Você está na página 1de 7

01) “A crença de que a razão é capaz de captar a dinâmica do mundo material e de que a lei

natural, inscrita no coração dos homens, pode ser descoberta espontaneamente vai ganhando
força, deteriorando, aos poucos, os velhos princípios de autoridade - entre os quais os mantidos
pela Igreja católica. Sobre essa base, torna-se mais fácil compreender a emergência do
empirismo, do racionalismo cartesiano e o avanço das ciências experimentais que, no seu
conjunto, caracterizarão a era moderna.”

Acerca do iluminismo, podemos afirmar que:

***a) Tem caráter antropocêntrico, ou seja, tem o Homem como centro do mundo e
referência para todas as explicações.*** - CORRETA

b) Tem caráter economicista, isto é, tem na produção a referência para todas as explicações.

c) É politeísta já que propõe as divindades como referências para todas as explicações .

d) Tem Deus como centro do mundo e referência para todas as explicações.

e) Tem caráter científico, ou seja, tem Deus como centro do mundo e referência para todas as
explicações.

02) “Durante a Modernidade, fez-se o controle da desordem em nome da Razão Suprema que
toma o lugar do Deus único. O racionalismo triunfante fará da ciência a teologia do mundo
moderno. A Modernidade levou mais de dois séculos para edificar a política racional e esta
submergiu sob violentas ondas; pois contemporaneamente vivenciamos que o coletivo tende a
prevalecer, para o bem ou para o mal, vivendo fortes emoções, seja na desafeição em massa
referente à ação política, seja na violência das gangues, seja nas diversas aglomerações que
pontuam a vida social”

Acerca da modernidade, podemos afirmar que:

a) Tem como característica cada radical princípios de orientação religiosos.

b) Historicamente, podemos afirmá-la como marcada pelo surgimento de movimentos orientados


por princípios de reforço a ordem absolutista vigente anteriormente.

c) Podemos defini-la, historicamente, como um período marcado por patamares de igualdade


social.

***d) Busca em elementos como a ciência e a razão as soluções para os problemas que
vivencia.*** - CORRETA

e) Absolutamente contrária ao espírito científico, busca na religiosidade soluções para os


problemas que vivencia.

03) “Para mim não se trata de recusar a diferença, mas de entender o que ela designa. Em vez
de mergulhar na cilada, eu gostaria de reafirmar, como tem sido uma tendência importante
também no campo da teoria feminista, a existência de um vínculo intrínseco entre a igualdade e
a diferença. No campo da direita, a diferença sempre emerge como afirmação do privilégio e
portanto como defesa da desigualdade. No campo da esquerda, no campo da cidadania, a
diferença emerge enquanto reivindicação precisamente na medida em que ela determina
desigualdade. A afirmação da diferença está sempre ligada à reivindicação de que ela possa
simplesmente existir como tal, o direito de que ela possa ser vivida sem que isso signifique, sem
que tenha como consequência, o tratamento desigual, a discriminação.”

Acerca do surgimento de novos atores sociais, na contemporaneidade é possível afirmar que:

a) Garantidos por meio dos dispositivos jurídicos, todos os novos atores sociais estão incluídos
nas sociedades contemporâneas.
b) Basicamente homogênea, devido ao uso excessivo da internet, a sociedade contemporânea
não tem espaço para o surgimento de novos atores sociais.

c) Absolutamente democráticas, as sociedades contemporâneas acolhem bem todos os novos


atores sociais com suas múltiplas identidades, mesmo as advindas das periferias e contrárias à
ordem social vigente.

***d) apesar dos dispositivos legais e dos meios democráticos garantidos, os novos atores
sociais ainda têm um longo caminho a percorrer, até estarem totalmente inseridos na
sociedade.*** - CORRETA

e) As sociedades contemporâneas não apresentam espaço para a diversidade e para novos


atores sociais.

04) “Contudo, essa ação criativa nem sempre é iniciativa de um juiz ativista. No cenário
contemporâneo a ação criativa muitas vezes é fomentada também pela derrogação política, o
que deflagra, por consequência, um apoderamento da função legislativa por parte do judiciário.
Isto é, nota-se que o poder legislativo tem delegado decisões ao poder judiciário por razões como
a elaboração de leis vagas e ambíguas, a falta de fôlego e a pouca perícia técnica para atuar a
cada mudança de quadro (Cappelletti, 1993); ou por não querer se envolver em questões
impopulares ou irrelevantes do ponto de vista eleitoral (Tate; Vallinder: 1995). Por todos esses
motivos, o poder legislativo é levado a não responder às demandas imediatas com presteza e a
formular leis tardiamente. Ainda, quando formuladas, logo se tornam obsoletas dado o cenário
de rápidas mudanças. O legislativo, por vezes, conduz-se de forma lenta e ineficiente nesse
cenário. Assim, o judiciário e o executivo muitas vezes levam vantagem frente aos métodos
legislativos e, por essa razão, ganham espaço no terreno político. “

Acerca da judicialização das relações sociais é possível afirmar que:

a) É uma prática comum desde os primeiros códigos de leis escritos.

b) Bastante utilizada na modernidade, foi abandonada na contemporaneidade e substituída pela


luta política na garantia de direitos.

***c) Embora seja uma prática popularizada, tem como uma de suas consequências o
esvaziamento da esfera política como mediadora de conflitos.*** - CORRETA

d) Surge como um novo modelo de solução pacífica de conflitos sociais.

e) Foi superada pela conquista e manutenção dos direitos pela movimentação política e pela luta
dos movimentos sociais.

05) Esses três movimentos e momentos na história do liberalismo e do capitalismo: o


maltusianismo social, o darwinismo social e o neoliberalismo apresentam características
essenciais comuns que precisam ser lembradas. Todos emergem em momentos de crise do
capitalismo. Todos são movimentos tipicamente reacionários, isto é, de reação contra os reais
ou supostos desvios de rota em relação aos ideais liberais. Todos se insurgem contra a
interferência crescente do Estado, particularmente no campo social. Todos carregam o ranço
ideológico típico de um profundo pessimismo. Todos têm um cunho fundamentalista, pregando
por isso o retorno ao passado, imaginada pureza da fé liberal original. Todos buscam na
naturalização do social a legitimação da exclusão social.

Sobre o liberalismo econômico é possível afirmar que:

***a) Se pauta na ideia de que o Estado não deve interferir no Mercado.*** - CORRETA

b) O Estado é fortemente interventor já que é entendido sob o viés do poder total na mão do
monarca.

c) Parte do princípio que o Estado deve atuar para diminuir as desigualdades sociais.
d) Tem como ponto principal o fortalecimento do monopólio econômico do Estado em várias
áreas produtivas.

e) Tem como prioridade a distribuição equânime de rendas.

06) “Desse modo, por um lado, vemos na modernidade o ideário de mudança como algo que
viria para melhor, daí a ideia “positiva” (com a pertinente ambiguidade do termo) de “progresso”.
Ademais, no que diz respeito à esfera econômica, também as teorias liberais afiançavam que o
mercado se autorregularia, através de suas “leis de oferta e procura”. Tais formulações eram
tidas como “naturais” e nota-se que havia uma espécie de teleologia em torno delas, anunciando
que, no final, tudo acabaria bem.”

Sobre as utopias sociais, podemos afirmar que:

a) Nos projetos utópicos as sociedades idealizadas, no geral, apresentam princípios de


orientação religiosa.

b) Nos projetos utópicos as sociedades idealizadas pautam-se em determinações genéticas para


orientar a organização social.

***c) Nos projetos utópicos as sociedades idealizadas são retratos paradisíacos de


igualdade, fraternidade e liberdade.*** - CORRETA

d) Nos projetos utópicos as sociedades idealizadas são, no geral, fortemente militarizadas e


belicistas.

e) Nos projetos utópicos as sociedades idealizadas são, geralmente, militarizadas e


hierarquizadas.

07) “Muitas outras definições existem, algumas coincidentes, algumas divergentes. Por ser um
fenômeno complexo e multicausal que atinge todas as pessoas e as afeta emocionalmente, a
violência foge a qualquer conceituação precisa e cabal. “

As expressões da violência, para poderem ser compreendidas/ analisadas por meio da ciência,
precisam ser:

a) Desassociadas da cultura aonde se expressam.

***b) Contextualizadas histórica, cultural e relacionalmente ao meio em que se


expressam.*** - CORRETA

c) Desassociadas das relações sociais onde se expressam.

d) Compreendidas como universais, portanto independendo do território em que se expressam.

e) Entendidas em separado do meio em que se expressam

08) “Acho que há duas dimensões que presidem a emergência dessa nova noção de cidadania
e que devem ser lembradas para marcar o seu terreno próprio.

Em primeiro lugar, o fato de que ela deriva e portanto está intrinsecamente ligada à experiência
concreta dos movimentos sociais, tanto os de tipo urbano - e aqui é interessante notar como a
cidadania se entrelaça com o acesso à cidade - quanto aos movimentos de mulheres, negros,
homossexuais, ecológicos etc. Na organização desses movimentos sociais, a luta por direitos -
tanto o direito à igualdade como o direito à diferença - constituiu a base fundamental para a
emergência de uma nova noção de cidadania.

Em segundo lugar, o fato de que, a essa experiência concreta, se agregou cumulativamente uma
ênfase mais ampla na construção da democracia, porém, mais do que isso, na sua extensão e
no seu aprofundamento. Nesse sentido, a nova noção de cidadania expressa o novo estatuto
teórico e político que assumiu a questão da democracia em todo o mundo, especialmente a partir
da crise do socialismo real.”

Acerca dos movimentos sociais, é possível afirmar que:

a) Surgiram durante o regime absolutista, pautados por questões territoriais.

b) Surgiram durante o regime absolutista ligados à emergência de dissidências religiosas.

***c) Surgiram durante a revolução industrial, ligados às questões econômicas.*** -


CORRETA

d) Surgiram na pós-modernidade, ligados à emergência das questões religiosas.

e) Surgiram durante a revolução industrial ligados aos movimentos culturais dos proletários.

09) “Em primeiro lugar, a passagem da fase "sólida" da modernidade para a "líquida" - ou seja,
para uma condição em que as organizações sociais (estruturas que limitam as escolhas
individuais, instituições que asseguram a repetição de rotinas, padrões de comportamento
aceitável) não podem mais manter sua forma por muito tempo (nem se espera que o façam),
pois se decompõem e se dissolvem mais rápido que o tempo que leva para moldá-las e, uma
vez reorganizadas, para que se estabeleçam. É pouco provável que essas formas, quer já
presentes ou apenas vislumbradas, tenham tempo suficiente para se estabelecer, e elas não
podem servir como arcabouços de referência para as ações humanas, assim como para as
estratégias existenciais a longo prazo, em razão de sua expectativa de vida curta: com efeito,
uma expectativa mais curta que o tempo que leva para desenvolver uma estratégia coesa e
consistente, e ainda mais curta que o necessário para a realização de um "projeto de vida"
individual.

Para Bauman a modernidade é líquida, por isso mesmo, as relações sociais:

a) Possuem padrões de comportamento religiosos dada a relevância que a religião alcançou na


contemporaneidade.

b) Solidamente fundamentadas, são mais duráveis e resilientes aos conflitos sociais.

c) De caráter formais, são cada vez mais pautadas na tradição e manutenção de formas
históricas.

***d) São fluidas, rápidas, inconsistentes, causando, muitas vezes um desconforto


constante os indivíduos.*** - CORRETA

e) Encontram-se equilibradas e estáveis, isentas de conflitos são, portanto,cada vez mais


duráveis.

10) “A palavra "violência" parece ser um destes casos. Todos a conhecem ela é redigida ou
pronunciada inúmeras vezes em incontáveis situações pelos mais diferentes atores sociais. O
poder deste termo é evidente; ele parece expressar inequivocamente realidades sociais tão
flagrantes quanto indesejáveis e dolorosas. Esta associação de "violência" a "inde¬selado.' e
"doloroso" passa a ser vista corno a única acepção possível da palavra e ela a palavra, parece
se fundir aos objetos que deveria representar. Esta fusão de palavra e coisa acaba por formar
um agregado de difícil separação e no qual as distâncias entre a linguagem e seus objetos de
referência são apagadas”

Acerca da conceituação de violência é possível afirmar que:

***a) Trata-se de um conceito de difícil definição, visto a necessidade de contextualização


para compreendê-lo.*** - CORRETA

b) Um dos únicos conceitos onde a polissemia não está presente nas ciências humanas/sociais.
c) Definidos no senso comum, esses fenômenos são transferidos sem mediações para as
análises e reflexões científicas.

d) Trata-se de um conceito unívoco, visto a unanimidade que encontramos em definir um ato


violento.

e) As ciências humanas sociais pautam-se em definições jurídicas do fenômeno para entendê-


los.

11) ”Essa tensão permanente entre Estado, economia e sociedade aparece na esfera pública,
que interconecta a vida privada, as experiências cotidianas, os apelos por justiça e distribuição
das oportunidades, aos centros do poder do Estado e do poder econômico, e vice-versa. Dizendo
de outra maneira, os processos comunicativos da esfera pública ligam os problemas do cotidiano
dos homens comuns ao mundo sistêmico e aos centros de decisão política, e tornam visíveis
aos cidadãos comuns as decisões do mundo sistêmico e das esferas funcionais, que vão alterar
sua vida cotidiana.”

Quando falamos em participação democrática:

a) É garantida a todos os cidadãos por meio de votos, desde que os mesmos cidadãos estejam
inseridos no mercado.

b) Trata-se de uma proposta liberal voltada à manutenção de um Estado mínimo, ou seja, todos
participam para que o trabalho do Estado diminua.

c) Estamos falando apenas de votos e eleições.

d) Está restrita apenas a uma classe social, não sendo permitido o acesso de todos os cidadãos.

***e) A esfera pública é o espaço criado para manifestação/organização das demandas


sociais.*** - CORRETA

12) “Na atividade cotidiana de pesquisa em Ciências Humanas é comum encontrarmos inúmeros
termos cujos significados são polissêmicos. Vocábulos como “identidade”, “estrutura”, “moral”,
“cultura”, “ação”, dentre outros, são motivos de significativos “ruídos” na comunicação científica.
Acreditamos que a polissemia, fenômeno de ocorrência habitual na vida cotidiana, tem seus
efeitos negativos amplificados quando se trata de termos que, no contexto argumentativo,
possuem status de conceito”.

Ao pensarmos em polissemia, é correto afirmar que:

a) Todas as Ciências têm a mesma metodologia.

b) As Ciências humanas e sociais podem e devem abrir mão da contextualização na busca de


um entendimento mais exato dos fenômenos.

***c) Polissemia é uma característica das produções ligadas a Ciências humanas e


sociais.*** - CORRETA

d) Há uma impossibilidade de produção de ciências se estudamos fatos sociais,

e) A precisão conceitual é uma das características marcantes de conceitos e teorias voltadas às


Ciências humanas e sociais.

13) De acordo com Harvey (1992), a modernidade prometia trazer o tipo de clareza e
transparência para o ser humano que só a racionalidade poderia oferecer. Prometia a libertação
da escassez e das calamidades naturais por meio do domínio científico da natureza. A libertação
das irracionalidades da religião e dos mitos, pelo desenvolvimento de formas racionais de
organização social.”
Quando falamos sobre as características da modernidade, estamos falando de:

a) Um momento histórico pautado nas relações hierárquicas ligadas ao nascimento e sangue,


portanto uma sociedade de castas, principalmente no ocidente.

***b) Um momento histórico pautado no antropocentrismo, ou seja, a exacerbação da ideia


de um sujeito e seus direitos.*** - CORRETA

c) Um momento histórico pautado no absolutismo, ou seja, a exacerbação da ideia de um sujeito


e seus direitos.

d) Um momento histórico pautado nas relações igualitárias, portanto uma sociedade de castas,
principalmente no ocidente.

e) Um momento histórico pautado no teocentrismo, ou seja, a exacerbação da ideia de um sujeito


e seus direitos.

14) “A realidade aparece como um conjunto de fatos morais constituindo-se naquilo que
Durkheim (1999) propõe como "realidade moral". Essa realidade é a síntese das ações humanas
praticadas socialmente. Porém, ela aparece como uma névoa que impede adentrar no interior
do estudo das sociedades e das relações que os homens mantêm entre si. Partimos para o
entendimento da "realidade moral", e consequentemente, das noções de coesão social e
individualização.”

Acerca da compreensão de Durkheim sobre a sociedade é possível afirmar que:

a) Para o autor a explicação das sociedades se dará a partir de sua geografia.

b) Durkheim propõe que as ações sociais reciprocamente orientadas serão o objeto de sua
sociologia.

***c) O autor pensa/explica a sociedade partindo da ideia de coesão social.*** - CORRETA

d) O autor pensa/explica a sociedade partindo da luta de classes.

e) Que o autor compara o desenvolvimento das burocracias na gestão das relações sociais para
compreender o desenvolvimento das sociedades.

------------------------------------------

15) A discriminação contra homossexuais, negros, indígenas, meninas e meninos tímidos ou


recatados, mulheres lésbicas, transexuais, bissexuais e outras formas de orientação sexual é
latente, manifestada através de piadas, brincadeiras de mau gosto, olhares, gestos e atitudes
preconceituosas que precisam ser seriamente discutidas na Escola. Diariamente acontecem
situações desagradáveis em sala de aula contra alunos e alunas homossexuais, com anedotas
machistas, palavras de baixo calão, estereótipos ofensivos, deboches e atitudes aparentemente
"inofensivas", mas que servem como estigma (Elias e Scotson, 2000) ao homossexual e às
diversas maneiras de homo erotismo e homo afetividade".

Com relação à sexualidade humana, podemos afirmar que:

a) Contemporaneamente as discussões acerca da sexualidade humana estão a cargo somente


das instituições religiosas.

***b) Embora tenhamos avançado, os tabus acerca da sexualidade humana continuam


proliferando*** - CORRETA

c) Os temas acerca da sexualidade humana não se apresentam mais como temas polêmicos na
contemporaneidade.
d) Na contemporaneidade as sociedades já superaram todos os tabus relacionados à sexulidade
humana

e) Há um consenso, na sociedade contemporânea sobre a forma como se deve abordar os temas


acerca da sexualidade humana.

16) "De início, pode-se supor que o conceito de “distopia” poderia ser simplesmente definido por
meio de sua simples contraposição ao conceito de “utopia”, o que não nos parece um
procedimento adequado. Um método mais válido para esta definição parece-nos ser o que
confronta eutopia e distopia. Ou seja, trata-se da oposição entre o “bom lugar” e o “lugar ruim”.
Pois a distopia apresenta um componente de materialidade – trata-se, em sua maioria, de lugares
situados no tempo (geralmente no futuro) e no espaço – que o termo utopia não pressupõe em
igual medida; cujo oposto seria tão somente topia. Dito de forma resumida, podemos então dizer
que a distopia caracteriza-se pela extrapolação negativa do status quo à época de sua
funcionalização ficcional; já não nos parece ser cabível falar aqui em superação, como no
conceito de utopia."

Nas distopias sociais, a sociedade geralmente é apresentada como:

a) sociedades idealizadas, retratos paradisíacos de igualdade, fraternidade e liberdade.

b) Sociedades idealizadas onde problemas ligados a sustentabilidade social e ambiental foram


superados.

c) Sociedades justas e equilibradas, geralmente organizadas por mecanismos democráticos


bastante consolidados.

d) Sociedades idealizadas pautadas na ideia de igualdade, onde as desigualdades de raça, cor


e gênero estão superadas.

***e) Sociedaddes idealizadas onde ciência e tecnologia exacerbaram suas funções e os


indivíduos, muitas vezes, está submetido às mesmas.*** - CORRETA

Você também pode gostar