Você está na página 1de 11

Enoe de Felizardo Correia Mendes

Arquitectura (Arte, Ciência e Técnica)

Universidade Rovuma

Nampula

2020
2

Enoe de Felizardo Correia Mendes

Arquitectura (Arte, Ciência e Técnica)

Trabalho da cadeira de Educação e


Comunicação Visual II a ser
apresentado no curso de Licenciatura
em Educação Visual, da Faculdade de
Engenharia e Ciências Tecnológicas
como elemento avaliativo.

Universidade Rovuma

Nampula

2020
3

Índice

Introdução.............................................................................................................................................1
Objectivos.........................................................................................................................................1
Geral:.............................................................................................................................................1
Específicos....................................................................................................................................1
1. Arquitectura......................................................................................................................................2
1.1. Origem...........................................................................................................................................2
1.2. Conceito.........................................................................................................................................3
2. Arquitectura é Arte...........................................................................................................................3
3. Arquitectura como Ciência...............................................................................................................4
4. Arquitectura é Técnica.....................................................................................................................5
Conclusão.............................................................................................................................................7
Referencias Bibliográficas...................................................................................................................8
4

Introdução

Arquitectura é uma actividade que surgiu da necessidade do homem procurar abrigo, na pré-
história embora bem recentemente ficou conhecida e se tornou uma das profissões mais
apreciadas mundialmente. Esta veio para tornar nossas moradias, cidades entre outro lugares
mais esteticamente organizados e com construções belas dignas de obras de arte.

A projecção não é só único foco da arquitectura pois esta envolve varias outras áreas do saber
para sua realização, nisto tem uma relação mutua com as ciências existes, bem como para uma
boa performance projectual precisa de ter uma formação a nível conhecer as técnicas
empregadas, e possuir a criatividade de um artista, pois projectar também é artes, então, dai
surge a necessidade estética e compromisso com o bom gosto e belo.

Contudo, a metodologia usada para realização desta pesquisa é com base em referências
bibliográficas bem como a internet.

Objectivos
O trabalho foi elaborado baseando-se nos objectivos geral e específicos abaixo descritos:

Geral:

 Analisar as Arquitectura: Arte Ciência e Técnica.

Específicos

 Conceituar Arquitectura;
 Relacionar a Arquitectura com Arte, Ciência e Técnica
5

1. Arquitectura

1.1. Origem

A palavra Arquitectura tem origem do grego arkhitékton, onde αρχή [arkhé] significa
"primeiro", "principal" ou "chefe", e τέχνη [tékhton] que significa "construtor". O
termo assim originou tanto a palavra para se referir a obra feita pelo arquitecto quanto
ao próprio profissional arquitecto, que seria, portanto, o "construtor principal"
responsável pela obra. O termo grego passou para o latim como architectūra para se
referir a profissão e architectus para se referir ao profissional, de onde originaram os
termos em português. A palavra foi grafada como arquitectura até o Acordo
Ortográfico de 1945. (WIKIPEDIA)
Esta profissão costuma ser simbolizada com compasso e o esquadro, que são instrumentos
comuns no projecto da arquitectura ao longo da história e representam rectidão e precisão que
permitem criar rectas e curvas, simbolizam estas a capacidade de criar do arquitecto.
A construção primeiro evoluiu da dinâmica entre necessidades (como abrigo, segurança,
culto) e meios (materiais de construção disponíveis e habilidades auxiliares).
Formalizado por meio de tradições e práticas orais, a construção se tornou um ofício, e
"arquitectura" foi o nome dado às versões mais formalizadas e respeitadas desse ofício. É
amplamente assumido que o sucesso arquitectónico foi o produto de um processo de tentativa
e erro, com progressivamente menos tentativas e mais replicação, à medida que os resultados
do processo se mostraram cada vez mais satisfatórios.
O que se chama de arquitectura vernacular foi e ainda é a arquitectura de diversos povos
durante a história, cada um com suas particularidades, e ela continua sendo produzida em
muitas partes do mundo.
É que fato, edifícios vernáculos compõem a maior parte do mundo construído que as pessoas
experimentam todos os dias. Os primeiros assentamentos humanos eram principalmente
rurais. Devido a um crescente de produção, a economia começou a se expandir, resultando em
urbanização, criando áreas urbanas que cresceram e evoluíram muito rapidamente em alguns
casos, como o de Çatal Höyük na Anatólia e o Moenjodaro da civilização do vale do
Indo no actual Paquistão entre outros.
6

1.2. Conceito

Arquitectura é a arte de criar espaços para abrigar as actividades do homem obedecendo


critérios: funcional, técnica, ergonomia, sustentabilidade, custos, conforto, estética, etc.

(CASTELOU,s/a)
Segundo Vitruvio “A arquitectura é uma ciência, surgindo de muitas outras, e adornada com
muitos e variados ensinamentos: pela ajuda dos quais um julgamento é formado daqueles
trabalhos que são o resultado das outras artes."
Segundo Walter Gropius “ a arquitectura era a arte de organizar o espaço e se expressa através
da construção de edifícios.”
“Arquitectura refere-se a toda construção e modelagem artificial do ambiente físico,
incluindo seu processo de projecto e o produto deste.” (WIKIPEDIA)
Arquitectura é vista como uma arte espacial, capaz de modelar superfícies e volumes com os
mesmos critérios de percepção e comunicação visual de pintores e escultores, que não se
reduz apenas ao componente visual, mas que é também está ligado aos sentimentos que viver
um espaço, além de vê-lo, consegue transmitir sensações de prazer e gosto que nos remota a
estética, a comodidade, ciência bem como suas técnicas.

2. Arquitectura é Arte

Este é um debate polémico da actualidade visto que segundo sua utilidade actual, a profissão
bem como sua execução são vistas praticamente mecanizadas, computadorizadas por
facilidade de alguns softwares criados pelo próprio homem, então alguns autores e escritores
descordam da ideia de que a arquitectura seja arte sendo que muitas vezes não exige muita
criatividade para sua criação, bem como não há expressão de sentimentos e emoções como
somente meras construções que servem de abrigo ao seres humanos. Mas há ainda evidências
claras e históricas que ligam este facto a arte e isso é inevitável.
Uma arquitectura instintivamente dedicada à beleza já remonta à origem da civilização, mas é
no templo grego que a maioria dos estudiosos concorda em estabelecer pelo menos um ponto
fixo na evolução da arte de construir: um primeiro objectivo inequívoco, estrutura
arquitectónica completa com projecto, valores estéticos e funcionais, corroborados pela teoria
das ordens arquitectónicas.
A arquitectura, ao contrário de outras formas de arte, não se apresenta de maneira "completa"
para o espectador:
7

Exemplo disso, uma pintura é feita para ser vista em pé na frente dela, uma escultura pode
exigir que você se vire, mas em uma arquitectura, você pode ter apenas impressões parciais do
todo: por exemplo, apenas a fachada do edifício, apenas uma sala de cada vez, apenas uma
vista em planta. Somente com um esforço intelectual podemos avaliar o conjunto real de um
complexo arquitectónico.
Nunzia Rondanini acrescenta que em meio de sua dimensão estética, a arquitectura vai além
dos aspectos funcionais que tem em comum com outras ciências humanas.
O crítico de arte inglês do século XIX, John Ruskin, em seus Seven Lamps of Architecture,
publicado em 1849, era muito mais restrito em sua visão do que constituía a arquitectura. A
arquitectura era a "arte que dispõe e adorna os edifícios criados pelos homens (...) que a visão
deles" contribui "para sua saúde mental, poder e prazer", o que nos remete a teoria de arte
novamente.
A arquitectura exige uma criação inovadora e tecnológica, que provem da criatividade,
fantasias e ideias mais profundas do criador do projecto, nisto o arquitecto, que com base nas
suas ideias criar algo extraordinário que nos remonta a situação de maravilho e belo, até
chegamos a dizer que não é apenas um edifício mas sim obras de arte.

3. Arquitectura como Ciência

Ciência é conhecimento, estudo ou pratica sistemática.(DICIO)


Arquitectura ainda esta em se tornando um campo de estudo próprio, ainda não foi
estabelecida como ciência, mas enquanto actividade é um campo multidisciplinar, incluindo
em sua base a matemática, as ciências, as artes, a tecnologia, as ciências sociais, a política, a
história, a filosofia, entre outros. Sendo uma actividade complexa, é difícil concebê-la de
forma precisa, já que a palavra tem diversas acepções e a actividade tem diversos
desdobramentos.
Esta actividade consiste basicamente em planejar e desenhar espaços humanos, para criar
ambientes seguros para seus usuários, ela também precisa compreender a estrutura das
matérias, tecnologias de construção, topografia, desenho geometria. Esta também exige muito
conhecimento nas áreas de desenho técnico, matemática e engenharia civil.
Em Arquitectura, a mediação da intencionalidade e da realidade se opera no projecto,
instrumento e sistema de representação, utilizado pelo arquitecto para enfrentar um conjunto
de problemas ou antecedentes envolve vários campos da ciência, tais como a topografia, a
inserção na cidade, as normativas urbanísticas, e a matéria e a técnica construtiva. O projecto
8

de arquitectura deve atender a esse conjunto de determinantes reais e propor, por meio de uma
materialidade representada, um espaço ou sistema de conexões espaciais qualificadas (uma
topologia). A partir do Projecto, que é o sistema de linguagem para representar a realidade e
propor espaço, nisto é possível fundamentar um domínio ou campo categorial para a acção
científica em Arquitectura. A acção de enfrentar a realidade a partir de decisões manifestas na
forma de signos é uma operação articuladora, entre um sentido (um conjunto semântico de
intenções e qualidades) e o seu referente (a que essa linguagem se refere).
O conjunto das referências históricas da arquitectura é também matéria da projectação, e a
Arquitectura se define como ciência humana (porque visa o homem) e histórica (diacrónica
por natureza). (ABASCAL; BILBAO,2010)

4. Arquitectura é Técnica

A técnica tem o significado de arte em alguns dicionários, tanto que também pode significar
saber fazer. Na arquitectura o saber fazer é condicionado ao arquitecto em particular cabe a
ele escolher quais técnicas usar para a concepção do projecto na prática no que tange a
“resistência dos materiais, estabilidade das construções, sistemas estruturais procedimentos
necessários para a execução de obras civis (mecanizados solos, fundações, materiais e
acabamentos construtivos) espaço tem que ser habitável envolve questões: térmicas, acústicas
e alumínicas.” (BORILLLE,2015)
Antigamente a técnica em si de projecção ou desenho dos projectos era directamente
marcando ou sinalizando o espaço geográfico em que se quisesse construir, ou com projectos
manualmente desenhados, mas hoje em dia com o avanço da tecnologia podemos ter
softwares computacionais que nos ajudem na realização deste projectos de maneira fácil e
eficaz permitindo sua pré-visualização em 3 dimensões, espalhando a realidade o próprio
projecto bem como do local em que se ira construir, nesse processo cada um usa inúmeras
técnicas, consoante suas inspirações e criatividade.
O artefacto tecnológico, portanto, é um produto desenvolvido sob uma justificativa lógico-
racional. Além dos instrumentos ou das máquinas que são os produtos comumente
reconhecidos como tecnológicos, um artefacto tecnológico também pode ser um engenho
social ou organizacional, servindo de maneira eficiente a finalidades que, moralmente, podem
ser consideradas tanto positivas quanto negativas. Pelo menos em princípio, portanto, o jogo
ético-moral é subtraído dessa reflexão que, conceitual e analiticamente, é focada na descrição
e na interpretação do contexto e dos produtos tecnológicos.
9

Para Bunge (1969), a tecnologia é um processo lógico-racional que, de maneira directa e


sistemática, depende do conhecimento científico, inclusive, considerando dados, leis, e
teorias. Isso a diferencia da técnica ou da arte aplicada, pois, normalmente, o conhecimento
científico está presente no desenvolvimento da técnica ou na aplicação da arte, mas sem ser
estritamente necessário. Contudo, a aplicação consciente e sistemática da ciência caracteriza e
possibilita o desenvolvimento da tecnologia, assinalando os resultados obtidos como
tecnológicos.
Diferentemente da arte, a produção técnica e, especialmente, a produção tecnológica
são decorrentes de um propósito utilitário, devendo ser funcionais ou adequadas para
atingir a uma ou mais finalidades específicas. O processo de aplicação tecnológica
prevê normas de uso e procedimentos pré-estabelecidos. Isso é decorrência do carácter
lógico-racional da tecnologia, tornando metódico e sistemático o seu processo de
aplicação. Assim, quando as normas são respeitadas e os procedimentos realizados de
maneira adequada, deve ocorrer em contrapartida um alto coeficiente de resultados
positivos, os quais são obtidos pela tecnologia explicados pela ciência.
(SOUSA, et al, 2015, p.145)
10

Conclusão

Chegado neste ponto, é possível ver ao longo do desenvolvimento da pesquisa que a


arquitectura é uma actividade interdisciplinar, incluindo com vigor a técnica e arte, a estética
e o saber fazer, aliado a seu processo de sistematização a categoria de uma ciência, sendo que
a mesma interrelaciona-se com parte delas ciências exactas como é o caso da matemática,
física e desenho técnico, e mais, porem ainda esta em estudo sua elevação.

Esta é uma actividade e profissão prestigiada no mundo todo porque a beleza das cidades das
nossas construções edifícios depende muito de um bom desenho projectado, por um bom
desenhador projectista, proporcionando comodidade e bem estar ao seus moradores ou
cidadãos de uma cidade, pois actualmente esta área pode abranger varias outras ciências ou
actividades mais muito mais relacionada com a engenharia civil.
11

Referencias Bibliográficas

 ABASCAL, Eunice Sguizzardi ;BILBAO,Carlos Abascal , Artigo: Arquitetura e


ciência reflexões para a constituição do campo de saber arquitetônico,2010-
Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/11.127/3680-
Acesso no dia 6 de Julho de 2020;
 BUNGE, M. La investigación científica. Barcelona, Espanha: Ariel,1969;
 BORILLE, Giovanna M. Ronzani , Aula 1-Introdução Fundamentos da Arquitectura,
2015;
 SOUSA, Richard Perassi Luiz, NUNES, Cristina Colombo, MEDEIROS, Denise
Ouriques , Arquitetura, Arte, Ciência e Tecnologia. Uma reflexão sobre a
construção do conhecimento da teoria e da prática. Revista Arquitectura Lusíada,
2015,p. 143-152;
 Www.wikipedia.com;