Você está na página 1de 5

Odontologia Eqüina

Tomei a liberdade de transcrever este artigo do Dr. Luis Mário Pires de Souza, médico
veterinário, dentista eqüino, (dr_marinho@bsi.com.br) para que todos os proprietários de
cavalos desportivos percebam a importância deste cuidado semestral em seus animais.

Agora nas férias das provas é uma época ideal para aproveitarmos e cuidarmos da boca de
nossos animais!

Dra Adriana Busato.

A rotina no cuidado dos dentes é essencial para a saúde de seu cavalo.

Exames periódicos e manutenção regular, como grosar os dentes, são procedimentos


especialmente necessários devido a várias razões:

O homem alterou a dieta e padrões alimentares dos cavalos com a domesticação e


confinamento dos animais

Cada vez mais é exigido melhor desempenho dos animais mais novos.

Os reprodutores são sempre escolhidos sem se levar em consideração a estrutura dental.

O procedimento usual de manutenção dental executado pelos veterinários consiste


basicamente em grosar os dentes dos cavalos. Este processo remove pontas afiadas dos dentes
proporcionando assim uma mordedura mais justa, plana e lisa, bem como ajuda a manter todos
os dentes no comprimento desejável (os dentes dos cavalos crescem continuamente).

Quando soltos nos campos, os cavalos pastam quase continuamente, recolhendo impurezas
que friccionam os dentes no processo de mastigação. Isto, mais o silicato no pasto, desgastam
os dentes. Porém, cavalos confinados não desgastam seus dentes da mesma forma, devido a
uma alimentação mais macia que requer menos mastigação, como grãos processados e fenos.
Isto faz com que os dentes do cavalo permaneçam excessivamente longos e/ou gastos de forma
desparelha.

A mastigação se dá por meio de movimentos laterais, o que provoca a formação de pontas


afiadas ao longo das extremidades dos dentes. Estas pontas devem ser grosadas para impedir
cortes nas bochechas e língua, que geralmente se transformam em feridas e úlceras
extremamente dolorosas.
Quando os pré-molares e molares estão desalinhados, se formam ganchos (como anzóis), e se
isto não for corrigido, estes ganchos podem se tornar tão longos que chegam a penetrar no
palato.

PROBLEMAS ODONTOLÓGICOS COMUNS

Os cavalos podem ter diversos problemas odontológicos. Os mais comuns são:

Pontas afiadas que se formam nos pré molares e molares, causando lacerações nas bochechas
e língua.

Retenção de dentes decíduos (dentes de leite).

Desconforto causado pelos dentes de lobo, quando em contato com o freio/bridão.

Ganchos formados nos pré molares e molares.

Caninos longos e afiados, interferindo na mordedura

Dentes quebrados ou perdidos.

Dentes excessivamente gastos

Dentes e/ou gengivas infeccionadas

Justaposição da mordedura fraca ou desalinhada (pode ser de origem congênita ou de


ferimentos)

Doenças periodontais (gengivas).

CORREÇÕES & MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Os dentes de lobo são sempre extraídos para prevenir interferência com a mordedura e a dor
associada a esta, principalmente dos animais que tem seu desempenho ligado a boca
(bridão/freio)

Sedativos, anestésicos locais e analgésicos relaxam o cavalo e o deixam mais tranqüilo durante
o tratamento odontológico. Estas drogas devem ser aplicadas somente por um médico
veterinário.
É importante detectar e tratar problemas odontológicos cedo. Esperar demais pode aumentar a
dificuldade de remediar certas condições ou mesmo se tornar impossível se reverter essas
condições.

Dentes soltos ou frouxos são, em geral, dentes insalubres, que deverão ser extraídos pelo
veterinário odontologista, de forma a reduzir as chances de infecção e outros problemas.

Os dentes caninos são normalmente aparados e grosados para prevenir interferência com a
mordedura.

RECONHECENDO PROBLEMAS DENTAIS

Cavalos com problemas odontológicos podem apresentar sinais óbvios, tais como dor ou
irritação, ou PODEM NÃO MOSTRAR SINAL ALGUM. Isto acontece por que alguns cavalos
simplesmente se adaptam ao seu desconforto. Por esta razão, exames odontológicos periódicos
são essenciais.

A seguir, veja alguns indicativos de problemas odontológicos:

O animal deixa cair alimento da boca durante a alimentação, tem dificuldade ao mastigar, e/ou
tem salivação excessiva.

Perda de condicionamento físico.

Pedaços grandes de alimento ou partículas não digeridas nas fezes (grãos inteiros,, etc.).

Balanço da cabeça, movimento constante de mascar, enrolar da língua, evitar morder, ou


resistência ao freio/bridão.

Desempenho fraco, tais como luta contra o freio/bridão, falhas ao parar ou virar, etc..

Odor desagradável na boca e/ou traços de sangue da boca.

VANTAGENS

Cuidados odontológicos apropriados tem as suas recompensas:


Seu cavalo não sentirá dor;

responderá muito melhor aos comandos;

processara a alimentação de forma mais eficaz;

seu desempenho será melhor;

Exames orais devem ser uma parte essencial em uma avaliação anual feita por um veterinário.
Os exames dentais provêm a oportunidade de executar uma manutenção preventiva rotineira.
O resultado é um cavalo mais saudável, com um desempenho melhor e O PROPRIETÁRIO DO
CAVALO MAIS FELIZ.

O FATOR IDADE

A idade do cavalo afeta o grau de atenção e freqüência dos cuidados dentais necessários:

Potros de 2 anos apresentam dentes com pontas afiadas o suficiente para causar danos aos
tecidos das bochechas e língua. O tratamento odontológico propicia uma alimentação mais
eficaz e mais conforto para o animal.

Cavalos em treinamento, especialmente os com 2 e 3 anos, necessitam um amplo exame


dental. Os dentes devem ser aparados, removendo as pontas, e os dentes de lobo, extraídos.
Isto deve ser feito antes do início da doma para evitar problemas com o treinamento devido a
dentes afiados e cortantes.

Cavalos com 2 a 5 anos requerem exames odontológicos mais freqüentes que os mais velhos.
Os dentes de leite tendem a ser mais macios que os definitivos podendo desenvolver pontas
mais rapidamente. Além disso, há uma extraordinária maturação dos dentes durante esse
período: 22 dentes serão substituídos, podendo ter de 12 a 16 dentes nascendo ao mesmo
tempo. Os exames devem ser feitos duas vezes ao ano, bem como as correções necessárias.

Se um cavalo começa a se comportar de forma anormal ou incomum, problemas odontológicos


devem ser considerados como causa em potencial

O cavalo deve ser submetido ao tratamento odontológico por um veterinário odontologista, no


mínimo uma vez por ano, ou conforme sua indicação. Lembre-se:

Nem sempre os sinais são evidentes!

Você também pode gostar