Você está na página 1de 16

Guia de Profissões

A
Engenharia Florestal
principal atividade do engenheiro Dentro da formação profissional do
florestal é conciliar a exploração engenheiro florestal, existem quatro
econômica das florestas, avaliando o segmentos básicos: Silvicultura e
potencial biológico dos ecossistemas, e, Conservação Florestal, áreas respon-
assim, planejar e organizar o seu aprovei- sáveis pelo cultivo florestal, elabora-
tamento racional de forma sustentável, ga- ção e análise de projetos ambientais;
rantindo sua perpetuação. Além de elaborar Manejo e Exploração Florestal, res-
e supervisionar projetos referentes à preser- ponsável pelo desenvolvimento de
vação de áreas florestais, o engenheiro pesquisas de campo nos diferentes
florestal pode atuar também nos processos ecossistemas brasileiros, por meio da
de industrialização da madeira e no controle administração dos benefícios diretos e
de qualidade de seus produtos. indiretos proporcionados pela floresta;
O curso de Engenharia Florestal foi criado Proteção Florestal, relacionada ao
com objetivo de diminuir os males do des- desenvolvimento sustentável da pro-
matamento predatório, suprindo as neces- dução florestal e do meio ambiente; e
sidades de aprimoramento e de ampliação Tecnologia de Produtos Florestais,
da silvicultura. Com duração de quatro a segmento que promove as industriais
sete anos, são estudadas disciplinas geral- madeireiras.
mente divididas em três partes: teórica, Para exercer a profissão, além do
prática (laboratório) e estudo em campo. diploma, é precisa a habilitação
concedida pelo Conselho Regional de
Engenharia, Arquitetura e Agronomia
(CREA). O mercado de trabalho para o
profissional é abrangente.
No setor público, as maiores oportunidades município de Itacoatiara estimulou o
Índice estão nos órgãos de controle ambiental,
análise e fiscalização de projetos ambien-
ingresso no ensino superior de acadêmicos
de outras cidades do estado, capacitando
tais, administração de parques e reservas e mão-de-obra para administração dos
HISTÓRIA em instituições científicas e de pesquisa. Já recursos regionais.

A Revolução Russa (1917) ......... Pág. 03 no setor privado, principalmente nas áreas Os profissionais formados pela UEA esta-
ligadas à produção de madeira e pesquisas rão habilitados a avaliar o potencial das
(aula 127) florestais e industriais. florestas e de seus recursos renováveis,
elaborando e orientando seu aproveita-
BIOLOGIA Para ser um engenheiro florestal, é preciso
ter interesse por pesquisas tecnológicas mento, de modo a preservar fauna e flora
Ciclos Biogeoquímicos ............... Pág. relacionadas ao meio ambiente. Porém o locais. O campo de trabalho do engenheiro
05 mais importante é estar ciente do seu papel florestal é amplo, podendo atuar em
na sociedade, que é saber aproveitar os indústrias florestais, órgãos públicos que
(aula 128)
recursos naturais sem agredir a natureza. tratam do meio ambiente, entidades de
MATEMÁTICA No Brasil, 12 de julho foi instituído como
reflorestamentos e empresas de consultoria
que se relacionam à conservação e ao
Limite ........................................ Pág. 07 data comemorativa ao Dia do Engenheiro
melhoramento do meio ambiente, além
Florestal.
(aula 129) desenvolver atividades de ensino e de
O curso na UEA pesquisa.
QUÍMICA O curso de Engenharia Florestal da Univer- O conteúdo curricular envolve conceitos
Equilíbrio químico ..................... Pág. 09 sidade do Estado do Amazonas (UEA), básicos como auto-ecologia, fenologia e
(aula 130) oferecido no Centro de Estudos Superiores silvicultura, visando à produção racional de
de Itacoatiara, foi criado com o objetivo de sementes de alta qualidade e à utilização
PORTUGUÊS formar profissionais capazes de avaliar o tecnológica da madeira, indicando os usos
Simbolismo ............................... Pág. 11 potencial biológico dos ecossistemas mais adequados para as diferentes
florestais e, assim, planejar e organizar o espécies. Oferecido no período diurno e
(aula 131) seu aproveitamento racional de forma reconhecido pela Portaria 1.394/93 do
sustentável. Ministério da Educação, o curso tem carga
HISTÓRIA
Vinculado à Escola Superior de Tecnologia, horária de 3.600 horas, integralizadas num
A Era Vargas (1930–1945) o curso foi constituído na Universidade período mínimo de 9 e máximo de 14
................................................. Pág. 13 devido à crescente importância dos recur- semestres. O curso de Engenharia Florestal
sos naturais amazônicos para o mundo e, iniciou em Itacoatiara em agosto de 2003 e,
(aula 132)
precisamente em Itacoatiara, às intensas atualmente, estão cursando 141 alunos em
Referências bibliográficas ...... Pág. 15 atividades do pólo madeireiro e do terminal 4 turmas. Em julho deste ano, gradua sua
graneleiro. A centralização do curso no primeira turma, com 17 alunos.

2
– os mencheviques: liderados por Martov, defen-
História diam que os trabalhadores podiam conquistar o
poder participando normalmente das atividades
políticas. Acreditavam, ainda, que era preciso
Professor Francisco MELO de Souza
esperar o pleno desenvolvimento capitalista da
Rússia e o desabrochar das suas contradições,
Aula 127 para se dar início efetivo à ação revolucionária.
Como esses membros tiveram menos votos em
A Revolução Russa (1917) relação ao outro grupo, ficaram conhecidos
como mencheviques, que significa minoria.
ANTECEDENTES: – os bolcheviques: liderados por Lênin,
A população do Império Russo era formada por defendiam que os trabalhadores somente
povos de diversas etnias, línguas e tradições cul- chegariam ao poder pela luta revolucionária. 01. (FGV) Entre os dez melhores trabalhos
turais. Cerca de 80% dessa população era rural, Pregavam a formação de uma ditadura do jornalísticos deste século, escolhidos nos
e 90% não sabia ler e escrever, sendo duramente proletariado, na qual também estivesse EUA, está o de John Reed, Os dez dias
explorada pelos senhores feudais. Com a representada a classe camponesa. Como esse que abalaram o mundo. Tal reportagem
industrialização, foi-se estabelecendo, progressi- grupo obteve mais adeptos, ficou conhecido enfocou os acontecimentos da:
vamente, uma classe operária, igualmente explo- como bolchevique, que significa maioria. a) Queda do Muro de Berlim, em 1989;
rada, mas com maior capacidade reivindicativa e O ENSAIO REVOLUCIONÁRIO DE 1905 b) Revolução Russa de 1917;
aspirações de ascensão social. A situação de c) formação do III Reich na Alemanha, em
extrema pobreza e de exploração em que vivia a A Guerra Russo-Japonesa (1904-1905), de cará-
ter imperialista pela disputa da Coréia e da Man- 1933;
população tornou-se, assim, um campo fértil d) intervenção alemã na Polônia, em 1939;
para o florescimento de idéias socialistas. chúria, terminou com uma fragosa derrota do
czar e de seu projeto expansionista. Esse fracas- e) crise provocada pelo escândalo Watergate,
ALEXANDRE II (1858–1881) so incentivou as forças de oposição. A primeira iniciada em 1972.
Alexandre II tinha consciência da necessidade de evidência de impasse político deu-se em 22 de 02. (FGV) Em abril de 1917, o líder bolche-
se promover reformas modernizadoras no país, janeiro de 1905, quando uma manifestação
para aliviar as tensões sociais internas e
vique Lenin, exilado em Zurique (Suíça),
popular pacífica em frente ao palácio de inverno
transformar a Rússia num Estado mais respeita-
voltou à Rússia, lançando as Teses de
de Nicalau II, em São Petsburgo, foi violen-
do internacionalmente. Com sua política refor- tamente reprimida. Os manifestantes, mesmo
Abril. Nesse programa político, é incor-
mista, Alexandre II promoveu, por exemplo: cantando o hino de fidelidade ao governo Deus
reto afirmar que Lenin propunha a/o:
a) a abolição da servidão agrária, beneficiando salve oczar, foram dizimados às centenas. a) formação de uma República de sovietes;
cerca de 40 milhões de camponeses que ain- O episódio de 22 de janeiro de 1905 ficou conhe- b) concessão à defesa nacional, dando total
da permaneciam submetidos ao mais cruel cido como o Domingo Sangrento. Uma onda de apoio ao governo provisório;
sistema de exploração de seu trabalho; protesto e intranqüilidade espalhou-se por todo o c) nacionalização dos bancos e das proprie-
b) a suspensão da censura aos livros e à impren- território russo, propiciando as greves e os dades privadas;
sa; levantes militares, como o encouraçado Potemkin. d) reconstituição da Internacional;
c) o incentivo ao ensino elementar e a concessão Em meio a essa situação, o czar foi obrigado a e) controle da produção pelos operários.
de autonomia acadêmica às universidades; assinar o Tratado de Portsmouth, em 5 de se-
d) a concessão de maior autonomia administra-
03. (Puccamp) A Revolução Socialista na
tembro de 1905, pondo fim à Guerra Russo-Japo-
tiva aos diferentes governos das províncias. nesa e sujeitando-se a entregar ao Japão parte
Rússia, em 1917, foi um dos aconteci-
setentrional da ilha de Sacalina, a península de mentos mais significativos do século XX,
ALEXANDRE III (1881–1894) uma vez que colocou em xeque a ordem
Liaotung e a Coréia. No mês seguinte, o czar
Alexandre III concedeu grandes poderes à polícia
lançou o Manifesto de Outubro, prometendo ao socioeconômica capitalista. Sobre o
política do governo (Okhrana), que exercia
povo a instauração de uma monarquia desencadeamento do processo revolu-
severo controle sobre os setores educacionais, cionário, é correto afirmar que:
constitucional e parlamentar. Com o manifesto,
imprensa e tribunais, além dos dois importantes a) os mencheviques tiveram um papel funda-
iniciou-se a formação dos soviets (conselho de
partidos políticos (Narodnik e o Partido Operário mental no processo revolucionário por
trabalhadores), em várias regiões da Rússia, o
Social-Democrata Russo), que queriam acabar defenderem a implantação ditadura do
que ativou a participação popular.
com a autocracia, passando a atuar na clandes- proletariado.
tinidade. Impedidos de protestar contra a explo- A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E O
COLAPSO DO CZARISMO b) os bolcheviques representavam a ala mais
ração de que eram vítimas, camponeses e traba-
conservadora dos socialistas, sendo derro-
lhadores urbanos continuaram sob a opressão No início da Primeira Guerra Mundial, a Rússia,
tados pelos mencheviques, nas jornadas
da aristocracia agrária e dos empresários como os demais países, esperava que ela fosse
de outubro.
industriais. breve e que a paz a beneficiasse. Membro da
c) foi realimentado pela participação da Rússia
NICOLAU II (1894–1917) Tríplice Entente (Rússia, Inglaterra e França), a
na Primeira Guerra Mundial, o que desenca-
Rússia lutou contra a Alemanha e a Áustria-Hun-
Nicolau II, o sucessor de Alexandre III, procurou deou uma série de greves e de revoltas
gria, visando à conquista territorial, especialmen-
facilitar a entrada de capitais estrangeiros para populares em razão da crise de
te na região dos estreitos de Bósforo e Dardane-
promover a industrialização do país, principal- abastecimento de alimentos.
los, para alcançar o Mediterrâneo. Mas, ao con-
mente da França, da Alemanha, da Inglaterra e d) foi liderada por Stalin, a partir de outubro,
trário das expectativas, a guerra agravou as
da Bélgica. Esse processo de industrialização que estabeleceu a tese da necessidade da
contradições sociais e políticas do país.
ocorreu posteriormente à da maioria dos países revolução em um só país, em oposição a
O desastre militar russo foi completo: os alemães
da Europa Ocidental. O desenvolvimento capita- Trotsky, líder do exército vermelho.
conquistaram boa parte de seu território e morre-
lista russo foi ativado por medidas como o início e) o Partido Comunista conseguiu superar os
ram mais de um milhão e meio de soldados.
da exportação do petróleo, além da implantação
No fim de 1916, a Rússia estava desestruturada conflitos que existiam no seu interior quando
de estradas de ferro e da indústria siderúrgica.
militarmente, e a economia estava em crise: o estabeleceu a Nova Política Econômica, que
Partido Operário Social-Democrata Russo desabastecimento, a escassez e os distúrbios representava os interesses dos setores mais
(POSCDR) populares. As condições eram propicias para um conservadores.
Com o desenvolvimento da industrialização e o levante revolucionário contra o governo imperial
maior relacionamento com a Europa Ocidental, a de Nicolau II. 04. (UFPE) A Revolução Russa de 1917
Rússia recebeu do exterior novas correntes polí- estabeleceu uma nova ordem política,
A REVOLUÇÃO MENCHEVIQUE
ticas que se chocavam com o antiquado absolu- econômica e social. Para o triunfo da
No Palácio Tauride, sede da Duma e, revolução, contribuíra:
tismo do governo russo. Entre elas, destacou-se a
posteriormente, do Governo Provisório e do a) a existência, na Rússia, de uma única
corrente inspirada no marxismo, que deu origem
Soviete de Petrogrado numa das greves em classe social formada pelos camponeses.
ao Partido Operário Social-Democrata Russo.
Petrogrado (atualmente São Petersburgo, então b) a incompetência do governo czarista,
O POSDR foi violentamente combatido pela
capital do país), Nicolau II toma a última das suas associada ao despotismo da aristocracia e
Ochrana. Embora tenha sido desarticulado dentro
muitas decisões desastrosas: ordena aos militares
da Rússia em 1898, voltou a organizar-se no à extrema miséria dos camponeses e das
que disparem sobre a multidão e contenham a
exterior, tendo como líderes principais Gueorgui classes operárias.
revolta. Partes do exército, sobretudo os soldados,
Plekhanov, Vladimir Ilyich Ulyanov (conhecido c) a distribuição de terras aos camponeses.
apóiam a revolta. A violência e a confusão nas ruas
como Lênin) e Lev Bronstein (conhecido como d) a nacionalização dos meios de produção,
tornam-se incontroláveis. Segundo o jornalista
Trotski). promovida no governo de Nicolau II.
francês Claude Anet, morreram, em São
Em 1903, divergências quanto à forma de ação e) a indiferença da Igreja Ortodoxa Russa.
Petersburgo, cerca de 1500 pessoas, e cerca de
levaram os membros do partido POSDR a se
6000 ficaram feridas.
dividir em dois grupos básicos:

3
Em 15 de março de 1917, o conjunto de forças país. Pouco tempo depois, em março de 1921,
políticas de oposição (liberais burguesas e socia- adaptou-se um conjunto de medidas conhecidas
listas) depuseram e condenaram à morte o impe- como Nova Política Econômica ou NEP. Entre as
rador czar Nicolau II com sua familia, dando início medidas tomadas pela NEP, destacam-se: liber-
à Revolução Russa. Instalou-se a República da
dade de comércio interno, liberdade de salário aos
Duma, logo em seguida, sob a chefia de
Alexandre Kerensky, líder menchevique. Em julho, trabalhadores, autorização para o funcionamento
o governo provisório instituiu uma ditadura, de empresas particulares e permissão de entrada
deixou de lado as reformas sociais e manteve o de capital estrangeiro para a reconstrução do país.
país na guerra. O Estado russo continuou, no entanto, exercendo
Liderados por Lênin e Trotski, os bolcheviques controle sobre setores considerados vitais para a
ganharam popularidade com as Teses de Abril economia: o comércio exterior, o sistema bancário
enunciadas na plataforma “paz, terra e pão”, que
01. (PUCMG) Nos primeiros tempos da e as grandes indústrias de base.
propunha a saída da Rússia da Primeira Guerra
república soviética, implantada na Rússia Mundial, a divisão das grandes propriedades GOVERNO DE STÁLIN
em 1917, o trabalho é visto como um entre os camponeses e a regularização do abas- Lênin, o fundador do primeiro Estado socialista,
direito sagrado e como um valor moral. tecimento interno. Sob o lema “todo poder aos morreu em janeiro de 1924. Teve início, então,
Depois, esses princípios são negados sovietes”, Trotski recrutava uma milícia revolucio-
pelo trabalho forçado e compulsório, uma grande luta interna pela disputa do poder
nária em Petrogrado, a Guarda Vermelha, entre
porque é preciso, EXCETO: soviético. Num primeiro momento, entre os prin-
trabalhadores bolcheviques dos sovietes.
a) superar o arcaísmo de caráter semifeudal. Em novembro de 1917 (ou 25 de outubro no cipais envolvidos nessa disputa pelo poder, figu-
b) promover o desenvolvimento rápido da calendário Juliano), os bolcheviques tomaram de ravam Trotski e Stalin.
indústria pesada. assalto os departamentos públicos e o Palácio de Trotski defendia a tese da revolução permanente,
c) conter os opositores temerosos de uma Inverno, criando o Conselho de Comissários do segundo a qual o socialismo somente seria
“nova exploração proletária”. Povo, o novo governo russo. No comando do possível se fosse construído à escala internacio-
d) disciplinar os trabalhadores para nobres Conselho, estavam Lênin, como presidente, nal. Ou seja, a revolução socialista deveria ser
metas do socialismo. Trotski, como encarregado dos negócios estran- levada à Europa e ao mundo.
e) bloquear a entrada dos vícios do trabalha- geiros, e Stálin, chefiando os negócios internos.
Opondo-se à tese trotskista, Stalin defendia a
dor do capitalismo. Durante este período, o governo bolchevique
tomou uma série de medidas de impacto, como: construção do socialismo num só país. Pregava
02. (PUCRS) Em 1917, liderados por Lênin e a) Pedido de paz imediata: em março de 1918, foi que os esforços por uma revolução permanente
Trótski, os bolcheviques ganharam popu- assinado, com a Alemanha, o Tratado de Brest- comprometeriam a consolidação interna do so-
laridade com as “Teses de Abril”, enuncia- Litovski, com o qual a Rússia abriu mão do cialismo na União Soviética.
das na plataforma “paz, terra e pão”, que controle sobre a Finlândia, Países bálticos A tese de Stalin tornou-se vitoriosa. Foi aceita e
propunha (Estônia, Letônia e Lituânia), Polônia, Bielo- aclamada no XIV Congresso do Partido Comu-
a) a manutenção da Rússia na Primeira Guerra rússia e Ucrânia, bem como de alguns distritos nista.
turcos e georgianos antes sob seu domínio.
Mundial, a conquista da Manchúria e a Trotski foi destituído das suas funções como co-
b) Confisco de propriedades privadas: grandes
formação dos soviets. missário de guerra, expulso do Partido e, em
propriedades foram tomadas dos aristocratas
b) a saída da Rússia da Primeira Guerra Mun- 1929, deportado da União Soviética. Tempos
e da Igreja Ortodoxa, para serem distribuídas
dial, a instauração de uma monarquia parla- entre o povo. depois, em 1940, foi assassinado no México, a
mentar e a formação da Guarda Vermelha. Declaração do direito nacional dos povos: o mando de Stalin, por um agente de segurança
c) a entrada da Rússia na Primeira Guerra novo governo comprometeu-se a acabar com soviético, que desferiu, no antigo líder do Exér-
Mundial, a instalação da ditadura do pro- a dominação exercida pelo governo russo cito Vermelho, golpes de picareta na cabeça.
letariado e a adoção de uma nova política sobre regiões, tais como a Finlândia, a Geórgia A partir de dezembro de 1929, Stalin converteu-
econômica (a NEP). ou a Armênia.
se no ditador absoluto da União Soviética. O
d) a manutenção da Rússia na Primeira Guer- c) Estatização da economia: o novo governo
método que utilizou para a total conquista do
ra Mundial, o domínio dos estreitos de Bós- passou a intervir diretamente na vida econô-
foro e Dardanelos e a formação de um mica, nacionalizando diversas empresas. poder político teve como base a sua habilidade
parlamento (DUMA). no controle da máquina burocrática do Partido e
GUERRA CIVIL
e) a saída da Rússia da Primeira Guerra Mun- do Estado, bem como a montagem de um impla-
Durante o curto período em que os territórios
dial, a divisão das grandes propriedades cável sistema de repressão política de todos os
cedidos no Tratado de Brest-Litovski estiveram
entre os camponeses e a regularização do em poder do exército alemão, as várias forças opositores. Desse modo, Stalin conseguiu
abastecimento interno. antibolcheviques puderam organizar-se e armar- eliminar do Partido, do Exército e dos principais
se. Essas forças dividiam-se em três grupos que órgãos do Estado todos os antigos dirigentes
03. (Ufjf) Sobre o contexto social da Rússia,
também lutavam entre si: 1) czaristas, 2) liberais, revolucionários, muitos dos quais tinham sido
anterior à Revolução Bolchevique de
eseritas e metade dos socialistas e 3) grandes companheiros de Lénin, como Zinoviev,
1917, é incorreto dizer que: anarquistas. Com a derrota da Alemanha em Bukharin, Kamenev, Rikov, Muralov, entre outros.
a) a grande massa da população era cam- 1919, esses territórios tornaram-se novamente
ponesa, reflexo das condições econômicas Depois de presos e torturados, os opositores de
alvo de disputa, bem como as bases das quais
e sociais anteriores, havendo grande con- Stalin eram forçados a confessar crimes de espio-
partiriam forças que pretendiam derrubar o
centração fundiária nas mãos de poucos. nagem que não haviam praticado. E, assim,
governo bolchevique.
b) a industrialização estava restrita a poucas Ao mesmo tempo, Trotsky se ocupou em orga- conhecidos patriotas eram executados como
cidades, como Moscou e São Petersburgo, e nizar o novo Exército Vermelho. Com a ajuda traidores da pátria. Era a farsa jurídica que carac-
fora financiada, em grande parte, pelo capital deste, os bolcheviques mostraram-se preparados terizou as chamadas depurações estalinistas.
europeu ocidental. para resistir aos ataques do também recém- Durante o período stalinista (1924–1953), calcula-
c) apresentava uma burguesia forte e organi- formado Exército polonês, dos Exércitos Brancos se que o terror político soviético foi responsável
zada, com um projeto revolucionário de Denikin, Kolchak, Yudenich e Wrangel (que se pela prisão de mais de cinco milhões de cida-
amadurecido, que defendia, entre outros dividiam entre as duas primeiras facções citadas
dãos e pela morte de mais de 500 mil pessoas.
aspectos, a criação de uma República no no parágrafo anterior) e também para suprimir o
Houve êxito na reconstrução do país e na ele-
lugar do governo czarista. Exército Insurgente de Makhno e a Revolta de
Kronstadt, ambos de forte inspiração anarquista. vação do nível econômico e cultural da popula-
d) o proletariado enfrentava péssimas condi- ção soviética, tornando a URSS, juntamente com
No início de 1921, encerrava-se a guerra civil, com
ções de vida nas cidades, fruto dos baixos os Estados Unidos da América, após a Segunda
a vitória do Exército Vermelho. O Partido
salários, mas dispunha de um certo grau de
Bolchevique, que, desde 1918, havia alterado sua Guerra Mundial (1939-1945), uma das superpo-
organização política, que possibilitava sua denominação para Partido Comunista, tências mundiais.
mobilização. consolidava a sua posição no governo. Com a vitória dos aliados sobre o eixo nazifas-
e) após o fim da servidão, houve uma intensa Terminada a guerra civil, a Rússia estava comple-
migração do campo em direção à cidade, cista formado por Alemanha, Japão e Itália, a
tamente arrasada, com graves problemas para
contribuindo para o aumento da mão-de- União Soviética, o principal oponente da Alema-
recuperar sua produção agrícola e industrial.
obra disponível, que seria direcionada, em Visando promover a reconstrução do país, Lenin nha na Europa, passou a dispor de enorme pres-
grande parte, para a indústria. criou, em fevereiro de 1921, a Comissão Estatal de tígio internacional, mas teve enormes perdas
Planificação Econômica ou GOSPLAN, encar- humanas e materiais. O governo de Stalin
regada da coordenação geral da economia do terminou com sua morte no ano de 1953.

4
3. Ciclo do oxigênio
Biologia
Professor GUALTER Beltrão

Aula 128

Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos da Matéria
Discutiremos, aqui, quatro ciclos biogeoquímicos: Figura 03 01. (Furg 97) Analise o Ciclo (parcial) do Carbo-
o da água, o do gás carbônico, o do oxigênio e no na coluna d'água representado a seguir:
O oxigênio participa da composição da água, do
o do nitrogênio.
gás carbônico e de numerosos compostos
1. Ciclo da água
orgânicos e inorgânicos. Na atmosfera e na
O ciclo da água na natureza está resumido no hidrosfera, é encontrado livre, como substância
esquema a seguir:
pura, simples, de fórmula O2. É um gás liberado
pelos organismos fotossintetizantes, por meio do
processo de fotossíntese. É utilizado para a
respiração de plantas e de animais, em processo
que resulta na produção de gás carbônico. Em relação aos processos indicados pelas
O oxigênio pode participar também da formação letras A, B e C, pode-se afirmar que
da camada de ozônio (O3) na atmosfera, de I. A, B e C referem-se à Fotossíntese,
extrema importância como filtro das radiações Respiração e Decomposição, respecti-
ultravioleta. Estas, embora sejam úteis em vamente.
II. A, B e C referem-se à Fotossíntese,
determinada intensidade, são nocivas em
Decomposição e Respiração, respec-
intensidades maiores, estando associadas a
tivamente.
doenças, como o câncer de pele, e a alterações
Figura 01 III. Os organismos envolvidos no processo
genéticas, por induzirem mutações. A são Autótrofos, enquanto aqueles
Os seres vivos absorvem ou ingerem água, pois
ela é uma substância fundamental para sua A camada de ozônio vem sendo progressivamente envolvidos em B e C são Heterótrofos.
sobrevivência. Essa ingestão ou absorção pode destruída, principalmente por ação de um gás Assinale a alternativa correta
ser direta ou por meio de alimentos. Na respiração conhecido por clorofluorcarbono, também a) II e III estão corretas.
celular, por exemplo, o alimento é usado como designado por suas iniciais, CFC. O clorofluorcar- b) somente II está correta.
fonte de energia num processo em que há bono é utilizado em sprays (aerossóis), condicio- c) I e III estão corretas.
formação de água: nadores de ar, geladeiras, espuma plástica, d) somente I está correta.
glicose + O2 à CO2 + água. e) somente III está correta.
componentes eletrônicos e outros produtos.
O excesso de água absorvido, ingerido ou
proveniente do metabolismo é eliminado do
Atualmente, o CFC tem sido substituído por 02. (Fuvest 2000) O esquema a seguir
corpo dos indivíduos de diversas formas. Dentre substâncias menos danosas ao meio ambiente. representa o ciclo do carbono.
elas, podemos citar a evaporação, a transpiração 4. Ciclo do nitrogênio
e a excreção. Quando em decomposição, após a
morte, o corpo dos indivíduos também passa por
um processo em que há liberação de água.
A água liberada do corpo dos seres vivos e a
água resultante do processo de evaporação em
rios, lagos e solos passam para a atmosfera. Há
A utilização do álcool como combustível
condensação, e a água pode retornar para a
de automóveis intensifica, principalmente,
terra, principalmente, sob a forma de chuva.
a passagem representada
2. Ciclo do gás carbônico
a) I. b) II. c) III.
O gás carbônico é encontrado na atmosfera em d) IV e) V
proporção aproximada de 0,03% e, também, em
proporção semelhante, dissolvido nas águas 03. (G1) O ciclo do elemento químico carbono
superficiais de mares, rios e lagos. O gás carbônico Figura 04
na natureza envolve os seguintes
é retirado do ar ou da água pelo processo de fenômenos bioquímicos:
O nitrogênio é um elemento muito importante para
fotossíntese e a eles devolvido pela respiração. a) Decomposição e evaporação.
A decomposição do corpo de organismos mortos os seres vivos, pois faz parte da composição das
b) Evaporação e precipitação.
também participa do ciclo do CO2, pois, nesse proteínas e dos ácidos nucléicos. Ele é muito
c) Absorção e precipitação.
processo, os microrganismos oxidam a matéria abundante na atmosfera, onde ocorre como gás d) Transporte e decomposição.
orgânica, liberando CO2 para a atmosfera. (N2). Apesar disso, não é utilizado de modo direto e) Fotossíntese e respiração.
Outro fator de liberação de gás carbônico para a pelos seres vivos, com exceção de alguns microor-
atmosfera é a queima de combustíveis fósseis, 04. (G2) O elemento, carbono presente nas
ganismos. Seu aproveitamento pelos seres vivos
representados, principalmente, pelo carvão-de- moléculas orgânicas que constituem os
está na dependência de sua fixação e posterior
pedra e pelo petróleo. seres vivos, é restituído ao ambiente, em
nitrificação. forma aproveitável pelos vegetais, através da
A fixação do N2 pode ser feita por meio de
a) desnitrificação pelas algas cianofíceas do
radiação ou da biofixação, sendo este último
solo.
processo o mais importante. A biofixação é b) fotossíntese de organismos produtores.
realizada por bactérias, cianobactérias e fungos, c) respiração celular de produtores e
que podem viver livres no solo ou associados, consumidores.
principalmente, a raízes de plantas. Esses d) transformação de amônia em nitratos.
organismos são os únicos que conseguem e) liberação de gás oxigênio pelas algas
transformar o N2 atmosférico em uma forma marinhas.

Figura 02 utilizável pelos seres vivos: a amônia (NH3).

5
c) lipídios; d) proteínas.

02. (G1) O grande ciclo da água na natureza


envolve os seguintes fenômenos físicos:
a) Decomposição e evaporação.
b) Evaporação e precipitação.
c) Absorção e precipitação.
d) Transporte e decomposição.
e) Fotossíntese e respiração.
Figura 05. Nódulos de bactérias fixadoras de nitrogênio
em raízes de leguminosas (bacteriorrizas) 03. (Uel) Considere os itens a seguir:
A amônia produzida pelos biofixadores associa- I. solo
01. (PUCSP 96) O esquema a seguir repre- dos é incorporada diretamente aos aminoácidos II. água líquida
senta um dos ciclos biogeoquímicos que da planta em que vivem. Já a amônia produzida III. plantas
ocorrem nos ecossistemas. pelos biofixadores de vida livre é transformada, IV. animais
por nitrificação, em nitrito e, depois, em nitrato, Perdem água para a atmosfera
pela ação das bactérias nitrificantes a) apenas I, II e III
(Nitrossomonas e Nitrobacter). Essas bactérias b) apenas I, II e IV
são autótrofas quimiossintetizantes, que utilizam c) apenas I, III e IV
a energia da nitrificação para a síntese de suas
d) apenas II, III e IV
substâncias orgânicas.
e) I, II, III e IV
Nitrossomonas
Amônia O2 Nitrito 04. (Cesgranrio) Nos ambientes aquáticos,
o ciclo do carbono pode ser esque-
Energia matizado, simplificadamente, conforme
Nesse esquema, os espaços I e II devem mostra o esquema a seguir. Estude-o
ser substituídos, correta e respectivamente, 6CO2 + 6H2O C6H12O6 + 6O2 com atenção e assinale a opção que
por: descreve a participação do plâncton
Nitrobacter na(s) etapa(s) A e B:
a) oxigênio e consumidores primários.
Nitrito + O2 Nitrato
b) água e consumidores primários.
c) dióxido de carbono e produtores. Energia
d) oxigênio e produtores.
e) dióxido de carbono e consumidores primários. 6CO2 + 6H2O C6H12O6 + 6H2O
02. (UFRS 97) Relacione os processos biológi- O nitrato pode ser absorvido pelos vegetais, e o
cos listados (1, 2 e 3) com um ou mais dos nitrogênio nele contido é utilizado na síntese de
ciclos biogeoquímicos na coluna a seguir aminoácidos, proteínas e ácidos nucléicos.
(a, b e c). Essas substâncias são transferidas, direta ou
1. Fotossíntese indiretamente, para os animais, ao longo das a) O zooplâncton participa das etapas A e B.
2. Respiração vegetal cadeias alimentares. b) O fitoplâncton participa das etapas A e B.
3. Decomposição aeróbica de restos orgâ- O nitrogênio deixa o corpo dos organismos por
c) O zooplâncton só participa da etapa B.
nicos por microorganismos dois processos: excreção de produtos nitroge-
d) O fitoplâncton só participa da etapa B.
(a)Ciclo do carbono nados e/ou decomposição dos organismos
e) O fitoplâncton só participa da etapa A.
mortos.
(b)Ciclo do oxigênio
(c)Ciclo do nitrogênio As substâncias nitrogenadas – uréia e ácido úrico 05. (FGV) O ciclo do carbono é relativa-
Assinale a alternativa que melhor represen-
– são transformadas em amônia por bactérias e mente rápido, exceto quando é:
fungos decompositores, que também degradam
ta essas relações: a) dissolvido em ecossistemas aquáticos.
proteínas do corpo dos organismos mortos,
a) 1 (a) (b) – 2 (a) (b) – 3 (a) (b) (c) b) liberado pela respiração.
transformando-as em amônia.
b) 1 (a) (b) – 2 (a) (b) – 3 (c) c) convertido em açúcares.
A amônia pode retornar ao ciclo, sendo
c) 1 (b) – 2 (a) – 3 (a) (b) d) armazenado em madeira.
transformada em nitrito e em nitrato. As
d) 1 (b) – 2 (a) – 3 (b) (c) e) liberado como CO2.
bactérias desnitrificantes devolvem o nitro-
e) 1 (b) (c) – 2 (c) – 3 (b) (c) gênio (N2) do nitrato e do nitrito para a atmosfera, 06. (Fuvest 99) O ciclo do carbono pode
03. (Fatec 98) Considere as afirmações a seguir reiniciando o ciclo. ser resumido no esquema a seguir:
sobre o ciclo do nitrogênio na natureza:
I. A fixação do nitrogênio é realizada por Exercícios
bactérias que vivem livres no solo ou
associadas a raízes de plantas legumino- 01. (UFMG) Observe esta figura:
sas, como soja, alfafa, feijão, ervilha etc.
II. O retorno do nitrogênio à atmosfera é As etapas I e II podem ser, respectiva-
promovido por bactérias desnitrificantes, mente,
que transformam os nitratos em nitrogê- a) fotossíntese e quimiossíntese.
nio gasoso. b) decomposição e queima de combustíveis.
III. Devido à grande importância do nitrogê- c) fotossíntese e queima de combustíveis.
nio na formação de proteínas e ácidos d) quimiossíntese e fotossíntese.
nucléicos, a maioria das plantas conse- e) fermentação e respiração.
gue aproveitá-lo na forma de N2.
07. (Uel 97) Uma diminuição de CO2 na
A respeito dessas afirmações, deve-se
atmosfera, contribuindo para amenizar
dizer que Os nódulos formados nas raízes das o efeito estufa, pode ocorrer através do
a) todas estão incorretas. leguminosas resultam da colonização aumento da
b) todas estão corretas. por bactérias fixadoras de nitrogênio.
a) respiração. b) fotossíntese.
c) somente a I e a II estão corretas. Devido à presença desses nódulos nas
c) transpiração. d) fermentação.
d) somente a II e a III estão corretas. raízes, as sementes de leguminosas –
e) combustão.
e) somente a III está correta. como a soja, por exemplo – são boas
armazenadoras de
a) amido; b) carboidratos;

6
Matemática
Professor CLÍCIO Freire

Aula 129

Limite
Em Matemática, o conceito de limite é usado
para descrever o comportamento de uma função
à medida que o seu argumento se aproxima de 01. Determine o valor de cada limite pedido
um determinado valor, assim como o comporta- abaixo:
mento de uma sequência de números reais, à x2–7x+10
medida que o índice (da sequência) vai crescen- a) limx→2 ––––––––––
2
x –4
do, i.e., tende para infinito. Os limites são usados x2+x–2
no cálculo diferencial e em outros ramos da b) limx→–1 ––––––––––
2
x –1
análise matemática para definir derivadas e a
x2+2x–35
continuidade de funções. c) limx→5 ––––––––––
x –10x+25
2

Limite de uma função Notamos que, à medida que x se aproxima de 1,


y se aproxima de 3, ou seja, quando x tende
d) limx→25 ––––––––––
Suponhamos que f(x) é uma função real e que c 25– x
é um número real. A expressão: para 1(x→1), y tende para 3(y→3), ou seja: 9–x
limx→c f(x) = L limx→1(2x+1)=3 e) limx→9 ––––––––––
–3
significa que f(x) se aproxima tanto de L quanto Observamos que, quando x tende para 1, y (x+3)3–27
quisermos, quando se toma x suficientemente tende para 3, e o limite da função é 3. f) limx→0 ––––––––––
x
próximo de c. Quando isso acontece, dizemos Esse é o estudo do comportamento de f(x) 3 1 1
que "o limite de f(x), à medida que x se quando x tende para 1 (x→1). Nem é preciso g) limx→0 ––(–––– – –––––)
x 5+x 5–x
aproxima de c, é L". Note-se que essa afirmação que x assuma o valor 1. Se f(x) tende para 3, x2
pode ser verdadeira mesmo quando f(c)≠L, ou então (f(x)→3). Dizemos que o limite de f(x), h) limx→0 –––––––––––
quando a função f(x) nem sequer está definida quando x→1, é 3, embora possam ocorrer (x – 4)3
em c. Vejamos dois exemplos que ajudam a casos em que, para x = 1, o valor de f(x) não i) limx→4 ––––––
|4 – x|
ilustrar esses dois pontos importantíssimos. seja 3.
5x2–8x+13
Exemplo 01 De forma geral, escrevemos: j) limx→3 ––––––––––
x
2
x –5
limX→Q f(x)=b
Consideremos f(x)=–––––––– à medida que x 3x2–x+10
x2 + 1 se, quando x se aproxima de a (x→a), f(x) se k) limx→2 ––––––––––
se aproxima de 2. Nesse caso, f(x) está definido
2
x –4
aproxima de b (f(x)→b).
em 2 e é igual ao seu limite: 0.4. Vejamos: x4–81
Seja, agora, a função: l) limx→3 ––––––––
2x –5x–3
2

1/x – 1/2
m) limx→–2 ––––––––
x +8
3

À medida que x aproxima-se de 2, f(x) aproxima- Como x² + x – 2 = (x – 1)(x + 2), temos: 3–


n) limx→4 ––––––––
se de 0.4 e, conseqüentemente, temos a igual- x–4
dade lim f(x)x→2= 0,4 . Sempre que se verifique x – 27
o) limx→27 –––––––
a igualdade f(c)= limx→c f(x), diz-se que f é con- x
1/3
–3
tínua em x = c. A igualdade não é válida para Podemos notar que, quando x se aproxima de 1 x1/3 – 1
p) limx→1 ––––––––––
todas as funções. Vejamos uma função onde (x→1), f(x) se aproxima de 3, embora, para x=1, x1/3 – 1
isso não acontece tenhamos f(x)=2. O que ocorre é que procura- sen(5x)
q) limx→0 ––––––––
mos o comportamento de y quando x→1. E, no 3x
caso, y→3. Logo o limite de f(x) é 3. cos(2x) – 1
r) limx→0 ––––––––––
Escrevemos: cos x –1
O limite de g(x), à medida que x se aproxima de (x–1)(x+2) x3 – 7x
2, é 0.4 (tal como em f(x)), mas limx→c ≠ g(2) e, limx→1 f(x)= limx→1 ––––––––– = limx→1 (x+2)= s) limx→0 ––––––––
x–1 3
x
conseqüentemente, g não é contínua em x = 2.
⇒ 1 +2 = 3 x4 – 5x –3
Consideremos, agora, o caso onde f(x) não está t) limx→0 ––––––––––
Se g: IR→IR e g(x)= x+2, limx→1g(x) = 2–
definida em x = c.
limx→1(x+2) = 1 + 2 = 3, embora g(x)≠f(x) em x3 – 1
u) limx→1 –––––––
x=1. No entanto ambas têm o mesmo limite. (x – 1)2

tg 2x
Apesar de f(x) não estar definida em x = 1, o v) limx→ π/2 –––––––
limite de f(x), quando x se aproxima de 1, existe x – π/2
e é igual a 2: 02. Determine os seguintes limites:
a) limx→p/2 (2 senx – cos2x + cotgx)
b) limx→∞ (5 – 1/x + 3/x2)
c) limx→∞ (4x3 – 2x2 + 1) / (3x3 – 5)
Sugestão: divida numerador e
Ora, x pode ser tomado tão próximo de 1
denominador por x3.
quanto quisermos, sem, no entanto, ser 1, pelo
Propriedades dos Limites d) limx→0 (senx / tgx)
que o limite de f(x) é 2.
1) limX→Q [f(x)±g(x)]=limX→Q f(x)±limX→Q g(x)
Exemplo 02 e) limx→0 (sen4x) / x
Exemplo:
Seja a função f(x)=2x+1. f) limx→∞ [(1 + 1/x)x + 3
limX→1 [x2±3x2] = limX→1 x2±limX→Q3x2
Vamos dar valores a x que se aproximem de 1 e
2) limX→Q [f(x) . g(x)]=limX→Q f(x) . limX→Q g(x) g) limx→0 [(1 + x)m – 1] / mx
calcular o valor correspondente de y:
Exemplo:
limx→π [3x3. cosx]=limx→π x3 . limx→πcosx =
π3.cosπ= π3.(–1) = –π3. cos x

7
f(x) limX→Q f(x) 1
3) limX→Q –––– =–––––––––– a) limx→∞ ––– =0, ou seja, à medida que x
g(x) limX→Q g(x) x
Exemplo: aumenta, y tende para zero, e o limite é zero.
cosx limx→0 cosx cos 0 1 1
limx→0 ––––– =––––––––––– =––––––=–– =0 b) limx→–∞ ––– =0, ou seja, à medida que x
x2+1 limx→0 x2+1 02+1 1 x
4) limX→Q f(x) =[limX→Q f(x)] . n∈lN*
n n
diminui, y tende para zero, e o limite é zero.
Exemplo: 1
limx→1 (x2+3)2=[limx→1 (x2+3)]2 = (1+3)2= 16 c) limx→0+ ––– =∞, ou seja, quando x se
x
5) , n∈IN* e f(x)>0. aproxima de zero pela direita de zero (x→0+)
(Se f(x) ≤ 0, n é impar) ou por valores maiores que zero, y tende para
Exemplo: o infinito, e o limite é infinito.
01. Vamos resolver os limites abaixo:
a) limx→ 5 (2x + 3) = 2.5 + 3 = 13 1
6) limX→Q [ln f(x)] = In [limX→Q f(x)], se limX→Q d) limx→0– ––– =–∞, ou seja, quando x→±∞
b) limx→+∞ (x2 + x)=(+∞)2+(+∞)= +∞+∞=+∞ x
f(x)>0
c) limx→ 2 (4 + x3) = 4 + 23 = 4 + 8 = 12 tende para zero pela esquerda ou por valores
Exemplo:
d) limx→ 4 [(3x + 3) / (2x–5)] = [(3.4 + 3) / (2.4 - 5)] menores que zero, y tende para menos
limx→e [ln x2] = In [limx→e x2]= In e2 = 2 ln e
=5 infinito.
=2.1 = 2
e) limx→ 4 [(x + 3) (x - 3)] = (4 + 3) (4 -3) = 7.1 = 7 Limite de uma função polinomial para x→±∞
7) limX→Q sen [f(x)] = sen [limX→Q f(x)]
02. Resolvendo alguns limites que tendem ao Exemplo: Seja a função polinomial
infinito: limx→1 sen(x2+3x) = sen [limx→1(x2+3x)]= f(x)= anxn + an–1xn–1 +... +a2x2 + a1x+a0.
1) limx→∞ (2x2 +x – 3)= limx→∞ 2x2 = ∞ sen4 Então:
2) limx→–∞ (3x3 –4x2 +2x +1)= limx→–∞ 3x3 = –∞ 8) limX→Q ef(x) = elim f(x)
X→Q
limx→±∞ f(x) =limx→±∞ anxn
2x4+x – 1 2x4 Exemplo: Demonstração:
3) limx→∞ ––––––––––= limx→–∞ –––– =
x +x +4
3 2
x3 limx→1 ex +3x = elim x +3x = e4 limx→±∞ (anxn + ... +a2x2 + a1x+a0)=
2 2
x→1

limx→–∞ 2x = ∞ Limites Laterais an–1 an–2 a1 a0


03. Vejamos o estudo do limite exponencial. limx→±∞ (an +–––– +–––– +... +––––+––––)=
Se x se aproxima de a, através de valores x x2 xn–1 xn
1 ↓ ↓ ↓ ↓
limx→∞ ( 1 + –– )x = e maiores que a ou pela sua direita, escrevemos: 0 0 0 0
x limX→a+ f(x) = b
Neste caso, e representa a base dos logaritmos Mas:
Esse limite é chamado de limite lateral à direita ax–1 ax–2
naturais ou neperianos. Trata-se do número de a. limx→±∞–––– =limx→±∞+–––– =
irracional, cujo valor aproximado é 2,7182818. x x2
Se x se aproxima de a, através de valores
1 a0
Veja a tabela com valores de x e de ( 1 + –– )x menores que a ou pela sua esquerda, limx→±∞–––– =0
x escrevemos: xn
limX→a– f(x) = c Logo:
Esse limite é chamado de limite lateral à limx→±∞ (anxn + ... +a2x2 + a1x+a0)= ... =
1 esquerda de a. limx→±∞ anxn
Notamos que, à medida que x→∞,( 1 + –– )x →e De forma análoga, para g(x)=bmxm+ ... +b1x+b0 ,
x O limite de f(x) para x a existe se, e somente se,
De forma análoga, efetuando a substituição os limites laterais à direita e à esquerda são temos:
1 1 iguais, ou seja: f(x) anxn
––– = y e x ––– , temos: limx→±∞–––– =limx→±∞+––––m
x y Se limX→a+ f(x) =limX→a– f(x) = b, então limX→a g(x) bmx
limx→0 (1 + y)1/y = e f(x) = b
Ainda, de forma mais geral, temos : Se limX→a+ f(x) ≠ limX→a– f(x) = b, então ∃/ limX→a Limites trigonométricos
limx→0 (1 + ky)1/y = ek1 f(x) sen x
limx→0 ––––––= 1
limx→∞ (1 + k / y)1x = ek1 Continuidade x
As duas formas acima dão a solução imediata a
Dizemos que uma função f(x) é contínua num
exercícios desse tipo e evitam substituições algé-
ponto a do seu domínio se as seguintes
bricas.
condições são satisfeitas:
Exemplo:
∃f(a)
Observe o cálculo do limite abaixo:
∃limX→a f(x)
limx→∞ (1+1/x)2x = limx→∞ (1+1/x)x .(1+1/x)x =
limX→a f(x)=f(a)
limx→∞ (1+1/x)x . limx→∞(1+1/x)x = e.e = e2
Propriedade das Funções Contínuas
ax – 1
limx→0 –––––– = In a Se f(x) e g(x) são contínuas em x=a, então: Demonstração:
x
Se ax – 1 = u, então ax = 1 +u. f(x) g(x) é contínua em a; Para x→ 0, temos sen x<x<tgx. Dividindo a
Mas: f(x) . g(x) é contínua em a; dupla desigualdade por sen x>0, vem:
In(1+u) f(x) x tgx x 1
In ax=In(1+u) ⇒ x.In a=In(1+u) ⇒ x= ———– ––––– é contínua em a [g(a) ≠ 0]. 1 < ––––– < –––––– ⇒ 1 < ––––– <–––––
g(x) senx senx senx senx
In a
Logo: Limites envolvendo infinito Invertendo, temos:
ax–1 u u. In a In a Conforme sabemos, a expressão x→∞ (x tende senx
–––– = ––––––– = –––––– = –––––——— = 1 > ––––– > cos x
x In(1+u) In(1+u) 1/u.In(1+u) para infinito) significa que x assume valores x
–––––––
In a superiores a qualquer número real e x→ –∞ (x Mas:
In a tende para menos infinitos), da mesma forma, limx→0 1 = limx→0 cos x= 1
––––––– 1/u indica que x assume valores menores que
In (1+u) g(x) < f(x) < h(x) são funções contínuas e, se
Como x→0 , então u→0. Portanto: qualquer número real. limX→Q g(x) = limX→Q h(x)= b, então limX→Q f(x)
ax–1 In a In a Exemplo: =b.
limx→0 –––– = limu→0 ––––––––– =limu→0 –––– =
x In(1+u)1/u In e senx
––––––– –––– Logo limx→0 ––––– = 1
e i x
In a Exemplo:
Generalizando a propriedade acima, temos . Observe o cálculo do limite abaixo:
akx–1 sen 5x 5.sen 5x
limx→0 –––– = k. In a limx→0 –––––––= limx→0 –––––––– =
x x 5x
ex–1 sen 5x sen u
limx→0 –––– = 1 5 limx→0 –––––––= 5 limu→0 –––––– = 5.1 = 5
x 5x u

8
o equilíbrio, ela não pára. Ela continua proces-
sando-se, porém tanto a reação direta como a
Química inversa ocorrem à mesma velocidade, e desse
jeito, a proporção entre os reagentes e os
Professor Pedro CAMPELO produtos não varia . Por outras palavras, estamos
na presença de um equilíbrio dinâmico (e não de
Aula 130
um equilíbrio estático).
3. CONSTANTE DE EQUILÍBRIO
Equilíbrio químico "Por exemplo, a constante dessa reação na
1. DEFINIÇÃO temperatura de 1000 K é 0,0413 L/mol (é comum
Um equilíbrio químico é a situação em que a pro- observar-se a omissão da unidade da constante,
porção entre as quantidades de reagentes e pro- uma vez que sua unidade pode variar de 01. (Unesp 95) Em uma das etapas da fabri-
dutos em uma reação química se mantém equilíbrio para equilíbrio)." cação do ácido sulfúrico, ocorre a reação
constante ao longo do tempo. Uma vez atingido o equilíbrio, a proporção entre SO2(g) + 1/2 O2(g) SO3(g)
os reagentes e os produtos não é necessaria-
Ao menos teoricamente, toda a reação química Sabendo-se que as constantes de
ocorre nos dois sentidos: de reagentes trans- mente de 1:1 (lê-se um para um). Essa proporção
é descrita por meio de uma relação matemática,
equilíbrio da reação diminuem com o
formando-se em produtos e de produtos trans- aumento da temperatura e que o processo
formando-se de volta em reagentes. Contudo, em mostrada a seguir:
Dada a reação genérica: de fabricação do ácido sulfúrico ocorre em
certas reações, como a de combustão, virtual-
mente 100% dos reagentes são convertidos em aA + bB yY + zZ , recipiente fechado, conclui-se que a reação
produtos, e não se observa o contrário ocorrer onde A, B, Y e Z representam as espécies quími- anterior
(ou, pelo menos, não em escala mensurável); tais cas envolvidas, e a, b, y e z, os seus respectivos a) é favorecida pelo aumento do volume do
reações são chamadas de irreversíveis. Há, tam- coeficientes estequiométricos, a fórmula que recipiente.
bém, uma série de reações nas quais, logo que descreve a proporção, no equilíbrio, entre as b) é desfavorecida pelo aumento da pressão
uma certa quantidade de produto(s) é formada, espécies envolvidas é: total exercida sobre o sistema.
este(s) torna(m) a dar origem ao(s) reagente(s); [y]y . [z]z
Kc = –––––––– c) é exotérmica.
essas reações possuem o nome de reversíveis. O [a]a . [b]b
d) não é afetada pelo aumento parcial de SO3.
conceito de equilíbrio químico praticamente Os colchetes representam o valor da concentra-
ção (normalmente em mol/L) da espécie que está e) tem seu rendimento do equilíbrio, estabe-
restringe-se às reações reversíveis.
simbolizada dentro dele ([A] = concentração da lecido em presença de um catalisador.
2. REVERSIBILIDADE DE REAÇÕES QUÍMICAS
espécie A, e assim por diante). Kc é uma grandeza
Um exemplo de reação reversível é a da produ- 02. (Faap 96) Atualmente, o processo industrial
chamada de constante de equilíbrio da reação.
ção da amônia (NH3), a partir do gás hidrogênio utilizado para a fabricação de H2SO4 é
Cada reação de equilíbrio possui a sua constante,
(H2) e do gás nitrogênio (N2) λ — que faz parte a qual sempre possui o mesmo valor para uma chamado "processo de contato". Nesse
do Processo de Haber: mesma temperatura. De um modo geral, a processo, o enxofre é queimado originando
N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g) constante de equilíbrio de uma reação qualquer é SO2(g). Este gás, juntamente com O2(g), é
Note-se que a seta dupla ( ) significa que a calculada dividindo-se a multiplicação das introduzido num conversor catalítico,
reação ocorre nos dois sentidos e que o subs- concentrações dos produtos (cada uma elevada quando ocorre a reação:
crito (g) indica que a substância se encontra na ao seu respectivo coeficiente estequiométrico) 2 SO2(g) + O2(g) 2 SO3(g)
fase gasosa. pela multiplicação das concentrações dos Supondo que o espaço livre do conversor
Nessa reação, quando as moléculas de nitrogê- reagentes (cada uma elevada ao seu relativo
nio e as de hidrogênio colidem entre si, há uma
seja de 400 litros e que nele estejam
coeficiente estequiométrico).
certa chance da reação entre elas ocorrer, assim confinados 80 mol SO2 , 120mol de O2 e
Um exemplo disso é a formação do trióxido de
como, quando moléculas de amônia colidem 200mol de SO3, sob dadas condições de
enxofre (SO3) a partir do gás oxigênio (O2) e do
entre si, há uma certa chance de elas se dissocia- dióxido de enxofre (SO2(g)) λ – uma etapa do pressão e temperatura, o valor de Kc, para
rem e de se reorganizarem em H2 e N2. processo de fabricação do ácido sulfúrico: a reação acima representada, é:
No início do processo, quando há apenas uma 2SO2(g) + O2(g) 2SO3(g) a) 20,8 b) 4,8 x 10–2 c) 8,33
mistura de hidrogênio e nitrogênio, as chances A constante de equilíbrio dessa reação é dada d) 0,12 e) 0,05
de as moléculas dos reagentes (H2 e N2) por:
colidirem umas com as outras é a máxima de [SO3]2 03. (Fei 94) O metanol, apesar de tóxico, é
toda a reação, o que fará com que a taxa (ou Kc = ––––––––––– muito importante em laboratórios, indústrias
[SO2]2 [O2]
velocidade) com que a reação ocorre também o
É possível determinar experimentalmente o valor e também como combustível. Pode ser
seja. Porém, à medida com que a reação se
da constante de equilíbrio para uma dada tempe- sintetizado a partir de monóxido de carbono
processa, o número de moléculas de hidrogênio e gás hidrogênio através da reação de
ratura. Por exemplo, a constante dessa reação na
e de nitrogênio diminui, reduzindo, dessa forma, equação:
temperatura de 1000K é 0,0413L/mol (é comum
as chances de elas colidirem entre si e,
observar-se a omissão da unidade da constante, CO(g) + 2 H2(g) CH3OH(g) ∆H<0
conseqüêntemente, a velocidade desse sentido
uma vez que sua unidade pode variar de O rendimento na produção de álcool é
da reação. Por outro lado, com o avançar da
equilíbrio para equilíbrio). A partir dela, dada uma favorecido:
reação, o número de moléculas de amônia vai
certa quantidade conhecida de produtos a) a baixas pressões
aumentando, o que faz com que cresçam as
adicionados inicialmente em um sistema nessa
chances de elas colidirem e de se voltar a formar b) a altas temperaturas
temperatura, é possível calcular, por meio da
hidrogênio e nitrogênio, elevando, assim, a c) pelo aumento da concentração de H2
fórmula da constante, qual será a concentração
velocidade desse sentido da reação. Por fim, d) pela adição de catalisador
de todas as substâncias quando o equilíbrio for
chegará um momento em que tanto a velocidade e) pela diminuição da concentração de CO
atingido.
de um dos sentidos quanto a do outro serão
idênticas. Nesse ponto, nenhuma das
4. RELAÇÃO ENTRE A VELOCIDADE DA 04. (Fuvest 94) A altas temperaturas, N2 reage
REAÇÃO E A CONSTANTE DE EQUILÍBRIO com O2, produzindo NO, um poluente atmos-
velocidades variará mais (se forem mantidas as
condições do sistema onde a reação se pro- Conforme já mencionado, no equilíbrio, a veloci- férico:
cessa) e ter-se-á atingido o equilíbrio químico, dade tanto da reação inversa quanto a da direta N2(g) + O2(g) 2NO(g)
são iguais. Por sua vez, a velocidade de uma
conforme ilustrado nas figuras abaixo: À temperatura de 2000 kelvins, a constante
reação depende de uma outra constante chama-
do equilíbrio acima é igual a 4,0x10–4.
da de constante de velocidade (simbolizada,
aqui, por k); e é possível encontrar uma relação Nessa temperatura, se as concentrações
entre as constantes de velocidade das reações de equilíbrio de N2 e O2 forem, respectiva-
direta e indireta e a constante de equilíbrio. mente, 4,0x10–3 e 1,0x10–3mol/L, qual será a
Para demonstrar isso, considere-se o seguinte de NO?
equilíbrio genérico (supondo que as suas rea- a) 1,6 x 10–9 mol/L.
ções ocorram cada qual em uma única etapa): b) 4,0 x 10–9 mol/L.
Um raciocínio similar, em princípio, pode ser 2A X+Y c) 1,0 x 10–5 mol/L.
aplicado para qualquer equilíbrio. Agora, vejamos as duas reações que ocorrem d) 4,0 x 10–5 mol/L.
Deve-se salientar que, quando uma reação atinge nele, juntamente com a expressão de suas res-
e) 1,6 x 10–4 mol/L.
pectivas velocidades (r):

9
2A → X + Y r = k . [A]2 inversa deixa de ser igual: se uma substância foi
X + Y → 2A r’ = k’ . [X] . [Y] retirada de uma das reações, essa passará a ser
É importante frisar que o expoente que eleva as mais lenta; e, analogamente, ela passará a ser
concentrações das espécies na fórmula da velo- mais rápida se uma substância for adicionada a
cidade não necessariamente é igual ao respecti- ela. Assim, ocorre que, se algo for acrescentado,
vo coeficiente estequiométrico da espécie na o equilíbrio tende a reduzir a quantidade dessa
reação, contudo o expoente certamente será substância e vice-versa.
assim se a reação processar-se em uma única
Tal resposta do equilíbrio pode ser sumarizada
etapa (conforme se está considerando nessa
pelo assim chamado Princípio de Le Chatelier:
situação).
Quando um stress é aplicado a um sistema em
Uma vez que as velocidades de ambas as rea-
ções são idênticas no equilíbrio, pode-se igualá- equilíbrio dinâmico, o equilíbrio tende a se ajustar
01. (Fuvest 96) N2O4 e NO2, gases poluentes para diminuir o efeito do stress.
las:
do ar, encontram-se em equilíbrio, como À medida que as reações se processam, as suas
k . [A]2 = k’ . [x] . [y]
indicado: Rearranjando a equação, tem-se: velocidades vão aproximando-se até que se igua-
N2O4 2NO2 [X] . [Y] k lem e, assim, é atingido novamente o equilíbrio. A
Em uma experiência, nas condições ambi- –––––––– = ––––
[A]2 k’ constante do equilíbrio será a mesma da de antes
entes, introduziu-se 1,50mol de N2O4 em Observemos que a expressão do membro esquer- de se adicionar ou remover substâncias.
um reator de 2,0 litros. Estabelecido o do é idêntica à fórmula do equilíbrio dessa reação. 7. TEMPERATURA
equilíbrio, a concentração de NO2 foi de Então podemos escrever:
É mostrado experimentalmente que a formação
0,060mol/L. Qual o valor da constante Kc, k
Kc = –––– de produtos de uma reação exotérmica (isto é,
em termos de concentração, desse equilí- k’
que liberta energia) é favorecida com a dimi-
brio? Essa relação é válida para qualquer equilíbrio
cujas reações ocorram em uma única etapa, o nuição da temperatura, ao passo que a formação
a) 2,4 x 10–3 b) 4,8 x 10–3 c) 5,0 x 10–3
que pode ser facilmente constatado por essa de produtos em uma reação endotérmica (isto é,
d) 5,2 x 10–3 e) 8,3 x 10–2
mesma dedução para outros equilíbrios. que absorve energia) é favorecida com o
02. (ITA 95) Dentro de um forno, mantido No caso de as reações se processarem em mais aumento da temperatura.
numa temperatura constante, temos um de uma etapa, basta lembrar que a reação global Em um equilíbrio, se uma reação é endotérmica,
recipiente contendo 0,50mols de Ag(c), nada mais é que a soma das reações de cada a outra, necessariamente, é exotérmica, e vice-
0,20mols de Ag2O(c) e oxigênio gasoso etapa. Para cada uma das etapas, pode-se fazer versa. Aumentar ou diminuir a temperatura fará
exercendo uma pressão de 0,20atm. As essa mesma dedução e, então, somar cada com que a velocidade de uma das reações au-
reação (o que significa multiplicar as suas cons-
três substâncias estão em equilíbrio mente e a da outra diminua. As velocidades das
tantes). Dessa forma, teremos, para uma reação
químico. Caso a quantidade de Ag2O(c) reações se igualarão novamente depois de um
de múltiplas etapas:
dentro do recipiente, na mesma k1 k2
tempo; porém, nesse caso, como temos o favore-
temperatura, fosse 0,40mols, a pressão, Kc = –––– . ––––
k’1 k’2
. (...) cimento e o desfavorecimento da formação de
em atm, do oxigênio no equilíbrio seria: Sendo k1, k’1, k2, k’2 e, assim por diante, as certas substâncias, a constante de equilíbrio,
a) 0,10 b) 0,20 c) 0,40 constantes de velocidades de cada etapa. nessa nova temperatura, não será mais a mesma
d) e) 0,80 5. EQUILÍBRIO GASOSO da temperatura anterior.
Pela equação dos gases perfeitos, tem-se que, 8. CATALISADOR
03. (ITA 95) As opções a seguir se referem a
para cada gás de uma mistura gasosa: A adição de um catalisador direciona a reação
equilíbrios químicos que foram estabele-
Px . V = nx . R . T , para um novo mecanismo, o qual é mais rápido
cidos dentro de cilindros providos de êm- onde Px é a pressão parcial de um gás x qualquer do que o sem a catálise. Contudo o catalisador
bolo. Se o volume interno em cada cilindro (ou seja, a pressão que ele teria caso estivesse não afeta o valor da constante de equilíbrio; ele
for reduzido à metade, a temperatura per- apenas ele no recipiente), V é o volume ocupado apenas faz com que o equilíbrio seja atingido em
manecendo constante, em qual das pela mistura, nx é o número de mols do gás, R é
um tempo menor, conforme mostrado na figura a
opções, a seguir, o ponto de equilíbrio será a constante dos gases perfeitos, e T a
seguir:
alterado? temperatura em kelvin.
Rearranjando a equação, teremos:
a) H2(g) + l2(g) 2HI(g)
nx Px
b) CaCO3(s) CaO(s) + CO2(g) –––– = –––––
V R.T
c) PbS(s) + O2(g) Pb(s) + SO2(g)
O membro esquerdo (nx/V) é a fórmula para o
d) CH4(g) + 2O2(g) CO2(g) + 2H2O(g) cálculo da concentração molar do gás. A cons-
e) Fe2O3(s)+3CO(g) 2Fe(s)+3CO2(g) tante R é sempre a mesma, e a temperatura T
não varia em um sistema que permanece em
04. (ITA 96) Num recipiente de volume cons-
equilíbrio químico. Assim o único fator que pode
tante igual a 1,00 litro, inicialmente evacua-
variar na equação em um equilíbrio é a pressão
do, foi introduzido 1,00mol de pentacloreto parcial Px. Dessa forma, pode-se dizer que a con-
de fósforo gasoso e puro. O recipiente foi centração do gás é proporcional à sua pressão Atenção: O equilíbrio não é deslocado com a
mantido a 250°C e, no equilíbrio final, foi parcial. presença do catalisador.
verificada a existência de 0,47mols de gás Com base nisso, também é possível escrever a 9. RELAÇÃO ENTRE AS CONSTANTES KC E KP
cloro. Qual das opções a seguir contém o fórmula da constante de equilíbrio usando-se as Existe uma relação matemática entre as constan-
valor aproximado da constante (Kc) do pressões parciais dos gases envolvidos, no lugar tes de equilíbrio em função da concentração Kc e
equilíbrio estabelecido dentro do cilindro e de suas concentrações. Por exemplo:
em função da pressão parcial Kp, baseada na
representado pela seguinte equação (PHI)2
H2(g) + I2(g) = 2HI(g) Kp = ––––––––– equação de Clapeyron:
química: PH . PI
2 2 Kp = Kc (RT)∆N
Observe-se que, agora, a constante de equilíbrio
PCl5(g) PCl3(g) + Cl2(g)? em que: R é a constante universal dos gases, T é
está representada por Kp, em vez de Kc (quando
a) 0,179. b) 0,22. c) 0,42. a temperatura absoluta, e ∆n é a diferença entre
o cálculo foi feito usando-se as concentrações
d) 2,38. e) 4,52. dos gases). Essas duas constantes para um mes- a soma dos coeficientes inteiros dos produtos
mo caso possuem valores diferentes uma da gasosos e a soma dos coeficientes inteiros dos
05 . (Mackenzie 96) O equilíbrio N2(g) + 2O2 →
outra, então é importante especificar qual das reagentes gasosos. Por exemplo, no equilíbrio:
2NO2(g) desloca-se no sentido de formar
duas se está usando quando se está lidando com aA(g) + bB(g) + cC(s) yY(g) + zZ(g)
N2(g) e O2(g), quando
um equilíbrio. ∆n = (y+z) – (a+b)
a) a pressão do N2 aumentar. 6. ADIÇÃO OU REMOÇÃO DE REAGENTES Essa expressão matemática apresenta uma limi-
b) a pressão do NO2 é diminuída. tação, não admitindo a presença de um ou mais
Ao se alterar a quantidade de uma substância,
c) a pressão total aumentar. também se está mexendo na velocidade em que líquidos na reação em questão. Isso não significa
d) as pressões parciais do N2 e O2 diminuírem. a reação se processa (pois se estará mudando as que a reação não apresente Kp e Kc; significa
e) adicionarmos um catalisador. chances de as substâncias reagirem entre si). apenas que a expressão é inválida para esse
Dessa forma, a velocidade das reações direta e caso.

10
é mais importante sugerir elementos da
realidade, sem delineá-los totalmente. A
Literatura palavra é empregada para ter valor sonoro,
não importando muito o significado.
Professor João BATISTA Gomes
c) Subjetivismo – A valorização do eu e da
irrealidade, valorizada pelos românticos
Aula 131 e negada pelos parnasianos, volta a ter
importância.
Simbolismo d) Musicalidade – Para valorizar os aspectos
sonoros das palavras, os poetas não se
1. ASPECTOS GERAIS
contentam apenas com a rima. Lançam
Cronologia – Cronologicamente, o Simbo- mão de outros recursos fonéticos tais
01. Dados os itens seguintes, escolha a
lismo dura, no Brasil, de 1893 a 1902. como: alternativa que contém, em seqüência, o
Depois da Semana de Arte Moderna (1922),
Aliteração – Repetição seqüencial de sons período literário a que cada um faz alusão.
alguns poetas, Cecília Meireles entre eles,
consonantais. A seqüência de vocábulos I Estética que explora a sonoridade da língua e
passam a praticar um simbolismo tardio,
com sons parecidos faz que o leitor me- procura aproximar a poesia da música.
também conhecido como Neo-simbolismo.
nospreze o sentido das palavras para
II Culto do contraste.
Início no Brasil – As primeiras obras do Par- absorver-lhes a sonoridade. É o que ocor-
nasianismo brasileiro são: re nos versos seguintes, de Cruz e Sousa: III Preocupação em retratar a realidade.

a) Missal (prosa poética, 1893), de Cruz e IV Escapismo e valorização do eu.


Vozes veladas, veludosas vozes,
Sousa. Volúpia dos violões, vozes veladas, a) Simbolismo, Barroco, Realismo, Romantismo.
b) Broquéis (poesias, 1893), de Cruz e Sousa. Vagam nos velhos vórtices velozes, b) Romantismo, Parnasianismo, Realismo,
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. Romantismo.
Decadentistas – A primeira manifestação
(Violões que Choram)
simbolista brasileira dá-se no Rio de Janeiro. c) Simbolismo, Barroco, Parnasianismo, Moder-
Um grupo de jovens, insatisfeitos com a obje- Assonância – É a semelhança de sons
nismo.
tividade e com o materialismo apregoados entre as vogais, numa seqüência de pala-
d) Simbolismo, Arcadismo, Naturalismo,
pelo Realismo-Naturalismo-Parnasianismo, vras de um poema.
Romantismo.
começa a divulgar as idéias estético-literárias d) Sinestesia – Os poetas, tentando ir além
vindas da França. Ficam conhecidos como dos significados usuais das palavras, ter- e) Romantismo, Arcadismo, Realismo, Pré-
decadentistas. O grupo decadentista é for- minam atribuindo qualidade às sensações. Modernismo.
mado, principalmente, por Oscar Rosas, As construções parecem absurdas e só
ganham sentido dentro de um contexto
02. (Desafio do Rádio) Identifique o período
Cruz e Sousa e Emiliano Perneta.
poético. Vejamos algumas construções literário a que pertence a estrofe seguinte.
Primeiro manifesto – O primeiro manifesto
sinestésicas: som vermelho, dor amare-
do Simbolismo brasileiro é publicado no jor- A música da Morte, a nebulosa,
la, doçura quente, silêncio côncavo.
nal Folha Popular, do Rio de Janeiro. estranha, imensa música sombria,
e) Maiúsculas no meio do verso – Os poe-
Antiparnasianista – O Simbolismo é a nega- passa a tremer pela minh'alma e fria
tas tentam valorizar as palavras grafando-
ção do Realismo-Naturalismo-Parnasianismo. gela, fica a tremer, maravilhosa ...
as com letra maiúscula.
O movimento nega o materialismo e o racio-
nalismo, pregando as manifestações metafísi- f) Cor branca – Principalmente Cruz e Sou- a) Romantismo.
cas e espiritualistas. sa tem preferência por um vocabulário b) Parnasianismo.
que sugere brancuras e transparências. c) Arcadismo.
Neo-simbolismo – A influência do Simbolis-
mo brasileiro não se limita à data de 1902 3. AUTORES E OBRAS d) Modernismo.
(início do Pré-Modernismo). Muitos modernis- e) Simbolismo.
tas da primeira fase adotam postura neo- CRUZ E SOUSA
simbolista, entre eles Cecília Meireles. 03. (Desafio da TV) Assinale a alternativa que
Nascimento e morte – João da Cruz e
Principais linhas – O Simbolismo brasileiro Sousa nasce em Desterro, atual Florianópolis
não se refere ao Simbolismo.
segue três linhas bem distintas: (SC), em 24 de novembro de 1861. Falece a) Na busca de uma linguagem exótica,
a) Poesia humanístico-social – Linha ado- em Sítio (MG), em 19 de março de 1898. colorida, musical, os autores não resistem,
tada por Cruz e Sousa e continuada por Filho de escravos – Os pais de Cruz e Sousa muitas vezes, à idéia de criar novos termos.
Augusto dos Anjos. Preocupa-se com os são negros e escravos. São alforriados por b) Ocorre grande interesse pelo individual e
problemas transcendentais do ser huma- seu senhor, o coronel (depois marechal) Gui-
pelo metafísico.
no. lherme Xavier de Sousa, de quem João da
Cruz recebe o último sobrenome e a prote- c) Há assuntos relacionados ao espiritual, ao
b) Poesia místico-religiosa – Linha adota-
ção. místico, ao religioso.
da por Alphonsus de Guimarães. Preocu-
pa-se com os temas religiosos, afastando- 1871 – É matriculado no Ateneu Provincial d) Nota-se o emprego constante de aliterações
se da linha esotérica adotada na Europa. Catarinense, onde estuda até o fim de 1875. e assonâncias.
c) Poesia intimista-crepuscular – Linha 1881 – Parte para uma viagem pelo Brasil, e) Busca-se uma poesia formalmente perfeita,
adotada por pré-modernistas ou moder- acompanhando a Companhia Dramática impassível e universalizante.
nistas como Olegário Mariano, Guilherme Julieta dos Santos.
de Almeida, Ribeiro Couto, Manuel Ban-
04. (PUC-SP) Sobre o Simbolismo, podemos
1884 – É nomeado promotor de Laguna, mas
deira. Preocupa-se com temas cotidianos, não pode tomar posse porque os políticos
afirmar que:
sentimentos melancólicos e gosto pela racistas impugnam a nomeação. a) Sua poesia é marcada por fenômenos
penumbra. naturais e fatos históricos.
1885 – Estréia na literatura com Tropos e
Fantasias, em colaboração com Virgílio b) As palavras são escolhidas pela sonoridade e
2. CARACTERÍSTICAS DO SIMBOLISMO
Várzea. pelo ritmo, buscando representar a essência
a) Misticismo e espiritualismo – A fuga da
1888 – A convite do amigo Oscar Rosas, parte e não a realidade.
realidade leva o poeta simbolista ao mun-
para o Rio de Janeiro, onde conhece o poeta
do espiritual. É uma viagem ao universo c) É uma volta aos motivos clássicos, com
Luís Delfino, seu conterrâneo, e Nestor Vítor
invisível e impalpável do ser humano. Essa intenção anti-romântica.
– grande amigo e divulgador de sua obra.
tendência é marcada pelo uso de vocabu- d) Suas características principais são a clareza,
lário litúrgico: antífona, missal, ladainha, 1889 – Retorna a Desterro, por não ter con-
seguido colocação no Rio de Janeiro. a ordem lógica e a simplicidade.
hinos, breviários, turíbulos, aras, incen-
e) É a poética predominante no Brasil, na época
sos. 1890 – Vai definitivamente para o Rio de Ja-
neiro, onde obtém emprego com a ajuda de do Realismo.
b) Falta de clareza – Os poetas acham que
Emiliano Perneta.

11
1893 – Publica Missal (poemas em prosa) em Quatorze filhos – Em 20 de fevereiro de
fevereiro, e Broquéis (poesias) em agosto. Dia 1897, casa-se com a jovem Zenaide de Olivei-
9 de novembro, casa-se com Gavita Rosa ra, com quem tem 14 filhos, dois dos quais
Gonçalves, moça negra que lhe dá 4 filhos: se tornam escritores: João Alphonsus e Al-
Raul, Guilherme, Reinaldo e João – todos phonsus de Guimaraens Filho.
morrem em tenra idade. É nomeado arquivis-
Mariana – Em 1906, é nomeado juiz em Ma-
ta da Central do Brasil.
riana, isolando-se ali até a morte, em 15 de
1895 – Recebe a visita do poeta Alphonsus julho de 1921. O isolamento dá origem ao
de Guimaraens, que vem de Minas Gerais apelido “O Solitário de Mariana”.
(Mariana) especialmente para conhecê-lo.
Poesia religiosa – Apesar dos 14 filhos com
1896 – Em março, sua esposa Gavita apre-
Zenaide, o amor por Constança (a noiva mor-
senta sinais de loucura. O distúrbio mental
Antífona ta) marca profundamente sua poesia, impreg-
dura seis meses.
Cruz e Sousa nada de profunda religiosidade (é devoto da
1987 – Evocações (poemas em prosa que Virgem Maria).
Ó Formas alvas, brancas, Formas claras seriam publicados postumamente) encontra-
se pronto. Ano de sérias dificuldades finan- OBRAS
De luares, de neves, de neblinas!
ceiras e de comprometimento da saúde do 1. Sentenário das Dores de Nossa Senhora
Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas...
poeta. (poesias, 1899)
Incensos dos turíbulos das aras
1898 – Morre em 19 de março, em Sítio (Es- 2. Câmara Ardente (poesias, 1899).
Formas do Amor, constelarmante puras, tado de Minas Gerais), para onde partira três 3. Dona Mística (poesias, 1899)
De Virgens e de Santas vaporosas... dias antes, na tentativa de recuperar-se de 4. Kyriale (poesias, 1902)
Brilhos errantes, mádidas frescuras uma crise de tuberculose. Tem 37 anos. Seu 5. Pauvre Lyre (poesias, 1921)
corpo chega ao Rio de Janeiro num vagão 6. Pastoral aos crentes do Amor e da Morte
E dolências de lírios e de rosas...
destinado ao transporte de cavalos. José do (poesias, 1923)
Indefiníveis músicas supremas, Patrocínio encarrega-se dos funerais. Publi-
cação póstuma de Evocações. Nasce-lhe o AUGUSTO DOS ANJOS
Harmonias da Cor e do Perfume...
filho póstumo, João da Cruz e Sousa Júnior,
Horas do Ocaso, trêmulas, extremas, Nascimento e morte – Augusto de Carvalho
em 30 de agosto (morreria em 1915, aos 17
Réquiem do Sol que a Dor da Luz resume... Rodrigues dos Anjos nasce no engenho
anos). Seus outros três filhos morrem antes
Pau-d’Arco, perto da Vila do Espírito Santo,
Visões, salmos e cânticos serenos, de 1901, ano em que morre sua esposa
Estado da Paraíba, em 20 de abril de 1884.
Gavita.
Surdinas de órgãos flébeis, soluçantes...
Direito – Em 1903, com 19 anos, ingressa
Dormências de volúpicos venenos 1900 – Dá-se a publicação de Faróis, coletâ-
nea de poesias organizada por Nestor Vítor. na Faculdade de Direito do Recife, palco das
Sutis e suaves, mórbidos, radiantes apaixonantes discussões filosófico-científicas.
OBRAS
Infinitos espíritos dispersos, Morte do pai – Em 1905, morre-lhe o pai, seu
1. Tropos e Fantasias (poesias, 1885) único professor de humanidades. A lembran-
Inefáveis, edênicos, aéreos,
2. Missal (poemas em prosa, 1893 ça do pai morto é uma referência constante
Fecundai o Mistério destes versos
3. Broquéis (poesias, 1893) na sua poesia.
Com a chama ideal de todos os mistérios. 4. Evocações (poesias, 1898)
5. Faróis (poesias, 1900) Casamento e demissão – Em 1910 (4 de ju-
1. TÍTULO – O próprio título sugere religiosidade – lho), casa-se com D. Ester Fialho, sua conter-
6. Últimos sonetos (poesias, 1905)
antífona é versículo recitado ou cantado pelo rânea. Desavém-se com o governador do Es-
celebrante, antes e depois de um salmo. POEMAS FAMOSOS tado (João Machado), que lhe nega licença
1. Antífona para ir ao Rio de Janeiro sem perder o cargo
2. PRIMEIRA ESTROFE – Sobressai a quantidade
2. Vida Obscura de professor do Liceu Paraibano.
de palavras sugerindo brancuras e 3. Acrobata da Dor Perda do filho – Em 1911 (2 de fevereiro),
transparências – alvas, brancas, claras, 4. Cárcere das Almas
D. Ester perde o primeiro filho do casal: a
luares, neves, neblinas e cristalinas – 5. Caminho da Glória
criança morre antes de nascer.
característica marcante da poesia de Cruz e 6. Violões que Choram
Primeiro e único livro – Em 1912, Augusto
Sousa. Violões que choram dos Anjos publica seu primeiro e único livro,
3. VERSOS DECASSÍLABOS – Todos os versos Ah! plangentes violões dormentes, mornos, o volume de poesias Eu. É uma edição parti-
do soneto têm dez sílabas métricas. Vamos Soluços ao luar, choros ao vento... cular, apenas 1000 exemplares, financiada
Tristes perfis, os mais vagos contornos, pelo irmão Odilon. O livro é recebido com
escandir um verso em que o autor faz uso de
Bocas murmurejantes de lamento. grande impacto e estranheza por parte da
sinérese (contração de duas sílabas em uma
crítica, que oscila entre o entusiasmo e a re-
só). Isso ocorre no vocábulo réquiem. Vozes veladas, veludosas vozes, pulsa. Nasce a filha do poeta, Glória.
Ré/quiem/ do/ Sol/ que a/ Dor/ da/ Luz/ Volúpias dos violões, vozes veladas,
Morte em Minas Gerais – Em 1914 (primeiro
1 2 3 4 5 6 7 8 Vagam nos velhos vórtices velozes
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. de julho), Augusto é nomeado diretor do gru-
re/su/me... po escolar Ribeiro Junqueira, em Leopoldina,
9 10 Minas Gerais. Muda-se para lá no mesmo
ALPHONSUS DE GUIMARAENS mês, assumindo o cargo. Em outubro (31), é
4. LETRAS MAIÚSCULAS – Convém observar que
Nascimento e morte – Afonso Henriques acometido de forte gripe que, em doze dias,
o poeta usa letra maiúscula para valorizar
da Costa Guimarães nasce em 24 de julho o arrasta para o cemitério (12 de novembro).
várias palavras (característica do Simbolismo).
de 1870, na cidade de Ouro Preto (MG). Fa- Vocabulário insólito – A poesia de Augusto
5. VOCABULÁRIO LITÚRGICO – Desde o título, o lece em 15 de julho de 1921. dos Anjos exibe um vocabulário incomum:
poema revela-se místico. Veja algumas palavras Morte de Constança – Tenta cursar Engenha- vermes, sangue podre, cuspe, catarro, co-
que reforçam a linha litúrgica em que o poema ria (1887). Em 1888 (28 de dezembro), morre veiro, urubu, cadáver, cemitério, escarro etc.
se insere: sua noiva, Constança, filha de Bernardo Gui- Veja duas estrofes do soneto Versos íntimos:

a) Turíbulo: vaso onde se queima incenso marães, autor de A Escrava Isaura. A morte Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
nos templos; incensório, incensário. da moça abala moral e fisicamente o poeta. O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
b) Ara: altar. Direito em São Paulo – Em 1891, vai para A mão que afaga é a mesma que apedreja.
c) Réquiem: parte do ofício dos mortos, na São Paulo, onde se matricula no curso de
Direito da Faculdade do Largo São Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
liturgia católica; música sobre esse ofício.
Francisco. Após concluir o curso, volta para Apedreja essa mão vil que te afaga,
Minas Gerais. Escarra nessa boca que te beija!

12
• Líder: Plínio Salgado.
• Inspiração: nazifascismo (direita).
História • Ponto defendido: Estado ditatorial e
nacionalista, governado pelas elites.
Professor DILTON Lima
• Visavam defender as riquezas nacionais, a
propriedade privada e visava combater o
Aula 132 comunismo.
• Conhecidos como “camisas verdes”.
A Era Vargas (1930–1945) • Saudação: anauê.
1. REVOLUÇÃO DE 1930 b) Aliança Nacional Libertadora – (A.N.L.)
Golpe de estado que aniquilou o grupo • Líder: Luís Carlos Prestes, conhecido como
oligárquico dominado pela elite cafeeira paulista, “Cavaleiro da Esperança”. 01. (UFAM) “Pelego é uma pele de carneiro
trazendo para o poder uma junta militar, que • Inspiração: socialismo-comunismo, nas idéias curtida. Pode ser também de cabra ou de
passa o governo a Getúlio Vargas. outros animais que possuam pêlos
marxistas (esquerda).
2. FASES DO GOVERNO VARGAS • Pontos defendidos: governo popular, macios. É usado sobre a sela do cavalo,
• Provisória (1930-1934). rompimento com o capital estrangeiro, não- com a finalidade de amaciá-la e, assim,
• Constitucional (1934-1937). pagamento das dívidas externas, reforma impedir que o trotar do animal maltrate as
agrária, nacionalização das empresas
nádegas do cavaleiro. No Brasil, atribuiu-
• Ditatorial (1937-1945). Também chamada de
se, ainda, à palavra outro significado (...):
Estado Novo. estrangeiras etc.
pelego é o dirigente sindical que, com-
3. PRIMEIRAS MEDIDAS DE GETÚLIO VARGAS 8. Intentona Comunista (1935) prometido com determinações oficiais,
• Nomeação de interventores para governar os Movimento armado, também conhecido como coloca-se entre o governo e os integrantes
Estados. Este cargo político foi cedido aos “Revolta Vermelha”, visava derrubar o governo de sua categoria, servindo como
tenentes, grupo da jovem oficialidade que havia Vargas e implantar o comunismo no Brasil, amortecedor dos embates sociais ou de
participado da Revolução de 1930 e que, levando a A.N.L. ao poder. O governo sufocou a classe. Nisso, percebe-se que seu papel
portanto, desejava participar do “bolo” do revolta e prendeu os líderes, incluindo Luís Carlos tem muito a ver com o pelego de
poder. Prestes. montaria.” (NUNES, A. Profissão: Pelego.
Jornal de Fato, n.° 18, BH, 1977).
• Criação do Ministério da Educação e Saúde. 9. Plano Cohen (1937) A figura do pelego surgiu no âmbito da
• Criação do Ministério do Trabalho, da Indústria
Forjado por militares integralistas, liderados pelo política trabalhista empreendida por
e do Comércio. Getúlio Vargas. Dentre as alternativas
capitão Olímpio Mourão Filho. O plano ficou
4. POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO assim conhecido porque fora assinado por um abaixo, marque aquela que não se refere
fictício comunista de nome Cohen. aos objetivos dessa política:
O Governo Federal adota uma nova política de
valorização do café, diferente do Convênio de O plano era falso, mas criou as condições para o a) Criar e fortalecer mercado para diversos
Taubaté, assinado em 1906, no governo golpe que foi desfechado no dia 10 de novembro setores da indústria nacional.
Rodrigues Alves. A partir dos anos de 1930, o de 1937. Serviu de pretexto para Getúlio Vargas b) Neutralizar e anular a organização do
governo Vargas passa a intervir diretamente na implantar o Estado Novo. operariado com ideologia própria.
produção. O Estado comprava toda a produção c) Fixar o trabalhador no campo, através de
excedente de café e destruía-a. Cerca de 80 10.DITADURA VARGAS – ESTADO NOVO uma política fundiária abrangente.
milhões de sacas de café foram queimadas ou (1937–1945) d) Impedir a independência dos sindicatos,
jogadas ao mar. Constituição de 1937 subordinando-os ao Ministério do Trabalho.
• Elaborada por Francisco Campos, um dos e) Transformar a questão social, antes enca-
5. REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE rada como "caso de polícia", em questão
idealizadores do Estado Novo. Possuía
1932 política, evitando a luta de classes.
características fascistas.
• Ocorreu em São Paulo.
• Ficou conhecida como “Polaca”, porque seu
• Tinha por objetivo a elaboração de uma nova 02. (UEA) O Estado Novo instalou empresas
conteúdo mesclava elementos fascistas e
constituição para o País. nacionais e inaugurou o controle estatal
poloneses.
• Foi uma tentativa da velha oligarquia paulista sobre áreas de produção estratégicas,
• Garantia a Getúlio Vargas o poder de dissolver
para voltar ao poder. como mineração, aço e petróleo. De
qualquer casa legislativa.
• Movimento MMDC – Conflito envolvendo forma corporativa, estabeleceu, para os
• Os governadores-interventores seriam
rebeldes e forças do governo. Nesse confronto, setores agrários e burgueses, mecanis-
nomeados pelo Governo Federal.
morreram quatro estudantes de cujos mos de acesso aos núcleos de poder e de
• Dava ao presidente o controle das Forças
sobrenomes (Martins, Miragaia, Dráusio e
Armadas.
tomada de decisão.
Camargo) proveio essa sigla. Assinale a alternativa que se refere
• Garantia ao governo o direito de invadir
6. CONSTITUIÇÃO DE 1934 domicílios e violar o sigilo de correspondência. corretamente a essas medidas.
• Elaborada por uma Assembléia Constituinte. • Pregava a extinção dos partidos políticos, a) O Estado Novo fortaleceu o bloco
• Inspirada na Constituição de Weimar inclusive da Ação Integralista Brasileira (AIB), democrático e militar, que assumiu as
(Alemanha). facção de extrema direita. diretrizes do desenvolvimento econômico
• Eleições diretas: voto direto e secreto para • Suspendia as eleições em todo o território nacionalista, nitidamente acima da burgue-
ambos os sexos (maiores de 18 anos sia urbana.
nacional.
alfabetizados). b) Para a indústria, o regime criou os con-
• Extinção do cargo de vice-presidente da Órgãos repressores (1938) selhos técnicos; para os setores extrati-
Departamento Administrativo do Serviço vistas e agrários, os institutos; e, para a
República.
Público (DASP) – Órgão a que ficavam infra-estrutura, as comissões e os conse-
• Mandato presidencial de 4 anos, vedado o
submetidos todos os serviços públicos do Brasil. lhos de água, energia, ferrovias e do Plano
direito à reeleição.
Siderúrgico, que faziam a aproximação com
• Mandato classista. Departamento de Imprensa e Propaganda
o poder.
• Leis trabalhistas: jornada de trabalho de oito (DIP) – Órgão responsável pela censura, pela
c) O Departamento de Administração do
horas, descanso semanal obrigatório e remu- propaganda do governo, pelo culto à pátria e pela
Serviço Público foi criado para permitir a
nerado, férias remuneradas, proteção ao traba- personificação do presidente Vargas. Foi criado o
prática de ações paternalistas, clientelistas
lho da mulher e do menor, indenização por programa de rádio Hora do Brasil para funcionar
e cartoriais em proveito do regime.
dispensa sem justa causa, assistência e licença como instrumento de propaganda do governo
d) A nacionalização do petróleo foi obtida
remunerada a gestantes. Vargas.
após a aprovação da Lei 2003, que
• Nacionalização das riquezas minerais. Industrialização determinava o monopólio dos recursos do
• Eleição indireta do primeiro presidente da Apoiado na sua política nacionalista, o governo petróleo.
República. explorou as riquezas brasileiras, amparado em e) A Lei de Segurança Nacional foi criada para,
grupos nacionais, contrariando os grupos ao lado do DIP – Departamento de Impren-
7. GRUPOS POLÍTICOS estrangeiros. Destaca-se, nesse período, a sa e Propaganda –, trazer tranqüilidade ao
a) Ação Integralista Brasileira – (A.I.B.) extração mineral, a exportação de minérios e a regime industrializante.
siderurgia.

13
Realizações do governo Vargas nesse período: clandestinamente desde 1927.
• Criação do Conselho Nacional de Petróleo, em 4. Organização de novos partidos políticos.
1938. No ano seguinte, foi aberto o primeiro Destaques para a União Democrática Nacional
poço de petróleo em Lobato, na Bahia. (UDN), Partido Social Democrático (PSD) e
• Construção da Companhia Siderúrgica Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
Nacional (CSN), em 1941, empresa instalada
em Volta Redonda, Rio de Janeiro, para 11. QUEREMISMO
produção de aço. Movimento realizado por grupos que desejavam a
• Criação da Companhia Vale do Rio Doce continuação de Vargas no poder. Os simpa-
(CVRD), em 1942, com a meta de cuidar da tizantes ao movimento saíam às ruas gritando
extração das riquezas minerais. “Queremos Getúlio!”. O velho ditador, deposto
01. (UFAM-PSC) Foi lançado recentemente, no • Criação da Companhia Nacional de Álcalis, em em outubro de 1945, voltaria ao poder máximo da
Brasil, o filme "Olga", baseado na obra 1943. República nas eleições presidenciais de 1950,
homônima do jornalista e escritor Fernando • Criação da Fábrica Nacional de Motores, em para tristeza da UDN e do capital estrangeiro.
Morais, de onde reproduzimos o trecho 1943.
abaixo: • Criação da Companhia Hidroelétrica do São
“Olga sequer chegou a descer no hospital. Francisco, em 1945. Exercícios
(...) por um instante, teve esperanças de Política trabalhista
estar sendo embarcada num navio 01. (UFAM) A segunda Guerra Mundial foi
espanhol. Mas ela moveu a cabeça um A relação capital e trabalho ficou bem acentuada fator gerador de mudanças no Brasil.
pouco, virou os olhos para cima e viu, nesse período governista. Nesse sentido, as Assinale a alternativa que melhor
tremulando no mastro principal, uma principais medidas do governo ditatorial foram:
descreve uma dessas mudanças:
bandeira com a suástica negra no centro. 1. Controle dos sindicatos – Os sindicatos, que
deveriam defender os trabalhadores, não a) A eclosão dessa guerra determinou a
Era a bandeira da Alemanha de Adolf
cumpriam sua função histórica, comportando- segunda política de valorização do café,
Hitler.” (Fernando Morais, Olga, p.215)
se como mecanismo a favor do governo. Estava na qual os preços foram mantidos
Em 1936, o governo Vargas prendeu Olga oficializado o “peleguismo”, ou seja, a política artificialmente, preservando o domínio da
Benário, alemã, judia e militante comunista de “amaciamento” das massas trabalhadoras oligarquia cafeeira.
que, grávida, foi extraditada para a Ale- pelos burocratas sindicais (conhecidos como
manha nazista, onde morreu na câmara de b) O mercado interno foi desorganizado,
“pelegos”) a serviço do governo e dos
gás, após dar à luz Anita Leocádia, sua filha reduzindo-se progressiva e drasticamente
empresários.
com o tenente Luís Carlos Prestes. no transcorrer do conflito, afetando
2. Criação do salário mínimo (1940) – O salário
Assinale a alternativa que caracteriza mínimo foi criado a partir de pesquisas para negativamente a pauta de exportações e
corretamente a conjuntura política brasi- averiguar o mínimo que a família de um dificultando a acumulação de capital.
leira favorecedora da extradição de Olga: operário deveria ganhar para atender às suas c) Com a vitória dos aliados, o Estado Novo
a) A instituição do Estado Novo, alinhado à necessidades elementares (alimentação, tornou-se uma realidade deslocada, uma
Alemanha hitlerista, coincidia com a defla- transporte, habitação e vestuário), garantindo vez que se inspirava no modelo fascista e
gração da Revolução Constitucionalista, a sobrevivência de 4 pessoas. Na prática, a integrava o bloco democrático na luta
patrocinada pela URSS. medida governamental só atendeu ao traba- contra os regimes totalitários.
b) Ideologicamente, o embate produzido pela lhador urbano (operário), não beneficiando o
d) A guerra pôs em evidência uma nova
Guerra Fria se materializava na Intentona trabalhador rural.
atitude mental artística, que se concreti-
Comunista, que serviu de pretexto para a 3. Criação da Consolidação das Leis
perseguição de integralistas, comunistas e Trabalhistas – CLT (1943) – Consistia na zou na ruptura com a tradição impressio-
judeus. regulamentação das relações entre patrões e nista e o nascimento de idéias estéticas
c) Prestes e Olga lideravam o fracassado empregados. contrárias ao regionalismo.
Levante do Forte de Copacabana, em e) Camponeses e operários urbanos, de
BRASIL NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
represália à Constituição "Polaca" de 1934, forma inédita, uniram-se, radicalizando
(1942)
que deu ao governo um caráter fascista. suas propostas sociais para a erradica-
d) O Partido Comunista Brasileiro promovia Para os Estados Unidos, a participação do Brasil ção da miséria, fortemente acentuada
grandes comícios e marchas militarizadas, na guerra ao lado dos aliados era fundamental,
pelo alinhamento do Brasil com o Eixo.
atraindo a oposição do governo Vargas, devido ao seu vasto litoral e, especialmente, pela
alinhado ao bloco dos Aliados. importância estratégica do Nordeste, região 02. Sobre o Plano Cohen, é correto afirmar
e) Integralistas, simbolizados pela letra grega apropriada para a instalação de bases aéreas e que:
sigma, em analogia à suástica, confronta- navais. Em troca de vultosos empréstimos, o
Brasil declarou guerra ao Eixo (Alemanha, Itália e a) Regulamentava a troca de favores políti-
vam-se com Aliancistas, frente popular de cos estabelecida entre os Estados Uni-
caráter comunista liderada por Prestes. Japão), prova de que o País não podia viver sem
os Estados Unidos. dos, Brasil e países do Cone Sul, preven-
02. (UFRS) Analise as seguintes afirmativas Em junho de 1944, o Brasil passou a participar do compensação financeira em troca de
referentes ao Estado Novo (1937-1945). efetivamente da guerra, enviando a Força adesão à luta contra o Bloco Soviético.
I. Os dois principais partidos políticos Expedicionária Brasileira (FEB), cujo lema era “A b) Foi uma espécie de versão do Plano
existentes no período do Estado Novo cobra vai fumar”, e a Força Aérea Brasileira (FAB), Marshall oferecida pelos Estados Unidos
eram a AIB (Ação Integralista Brasileira) cujo lema era “Senta a pua”. Sob o comando do aos países da América Latina. Visava inje-
e a ANL (Aliança Nacional Libertadora). general Zenóbio da Costa, as tropas brasileiras
tar recursos para soerguer as economias
II. O pretexto utilizado por Vargas para o enfrentaram sucessivas derrotas. Sob o comando
locais afetadas pela Segunda Guerra
desfecho do golpe de Estado de 1937 foi do general Mascarenhas de Morais, em meados
Mundial.
o Plano Cohen, documento forjado que de novembro de 1944, os pracinhas venceram
denunciava um suposto movimento várias batalhas; a mais célebre foi a de Monte c) Pacto firmado entre os governos militares
revolucionário comunista. Castelo, na Itália. do Brasil, Argentina e Chile, visando à
III. Durante o Estado Novo, a política exter- MEDIDAS DEMOCRÁTICAS
troca de informações que facilitassem a
na brasileira oscilou entre a Alemanha perseguição e a captura de militantes
nazista e os Estados Unidos, alinhando- Os acontecimentos obrigaram o presidente socialistas que atuavam nesses países.
se a este último país no princípio da Getúlio Vargas a tomar uma série de medidas,
* d) Tratava-se de documento que acusava os
década de 1940. tidas como democráticas:
comunistas de tramarem uma revolução
Quais estão corretas? 1. Eleições presidenciais para governadores de no Brasil. Forjado pelas lideranças
Estado, para o Congresso Nacional e para as
a) Apenas III. integralistas, o documento visava alarmar
Assembléias Legislativas Estaduais (todas
b) Apenas I e II. a população e foi utilizado por Vargas
marcadas para 2 de dezembro de 1945).
c) Apenas I e III. quando da instauração do Estado Novo.
2. Anistia política a centenas de presos políticos,
d) Apenas II e III. e) Foi o nome dado à operação de apoio
entre eles Luís Carlos Prestes.
e) I, II e III.
3. Livre organização partidária ao Partido norte-americano ao golpe militar que
Comunista Brasileiro (PCB), que vivia instaurou a ditadura no Brasil em 1964.

14
Gabarito do Calendário
número anterior 2008
Aprovar n.º 21

Aulas 127 a 167


PERSCRUTANDO O TEXTO (p. 3)
01. C;
02. D;
03. B;
04. B;
05. E; Música da morte
06. E;
07. C; Cruz e Sousa
08. D; A música da Morte, a nebulosa,
09. D; estranha, imensa música sombria,
10. A;
passa a tremer pela minh'alma e fria
DESAFIO LITERÁRIO (p. 3) gela, fica a tremer, maravilhosa ...
01. B;
02. E; Onda nervosa e atroz, onda nervosa,
03. D;
04. A; letes sinistro e torvo da agonia,
recresce a lancinante sinfonia
DESAFIO LITERÁRIO (p. 4) sobe, numa volúpia dolorosa ...
01. B;
02. C;
03. A; Sobe, recresce, tumultuando e amarga,
tremenda, absurda, imponderada e larga,
MOMENTO DA DISSERTAÇÃO (p. 4) de pavores e trevas alucina ...
01. F, V, F e F;
02. F, V, V, V e V;
03. F, V, F, V e F; E alucinando e em trevas delirando,
como um ópio letal, vertiginando,
DESAFIO QUÍMICO (p. 5) os meus nervos, letárgica, fascina ...
01. D;
02. A;
Antífona
03. D;
04. D; Cruz e Sousa
05. B; Ó Formas alvas, brancas, Formas claras
DESAFIO QUÍMICO (p. 6) De luares, de neves, de neblinas!
01. E; Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas...
02. C; Incensos dos turíbulos das aras.
03. E;
04. A;
05. B; Formas do Amor, constelarmante puras,
De Virgens e de Santas vaporosas...
DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 7) Brilhos errantes, mádidas frescuras
01. A;
E dolências de lírios e de rosas...
02. E;
03. C;
04. A; Indefiníveis músicas supremas,
Harmonias da Cor e do Perfume...
DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 8)
01. D; Horas do Ocaso, trêmulas, extremas,
02. D; Réquiem do Sol que a Dor da Luz resume...

DESAFIO MATEMÁTICO (p. 9) Ismália


01. P(2)=–18;
02. a=12 e b=8; Alphonsus de Guimaraens
03. E; Quando Ismália enlouqueceu,
04. E; Pôs-se na torre a sonhar...
05. A;
Viu uma lua no céu,
06. E;
07. E; Viu outra lua no mar.
08. E;
09. C; No sonho em que se perdeu,
10. D; Banhou-se toda em luar...
DESAFIO FÍSICO (p. 12) Queria subir ao céu,
01. a) 16V, b) 0,6Ω ; Queria descer ao mar...
DESAFIO GRAMATICAL (p. 14)
01. D; E, no desvario seu,
02. C; Na torre pôs-se a cantar...
03. D; Estava longe do céu...
04. B; Estava longe do mar...
05. B;
CAIU NO VESTIBULAR (p. 14) E como um anjo pendeu
01. E; As asas para voar. . .
Queria a lua do céu,
ARAPUCA (p. 14)
01. D; Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu


Ruflaram de par em par...
Sua alma, subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...

15
LÍNGUA PORTUGUESA REIS, Martha. Completamente Química: físico-química. São Paulo:
ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de questões vernáculas. FTD, 2001.
3. ed. São Paulo: Ática, 1996. SARDELLA, Antônio. Curso de Química: físico-química. São Paulo:
BECHARA, Evanildo. Lições de português pela análise sintática. Rio Ática, 2000.
de Janeiro: Fundo de Cultura, 1960. BIOLOGIA
CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de dúvidas da língua AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Conceitos de
portuguesa. 2. impr. São Paulo: Nova Fronteira, 1996. Biologia das células: origem da vida. São Paulo: Moderna, 2001.
CUNHA, Celso; CYNTRA, Lindley. Nova gramática do português CARVALHO, Wanderley. Biologia em foco. Vol. Único. São Paulo:
contemporâneo 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. FTD, 2002.
GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 13. ed. Rio de LEVINE, Robert Paul. Genética. São Paulo: Livraria Pioneira, 1973.
Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1986. LOPES, Sônia Godoy Bueno. Bio. Vol. Único. 11.a ed. São Paulo:
HOLANDA, Aurélio Buarque de. Novo dicionário da língua Saraiva. 2000.
portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. MARCONDES, Ayton César; LAMMOGLIA, Domingos Ângelo.
HOUAISS, Antônio. Pequeno dicionário enciclopédico Koogan Biologia: ciência da vida. São Paulo: Atual, 1994.
Larousse. 2. ed. Rio de Janeiro: Larousse do Brasil, 1979. FÍSICA
HISTÓRIA ALVARENGA, Beatriz et al. Curso de Física. São Paulo: Harbra,
ACUÑA, Cristóbal de. Informes de jesuítas en el amazonas: 1660- 1979, 3v.
1684. Iquitos-Peru, 1986. ÁLVARES, Beatriz A. et al. Curso de Física. São Paulo: Scipicione,
______ Novo Descobrimento do Grande Rio das Amazonas. Rio de 1999, vol. 3.
Janeiro: Agir, 1994. BONJORNO, José et al. Física 3: de olho no vestibular. São Paulo:
CARDOSO, Ciro Flamarion S. América pré-colombiana. São Paulo: FTD, 1993.
Brasiliense, 1986 (Col. Tudo é História). CARRON, Wilson et al. As Faces da Física. São Paulo: Moderna,
CARVAJAL, Gaspar de. Descobrimento do rio de Orellana. São 2002.
Paulo: Nacional, 1941. Grupo de Reelaboração do Ensino de Física (GREF). Física 3:
FERREIRA, Alexandre Rodrigues. (1974) Viagem Filosófica pelas eletromagnetismo. 2.a ed. São Paulo: Edusp, 1998.
capitanias do Grão-Pará, Rio Negro, Mato Grosso e Cuiabá. PARANÁ, Djalma Nunes. Física. Série Novo Ensino Médio. 4.a ed.
Conselho Federal de Cultura, Memórias. Antropologia. São Paulo: Ática, 2002.
MATEMÁTICA RAMALHO Jr., Francisco et alii. Os Fundamentos da Física. 8.a ed.
BIANCHINI, Edwaldo e PACCOLA, Herval. Matemática. 2.a ed. São São Paulo: Moderna, 2003.
Paulo: Moderna, 1996. TIPLER, Paul A. A Física. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e
DANTE, Luiz Roberto. Matemática: contexto e aplicações. São Científicos, 2000, 3v.
Paulo: Ática, 2000.
GIOVANNI, José Ruy et al. Matemática. São Paulo: FTD, 1995.
QUÍMICA
COVRE, Geraldo José. Química Geral: o homem e a natureza.
São Paulo: FTD, 2000.
FELTRE, Ricardo. Química: físico-química. Vol. 2. São Paulo:
Moderna, 2000.
LEMBO, Antônio. Química Geral: realidade e contexto. São Paulo:
Ática, 2000.

Você também pode gostar