Você está na página 1de 212

Andresa Molina

Andresa Molina
SUMÁRIO
APRESENTAÇÃO......................................................................................................... 8 FREQUÊNCIA EM HERTZ (HZ)......................................................................................... 25
CORPOS SUTIS E A MANIFESTAÇÃO 2 .......................................................................... 26
ESPAÇO HUMANIDADE.........................................................................................................9 Por que o espírito precisa do corpo?................................................................................. 26
MISSÃO, VISÃO E VALORES .................................................................................................9 RELAXAMENTO ALFA PROFUNDO................................................................................ 26
Missão......................................................................................................................................9 A MATERIALIZAÇÃO E OS BLOQUEIOS ENERGÉTICOS.......................................... 27
Visão.........................................................................................................................................9 CORPOS SUTIS SEGUNDO AS FILOSOFIAS................................................................... 28
Valores......................................................................................................................................9 A AURA..................................................................................................................................... 28
METODOLOGIA HUMANOTERAPEUTA ..................................................................... 10 ESTÁGIOS DO SONO ........................................................................................................... 29
O MÉTODO............................................................................................................................. 10 MOTIVOS PARA EXERCITAR............................................................................................. 30
6 PASSOS PARA A APLICAÇÃO DAS 6 TÉCNICAS ....................................................... 11 O RELAXAMENTO ALFA:.................................................................................................... 30
Passo 1 - A Consulta inicial no Psicogerador Quantiônico - O Diagnóstico.............. 11 OS SONHOS............................................................................................................................. 30
Passo 2 - humanometria - Tratamento Espiritual........................................................... 12 DESDOBRAMENTOS............................................................................................................ 31
Passo 3 - Taquions-Tock (Desconstrução da criação dos campos Mental e OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS PARTE 1.......................................................................... 32
Emocional)........................................................................................................................... 12 Atividades ‘preponderantes’ nos hemisférios cerebrais.................................................. 32
Passo 4 - TDR Terapia de Desbloqueio emocional e Reprogramação energética. O HEMISFÉRIOS CEREBRAIS PARTE 2 ........................................................................... 34
(Limpeza psíquica).............................................................................................................. 13 São as condutas S:................................................................................................................ 35
Passo 5 - Regressão com Reprogramação........................................................................ 13 As condutas S....................................................................................................................... 35
Passo 6 - Baralho Terapêutico - Direcionamento............................................................ 14 geram atitudes A:................................................................................................................. 35
Condutas R geram atitudes D:........................................................................................... 35
MÓDULO 1 – Aprendendo a voar ............................................................................. 15 Devemos evitar as condutas R. São elas:.......................................................................... 35
ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 1................................................................. 36
ASPECTOS DA MENTE......................................................................................................... 16 ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 2................................................................. 37
Estado Crash........................................................................................................................ 16 ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 3................................................................. 38
Estado Coach....................................................................................................................... 17 Hermes Trismegisto............................................................................................................ 38
O que é o medo? Para que ele serve? A quem ele atende?............................................. 18 A ENERGIA DE CURA.......................................................................................................... 39
MEDO........................................................................................................................................ 18 ENTRADA E SAÍDA DE ENERGIA..................................................................................... 40
Quando há o enfrentamento do medo, ele deixa de existir............................................ 18 Entrada:................................................................................................................................. 40
COMO NASCEM OS PARADIGMAS.................................................................................. 20 Saída:..................................................................................................................................... 40
MENTE CONSCIENTE, INCONSCIENTE E CÓSMICA................................................ 21 EXPERIMENTO DA ÁGUA.................................................................................................. 40
CORPOS SUTIS....................................................................................................................... 22 Massaru Emoto ................................................................................................................... 40
CORPOS SUTIS E A MANIFESTAÇÃO 1........................................................................... 25 A água é um elemento condutor de energia.................................................................... 40
OS CHAKRAS.......................................................................................................................... 42 Teoria de campo - Einstein................................................................................................. 70
CHAKRAS, GLÂNDULAS E ÓRGÃOS............................................................................... 43 FENDA DUPLA PARTE 1...................................................................................................... 70
GLÂNDULA PINEAL........................................................................................................ 44 Descrição da experiência da Fenda dupla........................................................................ 70
CONSCIÊNCIA CÓSMICA PARTE 1 ................................................................................. 48 O famoso experimento da fenda dupla............................................................................ 71
CONSCIÊNCIA CÓSMICA PARTE 2 ................................................................................. 49 Comportamento de partícula............................................................................................ 71
O efeito retardado................................................................................................................ 72
MÓDULO 2 – Temperamento e elementos - pecados e julgamentos........................ 50 O SALTO QUÂNTICO........................................................................................................... 72
FENDA DUPLA 2.................................................................................................................... 72
PECADOS E JULGAMENTOS.............................................................................................. 51 O experimento.......................................................................................................................... 73
ELEMENTOS E TEMPERAMENTOS................................................................................. 55 Entrelaçamento Quântico .................................................................................................. 75
OS ELEMENTOS NO PROCESSO ENCARNATÓRIO..................................................... 56 A GAIOLA DE FARADAY..................................................................................................... 75
As organelas celulares......................................................................................................... 56 O experimento..................................................................................................................... 75
TEMPERAMENTOS E SIGNOS .......................................................................................... 57 FREQUÊNCIAS....................................................................................................................... 76

MÓDULO 3 – Física quântica e frequências.............................................................. 59 MÓDULO 4 – O campo eletromagnético................................................................... 79

CONCEITOS DA FÍSICA QUÂNTICA - PARTE 1............................................................ 60 O que é Radiestesia.................................................................................................................. 80


Sistema Solar........................................................................................................................ 60 Energia.................................................................................................................................. 80
Mudança de paradigma...................................................................................................... 61 Frequência Vibratória......................................................................................................... 81
Física Quântica..................................................................................................................... 63 Energia em Hertz................................................................................................................. 82
A palavra – quântica........................................................................................................... 63 De onde vem a resposta...................................................................................................... 83
CONCEITOS DA FÍSICA QUÂNTICA - PARTE 2............................................................ 64 O pêndulo............................................................................................................................. 85
Modelo atômico de Dalton................................................................................................. 64 Como utilizar e convencionar o pêndulo......................................................................... 85
Passados aproximadamente 100 anos, foi conhecido o Orientações:.......................................................................................................................... 86
modelo atômico de Thompson.......................................................................................... 64 Mesa Quantiônica ............................................................................................................... 86
Modelo atômico de Rutherford......................................................................................... 65 Introdução............................................................................................................................ 87
Modelo atômico de Bohr.................................................................................................... 66 Como fazer a harmonização.............................................................................................. 90
Produção das partículas...................................................................................................... 66 FORMAÇÃO DAS DOENÇAS E O CHAKRAS................................................................. 91
Problemas quânticos........................................................................................................... 67 Como os bloqueios são formados .................................................................................... 98
4 FORÇAS FUNDAMENTAIS............................................................................................... 68
Força Nuclear Forte: ........................................................................................................... 68 MÓDULO 5 – Humanometria.................................................................................. 100
Força Nuclear Fraca............................................................................................................. 69
Eletromagnetismo............................................................................................................... 69 INTRODUÇÃO...................................................................................................................... 101
Gravitacional........................................................................................................................ 70 Como surgiu a Humanometria - parte 1........................................................................ 102
Como surgiu a Humanometria - parte 2........................................................................ 102 13ª LEI: Influência dos espíritos desencarnados , em sofrimento, vivendo ainda no
Humanometria - parte 3 .................................................................................................. 103 passado, sobre o presente dos doentes obsediados....................................................... 113
O que a Humanometria trata........................................................................................... 103 Distúrbios Espirituais........................................................................................................ 113
Humanometria e religião ................................................................................................. 103 Obsessão Espiritual........................................................................................................... 113
Humanometria e a natureza............................................................................................. 104 Indução Espiritual ou Obsessão simples........................................................................ 114
Humanometria e ciência ................................................................................................. 104 Pseudo-Obsessão............................................................................................................... 114
Humanometria e espiritualidade .................................................................................... 104 Auto-Obsessão................................................................................................................... 114
Humanometria e a medicina .......................................................................................... 104 Processos Cármicos Não Obsessivos.............................................................................. 115
Quem pode ser tratado pela Humanometria? .............................................................. 104 Simbiose.............................................................................................................................. 115
Revisão Corpus sutis......................................................................................................... 105 Parasitismo......................................................................................................................... 115
Os Bloqueios Energéticos................................................................................................. 105 Vampirismo........................................................................................................................ 116
Os Níveis 1.......................................................................................................................... 106 Parasitismo X Vampirismo............................................................................................... 116
Os Níveis 2.......................................................................................................................... 107 Tratamento convencional................................................................................................. 116
Os Níveis 3.......................................................................................................................... 108
Os níveis 4........................................................................................................................... 109 MÓDULO 6 – Espiritualidade avançada.................................................................. 117
Subníveis............................................................................................................................. 109
DESDOBRAMENTO DOS CORPUS ................................................................................ 109 TÉCNICAS ENERGÉTICAS E ESPIRITUAIS................................................................... 118
Desdobramento 1 e 2........................................................................................................ 109 Etiriatria.............................................................................................................................. 118
HIERARQUIA ESPIRITUAL............................................................................................... 110 Pneumiatria........................................................................................................................ 118
AS 13 LEIS DA APOMETRIA.............................................................................................. 111 Cromoterapia..................................................................................................................... 118
1ª LEI: Desdobramento espiritual .................................................................................. 111 Técnica Despolarização dos estímulos de memória..................................................... 119
2ª LEI: Acoplamento físico .............................................................................................. 111 Técnica de impregnação magnética mental de imagem positiva................................ 119
3ª LEI: Lei Ação a Distância pelo Espírito Desdobrado. Lei das Viagens Astrais..... 111 Técnica de inversão de spin.............................................................................................. 119
4ª LEI: Formação dos Campos de Força ........................................................................ 111 Técnica Fator Tempo Multidimensional........................................................................ 119
5ª LEI: Revitalização dos médiuns.................................................................................. 111 Técnica Drenagem Energética......................................................................................... 120
6ª LEI: Condução do Espírito Desdobrado do Assistido encarnado para Hospital do Resistência da vida............................................................................................................ 120
Plano Astral........................................................................................................................ 111 Espíritos em sofrimento................................................................................................... 120
7ª LEI: Ação dos Espíritos Socorristas Sobre os Pacientes Desdobrados................... 112 Espíritos em rebeldia......................................................................................................... 121
8ª LEI: Ajustamento de sintonia vibratória de desencarnados com o médium ou Níveis de esquizofrenia .................................................................................................... 121
outros espíritos e/ou ambientes para onde foram momentaneamente enviados...... 112 Espíritos e níveis de uma esquizofrênica “Dosô”.......................................................... 121
9ª LEI: Deslocamento de um Espírito no Espaço -Tempo........................................... 112 IMPLANTES ASTRAIS......................................................................................................... 123
10ª LEI: Dissociação do Tempo - Espaço....................................................................... 112 Principais tipos de Implantes........................................................................................... 123
11ª LEI: Ação Telúrica sobre espíritos desencarnados que evitam a encarnação..... 112 A MORTE................................................................................................................................ 126
12ª LEI: Choque do Tempo.............................................................................................. 113 Desconstrução dos corpos............................................................................................... 126
Primeira morte: físico e duplo etérico. .......................................................................... 126 INTRODUÇÃO A ENERGIA DE 5ª DIMENSÃO........................................................... 142
SEGUNDA MORTE.............................................................................................................. 126 As dimensões..................................................................................................................... 143
OVÓIDES................................................................................................................................ 126 A CRIAÇÃO DO PLANETA................................................................................................ 144
Larvas astrais e miasmas................................................................................................... 127 Som...................................................................................................................................... 144
Frequência Inicial (frequência x palavra)....................................................................... 144
MÓDULO 7 – Terapia de desbloqueio emocional com Luz....................................................................................................................................... 145
reprogramação energética........................................................................................ 128 Todas Ondas Eletromagnéticas do Universo................................................................. 145
Forma.................................................................................................................................. 146
INTRODUÇÃO A TDR........................................................................................................ 129 Densidade Temporal (tempo): permitido no Universo ............................................... 147
Definição:............................................................................................................................ 129 pela Geometria................................................................................................................... 147
Subpersonalidade.............................................................................................................. 130 EXPERIMENTAÇÃO DA REALIDADE “TUDO VIBRA”.............................................. 148
Tratamento das subpersonalidades................................................................................. 131 PARADIGMA QUÂNTICO................................................................................................. 149
FASE 1 ..................................................................................................................................... 132 O Universo......................................................................................................................... 149
REPROGRAMAÇÃO ENERGÉTICA PARTE 1 .............................................................. 133 COMO SE MULTIPLICAM AS CÉLULAS DO ............................................................... 149
Córtex cerebral................................................................................................................... 133 CORPO HUMANO............................................................................................................... 149
O Cerebelo.......................................................................................................................... 134 Células Amorfas................................................................................................................. 149
O Corpo Caloso................................................................................................................. 136 COMO CONSTRUIR E MANTER O SER HUMANO?.................................................. 150
Os neurônios...................................................................................................................... 136 O que o DNA não explica?............................................................................................... 150
Corpo Celular.................................................................................................................... 136 O nosso corpo físico.......................................................................................................... 150
Dendritos............................................................................................................................ 137 1ª Premissa Básica e Fundamental.................................................................................. 151
A Despolarização............................................................................................................... 137 2ª Premissa Básica e Fundamental.................................................................................. 152
A Hiperpolarização .......................................................................................................... 137 A ENERGIA DAS PIRÂMIDES........................................................................................... 152
Axônio................................................................................................................................. 137 O QUE É A ENERGIA TAQUIÔNICA.............................................................................. 153
Potencial de Ação.............................................................................................................. 138 Utilização da Energia Taquiônica.................................................................................... 154
Sinapses............................................................................................................................... 139 A TÉCNICA DE TÁQUIONS TOCK ................................................................................ 155
Sinapses Elétricas............................................................................................................... 139 Abertura do trabalho........................................................................................................ 155
Sinapses Químicas............................................................................................................. 139 Procedimento para reacoplamento:................................................................................ 156
REPROGRAMAÇÃO ENERGÉTICA................................................................................ 140
Procedimento..................................................................................................................... 140 MÓDULO 9 – Regressão com reprogramação celular............................................. 157
Procedimento..................................................................................................................... 140
Sinapse................................................................................................................................ 140 Processo de cura inteligente ............................................................................................ 159
Inteligência ou Consciência = Informação = Energia.................................................. 159
MÓDULO 8 – Táquions tock ................................................................................... 141 Princípio Holográfico Atuante......................................................................................... 160
Corpo Físico....................................................................................................................... 161
A evolução da técnica....................................................................................................... 162 Questões de Energia Intrusa:........................................................................................... 194
No que consiste a EFT....................................................................................................... 162 Questões de Solução rápida:............................................................................................ 194
Os pontos da Regressão com a Reprogramação............................................................ 163 CAMPO MENTAL................................................................................................................ 195
Técnica................................................................................................................................ 163 CORPO EMOCIONAL......................................................................................................... 196
Procedimento de Leitura.................................................................................................. 197
MÓDULO 10 – Baralho cigano................................................................................ 167 Cores de personalidade .................................................................................................... 198
Opções na Mesa Quantiônica.......................................................................................... 198
BARALHO CIGANO............................................................................................................ 168 TRATAMENTO..................................................................................................................... 199
O que é um Oráculo?........................................................................................................ 170 A Base Alquímica............................................................................................................. 201
O que é Terapia Holística?................................................................................................ 170
Arquétipo............................................................................................................................ 171 MÓDULO 12 – Ética, moral e cosmoética .............................................................. 204
Arquétipo na Psicologia Analítica................................................................................... 171
Imagens Primordiais......................................................................................................... 171 A ÉTICA.................................................................................................................................. 205
Arquétipo na Filosofia e na visão holística ................................................................... 172 A MORAL............................................................................................................................... 206
Conceito Aprofundado Arquétipo ................................................................................. 172 RELACIONAMENTOS BASEADOS EM COMPORTAMENTOS ÉTICOS................ 207
O arquétipo e o projeto de vida ...................................................................................... 172 COMO TUDO FOI CRIADO.............................................................................................. 208
O uso dos Arquétipos....................................................................................................... 173 O AMOR................................................................................................................................. 210
Vamos analisar o arquétipo do Espaço Humanidade:.................................................. 173
AS CARTAS DO BARALHO TERAPÊUTICO................................................................. 174 CONCLUSÃO............................................................................................................ 211
A CONSULTA........................................................................................................................ 183
MESA REAL .......................................................................................................................... 184
JOGADA PIRÂMIDE............................................................................................................ 186

MÓDULO 11 – A consulta ....................................................................................... 187

Introdução ......................................................................................................................... 188


Mesa Quantiônica ............................................................................................................. 188
Conceitos e Definições...................................................................................................... 189
Neusmagnânimo ............................................................................................................... 191
Deussificar.......................................................................................................................... 191
Vúltera Neusmagnânima.................................................................................................. 191
LEITURA................................................................................................................................ 191
CAMPO ESPIRITUAL.......................................................................................................... 194
Questões de solução demorada:...................................................................................... 194
APRESENTAÇÃO

O Humanoterapeuta tem o propósito de despertar nas pessoas um sentido maior sobre as questões energéticas e espi-
rituais e ampliar a percepção de mundo e de humanidade.
Então, esta formação é para pessoas que querem ser terapeutas da própria vida e também terapeutas para ajudar ou-
tras pessoas, fazendo disso uma profissão muito bonita que requer dedicação, integridade e muito amor.
É muito importante seguir o método assim como ele é ensinado, pois é assim que podemos garantir a eficácia dos pro-
cessos e dos atendimentos sob a egrégora do Espaço Humanidade.
Esta apostila é um material de apoio para os seus estudos e anotações, ela vai te auxiliar no acompanhamento do curso
e você pode recorrer a ela sempre que precisar!
Você está diante de um conteúdo de despertar e de expansão de consciência, pois você saberá além da metodologia
Humanoterapeuta para trabalhar processos energéticos e espirituais.
Você terá respostas sobre os questionamentos que fazemos durante a nossa vida: “De onde viemos?” “Para onde va-
mos?” “O que estamos fazendo aqui?”
E, a partir disso, terá também muitos outros questionamentos para se fazer sobre a própria vida e evolução.
Bem-vindo(a) a este mundo invisível, energético e espiritual. Temos certeza que você não será a mesma pessoa após
esta formação.
Que você tenha uma ótima jornada e se permita ampliar a consciência!

Bons Estudos!

Equipe Espaço Humanidade.

8
ESPAÇO HUMANIDADE
MISSÃO, VISÃO E VALORES

Missão

Levar consciência que cura para contribuir com a evolução da humanidade, ampliando a conexão com a espirituali-
dade, autoconhecimento e conhecimento quântico através de conteúdos que ensinam técnicas energéticas, espirituais e
psicanalíticas para tratamento do ser humano de forma holística: corpo, mente e espírito em uma linguagem simples e
de fácil entendimento.

Visão

Levar a metodologia Humanoterapeuta para que o maior número de pessoas se tornem ‘Soldados da Luz’, espalhan-
do consciência, espiritualidade e lucidez para o mundo. Que o Espaço Humanidade seja uma referência de egrégora
forte de formação de terapeutas energéticos e espirituais, bem como fonte de amor, humanidade e de cura para aqueles
que também desejam ser terapeutas de sua própria vida, de sua família e do planeta.

Valores

Amor | Consciência | Cura | Espiritualidade | Integridade | Respeito

9
METODOLOGIA HUMANOTERAPEUTA O MÉTODO
O Humanoterapeuta é uma metodologia de tratamento
energético e espiritual com técnicas que permitem inves-
tigação, diagnóstico, limpeza interna e externa, regressão,
desbloqueio e reprogramação celular para tratar proces-
sos e distúrbios energéticos e espirituais.

Com estudos e evidências apoiadas na Física Quântica, O Humanoterapeuta foi criado pela terapeuta Andresa
Neurociência, Filosofia, Leis Universais e Espiritualidade, Molina, fundadora do Espaço Humanidade. É um méto-
o Humanoterapeuta trata as chamadas “dores na alma”, do que consiste na aplicação de 6 técnicas para tratar pro-
como: depressão, síndrome do pânico, angústia, ansieda- cessos energéticos e espirituais distintos, de acordo com
de, auto sabotagem e processos obsessivos. sua origem.
Também é uma oportunidade para quem está em um Além disso, proporciona o ganho de consciência e um
processo de autoconhecimento, expansão da consciência estado energético espiritual saudável para a quebra de pa-
e em busca de sentido para sua vida, do seu propósito e drões e realização de mudanças necessárias para manifes-
conexão com sua essência. tação da essência e vivência em plenitude do Ser.

10
6 PASSOS PARA A APLICAÇÃO DAS 6 TÉCNICAS

Passo 1 - A Consulta inicial no Psicogerador Permite medir a energia,


Quantiônico - O Diagnóstico acessar registros akáshicos
e abrir portais dimensio-
Por meio da Radiestesia aplicada ao Psicogerador Quan- nais para encontrar a ori-
tiônico ou Mesa Quantiônica, esta ferramenta de investi- gem de uma dor ou de um
gação permite um diagnóstico detalhado sobre o processo problema até em outras
do assistido, seja ele mental, emocional ou espiritual. encarnações e descobrir a
origem da questão e em qual área da vida ela foi iniciada,
seja no campo de relacionamento, profissional, financeiro,
familiar ou de enfermidades.
Durante a investigação (consulta), é identificado na
Mesa Quantiônica qual a quantidade de sessões que o as-
sistido precisará passar seguindo a metodologia Humano-
terapeuta que é:

• Humanometria – 3 sessões
• Taquions-Tock
• TDR
• Regressão com Reprogramação
• Baralho Terapêutico

11
Passo 2 - Humanometria - Tratamento Espiritual Passo 3 - Taquions-Tock (Desconstrução da criação dos
campos Mental e Emocional)

Após passar pelo tratamento do campo espiritual, é ini-


ciado o processo no campo mental e emocional para tra-
tamento de traumas e padrões conscientes e inconscientes.
A Taquions-Tock é uma técnica que se utiliza da frequ-
ência de quinta dimensão, na qual vibra o mental supe-
rior, onde está a essência.

Após o diagnóstico na Mesa Quantiônica, é iniciado o


tratamento pelo campo espiritual com a Humanometria Aplicando essa técnica, é realizada uma desconstrução
para tratar processos obsessivos e demais processos espiri- da criação mental/emocional na informação que está
tuais iniciados nesta ou em outras vidas. causando a dor e também acessamos a matriz viva, co-
Este tratamento é um desdobramento da Apometria nectando o assistido com a sua essência, reprogramando
convencional, considerando todas as leis apométricas para a função da célula com a informação original que recebeu
realizar o trabalho com a segurança, técnica e método em quando foi criada e, assim, desconstruindo e liberando o
consultório e de maneira individual. processo da dor.

12
Passo 4 - TDR Terapia de Desbloqueio emocional e Passo 5 - Regressão com Reprogramação da Informação
Reprogramação energética. (Limpeza psíquica) Celular

Cada célula do nosso sistema energético é criada com Essa técnica consiste em rastrear os registros de memória
uma informação perfeita. Durante a vida, à medida em que que ficam no inconsciente (corpos mental e emocional), de
fazemos interpretações negativas e equivocadas nas diver- um fato que ocorreu na vida do assistido e está gerando
sas situações vivenciadas, criamos as subpersonalidades. dor, bloqueios e impedimentos, sendo eles gerados nesta
Então, a TDR é utilizada para tratar essas subpersonali- vida ou em outra vida.
dades, ou seja, os registros de memória que atuam no corpo Na regressão, é realizado um processo de esgotamento
emocional sendo elas memórias reais ou não. da energia que está causando a dor através de leves batidas
A técnica permite o desbloqueio e reprogramação com em pontos específicos de acupuntura, os meridianos, repe-
a ativação da Luz dos registros de memória emocional de tindo o caminho até que todo o bloqueio seja liberado.
dor que, por sua vez, criam bloqueios energéticos que im- Após esta esgotamento, é reprogramado o DNA das cé-
pedem o fluxo natural de energia. Trata traumas, emoções lulas com uma energia de felicidade, alívio e paz. Com
de medo, angústia, pânico, tristeza, etc. a renovação e reprogramação celular, a reprodução das
células será saudável e perfeita, resultando na cura.

13
Passo 6 - Baralho Terapêutico - Direcionamento

Após todo o tratamento em todos os campos, através do


baralho terapêutico será possível dar um direcionamento
para seguir de acordo com a sua busca de alma, ou seja, ali-
nhado com o propósito de vida e o mental superior.
A leitura do baralho não é adivinhatória e sim terapêutica.

Através dos arquétipos do baralho cigano e de jogadas


de cartas, é possível fazer uma leitura terapêutica espe-
lhando situações da vida do assistido sendo também uma
oportunidade de orientação para qual caminho o assistido
poderá seguir dali para frente numa nova perspectiva de
maneira séria, consciente e lúcida.

14
MÓDULO 1
APRENDENDO A VOAR

15
MÓDULO 1

ASPECTOS DA MENTE
Estado Crash

Este é o estado em que nos encontramos na maioria do tem-


po. Estamos sempre muito contraídos em situação de constante
Medo – dores mus-
C Contraction Contraído
culares
ataque ou defesa e, por conta dessa contração, desenvolvemos
em nosso corpo físico sintomas de muito desconforto muscular,
entre eles dores nas costas, pescoço e cabeça.

Agir sem elabora-


R Reaction Reativo
ção

Responder sem
Paralisia por
A Analyhsis pensar ou não res-
análise
ponder Vivemos em estado reativo respondendo aos estímulos causa-
dos pelo externo (outras pessoas e ambientes). De certo modo,
nem pensamos sobre as nossas ações e elas se manifestam na
intenção de nos defender de algo, ou então, os estímulos externos
S Separation Separado
Longe de minha nos paralisam e somos tomados pelo MEDO.
essência Assim, vamos interagindo reativamente separados de nossa
essência. Não nos preocupamos com nossos desejos e anseios e
passamos a maior parte de nosso tempo preocupados com o que
o outro irá pensar a nosso respeito, perdendo o comando sobre
Hurt and Ha- Processo de insa-
H
tred
Ferido
tisfação nós mesmos e deixando que o outro controle as nossas ações e
atitudes. O estado CRASH não permite que nos sintonizemos
com a nossa ESPIRITUALIDADE e MEDIUNIDADE.
16
MÓDULO 1

Estado Coach

Estar conectado com a própria essência e com a essência do


C Centred Centrado Todo torna mais fácil a realização de projetos pessoais, pois
nem sempre as coisas acontecem de acordo com os nossos pla-
nejamentos. Portanto, é preciso olhar para dentro de nós e en-
O Open Aberto tender que o que está no MICRO é o que está no MACRO,
então, o movimento do Estar conectado com a própria essência
A Awakeness Desperto, presente
e com a essência do Todo torna mais fácil a realização de pro-
jetos pessoais, pois nem sempre as coisas acontecem de acordo
com os nossos planejamentos. Portanto, é preciso olhar para
C Connected Conectado dentro de nós e entender que o que está no MICRO é o que
está no MACRO, então, o movimento do universo é o mesmo
que o nosso movimento interior.
H Holding Pronto para acolher As práticas de relaxamento auxiliam muito no processo de
estado COACH. Através do relaxamento, entramos em con-
tato com a nossa essência e a nossa função dentro do universo.
Este é um estado muito importante para a conexão mediúni- Expandimos a nossa aura e elevamos o nosso campo e isso nos
ca. É um estado de concentração, de presença, de percepção na torna mais protegidos, pois não somos ‘acessados’ facilmente.
ação que estamos executando, o que proporciona um contato Irá facilitar também no seu aprendizado, pois estará mais sen-
efetivo com a Espiritualidade. sível, aberto e conecto para absorver mais.
Concentrar-nos em nossos objetivos é deixar que o conscien- Não se preocupe em atingir esse estado nas primeiras tenta-
te/inconsciente se abra para novas possibilidades. Manter o tivas, pois somente com exercício da técnica será possível com-
estado de conexão conosco mesmos, nos torna despertos para preender o estado COACH.
acolher o que o universo quer nos apresentar para enxergar no-
vas oportunidades. Desta maneira somos capazes de entender
Visite o canal no YouTube do Espaço Humanidade
as respostas que o universo traz aos nossos questionamentos, e exercite o Relaxamento Alpha Profundo - Além
aos nossos relacionamentos e ao que acontece ao nosso redor, dos cinco sentidos.
temos a percepção mais aguçada.
17
MÓDULO 1

MEDO
O que é o medo? Para que ele serve? A quem ele atende? Quando há o enfrentamento do medo, ele deixa de existir.

Quando temos a sensação do medo, colocamos toda a nossa


energia próxima de nós e isso restringe o nosso campo energéti-
co (baixando nossa frequência), fazendo com que a frequência
do outro passe a ter o domínio sobre nós.
Mudar a nossa frequência em relação ao medo é uma tare-
fa desafiadora, pois a nossa educação é baseada nele, fazendo
com que nos influenciemos pelas frequências externas.
Para elaboramos um pouco melhor, pense que nós temos to-
dos os reinos em nós já habitados, veja:

Convencionou-se que o medo provém de acontecimentos


drásticos, entretanto, quando olhamos para esse sentimento,
percebemos que o que nos poupa de correr riscos é o nosso
INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA, pois é ele que faz com
que preservemos a nossa vida, evitando entrar em situação de Chakra Básico: reino mineral Chakra Sacral: reino vegetal
risco. Assim, podemos dizer que o medo para nada serve, pois representando nossos ossos representando nosso sangue
ele PARALISA as nossas atitudes e apenas evidencia a nossa
frequência negativa, impedindo a nossa disposição para a mu-
dança. O medo não existe, o que existe é o perigo real e o que
nos protege é o bom senso.
Ao compreender o perigo real, dominamos o “medo” e a
nossa energia expande. Assim, temos um maior controle sobre
nós e somos capazes de saber o que é ou não possível aos nossos Chakra Plexo Solar: reino animal Chakra Cardíaco: reino hominal
limites. representando a nossa carne representando o senso, a consciência
18
MÓDULO 1

Então, o que nos protege não é o medo e sim o nosso instinto Tudo baseado para limitar a liberdade. Se
de sobrevivência e o nosso bom senso que é a parte hominal pensarmos na criança, ela é uma desbravado-
que estamos desenvolvendo. ra, não está presa a medos até que seja apresen-
Se agirmos pelo medo somos facilmente manipulados por- tada a eles.
que a nossa educação foi baseada nele para que autoridades Isso acontece com as pessoas até hoje. Va-
tivessem controle sobre nós. Exemplos disso são as histórias: do mos repetindo histórias sem raciocinar se há ou não sentido
homem do saco, a loira do banheiro, etc. nos paradigmas que nos rodeiam até que sejamos paralisados,
Homem do saco: mantinha as crianças próximas aos pais. não dando movimento aos nossos sentimentos e vontades. São
Quem não se lembra? “Se sair de perto da mamãe, o homem muitas as influências que sofremos, ainda hoje, que não foram
do saco te pega e leva embora”. racionalizadas, nos impedindo de receber novas informações
Loira do banheiro: evitava saídas constantes das salas de aula. da espiritualidade.
Essas histórias, mesmo mentirosas, ainda hoje trazem sensa-
ção ruim. Ficaram gravadas em nosso inconsciente como um
registro de memória emocional que traz desconforto.

O medo nos remete para reações primitivas de luta e de fuga,


então todo nosso campo e sistema se contrai para nos proteger
como que se estivéssemos correndo um perigo iminente e com
sensação de morte o tempo todo, assim, vivendo reativos e pa-
ralisados, desequilibrando o nosso campo e principalmente os
nossos hormônios.
O processo de autoconhecimento e a meditação nos permite
ter percepção deste processo para ter senso da realidade, dimi-
nuindo a nossa ação instintiva para expandir o nosso senso, a
nossa humanidade.

19
MÓDULO 1

COMO NASCEM OS PARADIGMAS


Definição de paradigma: é o modelo a seguir; são as normas É importante diferenciarmos o medo real e o medo ilusório,
orientadoras de um grupo que estabelecem limites e que deter- porque às vezes o nosso sistema está rodando uma ilusão, ou
minam como um indivíduo deve agir dentro desse limite. seja, ficamos com medo e angústia de algo que nem existe. Fi-
Os paradigmas nascem porque não há questionamento. His- camos aprisionados sem estarmos amarrados.
tórias são aceitas sem argumentação, como o famoso “sempre
foi assim”. Não há reflexão sobre os acontecimentos e ações,
agimos automaticamente, mesmo que a ação não satisfaça mais
à necessidade. Muitas vezes somos estimulados ao medo para
que sejamos controlados com facilidade ou para que estejamos
aptos a comprar algo que nos dê uma certa “segurança”.
Exemplo: seguro de imóveis, convênio…

O nosso sistema precisa rodar de outra forma, não pelo medo


e sim pela alegria e satisfação em fazer algo, impulsionados pelo
amor.
Quando somos movidos pelo medo, sofremos, quando somos
movidos pelo amor não. Dor é real, o sofrimento não é real.
Não existe solução para problemas que não existem. Isso é
ilusão.
A função do reino hominal é a reflexão, expandir o nosso
senso para vivermos de maneira mais consciente e plena, sem
repetição, manipulação e ilusão.
20
MÓDULO 1

MENTE CONSCIENTE, INCONSCIENTE E CÓSMICA


MENTE INCONSCIENTE:
ela guarda os registros do que
aprendemos e do que sentimos. A
mente inconsciente registra me-
mórias que, em geral, são AFE-
TIVAS, embora também guarde
conceitos para a nossa apren-
dizagem prática. Por exemplo:
quando estamos aprendendo a
dirigir, recebemos uma série de informações sobre os coman-
São três os aspectos da mente: a mente CONSCIENTE, a dos do veículo (frear, acelerar, mudar a marcha etc.) e, após
mente INCONSCIENTE, e a mente CÓSMICA. algum tempo de prática, seremos capazes de realizar essa tarefa
já pensando em outras coisas. Portanto, ficou guardado no in-
consciente o registro do PROCESSO de direção.
MENTE CONSCIEN-
TE: é a nossa mente racio-
nal que coordena, calcula e
julga. Entretanto, ela possui MENTE CÓSMICA: cada um dá um
alguns limites, pois se baseia nome, pode ser consciência, Deus, etc.
em a parâmetros que são A mente cósmica é o todo e cada um de
considerados por nós como nós tem uma função específica e que vai
sendo padrão e, a partir de- compor o todo. Estamos todos conecta-
les, julgamos o que é bom ou dos, embora haja a nossa individualidade,
ruim, feio ou bonito etc. Na mente consciente, tudo tem início, tudo que sou e faço influencia no outro e
meio e fim. Ela é a mente de nossa RACIONALIDADE e nos vice-versa. Quanto mais ajudo o mundo
ajuda a decidir o que, dentro de nossos parâmetros, será melhor a ficar melhor, mais eu contribuo para o
para nós. meu mundo estar melhor e vice-versa.
21
MÓDULO 1

CORPOS SUTIS
Somos formados por sete corpos e neles estão a base de tudo 2 - CORPO DUPLO ETÉRICO: é o nosso cor-
o que é necessário para a nossa existência. po vital que recebe as informações de todos os outros
corpos para animar o nosso corpo físico. Ele é o re-
ceptor das cargas energéticas mais densas do indiví-
duo. Os processos cármicos de doenças para expurgo
de energia do passado (presa no tempo-espaço em forma de
bloqueios), ficam presos nesse corpo para uma possível mani-
festação no corpo físico. Se o indivíduo trilhar um caminho de
postura divina dentro das leis universais, os bloqueios não serão
CORPO ESPIRITUAL CORPO ETÉRICO CORPO FÍSICO
somatizados no campo físico.

3 - ASTRAL (emocional): enquanto o corpo men-


tal inferior cria a forma, o corpo emocional cria a vi-
1 - CORPO FÍSICO: composto de músculos, car- bração, começando um movimento de atração a partir
tilagens, tecidos adiposo, epitelial, conjuntivo, etc. O dele para a materialização, para compor nosso corpo
corpo físico é um veículo de manifestação dos outros físico. É o protótipo do corpo físico definido na fase
corpos, é a caixa, a carcaça de carne; veículo de mani- de projeto. É o corpo que sente dores e prazeres e os transmite
festação do planeta; é ao corpo físico por meio de impulsos elétricos através do siste-
o corpo que tem característica ma nervoso. É o corpo que viaja no astral e realiza trabalhos
de captar do magma da Terra, mediúnicos conscientes e inconscientes. Em desequilíbrio, tor-
a carga energética para com- na-se o “fantasma” ou obsessor depois da morte do corpo físico,
por o sistema eletromagnético isto porque permanece na esfera terrestre e ainda necessita de
da existência atual; instrumen- magnetismo animal para sobreviver. Nos traumas que causam
to passivo que age em função bloqueios energéticos intensos, esse corpo fica preso no espaço-
dos comandos dos corpos sutis -tempo do acontecimento e somente é resgatado quando tratado
e suas manifestações. em trabalhos de desobsessão espiritual. Ele vibra na frequência
das emoções.
22
MÓDULO 1

4 - MENTAL INFERIOR (concreto\ 6 - BÚDICO: é a manifestação da


racional): é o banco de dados da educação alma em forma um pouco mais den-
recebida na encarnação atual, compos- sa, entretanto, muito sutil para ser
to por informações intelectuais, mentais e considerada “material”. Encontra-se
racionais. Engloba os cinco sentidos: tato, na quinta dimensão da matéria uni-
olfato, paladar, visão e audição. Em dese- versal (independe de tempo e espaço)
quilíbrio, gera conflitos EMOCIONAIS que se manifestam nos e nele estão armazenadas todas as
processos de auto-obsessão. É onde se localiza o nosso ego, a memórias das encarnações. É a me-
nossa individualidade, é ele que tem a função de planejar, ad- mória do ser divino composta por três almas: consciência, intui-
ministrar e executar o projeto de vida do Mental Superior nos ção e moral. Desse corpo surge o “déjà vu”.
corpos seguintes.

5 - MENTAL SUPERIOR (causal abs-


trato): é o banco de dados do projeto de 7 – ÁTMICO (alma): é a centelha
vida elaborado para a atual encarnação. divina; o princípio vital; a parte que
Nele está registrado todas as informações é parte de Deus; Deus propriamente
de encarnações passadas que serão traba- dito; o amor em forma de luz que faz
lhadas na encarnação atual. É o corpo que parte do Todo. Pertence ao infinito
temos acesso tranquilamente a partir de treino. É onde reside assim como é a manifestação divina.
a inspiração para formulação de novos sistemas de descobertas É o corpo da LUZ. Corpo Atma que
nos campos científico, filosófico e tecnológico. Quando em de- habita em todos nós, mas que não é possível de ser encontrada
sequilíbrio, gera distúrbios ligados ao poder ditatorial e multi- porque ela está no todo e em cada parte. É como uma semente,
plica-se em vários subníveis de personalidade, conflitantes com onde está toda a base de informação para o desenvolvimento de
o seu programa de vida. Neste corpo há o molde de todas as algo, você planta e algo nasce, a semente não mais existirá, mas
experiências que preciso passar para 2 situações: aprendizado e a informação, a base, o DNA está em tudo que cresceu a partir
magnetismo para equilibrar e evoluir. dela. Assim também é o corpo Atma.
23
MÓDULO 1

QUATERNÁRIO INFERIOR: engloba os corpos 1, 2, 3 e 4


que são respectivamente: Corpo Mental Inferior, Corpo Astral,
Duplo Etérico e Corpo Físico. Esses corpos estão na matéria.

Os problemas e as doenças começam a ocorrer quando os cor-


pos estão desalinhados e não se correspondem. Quando quer fa-
zer o que o mundo quer e não o que está planejado no Mental
Superior. Só será manifestado aquilo que está em consonância
com o nosso projeto de vida, na nossa semente e não aquilo que
são os nossos desejos ou que criamos na nossa mente.

TRÍADE SUPERIOR: engloba os corpos 5, 6 e 7 que cor-


respondem respectivamente: Atma, Búdico e Mental Superior,
que fazem parte do plano espiritual.

24
MÓDULO 1

CORPOS SUTIS E A MANIFESTAÇÃO 1 FREQUÊNCIA EM HERTZ (HZ)


Cada corpo está numa faixa vibratória, isto é, vibra numa Tudo o que existe no universo vibra em Hertz, inclusive os
frequência específica e nos acompanha em uma vida, que é corpos sutis. Cada corpo está sintonizado em uma faixa vibra-
efetivamente um ano letivo de aprendizado. tória, isto é, vibra em uma frequência específica.
Portanto, cada um dos SETE CORPOS vibra em uma fre- As cores são bons exemplos das diferentes frequências vibra-
quência diferente. No Atma, a frequência é muito rápida, tor- tórias:
nando o corpo invisível. Já no Físico, a frequência é baixa, per- CORES DO ESPECTRO VISÍVEL
mitindo vivermos nesta dimensão. Não há julgamento se é bom
ou ruim, apenas a constatação de que os corpos vibram na fre- Comprimento
Cor Frequência
quência ideal para ocuparem seus lugares no universo. de onda
Vermelho ~625 - 740 nm ~480 - 405 Hz

Laranja ~590 - 625 nm ~510 - 480 Hz

Amarelo ~565 - 590 nm ~530 - 510 Hz

Verde ~500 - 565 nm ~600 - 530 Hz

Ciano ~485 - 500 nm ~620 - 600 Hz


O processo é parecido com cabos de fibra ótica. Dentro deles
Azul ~440 - 485 nm ~680 - 620 Hz
passam os sinais (as ondas) de TV, telefone e internet, porém,
cada um dos sinais vibra em frequências distintas que chegam Violeta ~380 - 440 nm ~790 - 680 Hz
em nosso aparelho.
Isso é o que acontece com os nossos SETE CORPOS: todos Diante dessas diferenças vibratórias, já ficou fácil perceber
no mesmo caminho, porém, vibrando em frequências diferen- que não é possível tratar desequilíbrios de ordem mental da
tes. Em nossos corpos, essa variação é o que permite estarmos mesma forma que se trata os de ordem emocional. Do mesmo
encarnados, pois em cada um dos corpos as frequências vão jeito, é impossível o caminho contrário.
diminuindo para que haja condições de estarmos encarnados. Portanto, o efetivo trabalho energético e espritual é tratar
Isso mostra o quanto é importante cuidarmos do bem-estar Fí- cada um dos corpos de maneira única, respeitando a frequên-
sico, Mental e Espiritual. cia de cada um para que as pessoas entrem em equilíbrio.
25
MÓDULO 1

CORPOS SUTIS E A MANIFESTAÇÃO 2 RELAXAMENTO ALFA PROFUNDO


Por que o espírito precisa do corpo?

Para se manifestar no corpo físico, o espírito precisa passar


por um processo de adensamento, de diminuição de frequência
pelos corpos até chegar no nosso corpo físico, assim como numa
hidrelétrica que tem 765 mil kw/h, que passa para uma subes-
tação de 380mil kw/h, depois para transformadores com 13,8
mil kw/h e então chega nas casa com 220/110V. Os corpos vão
diminuindo a frequência para que possamos estar encarnados.
No caso da morte, o caminho é contrário: acelera a frequ-
ência para chegar ao desencarne. Entretanto, mesmo com a
morte dos corpos Físico e Duplo Etérico, os demais corpos con-
tinuam em outros planos, portanto, todas as nossas vivências
continuam frequenciando.

O ALPHA profundo nos ajuda a nos manter presentes, pois


estamos onde está a nossa energia. Muitas vezes estamos em
um lugar, pensando em outro e sentindo outra coisa totalmente
diferente. Percebe como estamos separados, como cada corpo
está em um “local” ? O alpha profundo é muito importante
para nos colocar inteiros numa situação para ampliar a nossa
percepção e a nossa integridade.
26
MÓDULO 1

A MATERIALIZAÇÃO E OS BLOQUEIOS ENERGÉTICOS


E o processo de materialização do que queremos manifestar
na nossa vida é igual para tudo. Para ficar mais fácil, vamos
colocar um exemplo:

Vamos imaginar que você deseja um carro, concorda que o


carro já existe, mas que ele só não existe na sua vida? Então a
ideia, o molde, está no seu Corpo Racional, que vai articular as
O estado de ALPHA, de presença nos coloca na frequência possibilidades. O Corpo Emocional vai vibrar o desejo de querer
da verdade daquilo que realmente viemos manifestar de acordo o carro para atrair a energia e os elementos necessários ,forman-
com o planejamento da nossa encarnação e nos tira dos desejos do um bloco energético, uma massa no seu campo vibracional
viscerais e das ilusões da mente, nos conectando com a vontade para ser manifestado. Mas esta massa só será manifesta se esti-
do nosso coração. ver em sintonia com o seu projeto de vida , com o seu Mental
Superior, ou seja, se aquilo vai contribuir com a sua evolução,
porque se não estiver, ele não será manifestado, virando então
um bloqueio energético que fica orbitando no seu campo. E é
esse bloco que desfazemos nos trabalhos energéticos e espirituais
porque podem acontecer 2 coisas: ou eles podem se manifestar
em uma doença ou eles bloqueiam o fluxo abundante do univer-
so e impedem você encontrar e manifestar aquilo que realmente
é pra você.
27
MÓDULO 1

CORPOS SUTIS SEGUNDO AS FILOSOFIAS A AURA


Toda a somatização dos
corpos sutis culmina no que
podemos chamar de aura.
AURA é considerada
como um campo em formato
oval, que circunda o ser hu-
mano, por onde transitam as
energias extrafísicas do duplo
etérico. Tem entre 8 e 10 cm
e define o nosso estado emo-
Existem diferenças na classificação dos corpos sutis segundo cional. Tudo que tem vida
as filosofias adotadas. O quadro a seguir mostrará como cada tem aura, desde uma pessoa
uma delas considera esses corpos: até uma folha. Tudo o que é
animado tem aura.

Quando sentimos medo, encolhemos a nossa aura para que


possa ser jogada energia ao ambiente na intenção de defesa.
Essa redução da aura favorece ao assédio, ou seja, permite que
o “outro” invada o nosso espaço energético. Não importa o tipo
de assédio: pode ser físico, emocional, espiritual ou mental. As
pernas enfraquecem porque os chakras dos joelhos jogam ener-
gia ao ambiente para se defender. Isso está diretamente ligado
ao Chakra Esplênico (dá frio na barriga, enjoô).
Quando estamos bem, felizes e com frequências equilibradas,
a aura mede entre 8 e 10 cm, mas quando estamos na frequên-
cia de medo, a nossa aura se aproxima do corpo, diminuindo o
campo de defesa.
28
MÓDULO 1

ESTÁGIOS DO SONO
O ciclo do sono tem duração Lembrando que há uma diferença entre frequência cerebral
de 1h30min e passa por cinco e a frequência emocional. Para nosso equilíbrio e para se ter
fases. Portanto, em 8 horas de um cenário ideal para materialização é preciso que a frequên-
sono, repetimos o processo oito cia racional esteja baixa e a frequência emocional esteja alta.
vezes. Nem sempre a primeira
fase é repetida, mas todas as ou-
tras certamente se repetem.
O sono faz a manutenção das
células e também elabora todas
as questões que aconteceram
durante o dia, fazendo ajustes frequenciais. Algumas situações
mais profundas o cérebro não consegue elaborar, como algum
tipo de trauma, daí formam-se os bloqueios de ordem energéti-
ca que precisarão de tratamento para auxiliar nas questões não
elaboradas, sejam desta ou de outras encarnações.
O nosso cérebro é capaz de mudar as ondas cerebrais e, quan-
to mais calmos estivermos, mais baixa será a nossa emissão de
ondas em Hz/s.
O nosso planeta Terra emite ondas que pulsam em Hz/s
a uma frequência de aproximadamente 7.83Hz/s, a chama-
da de RESSONÂNCIA SCHUMANN. Quando estamos em
ALPHA (entre 7 e 14hz), vibramos na mesma sintonia que o
planeta e, nesse estado, conseguimos captar melhores informa-
ções e emanar maiores comandos para aquilo que desejamos.
Por isso, a importância do relaxamento, pois estaremos a maior
parte do tempo em sintonia com o planeta.

29
MÓDULO 1

MOTIVOS PARA EXERCITAR OS SONHOS


O RELAXAMENTO ALPHA:
Nos sonhos são expressados
a tríade do corpo emocional,
racional e Mental Superior,
ligado ao conteúdo psíquico
da manifestação, desejos, ins-
tintos e julgamentos - ou seja:
o ID, Ego e o Superego.

ID: representa os processos primitivos do pensamen-


• São ondas ideais para a realização de objetivos; to e as características atribuídas ao sistema inconscien-
• O poder do pensamento aumenta; te. É regido pelo princípio do prazer, se apresentando
• Em ALPHA, o nosso corpo vibra na mesma frequência do na forma de instintos que impulsionam o organismo. É
planeta (Ressonância Schumann = 7.83Hz/s), o que deixa nos- a “vontade”, o “querer”.
sos pensamentos potencializados e relaxados;
Nosso corpo fica mais relaxado, todas as atividades físicas EGO: representa o “eu”. É regido pelo princípio da
São diminuídas e mais energias podem ser canalizadas para realidade, o responsável pela tomada de decisão. Quem
ativar nossa mente. equilibra as reivindicações do id e as exigências do su-
perego.
Ficamos mais dispostos para aceitar sugestões, por exemplo:
• Manutenção ou redução de peso; SUPEREGO: é regido pelos pensamentos morais e
• Melhorar a memória e estudar melhor; éticos, aquele que indica as normas e valores que rece-
• Melhorar a habilidade de julgar, de tomar decisões; bemos de nossos pais através da autoridade, limites e
• Melhorar a atitude para o dinheiro, para parar de fumar, proibições. É o “dever”.
melhorar a autoestima, etc.
30
MÓDULO 1

DESDOBRAMENTOS
Já nos desdobramentos, são re-
ID - impulsividade: alizadas viagens astrais, contato
eu quero agora direto com o campo espiritual,
pode ser inconsciente ou cons-
ciente. Nos conectamos com a
energia que estamos ao dormir
e principalmente com o nível de
consciência e elaboração daquilo
que passamos durante o dia.
Ego - racionalidade: Se estamos em equilíbrio e consciência durante o sono, po-
agora é uma boa hora? demos trabalhar em missões ou procurar ajuda para situações
que estamos vivendo no dia.
Se estamos inconscientes, descontamos as nossas emoções
viscerais, revidamos àquilo que nos aconteceu durante o dia e
que nos causou dor.

Super ego - moralidade:


é melhor não!

A percepção dos sonho está muito ligada a este con-


texto psíquico.

31
MÓDULO 1

OS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS PARTE 1


O nosso cérebro é dividido em dois hemisférios: E o DIREITO é o lado criativo que tem muita conexão com
o externo. O hemisfério direito controla o SISTEMA PARAS-
O ESQUERDO, que é responsável pela parte lógica do ra- SIMPÁTICO e libera o hormônio ACETILCOLINA, respon-
ciocínio e tem o controle do SISTEMA SIMPÁTICO que libe- sável pela tranquilidade.
ra os hormônios de aceleração, a NOREPINEFRINA.

Medroso - animal - crítico - julgador divino - amoroso - aberto - receptivo

Atividades ‘preponderantes’ nos hemisférios cerebrais

ESQUERDO DIREITO

Linguagem Visualização

Raciocínio lógico Imaginação

Pensamento analítico Emocional

Sequencial e temporal Criatividade

Lógica Intuição

Linear Raciocínio espacial

Música e ritmo
32
MÓDULO 1

Ao estimular o lado esquerdo do cérebro, liberamos o hor- Quando estimulamos mais o lado esquerdo do cérebro, esta-
mônio Norepinefrina que nos torna mais reativos e mais tensos, mos estimulando o estado de contração e ficamos mais reativos.
portanto, acionamos o sistema de defesa. Isso é importante para a nossa defesa, pois em um momento de
ataque é necessário termos as reações de defesa. O problema é
que estamos estimulando demais o lado esquerdo do cérebro,
deixando de estimular o lado direito e, assim, ficamos o tempo
todo contraídos, evidenciando as reações agressivas e anulando o
lado direito, dificultando o nosso contato com o divino.

O que buscamos trabalhar no Humanoterapeuta é o estímulo


ao lado DIREITO do cérebro para produção de ACETILCO-
LINA - o hormônio do prazer, pois esse hormônio tranquiliza e
promove um estado vibracional ideal para fazer as captações do
externo. O lado direito do cérebro trabalha com o RELAXA-
MENTO e potencializa a conexão com o divino, então ficamos
mais amorosos.
Os hemisférios equilibrados e trabalhando em harmonia
fazem o nosso corpo funcionar satisfatoriamente. Os sistemas
autônomos (coração, intestino, estômago e pulmão) recebem
condições adequadas para cumprir suas funções.
O alpha auxilia e muito no equilíbrio dos hemisférios, pois
trabalha na oxigenação do cérebro e gera transmissores de re-
laxamento.
A ativação do hemisfério esquerdo do cérebro ativa propor-
cionalmente a atuação do sistema simpático.
33
MÓDULO 1

O HEMISFÉRIOS CEREBRAIS PARTE 2


Quando as ondas cerebrais estão aci- A maioria das pessoas estão frequenciando acima de 20Hz/s,
ma de 14hz/s, inicia-se a produção de então, fica fácil compreender o motivo de tantas doenças físicas
ADRENALINA e entramos em estado e psíquicas.
de ATENÇÃO. Voltamos a destacar a importância do alpha: inspirar e expi-
Quando as ondas ficam acima de rar sempre que necessário para equilibrar e também da libera-
16hz/s, entramos em estado de ALERTA. ção de serotonina para se viver melhor.
Ondas cerebrais acima de 20Hz/s aumentam a produção de
adrenalina e inicia o estado de MEDO.
Em ondas acima de 21Hz/s, o MEDO está instalado e a pes-
soa fica em alerta total. O limite desse estado é de 21 a 40 Hz/s,
pois a partir desse ponto o cérebro BLOQUEIA e inicia o ATA-
QUE DE PÂNICO.

Existe um estudo de atitudes que facilitam a produção de


ACETILCONILA e a liberação de SEROTONINA, que é o
hormônio do prazer e da paz, facilitando as pessoas a entrarem
na CONEXÃO do planeta em Hz/s.
34
MÓDULO 1

São as condutas S: As condutas S


geram atitudes A:

- AMOR
- ÂNIMO
- APREÇO
- AMIZADE

Devemos evitar as condutas R.


- SERENIDADE: privilegiar a calma e a tranquilidade São elas:
- SILÊNCIO: buscar momentos de silêncio para relaxar
- SABEDORIA: estudos que não acelerem a mente, mas que RAIVA e RANCOR.
promovam a paz interior
- SABOR: o prazer de comer, de saborear e de perceber o
que se come
- SEXO: permitir o desejo e satisfazer Condutas R geram atitudes D:
- SORRISO: alegria
- SONO: dormir bem - DEPRESSÃO
- DESÂNIMO
- DESESPERO

35
MÓDULO 1

ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 1


Quando estamos em um dilema na vida, estamos entre o pro-
blema e a solução, mas muitas vezes só focamos no problema e
não vemos as possibilidades de solução para resolvê-lo. É como
se tivesse um pontinho preto em um cenário grande e branco,
mas só olhamos para o ponto preto. Sensação Pensamento Sentimento

O movimento da materialização é: eu tenho uma sensação,


eu penso sobre isso e materializo. A sensação vem primeiro e
muitas vezes ‘brigamos’ com esta sensação, trazendo inúmeras
justificativas e argumentos do racional para fazer aquilo que na
essência não queremos, assim acontece a desconexão, o início
das dores da alma.
E só na integridade é possível viver uma vida plena em cone-
xão com a essência.
Começamos a ver possibilidades de resolução quando olha-
mos de fora e fazemos questionamentos sobre os motivos pelos
quais sintonizamos com aquele problema, ir no cerne da ques-
tão e identificar o padrão:

- O que eu fiz que gerou o problema?

- Depois de identificar o problema, interprete para identifi-


car o padrão e o sentimento original.

- O sentimento é o padrão que precisa ser elaborado, tratado


para solucionar na raiz, na origem para sair da frequência que
gera aquele problema e chegar na solução com o aprendizado.
36
MÓDULO 1

ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 2


A origem da palavra energia provém do grego “érgon” e signi- Pensando no movimento dos átomos, é possível afirmar que,
fica trabalho ou o que produz trabalho. Assim sendo, a energia, quando tocamos em alguma coisa, nós temos a sensação do to-
em qualquer uma de suas manifestações, refere-se a algo real e que e não o contato real.
efetivo (ainda que nem sempre perceptível), mas que atua de ma- Tudo no universo tem energia, nós temos energia, os objetos
neira concreta no universo, produzindo efeitos variados. têm energia, as plantas têm energia e os NOSSOS PENSA-
Tudo o que existe no universo é energia e tudo é feito de áto- MENTOS têm energia. Então, se temos um problema, é preciso
mos. frequenciar na solução dele, pois assim iremos SINTONIZAR
O átomo é estruturado por prótons, nêutrons e elétrons. Os com energias de solução e não com o problema em si.
elétrons têm carga negativa e ficam em órbita em volta do nú-
cleo. No centro do átomo (núcleo), encontramos os nêutrons e É importante ressaltar que no campo espiritual
prótons, sendo que esse último tem carga positiva. Por esse mo- a atração é por sintonia.
tivo, os elétrons mantém a órbita em volta do núcleo do átomo.
E no campo físico a atração é por oposição.
NÊUTRON PRÓTON

Exemplo: eu, Andresa, e meu marido, Rodrigo, temos


uma missão de Dharma, ou seja, encarnamos não para
ELÉTRON equalizar dívidas e sim para manifestarmos uma missão.
Então nos sintonizamos espiritualmente por afinidade
de propósito e, na fisicalidade, nos atraímos pelos opos-
tos para que um pudesse completar o outro, ous seja:
sou mulher e ele é homem, eu tenho um temperamento
oposto ao dele e tenho habilidade e talentos diferentes
também tudo isso para que possamos juntar nossas for-
ças, que são contrárias e se complementam, para mani-
festar a nossa missão espiritual.

37
MÓDULO 1

ENERGIA E SUA MANIFESTAÇÕES PARTE 3


Hermes Trismegisto Esta Lei tem sido usada pelos homens mais ilustres através da
história:
E especialmente no Egito e na Grécia, foi considerado um
autêntico Deus, por entregar à humanidade um maravilhoso
ensinamento pelo qual só podiam acessar os “Adeptos Qualifi- “Tu crias teu próprio universo durante a caminhada”.
cados”. Seu primeiro princípio nos diz: Winston Churchill 1º Ministro Britânico – Nobel de literatura

“Dá teu primeiro passo com fé, não é preciso que vejas
a escada inteira, dá somente teu primeiro passo com fé”.
Martin Luther King - Protestante e ativista político.

“A imaginação é tudo, é uma visão antecipada das


atrações da vida que virão.”
“O TODO é mente; Albert Einstein
o universo é mental”.
“Se tu estás VERDADEIRAMENTE comprometido
com tua meta… O Universo inteiro conspira a teu fa-
vor para que apareçam os instrumentos e pessoas, que te
“O universo é uma permitirão lográ-lo.”
criação mental mantida Goethe - Escritor e Pensador alemão
pela mente do TODO”.
“Todo problema é uma forma mental que a mente
mantém. Os problemas deixam de existir quando os es-
quecemos. Todo problema foi criado pela mente e existe
enquanto a mente o mantenha.”
V. M. Samael Aun Weor - Pai da antropologia Gnóstica.

38
MÓDULO 1

A ENERGIA DE CURA
A energia de cura Magnestismo animal – Os cientistas chamam assim, repre-
já é muito falada em sentada por Anton Mesmer.
várias culturas e per- Mesmer admitia a existência de uma força magnética que se
tence à natureza hu- manifestava através da atuação de um “fluido universalmente
mana. distribuído, que se insinuava na substância dos nervos e dava, ao
A energia indepen- corpo humano, propriedades análogas ao do imã. Esse fluido,
de de tempo e espaço, sob controle, poderia ser usado como finalidade terapêutica”.
pois o necessário para A energia é inerente a todo ser humano e é composta:
a cura é o magnetismo
que se pode transferir
Núcleo - citoplasma - membrana ATP
para o outro.
A energia de cura
recebe vários nomes A respiração é um dos principais produtores de energia. Quan-
de acordo com a cultura. Vejamos alguns mais conhecidos, pos- to mais respiramos mais energia temos no nosso corpo e quando
sivelmente você se identificará com pelo menos um deles: é excedente vira H2O e assim é expelida do nosso corpo através
do suor, por exemplo.
Compreendendo este princípio, podemos perceber que pode-
mos produzir energia através da respiração, inalando oxigênio
China: energia de Chi para nossas células.
Há um modo de respiração rápida (assim como mostro na vi-
Japão: energia Ki
deoaula) para potencializar mecanicamente esta respiração, as-
Indus: energia de prana sim nosso corpo terá mais energia para trabalhar e desenvolver
a autocura.
Polinésia: energia maná A cura energética facilita o processo de cura integral ao limpar,
reparar e reequilibrar os campos de energia para que ela possa se
Índios americanos: energia de orenda
mover para um campo ideal de equilíbrio, de onde somos capa-
zes de acessar o potencial de curar a nós mesmos.
39
MÓDULO 1

ENTRADA E SAÍDA DE ENERGIA EXPERIMENTO DA ÁGUA


O nosso corpo tem vários pontos de energia, mas vamos des- Massaru Emoto
tacar apenas os principais pontos de transferência e recebimen-
to de magnetismo: Massaru Emoto foi um fotógrafo e escritor japonês que exe-
cutou experiências com a água. Segundo ele, palavras ou pen-
Entrada: samentos faziam com que as moléculas da água se comportas-
sem de maneira diferente.
• Meio da testa
• Têmporas
• Nuca A água é um elemento
condutor de energia

Ele pegou alguns recipientes


com água e em cada um colo-
Saída: cou palavras diferentes, como
raiva, medo entre outras. Além
• Palma da mão
de palavras, colocou músicas e
• Entre as sobrancelhas
também utilizou água de rios
(terceiro olho)
limpos e poluídos. Através de
fotos feitas por ele, notou que em cada um dos recipientes o
comportamento das moléculas se modificava, sendo que onde
A palma da mão é um dos principais pontos de saída (impo- havia colocado palavras positivas, as moléculas se estruturavam
sição das mãos para cura). de maneira mais uniforme, mais próximo da geometria sagra-
Quem não se lembra de quando criança sofrer uma panca- da.
da e, instintivamente, levar a mão ao local afetado para sentir A partir dessa informação, é possível perceber a interferência
alívio? da energia dos nossos pensamentos e das nossas palavras nas
E isso acontece até mesmo quando adultos, portanto, a me- moléculas da água. Então, se o nosso corpo é formado por 80%
mória dessa energia está em cada um de nós. de água, é compreensível e real as interferências externas.
40
MÓDULO 1

A energia não tem fronteiras, portanto, poderá atuar mesmo o destino da energia.
em grandes distâncias, pois o controle está na mente. Cientifi- A energia independe de tempo e espaço, pois o necessário
camente, é comprovado que a energia é transferida pela água para a cura é o magnetismo que se pode transferir para o outro.
do nosso corpo através do controle da MENTE. Assim, na Quando falamos de doação e recebimento de energia, exis-
transferência energética, temos que dar o “endereço”, ou seja, tem algumas responsabilidades.

Quem DOA energia precisa ter amor incondicional, ofe- Quem RECEBE a energia é que tem a responsabilidade
recer sem esperar retorno, ter respeito a quem recebe e en- pela cura, pois o receptor é quem permite que a energia pe-
tregar a energia, deixando que o outro a use como quiser. O netre. Não será possível ajudar uma pessoa que não queira
estado mental precisa estar apropriado e tranquilo quando receber ajuda, sendo que isso pode ser consciente ou incons-
for realizar o trabalho de doação (mais uma vez ressaltamos ciente. Neste caso, não cabem julgamentos.
a importância de exercitar o relaxamento ALPHA). Além
disso, é preciso ter igualdade, dividir a energia sem esgotar
a do doador (que deve estar bem) e não ter muitas expecta-
tivas, pois isso pode envolver o doador em sentimentos de
vaidade, afinal, ter ou não ter resultado não depende apenas
do doador, mas muito de quem recebe.

41
MÓDULO 1

OS CHAKRAS
A palavra chakra vem do sânscrito e significa roda, disco,
centro ou plexo. É percebida por clarividentes como vórtices
(redemoinhos) de energia vital e espiral girando em alta veloci-
dade, vibrando em pontos vitais do nosso corpo.
Os chakras são os responsáveis pela captação de energia do
universo para o nosso corpo e através deles recebemos as vibra-
ções de saúde ou doença. Eles atuam diretamente no funciona-
mento de nossas glândulas que comandam as funções de nosso
corpo físico para que ele possa funcionar em equilíbrio.
Os chakras têm características específicas de cor e rotação
ideal para cada pessoa.

Com exceção dos chakras coronário e básico, todos os outros


têm entrada e saída de energia na frente e atrás, semelhante a
um canudo que atravessa nosso corpo. O coronário está ligado
ao nosso mental supe-
rior e energia elétrica,
já o básico recebe a
energia telúrica do cen-
tro da Terra. Quando
há o corte na energia
do chakra básico, a pes-
soa desencarna.
42
MÓDULO 1

CHAKRAS, GLÂNDULAS E ÓRGÃOS


Agora vamos saber sobre como cada uma funciona no nosso sistema:

• Cardíaco: timo (coração, sangue, veias,


• Básico: supra-renais (coluna, ossos,
artérias, sistema imunológico, plexo torá-
dentes, sistema excretor, extremidades in-
cico, esôfago).
feriores, reto, testículos, órgãos genitais,
nariz).

• Laríngeo: tireóide (pulmão, brônquios,


traquéia, paratireóide, plexo cervical, fa-
ringe, laringe, cordas vocais, boca).
• Sacral: gônadas (ovários, órgãos, geni-
tais internos, plexo lombar, rins, órgãos re-
produtores, útero, bexiga, intestino grosso).

• Frontal: hipófise (cérebro inferior, olho


esquerdo, ouvidos, nariz, sistema nervoso).

• Plexo Solar: pâncreas (músculos, pele,


estômago, fígado, vesícula, , baço, intes-
tino delgado, sistema nervoso, duodeno, • Coronário: pineal (cérebro superior,
olhos). olho direito, cabelo, unhas).

43
MÓDULO 1

GLÂNDULA PINEAL Então durante o sono nós recuperamos toda a nossa parte
fisiológica, inclusive a captação das nossas memórias, questões
A glândula pineal está bem emocionais e a elaboração de tudo aquilo que ocorreu durante
no centro no nosso cérebro. o nosso dia… tudo isso acontece durante o nosso sono.
Se você colocar um canudi-
nho no centro da testa e um
canudinho na nuca, bem no
centro, onde eles se encontra-
rem, será a glândula pineal.
A glândula pineal tem a
função de receber tudo aquilo que vem do externo, toda ener-
gia, positiva ou negativa, também de satélites naturais, etc.
Por exemplo, vamos imaginar o sol e a lua.

Daí passa a noite e começa e o sol começa vir …

O sol emite uma onda, e todas as nossas funções começam a


movimentar dentro de nós, despertando o nosso corpo para as
A lua emite uma onda que é captada pela nossa pineal com atividades diárias e todas as necessidades fisiológicas. Tudo isso
uma informação, e que vai para todo o nosso corpo, ou seja, da após a pineal captar a onda emitida pelo sol, esta radiação para
pineal vai para o tálamo do tálamo vai para o hipotálamo para o corpo despertar.
que sejam liberados os hormônios necessários para iniciar o Então, tudo que vem de fora é captado pela nossa glândula
processo de sono, de baixar a temperatura do nosso corpo para pineal e distribuído pelo nosso corpo e não são somente as on-
que a gente entre no estado de sonolência para poder dormir e das do sol e da lua, existem outras frequências e ondas que ela
recuperar todo o nosso composto celular. também capta e estão ligadas à espiritualidade.
44
MÓDULO 1

E o processo é assim: pineal capta uma informação e envia


primeiro para o tálamo, onde fica os nossos 5 sentidos. Os
nossos sentidos são: tato, visão, audição, olfato e paladar que Então eu vou colocar algumas hipóteses aqui.
codifica a informação e a sensação que era inconsciente, daí
vem para o consciência neste processo. Vamos imaginar que é acessada uma informação de
uma energia não muito superior em uma determinada
Tálamo
densidade, como um processo obsessivo onde entra uma
energia de um obsessor, passa pela pineal e vai até o tála-
mo. Ela é transferida pelo hipotálamo e, a partir daí, vai
ser mandada uma informação para a hipófise.
Glândula
Então, vamos imaginar que a pessoa, antes de ter esse
pineal processo de contato com alguma energia intrusa, ela es-
teja um pouco entristecida. A tristeza faz com que seja
produzido um hormônio corticotrófico. Esse hormônio
corticotrófico vai acelerar a produção de um outro hor-
mônio que é o cortisol, produzido pelas glândulas suprar-
renais. Isso vai causar uma tristeza grande.
Se além dessa tristeza que a pessoa já tem, ela estiver
recebendo energia externa de um espírito obsessor, essa
produção energética da glândula vai aumentar potencial-
mente os hormônios que serão distribuídos pro corpo.
Então imagina a potência de uma tristeza juntando
Então quando alguma onda, alguma frequência foi captada, com um processo obsessivo? Isso tudo vai ser captado
o nosso sentido absorve e consegue codificar esta onda e a gente pelo cérebro e vai potencializar a produção de hormônios
consegue percebê-la no físico através dos nossos 5 sentidos, isso de tristeza, e aí é onde vai começar a alterar o processo
vai ser distribuído depois pelo hipotálamo que tem basicamen- depressivo ou o processo de juízo.
te as quatros funções: da fome, do sono, da agressividade e da
sexualidade e depois vai para a hipófise que é quem produz
alguns hormônios.
45
MÓDULO 1

Porque, por exemplo, se dessa parte do cérebro for encami- Tirando o obsessor, há
nhado uma informação pra parte do córtex frontal da pessoa, um alívio e uma melhora
o que vai acontecer? significativa, mas é muito
Ela vai ter uma alteração do juízo crítico. importante tratar o movi-
Então aquelas pessoas que vão tendo alterações, não conse- mento que leva à essa tris-
guem estabelecer um vínculo correto com a realidade. Assim, teza, porque senão ela vai
existem milhares de conexões que são feitas que vão interferir continuar emitindo essas
diretamente no seu comportamento e na sua saúde física, mui- ondas e outros obsessores
tas vezes. chegarão.
O que eu quero dizer
com essa explicação não é para que você não se atente às ques-
tões hormonais, mas se atente também ao quão importante é
manter a sua qualidade interna de pensamentos e sentimen-
tos para que você faça conexões, porque do mesmo jeito que
você faz conexões com energias intrusas porque você está en-
tristecido, se você tiver qualidade de conexões internas, auto-
maticamente você vai se alinhar energeticamente com energias
melhores e com espíritos de maior luz, aí essa conexão vai ser
muito mais proveitosa, tanto pra você quanto para eles.

Por isso, depois de um trabalho de desobsessão, essa energia é


retirada e a pessoa melhora. Mas ela se curaria completamente
só com o trabalho de desobsessão? Não. Por que?
Você lembra que eu falei que o primeiro momento é porque
ela já tinha uma tristeza? Essa tristeza tem uma onda cerebral
que vai se conectar com ondas iguais, que já estão no planeta
ocasionando o processo obsessivo.
46
MÓDULO 1

Deu pra compreender qual é a importância de se manter Uma doença pode ser
bem e com qualidade de pensamentos e sentimentos? potencializada? Sim, pode
Porque a gente capta tudo o que está no externo, e quando ser!
você consegue fazer a captação de uma energia superior, isso Portanto é de suma im-
vai te trazer uma qualidade de vida, tanto nas suas relações portância que você me-
quanto na sua saúde física. lhore sua qualidade de
pensamento e sentimento
para se ligar com energias
superiores. A Glândula Pi-
neal é a nossa porta de en-
trada, ela que capta todas
as informações do externo,
principalmente as informações espirituais. É através da glându-
la pineal, junto aos nossos sentidos, que conseguimos codificar
e manifestar essas informações.

Algumas pessoas podem me perguntar: “Ah, mas como


é que funciona a clarividência?” A clarividência acontece
pelo caminho da pineal, tálamo, hipotálamo e, ao invés
de ir ao córtex frontal, alterando o juízo crítico da pessoa,
será direcionada à área occipal que fica na parte traseira
do cérebro, sendo responsável pela visão. Assim, a pessoa
terá a clarividência, ou seja, ela verá a informação espiri-
tual. Mas o que ela vai ver exatamente? Se estiver com a
energia positiva, emanando alegria e beleza, se ligará com
energias superiores e verá coisas boas.

47
MÓDULO 1

CONSCIÊNCIA CÓSMICA PARTE 1


Consciência cósmica é a união de todas as mentes superiores.
Co-criador: a consciência cósmica ou Deus que habita em nós.

‘Vós sois Deuses’

Estamos todos conectados e somos criadores da nossa reali-


dade a partir de uma mente superior, uma consciência maior
que nos dá lucidez e rege todos nós, manifestando não aquilo
Se ela estiver se mantendo muito pra baixo, com energias que queremos (o ego), mas aquilo que está em sintonia com o
negativas, muito triste e com qualidade de sentimentos muito nosso projeto de vida e com o todo.
ruim, ela vai se ligar com as energias baixas e verá coisas ruins. A consciência cósmica trabalha para o todo. Para se conectar
Então, tudo com o que você se relacionado do lado de fora está com essa energia do todo, é preciso se conectar primeiro com a
de acordo com o que você tem por dentro. Aprendendo isso, já sua consciência, com o seu universo interior e com a sua essên-
não dá mais para culparmos o outro pelo que acontece conos- cia, como numa oração, entregar
co, pois tudo está de acordo com a nossa qualidade de emoções, para Deus.
sentimentos e pensamentos. Essa energia consegue acessar a
consciência cósmica e aí então você
recebe a informação, a resposta,
O estudo da glândula pineal é muito profundo e, devido a pessoa ou aquilo que você está
a este curso ter uma abordagem mais prática, quero que buscando e precisando naquele
você se atente à qualidade do seu conteúdo psíquico e a momento. A consciência cósmica
como conseguimos captar informações através da glându- trabalha para o todo e o que preci-
la pineal. Quando melhores estivermos, melhores conta- samos fazer é nos alinharmos para
tos teremos. acessar esse todo e manifestarmos
o que é preciso.
48
MÓDULO 1

CONSCIÊNCIA CÓSMICA PARTE 2


A consciência cósmica não “entende” a interpretação, pois a Todo trabalho e serviço gera troca de energia e valor e isso
sua linguagem é a vibração. Então não adianta queremos re- precisa ser equilibrado. O dinheiro, por exemplo, vem da energia
presentar para o universo, pois ele só compreende e capta a de valor, quando você o recebe é porque você gerou algum valor
intenção, a nossa vibração. para o outro, para uma empresa, para a sociedade, etc.
Então, nada mais natural que você receba pelo valor gerado,
pois você despendeu energia para realizar um trabalho, gerando
valor na vida da outra pessoa e nada mais equilibrado e justo que
você receba algo de valor também e, por acaso, esse valor pode
ser o dinheiro.
Por exemplo: há uma diferença em ser bom e ser ‘bonzinho’. Perceba que tudo é a vibração. Quando morrermos, restará
Ser bom significa não fazer o mal. Ser ‘bonzinho’ é fazer es- somente a vibração e o que vai nos proteger não é um corpo ou
perando algo em troca, é um jeito de manipular para conseguir uma mente, pois não teremos mais nada disso. O que vai nos
o que se quer e para que o outro fique em dívida com você. proteger são os nossos valores e a nossa consciência.
Resultado dessa simbiose: um vibra a dívida e o outro a co-
brança, energia oposta ao dinheiro. Por isso, deveríamos aproveitar me-
lhor o tempo com a verdade e adotar
as seguintes práticas:
• Não sentir ódio e ciúmes (raiva
pode, afinal, é uma potência que a
Andresa sempre diz que é ok)
• Não insultar e agredir os outros
• Parar de implorar a Deus para
convencê-lo de algo.
Assim, podemos refletir sobre as intenções e diferenciações • Ter consciência livre para que, ao
nos nossos atos. Como saber cobrar pelo trabalho? Essa é uma chegar no momento da morte, não se
questão principalmente para quem trabalha com terapias ener- arrependa de ter sido miserável e en-
géticas e espirituais. tregue tão pouco para a vida.
49
MÓDULO 2
TEMPERAMENTO E ELEMENTOS - PECADOS E JULGAMENTOS

50
MÓDULO 2

PECADOS E JULGAMENTOS
A primeira crença que precisamos desmistificar sobre os 7 Como já vimos, ao todo temos 7 chakras principais e vários
pecados capitais é a de que “pecado” não é algo ruim. Pecados outros pequenos chacras pelo nosso corpo. E um chakra que
na verdade são instintos, são energias que precisamos elaborar estamos aprendendo e trabalhando para evoluir é o Chakra
e equilibrar para nossa evolução. Cardíaco.
Partindo disso, vamos ampliar a nossa reflexão sobre os peca- Este chakra é formado por 12 pétalas, sendo que 5 corres-
dos, sem o julgamento e a carga de que eles devem ser excluídos pondem aos sentidos (que já elaboramos) e 7 aos nossos instin-
da nossa vida, mas sim equilibrados e fazer um paralelo com os tos (7 pecados capitais que precisamos elaborar).
nossos chakras.

Como podem perceber


estamos numa evolução e
equilíbrio de todos os rei-
nos e elementos que habi-
tam em nós, então não há
melhor e nem pior, a nossa
tarefa é equilibrá-los, sem
julgamento, e utilizá-los de
forma positiva. Para isso,
vamos compreender cada
um dos instintos.

51
MÓDULO 2

ORGULHO OU VAIDADE o medo de se expor e de ser julgado pelo outro. Neste caso, a
pessoa está preocupada com o que o outro vai pensar sobre ela
e tem receio de não se mostrar tão especial.
AS VIRTUDES que se opõem à soberba são o respeito e a
humildade de ser e parecer o que se é na essência, onde estão
os nossos valores e a nossa real identidade.

É reconhecer-se especial ao invés de essencial. A soberba está


associada ao orgulho, vaidade e arrogância.
Segundo Tomáz de Aquino, a soberba era um pecado tão
grandioso que era fora de série, devendo ser tratado em separa-
do do resto e merecendo uma atenção especial. Aquino tratava
em separado a questão da vaidade, como sendo também um
pecado, mas a igreja decidiu unir a vaidade à soberba, acredi-
tando que neles havia um mesmo componente de vanglória, A AVAREZA não tem a ver só com o dinheiro. É um com-
devendo ser, então, estudados e tratados conjuntamente. DO portamento de não se entregar ao outro ou à vida. É querer ter
LATIM: Superbia, Vanitas. mais para si do que dar para o outro.
• Há dois tipos de orgulho. Existe o orgulho de se sentir me- É se negar a ajudar, não oferecer um conhecimento ou um
lhor que as outras pessoas e o orgulho de se sentir menos, com talento, por exemplo.
menor valor, como se não fosse importante fazer o que se faz É negar ser gentil, sorrir, ser alegre, enfim, é ter apego às coi-
ou ser o que se é. sas, aos sentimentos, às situações e às pessoas. É querer guardar
• A verdade é que todos nós possuímos talento e habilidades e acumular tudo sempre.
de fazer a diferença no outro e no mundo. Esse é o orgulho bem AS VIRTUDES contrárias a essa energia são a generosidade
usado: ser quem se é e valorizar a essencialidade disso. e o desprendimento, ou seja, dar sem esperar receber nada em
• A outra face do orgulho é a timidez que, na realidade, é troca, seja nas atitudes, nos pensamentos ou nos sentimentos.
52
MÓDULO 2

A LUXÚRIA ligada aos prazeres egoístas e a se deixar do-


minar por paixões.
Não só no sentido sexual mas também aos desejos passionais
de satisfação pessoal e de não tolerar as frustrações e as con-
trariedades.
É estar num vício, por exemplo - seja ele qual for - por pura
satisfação, independentemente se aquilo faz mal a mim ou se
faz mal ao outro, me rendendo apenas ao prazer. A energia a
ser trabalhada é a da auto satisfação sem medida.

A IRA são intensos e descontrolados sentimentos de raiva, ódio


e rancor que podem gerar desejo de vingança. É um sentimento
mental que coloca em conflito o agente causador da ira e o irado.
Conforme o conceito da igreja católica, a ira não atenta apenas
contra os outros, mas também contra àqueles que deixam o ódio
plantar sementes no coração. Seguindo essa linha de raciocínio,
o castigo e a execução do causador pertencem a Deus. É um dos
pecados mais controversos e difíceis para se compreender.
É uma energia muito necessária para construir, fazer e realizar
algo. A ira é o não comodismo, é não aceitar qualquer coisa.
Ela só não é saudável quando eu quero mudar o outro ou uma
situação que não compete a mim, pois aí a raiva e o ódio se ma-
nifestam, porque não aceito a realidade.
A ira é uma potência de transformação se for utilizada na me-
dida, de forma equilibrada. Se a ira for reprimida, vira indife-
AS VIRTUDES a serem alcançadas e equilibradas são a sim- rença e não é bom. AS VIRTUDES que se opõem a ela são a
plicidade, moral, prática de bons pensamentos e auto satisfação. serenidade, a resiliência e a coragem.
53
MÓDULO 2

Eu gasto esta potência energética da gula elaborando mais


e mais projetos para o Espaço Humanidade com o objetivo de
espalhar consciência.
A gula deve ser ressignificada para ser usada na potência da
VIRTUDE, como ter temperança, auto controle e abstenção.

A GULA é querer mais do que se pode e necessita, não só na


alimentação, mas também nas emoções e nos bens materiais.
É nunca estar satisfeito com o que se tem e nem com o que
se é. É querer sempre mais e mais da vida, das pessoas e das
situações.
Os processos de dependência também podem estar relacio-
nados ao pecado da gula, pois remetem ao desejo insaciável de A INVEJA é a dinâmica de ignorar as próprias bênçãos. É
ter cada vez mais prazer e apego. A gula pode ser observada não valorizar o que se tem e não ser grato pela própria vida e,
nos processos de todos os vícios, pois existe neles o forte desejo ao invés disso, priorizar o status de outra pessoa, querendo o
de ter sempre mais. que o outro tem.
Eu, Andresa Molina, já comentei várias vezes que o pecado É ter desgosto pela felicidade e realização do outro. É um pe-
mais latente em mim, e que preciso constantemente observar, cado triste se você for parar para observar, porque a pessoa está
é o pecado da gula. Mas isso não se refere somente à comida, vazia, não consegue encontrar felicidade no que tem e almeja o
mas também à bebida, ao trabalho e a tudo na minha vida. que é do outro, está em dor.
Eu sempre quero mais, e mais de tudo, nunca estou satisfeita. É diferente, por exemplo, quando você admira alguém e quer
Antes eu tendia esta gula para a polaridade negativa e be- observar o que a pessoa faz e como ela conseguiu aquilo para,
bia demasiadamente. Hoje, com mais consciência, eu não bebo então, aprender e fazer o mesmo, sem causar prejuízo a nin-
mais e transfiro esta energia para algo bom, como o meu traba- guém. AS VIRTUDES que se opõem à inveja são a caridade, a
lho, por exemplo. compaixão e a amizade.
54
MÓDULO 2

A PREGUIÇA é o ato de prejudicar a vida, é ser negligente, ELEMENTOS E TEMPERAMENTOS


é faltar com capricho, é procrastinar e se frustrar.
Mas há o lado em que a preguiça é necessária: haveria, por Existem quatro elementos essenciais para a sobrevivência dos
exemplo, controle remoto se alguém com preguiça não tivesse seres humanos, são eles: Água, Terra, Fogo e Ar.
tido a ideia? Então, quando ela é bem usada, ajuda a humani-
dade a trazer soluções para nossa praticidade e conforto.
É não ter coragem ou ânimo para mudar uma situação. Con-
diz com uma falta de potência de realizar algo na vida, não
tendo perseverança, disciplina e motivação.
AS VIRTUDES que se opõem à preguiça são a ética, a deci-
são e a objetividade.

Tudo o que existe foi gerado a partir destes 4 elementos, sem


um deles nada é criado.
Se você deixar uma semente em cima de uma mesa, onde
não houver terra, não haverá como ela germinar e a semente
morrerá Para que ela possa virar uma árvore, será preciso lan-
çá-la na terra.
Mas, se esta terra for de um solo seco, sem água, com excesso
de sol, ela não irá brotar. Ou o contrário: se for um solo extre-
mamente úmido, sem incidência de luz solar, ela também não
germinará.
Então, para que a semente brote, é preciso haver os elemen-
tos terra, água, fogo e ar. A semente é colocada sobre a terra,
que contém umidade (água), calor do sol (fogo) e ar, sendo o
ambiente propício para que a informação contida nela consiga
germinar e desenvolver seu papel.
Indicação de filme: DIVERTIDAMENTE. Assim, ela busca a água e os nutrientes da terra através da
raíz (que vai pra baixo), ar e sol (que vem de cima).
55
MÓDULO 2

OS ELEMENTOS NO PROCESSO ENCARNATÓRIO Pensando no processo de terra, fogo, água e ar na composi-


ção do processo encarnatório, funciona da seguinte forma:
Na água existe 88,89% de oxigênio. Com um projeto de vida já definido, se começa a procura
No ar existe 78% de nitrogênio por uma matriz, uma mãe, que tem em seu campo energético a
No fogo existe 71% hidrogênio informação de que é uma matriz onde a criança pode se formar
E o principal elemento da terra é o carbono e nascer, espiritualmente falando.

Todas as nossas células têm os 4 elementos na sua constituição.

As organelas celulares
Ribossomo
Centríolo
Peroxissomo
Mitocôndria

Núcleo
Aparelho de
Golgi
Esse Ser é um pulso de vida que desenvolve uma tração para
Retículo o planeta, passando por um cinturão zodiacal composto pelos
Endoplasmático planetas e cada planeta, tem as sua forças das quais este Ser vai
Lisossomo Liso absorver conforme o seu projeto de vida para a materialização.
E no momento do nascimento, da explosão da materialização,
Citoplasma esse Ser receberá o signo regente (o signo solar) e todas, e toda
a sua composição.
Retículo Nesta composição, variam a disposição dos elementos e, con-
Membrana plasmática
Endoplasmático sequentemente, isso interfere na manifestação e nos comporta-
Rugoso mentos, e é isso que vamos estudar agora.
56
MÓDULO 2

TEMPERAMENTOS E SIGNOS

FOGO (colérico) ÁGUA (fleumático)

Áries, Leão, Sagitário Câncer, Escorpião, Peixes

EMOÇÃO: Ira EMOÇÃO: Medo

Rápido nas decisões; impulsivo; resolvido; energético; Calmo; tranquilo; prudente; gosta de rotina; paciente;
vigoroso; excitado; agitado; inquieto. observador; pouco esforçado; acomodado; vagaroso.

TERRA (melancólico) AR (sanguíneo)

Touro, Virgem, Capricórnio Gêmeos, Libra, Aquário

EMOÇÃO: Tristeza EMOÇÃO: Alegria

Irritável; inquieto, crítico; organizado; introvertido; Extrovertido; expansivo; ativo; comunicativo; prático;
caprichoso; desconfiado; tímido; detalhista; não expõe espírito positivo; gentil; contente; gosta de mudanças;
os sentimentos. adora brilhar.

57
MÓDULO 2

Uma pessoa do signo de Leão tem influência do elemento


fogo, portanto, apresentará as características emocionais rela-
cionadas a esse elemento. O fogo tem função de queimar, ou
seja, abrir caminhos com impulsividade e, dessa forma, pode-
mos descrever os indivíduos nascidos sob essa influência. Por-
tanto, observar essas características pode ser recurso para com-
preender os comportamentos que causam dor nos pacientes de
um terapeuta.

A presença destes elementos pode variar de pessoa para pes-


soa, considerando o momento do nascimento de cada indivíduo.
Assim, uma pessoa que nasce no período onde há predominân-
cia do elemento água, terá características predominantes desse
elemento em sua composição física, diferentemente das pessoas
nascidas sob o elemento ar, fogo ou terra.
O elemento terra representa a estrutura do corpo físico e as suas
respectivas sensações. O elemento água está relacionado com a
bioquímica, com as emoções e com os sentimentos. O elemento Imagine que um indivíduo, nascido sob a influência do fogo,
fogo relaciona-se à energia da intuição e ao plano espiritual. O tenha, por qualquer motivo, não se manifestado e oprimido
elemento ar refere-se à mente, pensamentos e entendimento. suas opiniões. Provavelmente, ele entrará em desequilíbrio
emocional e mental, pois o composto celular do seu organis-
mo (no caso o oxigênio) não se manifestará adequadamente,
facilitando o aparecimento de doenças físicas. Evidentemente,
existem outras variáveis nas características de cada indivíduo,
porém, antes de destacá-las, é preciso observar se a pessoa está
em equilíbrio, do contrário, as características principais serão
suprimidas.
58
MÓDULO 3
FÍSICA QUÂNTICA E FREQUÊNCIAS

59
MÓDULO 3

CONCEITOS DA FÍSICA QUÂNTICA - PARTE 1


O sol é considerado uma estrela e existem 100 bilhões de
estrelas iguais a ele em toda a Via Láctea, porém, existem 200
bilhões de galáxias iguais à nossa.
Imagine a magnitude de todo o Universo. Já existem estudos
com a hipótese de que, além deste, há outros universos parale-
los ao nosso, que os cientistas estão denominando de MULTI-
VERSOS.

Neste módulo, estudaremos um pouco de Física Quântica,


porém, com um olhar espiritual, sem a profundidade da Físi-
ca Técnica. Neste curso, a atenção é voltada para a conexão
de todos os seres utilizando os conceitos básicos da Física. Eles
comprovam que a atitude de cada pessoa interfere no todo uni-
versal, pois estamos todos interligados.
O entendimento do conteúdo quântico nos dá convicção do
funcionamento das técnicas energéticas, pois a ciência compro-
va o funcionamento das transferências de energias trabalhadas
pelos terapeutas. Sem contar que, quanto mais informações,
estudo e comprovações científicas, maior será a eficiência do
tratamento.

Sistema Solar

O Sistema Solar compreende o conjunto constituído pelo Sol


e todos os corpos celestes que estão sob seu domínio gravitacio-
nal.Giram em torno do Sol um total de nove planetas.
60
MÓDULO 3

Tudo o que conhecemos sobre Universo diz que 0,03% são Mudança de paradigma
elementos pesados, 0,03% são neutrinos, 0,5% estrelas, 4% de
hidrogênio livre e hélio, até aqui é o que conhecemos. O trabalho energético exige que aconteça uma mudança de
Depois disso, temos 23% a 26% de matéria escura que ainda paradigmas, ou seja, há necessidade de que os conceitos mate-
não existe informação sobre o que é, somados a aproximada- rialistas sejam revistos, pois a energia vai muito além da matéria
mente 70% a 73% de energia escura também desconhecida. palpável.
Portanto, no contexto de todo o Universo, apenas temos co- A Física comum, em seus experimentos, sempre que tenta
nhecimento de 5%. E já temos conhecimento de Multiversos, provar a matéria só encontra a energia.
então, limitar nosso conhecimento a efeito de ação e reação nos Já a Física Quântica estuda todos os fenômenos que acon-
impede de ampliar a nossa mente para outras possibilidades. tecem com as partículas atômicas e subatômicas, menores ou
iguais aos átomos, como os elétrons, os prótons e as moléculas
de fótons, por exemplo.
Composição da Todas essas micropartículas não podem ser estudadas pela
massa do universo ótica da física clássica, pois não são influenciadas pelas leis que
Elementos pesados
0,03% a compõe, como: gravidade, lei da inércia e lei da ação e reação.
Neutrinos
0,3%

Estrelas
0,5%

Hidrogênio e
hélioi livres
4%

Matéria escura
23%

Energia escura
72%

61
MÓDULO 3

A matéria é, portanto, um aglomerado de energia conden- Um filme que mostra bem esse
sada e assim é formado nosso corpo. Partindo desse princípio, conceito da física moderna é o
fica inconsistente afirmar que a CONSCIÊNCIA está dentro AVATAR - naquela cena da árvore
do cérebro, ela é muito mais expandida do que apenas o aglo- da vida que conecta todo mundo
merado de matéria que faz parte do o corpo físico. com os ancestrais.
Então, tomando posse desse con-
ceito de que cada indivíduo tem
sua responsabilidade em relação ao
todo, em contrapartida, a força in-
dividual para mudanças, também
aumenta.
Portanto, tudo que realizamos individualmente será refletido
no outro e no todo.

Assim, os paradigmas pelos quais a humanidade foi criada,


começam a ter novas interpretações, principalmente no que se
refere ao todo universal, à luz da Física Quântica.
Para a Física clássica, tudo está separado, ou seja, um termi-
na onde o outro começa.
Na Física Quântica, o conceito é oposto: não existe nada se- “Tudo aquilo que chamamos de real é feito
parado, existe um campo que conecta tudo a todos, como se de coisas que não podem ser consideradas reais.”
estivéssemos todos envolvidos em uma rede de pesca, cada nó
seria um indivíduo que influencia o outro em todo Universo e Niels Bohr
multiverso.
62
MÓDULO 3

Física Quântica A palavra – quântica

Para falarmos sobre a Física A palavra “quântica” (do latim, quantum) quer dizer quanti-
Quântica é preciso que se faça uma dade. Na mecânica quântica, essa palavra refere-se a uma uni-
referência ao pai da Física clássica: dade discreta que a teoria quântica atribui a certas quantidades
Isaac Newton. físicas, como a energia de um elétron contido num átomo em
Ele era astrônomo, filósofo, al- repouso.
quimista, teólogo e cientista. O matemático alemão Max Planck foi quem começou a falar
A publicação de algumas de suas sobre o mundo quântico no ano de 1900. Ele dizia que a ener-
leis, como Lei da Inércia, Lei da gia era contínua como se pensava até então. Ele considerava
Aceleração e Lei da Ação e Reação que a radiação é absorvida ou emitida por um corpo aquecido
nos permitiram a descoberta do ta- não sob a forma de ondas, mas por meio de pequenos pacotes
manho dos planetas, a velocidade de energia.
necessária para deslocamento até
eles, entre outros conceitos. Enfim,
os estudos de Newton eram voltados para a matéria.
Por volta de 1800, parte dos cientistas foram estudar o macro-
cosmo e a outra parte, o microcosmo, onde as menores partículas
foram estudadas, despertando o interesse para os átomos, o que
deu base aos nossos estudos.

A esses pequenos pacotes de energia ele deu o nome de quan-


ta, no plural quantum (quantidade), passando a ideia de indivi-
sível, já que o quantum seria uma unidade definida de energia
proporcional à frequência da radiação. Atualmente, um quan-
tum é chamado de fóton.
63
MÓDULO 3

CONCEITOS DA FÍSICA QUÂNTICA - PARTE 2


NÊUTRON PRÓTON Modelo atômico de Dalton

John Dalton (1766 – 1844), nas diversas combinações dos


átomos, ainda tidos como partículas fundamentais e indivisí-
veis, estaria a origem da diversidade de substâncias conhecidas.
No ano de 1808, Dalton propôs a teoria do modelo atômico,
ELÉTRON
onde o átomo é uma esfera maciça que, além de indivisível,
seria impenetrável, indestrutível e sem carga. Todos os átomos
de um mesmo elemento químico são idênticos.
Esse modelo atômico foi chamado de modelo atômico da
bola de bilhar. Conceituando com o que já vimos, observa-se o
pensamento materialista, indivisível e maciço.

Passados aproximadamente 100 anos, foi conhecido o


modelo atômico de Thompson

Joseph John Thompson (1856 – 1940) de-


fendeu o primeiro modelo de estrutura atômica a
Elétron = carga negativa indicar a divisibilidade do átomo. De acordo com
Próton = carga positiva Thompson, o átomo era formado por elétrons
Nêutron = Neutro presos a uma esfera não maciça com carga elé-
trica negativa menor do que o átomo (os elétrons). Seus estudos
As cargas opostas se atraem e compõem a estrutura do átomo. sugeriam que os elétrons se situavam numa parte do átomo que
Até chegarmos a esse modelo estrutural do átomo, passamos apresentava carga positiva. Desse modo, o átomo de Thomp-
por alguns processos que serão apresentados apenas para efeito son teria um aspecto de ameixas em um pudim. Por este motivo,
de informação para uma melhor compreensão dos assuntos tra- seu modelo, que surgiu por volta de 1898, ficou conhecido como
tados neste módulo. “modelo pudim de ameixa” ou “pudim com passas”.
64
MÓDULO 3

Modelo atômico de Rutherford ficou que o comportamento das partículas era padronizado e a
maior parte delas conseguia atravessar a folha, outras ficavam
No ano de 1911, avançando um pouco mais nos estudos sobre bloqueadas e havia ainda algumas que nem sequer eram afeta-
a estrutura dos átomos, o Físico Neozelandês Ernest Ruther- das.
ford (1971 – 1937) realizou um experimento em uma lâmina Rutherford concluiu que havia também muitos espaços va-
fina de ouro com partículas alfas. zios e que o centro do átomo era muito menor, considerado
Conectado a um microscópio, Rutherford construiu uma câ- todo seu diâmetro. Estava descoberta a eletrosfera, ou seja, o
mara metálica fechada e nela colocou um pequeno recipiente de átomo era formado por um núcleo com concentração de carga
chumbo com fragmentos de polônio. Na frente desse recipiente, positiva e uma região onde se concentrava a carga negativa.
que tinha uma abertura, ele posicionou uma lâmina de ouro bas-
tante fina coberta por uma película de sulfeto de zinco. O Sistema Solar de Rutherford
O objetivo era analisar a incidência das partículas que pene-
travam através da folha e desintegravam-se espontaneamente de
elementos radioativos naturais. A partir de sua análise, ele veri-

Material radio- Anteparo


ativo (Po) fluorescente (ZnS)

Representação do modelo Sistema Solar


atômico de Rutherford

O átomo seria semelhante ao nosso sistema solar, onde o


Bloco de Feixe de núcleo representaria o Sol e os elétrons girando ao seu redor
chumbo partículas
Placa Lâmina seriam os planetas. Perceba a semelhança de sua estrutura
de Pb de ouro (Au) com o nosso sistema solar, é o macro e o micro funcionando
no Universo.
65
MÓDULO 3

Modelo atômico de Bohr Produção das partículas

O modelo do físico dinamarquês Niels Bohr (1885 – 1962)


é o que temos até hoje.
Como no modelo de Rutherford, o modelo atômico de Bohr
também é constituído de um núcleo positivo e os elétrons giram
em torno dele, com a diferença de que no modelo de Bohr os
elétrons giram ao redor do núcleo em órbitas circulares, não
emitindo nem absorvendo energia.
Bohr disse que os elétrons ocupam níveis energéticos e que,
para cada nível, o elétron possui valores de energia múltiplos Prosseguindo nos estudos subatômicos, falaremos da produ-
em números inteiros de um fóton, ou seja, só é possível orbitar ção de partículas que pode ocorrer de duas formas: a PRODU-
no campo eletromagnético se for inteiro. Portanto, não existe ÇÃO NATURAL e a PRODUÇÃO ARTIFICIAL.
meio fóton. O termo produção de partícula se refere à criação de uma
partícula elementar e sua antipartícula, geralmente a partir de
fóton um fóton. Isso é permitido desde que haja energia suficiente
para a criação.
A produção natural acontece devido aos cenários astrofísicos
com suas reações estelares. As estrelas emitem raios cósmicos
(neutrinos) que levam à produção de todas essas partículas.
L M
n=1 Ernest Lawrence foi um cientista nu-
n=2 K clear americano e pioneiro que recebeu o
prêmio Nobel de Física de 1939 por sua
n=3
invenção do cíclotron, um tipo de acele-
rador de partículas. Nesse equipamento,
Apenas por curiosidade, a dificuldade do estudo do átomo Lawrence conseguiu a separação de isóto-
se dá ao tamanho de um átomo, pois ele é 10 milhões de vezes pos de urânio e essa pesquisa evoluiu para
menor que um milímetro. a criação do Colisor Hádrons CERN.
66
MÓDULO 3

CERN é o maior acelerador de partículas e também o de


maior energia existente no mundo. Seu principal objetivo é obter
dados sobre colisões de feixes de partículas. Essas colisões provo-
cam explosões que resultam em criação de partículas que nunca
existiram.

Problemas quânticos

Os cientistas que se dedicaram aos estudos do mundo micro


subatômico utilizavam-se dos conceitos da Física comum para A problemática para a Física Quântica era a impossibilidade
aplicar na Física Quântica, foi então que encontraram diver- de identificar a posição inicial (S0) exata do elétron, não havia
gências entre os conceitos. certeza da localização.
O primeiro deles foi a descoberta de que o elétron não perde Os cientistas deixaram, então, de trabalhar com a certeza e
energia, portanto, estava sempre em movimento em torno do passaram a considerar a questão da probabilidade de velocidade
átomo. Isso derrubou a convenção da força centrípeta, ou seja, do átomo.
que o objeto tende a entrar em repouso ao perder energia. Na O princípio da incerteza é uma
Física Quântica que estuda o Universo micro, havia um movi- das bases do mundo subatômico.
mento incessante dos elétrons. Einstein, com pensamento ra-
Outra questão da Física comum que não atendia ao Universo cional, não aceitava a questão
micro era a relação de deslocamento e tempo, calculada pela da incerteza. Ele não acreditava
equação: que o fenômeno da movimenta-
ção do átomo não tinha uma res-
onde: posta exata. Mas acreditava que
S=S0 + Vt, existia alguma coisa além do que
S é a posição final a Física comum já comprovava,
S0 é a posição inicial ele considerava a existência de
V a Velocidade “algo a mais” além da matéria.
t o tempo.
67
MÓDULO 3

4 FORÇAS FUNDAMENTAIS
Existem quatro forças fundamentais que regem nosso planeta
e, consequentemente, nossa vida. Desde 1967 já se sabia que
todo e qualquer fenômeno físico envolve uma das forças funda-
mentais, são elas:

• Força nuclear forte


• Força nuclear fraca
• Eletromagnetismo
• Gravitacional.

Força Nuclear Forte:


É responsável pela estabilidade do nú- Apenas por curiosidade, essas bombas atingiram apenas 14%
cleo. Dentro de seu raio de ação, ela é de sua eficácia e já é sabido que no mundo existem outras bom-
cerca de um milhão de vezes mais inten- bas muito mais potentes, capazes de impactar todo o Universo.
sa que a eletromagnética e mantém os No entanto, já ouvimos sobre a ‘Data Limite’ ( documentário
núcleos ligados entre si formando o nú- que você pode encontrar no YouTube) falada por Chico Xa-
cleo atômico, opondo-se à repulsão ele- vier. Ele disse que existem seres de outros lugares do universo
trostática. Os elétrons não são afetados que estão trabalhando intensamente em nosso planeta para im-
pela força nuclear forte. pedir que essas bombas sejam acionadas. A data limite é a data
As bombas de Hiroshima e Nagasaki escolhida para a intervenção desses seres, caso os humanos não
consistiram na separação dos núcleos e essa separação, devido sejam capazes de parar a fabricação dessas bombas.
à sua intensidade de energia, matou aproximadamente 200 mil Porque imagine que o planeta Terra fosse o 1º andar e o Uni-
pessoas. Isso acontece porque, ao separar os núcleos de urânio, verso fosse o prédio todo. Se colocarmos fogo ou expodirmos
intensifica-se a carga, adicionando mais prótons em cada núcleo uma bomba neste andar, consequentemente o prédio todo seria
separado e, ao ser liberado, o átomo busca o equilíbrio, causando afetado, então, esta é a questão e preocupação do Universo e de
uma explosão em cadeia. outros seres que existem.
68
MÓDULO 3

Força Nuclear Fraca


“Os elétrons são mantidos próximos ao núcleo
É a força que permeia o núcleo. Tem raio pequeno e so- por meio de forças eletromagnéticas.”
mente participa dos processos de decaimento de certos núcleos
Neils Bohr
instáveis. Ela é mil vezes menor que a força nuclear forte.

Eletromagnetismo Existe um campo eletromagnético em tudo que tem funda-


mento atômico. O eletromagnetismo faz com que tudo que
É a força que mantém o movimento do elétron. Essa força emitimos volte para nós. Tudo que pensamos e sentimos é cria-
começou a ser estudada em 1835 por Samuel Morse, criador do por nós dependendo da quantidade de emoção e foco colo-
do primeiro sistema de telegrafia destinado a converter impul- cado. Basta um único pensamento/sentimento para criar algo.
sos elétricos em sinais gráficos, o chamado Código Morse. Isso exige 100% de crença no que se quer criar.

O eletromagnetismo é também observado nos ímãs, onde um


lado tem a força de atração e outro lado força de repulsão.
Em 1820, o físico dinamarquês Hans Christian Öersted des-
cobriu que a corrente elétrica num condutor está associada a
um campo magnético.
Dez anos mais tarde, Michael Faraday, físico inglês, e Joseph
Henry, físico norte-americano, descobriram que a variação de
um campo magnético induz uma corrente elétrica num condu-
tor. Com a união desses estudos surgiu o eletromagnetismo.
69
MÓDULO 3

Gravitacional FENDA DUPLA PARTE 1


É conhecida e estudada desde os tempos de Newton. Quem
não se lembra do estudo da queda de uma maçã?
Das quatro forças é a mais fraca. Entre as partículas, sua in-
tensidade é cerca de 1038 vezes menor que a nuclear forte.
Todas as partículas do Universo estão sujeitas à força gravita-
cional, independentemente da distância entre elas. A força da
gravidade funciona tanto em nosso planeta quanto nos outros. É um dos principais experimentos da Física Quântica. Tudo
que utilizamos sem fio (WI-FI, controle remoto, rádio, blue-
tooth, etc.) foi possível através da onda originada desse experi-
mento.
Teoria de campo - Einstein

Einstein procurou por mais de três décadas por uma fórmula Descrição da experiência da Fenda dupla
que explicasse a força eletromagnética e a força gravitacional,
juntamente com as forças nucleares forte e fraca. Imagine uma tela opaca aos elétrons e nela fazem-se duas pe-
quenas fendas. Ao passar um feixe de elétrons por uma destas
fendas com a outra fechada, obtemos numa tela plana colocada
atrás da fenda, uma figura de distribuição das intensidades; da
mesma maneira obtemos outra figura semelhante à primeira
abrindo a segunda e fechando a primeira.

Uma teoria que unificasse essas quatro forças como um único campo.
70
MÓDULO 3

O famoso experimento da fenda dupla Comportamento de partícula

Este experimento mostra a diferença entre a matemática


clássica e a quântica.

Se as partículas se comportarem
classicamente, o padrão que elas
produzem na tela deve ser a
soma dos padrões criados pela
passagem através
de cada fenda O que os cientistas passaram a observar era o comportamen-
individual. to do elétron que, sendo uma partícula, em determinados mo-
mentos tinha o comportamento de onda.
O que eles perceberam foi que sob os olhos do observador, o
elétron muda o comportamento de partícula para onda. Onde
concluíram que, o olho do observador muda o comportamento
Se as partículas do elétron, ou ainda muda a função da onda. A esta mudança
são quânticas, elas foi dado o nome de colapso da função de onda.
produzem um padrão Este conceito é o que deve ser absorvido para os trabalhos
de interferência que energéticos.
Partículas não pode ser explicado Na Física clássica não há interferência na equação S=S0+Vt.
pela lógica clássica.
Já no mundo subatômico o observador faz parte da experiência
e interfere no comportamento, o mesmo acontece com a Espi-
Fenda Fenda Tela ritualidade.
A B Mas neste caso quem é o observador?
71
MÓDULO 3

Existe um olhar. Por trás desse olho existe um cérebro. Que FENDA DUPLA 2
por trás tem uma consciência. Portanto, quem olha é a consci-
ência, que assim como o átomo, tem uma inteligência, porque O efeito retardado
quando observada muda o comportamento.
Existe outra possibilidade no mesmo experimento de fenda
dupla estudada pelos cientistas: o Efeito Retardado.
Os elétrons eram lançados em direção a placa com as fendas
duplas e se comportavam como ondas. Antes que atingissem a
próxima placa, o movimento era observado e o comportamen-
to modificava para movimento de partículas, ou seja, a memó-
Hoje é possível a comunicação com pessoas que estão do ou- ria do elétron era acessada sob influência de um observador e
tro lado do planeta através de propagação de ondas emitidas fazia com que tivesse a mudança de comportamento.
por telefone celular. Se compreendermos que as comunicações Esse conceito é de grande valor para os tratamentos energé-
energéticas também acontecem por ondas frequenciais e aces- ticos onde será possível buscarmos o passado e reavaliar, tratar,
sam consciências diferentes, é preciso considerar a possibili- e mudar o comportamento do presente.
dade de comunicação com outros orbes, através de ondas que
acessam outras consciências por sintonia frequencial.

O SALTO QUÂNTICO
Na Física Quântica, quando uma partícula está em deter-
minado nível energético, ganha uma quantidade extrema de
energia e salta para um nível mais alto. Esse salto é chamado
Salto Quântico.
72
MÓDULO 3

O experimento
Uma energia luminosa foi emitida e passando por um prisma Outra possibilidade foi criada: com gás quente, que por sua
se dividia em cores continuamente. característica de temperatura emite um tipo de energia, no caso
luz, ao passar pelo prisma, apenas pequenos feixes apresenta-
Espectroscópio Espectro obtido vam cores.

Fonte

Luz
Branca Espectro
combinado
Gás Raios brilhantes
aquecido característicos do gás

Em outra possibilidade, antes que a luz atingisse o prisma, ela


passaria pela interferência de um gás frio. Notou-se, então, que
as cores emitidas se dividiam formando feixes entre ele, não
apresentando continuidade, isso porque o gás absorvia parte da Foi a partir dessa observação
energia emitida pela luz. que Niels Bohr realizou o ex-
perimento do Salto Quântico,
pois imaginava que cada um dos
Gás resfriado pequenos feixes poderiam ser as
atravessado possíveis órbitas dos elétrons.
pela luz
Para os estudos, Bohr elabo-
rou quatro situações considera-
das, até hoje, como únicas pos-
Luz linhas escuras nas
Branca características de sibilidades para que aconteça o
absorção do gás salto quântico.

73
MÓDULO 3

1. Órbitas Circulares: um elétron


em um átomo se move em órbita circu-
lar ao redor do núcleo sob a influência
de atração entre o elétron e o núcleo,
obedecendo às leis da mecânica clássica.

2. Quantização do Momento Angular: em vez de infini-


tas órbitas, possíveis na mecânica clássica, um elétron se move
apenas em uma órbita na qual seu movimento é múltiplo inteiro
da constante de Plank (h=6,63x10-34J/s dividida por 2π).
Curiosamente, quando um elétron salta de uma órbita para
3. Energia Total Permanece constante: ocorre porque outra, ele não pode ser encontrado no momento do salto. Nesse
o elétron, que se move em uma órbita, não emite radiação ele- instante, é possível que o elétron se en-
tromagnética. contre em outra dimensão invisível aos
olhos, isso porque, matematicamente,
4. Só é emitida radiação eletromagnética quan- já está comprovado que não pode estar
do ocorre o salto quântico: só é liberado energia quando um entre dois níveis no momento do salto.
elétron sai de uma órbita e passa para outra, ou seja, quando Para nossos estudos isso é importante
acontece o Salto Quântico. porque justifica a existência de univer-
sos paralelos - teoria já fundamentada
pelo cientista Hugh Everett.

O salto quântico é quando um elétron desaparece de


uma órbita e aparece em outra sem transitar entre as
duas, sem trajetória. É um salto de consciência, um in-
sight, um salto evolutivo.

74
MÓDULO 3

Entrelaçamento Quântico A GAIOLA DE FARADAY


O entrelaçamento acontece quando duas partículas continu- Diante de tudo que já foi estudado sobre
am conectadas apesar de separadas. Dessa forma, o que acon- a Física Quântica, é possível dizer que a
tece em uma partícula é refletido na outra. matéria pode ser alterada pelo pensamen-
No caso dos elétrons há uma movimentação circular denomi- to, isso explica muitos efeitos encontrados
nada SPIN. O experimento consistiu em inverter o SPIN de um em práticas religiosas e nos tratamentos
elétron e foi observado que o SPIN do outro também modifi- energéticos.
cava a direção de sua rotação, independentemente da distância A Ciência trabalha com o que pode ser provado, analisado e
existente entre eles. estudado. Isso mostra como ela está ligada ao mundo físico, ao
Isso significa que tudo está entrelaçado, então, tudo tem uma que é concreto e possível de se perceber através dos cinco senti-
conexão. dos. Em outras palavras, o que não pode ser provado através da
matéria, não existe. Porém com as teorias da Física Quântica,
os pesquisadores começam a caminhar em direções de teorias
que pudessem explicar e justificar questões espirituais.

O experimento
Em 1993 o neurofisiologista Jacobo Grinberg, da Universida-
de do México, conseguiu demonstrar a comunicação quântica
não local entre dois cérebros usando a Gaiola de Faraday*.
Um médium foi colocado dentro de uma gaiola isolada, ou
seja, que não recebia nenhuma comunicação por ondas ele-
tromagnéticas, assim como aqueles bloqueadores de celulares
utilizados nos presídios.
Olhando para o mundo espiritual, tudo que é realizado em
outra realidade poderá modificar o aqui e agora e vice-versa. * Gaiola de Faraday foi um experimento para demonstrar que uma superfície
Assim, compreendemos melhor os tratamentos e a comunica- condutora eletrizada possui campo elétrico nulo em seu interior, dado que as cargas se
ção feitos à distância. distribuem de forma homogênea na parte mais externa da superfície condutora.
75
MÓDULO 3

FREQUÊNCIAS
Vamos agora estudar as frequências das emoções e, para fa-
larmos sobre elas, vamos nos basear em David R. Hawkins, um
médico psiquiatra que dedicou seus estudos em técnicas que
ajudassem a melhorar o bem-estar do ser humano.
Em 2002 Hawkins ressaltou a descoberta de que todos os
átomos e sub-átomos são energias que atuam na consciência
humana. Esse estudo originou uma dissertação de doutorado
cientificamente validada que comprova que a consciência de
cada ser humano tem uma vibração. Ele disse ainda que todos
Em outro local foi colocado um grupo de pessoas. O experi- os objetos possuem uma energia que vibra no que é conhecido
mento consistia em o médium mandar uma energia para uma como escala da consciência.
das pessoas, então, foram colocados eletrodos na cabeça do mé-
dium e de todas as outras pessoas, monitorando a frequência
cerebral de cada participante.
Através de uma foto, o médium escolheu uma das pessoas
para enviar a energia e, através dos eletrodos, foi possível re-
gistrar a mesma frequência cerebral do médium e da pessoa
escolhida para receber a energia.
Mas como foi possível que a energia chegasse ao destino se
havia um isolamento (Gaiola de Faraday) do médium?
Concluiu-se, então, que houve uma INTERAÇÃO QUÂN-
TICA, do médium para a pessoa, respeitando as leis da fenda
dupla.
Portanto, a interação das duas consciências obedece à lei da
Física Quântica, então é possível dizer que a mente humana
obedece às leis da Física Quântica. Todas as teorias quânticas
aplicadas no átomo podem ser aplicadas na mente humana.
76
MÓDULO 3

Através da Cinesiologia (estudo das emoções) e alguns testes Em níveis mais baixos,
simples, conseguiu desenvolver uma metodologia capaz de me- a pessoa necessita exercer
dir a frequência do campo vibracional de pessoas, filmes, docu- uma força para sobrevi-
mentos etc., criando uma escala chamada “Níveis de Consci- ver, tudo parece ser muito
ência de Hawkins”, na qual computou os sentimentos do mais difícil. Existe uma lei na
baixo, (vergonha em 20Hz), ao mais elevado, (iluminação que mecânica quântica que
varia de 700 a 1000Hz). diz que “semelhante atrai
Veja a tabela: semelhante, então, ao es-
tar em uma vibração de energia negativa, a pessoa irá atrair
situações negativas, dificultando a possibilidade de elevação vi-
bracional.

Porém, existe um campo considerado de virada: o nível de co-


ragem (200Hz), que acontece no momento em que as pessoas
buscam ajuda para elevar a frequência. Em uma frequência aci-
ma de 200Hz, temos o nível do poder com vibração positiva.
Através da escala é possível perceber, além dos níveis de cons-
Segundo Hawkins, os sentimentos abaixo de 200 Hz fazem ciência, a emoção a ser trabalhada naquele nível específico a fim
parte dos níveis de força, sob a perspectiva de que nesses níveis de ser transcendida, e o processo pelo qual a pessoa está viven-
viver não é um ato prazeroso. ciando naquele momento e que ainda não está explícito.
77
MÓDULO 3

A partir de 500Hz a frequência é da abundância e da expan-


são. Pessoas que vibram a partir de 500Hz são felizes e amam,
expandindo esses sentimentos para o universo. Através de uma
rede de conexão, a pessoa recebe tudo o que necessita do Uni-
verso.

Então, mais uma vez, para ficar claro, é preciso baixar a fre-
quência mental e subir a frequência emocional, que é essa que
estamos vendo aqui neste módulo, ou seja: calma na mente e
elevação das emoções para sincronia da tríade: mental superior,
mental inferior e corpo emocional - esse é o estado para a ma-
terialização.

É importante observar que


para passar dos níveis negati-
vos para os positivos, é preci- O nível médio de frequência das pessoas na Terra é de apro-
so que a pessoa esteja dispos- ximadamente 207, pois são acumulados bloqueios ocultos que
ta a quebrar seus paradigmas afastam as vibrações elevadas. Então, o trabalho energético é
e crenças limitantes, jogando primordial para uma transformação na humanidade.
fora conceitos e pré-conceitos, O que se almeja é a vibração de 500 acima. Todos que pro-
abrindo espaço e condições curam uma vida mais feliz e próspera devem aspirar e superar
para a expansão da consciên- as obstruções de energia e elevar a sua frequência energética a
cia e dando novos significados um nível do amor ou acima. Uma única pessoa que consiga tra-
aos sentimentos, saindo do ne- balhar verdadeiramente a um nível 500 consegue atingir outras
gativo e entrando no positivo. 750 mil pessoas acima de vibração 200.
78
MÓDULO 4
O CAMPO ELETROMAGNÉTICO

79
MÓDULO 4

O que é Radiestesia
A RADIESTESIA foi criada em 1892 por Abade Boylé e a
origem da palavra vem do Latim, sendo a junção da palavra
RADIUS, que significa RADIAÇÃO, e da palavra AISTHESIS
que significa SENSIBILIDADE.
Em suma, é a sensibilidade à radiação. Os primeiros registros
da Radiestesia foram encontrados no Peru através de inscrições
em rochas a 9.000 a.C.

A Radiestesia é a ciência que detecta e mede


energias sutis através dos instrumentos radiestésicos

A Radiestesia consiste em sentir, captar e transmitir radiações


de um objeto usando um pêndulo ou um aparelho para identi- Energia
ficar e amplificar as vibrações por meio de movimentos.
Para a escavação de poços, a Radiestesia era utilizada para Para estudar Radiestesia, devemos compreender que tudo
determinar o local onde havia probabilidade de encontrar que existe é energia.
água. Uma pessoa (o radiestesista, ainda que inconsciente de Tudo o que possamos imaginar tem energia e é constituído
sua função) utilizava um graveto interligado por uma ponta. de átomos. Para um melhor entendimento de como as coisas
Ao caminhar pelo espaço indicado, observava se havia ou são formadas, vamos retomar alguns conceitos científicos.
não a vibração da ponta do graveto. Em caso positivo, ali seria O átomo é formado por prótons, elétrons e nêutrons. Prótons
o local ideal para a escavação do poço. Esse “fenômeno”, se e nêutrons localizados no centro do átomo (o núcleo). O próton
assim pode ser chamado, acontecia porque o radiestesista havia tem carga positiva e o nêutron, como o próprio nome diz, não
convencionado uma ressonância entre o equipamento, a água possui carga. Já o elétron possui carga negativa e está em órbita
e a mente. em volta do núcleo.
80
MÓDULO 4

Frequência Vibratória
Elétrons
Carga negativa Tudo é composto por átomos e vibra em uma frequência
Hertz (Hz), emitindo uma radiação específica. Vamos lembrar
Núcleo das ondas de rádio: através da antena e do botão de comando,
encontramos uma frequência que indica a rádio que será ouvida.
Da mesma forma, outras frequências podem ser sintonizadas e
diversas programações podem ser ouvidas separadamente.
Prótrons Nêutrons
Carga positiva Sem carga

Existe uma força de atração entre os elétrons e o núcleo, po-


rém, eles não se chocam.
O elétron nunca deixa de rodar na órbita do átomo, justa-
mente pela força de atração entre os polos negativo e positivo. Da mesma maneira funciona nosso corpo: as frequências estão
Experiências já realizadas demonstram a possibilidade de se- ligadas à cura e ao reconhecimento do amor e da harmonia
paração do elétron da órbita e, ao separar-se, o elétron se que- universal. Ao redor do planeta Terra existem linhas imaginárias
bra em três partes, ou três quarks. que formam o campo da frequência planetária.
A partir daí não há mais Franz Hertz provou isso, descobrindo
possibilidade de quebra, que, em nosso corpo, existem ondas
mas fica somente um cam- eletromagnéticas.
po que se unifica ao ganhar Todo esse magnetismo tem uma
densidade, possibilitando força que vem do centro da Terra como
a materialização. Depois uma onda que se instala na atmosfera
desse campo há o vácuo do planeta e que mantém tudo
quântico, muito associado organizado. Chamamos de ONDAS
ao SOPRO DIVINO. ELETROMAGNÉTICAS.
81
MÓDULO 4

Energia em Hertz

Um átomo vibra em uma frequência muito acelerada e a


aglomeração da energia do átomo vai se condensando e trans-
formando-se em matéria.
Um átomo vibra em aproximadamente 15 trilhões de Hz/s,
uma velocidade muito alta. Para que ocorra a materialização,
a velocidade vibracional vai diminuindo até uma frequência
As ondas eletromagnéticas se apresentam em várias faixas de 20Hz/s. O processo contrário leva à desmaterialização, ou
que transitam simultaneamente pelo planeta e em cada pessoa seja, a morte.
de forma individual e distinta. Portanto, para que o indivíduo
esteja em equilíbrio, é preciso que haja harmonia entre as ondas
de cada pessoa com as ondas do planeta. Quando existe algum
bloqueio energético, a pessoa sai da faixa de harmonia com o
todo, originando as doenças.
Quando falamos que uma frequência é de 20Hz/s, significa
que a onda faz 20 vezes o movimento de início e fim a cada
segundo.

1Hz
1Hz

2Hz
0 1 sec
3Hz

1 Hertz = 1 ciclo por segundo Tempo (1 segundo)

82
MÓDULO 4

No planeta, todas as coisas vibram em frequências específi- De onde vem a resposta


cas. Frequências baixas nos mantêm encarnados e frequências
altas fazem o caminho contrário. Assim acontece com tudo,
inclusive com os nossos pensamentos. Portanto, diminuindo a
frequência vibracional, entraremos no processo de vida e, au-
mentando a frequência, entraremos no processo de morte.

A Radiestesia é a técnica que capta a vibração do campo


energético do objeto que está sendo avaliado e mede a qualida-
de e o equilíbrio do mesmo.
Essa capacidade radiestésica consiste em uma faculdade su-
O ideal seria que vibrássemos em uma frequência mais calma pra sensorial (subconsciente) inerente a todos os seres huma-
de pensamentos, porém, a humanidade está acelerando demais nos, permitindo a captação de energias sutis através do corpo
os pensamentos e, consequentemente, a frequência. Imagine humano.
que várias pessoas estejam em um mesmo local com frequên- O corpo humano sabe; sua sabedoria está baseada não só na
cias aceleradas: fatalmente o campo energético ficará prejudi- perfeição da máquina humana, como também na ligação do
cado, levando a um clima de desarmonia, afinal, se não houver subconsciente humano com o inconsciente coletivo, também
equilíbrio, todos serão contaminados, podendo até sair dos li- chamado mente universal, inteligência infinita, etc., que possui
mites da sala, pois a energia não obedece barreiras físicas. todas as respostas por ser coletivo.
83
MÓDULO 4

Para uma melhor compreensão sobre as frequências, vamos Portanto, o conceito é o mesmo: existe uma SABEDORIA
pensar nas máquinas de ressônancia magnética, utilizadas para UNIVERSAL capaz de mostrar o que é ideal para vivermos
identificar os desequilíbrios no corpo do paciente através da equilibrados. Em um primeiro instante parece ser impossível
leitura de frequências: ao ser acionada, a máquina emite no compreender e utilizar esse conceito, mas o que é necessário
indivíduo várias frequências consideradas de equilíbrio através ao terapueuta é ter a conexão com o todo, aquietando o corpo
de uma programação determinada anteriormente. mental e emocional, ter confiança nas primeiras sensações e
Ao atingir o paciente, as frequências iguais entram em fase intuições e não racionalizar.
indicando a normalidade, porém, se houver frequência diferen-
te da considerada ideal, a máquina fará o registro para a análise
e tratamento adequado.
O mesmo processo acontece com o nosso corpo. A máquina
é a nossa MENTE que tem o registro UNIVERSAL de equilí-
brio e, através do equipamento radiestésico (pêndulo, dual rod
entre outros), mede os desequilíbrios frequenciais e energéticos.

A leitura tem que ser feita a partir do campo morfogenético,


também chamado de espírito, campo das possibilidades, entre
outros.
O importante é que você tenha em mente que, no tratamento
energético, o terapeuta precisa estar em equilíbrio, do contrário
não será possível entrar em sintonia com o campo morfogenéti-
co do assistido para identificar o que está em desequilíbrio nele.
84
MÓDULO 4

O pêndulo Como utilizar e convencionar o pêndulo

São basicamente três os movimentos do pêndulo:

Giro Horário: por convenção, classificou-


-se a rotação no sentido horário ou para a di-
reita como sendo uma resposta POSITIVA.
Assim, o corte para a DIREITA também tem
um significado favorável.

Giro Anti-horário: neste caso, a classifi-


cação é contrária à anterior, portanto, NE-
GATIVA, desfavorável. O corte para CIMA
também significa que a resposta é considera-
Existem diversos equipamentos utilizados na Radiestesia e da NEGATIVA.
aqui serão apresentados os mais comuns que são utilizados pelo
Espaço Humanidade. Movimento de oscilação ou corte: esta
Pêndulo: um simples fio e um contrapeso, poderoso receptor é uma resposta neutra. O que pode acontecer
e irradiador de energia sutil que conecta o radiestesista com to- nesse caso é a pergunta não estar clara, pois a
das as coisas em todas as dimensões sem as barreiras do espaço capacidade do equipamento é responder so-
e do tempo. mente SIM ou NÃO.
Como utilizar: o pêndulo proporciona mais agilidade no tra-
balho do radiestesista, pois além de medir e identificar o de-
sequilíbrio, também é possível, na sequência, harmonizar o Por isso, as perguntas devem ser elaboradas nessa condição,
campo vibracional que envolve o problema. Além de ser um de forma objetiva. No entanto, existe uma característica do mo-
equipamento muito prático para o transporte. vimento de oscilação que acontece no procedimento de harmo-
Lembrando que o pêndulo é apenas um instrumento o tra- nização do próprio corpo. Quando o pêndulo está no sentido
balho, quem faz é a sua mente, o pêndulo será somente uma horário e começa a oscilar, significa que ali tem uma diferença
ferramenta de auxílio. energética do harmonizado.
85
MÓDULO 4

Orientações: Mesa Quantiônica

• Harmonize-se, aquiete a sua mente e,


se possível, faça o Relaxamento Alpha.

• Pegue o pêndulo e segure próximo à base


e vá deslizando no cordão até o momento
em que o pêndulo comece a mexer. Alguns
radiestesistas colocam pequenos nós no fio
para que fique marcada a posição mais
confortável ou o melhor ponto. Na verdade,
isso não interfere no trabalho, pois, como já
dissemos, tudo é realizado pela MENTE.

• Para convencionar o seu pêndulo, utilize


o material em PDF que disponibilizamos
e assista aos vídeos quantas vezes for
necessário. Não há muito conceito a Agora que já aprendemos como medir, vamos saber como
desenvolver, apenas treine em conectar equalizar a energia com a radiônica.
a sua mente com o equipamento e se Só para contextualizar:
familiarize com os movimentos. A Radiestesia consiste em sentir, captar e transmitir radia-
ções de um objeto usando um pêndulo ou um aparelho para
identificar e amplificar as vibrações por meio de movimentos.
Com estas informações, é preciso agora treinar... A Radiônica é a capacidade de emitir, manipular, harmonizar
treinar... treinar... e transformar as energias por instrumentos como pêndulo, por
Entenda que é a sua MENTE quem está conectada exemplo.
com o equipamento. A Mesa Quantiônica utiliza a Radiestesia para desenvol-
ver o seu trabalho de medições de energias. Então, vamos co-
nhecer cada aspecto dela.
86
MÓDULO 4

Introdução

A Mesa Quantiônica é um aparelho desenvolvido especial- O Labirinto de Damiens


mente para diagnosticar, quantificar e tratar distúrbios no cam- equilibra o ambiente para o aten-
po espiritual de pessoas e lugares, ou seja, trata de tudo o que dimento e tratamento. Funciona
está no físico, mental e espiritual. como uma antena para a melhor
Seu design, aliado à conceituação mental, facilita ao terapeu- captação energética.
ta a sintonia com o mundo astral, potencializando a conexão
do operador com a equipe espiritual do assistido para realiza-
ção dos procedimentos necessários a cada tratamento.
O contato é feito com o mental superior do assistido e com
toda a espiritualidade que o auxilia, por este motivo o trata- A estrela de seis pontas tem
mento é individual, cada assistido recebe o tratamento especí- um vórtice para baixo, represen-
fico para seu caso. tando o feminino, e um vórtice
O Decágono é o espaço des- para cima, representando o mas-
tinado para a colocação do tes- culino. Ou ainda, as polaridades
temunho da pessoa que estará invertidas do Universo.
sendo atendida. Lembrando que
testemunho deve ser o dedo do
assistido, se ele estiver presente,
foto ou até mesmo o nome com-
pleto e data de nascimento em
um papel. Olho de Hórus: Na Mesa
A função do testemunho nesse Quantiônica, o olho de Hórus re-
processo é fazer a ligação energética da pessoa com a leitura presenta a glândula pineal, poden-
que será efetuada. Lembrando que é extremamente importan- do também representar o olho que
te pedir a autorização da pessoa, seja ela qual for, para fazer tudo vê. O olho do Criador.
qualquer tipo de trabalho energético.

87
MÓDULO 4

Em torno do Olho de Hórus temos as cores correspondentes


à chama trina.

A Chama Trina é a união de três chamas:


Sensação Pensamento Sentimento

Azul: vontade divina Então podemos deduzir que antes de um pensamento, de


uma racionalidade, vem uma sensação.
Amarela: sabedoria divina Para que nossa mente racional compreenda o que sentimos
energeticamente, foram desenvolvidos gráficos radiônicos que
Rosa: amor divino nos proporciona a interpretação das energias que se apresen-
tam.
Aqui vamos falar sobre cada um deles e, para acompanhar
Toda vez que estiver utilizando a mesa, ao fazer uma pergun- os estudos da mesa, procure estar com o seu material, pois isso
ta, mantenha o dedo nessa chama trina. facilitará a compreensão.
Ela representa a chama de Cristo dentro do coração, encarna Linha branca: responde a questões numericamente, inclusive
as mesmas qualidades do amor, sabedoria e dá poder àquela negativo.
manifestação no coração do Todo poderoso, no coração de sua Linha rosa: traz respostas em níveis percentuais.
presença EU SOU, e no coração de seu Cristo pessoal.
Linha de 0 a 24: represen-
É importante saber que o nos- ta horas de um dia.
so primeiro pulso, nossa primei- Régua interior: a linha re-
ra inteligência vem do coração. presentada de 0 a 60 pode
Quando estamos sendo gerados indicar minutos ou segun-
na barriga da nossa mãe, o pri- dos.
meiro órgão que se forma é o co- Linha das cores: corres-
ração e o nosso cérebro é criado ponde aos sete chakras e
a partir dele. suas respectivas cores.
88
MÓDULO 4

Disco de harmonização: onde fazemos a harmonização


via frequência, equilibrando entre o campo elétrico e o mag-
nético e representado pelos círculos preto e branco – ambos
ligados ao decágono pela linha quântica do tempo. É aqui que
se dá o comando: ajusta, harmoniza e equilibra.

A rosa dos raios é representada pela chama crística.


Após investigar e harmonizar, entregamos toda a energia e
harmonização realizada à pessoa do testemunho com o movi-
mento de colocar o dedão na rosa dos raios, arrastar e entregar.

89
MÓDULO 4

Como fazer a harmonização Agora você vai começar a utilizar a tabela para investigar se
tem ou não desequilíbrio em algum órgão.
PROCEDIMENTOS: Quando identificado um desequilíbrio, colocar o dedo na
chama trina e o pêndulo em cima da rosa dos raios e pergun-
• Entrar em alpha; tar qual cor ou frequência deve ser harmonizada. O pêndulo
• Colocar o dedo na chama trina para se ligar à mesa segu- vai identificar a cor e você deverá posicionar a cor e o caracol
rando o pêndulo com as pontas para cima e dar o comando: ajusta, harmoniza
• Colocar o seu dedo no decágono, que é a questão a ser in- e equilibra.
vestigada
• Dizer em voz alta os seus dados (nome e data de nascimento)
• Perguntar: “eu estou na mesa?”
• Posicionar o labirinto.

“Ajusta,
harmoniza,
equilibra.”

Verificar se o pêndulo indica ou não outra cor, pode ser que


indique mais duas cores, no máximo, para ser harmonizado.
Depois de equilibrado, anotar o órgão que estava em desequilí-
brio e voltar onde parou para continuar a investigação.
Lembrando que a indicação de equilíbrio na harmonização é
o movimento do pêndulo apontando para o elétrico e o magné-
tico, ou seja, o movimento que vai pra cima e pra baixo.
90
MÓDULO 4

FORMAÇÃO DAS DOENÇAS E O CHAKRAS


Chakra Básico ver, alimentando a vontade, o poder e o instinto
de sobrevivência. É importante no tratamento
VERMELHA - 4 PÉTALAS da coluna e está associado a sentimentos de in-
segurança, agressão, sobrevivência e materia-
Está diretamente envolvido com o pro- lismo.
cesso de eliminação. É relacionado com Funções: as atividades físicas e as necessi-
as glândulas suprarrenais, constituídas por dades básicas: paladar, tato, olfato, visão, sexo,
uma medula interna coberta por um extrato sono e fome.
chamado córtex, responsável pela produção Este ponto energético é um chakra muito ati-
de adrenalina para coluna vertebral, rins, vo nas crianças até os 7 anos ou, no máximo, 11
bexiga e a parte final do intestino. anos de idade. Período em que a criança aprende a enraizar-se
O chakra básico é também responsável pela absorção da na matéria. É a sustentação para ancoragem da alma no novo
kundalini (energia telúrica) e pelo estímulo direto da energia no corpo. O sentimento de medo e apego à mãe é sustentado por
corpo e na circulação sanguínea. este chakra. Nessa fase, o indivíduo dorme de 10 a 12 horas
Ele anima o corpo físico, fornecendo energia e vontade de vi- sobre o estômago (de barriga para baixo).

Influência no campo emocional: Influência no corpo físico:

Equilibrado: impulsiona para agir, consciência instintiva básica, Equilibrado: serenidade, ação adequada, força, confiança,
proteção contra doenças virais e contagiosas, força, dinamismo, pureza, exatidão, equilíbrio e altruísmo.
agressividade controlada, coragem para conquistar e produzir, Desequilibrado: anemias, resfriado, paralisias, sexualidade
proporção da forma, forte afeição, devoção e rapidez de percepção. reprimida ou excessiva, problemas de coluna, hemorróidas, depressão,
Desequilibrado: egocentrismo, preocupação, inexatidão, falta de agressividade, descontrole de pressão arterial, astenia, melancolia,
coragem moral, paixões fortes, indolência, extravagância, violência, insuficiência renal, fadiga e dores lombares.
agressividade, dispersão das energias, confusão de interesses, ideias
grandiosas, falta de praticidade e objetividade, insatisfação, conflitos
internos e aspereza.

91
MÓDULO 4

Sua função é a sexualidade e a criatividade. No nível físico, cui-


da do fígado, do sistema circulatório, dos rins e da parte inferior
do abdome.
É responsável pela vitalização do Corpo Duplo Etérico, nos
dá profundo domínio de nossa identidade e possibilita a ligação
entre o corpo Físico e o Átmico.
Deve ser protegido, pois por ele entram todos os sentimentos
desqualificados como raiva, ódio, entre outros.
Atua de forma predominante dos 11 aos 22 anos de idade,
período relacionado às lições cármicas da puberdade e adoles-
cência.
Chakra Sacro ou Sexual Inicia-se o período de exploração da individualidade, poden-
do levar a uma fuga da realidade.
LARANJA - 6 PÉTALAS Repressões e traumas durante esse estágio apresentam efeitos
de longo alcance e deixam marcas difíceis de aparecer.
Está correlacionado fisicamente ao nervo ciático e às gôna- Nessa fase dorme-se de 8 a 10 horas em posição fetal.
das, que são os testículos nos homens e os ovários nas mulheres.

Influência no campo emocional: Influência no corpo físico:

Equilibrado: capacidade de união sexual, procriação, coragem de Equilibrado: tolerância, compaixão, alegria de viver, senso
viver, alegria instintiva, prazer físico, capacidade de planejamento e comum, precisão, compartilhamento e idealismo.
construção e poder para evoluir. Desequilibrado: doenças dos rins, distúrbios gástricos e
Desequilibrado: medo, falta de paixão, impotência física e intestinais, medo, perda de alegria, má adaptabilidade, incapacidade
emocional, tristeza, raiva, ódio, inveja, manipulação de energia astral de construção, perdas materiais, problemas hormonais, infertilidade,
para a própria satisfação material ou sexual, dominação pela sedução, doenças no físico, pâncreas, vesícula, rins, bexiga, perda de vitalidade,
hiperatividade sexual, baixa vitalidade, egoísmo, materialismo, insegurança, problemas de menstruação e doenças sexuais.
orgulho, negação frieza, isolamento, distração, obstinação e crítica.

92
MÓDULO 4

e a sua vontade.
Atua predominantemente dos 14 aos 21 anos anos de idade, pe-
ríodo relacionado ao processo de adaptação e amadurecimento
global do caráter do indivíduo.
Fisicamente, está relacionado ao sistema fisiológico, endócrino e
digestivo. Comanda o pâncreas, a vesícula, o baço, os rins, as glân-
dulas suprarrenais, estômago, duodeno, cólon, intestino delgado,
região mediana da espinha dorsal e o sistema nervoso. Também
relacionado às energias Yin e Yang, a sede das emoções.
Responsável por todas as doenças ligadas ao metabolismo e ao
Chakra Plexo Solar sistema nervoso. É também sede do conhecimento, por esse motivo
é considerado o chakra das emoções inferiores.
AMARELO - 10 PÉTALAS Os quadros obsessores costumam estar ligados a este chakra. É
a principal área receptora das primeiras impressões que temos de
Quando está bloqueado causa, enjôo, medo ou irritações. qualquer situação em que nos encontremos, incluindo sobre as pes-
Sob o ponto de vista psicoemocional, está ligado à mente obje- soas que nos cercam. Considerado o centro da intuição que orienta
tiva, ao pensamento, à racionalidade e à personalidade do ser a atividade da vida humana.

Influência no campo emocional: convivência, amor possessivo e ciumento, preconceito, cólera, ira,
enganos, poder que humilha, conclusões precipitadas, intransigência,
Equilibrado: impulso para vivenciar as emoções, tomar timidez e falta de força para digerir e dirigir a vida..
conhecimento do outro, colocar o ego no mundo expressando
fortemente as qualidades do ser, vontade forte para comando e Influência no corpo físico:
liderança, poder de se relacionar e digerir o meio assimilado e aprender
com isso. Amor à vida e abertura para experimentá-la com plenitude, Equilibrado: integridade de ação, tolerância, serenidade, equilíbrio,
propósito definido de ação, intuição, ternura, boa vontade, reverência e flexibilidade, força, bons relacionamentos, pureza e abnegação.
lealdade. Desequilibrado: má digestão, ansiedade, diabetes, toxinas,
Desequilibrado: egoísmo, negação da participação ativa na problemas de assimilação e cálculos na vesícula.

93
MÓDULO 4

mentos. Além do coração, rege pulmões, braços e mãos.


Este chakra é o filtro que mantém o equilíbrio entre os três
chakras que se localizam acima dele, que são os elétricos e frios e
os três da parte inferior do corpo, que são os magnéticos e quen-
tes. Ele é o mais afetado por qualquer desequilíbrio emocional.
O chakra cardíaco representa o início da jornada espiritual
e a conexão com o EU superior e com a Essência, comanda a
integração de amor com as pessoas, a natureza e o Universo.
Atua predominantemente dos 21 aos 28 anos de idade do indi-
víduo, sustenta a ligação cármica e cristaliza uma relação huma-
Chakra Cardíaco na com o Universo. Situações de ordem emocional de obsessão
podem estar ligadas a este chakra.
VERDE - 12 PÉTALAS O coração é uma importante válvula de sustentação dos ou-
tros chakras com aspecto crístico, por acoplar a chama trina do
Está ligado ao timo, glândula responsável pelo funcionamento ser humano e sustentar a conexão com o Eu superior e ajustador
do sistema imunológico. É o centro energético do amor. Sua fun- de pensamentos.
ção é o amor e está ligado às emoções superiores, afetos e senti- Chama trina: vontade divina, amor divino, sabedoria divina.

Influência no campo emocional: inferioridade, dificuldade de integração, incapacidade de amar e se


emocionar, couraças e insatisfação.
Equilibrado: amor próprio e pela humanidade, verdadeira
compreensão da compaixão e benevolência, aceitação, disponibilidade Influência no corpo físico:
para o perdão, ajuda ao próximo, conscientização do outro e do
grupo, dá consciência e vitalidade às aspirações amorosas, sabedoria, Equilibrado: amor, altruísmo, compaixão e aceitação.
visão intuitiva e aguçada, pacificação, ensinamentos e cura pelo Desequilíbrio: doenças cardíacas, problemas em veias e vasos,
amor e caridade, fé na vida e nas pessoas, temperamento ameno e distúrbios circulatórios e na pressão, problemas pulmonares, asmas,
inteligência transparente. bronquites, depressões, angústias, dores de cabeça e constipação
Desequilibrado: baixa-estima, frieza, embotamento da emoção, intestinal.
indiferença, desprezo, angústias, depressão, desespero, sentimento de

94
MÓDULO 4

Chakra Laríngeo pacidade perante o semelhante. Plasma todo


o corpo mental e suas relações com os dog-
AZUL CLARA - 16 PÉTALAS mas religiosos, tornando-se, assim o maior
obstáculo no processo de autocura.
Está ligado diretamente à glândula ti- Sua função fisiológica espiritual é transmi-
reoide, relacionada ao crescimento e aos tir a ideia por meio da fala. É responsável pela
processos oxidativos, e com as glândulas irrigação da garganta, boca, e órgãos respira-
paratireóides, que controlam o metabo- tórios. Trata-se de um excelente filtro energé-
lismo do cálcio. Essas duas glândulas são tico que bloqueia as energias emocionais para
responsáveis por todo o metabolismo do não chegarem aos chakras da cabeça.
corpo. Este chakra está relacionado ao corpo mental superior (inte-
O chakra laríngeo governa o pescoço, ombros, brônquios lectual), compreensão da luz, do Ser, memórias de vidas passa-
e a voz. das e a energia que permeia todo Universo. Age como ponte de
Sua função é a inspiração, criatividade e a comunicação. comunicação entre todos os corpos e sua inteligência está além
Atua predominantemente dos 28 aos 34 anos de idade, perío- do dualismo (do bem e mal, negativo e positivo). Reconhece a
do de autoafirmação perante aos outros, demonstrando sua ca- verdade quando a encontra.

Influência no campo emocional: Influência no corpo físico:

Equilibrado: sensibilidade e criatividade artística, dom da palavra, Equilibrado: expressa a energia criadora e única, unindo o corpo
do conhecimento, de expressar a alma e a individualidade única, mental e corpo astral, entendimento, devoção, compaixão e amor,
interpretação da sabedoria e do coração, clariaudiência, intelecto claro abertura para o espiritual e para o novo, transformações e calma.
e preciso, independência, justiça imparcial, idealização, entendimento Desequilibrado: doenças de garganta, laringite, faringite,
e construção sábia a partir da fala.Desequilibrado: tagarelice, problemas de tireoide e paratireoide, doenças mentais, depressão,
má intenção, manipulação intelectual, verborragia, mentalidade problemas de coluna cervical, de dentes, distúrbios da fala, calo
e expressão tacanha e rude, pobreza de espírito, temperamento das cordas vocais, falta de criatividade, covardia, timidez, doenças
taciturno e rançoso, criticismo, preconceitos, irreverência, deboche, nervosas e fobias.
depreciação do sentimento, atitudes extremamente racionais e orgulho
do poder da expressão.

95
MÓDULO 4

Desempenha papel importante na expressão e na personali-


dade. Quando ativo gera um indivíduo atraente e magnético,
rico de recursos e com a capacidade de liderança.
Sua função é o conhecimento, a percepção, a intuição e a
clarividência.
Desempenha papel importante na vigília espiritual e em toda
química do corpo (sinapses), responsável pela irrigação energé-
tica dos olhos.
Representa a expressão individualizada no nível da essência
Chakra Frontal do “EU” perfeito.
Atua predominantemente dentre os 35 aos 42 anos de idade
AZUL ÍNDIGO - 96 PÉTALAS de uma pessoa, plasmando o aspecto do discernimento junto às
chaves do Universo.
Este é o chakra do terceiro olho, governa as glândulas pineal A esquizofrenia e acoplamento de realidades paralelas estão
e pituitária (hipófise). Rege o ouvido, nariz, maxilar superior, inseridos neste chakra.
seios da face e parte do cérebro.

Influência no campo emocional: Influência no corpo físico:

Equilibrado: ativa a percepção do indivíduo em relação ao Equilibrado: realização do self, mentalidade aberta, expansiva,
Universo que o cerca, entendimento do próprio caminho e senso do crescimento espiritual, entendimento dos erros, tolerância, humildade,
destino, compreensão da motivação do outro, percepção, intelecto suavidade e amor e liderança com grande poder magnético.
aguçado, intuição, visão desenvolvida, fé, amplitude de pensamento, Desequilibrado: rinite, sinusite, alergias, enxaqueca, problemas
concentração, sabedoria que une a mente e a vida, clarividência, de ouvido, surdez, problemas nos olhos, cegueira, catarata, insanidade,
profecia, carisma e magnetismo. depressão, rigidez, insônia e pesadelos.
Desequilibrado: dogmatismo, teimosia, obsessão, egoísmo,
magia negra, maldade, manipulação consciente, poder de dominação,
mente insidiosa e doentia, formalidade, intolerância, arrogância,
autoindulgência, perda de fé, medo e sedução.

96
MÓDULO 4

Chakra Coronário O chakra coronário também é chama-


do de flor de lótus. Sua ação se dá dos 42 aos
VIOLETA - 1000 PÉTALAS 49 anos de idade.
Normalmente, as pessoas que atingem este
Sua função é a espiritualidade e a ilumi- chakra estão conectadas com seu corpo cau-
nação. Atua diretamente sobre a glându- sal (mental superior), passando a refletir so-
la pineal, recebendo a energia de outros bre a sua vida e a realidade que desenvolveu.
chakras e distribuindo por todo o sistema Este chakra está ligado ao corpo sutil, que
endócrino. Responsável pela irrigação é o registro pessoal que conecta o indivíduo
energética do cérebro. É o chakra por com todas as outras partes sustentadas pela
onde penetra toda a energia cósmica. divina presença do “EU SOU”.
Através da hipófise comanda todo o sistema imunológico, o Portanto, nesse ponto, serão encontradas situações cármicas
baço, a parte superior do cérebro, olhos, ouvidos e sistema en- interessantes a serem trabalhadas, inclusive implantes de chips
dócrino. de monitoramento vivencial.

Influência no campo emocional: Influência no corpo físico:

Equilibrado: realização do caminho da alma, capacidade de Equilibrado: libertação do ego, desapego de coisas, pessoas
transformação, espiritualização, entendimento do mais elevado, acesso e sentimentos, entendimento dos poderes espirituais, liberdade
ao “EU” superior, fé profunda e confiança na verdade, libertação da materialidade, sabedoria iluminada, perda do medo da morte,
da forma, destruição do imperfeito, servir com amor universal e coragem transcendente, comunhão com o todo e entendimento da
dedicação. eternidade da alma.
Desequilibrado: perda do sonho da alma, desencanto, Desequilibrado: depressão, insônia, problemas endócrinos,
insanidade, loucura, cristalização, negativismo, auto piedade, tumores, inflamação dos nervos, problemas nos ouvidos e nos olhos,
separação, dor da alma, sofrimento e agonia pela falta de problemas imunológicos e envelhecimento precoce.
entendimento da verdadeira dimensão do ser. Uma observação importante a fazer é que e todos os chakras
quando desequilibrados apresentam o problema de depressão e isso
nos faz compreender o grande mal que atinge a humanidade.

97
MÓDULO 4

De 0 a 1 é solidificação do corpo físico.

Como os bloqueios
são formados De 1 a 2 é solidificação do duplo etérico.

De 2 a 3 - solidificando o corpo astral, elaborando


as emoções.
Agora veremos o que as idades têm a ver com a formação do
indivíduo e como interferem na vida para começarmos a pen-
sar de forma energética. De 3 a 4 - criando o mental racional, começando
O que a gente precisa entender é que a nossa aura, que en- a falar e articular.
volve nosso corpo, é onde são registradas as nossas memórias
conscientes ou inconscientes. Lembrança é algo que se lembra.
Memória é algo que não se lembra, mas está registrado. De 4 a 5 - mental superior que se liga ao chakra
da expressão.

Quando nascemos, a pri-


De 5 a 6 - solidificando o corpo búdico, ligado ao
meira coisa que precisamos é
chakra frontal, fazendo questionamentos.
estar vivos. Estamos construin-
do o nosso corpo físico, logo, o
De 6 a 7 - solidificando o corpo átmico, ligado ao
chakra que mais ativamos nesse
chakra coronário quando começa a ter contato com
período é o chakra básico que
o “Eu”.
contém mais energia masculi-
na. Precisamos comer e beber,
temos algumas doenças, enfim, Isso tudo acima é a solidificação de todos os 7 corpos
o corpo está se habituando ao relacionados ao chakra básico com as vibrações respecti-
movimento da encarnação. vas, isso porque cada corpo é ligado a um chakra.

98
MÓDULO 4

E essa fase dos 0 aos 7 anos é muito li- É nessa fase que começam os questionamentos do que vie-
gada à energia do masculino por corres- mos fazer aqui, qual o nosso propósito, qual nossa missão, en-
ponder às questões de sobrevivência que fim, começa um processo de reflexão sobre a vida.
requerem coragem e defesa, ou seja, a re- Depois iremos trabalhar o chakra frontal, dos 35 aos 42 anos,
lação com o mundo exterior. Por isso, di- e o chakra coronário dos 42 aos 49 anos para a manifestação
zemos que nessa fase a figura e a energia essencial da existência de acordo com o propósito de vida.
do pai, a masculina, é muito importante. Após os 49 anos, começa o ciclo novamente, iniciando pelo
chakra básico e subindo para os outros chakras no mesmo pro-
cesso de desenvolvimento.
Então, a maneira como lidamos com as questões externas, de
defesa, de proteção e de sobrevivência está muito ligada com
essa fase, na qual trabalhamos a energia masculina, até os 7
anos de idade. A nossa memória energética e emocional está
conectada às experiências vividas nessa fase, explicando muito
sobre os nossos comportamentos e as emoções de hoje.
O chakra sacral, localizado no ventre,
está conectado com a energia feminina e
é realizado o mesmo processo que per-
passa por todos o corpus sutis, mas agora
com a vibração respectiva ao sacral e isso
vai ocorrer dos 7 aos 14 anos de idade.
E esse processo continua subindo pelos
chakras e de 7 em 7 anos, experiencia-
mos as energias femininas e masculinas
para a formação do nosso o corpo, passando pelo plexo solar
(energia masculina de 14 a 21 anos), cardíaco (energia femini-
na dos 21 aos 28 anos), até chegar no laríngeo que é quando
realmente o nosso espírito encarna, dos 28 aos 35 anos, mais
precisamente aos 33 anos.
99
MÓDULO 5
HUMANOMETRIA

100
MÓDULO 5

INTRODUÇÃO
O corpo astral compõe a alma junto ao corpo mental racio-
nal. Então, se for só mental, é uma forma pensamento, se for
emocional, é uma vibração e se tiver os dois é uma massa, uma
alma, distinta do espírito que pode ajudar ou atrapalhar a nossa
vida dependendo do alinhamento com o nosso mental superior.
Se é uma massa criada e que não faz parte do nosso projeto, ela
precisa ser tratada e ganhar consciência.

A Humanometria trata auto-obsessão, obsessão de encarna-


do ou desencarnado e demais processos espirituais iniciados
nesta ou em outras vidas através de pulsos magnéticos concen-
trados e progressivos que atuam direto no corpo astral do as-
sistido, ao mesmo tempo que comandam o afastamento ou o
desdobramento dos seus corpos sutis.
Esse tratamento é um desdobramento da Apometria con-
vencional, considerando todas as leis apométricas para realizar
o trabalho com a segurança, técnica e método em consultórios
de maneira individual.
101
MÓDULO 5

Como surgiu a Humanometria - parte 1 Como surgiu a Humanometria - parte 2

A Apometria é uma técnica terapêutica para distúrbios es-


pirituais que pode ser aplicada em qualquer pessoa, indepen-
dentemente de sua idade, estado de saúde ou sanidade mental,
porém, deve ser aplicada apenas por pessoas capacitadas e com
autorização do assistido.
A técnica foi iniciada no Brasil pelo Dr. Luiz Rodrigues, um
farmacêutico que, a princípio, a nomeou de HIPNOMETRIA.
Consiste na aplicação de pulsos magnéticos concentrados e
progressivos que atuam diretamente no corpo astral do pacien-
te ao mesmo tempo em que comandam o afastamento ou o A Humanometria é uma técnica canalizada pela Andresa
desdobramento dos corpos sutis. Molina após uma história de vida de trabalho espiritual inicia-
da antes mesmo dela e de seu marido, o Rodrigo, nascerem.
Após anos de trabalho com a Apometria em desdobramento
Posteriormente, o Dr. José e em contato com a sua equipe espiritual, a Andresa passou
Lacerda de Azevedo se interessou por testes e desafios até ganhar consciência, criando todo um
pela técnica e provou que é possível aparato de sustentação energética e espiritual para a manifes-
desdobrar os corpos sutis em tação de uma técnica segura e que pudesse ser ensinada e apli-
estado de vigília, proporcionando cada de forma individual nos consultórios, de maneira simples
a mudança da nomenclatura para mas eficaz para os tratamentos de distúrbios espirituais. Então,
APOMETRIA. surgiu a Humanometria e também a colônia espiritual Espaço
Humanidade.
102
MÓDULO 5

Humanometria - parte 3 O que a Humanometria trata

A técnica Humanometria recebe aporte de uma equipe espi- Foi constatado que esse procedimento terapêutico é muito
ritual da colônia Espaço Humanidade. Então, todas as pessoas eficiente no tratamento de diversos distúrbios psicológicos com
que aplicarem a técnica conforme a orientação, com integrida- elevado índice de cura em pacientes diagnosticados com de-
de e respeitando a ética e cosmoética na realização do trabalho, pressão, síndrome do pânico, transtorno bipolar, fobias, trans-
serão amparadas também por essa egrégora. torno obsessivo compulsivo, traumas etc.
O trabalho central da Humanometria é tratar os processos, Além desses distúrbios complexos, a Humanometria também
auto-obsessivos e espirituais, com suas massas e fractais, onde é usada para o tratamento de estresse, desânimo, insônia, falta
a pessoa entra em contato com ela mesma e seus processos, de interesse pela vida, irritabilidade e qualquer outro sintoma
ganhando consciência, mudando, a vibração e saindo da frequ- que com certeza levarão o paciente a um estado depressivo em
ência do obsessor ou intrusos. pouco tempo.
Na Apometria convencional, é retirado o intruso: externo.
Humanometria e religião

Apesar de a Apometria ter sido criada dentro de uma casa


espírita, a técnica não tem ligação com nenhuma seita ou reli-
gião. Essa afirmação contraria algumas crenças espiritualistas
que defendem a teoria da mediunidade. Porém, toda a mediu-
nidade e o desdobramento são características próprias dos seres
humanos, não podendo ser vinculadas à religiosidade.

Já na Humanometria (Humano= seres humanos / Metria=


medida), entendemos que, ao tratar a massa e mudar a vibra-
ção e consciência do assistido, o intruso não terá acesso e não
se conectará, pois não terá a frequência. Então, veja que é um
caminho de dentro pra fora e é seguro, porque a pessoa entrará
em contato com a própria energia.
103
MÓDULO 5

Humanometria e espiritualidade Humanometria e a medicina

A Humanometria é relacionada Os distúrbios psicológicos diagnosticados pela medicina tra-


com a espiritualidade, pois todos os dicional, são tratados com remédios “tarja preta”, mas na ver-
trabalhadores de Apometria traba- dade são dores na alma que já atingem os campos mental e
lham desdobrados, fazendo-os in- emocional das pessoas e essas dores são causadas por energias
teragir com outras dimensões as- de terceiros que estão absorvendo a vitalidade (magnetismo) do
trais e com as energias que vibram assistido, deixando - o fraco e, consequentemente, triste.
nessas dimensões. A Humanometria, com suas técnicas simples, tem mostrado
eficiência, pois consegue atingir a origem dos males psicológi-
Humanometria e a natureza cos, sendo eles desta vida ou não, pois para a energia não existe
tempo, nem espaço.
Naturalmente, todos os seres humanos, ao dormir, desdobram
seus corpos sutis, ou seja, fazem uma viagem astral, interagindo
com as outras dimensões astrais sentidas por meio do sonho.
O Dr. Lacerda, em suas pesquisas, provou que é possível ob-
ter o mesmo resultado de desdobramento dos corpos sutis em
estado de vigília (pessoa acordada) por meio de técnicas apo-
métricas sob o comando de uma pessoa experiente.

Humanometria e ciência
Quem pode ser tratado pela Humanometria?
Em 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhe-
ceu a “obsessão espiritual” como uma doença da alma e fez cons- Não há restrição de idade, sexo ou religião, qualquer pes-
tar no Código Internacional de Doenças (CID) , no item F44.3. soa pode ser tratada por Humanometria, desde que autorize
o tratamento. Somente é feita a Humanometria sem autoriza-
ção em pessoas que perderam a sua capacidade de exercer o
livre-arbítrio, como aqueles em estado de coma, dependentes
químicos e esquizofrênicos em surto.
104
MÓDULO 5

Revisão Corpus sutis Os Bloqueios Energéticos

Qualquer desajuste no corpo sutil da pessoa significa um


Corpo físico: músculos, ossos, bloqueio energético. Um quantum de energia não reciclado
cartilagens, tecido adiposo, epitelial, transforma-se em um bloco de energia que fica estagnado no
conjuntivo etc. tempo-espaço em que foi criado, em virtude de uma emoção
descontrolada, tal como culpa, medo, raiva, vingança, etc., vi-
Corpo duplo etérico:
venciada em vida passada ou não.
anima o corpo físico, corpo das energias,
onde estão os chakras.

Corpo astral: o corpo onde são


registradas todas as emoções.

Corpo mental inferior:


o corpo da racionalidade,
onde fica o ego.

Corpo mental superior: o corpo


responsável pela encarnação atual, nele
estão todas as informações.

Corpo Búdico: o corpo


responsável por todos os registros
de todas as encarnações.
Esses blocos de energia são os grandes
causadores dos males psicológicos de hoje,
Corpo Átma: centelha divina. conhecidos como Níveis e Subníveis.

105
MÓDULO 5

Os Níveis 1 Vamos imaginar que ela conseguiu se salvar, se recuperou fi-


sicamente, perdeu muitos amigos, sofreu com o luto e a tristeza
Boate Kiss - a história da cidade e seguiu a vida, conseguindo elaborar e ressignificar
esse episódio traumático. Essa mesma jovem 20 anos depois foi
Vamos imaginar que uma jovem se prepara viajar com o marido para a França e lá eles estavam se prepa-
para sair à noite com os amigos. Então, toda ani- rando para um jantar romântico, só os dois, em um restaurante.
mada ela se arruma para sair e vai se divertir na
Boate Kiss.
Ela dança, conversa e está bem e alegre, mas, de
repente, ela vê alguém correndo, depois alguém
gritando, vê uma luz de alerta, vê fumaça, não sabe para onde
vai ou corre, vê um fogo, pensa em como sair dali naquele de-
sespero de pessoas correndo, caindo, móveis para o chão, sem
enxergar e sem saber o que está acontecendo... nesse momen-
to,toda a sua emoção é o medo e a sua energia está em um só
foco: fuga para sobreviver.

No restaurante, estava tudo preparado, com aquela mesa pos-


ta, velas e tudo muito bonito. De repente, ela olhou para a vela,
sentiu o cheiro do pavio se queimando, começou a sentir mal
e falou para o marido que estava incomodada porque lembrou
do que aconteceu na Boate Kiss. O marido compreendeu, pois
era uma justificativa que fazia sentido, e então eles foram em-
bora daquele restaurante.
106
MÓDULO 5

Vamos imaginar que essa moça, duas vidas depois dessa, com Os Níveis 2
uns 15 anos de idade, em viagem para o Brasil foi convidada
para uma festa junina no Nordeste e lá começou a ter uma Foi trazida uma situação bem drástica como exemplo, mas
sensação de incômodo, mas não entendeu o porquê, pois não isso acontece o tempo todo na nossa vida.
encontrou nenhuma razão para tal. Até que se deparou com Para se entender melhor, veja que o que aconteceu na Boate
uma fogueira e o cheiro e a visão das chamas a fizeram passar Kiss foi o nível, o que aconteceu na França foi um subnível e o
muito mal. Sem entender, ela só queria fugir dali e ir embora. que aconteceu no Nordeste foi outro subnível.
Essa situação se caracterizaria como um surto, ou seja, a pessoa
entrou num processo de medo sem razão porque não estava
no campo mental, mas sim em outra dimensão, pois essa moça
acessou um registro de memória emocional que estava no cam-
po astral dela.

Os subníveis alimentam o nível, pois o nível é uma massa


energética parada no espaço-tempo, ou seja, um trauma de
uma outra encarnação e é de processos assim que tratamos na
Humanometria.
O nível tem somente uma vibração de dor, não tem racional,
não tem consciência e se sintoniza com aquilo que tem a mes-
ma vibração, porque toda criatura quer existir e ele se alimenta
só da mesma emoção. É assim que ele vai colocando a pessoa
nas mesmas situações para ser alimentado.
Níveis são experiências traumáticas geradas em outras vidas.
107
MÓDULO 5

Em uma nova encarnação, é decidido tra-


balhar um dos processos gerados em outras
vivências em função das necessidades de evo-
lução do espírito uno que sofre os efeitos dessas
experiências.
O processo escolhido já estava sendo prepa- Com isso, pode ocorrer o que a Psicologia chama de múlti-
rado para isso, ou seja, estava em processo de arrependimento, plas personalidades, sendo que, pela fraqueza do ser, uma das
sendo sempre um de cada vez. vivências passa a comandar as suas ações. O ser não reagiu às
pulsões, como Szondi disse, e uma das chamadas múltiplas per-
sonalidades dominou-o, passando, daí em diante, a comandar
Os Níveis 3 aquela encarnação. Na Apometria, esse distúrbio é chamado
de Linha de Desarmonia, conforme descreveu Godinho em sua
Os processos podem estar em diversas situações, conforme belíssima obra “Desvendando o Psiquismo” (pg. 37).
seja seu estado: doente, ferido, em ótima situação, preso no um-
bral, enterrada no fundo do oceano, etc., isto é, uma infinidade
de situações normalmente sofridas. Nem todas foram más, po- Então, em toda encarnação a pessoa vem para recolher
rém, todas tiveram problemas de maior ou menor quantidade. esses “pedacinhos” perdidos no tempo e espaço.
Alguma vivência mais forte pode se rebelar contra a atual Uma pessoa pode estar vibrando no estado umbralino,
encarnação e lutar contra ela para até tomar seu lugar. porque a vibração não é um lugar e sim um estado. Se
você está com ódio ou raiva, você está vibrando nessa
dimensão e se conectando com outros seres de mesma
sintonia.
Percebe que os níveis não são processos externos de
um obsessor, mas sim um processo auto-obsessivo que
absorve a vitalidade da pessoa?
Logo, quando existe um processo obsessivo, um
intruso, é porque existem níveis e subníveis que se
sintonizam com ele.

108
MÓDULO 5

Os níveis 4 DESDOBRAMENTO DOS CORPUS


A Humanometria vai tratar os níveis que estão em processo Desdobramento 1 e 2
de arrependimento em busca de tratamento e de compreensão
de que é preciso acolher e recolher situações e sensações que Quando executamos a técnica do desdobramento dos corpos
estão presas no espaço-tempo que geram muito dor, vingança e de uma pessoa, devemos entender que somente os corpos astral,
lutas em outras vidas e dar consciência a elas, do contrário, es- mental inferior e mental superior sofrem o processo de afasta-
sas massas continuarão atuando no campo, vibrando e atrain- mento do corpo físico, os demais permanecem inalterados.
do situações parecidas. Por essa razão, mesmo em desdobramento, dificilmente uma
pessoa encarnada percebe que está desdobrada, pois não foi trei-
nada ou não tem suas percepções desenvolvidas para isso.
Mesmo sob o comando do desdobramento executado pelo di-
rigente, ela tende a imaginar que nada está acontecendo.
Então, por exemplo, quando estou em um lugar, mas pensan-
do em um filho que está em casa doente, o meu emocional e a
minha energia estão lá. O corpo está aqui, mas a energia está lá
e eu estou onde a a minha energia está.
A manifestação de qualquer coisa está no momento de presen-
ça, onde está a sua energia, ou seja, onde há a união do racional,
emocional e do meu corpo físico em um mesmo lugar ou objetivo.
Subníveis

As chamadas múltiplas personalidades podem ser melhor


observadas nos casos de Transtorno Bipolar de Humor, que é
uma alternância de humor, onde, ora ocorrem episódios de ex-
citação eufórica, ora de depressão com períodos intercalados
de normalidade, sendo muito possível ser uma forma de apro-
priação, por um determinado período, de uma vida anterior
aparecendo sobre a atual.
109
MÓDULO 5

HIERARQUIA ESPIRITUAL

Assim como existem padrões negativos, existem também pa-


drões positivos que vão desde os hospitais astrais até às divin-
dades, como anjos, arcanjos, querubins e mestres.

No trabalho espiritual transitamos por diversas dimensões e


campos astrais, tanto de seres mais elevados como de estados
umbralinos. E o que nos protege em qualquer situação é a nos-
sa integridade, os valores e as virtudes.
Então, para ter consciência sobre essas frequências, vamos
iniciar um processos de entendimento sobre as hierarquias es-
pirituais. Devido à ignorância em relação às leis universais, nas regiões
Em geral, os quartéis generais dos magos negros estão insta- de padrões vibratórios mais densos encontram-se as zonas de
lados nas regiões umbralinas, sub-umbralinas e abissais, todas sofrimento.
pertencentes a regiões negativas, que vão desde a primeira ne- A Humanometria atua tanto nas zonas negativas para resga-
gativa até a décima quarta negativa. te, como nas zonas positivas para auxílio.
110
MÓDULO 5

AS 13 LEIS DA APOMETRIA

1ª LEI: Desdobramento espiritual 4ª LEI: Formação dos Campos de Força

“Toda vez que, em situação experimental ou normal, der- “Toda vez que determinarmos a formação de uma barreira
mos uma ordem de comando a qualquer criatura humana magnética por meio de impulsos energéticos seguidos de con-
visando a separação do seu corpo espiritual – corpo astral tagem, estes serão formados circunscrevendo a região pré-de-
– do seu corpo físico e, ao mesmo tempo, projetarmos sobre terminada e na forma que o operador imaginou.”
ela pulsos energéticos por meio de contagem lenta, dar-se-á o Exemplo: “Envolver fulano ou a casa na pirâmide e cons-
desdobramento completo dessa criatura, conservando ela sua
truir em 1, 2, 3, 4 e 5.”
consciência.”

2ª LEI: Acoplamento físico 5ª LEI: Revitalização dos médiuns

“Toda vez que se der um comando, acompanhado de con- “Toda vez que tocarmos o corpo do médium (cabeça,
tagem regressiva e pulsos energéticos (estalar os dedos) para mãos), mentalizando a transferência de nossa força vital,
que se reintegre no corpo físico o espírito de uma pessoa des- acompanhando-a da contagem de pulsos, essa energia será
dobrada, dar-se-á imediato e completo acoplamento no cor- transferida. O médium começará a recebê-la, sentindo- se re-
po físico.” vitalizado e em harmonia.”

3ª LEI: Lei Ação a Distância pelo Espírito Desdobrado. Lei 6ª LEI: Condução do Espírito Desdobrado do Assistido en-
das Viagens Astrais carnado para Hospital do Plano Astral

“Toda vez que se ordenar ao médium desdobrado visitar “Espíritos desdobrados de pacientes encarnados somente
um lugar determinado, sob contagem lenta e emitindo impul- poderão subir a planos superiores do astral se estiverem livres
sos energéticos, o médium se deslocará até o lugar indicado de peias magnéticas.”
conservando sua consciência, e terá percepção do ambiente
visitado, seja espiritual ou físico.”

111
MÓDULO 5

7ª LEI: Ação dos Espíritos Socorristas Sobre os Pacientes 10ª LEI: Dissociação do Tempo - Espaço
Desdobrados
“Com contagem e aplicação de impulsos energéticos e de-
“Espíritos socorristas agem com muito mais facilidade so- terminação de acelerar o fator tempo, colocamos um espírito
bre os enfermos se estes estiverem desdobrados, pois dessa incorporado no futuro, que sofre um salto quântico e se co-
forma se encontram na mesma dimensão espacial.” loca em região astral compatível com seu campo vibratório
e peso específico cármico negativo, ficando exposto a toda
8ª LEI: Ajustamento de sintonia vibratória de desencar- energia cármica negativa de que é portador.
nados com o médium ou outros espíritos e/ou ambientes O Espírito sente o peso de como ficará se continuar agindo
para onde foram momentaneamente enviados da mesma maneira.”

“Pode-se fazer a ligação vibratória de espíritos desencar- 11ª LEI: Ação Telúrica sobre espíritos desencarnados que
nados com médium ou entre espíritos desencarnados, bem evitam a encarnação
como sintonizar esses espíritos com o meio onde forem desco-
locados, para que percebam e sintam nitidamente a situação “Toda vez que um espírito desencarnado, possuidor de
vibratória desses ambientes.” mente e inteligência bastante fortes, consegue resistir à Lei da
Ajuste de frequência. Reencarnação, sustando a aplicação dela nele próprio, por
longos períodos de tempo (para atender a interesses mesqui-
9ª LEI: Deslocamento de um Espírito no Espaço -Tempo nhos de poder e domínio de seres desencarnados e encarna-
dos), começa a sofrer a atração da massa planetária, sintoni-
“Se ordenarmos a um espírito incorporado a volta a deter- zando-se, em processo lento, mas progressivo, com o planeta.
minada época do passado, acompanhando-a de emissão de Sofre expressiva diminuição do padrão vibratório, porque o
pulsos energéticos através de contagem, o espírito retorna no planeta exerce sobre ele uma ação destrutiva, deformante,
tempo à época do passado que lhe foi determinado.” que deteriora a forma do espírito e de tudo o que o cerca, em
degradação lenta e progressiva.” “Veja como você está.”

112
MÓDULO 5

Distúrbios Espirituais
12ª LEI: Choque do Tempo
Os distúrbios espirituais podem acontecer de várias manei-
“Toda vez que levarmos ao passado espírito desencarnado ras, pois existem vários tipos de processos espirituais.
e incorporado em médium, fica ele sujeito a outra equação Vamos abordar cada um deles de maneira simples para que
de tempo. Nessa situação, cessa o desenrolar da sequência você possa reconhecê-las na Humanometria.
do tempo tal qual o
conhecemos, ficando o fenômeno temporal atual (presen- Obsessão Espiritual
te) sobreposto ao passado”.
Obsessão é a ação per-
13ª LEI: Influência dos espíritos desencarnados , em sistente que um espírito
sofrimento, vivendo ainda no passado, sobre o presente ignorante exerce sobre
dos doentes obsediados uma pessoa. Trata-se de
uma ação contínua de
“Enquanto houver espíritos em sofrimento no passado de um espírito sobre o outro
um obsediado, tratamentos de desobsessão não alcançarão e implica sempre em ação
pleno êxito, continuando o enfermo encarnado com perío- consciente com objetivos
dos de melhora, seguidos por outros de profunda depressão claros, visando fins e efei-
ou de agitação psicomotora”. tos bem definidos. Pode
se apresentar desde a sim-
ples influência moral, sem
sinais exteriores, até a
perturbação completa do
organismo e das faculda-
des mentais do obsediado. Pode ainda se apresentar independen-
temente do estado do encarnado ou desencarnado como uma
ação premeditada e planejada, às vezes com requintes de sofisti-
cação, que constitui a grande causa das enfermidades psíquicas.

113
MÓDULO 5

Indução Espiritual ou Obsessão simples Pseudo-Obsessão

Trata-se da ação de um espírito desencarnado pelo encar- É a ação de encarnado sobre encarnado, embora possa exis-
nado por ressonância magnética, ou seja, afinidade de padrão tir a pseudo-obsessão entre desencarnado e encarnado. É muito
vibratório. O espírito que ainda vive na crosta terrestre, mesmo comum se apresentar em pessoas de personalidade forte, domi-
sem o corpo físico, necessita de energia vital para continuar a nadoras e egoístas que sujeitam a família, amigos e funcionários
viver no planeta, para isso, aproxima-se do ser encarnado por à sua vontade e tirania. Apresenta-se também em pessoas do-
sintonia vibratória a fim de extrair-lhe a energia. Isso lhe causa minadoras que utilizam a sutileza para manipular suas vítimas.
mal estar e falta de vitalidade. É muito comum em pessoas ciumentas e possessivas nos rela-
cionamentos amorosos, assim como nas relações de mãe e filho.

Auto-Obsessão

Quando encarnamos, trazemos conosco nosso projeto de


vida e, para acessá-lo, devemos utilizar nossa sensibilidade para
saber qual caminho tomar. Mas quando nascemos, somos edu-
cados pela racionalidade e assim deixamos de acessar e respei-
tar nosso sentir, passando a seguir para satisfazer o nosso ego,
nos afastando do nosso programa original e decidindo nossa
caminhada terrena por meio da razão. Então, nossa mente con-
troladora passa a querer algo e o nosso projeto de vida nos leva
para outro lado e, por isso, temos a sensação de que nada dá
certo em nossas vidas, causando dor e sofrimento.
114
MÓDULO 5

Processos Cármicos Não Obsessivos Parasitismo

Quando vivemos paixões avassaladoras e descontroladas de


encarnações anteriores ou desequilíbrios profundos que causam
mal a outrem, é natural que situações antiéticas de toda a espé-
cie fiquem impregnadas em nosso campo espiritual, deixando
marcas profundas por causa da desarmonia psíquica oriunda
de nossas decisões (livre arbítrio). Essas situações redundam do
mal em si mesmo e de outros envolvidos. Os bloqueios energé-
ticos ficam enraizados em nosso perispírito e exteriorizam-se
sucessivamente em novas encarnações na forma de deficiências
ou enfermidades complexas ao longo de várias vidas, até que
consigam dissipar-se pela compreensão e mudança de compor-
tamento diante de situações semelhantes.

Simbiose

Ocorre tanto entre encarnados quanto em desencarnados e Fenômeno em que um ser extrai diretamente do outro ser
tem a função de benefício recíproco. (hospedeiro) os elementos indispensáveis para si. Na visão es-
O encarnado precisa da entidade para fazer o trabalho e piritual, é o vício do parasita (desencarnado) em relação ao
continuar atuando profissionalmente, mas não desenvolveu hospedeiro (encarnado). São conhecidos como “encosto”, li-
seus dons por si mesmo. A entidade oferece a ajuda em troca gados ao encarnado por simples afinidade de padrão vibrató-
de energia vital de que carecem para continuar sua atuação rio, assim como podem ser elementos instalados na vítima por
no planeta, pois não desenvolveu sua habilidade de se auto- equipes espirituais comandadas por magos negros em caso de
sustentar. Nesse caso, ocorre tanto entre encarnados quanto obsessões complexas, tais como aparelhos ou chips de moni-
entre desencarnados e tem a função de benefício recíproco. toramento. No segundo caso, geralmente são encontrados em
No caso de desencarnados, ocorre uma simbiose que é difícil processos de magia negra e somente poderão ser retirados em
de ser desfeita. trabalhos apométricos.
115
MÓDULO 5

Vampirismo

Toda entidade ociosa que se vale das possibilidades alheias.


Os vampiros que visitam os encarnados cumprem seus objeti- Tratamento
vos a qualquer hora desde que encontrem respaldo nas vítimas convencional
encarnadas.
No mundo corporativo, encontramos espécies de vampiros
inescrupulosos que se aproveitam das situações e da inocência
de alguns em beneficio próprio, sem levar em conta o respeito • Troca de vestes por vestes limpas;
pelo outro.
• Assepsia com um vento solar para limpeza de ener-
gias deletérias – formas-pensamento negativas;

• Um banho de água crística e o envolvimento do pa-


ciente numa onda do mar;

• Tratamento de cromoterapia universal, reforçando


nas cores o que a intuição indicar;

• Mentalizar a aplicação de ervas maceradas para


curar qualquer machucado;

• Início da energização verbalizando “ajusta, harmo-


niza e equilibra”, colocando a mão no médium para
passar o magnetismo necessário.
Parasitismo X Vampirismo
Tudo isso acompanhado de pulsos magnéticos.
A diferença entre vampirismo e parasitismo está na intensi-
dade da ação nociva do vampirismo.
116
MÓDULO 6
ESPIRITUALIDADE AVANÇADA

117
MÓDULO 6

TÉCNICAS ENERGÉTICAS E ESPIRITUAIS


Cada grupo de trabalhadores cria a sua egrégora que, por Pneumiatria
afinidade, acaba recebendo os assistidos que necessitam do so-
corro espiritual daquela equipe. A técnica consiste em elevar mo-
Aqui vamos conhecer as técnicas energéticas e espirituais. mentâneamente o estado vibra-
tório do espírito a níveis crísticos.
Etiriatria Essa técnica trata da dimensão
espiritual, curando o espírito pelo
É a medicina do corpo etérico. próprio espírito e guiando-o na
Assim como a medicina clássica busca do Cristo que existe dentro
trata do corpo físico, a Etiriatria tra- de si.
ta da dimensão energética do corpo Isso só perdura enquanto a ener-
etérico. gia estiver sendo sustentada pelos
Deve ser realizada com a conta- trabalhadores, pois depois voltará
gem pausada dos impulsos energéti- a seu estado natural.
cos e com comando firme a fim de
projetar energia, sendo repetida até Cromoterapia
que o dirigente sinta que é o suficien-
te. O corpo físico não apresentará Utilizamos a cromoterapia universal, mas seguimos a intuição
nenhum sinal, mas o corpo etérico se dos médiuns para aplicar uma carga maior de determinada cor.
tornará mole e pronto para receber
o quantum de energia que necessita.
Ao mesmo tempo em que o proce-
dimento estiver sendo executado,
deverá projetar energia para a disso-
lução de massas compactas de baixo
padrão vibratório instaladas na raiz
da enfermidade do assistido.
118
MÓDULO 6

Técnica Despolarização dos estímulos de memória Técnica de inversão de spin

Quando tratamos os níveis, O giro do elétron num átomo tem um sentido. Esse giro cha-
apagamos e despolarizamos ma-se spin. Quando damos o comando de inversão de spin,
os registros de memória que os estamos dando o comando de inverter a metade dos elétrons
acompanham, pois são somente desse átomo, fazendo com que a entidade perca energia ime-
lembranças de dor que servem diatamente e, portanto, sua força de atuação. Nas estruturas
apenas para causar sofrimento. moldadas, como bases astrais ou aparelhos, acontece a dissocia-
Utilizamos o estalar dos dedos ção dos componentes, causando sua desintegração. Contamos
para apagar essas lembranças. até 3 e batemos palma para fazer a inversão do spin.

Técnica Fator Tempo Multidimensional


Técnica de impregnação magnética É a aplicação de um quantum de energia para o deslocamen-
mental de imagem positiva to do tratado no espaço tempo.
Desloca-se para o passado ou futuro para compreender me-
Deve-se trazer uma imagem de alguém querido para que a
lhor seu processo.
pessoa se conecte com as leis universais, com a referência de
amor ou com o mestre iniciático.
2D - São 2 pontos que viram 2 traços e que formam um
quadrado chapado.

3D - Imagine que o quadrado deu um salto e virou um


cubo, então, são 3 pontos que correspondem a altura, largu-
ra e profundidade.

4D - Existe massa, mas não existe o tempo.

5D - Está além, não há tempo, massa e nem espaço. Ele é.

119
MÓDULO 6

Técnica Drenagem Energética Resistência da vida

Quando alguma energia vem nesse padrão, o dirigente colo- Alguns seres, com controle mental profundamente desenvol-
ca um dedo nas costas do médium e outro no peito, na altura vido, conseguem resistir à força de atração planetária, impedin-
do cardíaco, como se estivesse inserindo um canudo de cobre do seu reencarne e, assim, não restabelecendo a harmonia de
que ajuda a sugar a energia com pulsos magnéticos. suas ações pretéritas, porém, essa resistência causa profundos
danos ao seu corpo perispiritual.
Há um estudo que mostra as formas como os são os espíritos
que estão deteriorando a partir de um sentimento de negação,
culpa, vitimismo e sofrimento.

Espíritos em sofrimento

Ódio Raiva

Vingança Medo

Nós podemos aliviar essas emoções com esta técnica.


120
MÓDULO 6

Espíritos em rebeldia A esquizofrenia é a abertura de consciência para vários mun-


dos.
O esquizofrênico tem acesso e vê outras dimensões, então, ele
interage com os espíritos e quem vê considera que a pessoa está
ficando louca quando, na verdade, ela está mesmo conversando
ou brigando com um espírito em outra dimensão, ou seja, está
transitando em mundos paralelos. Enfim, a pessoa e todos ao
seu redor começam a julgar como loucura.

Espíritos e níveis de uma esquizofrênica “Dosô”

Níveis de esquizofrenia

Vamos trazer aqui um caso de uma esquizofrênica para en-


tendermos esse processo à luz da espiritualidade.
121
MÓDULO 6

Figura 05 – A P.M. 05 culpava-se e pu-


Figura 01 – A P.M. 01 fazia autoboico- nia-se com uma faca de pão atravessando o
te, autobloqueio e produzia dores no corpo pescoço. No passado, assassinou o próprio
através de ferimentos vibracionais por não filho recém-nascido com essa faca. Trazia
querer trabalhar ou cooperar com nada. também, impressa em sua estrutura, uma
ideoplastia do filho com a faca atravessada
em seu corpo, como forma e necessidade de
autopunição.
Figura 02 – A P.M. 02 reflete a a recusa
da mediunidade socorrista. Construiu um
aparelho para escorraçar os espíritos neces- Figura 06 – A P.M. 06 apresentava-se na
sitados que se aproximassem. polaridade masculina e ideoplastizou uma
coroa de espinhos em sua cabeça, como um
Cristo, para que todos vissem o quanto era
Figura 03 – A P.M. 03 apresentava-se sofredor e se compadecessem de sua infeli-
atrofiado, tendendo à ovoidização pela au- cidade e não cobrassem nada, pois era ab-
todeterminação em não trabalhar. Dizia-se solutamente incapaz de produzir qualquer
doente, sem condições e sem vontade para coisa útil. Queixava-se de sua necessidade de
nada. Observe que sua cabeça apresenta- amparo, reclamando que ninguém via isso.
va-se bem maior que o seu corpo.

Figura 07 – A P.M. 07 não conseguiu


Figura 04 – A P.M. 04 também recu-
ocultar o quanto era diabólico e rebelde.
sava-se a trabalhar e exibia sua aparência
Apresentava-se adornado de chifres e la-
esquelética para que todos vissem o quanto
deado por outras múltiplas personalidades
era doente e incapacitado.
igualmente deformadas.
122
MÓDULO 6

Figura 08 – A P.M. 08 apresentava-se na IMPLANTES ASTRAIS


forma de um verdadeiro espectro das som-
Principais tipos de Implantes
bras, com uma cruz plantada em cima da
cabeça. Arrastava duas cabeças e estava en- O PRIMEIRO CHIP é retirado por médiuns
raizado no astral inferior. de cura através da limpeza e cura espiritual.
Trata-se de um parasita orgânico a base de
Figura 09 – A P.M. 09, também na for- silício, podendo medir de 5 a 7 cm, chegando
ma masculina,demonstrava a degradação a 9 cm com a calda. Esse implante possui
que o vício provoca. O fumo, por ser um inúmeros filamentos que aderem ao tecido
vício costumeiramente masculino, provoca nervoso ou aos gânglios do sistema linfático,
a imediata inversão de polaridade na mu- absorvendo informações e emitindo impulsos
lher, com a conseqüente transformação das de controle motor e emocional. Comumente,
formas do corpo e envelhecimento precoce. é aplicado no sistema nervoso central ou em
órgãos como o coração, rins, vesícula, bexiga,
pulmões e intestino. Esses implantes podem
ser removidos pelos médicos espirituais através
do ultra-som e da cromoterapia espiritual, de
forma a não causar lesões nos tecidos.
É importante que a remoção seja feita por médiuns com
conhecimento de biologia e medicina, tanto no físico como
no astral, pois cada filamento é capaz de deixar microfilhotes
dentro do organismo, permitindo a continuidade depois
de alguns meses do programa original. Cada implante pode
deixar até 30 filamentos que originarão novos chips em um
prazo de 15 meses, reproduzindo-se através do processo
celular do organismo humano. Por isso, faz-se imprescindível a
imobilização do corpo astral, emocional e físico para o trabalho
da radiação.
123
MÓDULO 6

O SEGUNDO CHIP também é de silício, se- Os grupos de cura são capazes de retirar estes tipos de
melhante ao de um computador, com tamanho implantes sem maiores problemas, por não possuírem fila-
máximo de 3 cm. Possui centenas de filamentos mentos profundos e por não terem inteligência artificial. O
laterais que efetuam o intercâmbio com os pro- único cuidado é que a remoção sem o equipamento apro-
cessos celulares. Este tipo é utilizado na análise priado emite substâncias cancerígenas no organismo. Prin-
e monitoramento das funções biológicas e fisio- cipalmente nesses casos, é indicado a remoção através de
lógicas para pesquisas genéticas dos programas equipes espirituais.
do despertar da humanidade. Pode ser encontrado na região
esquerda ou direita do cérebro, logo abaixo da estrutura ós-
sea do crânio. São inseridos por seres que possuem autorização O QUARTO CHIP é um dos mais anti-
para pesquisar o funcionamento do nosso sistema nervoso e gos da humanidade. É da época dos atlan-
organismo no enfrentamento das limitações terrenas. Trata-se tes, provenientes de tecnologia Zeta e dos
de povos tecnologicamente mais evoluídos, na busca do aper- rebeldes de Órion e Sírios do passado.
feiçoamento espiritual e fisiológico. Pode ser utilizado pelas for- Possui vários filamentos facilmente cor-
ças involutivas na tentativa de compreender os efeitos físicos e tados por cirurgiões espirituais, pois nem
astrais, reunindo material e ectoplasma para análise da consti- sempre estão radicados no corpo físico. A
tuição genética nos diferentes padrões emocionais emitidos por maior parte é implantada no corpo astral.
um ser ao longo da sua imensa diversidade na estrutura terrena Normalmente é colocado na coluna e no
das polaridades e das dificuldades diárias. cerebelo, controlando e monitorando os
impulsos cerebrais e transformando a pes-
soa em uma marionete.
O TERCEIRO CHIP é um dos mais conheci- O corpo astral possui maior facilidade de adaptação a esse
dos devido à sua apresentação em alguns filmes tipo de energia densa, pois não se trata de componentes quí-
e séries de TV. Fazem parte do Sinistro Governo micos terrenos. Este chip revela uma enorme capacidade de
Secreto e outras culturas extraterrestres involu- armazenar informações e copiar os padrões cerebrais do por-
tivas. O principal objetivo é monitorar o sistema tador, podendo ser replicado em um clone qualquer. Esta tec-
emocional e cerebral de um indivíduo, transmi- nologia é pouco utilizada ultimamente por ser muito arcaica
tindo as informações diretamente para centrais para as atuais exigências da dominação da humanidade ou dos
computacionais. grupos em ressonância com as trevas.
124
MÓDULO 6

O QUINTO CHIP é de cristal e O SEXTO CHIP é um implante muito peri-


está relacionado com as equipes de goso por ser um ser vivo que, além de parasitar
resgate e transmutação de emissá- o organismo, acaba por se enredar por comple-
rios em processo de cristificação da to em todo o sistema ao longo de toda a coluna
humanidade e do planeta Terra. cervical e vertebral como um poderoso obsessor,
Trata-se de implantes destinados a introduzindo muitas vezes vírus e bactérias no
desenvolver a consciência crística de seu portador. Trata-se de um tipo especial orgâ-
luz ou mesmo de missionários que, nico que cresce e participa nos processos de divi-
devido à alta densidade molecular são celular de seu hóspede, impedindo, assim, a
dos seus corpos, necessitam de im- sua retirada convencional, exigindo o emprego
pulsos de luz capazes de restabele- de energia crística dirigida, desintegrando-o. Os
cer parte do equilíbrio necessário ao inventores desse implante foram seres de Vega,
desenvolvimento das tarefas progra- Zeta Reticulli e de Andrómeda. Foi criado há
madas antes de encarnarem. São de milhares de anos, mas implantados nos terrá-
quartzo ou cristal como o astrastone e diamante, com estrutura queos nos últimos anos. Os membros do Sinis-
de geometria sagrada. Eles são afinados com a estrutura ge- tro Governo Secreto possuem estes implantes
nética do ser físico, com formato geométrico de acordo com a para garantir que não abandonarão a causa
origem estelar de cada humano encarnado. Este tipo de equi- pela qual têm lutado todos esses anos. Este tipo
pamento não é detectável por equipamentos comuns, apenas de implante deve ser removido por médiuns
por sensitivos, e se decompõe na corrente sanguínea ou na uri- especializados, pois pode levar a pessoa à paralisia completa.
na quando não é mais necessário. Possui conexão direta com o Em regra geral, para localizar-se um implante, deve-se fazer
corpo átmico, o que invalida qualquer manipulação das trevas. uma verificação em todas as dimensões, inclusive dimensões
É importante ressaltar que nem todos os implantes são malig- superiores, e pedir, através da Apometria, para que as nossas
nos, lembrando que o organismo humano está dentro de uma hierarquias entrem nas respectivas frequências e vasculhem
energia muito densa, o que implica artifícios para que os nossos cada uma de cima para baixo até encontrarem na linha de
companheiros espaciais nos contactem e desenvolvam os seus tempo e dimensional qualquer artefato estranho ligado à tec-
programas de resgate planetário e espiritual. nologia cibernética alienígena.

125
MÓDULO 6

A MORTE SEGUNDA MORTE


Desconstrução dos corpos. Ocorre quando o ser está
Primeira morte: físico e duplo etérico. pronto para galgar nova
vivência, agora dentro dos
CORDÃO DE PRATA planos mentais muito mais
sutis, deixando para trás
os planos emocionais. Esse
processo evolutivo, de cres-
cimento, que acontece com
a ruptura do cordão de
ouro, é chamado de Segun-
Quando encerramos nosso aprendizado na Terra, existe o
da Morte.
rompimento entre o corpo físico e o corpo emocional, fazendo
com que passemos a vibrar em uma frequência mais sutil e seja-
OVÓIDES
mos levados a interagir com o mundo espiritual. Esse processo
ocorre com o corte do cordão de prata. Estão relacionados com obsessões complexas e são encon-
trados nas auras de pessoas que sofrem dessas obsessões. São
CORDÃO DE OURO seres em um estado de monoideísmo (ideia fixa) num senti-
mento negativo tão grande que se esquecem de seu estado
Quando um ser, evolui e está num humano.
estágio superior de autoconhecimen- Os ovóides, foram seres encarnados que, por vários moti-
to, o suficiente para poder deixar para vos, acabaram perdendo a coesão do seu corpo espiritual mais
trás o corpo emocional e vivenciar a denso, o corpo astral.
partir daí o nível mental, ele conscien- O tormento vivido por um ser, que está nesse estado, como
temente faz essa passagem, cortando ovóide, é indescritível e beira a raiva e a loucura. São seres
o segundo cordão, que é chamado de que necessitam de imensa dose de amor e fraternidade de se-
cordão de ouro, que liga o corpo emo- res com desprendimento para ajudá-los a voltar para o cami-
cional ao corpo mental. nho da evolução.
126
MÓDULO 6

A segunda morte, ou o rompimento do cordão de ouro, tam-


bém pode acontecer através do monodeísmo, do hipnotismo e
da desagregação do psicossoma (seres dos abismos).
Esses seres, que perderam seu corpo emocional, estão den-
tro de infernos pessoais, vibrando em baixas frequências nos
campos mentais, são usados em obsessões complexas, por seres
com grande poder mental, para incutir pensamentos em seres
encarnados, facilitando a geração de desequilíbrio.

Larvas astrais e miasmas

O miasma, no sentido espiritual, é uma emanação de uma


vibração negativa que causa uma sensação de ansiedade opres-
sora e mal-estar.
Se esses miasmas estiverem emitindo fluídos deletérios, ou
seja, fluídos destrutivos, vão negativar e aproveitar de nossa fra-
gilidade mental e se utilizar de nosso pensamento para chegar
perto de nós.
Dessa forma, os fluídos nos farão vibrar mais ainda com
maus pensamentos, fazendo com que a irradiação prejudicial
nos atinja, aos outros, ao nosso ambiente e nos envolva dentro
de uma atmosfera fluídica negativa.
127
MÓDULO 7
TERAPIA DE DESBLOQUEIO EMOCIONAL
COM REPROGRAMAÇÃO ENERGÉTICA

128
MÓDULO 7

INTRODUÇÃO A TDR
Esta técnica apaga registros de memórias emocionais que
não estão em nossa consciência racional, mas que causam blo- Definição:
queios energéticos.
Os registros bloqueadores são apagados e substituídos por Reativação da programação energética da vida do ser
outros que proporcionem a expansão do fluxo energético. humano, realizada através do tratamento das subpersona-
lidades presentes, da redistribuição e regeneração neuro-
nal e do equilíbrio dos hemisférios cerebrais, culminando
na reorganização do DNA Espiritual da pessoa e o ajuste
de seus chakras à nova condição.

A TDR é composta por duas fases de aplicação:

FASE 1:

TSP
TRATAMENTO DE
SUBPERSONALIDADE

FASE 2:
É como se fosse uma imagem, como uma foto, que aciona
REPROGRAMAÇÃO
emoções de medo, angústia, pânico, tristeza em determinada ENERGÉTICA
circunstância – muitas vezes não consciente – e que impede o
fluxo natural das situações na vida.
129
MÓDULO 7

Subpersonalidade
Exemplo: o menino que perdeu o pai
Trata-se de uma experiência de muita
intensidade emocional, mental e física,
seja um trauma ou qualquer outra expe-
riência, onde o EGO não foi capaz de as-
similar e digerir a vivência, criando uma
dissociação a partir de certos mecanismos
de defesa. Pode ser um processo gerado na Vamos imaginar que um menino perdeu o pai, a reali-
vida, atual ou em uma vida passada, par- dade é de que ele faleceu, mas a sensação criada pelo me-
tindo do princípio que, a partir da existência do homem cen- nino é que o pai o abandonou e é essa imagem que ficou
tenário, o corpo búdico carrega consigo todos os registros de registrada dentro dele. Isso é a subpersonalidade, ou seja,
memória das experiências encarnadas e desencarnadas, mes- uma sensação criada e fixada, não real e não racional,
mo que de forma inconsciente . mas que gera uma emoção ruim.
Se os registros não foram satisfatórios, são criados bloqueios Jung interpretou a subpersonalidade dizendo que:
que serão acionados sempre que a pessoa estiver em situação “Todo conteúdo psíquico que tornado inconsciente, pode
parecida como se fosse criado um padrão para ação que acione adquirir certa autonomia e independência em relação à
o mecanismo de defesa. A técnica vai trabalhar na desconstru- totalidade do psiquismo, podendo influenciar de várias
ção do que causa a dor para que os mecanismos de defesa não formas as subpersonalidades.”
sejam acionados e, com isso, proporcionar a fluidez enérgica na Franz Hartmann dizia o seguinte: “Essa personalidade
vida do assistido. inferior é irreal, e compõe-se de muito “EUS” ilusórios,
cada qual com suas reivindicações particulares. Essas de-
mandas vão crescendo à medida que tentamos satisfazê-
-las. São as forças semi intelectualizadas da alma que a
fragmentariam em pedaços se as fossem permitidas cres-
cer ainda mais, e que precisam ser subjugadas pelo mestre
Real: o Eu Superior ou Deus.”

130
MÓDULO 7

Tratamento das subpersonalidades

Antes de falar da TDR é importante deixar claro a metodo-


logia Humoterapeuta:

Se as energias irreais, ou seja, as lembranças emocionais fo-


rem alimentadas energeticamente, elas ficarão cada vez mais
fortes e esse bloco energético tomará tal formato que “travará”
a vida da pessoa. • Consulta na Mesa Quantiônica
Para Eliezer C. Mendes (médico-cirurgião e ginecologista, es- • Humanometria – 3 sessões
tudioso de psicoterapia hipnótica e parapsicologia), as subper- • Taquions-Tock
sonalidades são representações de “faixas do inconsciente” da • TDR
pessoa, denominadas também como “demônios internos,” ou • Regressão com Reprogramação
seja, são características desenvolvidas pelo inconsciente base- • Baralho Terapêutico
adas em experiências de
vidas passadas ou da vida A TDR é composta por duas fases de aplicação e é utilizada
atual. São denominadas por junto com a Taquions- Tock:
ele como personalidades in-
trusas, que são diferencia-
das por ele das chamadas FASE 1:
FASE 2:
energias intrusas, também
reconhecidas e trabalhadas TSP
REPROGRAMAÇÃO
com um método denomi- TRATAMENTO DE
ENERGÉTICA
SUBPERSONALIDADE
nado transidentificação.

131
MÓDULO 7

Quando for aplicar somente a TDR, será necessário a aplica-


ção das duas fases. 3. Informar que vai retirá-lo daquela situação em 1, 2,
Quando for aplicar a TDR dentro da Táquions Tock, será 3 e com a mão realizar uma leve pressão no peito seguida
aplicado somente a primeira fase. de um movimento de retirada da energia.

FASE 1 4. Em seguida, confirmar se a subpersonalidade tem


Iniciamos o tratamento com o procedimento de captação das consciência do que aconteceu com ela. Caso sim, partir
emoções geradoras do incômodo no físico do paciente, deno- para o próximo item. Caso não, voltar ao momento do
minada de TSP - tratamento de subpersonalidade. fato ocorrido para que ela ganhe consciência.
Essa ação baseia-se na indução do assistido em informar a
sensação que mais o incomoda no momento do tratamento, 5. Trazer a subpersonalidade para o presente.
levando-o a sentir exatamente a emoção dessa situação.
Feito isso, faça a captação dessa emoção identificando em 6. Despolarizar todos os registros de memória ligados
qual momento aquele registro de memória emocional e mental ao fato inicial, impulsionando os dedos e cruzando os
foi gerado. braços, projetando, a seguir, o corpo mental superior do
O terapeuta que realizou a indução do assistido vai então assistido.
conversar com o sensitivo para retirá-lo da condição e local que
se identifica. 7. Conduzir o sensitivo a um momento feliz da vida
Esse procedimento será realizado de maneira rápida e cons- daquela subpersonalidade e congelar determinando que
ciente: é esse registro que ficará em suas memórias.

8. Tirar o sensitivo da faixa tocando sua testa.


1. Perguntar se é homem ou
mulher, se está claro ou escuro, se está frio ou quente, se 9. Pergunte ao sensitivo se tem mais alguma situação a
está vestido e se está calçado. ser tratada.

2. Colocar a subpersonalidade em contato com o seu Caso tenha, reiniciar o procedimento. Caso não, partir
sentimento e aflição por indução. para a reprogramação.

132
MÓDULO 7

REPROGRAMAÇÃO ENERGÉTICA PARTE 1


A segunda fase do tratamento consiste na realização da re- Os pseudo-neurônios são constituídos de diferentes tipos de
programação energética, ou seja, no equilíbrio dos hemisférios tecidos fibrosos de acordo com sua necessidade de atuação.
cerebrais (direito e esquerdo), de maneira a manter em harmo- Boa parte dos diferentes tipos de células do corpo humano
nia os estados de razão e emoção. morrem e são substituídas em semanas ou meses. Porém, a cé-
lula primária do sistema nervoso (neurônios) não se multiplica
em sua maioria após o nascimento.
Os neurônios possuem a idade da pessoa. As células são as
mesmas, as conexões é que mudam de acordo com as necessi-
dades e experiências que vivemos.

Córtex cerebral

A camada do cérebro que nos diferencia dos outros mamífe-


ros é o ondulado e convoluto CÓRTEX CEREBRAL.
O córtex humano tem o dobro de espessura e função do que
a dos outros mamíferos que o possuem.
Essa ação é realizada através de toques bioenergéticos no
corpo físico com foco na reconstrução neuronal e sináptica dos
registros de memória do indivíduo no campo astral.
Entende-se que, com o decorrer do tempo, as pessoas desgas-
tam suas conexões neuronais que vão se apagando, como que
se desligando com o passar dos anos.
O nosso trabalho irá atuar diretamente nesses pontos, acio-
nando uma nova conexão, com novas informações, construin-
do uma espécie de pseudo-neurônio para atuar na função des-
gastada.
133
MÓDULO 7

Ele é dividido em dois grandes hemisférios que se comple- O Cerebelo


mentam no funcionamento. Os dois se comunicam pela estra-
da de transferência de informação, denominada corpo caloso.
Córtex cerebral é a camada de substância cinzenta que re-
veste o centro branco modular do cérebro. Trata-se de uma das
partes mais importantes do sistema nervoso.
No córtex cerebral chegam impulsos provenientes de todas
as vias da sensibilidade que aí se tornam conscientes e são in-
terpretadas. Dele saem os impulsos nervosos que iniciam e co-
mandam os movimentos voluntários e com eles relacionados os
fenômenos psíquicos.

Fissura dos hemisférios


Córtex cerebral ou
Substância branca
substância cinzenta

Tálamo

Hipocampo, Pé
Ponte

Bulbo
Cerebelo O Cerebelo é a parte do encéfalo responsável por:

• Manutenção do equilíbrio e da postura


Esquema de um corte do cérebro, mostrando a substância cinzenta (córtex cerebral) • Controle do tônus muscular
e a substância branca.
• Controle dos movimentos voluntários
A camada externa do cérebro, formada por esta substância cinzenta, denomina-se
córtex cerebral. • Aprendizagem motora
A parte interna é formada pela substância branca (excessão bulbo e medula).
134
MÓDULO 7

ESQUERDO DIREITO
• escrita,
• lógica, • intuição
• raciocínio • emoção
• música • imaginação
rítmica • criatividade
artística
Dependemos do cerebelo para andar, correr, nadar entre ou- • música
tras atividades. É formado por 2 hemisférios cerebelares e por melódica
uma parte central chamada de vermis.
Do ponto de vista fisiológico, o cerebelo difere do cérebro
porque funciona sempre em nível involuntário e inconsciente,
sendo sua função exclusivamente motora. Apesar de a estrutura anatômica dos 2 hemisférios serem re-
É no cerebelo que fazemos a reprogramação energética, lativamente simétricas, eles são totalmente distintos, não só em
devido a ele ser involuntário e inconsciente, pois não é neces- como processam a informação, mas também no tocante aos
sário explicar nada ao assistido. tipos de informação que processam.
Os 2 hemisférios têm desempenho diferente quando estão co-
nectados um ao outro e quando são cirurgicamente separados.
Sistema Nervoso Quando conectados, complementam e aprimoram as habili-
dades um do outro.
Os 2 hemisférios são integrados no nível neuronal pelo cor-
Central Periférico po caloso, por isso, todo o comportamento cognitivo envolve
atividade nos 2 hemisférios, que as executam de maneiras dife-
Espinal-Medula rentes.
Condução dos
impulsos nervosos
Somático
Regula as funções
Autônomo A dominância cerebral é determinada por qual hemisfério
Controla os
Cérebro de e para o cérebro. motoras, os
processos vitais do abriga a capacidade de criar e entender a linguagem verbal.
Coordenação das movimentos do
organismo
atividades reflexivas. corpo Logo, aproximadamente 70% dos indivíduos possuem domi-
nância do hemisfério esquerdo.
135
MÓDULO 7

O Corpo Caloso A membrana celular separa 2 ambientes que apresentam


composições iônicas próprias: o meio intracelular (citoplas-
O corpo caloso é a maior das comissuras / fendas inter-he- ma) onde predominam iôns orgânicos com cargas negativas e
misféricas que cruzam o plano sagital mediano e penetram de potássio (K+); e o meio extracelular, onde predominam sódio
cada lado do centro branco medular do cérebro, unindo áreas (Na+) e cloro (Cl-). As cargas elétricas dentro e fora da célula
simétricas do córtex cerebral de cada hemisfério. são responsáveis pelo estabelecimento de um potencial elétrico
da membrana.

Dentritos (terminal de recepção)


Terminal do Axônio
(terminal de transmissão)

Sentido de
propagação

Corpo
Axônio Nodo de Ranvier

Bainha de Mielina

Os neurônios Corpo Celular

Os neurônios são células alta- Contém núcleo e citoplasma com as organelas citoplasmáti-
mente excitáveis que se comuni- cas usualmente encontradas em outras células. O núcleo é nor-
cam entre si ou com células efetu- malmente vesiculoso com um ou mais nucléolos evidentes.
adoras (musculares e secretoras), O corpo celular é o centro metabólico do neurônio, respon-
usando, basicamente, uma lingua- sável pela síntese de todas as proteínas neuronais.
gem elétrica para a modificação Assim como os dendritos, o corpo celular é um local de re-
do potencial da membrana. cepção de estímulos através de contatos sinápticos.
136
MÓDULO 7

Dendritos Axônio

A maioria dos neurônios possuem um axônio - prolongamen-


to longo e fino que se origina do corpo ou de um dendrito prin-
cipal, em região denominada cone de implantação.
Seu comprimento varia de acordo com o tipo de neurônio.
Estruturalmente apresenta, além
da membrana plasmática, o cito-
plasma contendo microtúbulos,
Geralmente são curtos e ramificam-se profusamente, como neurofilamentos, microfilamentos,
galhos de uma árvore, em ângulo agudo, originando dendritos retículo endoplasmático agranular,
de menor diâmetro. mitocôndrias e vesículas.
Os dendritos são especializados em receber estímulos, tradu- O axônio é capaz de gerar, em
zindo-os em alterações do potencial de repouso da membrana. seus segmento inicial, alteração do
Tais alterações envolvem entrada e saída de determinados ions potencial da membrana, denomi-
e podem expressar-se por pequena despolarização ou hiperpo- nado potencial de ação ou impulso
larização. nervoso.
Através da excitação das células
nervosas, por estímulos que atin-
A Despolarização
jam o limiar de excitabilidade da
É excitatória e significa redução da carga negativa do lado célula (-65mV), um potencial de
citoplasmático da membrana. ação será disparado, dentro de um
princípio denominado de “tudo ou
nada”.
A Hiperpolarização Esse potencial de ação se carac-
teriza por 3 etapas distintas: despo-
É inibitória e significa aumento da carga negativa do lado larização, repolarização e hiperpo-
de dentro da célula ou aumento da positiva do lado de fora da larização.
mesma.
137
MÓDULO 7

Potencial de Ação Impulso nervoso:

Neurônio em repouso Exterior do neurônio

Membrana celular

Etapa de Despolarização:

É a etapa em que a membrana torna-se extremamente per-


meável aos íons Na+(sódio positivo) e ocorre, portanto, influxo Potencial Citoplasma
mV -70 NEURÔNIO
Na+ e, consequentemente, aumento de carga positiva no in-
terior da célula. Nessa fase, a célula parte de -75mVe e atinge Potencial de ação ao longo do neurônio é denominado de impulso nervoso
+35mV.
Condução do impulso nervoso:
Etapa de Repolarização:

É a etapa em que ocorre fechamento dos canais de Na+ e


abertura dos canais de K+(potássio). Nessa fase, a célula parte
de +35mV e atinge -75mV.

Etapa de Hiperpolarização:

É um período de alguns milissegundos em que a célula não


reage aos neurotransmissores, pois estão em excesso de negati-
vidade em seu interior, o que impede a ocorrência de um novo
potencial de ação. Nessa fase, a célula parte de -75mV e chega
até -90 mV.
138
MÓDULO 7

Sinapses Sinapses Elétricas

Os neurônios entram em contato com outros neurônios atra- São raras em vertebrados e exclusiva-
vés de suas terminações axônicas, passando-lhes informações. mente interneurais. Nessas sinapses, as
Os locais desses contatos são denominados de SINAPSES. membranas plasmáticas dos neurônios
Quanto à morfologia e ao modo de funcionamento, reconhe- envolvidos entram em contato, conser-
cem-se dois tipos de sinapses: vando o espaço entre elas de 2 a 3 nm.
No entanto, há o acoplamento iônico,
• Elétricas isto é, ocorre comunicação entre os dois
• Químicas neurônios através de canais iônicos con-
centrados em cada uma das membranas.
As sinapses elétricas não são polarizadas,
ou seja, a comunicação entre os neurô-
nios envolvidos se faz nos 2 sentidos.

Sinapses Químicas

A grande maioria das sinapses inter-


neurais e neuro efetuadoras são sinapses
químicas, ou seja, a comunicação entre
os elementos em contato dependem da
liberação de substâncias químicas, de-
nominada neurotransmissores.
As sinapses químicas são polarizadas,
ou seja, apenas um dos dois elementos
de contato, o chamado elemento pré-si-
náptico, possui o neurotransmissor.
139
MÓDULO 7

REPROGRAMAÇÃO ENERGÉTICA
Procedimento Procedimento

Apesar de o corpo caloso ser a parte do cérebro que realiza a Realiza-se o processo tocando por intuição os pontos neces-
ligação entre os hemisférios cerebrais, neste trabalho o elo de li- sários na região da cabeça do assistido de maneira bilateral, ati-
gação para a troca de informações é o CEREBELO que será, a vando os 2 hemisférios. Outros pontos do corpo também pode-
partir de agora, denominado “Centro de Troca”. rão ser ativados de acordo com a necessidade de cada assistido,
respeitando sempre a bilateralidade.
As glândulas Pineal e Hipófise (pituitária) serão trabalhadas
e ativadas.

A convenção para a reconstrução das sinapses quí-


micas na Reprogramação Energética é:

• Alterar o potencial da membrana plasmática;


• Abrir os canais de CA+;
• Programar as zonas de gatilho para a voltagem de
21mV.

A convenção para a reconstrução das sinapses


elétricas: Sinapse

• Ativar a Luz oferecendo-a ao mental superior de cada A sinapse é o chip do sistema nervoso; é capaz não só de
assistido para que seja utilizada de maneira a realizar o transmitir mensagens entre duas células, mas também de blo-
seu plano divino neste mundo. queá-las ou modificá-las inteiramente, ou seja, realiza um ver-
dadeiro processamento de transmissão e codificação da infor-
mação.
140
MÓDULO 8
TÁQUIONS TOCK

141
MÓDULO 8

INTRODUÇÃO A ENERGIA DE 5ª DIMENSÃO


Vamos relembrar um pouco sobre as dimensões com os Assistindo ao vídeo, é possível entender o que significa a “des-
exemplos: construção”. A realidade externa é apenas um reflexo do que
nosso cérebro construiu. Todos os contatos externos que temos
Quando vemos um ponto, estamos entram em nosso Universo por sinais elétricos e tornam-se rea-
falando em 1ª Dimensão. lidade que serão mostradas por nosso corpo físico.

Um quadrado desenhado, falamos


em 2ª Dimensão.

Quando o quadrado vira um


CUBO, falamos em 3ª Dimensão.

Não apresentando TEMPO esta-


mos, falamos em 4ª Dimensão.

Muitas vezes, o que temos não é a realidade e sim a percep-


ção da realidade, pois criamos, imaginamos e concebemos o
mundo de acordo com as experiências que temos dentro de nós.
E na ausência de TEMPO E ESPAÇO,
Às vezes, geramos criaturas que ficam orbitando o nosso
estamos nos referindo à 5ª Dimensão.
campo na 4ª dimensão a partir de um acontecimento muito
marcante.
142
MÓDULO 8

As dimensões

Tudo que vem do centro da Terra, o magma, é energia de


1ª Dimensão. O que se encontra do centro até a face da Terra,
consideramos energia de 2ª Dimensão.
Onde está o corpo físico, ou melhor, a nossa realidade material,
é a 3ª Dimensão, pois temos altura, largura e profundidade.
O que está em volta da 3ª Dimensão é a energia de 4ª
Dimensão, onde ficam os hospitais astrais, as colônias espirituais
e o Umbral. Diferentemente do que se imagina, a energia de 5ª
Dimensão é escalonada e pode ser acessada com a energia do
pensamento superior. Quanto maior for a sutileza do mental,
maior será a possibilidade de acesso a outras dimensões. Essa
é a essência da técnica de Táquions Tock, é a vibração, a
Um exemplo: frequência que irá acessar o estímulo elétrico de cada pessoa e
Uma pessoa ficou muito assustada ao ver a cena de um grupo tratar o desequilíbrio.
de meninos de rua assaltando o carro da frente, à mão arma-
da, em um viaduto que estava embaixo de outro viaduto. Essa
experiência a deixou tão desesperada que ela descarregou emo-
ção, energia e muita potência, formando uma massa e criando,
assim, essa criatura viva para si. Então, toda vez que essa pessoa
passar por um viaduto parecido, a criatura vai pular, pois vai
tentar protegê-la, sinalizando o perigo, afinal, a criatura ama o
seu criador. Para lidar com essa criatura de forma consciente,
é preciso estar em equilíbrio, ter conhecimento da criatura, da
desconstrução da terceira e quarta dimensão, do que precisa ser
limpo e de tudo aquilo que não é real e que possui a mesma fre-
quência. Dessa forma, não irá potencializar essa criatura, que é
real, e saberá como controlá-la para não sucumbir a um surto.
143
MÓDULO 8

A CRIAÇÃO DO PLANETA
Frequência Inicial (frequência x palavra)

Palavra= Frequência Específica.

Comprimento Comprimento
de ondas longas de ondas curtas

Tudo o que está em 3ª Dimensão precisa ter altura, largura


e profundidade. Então, tudo o que está em dimensões, além
desta, precisa adaptar-se ou, pelo menos, menos, apresentar
uma forma de acesso. Para que a matéria exista, necessita de
elementos primordiais: Som, Luz e Forma. Cada um desses ele-
mentos apresenta diferentes frequências vibracionais e, a partir
daí, damos início ao entendimento das materializações.
Baixa frequência Alta frequência
Som Baixa energia Alta energia

Tudo o que existe no planeta Terra é criado a partir das sete Espectro sonoro
notas musicais. Pode até existir outras, mas o nosso aparelho 20 20.000 Frequência (Hz)
auditivo não tem como codificar outras notas além das que co-
Infra-sons Sons audíveis Ultra-sons
nhecemos. Isso já está no plano físico. Na 3ª Dimensão, quan-
do verbalizamos um pensamento, nós damos vida a ele. Assim,
através da frequência das palavras, estamos oferecendo parte
de acesso para o que estava em outra dimensão chegar até a
3ª Dimensão ou a se materializar. E aqui cabe dizer que até Sons audíveis pelo
as palavras ou as conversas que acontecem internamente, são ouvido humano

suficientes para gerar uma frequência vibracional.


144
MÓDULO 8

Luz Comprimento de onda Baixa frequência

Comprimento de onda Alta frequência

Comprimento
Cor Frequência
de onda
Também são sete as cores que variam, elas representam as
ondas eletromagnéticas do Universo que são perceptíveis. Essas Vermelho ~625 - 740 nm ~480 - 405 Hz
ondas diminuem seu padrão de frequência e geram a GEO- Laranja ~590 - 625 nm ~510 - 480 Hz
METRIA. Tudo se materializa a partir das sete cores. Se to- Amarelo ~565 - 590 nm ~530 - 510 Hz
marmos como exemplo a cor rosa, podemos notar que ela é
Verde ~500 - 565 nm ~600 - 530 Hz
uma variação frequencial da cor vermelha em menor potência.
As sete cores são aquelas que são captadas pelo nosso cérebro. Ciano ~485 - 500 nm ~620 - 600 Hz

Azul ~440 - 485 nm ~680 - 620 Hz

Todas Ondas Eletromagnéticas do Universo. Violeta ~380 - 440 nm ~790 - 680 Hz

Espectro contínuo
7 cores perceptíveis:

Irradia, colapsa um padrão a 1ª vez = geometria.

145
MÓDULO 8

Cada Ser Humano é regido por uma cor diferente.


Verdade =
Sombra da realidade do que somos.
Códigos e números.

Forma

Tendo o som e a luz, chegamos à forma, a GEOMETRIA,


ou seja, a construção do físico. A Geometria pode ser definida
como a verdade, a sombra da realidade do que somos, consti-
tuída de códigos e números, onde cada número conduz a uma
realidade.
A partir de um ponto, o triângulo é a primeira forma que
temos, pois é essa forma que se desenha na união de um ponto
inicial. Quando damos largura, altu-
ra e profundidade ao triângulo, cria-
mos a PIRÂMIDE, um dos símbolos
da GEOMETRIA SAGRADA.
A pirâmide é a forma inicial de
tudo o que há no Universo.

146
MÓDULO 8

Densidade Temporal (tempo): permitido no Universo


pela Geometria.

147
MÓDULO 8

EXPERIMENTAÇÃO DA REALIDADE “TUDO VIBRA”


Linguagem sagrada das vibrações: 3 escalas de vibrações Mudança real e repetição de resultados
possíveis:

AMOR sentir R
(1º) Mudar a frequência
E
(2º) Consciência
A
(3º) Matéria (forma)
pensar fazer L

Mudar a A frequência
forma apenas não muda

SABEDORIA VONTADE
O sistema ou
situação se repete sempre,
mesmos resultados

Somos gerados
por frequência.
Democracia e anarquia são as mesmas coisas (reino escondi-
do por trás de uma frequência).

“O som é o ativador da estrutura


Mudar a Mudança real
que contém a informação luz e estrutura
frequência transforma de uma sociedade,
é a embalagem (forma).
a consciência pessoa, situação...

148
MÓDULO 8

PARADIGMA QUÂNTICO COMO SE MULTIPLICAM AS CÉLULAS DO


CORPO HUMANO
O Universo
Células Amorfas

• Precisam transformar-se de alguma maneira em células do


tecido nervoso, muscular, ósseo e conjuntivo.

• Precisam migrar para as posições que lhe cabem.


Há uma inteligência que ordena os processos de cura chama-
da INFORMAÇÃO. • Afim de trabalhar juntas como um organismo humano in-
O Universo foi criado e é mantido por um poder inteligente, tegral.
muito diferente da consciência racional por nós conhecida, é
uma inteligência muito mais evoluída. • Cada célula é dotada de uma “biblioteca” ou memória (ins-
Dentro de cada célula do corpo existe toda a informação para trução):
a formação de nosso corpo físico. Assim cada célula do corpo
armazena em si todas as informações necessárias para se repa- • A respeito de como construir e manter um ser humano.
rar, pois dentro dela existem todas as informações do Univer-
so de maneira holográfica, isso quer dizer que a célula de um • Essa “memória” está
órgão contém a informação do corpo todo. Cada parte desses contida no DNA existente
hologramas possui a informação do todo. Portanto, as doenças no núcleo da célula.
não estão instaladas dentro das células, salvo os processos cár-
micos que representam a minoria dos processos de doenças. • Cada célula lê as ins-
A inteligência que contém a INFORMAÇÃO UNIVERSAL truções contidas no ma-
chamamos de MATRIZ VIVA, que nada mais é que a ENERGIA terial genético através de
DE 5ª DIMENSÃO que, conforme já dissemos, não está fora de um processo conhecido
nós conforme se imaginava, ela está dentro de cada um de nós, em como transcrição.
nossas células que contêm a INFORMAÇÃO do todo.
149
MÓDULO 8

COMO CONSTRUIR E MANTER O SER HUMANO?


• O DNA é revestido de proteí-
nas (histonas): elas desempenham
uma função de bloquear seleti-
vamente a transcrição daqueles
trechos do DNA que não dizem
respeito ao funcionamento da cé-
lula específica à qual esse DNA
pertence.
• Diferenciação celular: é quan-
do essa célula passa a ter funções
muito específicas.
• “O DNA contém toda a in-
formação necessária para ensi-
nar cada célula a desempenhar
sua função específica e a produ-
zir suas proteínas”.

O que o DNA não explica?

• O corpo, mapa ou molde: é o resultado de um campo bioe-


nergético que acompanha o corpo físico (o corpo etérico).

O nosso corpo físico


Se tirarmos o núcleo da célula, ela NÃO morrerá,
A célula é formada por membrana, citoplasma e núcleo, certo? somente deixará de se reproduzir.
Em nosso DNA está o nosso destino, certo ou errado ?
150
MÓDULO 8

Um microchip é um semicondutor com entradas e canais.


Citoplasma
Membrana Podemos comparar as funções da célula com um computador.
celular

Organulos

Núcleo

A membrana celular é basicamente um cristal líquido com


moléculas perfeitamente ordenadas.
Tem a mesma definição técnica de um microchip.

Célula
Glicoproteínas
Carboidratos
Proteínas 1ª Premissa Básica e Fundamental

• Os computadores e as células (membranas) são programáveis;

Glicolipídios
• Os chips se programam através de informações de forma ele-
trostática;
Lipídios • As células se programam através de informações eletromag-
néticas (pensamentos).
151
MÓDULO 8

2ª Premissa Básica e Fundamental A ENERGIA DAS PIRÂMIDES


Energia taquiônica é a energia de maior frequência em vibra-
ção no Universo.
Essa energia neutra se compõe de dois pares de partículas que,
por terem carga elétrica contrária, se anulam e se equilibram.
Para os mundos da terceira dimensão, como a Terra, a difi-
culdade de se alcançar esse grau elevado de vibração está muito
aquém da compreensão atual, devido aos bloqueios psicológicos,
traumas, complexos e questões financeiras e emocionais, dificul-
tando a entrada em tais sintonias. Por isso, é preciso recorrer à
tecnologia de nossos ancestrais em vários pontos do Universo.
Essa tecnologia pode ser encontrada nas formas simétricas das
pirâmides.

O programador está fora do computador e da célula. Por-


tanto...

Precisamos limpar todo o lixo que criamos e


reconectarmos à fonte, para co-criarmos.

Com o tratamento de Táquions-Tock, iremos desconstruir a Os egípcios, ajudados por seres multidimensionais, fizeram
criação mental/emocional que está em 4ª dimensão e reconec- uma avaliação de todos os pontos de energia do planeta e con-
tar com a sua programação original. Com orientação de qua- cluíram que, para maior captação de energia, as pirâmides de-
lidade, partimos da premissa de que é possível criar uma nova veriam seguir um posicionamento ideal para sua construção: 30º
realidade para o corpo por meio de uma nova maneira de ver e leste e 19º latitude sul, pois essas coordenadas geram um campo
pensar a vida e o mundo. vibratório gigantesco, sendo a maior hiperatividade do planeta.
152
MÓDULO 8

O QUE É A ENERGIA TAQUIÔNICA


A energia taquiônica não acaba nunca e fazemos uso dela Todas as coisas e seres do Universo vibram em diferentes
através do pensamento, porém, a frequência do nosso pensa- frequências, dependendo do seu nível de evolução.
mento está muito aquém da frequência de Schumann - energia Cristo demonstrou para todos que, vibrando na elevada
de maior frequência conhecida do Universo.Usamos essa ener- frequência do amor, a mente pode dirigir energia taquiônica
gia de maneira inconsciente, mas iniciamos aqui um processo para elevar a energia vital das pessoas doentes, realizando a
de aprendizado para utilizá-la de maneira consciente e atuante, autocura.
como faziam os egípcios. A manipulação da energia taquiônica permite a elevação da
Por ser neutra, não oferece resistência (a energia se equilibra) consciência às dimensões superiores da realidade, facilitando,
e se move 27 vezes mais rápido que a luz. Por não ter polari- assim, o contato com seres siderais e outras dimensões, poten-
dade, pode ser utilizada para o positivo ou negativo, por esse cializando a energia vital, a aura e o campo eletromagnético
motivo não pode ser visualizada (não tem cor), é a vibração da pessoal e desatrofiando a glândula pineal.
harmonia cósmica. Para a Terra, que está em 3ª dimensão, a dificuldade de se
É a energia do pensamento, que vibra na alta frequência do alcançar esse grau elevado de vibração acontece devido aos
amor. Essa energia está uma oitava acima da nossa consciência bloqueios emocionais, mentais e energéticos que nos dificul-
individualizada. tam a entrada em sintonia.

153
MÓDULO 8

Utilização da Energia Taquiônica Como falamos anteriormente, a energia taquiônica é ligada


ao pensamento potencializado em 27 vezes, onde vibra o nos-
so mental superior e onde só temos acesso quando estamos na
vibração do amor, pois o mental superior está conectado com
o todo.

A energia taquiônica é eterna e fazemos uso por meio do


nosso pensamento.
Usamos essa energia de maneira inconsciente, mas aqui ini-
ciamos um processo de aprendizado para utilizá-la de maneira
consciente e atuante, assim como faziam os iniciados na época
do antigo Egito.
Entrando em profundo relaxamento, estando em estado
de total equilibrio emocional e amor incondicional - o amor
da kundalini no qual sentimos o prazer pelo cardíaco - con-
seguimos elevar a luz para o frontal, interagindo com o cam- As premissas básicas para realização da técnica TÁ-
po eletromagnético da Terra (viramos a própria Terra), que é QUIONS TOCK são relaxamento profundo, equilíbrio
sincronizado periodicamente com a vibração cósmica, se trans- emocional e mental e profundo respeito pelo assistido.
formando em energia TAQUIÔNICA.
154
MÓDULO 8

A TÉCNICA DE TÁQUIONS TOCK


Abertura do trabalho A partir desse momento, poderá ser captado:

• Colocar o assistido na maca e pedir para ele dizer seu nome • Subpersonalidade – tratar com técnica de TDR
completo e data de nascimento • Bloqueios energéticos - desconstruir com inversão de spin
• Relaxamento • Forma Pensamento – desconstruir com inversão de spin ou
• Plasmar a Pirâmide dar consciência para que ele passe a pensar de outra forma,
• Ajustar a 30º leste e 19º latitude sul resignificando sua maneira de ser
• Conectar com as pirâmides de Saqqara e Queóps
• Ajustar a sintonia com o Hospital Amor e Caridade
• Se conectar com a câmara de cura
• Ir até o assistido e começar a aplicar o toque magnético, se
conectando com o assistido e passando a senti-lo
A partir daí, o terapeuta precisa entender o que está sentindo.

Exemplo de atendimento:

O assistido é diagnosticado com um Observação:


nódulo ou tumor na tireóide.
Essa energia captada pode também estar ligada a um
• Capta-se a glândula tireóide chakra, ao corpo emocional ou ao corpo mental. Nes-
• Encaminha a glândula para a câ- se caso, encaminhe o corpo específico para a câmara de
mara de cura cura e continue tratando todos os bloqueios.
• Conduz o captador para encontrar Capte todas as sensações ligadas à tireóide e, quando
a 1ª célula que atingiu a glândula não sentir mais nada, comece a reacoplar tudo o que esti-
• Conduzir o captador para trazer a ver na câmara de cura.
emoção contida na célula
155
MÓDULO 8

Procedimento para reacoplamento: Mudança de padrão vibratório

• Sintonizar com a glândula


• Levá-la ao momento em que foi criada para trabalhar no
corpo do assistido nesta encarnação para cumprir seu projeto
de vida
• Baixar todas as informações, fazendo o download
• Congelar as informações
• Reacoplar a glândula a tireóide no assistido
Repita esse procedimento quantas vezes for necessário cap- Obs.: a metafísica da saúde nos diz que o tumor na tireóide é
tando, órgãos, sistemas, corpos, glândulas, chakras e o que mais causado por dificuldade da pessoa em concretizar seus objetivos,
possa se apresentar. causando bloqueios energéticos que somatizam no físico, dando
início à doença.
Transferência de energia Podem acontecer situações em que a energia captada tenha medo
de enfrentar os desafios. Nesse momento, poderemos colocar todos
os trabalhadores para entrar em contato com um momento parti-
cular em que eles foram muito corajosos e, quando todos estiverem
nesta vibração, transferimos a frequência para a pessoa.

Encerrando o Trabalho

• Proceda com a limpeza do local


• Recolha qualquer energia que possa ter ficado no
ambiente
Quando mais nenhuma energia for captada, os trabalha- • Reacople os corpos
dores vão até o assistido, que continuará deitado na maca, e • Entregue as informações do assistido à sua biblioteca
conectados com a energia taquiônica, irão reequilibrar tudo e central e devolva tudo aos seus registros akáshicos
reconectar o assistido à sua essência.
156
MÓDULO 9
REGRESSÃO COM REPROGRAMAÇÃO CELULAR

157
MÓDULO 9

Essa técnica consiste em rastrear os registros de memória outros que tragam entendimento através de ganho de cons-
que ficam no inconsciente, de um fato que ocorreu na vida do ciência.
assistido e que estão gerando dor, bloqueios e impedimentos, Na reprogramação com informação celular, o que será re-
sendo eles gerados nesta ou em outra vida. programado é a informação original da célula, que seguirá o
O que se espera é que ao identificar o fato por meio da re- critério de paz e amor a partir do mental superior do assistido.
gressão, a pessoa possa ser tratada de modo que tenha enten- A reprogramação com informação celular atua no DNA de
dimento, ganhe consciência, solucione o sentimento e não o cada indivíduo, desbloqueando processos emocionais que o
potencialize. Para a eficiência do tratamento, é importante colocam distante de sua programação original e restabelecen-
que na regressão seja identificado o que causa o bloqueio do a pessoa com seu projeto de vida, ou seja, fazer a limpeza
e na reprogramação seja oferecido um novo significado do de todos os blocos energéticos que causam interferências na
fato, substituindo os sentimentos que causam bloqueios por atual encarnação do indivíduo.
158
MÓDULO 9

A Regressão com Reprogramação da Informação Celular bus- Processo de cura inteligente


ca no assistido situações tão marcantes que apenas ele poderá
acessar para que elabore o ganho de consciência, por isso as novas O Universo foi criado e é mantido por um poder inteligente.
significações só acontecem com os sentimentos e sensações indivi- Há uma inteligência que ordena os processos de cura e ela se
duais, pois, como já dissemos, o mesmo sentimento de felicidade chama informação.
pode ter um significado para um que é diferente para outro. Cada célula do corpo contém tudo o que precisa para se re-
parar, porque contém toda a informação do Universo em si, de
maneira holográfica.

Inteligência ou Consciência = Informação = Energia

Os hologramas possuem uma característica única: cada parte


deles possui a informação do todo.
Cada pedaço contém o todo e isso pode ser visto na estrutura
celular de todos os corpos vivos.

Antes de encarnar, todos temos uma programação feita por


nosso mental superior para cumprirmos nosso projeto de vida.
Com essa programação estabelecida, são criados os corpos que
irão executar este programa.
Na regressão é realizado um processo de esgotamento da
energia que está causando a dor por meio de leves batidas em
pontos específicos de acupuntura, os meridianos, repetindo o
caminho até que todo o bloqueio seja liberado.
Após essa limpeza, é reprogramado o DNA das células com
uma energia de felicidade, alívio e paz. Com a renovação e re-
programação celular, a reprodução das células será saudável e
perfeita, resultando na cura.
159
MÓDULO 9

Princípio Holográfico Atuante

Cada célula é dotada de uma “biblioteca” ou memória (ins-


trução) a respeito de como construir e manter um ser humano.
Essa “memória” está contida no DNA existente no núcleo da
célula.
Partindo desses princípios, concluímos que:
A informação contida no DNA é o resultado da soma equili-
brada de todos os nossos corpos sutis.
Biologia celular: Cada célula contém uma cópia do DNA do
indivíduo.
DNA: possui informações suficientes para se construir todo
um corpo humano a partir do zero (base para a clonagem de
células vivas).
As instruções existentes no interior de cada célula do corpo
contêm o mesmo conjunto de informações presentes em cada
uma das outras células:

Pode-se reproduzir uma rã completamente idêntica sem o


concurso de reprodução sexual.
Cada Célula do corpo humano contém informações ne-
cessárias para a criação de uma duplicata do corpo todo.

O Princípio Holografico.

Cada pedaço contém as informações relativas a todos ou


ao todo.
É exatamente onde está o nosso projeto de vida.
160
MÓDULO 9

Corpo Físico

No corpo físico, cada célula lê as instruções contidas no ma-


terial genético por meio de um processo conhecido como trans-
crição.
Cada célula se comunica entre si por um sistema de dutos
sutis (CANAIS DE ENERGIA) que atravessam todos os tecidos
do corpo, chamados meridianos.
As energias percorrem os meridianos por uma ordem especí-
fica, como pulmão, intestino grosso, estômago...

Portanto, todo e qualquer desajuste nesse caminho causará os


desequilíbrios, pois acumula energia que fica parada em deter-
minado ponto, impedindo o fluxo e sobrecarregando o ponto
onde esse bloco de energia está estagnado.
Todas as emoções negativas são causadas por um rompimen-
to no sistema de energia corpo/mente. Todo rompimento do
fluxo causa um um bloco de energia estagnada que foi causado
pela emoção negativa não elaborada.
Na Acupuntura, o fluxo da energia segue esses caminhos: A Regressão com Reprogramação da Informação Celular
tem a função de ir até o momento onde ocorreu o bloqueio,
1) do tronco para as mãos; externalizar todo o bloco energético e, após a exteriorização,
2) das mãos para cabeça; reprogramar a energia de liberação fornecida pelo próprio as-
3) da cabeça para os pés; sistido, pois essa energia de liberação é a única que o colocará
4) dos pés para o tronco (e novamente para as mãos). novamente em contato com sua essência.
161
MÓDULO 9

A evolução da técnica Essa técnica pode ser aplicada pela própria pessoa, bastando
que ela saiba os pontos específicos, pois fica restrito somente às
História emoções atuais, ou seja, da vida presente.
Com todo o estudo já disponível sobre as células, DNA, ho-
A Técnica da Regressão com Reprogramação da Informa- lografia, corpos sutis e com o entendimento da reencarnação e
ção Celular surgiu a partir de uma outra técnica chamada multidimencionalidade, surgiu a possibilidade de aprofundar-
EFT - Emotional Freedom Techniques Técnica de Liberação mos mais nas emoções, seguindo seu rastro, que nos levará até a
Emocional. situação/emoção exata onde tudo começou e ficou registrado.

No que consiste a EFT

A técnica EFT se utiliza de pequenas batidas com as pontas


dos dedos em alguns pontos meridianos específicos, sendo esses
pontos os terminais (pontos de Acupuntura), em conjunto com
o direcionamento dado pelo pensamento e frase de efeito, per-
mitindo que os bloqueios energéticos no corpo, onde estavam Encontrando esse registro, podemos limpá-lo com certa fa-
registradas essas emoções, sejam integrados e liberados, permi- cilidade, pois ele não faz parte do projeto de vida da pessoa
tindo que a pessoa supere rapidamente os problemas gerados e, com este campo limpo, conseguimos religar a pessoa à sua
por esses bloqueios. informação celular primordial.
162
MÓDULO 9

Os pontos da Regressão com a Reprogramação Pontos: Karatê

Indicação da técnica

Auto-estima Pânico Medos


Depressão Traumas Fobias
Estress Dores físicas Angústia
Raiva Frustração Agonia
Ira Ansiedade Compulsão
Preocupação Tristeza Falar em público

Técnica

A técnica consiste em dar


leves batidas com a ponta dos
dedos nos pontos específicos
de Acupuntura indicados a
seguir, repetindo um circuito
até que sinta que todo o blo-
queio já foi liberado.
Ao final, iniciaremos o processo de reprogramação, preen-
chendo o ser com a energia que se apresentar, pois essa será a
necessidade do assistido.
No ponto inicial e final, temos frases de efeito. Terminando o
processo, damos o comando de reprogramação.
163
MÓDULO 9

Ponto: topo cabeça Ponto: têmporas

Ponto: sobrancelhas

Ponto: embaixo dos olhos

164
MÓDULO 9

Ponto: embaixo do nariz Ponto: clavículas

Ponto: queixo Ponto: embaixo dos braços Ponto: timo

165
MÓDULO 9

Sentimento Sentimento Sentimento Sentimento


Ponto Meridiano Ponto Meridiano
negativo positivo negativo positivo
Reversão psicológica Alegria Sistema nervoso
Autoestima
Intestino Tristeza Felicidade Vago governador Constrangimento
Embaixo
(aceitação do
Karatê Preocupação/críticas Abrir caminho do nariz Vergonha
Delgado (libertação cotidiano)
Compaixão
do passado/absorção) Resistência Conexão com o presente Culpa

Compulsão Renúncia do passado Vergonha Autoestima


Queixo Meridiano central
Conexão espiritual (audácia) Confusão Confiança
Crítico interior
Ponto de encontro de Discernimento Medo Paz interna
Topo da
vários meridianos. Rim
Cabeça Clareza Clavícula Insegurança sexual Firmeza sexual
Sétimo chakra. (relação afetiva)
Falta de foco
Sabedoria Inecisão Confiança

Irritação Medo do futuro


Harmonia Confiança
Inquietude Obcecado pelas coisas
Vesícula biliar
Sobrancelha (predisposição Frustação
para agir)
Intolerância Paz

Rigidez
PONTO TIMO:
Ressentimento expansão, coragem, ação,
Vesícula biliar Clareza
amor, bem-estar, confiança.
Lado do olho (predisposição Medo de mudança
para agir) Compaixão
Ira

Medo Satisfação
Embaixo Estômago
do olho (elaboração dos Amargura Quietude
acontecimentos) Obs: passo a passo da técnica baixar na plataforma.
Aversão Segurança

166
MÓDULO 1O
BARALHO CIGANO

167
MÓDULO 10

BARALHO CIGANO
O baralho cigano é composto de 36 cartas e suas figuras têm
significados psicológicos e cósmicos. Suas lâminas representam
as forças vivas da natureza e ilustram as situações do cotidiano.
É um oráculo que ajuda a desenvolver a percepção e sua inter-
pretação é feita através da intuição e da observação.
Suas figuras são simples e objetivas com significados claros e
precisos, não deixando dúvidas sobre as questões levantadas.
Não é um oráculo para ser estudado ou decorado, ao contrário,
usa-se a associação intuitiva e a percepção do terapeuta para
responder às questões apresentadas.
Suas imagens despertam lembranças que permitem que as
combinações sejam feitas facilmente, representando situações
do dia a dia do consulente.
O baralho cigano tem uma história cercada de mistérios.
Segundo a lenda, foi criado pela francesa Anne Marie Ade-
laide Lenormand e difundido por um povo nômade, tão fasci-
nante quanto às cartas, chama-
do de CIGANOS.
Madame Lenormand, como
ficou conhecida, nasceu em
1772 e ficou famosa por suas
previsões. Ela leu o destino de
grandes figuras da realeza e da
alta sociedade francesa, além de
políticos e líderes como Napo-
leão Bonaparte, o qual ela pro-
fetizou a ascensão e a queda.
168
MÓDULO 10

Além de cartomante, Ma-


dame Lenormand era tam-
bém astróloga, numeróloga
e quiromante. Possuía, ain-
da, conhecimentos sobre
cristais, plantas, geomancia,
dominomancia e cafeoman-
cia. Todos esses elementos
foram recursos para que ela
criasse o baralho cigano.
Após sua morte em 1843,
os segredos do baralho ciga-
no desapareceram e só de-
pois de 50 anos foram recu-
perados com a descoberta de
alguns manuscritos deixados
por ela.
A partir desses documen-
tos, foram criados dois bara-
lhos:
Grand Jeu de Mile Lenor-
mand: o Lenormand com fi-
guras da época e ainda hoje
fabricado na França, com- a versão utilizada pelos ciganos – povo que propagou esse ins-
posto por 54 cartas de simbolismo complexo, os quais são utili- trumento e, justamente por isso, deu o nome ao baralho cigano.
zados princípios astrológicos, mitológicos, herméticos, alquími- Por ser um baralho de fácil interpretação, ficou popularizado
cos e florais. entre os ciganos e as cartomantes em geral, pois as mensagens
O segundo baralho possui figuras mais simples e atuais, sendo contidas em suas cartas são bem claras.

169
MÓDULO 10

O que é um Oráculo? O que é Terapia Holística?

Palavra derivada do latim “oraculum”, que significa a resposta A palavra terapia tem origem grega (therapeía) e significa
dada pela divindade, ou ainda, local que ganhava reputação método de tratar doenças e distúrbios da saúde.
por distribuir a sabedoria oracular, onde era notada a presença Há diversos tipos de terapias que utilizam variados procedi-
divina sempre que chamada, que passava a ser considerado o mentos, substâncias e ambientes.
solo preparado previamente para tal prática. A maior parte de seus nomes são oriundos do grego e perten-
cem à área médica, mas mas muitos são popularizados através
dos meios de comunicação, como jornais, revistas, etc.
A palavra holística também possui origem grega (holos) e sig-
nifica totalidade. Portanto, Terapia Holística significa equilíbrio
do todo, harmonização do todo.
A Terapia Holística é um tratamento de distúrbios energéti-
cos que não se encontram somente no corpo físico, podem se
encontrar também a nível emocional, mental e espiritual.

A prática do oráculo é milenar e fazia parte de muitas civili-


zações antigas, mas ficou muito conhecido por construir um as-
pecto fundamental da religião e da cultura grega – é o oráculo
de Delfos que se localiza no templo de Apolo.
170
MÓDULO 10

Arquétipo Imagens Primordiais

Para Jung, arquétipo é uma espécie de imagem apriorística


incrustada profundamente no inconsciente coletivo da huma-
nidade, refletindo-se (projetando-se) em diversos aspectos da
vida humana, como sonhos e até mesmo narrativas. Ele ex-
plicou que: “No concernente aos conteúdos do inconsciente
coletivo, estamos tratando de tipos arcaicos - ou melhor - pri-
mordiais, isto é, de imagens universais que existiram desde os
tempos mais remotos”.

Arquétipo (grego “arché”: principal ou princípio e “tipós”: im-


pressão, marca) é o primeiro modelo ou imagem de alguma coi-
sa, são antigas impressões sobre algo. É um conceito explorado
em diversos campos de estudo, como a Filosofia e Psicologia.

Arquétipo na Psicologia
Analítica
Psicologia Analítica significa a
forma imaterial à qual os fenômenos
psíquicos tendem a se moldar. C.G.
Jung usou o termo para se referir a
estruturas inatas que servem de ma-
triz para a expressão e desenvolvi-
mento da psiquê.
171
MÓDULO 10

Arquétipo na Filosofia e na visão holística O arquétipo e o projeto de vida

Esse termo é usado por filósofos neoplatônicos, como plotino, O arquétipo, como vimos, é uma imagem construída coleti-
para designar as ideias como modelos de todas as coisas exis- vamente, impregnada de significado e energia.
tentes, segundo a concepção de Platão. O projeto de vida é aquele que viemos manifestar e que está
Na Filosofia Teísta, em suas várias vertentes, o termo indica ligado ao nosso mental superior. É a nossa missão e o que vie-
ideias presentes na mente de Deus. mos equalizar para contribuir com o mundo, com o outro e
Na área holística, olhamos os arquétipos da mesma maneira com a própria evolução.
que são vistos pela Filosofia Teísta – ideias presentes na mente
de Deus.

Conceito Aprofundado Arquétipo

As figuras são formas de pensamentos carregadas de ener-


gia que, ao entrar em contato conosco, despertam sentimen-
tos devido à carga emocional que está impregnada no incons-
ciente coletivo.

O que precisa ser evitado com consciência e presença é quan-


A caveira, por exemplo, tem
do o arquétipo, por alguma razão social, familiar ou religiosa,
a informação de morte que ali-
se sobrepõe ao projeto de vida da pessoa, ou seja, a pessoa aca-
menta essa forma pensamento
ba vivendo uma vida baseada no que o externo construiu e não
do inconsciente coletivo e nos
no que é a sua missão e verdade.
dá uma sensação a partir dessa
E essa resposta só será encontrada dentro de cada um, e é
informação.
esse senso responsabilidade pela própria encarnação que preci-
sa ser despertado em cada assistido.
Consciência da própria vida e consciência, sempre!
172
MÓDULO 10

O uso dos Arquétipos Vamos analisar o arquétipo do Espaço Humanidade:

Não existe arquétipo bom ou ruim, existe o significado, a fre- É a representação dos 7 corpos até
quência e a sensação que eles imprimem. chegar no homem, com a Luz Azul que
Todos acreditam que o arquétipo é uma força que correspon- nos acompanha em todos os tons. Tem
de com a mensagem a ser passada. Um elefante, por exemplo, também, de maneira arquetípica, a lua
não é uma ícone que ficaria bem em uma academia. Isso quer crescente que nos traz a informação es-
dizer que o arquétipo do elefante é ruim? Não, ele só não co- piritual, inconsciente e mais profunda.
munica o espírito da academia que necessita de um arquétipo Isso é o significado, o arquétipo do Es-
de força e motivação. paço Humanidade. Você vendo ou não esses elementos, é o que
está impresso, é a identidade e energia que ele prega.
Cada um é responsável por ter consciência do arquétipo de
precisa, de acordo com o mental superior, e de imprimir na sua
vida para não ficar vulnerável ao externo ou ao arquétipo alheio.

Se você quiser, por exemplo, de liderança e agilidade, pensa-


rá em cavalo que traz essa energia.
Assim, entramos no entendimento de utilizar os arquétipos
a nosso favor e também para se ter consciência e identificar os
arquétipos que, possivelmente, podemos absorver dos lugares,
pessoas ou de ideias.
173
MÓDULO 10

AS CARTAS DO BARALHO TERAPÊUTICO


1. Mensageiro 3. Navio

Mudança, movimento em médio prazo,


Ação rápida, movimento, chegada de oportunidades se aproximando, abrindo
notícias, situação que precisa de movimento largos caminhos para a boa sorte e sucesso.
rápido. O desejo do consulente pode ser Negativo: observar as emoções
realizado, desde que estabeleça metas. turbulentas e os sentimentos.
Negativo: ansiedade Orixá Iemanjá: representa a
Espiritual: amigo espiritual acompanha ou maternidade em um sentido familiar e
a caminho educacional.
Orixá Exu: lei da causa e efeito. Palavra chave: movimentos médios,
Palavra chave: ação rápida, notícia. pequenos obstáculos, teste de fé.
NAVIO + PÁSSARO = VIAGEM

2. Trevo 4. Casa
Sorte boa ou má, pequenos obstáculos,
também pode significar a fé. As tristezas e
aborrecimentos desaparecerão.
Negativo: os eventos temidos realmente
ocorrerão e trarão tristezas e mágoas, Segurança, estabilidade, família,
que podem ser benéficas, pois é a ocasião lar, empreendimento bem-sucedido,
para repensar a situação. Pausa para equilíbrio.
evolução, mas pode trazer desânimo, medo, Negativo: fofoca de pessoas da família,
insegurança, tendência a protelar decisões. vizinhos, desequilíbrios.
Recuar diante dos obstáculos para não correr Palavra Chave: equilíbrio.
riscos.
Palavra chave: boa sorte, pequenos
obstáculos, teste de fé.
174
MÓDULO 10

5. Árvore 7. Serpente Negativo: sinal de perigo, traição,


decepção, sensualidade calculada (sedução)
de quem controla ativamente a situação.
Crescimento, expansão, saúde, fixar Caso você seja a serpente, avalie seu
raízes (ter os pés no chão), compartilhar sem comportamento e atitudes. Trata-se da
pedir nada em troca, ser mais humilde. Seja exploração do próprio ego em busca da
paciente. De um modo geral, indica que os independência. Auto traição.
desejos serão atingidos. Solidez. Positivo: indica tanto a sensualidade
Negativo: estagnação, inflexibilidade. vibrante como também a ciência dos
Orixá Oxossi: necessidade de desenvolver mistérios que ocultamente seguem pela
a individualidade, o trabalho, a provisão dos mesma via. Sabedoria e flexibilidade.
meios materiais para o sustento do lar. Orixá Oxumaré: arcano da ciclicidade
Palavra chave: progresso, crescimento, e do ordenamento segundo os ciclos aos
expansão. quais pertence.
ÁRVORE + SERPENTE= DOENÇAS Palavra chave: traição, sensualidade e
sabedoria.

6. Nuvem 8. Caixão
Emoções turbulentas, novos horizontes.
Equilíbrio emocional. Algo desconhecido, Perdas. Perda de confiança para superar
capacidade de abstração e lidar com tudo que é problemas, grandes mudanças, transições
mutável e imprevisível, ou seja, não ter medo, o radicais. Traz fortes transformações ligadas
que parecia nebuloso revela-se luminoso. a perdas e separações. Transição negativa,
Negativo: emoções turbulentas necessitando perdas.
equilíbrio e paciência. Falsos amigos Positivo: conquistas de sonhos
Orixá Iansã: chuva, poder de modificar a CAIXÃO + FOICE = MORTE FÍSICA
realidade, transformar o que toca. OU DE UMA SITUAÇÃO
Palavra chave: novos horizontes, emoções CAIXÃO + FOICE + TORRE =
turbulentas. SITUAÇÃO QUE NÃO DEVE SER
NUVEM + MONTANHA = INIMIGOS MUDADA
OCULTOS Palavra chave: transformações profundas.
175
MÓDULO 10

9. Flores 11. Chicote/Açoite


Dor, sofrimento, cautela, brigas e
discussões familiares, discórdias, excesso de
Alegria, autoafirmação. Conquista, autoridade, alerta com pessoas que estão
autoconfiança, ver o lado bom das coisas. rodeando, injustiça sendo cometida, amizade
Negativo: falta de autoafirmação, tempestuosa, romances infelizes, casamentos
autoconfiança (dependência do externo). desfeitos. Manipulação, magia, ter os inimigos
Orixá Nanã: representando a sob controle. Ação pela raiva, hostilidade,
reencarnação, a vida e a morte como pontos quem apanha espera o momento certo para
complementares da existência humana. Esta revidar. O principal movimento desta carta é
carta também é conhecida como a chuva, poder que humilha, manipulação pelo medo.
pedindo que as emoções sejam expressas. POSITIVO: flexibilidade, senso de justiça
Palavra chave: alegrias, conquistas, sem rigidez. Retomar poder pessoal.
felicidade. Palavra chave: dor, sofrimento, poder,
CAIXÃO + CRUZ + FLORES = cobrança.
MORTE FÍSICA AÇOITE + TORRE = MAGIA NEGRA

10. Foice 12. Pássaros / Coruja


Cortes e mudanças necessárias. Deve abrir
espaço para o novo, desapegar-se. Pequenas situações do dia-a-dia,
Esta carta corta o que estiver POSTERIOR alegrias ou pequenas tristezas, algo que
a ela. É a única carta que pode cortar a carta do não deve ser dado maior importância.
coração, quando ela aparecer posterior à foice. Comunicação, palavra.
Carta da cirurgia. Transformações boas ou Necessidade de pensar grande ou de
ruins, dependendo da forma como é encarado. sentir-se livre. Indica romances, namoros,
Orixá Obaluaiê: poder da vida ou da morte, encontro de almas, relacionamentos
da criação, da doença ou da cura. Também harmoniosos.
rege a solidão na qual pode se recuperar a Negativos: falta de comunicação,
dignidade através da humildade. pequenos bloqueios de curta duração.
Palavra chave: cortes, mudanças necessárias, Palavra chave: situações de curta
abrir espaço para o novo, desapego. duração, comunicação, romance.
176
MÓDULO 10

13. Criança 15. Urso


Inveja, olho gordo, falsidade proveniente
do que se conquistou. Não falar sobre
Alegria, ingenuidade, birra, teimosia, alta as próprias conquistas, amor, dinheiro,
estima, e considerações por amigos e pares. empreendimentos que chegam ao fim
Abrir o coração para a criança interior. Na favoravelmente.
jogada “mesa real” representa a base da Positivo: alcançar metas, força, garra,
infância. determinação.
Negativo: ingenuidade, birra, atitudes Na saúde indica força.
impensadas. URSO + CÃO = Amigo urso,
Orixás Eres: entidades infantis associadas FALSIDADE.
a outros Orixás. Representa o nascimento de URSO + SOL = Inveja, olho gordo
tudo o que existe. diante de situações conquistadas.
Palavra chave: valorizar a criança interior. Palavra Chave: inveja, falsidade, força,
garra.

Astúcia, cautela, armadilha, prestar


14. Raposa 16. Estrelas
atenção nas palavras, não comentar projetos
e desejos, é melhor retroceder antes de agir,
fraudes quando se fala de trabalhos. Proteção do anjo da guarda velando pela
Recuar nem sempre é sinal de fraqueza, boa sorte, confie na intuição. Conquista do
mas sim de inteligência, jogo de cintura. que foi planejado, ter confiança no futuro.
RAPOSA + LIRIOS = Já tem conquistado o que se planejou,
RESSENTIMENTO momento de pedir auxilio espiritual,
RAPOSA + LIRIOS + ÁRVORES intuição.
= MOMENTO DE FRAGILIDADE Negativo: pede cuidado com a própria
EMOCIONAL imagem e alerta para que se conserve o
RAPOSA + MONTANHA = FRAUDE, brilho pessoal.
DESONESTIDADE. Palavra chave: êxito, proteção da
Palavra chave: cautela jogo de cintura, espiritualidade, cuidado com a própria
estratégia. imagem.
177
MÓDULO 10

17. Cegonha 19. Torre Segurança, firmeza, solidez, base sólida,


espiritualidade, acontecimentos demorados,
fala muito sobre a alma do consulente.
Novidades significativas, chances de Faz lembrar que não se deve perder tanto
mudanças, novos caminhos, situações novas. tempo com interesses materiais. Por mais
Sempre é possível sair da monotonia, mas que as questões pareçam insolúveis, tratam-
nem sempre da maneira que é esperada. se apenas de crises passageiras, resgate
Novo ciclo. Na espiritualidade significa novas de valores e situações pessoais que estão
crenças. distantes.
Negativo: oportunidades serão adiadas Negativo: inflexibilidade, aprisionamento
indefinidamente. interior, falta de comunicação com
CEGONHA + CRIANÇA + LÍRIO = o mundo exterior, fuga da realidade,
GRAVIDEZ. sensação de deslocamento entre as pessoas.
Palavra Chave: novidades, mudanças. Pode representar estados depressivos e
melancólicos.
MONTANHA + TORRE = MUITA
RESISTÊNCIA, INFLEXIBILIDADE.
AÇOITE + TORRE = MAGIA,
FEITIÇO.
18. Cão 20. Jardim
Amizade, lealdade, fidelidade,
reconhecimento de pessoas próximas. Pode
Carta dos amigos, do convívio social.
demonstrar que há um mal-entendido ou uma
Positivo: festas, reuniões, colegas, social.
interpretação equivocada por parte de um
Também fala da cura e do alimento
amigo que é preciso resolver para a harmonia
energético para o seu corpo astral.
retornar ao relacionamento.
Negativo: cuidado com o meio social,
Negativo: falsos amigos ou inverdades.
pessoas que são colegas e não amigas. Auto
SERPRENTE + CÃO = PESSOA
sabotagem.
TRAIÇOEIRA
ORIXÁ OSSÃE: divindade das plantas
RAPOSA + CÃO = PESSOA ASTUTA,
medicinais, por isso, ligada essencialmente
NÃO CONFIE TANTO
à cura.
URSO + CÃO = AMIGO URSO
Palavra chave: vida social, cura,
(FALSIDADE)
alimento energético.
Palavra chave: verdade, amizade, confiança.
178
MÓDULO 10

21. Montanha Grandes obstáculos, dificuldade para transpor 23. Rato


desafios. Amigos ou inimigos poderosos. Situações
jurídicas. Assuntos judiciais, rigidez, força de Desgastes, roubo, alguém rondando
autoridade ou justiça, empenho em prol de um para tirar o que foi conquistado. Poupar,
objetivo, fase difícil com assuntos significativos, pode guardar, estocar. Pede sigilo sobre o
se sentir inferior, a queda também pode ocorrer por trabalho do consulente, pois pode estar
teimosia ou vaidade. Falta de movimento. sendo observado por alguém com intenção
Positivo: tudo o que for seu por merecimento virá
de prejudicar. Aborrecimentos passageiros.
até você. Seja flexível.
Positivo: poupar, guardar, estocar.
ORIXÁ XANGÔ: senhor do trovão, da justiça,
ligado à política e ao patriarcado. Indica que a justiça RATO + CASA = FAMÍLIA OU
de Deus acabará prevalecendo. PESSOAS PRÓXIMAS TE SUGANDO
Na jogada “mesa real” indica a parte social com RATO + ESTRELA = PERDA DE
amigos antigos. ENERGIA
MONTANHA + TORRE = MUITA Palavra Chave: desgaste, roubo,
RESISTÊNCIA, INFLEXIBILIDADE. aborrecimentos passageiros.
MONTANHA + NUVEM = AMIGOS
OCULTOS
Palavra chave: grandes obstáculos, justiça.

24. Coração
22. Caminhos São os próprios caminhos e o que neles existem.
Escolha necessária, buscar o conhecimento que Amor, felicidade, alegria em todos
falta para alcançar os objetivos. Carta da ambição. os sentidos. A carta mais poderosa do
Reveja escolhas ou faça escolhas. É a carta do livre baralho. Tem o poder de neutralizar as
arbítrio, mostra que há uma saída para tudo na vida, coisas negativas. Representa tudo que for
mas as escolhas são sempre individuais. verdadeiro, alegrias em todos os sentidos.
É um alerta para sempre seguir o caminho reto, Um romance irá florescer. Deve se dedicar
com força de vontade e persistência. de coração a uma pessoa ou a seus
Negativo: perigo de separação, caminhos duplos objetivos. Refletir sobre os sentimentos. É
que geram duvidas. também a carta do amor próprio.
ORIXÁ OGUM: senhor da guerra e do ferro, Negativo: carência, insegurança, falta de
impulso de lutar e conquistar seu próprio espaço. autoestima.
Palavra Chave: livre arbítrio, escolha necessária, Palavra chave: sentimentos verdadeiros.
persistência.
179
MÓDULO 10

25. Aliança 27. Carta

É uma referência ao pacto realizado


entre Deus e os homens, indicando que
Assuntos sobre papéis, documentos,
independentemente do sacrifício, haverá a
herança e exames médicos.
recompensa no final.
Pode também estar associada a trabalho.
Indica todo tipo de uniões ou sociedades,
CARTA + JARDIM = CONVITE
reconhecimento.
ANCORA + CARTA + JARDIM =
Negativo: uniões desgastadas, sofrimento.
TRABALHO
CORAÇÃO + ALIANÇA =
Palavra Chave: mensagem, aviso,
CASAMENTO
diplomacia.
Palavra chave: uniões, relacionamentos
profissional ou afetivo.

26. Livro 28. Cavalheiro/Homem

É a representação do homem, caso


Relacionada ao conhecimento em geral, ele seja o consulente, ou o homem mais
ao oculto, aos mistérios e aos segredos a importante do consulente. Necessidade
serem guardados ou descobertos. de maturidade emocional e espiritual.
Um livro fechado pode manter segredos Disposição de alcançar o sucesso na
profundos que podem proporcionar caminhada para a vitória pessoal.
preocupações ou decepções. Segredos, Negativo: necessidade de maturidade
mistérios, ciências ocultas. emocional e espiritual.
Palavra chave: segredos, estudos e Palavra Chave: representa o próprio
revelações. consulente ou o homem mais importante
relacionado.

180
MÓDULO 10

29. Dama/Mulher 31. Sol

Indica realizações no externo,


É a representação da consulente, caso ela recompensas. Vitalidade, virtudes e
seja do sexo feminino, ou então a mulher energias boas.
mais importante da vida do consulente. É necessário autoconhecimento para que
Indica determinação, autoridade. isso seja projetado para fora.
Negativo: indica fofoca, malícias, intrigas. Negativo: ofuscamento, não vê a situação
Palavra Chave: a própria consulente ou o como ela se apresenta decepções.
que está ligado diretamente a ela. SOL + PEIXES = DINHEIRO
Palavra Chave: realização externa.

Representa a alegria, virtuosidade,


30. Lírios 32. Lua
harmonia e paz. Pode indicar dádiva
material como resultado de uma dádiva
divina. É uma carta ligada à família.
Negativo: fragilidade, lágrimas, choro, Reconhecimento do que foi projetado.
grande probabilidade de problemas Honrarias, merecimento. Confiar na
domésticos. intuição. Amigos ocultos. Fala muito sobre
ORIXÁ OXUM: senhora das águas a espiritualidade do consulente.
doces, representando a riqueza, a beleza, a Negativo: alguém pode estar tramando
fertilidade e a maternidade. contra a sua moral, desequilíbrio
Tem especial representação de rio, belo emocional, inconstância, dúvidas, perigos
na superfície, mas com muitos mistérios ocultos, falsas seguranças.
profundos. Palavra chave: confiar na intuição.
Palavra Chave: alegrias, virtudes, Reconhecimento. Perigo oculto.
fragilidades.
181
MÓDULO 10

33. Chave 35. Âncora

Representa estabilidade segurança, o


trabalho, o profissional.
Abre ou fecha. Empenho para realizar,
Instabilidade, empreendimentos de
possibilidades. Novas formas de compreender
grande porte que se estabilizam ou
os problemas podem levar ao sucesso tão
quem está se lançando em um grande
esperado. Solução breve de questões e/ou
empreendimento que possibilite a
problemas antigos.
condição social incontestável.
Negativo: não investe por medo do não
Negativo: instabilidade.
Palavra Chave: empenho, sucesso, solução.
Palavra Chave: segurança, profissional,
estabilidade.

34. Peixe 36. Cruz

Fortuna substancial se agarrar com força as


oportunidades que se apresentam diante de si.
Satisfação material, prosperidade, trabalho Carta que fala das provas que sofremos,
honesto que traz recompensas. O dinheiro é mas que testam nossas forças. A vitória é
o resultado do empenho. O maior ou o real certa e o crescimento espiritual também.
valor para o consulente. Ter confiança. Vitória sobre sofrimentos
Negativo: sucesso aparente. Novos passados.
empreendimentos serão mais difíceis de Negativo: falta de confiança. Não crer
desenvolver. Não se valorizar. na vitória.
Na saúde, pode representar o corpo físico. Palavra Chave: vitória sobre o
Palavra Chave: prosperidade, dinheiro, bens sofrimento passado.
materiais, valor.

182
MÓDULO 10

A CONSULTA
É importante que você saiba, antes de aprender algumas
técnicas, da responsabilidade do terapeuta com tudo o que for
dito. A egrégora do baralho é muito forte, não só por ser uma
técnica muito antiga, mas também por toda a representação
energética de seus arquétipos.

Procedimentos para a realização da consulta com o baralho


cigano:

• Deixar de lado todos os problemas e estar aberto para a ins-


piração que possa ocorrer durante tiragem (indicamos realizar
o relaxamento alpha profundo);

• Aproveite o momento de embaralhar as cartas para se con-


centrar. Faça lentamente;

• Peça ao consulente para cortar em 2 ou 3 o baralho (depen-


derá da jogada, entretanto, respeite a energia); O terapeuta deve ser consciente que ele tem, no momento
da leitura, uma grande oportunidade de mudar a vida de uma
• Mantenha-se atento à atitude do consulente; pessoa, pois dependendo do que se diz, o terapeuta provoca o
consulente a fazer mudanças de atitudes. Assim, a busca deve
• Peça ao consulente para concentrar-se profundamente na ser sempre em oferecer ao consulente alertas sem “alardes”, ou
questão e escolha as cartas que serão tiradas; seja, interpretar as cartas deixando claro que as cartas mostram
as energias que estão em destaque e a mudança de frequência
• Interprete. depende sempre de ganho de consciência.
183
MÓDULO 10

MESA REAL
Essa jogada vai dar o olhar terapêutico às questões do assis- pal. Essa jogada utiliza as 36 cartas.
tido, pois ela mostra todos os aspectos que o envolve energeti- • Depois de realizar todo o processo básico de consulta, soli-
camente e tem uma duração de aproximadamente 6 meses. A citar ao consulente que corte o baralho em 3 montes;
jogada possibilita um panorama amplo sobre as questões do • Dispor as cartas em 4 linhas com 9 cartas em cada uma. A
consulente, porque ela possibilita a leitura sobre família, saúde, tiragem das cartas para esta distribuição deve ser perguntada
profissional, afetivo, dinheiro e relacionamentos, independen- ao consulente (da primeira carta do monte para a última ou
temente da questão considerada pelo consulente como princi- vice-versa);

As cartas que se unirem a ela (carta 5) indicam a questão principal.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16 17 18 10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27 19 20 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 32 33 34 35 36 28 29 30 31 32 33 34 35 36

A carta 5, posicionada no centro da 1ª fileira, indica a questão principal. A carta 32, posicionada no centro da 4ª fileira, indica o conselho.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 1 2 3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16 17 18 10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27 19 20 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 32 33 34 35 36 28 29 30 31 32 33 34 35 36
184
MÓDULO 10

Nesta jogada, é importante


identificar as cartas “curin-
ga” que podem indicar onde
há maior incidência de dese-
quilíbrio energético, são elas: Lembramos que aqui falamos sobre uma técnica de tiragem
rato, urso, raposa, âncora, de cartas, mas o terapeuta tem que trabalhar considerando o
casa, aliança, árvore, dama, “SENTIR”, pois todo trabalho é conduzindo por energia. A
cavalheiro e coração. Essas melhor maneira para ter confiança nesta técnica é treinar.
cartas serão analisadas consi-
derando todas as que estão à
sua volta.

A tiragem das cartas representa o tempo presente no qual


se identificou a questão a ser resolvida e todo o processo que
levou ao desequilíbrio. Representa também o conselho para a
mudança e todo processo para que ela aconteça.
Para isso, o terapeuta olha as cartas fazendo um cruzamento
entre elas para ações rápidas de mudança. Na figura abaixo, as
cores iguais indicam a parceira para leitura das cartas.

1 2 3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 32 33 34 35 36
185
MÓDULO 10

JOGADA PIRÂMIDE

CARTA

01

CARTA CARTA

02 03

CARTA CARTA CARTA


• Embaralhe bem as cartas e peça ao consulente para 04 05 06
cortar o baralho 3 vezes mentalizando a pergunta. Em se- CARTA CARTA CARTA CARTA
guida, una os montes;
07 08 09 10

• Abra as cartas como um leque e peça ao consulente CARTA

para escolher 11 cartas que serão oferecidas uma a uma 11


ao terapeuta que precisa estar atento na ordem de entrega;
Pode seguir as orientações anteriores, escolher e posicionar
• Ir posicionando as cartas em formato de pirâmide;
da seguinte forma:
• As cartas do lado esquerdo (7, 4 e 2) representam o
• A primeira carta deve ser posicionada no meio, representa a
passado e serão interpretadas de baixo para cima;
energia do presente momento da situação ou da pessoa;
• A segunda carta deve ser posicionada do lado esquerdo,
• As cartas centrais representam o presente e serão in-
representa o lado positivo da situação;
terpretadas de cima para baixo. A carta 01 representa o
• A terceira carta deve ser posicionada do lado direito, repre-
problema, a carta 05 o desafio e a carta 11 o conselho;
senta o lado negativo da situação;
• A quarta carta deve ser posicionada acima da carta do meio,
As cartas do lado direito (1, 3 ,6 e 10) representam o
representa o conselho;
futuro e também serão interpretadas de cima para baixo.
• A quinta carta deve ser posicionada abaixo da carta do
meio, representa o desfecho.
186
MÓDULO 11
A CONSULTA

187
MÓDULO 11

Introdução Mesa Quantiônica

Depois que foram passados todos os processos, técnicas e tra-


tamentos, vamos falar da consulta em si para diagnosticar os
processos e definir o tratamento do assistido a partir da me-
todologia Humanoterapeuta com o ancoramento da egrégora
espiritual do Espaço Humanidade.
É importante que a visão agora seja ampliada para a identi-
ficação dos, padrões num âmbito mais elevado, além do eletro-
magnético, para o campo astral de multidimensionalidades, ou
seja, desta e de outras vidas.

É um aparelho desenvolvido especialmente para diagnos-


ticar, quantificar e tratar distúrbios do campo espiritual de
pessoas e lugares.
Seu design, aliado à conceituação mental, facilita a sintonia
do operador mundo astral e com a equipe espiritual do assis-
tido para a realização dos procedimentos necessários a cada
tratamento.
188
MÓDULO 11

Conceitos e Definições O restante é a concentração de gráficos radiônicos, como for-


mas e medidas sagradas.
O OLHO DE HÓRUS é a representação da glândula pineal,
podendo também simbolizar o olho que tudo vê, o olho do criador.
Corpo caloso

Mesencéfalo

Tálamo

Hipotálamo

Glândula pituitária
(pineal ou hipófise)
Cerebelo Corpo
mamilar
Medula A linha das cores corresponde aos 7 chakras e suas res-
espinhal Bulbo Ponte
pectivas cores.
A linha logo abaixo numerada de ZERO a SESSENTA,
Em torno do Olho de Hórus, vemos as cores correspondentes pode representar minutos ou segundos.
à CHAMA TRINA. A linha abaixo numerada de ZERO a VINTE E QUA-
TRO, representa as horas de um dia.
Azul - PODER/VONTADE A linha rosa nos traz as respostas a níveis percentuais.
Amarelo - SABEDORIA UNIVERSAL A linha verde clara nos responde numericamente, inclu-
Rosa - AMOR UNIVERSAL sive em números negativos.

189
MÓDULO 11

O centro do scargot polariza em norte e sul como os círculos


preto e branco e liga ao decágono pela linha quântica de tempo.

O Decágono é o espaço destinado


para colocar o testemunho da pessoa
que estará sendo atendida. Lembran-
do que o testemunho deve ser, foto,
unha, cabelo ou até mesmo o nome
completo e data de nascimento em
um papel.
A função do testemunho nesse pro-
cesso é fazer a ligação energética da pessoa com a leitura que
será efetuada.
A rosa dos raios é representada pelas CHAMAS CRÍSTICAS

O Labirinto de Damiens
Azul cristal – poder vontade e fé
equilibra o ambiente
Dourada – sabedoria
para o atendimento ou tra-
Branca cristalina – criatividade
tamento.
Verde – cura e justiça
No trabalho realizado na
Rubi dourado – paz
mesa quantiônica, utilizamos
Violeta– transmutação e libertação
algumas expressões únicas
Turqueza – clareza e discernimento
que foram desenvolvidas
Magenta – harmonia
justamente para não rece-
Dourada solar– financeiro
ber nenhuma carga energética
Pêssego– meta
daquilo que já conhecemos e
Opalina – rejuvenescimento, saúde e vida
nomeamos individualmente.
190
MÓDULO 11

Neusmagnânimo LEITURA
O Campo de atuação Divino. 1 º Passo: harmonizar

• Perguntar como está o ambiente;


Deussificar • Ajustar o labirinto de acordo com a direção indicada pelo
Quando queremos equilibrar, arrumar ou consertar algo, uti- pêndulo;
lizamos essa expressão. • Confirmar se o ambiente está harmonizado.

2 º Passo: reconhecer o testemunho a ser avaliado

• Colocar o testemunho no Decágono;


• Colocar o dedo e falar em voz alta o nome completo e data
de nascimento (no caso de pessoa presente);
• Confirmar se o testemunho está reconhecido.
Vúltera Neusmagnânima

Quando vamos entregar a energia após “Deusificar”, esta- OBS: quando for
mos fazendo uma entrega Vúltera Neusmagnánima. Entre mulher, utilizar
o dedo direito
outras palavras, significa que estamos identificando a energia,
e, quando for
quantificando, potencializando, comandando com a mente, homem, o dedo
ajustando os padrões energéticos e entregando todo o processo esquerdo.
e as energias transmutadas.
191
MÓDULO 11

3 º Passo: identificar o grau evolutivo 4 º Passo: em que tempo está a pessoa

Identificar o estágio evolutivo daquele ser, ou seja, o quanto O tempo em que a pessoa se encontra é exatamente em qual-
ele compreende as leis universais. padrão vibratório ela está. São 4 tempos vibratórios possíveis,
discriminados a seguir:
São 6 os graus possíveis, discriminados a seguir:
TEMPO 1
Com Problemas de Ordem Espiritual

TEMPO 3
Com Problemas de Ordem Mental

TEMPO 5
Com Problemas de Ordem Emocional
GRAU 1 - Personalidade perversa, mata sem escrúpulos;
GRAU 2 - O ser não mata, mas contrata. É um caçador; TEMPO 7
GRAU 3 - Ainda está ligado às paixões, precisa se dar bem; Equilibrado
GRAU 4 - Tem total compreensão das leis universais;
GRAU 5 - Identificação de “ Índigo”;
5 º Passo
GRAU 6 - Identificação de “ Cristalino”.
Na avaliação do corpo espiritual, fazemos a pergunta:
INDIGO - Pessoas com sintonia Tem Trabalho de Magia Negra?
na dimensão 7;
CRISTALINO - Pessoas com Em geral, encontramos duas respostas:
sintonia nas dimensões de 7 a 11.
NÃO SIM
trata-se de um Consciente ou
Os cristalinos ainda podem ser identificados quanto à cor processo autogerado Inconsciente?
(grau de compromisso) correspondente aos 12 raios.
192
MÓDULO 11

6º Passo: qual origem? 9º Passo: identificar qual o percentual de indicação de que o


corpo físico está sendo prejudicado pelo corpo espiritual.

PERGUNTA RESPOSTA

Quantos % do corpo espi- Indicado na


ritual da pessoa está influen- linha rosa
Família Profissional Afetivo Íntimo Saúde ciando o corpo físico ?

7º Passo: com quantos anos? Após todas essas perguntas da mesa, não podemos esquecer
de que no módulo 4 tem disponível aquela tabela que é um ma-
8º Passo: há quantas encarnações? terial de apoio que te ajudará na pesquisa durante a consulta e
a entender o que está no campo emocional e físico do assistido,
auxiliando, assim, na sua condução e terapêutica.

Análise do processo da pessoa. Se for identificado em TMN,


questionar: Voltando para o
processo de atendimento
da Mesa Quantiônica,
• É desta encarnação?
Sempre que houver iden-
• É da pessoa ou do companheiro (a) tificação de processo no
• Há quanto tempo aconteceu TEMPO 1, esta tabela
• Em que área? deve ser utilizada.
193
MÓDULO 11

CAMPO ESPIRITUAL
Questões de Energia Intrusa:

• Carga energética: formas pensamento, blocos de energia.

• Consciência Encarnada: pro-


cesso de apego, ciúmes.

• Consciência Desencarnada:
pessoas que desencarnam, não se des-
ligam e roubam energia magnética do
encarnado.

Questões de Solução rápida:


Vamos falar sobre cada um dos itens que ela apresenta e pe-
dimos que você acompanhe com o material de apoio que está • Trabalho Assistência de Energia: manutenção da
disponível neste módulo. energia, pode ser boa ou ruim.

Questões de solução demorada: • TMN - Trabalho de Magia Negra: na Apometria é fá-


cil o tratamento, pois a partir do momento em que se desfaz o
• Karma: a pessoa veio com esta questão e precisa elaborar; trabalho, a energia se desfaz, não existe vínculo nenhum.

• Dharma: processo conjunto, por exemplo, o encontro de • Por último: não existe nenhum processo espiritual em de-
duas pessoas dentro do mesmo projeto de vida; sequilíbrio.

• Baixa Evolução: grau evolutivo inferior, a pessoa precisa


mudar o processo vibratório, ou seja, transformação da mesma
pessoa.
194
MÓDULO 11

CAMPO MENTAL
Caso, houver desequilíbrio no campo mental, a sugestão é
utilizar esta tabela:

• Crenças: a mais difícil de ser trabalhada, pois a pessoa


acredita no que imaginou ou na maneira que as coisas devam
acontecer.

Processos no TEMPO 3 - Quando existe um processo auto-


gerado, é preciso saber se iniciou no mental e a identificação
segue as questões abaixo:
• Lógica: envolve a razão do cliente.
• Influência ambiental: se o ambiente onde a pessoa vive • Razão: pessoas que se colocam como razão de tudo.
está em harmonia com ela. • Herança: o que vem de herança tanto em coisas físicas
• Influência de Pessoas: pessoas que não possam estar como genéticas. Convicções familiares.
oferecendo boa energia. • Estudo: mudança de padrões, estudar algo novo.
• Influência Espiritual: não há intruso, mas algo que ten- • Aperfeiçoamento: ampliar os estudos.
ta baixar o padrão da pessoa. • Nenhum: não existe desequilíbrio.
195
MÓDULO 11

CORPO EMOCIONAL

• Traumas Kármicos: a pessoa traz de outras vivências.


• Traumas Coletivos: a influência que grandes desastres ou
fatalidades afetam ao assistido.
• Traumas Individuais: um acontecimento que causou um
desequilíbrio em específico.
• Traumas do Presente: assaltos são exemplos deste trau-
ma.
Processo no TEMPO 5 – Ainda que o assistido esteja em ou-
tro tempo, o terapeuta pode investigar procurando saber onde
iniciou o processo. Sendo em tempo 5, fazer a pesquisa abaixo:

• Influência Ambiente, Influência Pessoas, Influên-


cia Espiritual, Influência Mental: são situações que acon-
tecem e abalam o emocional, despertando uma emoção que
causa desequilíbrio. • Constituição: o campo emocional foi constituído de ma-
• Relacionamentos: amigos, colegas, pessoas com as quais neira desequilibrada.
o assistido tenha contato. • Nenhum: sem interferências.
• Familiares, Profissionais, Amizades: pessoas que afe- • Mais de um: o assistido pode apresentar mais que uma
tam o emocional da pessoa. das situações citadas.
• Relacionamentos Íntimos: laços afetivos que a pessoa • Outros: pode apresentar algum processo pouco comum
está inserida. ligado ao emocional.
196
MÓDULO 11

Procedimento de Leitura PRETA VERMELHO ELÉTRICO

Dirigida a pessoa Energia provocada


Partimos agora para identificar que tipos de energia estão in-
fluenciando a pessoa. Dirigida a um local Autogerado
Não é necessário que seja feita toda a pesquisa em uma única Dirigida a um objeto Absorvido
sessão, o terapeuta pode ir realizando durante as sessões seguin-
Retorno de trabalho feito Mau agouro consciente
tes, ou até fazer uma pesquisa sem a presença do assistido.
Como cada cor por possui uma frequência, as cores da mesa Adquirido por absorção Mau agouro inconsciente
sinalizam como está a vibração do assistido para as situações Influência de vidas passadas Ódio
apresentadas.
Influência de ser fora do físico Raiva
Nesta etapa da investigação, o terapeuta poderá utilizar as
tabelas que estão disponíveis como material de apoio, e que Rancor
mostraremos de maneira fracionada para que você entenda INFLUÊNCIA DE SER Mágoa
FORA DO FÍSICO
como utilizá-las.
Desentendimento
Pessoas encarnadas
VERDE ELÉTRICO VERDE ELÉTRICO NEGATIVO Energia de forma
Pessoas desencarnadas
Alucinógenos Energia de pessoas
Residência Elemental magicamente criado
Elemental autogerado Ambiente familiar
Bebidas alcoólicas
Local de trabalho
Elemental natural Ambiente profissional
Fumo
Outro local
Animais astrais Seres fora do físico
Remédios (efeitos colaterais)
Lençois d’água Intraterrenos Apego
Objetos pessoais
Falhas geológicas Extraterrestres Relacionamentos
Objetos na residência
Jazidas
Objetos no local de trabalho As tabelas são importantes instrumentos de trabalho, elas auxi-
Esqueletos Absorvido liam a direcionar o trabalho do terapeuta sem que nenhum item de
possível bloqueio deixe de ser investigado. Este material de apoio
Material em decomposição Trabalho feito
deve estar acessível ao profissional sempre que for necessário.
197
MÓDULO 11

Cores de personalidade Opções na Mesa Quantiônica

As cores, como dissemos, possuem frequências diferentes e Antes de expormos as opções de trabalho com a mesa, volta-
podem auxiliar nos tratamentos energéticos na medida em que mos a reforçar que os tratamentos energéticos precisam do con-
forneçam informações e possibilitem equilíbrio ao assistido, de sentimento da pessoa para que sejam realizados, ou seja, deve
acordo com a sua personalidade. De posse desta informação, ser por vontade própria do assistido, isto porque, com relação
o terapeuta poderá indicar o uso de determinada cor para o à questão energética, além de exigir muito respeito, precisa ter
auxílio na harmonização. o comprometimento de ambas as partes: assistido e terapeuta.
Isso é trabalhar de acordo com as leis universais.
Vermelho Terra, força. A pessoa precisa de energia para construir.
• Pesquisa: neste caso, identifica-se o problema, o que está
Vendedor, força de vontade, motivação, prazer por causando desequilíbrio, porém, não é realizado tratamento.
Laranja
realizar, prosperidade. Isso ajuda o paciente entender o que está desencadeando o pro-
cesso de desequilíbrio.
Representa o intelectual, o escritor, estudioso, pes-
quisador, cientista, estrategista, planejador. Também
• Pesquisa e Tratamento: neste caso, depois de identifi-
Amarelo car o que está causando o desequilíbrio, coloca-se o processo
caracterizado por ser muito alegre, “palhaço”. Que-
rem saber o porquê de tudo. terapêutico com harmonização e verificação de quais técnicas
que serão indicadas àquele assistido a partir da metodologia
O curador, o chakra cardíaco, coração, amor puro, ener-
Verde
gia de cura. Nada se cura se não for através do amor.
Humanoterapeuta.

Comunicador, sabe dialogar com as pessoas levando a


Azul lei do ganha-ganha (para um ganhar o outro não precisa
perder), não coloca panos quentes e encontra soluções.

Cor de quem realmente quer trabalhar com lucidez. É


Indigo
empreendedor, verdadeiro “Indiana Jones”.

Pensador, filósofo, pessoas voltadas para a espirituali-


Violeta
dade, pensamentos.

198
MÓDULO 11

TRATAMENTO
PASSO 2: Finalizando a pesquisa e o tratamento indicado,
siga para a harmonização do assistido.

PASSO 1 : Identificar o tratamento mais indicado.

O Humanoterapeuta é um método que consiste na aplicação


de 6 técnicas começando pela Mesa Quantiônica. A sequência
Solicitar ao assistido que coloque o dedo indicador no decágo-
de técnicas são:
no e o terapeuta deverá colocar o indicador na chama trina.
Com o pêndulo, ir para a tabela de cores e harmonizar todos
• Humanometria: sempre serão 3 sessões
os setores, dizendo “deusifica” ou “ajusta, harmoniza e equili-
• Táquions Tock
bra”. Lembrando que na mesa quantiônica, o scargot deve ser
• TDR
posicionado com a parte branca voltada para o círculo preto e
• Regressão com Reprogramação
com a parte preta voltada para o cír-
• Baralho Terapêutico
culo branco. Isto porque, nesta mesa,
a harmonização é da frequência.
Iniciar a harmonização com a cor
azul (poder divino) voltada para cima.
Em cima do disco, pendular no senti-
do horário até que ele deixe de girar
no sentido horário fazendo um corte
indicando uma cor.
199
MÓDULO 11

PASSO 3: A cor indicada pelo pêndulo deve ser colocada Agora é só treinar o trabalho na mesa. Procure tirar todas
onde inicialmente estava a azul e dar o comando de harmo- as duvidas e repita o treinamento até que você se integre ao
nização “ajusta, harmoniza e equilibra”.
processo e encontre a maneira mais confortável de trabalho,
respeitando as leis universais.
No momento em que a frequência esti-
Lembrando que para os atendimentos é importante que o
ver harmonizada, o pêndulo fará o movi-
terapeuta entre em alpha antes de iniciar os trabalhos.
mento de corte (para cima e para baixo).
Forçar o pêndulo novamente ao mo-
vimento de sentido horário para que
indique uma nova cor para a harmoni-
zação até que a cor azul chegue nova-
mente à posição superior. Quando isso
acontecer, harmonizar essa cor e encer-
rar a harmonização.

4º. Passo: entrega do mental superior do assistido.

Colocar o polegar na esfera dos 12 raios e o indicador no


sol. Fazer entrega informando: “Faço a entrega de Vúltera
Neusmagnânima de todos o MMSC, ARLS, IES”. Traba-
lho encerrado.
Definições:

MMSC: motivo, motivos dos motivos, registros de memória


de presente passado e futuro, sequelas e consequências.

ARLS: arredores, relacionamentos e ligações energéticas.

IES: Sequelas internas, externas e artificiais.


200
MÓDULO 11

A Base Alquímica Os átomos são compostos de


prótons, elétrons e nêutrons. No
Falaremos da materialização das coisas, tanto das coisas boas centro de um átomo temos o pró-
quanto das ruins. ton e o nêutron e o elétron fica
Vamos iniciar seguindo a base de raciocínio das sete leis que na parte mais externa o que, por
regem o Universo, e vamos destacar duas delas: a lei da POLA- analogia, poderá ser associado
RIDADE e a lei do GÊNERO. ao gênero feminino que é mais
solto, mais leve, a característica
do gênero feminino é voar.
O mais contraído, o provedor, o que nutre, são características
do gênero masculino, que em um átomo pode ser representado
pelo próton.
Observando a estrela, podemos dizer que tudo o que existe
necessita de um elétron e um próton associado aos quatro ele-
mentos da natureza, todos em equilíbrio.

O triângulo virado para baixo representa o útero ou o gêne-


ro feminino e o triângulo com a ponta para cima representa o
provedor ou o gênero masculino.
A figura acima representa as duas polaridades universais.
Tudo o que existe em nosso planeta é feito de energia.
201
MÓDULO 11

Tudo o que existe no planeta tem Vamos pensar sobre quais elementos da natureza são mais
uma essência. Dentro de uma se- sutis e que, por isso, se aproximam mais do gênero feminino:
mente de laranja tem todas as infor- a água e o ar. Os outros dois, terra e fogo, são mais densos e se
mações de uma laranjeira, porém, aproximam das características do gênero masculino.
para que essa semente germine, ela
precisa ter contato com os quatro
elementos da natureza.
Se colocada em contato com ape-
nas três dos elementos da natureza,
a semente não germinará, mas a sua
essência fará parte do todo.

Assim, na estrela de seis pontas, também chamada de ES-


TRELA DA MATERIALIZAÇÃO, água e ar ficam na base
feminina e fogo e terra na base masculina.
A água representa as emoções que podem ser boas ou ruins.
Quando passamos a representar nossas emoções, chegamos ao
pensamento e passamos a voar, representados pelo ar. A emo-
ção movimenta o elemento água como um veículo de informa-
ção das minhas emoções. Juntando a água com o ar, temos uma
FORMA PENSAMENTO, boa ou ruim.

202
MÓDULO 11

A qualidade das emoções e da energia colocada na ESTRE-


LA DE MATERIALIZAÇÃO é a qualidade do que será criado.
Sendo a água um veículo condutor, a emoção colocada nela é o
que será distribuído, e nesse processo criam-se os MIASMAS.

Ao nutrirmos a FORMA PENSAMENTO, movimentamos


o elemento terra.
No movimento para que a forma pensamento se realize,
colocamos a ENERGIA e aí acionamos o elemento FOGO.
Se colocarmos emoção e pensamentos desequilibrados, cria-
Quando tudo nas pontas da estrela está em equilíbrio, temos
mos as ENTIDADES, que também podem ser boas ou ruins.
o nêutron.
Se nutrirmos emoções ruins com pensamentos da mesma qua-
lidade, criamos os DEMÔNIOS que, com o passar do tempo
PRÓTON ELÉTRON e com frequente nutrição de
energias inferiores, damos
vida aos VAMPIROS. Nesse
momento do processo, a do-
ença se instala.
NÊUTRON Os trabalhos e energias ex-
ternas só vão se manifestar
em nós se dermos condições
para que elas se instalem.
203
MÓDULO 12
ÉTICA, MORAL E COSMOÉTICA

204
MÓDULO 12

A ÉTICA
No contexto filosófico, éti-
ca e moral possuem diferentes Mario Sérgio Cortella: “É o conjunto de princípios e
significados. valores que usamos para responder as três grandes
A ética está associada ao questões da vida:
estudo fundamentado dos va- 1. Quero?
2. Devo?
lores morais que orientam o 3. Posso?
comportamento humano em Nem tudo que quero eu posso, nem tudo que posso eu
sociedade, enquanto a moral devo, nem tudo que eu devo eu quero. Você tem paz
são os costumes, regras, tabus e convenções estabelecidas por de espírito quando aquilo que você quer é ao mesmo
cada sociedade. tempo o que você deve e o que você pode”.
A ética não tem uma tabela definida por duas colunas, do que
é certo ou errado, ou onde uma tem ações permitidas e a outra
ações não permitidas. Se definirmos o que pode ou não pode, Eu quero: são minhas vísceras
estamos entrando em uma ditadura. Eu posso: meu racional
Vamos citar alguns filósofos contemporâneos e suas defini- Eu devo: meu coração, minha essência
ções de ética:

Clóvis de Barros Filho: “É a Inteligência


compartilhada a serviço do aperfeiçoamento
Com isso, podemos
progressivo da convivência”. concluir que a ética é
a relação de responsa-
Isso quer dizer que o grupo define os padrões de regras bilidade com o todo.
que serão melhores para a convivência de todo o grupo
e, conforme o desenvolvimento do grupo, os ajustes das
regras irão acontecendo.

205
MÓDULO 12

A MORAL
Os tipos de pensamentos e sentimentos apontam o nível evo-
lutivo que a pessoa se encontra. Quando verbalizamos coisas
positivas e saudáveis com sentimento, emitimos energias de luz
que iluminam o ambiente e penetram nas pessoas, causando sen-
sação de bem estar e positivismo. Porém, pronunciar palavras
bonitas que não saiam do coração não geram um bom padrão
energético. Os pensamentos também geram energia e, quando
temos um nível muito ruim de comportamento, as energias ge-
radas são de baixa qualidade. Uma consciência primária tem
um universo simbólico muito restrito e limitado. Entende-se por
universo simbólico todas as coisas que conhecemos somadas às
experiências vivenciadas.
O termo MORAL vem do latim “morales” que significa rela- Quem tem um universo simbólico restrito não possui recursos
tivo a costumes. emocionais ou intelectuais e, provavelmente, com esse nível de
Moral é o conjunto de regras adquiridas através da cultura, consciência, terá pensamentos de expansão negativa. Daí a im-
da educação, da tradição e do cotidiano que orientam o com- portância de ter consciência amplia-
portamento humano dentro de uma sociedade. da e um nível de conhecimento mais
Ela está ligada ao indivíduo em si mesmo e a decisão é inte- amplo, porém, isso não está ligado
rior e está ligada a valores pessoais. a nível intelectual e social mais alto.
Enfim: Chico Xavier tinha um baixo ní-
vel socioeconômico-cultural, mas
Moral é o que diz respeito Ética é o que era uma pessoa com alto nível de
só ao indivíduo. envolve o outro. consciência. Uma pessoa com nível
razoável de consciência tem com-
portamento ético em todas as áreas
É a ética cósmica, ou seja, todos os padrões de comporta- da vida.
mentos e sentimentos que priorizam o universal.
206
MÓDULO 12

RELACIONAMENTOS BASEADOS EM COMPORTAMENTOS ÉTICOS


Relacionamentos baseados em comportamentos éticos e coe-
rentes são relacionamentos saudáveis e felizes.
Para ter ética universal, é preciso ter um bom nível de consci-
ência e isso requer esforço para se livrar de energias densas dos
chakras baixos (básico, esplênico e umbilical) e adquirir matu-
ridade consciencial.
É preciso ter capacidade de discernimento, maturidade,
compreensão e, principalmente, aceitação do outro.

Priorizar a evolução é dar definição ao caminho que deseja


seguir, então, é preciso esforço que começa em: assumir os de-
feitos e corrigi-los; ajudar ao outro ao invés de competir com
ele; adquirir hábitos saudáveis; abandonar vícios; tornar-se o co-
mandante da própria vida; aprender coisas novas e questionar
no sentido de refletir sobre as situações e sobre a vida.
Uma pessoa com comportamento cosmoético respeita todas
Uma pessoa que está no
as outras pessoas (colegas de trabalho, cônjuges, filhos, vizi-
caminho da evolução, se es-
nhos, amigos, pais, chefes, familiares, manobrista, sorveteiro,
forçando com sinceridade,
etc.). Essa pessoa não julga o outro, ela simplesmente aceita e
está bem amparada espiritu-
ajuda se for necessário e puder. Também não pratica a maledi-
almente.
cência e nem critica o outro.
Todas as áreas de sua vida
A pessoa que já chegou a um bom nível de conhecimento
começam a se acertar e fluir
e quer realmente crescer como consciência, irá naturalmente
com equilíbrio e felicidade.
buscar sua evolução.
207
MÓDULO 12

COMO TUDO FOI CRIADO


Teoria do caos: imaginemos várias partículas soltas, vibrando Passados milhares de anos, há um
desordenadamente em um processo de fricção que levam à de resfriamento da parte externa dessa
atração entre elas até que aconteça uma grande explosão. No bola de fogo, onde acontece a cria-
atrito entre as partículas, percebemos o elemento FOGO (pri- ção da TERRA (segundo elemento de
meiro elemento de criação) e temos o inicio de nossa galáxia. O criação). A terra contém a inteligên-
fogo exerce um movimento de expansão. cia do fogo e possui um movimento de
contração.
Por muitos milhares de anos, esse
bloco sofre pressão de um movimento de expansão causado
pelo fogo e de um movimento de contração causado pela terra.
Diante disso, em um dado momento surgem os vulcões, o que
possibilita a saída do fogo do centro do bloco.

Nesse movimento de expansão, existe uma luz muito forte ex-


pandindo o movimento da galáxia, tendo em sua volta muitas
estrelas e outros corpos celestes.
Em um movimento de caracol, um pedaço da “bola de fogo”
explode e se afasta do bloco de luz. Essa bola de fogo, distante
do centro da nossa galáxia, estaciona em determinado ponto e
se fixa.
208
MÓDULO 12

Quando o fogo sai através do vulcão, cria-se um espaço que,


posteriormente, é tomado pela água através das chuvas e, por
conta do contato da água com o fogo, acontece a criação do REI-
NO MINERAL (pedras de silício, primeiro REINO criado). Esse
reino contém a inteligência dos quatro elementos do Universo. O
reino mineral contém a inteligência dos quatro elementos.

No processo de contração e expan-


são em busca de movimento, surge o
REINO VEGETAL (segundo REI-
NO criado e contém a inteligência do
reino mineral).
No momento da explosão dos vulcões, o fogo entra em con-
tato com a pressão da terra e surge o elemento AR (terceiro
elemento a ser criado). O ar tem elemento de expansão e, além
disso, acumula inteligência do fogo e da terra. Novamente, O REINO ANIMAL (terceiro reino
após milhares de anos, criam-se as nuvens e, posteriormente, a ser criado com a inteligência dos rei-
a ÁGUA (quarto elemento de criação) com a inteligência do nos mineral e vegetal) surge da mesma
fogo, terra e ar. A água tem a mesma função de contração. Nes- busca por movimento.
se momento, se dá a nossa atmosfera.

Esse reino começa a ter a busca pelo


instinto e pela docilidade animal. As-
sim, após milhares de anos, inicia-se o
REINO HOMINAL.

209
MÓDULO 12

É importante saber de tudo isso, pois somos feitos de todos os O AMOR


elementos com suas respectivas inteligências. Dentro do corpo
físico do homem encontram-se todos os reinos e a subida
dos chakras demonstra o caminho desse desenvolvimento. O
reino HOMINAL está em processo de desenvolvimento, então,
é preciso que tudo isso seja compreendido, pois apesar de toda
evolução, todos fazem parte do TODO.
A raça HOMINAL deve passar por um processo evolutivo
onde o sentimento seja uma nova etapa para o REINO CONS-
CIENCIAL, onde o AMOR será o elemento primordial.

Existem vários tipos de amor nos quais as pessoas se encai-


xam. É importante conhecer os tipos, pois cada assistido apre-
sentará uma característica distinta de amor.

Platão: você ama o que não tem (amor platônico).


Deseja o que está impossível.

Aristóteles: ama somente o que tem. Pessoas com es-


sas características tendem a ser egoístas e não respei-
tam o próximo.

Nietzsche: ama a vida como ela é. Esse é um movi-


mento de aceitação.

Cristo: ama incondicionalmente. Respeito às diferen-


ças, amar sem nenhuma condição.

210
CONCLUSÃO

Eu tenho muito orgulho em te ver aqui no final da formação e em ter você sob a egrégora do Espaço Humanidade.
Que bom saber que é um Soldado da Luz que vai levar consciência que cura para o mundo.
Que tudo o que você aprendeu, absorveu e experienciou neste curso possa ser manifestado com muito amor e integri-
dade, respeitando a metodologia Humanoterapeuta.
E caso você não queira, está tudo bem também, cada um sabe desbravar os próprios caminhos e tem a responsabilidade
para fazer as próprias escolhas.
Utilize as técnicas, pratique e compartilhe conhecimento. Porque, na verdade, a gente só aprende, se aperfeiçoa e ga-
nha segurança fazendo, aprendendo com os erros e acertos, se permitindo e colocando a ‘mão na massa’.
Eu, Andresa Molina, e toda equipe do Espaço Humanidade agradecemos a sua confiança.
Seguimos como Soldados da Luz onde quer que estejamos, levando consciência que cura.

Um abraço,

Andresa Molina

211
Rua Chiquinha Rodrigues, 205 - São Paulo - SP
cursos@espacohumanidade.com.br
espacohumanidade.com.br

livros • apostilas
ilustrações • animações Diagramação: Heloísa Freitas • Ilustrações: Mauro Freitas /Mauzi Estudio • mauzi.atendimento@gmail.com

Você também pode gostar