Você está na página 1de 2

A Bíblia

e a educação dos filhos


Deuteronômio 6: 1-9

É comum hoje vermos muitos pais desorientados quanto à educação de seus filhos. A maioria
se vê perdida diante de uma filosofia que propõe uma educação mais aberta. O que fazer?
Como educar os filhos, de maneira que não sejam reprimidos sem, no entanto, deixá-los sem
correção?

Apesar de não existir uma fórmula mágica para criar filhos, a Bíblia Sagrada, em situações
como essa, tem um padrão equilibrado de instruções quanto à criação de filhos. Vejamos.

I - EDUCANDO ATRAVÉS DO EXEMPLO,  1Tm. 4: 12

Quando a Bíblia nos convida a sermos bons cristãos, ela estampa diante de nós o grande
exemplo de vida de Jesus. Seus ensinos foram eficazes na formação do caráter de seus
seguidores porque ele vivia aquilo que ensinava. Devido à manifestação dessas qualidades na
vida dos discípulos, em Antioquia eles foram chamados, pela primeira vez, de cristãos, At. 11:
26. 

Muitos casais frustram-se na educação de seus filhos por causa de suas próprias incoerências.
O conflito entre o que é ensinado e o que é, de fato, praticado leva os filhos a rejeitar, ainda
que inconscientemente, suas técnicas educacionais. A falta de exemplo no ensinamento faz
com que os pais percam a autoridade sobre seus filhos e, muitas vezes, provoca neles a ira,
Ef. 6: 4.

Somente as atitudes de pais fíéis, norteadas pelo Espírito Santo, podem ser base sólida, que
permitam educação exemplar, influenciando a conduta de seus filhos.

II - EDUCANDO COM DISCIPLINA

Numa sociedade tão liberal e permissiva como a nossa, a palavra disciplina não soa tão bem.
Afinal de contas, segundo o que se prega hoje fora da igreja, todos são livres para fazer o que
desejam, e ninguém pode impor limites à liberdade alheia, ainda que isso signifique
libertinagem. Tal conceito tem atingido em cheio os lares. Por um lado, pais que têm medo de
insistir com seus fílhos; por outro, filhos que desconhecem limites.

Essa maneira de educar, no entanto, tem feito psicólogos e orientadores refletirem, baseados
nos resultados obtidos. E alguns deles reconhecem que a disciplina é necessária. “Para viver
em um clima de segurança, a criança precisa também de regras” (Revista Veja - “Família,
pais e filhos com hora marcada”, edição de julho/97).

1. O que a Bíblia nos ensina sobre a disciplina de filhos?

a) Disciplina significa treinamento para agir de acordo com regras estabelecidas, Pv.
22: 15. Os filhos precisam aprender que em todos os segmentos existem regras, normas,
horários que devem ser cumpridos;

b) Disciplina significa correção. O texto de Ap. 3: 19 mostra o relacionamento de Jesus


com uma igreja rebelde. Mas, apesar de ser rebelde, Ele a amava e, por isso, a corrigia;
c) Disciplina significa imposição de limites, Pv. 25: 28. Qualquer liberdade sem limite é
prejudicial. É preciso que se estabeleçam limites, e que estes sejam reconhecidos por todos.

d) Disciplina tem resultados positivos. A correta e firme disciplina trará sabedoria aos
filhos, descanso aos país, Pv. 29: 15-17, e livrará do inferno, Pv. 23: 13-14

2. O mau uso da disciplina.

Não se pode usar a disciplina incorretamente porque os prejuízos serão terríveis. Quando os
pais dão ordens aos filhos e não esclarecem suas razões, quando são incoerentes,
exagerados; quando agridem, espancam os filhos, estão sempre em discórdia e disciplinam os
filhos sem motivo, esse mau uso da disciplina poderá vir a formar filhos desrespeitosos e
revoltados.

III - EDUCANDO FILHOS PARA DEUS

A boa educação e instrução do lar resultará no aperfeiçoamento do caráter dos filhos, no


relacionamento sadio da família, num grande benefício para a sociedade como um todo. Mas
o grande objetivo é levar a família a Deus, Js. 24: 15. Por isso, os alvos dos pais devem ser
coerentes com os alvos de Deus. Os pais que sentem essa responsabilidade agem da seguinte
maneira:

a) Levam seus filhos à casa de Deus e os apresentam ao Senhor. Ana, preocupada com
a crise ministerial de seus dias, e pelo fato de não ter condições de gerar filhos, orou
insistentemente ao Senhor, I Sm. 1: 11. Quando seu filho, Samuel, nasceu, foi rapidamente
apresentado a Deus em cumprimento do voto feito por sua mãe, e tornou-se um dos maiores
vultos da Bíblia Sagrada, I Sm. 1: 26-28. Assim também, José e Maria fizeram com Jesus,
Lc. 2: 21-24, conforme a prescrição da Lei, Lv. 12: 6-8 e Êx. 13: 2.

b) Ensinam aos filhos a Palavra de Deus, Dt. 6: 6-7 e 32: 46. Para que o ensino seja
eficaz é necessário que esta Palavra esteja, primeiro, no coração dos pais, v. 6. Esse ensino
deve ser contínuo, v. 7. A Palavra deve ser ensinada dentro de casa, nas caminhadas, nas
viagens, na hora de deitar-se e de levantar-se.

c) Testemunham dos feitos de Deus, Sl. 78: 4. Falar daquilo que Deus tem feito é uma
maneira de estimular os filhos a crer no grande poder de Deus.