para nenhuma das partes envolvidas.
Existe uma maneira fácil de quebrar esse padrão e que prolonga a lua de mel pelo
resto de suas vidas. Primeiro, queime essa lista. A menos que você esteja
determinado a destruir seu relacionamento atual, continuar a aumentar a lista nada
mais é do que criar problemas para si mesmo. Cultive o hábito de procurar no seu
parceiro as coisas que você pode amar e valorizar, e não pensar no que deve mudar, e
assim toda a dinâmica do seu relacionamento mudará. Isso não significa suprimir a
comunicação amorosa sobre coisas que seu parceiro faz que você preferiria que ele
não fizesse. Também não é uma desculpa para permitir que você ou seu parceiro
continuem a se entregar a comportamentos abertamente destrutivos. É apenas uma
maneira de começar a recuperar o equilíbrio que

161

você gostou da sua lua de mel. O processo Advantage! Desvantagens também é uma
boa ferramenta para "listas em chamas".
Permitam-me que lhe diga que é um processo que funcionou no meu casamento.
Como eu disse, todos nós tendemos a fazer listas internas do que nosso parceiro fez
de errado ou nos aborreceu. Então, esperamos que continuem cometendo o mesmo
erro e, é claro, temos o prazer de reafirmar nossas convicções quando o fizerem.
Depois de um tempo, damos mais importância em nos agarrar à falsa segurança de
estarmos certos do que em nutrir o amor com o qual atraímos nosso parceiro na
época. A diferença entre esse modelo, no qual a maioria de nós cai, e a fase de "lua
de mel" de um relacionamento em que nosso parceiro parece não estar fazendo nada
de errado, está simplesmente no que esperamos e no que nos concentramos.
O que aconteceu nos últimos onze anos de convivência com minha esposa é que as
listas de erros e ofensas continuam desaparecendo. É verdade que Amy tem hábitos
dos quais às vezes não gosto, e tenho traços em meu caráter dos quais ela não
gosta, mas nenhum de nós usa essas circunstâncias contra o outro. Estamos
simplesmente um com o outro, procurando maneiras de estar juntos como estamos
naquele momento, liberando nossas mágoas e nossas expectativas. Compartilhamos
possibilidades ilimitadas de amar um ao outro. Amo Amy ainda mais agora do que na
fase de "lua de mel" de nosso relacionamento.

Como eliminar o desacordo

Vários anos atrás, Amy e eu demos um curso para casais em um resort jamaicano. O
exercício a seguir foi uma das ferramentas mais poderosas que usamos para ajudar
os casais a resolver suas desavenças e chegar a um ponto de melhor reciprocidade.
Baseia-se no princípio de considerar uma questão do ponto de vista de outra pessoa,
de "se colocar no lugar dela". Quando você tem pelo menos um vislumbre do ponto de
vista de outra pessoa sobre qualquer desacordo em particular, é muito difícil para o
conflito permanecer vivo. O exercício a seguir é uma maneira rápida e divertida de ter
essa perspectiva.
As diretrizes para este exercício são simples. Complete todos eles, sem diminuí-los nem
fazer nada que seja física ou emocionalmente prejudicial ao seu parceiro. Escolha um tópico
que você está discutindo e gostaria de resolver.

Passo 1: Vocês dois defendem seus pontos de vista. Faça isso colocando todo o
sentimento nele e dando-lhe toda a importância de que você é capaz. No entanto, há
uma nuance importante: você só pode usar a expressão "blá". Não use outras
palavras. Apenas argumente como você costuma fazer - você pode até exagerar um
pouco - mas evite a linguagem real.
Continue argumentando até que ambos sintam que defendeu sua posição com todo
o esforço de que são capazes. Então, antes de passar para a Etapa 2, reserve alguns
minutos para liberar tudo o que essa atividade gerou.

Passo 2: Agora, defendam os pontos de vista uns dos outros. Desta vez, use palavras
e faça o seu melhor para se colocar no lugar do seu parceiro. Defenda a opinião deles
com a mesma convicção com que defendeu a sua. Coloque todo o interesse que
puder em sentir e expressar os sentimentos de seu parceiro; até usar seus gestos.
Continue discutindo assim até que nenhum de vocês tenha nada a dizer. Em seguida,
passe alguns momentos liberando tudo o que essa atividade gerou.

Etapa 3: compartilhe o que você descobriu. Gaste tanto tempo quanto necessário
para conversar e liberar juntos sobre quaisquer sentimentos, pensamentos,

162

reflexão e ideia que surgiram durante o exercício. Eu prometo a você que se você for
como as pessoas que estavam naquele curso de que estou falando, e como muitos
outros que trabalharam com sucesso com este exercício, e como minha esposa e eu,
ficará agradavelmente surpreso com os resultados. pode alcançar com esta atividade
sempre que você se encontrar preso em pontos de vista opostos.

Solte para promover relacionamentos

No restante deste capítulo, aplicaremos os princípios e processos discutidos na Parte


Um do livro a questões sobre nossos relacionamentos íntimos. Ao fazer os exercícios
a seguir, você pode se concentrar em um relacionamento que gostaria de melhorar,
um relacionamento antigo que gostaria de encerrar ou em ter um novo
relacionamento que realmente seja adequado para você. Mesmo que você explore
apenas algumas das atividades discutidas neste capítulo, poderá facilmente chegar
ao nível alcançado por milhares de pessoas que já melhoraram seus relacionamentos
por meio da liberação.

Transcender nossos pais

Além de tudo relacionado ao dinheiro, nossos pais também influenciam nossa


compreensão do ato de nos relacionarmos. São os nossos primeiros modelos, pela
forma como tiveram de se relacionar (exceto nos casos de famílias monoparentais) e
como se relacionaram connosco. Portanto, para começar a alcançar a liberdade
completa em seus relacionamentos, comece focalizando seu relacionamento com
seus pais, ou o relacionamento que eles tiveram entre si.
Existe algo em tudo isso que você resiste ou deseja mudar, ou algo que você usou como
modelo?
Isso desperta o desejo de aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo, você poderia se permitir deixá-lo ir?
Procure algo em seu relacionamento com seu pai e sua mãe, com um dos dois, ou
um com o outro, que você gostaria de mudar.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Existe algo mais em seu relacionamento com seus pais, ou no relacionamento um com
o outro, que você gostaria de mudar?
De ser assim; Você poderia deixar de lado o desejo de mudar isso
Considere essas questões novamente. Observe se no seu relacionamento com seu
pai ou com sua mãe, ou no relacionamento de ambos, há algo de que você não gosta,
ou de que não gosta, e que gostaria de mudar.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Existe algo mais em seu relacionamento com seus pais, ou no relacionamento mútuo
deles, que de alguma forma influenciou seus relacionamentos até este ponto? Lembre-
se de que ou você vive se opondo a esses primeiros relacionamentos ou os tornou
seu modelo, mesmo que não tenham funcionado.
Obviamente, você pode ter tido relacionamentos muito saudáveis com seus pais.
Então, fazer um pouco de liberação sobre eles agora só pode melhorá-los.
Analise qual é o seu sentimento geral sobre seu relacionamento com seus pais e
sobre o relacionamento que eles tinham. Em última análise, isso vem de um desejo de
aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo, você poderia se permitir deixá-lo ir? Observe agora
também se em seus primeiros relacionamentos com seus colegas, seus primeiros
amigos, há algo que você não gosta e que gostaria de mudar.
Sim é assim; Você poderia deixar de lado o desejo de mudar isso
Existe algo mais em seus primeiros relacionamentos com seus colegas que você
gostaria de mudar? Talvez você estivesse se sentindo tímido ou fosse difícil para você
se relacionar com as crianças com o

163

que você envelheceu. Talvez em seus relacionamentos com seus colegas houvesse
algo mais a que agora você resiste? ''
Existe um desejo de aprovação, controle ou segurança sobre isso? De ser
assim; Você poderia deixar isso ir
Aconselho enfaticamente que você continue divulgando sobre o relacionamento com
seus pais, sobre o relacionamento mútuo deles e sobre os relacionamentos que você
teve com seus colegas. É nesses relacionamentos iniciais que a maioria dos padrões
que seguimos em nossa maturidade começou. Se você fizer uma limpeza agora, isso
pode mudar tudo o que constitui sua experiência.

Claire: criando segurança em seu relacionamento

“Muitas pessoas sempre se relacionam com o mesmo cara, mesmo que ele tenha
uma cara diferente”, diz Clara. “Para mim, foi uma projeção do meu pai, uma pessoa
imaginária do passado. Isso sempre apareceu em meus relacionamentos. O Método
Sedona a ajudou muito a esquecê-lo e a se sentir segura quanto a isso. A
conseqüência era que ela poderia realmente começar a estar com o homem com
quem estava realmente, em vez de reagir ao espectro de seu pai. Depois de
abandonar o desejo de aprovação, controle e segurança - e especialmente o desejo
de mudar as coisas como estavam - ele deu um grande salto em frente.
«Hoje tenho um amor que nunca imaginei que pudesse ter, porque nunca soube
perceber o amor que as pessoas sentiam por mim. Meu parceiro e eu usamos o
Método Sedona, que nos ajudou muito em uma série de questões que foram
levantadas inicialmente. Quando pratiquei o esquecimento comigo mesmo e com os
outros, comecei a me amar mais e a não ser uma pessoa autodestrutiva.

Vá do medo para o amor

O medo também é algo que nos retira no campo das relações. Pode ser que tenhamos
medo de compromisso, intimidade ou que nos magoemos. Mas se você cavar um
pouco mais fundo, quando se libertar do medo, verá que é livre para estar totalmente
presente nos relacionamentos que mantém neste momento, ou para encontrar e ter
aquela pessoa perfeita. Lembre-se de que existe uma maneira secreta de se livrar do
medo, um atalho que você pode seguir para liberar o desejo de aprovação, controle e
segurança (consulte o Capítulo 13, "O Segredo da Liberdade do Medo e da
Ansiedade"). Portanto, vamos praticar um pouco de liberação do medo.
O que te assusta e que pode
acontecer, seja neste relacionamento «Tenho seguido outros cursos que me
atual ou no relacionamento ideal? deixaram confuso e. um tanto assustado,
O que você teme nos por outro lado, o Método Sedona fez muito
relacionamentos, ou neste mais por mim do que qualquer um deles.Eu
relacionamento? percebi que estava prejudicando meus
Você poderia deixar de desejar que relacionamentos por causa do meu desejo
isso acontecesse? de controle, meu desejo de aprovação e
Pense em mais do que apenas meu desejo de segurança. Compartilhei o
questões que ocorrem neste curso com um amigo muito querido, que
relacionamento atual ou nos ouviu as fitas e depois fez um retiro de 7
relacionamentos em geral. dias. O crescimento pessoal que
experimentei e o crescimento que
Você poderia abandonar o desejo de testemunhei em meu amigo mudaram
que isso ocorresse? nossa vida. Encontramo-nos cada vez mais
Repita essas perguntas quatro ou unidos e ajudamo-nos ».
cinco vezes, aceitando qualquer —Cheri Paulson, Houston, Texas
medo que surgir e liberando-se dele.
Esta é uma área que você pode
continuar liberando durante o dia.

164

Quando perceber que tem medo de que algo aconteça em seu relacionamento atual,
ou no relacionamento em que está pensando, capte esse medo imediatamente.
Pense se você pode abandonar o desejo de manifestar esse medo.
Peço-lhe que compreenda que o seu medo pode não ser algo que você deseja
conscientemente. Mas, uma vez que os medos subconscientes são como "dívidas"
que você contraiu e que causam o que você teme acontecer, realmente depende de
você deixar de lado qualquer medo que possa sentir em relação aos relacionamentos.

O processo de gostar / não gostar

Vamos dar uma olhada nos vários apegos e aversões que podem travar um certo
relacionamento ou geralmente paralisá-lo e impedi-lo de estabelecer relacionamentos
satisfatórios. Há duas coisas sobre gostos e desgostos para lembrar. Primeiro, solte
alternadamente nas duas partes da equação. Trabalhe no gosto, depois no desgosto
e assim por diante. Em segundo lugar, se você não consegue pensar em nada de que
gosta ou não gosta agora, libere esses sentimentos e siga em frente. Cada par de
gostos e desgostos forma uma camada completa de limitação naquele tópico
específico que você está eliminando.
Então, há algo de que você gosta em um relacionamento, seja aquele que você tem
agora, um do passado ou um que você tenha em perspectiva?
Esse algo desperta um desejo de aprovação, controle ou segurança? Qualquer que
seja o desejo, você poderia se permitir deixá-lo ir?
Pense em algo de que você não gosta em seu relacionamento atual, em um
relacionamento anterior ou que você tenha por antecipação.
Esse algo desperta o desejo de aprovação, controle ou segurança? Qualquer que seja o
desejo, você poderia liberá-lo?
O que você gosta no relacionamento?
Isso tem a ver com o desejo de aprovação, controle ou segurança? Você poderia se
permitir deixar isso ir?
O que você não gosta no relacionamento?
Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança? Você
poderia se permitir deixar isso ir?
Repita as perguntas acima mais quatro ou cinco vezes, continuando a liberar ao fazer
isso. Esse processo é uma ótima maneira de remover os apegos e as aversões que o
impedem de ter um relacionamento ideal.

Aceite as coisas como elas são

Como eu já disse, aceitar seu parceiro simplesmente como ele (seu parceiro) é o
ajudará a se abrir para o amor que você está procurando.
Você poderia se permitir apenas aceitar seu relacionamento atual, se tiver um? Você
pode aceitar o que aconteceu no passado e também o que pode acontecer no futuro?
Você poderia se permitir aceitar as coisas como elas são agora? Apenas deixá-los estar
lá?
A fonte mais dinâmica para criar qualquer coisa que você queira na vida é a sensação
de que tudo está bem como está agora. Isso não significa que você não possa
escolher algo diferente quando a oportunidade for oferecida a você. Mas saber
aceitar, admitir ou permitir o que está neste momento dá a você um enorme poder de
mudar a energia do seu relacionamento, tanto para se apaixonar pela realidade como
ela é, quanto para se abrir para um relacionamento ainda mais positivo.
Então, você poderia se permitir aceitar o que está em seu relacionamento agora?
Você poderia simplesmente deixar como está?

165
Saber que está tudo bem como está: neste conhecimento está a possibilidade de
algo ainda melhor.
Você poderia se permitir relaxar agora, sabendo que está tudo bem?
Quando você relaxa e apenas vive o momento, não apenas se sente melhor, mas
também está em uma posição melhor para abordar um relacionamento. Tenho
certeza de que você notou que as pessoas com quem gosta de estar são quietas por
dentro. Eles não são rígidos ou nervosos. Quanto mais você souber como relaxar e
ser autêntico em todos os momentos do dia, mais aprimorará seus relacionamentos.
Estar relaxado e calmo é algo natural, algo que você sempre encontrará no final de
cada exercício de liberação que fizer.
Reserve um momento para observar como seu bem-estar em relação aos
relacionamentos aumenta agora do que há alguns minutos, e como você se sentirá
melhor em relação a qualquer relacionamento em particular no qual esteja
trabalhando.

O procedimento de limpeza

O Procedimento de Limpeza é uma das ferramentas mais poderosas que conheço


para melhorar os relacionamentos. Pode ajudá-lo a transformar até mesmo as
situações mais difíceis, devolvendo-o a uma situação equilibrada no amor.
Modifiquei o processo que se segue ao processo que delineei no Capítulo 11, adicionando
um quarto conjunto de perguntas sobre separação. Estão. projetado especificamente para
ajudá-lo a se tornar mais íntimo das pessoas que você ama. Ao trabalhar com eles, você
precisa se lembrar de algumas coisas. Primeiro, aceite os sentimentos que surgem em sua
consciência quando ele lhe faz perguntas como: Esta pessoa estava tentando controlar você?
Observe que o sentimento de querer o controle simplesmente se dissolve quando é aceito.
Em segundo lugar, a terceira pergunta em cada série é apenas uma decisão. Terceiro, você
pratica a liberação por si mesmo. Você não faz isso pelo seu parceiro ou por quem quer que
seja. O Procedimento de Limpeza é uma ferramenta que ajuda você a conseguir a liberdade
que deseja no seu relacionamento.
Comece acomodando-se e concentrando-se em si mesmo. Pense em uma pessoa
para limpar. Pode ser alguém com quem você está atualmente se relacionando,
alguém do passado, um parceiro em potencial ou mesmo seu pai ou mãe. Como
disse no Capítulo 11, uma das maneiras que mais ajudei no desenvolvimento de
minha liberdade foi aplicando o Processo de Limpeza a minha mãe. Tínhamos um
relacionamento muito bom na época, mas não era nada para escrever. Quando
apliquei esse processo a minha mãe, não apenas mudei meu relacionamento com ela
e com todos os outros, mas também mudei meu relacionamento com o que sentia
por mim mesmo.
Então, pense na pessoa com quem você gostaria de praticar a libertação agora,
alguém com quem gostaria de melhorar seu relacionamento. Ou, se você não está em
um relacionamento agora, limpe um relacionamento do passado. Imagine essa
pessoa. Observe-o com os olhos da mente, usando seus sentidos dominantes. Você
pode sentir, ver ou talvez ouvir uma história sobre isso.
Essa pessoa tentou controlar você?
De ser assim; Você poderia deixar de lado o desejo de controlá-la agora? Você tentou
controlar essa pessoa?
De ser assim; Você poderia agora deixar de lado o desejo de controlá-la? Repita as
perguntas quantas vezes forem necessárias e, quando estiver pronto, passe para a
terceira pergunta desta série: Você poderia dar a essa pessoa o direito de ser quem ela
é? Você poderia fazê-lo?
Você daria a essa pessoa o direito de ser quem ela é? Você dá a essa pessoa o direito
de ser quem ela é? Lembre-se de que agora é apenas uma decisão. É a liberdade de
escolha.
Você não gostou ou desaprovou algo sobre essa pessoa?

166

De ser assim; Você poderia abandonar a atitude de negar o amor dela? Essa pessoa não
gostou ou desaprovou algo em você? De ser assim; Você poderia deixar de lado o
desejo de eu aprová-lo?
Repita as perguntas de aprovação acima quantas vezes forem necessárias. Então,
quando estiver pronto, passe para a terceira pergunta: Você poderia simplesmente ter
sentimentos de amor ou aceitação por essa pessoa? Você poderia?
Você se permitiria aceitar ou amar? Lembre-se mais uma vez de que esta é uma
decisão.
Neste momento, você tem apenas sentimentos de amor por essa
pessoa? Se a resposta for sim, vá em frente.
Essa pessoa desafiou você, enfrentou você ou ameaçou você?
Tal circunstância desperta em você um sentimento de segurança ou sobrevivência?
Se for assim, tente abandoná-lo.
Você desafiou essa pessoa, confrontou-a ou ameaçou-a?
Sim é assim; Você poderia abandonar o desejo de desafiá-la, confrontá-la ou
ameaçá-la? Essa pessoa desafiou você, enfrentou você ou ameaçou você?
De ser assim; Você poderia abandonar o desejo de segurança ou sobrevivência que tal
circunstância pode ter despertado?
Você desafiou essa pessoa, confrontou-a ou ameaçou-a? Em caso
afirmativo, você poderia abandonar o desejo de se proteger dessa forma?
Repita essas perguntas quantas vezes forem necessárias. Quando estiver pronto,
passe para a terceira pergunta da série: Você poderia se permitir ter apenas uma
sensação de bem-estar, uma sensação de segurança e confiança com essa pessoa?
Você poderia fazê-lo?
Você se permitiria ter apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança com
essa pessoa?
Agora você tem apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança com essa
pessoa?
Se a resposta a esta pergunta for 'sim', prossiga.
Essa pessoa o rejeitou, se afastou de você, o marginalizou ou de alguma forma tentou
se separar de você?
De ser assim; Você poderia deixar de lado o desejo de se juntar a ela
Você rejeitou essa pessoa, se distanciou dela, marginalizou-a ou tentou se separar dela
de alguma forma?
De ser assim; Você poderia deixar de lado a rejeição dela e o desejo de se separar?
Repita essas perguntas quantas vezes forem necessárias. Quando estiver pronto,
passe para a terceira pergunta da série: Você poderia agora se permitir ter um
sentimento de unidade com essa pessoa, um sentimento de "você sou eu"? Você
poderia fazê-lo?
Você se permitiria ter apenas um sentimento de unidade, um sentimento de "você sou
eu" com essa pessoa?
Você apenas tem um sentimento de unidade, um sentimento de "você sou eu" com essa
pessoa?
Lembre-se de que é apenas uma escolha. Se a resposta for "sim", você pode
descansar. Se você não tiver certeza, pratique a liberação um pouco mais antes de
concluir.

Vantagens e Desvantagens

O processo de prós / contras é outra ótima maneira de desencadear seus


relacionamentos. Use esta técnica se:
• você mantém um relacionamento feliz com seu parceiro, e com isso você pode se sentir melhor;
• você tem a possibilidade de um relacionamento, mas não tem certeza se deve ou
não estabelecer um;

167

• você quer se decidir sobre um relacionamento antigo.

Vamos trabalhar agora com algumas vantagens e desvantagens. Para começar,


concentre-se em um relacionamento atual, um relacionamento passado ou a
possibilidade de ter o relacionamento ideal. Pergunte a si mesmo: que vantagem esse
relacionamento oferece a você?
Existe no fundo um sentimento de desejo de aprovação, controle ou segurança /
sobrevivência?
Qualquer que seja o desejo, você poderia liberá-lo?
Que inconveniência esse relacionamento lhe traz?
Existe um sentimento de desejo de aprovação, controle ou segurança /
sobrevivência? Qualquer que seja o desejo, você poderia liberá-lo?
Que vantagem você acha de que o relacionamento é como é?
Isso desperta o desejo de aprovação, controle ou segurança? Você poderia deixar isso ir
Que inconveniência você acha que o relacionamento é como é? Isso desperta o desejo
de aprovação, controle ou segurança? Você poderia liberá-lo?
Repita esta série de perguntas e lançamentos pelo menos nove vezes antes de parar,
para transcender as respostas óbvias e descobrir novas ideias. Então, aconselho você
a continuar trabalhando com o Processo de Vantagens / Desvantagens. Ele
realmente tem o poder de transformar qualquer aspecto de um relacionamento em
que você se sinta preso ou queira se sentir mais livre.

O paradigma de unidade / separação

O desejo de ser separado e seu oposto, o desejo de ser um, são muito importantes no
campo dos relacionamentos. A razão é que em um relacionamento geralmente há
uma pessoa que sempre quer ser próxima«O grande dom do Método é que o tenho
o link e outro que deseja liberá-lo. Às sempre à mão. Vivo mais no presente do
vezes, os casais chegam a um acordo, que nunca. Descobri que meus desejos
mas qualquer que seja sua atitude a são principalmente sobre aprovação e
esse respeito, você pode liberar. Você segurança, um resquício de minha
pode abrir mão do desejo de ser mais infância. Ser capaz de abandonar isso foi
íntimo e, como resultado, sentir-se uma coisa magnífica. Eu melhorei minha
mais unido. Você pode abandonar o vida sexual, porque não tenho que fingir
desejo de se separar e descobrirá que nada. Tudo é muito melhor. Vale a pena
também se sente confortável dessa pagar as taxas de admissão. Minha
forma. esposa está feliz e eu não sabia por quê.
Veja se há algum desejo em seus É como a luz cegante do óbvio.
relacionamentos de ser um ou de se —RF, Califórnia
separar. Você descobrirá que a
liberação constante neste tópico
muda positivamente seus
relacionamentos.

William: nada parece mais tão sério

William e sua esposa estão juntos há seis anos e, como ele brinca: "Parece que somos
bons em brigas". Antes de descobrir o Método Sedona, eles costumavam exaurir suas
forças em absurdos e situações que duravam dias ou até semanas. Eles estavam
obcecados e não viram o que estava acontecendo. Porém, quanto mais eles se
libertavam, melhor podiam reconhecer que eram como duas crianças brincando de
estar com raiva, chateadas e não querendo saber nada um do outro. Assim que ambos
perceberam, nas poucas vezes em que começaram uma discussão, eles
imediatamente desataram a rir. A luta parecia ridícula para eles.
“No último retiro de 7 dias que participamos, íamos sair do hotel certa manhã para ir
ao curso e começamos a discutir”, explica William. «Durante a viagem, nós dois
chegamos simultaneamente ao ponto onde quase saímos de lado

168

nosso corpo para observar a pessoa (nós) que participou da discussão. Naquele
momento, eles começaram a rir alto.
"Não há nada tão sério", diz William. "Todas as coisas que costumavam ser a causa
de lutas tempestuosas que duravam horas, dias e semanas, não têm mais o mesmo
efeito."

Imagine seu relacionamento ideal

Acomode-se e comece a pensar sobre como é seu relacionamento ideal. Lembre-se


de que, ao "visualizar" algo, da melhor maneira possível, você deve usar todos os seus
sentidos. Combine imagens mentais com sensações físicas e sons, e até mesmo
adicione odores se isso melhorar sua imaginação.
Então, como seria o relacionamento que você tem agora se fosse perfeito? Ou qual seria
o seu relacionamento ideal em geral? Permita-se imaginar como é, aplicando o
máximo de sentidos que puder a essa imaginação.
Como é o seu relacionamento ideal, como se sente e como soa? Existe algo dentro de
você que diz: "Não, você não pode ou não deveria ter isso" ou "Você não tem isso?
Isso vem de um desejo de aprovação, controle ou segurança / sobrevivência?
Seja qual for o desejo, você poderia deixá-lo ir?
Reimagine seu relacionamento ideal aqui e agora. Como é, como se sente e como
soa? Use todos os seus sentidos. Torne a imagem o mais viva possível. Desta vez,
preste atenção a quaisquer ideias, pensamentos ou crenças que digam: "Você não
pode ter isso" ou "Você não deve ter isso" ou "Você nunca terá isso" ou "Não é
possível".
Esse pensamento origina-se de um desejo de aprovação, controle ou
segurança? Você poderia liberá-lo?
Agora imagine seu relacionamento ideal novamente. Você poderia simplesmente
deixar isso existir? Saber que está tudo bem ter uma relação ideal e, ao mesmo
tempo, aceitar a relação como ela é no momento. Que seja aqui e agora.
Se você sentir algum escrúpulo em ter o relacionamento ideal, poderia liberá-lo e
saber que agora está bem?
Além da visualização, você também achará útil aplicar o Processo de Metas a
aspectos de seu relacionamento (consulte o Capítulo 8).

Liberar melhora todos os tipos de relacionamento

As técnicas que você acabou de ver aplicadas aos relacionamentos amorosos neste
capítulo são igualmente úteis quando aplicadas a filhos, pais, amigos, colegas de
trabalho e qualquer outra pessoa. Pense em como você poderia começar a incorporar
essas formas de liberação em todas as suas interações. Prometo que todo
relacionamento, inclusive o que você mantém com você, vai melhorar muito e se
tornar uma fonte de alegria e tranquilidade.

169

18

Cheio de saúde
Em meados da década de 1970, quando o Método Sedona começou a ser ensinado,
não era comum reconhecer que os sentimentos reprimidos e o estresse agravam ou
causam diretamente a doença. Hoje, a relação mente-corpo é tão amplamente aceita
pelos profissionais médicos que muitos tratamentos incluem um alto grau de suporte
emocional. Meus parceiros e eu nunca tentaremos tratar, diagnosticar, curar ou
mesmo aconselhar as pessoas sobre seu estado de saúde específico, mas
desenvolver uma saúde radiante e melhorar o condicionamento físico é um dos
benefícios mais comentados para quem usa o Método Sedona.
A maior parte, senão todo, o sofrimento que acompanha as doenças físicas deriva de
nossas reações emocionais às experiências de nosso corpo. Por exemplo, você já
sentiu dor física e observou que, em um ponto, ela não o afetava, mas, em
circunstâncias semelhantes e em outro momento, o mesmo tipo e quantidade de dor
causava mais desconforto? Se você for como a maioria de nós, certamente dirá que
sim. Por que isso está acontecendo? A doença é um "desconforto".
Muitas vezes não nos sentimos confortáveis dentro do corpo. Fazemos julgamentos sobre
um determinado problema físico que nos é apresentado. Talvez tenhamos até ouvido alguém
dizer que somos nós que de alguma forma causamos este problema, com o que
interpretamos que é gerado de forma pessoal. Ou talvez pensemos que somos punidos por
"mau comportamento". Dessa forma, causamos a nós mesmos sofrimentos desnecessários
com base na situação do corpo.
Existe uma expressão agridoce que explica o tipo de crença de que estamos falando:
"Em certo sentido, morrer é uma coisa nobre ... mas Deus nos livre de ficarmos
doentes." A doença indica que alguém falhou de uma forma ou de outra.
Eu não compartilho essas idéias.
Também os corpos de santos, sábios e pessoas emocionalmente saudáveis adoecem e
morrem. Então, por que tornar as coisas tão difíceis para nós? Se você sofre de uma doença,
não a agrave pensando em como você está infeliz por viver em tal situação. É verdade que,
devido à ligação entre a mente e o corpo, quanto mais saudável for emocionalmente, menor
será a probabilidade de sofrer doenças no corpo. No entanto, não há garantia de que a
aptidão emocional melhore a aptidão. Às vezes, a dor física pode ser aliviada com o Método
Sedona e, neste capítulo, discutiremos várias maneiras de fazer isso. No entanto, mesmo
quando a dor ou outros sintomas persistem, é sempre possível liberar nossas reações
emocionais a eles e, assim, aliviar o sofrimento.
Este capítulo, que é um minicurso sobre bem-estar físico, está dividido em duas
seções principais: a primeira apresenta um processo de cinco etapas para lidar com a
doença e o desconforto; a segunda explica como utilizar técnicas como Gostos / Não
Gostos, Vantagens / Desvantagens, Procedimento de Limpeza e Visualização, para
liberar no que diz respeito à saúde geral e ao corpo.
Se você está seguindo qualquer tratamento para uma doença física, por favor, não mude sem
primeiro consultar o médico ou terapeuta que o prescreveu. Os processos descritos aqui têm
como objetivo apenas oferecer suporte emocional. Além disso, se você acha que pode estar
em uma condição física que requer assistência

170

profissional, é importante que você vá ao médico antes de começar a trabalhar com o


material que segue.
Com isso dito, vamos prosseguir.

Cinco etapas para lidar com a


doença e o desconforto

O processo de cinco etapas é útil para liberar tópicos como doença, lesão, aparência
física e perda de peso, para citar apenas alguns. Na verdade, essas etapas são
eficazes com praticamente qualquer coisa que você considere um problema. Como
eu disse no Capítulo 13, você também pode adaptar essas etapas com muita
facilidade e eficácia para tratar condições psicológicas para as quais possa estar sob
tratamento clínico, por exemplo, depressão, ataques de pânico, transtorno bipolar, etc.
As técnicas são integrativas e seu objetivo é ajudá-lo a amar e aceitar-se como o todo
de seu corpo, mente e espírito, seja o que for que você "tenha".

1. Considere a possibilidade de cura

Como eu disse, o Método Sedona não promete curar nenhuma doença física. Com
essa advertência, você deve estar o mais aberto possível para a possibilidade de que
mudar seus pensamentos e emoções pode produzir mudanças positivas no reino
físico. São resultados bem documentados. Em outras palavras: para mudar seu
corpo, mude sua mente. Em nossas aulas, antes de começar a trabalhar com alguém
em um problema físico, a primeira coisa que faço é verificar se eles contemplam essa
possibilidade ou têm alguma dúvida a respeito.
Faça o mesmo agora. Dedique alguns minutos para olhar para dentro de si e veja se
você está aberto à possibilidade de que liberar suas emoções melhore sua saúde
física. Se você for, ótimo! Continue lendo. Se você não está - se você guarda algum
tipo de dúvida em sua mente - analise-se novamente para determinar de que desejo
vem essa dúvida (aprovação, controle ou segurança). Então libere esse desejo.
Acredite ou não, esta etapa pode ter um grande impacto em seu processo de
liberação, porque corta a resistência como uma faca quente atravessa a manteiga.
Tenho visto pessoas se libertarem de questões arraigadas bem no processo de
aceitar que isso era possível.

2. Ame-se como você é

Quando perceber que está angustiado por sofrer um certo problema físico, faça um
breve exercício.
Primeiro, olhe para a reprovação e pergunte-se:
Você poderia abandonar a atitude de desaprovação? Em seguida, libere a
desaprovação que você faz de si mesmo da melhor maneira possível. Continue até
liberar a reprovação. Em seguida, dê um passo adiante no processo e conceda a si
mesmo aprovação sem motivo.
Quando você perceber que desaprova aquela parte do seu corpo que o deixa inquieto,
pergunte-se: poderia deixar de lado minha desaprovação de _______ (a parte de
corpo)? Depois, acaricie aquela parte do corpo com todo o carinho que você é capaz
de ter naquele momento. Essa técnica simples faz maravilhas, garanto a você.
Quanto mais você abandonar a desaprovação de si mesmo e do seu corpo e quanto mais se
acostumar a se conceder aprovação sem motivo, mais feliz e mais vivo você se sentirá, o que
também o ajudará decisivamente em qualquer processo de cura.

171

3. Pare de se perguntar por quê e alcance sabedoria

Muitas vezes, um problema físico persiste porque nos perdemos tentando descobrir
por que temos esse problema ou o que é. Como já mencionei, a única razão pela qual
realmente queremos saber o porquê de qualquer tipo de problema é porque
antecipamos que o sofreremos novamente no futuro. O futuro pode ser amanhã, na
próxima semana ou daqui a cinco minutos. Sofremos menos quando deixamos de
lado essa antecipação de infortúnios futuros.

Não estou dizendo, é claro, para ignorar


um estado de saúde. Se você tiver “Desde que comecei a praticar o Método
algum problema que requeira atenção Sedona, há dois anos e meio, minhas
médica, peço que procure o mais rápido ideias sobre saúde e cuidados com a
possível. saúde mudaram completamente. Eu
Permita-se ir além da obsessão com costumava sofrer de alergias e muito
sua condição física e, para isso, estresse nas costas e no pescoço, tudo
pergunte-se: Você prefere entender por isso melhorado com o uso diário do
que está doente ou apenas se sentir Método. Quase nunca fico resfriado,
melhor? Se você preferir "apenas se embora sempre seja exposto a vírus.
sentir melhor", deixe de lado a vontade Nossa saúde é realmente um reflexo de
de descobrir por quê. Deixe os nossa consciência. No processo de
liberação, estou desaprendendo tudo que
especialistas fazerem isso. aprendi e retornando à verdadeira
Algumas pessoas têm medo dos essência do que é saúde: retornar à nossa
médicos e outras relutam em pedir própria natureza autêntica.
qualquer tipo de ajuda, situações que
podem impedir o atendimento médico —Clara.Hsu, Santa Monica
adequado. (Califórnia)
Se você tem medo de médicos ou
tratamento médico, você pode liberar
em
Nesse sentido, perguntando-se: Como me sinto em relação a médicos, hospitais e
procedimentos médicos? Aceite quaisquer pensamentos, sentimentos ou imagens
que surjam em sua consciência em resposta a essa pergunta.
Em seguida, pergunte-se: isso vem de um desejo de aprovação, de controle ou de
segurança e sobrevivência?
Seja qual for o desejo, pergunte-se: eu poderia deixar para lá?
Repita todas essas perguntas até se sentir mais à vontade sobre médicos, hospitais,
procedimentos médicos e ajuda em geral. Isso, por si só, pode promover a cura e
promover uma melhor comunicação entre você e seus médicos e outras pessoas que
cuidam de você.

4. Supere o diagnóstico

Outra área em que as pessoas geralmente ficam paralisadas ao trabalhar em um


problema físico ou psicológico (veja o Capítulo 13) é no próprio diagnóstico. Quando
ouvimos um especialista dizer qual é o nosso diagnóstico, por exemplo, câncer,
problemas cardíacos ou um transtorno de ansiedade, para citar alguns, esses
diagnósticos podem se tornar previsões que carregam sua própria realização. Afinal,
contratamos profissionais para nos dar a opinião sobre o que acontece com a gente e
o que fazer a respeito, então é compreensível que aceitemos o que eles falam, né?
Recomendo que você siga o conselho do seu médico, mas ao mesmo tempo esteja aberto à
possibilidade de que sua condição possa mudar para melhor, além do que seu médico pode
fazer por você. Para muitos, o diagnóstico pode se tornar uma obsessão. Portanto, usamos
nossa expectativa de sintomas recorrentes como um mantra para uma nova meditação
baseada no medo.

172
Uma excelente maneira de facilitar a liberação de nossas expectativas de problemas
e sofrimentos futuros é considerar o problema como uma memória, como expliquei
no Capítulo 12 ("Resumo", ver p. 246). Este é o processo:
Primeiro pergunte a si mesmo: Posso me lembrar que costumava pensar que tinha
_______ (seu diagnóstico)?
A pergunta pode mudar sua consciência e fazer você rir. Pode causar cócegas
internas, ou pode simplesmente abrir em sua consciência a possibilidade de que
"Sim, até isso é apenas uma lembrança".
Em seguida, pergunte-se: eu gostaria de mudar essa circunstância do meu passado?
Se a resposta for "sim", pergunte-se: eu poderia deixar de lado o desejo de mudar essa
circunstância do passado? E libere o melhor que você conhece.
Mesmo se a resposta for "não", passe para a próxima etapa.
A última pergunta desta série é: Será que posso deixar de lado o desejo de acreditar que tenho
_______ (seu diagnóstico)?
Em seguida, faça tudo o que puder para abandonar essa crença.
Verifique seus sentimentos novamente. Se AGORA você ainda está se agarrando um
pouco à memória do problema, repita as etapas desde o início até que possa se
soltar totalmente.
Conforme você trabalha mais e mais sob essa perspectiva, ficará mais fácil para você
se livrar até mesmo do que antes parecia ser questões físicas ou emocionais
imutáveis.

5. Deixe de lado sua dor e seus sintomas físicos

Depois de concluir as quatro primeiras etapas para aliviar seu sofrimento (você
contemplou a possibilidade de que o problema mudará, você se concedeu a
aprovação, liberou o desejo de entender qual é o seu estado e liberou a atitude de
acreditar na sua doença ou desconforto), pode não haver mais nada a fazer. Mas,
para o caso de haver algo sobrando e para que você saiba como lidar com qualquer
problema que surja no futuro, vamos discutir duas maneiras simples de trabalhar
diretamente nos sintomas.
A primeira maneira eficaz de trabalhar um sintoma físico é usar o processo básico do
Método. Primeiro, veja como você se sente por ter esse problema específico.
Em seguida, veja se o sentimento vem de um desejo de aprovação, controle ou
segurança. Por último, permita-se deixar isso ir. Muitas vezes, são nossos sentimentos
em relação aos sintomas que os tornam inamovíveis. Como você já descobriu, são
também os sentimentos em relação aos nossos sintomas (o estado do corpo) que
nos fazem sofrer. Portanto, mesmo que um sintoma ou dor persista depois de liberá-
los, por dentro você se sente muito melhor.
Outra maneira muito boa de se livrar de um sintoma físico é alternar entre senti-lo em toda a
sua plenitude e depois sentir o vazio ou o espaço que o cerca e penetra. Já vi pessoas
aliviarem até mesmo os sintomas mais intensos e persistentes apenas praticando este
exercício. Em um retiro de sete dias, um homem que havia tomado morfina por dois anos
para aliviar fortes dores nas costas acabou com ele após alguns minutos - não mais que
cinco ou seis - desse tipo de liberação.
Assim como acontece com a aceitação de nossas emoções, estar disposto a sentir
um sintoma tanto quanto se sente pode nos trazer muito alívio. Parte da razão pela
qual nossos sintomas persistem e parecem aumentar é que resistimos a tê-los.
Aceitar nossos sentimentos e sensações é sempre um bom primeiro passo. Então,
podemos avançar um pouco mais no processo, tornando-nos conscientes da calma
subjacente que torna possíveis todas as experiências positivas ou negativas. Ao
reconhecer essa amplitude oculta, tendemos a eliminar todas as emoções e sintomas
que aparecem na superfície de nossa consciência.

173

Assim, basta que você alterne entre aceitar as sensações associadas ao seu sintoma,
e o sentimento e o reconhecimento do espaço que o cerca e penetra em seu interior.
Ao fazer isso, você verá a dor e outros sintomas desaparecerem rapidamente e sem
esforço.

Duque: liberdade para buscar compaixão

Antes de descobrir o Método Sedona, Duke sofria de síndrome da fadiga crônica há


seis anos. O principal sintoma de sua doença, além do cansaço profundo, era uma
dor quase permanente nos braços, pés e pernas. Como você pode imaginar, ele
tomava muitos analgésicos naquela época, mas havia pouca coisa que os remédios
pudessem fazer para aliviá-lo. Ela ficou animada ao saber que o Método certamente
poderia diminuir sua dor.
“Depois de fazer o Curso Básico, toda vez que repetia uma dor, eu liberava”, diz Duke.
“Eu me sentava, me concentrava na própria dor e passava pelo processo de deixá-la
estar lá primeiro. Então ele o soltou. Antes, resistir automaticamente à dor e tentar
me livrar dela sempre me deixava desapontado. Hoje, simplesmente deixar a dor
estar presente geralmente tem o efeito de reduzi-la, e às vezes eu libero a sensação
de dor instantaneamente.
Depois de um ano ou mais, grande parte da dor de Duke havia melhorado, mas ele ainda não
estava se sentindo tão bem quanto esperava. Um dia ele me ligou enquanto tomava um
banho quente, e eu o orientava desde o início, com a pergunta libertadora: você poderia se
permitir abrir mão da vontade de ter a doença? Essa sessão teve um impacto profundo sobre
ele. Nas suas palavras: «Foi uma viragem importante para mim. Percebi que, por algum
motivo e em um nível profundo, devo ter desejado a doença. Talvez fosse para atrair a
atenção e despertar a compaixão, ou provavelmente para se livrar do trabalho. Não sei
exatamente por que, e isso realmente não importa. O que importa é que percebi uma melhora
imediata em muitos aspectos da minha doença. Foi uma experiência incrível.

Libere sua saúde e bem-estar geral

Tendo discutido as formas específicas de trabalhar com problemas físicos, vamos começar
a falar um pouco sobre nossa saúde e bem-estar geral. Essas técnicas, que são aplicações
dos princípios que discutimos na Parte Um deste livro, podem ser usadas para aumentar a
auto-estima, aceitar os sinais de mudança que acompanham o processo de envelhecimento
e para encorajá-lo quando você segue um programa de perda de peso. ou desintoxicação,
bem como para tratar sintomas de doenças e dores. A liberação no corpo beneficia a todos.

Aceite as coisas como elas são

Simplesmente aceitar o corpo como ele é pode estimular sua capacidade de cura;
ajuda você a se sentir bem agora, independentemente do que o corpo faça ou deixe
de fazer. Leia as perguntas a seguir silenciosamente ou peça a um parceiro que faça
a pergunta.
Veja se, neste exato momento, você pode permitir totalmente que seu corpo seja
como é.

Você poderia aceitar isso, deixe ser como é?


Você poderia relaxar ainda mais com o sentimento de aceitação ou de permitir que seu corpo
seja como é? Afinal, neste momento o corpo é o que é. Opor-se, querer mudá-lo, ou qualquer
outro sentimento contrário ao que é, só faz

174

você se sente pior. Portanto, faça o possível para deixar seu corpo ser o que é. Aceite-
o como ele é e aceite quaisquer sentimentos que ele desperte em você.
Agora, você poderia insistir mais nisso?
Há algo sobre a aparência do seu corpo ou como você se opõe?
Por enquanto, você poderia abandonar essa resistência e deixar o corpo ser como é? É
como está agora. Sua resistência e seu desejo de mudar não ajudam em nada.
Portanto, você poderia aceitar o corpo como ele é?
Você poderia relaxar com a sensação de aceitação?
Um pouco mais?
E um pouco mais?
Experimente a aceitação das coisas como elas são. Mesmo que você esteja
liberando algo em seu corpo de que não gosta profundamente, por exemplo, uma
doença grave ou um defeito físico, sua sensação de querer mudar ou de resistência
só faz você se sentir pior. Se você permitir que o corpo seja do jeito que está, mesmo
que por um breve momento, você se sentirá muito melhor, conforme a possibilidade
de mudança se abrir.

Vá além de seus pais

Como já disse, desde muito cedo tomamos como modelo os nossos pais, quer
copiando directamente o que fazem, quer resistindo ao seu modo de ser. Ambas as
atitudes influenciam decisivamente nossa maneira de encarar a vida e pensar.
Portanto, libertar-se de nossos pais é uma ferramenta poderosa para cultivar a paz no
corpo.
Comece focalizando seu pai, sua mãe ou ambos. Quais eram seus sentimentos gerais
sobre seu corpo e sua aparência, e também sobre seu corpo e sua aparência?
Há algo que você gostaria de mudar?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Descubra algo mais sobre a atitude de seus pais em relação ao corpo deles, ou a
atitude deles em relação ao seu, que você gostaria de mudar.
Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Repita esta série de perguntas mais algumas vezes antes de continuar.
Há algo na atitude de seus pais em relação ao corpo deles ou ao seu que você
resiste? Você poderia largar essa resistência?
Descubra outra coisa na atitude de seus pais em relação ao corpo deles ou ao seu
que você resista.
Você poderia permitir que essa resistência desapareça?
Seu pai, sua mãe ou ambos acharam que você estava muito gordo, com problemas de saúde ou
desconfortável com seu corpo? Você vê claramente que adotou essa crença sobre si mesmo
sem querer, ou que vive se opondo a ela?
Em qualquer caso, analise se você gostaria de mudar essa
realidade. Você poderia abandonar o desejo de mudar isso?
Encontre algo mais no corpo dos seus pais, na relação que eles tiveram com ele ou
com o seu corpo, que te incomode, que você não goste e que queira mudar. Então,
você poderia abandonar o desejo de mudar tudo isso?
Existe algo mais no relacionamento ou com seus pais com o próprio corpo ou o seu que
você resiste?
Você poderia largar essa resistência? Existe algo na atitude de seus pais em relação ao
corpo deles, ou na atitude deles em relação ao seu, que você inconscientemente
assumiu como sendo seu?
Se não for algo de que você goste, veja se deseja mudar. Então você poderia abandonar
o desejo de mudar isso?

175

Analise se há algo mais na atitude de seus pais em relação ao corpo deles ou ao seu
que você assumiu como seu.
Você gostaria de mudar o fato de que você o assumiu? Você
poderia deixar de lado o desejo de mudança que você assumiu?
Existe algo em sua atitude em relação
ao seu corpo que você gostaria de
" .Entre o que consegui é uma maior paz mudar? Você poderia abandonar o
de espírito. A pressão arterial atingiu desejo de mudar isso?
níveis normais. Sinto-me mais confortável Há algo mais em seu corpo que você
comigo mesmo; Não rejeito meu jeito de gostaria de mudar? Se sim, você poderia
ser. Vejo que sempre que meus abandonar o desejo de mudar isso?
pensamentos negativos começam, uso o Lembre-se de que não há nada de
Método. Estou mais focado e minha errado em tomar as medidas
concentração está aumentando adequadas. No entanto, o desejo de
gradualmente. Também estou trabalhando mudar a forma como o corpo é pode
para liberar minha apnéia do sono. Os nos imobilizar e nos impedir de fazer o
métodos físicos que tentei não que precisa ser feito. Às vezes, não
funcionaram. Sei de alguma forma que podemos fazer nada sobre o corpo, e
devo liberar o que me faz parar de respirarquerer mudá-lo não faz nada além
enquanto durmo » nos causar sofrimento desnecessário.
—Dr. Michael Shapiro, Bronx
Por exemplo, somos obcecados em
(Nova York)
envelhecer. Mas isso é o que acontece
com todos os corpos.
Abandonar as atitudes que adotamos de nossos pais em relação à saúde e à
aparência é um bom ponto de partida para a liberação no corpo. Eu recomendo
fortemente que você libere esse tópico regularmente por algumas semanas ou
sempre que tiver a chance de fazê-lo. Cada vez que o fizer, você revelará e liberará
camadas mais profundas de limitação.

Vá além dos medos que te deixam doente

Como vimos no Capítulo 13, "O segredo da liberdade do medo e da ansiedade"


Na verdade , subconscientemente, queremos as coisas que tememos que nos
aconteçam. Não conscientemente, é claro. Quando liberamos um certo medo, o
abandonamos como uma possibilidade em nossa consciência. Consequentemente,
criamos uma imagem melhor de nossa vida e nos sentimos muito melhor, mais
relaxados e confortáveis com nosso corpo.
O que se segue é um processo de liberação de medos relacionados ao corpo: Quais
são alguns dos seus medos sobre o seu corpo, seu estado ou o estado em que ele pode
estar? O que você realmente tem medo de acontecer?
Você poderia deixar de desejar que isso acontecesse?
Encontre algo mais que o assuste em relação ao seu corpo. Você tem medo de que,
quando envelhecer, apareçam rugas, ou que você engorde ou adoeça? Qualquer que
seja o medo que você sinta, permita que uma imagem desse medo aninhe-se em sua
consciência para que você possa liberá-lo. Aceite realmente o que você teme que
possa acontecer.
Você poderia deixar de desejar que isso acontecesse?
Procure algo diferente dos temas que acontecem ao seu corpo, algo que você
conscientemente espera que não aconteça.
Você tem medo de se
machucar? Você tem medo
de cair?
Você tem medo de alguma doença?
Seja o que for: você poderia abrir mão do desejo de que
isso acontecesse? O que mais você tem medo que
possa acontecer com seu corpo? Você poderia deixar de
desejar que isso acontecesse?

176

Repita essa série de perguntas quantas vezes forem necessárias para amenizar seus
medos. Lembre-se de que você sempre pode liberar o medo dessa forma. Ou você
pode verificar se por trás desses medos há um desejo de aprovação, controle ou
segurança, e se livrar desse desejo. Qualquer uma das técnicas é uma ótima maneira
de liberar o medo.

George: amo o corpo em


qualquer estado em que você está

Quatro anos atrás, George percebeu que sua próstata estava um pouco inchada e ele
foi ao médico. Enquanto o último o examinava, ele parecia preocupado e decidiu fazer
algumas análises, então a mente de George imediatamente imaginou o pior. Câncer
de próstata. Mas eu só tenho 37 anos! Ela estava feliz por ter o Método Sedona e ser
capaz de usá-lo para lidar com o medo.
“Podemos reagir de várias maneiras ao que acontece ao nosso corpo, e as idéias
sobre o que o corpo pode ou não fazer estão relacionadas aos nossos sentimentos”,
diz ele. «Quando ia fazer os testes, estava continuamente a libertar. Ele fez isso sobre
o medo de morrer e o medo de ficar doente. Houve ondas de medo. Quando cheguei
em casa, continuei a liberar e me concentrei em enviar amor e apreço a essa parte do
meu corpo.
Os exames de sangue de George mostraram que ele estava bem. Quando, alguns meses
depois, ele fez outros acompanhamentos, o médico disse-lhe que tudo estava perfeitamente
normal. “Desde então, meus sintomas às vezes reaparecem, e quando isso acontece, eu
apenas dou uma folga. O desapego me ajudou a não fazer com que minha saúde parecesse
estranha aos meus sentimentos, e acho que melhorei minha aparência física.
Em minha experiência, a liberação elimina a contração de energia do corpo, que
causa tantos problemas físicos.
E acrescenta: «O corpo faz o que faz. Liberar para controlar não funciona. Todos
queremos que os resultados das análises sejam bons, mas lançamos os resultados
para ficarmos tranquilos. Deixar que aconteça o que vai acontecer e me amar no
estado em que estou torna a aceitação mais fácil.

E se o corpo estiver bem como está?

Agora vamos aplicar o processo de Gosto / Não Gosto ao corpo (consulte o Capítulo
9). Quando você deixa de lado o que gosta e não gosta, passa a aceitar melhor o seu
corpo como ele é, o que o fará se sentir melhor imediatamente. Além disso, enquanto
estiver no estado de aceitação de alta energia, você terá muito mais capacidade de
agir positivamente do que se estivesse preso em um dos estados emocionais mais
restritivos.
Para começar, encontre algo sobre seu corpo que você goste. Analise se é resultado
de um desejo de aprovação, controle ou segurança.
Se sim, você poderia deixar pra lá?
Em seguida, encontre algo em seu corpo de que não goste.
Surge do desejo de aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo: você poderia deixar pra lá?
Encontre algo mais de que goste em seu corpo. Existe um desejo
oculto? Qualquer que seja o desejo: você poderia liberar, liberar?
Existe algo que você não gosta no seu corpo?
Ela se origina de um desejo de aprovação, controle ou segurança? Você poderia
abandonar esse desejo, seja ele qual for?
Repita essa série de perguntas alternativas pelo menos nove vezes, focalizando seu
corpo em geral ou um sintoma ou condição específica que você deseja limpar. Se
você abordar sentimentos sobre um problema de saúde, recomendo que faça as
perguntas no passado:

177

• O que eu gosto em _______ (aquele estado)?


• O que não gostei em ________ (esse estado)?

Limpe seu corpo

O procedimento de limpeza foi projetado para trabalhar nossos sentimentos em


relação às pessoas. Mas você também pode trabalhar seus sentimentos em relação
a um objeto, por exemplo, seu corpo. Na verdade, a maioria de nós tem um
relacionamento com nosso corpo quase idêntico ao que temos com outra pessoa.
Portanto, essas perguntas devem fazer sentido. Concentre toda a sua atenção nas
imagens e sentimentos que surgem, sem tentar compreendê-los. É um processo
muito poderoso. Quando você trabalha com o corpo dessa maneira, provavelmente
começará a ver resultados profundos.
Seu corpo tentou controlar você? Ou parecia que sim?
De ser assim; Você poderia deixar de lado o desejo de recuperar o controle Você tentou
controlar seu corpo?
Em caso afirmativo, você poderia abandonar o desejo de controlar seu corpo?
Repita o processo quatro ou cinco vezes e pergunte-se: você poderia agora reconhecer
o direito do corpo de ser como é? Você saberia como fazer? -
Você reconheceria o direito do seu corpo de ser o que é? Lembre-se de que esta
terceira pergunta é uma escolha ou decisão.
Repita essas três perguntas algumas vezes até poder dizer "sim" ao reconhecimento
do direito do seu corpo de ser como é. Então, quando se sentir pronto, passe para a
próxima série de perguntas.
Você não gostou ou desaprovou algo em seu corpo?
Você poderia deixar de lado essa antipatia ou desaprovação que sente por ele? Por
enquanto?
Você acha que seu corpo não gosta ou desaprova algo em você? Se sim, você poderia
abandonar o desejo de aprovação do seu corpo?
Por enquanto?
Repita as quatro perguntas anteriores quatro ou cinco vezes e depois pergunte-se:
Você poderia se permitir ter apenas sentimentos de amor ou aceitação em relação ao
seu corpo? Você saberia como fazer?
Você se permitiria ter apenas sentimentos de amor ou aceitação em relação ao seu
corpo, mesmo neste momento?
Você agora tem apenas sentimentos de amor, apenas sentimentos de aceitação em
relação ao seu corpo?
Se a resposta for 'não', continue a liberar um pouco mais sobre essa série de
perguntas antes de passar para as próximas. Se a resposta for "sim", prossiga.
Seu corpo parecia estar lutando contra você, se opondo ou ameaçando de alguma
forma?
Se sim, analise se a origem está no desejo de segurança ou sobrevivência. Pergunte a
si mesmo: eu poderia deixar isso pra lá?
Você confrontou, se opôs ou ameaçou seu corpo, ou foi o que pareceu? Você
poderia abandonar o desejo de confrontar, se opor ou ameaçar seu corpo? Seu
corpo parecia estar voltado para você, se opondo a você ou ameaçando você?
Se sim, você poderia abandonar o desejo de confrontar, se opor ou ameaçar seu corpo
para se proteger dele?
Você confrontou, se opôs ou ameaçou seu corpo, ou foi o que
pareceu? Em caso afirmativo, você poderia abandonar o desejo de
fazê-lo?
Seu corpo o confrontou, se opôs ou ameaçou?
Se sim, você poderia permitir que sua insegurança fosse liberada? Você confrontou, se
opôs ou ameaçou seu corpo? Se você quisesse, ou se parecesse, você poderia agora
abandonar o desejo de fazê-lo? Você poderia agora ter apenas uma sensação de bem-
estar, segurança e confiança em relação ao seu corpo?
178

Você se permitiria ter apenas uma sensação de bem-estar, segurança ou confiança em


relação ao seu corpo?
Você tem apenas uma sensação de bem-estar, segurança e confiança em relação ao seu corpo?
Se a resposta for 'sim', ótimo! Se for 'não', libere um pouco mais sobre este tópico
antes de prosseguir.

Vantagens e desvantagens

Você pode usar o Processo de Vantagens / Desvantagens para aliviar qualquer tipo de
estagnação física, por exemplo, em um processo de perder peso ou parar de fumar, ou em
qualquer situação física que o faça se sentir paralisado. Este exercício, feito com a mente e o
coração abertos, geralmente nos liberta de tudo o que está em nossa consciência que
impede o surgimento do problema.
Tal como acontece com o processo de Gostar / Não Gostar, recomendo que você
faça as perguntas no passado ao trabalhar em um determinado estado físico. No
entanto, para aprender esse processo, você se libertará do fato de que seu corpo é do
jeito que você deseja que seja.

Qual a vantagem de ter o corpo como


você deseja? Nasce de um desejo de
“ .Quando você chega ao Retiro sofria uma aprovação, controle ou segurança?
enxaqueca crônica diária. Eles se tornaram Seja qual for o desejo: você
tão importantes que ele não trabalhou por um poderia se permitir deixá-lo ir?
ano e meio. Eu estava preocupada em não Qual é a desvantagem de ter o corpo como
poder participar de grande parte do curso você gostaria que fosse? Nasce de um
devido à dor. Durante o retiro, tive apenas três desejo de aprovação, controle ou
pequenas 'sensações na cabeça' que segurança? Seja qual for o desejo: você
desapareceram em menos de uma hora. O poderia se permitir deixá-lo ir? Liberar?
que aprendi sobre minhas 'velhas dores de
Repita as seis perguntas anteriores
cabeça' é inestimável. Admito que tudo que
cerca de nove vezes. Quanto mais você
fiz para me libertar só os fez piorar. Como
soltar, melhor se sentirá em geral.
posso ser grato por um deles ter voltado à
Além disso, eu recomendo que você
vida? Que experiência ótima! "
aplique o Processo de Vantagens /
Desvantagens em seu corpo
"Dr. Sharon Crain, Scottsdale
(Arizona) regularmente por algumas semanas,
porque ele o ajudará a remover muitas
camadas de
programação subconsciente, como um de meus alunos fez.
Dhiresha vinha usando o Método Sedona para atingir um objetivo pessoal: "Quero atingir e
manter meu peso ideal." Antes não era fácil seguir uma dieta alimentar. Ele tinha um histórico
de perda e recuperação de peso, mesmo quando participava de um programa de perda de
peso. No entanto, desta vez ele teve mais sucesso combinando a liberação com a
participação em um programa de controle de peso.
Ele diz: “No início, a privação era um problema para mim. Comer demais é um ciclo difícil de
quebrar. Mesmo se você seguir uma dieta e mudar a forma como se alimenta, você tem uma
mentalidade que recria o peso. Quando você não está com seu peso ideal, pensa em
milhares de coisas que deve abandonar. No meu caso, pensava: 'Não avanço
espiritualmente', 'Não sou uma boa pessoa', 'Sou preguiçoso', 'Não é justo eu não poder
comer o que quero', 'Eu preciso comer à noite 'e' tenho que perder peso agora '".
Para Dhiresha, aplicar o Processo Prós / Contras ao seu hábito de comer demais foi muito
útil. Ela liberou suas vantagens, incluindo não ter que se preocupar em ser atraente para os
homens, não ter que pensar em sua aparência, ter certeza de que as pessoas gostavam dela
por causa de seu jeito de ser e não por causa de sua aparência, e manter a crença de que ele
poderia coma o que ele quisesse. Também

179

desabafou sobre os inconvenientes, incluindo a possibilidade de não parar de ganhar


peso, que não gostava da aparência, que sempre pensava em comer e que, como
comer a controlava, não se sentia uma pessoa "boa". O interessante é que ela
descobriu que a última desvantagem também era uma vantagem, pois a libertava da
pressão de ser "perfeita".
“Tive que criar um espaço para ver as coisas de uma perspectiva diferente”, conclui.
“Tive que chegar a um ponto em que não me importava se mudasse ou não:
imutabilidade. Nesse sentido, o Método é muito útil. Quando eu libero, eu sinto em
meu corpo; A tensão aumenta em meu peito e depois desaparece, e me sinto calma.
Minha maneira de encarar a vida mudou. Além disso, aos poucos e sem esforço vou
perdendo peso ».

Imagine o que você quer: combinar


imagens com liberação

Em todos os Estados Unidos, muitos centros de saúde usam com sucesso a


visualização, ou imagens guiadas, como um meio de cura. Sobreviventes de câncer,
pacientes cardíacos e outros pacientes o usaram. Combinada com a liberação, a
visualização é uma maneira incrivelmente eficaz de ajudar o corpo a se curar e
funcionar perfeitamente. Também é um bom complemento para qualquer programa
de perda de peso ou desintoxicação.
De certa forma, a visualização é semelhante ao Processo de Objetivos que
analisamos no Capítulo 8. E, quando criamos imagens na mente sobre a saúde e o
corpo ideal, sentimentos e crenças que contradizem ou endossam vêm à
consciência. Quando liberamos esses sentimentos e crenças, passamos para um
estado de maior coragem, aceitação e paz e, conseqüentemente, liberamos energia
para a ação.
Lembre-se de que, ao "visualizar" algo com o melhor de sua capacidade, você deve usar
todos os seus sentidos. Combine imagens mentais com sensações físicas e sons e inclua
cheiros também, se isso ajudar a aprimorar suas imagens. Vamos ver então.
Começa ao se permitir imaginar seu corpo ideal. Como parece? Que sensação isso
produz? Qual é o seu grau de saúde?
Veja como você se sente em ter o corpo como você o imagina. Analise também se há
algum desejo de aprovação, controle ou segurança relacionado a essa imagem.
Se existir, seja o que for: você poderia abandoná-lo?
Imagine o corpo são novamente, ou exatamente como você deseja que seja. Imagine-
o da forma mais gráfica possível. Em seguida, verifique novamente para ver se a
imagem surge de um sentimento de desejo de aprovação, controle ou segurança.
Seja qual for o desejo: você poderia apenas deixá- lo se soltar?
Agora imagine seu corpo ideal novamente. Projete uma imagem o mais vívida
possível. Desta vez, preste atenção em quaisquer ideias, crenças ou pensamentos
que digam: "Você não pode ter isso" ou "Você não deveria ter isso", "Você nunca terá
isso" ou "Não é possível".
O pensamento vem de um sentimento de desejo de aprovação, controle ou segurança?
Qualquer que seja o desejo: você poderia deixar pra lá?
Reimagine seu corpo exatamente do jeito que você quer que seja. Não se esqueça de
usar todos os seus sentidos. Existe alguma oposição, resistência ou qualquer outro
sentimento em relação a essa imagem?
Você poderia aceitar esse sentimento, seja ele qual for?
Vem do desejo de aprovação, controle ou segurança? Você
poderia deixar pra lá, pelo menos por enquanto?

180

Repita a série de perguntas acima mais algumas vezes, deixando de lado quaisquer
desejos ou resistências que possam surgir. Quando estiver pronto, siga em frente.
Agora imagine seu corpo exatamente do jeito que você deseja que seja. Entregue-se
totalmente à imagem. Participe do melhor que você sabe. Pergunte a si mesmo: você
poderia dar as boas-vindas à imagem em sua plena consciência e aceitá-la
completamente?
E ainda mais?
Você poderia apenas deixar ser sim?
Você poderia realmente aceitar a imagem ideal como ela é?
Agora, ao permitir que a imagem entre em sua consciência plena, entenda que não há
problema em ter seu corpo ideal. Ao mesmo tempo, você deve saber que não há
problema em seu corpo ser como está. Não há contradição nisso. Apenas sinta o
melhor por saber que está tudo bem em seu corpo.
Por enquanto, descanse nessa aceitação de si mesmo.

Uma última observação


Quanto mais você trabalhar com os exercícios deste capítulo, melhor se sentirá em
seu corpo e com ele; pode até melhorar sua saúde. Eu o incentivo a usar esses
exercícios para aumentar seu bem-estar da melhor forma possível antes de passar
para o próximo capítulo: "Liberdade e eficiência nas organizações".

181

19

Liberdade e eficiência
nas organizações
Se você tem gostado deste livro, tenho certeza de que já percebeu que o Método
Sedona pode influenciar qualquer organização em que você trabalhe ou participe de
várias maneiras. Sedona Training Associates é frequentemente solicitado a
programas de treinamento específicos para gerentes, equipes e empresas, programas
que os ajudam a enfrentar certos desafios e atingir seus objetivos com mais
facilidade. Mesmo que você não seja a pessoa que toma as últimas decisões em sua
empresa ou grupo, pense em mostrar este livro para quem ocupa essa posição.
Quanto mais pessoas em sua empresa começarem a usar o Método Sedona, mais
profundamente essas técnicas afetarão toda a empresa.
Quando você tenta recompor um sistema com apenas uma mudança de comportamento do
lado de fora, ou apenas trocando suas partes, o resultado geralmente não é um efeito
duradouro. Está bem documentado que esse tipo de reestruturação oferece apenas
benefícios momentâneos. A entropia vem a seguir, a menos que as mudanças não se limitem
a fatores ambientais ou pontos de vista intelectuais. Freqüentemente, a produtividade volta
exatamente, ou quase exatamente, a onde estava antes de tais mudanças serem feitas.
Quando você e outras pessoas em sua organização começam a usar o Método
Sedona para se liberar, você se livra das atitudes internas que levam ao fracasso.
Você está mudando sua empresa de dentro para fora, pessoa a pessoa. Foi
demonstrado que isso produz uma transformação duradoura. Como disse na
Introdução, o estudo piloto que a seguradora New York Mutual conduziu com seus
vendedores teve resultados extraordinários. O grupo que aprendeu o Método Sedona
superou o grupo de controle em uma média de 33 por cento. Foi um resultado
impressionante por si só. Mas foi tanto mais que os benefícios aumentaram quanto
mais se prolongou a aplicação do Método. O estudo foi dividido em duas fases de
três meses. No primeiro, as vendas aumentaram 23%. No segundo, 43 por cento.
À medida que você e sua equipe aprendem a aproveitar sua capacidade natural de se
livrar de sentimentos, pensamentos ou crenças incômodos, indesejados ou
restritivos, sua organização passará facilmente para um nível muito mais alto de
eficiência e produtividade, como cada um da equipe os membros aumentarão sua
sensação de bem-estar e satisfação com seu trabalho.
Ao se soltar, você se liberta para pensar com mais clareza, agir com mais decisão e se sentir
calmo e no controle, sejam quais forem os negócios ou desafios que enfrente. O Método
Sedona ajudará a motivá-lo a fazer as mudanças importantes que são necessárias para viver
a vida e a carreira que deseja. Ele o ensinará a abandonar os padrões habituais de
pensamento, sentimento e comportamento que o impedem de atingir seus objetivos e
desfrutar do processo. O Método permite estar sempre atento e eficaz, mesmo em situações
de grande pressão, para isso irá libertá-lo para ter uma vida mais produtiva e divertida.
É muito bom que muitas pessoas em uma organização usem o Método Sedona, mas
não é essencial. Você pode mudar completamente sua experiência e sua eficiência
de trabalho, seguindo individualmente os processos de liberação. O fato de liberar
muitas vezes pode mudar completamente um ambiente de trabalho, mesmo que você
seja o único que libera conscientemente.

182

Inteligência emocional / domínio emocional

Hoje é cada vez mais aceito que a inteligência emocional é tão ou mais importante do
que o QI para prever o sucesso e a satisfação da vida de uma pessoa. Essa ideia nos
ajuda a redefinir, como cultura, o que significa ser inteligente e eficiente. Estudos
mostram consistentemente, por exemplo, que a diferença entre os melhores e os
melhores em uma determinada organização é de 90% devido à inteligência emocional
e apenas 10% às habilidades técnicas. Nada é mais eficaz no desenvolvimento rápido
da inteligência emocional do que o Método Sedona. Mas o que exatamente é
inteligência emocional e como o Método Sedona pode nos ajudar a melhorá-la?
Em seu livro Inteligência Emocional *, Daniel Goleman, que cunhou a expressão, define
as cinco habilidades fundamentais que compõem a inteligência emocional:

1. Autoconhecimento: Goleman o define como "reconhecer um sentimento quando ele


ocorre." O Método Sedona nos ajuda a controlar os sentimentos no momento e serve como
um mapa para nos movermos por diferentes terrenos emocionais. Nos negócios, ter alto
autoconhecimento nos permite tomar decisões melhores.

2. Gerenciando emoções: em vez de permitir que apegos emocionais e aversões nos


dominem, o Método Sedona nos oferece ferramentas eficazes para lidar de forma
adequada com sentimentos dolorosos e restritivos. O desapego reduz o estresse,
aumenta a energia e nos ajuda a recuperar dos contratempos e desafios inevitáveis
da vida. Nos negócios, isso se traduz em uma capacidade maior de ter o melhor
desempenho possível.

3. Auto- motivação: Como diz Goleman: "Colocar as emoções em ordem a serviço de


um objetivo é essencial para focar a atenção, para automotivação e domínio e para a
criatividade." As ferramentas do Método Sedona removem facilmente os sentimentos
que nos impedem de alcançar o que desejamos na vida. Ao eliminar pensamentos e
sentimentos como "Não posso", "Não sei como", "Não mereço" ou "Não consigo
controlar", descobrimos o sentido inato de "Eu pode ", que naturalmente nos catapulta
para um maior sucesso. A liberação sistemática leva a um maior acesso ao estado de
fluidez e calma que todos buscamos.

4. Empatía: Cuando utilizamos el Método Sedona, no sólo adquirimos mayor


conciencia de nuestras propias emociones, sino que también somos más capaces de
reconocer las de los demás y el efecto que producen en nuestra conducta hacia los
otros, y en la de éstos hacia nós.

5. Dominar relacionamentos: "A arte dos relacionamentos é, em grande medida, a


capacidade de controlar as emoções dos outros", segundo Goleman. Ao usar o
Método Sedona para liberar carga emocional, naturalmente começamos a
desenvolver a capacidade de nos relacionarmos melhor com outras pessoas. Além
disso, têm mais prazer em se relacionar conosco e nos dar o que queremos, o que, no
trabalho, facilita o fluxo das trocas de negócios entre colegas e, fora dele, com os
clientes.

Desde 1974, os instrutores do Método Sedona têm ajudado indivíduos e organizações


a desenvolver inteligência emocional e transcendê-la no domínio emocional. No
restante deste capítulo, você descobrirá mais sobre como e por que usamos o
Método Sedona para desenvolver as habilidades emocionais listadas acima para o
benefício das organizações.

183

Transcendendo o paradigma de controle

A maioria das organizações baseia-se em uma necessidade imperiosa de controlar


seus ambientes internos e externos. Mas quando a organização é dirigida por uma
equipe que deseja controlar os resultados, muitas vezes são tomadas decisões
erradas. Não importa o quanto a equipe planeje, seus planos geralmente dão errado
quando são feitos por um sentimento de falta (desejo de controle). No Capítulo 4,
dissemos que "a resistência está empurrando o mundo para que ele empurre na
direção oposta". Um estilo de gerenciamento de controle cria uma pressão
desnecessária do ambiente e de diferentes níveis da organização.
Quando as pessoas ou grupos começam a abandonar uma parte de seu desejo de controlar,
por menor que seja, eles experimentam um aumento acentuado na harmonia e eficiência
dentro de suas organizações e em sua eficácia na esfera comercial. Se você faz parte da
liderança de uma organização que está perdida no desejo de controle, deve saber que pode
cumprir sua missão de muitas maneiras, incluindo a libertação. Quando você abre mão do
desejo de controlar a equipe que depende de você, deixa de presumir que deve
microgerenciar sua equipe e verá como delega responsabilidades com mais facilidade. Na
realidade, você até mesmo liberará as tarefas que delegar, o que fará com que sejam
realizadas. Além disso, você estará disposto a dar autonomia aos seus companheiros, ao
invés de pensar que deve dominá-los. Equipes com autodecisão fazem mais com menos
esforço.
Se você achar difícil delegar, apenas pergunte a si mesmo as perguntas básicas de
liberação que aprendeu na Parte Um, até que se sinta completamente à vontade para
deixar uma determinada tarefa para outra pessoa. Ao fazer isso, libere também
quaisquer pensamentos negativos de que a pessoa a quem você delegou uma tarefa
não fará seu trabalho adequadamente. Sempre que você perceber que está
preocupado com o desempenho, volte às perguntas sobre o release.
Observe que não estou dizendo a você para transferir a responsabilidade para
pessoas cuja competência é questionável. Contanto que você não tenha abandonado
completamente a necessidade de controle e as dúvidas sobre a pessoa a quem
delegou, continue liberando até que a decisão venha naturalmente. Muitos gerentes já
ouviram falar da necessidade de delegar e se sentem pressionados para fazê-lo. Sem
realmente liberar, eles acabam delegando por desespero, o que apenas aumenta seu
fardo, em vez de torná-lo mais leve.
Se você faz parte de uma equipe, uma das melhores maneiras de contribuir para o
bom funcionamento de sua organização e de seu próprio trabalho é abrir mão da
resistência. Muitas vezes temos que fazer tarefas repetitivas que não gostamos no dia
a dia.
Pergunte a si mesmo: eu poderia deixar
“O Método Sedona é uma ferramenta de de lado a resistência para fazer essa
negociação poderosa, especialmente determinada tarefa? Você poderia deixar
quando negocia a partir de uma posição de lado a resistência de não fazer isso?
'fraca'. Elimina a resistência, incentiva o Se você fizer essas perguntas a si
respeito mútuo e é muito divertido de mesmo algumas vezes, sempre que
usar. Não conheço técnica mais fácil perceber uma resistência surgindo em
que englobe tudo e, ao mesmo tempo, você, verá como você se livra dessa
seja tão fácil de aplicar. resistência e faz as coisas com maior
—Ben Jansz, Buckingham facilidade, alegria e rapidez.
(Inglaterra) Obviamente, qualquer liberação geral
que você fizer também tornará seu
trabalho mais fácil. Você se sentirá
melhor e terá um impacto positivo nas
pessoas ao seu redor.
184

Construir e liderar uma equipe unida

Os verdadeiros líderes de qualquer organização são pessoas que os outros


consideram capazes de fazer as coisas bem. É claro que pensam no interesse da
organização e dos membros da equipe com quem trabalham, e não apenas nos seus.
Um compromisso como esse não pode ser fingido, não importa o quanto você tente.
Mas pode ser desenvolvido. Quanto mais você libera, mais busca o melhor para todos em
sua organização. Além disso, você ficará mais ciente das opiniões dos outros e terá um
relacionamento mais sincero com eles. Ao desvendar e manifestar seu eu autêntico, as
pessoas naturalmente decidirão seguir o caminho que você estabeleceu para elas.
Em muitas organizações, a formação de equipes consiste em forçar laços
participando de eventos não relacionados ao trabalho ou intervenções artificiais.
Embora essas intervenções possam ser úteis e até divertidas, elas geralmente
produzem apenas os resultados de curto prazo que discuti anteriormente neste
capítulo. Por outro lado, é certo que, quando os que trabalham juntos começam a se
libertar, criam vínculos espontâneos e de forma alguma forçados.

James: libere para o sucesso no trabalho

James tem usado o Método Sedona desde 1983. Ele o descobriu em um seminário
onde ensinamos apenas a parte do Método que trata de liberar o desejo de aprovação e
controle. Posteriormente, James adquiriu o programa de áudio Sedona Method Course,
que é mais abrangente e inclui a liberação do desejo por segurança. Assim, nas palavras
do próprio James, é assim que o Método afetou sua carreira profissional:

“Quando participei do seminário do Método Sedona pela primeira vez, muitas coisas
na minha vida me deixaram com raiva. Ele trabalhou no Vale do Silício como
programador de computador e ganhava apenas cerca de US $ 25.000 por ano. Eu
estava farto de meu chefe porque não gostava de sua compreensão do meu trabalho
e me sentia limitada. Entre outras coisas, eu queria que ele trabalhasse das nove às
cinco, mas queria um horário flexível. Quando comecei a liberar, a primeira coisa que
notei foi minha raiva desaparecendo. Uma vez que isso foi feito - eu não era mais
uma vítima - comecei a procurar outros empregos.
“Acabei me mudando para Pacifica, no sudoeste de San Francisco, e em meu novo
emprego ganhei US $ 35.000. O curso foi em abril e isso aconteceu em junho. Então
fiz alguns contatos de trabalho e uma agência me ligou para propor um cargo em
New Jersey e outro em Seattle, ambos por US $ 75.000. Decidi por um em Seattle,
pois parecia que eles estavam mais interessados. Isso aconteceu em outubro do
mesmo ano. Outras coisas em minha vida também estavam mudando. Eu conheci e
me apaixonei por minha esposa. Minha saúde melhorou. As mudanças ocorreram
imediatamente.
“Vários anos depois, depois de terminar a faculdade e trabalhar no exterior, voltei para
Seattle e aceitei um corte substancial de salário para trabalhar para uma grande
empresa de software. Eu queria trabalhar lá. Mas àquela altura tínhamos três filhos
pequenos, uma hipoteca, um carro e empréstimos para os estudos de nossos filhos.
Minha esposa e eu ficamos tentados a confiar nos cartões de crédito. Meu novo
diretor não era uma pessoa prestativa, mas combativa. Ele me atacava sempre que
falávamos, geralmente com um sorriso nos lábios. O trabalho não estava indo como
deveria, e eu queria aprovação e controle. Mas, devido à minha insegurança
financeira, não me sentia forte o suficiente para enfrentar meu chefe.
»Lembrei-me do valor da liberação quando comprei o programa de áudio Sedona Method
Course, que explicava o processo de desapego do sentimento de desejo

185

de segurança. Passei a noite liberando energia para ficar em segurança. Deixei escapar
sentimentos sobre questões financeiras e ataques verbais. A partir de então, parei de me
encolher quando meu chefe gritou comigo e, depois de algumas reuniões, consegui me
manter firme. Depois disso, a mulher não voltou a me encontrar e quase não a vi. O bom de
tudo isso é que ela não interferiu no meu trabalho e eu pude fazer isso direito. O ruim é que
não havia comunicação. Precisamos fazer minha análise de desempenho por e-mail. Por um
tempo, pensei em deixar a empresa; então tentei mudar de posição, mas ela parou. No final,
foi ela quem me promoveu a diretor de uma equipe de testes de programas.
»Como gerente, passei muito tempo pensando em como aplicar o Método às
situações que surgiam no trabalho. Estava pensando na minha história com o
Método. No início, tudo que eu queria era me livrar da minha raiva e entrar em um
estado de orgulho. Era uma meta que eu já havia traçado para mim antes de ser
diretora de grupo, porque me fez sentir mais feliz. Foi algo que funcionou bem
enquanto eu era membro da empresa, mas não muito quando fui promovido a diretor.
As pessoas se distraem com a energia emocional da superioridade. Ele sabia que
precisava seguir em frente com coragem. »A partir daí, quando percebi que me sentia
'melhor' que os outros, abri mão da vontade de rebaixá-los até sentir que éramos
iguais, todos membros de uma equipe, filhos de Deus que trabalhavam com o mesmo
objetivo . Quando ele viu que achava que alguém era 'estúpido', ele soltou no
momento. Eu poderia fazer isso enquanto conversávamos. Eu poderia ouvir e liberar.
Ele não queria colocar limites artificiais no que as pessoas faziam. Quando ele foi
lançado, ele recebeu surpresas agradáveis. Os funcionários mostraram maior
capacidade ou, se eram de outra equipe e discordamos, deram mais atenção às
minhas sugestões e chegamos a um compromisso. Nunca houve brigas no meu
departamento, embora a cultura da empresa muitas vezes fosse adversa. Como
resultado da minha capacidade de manter os grupos unidos, tornei-me o primeiro
gerente de testes da empresa em alguns anos. As pessoas que trabalharam comigo
se sentiram confortáveis e, portanto, tiveram ideias mais criativas e incomuns do que
as outras pessoas. Fizemos nosso trabalho bem. Devo todo esse sucesso ao
Método.

»Amo a sensação de liberação. É como se do centro do meu corpo, do abdômen e do tórax,


jorrasse energia. Como se crostas de sujeira se desprendessem de mim e algo surgisse para
escondê-las. Quando eu solto, geralmente sinto um formigamento e às vezes ouço como
uma explosão. Eu sei que há emoções aprisionadas dentro de mim, e tudo isso é um sinal de
que as paredes da prisão estão se movendo.

Fim do estresse

Se você está interessado em criar um ambiente sem estresse, adote um princípio muito
“Como aprendiz e instrutor de simples: pergunte, não imponha. Você
desenvolvimento pessoal ao longo da vida, deve se lembrar que leu parte disso no
tenho seguido e ensinado muitos cursos, Capítulo 4. Com essa abordagem, você
comprei milhares de fitas e li centenas de verá um aumento dramático no nível de
livros. Posso, sem reservas, dizer que cooperação que recebe daqueles que
nenhum teve mais força nem fui capaz de precisam informá-lo e denunciá-lo e
aplicá-la mais imediatamente. minha vida. aliviar o estresse deles e o seu.
Estou relaxado, cheio de energia e focado Outra boa maneira de reduzir o estresse
na preparação para várias palestras - uma no trabalho é parar de forçar a si
grande conquista. O que eu amo é que mesmo e aos outros para fazer o que
posso liberar em um instante. precisa ser feito. Como já disse em
—Betty Mahallk, Las Vegas outro lugar, qualquer pressão - mesmo
(Nevada) sobre si mesmo - produz uma pressão
idêntica daquele ou daquele a quem é
pressionado. Portanto, se você observar

186

que pressiona a si mesmo ou aos outros, simplesmente libere, sente-se e adote


dentro de si a atitude de contemplar, ou melhor que você saiba, como as coisas
acontecem. Aceite que tudo está bem e se desenvolvendo como deveria. Isso
significa que você não deve mais dar ordens? Claro que não. Isso significa que você
não deve se esforçar? Não, também não significa isso. Quando você libera
sentimentos e desejos que causam estresse, tudo o que acontece é que você cria o
espaço necessário para que as coisas sejam realizadas com mais facilidade e
eficiência.
Mesmo quando os sentimentos e situações que você e aqueles que trabalham com
você liberam não pertencem especificamente ao ambiente de trabalho, essa liberação
melhorará o bem-estar da organização como um todo e de todos aqueles que nela
trabalham. Dessa forma, as condições de trabalho estressantes podem se tornar
menos estressantes em um espaço relativamente curto.

A pressão dos prazos


Na maioria das organizações, o tempo é considerado um item raro e luxuoso. E é
verdade, o tempo é precioso, mas só é escasso se você pensar assim. Na maioria
dos casos, quando você se apressa ou se sente sobrecarregado de prazos, a
consequência é que você diminui sua eficácia, e isso é demonstrado pelos
resultados. A primeira vez que percebi isso foi na minha própria empresa. Quando
concordei em planejar com antecedência, mas sabendo que os planos poderiam ou
não seguir o cronograma, descobri que meus funcionários e eu estávamos menos
sobrecarregados e, ao mesmo tempo, cometíamos menos erros. O tempo gasto nos
permitiu trabalhar com um grau de eficiência muito maior.
Portanto, sempre que você se vir correndo, libere a pressão da melhor maneira
possível, adotando a atitude que você tem todo o tempo do mundo.
Como mencionei no Capítulo 2, há outra maneira de dizer isso: faça o que você faz
quando está fazendo e não faça o que não faz quando não está. A maioria de nós
passa o tempo pensando sobre o que não está fazendo e nos punindo por isso. Ou
continuamos pensando em fazer algo que achamos divertido, divertido ou
simplesmente mais produtivo. Ambos os tipos de atividade mental nos impedem de
estar no que estamos fazendo. Por isso, pelo simples fato de estar no que fazemos,
parece que o tempo se expande. Desta forma, focamos melhor e fazemos o trabalho
com mais facilidade e eficiência.
Conforme o dia avança, libere seus sentimentos sobre como você o está usando.
Você pode ficar frustrado com o tempo que algumas coisas demoram ou porque
você não consegue fazer. Quaisquer que sejam seus sentimentos sobre como você
gasta seu tempo em cada momento, permita-se deixá-los ir. Você pode descobrir, por
exemplo, que sua política de portas abertas se baseia no desejo da aprovação de
seus funcionários, mesmo que isso signifique perda de tempo. Ou que seu desejo por
segurança faz com que você sinta a necessidade de falar com as pessoas quando
elas quiserem, mesmo quando for perturbador. Deixar de lado sentimentos e desejos
relacionados ao uso do tempo torna mais fácil mudar os padrões improdutivos
atuais.
Se você se organiza por meio de um determinado sistema de gerenciamento de
tempo, simplesmente inclua o lançamento nesse programa, da maneira que
considerar mais adequada. Será útil revisar as formas abreviadas do Processo de
Metas e do Processo de Ação que discutimos no Capítulo 8. Investir um pouco de
tempo e esforço para incorporar a liberação em sua rotina diária provavelmente terá
retorno e se traduzirá em maior disponibilidade de tempo.

187

Venda eficazmente

Em cada interação, vendemos nossas ideias e nos vendemos. Quanto mais


soubermos nos libertar e tentar encontrar a mutualidade em vez de impor nossos
desejos aos outros, mais fácil será atraí-los para nossas posições. Portanto, faça o
possível para ver a interação do ponto de vista do outro. Em vez de desejar o negócio
e fechar o negócio ou venda, desista. Considere se você pode encontrar uma maneira
de se conectar com o ser humano que também faz parte de sua transação.
Ao liberar suas necessidades, você verá que elas são atendidas com muito mais
facilidade. Você também observará que outras pessoas também existem e se
preocupará sinceramente com o que elas podem precisar. As pessoas têm muito
mais probabilidade de desejar o seu sucesso se perceberem que você se preocupa
com elas.
O lançamento se traduz em vendas e também ajuda a fluir com mais tranquilidade
todas as atividades que envolvem um relacionamento. Com o Método Sedona,
quando você se compromete a comunicar ideias importantes a outras pessoas, você
irá naturalmente passar do cenário "ganhar ou perder" para o cenário "ganhar ou
ganhar".

Domínio dos objetivos

Usando o Método Sedona, você pode remover o estresse, a pressão e a decepção do


processo de definição de metas, enquanto atinge essas metas, mesmo sem esforço.
Basta seguir as diretrizes do Capítulo 8, "Definindo e alcançando suas metas", e veja
como elas são realizadas com facilidade e rapidez.
Os grupos podem trabalhar em objetivos comuns se todos usarem o Método Sedona.
Se você liderar um grupo, deixe seus membros liberarem individualmente com o
mesmo objetivo. Uma maneira de iniciar esse processo é escrever a meta em um
pedaço de papel ou quadro para as pessoas compartilharem e liberarem seus
pensamentos e sentimentos sobre essa meta. Ao fazer com que todos se liberem
juntos em cada uma das questões que surgem, todo o grupo pode rapidamente
assumir uma atitude interior muito mais positiva em relação ao objetivo.
Liderei o processo que acabei de delinear durante uma intervenção com um grupo de
pesquisa e desenvolvimento formado por cientistas e engenheiros, e os resultados
foram muito bons. Antes de começarmos a trabalhar, eles já competiam com outra
empresa para colocar um determinado produto no mercado, sabendo que quem o
apresentasse primeiro receberia o melhor corte de um negócio emergente. Eles
estavam trabalhando no desenvolvimento desse produto por três anos, tinham menos
de seis meses para projetar um protótipo e estavam enfrentando um obstáculo após
o outro, tanto na criação do produto quanto na obtenção dos parceiros externos
certos para executar o projeto do projeto à fruição. Todos no grupo ficaram
desesperados e pensaram que seria impossível completar a tarefa, mesmo que
tivessem o dobro do tempo.
Antes de trabalharmos juntos na meta, fizemos isso na resistência inicial em abordar
essa meta dessa maneira. Então, a atitude geral mudou e fomos capazes de trabalhar
na meta. Embora só tenhamos nos concentrado nele uma vez, como parte de uma
intervenção de dois dias, o que aconteceu a seguir surpreendeu o grupo e a mim. Eles
passaram de pensar e acreditar que a tarefa era impossível para concluí-la antes do
previsto.

Decisões sólidas

Como gerentes e membros da equipe de uma organização, especialmente nas


circunstâncias em rápida mudança de hoje, a capacidade de tomar as decisões certas e,
com base nelas, tomar as medidas adequadas é essencial. Ao

188

abandonando o Método Sedona, você normalmente observará que descobriu sua


intuição, seu conhecimento inato.
Eu recomendo que você use o Processo Prós / Contras descrito no Capítulo 10.
Sempre que você estiver em dúvida sobre o que fazer ou que decisão tomar, a
pequena quantidade de tempo que você gasta usando este processo irá economizar
significativamente mais tempo, energia e frustração. Verá que decide com mais
confiança, o que, obviamente, se traduzirá em uma ação mais positiva para você e sua
equipe.

Trabalhando com pessoas difíceis

No mundo dos negócios, praticamente todo mundo trabalhou, em um momento ou


outro, com um chefe difícil, esteve no comando de um funcionário difícil ou teve
dificuldades para se dar bem com um colega de trabalho. Essas interações podem
realmente tornar nossas vidas miseráveis, a menos que abandonemos o desejo de
aprovação, controle e segurança em relação a essas pessoas. Portanto, aconselho
você - e a todos na sua organização - a começar a usar o Processo de Limpeza
descrito no Capítulo 11. É um ótimo exercício para antes e depois das reuniões
internas, e para antes e depois das visitas de vendas ou outras interações com
clientes e fornecedores externos.
Como regra geral, sugira que sua equipe siga o Processo de Limpeza sempre que
ocorrer um problema ou quando for esperado que ele surja. Esse processo é
suficiente para trazer harmonia a todos os relacionamentos que acabei de mencionar
e muitos outros que poderiam ser acrescentados.

Uma ultima ideia

Espero que este capítulo tenha sido útil para você incorporar as ferramentas do
Método Sedona em sua organização. Quando as pessoas em sua organização
aceitarem e dominarem os princípios e processos descritos neste livro, garanto a
você que todo o sistema organizacional começará a funcionar com um grau
crescente de eficiência e produtividade. Além disso, você e seus colegas se sentirão
mais livres, mais felizes, mais unidos e mais satisfeitos.
189

vinte

Ajude nosso mundo


Na minha opinião, quando você libera para corrigir seus problemas e atingir seus
objetivos, você também está ajudando o mundo. Cada vez que você libera um
sentimento, um pensamento ou uma crença sobre algo ou alguém, você revela mais
sobre sua natureza atenciosa. Como Lester Levenson costumava dizer: "Uma única
pessoa com um coração amoroso poderia fazer mais para consertar os problemas
do mundo do que todas as pessoas que ativamente tentam resolvê-los." O amor mora
em seu coração, logo abaixo das limitações imaginárias que você elimina ao liberar.
Além disso, acredito que sempre que você deixa ir, você remove as limitações da
consciência global e as suas próprias.
Em meados da década de 1970, quando o Método Sedona começou a ser ensinado, alguns
se perguntavam se seria possível alguém usá-lo para adotar atitudes mais destrutivas em
relação ao mundo. Minha experiência de muitos anos me diz que as pessoas, em qualquer
época da vida, quando começam a usar o Método e descobrem sua coragem natural,
aceitação e paz, sempre tendem a se tornar mais construtivas. A motivação para realizar
ações que muitos de nós consideraria destrutivas simplesmente desaparece.

Livre para ajudar nosso mundo

Além do fato de que no nível individual um, por ser libertador, se torna uma pessoa
mais pacífica, amorosa e construtiva, existem outras maneiras de aplicar o Método
Sedona para ajudar o todo. Vamos ver alguns deles.

Sempre pense no melhor

Quando pensamos no mundo, a maioria de nós não tem imagens particularmente


positivas. Basta assistir ao noticiário na televisão, ouvir no rádio ou ler na imprensa
para saber o que quero dizer. Na verdade, muitas pessoas me disseram que a notícia
é um fator importante em seu estresse diário. Mas muitos de nós nos sentimos
compelidos a assistir, ler ou ouvir as notícias para saber o que está acontecendo no
mundo. Outros deixam e fazem isso, para evitar serem influenciados pelo que
consideram algo negativo. Não recomendo que você fique obcecado com as notícias,
mas não recomendo que se desconecte delas. Em vez disso, quando você vir, ouvir
ou lê-los, permita-se liberar da maneira que discuto a seguir.
Para se livrar de quaisquer sentimentos que a notícia lhe dê, por exemplo, raiva,
ansiedade ou resistência, imagine o mundo como você gostaria que fosse. Em
seguida, libere quaisquer outros sentimentos ou pensamentos opostos que indiquem
que tal mundo não pode ser ou não é possível.
Ao mesmo tempo, faça o possível para aceitar o mundo como ele é, abandonando o
desejo de mudá-lo (consulte o Capítulo 5, "Sua chave para a serenidade"). Quanto
mais você souber aceitar o mundo como ele é, mais capaz será de projetar nele amor
e perfeição.
Ao liberar o tempo que você fica informado do que está acontecendo no mundo, você
dá a sua contribuição mesmo que não tome nenhuma ação concreta.

190

Pense em soluções

Muitas pessoas, mesmo as mais bem-


intencionadas, descobrem que têm “Usar o Método Sedona me tornou
uma atitude "anti" em relação ao que consciente de um ponto que eu nunca
não gostam no mundo. Acontece, experimentei. Como sacerdote, ouvir é
porém, que se somos contra algo, essencial em meu relacionamento com as
temos esse algo em mente - às vezes pessoas que me procuram em busca de
até mais fortemente do que aqueles orientação. O Método Sedona me forneceu
que são a favor dele. Todo o um sistema de fazer perguntas sem
sentimento anti-guerra que havia nos incomodar e esclarecer muitas questões.
EUA durante a Guerra do Vietnã, por Isso torna mais fácil abrir mão, sem que
ninguém precise sacrificar seu próprio valor.
exemplo, não acabou com o conflito Obrigado por colocar este Método a serviço
imediatamente. Enviamos energia para de todo o mundo ».
tudo o que abrigamos na mente e
contribuímos para sua existência. -Rev. Kim English, Ashville
Centro de Ciências
Aqui estão algumas maneiras de
Religiosas. Ashville (Carolina
reconfigurar nossas preocupações: em
do Norte)
vez de ser contra o
poluição, sejamos a favor do meio ambiente; em vez de ser contra a discriminação,
sejamos a favor da igualdade; Em vez de ser contra a guerra, vamos ser pela paz.
Assim como no processo de objetivos (consulte a página 185), pense na solução, não
no problema, para que possa realizar muito mais com muito menos esforço e, aliás,
seja mais construtivo.

Apoie nossos líderes

Difícil para a maioria de nós, especialmente se tivermos visões políticas diferentes.


Nossos líderes muitas vezes se tornam uma espécie de pára-raios para tudo o que
não gostamos em nosso mundo. Mas os líderes políticos representam apenas a
consciência geral de sua região ou país. Participe e vote no candidato de sua
preferência, mas ajude quem vencer, mesmo que não concorde com ele.
Se você nutre ódio, em vez de amor, pelos líderes políticos, você é parte do problema,
não da solução. Se eles disserem ou fizerem coisas das quais você discorda, diga-
lhes (escreva para eles, mande um e-mail, ligue para eles, não vote) e, ao mesmo
tempo, libere as reações internas que o resultado produz. Quando você faz sua voz
ser ouvida, faça-a influenciar da maneira mais positiva possível.
Nesse sentido, um bom procedimento é a Limpeza (ver Capítulo 11). Se todos nós
seguíssemos o Procedimento de Limpeza com nossos líderes, muito em breve a
energia dinâmica do mundo mudaria dramaticamente para melhor. Imagine como
seria o mundo se todos nós reconhecessemos nossos líderes o direito de ser do jeito
que são e os amássemos do jeito que são. Só isso já faria toda a diferença, pois
assim nossos líderes poderiam se concentrar em corrigir os problemas específicos,
ao invés de ter que se proteger de reações negativas.

Pratique gentileza e carinho

Como eu disse no Capítulo 17, "A magia dos relacionamentos", dar sem querer nada
em troca é uma ótima maneira de aprimorar nosso relacionamento com os outros.
Também é uma ótima maneira de ajudar o mundo. Portanto, procure maneiras de
retribuir à sua comunidade, ao seu local de adoração e ao seu país. Resumindo,
qualquer pessoa que você conheça que pode se beneficiar com sua ajuda.

191

Mas sempre dê o melhor de sua capacidade. Você pode doar por meio de serviço,
conhecimento ou simplesmente compartilhando gentileza e respeito. O dinheiro nem
sempre é a única forma de doar, nem mesmo necessariamente a melhor. Além disso,
certifique-se de não dar em prejuízo próprio. Sua vida e a daqueles que estão sob
seus cuidados não devem sofrer por causa de sua magnanimidade. O sacrifício e o
sofrimento desnecessários não o ajudam, nem ajudam as pessoas ou organizações
que você pretende apoiar.

Existem duas chaves para realmente ajudar os outros e o mundo:

1. Dê sem querer nada em troca, nem mesmo reconhecimento ou agradecimento.


2. Pense que aqueles que você ajuda já são pessoas completas e perfeitas do jeito
que são, pessoas como você. Que eles sejam quem são - reconheçam seu ser - em
vez de vê-los como imperfeitos e precisando de soluções ou ajuda.

A única forma de colocar em prática essas duas atitudes é libertando. Libere seu
desejo de reconhecimento ou de receber algo em troca. Divulgue quaisquer idéias
que você possa ter sobre aqueles que você ajuda.
Bondade e afeto não apenas ajudam o mundo, mas também ajudam você. Quanto
mais você dá de uma perspectiva liberada, melhor você se sentirá, e seu mundo
pessoal refletirá sua bondade interior.

Compartilhe esta mensagem com todos


aqueles que são receptivos a isso

Se você leu até aqui, espero que concorde comigo que a mensagem e os processos
deste livro podem realmente ajudar o mundo. Imagine um mundo onde as pessoas se
libertem do passado e vivam e amem o momento presente. Um mundo onde os
conflitos são resolvidos através do debate e da libertação, não com violência e
agressividade. Um mundo onde todos deixam de lado quaisquer sentimentos que não
sejam o amor e revelam sua verdadeira natureza atenciosa. Um mundo que ajuda as
pessoas a serem elas mesmas. Este é o mundo que vejo à medida que mais e mais
pessoas aprendem a liberar e amar o que existe.
Se você participa dessa visão, incentivo-o a compartilhar este livro com qualquer
pessoa que você acha que pode se beneficiar com a mensagem que ele contém.
Evite, no entanto, que o entusiasmo inicial o faça agir como os jovens da história a
seguir. Em uma reunião de escoteiros, dois meninos relatam suas boas ações ao líder
do grupo. O primeiro se levanta e diz que ajudou uma senhora a atravessar a rua. Aí o
outro se levanta e diz que ajudou a mesma senhora a atravessar a rua. O patrão fica
intrigado e pergunta: "Por que vocês dois tiveram que ajudar a mesma senhora a
atravessar a rua?" E os meninos respondem em uníssono: "Porque eu não queria
andar."
Muitos de nós, quando estamos entusiasmados com uma ideia, podemos exagerar o
desejo de compartilhá-la. Não espere que todos engulam à força todas essas ideias.
Compartilhe o comunicado apenas com aqueles que são receptivos e interessados.
Por outro lado, é possível que as pessoas estejam mais interessadas do que você
pode imaginar a princípio.
Uma das descobertas mais libertadoras e reveladoras que fiz quando comecei a ensinar o
Método Sedona foi a diversidade de pessoas que foram atraídas e influenciadas por este
trabalho. Minha experiência confirma minha convicção de que qualquer pessoa que
sinceramente deseja mudar ou melhorar sua vida e tem a menor disposição de fazer algo a
respeito, pode se beneficiar do Método Sedona. Convido você a se juntar a mim para
compartilhar com o mundo a mensagem de possibilidade e liberdade.

192

Os próximos passos

Parabéns por completar o Método Sedona. Quando você aplica o que aprendeu ao seu
desejo de ter tudo o que decidir na vida - incluindo o conhecimento
transcendental - você verá seus chamados problemas desaparecerem e sua liberdade
natural brilhar com intensidade crescente. Quando você incorporar a liberação em
sua vida, isso se tornará mais fácil, assim como o uso dessas técnicas. Mesmo as
metas que você pensava serem as mais inatingíveis se tornarão realidade mais
facilmente. Essa progressão continuará até que você se sinta confortável o tempo
todo com o Ser que sempre foi e veja a perfeição de Tudo o que Existe. As sugestões
a seguir têm como objetivo ajudá-lo a obter permanentemente o máximo do material
deste livro:

1. Aplique este material a todos os aspectos de sua vida. Analise e pense sobre
liberdade e liberação por alguns minutos todos os dias. Será o suficiente para obter
grandes lucros. No entanto, se você deixar a liberação estar em sua mente e coração
ao longo do dia, os resultados aumentarão exponencialmente. Como tudo o mais,
quanto mais energia você coloca no processo, mais você obtém dele.

2. Reveja o material com freqüência. Quanto mais você reler as ideias deste livro e
aplicá-las, mais você aproveitará delas. Ao crescer internamente, você entenderá
melhor o que aprendeu e saberá como aplicá-lo com mais força. Sempre que reler o
livro, pense que o está lendo pela primeira vez. Analise todos os exercícios com a
melhor disposição possível.

3. Compartilhe o que você aprendeu. Conversar sobre essas ideias e exercícios com
seus amigos, familiares e conhecidos expandirá e aprofundará seu conhecimento.
Rodear-se de pessoas com atitude semelhante à nossa e interessadas em aprofundar
sua liberdade e libertação de suas penas traz benefícios adicionais. No entanto,
compartilhe este material apenas com aqueles que estão genuinamente interessados
em aprender sobre ele. Reconheça o Ser das pessoas que encontrar, considere que
elas já são perfeitas, quer compartilhem do seu interesse ou não.

4. Forme um grupo de apoio para o Método Sedona ou junte-se a um que já exista.


“Sempre que dois ou mais se encontram em meu nome” há uma recarga de energia.
Quanto maior o grupo, maior será a energia. Lester Levenson costumava dizer que a
energia do grupo é "quadrada". Em outras palavras, duas pessoas têm a força de dois
multiplicada por dois; três, três vezes três, etc. Outro benefício de participar de um
grupo é ver o material de uma perspectiva diferente da nossa, o que aguça nosso
entendimento. (Consulte "Orientações do Grupo de Apoio ao Método Sedona").

5. Leia o livro Happiness is free e é mais fácil do que você pensa, que escrevi em
colaboração com Lester Levenson. Nele você aprenderá o Processo Holístico de
Libertação TM e conhecerá alguns dos fundamentos do Método Sedona. No livro, as
palavras e aforismos de Lester, todos de grande força, são acompanhados por meus
comentários e exercícios.

6. Aprofunde seu conhecimento do Método Sedona® participando de seminários ou


seguindo os programas de áudio ou online apresentados pela Sedona Training Associates.
Neste livro, tentei o meu melhor para entregar o curso inteiro de maneira acessível e fácil de
aplicar. No entanto, para muitos, a leitura do livro não pode

193

substituir a compreensão experiencial1 que deriva de um aprendizado mais interativo


do Método. Todas essas formas de aprendizagem se complementam.

7. Se você faz parte de uma organização ou grupo que deseja aplicar essas idéias a
todo o seu sistema, pode entrar em contato conosco para saber mais sobre nossos
Programas do Método Sedona, que personalizamos para cada caso.

Sedona Training Associates


60 Tortilla Drive
Sedona, AZ, 86336
(928) 282-3522 ou (888) 282-5656

Você tem a chave para sua felicidade, sua saúde, seu bem-estar e seu sucesso. Tudo
o que você precisa fazer é usá-lo para desvendar os segredos da liberdade e da
felicidade que estão esperando para serem descobertos em seu próprio coração.
194

Orientação para grupos de apoio do


Método Sedona

O objetivo de um grupo deve ser ajudar cada um de seus membros a obter o máximo do uso
do Método Sedona. É importante que seja criado um espaço seguro onde todos se sintam
livres para participar, mas nunca pressionados a fazê-lo. A melhor maneira de criar esse
ambiente é que cada reunião do grupo - se você decidir fazer reuniões - seja conduzida por
uma pessoa diferente. Isso impede que alguém domine o grupo e também incentiva seus
membros a adotar a atitude de ajudar os outros.
Quando alguém levanta um problema físico ou mental que normalmente deve ser
tratado por um profissional médico, deve-se encorajá-lo a buscar esse tipo de ajuda
profissional. Os grupos de apoio nunca devem ser usados como um substituto para
cuidados médicos competentes, mas como um auxílio para o crescimento pessoal e
espiritual de cada um de seus membros.
Todos os membros do grupo devem comprometer-se a que nada de caráter pessoal
saia do grupo e que seja compartilhado nas reuniões. Desta forma, todos os
participantes se sentirão perfeitamente seguros e confortáveis. É um compromisso
que deve ser lembrado sempre que o grupo se reúne.
Para facilitar o suporte máximo, é útil que o grupo se reúna semanalmente. Se essa
frequência for considerada difícil, uma reunião por mês será suficiente.
Se as casas particulares costumam se reunir, é conveniente mudar de casa para
dividir os inconvenientes lógicos. O ideal é encontrar um local público e confortável
para todos. 3 As instruções a seguir são para o líder do grupo de apoio.

Aceitar tudo

Leia as seguintes perguntas sobre libertação em voz alta para o grupo. Em seguida,
deixe alguns minutos de silêncio para que todos possam se concentrar e tomar
consciência de sua presença na sala. Tente criar um espaço onde todos os
participantes se sintam seguros.

Solte perguntas para iniciar um


grupo de apoio

Essas perguntas são apenas diretrizes. Você pode usá-los antes de adicionar qualquer
outro que tenha visto neste livro. Se alguém no grupo tiver o Programa de Áudio do
Método Sedona, as perguntas de lançamento nas fitas podem ser usadas, que você
também pode usar posteriormente para exercícios nas reuniões desse grupo de apoio.

Sente-se, fique à vontade e concentre-se. Você pode fechar os olhos ou mantê-los


abertos, como quiser.
Inspire profundamente e, ao expirar, deixe qualquer tensão em seu corpo ser liberada.
Examine cuidadosamente o seu corpo para localizar qualquer tensão. (Pausa). Se
você encontrar algum: você poderia liberar o desejo de controlá-lo e deixá-lo ir? Agora
pense nas últimas 24 horas e veja se há algo nelas que você gostaria de alterar ou
controlar. (Pausa). Se houver: você poderia abrir mão do desejo de mudar ou controlar
isso?

195

Existe em sua vida, neste momento, alguma pessoa ou alguma circunstância que
gere um sentimento de desejo de aprovação? (Pausa). Se sim: você poderia
abandonar o desejo de aprovação?
Você disse ou fez recentemente algo que criou um desejo de aprovação? (Pausa). Se
sim: você poderia abrir mão desse desejo de aprovação?
Procure nas últimas 24 horas por algo que continua a preocupá-lo. Essa pessoa ou
situação em que você pensa gera um sentimento de desejo de aprovação, controle,
segurança ou sobrevivência? (Pausa). Se sim: você poderia permitir que tal desejo
fosse liberado? (Repita o processo se necessário)
O fato de estar aqui esta tarde gera algum desejo em você? (Pausa). Nesse caso,
considere se é um desejo de aprovação, controle, segurança ou sobrevivência.
(Pausa). Qualquer que seja esse desejo:
Você poderia se permitir deixar isso ir?
Pense se há algo em mim, como líder do grupo de apoio, que desperta desejo em você. É um
desejo de aprovação, controle, segurança ou sobrevivência? Qualquer que seja esse desejo:
você poderia deixá-lo se soltar? (Repita o processo se necessário).
Se você surgiu com um determinado tópico para trabalhar esta tarde, veja qual é o
seu desejo ATUAL neste tópico. (Pausa). É um sentimento de desejo de aprovação,
controle, segurança ou sobrevivência? (Pausa). Qualquer que seja o desejo: você
poderia deixar pra lá? (Repita o processo se necessário).
Agora concentre-se no que você deseja agora: aprovação, controle, segurança
ou sobrevivência. (Pausa). Qualquer que seja o desejo: você poderia deixar pra lá?
Concentre-se novamente em seu desejo ATUAL. (Pausa). Você poderia deixá-lo se
soltar? Analise um pouco mais o seu interior para se dar conta de qual é o seu desejo
ATUAL. Seja o que for: você poderia deixar isso ir?
Aos poucos, deixe sua consciência se concentrar em aspectos mais externos e,
quando estiver pronto, se ainda não o fez, abra os olhos.

Romper o elo

Deixe que os membros do grupo se conheçam pelo nome e falem uns aos outros
sobre os benefícios que já ganharam com o uso do Método Sedona.

Trabalhem em pares

Faça com que o grupo forme pares que possam se ajudar fazendo um exercício do
Método Sedona. Escolha um exercício adequado do livro, por exemplo, a libertação
geral, o Processo de Prós / Contras, o Processo de Gosta / Não Gosta ou o
Procedimento de Limpeza. Demore cerca de 30 minutos para fazer exercícios. Diga
aos pares para alternar o papel de facilitador do exercício para o parceiro, ou cada um
para passar 15 minutos se analisando com a ajuda do outro.
Diga a todos para abrirem sua cópia do Método Sedona no exercício que está sendo
feito, para que possam se lembrar das fases dos vários processos. Então, antes de se
dividirem em pares, leia o seguinte em voz alta:

Instruções para trabalhar em pares

Colabore com seu parceiro da melhor maneira possível. Reconheça seu Eu e permita
que ele faça suas próprias explorações. Quando você atua como um facilitador na
liberação deles, tente se liberar também. Você perceberá que, se tiver uma atitude
aberta, é algo que ocorre naturalmente. Evite dirigir seu parceiro, julgar suas
respostas ou reações, ou aconselhá-lo. Além disso, evite falar sobre as verificações
até terminá-las e ficar em silêncio por alguns minutos. Certifique-se de aceitar os
pontos de vista de seu parceiro, mesmo que eles não concordem com os seus.

196

Você não quer desempenhar o papel de conselheiro ou terapeuta, mesmo que um deles seja
sua profissão. Se seu parceiro estiver em uma situação médica que normalmente exigiria a
atenção de um profissional médico, recomende que ele busque ajuda para essa situação
específica. Se você não tiver certeza se ela precisa ou não de cuidados de saúde, pode
recomendar que ela consulte um médico, só para garantir.

Faça o grupo compartilhar

Peça aos membros do grupo que compartilhem voluntariamente os resultados de


fazer os diferentes exercícios. Certifique-se de que o resto do grupo aceite suas
opiniões e ajude-os a se desapegar e a alcançar maior liberdade.

Compartilhe os benefícios

Se solicitado, dá ao grupo mais uma chance de compartilhar os benefícios


alcançados.

Liberação opcional
Se houver tempo, leia o mesmo conjunto de perguntas de libertação (ver página 370)
que foi lido no início da reunião - substituindo o período de 24 horas com base na
duração da reunião - ou reproduza a fita de outro processo do Programa de áudio do
método Sedona.

Fique quieto

Deixe o grupo ficar em silêncio por alguns minutos, a fim de se tornar consciente de


seu Eu.

Obrigado a todos pela ajuda

Agradeça a todos por terem vindo à reunião e incentive-os a manter o silêncio interior
ao voltar para casa ou continuar a jornada. Lembre-os do dia, hora e local da próxima
reunião e sugira que convidem seus amigos.

197

Benefícios obtidos com


Método Sedona

Use o espaço abaixo para compartilhar os benefícios que você ganhou com o uso
deste material. Se preferir, você pode usar uma folha de papel separada ou nos enviar
um e-mail para:

release@sedona.com

Para comunicar esses benefícios para nós.


Autorizo Sedona Training Associates a citar meus comentários em materiais
promocionais e livros futuros.

Empresa: _______________________________________________________________
Nome: ______________________________________________________________
Direção: _____________________________________________________________
Telefone: _____________________________________________________________
E-mail: _______________________________________________________________

198

O autor

H ALE DWOSKIN é Diretor Executivo e Chefe de Treinamento da Sedona Training


Associates, uma organização com sede no Arizona. Em 1996, ele co-fundou a
empresa, que tem como objetivo ministrar cursos sobre técnicas de liberação
emocional concebidas por seu mentor, Lester Levenson. Ele dá palestras em todo o
mundo e foi professor na Esalen e no Omega Institute. Nos últimos 25 anos, ele
ensinou o Método Sedona a indivíduos e empresas nos Estados Unidos e no Reino
Unido e, desde o início da década de 1990, ele conduziu cursos de treinamento com
instrutores e retiros avançados. Ele é coautor de Happiness is free e é mais fácil do
que você pensa (uma série de cinco livros).
Sedona Training Associates é uma organização educacional e de treinamento criada
para continuar a cumprir o desejo de Lester Levenson de compartilhar os métodos
práticos e eficazes que ele descobriu para remover as barreiras auto-impostas à
riqueza, saúde e riqueza, felicidade e sucesso.
Milhares de pessoas de todas as esferas da vida ao redor do mundo já se
beneficiaram desse trabalho durante os quase 30 anos de história do Curso Método
Sedona. Hoje, Sedona Training Associates organiza seminários nos Estados Unidos,
Canadá, Austrália, Grã-Bretanha, Europa e Japão. Além disso, publica programas em
fita que são distribuídos em todo o mundo. Também publica um boletim informativo
trimestral, Release, e tem seu site: wwwsedonapress.com
199

Índice
Prefácio de Jack Canfield ……………………………………………………………… .1
Nota do autor ………………………………………………………………………… .... 1
Introdução ………………………………………………………………………………… ... 2

PARTE UM - CURSO DE MÉTODO SEDONA

1.- Além do ciclo de repressão-expressão …………………………………………… 11


2.- Sua fórmula para o sucesso ……………………………………………………………. 24
3.- Seu mapa para alcançar a liberdade emocional …………………………………… .. 36
4.- Elimine sua resistência ……………………………………………………………… 53
5.- Sua chave para a serenidade ………………………………………………………… 62
6.- Aprofunde sua liberação ……………………………………………………… .. 68
7.- Liberar as quatro necessidades básicas …………………………………………… 75
8.- Defina e alcance seus objetivos …………………………………………………………. 91
9.- Além de apegos e aversões ………………………………………… .104
10.- Boa tomada de decisão ………………………………………………… ..109
11.- O procedimento de limpeza …………………………………………………… ..114
12.- Resumo …………………………………………………………………………… 121

PARTE DOIS - APLICAÇÃO DE VIDA REAL

13.- O segredo para se livrar do medo e da ansiedade …………………………… 135


14.- Fugindo da tirania da culpa e da vergonha …………………………………… 141
15 .- Acabar com os maus hábitos …………………………………………………… .145
16.- Construa sua própria riqueza ……………………………………………………… ..151
17.- A magia dos relacionamentos ………………………………………………………. 160
18.- Transbordando de saúde …………………………………………………………… ... 170
19.- Liberdade e eficácia nas organizações ………………………………………. 182
20.- Ajude o nosso mundo …………………………………………………………. 190

As próximas etapas …………………………………………………………………… 193


Orientações do Grupo de Apoio ao Método Sedona …………………… .. 195
Benefícios obtidos com o Método Sedona ……………………………………… ... 198
O autor………………………………………………………….......................... ......... 199

200