Você está na página 1de 5

Classificação do estudo

De acordo com UTUTUTUTUTO na área da investigação, existem vários tipos de


estudos, cada um buscando satisfazer certas necessidades e objetivos. Este estudo,
qualifica-se como qualitativo, porque segundo YUYUYUIII, o estudo qualitativo é um
método de pesquisa exploratória. Serve para investigar as causas, emoções e valores
subjacentes antes que uma hipótese seja desenvolvida. O objetivo dos estudos
qualitativos é descobrir e explicar o porquê um fenômeno ou comportamento ocorre.

Olhando para a questão de partida deste estudo “de que forma a avaliação de
desempenho contribui para retenção de colaboradores da empresa Z”, percebe-se
claramente que, pretende-se compreender a influência que um fenômeno, causa no
noutro. Portanto, esses fenômenos não são tangíveis, trata-se de comportamentos,
atitudes e emoções, como por exemplo, o facto de um colaborador decidir sair de uma
empresa por estar desmotivado e insatisfeito por diversas razões.

Um estudo qualitativo permite uma compreensão aprofundada do tema em investigação,


motivações, atitudes, percepções, estilos de vida, comportamentos. Nos estudos
qualitativos não se pretende extrapolar os resultados para o todo universo de estudo.
Portanto, ao contrário da pesquisa quantitativa, as amostras qualitativas são pequenas e
não são representativas no sentido estatístico.

Tipo de pesquisa

Pesquisa Bibliográfica

Ao expor as etapas de um processo de pesquisa, destaca-se a importância da revisão


bibliográfica, colocando-a dentro de a fase conceitual. Não é feita apenas antes de
iniciar a investigação para avaliar o conhecimento existente e pesquisas sobre o assunto
ou definir os objetivos, mas continua a ser realizada ao longo de todo processo. O
conhecimento não é apenas adquirido pesquisando, mas também indo para fontes
documentais.

“Em qualquer espécie de pesquisa, em qualquer área, supõe e exige uma pesquisa
bibliográfica prévia, quer para o levantamento do estado da arte do tema, quer para a
fundamentação teórica ou ainda para justificar os limites e as contribuições da própria
pesquisa” (Cervo, Bervian & Silva, 2007, p. 60). Portanto, sabendo da importância da
pesquisa bibliográfica, nesse estudo não será diferente.
Pesquisa Descritiva

Pesquisa descritiva é um tipo de pesquisa responsável por descrever a população,


situação ou fenômeno em torno do qual seu estudo está centrado. Busca fornecer
informações sobre o quê, como, quando e onde está o problema de pesquisa, sem
priorizar a resposta ao “porquê” do problema. Como o próprio nome diz, essa forma de
pesquisa "descreve", não explica.

Outra definição de pesquisa descritiva é dada por UYUOTOUTOYT para este autor, a
pesquisa descritiva, serve para detalhar as realidades das pessoas, situações, atividades
ou eventos do estudo e da pesquisa. Consiste em captar as coisas mais importantes de
um fato ou situação específica, dentro do plano descritivo.

A pesquisa descritiva tem como objetivo principal conhecer os costumes, atitudes e


situações que predominam na descrição exata do objeto de estudo. É responsável por
identificar as relações entre duas ou mais variáveis. Os pesquisadores não apenas
coletam dados, mas se encarregam de estudar e analisar para obter resultados
significativos que possam contribuir para o conhecimento.

Participantes do Estudo

Em vista a atingir o objectivo deste estudo, foi necessária a participação de pessoas que
lidam directamente com o processo da avaliação de desempenho, seja como avaliado ou
avaliador. Portanto, este estudo contou com a participação de 5 colaboradores, 1 gestor
e 1 técnico de Recursos Humanos, totalizando 6 colaboradores.

Técnicas e Instrumentos de Colecta de Dados

UYRURUTRURU indica que as técnicas se referem à forma como os dados serão


obtidos, e os instrumentos são os materiais, através dos quais é possível obter e arquivar
as informações necessárias da investigação.

A pesquisa não tem sentido sem técnicas de coleta de dados. Essas técnicas levam à
verificação do problema proposto no estudo. Cada tipo de pesquisa determinará as
técnicas a serem utilizadas e cada técnica estabelecerá suas ferramentas, instrumentos
ou meios que serão utilizados.

Assim, neste estudo, as técnicas que foram usadas para obter os dados são:

 Entrevista semi-estruturada;
 Análise documental.

Entrevista semi-estruturada

Uma entrevista é uma troca de ideias ou opiniões por meio de uma conversa que ocorre
entre duas ou mais pessoas. Todas as pessoas presentes em uma entrevista discutem um
determinado assunto. Geralmente, na entrevista existe um entrevistador, que é a pessoa
que faz as questões e um entrevistado, que é a pessoa responsável por responder as
questões.

Portanto, a entrevista semi-estruturada é uma estratégia qualitativa de coleta de dados


em que o entrevistador faz ao entrevistado uma série de perguntas pré-determinadas,
mas abertas. O pesquisador tem mais controle sobre os tópicos da entrevista do que em
entrevistas não estruturadas, mas ao contrário de entrevistas estruturadas ou
questionários que usam perguntas fechadas, não há um intervalo fixo de respostas para
cada pergunta.

Para poder colher o máximo de dados possíveis, usou-se a entrevista semi-estruturada


pela vantagem de combinar perguntas abertas e fechadas, dando ao entrevistador
possibilidade ao entrevistador colher dados com boa precisão.

Análise documental

Como o próprio nome indica, quando falamos de análise documental, estamos nos
referindo ao estudo de um documento, independentemente de seu suporte (audiovisual,
eletrônico ou papel).

A Análise de Documentos permite realizar pesquisas retrospectivas e recuperar


documentos pertinentes para uma pesquisa. Portanto, pode-se dizer que a Análise
Documental está vinculada à busca e recuperação da informação.

Para este estudo, a análise documental serviu para observar os dados que a empresa em
estudo armazena sobre o processo da avaliação de desempenho.

Técnicas e Instrumentos de Recolha de Dados

Análise de conteúdo
WWTWYURERTY define a análise de conteúdo como “uma técnica de investigação
que permite fazer uma descrição objectiva, sistemática e quantitativa do conteúdo
manifesto das comunicações, tendo por objectivo a sua interpretação”.

 Objectiva - porque a analise deve ser efectuada de acordo com determinadas


regras, obedecer a instruções suficientemente claras e precisas para que
investigadores diferentes, trabalhando sobre o mesmo conteúdo, possam obter os
mesmos resultados. Isto pressupõe que eles cheguem a acordo sobre os aspectos
a analisar, as categorias a estabelecer e a utilizar e a definição operacional de
cada uma dessas categorias.
 Sistemática - porque a totalidade do conteúdo deve ser ordenado e integrado em
categorias previamente escolhidas em função dos objectivos que o investigador
quer atingir.

A análise de conteúdo é usada nas pesquisas qualitativas quanto nas pesquisas


quantitativas, porém, nas pesquisas qualitativas que é a abordagem deste estudo, está
técnica ajuda ao investigar na construção de significado dos dados colhidos. Esta análise
poderá ser estruturalista, análise de discurso, retorica, análise narrativa e interpretativa.
Entretanto, os dados recolhidos serão trabalhados com base na análise das informações
que serão dadas pelos sujeitos que serão observados e entrevistados e das informações
contidas nos documentos e notas de campo.

Carmo, H., & Ferreira, M. M (1998). Metodologia da investigação: guia para auto-
aprendizagem. Lisboa, Portugal: Universidade Aberta.

Bastos, C., & Keller, V. (1999). Introdução à metodologia científica (12ª. ed.). Rio de
Janeiro, Brasil: Edita Vozes.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico (23ª. ed.). São Paulo, Brasil:
Cortez Editora.

Mezzabora, O., & Monteiro, C. S (2009). Manual de pesquisa no direito (5ª. ed.). São
Paulo, Brasil: Editora Saraiva.

Ruiz, J. A. (1991). Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo,
Brasil: Atlas Editora.
Viera, J. G. S. (2010). Metodologia de pesquisa científica na prática. Curitiba, Brasil:
Fael Editora.

Danton, G. (2002). Metodologia científica. Pará de Minas, Brasil: Virtualbooks.