Você está na página 1de 6

Estudo do Controle da Retração em Concretos com Adição

de Fibras
Damando, F. 1; Rigonatto, L.2
Graduandos, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil
Da Silva, R. V. 3
Professor Esp., Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil

1
felipedamando@gmail.com; 2 lucas.rigonatto@gmail.com; 3 rvseng@gmail.com

RESUMO: A retração em concretos, tanto a plástica, hidráulica ou autógena, pode ocasionar em patologias que afetam
diretamente a durabilidade da estrutura. Este artigo visa apresentar aspectos relacionados ao diagnóstico e controle da retração em
compósitos cimentícios. A adição de fibras é uma forma de controle da redução de volume do concreto, em que as dimensões e
os tipos de fibras utilizadas, influenciam o controle da retratibilidade do concreto. Para esse estudo foi utilizado o método de
mapeamento literário, por meio de seleção de artigos científicos disponíveis nas bases ScienceDirect, Compendex e Scopus. As
fibras sintéticas de baixa espessura com até 0,5% do volume total de concreto se mostrou eficaz no controle da retração.

Palavras-chaves: concreto, retração, fibras, redução de volume, fissura, polipropileno.

Área de Concentração: Construção Civil.

2 INTRODUÇÃO A medida mais efetiva para se atenuar a retração


plástica é prevenindo a perda de água da superfície do
O concreto é o material de construção mais usado no concreto, com a execução correta da cura. Em alguns
mundo. É certo que o concreto tem um desempenho casos, entretanto, a cura sozinha não é o mais
mecânico notável, grande versatilidade e uma adequado, e medidas adicionais devem ser aplicadas.
eficiência econômica quando se comparado outros Como ter um bom controle de temperatura, proteger a
materiais de construção. Porém o concreto possui estrutura de ventos fortes ou a adição de misturas no
fragilidade aos esforços de tração, além disso, o concreto para redução da retração. (BANTHIA;
concreto passa por redução de volume devido à perda GUPTA, 2006)
de umidade por hidratação e evaporação. Essa
Segundo Boshoff, William e Riaan (2013) existem
mudança de volume é denominada retração. (PARK;
algumas maneiras de se prevenir a retração no estado
YOO, 2012).
plástico do concreto, pode-se citar as seguintes:
O concreto pode sofrer a retração tanto no estado redução da severidade do ambiente em que se está
fresco quanto no estado endurecido, as retrações usando o concreto, diminuição da taxa de evaporação
denominadas autógena e hidráulica prevalecem no de água, redução do tempo de aplicação do concreto e
estado endurecido do concreto, enquanto a retração do adensamento e também com a adição de fibras de
plástica ocorre no estado fresco. pequena espessura, o que leva a um controle
A retração no estado fresco do concreto, denominada significativo da retração.
retração plástica, ocorre na superfície do concreto, nas As retrações autógenas não estão ligadas a temperatura
primeiras horas de aplicação. Essa perda de água pode e ao ambiente em que se encontra o concreto e sim por
ocorrer devido a evaporação, podendo ser ocasionada ocorrência de uma redução de água livre nos poros que
pela temperatura elevada e baixa umidade do fazem a migração devido às reações químicas na
ambiente, sujeição do elemento em concreto a ventos hidratação (BALTHAR, 2014). Com isso a retração
fortes, e também devido à sucção de águas pelas ocorre devido à tensão superficial que contrai a pasta
formas e pelos substratos. de concreto.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 1


Na retração autógena os materiais usados, os tamanhos retração plástica, impede o lascamento, fornece
dos poros estão diretamente ligados a contração do resistência ao impacto, fornece resistência a abrasão e
concreto. Quanto menores os poros, maiores serão as aumenta a tenacidade. A adição de elevado teor de
tensões no menisco capilar e maior será a contração fibras de polipropileno tem pouca interferência sobre
volumétrica. Assim, quanto mais “refinada” a mistura os valores de resistência à compressão e módulo de
do concreto, maior será a retração autógena (CEB/FIB, elasticidade.
1991).
O efeito da retração no concreto está relacionado à
evaporação de água na mistura, mas ela pode ocorrer 3 OBJETIVO
em diversas fases do processo (cura, pega, vida útil do
O objetivo desta pesquisa é investigar o uso das fibras
elemento estrutural). A retração hidráulica ou por
no controle da retração do concreto, analisar como
secagem segundo Bastos e Cincotto (2000) é
esse material pode restringir a redução de volume,
ocasionada pelos componentes do concreto e depende
pontuar quais os tipos que são mais utilizados e mais
da composição química do cimento e dos agregados.
eficazes, de acordo com artigos publicados sobre o
Essa deformação ocorre nas primeiras 24h após a
assunto, selecionados por meio de um mapeamento
aplicação do concreto.
literário, verificar a influência da adição de fibras no
As aplicações do concreto reforçado com fibras são controle da retração do concreto e comparar os
tão variadas quanto os tipos de fibras que podem ser resultados encontrados, os métodos utilizados, as
utilizadas nessa adição. Bentur e Mindess (1990) diz dimensões e os tipos de fibras, conforme pesquisas
onde os diferentes tipos de fibras são utilizados com selecionadas.
mais frequências: as fibras de amianto são utilizadas
em tubos e em telhas onduladas ou planas; as fibras de
vidro são utilizadas em painéis pré-moldados não 4 CONTEXTUALIZAÇÃO
estruturais; as fibras de aço são usadas em
pavimentações, em pontes, em barragens, em concreto A norma de desempenho, NBR 15.575-1 (ABNT,
projetado e em uma variedade de outas estruturas; as 2013) define vida útil de projeto como sendo o tempo
fibras de polipropileno, que tem uso crescente, estão para o qual o sistema projetado deve atender aos
sendo usadas para reforço secundário e para o controle requisitos de desempenho. A Norma traz como tempo
de fissuração causado pela retração. mínimo de vida útil para sistemas estruturais o período
Segundo Nunes (2006), os principais estudos de 50 anos. As deformações causadas pelas retrações
relacionados ao concreto com reforço de fibras de aço, podem fazer com que haja riscos de fissuração da
feitos no Brasil são: aplicações de fibras de aço em peça, o que pode criar situações que favorecem a
elementos de argamassa armada, aplicação de fibras corrosão da armadura, danificando assim o elemento
de aço em concreto projetado, caracterização de fibras estrutural, ou deixando a peça de concreto
de aço na resistência mecânica, avaliação da desprotegida podendo sofrer com o ataque de
trabalhabilidade, entre outros. intempéries, sulfatos e de dióxidos de carbono, além
de ocasionar em um desconforto visual para os
O reforço com fibras de aço pode ser uma alternativa usuários.
para combater a fissuração por retração em elementos
de superfície, porém as propriedades que ocorrem uma
melhora de forma mais acentuada, são a resistência à 5 MAPEAMENTO LITERARIO
fadiga, ao impacto, à tenacidade e à flexão. As fibras
de aço funcionam como uma ponte de tensão que Por meio do mapeamento literário construiu-se
diminuem a concentração das tensões e reduzem a esquemas de classificação e estruturação de uma área
propagação de fissuras (NUNES, FIGUEREDO 2006). específica de conhecimento. Conforme da Silva (2009)
As fibras de polipropileno são usadas como reforços a busca por publicações e artigos, pode ser realizada
em concretos e argamassas podendo se apresentar com através de palavras-chaves que se correlacionam com
três diferentes formas geométricas: monofilamentadas, o tema proposto. A análise dos resultados, no
multifilamentadas ou fitas extrusadas. Porem para o mapeamento literário, tem como finalidade mostrar a
combate de fissuras a forma mais recomendada e frequência, tipo e quantidade de publicações,
efetiva são as fibras monofilamentadas (LUCENA, relacionados a diferentes perspectivas sobre a questão
2017). pesquisada.

Segundo Lucena (2017), o uso de elevada fração Dentro do portal de periódicos da biblioteca virtual do
volumétrica de fibras de polipropileno como reforço MEC (CAPES), existem várias bases de pesquisa que
no concreto é vantajoso pois: inibe fissuras por podem ser utilizadas para praticar esse método. As
bases que foram selecionadas para realização desse

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 2


trabalho foram a ScienceDirect, Scopus e Compendex, 5.2 Analise qualitativa
por se tratarem de ser as bases mais completas e
A seguir são apresentadas abordagens e discussões
compostas por artigos de estimada relevância
relativas ao comportamento de retratibilidade do
científica. Dentro dessas bases, utilizou-se strings
concreto diante da adição de fibras. A pesquisa
(conjunto de palavras-chaves), relacionadas ao tema
abordou os artigos selecionados por meio do
com o qual se desejava pesquisar. Adotou-se a string
mapeamento literário.
composta pelas palavras concrete and shrinkage and
fiber and polypropylene (concreto e retração e fibra e
polipropileno). 5.2.1 Influências das fibras na retração
plástica dos concretos
5.1 Analise bibliometrica
Trata-se de uma revisão literária, em artigos Segundo Naaman e Wongtanakitcharoen (2005), o uso
encontrados em três periódicos da plataforma CAPES, de fibras curtas em misturas de concreto ou argamassa
sem restrição de idade. Esta pesquisa teve como para evitar que as fissuras causadas pela retração
objetivo investigar o uso das fibras no controle da plástica está crescendo de forma continua ao longo dos
retração do concreto, permitindo um comportamento anos. Um método de controle das fissurações,
no qual haja menor perda de água no seu estado amplamente aceito pela comunidade científica, é o uso
plástico, resultando em maior preservação das reações de fibras distribuídas aleatoriamente na mistura
químicas do concreto e sua integridade física. cimentícia, mais especificamente com adição de fibras
Segundo classificação proposta por Lacerda et al sintéticas finas com uma fração de volume adicionado
(2007), a pesquisa é considerada aplicada, pois se trata inferior a 0,5%.
do estudo de adições de fibras no concreto para fim de Segundo os estudos de Pelisser e Barros (2010), a
reduzir sua característica de retração, objetivando adição de fibras de reduzida espessura, de
conhecimento prático sobre tal. É exploratória, pois comprimento entre 12 mm e 15 mm, com porcentagem
utilizou-se a plataforma CAPES para obter de 0,05% e 0,10%, em relação ao volume de concreto
informações sobre o tema, sem necessariamente mostraram-se eficientes no controle das fissuras
propormos hipóteses sobre o tema, utilizando apenas a causadas pela retração plástica. Para uma fração de
pesquisa bibliográfica para obtenção dos dados. volume de 0,05%, observou-se uma redução do
As buscas foram iniciadas no dia 23 de Agosto de comprimento das fissuras de 75% para as fibras de
2017, e foram priorizados os artigos contendo o uso de polipropileno; de 68% para as fibras de vidro; de 63%
fibras de polipropileno, por conta da quantidade de para fibras de PET e de 51% para fibras de nylon;
material encontrada. Foram localizados 2341 títulos. enquanto, para uma fração de volume de 0,10%, a
Com esses artigos selecionados, foi feita uma redução no comprimento da fissura foi de 89% para
filtragem pela leitura dos títulos, aonde foram fibras de polipropileno; 77% para fibras de vidro; 75%
identificados e removidos os títulos duplicados ou fora para fibras PET e 63% para fibras de nylon, As fibras
do assunto proposto. Após essa primeira filtragem, de nylon mostraram baixa eficiência devido a
sobraram 138 títulos. Em seguida foi realizada uma características distintas no processo de fabricação e
seleção pela leitura dos resumos, a fim de selecionar consequentemente na sua interação fibra/cimento.
somente os artigos pertinentes ao tema proposto, Além da espessura das fissuras, foi observado uma
eliminando-se os artigos que envolviam adições de diminuição do número de fissuras no corpo de prova.
fibras referentes a outros fenômenos. Nesta segunda Segundo Neto e La Rovere (2005), aberturas de
filtragem foram eliminados 117, totalizando em 21 fissuras também poderiam ser avaliadas
títulos. quantitativamente, para o uso de uma fração, em
Os artigos selecionados aderentes ao tema foram volume, de fibras de 0,10% no concreto, em placas de
analisados a fim de entender qual a influência das argamassa observou-se que podem reduzir
fibras na retração, e a forma com que foram significativamente a abertura de fissuras. Estudos
adicionadas essas fibras no concreto. Buscou-se mostraram que a adição de fibras sintéticas em
identificar o tipo de fibra que foi utilizado, as suas quantidades > 0,10% reduzem ainda mais a fissuração.
dimensões, e os resultados dessas adições na retração, Uma concentração de 0,10% é amplamente utilizada
tanto no estado fresco quanto no estado endurecido. A para não aumentar excessivamente custos com
partir desses estudos, observou-se o quão eficiente são aquisição dos materiais.
as fibras no controle da retração. A análise estatística mostrou um efeito significativo
tanto para fração de volume de fibras quanto para o
tipo de fibra, em relação ao comprimento da fissura.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 3


Em relação ao padrão da trinca, a maioria das fissuras de retração máxima medidas foram igual a 72, 40 e 30
foram paralelas, fato também observado por outros microstrains, respectivamente, para aço, poliolefina e
pesquisadores. São indicadas frações de volume de fibras de polipropileno. Em concretos as amostras com
fibra de 0,10% ou mais nas placas de concreto pois fibras de aço, poliolefina e polipropileno, com adição
podem reduzir significativamente as aberturas devidas de de 0,1% de fibras em volume, apresentou
à retração plástica. (PELISSER; BARROS 2010) respectivamente deformações médias de 72%, 45% e
32% inferiores quando se comparado com o concreto
Segundo Saje e Bandeji (2013), nas primeiras horas de
de referência.
aplicação do concreto, a contribuição da adição de
fibras de aço para o controle da retração plàstica é As propriedades físicas das fibras possuem efeitos
consideravelmente pequena, em relação à mistura diretos na redução da abertura da fissura. As fibras de
cimentícia de referência. aço mostraram o melhor desempenho devido à sua
terminação em forma de gancho que contribuiu para
Segundo Banthia e Yan (2000), as fibras de
uma melhor aderência entre as fibras e a matriz. Fibras
polipropileno são altamente eficazes no controle de
de polipropileno também demonstraram melhora no
fissuras devidas à retração plástica no concreto. Em
desempenho na prevenção do desenvolvimento de
geral, as fibras reduzem a área total de fissuração, a
fissuras.
largura máxima da trinca e o número de fissuras. Com
o aumento da fração de volume de fibras adicionadas, A adição de fibras não só diminuiu a retração
consegue-se melhora na efetividade da contenção das hidraulica, como também adiou o tempo inicial de
fissuras. aparição de fisuras, fato este observado por varios
pesquisadores. Segundo os estudos de Youselfieh e
Após a análise dos resultados das pesquisas
Joshaghani (2017), a primeira fissura, aparece após
selecionadas, ficou nítido que as fibras influenciam na
144 h em concretos com adição de fibras de aço em
retração plástica que ocorre no concreto. Algumas
vez de 48 h como ocorrido no concreto de controle da
fibras se mostraram melhores para o controle das
sua pesquisa. O formato das fissuras no concreto
fissuras, as fibras de polipropileno com volume de
controle foi diferente do concreto com fibras, uma vez
0,05% a 0,5% são as que mostraram os melhores
que nesse, se apresentavem mais finas e menores.
resultados, diminuindo o número de fissuras e também
o seu tamanho. As fibras de aço são as menos Analisando os resultados das pesquisas relacionadas a
influentes no controle da retração plástica, já que não retração de secagem, nota se que as fibras tem grande
alteram os resultados nas primeiras horas de aplicação. influencia nas misturas de concreto, diminuindo a
espessura das fissuras significativamente.
Com relação a trabalhabilidade do concreto com
adição de fibras embaixo volume, não se observou
perda significativa da trabalhabilidade, em relação ao 5.2.3 Métodos para medição do avanço de
concreto controle. fissuras em concretos

5.2.2 Influência das fibras na retração


hidráulica dos concretos Existem várias técnicas para se estudar as fissuras por
retração induzida em materiais cimentícios. O método
mais utilizado inclui a produção de um corpo de
Geralmente, a retração hidráulica ou de secagem em prova, que exposto à temperatura e umidade
concretos normais é de aproximadamente 700 micro controladas, consegue com o auxílio de microscópio
strain (micro strain é uma unidade de deformação dar às medidas da retração do concreto.
adimensional) que podem levar a valores mais altos se A aplicação feita por Pelisser et al. (2010), se
aumentado o teor de cimento e a relação água cimento enquadra no método citado, no experimento foram
(YOUSEFIEH, 2017). moldados corpos de prova retangulares, para assegurar
As fibras curtas, assim como para o controle da relação geométrica entre superfície e volume típico
retração plástica, se mostram mais eficazes no controle das lajes de concreto. As placas foram expostas às
da retração hidráulica do que as fibras de espessuras mesmas condições ambientais, ou seja, mesma
maiores.(SERDAR; BERICEVIC; RUKAVIANA, temperatura, umidade do ar e velocidade do vento,
2015) dentro de uma sala climatizada (Fig.1).

Segundo Noushini e Vessalas, o controle da retração


por secagem é altamente dependente do módulo de
elasticidade das fibras. Em amostras de concreto com
um teor de fibra de 0,1% (em volume), as deformações

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 4


Uma técnica para reproduzir simulações realistas foi
desenvolvida segundo Banthia e Yan (2000), nesse
método, uma camada fresca de argamassa é colocada
diretamente sobre uma base firme de substrato (Fig.4).
Essa “base de substrato” tem protuberâncias, o que
aumenta sua rugosidade e, por sua vez, impõe uma
restrição uniforme na base do substrato. Todo o
experimento é exposto a um ambiente seco para
induzir fissuras pela retração do material, que é
medida com o uso de um microscópio de alta
Figura 1 – sala climatizada, simulando condições de ampliação.
colocação de concreto em clima quente. Fonte: Pelisser
et al (2010).

Segundo Serdar, Bericevic e Rukaviana (2015), a


amostra pode ser feita linearmente com as bordas
ancoradas, simulando a forma de uma viga (Fig.2).
Pode também ser produzida no formato de anel, onde
a restrição ocorrerá em duas direções ortogonais
(Fig.3).

Figura 4 – Base de substrato com proeminências. Fonte:


Banthia e Yan (2000).

6 CONCLUSÕES

Algumas variáveis das pesquisas não foram


analisadas, pois poderiam tomar grandes proporções e
tirar o foco da pesquisa. A diferença entre os métodos
utilizados na medição dos avanços e as diferenças de
Figura 2 – Amostra linear para medição da retração no
medidas de deformações impossibilitou de comparar
concreto. Fonte: Serdar, Bericevic e Rukaviana (2015).
alguns resultados encontrados pelos pesquisadores.
Apesar desses contratempos, a análise geral dos
resultados demonstrou uma linha de tendência
coerente com o que foi esperado, sugerindo por
exemplo o uso de fibras com volume de até 0,5% do
volume total de concreto.
A adição de volumes de 0,05% a 0,1% de fibras
sintéticas curtas, apresentaram os melhores resultados
de custo benefício no controle da retração plástica, por
não onerar o custo do compósito cimentício e nem
comprometer de forma significativa sua
trabalhabilidade.
As fibras sintéticas e de aço contribuem no controle da
retração hidráulica, em que fatores relevantes para o
desempenho dessas fibras são o seu formato e o seu
módulo de elasticidade.
Entre os ensaios para averiguação da eficiência da
Figura 3 – Teste em andamento da forma em formato de adição de fibras em concretos e/ou argamassas, no
anel. Fonte: Serdar, Bericevic e Rukaviana (2015). controle da retração hidráulica e plástica, pode-se

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 5


destacar como mais eficiente a medição por meio da Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo,
indução de uma amostra com ampla superfície às São Carlos, 2017.
condições climáticas severas (temperatura, umidade
do ar e velocidade do vento), controladas em ambiente MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M. Concreto:
laboratorial. microestrutura, propriedades e materiais. 3. ed.
IBRACON: São Paulo; 2008.
NAAMAN AE, WONGTANAKITCHAROEN T,
7 AGRADECIMENTOS HAUSER G. Influence of different fibers on plastic
shrinkage cracking of concrete. ACI Mater J
2005;102(1):49–58.
Agradecemos ao professor Reginaldo Virgílio da Silva
NOUSHINI, A; VESSALAS, K; ARABIAN, G. Drying
por nos orientar e por se dispor com seu tempo a nos Shrinkage Behaviour of Fibre Reinforced Concrete
ajudar nessa pesquisa. Incorporating Polyvinyl Alcohol Fibres and Fly Ash.
Aos nossos colegas e familiares que nos apoiaram e Centre for Built Infrastructure Research (CBIR), School
incentivaram na realização desse estudo. of Civil and Environmental Engineering, University of
Technology Sydney, P.O. Box 123, Broadway, Sydney,
NSW, Australia, 2014.
NUNES, N.L. Contribuição para a aplicação do concreto
8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS reforçado com fibras de aço em elementos de
superfície restringidos. 2006. 253 p. Tese (Doutorado)
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.
NBR 15575: Edificações Habitacionais – Desempenho – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo. São
Parte 1: Requisitos Gerais - Referências - Paulo.
Elaboração. Rio de Janeiro, 2013. NUNES, N.L.; FIGUEIREDO, A.D. Retração do
BALTHAR, V.K.B.L. Retração autógena e evolução de Concreto de Cimento Portland. Boletim Técnico. São
propriedades mecânicas de pastas pozolânicas. 2004. Paulo: Escola Politécnica, Universidade de São Paulo,
128 p. Dissertação (Mestrado) – COPPE, Universidade 2006. 59 p.
Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. QI, C; WEISS, J; OLEK, J. Characterization of Plastic
BANTHIA, N; YAN, C. Shrinkage cracking in polyolefin Shrinkage Cracking in Fiber Reinforced Concrete
fiber-reinforced concrete. ACI Materials Journal. using Image Analysis and Modified Weibull
University of British Columbia, Canada, 2000. Function. Materials and Structures. Purdue University,
BASTOS, P.K.X.; CINCOTTO, M. A. Retração de West Lafayette, Indiana, 2003; 36:386-395.
compósitos á base de cimento. 2000. SAJE, D; BANDEJI, B; et al. Shrinkage and Creep of
BENTUR, A; MINDESS, S. Fiber Reinforced Steel Fiber Reinforced Normal Strength Concrete.
Cementitious Composites. Elsevier Applied Science, Journal of Testing and Evaluation, Vol. 41, No. 6, pp.
London and New York, 1990. 959-969, 2013.
BOSHOFF, P. WILLIAM & COMBRINCK, RIAAN. SERDAR, M; BERICEVIC, A; RUKAVIANA, MJ.
Modelling the severity of plastic shrinkage cracking Shrinkage Behaviour of Fibre Reinforced Concrete
in concrete. Cement and Concrete Research, 2013. with Recycled Tyre Polymer Fibres. 2015.
COMITÉ EURO-INTERNACIONAL DU BÉTON. CEB- Department of Materials, University of Zagreb Faculty
FIP Model Code 1990 - Design Code. (Bulletin of Civil Engineering, Fra Andrije Kacica Miosica 26,
d’Information No.203). (s.L.), July 1991. 10000 Zagreb, Croatia.
. YOUSEFIEH, N; JOSHAGHANI, A; et al. Influence of
DA SILVA, É. R. P. Métodos Para Revisão E
fibers on drying shrinkage in restrained concrete.
Mapeamento Sistemático Da Literatura. UFRJ, p. Construction and Building Materials, vol 148, pp. 833–
131, 2009. 845 2016.
F. PELISSER, A. B. da S. NETO, H. L. LA ROVERE, R.
C. de A. Pinto. Effect of the addition of synthetic
fibers to concrete thin slabs on plastic shrinkage
cracking. Construction and Building Materials, vol. 24,
pp. 2171-2176, 2010.
J. J. PARK, D. YOO, S. KIM, and Y. YOON. Drying
shrinkage cracking characteristics of ultra-high
performance fibre reinforced concrete with
expansive and shrinkage reducing agents. Magazine
of Concrete Research, vol. 65, pp. 248–256, 2013.
LUCENA, J. C. T. Concreto reforçado com fibras de
polipropileno: estudo de caso para aplicação em
painel alveolar de parede fina. 2017. 83 f. Dissertação
(Mestrado em Engenharia de Estruturas) – Escola de

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Curso de Engenharia Civil 2018/1 6