Você está na página 1de 12

c 

   
  

ccc
ͻSurge após revoluções Burguesas (Inglesa/ industrial e Francesa: Por volta de
1830;
ͻO século XVIII constituiu um marco importante para a história do
pensamentoocidental e para o surgimento da sociologia: As profundas
transformaçõespolíticas, econômicas e culturais levam ao surgimento da
Sociologia (CiênciaSocial ou Ciência da Sociedade).
ͻAs conseqüências da rápida industrialização foram trágicas: aumento
daviolência, da prostituição, do alcoolismo, da criminalidade. Além da
conflituosarelação Capital x Trabalho.
          
ͻEssas transformações colocavam a sociedade num plano de análise, a se
constituir em problema, em objeto que de veria ser investigado.
 !"     
ͻÉ a formação de uma estrutura social muito específica ʹ a sociedade capitalista ʹ
que impulsiona uma reflexão sobre a sociedade, sobre suas transformações,
suascrises e seus antagonismos de classe;
ͻNão é por mero acaso que a sociologia ʹ enquanto instrumento de análise ʹ
inexistia nas sociedades pré-capitalistas, uma vez que o ritmo e o nível
dasmudanças que aí se verificam não chegavam a colocar a sociedade como
͞umproblema͟ a ser investigado.
ͻAssim sendo, o surgimento da sociologia prende-se em parte aos
abalosprovocados pela revolução industrial, pelas novas condições de
existência porela criadas e também devido as modificações que vinham
ocorrendo nas formasde pensamento: na forma de buscar conhece r a natureza
e a cultura.
ͻNeste momento (que se iniciou com o renascimento) há uma    
#
$   , mítica, religiosa para explicar a realidade; 
ͻPassa a prevalecer a busca por uma indagação  : método da
observação e
da experimentação ʹ método científico;
ͻPós revoluções burguesas, já no século XIX, a ênfase continuará sendo
nopensamento e explicação racional, porém, a interpretação crítica e negadora
darealidade, marca dos ideais iluministas que orientou o projeto
revolucionário da

burguesia deveria ser superado em nome da organização da sociedade e


manutenção do status quo.

          
    ! 
1)Positi vista
2) Dialética

  
ͻÊnfase na ordem, hierarquia e harmonia social;
ͻNão maistransformar a realidade masorganizar através de regras a sociedade:
Ordem e Progresso;
ͻBusca estado de equilíbrio numa sociedade dividida pelos conflitos de classe;
ͻConteúdo estabilizador ʹ reforma conservadora ʹ leis imutáveis da vida
social;
ͻSurge com um interesse prático: resposta a crise social da época(XIX); vaipensar
a ordem social enfatizando a importância das instituições burguesas:
aautoridade, a família, a hierarquia social;
ͻProcura criar um objeto autônomo ͞o social͟ independente dos
fenômenoseconômicos, políticos, culturais. Teoria Social visa a manutenção da
ordemsocial.

  % & ' 
ͻFenômenos sociais não são independentes dos fatores econômicos, políticos
e
culturais;
ͻRealidade entendida como totalidade histórica: conhecimento crítico e
negadorda sociedade capitalista, evidencia as contradições e antagonismos de
classedesta sociedade;
ͻRelação intrínseca entre teoria e prática;
ͻLuta de opostos: luta de classes como motor da história.
ͻCompreensão dialética da realidade: (tese ʹ antítese ʹ síntese ʹ tese)
oposiçãosistemática: umatese gera dentro de si umaantítese, do choque
dialético entreesses dois pólos sobrevém uma nova situação histórica ( síntese)
que aindacarrega em si elementos do velho ( tese) e do novo (antítese), que se
instala, porsua vez, como tese novamente. Teoria Social voltada à
transformação da realidade.
    :
ͻAs explicações sociológicas sempre tiveram e têm intenções práticas: desejo
deinterferir nos rumos da sociedade, tanto no que se refere a manter a ordem
socialvigente como para contestá -la, mudá-la;
ͻO mundo, bem como as explicações sociológicas, se divide entre aqueles
queolhando a realidade querem mantê-la e aqueles que querem transformá-
la; entreo pensamento dialético e o pensamento positivista/conservador.
ͻA falta de um entendimento comum na sociologia (no estudo dos
fenômenossociais) tem haver com o fato de vivermos numa sociedade
dividida, marcadapelos antagonismos e conflitos de classe;
ͻO caráter antagônico e contraditório da sociedade capitalista impediu
umentendimento comum por parte da sociologia em torno ao objeto e aos
métodosde investigação da nova ciência social.

c  

à à à à
  à à  à
   à  
      

A organização social da Europa que emergiu da Idade Média já foi chamada


de sociedade de transição entre o feudalismo e o capitalismo.Entretanto,por
sua longa duração(por mais de três séculos)e pela relativa e stabilidade de suas
instituições,deve ser considerada em suas especificidades e características
próprias.A sociedade que se formou na Europa durante a Idade Moderna
constituiu um modelo complexo e específico de organização social, econômica
e política.Longe, portanto, de apresentar uma simples transição entre dois
sistemas.Após a Revolução Francesa de 1789,contudo,ela passaria a ser
chamada também de Antigo Regime.As duas denominações(Antigo Regime e
sociedade moderna)parecem contraditórias.Na verdade elas expõem as
inúmeras contradições que conviviam no interior dessa
sociedade.Assim,enquanto parte da economia,dominada pelo comércio,já era
capitalista,outra parte apresentava resquícios do sistema feudal.O Estado
praticava o poder de forma absolutista,mas o dinheiro comandava a vida
econômica e social.A burguesia oferecia seu apoio aos monarcas,mas a
nobreza continuava a ter privilégios entre os grupos sociais.

A palavra liberalismo surgiu após a Revolução Francesa para designar um


conjunto de doutrinas e idéias políticas e econômicas que defendiam os
conceitos de liberdade e autonomia individual.Como teoria, porém,as origens
do pensamento de John Locke(1632-1704),filósofo e cientista político
intimamente ligado à Revolução Gloriosa de 1688 -1689 na Inglaterra.Na
França,seu ponto de partida foram a s reflexões de Montesquieu e dos
pensadores iluministas sobre o Estado e os direitos naturais.

John Locke e os iluministas acreditavam que a liberdade consiste em um


direito natural,inerente a todos os seres humanos desde o nascimento.A
função do Estado seria defender e proteger essa liberdade,assim como outros
direitos inatos ao ser humano,entre os quais o de propriedade,o de
consciência e o de livre manifestação do pensamento.Esses princípios
formaram a base do liberalismo político onde quer que ele tenha se
manifestado.

A expressão Revolução Industrial é usada para designar um conjunto de


transformações sociais,econômicas e tecnológicas que teve início na Inglaterra
,na segunda metade do século XVIII.

Em pouco tempo,essas mudanças afetariam outros países da Europa e os


Estados Unidos,alterando definitivamente as relações entre as sociedades
humanas.

Os historiadores acreditam que a Revolução Industrial desempenhou um


papel vital no desenvolvimento do capitalismo.Marcada por uma intensa
acumulação de capitais na Inglaterra e por profundas transformações nas
formas de produção, na prática a revolução significou o advento da indústria e
da produção em série.
No âmbito social,surgiu o proletariado,classe social formada por
trabalhadores fabris e de transportes.Devido aos baixos salários,mulheres e
crianças sendo obrigadas a trabalhar,recebendo remuneração menores que a
dos homens.A Revolução Industrial causou graves conseqüências na vida dos
trabalhadores,pois não havia regras ou limites para o exercício do trabalho.Os
donos das fábricas impunham salários miseráveis e longas jornadas,que
chegavam à dezoito horas diárias.

Contra essa condição subumana,os trabalhadores de diversas


maneiras,resistindo,por exemplo,à mecanização crescente da
produção,considerada responsável pelo desemprego.Um dos episódios que
retrata bem a situação desesperadora dessa época foi a constante destruição
de máquinas pelos trabalhadores,principalmente entre 1811 e 181 2,forma de
protesto que ficou conhecida como ludismo.Os integrantes do movimento
ludista(nome derivado de Ned Ludd,que teria sido um dos líderes do
movimento) sofreram dura repressão e foram condenados à prisão e até à
forca. Ao longo do século XIX,os trabalhadores acabariam se organizando e
usando a força de sua classe profissional para reivindicar melhores condições
de trabalho e defender seus direitos.

-1-

Os elementos sociohistóricos que constituíram o ambiente de


desenvolvimento do pensamento positivista foram a Revolução Industrial , que
subverteu os modos de produzir e,com isso ,toda a estrutura social,a
dissolução do Ancién Regime (Antigo Regime)e a conseqüente ascensão
política da classe burguesa,que se tornou política e culturalmente dom inante
,e ficaram de um lado a burguesia e do outro lado, o proletariado.Pode -se
dizer que a idéia de uma ciência da sociedade elaborada de acordo com o
modelo científico-natural,iniciou-se no século XVIII,no período em que está se
desenvolvendo a filosofia das luzes,o enciclopedismo e a sua luta contra a
ideologia que era dominante nessa época,a ideologia clerical, feudal,
absolutista e que o positivismo tem um caráter utópico,ou seja,é uma visão
social do mundo utópica,crítica e revolucionária.A transformação se dá com
Augusto Comte que defendia o pensamento ser inteiramente positivo e
terminar com toda a crítica e negatividade,isto é,com a dimensão
revolucionária desse pensamento e diz que Condorcet nunca chegou a
descobrir as leis da sociologia por causa de seus ͞preconceitos
revolucionários͟.A palavra preconceito muda de sentido com Comte,enquanto
para o positivismo em sua fase utópica,o termo preconceito serve a
uma função revolucionária e crítica a preconceitos das classes
dominantes(clerical,absolutista,obscurantista,fanático,intoleranste,dogmático)
para Comte isso muda,é o preconceito revolucionário de Condorcet,que
apoiou a Revolução Francesa ,ou revolucionário socialista de Saint -
Simon.Nesta perspectiva, a luta contra os preconceitos muda de função de
uma luta utópica ,crítica,negativa e revolucionária para uma luta conservadora.

] àà àààà  àà 

A sociedade,agora reconhecida como organismo,isto é,como conjunto de


forças que penetram e subordinam a si as existências individuais(suas
partes),deve ser conhecida através de um ͞conhecimento
positivo͟(empírico,objetivo)que,de acordo com as leis de caráter natural que
regem a vida em sociedade,torne possível sua reorganização,ameaçada pelos
novos e crescentes conflitos.Portanto,ao invés de decisões fundamentadas em
interesses políticos ou valores éticos ou religiosos,a situação social deve ser
remediada de acordo com a aplicação técnica do conhecimento em
concordância com as leis que regem as sociedades humanas.Essa nova
corrente de reflexão social surgiu diretamente inspirada nas ciências
naturais,cujas descobertas influenciaram os primeiros cientistas
sociais;inclusive,o método analítico daquelas ciências serviu de modelo para as
análises dos pensadores positivistas,que se dedicaram à observação empírica e
à procura de leis que regem os fenômenos sociais,leis semelhantes àquelas do
mundo natural.Portanto,daí a primeira denominação da sociologia ter sido
͞física social͛.

Para Comte,os fenômenos sociais se submetem às leis naturais


invariáveis.Exemplo:a lei da distribuição de riquezas e do poder econômico
determinando a concentração das riquezas para os industriais,que é um
exemplo de lei invariável.natural,da sociedade,e esse estudo é da física social e
posteriormente da sociologia.E a sociologia tem que explicar aos proletários
essas leis invariáveis pois os mesmos devem se convencer desse caráter
natural da concentração indispensável das riquezas nas mãos dos chefes
industriais.Comte procura mostrar a necessidade eterna dos senhores do
capital.

Os males que resultam dos fenômenos naturais não podem ser evitados e
diante deles a atitude científica deve ser de sábia resignação,ou
seja,procurando apenas analisá-los e identificá-los.Utilizando esse princípio aos
males políticos(desemprego,miséria,fome,monarquia absoluta)que são
resultados das leis naturais,não se pode evitar e não depende de qualqu er
vontade social quanto as outras,a atitude correta,positiva,científica é também
de ͞sábia resignação͟.E se esta for compartilhada por todos e,pelo
proletariado principalmente,teremos consolidado solidamente a ordem
pública.Esse é o sentido conservador do positivismo de Comte,ao observar um
deslocamento,de mudança de direção do positivismo,do campo
crítico,utópico,revolucionário,para o campo conservador e legitimador da
ordem estabelecida.

-2-

 à  à à  ]     àà à     


    à     à  .

A partir de 1830,a burguesia passa a ser a classe dominante na França e


deixa de ser uma classe contestadora,revolucionária para se transformar em
uma classe dominante e conservadora.

Durkheim ou Comte eram sinceros ao pretender que a sua ciência fosse


neutra e que seu método fosse eficaz e sua obra científica fosse realmente
neutra e livres de juízos de valor,pois existe um importa nte elemento de auto-
ilusão no procedimento dos positivistas.
Deve existir um esforço do cientista social,uma intenção de chegar ao
conhecimento objetivo e verdadeiro.Nunca haverá um conhecimento objetivo
da realidade se o cientista social parte da idé ia de que o que ele está buscando
não é um conhecimento da realidade,e sim,outra
coisa,propaganda,publicidade,entre outros. Não se pode chegar à verdade se
não há a intenção de se chegar a ela,não chega ao conhecimento da verdade
quem não tem intenção de produzir um conhecimento verdadeiro..O que
importa nas ciências sociais é aquela ciência a que é o resultado de tentativas
para produzir um conhecimento científico.É nesse instante que entram as
ideologias ,as visões de mundo,as utopias em que a questão d e como
enfrentar os preconceitos das ideologias,das utopias,das visões sociais de
mundo no processo do conhecimento social e se percebe que a visão do
positivismo clássico durkheimiano não valem nada.É preciso ir muito mais
longe.

2.O pensamento de Max Weber.

à à        à        à   à  à ! 


 à!ààà àà à à"àà #
Na Alemanha de pós-guerra , a inflação e o desemprego reduziram à miséria
camponeses,operários e a classe média.

Essa situação,somada ao fato de o governo se mostrar incapaz de solucionar


os problemas nacionais facilitou a ascensão de Hitler,que prometia ao povo
desempregado salvar o país dos efeitos da guerra.

O nazismo,implantado por Hitler,alemão das mesmas características gerais


do fascismo,apresentou a singularidade da crença de que os alemães
pertencem a uma raça superior e do particular ͞racismo͟contra os judeus.

] àà à     à   $ ]  ààà à


 
Max Weber é profundamente alemão.Seu pensamento para ser bem
compreendido,deve ser visto no contexto da história intelectual
alemã.Formado pela escola histórica,foi a partir do idealismo histórico que ele
procurou formular sua concepção de uma ciência social o bjetiva,capaz de
demonstrações e provas,compreensiva da realidade social,inteiramente
separada de uma metafísica do espírito e da história.Paixão pela liberdade e
obsessão pela grandeza alemã,hostilidade a Guilherme II e fidelidade ao
regime imperial:estas atitudes levaram à concepção de uma reforma da
Constituição do Reich num sentido parlamentar e preconizou uma reforma
parlamentar da Constituição alemã.

Max Weber não foi um positivista clássico e o único ponto que ele converge
com o pensamento positivista é a idéia da ciência social livre de juízos de
valor.Ele foi aluno de Rickert que teve grande influência criticando o método
positivista,dissociando as ciências naturais das ciências históricas e explicando
que o método utilizado nas duas não po deria ser o mesmo e afirmando a
necessidade de que o método nas ciências históricas e sociais(designada
ciências do espírito),partisse da existência de certos valores,como referência
ao estudo e que não existe ciência social,cultural ou histórica,sem valor es
previamente estabelecidos o que determinava uma ruptura até um certo nível
com o positivismo.Portanto,Max Weber,partiu da proposta teórica de Rickert
em relação aos valores,que considerava que toda a ciência da sociedade,da
história ou da cultura vai implicar numa relação com os valores que servem
inicialmente para a investigação científica.A diferença entre ambos é que
Weber

-3-

não acreditava em valores universais e observa que cada


cultura,nação,religião possui diferentes valores e afirmava que cada sujeito do
conhecimento científico possui seus próprios valores e idéias sobre os valores
culturais e que sem isto impossibilitaria a ciência social,pois sem elas que
cedem os critérios para selecionar o objeto do conhecimento e decide o que é
viável ser estudado.Os valores são vistos como pressuposições indispensáveis
para qualquer investigação no campo das ciências sociais.

Os valores definem a problemática que o pesquisador se debruça para


analisar,ou seja,as perguntas que serão feitas para a realidade.Ele lamenta a
influência do método biológico,positivista,naturalista sobretudo na ciência
econômica e na economia política e diz que os socialistas e os historiadores já
criticavam essa ilusão de que os valores podem desaparecer,que a ciência
pode ser neutra,livre de qualquer ponto de vista axiológico e considera que a
ciência social pode e deve ser livre de juízos de valor,axiologicamente neutra e
uma vez definido o objeto da investigação,o processo de investigação empírica
que será desenvolvido está submetido a certas regras objetivas e universais da
ciência e não dependem de valores e os instrumentos conceituais utilizados
dependem de valores porém a maneira de utilizá -los para se chegar a verdade
se relaciona com as regras gerais e universais que são válidas para qualquer
investigação. Weber considera que o resultado da pesquisa deve ser
imparcial,neutro,ou seja,deve ser universalmente aceito.As pressuposições da
pesquisa são subjetivas,dependem de valores,mas os resultados da
investigação devem ser inteiramente objetivos,ou seja,válidos para qualquer
investigador,seja qual for o seu ponto de vista,suas pressuposições morais ou
políticas.

Para Weber ,os juízos de fato não podem conduzir aos juízos de valor porque
não há uma conexão lógica entre estes dois tipos de juízo.Por
exemplo,analisando o desemprego e a violência não pode motivar uma ação
política para resolver o problema,pois a ação política se inscreve no universo
dos valores,das escolhas e,portanto,não pode ser extraída de uma anális e
factual.Do mesmo modo,o oposto também não pode ocorrer,pois não
podemos extrair juízos de fato de juízos de valor,dado que os valores podem
inspirar nossa problemática ,mas não podem servir de ponto de partida para
deduzirmos uma análise científica.Portanto,para Weber ,os valores podem no
máximo,inspirar a problemática da análise científica , mas jamais servir como
fonte para a emissão de juízos de fato.

͞A ciência pode dizer-nos o que podemos e,conforme o caso,o que queremos


fazer;de modo algum,porém,o que devemos fazer͟.(Freund,1975:65).

O tipo ideal consiste em ͞conceitos sociológicos construídos


interpretativamente como instrumentos de ordenação da realidade͟
(Fernandes In Costa,2000:75).Isto é,ao invés da própria realidade internalizada
sob a forma do pensamento, ͞o tipo ideal designa o conjunto dos conceitos
que o especialista das ciências humanas constrói unicamente para os fins da
pesquisa͟ (Freund,1975:48).Significando que se a relação com os valores
permitem ao pesquisador definir o objeto a ser estudado,ela ainda ͞não
confere rigor conceitual à questão estudada.Este é o papel do tipo ideal.É ele o
modo de construção de conceitos peculiar ao método histórico ou
individualizante cujo objeto sabemos é o estudo da realidade e dos fenômenos
em sua singularidade͟ (Freund,1975:49).
   à  à      à          
àà 
Weber considera que o ethos protestante foi uma das fontes de
racionalização da vida que contribuiu para formar o que ele chama de ͞o
espírito do capitalismo͟ que segundo ele,a doutrina da predestinação (a
salvação da alma não como obra do crente , mas como escolha do próprio
criador) torna o crente absolutamente inseguro em relação ao fato de ser ele
ou não um dos escolhidos.E isto porque,como saber isto é absolutamente
impossível,o crente precisa de evidências concretas que,se não são a certeza
da salvação,ao menos podem lhe fornecer indícios da escolha divina.Nessas
circunstâncias,o adepto do protestantismo passa a acreditar que a aplicação e
o zelo no trabalho,bem como o comedimento no consumo e no desfrute dos
prazeres da vida terrena,ou seja,comportamentos que podem resultar em
êxito no trabalho(geralmente traduzido em acumulação de riquezas),podem
ser interpretados ͞como uma justificação da eleição,pois só o eleito possui
verdadeiramente a fé eficaz͟.
-4-
à  à à  ]    àà à     
     à  % ] à  

͞um primeiro comentário marginal que poderia fazer sobre o raciocínio de


Max Weber é que , se em lugar de pensar em termos de cultura nacional e
religiosa,ele pensasse em termos de classe provavelmente se daria conta de
que a questão é mais complicada͟(Löwy,2000:50).O que quer dizer que um
ponto de vista social diferente , questiona a análise realizada.Max Weber parte
dos valores essencialmente relacionados às culturas nacionais e religiosas e
não às classes sociais,nesse sentido que o mesmo acredita que o processo do
conhecimento possa ser livre de juízos de valor.

͞a segunda observação é que contrariamente ao que pensava Max Weber,os


juízos de valor,as ideologias,as visões sociais de mundo,as opções
morais,etc.,jogam um papel não só na seleção do objeto e na formulação da
problemática,mas no conjunto da investigação científica,em todo o processo
de produção do conhecimento͟(Löwy,2000:53).O que quer dizer que quem
formula a pergunta também já formula, em certa medida, a resposta e o tipo
de pergunta formulada já dá cor política,ideológica,utópica,valorativa,ao
conjunto de investigação e a problemática já define o conteúdo mesmo da
investigação científica e o tipo de resposta possível,ou seja, mesmo que a
pergunta tenha várias respostas,é circunscrita um tipo de resposta
possível,portanto,o que define um certo campo partindo de um ponto de
vista.O principal drama da teoria da ciência de Max Weber é que o mesmo
parte de um contexto exorbitante filosoficamente,teoricamente,construindo
um sistema muito coerente e interessante,porém acaba desabando no
positivismo clássico do Barão de Münchhausen.
Não se pode impedir a interferência de juízos de valor e a própria obra de
Max Weber i&à '  à      àà é um exemplo de
que apesar de sua honestidade científica indiscutível,não conseguiu impedir a
penetração de juízos de valor em sua obra.

Ser social e religioso,o homem cria valores e sistemas sociais,e a sociologia


procura apreender a estrutura desses valores e sistemas,isto é,da ação
social.Para Max Weber, a sociologia é uma ciência compreensiva da ação
humana. p