Você está na página 1de 28

Vídeo 1 - Umami

Da língua ao cérebro
“Os sinais do paladar nas células sensitivas
são transferidos para as extremidades das
fibras nervosas, que enviam impulsos ao longo
dos nervos cranianos para as regiões do
paladar no tronco encefálico.
PRADEEP, A. K.
O Cérebro Consumista
Conheça os segredos mais
bem guardados para vender Do tronco encefálico, os impulsos
para a mente subconsciência.
Trad. Mirtes Frange de Oliveira
Pinheiro e Sandra Luzia Couto.
são retransmitidos para o tálamo e depois
São Paulo: Cultrix, 2012.
para o córtex cerebral, para a percepção
consciente do paladar.”
(PRADEEP, 2012, p.68)
CHAVAGLIA NETO, José;
RAMALHEIRO, Brenno Maia;
FILIPE, José Antônio.
Neuromarketing: o efeito da
ancoragem, do contexto e o
papel dos neurotransmissores
na mente dos consumidores.
São Paulo: Baraúna, 2012.
córtex cerebral

Paladar: Graças ao paladar a espécie


humana pode se defender de ameaças
referentes à ingestão de alimentos
contaminados e venenosos. Além de permitir
detectar oportunidades de novos alimentos, é
o sistema de prazer relacionado à ingestão de
alguns alimentos. Dessa forma, os humanos
conseguiram separar os alimentos em
categorias: perigosos ou nutritivos.
Para tal esse sistema apresenta os botões
gustativos que se encontram na língua, no
palato muscular, faringe, epiglote e no terço
superior do esôfago. Os botões gustativos são
inervados por diversas ramificações de nervos
cranianos, transmissores das informações ao
cérebro. Especificamente, as projeções são
enviadas para o hipotálamo e sistema límbico.
Talvez seja por isso que exista uma relação
evidente entre as projeções do paladar e as
emoções. Por exemplo, um chocolate
promove uma reação de prazer enquanto um
jiló (amargo) provoca a sensação de desgosto.

(CHAVAGLIA NETO, RAMALHEIRO e FILIPE, 2012)


PRADEEP, A. K.
O Cérebro Consumista
Conheça os segredos mais bem
guardados para vender para a
mente subconsciência.
Trad. Mirtes Frange de Oliveira
Pinheiro e Sandra Luzia Couto.
São Paulo: Cultrix, 2012.
“O paladar é um dos grandes prazeres do cérebro.
Estreitamente ligado ao olfato, o gosto de um produto é
influenciado pela Característica Icônica Neurológica
(Neurological Iconic Signature – NIS) que o acompanha.”
(PRADEEP, 2012, p.72)
“O leite materno é o primeiro alimento que a maioria de nós experimenta,
deixando-nos propensos a ter preferência por alimentos quentes e doces.

Na temperatura perfeita, acompanhado de amor, embalo, sensação de


segurança, afagos, sorrisos e palavras carinhosas, é uma maravilhosa estreia
em um mundo dos sentidos que nos aguarda.”
(PRADEEP, 2012, p.67)
“Toda criatura na face da Terra ingere
nutrientes de alguma maneira.
No nosso caso é pela boca, cuja
principal função é conter a língua,
um pedaço espesso de músculo
recoberto por uma túnica mucosa.

Mas, no ser humano e em outras


formas superiores de vida, a boca
tem uma função ainda maior – sentir
o paladar em todas as suas nuanças:
a revelação de um excelente vinho,
o prazer após uma mordida no
chocolate finíssimo ou o delicioso
sabor de um curry preparado com a
mistura perfeita de especiarias.”
(PRADEEP, 2012, p.67)
Assim como a maior parte dos outros sentidos,
o paladar também é um poderoso inibidor,
pois produz imediatamente aversões a sabores
que vão contra os nossos maiores interesses.”
(PRADEEP, 2012, p.67)
Neurotransmissores

“Parece que vamos falar sobre sorvete.


Mas na realidade vamos falar sobre
neurotransmissores.

Alguns tipos de comida. como alimentos


salgados, alimentos gordurosos, balas e doces
estimulam a produção de endorfinas,
substâncias com poder analgésico semelhante
ao da morfina e que melhoram o humor.”
(PRADEEP, 2012, p.68)
Neurotransmissores

“O desejo intenso de comer carboidratos é


desencadeado por uma necessidade de
aumentar os níveis cerebrais de serotonina
e, portanto, tem um efeito sedativo.

A propósito, essa pode ser até mesmo uma


característica genética. Gêmeos idênticos,
separados após o nascimento, têm fissura
pelos mesmos alimentos, o que não
acontece com gêmeos fraternos.”
(PRADEEP, 2012, p.68)
Sistema de
neurônio-espelho
Sistema de neurônio-espelho
“O paladar é um dos sentidos mais facilmente
estimulados pelo sistema de neurônios-espelho.

Sempre que apresentar um alimento, lembre-se


de fazer com que os consumidores possam vê-lo
PRADEEP, A. K.
O Cérebro Consumista sendo degustado por outras pessoas.
Conheça os segredos mais
bem guardados para vender Esse é o segredo para estimular a vontade de comer
para a mente subconsciência.
Trad. Mirtes Frange de Oliveira
Pinheiro e Sandra Luzia Couto. e, o que é mais importante, de comprar o produto.”
São Paulo: Cultrix, 2012.
(PRADEEP, 2012, p.68)
“Dê aos alimentos
e às bebidas uma
‘voz’ visual.

É comum usar palavras para descrever,


por exemplo, „um chope cremoso bem
gelado‟, quando uma imagem seria
muito mais eloquente.
(PRADEEP, 2012, p.69)
“Não coloque produtos
alimentícios sobre objetos
claramente de mentirinha,
como miniaturas de mesas de plástico.
Eles tiram o realismo e, consequentemente,
o apetite do consumidor pelo produto.”
PRADEEP, A. K.
O Cérebro Consumista (PRADEEP, 2012, p.69)
Conheça os segredos mais
bem guardados para vender
para a mente subconsciência.
Trad. Mirtes Frange de Oliveira
Pinheiro e Sandra Luzia Couto.
São Paulo: Cultrix, 2012.
LINDSTROM, Martin.
Brand sense: segredos
sensoriais por trás das
coisas que compramos
Tradução de Renan Santos.
Porto Alegre: Bookman, 2012.
O sabor
da marca
LINDSTROM, Martin
Brand sense:
segredos sensoriais por trás
das coisas que compramos
Trad. Renan Santos.
Porto Alegre: Bookman,
2012. 176 pág.
Sabor patenteado
A Colgate patenteou o sabor característico do seu creme dental.
(LINDSTROM, 2012, p.36)
Para divulgar a pesquisa
Dossiê Universo Jovem da MTV,
na sua quarta edição, a agência
Loducca criou um anúncio comestível.

A proposta é ser um anúncio


auto-sustentável, já que o tema
da pesquisa é sustentabilidade.
Os jovens participantes foram
entrevistados sobre diversos
temas afins, incluindo reciclagem,
responsabilidade ambiental, políticas
governamentais, etc.
Olfato e paladar
O paladar e o olfato estão intimamente interconectados.”
(LINDSTROM, 2012, p.101)

LINDSTROM, Martin
Brand sense:
segredos sensoriais por trás
das coisas que compramos
Trad. Renan Santos.
Porto Alegre: Bookman,
2012. 176 pág.

Você também pode gostar