Você está na página 1de 31

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA – UNAMA

Adeilson Miranda
Alexandre Soares
André Bueno
Flávio Castilho
Mariana von Paumgartten

ANÁLISE DA CARACTERÍSTICA DE SINALIZAÇÃO E FLUXO DE

TRÁFEGO

ESTUDO DE CASO: AV. DUQUE DE CAXIAS


Belém/10

2
UNAMA – UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

CCET – CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS

CURDO DE ENGENHARIA CIVIL

ANÁLISE DA CARACTERÍSTICA DE SINALIZAÇÃO E FLUXO DE

TRÁFEGO

ESTUDO DE CASO: AV. DUQUE DE CAXIAS

Adeilson Miranda
Alexandre Soares
André Bueno
Flávio Castilho
Mariana von Paumgartten

Trabalho apresentado à disciplina


Engenharia dos Transportes II
como requisito parcial do Iº NI,
orientado pela professora
Andreia Condurú.

Belém/10

3
SUMÁRIO

1. OBJETIVO.............................................................................................................p.4

2. METODOLOGIA....................................................................................................p.4

3. CARACTERÍSTICAS DA VIA................................................................................p.4

4. SINALIZAÇÃO.......................................................................................................p.7

4.1 VERTICAL............................................................................................................p.7

4.2 HORIZONTAL....................................................................................................p.11

4.3 DISPOSITIVOS AUXILIARES............................................................................p.14

4.4 DISPOSITIVOS DELIMITADORES...................................................................p.16

4.5 SEMAFÓRICA....................................................................................................p.17

4.6 ACESSIBILIDADE..............................................................................................p.19

5. ESTUDO DO FLUXO DE TRÁFEGO..................................................................p.22

5.1 CÁLCULO DAS VARIÁVEIS DE TRÁFEGO.....................................................p.22

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS.................................................................................p.26

7. REFERÊNCIAS....................................................................................................p.27

4
1. OBJETIVO

Analisar a Avenida Duque de Caxias, tendo como base suas características


de sinalização e fluxo de tráfego.

2. METODOLOGIA

a) Estudar a Avenida Duque de Caxias localizada na cidade de Belém


através de visita in loco;

b) Coletar e analisar dados de sinalização através de contagem, análise


fotográfica e dados do fluxo de tráfego;

c) Identificar os elementos que estão fora do padrão definido pelo Código


de Trânsito Brasileiro (CTB);

d) Apresentação de possíveis melhorias através de maquete.

3. CARACTERÍSTICAS DA VIA

A Avenida Duque de Caxias está localizada no município de Belém. Segundo


o Portal ORM (2007), em 2007 a avenida sofreu uma reforma em decorrência de
dados obtidos pelo Detran-Pa, que apontaram a mesma como uma via muito
perigosa.

A “nova Duque”, como ultimamente é chamada pela população de Belém,


possui 2.650 metros de extensão (Figura 3.1) e beneficia diretamente os moradores
dos bairros de Fátima, Umarizal, Marco, Pedreira, Souza e Sacramenta.

5
Figura 3.1: Extensão da “Nova Duque de Caxias” com 2 650m.
Fonte: http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&tab=wl.

A via possui duas pistas de 13 metros de largura com três faixas cada uma.
Sua classificação é de uma via arterial e preferencial.
Para coleta de dados do fluxo de tráfego foi realizado uma visita técnica na
avenida Duque de Caxias próximo à esquina da travessa Humaitá, e foi feito um
projeto no software AutoCad deste perímetro, como mostra a figura 3.2.

6
Figura 3.2: Esquina de estudo do fluxo de tráfego.
Fonte: Elaborada pelos autores, 2010.

7
4. SINALIZAÇÃO

4.1 VERTICAL

Foram identificados os seguintes tipos de sinalização vertical:

Tabela 4.1: Sinalizações Verticais.


SÍMBOLO DESCRIÇÃO QUANTIDADE

PROIBIDO ESTACIONAR 31

LIMITE MÁXIMO DE
13
VELOCIDADE DA VIA

RETORNO 6

PROIBIDO VIRAR À
5
ESQUERDA

SENTIDO OBRIGATÓRIO 1

TRAVESSIA DE
4
PEDESTRE

PERMITIDO
6
ESTACIONAR

PROIBIDO PARAR E
1
ESTACIONAR

PARADA DE ÔNIBUS 9

Fonte: Código Nacional de Trânsito (CTB), 2010.


8
Após visita in loco, foram identificadas as seguintes não conformidades de
algumas sinalizações verticais:

• Placa em suporte não apropriado, como mostra a figura 4.1.

Figura 4.1: Placa de sinalização vertical proibido estacionar.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Placa com letra não conforme com o CTB, como mostra a figura
abaixo.

9
Figura 4.2: Placa de sinalização vertical de velocidade.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Placa de proibido estacionar em lugar que não existe local para


estacionamento, conforme a figura 4.3.

Figura 4.3: Placa de sinalização vertical proibido estacionar.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Falta de clareza na seqüência das placas, conforme figura 4.4.

10
Figura 4.4: Placa de sinalização vertical confusa.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Placas fora de alinhamento e posição, como mostram as figuras 4.5 e


4.6.

Figura 4.5: Placa de sinalização vertical sem alinhamento.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

11
Figura 4.6: Placa de sinalização vertical de ponta cabeça.

Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Placa que sofreu depredação (figura 4.7).

Figura 4.7: Placa de sinalização vertical depredada.

12
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

4.2 HORIZONTAL:

Foram identificados os seguintes tipos de sinalização horizontal:

Tabela 4.2: Sinalizações Horizontais.


SÍMBOLO DESCRIÇÃO QUANTIDADE

SIGA EM FRENTE OU
10
VIRE À DIREITA

FAIXA DE PEDESTRE 12

PARADA DE ÔNIBUS 15
ÔNIBUS
VELOCIDADE MÁXIMA
10
60 Km/h PERMITIDA

RETORNO 8

Fonte: Código Nacional de Trânsito (CTB), 2010.

Estão presentes nas vias, as sinalizações horizontais de cor branca e


amarela, como mostram as figuras abaixo.

13
Figura 4.8: Faixa de sinalização horizontal de cor amarela.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

Figura 4.9: Faixa de pedestres.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

14
Figura 4.10: Faixa de sinalização horizontal de cor branca.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

Após visita in loco, foram identificadas as seguintes não conformidades:

• Sinalização com baixa visibilidade.

Figura 4.11: Faixa de sinalização horizontal gasta.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

15
• Ausência de faixa de delimitação de estacionamento.

Figura 4.12: Ausência de faixa de delimitação de estacionamento.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

4.3 DISPOSITIVOS AUXILIARES

Foram encontrados os seguintes dispositivos:

• Dispositivo eletrônico complementar.

16
Figura 4.13: Placa com dispositivo eletrônico.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Taxinhas luminosas para melhor visualização do semáforo.

Figura 4.14: Tachinha luminosa verde.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

17
Figura 4.15: Tachinha luminosa vermelha.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

4.4 DISPOSITIVOS DELIMITADORES

• Tachinhas delimitadoras de faixa:

18
Figura 4.16: Tachinha com luz refletiva.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

A não conformidade encontrada foi:

• Tachinha com cor diferente da cor da faixa.

Figura 4.17: Tachinha com luz refletiva diferente da cor da faixa.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.
4.5 SEMAFÓRICA

19
O trecho escolhido para avaliação da sinalização semafórica foi o cruzamento
da Av. Duque de Caxias com a Tv. Humaitá. A sinalização semafórica encontrada na
via foi a seguinte:

Figura 4.18: Sinalização semafórica.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

Após análise, foram constatados os seguintes problemas:

20
• Sinalização semafórica fora do eixo, como mostra a figura 4.19.

Figura 4.19: Semáforo fora do prumo.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

21
• Ausência de semáforo de pedestre ou sonoro.

Figura 4.20: Travessia sem semáforo de pedestres e sonoro.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

4.6 ACESSIBILIDADE

A sinalização existente para pedestres com limitações físicas foram:

• Rampa para acesso à faixa de pedestres para portadores de


necessidades especiais (Figura 4.21).

22
Figura 4.21: Rampa de acesso à faixa de pedestres.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Piso táctil para auxiliar deficientes visuais (Figura 4.22).

Figura 4.22: Piso táctil para deficientes visuais.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

As não conformidades encontradas no quesito acessibilidade foram:

• Piso táctil sem continuidade (figura 4.23).

23
Figura 4.23: Piso táctil para deficientes visuais.
Fonte: Acervo dos autores, 2010.

• Rampa após término do piso táctil (figura 4.24)

Figura 4.24: Piso táctil para deficientes visuais.


Fonte: Acervo dos autores, 2010.

24
5. ESTUDO DO FLUXO DE TRÁFEGO

5.1 CÁLCULO DAS VARIÁVEIS DE TRÁFEGO

No dia 14 de março de 2010, a equipe realizou o levantamento dos dados


para efetuar os cálculos das variáveis em um trecho de 1km no sentido Igreja de
Fátima - Hangar, partindo da Travessa Humaitá até as proximidades da Av. Dr.
Freitas. Durante 30 minutos, foi feita a contagem dos veículos de cor cinza, obtendo-
se no total 220 veículos.
25
Para o cálculo da velocidade, foram observados os tempos de 10 veículos,
obtendo-se os seguintes dados:

Tabela 5.1: Velocidade veículos analisados.


VEÍCULO TEMPO (seg) VELOCIDADE (km/h)
V1 117,61 30,61
V2 113,39 31,75
V3 104,59 34,42
V4 89,55 40,20
V5 88,02 40,90
V6 85,21 42,25
V7 79,57 45,24
V8 68,86 52,28
V9 64,52 55,80
V10 61,43 58,60
Fonte: Elaborada pelos autores, 2010.

• Densidade

d = 220 veíc./km

• Taxa de Fluxo

q = 440 veíc./h

• Velocidade Média

26
Vm = 43,20 km/h

• Headway

ht = 8,18 seg.

• Espaçamento Médio

hs = 5 m/veíc.

• Tempo de Viagem Médio

tm = 62,92 s/m

• Velocidade Ótima
27
Vo = 30 km/h

• Densidade Máxima

dj = 786 veíc/km

• Densidade Ótima

dm = 393 veíc./km

• Relação entre Velocidade e Densidade

Tabela 5.2: Densidade de veículos analisados.


VEÍCULO VELOCIDADE (km/h) DENSIDADE (veíc./km)
V1 30,61 14,37
V2 31,75 13,86
V3 34,42 12,78
V4 40,20 10,95
V5 40,90 10,76
V6 42,25 10,41
28
V7 45,24 9,73
V8 52,28 8,42
V9 55,80 7,89
V10 58,60 7,51
Fonte: Elaborada pelos autores, 2010.

Gráfico 5.1: Relação entre Velocidade e Densidade.

29
6. CONSIDERAÇÕES FI NAIS

O presente estudo proporcionou à equipe a oportunidade da aplicação de


conhecimentos teóricos em prática na análise de trecho da Avenida Duque de
Caxias. A visita in-loco com análise fotográfica possibilitou a análise da sinalização
existente e verificação de não conformidades com as leis de trânsito. Os cálculos
realizados ajudaram na percepção das características do fluxo da via. Com
utilização de maquete, a equipe pôde trabalhar os itens de não conformidade e
apresentar de forma mais clara, possíveis melhorias para a Duque de Caxias.

30
7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Código Nacional de Trânsito. Disponível em:


<http://www.senado.gov.br/web/codigos/transito/httoc.htm>. Acesso em: 20 mar.
2010.

Google Maps Brasil. Disponível em: <http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-


BR&tab=wl>. Acesso em: 25 mar. 2010.

Portal ORM: O Liberal_Digital. Disponível em:


<http://www.orm.com.br/plantao/noticia/default.asp?id_noticia=292417>. Acesso em:
26 mar. 2010.

31