Você está na página 1de 3

ESCOLA MUNICIPAL JOÃO BISPO DOS SANTOS

DISCIPLINA: HISTÓRIA PROFESSOR: CÉLIO ANDRADE


ALUNO(A):___________________________________________________________________ 8°/9° Ano

Atividade para o período 29/03 à 09/04 de 2021

ATIVIDADES REMOTAS - HISTÓRIA


Saudações meu nobre aluno, como está você e seus familiares?
Espero que todos muito bem!!!
ORIENTAÇÕES:
 Assista aos vídeos com atenção.
 Leia o capitulo 2 do livro didático ( Pag. 158 à 164 ) sublinhe o que achar mais importante isto te ajudará a fazer as
atividades propostas. Sugestão: leia primeiro as atividades e depois o texto.
 História da Independencia do Brasil. Disponivel em: https://www.youtube.com/watch?v=Fr9lurVLNyo

A colonização brasileira no século XVI foi organizada sob duas formas administrativas, Capitanias
Hereditárias e Governo-Geral. Assinale a afirmativa que expressa corretamente uma
característica desse período.
a) As capitanias, mesmo havendo um processo de exploração econômica em algumas delas, garantiram a
presença portuguesa na América, apesar das dificuldades financeiras da Coroa.
b) As capitanias representavam a transposição para as áreas coloniais das estruturas feudais e
aristocráticas europeias.
c) As capitanias, sendo empreendimentos privados, favoreceram a transferência de colonos europeus,
assegurando a mão de obra necessária à lavoura.
d) O governo-geral permitiu a direção da Coroa na produção do açúcar, o que assegurou o rápido
povoamento do território.
e) O governo-geral extinguiu as donatárias, interrompendo o fluxo de capitais privados para a economia
do açúcar.

A centralização político-administrativa do Brasil colônia foi concretizada com a

a) criação do Estado do Brasil.

b) instituição do governo-geral.

c) transferência da capital para o Rio de Janeiro.

d) instalação do sistema das capitanias hereditárias.

e) política de descaso do governo português pela atuação predatória dos bandeirantes.


Sobre o processo de Independência deflagrado no Brasil em 1822, que implementou o Primeiro
Reinado, é possível dizer que:

a) Dom Pedro antecipou-se à estratégia de seu irmão, D. Miguel, que também queria ser imperador do
Brasil.

b) foi um processo deflagrado no Brasil após a morte de D. João VI.

c) foi um processo coordenado pelos revolucionários latino-americanos, como Bartolomé Mitre e Simon
Bolívar.

d) foi um processo articulado por Napoleão Bonaparte, que fugiu da ilha de Santa Helena para o Brasil em
1819.

e) foi um reflexo da Revolução Liberal do Porto (1820), que exigiu o retornou de D. João VI para Portugal.

Quando se analisa a Inconfidência Mineira, é correto afirmar que:

a) recebeu influências do positivismo, introduzido em Minas Gerais por uma burguesia intelectual e
alimentada por uma crise econômica.

b) revelou nuances de rebeldia contra os rigores da política fiscal metropolitana sobre a capitania das
minas, executada pela Casa de Contratação.

c) apresentou caráter nativista, ideologicamente alimentado pelos princípios mercantilistas, difundidos


pela maçonaria .

d) visava à independência da colônia e pretendia concretizar-se quando da cobrança dos impostos


atrasados.

e) apresentou caráter separatista, visava à independência da colônia, mantendo a monarquia e a capital


no Rio de Janeiro.

O ideário da Revolução Francesa, que entre outras coisas defendia o governo representativo, a
liberdade de expressão, a liberdade de produção e de comércio, influenciou no Brasil a
Inconfidência Mineira e a Inconfidência Baiana, porque:

a) cedia às pressões de intelectuais estrangeiros que queriam divulgar suas obras no Brasil.

b) servia aos interesses de comerciantes holandeses aqui estabelecidos que desejavam influir no governo
colonial.

c) satisfazia aos brasileiros e aos portugueses, que desta forma conseguiram conciliar suas diferenças
econômicas e políticas.

d) apesar de expressar as aspirações de uma minoria da sociedade francesa, aqui foi adaptado pelos
positivistas aos objetivos dos militares.

e) foi adotado por proprietários, comerciantes, profissionais liberais, padres, pequenos lavradores,
libertos e escravos como justificativa para sua oposição ao absolutismo e ao sistema colonial.
A Conjuração Baiana (1798) caracterizou-se por ser um movimento que:

a) teve participação popular, com vista à concretização de reivindicações sociais.

b) atraiu a burguesia conservadora, que não desejava a continuação do pacto colonial.

c) envolveu, predominantemente, grupos militares influenciados pela Revolução Norte-Americana.

d) visava a impedir a crescente influência da maçona- ria na política de Portugal em relação ao Brasil.

e) criou condições favoráveis à concretização da “inversão brasileira” (1808-21).

Logo ao chegar, durante sua breve estada na Bahia, D. João decretou a abertura dos portos do
Brasil às nações amigas (28 de janeiro de 1808). Mesmo sabendo-se que naquele momento a
expressão “nações amigas” era equivalente à Inglaterra, o ato punha fim a trezentos anos de
sistema colonial.
(Boris Fausto. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2008. p.122)

O texto permite concluir que Dom João, ao decretar a abertura dos portos,

a) criou o Estado brasileiro e garantiu a unidade do país.

b) reforçou a relação de dependência com a metrópole.

c) acelerou o processo de Independência do Brasil.

d) impediu a consolidação da autonomia provincial.

Leia o texto abaixo:

Logo depois do “Grito do Ipiranga”, fazia-se imprescindível investir o novo governante do país
com as suas reais atribuições.
(...) Se D. Pedro era alçado à condição de cabeça e coração do império, era necessário que todo o
corpo político (...) soubesse dessa mudança e se reconhecesse como parte desse mesmo corpo (...).
Logo, urgia estabelecer um elo de continuidade entre o soberano e o súdito, a cabeça e os
membros, o coração e o corpo, entre o Brasil e a sua gente.
(Iara Lis Carvalho Souza. Pátria coroada. São Paulo: Editora da UNESP, 1999. p. 256)

O texto trata das preocupações que então nortearam o processo de consolidação do Brasil como
país independente. O país que surgiu desse processo caracterizava-se pela

a) intervenção política de grupos populares, sobretudo nas áreas distantes dos centros urbanos, voltada
para sua legitimação e a imposição de uma ordem social baseada na tradição europeia.

b) adoção de um projeto de civilização pactuado entre os diversos grupos sociais do país, que tinha por
base a mescla das culturas americana e europeia.

c) formação de um corpo social marcado pela ausência da cidadania e a exclusão de grande parte da
população, em especial negros, dos quais se esperava comportamento passivo e amorfo.

d) presença vitoriosa no cenário político de grupos até então excluídos e mobilizados em torno de líderes
populares, contrários à ordem social excludente defendida pelas elites.

Você também pode gostar