Você está na página 1de 135

ASCENSÃO DA TERRA

Tratado Ilustrado sobre a lei governante de todos os


sistemas

José Argüelles, Ph. D.


Com introdução de Charles T. Tart

1
Introdução micas. Necessitamos dos desafios da in- Introdução à Segunda Edição
teireza, da totalidade que chega a partir
de visionários competentes, pessoas que É característica do processo visionário
A grande tragédia dos tempos modernos
tem profundidade e também amplitude, que um livro ou uma visão possam pare-
é a fragmentação excessiva do nosso co-
estimuladas pelo amor à vida. cer à frente de seu tempo. No alambique
nhecimento. Inundados e confundidos
por pedaços e fragmentos fascinantes e --- a caldeira da alquimia secreta – da
José Argüelles é uma das pessoas que faz psique visionária, pode ser necessário
assustadores, andamos à deriva e sofre-
parte desta espécie rara, o visionário que certos processos sejam destilados
mos porque não entendemos quem so-
competente. Ele é mestre das artes ver- antes que outros possam congelar. Para a
mos, onde estamos, ou por que somos.
bais, todavia sua visão vai além destas consciência diária do visionário, estas
Beleza “existencial” em um universo
artes e está aqui representado por seus ocorrências podem ser inconscientes,
sem sentido ou estreiteza de visão “cien-
talentos artísticos extraordinários. Cada misteriosas ou até mesmo ambas as coi-
tífica” em um universo estagnado são
um dos seus mapas holonômicos pode gui- sas. Todavia, o visionário age de acordo
substituições insignificantes para uma
ar o leitor, que sente e que pensa, a no- com uma moralidade que o impulsiona
visão compreensiva e sensível de nossa
vos discernimentos sobre si mesmo e seu para além da total compreensão. Isto se
identidade, nosso mundo, nosso propó-
mundo. O fato de que cinqüenta mapas deve ao fato de que a consciência diária
sito.
holonômicos sejam aqui apresentados é do visionário pode ainda estar ancorada
impressionante! Eu recomendo sincera- em uma versão do passado das coisas,
Será que a Grande Ciência vai nos dar a
mente este livro pio-neiro para todas as enquanto que a informação, sendo des-
visão integrada do mundo que nós pre-
pessoas que desejam ser estimuladas e tilada no alambique da psique do visio-
cisamos? Infelizmente, muitos cientis-tas
desafiadas por uma visão de uma Nova nário, pode ter sua origem em algum
são, na verdade, apenas técnicos, elabo-
Era maravilhosa de nós Mesmos, de nos- ponto futuro ou em algum ponto dimen-
rando pequenos fragmentos da realida-
sa Terra, de nosso Universo! sionalmente distante. Realmente, pode
de. Nós necessitamos de um “visioná-
rio”. Mas a maioria das pessoas identifi- ser até vantajoso para a informação que
Charles T. Tart está sendo processada que a consciência
cadas como “visionários” são fanáticos
Professor de Psicologia diária do visionário tenha pouca noção
que ficam arrebatados por uma pequena
Universidade da Califórnia, Davis da fonte ou do significado completo da
porção do todo e de maneira errônea
aumentam a coisa para proporções cós- informação que ele ou ela possa estar

2
processando. Tudo que é requerido é da Convergência Harmônica, o livro O seu rastro, A Ascensão da Terra anun cia a
fidelidade para com o padrão ou projeto Fator Maya ajudou a moldar a transição manifestação do novo paradigma, o pa-
de informação. súbita na consciência, a qual faz com que radigma do campo ressonante.
um manual de desígnio planetário como
Desta maneira, a pureza da informação é o livro A Ascensão da Terra seja uma ne- A primeira premissa deste paradigma
mantida. O que eu estou descrevendo é, cessidade para pressentir o campo evo- afirma que todas as coisas estão em res-
em retrospecto, o processo e a aparência lutivo da Terra em relação ao todo galác- sonância e que a natureza primária da
de A Ascensão da Terra: O Tratado Ilustra- tico. realidade é a ressonância --- a freqüência
do da Lei que Governa Todas os Sistemas, de vibração --- e não matéria. Assim, o
que brotou num período de seis meses O reaparecimento do livro A Ascensão da novo paradigma transcende facilmente
entre Janeiro e Julho de 1983. O início da Terra em 1988 completa a estrutura de o modelo materialista atômico de New-
impressão foi em Julho de 1984 e o tér- tempo de R. Buckminster Fuller anun- ton. Da mesma maneira que os paradig-
mino da impressão aconteceu um ano ciada em 1978: que se uma revolução de mas passam, assim também passam os
depois. Qualquer pessoa com alguma comportamento não fosse completada caminhos da vida e de todas as civiliza-
familiaridade com o livro O Fator Maya: dentro de dez anos, seria o cerrar das ções. Se o modelo de Newton contribuiu
O Caminho Além da Tecnologia, publicado cortinas para a humanidade --- e para o para criar uma civilização global fantás-
na primavera de 1987, irá logo entender planeta. Não é somente a Sinergética de tica de materialismo e de guerra, o novo
que este último livro na verdade propor- Fuller que o livro A Ascensão da Terra paradigma contribuirá para uma civili-
ciona o contexto para o primeiro. Ao dar provoca em sua representação do com- zação interplanetária de harmonia e para
uma descrição completa do Tzolkin, o portamento, mas também o maravilhoso um potencial metafísico multidimensio-
Código do Calendário Galáctico Maya, o texto de Walter Russell, O Uno Universal, nal jamais sonhado anteriormente.
qual também é a unidade chave de infor- como também o livro A Hipótese de Gaia
mação harmônica do Banco Psi ou cam- de James Lovelock e o livro Uma Nova A limitação mais grave da ciência de
po da memória planetária, O Fator Maya Ciência da Vida de Rupert Sheldrake. Newton e a única que realmente conta
é essencial para o contexto do livro A para as suas tendências de autodestrui-
Ascensão da Terra ou A Terra Ascendente. Juntando a biologia e a matemática em ção, foi a sua unodimensionalidade ma-
Além disso, ao descrever os processos um modelo planetário unificado, e tra- terialista exclusiva. O novo paradigma
que levam à mudança planetária crítica zendo o trabalho destes pensadores em tornará possível a participação nos cam-

3
pos da realidade há longo tempo excluí- reflexivo de todos os outros sistemas Psi ou da consciência mais alta do plane-
dos da consciência “normal” pela insti- completos, não importa em que escala --- ta, a humanidade irá embarcar em sua
tucionalização unidimensional da razão. ou dimensão. A partir desta perspectiva, próxima missão: preparação da Terra
Desta maneira, não somente testemu- a Terra é o sistema completo imediato do para a fusão galáctica.
nhamos o retorno do sagrado na vida do qual cada um de nós é um holograma.
dia-a-dia, mas também testemunhamos a Naturalmente, cada um de nós também é É sob as luzes desta missão que o livro A
purificação dos hábitos que mantinham- um holograma da espécie humana como Ascensão da Terra aparece como um ma-
nos escravizados a um estilo de vida de um todo, cuja totalidade representa a nual e livro de trabalho no campo de
desperdícios e de negligência, que pouco membrana atmosférica neuro-sensorial amadurecimento do desígnio planetário.
fazia para nos elevar espiritualmente. do planeta. Sob este aspecto do conhe- Umas poucas pistas podem ser ofereci-
Como está se tornando evidente cada cimento, temos uma inversão primária das. Se o planeta é um holograma, ele
vez mais rápido, a relação entre nossa da velha visão do paradigma que asse- tanto modela o processo galáctico quan-
falta de realização espiritual, nossa acei- verava a supremacia ou a singularidade to o processo solar e além disso, a sua
tação cega da uno-dimensionalidade e da raça humana no universo e que ao perfeição está dentro de si mesmo. As-
nossa degradação do meio ambiente, mesmo tempo, proclamava a humanida- sim, se o programa do Banco Psi pode
fazem parte de um todo. Consequente- de como a suprema reguladora da Terra. ser visto emanando a partir de seus dois
mente, deve estar em primeiro lugar em A partir da perspectiva holonômica do pólos, assim da mesma maneira, o mes-
nossos esforços para a próxima geração, modelo de campo ressonante, desde que mo programa também pode ser visto
a purificação e a regeneração da Terra --- a inteligência é uma propriedade univer- emanando para fora de seu núcleo crista-
um compromisso coletivo para a ascen- sal, a humanidade não é única, e, entre- lino ressonante. Como um campo resso-
são da Terra. tanto, é a Terra, em ressonância galácti- nante unificado integrando os circuitos
ca,que está nos envolvendo e não o con- eletromagnético, biopsíquico e gravitaci-
Isto nos leva à segunda premissa ou trário. onal do princípio do desígnio universal,
premissa holonômica do modelo de a Terra é na verdade um receptor, trans-
campo ressonante: tudo é governado por Seguindo a purificação dos efeitos da formador e transmissor de ondas radio-
uma única lei que responde pela coexis- velha ordem, organizada como uma fônicas. O que nos referimos como sendo
tência dos diferentes campos, cada um Campanha para a Terra, e respondendo a geomancia, é o ato de balancear a
funcionando como um sistema completo às citações ou às convocações do Banco energia recebida e transmitida em pon-

4
tos chaves da superfície do planeta. tre os quais Ensaios de Biogeoquímica, A Ao mesmo tempo, já que as grades de
Quanto mais cedo entendermos a reali- Composição Química da Biosfera da Terra e marcação do livro A Ascensão da Terra
dade e as implicações deste processo, de Seu Meio Ambiente, e Introdução à Geo- são holonômicas, inclusive de outras
mais rápido estaremos nos estendendo higiene, estava usando nos idos de 1940 eras e dimensões, o leitor e o usuário
no controle prático da Nave Terra e no este termo até então somente associado a deste texto é encorajado a não somente
reordenamento correto da sociedade so- Teilhard de Chardin. encontrar aplicações para estas grades
bre uma base natural e galáctica. demarcatórias na informação atual e nas
Na verdade, Vernadsky e seu discípulo tecnologias psíco-solar atualmente em
Ao prestar tributo aos pioneiros do pa- Laptev mostram ingenuamente como a desenvolvimento, mas através delas,
radigma do campo ressonante e no inte- dialética marxista prepara o caminho descobrir e admitir a existência de outras
resse da futura harmonia planetária, gos- para o retorno da raça humana até uma civilizações, incluindo a civilização de
taria também de mencionar a contribui- natureza consciente e espiritualizada --- Atlântida e outras civilizações interga-
ção soviética. Onze anos antes da publi- o corpo maior da humanidade. Como é lácticas. Ao estabelecer as propriedades
cação do livro A Ascensão da Terra, o cien- declarado ao longo dos últimos capítulos da ressonância universal como o desíg-
tista soviético, I. Laptev, publicou o seu de Laptev, é o futuro da natureza que nio constituinte de nosso planeta em re-
texto transformador visionário, intitula- mantém o futuro da espécie humana, e lação aos campos solar-galácticos, o livro
do O Planeta da Razão. não o contrário. A Ascensão da Terra deve também auto
revelar-se como um livro elementar ou
Como Laptev demonstra, não foi Tei- Usado como livro de trabalho juntamen- uma cartilha para a criação daquelas
lhard de Chardin quem cunhou o termo te com O Fator Maya, o livro A Ascensão pontes de comunicação interdimensional
Noosfera, mas sim o pouco conhecido da Terra mostra o princípio do desígnio sintetizadas e sinestéticas entre nós e os
discípulo francês de Henri Bergson, universalmente inteligente que opera povos estelares.
Edouard Le Roi. Nem foi Teilhard de através do nosso campo planetário como
Chardin quem sozinho compreendeu também opera em suas particularidades Oxalá possa esta nova edição de Ascensão
pela primeira vez as completas implica- históricas. Assim, em relação a O Fator da Terra inspirar e evocar o espírito do
ções da Noosfera --- o termo precursor Maya, a fase histórica, “O Homem Trans- planeta, de maneira que o mesmo possa
para Banco Psi. O biólogo soviético, V.I. forma a Natureza”, refere-se mais especi- cantar e difundir a sua voz através dos
Vernadsky, em numerosos trabalhos, en- ficamente ao Grande Ciclo de 5125 anos.

5
veículos da raça humana cujo destino é
guiar-nos até as estrelas!

Oferecido no espírito da compaixão uni-


versal e do amor incondicional.

José Argüelles, Ph. D.1


MANIK 18 CUMHU,O
7º Ano Leste MULUC,
19 de Julho de 1987
Coluna Mística 105 Oeste,
Setor da Montanha Rochosa
Placa Norte Americano

6
PARTE I
A GEOMANCIA É PARA A HISTÓRIA O QUE A GRAMÁTICA É
PARA A LINGUAGEM

DOIS ENSAIOS INTRODUTÓRIOS

7
DOIS ENSAIOS INTRODUTÓRIOS Magos, que significa conhecimento das coisas formas de adivinhação comuns na Ará-
terrestres, pelo poder dos corpos superiores, bia, África e Europa Medieval; métodos
1.As raízes da Unidade: Geomancia e a dos quatro elementos, dos sete planetas, e telúricos para a determinação dos fluxos
Ordem Mundial dos doze signos do céu. de energia do mundo natural, exem-
plificados pela ciência chinesa do feng-
De acordo com a definição comum feita Tal definição é cosmológica, para dizer o shui; pelas teorias da suposta linha reta
através dos dicionários, a geomancia mínimo. E é sem dúvida alguma devido dos traços pré-históricos, conectando
refere-se à forma de adivinhação ou de- a algumas lembranças remanescentes de aspectos salientes da paisagem, associa-
monstração oracular derivada das linhas tal descrição de geomancia, que os pen- dos com o posicionamento do monu-
de “leitura” ou dos sinais da Terra. De sadores europeus do século dezenove mento megalítico e de outros antigos
acordo com esta definição popular, em- empregavam o termo para traduzir a ex- monumentos arquitetônicos notáveis; e
bora ingênua, a geomancia é semelhante pressão chinesa feng-shui, quando a mês- pela sismografia, a ciência que prediz os
àquelas artes de adivinhação de baixo ma foi introduzida pela primeira vez nas terremotos, outros movimentos geológi-
nível que incluem quiromancia e fixação correntes do pensamento ocidental. cos maiores e ritmados.
de olhos em bolas de cristal.
Embora os sinólogos censurando sem A estas, poder-se-ia adicionar outras três
Contudo ao ler uma descrição de geo- razão o uso do termo geomancia para aplicações: as ciências atmosféricas, a
mancia escrita na turbulência ideológica descrever feng-shui, que significa lite- astronomia arqueológica, e os princípios
da metade do século dezesseis, poder-se- ralmente “ventos e águas”, o seu uso fundamentais da bio-estética. A primeira
ia ter uma idéia de alguma maneira mais permaneceu. Como resultado, a geo- destas aplicações inclui o estudo da na-
expandida, se não mais elevada. Isto é o mancia está adquirindo atualmente uma tureza e os efeitos de interação mútuos
que Christopher Cattan tinha a dizer definição cada vez mais cósmica no sen- das camadas atmosféricas oriundas do
sobre a geomancia em 1558: tido potencial, ou no mínimo no sentido campo eletromagnético nos boletins diá-
dinâmico. Assim, em seu estudo sobre a rios do tempo afetando a biosfera imedi-
A Geomancia é chamada de Gy, uma palavra geomancia adivinhatória, Astrologia Ter- ata. A Astronomia arqueológica é o es-
grega que significa Terra: e Mancie, que restre (1981), Stephen Skinner cita, no mí- tudo interdisciplinar que investiga o pa-
quer dizer conhecimento. Ou então definindo nimo, quatro grandes aplicações do ter- pel formador da astronomia e da geo-
mais precisamente, ela deriva-se de Gyos e mo geomancia. Estas aplicações incluem mancia na determinação da arquitetura,

8
do planejamento urbano e na expressão De acordo com Paul Wheatley em seu No final dos anos 60, a geomancia, em-
artística das civilizações primitivas. Fi- monumental O Pivô dos Quatro Quadran- bora vagamente entendida, juntou-se ao
nalmente, a bioestética abrange todo e tes: Uma Pesquisa Preliminar Sobre as Ori- tai chi chuan, à acupuntura, e ao I Ching
qualquer processo dedicado à expressão gens e o Caráter da População Chinesa 1 para ceder sua aparência chinesa à con-
harmônica do relacionamento humano (1971), foi exatamente esta concepção tracultura. De fato, foi como “a acu-
com o meio ambiente ---- em outras pa- cosmomágica --- geomancia/ astrobiolo- puntura terrestre” que a imprensa da
lavras, as leis governantes de todos os gia----que assistiu o nascimento da revo- contracultura descreveu o feng shui ou
tipos de comportamento artístico. lução urbana e ajudou a formar a ordem geomancia chinesa. Embora a expressão
da civilização onde quer que ela tenha “acupuntura terrestre” a princípio possa
Ver Figura Página titulo do livro As Ar- aparecido no mundo. fazer aparecer, como num passe de má-
tes e Usando a Bússola do feng-shui na gica, uma imagem aparentemente fantás-
Dinastia Ching Seguindo a linha de pensamento suge- tica do planeta como um corpo seme-
rida por Bertholet e enfeitada por Whea- lhante ao corpo humano, com seus di-
Verso da pagina Os arcos diários do Sol tley, Maurice Freedman, em seu discurso versos meridianos, seus sistemas circula-
na latitude geográfica de Pueblo presidencial de 1968 dirigido para seus tório, digestivo, respiratório, esquelético
colegas do Instituto Real de Antropolo- e neuromuscular, sem mencionar seus
gia, propôs a definição de geomancia diversos “pontos de poder”, a partir de
Foi em 1949 que um francês, chamado
como uma “ecologia mística.” uma reflexão ulterior, a analogia pode
Rene Bertholet, designou para o conjun-
não parecer tão forçada.
to completo das idéias, representado pe-
Procurando a teoria de um súbito víncu-
lo termo geomancia, o nome cosmica-
lo de referências conectando mente e Ainda em outra parte, ao delinear os
mente provocativo de astrobiologia. O que
meio ambiente, Steven Bennet, em seu “Dez Aspectos do Conhecimento,” o pla-
Bertholet queria dizer com o termo as-
artigo de 1978, intitulado “A Ciência -no budista tradicional para a organi-
trobiologia era um sistema de pensamen-
Chinesa da Cosmologia Aplicada”, cu- zação do esforço intelectual humano,
to baseado em uma correspondência
nhou a expressão “astroecologia.” T’ai Situ, Rimpoche, em um seminário
verdadeira entre “os regimes matemati-
em 1982, indicou claramente a possi-
camente expressivos dos céus e os ritmos
bilidade e também a lógica, de consi-
de vida determinados biologicamente 1 No original, “Pivot of the Four Quarters: A
preliminary Enquiry Into the Origins and Char- derar a Terra unicamente desta maneira.
sobre a Terra.”
acter of the Chinese City.
9
Eu refiro-me especificamente ao segundo ela também pode ser descrita como uma cia”, os racionalistas dos séculos XVIII,
aspecto do conhecimento do qual ele base para a prática da arte. Como sabe- ao colocar de lado tudo que se asseme-
falou, “Astrologia”. Definida como a ci- mos agimos desta maneira. Se enten- lhava a irracional --- incluindo a geo-
ência do esclarecimento e da determina- dermos a relação entre corpo, mente e mancia --- jogaram fora a palavra chave
ção da relação do corpo (humano) indi- meio ambiente, e se tomarmos conheci- para o entendimento da experiência co-
vidual ao corpo do planeta, e do corpo mento de que a Terra é um organismo mo um todo unificado? Agindo deste
do planeta ao corpo do sistema solar, e vivo, então nossos esforços para o ajuste modo, a ciência não somente pareceu
deste ao corpo do universo inteiro, esta e para a harmonização de nós mesmos diferente da arte, como até mesmo mos-
visão da astrologia inclui claramente em de acordo com este conhecimento será trou-se superior a ela, mas como a ciên-
si mesma, o que nós estamos definindo em essência um ato de esperteza. Defini- cia se fortificou, seus defensores torna-
pelo termo geomancia. da como a habilidade de harmonizar ram-se indiferentes e mesmo opositores
conscientemente nossos sentidos com o à arte. Por outro lado, divorciada da ci-
Dada a perspectiva precedente, podemos nosso meio ambiente --- da pia da cozi- ência, a arte pareceu oferecer menos e
agora definir mais precisamente a geo- nha até o esplendor estrelado da noite --- menos para a beneficência do bem co-
mancia como o conhecimento da Terra a arte cai naturalmente sob o domínio mum, até que chegamos ao estado lasti-
como um corpo planetário, um organis- dos limites da geomancia. mável em que as coisas se encontram
mo vivo completo cujos processos ele- hoje.
mentares e ciclos rítmicos estão conecta- O fato sem dúvida nesta breve reflexão,
dos intimamente às nossas próprias es- sobre a geomancia é que descobrimos a Deixando estas especulações de lado, ao
truturas perspectivas e funções biológi- base única para a arte e a ciência. Pode- menos neste momento, podemos retor-
cas. ria ser também que o estudo da geoman- nar à circunstância afortunada da sobre-
cia pudesse providenciar a chave para o vivência da geomancia chinesa, o feng
Como uma ciência, a geomancia descre- entendimento do por que a ciência e a shui. Através do feng shui, podemos au-
ve a estrutura e as funções do corpo pla- arte se separaram de maneira crescente mentar nossas sensibilidades de modo a
netário Terra em relação ao corpo indi- logo após a revolução científica da Re- perceber de novo a estrutura geomancia,
vidual homem, e às regiões celestes, o céu nascença? Ou para colocar de outra ma- já que ela pode estar relacionada com a
acima. Contudo tanto quanto se pode neira: poderia ser que no entusiasmo de atual crise planetária. Com certeza, a
referir à geomancia como uma ciência, afirmar a superioridade da “nova ciên- ordem mundial e do universo permane-

10
ce fundamentalmente a mesma hoje co- livro Manual da Terra Viva de Skinner, meio ambiente. Assim como o I Ching
mo era quando os rudimentos da geo- “do mesmo modo o feng shui pode culti- determina as situações em um sentido
mancia foram articulados pela primeira var a força da vida ou o ch’i na Terra tão temporal ou sincrônico, a geomancia do
vez a vários milhares de anos atrás. facilmente quanto no oeste.” Ninguém fen shui determina as situações com ênfa-
pode questionar este ponto por mais se na geografia do lugar e do propósito
Embora a ciência materialista tenha tempo. humano.
abandonado a noção da Terra como um
organismo vivo, a evidência de que tal A realidade da matéria é que como o I O sistema chinês do feng shui combina
noção excitou nossos ancestrais está de Ching, um texto cujas raízes estendem-se perfeitamente com a descrição anuncia-
novo conosco hoje. até as origens da civilização chinesa, a da por Bertholet quando ele cunhou a
geomancia do feng shui tornou-se global expressão “astrobiologia”--- a corres-
“A arte de viver em harmonia com a e está aqui para ficar. A comparação com pondência entre as formas dos céus ex-
Terra, e receber o máximo benefício, paz o I Ching pode ser estendida. Assim co- pressáveis matematicamente e os ritmos
e prosperidade por estar no lugar certo mo o I Ching provou ser global espaci- da Terra determinados biologicamente.
na hora certa é chamada de feng shui.” almente por ter se estendido tanto para o Tendo se apoderado do princípio desta
Esta definição de geomancia como arte oriente quanto para o ocidente, também correspondência, o lung kia, ou “os ho-
prática dada por Stephen Skinner, tirada é global temporalmente ao se estender mens dragão” praticantes do feng shui,
do seu livro Manual da Terra Viva2 (1982), entre o polo da antigüidade mais remota continuaram a desenvolver as maravi-
é tão direta quanto alguém poderia que- e o polo dos tempos modernos. O mes- lhosas complicações do calendário e a
rer. Também é um objetivo tão uni- mo se aplica à geomancia. ciência dos ciclos resultante dele trans-
versal para o bem estar humano e do formação dos cinco elementos,também o
planeta quanto poderia ser exposto. Mas isto não deve nos surpreender. O I lop’na, ou alcance, extensão.
Ching pode ser considerado corretamen-
“Assim como a ioga cultiva a força da te como uma das primeiras expressões, Combinado com o misticismo de nature-
vida no homem tanto do oriente quanto ou mesmo um subsistema da ciência ge- za taoísta e eventualmente com a tradi-
do ocidente”, lemos em algum ponto no omântica. Na raiz do I Ching, tanto quan- ção contemplativa do Ch’an ou Zen, a
to da geomancia, está o princípio binário geomancia gerou os pintores chineses de
da reciprocidade mútua da mente e do paisagens tradicionais. Raramente ocul-
2 No original, “Living Earth Manual”
11
tas pelas camadas infinitamente delica- Qualquer pessoa que tenha familiarida- Baseado como está no sistema de corres-
das do pincel, estão as manifestações de com o I Ching está plenamente consci- pondências --- acima céu matemático,
sinuosas do ch’i --- as linhas do tigre e do ente das expressões céu, Terra e homem, abaixo Terra biológica---a geomancia
dragão que animam as visões infinitas e de todos os níveis de significados im- define uma correspondência posterior: o
de montanha, vento, vapor e vazios que plicados no uso destas únicas palavras. homem e o tempo atmosférico).Assim, en-
são a indicação da qualidade e legitimi- Podemos tomar o princípio do céu- quanto a estrutura básica do sistema feng
dade da tradição da pintura da natureza Terra-homem como um eixo ou estrutu- shui da geomancia emerge, dois conjun-
no extremo oriente. ra central sempre presente, um eixo uni- tos de correspondências apresentam-se:
forme, suportando a roda transformado- céu, Terra e homem; e céu, Terra, e tempo
Começamos a ver que as artes e as ciên- ra da geomancia em todas as suas mani- (atmosférico).
cias da civilização chinesa tradicional- festações artísticas e científicas. É por
mente giraram em volta de um eixo ou causa de que o eixo da geomancia---céu- Ver figura Uma ilustração de um lugar
estrura central comum, que é o eixo do Terra-homem---transcende as ver- Auspicioso (III) e Análise dos anéis de
princípio primordial da geomancia. Se dadeiras limitações de tempo e lugar que um lop’na completo.
perguntarmos qual possa ser este princí- a ciência da geomancia pretende definir,
pio --- um princípio, devemos acrescen- que nós também encontramos a causa da Verso da pagina Ver figura O barômetro
tar, que tem se desenvolvido rapidamen- atual expansão e recobertura da geo- como símbolo da Terra
te onde quer que a sociedade humana mancia.
tenha evoluído e se transformado em
civilização --- teríamos de responder, Sendo infinito, o princípio céu-Terra- Do mesmo modo o ch’i, a força-vida uni-
muito simplesmente: o céu, a Terra e o homem funciona como ressonância da versal, está subdividido em ch’i do céu,
homem. Como uma designação verbal ordem auto-existente---a hierarquia na- ch’i da Terra e ch’i do tempo (atmos-
de acordo com uma estrutura percebida tural---do universo. Esta ressonância, a férico). É escrito sobre o ch’i do tempo
intuitivamente, céu-Terra-homem apon- qual nossos corpos permanecem afina- (atmosférico): “ O Ch’i do tempo do qual
ta para a ordem inerente, auto-existente dos e harmonizados, não é essen- há cinco mediadores entre o céu e a Ter-
e hierárquica do universo. cialmente diferente agora do que era ra do mesmo modo que o homem está a
quando o princípio da geomancia foi meio caminho entre o céu e a Terra”,
articulado originalmente. (Skinner, 1982). Como o homem, o ch’i

12
do tempo participa ou toma parte tanto mento dinâmico, Fludd aliou-se com o jacente à aritmética ou número. De ma-
no ch’i da Terra quanto no ch’i do céu. movimento contínuo e expansivo das neira similar, no diagrama descrevendo
forças postas em movimento pelas leis as artes liberais, a geomancia encontra
Dada esta correspondência, é fácil ver unificadoras que servem de base para a seu lugar entre a astronomia e a música,
por que a geomancia pode ser uma ciên- ordem do universo. indicando seu papel como uma arte de
cia suprema para o homem. Tanto o harmonia. Finalmente, no diagrama das
homem quanto o tempo (atmosférico) --- Assim foi que Fludd aplicou-se no estu- artes microcósmicas, o aspecto psíquico
as mudanças do mundo fenomenico dis- do central, “Meteorologia Cósmica”,uma da geomancia é enfatizado pela sua co-
poníveis para os nossos sentidos --- estão cópia natural do feng shui da China,com ção entre a profecia e as artes da memó-
unificadas ao girar em volta do mesmo suas designações de ventos, terremotos, ria.
eixo --- o eixo transcendente insinuado arco-íris, etc., e suas correspondências
pela expressão “céu, Terra e homem”, a com as condições psíquicase estágios de Em todos os diagramas de Fludd, a ge-
hierarquia natural auto - existente do desenvolvimento. Ainda mais significan- omancia é designada pelo formato de
universo. temente, entre seus diversos diagramas desenho heráldico mostrando as permu-
cósmicos, constata-se que a geomancia tações binarias de ordem dezesseis. Foi a
Não somente na China, mas também no estava aplicada de modo proeminente. investigação das permutações geomânti-
ocidente tradicional pré-industrial, a ge- cas que também levou Fludd até o estu-
omancia, embora freqüentemente dispu- Estes diagramas incluem: do dos números binários e à matemática
tada pela ortodoxia da igreja, manteve 1) “O Espelho da Totalidade da Nature- binaria. Como um sistema oracular, tanto
uma alta posição entre as artes e ciências za e a Imagem da Arte”, faz se chinês, arábico, europeu ou africa-
do homem. Isto é particularmente evi- 2) “As Artes Liberais”, e no, a geomancia está caracterizada uni-
dente, por exemplo, no trabalho de um 3) “As Artes Microcósmicas”. camente pelos sistemas da progressão
dos últimos grandes filósofos sintetiza- binaria.
dores que precederam o triunfo do mate- Em “O Espelho da Totalidade da Natu-
rialismo científico, o físico inglês do sé- reza”, entre as artes e as ciências, a geo-
culo XVII chamado Robert Fludd. Até mancia é colocada de acordo com o sen-
mesmo por seu apelido, de Fluctibus, com tido dos ponteiros do relógio na posição
as suas conotações de fluidez e movi mais alta logo acima de astronomia, ad-

13
É impossível concluir este breve en-
saio introdutório sobre o tópico da
geomancia sem algumas reflexões
sobre a relação entre a geomancia e a
visão sagrada do mundo.

Ver figura – O Grande Mapa Meteo-


rológica depois desta figura.

Ver figura – O Grande Mapa Mete-


orológica depois desta figura.

14
A geomancia assume ipso facto a santida- O interesse atual no estudo e na prática ainda mais refinada e que a tudo englo-
de do mundo no qual nós vivemos. Por da geomancia, tanto em sua forma nati- ba: a holonômica.
causa da posição da ordem hierárquica va de feng shui quanto como modelo pa-
como auto-existente, a santidade da ge- ra a unificação de todos os sistemas, con- Usada pela primeira por George Leo-
omancia é, no final das contas, uma san- firma o fato de que a necessidade de ex- nard em A Pulsação Silenciosa (1978) co-
tidade não estética e originalmente evi- perienciar o mundo como algo sagrado é mo uma expressão para definir entida-
dente. Esta perspectiva sagrada é de- um fator de crescimento na transforção des “de natureza de um holograma”,
monstrada na simplicidade natural das estágio da civilização. Certamente como holonômica é uma expressão descritiva do
artes de jardinagem e paisagísticas, as consideramos a abrangência infinita da conhecimento holístico, isto é conheci-
quais foram originadas pela geomancia, geomancia, podemos de novo começar a mento que é simultaneamente intuitivo e
e que floresceram também no Japão. ver as possibilidades do aparecimento racional, científico e artístico. Assim, a
da ordem mundial genuína, baseada no holonômica descreve a ordem da reali-
Assim, o princípio do céu-Terra-homem principio harmonizador do céu, Terra e dade bem como a maneira como chega-
serve de base até mesmo para uma arte do homem. mos a conhecer e expressar tal ordem.
tão ilusoriamente simples quanto um
arranjo floral. Uma vez que reconhece- Inserir O espelho da totalidade Derivada de holo, “o todo, a totalidade”,
mos e estendemos este princípio, então o e - nomia, “lei ou princípio governante ou
arranjo de nosso meio ambiente na sua Da Geomancia à Holonômica relativo a”, a holonomia refere-se à lei ou
totalidade, tanto dentro de nossos lares A Descoberta do Banco Psi princípio governante de todos os siste-
quanto como estrutura de nossa civiliza- mas, enquanto a holonômica descreve o
ção, assume aquela qualidade da har- Como modelo para a unificação da arte e estudo ou a investigação desta lei ou
monia universal que o arranjo floral tra- da ciência e de todos os sistemas de uma princípio. Como um termo descritivo, a
dicional exemplifica. A geomancia está maneira geral, no contexto de nosso rela- holonomia refere-se ultimamente ao
na raiz de todas as expressões de har- cionamento natural com a Terra e com universo inteiro como uma teia inter-
monia, e a harmonia é ao mesmo tempo seu meio ambiente, a geomancia --- a trançada e dinâmica, transcendendo de-
arte e ciência. Todavia, sem a visão que ciência primordial de harmonia e de ori- finição parcial ou analítica. Se o universo
o mundo fenomenico já é sagrado, não entação --- apresenta-se como um prelú- é holonômico, os subsistemas compostos
haveria geomancia em absoluto. dio ou fundação para uma disciplina do universo, do atômico ao galáctico, são

15
também holonômicos. Cada nível ou pleto sistema de ordem do qual se é totalidades para as partes e na qual a
subsistema abrange uma síntese ou ho- membro. consciência e os fatores de psi têm um
larquia (“ordem total”) que reflete a or- papel formador tanto na estrutura quan-
dem do sistema completo --- o universo - Sendo holística, a holonomia da necessi- to na evolução do universo, e também no
-- expressível, por conseguinte, por um dade põe em jogo áreas de conhecimento nosso entendimento deste processo e no
único modelo holonômico ou unidade até agora conhecidas como paranormais, nosso papel nele. Como a “nova ciência”,
de informação. Ao contemplar e enten- supranormais ou parapsicológicas---isto a holonômica tem um papel chave na
der este modelo holonômico, pode-se é o reino especificamente não racional do unificação das várias linhas de pensa-
chegar a compreender o todo, como conhecimento ---o qual, como a própria mento que seguiram caminhos diferen-
também os diferentes subsistemas, como ciência da geomancia, tornou-se alta- tes durante o tormentoso curso de guer-
facetas de um conjunto de ordens e ope- mente desacreditado após o triunfo da ras do século XX. Como a lei a governar
rações interagindo e interpenetrando-se ciência materialista do século XVIII. os sistemas completos, a holo-nômica
mutuamente. não apenas responde pelos inter-
Daqui por diante referida como psi, este relacionamentos entre os campos do
Como um meio de conhecimento, a ho- aspecto da mente ou do conhecimen- mundo fenomenal, mas também pela
lonômica refere-se à capacidade para o to,como a geomancia, está atualmente interação do homem com este mundo ---
conhecimento autotranscendente. Usan- num processo de reabilitação. O estudo o homem com toda a sua história acu-
do a terminoçogia geomantica tradicio- ou investigação do psi pode ser definida mulada, pensamento e formas de ex-
nal, este é o conhecimento pelo qual o adequadamente como psiônica. Como pressão inseparáveis do planeta sobre o
subsistema homem poderia vir a conhecer ficará evidente em breve, o estabeleci- qual ele se encontra.
o sistema mais abrangente céu-e-Terra. mento do modelo holonômico facilitará
Assim, como um conhecimento holístico, grandemente o desenvolvimento da Para uma teoria completa de qualquer fenô-
a holonômica depende de uma consciên- psiônica, há muito tempo sob as restri- meno social complexo requer-se uma filosofia
cia auto-refletiva, uma claridade de per- ções paralisantes do paradigma materia- desenvolvida da história e da teoria do ho-
cepção, e uma habilidade para responder lista/físico. mem... Esta será interpretação não linear e
por e criar ordem— um processo culmi- total. Nesta declaração mais completa, duas
nando na apreensão intuitiva e na apre- Finalmente, a holonomia é o nome da facetas receberão maior elaboração: 1) haverá
ensão intuitiva e na expressão do com- “nova ciência”: aquela que procede das uma teoria orgânica da Terra como uma en-

16
tidade viva, com a sociedade humana como Para as facetas que requerem elaboração po guia controlando a evolução psicos-
uma parte da gigantesca criatura a se adicional, a holonômica contém igual- social da espécie humana.”
desenvolver, a evoluir; e 2) o cinto de mente, uma teoria completamente orgâ-
radiação (ou campo psi), os dois pólos, nica da Terra como uma entidade viva, Como já vimos, os historiadores moder-
entre eles, gerando o “sensório do mun com a sociedade humana como parte da nos, em suas tentativas de entender e
do”--- o campo guia que controla a evo- “criatura evolutiva gigante”. Este enten- explicar a geomancia, têm se valido de
lução psicossocial da espécie humana. dimento está contido na equação geo- termos como astrobiologia, ecologia mística
mântica céu, Terra e homem, e também e astroecologia. Estes termos todos têm
Oliver Reiser na máxima hermética, “assim abaixo co- implícito a idéia de um campo psi terres-
mo acima”, pela qual é entendido que o tre pelo qual a mente humana e o meio
Esta Terra Mais Sagrada. macrocosmo está refletido no micro- ambiente estão conectados e podem ver-
cosmo e vice-versa. Qualquer pessoa que dadeiramente operar em harmonia. No
Ao considerar as linhas mestras provoca- esteja familiarizada com o paradigma paradigma geomântico, naturalmente,
tivas, porém compreensíveis para uma holográfico irá entender isto, isto é que o não há dúvidas de que a Terra é uma
“teoria completa de qualquer fenômeno modelo das outras patas de um cavalo entidade viva da qual o homem é um
social complexo”, como anunciada nesta não é inerente apenas à uma das patas membro inseparável. Disto segue que a
declaração feita pelo físico Oliver Reiser, deste cavalo, mas também é modelo para razão para que possa haver um sistema
recentemente falecido, descobrimos que o cavalo como um todo. de astrobiologia ou ecologia mística é
a holonômica preenche sob todos os as- precisamente porque o organismo---o
pectos, as exigências desta complexa teo- Segundo---e este é o aspecto mais pro- homem---proporciona a instrução básica
ria. Originando-se de suas raízes geo- vocativo das exigências de Reiser para e os recursos de expressão para uma
mânticas, a holonômica abrange a filoso- uma teoria integral e unificada --- des- mente ou consciência planetária unitária
fia total da história e da teoria do ho- cobrimos que a holonômica contém tam- --- o campo psi de Reiser.
mem. Sendo intrinsecamente holística, a bém uma exposição completa e perfeita
holonômica, portanto, não é somente do cinto de radiação ou campo psi, os Vários anos antes que Reiser explorasse
não linear, mas é melhor apresentável de dois pólos ou elementos binários, entre e definisse a natureza do banco psi, um
um modo não verbal. os quais é gerado o “sensório mundial”, contemporâneo e compatriota de Bertho-
aos quais Reiser se referia como “o cam- le --- o paleontologista e místico católico

17
chamado Pierre Teilhard de Chardin--- significante e também lógico na teoria nervoso, literalmente mais e mais presente na
também estava usando o termo astrobio- evolucionária ocidental. O que ela evi- imensidão de seu organismo,
logia. No caso de Teilhard de Chardin, o denciava era o reconhecimento tanto da
uso desta expressão fazia referência a mente quanto do homem como um fator Desta descrição altamente sugestiva da
sua palavra desde então altamente elogi- crítico no desenvolvimento de um plane- noosfera, Teilhard de Chardin poderia
ada --- a noosfera. ta como a Terra. Na verdade uma das começar a falar futuristicamente de“...
conclusões a serem tiradas da existência uma geotecnologia ampliando uma rede
“Definida pelo próprio Teilhard de da noosfera como um estágio mais refi- firmemente interdependente de suas
Chardin como... Camada pensante for- nado da história biogeológica é o corolá- iniciativas sobre toda a Terra...“.
mada pela propagação do grupo zooló- rio do homem como os meios orgânicos
gico humano acima da (e descontinua- a tomar providências para uma planetiza- Teilhard de Chardin foi um pioneiro
mente com) biosfera”, a noosfera tam- ção da consciência. Como Teilhard de único ao articular o conceito e a realida-
bém se refere ao “lugar e disposição Chardin torna claro, a manifestação da de da noosfera, um conceito e uma reali-
prováveis do elemento pensante em toda noosfera é dependente do aparecimento dade cujas implicações têm amplas e de-
a parte do universo.” Assim, dada a uni- do homem como um ser auto-refletivo vastadoras ramificações para as fun-
versalidade da mente ou do elemento sobre este planeta. Assim ele escreveu: dações materialistas e intenções nacio-
pensante, de acordo com de Chardin, “os nalistas do recente mundo industrial.
planetas com noosfera, longe de ser uma De fato com o tipo sapiens (Estava quase Todavia, dada a explosão de conheci-
curiosidade na natureza, seriam sim- dizendo linha) finalmente descoberto, a noos- mento, informação e política que ocorreu
plesmente o produto normal e final da fera começa de uma vez por todas a ser teci- desde a morte de Teilhard de Chardin
matéria conseguida para a sua conclu- da; uma noosfera ainda indefinida, livre, sol- em 1955, sua descrição da noosfera é ba-
são”. ta, naturalmente, mas na qual nós já reco- sicamente embrionária.
nhecemos o forte envoltório de pensamento
A hipótese de Teilhard de Chardin sobre no qual nós existimos hoje: aquele envoltório Foi Oliver Reiser, físico por muitos anos
a noosfera, um “envoltório adicional jo- ao qual a humanidade finalmente se reuniu na Universidade de Pittsburgh, quem
gado como um filme bem fino, porém em todas as suas extremidades e atravessou sintetizou os desenvolvimentos mais
superlativo em volta de toda a Terra”, uma rede de ligações que, recentemente tor- recentes da ciência na estrutura funda-
marcou um desenvolvimento altamente nando aérea e etérea a imagem de um sistema mentalmente sólida, porém subdesen-

18
volvida da noosfera. O que Reiser aca- viu o campo psi como algo pertencente a lidade global, dois lados do cérebro glo-
bou por chamar de campo psi, em 1966, um córtex cerebral planetário, cujos dois bal, por assim dizer.
o equivalente à noosfera de Chardin, hemisférios, de alguma maneira, corres-
integrou duas rupturas científicas bási- pondem às duas metades do cérebro do Finalmente, devemos observar a noção
cas no envoltório mental ter-restre: os homem e suas funções correspondentes, de Reiser de “sensório mundial”, o me-
cintos de radiação de Van Allen e o có- e também correspondem aos dois hemis- canismo de controle da evolução psi-
digo genético com o seu sistema de héli- férios do pensamento ocidental (racional cossocial da espécie humana. A partir
ce dupla binaria. A primeira, consistindo tempo) e oriental ( intuitivo espaço). desta descrição funcional da noosfera ou
de dois “cintos” --- um cinto pesado e do campo psi, nós podemos inferir a
interno de prótons e um cinto externo e Não há dúvida que a ousada asserção de existência de um mecanismo evolucio-
leve de elétrons, separando a Terra em Reiser sobre a relação entre os cintos de nário muito maior: o fator moderador
duas partes medindo duas e onze mil radiação de Van Allen, o movimento morfogenético que, pela razão de estar
milhas respectivamente -- funciona tanto binário de dupla hélice do DNA e a ana- encaixado de modo ressonante em todo
como um escudo de proteção quanto logia da divisão cerebral conectando a o processo do planeta como um sistema
como uma membrana eletromagnética neurofisiologia humana universal, os vivo, pode ser descrito exatamente como
recarregando e reciclando a atmosfera da hemisférios do planeta, e o campo psi um processo de memória holonômica.
Terra. O DNA, naturalmente, provou ser bipolar, foi um passo surpreendente pa- Por processo de memória holonômica
o código decifrável comum a todos os ra fornecer mais perfeição e substância à queremos dizer não apenas uma matriz
organismos vivos, desde os protozoários “membrana superativa” de Teilhard de (morfogenética) geradora de formas res-
até o homem multiforme e protéico. Chardin, a noosfera. Apontando mais sonantemente, mas também um meca-
tarde para a realidade de uma mente pla- nismo propositado de ajuste e de regu-
Tanto o código genético quanto os cintos netária, com a óbvia implicação de que a lação baseado nas necessidades inerentes
de radiação foram “descobertos” em humanidade consiste de um organismo, do planeta como um sistema evolutivo
1953. O que Reiser fez foi pressupor a Reiser sugeriu uma complementação do total --- do qual o homem não passa de
noosfera ou o banco psi funcionando em pensamento pelo qual os sistemas intui- um membro.
conjunto com os cintos de radiação, e, tivos do “Oriente” e os sistemas racio-
como o DNA, operando como uma espé- nais do Ocidente abrangem uma tota- Neste meio tempo, enquanto Reiser esta-
cie de dupla hélice. Mais tarde, ele pre- va providenciando níveis posteriores de

19
refinamento para a noosfera de Teilhard estimativa de Schoenberger, “isto é pre- dições, o código binário não somente
de Chardin ( 1966 – 74 ), um filósofo cisamente o que aconteceu pela manifes- serve de base para o código da vida ---o
alemão chamado Martin Schoenberger tação do código do I Ching no código código genético --- mas também para
publicou o livro A Chave Escondida para a genético. todas as funções elétricas, eletromagné-
Vida3 (1973). O resumo principal e sensa- ticas e neurológicas. Estas operações bi-
cional do livro de Schoenberger era a ”Assim, na exata equivalência binaria narias variam desde os movimentos das
descoberta da equação absoluta um- entre o I Ching e o código genético, a manchas solares (as quais regulam o
para-um dos sessenta e quatro kua, ou idéia de Reiser de um cérebro global dis- campo magnético da Terra e o apare-
hexagramas, do antigo sistema chinês I tinguido por uma complementaridade cimento da aurora) até os giros sinápti-
Ching, e os sessenta e quatro códons do entre as mentalidades ocidental e orien- cos do processamento da informação
DNA do código genético. A descoberta tal encontraram uma justificativa inespe- neurológica, como também a progra-
de Schoenberger de que o I Ching e os rada porém altamente convincente. mação dos computadores e, mais minu-
sessenta e quatro códons do DNA são ciosamente, até os fatores que governam
exatamente os mesmos quando escritos A partir das noções provocativas porém a estabilidade da estrutura atômica no
em ordem binaria proporcionou o ponto vagas da astrobiologia e da ecologia mís- que se refere à interação dos elétrons e
principal do discurso funerário feito por tica para a noosfera e para o campo psi, prótons. Que um sistema antigo como o I
Carl G. Jung em honra ao grande tradu- finalmente emergiu o que pode ser refe- Ching, o qual figura tão proeminente-
tor alemão do I Ching, Richard Wilhelm. rido como a descoberta do banco psi: um mente nos sistemas geomânticos do ex-
banco de informação planetária e um tremo oriente, também esteja baseado
“Não pode permanecer na escuridão sistema de recuperação cuja função pri- em uma operação binaria indistinguível
para sempre”, declarou o eminente psi- mária de memória holonômica opera ou do código genético, também aponta para
cólogo do inconsciente arquetípico, “o se manifesta através do código mais a natureza binaria das funções mais pri-
fato de que estamos tocando aqui em um simples que se possa imaginar: o código mordiais da psique humana.
princípio de Arquimedes, com a ajuda binário.
do qual nosso modo de pensar ocidental Que todas estas operações binarias figu-
poderia ser perturbado”. Realmente, na Baseado numa dupla divisão aberto- rem na descrição complexa do banco psi
fechado, positivo-negativo de qualquer somente dá maior peso e substância à
forma ou processo que opere nestas con- conceituação do banco psi como uma
3 No original, “The Hidden Key to Life”
20
mente ou cérebro holonômico fornecendo pa do nosso futuro. Desta maneira, o A Procura Pela História
neste ponto do tempo uma direção conscien- banco psi apresenta uma filosofia desen-
te atual e um propósito para a evolução volvida da história e da teoria do ho- Ao discutir a descoberta do banco psi, é
das leituras binarias, separadas no tem- mem, enquanto proporciona uma inter- importante ter em mente que, como a
po, porém idênticas na estrutura, do I pretação holística e não linear do relaci- maioria das descobertas de igual teor,
Ching e dos códigos genéticos, o banco onamento do homem com o desabro- esta foi totalmente não intencional. Este
psi funciona obviamente como um banco char orgânico do planeta Terra como um fato é de grande importância, pois um
de informação e um sistema de recupe- membro consciente do universo. fenômeno como o banco psi teria pouco
ração fenomenalmente simples, porém significado se o mesmo fosse apenas a
que a tudo engloba, um cérebro ho- Adicionalmente, o banco psi, por ser ho- invenção ou a idéia ou o instrumento de
lonômico ou cérebro do planeta. Assim, lonômico em natureza e função, deve ser um mero ser humano. O mais impor-
dado o que nós agora conhecemos do aprovado para que opere no mesmo tante é que o banco psi não foi inven-
banco psi como uma base de dados que modelo que governa as operações de tado, ou seja, está além da mera inven-
evolui criativamente, a natureza do qual todos os sistemas do universo, desde o ção. Sua descoberta, todavia, poderia
parece se manifestar proporcionalmente sistema atômico até o sistema galáctico. somente ter acontecido através de várias
a nossa maior visão global ou compreen- De fato, como chave certa para entender pesquisas atrás da verdade, as quais
siva das coisas ou à nossa inteligência o processo holonômico da estrutura inte- sempre iluminaram o curso aparente-
coletiva, deveríamos também estar aptos ligentemente desenvolvida e do pro- mente cego da existência humana co-
a construir uma leitura mais acurada da pósito deste planeta deveu estar e ser letiva com os investigadores disponíveis
história. capazes de descobrir dentro do banco psi atrás de pesquisa genuína.
a urdidura da configuração binaria, que
Esta leitura --- por natureza, global e ho- desvenda o modelo holonômico pri- É com a única intenção de jogar luz so-
lonômica --- iria nos proporcionar não mário --- este modelo sobre o qual estão bre os trabalhos misteriosos e inespe-
apenas um guia não sectário ideologi- baseados todos os sistemas e níveis di- rados do processo geral holonômico de
camente higienizado para nossa evolu- nâmicos e orgânicos de entendimento, memória que expus a maneira na qual
ção psicossocial como tem feito até o desde o icro até o macro. eu mesmo encontrei por acaso o extra-
momento, mas também iria nos propor- ordinário fenômeno chamado banco psi.
cionar uma medida ou critério e um ma- Na verdade, em retrospecto, o ponto ini-

21
cial de minha pesquisa pode ser de mai- tinha me apoderado de uma linha que criei, o segundo era de natureza insti-
or significância do que a própria pesqui- desembaraçava não apenas a meto- tucional forte. O primeiro obstáculo era
sa em si, pois naquele ponto inicial, igual dologia da história da arte, mas também inerente ao que eu tinha estado ten-
uma falha invisível sobre um prato de a totalidade do emaranhado do pen- tando fazer---isto é, apresentar tanto um
vidro --- tão insignificante a princípio --- samento científico e humanístico ociden- método global de compreensão da his-
repousa todo o segredo. tal levando em consideração a maneira tória da arte e ao mesmo tempo uma
como o mesmo tinha sido elaborado história real da arte mundial que fosse
Para mim, aquele ponto inicial estava desde o tempo da Renascença, no mí- genuinamente global. Esta dupla ativi-
enraizado em uma insatisfação resoluta nimo. dade era gigantesca, até poderia dizer
com a metodologia da disciplina acadê- enciclopédica, e certamente não estava
mica da história da arte. A minha insatis- Ver figura – A Pesquisa ou a Procura dentro das possibilidades de conclusão
fação era tão profunda que eu sentia que através da história de um único ser humano, no mínimo
o único remédio era tentar descobrir um não com qualquer esperança de fazer
caminho ou aproximação mais justa e Embora minha atividade, de maneira justiça à finalidade desta atividade.
compreensível. O ponto crucial do pro- indiscutível, nos últimos 14 anos tenha
blema, como pude notar no outono de sido educar-me sobre sistemas estéticos, O outro obstáculo, o fator institucional,
1969, era ter chegado à conclusão de que filosofias, e histórias da arte das regiões continuou a me impressionar com o fato
todos os livros de história da arte, e con- das maiores civilizações, também sobre de que eu não era apenas um Dom Qui-
sequentemente todos os cursos de histó- episódios culturais, e tradições espiri- xote lutando com moinhos de vento, mas
ria sobre arte ensinados neste país (e tuais dos variados povos do mundo, ao que o sistema educacional em si estava
também na Europa), presumiam que o fazer este trabalho, inadvertidamente tão impenetrável que era incapaz de
ponto máximo da história da arte tivesse encontrei-me sendo empurrado contra aceitar o desafio apresentado pelos meus
ocorrido na Renascença Européia. Para uma barreira de resistência. Durante esforços. Isto é compreensível, pois a
corrigir esta tendência, esforcei-me por meus esforços para juntar as peças de partir do ponto de vista do sistema edu-
estabelecer uma metodologia que fosse um volume que descrevesse qualquer cacional estabelecido, o que eu estava
genuinamente global. Durante o período método com o qual eu tivesse me depa- tentando comunicar iria, em últimas ins-
de tempo em que tentei fazê-lo, cheguei rado, confrontei-me com dois obs- tâncias, declarar a morte daquele siste-
pouco a pouco à conclusão de que eu táculos; o primeiro obstáculo eu mesmo ma.

22
Apesar de tais prejuízos psicossociais, (yang, positivo), o I Ching ganhou gran- códons do DNA são o código das trans-
consegui manter-me fiel à linha que eu de popularidade como livro de adivi- formações biológicas mais puras. Final-
tinha começado a desvendar, pois foi nhação ou presságio. Os aspectos adivi- mente, o uso do I Ching somente para
precisamente no curso do seguimento nhatórios do I Ching, contudo, tão popu- propósitos divinatórios pessoais é de
desta linha---como também a pressão lares e talvez até mesmo depreciados algum modo como usar a eletricidade
que experimentei em minha busca---que quanto podem ser, obscuros para a mai- somente para a provisão de luz.
eu achei por acaso alguns dos com- or parte da natureza real e para a estru-
ponentes essenciais para a estrutura e tura deste texto, que na realidade nem é O Tzolkin, o Tonalpohualli, ou o Calen-
para o funcionamento do banco psi. um livro. dário Sagrado da Mesoamérica antiga há
muito tempo tem confundido os arqueó-
Pode ser de alguma ajuda neste ponto, Como já foi chamado a atenção, o I logos, os estudiosos e os histo-riadores
rever alguns destes componentes, já que Ching, como uma estrutura binaria, é um em geral pela única razão de que, como
os mesmos não necessariamente devem sistema similar ao código genético. Por um calendário, ele opera baseado em um
ser familiares para um grande número causa desta equivalência, podemos dizer ciclo de 260 dias. As permutações deste
das pessoas educadas de hoje. Os três que é apenas um acidente --- talvez um ciclo são efetuadas através das combina-
componentes principais incluem: o I acidente cósmico, porém ainda assim um ções de treze números---de um até treze-
Ching ou o Livro das Mutações; o Calen- acidente---que o I Ching seja considerado --e de vinte sím-bolos, deste modo pro-
dário Sagrado da Mesoamérica antiga chinês. O I Ching não é mais chinês que a duzindo 260 possi-bilidades. Foi desco-
conhecido como Tzolkin entre os Mayas eletricidade é americana por que Ben berto que este “calendário”, que se repe-
e como o Tonalpohualli entre os Aztecas; Franklin ou Thomas Edison foram os te perpetuamente, engrena-se ou entro-
e o modelo do campo ressonante de pioneiros no entendimento de seu uso. sa-se com o calen-dário solar a cada 52
Charles Henry Baseado em permutações binarias das anos e a cada 104 anos, com os ciclos so-
oito estruturas triplas binarias, produ- lar e venusiano.
O I Ching ou Livro das Mutações indu- zindo assim um total de sessenta e qua-
bitavelmente, é de longe o mais conhe- tro estruturas de seis linhas, chamadas Em geral, o calendário sagrado tem um
cido destes três fatores principais. Base- de Kua, ou hexagramas, o I Ching pode papel altamente significante tanto na
ado no sistema binário de linhas quebra- ser considerado como sendo o código da vida diária e nos acontecimentos cultu-
das (yin, negativo) e não quebradas transformação biopsíquica, tanto quanto os rais da antiga civilização mesoamerica-

23
na, desde o seu começo há três mil anos são computadas da parte de baixo para a Embora eu tenha descoberto este modelo
atrás até a sua morte historicamente parte de cima. A casa decimal é indicada em 1967, só no final de 1982 foi que eu
dramática menos de quinhentos anos por um que significa o zero. Tenho finalmente entendi que ele não estava
atrás. O mais enigmático acerca desta usado este sistema de notação na apre- destinado a ser o modelo de um átomo
forma perfeita de permutações foi que sentação do Tzolkin por causa de sua em particular ou de uma estrutura atô-
nenhum ciclo terrestre orgânico conhe- pureza abstrata e de sua natureza obvi- mica, mas sim dos três campos ressonan-
cido pode ser encontrado que pudesse amente binaria. Além disso, ao empregar tes primários pelos quais nossa expe-
corresponder ao ciclo de 260 dias. Con- o sistema de notação ponto-e-barra na riência de realidade pode ser definida.
sequentemente, as perguntas: De onde apresentação do Tzolkin, o padrão de Ao campo eletromagnético corresponde
veio este calendário de 260 dias? Quem o pulsações é apreendida de maneira mui- o céu da antiga equação geomântica ori-
dividiu? Por quê? Quando? to mais imediata. Isto é importante, con- ental; este é o mundo de nossos sem-
siderando a relação do Tzolkin com os tidos, como também todas as sensações
Como será visto, o Tzolkin, como o I ciclos binários das manchas solares. contendo nossa experiência do mundo
Ching, no final das contas, não foi inven- fenomenal. Ao campo gravitacional, cor-
tado. A sua procedência no coração da Finalmente, existe o modelo do campo responde o fundamento orgânico de
Terra mesoamericana é muito mais um ressonante do cientista, matemático e nossa experiência evolutiva terrestre-
cômico acidente da mesma maneira filósofo francês Charles Henry (1859 – física, também conhecida como o fator
quanto a origem do I Ching na China. 1926). Apresentado pela primeira vez em Terra da equação geomântica. Finalmen-
Uma última palavra referente ao Tzolkin sua composição literária, Generalização da te, ao campo biopsíquico, corres-ponde o
ou, pelo menos, o sistema Maya de nota- Teoria da Energia Radiante (1924), a inten- aspecto originado do DNA do homem,
ção numérica. Este sistema, baseado ção de Henry ao apresentar este modelo tanto organismo biológico quan-to men-
numa notação de ponto e barra, é alta- esférico foi indicar uma condição de te auto-refletiva, conhecedor e fator de
mente eficiente. Também é vigesimal --- equilíbrio dinâmico conhecido por outro ligação do céu e da Terra.
baseado na contagem por números vinte lado como o “átomo da vida”, consis-
em oposição ao sistema decimal, basea- tindo de três campos de ressonância que O ponto importante deste modelo é que
do na contagem por número dez. Os se interseccionam: os campos eletro- os três campos são mutuamente resso-
pontos são unidades, as barras ou traços magnético, gravitacional e biopsíquico. nantes: eles não existem separados um
eqüivalem ao número cinco. As figuras do outro. Embora o modelo de campo

24
ressonante assemelhe-se ao modelo de reunir um quebra cabeça muito mais demos incluir: Egípcia (Nilótica), Meso-
estrutura atômica comum, na realidade é complexo---- o quebra cabeça da história. potâmica, Indiana, Chi-nesa, Mesoame-
o modelo de estrutura atômica que é de- ricana, Andina (Peru) e por último, Ni-
rivado do modelo do campo prototico Isto nos traz de volta ao início de minha geriana (África Ocidental). Além do
que eu de modo variado vim a denomi- pesquisa, aquela de um historiador de tempo, a geografia tem conspirado com
nar como o “modelo primário do topo- arte a procura de um método global. Em o isolamento cultural e o elitismo para
cos-mo holonômico”, ou a “unidade ho- minhas perambulações através do tem- produzir correntes ideológicas que, para
lonômica primária de informação”. Co- po, cheguei a ver que a expressão artís- aqueles povos que eram possuídos por
mo eu ainda estava para aprender, este tica de um povo era inseparável de sua estas correntes, pareciam de modo geral
modelo é, em si mesmo, uma repre- visão de mundo, e que debaixo da des- únicas e absolutas. Na realidade, as sete
sentação tridimensional da configuração concertante ostentação de nomes, estilos linhas primitivas de civilização, embora
triplete binário, o desenho do próprio có- e culturas havia uma raiz psicocultural assumindo nuançes da cor geográfica
digo básico pelo qual todos os outros comum e uma estrutura de civilização. local, são variações de um fenômeno
fenômenos e experiências são reunidos. Enquanto a atitude cosmomágica do global comum.
xamânismo₄ proporciona a raiz psico-
Eu menciono estes três componentes cultural comum do desenvolvimento Formando-se em diferentes pontos do
porque tenho me inteirado separada- social humano, é a correspondência per- tempo, como um todo, as correntes pri-
mente de cada um deles desde que ini- cebida e expressada universalmente en- mitivas encerram uma totalidade geo-
ciei minha pesquisa em 1969. Todavia tre o céu matemático e a Terra biológica cronológica, desdobrando-se como uma
nunca foi minha intenção uni-los, fundi- que deu poderes ao aparecimento das oitava hierática da civilização. Enquanto
los ou de qualquer outro modo, tentar sete correntes primitivas da civilização elas se formavam em diferentes bases
reuni-los como peças de um todo. Ao com uma visão de mundo e estrutura econômicas e ecológicas, a sensibilidade
contrário, foi somente sob extrema pres- hierática geomântica comuns.O termo e formas de expressão globais destas cor-
são que estes três sistemas aparen- primitivo tem sido usado com crescente rentes primitivas estão marcadas por um
temente díspares de repente começaram freqüência para descrever aquelas civili- grau uniformemente dividido de sofisti-
a aparecer sob uma luz comum e unifica- zações que parecem ter se formado e de- cação. O que é mais constrangedor, to-
dora, e foi somente então que comecei a senvolvido bastante independentes uma davia, são as muitas similaridades co-
das outras. Entre estas civilizações, po- muns artísticas e iconográficas que unifi-

25
cam profundamente as correntes fre- Embora enraizado nas estruturas sócio- ter o efeito, através do aparecimento de
qüentemente díspares, tanto geográfica imperial-hieráticas passadas, as socieda- uma “educação pública” baseada na ap-
quanto cronologicamente. Foi o esforço des medievais e as suas forças de moti- tidão literária pragmática e na eficiência
para descobrir um princípio e causa co- vação espirituais também tinham muito econômica, de criar uma condição quase
muns básicos para as formas, símbolos e em comum. Mais importante, as religiões universal de amnésia holonômica---um
técnicas de expressão similares destas cosmopolitas serviam para aumentar a esquecimento não somente de toda a
zonas geoculturais amplamente separa- tendência da humanidade de ir na dire- natureza das coisas mas também do
das que me guiou cada vez mais para ção de bases expandidas comuns de co- grande propósito comum. É este fator---a
considerações de um meio de difusão municação. O fato de que as formas de amnésia holonômica --- mais do que
mental ou psíquico. expressão artística desenvolvidas pelas qualquer outro, que eu encontrei institu-
forças espirituais do mundo medieval cionalizado no ensinamento e na meto-
Se a civilização fosse uma função uni- continuassem a possuir muitas qualida- dologia de história, artística ou outra
tária de desenvolvimento global, e a des e características em comum, de novo qualquer. Em vez de criar uma perspec-
humanidade na realidade fosse apenas não necessariamente explicáveis pelos tiva global, estas forças etnocêntricas e
um organismo, então a causa e princípio meios de difusão material, continuavam ideológicas lutaram e combateram uma a
básicos para a difusão de idéias, motivos a apontar para um fator mental universal outra não somente na arena acadêmica,
e símbolos comuns estariam no curso operando através e, contudo além das mas infelizmente também no palco
normal dos acontecimentos e não depen- estruturas da civilização. mundial. Qualquer que seja o total que a
deriam necessariamente da difusão ma- condição de amnésia tenha alcançado,
terial. Qualquer que seja a linguagem comum com os seus patriotismos, fanatismo e
que estivesse sendo forjada no mundo intolerância racial e chauvinismos ideo-
Confirmando esta abordagem organís- medieval, se estética, espiritual ou cul- lógicos de qualquer espécie --- domina-
mica, havia o advento de um terceiro tural, ela era rapidamente desfeita com dos por uma obediência e fé inflexíveis
estágio comum do desenvolvimento psi- o aparecimento do quarto estágio do de- no alegado poder de resolver problemas
cocultural humano que abrangia o nas- senvolvimento psicocultural, o desen- da ciência materialista --- é a proibição
cer das religiões cosmopolitas--- Budis- volvimento industrial-global. De fato, o destrutiva contra a visão da totalidade e
mo, Cristianismo e Islamismo--- e a con- triunfo implacável da ciência mate- da unidade que está na raiz de todas as
seqüente criação do mundo medieval. rialista e da tecnologia industrial parecia coisas humanas --- e na verdade, de to-

26
das as coisas globais. dente chamada de Plistoceno po-deria formação, modelos visuais começaram a
ser referida como a base de criação ori- se apresentar de maneira a sintetizar e
Não obstante, embora o mundo indus- ginalmente emergente da cultura huma- simplificar os dados. Estes modelos, ba-
trial global tenha fraturado e estilhaçado na. A própria civilização, todavia, pode seados na forma esférica da Terra como
as antigas tradições de pensamento e ser visualizada como a característica era vista durante um grande período de
cultura, ele criou ao mesmo tempo as mais distinguida e a única desen-volvida tempo, isto é a era Holocena, chegaram a
condições para o sistema nervoso global geologicamente da era Holocena. se adaptar de maneira crescente a uma
sobre o qual Teilhard de Chardin escre- descrição geomântica da experiência pla-
veu, e com o qual Marshall McLuhan Dada a perspectiva psicogeológica, o netária humana. O processo visual natu-
cognominou de vila global. Pois na ver- desenvolvimento histórico da huma- ralmente efetuou uma formulação de
dade, as comunicações eletrônicas con- nidade passou através de um processo uma espécie de cinto de transmissão ar-
duziram agora toda a humanidade até planetário de quatro estágios: um estágio quetípico a separar o globo, uma versão
uma condição que, por toda a sua frag- primário, pré-literário e primitivo cos- primitiva do banco psi.
mentação caótica e presságio nuclear, momágico; um estágio hierático--- pró-
possui as características de uma nova prio para a civilização, manifestado co- Todavia, foi a redescoberta do modelo
base primitiva comum. mo sete correntes a se expandir gra- de campo ressonante de Charles Henry,
dualmente; um estágio renovado espi- o átomo primário da vida visto como a
O modelo histórico global que começou ritualmente de atividade religiosa cul- Terra e o seu campo eletromagnético,
a emergir de minhas investigações inten- turalmente transcendente---a era medie- que catalisou uma descrição mais de-
sivas sobre o desenvolvimento ar-tístico val cosmopolita; e o quarto estágio, o finitiva da holonômica e do próprio ban-
do mundo era na verdade um modelo atual estágio global-industrial. Assu- co psi. Os resultados desta investigação
elementar. Sua essência pode ser coloca- mindo que o holocausto nuclear não é o descritiva incluem o núcleo desta apre-
da da seguinte maneira: a história como nosso destino, é necessário prever um sentação.
a conhecemos e como ela nos afeta, coin- quinto estágio ou estágio futuro de de-
cide grandemente com a era geo-lógica senvolvimento verdadeiramente global. Se nosso propósito nesta breve narrativa
atual e é, na verdade, uma função desta de uma pesquisa em particular foi lançar
era --- o Holoceno --- o qual data pouco Enquanto o meu trabalho prosseguia luz sobre os misteriosos e inesperados
mais de 12.000 anos atrás. A era antece- com um acúmulo cada vez maior de in- trabalhos do processo de memória holo-

27
nômica, então a única coisa a adi-cionar sentidos, sem mencionar a história que formular a Equação Holonômica. Conten-
a este ponto refere-se ao papel da arte e temos representado deste mundo --- co- do tanto as operações biopsíquicas do
do pensamento artístico. Por todo o mo uma equação holonômica, implica organismo humano quanto as leis pelas
tempo de minha pesquisa, estive bastan- em um processo de vários estágios cu- quais o mundo fenomenal torna-se co-
te consciente da terrível discrepância mu-lativos equilibrando-se finalmente nhecido para nós, a Equação Holonômica
entre a falta de significado atribuída à uns nos outros. O índice de mudança estabelece a estrutura para nos dar a ca-
atividade artística no presente quarto destes estágios proporciona as variáveis pacidade genuinamente global de saber
estágio e no papel formador que ele tem dinâ-micas desta equação. Tal equação quem, onde, por quê e quando somos, de
em todos os estágios precedentes. O pa- seria no mínimo o prelúdio para, se não maneira que, se para nada mais, possa-
pel e o propósito da arte nunca pareceu o esboço descritivo de uma teoria descri- mos ir verdadeiramente além do impas-
mais diminuído e degradado do que na tiva da experiência humana. Para ser se nuclear do final do século XX.
era atual. Em sendo este o caso, talvez o completamente unificada, nenhuma teo-
simples fato de chegar a um acordo com ria de campo que merecesse o nome po- Apresentamos agora a estrutura holo-
a holonômica naturalmente despertou de ser parte de um todo sem levar em nômica de forma escrita com a intenção
em nós a consciência da alta prioridade consideração a totalidade da história de preparar o leitor para os mapas, como
que precisa ser dada à arte no nascimen- humana e a experiência que tem prece- também para indicar a estrutura que
to do quinto estágio da civilização glo- dido e moldado a sua necessidade. To- possui o fluxo dos mapas. Esta estrutura
bal. davia a própria história humana está de cinco partes pode ser tomada como a
originada na imensidão da natureza. E estrutura real da equação holonômica.
A Equação Holonômica: Arte, Ciência e esta natureza, uma teia interpenetrante As variáveis da equação estão represen-
Ordem Sagrada de energias e forças, uma dinâmica sem- tadas pela habilidade do homem de sa-
pre em mutação que a tudo penetra, tan- ber--- ciência --- e de expressar---arte. A
Uma equação representa um processo de to é básica quanto é intrinsecamente in- soma da equação, o significado de suas
diferentes partes estabilizando umas as separável de nossa própria natureza, e diferentes partes, e o processo pelo qual
outras, e por meio desta estabilização, todavia, vasta e soberbamente além dela. a equação é resolvida, tudo consiste na
criando um equilíbrio. Para definir a to- Vendo a história como urdidura e textu- ou abrange a natureza. Sempre mutante
talidade da experiência humana---o ra de um processo biogeológico de escla- em suas aparências, porém indestrutível,
mundo fenomenal inseparável de nossos recimento deste planeta, podemos então unificada intrinsecamente do começo ao

28
fim, da ordem atômica à ordem galácti- Uma vez que a civilização esteja estabe- plenamente consciente. Em outras pala-
ca, esta natureza universal não é nada lecida, esta parte também representa a vras, a planetização do homem que vem
mais nada menos do que a ordem sagra- capacidade contínua de aprender a par- após a hominização do planeta.
da do próprio cosmos. E nós, a espécie tir dos seus efeitos --- o processo natural
humana, a humanidade, representamos de realimentação. O que se encontra além desta estrutura
nada mais nada menos do que poucas quíntupla da equação holonômica é a
fileiras, linhas brilhantemente coloridas 3. O homem transforma a natureza: Esta entrada na comunidade da inteligência
tecidas no tapete desta imensidão ele- parte representa a intensificação da civi- galáctica. Para nós, neste ponto do pro-
mentar. lização conhecida como história, a pro- cesso inteiro, a comunidade da inteligên-
pagação gradual da humanidade sobre o cia galáctica, por mais que seja inspira-
A estrutura de cinco partes da equação planeta, culminando na trans-mutação dora, é simples visão. O que precisamos
holonômica pode ser definida da seguin- industrial da matéria e do estabelecimen- entender é o fato de que nós estamos,
te maneira: to do sistema nervoso global/eletrônico. neste momento, transitando da fase três
para a fase quatro da equação holonômi-
1. A Natureza se apresenta: A condição 4. A natureza avalia a transformação do ho- ca. Considerando que não existe uma
fervilhante prístina da Terra, a partir de mem: A realimentação da natureza, inclu- demarcação completamente clara entre
sua sopa química primária até os seus indo a manifestação do banco psi como estas fases, em alguns aspectos o proces-
ritmos atmosféricos elementares e suas também das alterações naturais e nos so de avaliação está em andamento. O
hierarquias biológicas como também o ajustes provocados pelo descuido, pela que parece ser a ordem esta-belecida da
firmamento---o céu --- com as duas divi- negligência do homem em relação à san- civilização da atualidade é na verdade
sões do dia e da noite e os regimes ma- tidade inerente da ordem universal. apenas a força viva inerte porém espeta-
temáticos dos ciclos do sol, da lua e das cular de um veículo em alta velocidade
estrelas. 5. O homem e a natureza sintetizados: A cujo motor já parou de funcionar.
manifestação de uma geotecnologia este-
2. O homem aprende da natureza: Na estru- ticamente direcionada que har-moniza a A partir da perspectiva da memória ho-
tura evolucionária, esta parte representa inteligência do homem com as energias lonômica, estamos em um estágio de
o longo processo de aprendizado preli- naturais do meio am-biente, com o pro- uma transformação enorme e sem pre-
minar ao estabelecimento da civilização. pósito de criar um organismo planetário cedentes. Nesta situação, não há nada

29
que possa ser feito---isto é, se fazer al- ritmos biológicos da Terra e os regimes extensões; e não havia o menor pedaço de
guma coisa significa tentar salvar as relí- matemáticos dos céus. Na fase inicial, Terra em volta dele, apenas o oceano sem
quias ou as ruínas do pensamento e mo- quando a natureza se apresenta, a natu- limites, e eles não viam a natureza de sua
dos de vida que são os produtos dos reza exata dos ritmos e do regime mate- base para baixo, nem do seu cume para cima.
condicionamentos do passado parcial e mático permanece escondida ou latente. Havia uma malha de prata estendendo-se
limitado. Contudo, se entendermos a Contudo ela está lá---uma magnífica ur- para o lado de fora de seu cume e o barco che-
equação holonômica como contendo a didura e textura esperando pela inteli- gou a levantar as velas através da estrutura
verdade absoluta do mundo relativo, gência auto-refletiva do homem de mo- desta malha e Diuran deu um golpe com a
então existe a possibilidade de harmo- do a ser traduzida para a forma consci- ponta de sua lança sobre a estrutura desta
nizarmo-nos com o processo global de ente. Através da observação e da intui- malha. “Não estrague a malha,” Mael Duin
recordação. Com a harmonização, vem o ção, esta ordem é sentida e expressa disse, “pois o que vemos é o trabalho de ho-
conhecimento do tempo e dos procedi- primeiro como mito. Mesmo o banco psi, mens poderosos.”Pela Glória do nome de
mentos necessários para ir em frente, de como Teilhard de Chardin observou, Deus,” disse Diuran, “Eu o faço, de modo
modo a dispor ao máximo de tempo. E, está presente desde o aparecimento ini- que possam acreditar mais em minha histó-
como sabemos, o tempo correto é a cha- cial do homo sapiens. Na sua forma mí- ria, e eu a deixarei ficar sobre o altar em Ar-
ve para a ação efetiva. tica, o banco psi é o céu nos céus, o mun- magh, se eu conseguir alcançar a Irlanda ...
do superior, o reino além, a hora do so- “Depois disto, eles escutaram o som de uma
Com estes pensamentos, vamos retornar nho, o lar dos ancestrais, o reino misteri- voz potente e clara vindo do topo daquele
então à estrutura quíntupla da equação oso. pilar, mas eles não conheciam em que lin-
holonômica. Como já vimos, existem três guagem aquela voz se expressava nem o que
variáveis: arte, ciência e ordem sagrada. Assim lemos no conto céltico “A Viagem ela dizia.
Considerando que a ordem sagrada re- de Mael Duin”,
presenta a estrutura básica da natureza, A voz ouvida por Mael Duin é a voz da
ela precede, serve de base e pósdata o Eles estavam procurando até que descobri- memória holonômica. A malha é a urdi-
processo histórico humano. ram um grande pilar de prata com quatro dura e a textura do próprio banco psi.
lados, cada lado com a extensão de uma re- Investida com o padrão da ordem sagra-
Através de nossos sentidos percebemos e mada do tamanho do barco, de modo que a da, o banco psi revela-se de acordo com
experimentamos esta ordem como os sua circunferência total media oito destas a natureza da inteligência e da imagina-

30
ção de quem procura. Para alguns é ape- quadrado de Ben Franklin tem uma rela- bal e originariamente evocativa. Embora
nas mito, para outros é número, quase ção numerológica única. este conhecimento ou saber seja para-
nunca é somente um ou o outro. E o ato verbal e pré-histórico, sem o mesmo não
de Diuran de cortar um pedaço da ma- O segundo estágio da equação, “o ho- haveria base a partir da qual qualquer
lha, de modo que pudessem acreditar mem aprende com a natureza”, demons- coisa poderia se desenvolver posterior-
em sua história, é o ato fundamental pe- tra conhecimento através da harmoniza- mente. O conhecimento através da har-
lo qual a história teve inicio como a pro- ção. Neste processo primário de conhe- monização representa o indicador direto
gressão acumulativa das ações natural- cimento, a informação é conseguida de comunicação entre os nossos diversos
mente auto-refletivas e repercutoria do através da ressonância biopsíquica. Isto sentidos e a natureza. Por esta razão, os
homem. Assim está na apresentação dos também pode ser referido como “o co- mapas conclusivos desta seção descre-
mapas que abrangem A Terra em Ascen- nhecimento passivo”, e é uma função vem a evolução dos sentidos desde a
são. Começando com a “malha de prata”, natural da unidade ou harmonia intrín- unidade sinestética primordial, através
a matriz primária da urdidura do banco seca do homem e da natureza. Por causa do processo de elaboração e de espe-
psi demonstrando a geração da configu- de sua natureza enfim harmônica, o co- cialização, finalmente retornando à com-
ração triplete binário, as chaves, o códi- nhecimento através da harmonização dição de sinestesia holonômica. Desta
go, e o modelo são mostrados então. também pode ser definido como saber maneira, podemos ver a história não
Após a apresentação destes dados, é ou conhecimento hábil --- saber que é como um fenômeno ideológico mas co-
mostrado a nós o arranjo e a função do inerentemente estético e por esta razão, mo o processo de revelação sensória ---
banco psi em relação ao campo magnéti- expressa através de meios primordial- um giro de realimentação psicogenético.
co da Terra, e também a chave holonô- mente artísticos. Este é o saber dos xa-
mica fundamental: a equivalência um- mãs; é o saber cosmológico, o qual é in- Isto nos leva ao terceiro estágio da equa-
para-um da ordem binaria do código tuitivo, orgânico e paraverbal. O estágio ção, “o homem transforma a natureza”.
genético e do I Ching. Um exemplo chave da equação no qual tal conhecimento ou Este é o estágio da complexificação ou
da difusão do banco psi “feita ao aca- saber ocorre é literalmente pré-literato, estágio conjunto. Através de um meio
so”, O quadrado mágico de oito lados de pré-histórica e historicamente falando. ambiente hospitaleiro, o DNA tem ama-
Ben Franklin, é seguido pelo Tzolkin, o Consequentemente, os mapas contendo durecido e se desenvolvido inteiramente
Calendário Sagrado Maya, com o qual o a Parte II da equação holonômica são de em um organismo sensitivo intrincado,
natureza inerentemente visual, paraver- auto-refletivo, criador de cultura chama-

31
do homem. Como o DNA a partir do qual da geografia representam a descontinui- Iniciando com os mapas do banco psi
ele evoluiu, a cultura manifestada pela dade da teia, do entrelaçamento de lado como derivado do fluxo da própria his-
revelação psicossensória do homem exi- a lado da civilização global, e consequen- tória, a Parte IV de A Terra em Ascensão
be sua própria pulsação de hélice dupla temente, criam os padrões geo-culturais apresenta uma descrição gráfica do pro-
binaria, a pulsação binaria da história. e ideológicas conhecidos como história. cesso completo do saber e do afazer do
homem, conhecido também como o cir-
A dinâmica estrutural do desenvolvi- Os mapas da parte III demonstram o flu- cuito de recordação ou memória holonômica.
mento psicocultural pode ser previsto xo da civilização e o padrão da história
como duas correntes helicoidais corres- dentro do contexto das placas tectônicas, Neste processo, o qual representa um
pondendo às duas fileiras de DNA nas da geografia e do campo eletro- estágio posterior de aprendizado, vemos
quais a informação é processada de magnético, isto é dentro dos aspectos que o banco psi consiste de dois mo-
acordo com a lei binaria da polaridade geomagnéticos governantes do planeta delos, o CA e o AC. O processo da histó-
cruzada. Psico-culturalmente, isto signi- levando em conta a maneira que ele che- ria---ou verdadeiramente, do desen-
fica que uma fileira processa a informa- gou até o presente, a era Holoceno. volvimento psicocultural do homem en-
ção de futuro para o presente, a outra do tendido como a planetização gradual da
passado para o presente. A primeira, Todavia, se nós acreditássemos única- consciência --- está articulado dentro de
fileira da visão, é referida como a corren- mente na informação histórica e nos três fases principais: a fase pré-histórica,
te CA (continuidade aborígene ou primi- meios de análise de informação gerados a fase histórica e a fase pós-histórica. Es-
tiva), a última como a corrente AC materialmente, como a própria civiliza- tas três fases são divididas posteriormen-
(avanço civilizador). A interação dinâmi- ção da atualidade, estaríamos apenas te em oito estágios de recordação ou
ca entre as duas correntes gera a cultura permitindo a influência dos condiciona- memória holonômica. Os dois primeiros
humana. mentos do passado sobre nós mesmos. estágios, abrangendo a pré-história, são
Como já observamos, estes condiciona- uma função do modelo CA; os próximos
Esta dinâmica é universal e constante, e mentos do passado são primariamente quatro estágios, abrangendo o cresci-
por esta razão cada uma das sete corren- defeituosos e influenciados de modo mento da civilização e da própria histó-
tes prístinas da civilização que contem o desfavorável. Assim chegamos ao quarto ria, são governados pelo modelo AC. Os
Oitavo da Civilização exibe a mesma estágio da equação holonômica, “a natu- dois estágios finais marcam um retorno
estrutura base. Os elementos do tempo e reza avalia a transformação do homem”. ao modelo CA, mas obviamente em um

32
nível de desenvolvimento sintetizado e triz da textura da história. Nascida do da. Todavia não existe nenhum objetivo
planetário ou global. mito, a história torna-se parte novamente supremo ou fundamental. O ato de
da estrutura mística. transformar a Terra em um mundo lu-
Como ficará evidente a partir de um es- minoso e purificado é em si mesmo so-
tudo dos mapas e das informações que A última seção, a equação holonômica, mente um ato de preparação para um
incluem a Parte IV da equação holonô- Parte V, representa o homem e a natu- outro estágio de uma jornada que, para
mica, Hiroshima marca o limite da trans- reza sintetizados. Aqui, a chave é dada todos os propósitos práticos, não tem
formação da natureza feita pelo homem, para a decifração completa do código. A começo nem fim. Contudo, pelo mesmo
e, em um sentido bastante real, marca o forma da história, o código genético, o indício que podemos dizer que não exis-
fim da história. banco psi, as pulsações solar e galáctica, te nenhum objetivo, também podemos
o geomagnetismo e as próprias opera- declarar que o objetivo já está presente.
Assim é que nos encontramos atraves- ções biopsíquicas elevadas estão sinte- Pela lógica da holonômica, o todo está
sando o corpus-callosum da história pela tizadas em um projeto ou em uma ma- na parte, o fim está no começo e para
segunda vez. A primeira travessia mar- triz/modelo no qual a cromática, a ciência aqueles de nós no meio do caminho,
cou a passagem da pré-história para a da cor e da harmonia em geral, represen- existe apenas um imperativo: o de unir
história, simbolizada pelo ato de Diuran ta a geotecnologia emergente. Esta geo- adequadamente o céu e a Terra, começo
pegar um pedaço da malha e deixá-la tecnologia é referida como radiosônica--- e fim, o alfa e o ômega.
sobre o altar em Armagh. No retorno, uma tecnologia funcional baseada na
pegamos o pedaço da malha do altar e a síntese ativada biopsiquica-mente das A narrativa precedente deve ser tomada
entrelaçamos de volta no próprio banco energias geo e eletromagnética como nada mais do que um prelúdio
psi. Assim, o mapa de conclusão desta Está na lógica visual do fluxo, e no glos-
seção representa, descreve a imagem Embora o estágio final do processo pós- sário acompanhante e nas chaves que
primordial do circuito histórico do saber histórico --- a preparação para a entrada para o fluxo dos mapas que segue. cada
do homem. Quetzalcoatl ou a Serpente na comunidade galáctica --- esteja ainda pessoa pode determinar para si mesma,
Emplumada que, como o Ouroboros al- bastante distante de nós, é bom ter al- seja homem ou mulher, onde quer que
químico mordendo o seu próprio rabo, guma espécie de mapa indicando a natu- ele ou ela encontre-se na equação holo-
completa-se em preparação para a ma- reza do terreno e da qualidade da jorna- nômica.

33
Parte II
2

DO TODO PARA A PARTE, O TODO ESTÁ NA PARTE;


CADA PARTE É SAGRADA.

OS MAPAS

34
I: A NATUREZA SE APRESENTA

35
truturas formais primárias e os sistemas dependentes e interativos, isto é, que
Prelúdio: O Código, A Chave, O Modelo
da matéria e da vida; 2) o sutil ou tênue, possuem reciprocidade holonômica, de-
organismo complexo que compreende ve haver um mecanismo ressonante uni-
A Ascensão da Terra não é especulação, ou abrange o indivíduo humano, o qual versal. O nome dado a este mecanismo
mas um preciso jogo de chaves, um có- não difere estruturalmente de nenhum ressonante de estrutura comum é confi-
digo, uma matriz, e ultimamente, uma outro indivíduo; 3) o organismo total guração triplete binário. Esta configura-
exibição dos padrões básicos que gover- humanitário considerado como um cor- ção representa ao mesmo tempo a estru-
nam a experiência consciente da vida po único de múltiplos membros, a mem- tura primária e também o processo pri-
sobre este planeta em particular. Desde brana útil e auto-refletiva do planeta; 4) mário. Apesar de primária, também é a
que a Terra em si é um aspecto funcional o próprio corpo planetário, com todos os prefiguração ou mapa do processo com-
de uma ordem mais abrangente, o siste- seus níveis concêntricos a palpitar do pleto que qualquer sistema está destina-
ma solar, o qual por sua vez é um mem- núcleo quente e denso até o campo mag- do a experimentar. Deste modo, a confi-
bro integral da galáxia, o que é certo pa- nético etéreo; 5) o sistema solar com o sol guração triplete binário é o modelo que
ra o funcionamento deste planeta é afe- em seu núcleo, como o coração é para o serve de base para a matriz do banco psi,
tado de maneira irremediável pelo (e corpo humano, ou o núcleo é para o o padrão chave ressonante para toda a
também é ressonante com o) funciona- átomo ou para a célula; 6) o campo ga- vida, a inteligência com propósito e o
mento dos sistemas mais abrangentes láctico; com os sistemas estelares virtu- comportamento consciente sobre este
dos quais é um subconjunto. almente inumeráveis; e finalmente 7) o planeta. Apresentamos primeiramente as
universo inteiro com suas galáxias linhas cruzadas primárias (ou teia pri-
Colocado em termos mais simples, tudo igualmente inumeráveis. mária) ou padrão longitudinal da matriz
é ressonante com tudo o que resta. Den- do banco psi em toda a sua simplicidade,
tro do campo total de ressonância, o uni- O que é importante termos em mente é inclusive a sua majestade. As linhas com
verso, diferentes níveis de ordem ou que estamos definindo níveis de ordem formato de urdidura representa a onda
subconjuntos sistêmicos podem ser dis- sistemas holárquicos, cada um fazendo celestial, divina e eletromagnética do
tinguidos. Para nós mesmos, estes níveis parte ou incluído por outras holarquias. banco psi, distinta da trama lateral, re-
de ordem ou níveis de categoria, podem De maneira a possibilitar o funciona- presentando o padrão terrestre, biológico
ser descritos, seguindo do micro para o mento de sistemas mutuamente resso- e histórico (veja mapa 37). Ambas, a ur-
macrocosmo, da seguinte maneira: 1) o nantes e consequentemente, inter- didura e a trama, consistem de oito se-
radiogenético ou atômico/celular, as es-
36
ções para um total de dezesseis peças dos os outros padrões, sistemas, estrutu- “coluna mística” ou o “eixo do presente
interagindo mutuamente uma com a ou- ras e ordens do ser e do conhecimento eterno”.
tra. Enquanto a urdidura tem um padrão são derivadas. A mais primária destas
identificável pela repetição do oito do estruturas, naturalmente, é a própria Seu aspecto triplo é definido pelas filei-
Tzolkin ou Tonalpohualli de 260 unida- configuração triplete binário. ras horizontais ou latitudes. As cinco
des (20 fileiras laterais x 13 fileiras verti- fileiras da parte superior e da parte infe-
cais), o Calendário Sagrado da antiga Ver Mapa –01 rior são perfeitamente simétricas umas
civilização mesoamericana, a trama está às outras. O padrão mais complexo que
baseada na progressão por oito dos ses- A configuração do triplete binário é um distingue as dez fileiras centrais (nova-
senta e quatro kua ou modelos bi-nários código numérico inteiro, não fracionário mente divididas em duas partes de duas
lineares do I Ching. e uma construção visual. A partir desta fileiras, cada uma perfeitamente simétri-
configuração, do modo como ela se ma- ca à outra) é a terceira zona crítica de
Dentro da urdidura do banco psi, estão nifesta na matriz de 260 unidades do transformação. Devido à simetria lateral
codificados quatro jogos de configu- Calendário Sagrado, um oitavo das li- da zona central, a figura na sua totalida-
rações triplas binarias posicionadas se- nhas do banco psi, são derivadas todas de também pode ser vista como configu-
paradas por noventa graus, associadas as outras estruturas e processos. Com rações de quatro partes de cinco fileiras
na latitude zero ou na linha equatorial. relação a isto, a configuração triplete bi- cada uma.
As quatro divisões de noventa graus en- nário é a estrutura ressonante primária
cerram ou circundam a superfície da comum a todos os processos e sistemas. Cada lado do padrão binário consiste de
Terra. As divisões de 90 graus também A configuração triplete binário é a forma 26 unidades, para um total de 52. Adici-
correspondem à progressão das estações visível do código cósmico. onando os números em conjuntos de
em suas polaridades norte/sul, para um quatro, começando com os cantos e tra-
total de oito conjuntos, cada um definido Sua simetria bilateral a define como bi- balhando para dentro, descobrimos que
e caracterizado por uma configuração naria ou dupla. Deve ser notado que o as somatórias sempre totalizam 28. Este
triplete binário. A simetria e a ordem multiplicador simétrico da configuração número multiplicado por 13 (o número
principais do padrão da urdidura da ma- é definido pela coluna central ou pela 52 dividido por 4) dá um total de 364, o
triz do banco psi distinguem-no como o sétima coluna das treze colunas da estru- que eqüivale a um ano lunar. Esta é a
campo produtivo primitivo do qual to- tura do Tzolkin. Esta coluna central é a

37
chave numérica para a natureza calên- do-se em volta um do outro. Como o (CA), e a última, a corrente da informa-
drica básica da estrutura. código básico da vida o qual contém a ção, é o avanço da civilização (AC). A
informação que governa tanto a replica- primeira corrente, da visão, move-se do
Se o lado esquerdo da configur açãore- ção quanto a auto-regulagem de todos os futuro sintetizado para o presente parti-
presenta um fluxo negativo de energia, e organismos vivos, todo o DNA está ba- cularizado.
o lado direito representa o fluxo posi- seado na configuração triplete binário. A
tivo, então temos uma imagem básica do estrutura básica do DNA pode ser defi- A segunda corrente da informação pre-
fluxo e da carga elétrica polar. Além dis- nida da seguinte maneira: tendo como senta os métodos analíticos de articula-
so, se o lado esquerdo flui para baixo e o base os dois cordões do DNA, um deles ção dos modos de ação específica cons-
lado direito flui para cima, então vemos contém o modelo ou gabarito do outro. truídos sobre modelos de comportamen-
que a zona central de transformação re- No caso da configuração triplete binário, to e de conhecimento passados.
presenta uma área de polaridade cruza- assumimos que esta é o cordão do lado
da. O mecanismo da polaridade cruzada esquerdo. Além disso, cada cordão do A Matriz Primária Um Oitavo da
é a dinâmica fundamental sem a qual DNA processa a informação em uma Urdidura Longitudinal do Banco Psi
não haveria energia nem vida. Na a direção oposta ao outro cordão. (Tzolkin)
parte central da coluna mística também
representa o espaço que possibilita a di- Traduzindo este processo nos termos da A matriz primária, a qual contém e ao
nâmica de transformação da polaridade situação da vida e da consciência huma- mesmo tempo é definida pela configu-
cruzada vemos os números treze na, um fluxo de informação se move do ração triplete binário é um modelo nu-
e um , o ômega e o alfa, o final juntan- futuro para o presente, o outro fluxo se mérico inteiro que consiste dos números
do-se ao início. move do passado para o futuro. O pri- um até o treze repetidos com base em
meiro é o fluxo ou corrente da visão, da uma matriz de vinte, perfazendo um
Enquanto falamos desta configuração em intuição, do sonho. O outro representa a total de 260 permutações (13 x 20). Entre
termos de carga elétrica negativa/- informação que é manifestada e codifi- os Mayas e os Nahuas da antiga Meso-
positiva, a mesma representa também o cada em símbolos, em formas escritas, américa, as fileiras da matriz de vinte
mecanismo ou dinâmica básica da dupla em estruturas materiais, em livros, em eram representadas por vinte símbolos
hélice do código genético, isto é, dois bibliotecas e assim por diante. A corrente que sugeriam os aspectos mais primários
cordões de DNA cruzando-se e enrolan- da corrente de continuidade aborígene do processo da vida e da morte.

38
(veja mapas 9 e 30). magnética do banco psi, nós podemos dem tomar a forma esférica ou então, a
relacionar a sua derivação às pulsações forma tridimensional.
Como já observado, a sétima ou a coluna eletromagnéticas das manchas solares
do centro das treze colunas longitudinais nos seus movimentos binários. (veja ma- Gerada esfericamente, a configuração
representa a “coluna mística” com o pas 4, 10, 29 e 30). triplete binário torna-se o modelo do
ômega e o alfa, numerais 13 e 1, juntos campo ressonante primário, o topocos-
precisamente no centro do Tzolkin visto Enquanto os números 1 até 13 têm asso- mo holonômico (topo significando “lu-
como um todo. Entre os Mayas e os Na- ciações calêndricas/cíclicas variáveis e gar , cosmo significando “ordem”, con-
huas, os dispositivos de permutação de múltiplas, o número 20, inclu-indo os sequentemente, “lugar de ordem”), defi-
260 unidades eram traduzidos, trans- números de 1 a 20, pode ser associado nido por Theodor Gaster como “ o com-
formado no assim chamado Calendário geneticamente com os vinte aminoácidos plexo inteiro de uma localidade qualquer
Sagrado de 260 dias, o qual coincidia a construídos a partir dos sessenta e qua- concebida como um organismo vivo.”
cada 52 anos com o calendário solar, e a tro códons do DNA (veja mapas 7 e 32). Considerando que a configuração triple-
cada 104 anos, coincidia com os calendá- te binário é uma estrutura de informação
rios solar e de Vênus. Subtraindo o nú- Ver Mapa 2 primária, o modelo de campo ressonante
mero das unidades representadas pela ou o topocosmo holonômico representa a
coluna mística, o resultado fica sendo de Como observado, as cinqüenta e duas matriz primária de espaço/tempo de
240 unidades, um número divisível pelos unidades compreendendo a configura- qualquer estrutura completa. Em suma,
números 16, 12 e 8, os outros números ção triplete binário podem ser reduzidas é o modelo esquemático do átomo, de
chave calêndricos e geotransformativo. à treze conjuntos de quatro unidades um organismo vivo, do planeta, do sis-
cada, iniciando com as quatro unidades tema solar, ou do próprio universo.
Dezesseis dos ciclos de 260 dias somam- dos cantos e se movendo para a parte de
se aos 11.3 anos solar, o tempo médio dentro de uma maneira concêntrica. Consistindo de três campos de ressonân-
para o ciclo instantâneo solar binário Quando este movimento numérico for cia que se interseccionam mutuamente, o
alcançar a polaridade cruzada. Levando considerado como um padrão de resso- eletromagnético, o gravitacional e o bio-
em consideração que a matriz primária nância concêntrica, ou ondas de som físico, podemos visualizar este modelo
representa as linhas cruzadas longitu- emanando de um ponto central (a junção de maneira mais imediata como uma
dinais do um oitavo ou a matriz eletro- ômega/alfa da coluna mística), elas po- imagem primária do planeta Terra como

39
um organismo total, ou o holon. Ao com a parte inferior simetricamente re- estados internos presentes da consciên-
mesmo tempo, é o modelo que define fletida, o campo psíquico, representado cia gerados pela equiparação do campo e
nossa experiência total como um orga- pelo homem, está em harmonia com a do órgão sensoriais.
nismo evolutivo auto-refletivo sobre o zona dinâmica de transformação, agente
hospedeiro planeta Terra. Assim, o mo- principal do mecanismo de polaridade Em um sentido material e de informa-
delo é ao mesmo tempo a estrutura da cruzada. O núcleo ou o âmago do mode- ção, tanto a configuração triplete binário
natureza e o modelo para conhecer esta lo representa o coração ativo em evolu- quanto o modelo do campo ressonante
estrutura. ção de qualquer processo realizado pelo podem ser entendidos como sendo gera-
equilíbrio dinâmico dos três campos de dos a partir do espaço sem começo, e
Como uma imagem do planeta Terra ressonância. como conseqüência, ambos não possuin-
total, o campo eletromagnético encontra do começo nem fim reais. De um ponto
a sua atual correspondência nos cintos Cada um dos três campos tem as suas de vista psicológico, todavia, estes mo-
de radiação de Van Allen. O campo gra- próprias cargas e polaridades negati- delos são manifestações auto-existentes
vitacional encontra o seu campo de atua- va/positiva, produzindo uma estrutura da mente. De maneira bem simples, to-
ção físico nas placas tectônicas que mu- ou divisão de seis partes. Isto pode ser dos os fenômenos são dependentes da
dam e evoluem geomagneticamente, as relacionado com a estrutura de seis li- mente para ter significado, e a mente,
quais compõem a subestrutura da Terra nhas da ordem binaria dos códons do como o espaço, é infinitamente ampla e
ativa. Finalmente, o banco psi corres- DNA e a kua ou os hexagramas do I difusa. Da perspectiva da lógica holo-
ponde ao campo de ressonância biopsí- Ching. Nos termos da equação geomân- nômica, a estrutura da natureza e do
quica, sendo que o banco psi é o cérebro tica tradicional, o campo eletromagnético modelo de conhecimento são indistin-
da Terra, o campo guia a controlar a evo- corresponde ao céu ou firmamento, o güíveis holonomicamente falando, e
lução consciente do organismo dirigente campo biopsíquico corresponde ao ho- desde que o saber ou o conhecimento é
do planeta, a espécie humana. mem, e o campo gravitacional corres- uma função da mente, todas as estrutu-
ponde à Terra. No sentido psicológico, o ras são mentais em sua natureza.
Enquanto o campo eletromagnético está campo eletromagnético corresponde aos
em harmonia, combina com a parte su- campos do sentido, o campo gravitacio- Ver Mapa 3
perior da estrutura triplete binário, e o nal corresponde aos órgãos do sentido, e
campo gravitacional está em harmonia o campo biopsíquico corresponde aos

40
Aqui, o banco psi, uma estrutura plane- o mais simples organismo celular até os
tária evolutiva, dependente do desen- mais refinados níveis de atividade men- Como conseqüência, o banco psi: o cam-
volvimento do próprio consciente do tal. po mental ou o cérebro da Terra no qual
homem como um organismo planetário reside o padrão guia auto-regulador da
total, é mostrado em sua condição mais Não existe vida sem propósito, nem evolução consciente e inseparável do
primária: uma matriz binaria de dupla propósito sem algum tipo de inteligência homem e do planeta.
espiral gerada pelos dois cintos de radia- governante, nem inteligência sem um
ção. campo de consciência. Assim como os Ver Mapa 4
organismos crescem na complexidade
O cinto interior, que consiste de radiação neuropsicológica, da mesma maneira o A representação gráfica geomântica cor-
cósmica positiva --- prótons --- e o cinto campo da consciência evolui ou se de- responde à percepção geomântica pri-
exterior, que consiste de radiação cósmi- senvolve, e com este campo da consciên- mária, céu acima, Terra abaixo, e o ho-
ca negativa --- elétrons --- proporcionam cia, a inteligência útil do organismo, en- mem no meio. Como vimos, estas três
o campo binário para a matriz do banco contrando a sua culminância no homem, designações correspondem respectiva-
psi rudimentar. As polaridades positi- em quem ocorre finalmente, a possibili- mente aos campos eletromagnético, gra-
va/negativa tanto do cinto de radiação dade da mente auto-refletiva. vitacional e biopsíquico do modelo de
quanto do cinto psi são sensibilizados campo ressonante primário. A represen-
para os pólos norte/sul do campo geo- Como é evidente que a mente e a consci- tação gráfica ou fluxograma enfatiza este
magnético (gravitacional). A estrutura ência não são a possessão ou invenção relacionamento de três partes como um
simples em forma de espiral da matriz de qualquer indivíduo sozinho em par- ciclo constitutivo orbitando perto do eixo
do banco psi como o campo de resso- ticular --- ainda que possuída por todos - central que divide o modelo em duas
nância biopsíquica do planeta Terra está -- e desde que o organismo humano em metades: o homem e o tempo atmosféri-
obviamente harmonizada ou então res- sua totalidade é uma função evolucioná- co.
sonante com a configuração primária de ria da Terra, a configuração mental deste
espiral dupla que governa a operação do organismo, possuindo as qualidades da Como as duas variáveis voláteis entre o
código genético. Isto deve ser esperado inteligência útil, pode também ser visua- céu e a Terra, o homem e o tempo atmos-
desde que o espectro dos campos de res- lizada como uma propriedade da pró- férico englobam um relacionamento bi-
sonância biopsíquica aciona tudo, desde pria Terra. nário único, a interação mútua a qual

41
tem sido há longo tempo reconhecida cumulativas dos diferentes estágios psi- particularmente durante o curso dos
como o princípio de todos os sistemas de coculturais na evolução do planeta em primeiros três estágios do desenvolvi-
geomancia. Mais genericamente, o tem- direção à uma condição conscientemente mento psicocultural --- o aborígene ou
po atmosférico ou o lado esquerdo do harmonizada. A flor de lótus, da qual primitivo, o hierático e o medieval. É por
fluxograma geomântico representa o emerge este “planeta com noosfera”, pa- causa de tal recirculação que poderia
espectro total do mundo fenomenal co- ra usar a expressão de Chardin, é o anti- haver não apenas difusão de informação
nhecido pelo homem, o chamado mundo go símbolo de pureza e inteligência des- chave sobre grandes extensões geográfi-
objetivo. O lado direito, representando o pertada. cas, mas sobre o tempo também.
espectro biopsíquico das sensações in-
ternas e externas como também todos os Ver Mapa 5 Este fenômeno está demonstrado na ilus-
impulsos psíquicos, corresponde ao tração da transferência e transformação
chamado mundo subjetivo da mente. A Assim como os padrões de atmosfera e de psion. Neste exemplo, não estamos
totalidade destas duas metades, com to- do tempo atmosférico são continuamen- lidando com uma correspondência única
das as suas mútuas correspondências, te recirculados entre a superfície e os da imagem ou do símbolo, mas sim com
compreendem a estrutura binaria da na- cintos de radiação do campo magnético uma equivalência ressonante do intento
tureza e do modelo holonômico do sa- numa série de níveis crescentemente ra- psicocultural bem como também com os
ber. refeitos, também as estruturas de infor- meios de expressão desta intenção psico-
mação psi --- psions --- são recirculadas cultural. As duas expressões ou termos
O modelo principal de um topocosmo continuamente entre o organismo ho- desta equivalência ressonante específica
holonômico com anéis desenvolvidos do mem e o banco psi ou cérebro holonômi- são hierático primitivo na China 3700-
banco psi representa uma estrutura do co do planeta Terra. 3100 P.A.4 e hierático médio na Nigéria
campo planetário conscientemente har-
monizada, o modelo primário que é re- Esta operação simples e direta de mode-
4 No sistema de datas do A Terra em Ascensão, são usadas as
presentado pelo fluxograma geomântico. lo de campo ressonante primário é o fa- seguintes designações:
Os anéis horizontais representam os mo- tor principal para se levar em conta na P.A. = Pré-atômico, A.H. = Após Hiroshima, 6 de Agosto de
vimentos do planeta no tempo --- o cam- difusão e na disseminação das imagens 1945, portanto é o ponto zero neste cálculo cronológico.

po gravitacional --- enquanto os anéis arquetípicas e nos processos entre os No calendário chinês, esta data marca o ponto inicial do
outono, a metade entre o solstício do verão e o equinócio do
verticais correspondem às articulações membros dispersos da raça humana, outono. Na versão temporal do arranjo dos oito kua do I
Ching, esta data corresponde ao K’un, O ( símbolo ) receptivo.

42
1000-600 P.A.. Estes dois centros hieráti- xamanista. As estátuas e placas de bron- on original chinês foi liberada ou preci-
cos primitivos especializaram-se na cria- ze nigerianas --- criadas na extremidade pitada.
ção de estátuas ou placas de bronze para oposta da escala da aparecimento hierá-
rituais a um grau nunca sobrepujado por tica --- são um resumo final do mais pu- Está escrito no grande centro de Shang:
qualquer uma das outras cinco civiliza- ro naturalismo idealista, exemplificado A Capital de Shang era uma cidade da
ções primitivas. Em ambos os casos, as pelo último estilo civilizatório hierático. ordem cósmica, O centro das quatro
estátuas ou placas de bronze eram ma- extremidades. Gloriosa era a sua fama,
nufaturadas no contexto de um sistema A dinâmica que conecta o complexo chi- Purificar era seus poderes divinos mani-
altamente desenvolvido de culto do na nês de peças de bronze para rituais com festado em longevidade e tranqüidade.
tepassado. o complexo nigeriano quase quatro mil E proteção para nós que chegamos de-
anos mais tarde reside na prática comum pois. De Ife, Nigéria, de onde os dezes-
Na China, a produção de peças de bron- do respeito, da adoração ao antepassado. seis deuses da geomancia descendem, é
ze para rituais era a princípio totalmente Através da purificação sucedida nos dito que lá os deuses desceram do céu
realizada sob a proteção da Casa de grandes rituais chineses, nos quais as para criar e popular o mundo.
Shang, a primeira dinastia histórica da peças de bronze eram empregadas ---
China. Entre os Yoruba-Ife da Nigéria, as rituais que invocavam a energia e os po- Ver Mapa 6
estátuas ou placas de bronze eram ma- deres das figuras dos antepassados ---
nufaturadas sob a tutela do grande rei uma propriedade específica da unidade Enquanto o exemplo da adoração ou
ancestral e rei celeste do trovão e do raio, psion foi liberada para ser mantida em respeito aos antepassados e às estátuas
Shango. As estátuas de bronze dos chi- estocagem no banco psi. Cerca de dois ou placas rituais de bronze chinesas e
neses --- criadas no princípio do fim da mil e quinhentos anos mais tarde na Ni- nigerianas é uma demonstração de uma
escala civilizatória hierática na China --- géria, quando a fundição de bronze, já configuração mútua resultando em uma
são brilhantemente abstratas com um tratada como de grande significância ressonância cultural única, a identidade
estilo parecido com o recente animismo5 cosmomágica, estava ligada à adoração exata do sistema binário do I Ching e do
do deus do céu e com os antepassados, código genético não somente é um
A data 6 de Agosto também significa o ponto inicial do atual particularmente dos grandes reis de Ife, exemplo da transferência psi mas tam-
ciclo do calendário Maya, 6 de Agosto de 3114 A.C., ou
13.0.0.0.0, Maya, ou 5059 P.A.
a propriedade da energia contida no psi- bém uma chave para a total revelação
5Teoria filosófica que atribui a todos os seres e também aos
biopsíquica do planeta.
objetos inanimados uma alma.

43
Foi o primeiro dos cinco imperadores início do processo histórico, permitiu ao para o I Ching, o filósofo alemão Leibnitz
“legendários” da China, Fu Shi (ou Fu kua ser lido de uma maneira seqüencial conseguiu confirmar o seu sistema de
Hsi), cerca de 5000 P.A., quem tem o ou temporal, em oposição à estrutura ou matemática binaria, a base da ciência
crédito da descoberta do sistema binário arranjo puramente cósmico de Fu Shi. computacional dos dias atuais. Menos de
do I Ching. Baseado nos elementos biná- Mais tarde, enquanto a estrutura total- duzentos anos atrás, outro filósofo ale-
rios primordiais, yin e yang, escuridão e mente simétrica de Fu Shi corresponde mão, G. F. Hegel, conhecedor do sistema
luz, as linhas individuais dos oito kua ou ao céu ou ao campo eletromagnético, a binário de Leibnitz, construiu a teoria
das figuras ou símbolos triplos binários estrutura do Rei Wen corresponde à Ter- dialética da história, a teoria que teve
são designados -- -- e -----, ou yin e yang ra ou ao campo gravitacional em rotação uma grande influência sobre o filósofo
respectivamente. Estas duas linhas são no tempo. social e fundador do comunismo, Karl
então organizadas em estruturas de três Marx. No século atual, o I Ching atraiu o
linhas lidas de baixo para cima, por um Mais importante, com os dois jogos dos interesse e a atenção do psicólogo Carl
total de oito kua ou estruturas triplas bi- oito trios binários agora em posição, o Jung, para quem o I Ching confirmava
narias. A partir destas linhas, Fu Shi Rei Wen estava em condições de combi- muitas suspeitas referentes aos “arquéti-
construiu o sistema ou a combinação céu ná-los, produzindo as sessenta e quatro pos” da consciência humana como tam-
primitivo dos oito kua ao colocar cada um permutações de seis linhas, conhecidas bém a noção de sincronia, a idéia que as
dos símbolos triplos binários em posição atualmente como hexagramas. Estas ses- coisas ou os acontecimentos ganham im-
diametralmente oblíqua ao seu oposto senta e quatro estruturas de seis linhas portância a partir da sua ocorrência ao
polar. ou kua compreendem as mudanças e cor- mesmo tempo. Em 1949, Jung escreveu
respondem ao campo biopsíquico, o ho- sua introdução às versões européias atu-
Perto de 3000 P.A., 1800 anos após Fu mem. Através do trabalho de Kung-fu- ais mais valiosas do I Ching , a edição
Shi e no momento entre o declínio da tze, Yang Shao e de muitos outros sábios Wilhelm/Baynes. Em 1950, este texto,
Casa de Shang e do aparecimento da cientistas e estudiosos, o I Ching tornou- traduzido em alemão pela primeira vez
Casa de Zhou, o Rei Wen, embora preso, se um clássico e um dos alicerces da ci- em 1923, apareceu numa versão em lín-
apareceu com a segunda estrutura de ência e da filosofia chinesas. gua inglesa. Em 1953 dois cientistas, Ja-
oito símbolos triplos binários, a chamada mes Watson e Francis Crick, anunciaram
estrutura do céu posterior. A estrutura Através dos padres jesuítas do século ao mundo a sua descoberta do código
suplementar do Rei Wen, refletindo o dezessete que chamaram sua atenção

44
genético, consistindo de sessenta e qua outros dois indica uma parada para aqueles que não a consideraram previa-
chamado de códons do DNA. qualquer sentença genética escrita no mente. Mas, como já indicamos, não é
cromossoma nucleico de cada célula da apenas coincidência que está atuando
O código genético é escrito com quatro vida. O hexagrama do I Ching corres- aqui. Com os códons do DNA estamos
letras do ácido nucleico, cada uma repre- pondendo ao alfa ou início de cada sen- lidando biologicamente com o verdadei-
sentadas pelas duas unidades lineares tença genética é 56, normalmente tradu- ro código da vida; com o I Ching, somos,
básicas da linguagem binaria (----, --- ---), zido como O Viajante, e representa o fogo de qualquer forma, confrontados com
produzindo um total de quatro possibi- no topo da montanha. Como o DNA via- um código biopsíquico equivalente, um
lidades de duas linhas. Quaisquer três jando através do cosmos em fragmentos mapa do desenvolvimento da própria
destas estruturas de duas linhas combi- microgenéticos, a idéia implícita pela inteligência. Assim, estes não são apenas
nam-se para criar um códon, representa- imagem do fogo no topo da montanha é dois sistemas ocasionais que encontram
do como uma estrutura de seis linhas. a imagem da vida ou da vitalidade mo- um no outro uma completa identidade
Como os hexagramas do I Ching, existem vendo-se constantemente de um lugar de estrutura, mas dois códigos que ser-
sessenta e quatro códons, e somente é para outro. Os hexagramas correspon- vem de base, determinam e descrevem o
possível sessenta e quatro estruturas de dendo aos códons de parada são 12 e 33, desenvolvimento completo da vida e do
tal tipo. Destes códons, são derivados os Pausa e Retirada. Ambos descrevem si- comportamento intencional e inteligente
vinte aminoácidos. tuações nas quais não pode haver desen- sobre este planeta.
volvimento posterior, e consequente-
Ver Mapa 7 mente, há uma separação dos elementos Dada a enormidade que significam os
vitais indicando a morte ou um drástico dois sistemas, não é de modo algum uma
A correspondência exata entre a lingua- rompimento do equilíbrio da vida. conclusão improvável a sugestão de que
gem binaria do I Ching e o código genéti- também estamos lidando com uma es-
co da vida, reunida pela primeira vez A identidade “coincidente” da ordem trutura codificadora básica inerente
por Martin Schoenberger em 1973, ad- binaria dos sessenta e quatro kua do I também ao banco psi. Para verificar esta
quire ainda mais uma esquisitice miste- Ching e os sessenta e quatro códons do percepção, podemos voltar à outra mani-
riosa em consideração aos três códons DNA é de tal magnitude que o meca- festação do psi “feita ao acaso”: O qua-
“sem sentido”. Um destes inicia cada nismo guia do banco psi torna-se uma drado mágico de Ben Franklin de 8 com
“sentença” genética; qualquer um dos força inteligível de ajuda, mesmo para uma formação de 260, isto é, um conjun-

45
to de permutações de 8x8 ou do número O que fizemos ao quadrado mágico de 8 Reduzido à sua essência mais básica, o
64, cada fileira vertical e horizontal vão de Franklin com uma formação de 260 padrão de polaridade cruzada de cada
se somando até perfazer um total de 260. foi escrever, nos sessenta e quatro placa, como também do padrão global
Este quadrado mágico singular, como kua/códons do DNA, símbolos que cor- de todos os sessenta e quatro quadrados,
diversos outros, chegou até Ben Franklin respondessem aos números. O padrão resulta numa figura ou símbolo simples
quase de graça por volta de 1750. resultante é nada menos que gracioso. que é o padrão cruzado binário mais
Em toda a parte do quadrado vemo-nos primário. Não deve ser uma surpresa
Para Franklin, a manifestação destes confrontados com a dinâmica primordial completa que este seja o mesmo padrão
quadrados em sua mente consciente não da polaridade cruzada. De fato, o padrão geral exibido na urdidura do banco psi
passou de uma espécie de passatempo básico do quadrado pareceu uma tecela- (Mapa 1), a configuração triplete binário,
altamente curioso porém inócuo no final gem altamente intrincada e integrada, já que a urdidura do banco psi é baseada
das contas, o qual parecia levar a lugar dividida em duas seções iguais de qua- na matriz do Tzolkin de 260, o mesmo
nenhum a não ser até os jogos matemáti- tro partes, cada parte contendo oito qua- número que a soma de cada uma das
cos de salão. Por outro lado, Franklin drados dispostos em duas fileiras cada fileiras do quadrado mágico de 8.
não tinha consciência sobre a existência uma. Cada uma das oito seções ou pla-
do I Ching, nem tinha qualquer conheci- cas exibe exatamente o mesmo padrão Finalmente, deve ser observado que o
mento sobre o DNA. O fato do Tzolkin de simetria, consistindo de uma seção padrão cruzado binário primário, o pa-
ser uma contagem do calendário de 260 central de quatro quadrados, os números drão de malha de dupla hélice, além de
dias foi um outro fato sobre o qual Fran- com os quais todos se relacionam com exibir uma similaridade com o símbolo
klin era totalmente ignorante. Franklin cada um dos outros em um padrão per- t’ai ch’i do yin e yang é exatamente o
não tinha a menor suspeita de que o feito de polaridade cruzada, e duas se- mesmo que o símbolo Nahuatl para o
primeiro quadrado mágico da história é ções laterais de dois números cada uma, Ollin. Este símbolo, o décimo-sétimo dos
atribuído a ninguém menos que Fu Shi, sendo que cada conjunto oposto das vinte sinais sagrados do Tonalpohualli, a
o primeiro imperador da China, a pessoa mesmas também se relaciona com cada variante Nahua ou Azteca do Tzolkin,
que trouxe ao mundo o sistema binário I uma das outras no mesmo padrão cru- além de ser o único símbolo realmente
Ching. zado. abstrato na versão Nahua do Calendário
Sagrado, significa mudança ou movi-
mento. Ollin também é o símbolo para a

46
era atual ou sol, e parece o símbolo da movimento das direções cardinais asso- bolos e números provocantes podem ser
matriz central no famoso monumento ciadas com cada um dos hieróglifos. deduzidos a partir do estudo do Calen-
profético Azteca, o Sol ou a Pedra do Desta maneira, podemos ver que embora dário Sagrado.
Calendário. o calendário seja apresentado como uma
grade, na realidade ele também conside- O motivo, contudo, de apresentá-lo aqui,
Ver Mapa 8 ra a rotação do tempo em relação ao es- é o de demonstrar que da mesma manei-
paço. Nesta versão básica e de tamanho ra que o I Ching e que o DNA, o Tzolkin
Para completar esta primeira parte da maior do Tzolkin, podemos observar a ou o Calendário Sagrado é uma repre-
equação holonômica --- “A Natureza se progressão dos números um até treze em sentação de um padrão fundamental a
apresenta” --- parece ser totalmente suas repetições contínuas, com o propó- natureza e não uma invenção ou dis po-
apropriado que retornemos à figura in- sito de indicar o padrão básico escalona- sitivo feito pelo homem. A Natureza se
dicada pelo quadrado de Franklin e pelo do e coordenado ou padrão de gradação apresenta; o homem segue e aprende.
Tzolkin ou Calendário Sagrado de 260 que distingue a grade do calendário.
unidades da antiga Mesoamérica. É pra- Ver Mapa 9
ticamente o mesmo calendário que pro- Pode ser observado que os números de
porciona a matriz de um oitavo da urdi- cada uma das vinte fileiras perfazem 91,
dura do banco psi com a qual iniciamos para um total de 1820, o mesmo número
esta seção. Deve ser lembrado que esta que se obtém pela adição do total dos
mesma matriz do calendário correspon- números de cada uma das treze fileiras.
de também à décima Sexta parte do ciclo O total ou soma dos números da coluna
binário da mancha solar de 11,3 anos. mística, a sétima fileira horizontal neste
arranjo, perfaz um total de 140 (7X20), o
Aqui apresentamos este ciclo em arranjo qual multiplicado por 13, resulta em
horizontal com os vinte signos diários 1820. Se toma 1820 como uma contagem
sagrados Mayas ou hieróglifos escritos de dias, então se estabelece um dígito
de lado a lado no fundo de cada uma das que é menos que 0,03 por cento do total
vinte fileiras verticais. Na parte de cima de dias contidos em um perido de cinco
destas mesmas vinte fileiras, indicamos o anos. Esta e muitas outras idéias e sim-

47
II: O Homem Aprende Através da Natureza

48
O que a existência do I Ching e do sentido de que ele precede os modos ci-
Prelúdio:
Tzolkin implica é a necessidade de con- vilizatório de aprendizagem (AC) tais
Da Harmonização Primária siderar uma maneira básica de conhecer como formas ou padrões codificados
até a Elaboração Psicossensória ou de aprender sobre as coisas: conheci- pela escrita ou pela matemática. Por cau-
mento através da harmonização. Isto tam- sa disto, é associado mais facilmente com
O Calendário Sagrado da antiga civiliza-
bém pode ser descrito como o aprender as condições xamanísticas e psicocultu-
ção mesoamericana, como o I Ching da
através da receptividade ressonante, rais primitivas. Por causa da sua prima-
antiga China, aponta para exemplos
aprendizagem intuitiva, ou em sentido zia biológica, o conhecimento através da
mais que notáveis dos sistemas tão per-
mais sublime, aprendizagem pela reve- harmonização também aponta para a
feitos ou tão engenhosos para serem me-
lação. Este modo de aprendizagem visi- necessidade contínua da existência da
ramente o produto de mentes lutando
onária, correspondendo à corrente CA sociedade aborígene ou primitiva e dos
para inventar uma estrutura conceitual
(continuidade aborígene ou primitiva) modos de conhecimento, lado a lado
que pudesse representar ou conter a or-
da dinâmica psicocultural, acontece pri- com o crescimento da civilização propri-
dem da natureza. Entretanto, como indi-
mariamente tanto num sentido biológico amente dita.
cado pela congruência destes sistemas
quanto num sentido histórico.
tanto no código genético quanto no
Como visto, o Tzolkin ou Calendário
exemplo curioso porém altamente de-
O que faz a aprendizagem através da Sagrado é baseado em um conjunto de
terminante do quadrado de Franklin,
harmonização mais efetivamente possí- treze números repetidos seqüencialmen-
estes sistemas não são, em absoluto, fei-
vel é um índice de comunicação direto e te vinte vezes para um total de 260 per-
tos pelo homem. Ao contrário, eles são
não filtrado entre os órgãos do sentido e mutações. Quando consideramos o sis-
representações da ordem da natureza
o meio ambiente. Isto aponta para a ne- tema de notação Maya e o padrão criado
manifestada para as mentes dos homens,
cessidade de silêncio reflexivo, quietude, pelos números 1 – 13 repetidos seqüen-
freqüentemente num passado tão antigo
contemplação e estados mentais de me- cialmente no sistema de notação Maya,
ou indistinto que na melhor das hipóte-
ditação e de existência. É neste sentido um padrão puramente visual fica clara-
ses, como no caso do I Ching, eles somen-
que o conhecimento através da harmoni- mente evidente. Este padrão visual pode
te podem ser atribuídos às figuras ou
zação é biologicamente primário ou his- ser resumido ainda mais na maneira
símbolos legendários como a do primei-
tórico. O conhecimento através da har- apresentada neste mapa.
ro imperador da China.
monização é historicamente primário no

49
O que vemos é uma matriz de treze re- dos movimentos binários das manchas entendimento auto-refletivo do processo
tângulos dentro dos quais uma linha do sol. Evocatória da exploração celestial holonômico. Esta é a base, a origem do
grossa, ritmicamente, levanta e cai repe- da percepção intuitiva do processo de conhecimento, tanto biológico quanto
tidamente, vinte vezes. Acima e abaixo conhecimento primário através da har- histórico.
da fileira de retângulos, linhas curvas monização, está o diagrama Navaho da
relacionam os retângulos pares e ímpa- janela para o céu descrita ou representa- O nome dado para a capacidade primi-
res para criar mais dois padrões rítmicos da abaixo do padrão rítmico do Calendá- tiva ou aborígene --- significando natural
correspondendo ao fato de que quando rio Sagrado. A forma deste padrão pro- ou da natureza, começando sempre ---
os números das treze fileiras são adicio- vavelmente corresponde à forma de uma de obtenção de conhecimento através da
nados, as somas totais das fileiras pares janela de observatório em um dos cen- harmonização é xamânismo. Como um
diferem em sete, enquanto a soma das tros cerimoniais Anasazi (região do Rio tipo de personalidade, o xamã é dinâmica
fileiras ímpares difere em seis. Colorado, América do Norte), cerca de criativa primária do reino humano. Fa-
1000 P.A. lamos de novo de uma primazia ou prio-
Quando contemplamos o Calendário ridade tanto biológica quanto histórica.
Sagrado em sua maneira puramente vi- Ver Mapa 10 Como uma dinâmica criativa, os poderes
sual, podemos apreciar com toda a clare- do xamã são fundamentalmente os de
za que estamos lidando com um padrão A base do conhecimento através da har- restabelecer e fazer arte. Para fazer arte,
inerente à natureza, e não uma invenção monização é a habilidade de permitir precisa-se saber como a natureza traba-
feita pelo homem. O conhecimento de quaisquer fatores ou forças do meio am- lha; o mesmo é verdade em relação ao
tais padrões resulta de uma combinação biente estarem presentes para penetrar e restabelecimento ou cura.
da observação e da receptividade corporal entrar completamente em todo o campo
total. Também, como indicado, ao consi- dos sentidos. Nós não apenas somos bio- A vestimenta mágica do xamã dentro do
derar o papel da matriz de 260 unidades logicamente uma manifestação da ordem modelo holonômico representa a capaci-
da trama do banco psi, compreendemos completa da natureza, mas através de dade de morrer por alguém, isto é tor-
que estamos lidando com um padrão nossa habilidade de estar completamente nar-se abnegado. Isto é representado
celestial intuitivamente percebido --- abertos e receptivos, a ordem pode além pelo padrão do esqueleto esquemático,
neste caso, um padrão associado biopsi- disso, imprimir-se sobre nós de maneira simbolizando a visão da própria morte
quicamente com a ascensão e a queda que o que resulta é um discernimento e de alguém, e ao mesmo tempo, a obten-

50
ção do poder e do discernimento trans- Aqui apresentamos padrões visuais, de- o campo de memória da própria Terra.
cendental. Assim, através da experiência senhados original e tradicionalmente Um dos aspectos mais singulares da cul-
transformadora, a coluna espinhal é en- sobre a Terra com areia. O padrão da tura aborígene australiana é o papel re-
tendida como sendo a coluna mística do esquerda é de um dos mais primitivos de presentado por Aljira ou Aljeringa, o
eixo cósmico, e o interior do esqueleto todos os costumes, o costume australia- Tempo-de-Sonho. Esta zona primordial,
tornado visível com um reflexo da árvo- no. Ele representa o “Sonhar da Serpente lar dos antepassados, mítica e eterna,
re da vida. Crescendo a partir da escuri- Carpete”. No centro há uma “poça também é o objetivo ou estado da mente
dão da Terra em direção aos céus, a ár- d’água”; os círculos nos lados são ser- que um modelo de memória como o
vore é o embaixador elementar da Terra pentes transformadas em rochas. O efei- “Sonho da Serpente Carpete” ajuda o
para as zonas celestiais (banco psi) onde to completo é de um padrão intensamen- espectador a recuperar. Como um termo
o xamã precisa ir para obter a visão. Re- te vibratório e altamente geométrico. O mitopoético para o banco psi, o tempo-
tornando à Terra imbuído com a visão, o título da pintura indica que a imagem de-sonho exemplifica o respeito pré-
xamã possui o poder para curar ou res- total é um mapa psíquico, o qual, através literário ao qual este repositório de pa-
tabelecer e fazer arte; com seus poderes de sua abstração padronizada primordi- drões biopsíquicos estava agarrado.
de discernimento transcendental, ele ou al, é capaz de unir os eventos terrestres,
ela podem ver também e localizar aque- animistas e mentais em um todo. Conse- Posicionado ao lado da imagem australi-
les lugares e sítios, freqüentemente indi- quentemente, a pintura ou imagem sim- ana está uma pintura de areia Navaho,
cados por rochas, fontes ou cavernas, bólica pode ser referida como um mode- “A Casa do Sol”. Como com o modelo
onde o poder do céu e da Terra estão lo de harmonização ou placa de memó- australiano, a imagem Navaho represen-
mais auspiciosamente presentes, por ria, pois a sua função é realizada quando ta um armazém altamente condensado
meio disso capazes de serem juntados. ela recorda no observador o campo total de informação contidos dentro de um
Todas as coisas são sagradas, e o poder dos eventos, das imagens e das insinua- padrão simples e integrado. As quatro
da santidade move-se através de tudo, ções. listas ou laçadas, começando no topo,
circulando a verdade através do mínimo representam as quatro casas do sol, e
elemento da natureza. Descrita, representada dentro do modelo podem ser ligadas aos padrões triplos
holonômico, a “placa de memória” aus- binários quádruplos da trama do banco
Ver Mapa 11 traliana é revelada para ser um padrão psi. A laçada ou lista do topo representa
ressonante gerado a partir do banco psi, a aurora; a laçada abaixo, a noite; a pró-

51
xima, céu azul; e a laçada embaixo, com Sol” e o céu em geral podem ser tomadas total de cinqüenta e dois. A partir dos
os círculos, representam os quatro ven- de novo como imagens do banco psi, o cantos do quadrado da Terra, crescem
tos cósmicos, o anoitecer. repositório dos padrões de aprendiza- quatro plantas medicinais sagradas. Cir-
gem, cura, arte e conhecimento. cundando três lados (o lado oriental está
Cada um dos símbolos circulares dos aberto) tem um ser guardião celestial do
ventos cósmicos está circundado por um Para a direita tem outra pintura de areia arco-íris em espiral. Protegendo o portão
padrão retangular de arco-íris e por um Navaho, “Aparecimento dos Curandei- oriental, aberto por que ele representa o
guardião serpente de cor contrastante. ros”. Enquanto a pintura de areia descri- lugar onde o sol nasce, estão dois outros
Acima das quatro casas do sol estão os ta previamente mostrava a síntese dos seres guardiões, a Bolsa de Tabaco do
símbolos de nuvem, e acima destes, cin- estágios da relação do sol com a obten- Sol, acima, e a Mosca Grande, abaixo.
co guardiões pássaros celestiais. A pintu- ção de conhecimento, esta pintura é uma Acima tem um outro desenho de janela-
ra, “A Casa do Sol” tem seu significado demonstração gráfica da percepção in- do-céu.
derivado do fato que ela era uma das tuitiva e pré-literária da ordem geomân-
três pinturas que o Espirito do Sol ins- tica. À esquerda tem dois tabuleiros Yoruba
truiu as suas crianças ou filhos da Terra (Nigéria) de adivinhação geomântica.
para pintar. Também é notável que os Ver Mapa 12 Em seu sentido mais puro, a adivinhação
primeiros ensinamentos do Espirito do é um meio de conhecimento direto pelo
Sol para as crianças da Terra foram com O quadrado central representa a escuri- qual o adivinho (homem) ressoa com um
relação às artes de curar, das quais as dão da Terra da qual as quatro plantas padrão gerado espontaneamente, neste
pinturas de areia eram um parte integral. medicinais sagradas e o curandeiro caso dezesseis nozes palmeiras (Terra),
emergem. De cada lado do quadrado, as as quais correspondem a um padrão es-
Debaixo da “Casa do Sol” tem outra ja- cabeças de doze desses curandeiros apa- pecial do banco psi binário (céu) cuja
nela-do-céu. Esta janela mostra a partida recem. Representando as quatro direções configuração total resolve-se na mente
do Homem Sagrado da casa do seu pai. estão as figuras do Homem Sagrado e do do adivinho em uma resposta para uma
Os padrões de rabo emplumado na parte Menino Sagrado, da Mulher Sagrada e pergunta ou indagação previamente
de baixo indicam o “vôo do tempo”, e o da Menina Sagrada, os quais, juntos com formulada. A adivinhação é intrinseca-
padrão cruzado na parte extrema es- cada um dos doze curandeiros direcio- mente geomântica no fato de que ela é
querda, indica a Via Láctea. “A Casa do nais correspondentes, compreendem um totalmente dependente da relação pri-

52
mária estabelecida conscientemente en- Dentro do tabuleiro circular temos indi- tudo é junto confinado, e através dele as artes
tre o homem, o céu e a Terra. Disto surge cado o modelo primal do topocosmo dos profetas e dos sacerdotes, seus sacrifícios
uma definição ainda mais primária: a holonômico, a própria Terra. As duas e mistérios e encantos e toda a profecia e ma-
geomancia é a relação binaria entre a linhas retas saindo da Terra em direção gia encontram seu caminho. Pois Deus não
mente e o meio ambiente. Assim, ela ao banco psi, representadas pelo padrão se mistura com o homem, mas através do
serve de base e informação para todos os de espiral circular, significa o processo elemento demoníaco ( ou do Amor ) toda a
padrões de conhecimento e de trabalho adivinhatório, conectando o adivinho e o comunicação e a conversação de Deus com o
com o mundo. padrão das nozes palmeiras, mostrado homem, quer desperta ou adormecida, tem
no tabuleiro da parte de baixo, com a seguimento. A sabedoria que entende isto é
Entre os Yoruba, a adivinhação geomân- configuração binaria arquetípica dos espiritual.
tica é conhecida como Ifa, porque ela se “céus”. O modelo do processo geomânti-
origina em Ife, o lugar onde os dezesseis co de adivinhação é primário, e deve ser Ver Mapa 13
deuses, simbolizados pelas dezesseis mantido na mente quando considerar os
nozes palmeiras, desceram até à Terra. A mapas da Parte V, “O Homem e A Natu- Enquanto a primazia biológica da visão
divindade principal comandando as ar- reza Sintetizados”. xamânicas e do conhecimento geomânti-
tes adivinhatórias é Eshu, cujo semblante co permanece constante, assim prestan-
vemos em ambos os tabuleiros de adivi- Em Symposium de Platão, Sócrates pede à do esclarecimento para a corrente CA e
nhação. O padrão primário de dupla- profetiza Diotima para falar sobre a na- para a capacidade contínua para o dis-
hélice do tabuleiro mais baixo é improvi- tureza do elemento demoníaco ou adivi- cernimento renovado da história huma-
sado sobre o tabuleiro da parte de cima, nhatório, personificado como amor. Ela na, a sua primazia pré-histórica faz nascer
lá representando um padrão de tecela- responde: o processo da própria história. Neste
gem tradicional. Também na borda cir- sentido, a história é entendida como a
cular estão descritos bodes selvagens, Ele exprime o pensamento entre os deuses e diversificação do conhecimento. Todavia
porcos-espinhos e tartarugas, embaixa- os homens, enviando e dedicando aos deuses, a diversificação em diferentes campos
dores do mundo animal para a psique as orações e os sacrifícios dos homens, e aos não significa necessariamente perda de
humana. homens, os comandos e as respostas dos deu- unidade. De fato, isto é virtualmente im-
ses; ele é o mediador que se estende sobre o possível. Um axioma holonômico básico
abismo que os divide, por essa razão, nele estabelece: “Se uma coisa funciona, ela

53
está relacionada com todas as coisas que Todo o conhecimento é posicionado em Ao falar do processo de conhecimento e
funcionam.” A noção de que existem série ao longo da linha vertical do dis- do processo de aprendizagem, mencio-
diferentes campos do conhecimento que cernimento transcendente, o qual cor- namos dois fatores determinantes: o
não estão relacionados uns com os ou- responde à coluna mística ou ao eixo do elemento da primazia biológica e o ele-
tros é fundamentalmente o resultado da presente eterno. Esta linha vertical pro- mento da história. Aplicada ao organis-
perda da visão sagrada. porciona a base para o desenvolvimento mo humano, o fator da primazia biológi-
das práticas espirituais contemplativas: ca refere-se internamente às estruturas
Todo o núcleo do modelo holonômico do meditação, oração, procura-da-visão, inatas do sistema neurofisiológico, inclu-
conhecimento é xamânismo, represen- abstinência ou jejum e os exercícios ritu- indo os fatores psíquicos e mentais, e
tando a síntese primordial não diferenci- ais. Quando existe uma comunidade que externamente aos órgãos do sentido e os
ada do conhecimento e da experiência. A reconhece a necessidade de continuar a campos sensórios correspondentes. A
partir do xamânismo surge a ciência mãe desenvolver tais práticas, normalmente história é derivada do giro de regenera-
como também a mãe das ciências: a ge- dentro do contexto de um sistema de ção criado pela revelação simultânea dos
omancia, a ciência que investiga a rela- crença religiosa ou espiritual, então o órgãos do sentido em resposta ao meio
ção entre o homem, o céu acima, e a Ter- resultado é a unidade de visão. O conhe- ambiente, com o também retorno aos
ra abaixo. Dadas as três coordenadas cimento em toda a sua diversidade é en- sentidos do que foi expresso através de-
hieráticas contidas dentro desta defini- tão visto como muitas facetas de um les. Os fatores internos e externos totais
ção de geomancia, o conhecimento pode prisma sagrado única. É somente quan- compreendendo o campo bio-histórico e
ser entendido como três campos desen- do a linha vertical do discernimento psicocultural pode ser chamado de sis-
volvendo-se e cruzando-se mutuamente: transcendente é “cortada” que o centro tema de organização psicossensória.
as ciências celestiais, as ciências terres- não mais se mantém firme, e o conheci-
tres e as ciências do homem ou ciências mento é estilhaçado em uma Torre de Esta organização não é uma condição
biopsíquicas. Visto como um todo, os Babel de campos especializados. Isto estática. As impressões e informação a
três campos do conhecimento e os seus ocorre quando há uma perda de visão partir do meio ambiente, quer natural ou
subconjuntos “celestiais” e “terrestres” sagrada, como exemplificado pelo atual artificial, estão correndo de maneira con-
compreendem a ciência da unidade ou a estágio da civilização. tínua para dentro do organismo através
própria holonomia. dos campos do sentido. A mente e o sis-
Ver Mapa 14 tema neurofisiológico processam conti-

54
nuamente esta informação e colocam-na de consciência sustentada durante uma sensória que marca a história como um
de volta no meio ambiente na forma de dada experiência. jogo de forças e de idéias cada vez mais
modos de atividade e transformadores divorciadas da harmonia original com o
de comportamento. O que é colocado Expandindo-se para fora do processo meio ambiente. Como resultado, a soma
para fora, literalmente falando, é chama- psicossensório interno, o mapa do cam- total das técnicas educacionais, formas
do de cultura, o qual, ao passo que se po sinestético descreve o desenvolvi- estéticas e processos gerais de condicio-
acumula, torna-se um fator ambiental mento cumulativo da elaboração psicos- namento tornam-se crescentemente codi-
artificial crescentemente significante no sensória em termos da revelação ou do ficados em formas que precisam ser
processo psicossensório completo. esclarecimento dos órgãos do sentido, aprendidas independente das tendências
das determinantes chave do sensório biológicas primárias. Este processo intei-
Voltando ao mapa do campo sinestético, psicocultural, e do desvio para longe da ro esclarece a história como as tendên-
(15,) vemos que do lado esquerdo estão condição primária da sinestesia aborígene. cias fixas habituais de segunda natureza.
indicados os estágios interdependentes e Neste contexto, a sinestesia pode ser de-
cumulativamente progressivos do pro- finida como os campos de sentido se in- Este processo alcança o seu ápice na era
cesso psicossensório interno. Os estágios terpenetrando mutuamente e agindo em moderna ou atual, na qual a elaboração
internos da informação sensória proces- harmonia um com o outro. Esta é a con- psicossensória tornou-se tão intensa que
sando para cada órgão do sentido po- dição psicossensória aborígene ou primi- uma condição totalmente oposta da si-
dem ser divididos em cinco estágios: 1) tiva --- literalmente sem ramificações nestesia aborígene foi alcançada: aliena-
forma, referindo-se ao contato sensório pré-histórica e biologicamente. Esta con- ção psicossensória mecânica. Isto corres-
inicial; 2) sentimento ou sensação, que se dição define o estágio inicial do desen- ponde à separação do modelo holonômi-
refere à atração ou repulsão; 3) percepção, volvimento psicocultural dominado por co de conhecimento, a perda da visão
referindo-se à discriminação qualitativa um “círculo ritual” de atividades mul- sagrada, ao estilhaçamento do conheci-
e quantitativa; 4) formação ou estrutura, tissensórias com a intenção de conservar a mento, ao divórcio da arte e da ciência, e
que indica as reações de pensamentos e visão primal. à confusão coletiva geral causada pela
emoções complexas, incluindo respostas atual explosão de informação sem uma
previamente condicionadas; e finalmente Os estágios subsequentes, mundo antigo, estrutura coerente de conhecimento para
5) consciência, o grau, qualidade e espécie mundo medieval, e mundo moderno, todos contê-la. Como indicado pelo modelo
descrevem a crescente elaboração psicos- esférico do lado direito, existe um pró-

55
ximo estágio, o holonômico, que sinteti- como o “giro de regeneração psicogené- diferentes órgãos do sentido; e 3) o im-
za os estágios antecedentes de desenvol- tica”. Assim como o criador da história, pacto contínuo do meio ambiente psico-
vimento psicossensório em uma sineste- o homem, é um organismo biopsíquico, cultural artificial sobre o sistema psicos-
sia mais elevada e pós-histórica. Para também o giro de regeneração psicoge- sensório.
entender, pelo menos alcançar, este está- nético tem sua origem no próprio padrão
gio, requer-se aprendizagem posterior, de duas hélices do DNA. As duas cor- A totalidade deste processo ou situação é
especialmente com respeito à natureza rentes formando a dupla hélice são pro- o que é chamado normalmente de “his-
psicogenética da própria história. cessadores de informação. Uma é referi- tória”. A partir da perspectiva psicossen-
da como corrente CA --- corrente contí- sória, a história é também um triplo
Ver Mapa 15 nua aborígene --- a outra, a corrente AC processo. Primeiramente, há o estágio do
--- corrente avançada civilizatória. À aparecimento biopsíquico, caracterizado
Ao discutir e contemplar o mapa do corrente CA correspondem as formas pela sinestesia aborígene da pré-história.
campo sinestético ou a história dos sen- psicomentais naturais, sensações inter- O segundo estágio, a própria história,
tidos, podemos começar a apreciar as nas e os próprios órgãos de sentido. À caracterizada pela elaboração psicossen-
complexidades psicológicas envolvidas corrente AC pertencem as formas cultu- sória, também é o estágio da hominiza-
no processo desconcertante conhecido rais cumulativas e eventualmente, os ção do planeta, isto é a propagação do
como história humana. Todavia, não es- campos de sentido civilizatórios inclusi- homem através do planeta. O terceiro
tamos separados da natureza. As estru- ve do meio ambiente planetário. A rege- estágio, o estágio da planetização da cons-
turas e os processos intrincados de nosso neração psicogenética refere-se ao inter- ciência humana, “retorna” à sinestesia
sistema neurofisiológico e o meio ambi- câmbio contínuo entre os fatores biologi- pós-histórica.
ente que é criado a partir dele podem camente naturais e os fatores psicocultu-
ser entendidos holonomicamente como rais crescentemente elaborados. Graficamente, a história é o giro ou salto
mais uma expressão da dinâmica mais entre os dois estágios de unidade sines-
primária, a polaridade cruzada. Na totalidade do giro de regeneração tética. O que é verdadeiro no nível histó-
psicogenética, existem três fatores: 1) o rico, isto é, ao nível da transformação
Geneticamente, esta polaridade manifes- próprio sistema psicossensório natural; coletiva do organismo total homem,
ta-se na dupla hélice. Historicamente, a 2) a criação de cultura ou o meio ambien- também é verdadeiro no nível individu-
polaridade cruzada pode ser referida te psicocultural como a expressão dos al. Isto é, através do processo de cresci-

56
mento, cada um de nós emerge de uma movimento, um processo que não pode
condição de unidade sinestética --- o úte- ser plenamente compreendido e trans-
ro e infância prematura --- para um está- formado até que a completa hominiza-
gio de expansão, crescimento e experi- ção tenha ocorrido. Assim a história tor-
mentação, no qual somos testados e for- na-se o registro da crescente esperança
mados somente para retornar para uma ou da confiança do organismo humano
condição final mais altamente sintetiza- no condicionamento artificial cultural,
da de cumprimento e realização. No mí- independente dos fatores ambientais
nimo, este é o modelo apresentado para inatos e naturais.
nós pelo nossa padronagem holonômica
natural. Assim vemos que o que começou como
um processo de conhecimento através da
Como irá ficar mais evidente, o “pro- harmonização torna-se, através da trans-
blema” da história é que o processo total formação inexorável do giro de regene-
da regeneração psicogenética tende de ração psicogenético, uma atmosfera den-
maneira crescente a impedir o curto- sa de elaboração psicossensória. Toda-
circuito no indivíduo, e então, no pró- via, assim como com a arte e a cura, sa-
prio organismo coletivo, de atingir aque- ber como alguma coisa foi feita, que po-
le nível pleno de realização. Sistemas de de ser desfeita, e que todos os elementos
crença tornam-se endurecidos dentro de podem ser modelados ou adaptados de
ideologias que são tentativas de padro- novo em uma criação de brilho e beleza.
nização das reações psicossensórias
através da regeneração psicogenética Ver Mapa 16
controlada.
Uma vez que todo o processo da história
tenha sido produzido através da plena
ativação da corrente AC, o fenômeno da
elaboração psicossensória é posta em

57
III-O Homem Transforma a Natureza

58
capaz do DNA. Por causa deste fato do homem e da civilização sobre a face
Prelúdio:
fundamental, podemos começar a desen- inteira da Terra. Esta é a situação na qual
Da História,Da Harmônica e
rolar, esclarecer a estrutura da história, nós chegamos hoje.
Da Recordação Holonômica
de uma maneira ordenada e mostrar que
ela é, em toda a realidade, uma função Todavia, enquanto podemos dizer que a
No segundo estágio da equação holo- orgânica do processo total de recordação hominização do planeta foi completada,
nômica, vimos que a base da aprendiza- holonômica planetária. precisamos também começar agora a
gem do homem a partir da natureza de- falar da planetização da consciência hu-
pende da interação dos campos dos sen- Através desta afirmação, queremos dizer mana.
tidos com o meio ambiente. A partir des- que a estória do aparecimento do ho-
ta perspectiva, a história parece ser um mem --- o fator biopsíquico --- sobre este Este estágio leva-nos além da história, no
processo que se move de uma condição planeta precisa ser vista na totalidade mínimo até o ponto que a história é defi-
de sinestesia aborígene para uma situa- dos campos nos quais ela ocorre: o ter- nida no momento. Pois se não formos
ção ainda mais complexa caracterizada restre/geomagnético/gravitacional e o para além da história, não haverá ne-
por estágios crescentes de elaboração celestial/eletromagnético. Até que estes nhum futuro do qual possamos falar.
psicossensórios. fatores sejam levados em consideração,
nenhum detalhamento da história será Oriundo de um oceano, ele mesmo de-
Este é um breve resumo da história de justo ou criativamente produtivo, muito senvolvido a partir das estrelas, a dinâ-
uma perspectiva puramente psicossen- menos completo. No contexto do modelo mica da polaridade cruzada da dupla
sória da mais intrincada forma-de-vida de campo ressonante, a história é o pro- hélice aparece: duas correntes de energia
evoluída sobre o planeta, a forma-de- cesso pelo qual o homem transforma a processando simultaneamente a infor-
vida que tomou conta da remodelação natureza. Este processo inicia-se com a mação em direções opostas; duas linhas
do meio ambiente terrestre. Todavia, aparecimento do homem --- homo sapi- de informação, uma contendo o modelo
esta complexa forma-de-vida transfor- ens --- em pequenos territórios ou encla- da outra, um único fragmento microscó-
madora dotada com uma consciência ves no mais das vezes, bastante isolados pico --- contudo encerrando o padrão de
auto-refletiva, ultimamente é um desen- culturalmente --- até a hominização final todo o processo de crescimento, evolu-
volvimento com um propósito e cresci- do planeta, isto é a distribuição completa ção e da própria ordem universal. Vivo,
mento consciente estabelecido na dinâ- portanto pulsando; um contraponto rít-
mica cruzada única mas infinitamente
59
mico de pulsações negativa/positiva --- dade, supremacia total na qual o ho- cessão de anéis provindos de um núcleo
positiva negativa. Todas as coisas pul- mem, ao cruzar o céu e a Terra por si planetário. Atualmente, estes anéis são
sando. Sexual, dinâmica, batimento, tota- mesmo, iniciou a consciência sobre o em número de quatro: 1) o anel do apa-
lidade. planeta. recimento aborígene; 2) o anel do mundo
antigo, com suas sete correntes ou linhas
E a história, uma manifestação completa Ver Mapa 17 de civilização: a Nilótica, a Mesopotâmi-
do processo primal, não é diferente: um ca, a Indiana, a Chinesa, a Mesoamerica-
pulso binário, um movimento para a Ao visualizar a Terra como uma matriz na, a Andina e a Nigeriana; 3) o anel do
frente e para trás da visão, transforma- espaço/tempo, a primeira coisa que pre- mundo medieval, com suas três religiões
ção, e síntese, o entrelaçamento da conti- cisamos compreender é a unidade ine- cosmopolitas: Budismo, Cristianismo e
nuidade aborígene e do avanço da civili- rente da Terra, do espaço e do tempo. Islamismo; e finalmente 4) o anel do
zação. Dentro desta unidade, o aparecimento mundo moderno global-industrial.
do homem também é uma unidade. Da
Como um aumento da configuração tri- mesma maneira que o elemento fogo é o Estes quatro anéis ou estágios da história
plete binário exemplificada no padrão mesmo em toda a parte, ainda que espe- podem produzir discernimento posterior
primal do DNA, a história --- o processo cificado por meios diferentes, assim quando vistos como a tecedura de dupla
da hominização planetária --- permanece também a cultura humana é única. E hélice das correntes CA e AC engloban-
obediente ao princípio fundamental da como a onda de hominização reúne suas do o pulso binário do desenvolvimento
polaridade cruzada. Com esta simples forças e passa suavemente do final da psicocultural. Nesta imagem, o processo
imagem na mente, podemos começar a era Plistoceno para a era Holoceno ou psicocultural é descrito ou representado
provar por baixo das palavras condicio- era atual, assim também o advento e o como um intercâmbio de controle
nadas, os slogans, as ideologias competi- aparecimento da civilização é igualmen- CA/AC. Considerando que a corrente
tivas, até os fatos do processo holonômi- te um fenômeno unificado global. CA começa e termina no topo e embaixo
co do planeta Terra. Agindo assim, po- à esquerda, os estágios nos quais ela
demos descobrir que o que nós chama- Como os anéis de uma árvore nos dizem domina são o primeiro e o terceiro, os
mos de história tem sido apenas um a sua idade, assim também podemos ver estágios aborígene e medieval. Os está-
exemplo dramático de transformação, os diferentes estágios do desenvolvimen- gios de domínio AC são os estágios anti-
resultante de um momento de impari- to psicocultural humano como uma su- go (hierático) e moderno, o segundo e o

60
quarto estágios respectivamente. Cor- o topo existe um escurecimento crescen- quarto estágio do pulso binário do de-
rendo ao longo do lado direito tem uma te do campo histórico. O primeiro está- senvolvimento psicocultural.
escala-relativa-de-tempo que fornece as gio, correspondente à Idade mítica de
datas no código P.A. Ouro, é a mais clara, mais aberta e o Ver Mapa 19
campo fisicamente receptivo. O estágio
P.A. = Pré-atomico atual é o mais escuro. Enquanto a escu- Embora o fator biopsíquico da civilização
ridão do quarto estágio poderia se referir e da história seja definido pelo giro de
Ver Mapa 18 aos poluentes físico-químicos da indus- regeneração psicogenética e pelo proces-
trialização do planeta, ela também pode so de elaboração psicossensória cumula-
Continuando a aplicar o modelo de du- ser vista como uma inversão psicoatmosfé- tiva, o aparecimento do organismo hu-
pla hélice do pulso binário do desenvol- rica do ar --- uma sobre-compactação da mano e, na verdade, da habilidade do
vimento psicocultural, este mapa de- informação condicionada que obscurece DNA de florescer sobre este planeta,
monstra mais completamente a natureza a possibilidade da visão clara. Finalmen- precisam ser levados em consideração os
da história como o processo de elabora- te, ela também pode se referir à escuri- campos evolutivos gravitacional e mag-
ção psicossensória. Através das linhas dão que precede a aurora. nético da própria Terra.
horizontais dentro de cada um dos qua-
tro estágios, vemos que logo um signifi- A elaboração psicossensória pode ser Os fatores gravitacionais da Terra que
cado especial neste mapa, a exibição grá- abreviada como EPS7. Assim, ela é o mais afetam o aparecimento da civiliza-
fica do aumento constante cumulativo oposto de SPE. Enquanto a SPE como ção e a propagação do homem são as
em densidade psicoatmosférica ( DPA ) 6. incidência de fenômenos psi é mais co- forças do geomagnetismo e as placas
Uma função direta da elaboração psicos- mum ou predominante no primeiro es- tectônicas vitais que servem de apoio
sensória, a densidade psicoatmosférica tágio, o seu oposto --- EPS --- domina o para o oceano e as massas de Terra. O
refere-se à incidência crescente dos fato- quarto estágio. Este fator leva em consi- geomagnetismo e as placas tectônicas
res condicionantes artificiais no meio deração a quase completa negação da são para a geografia terrestre visível o
ambiente planetário. Assim do fundo até validade da corrente CA na fase final do que as forças primordiais, aborígenes da
consciência são para as manifestações
superficiais da cultura e da civilização.
6 No original, PsychoAtmospheric Density 7 No original, PsychoSensory Elaboration Enquanto o magnetismo se refere às
( PAD ) ( PSE )
61
energias vitais internas da Terra, o ch’i cas tectônicas, deve-se levar em conside- vidas sem influência significativa vinda
terrestre da geomancia chinesa, as placas ração a proximidade destes pulsos com de quaisquer um dos outros centros. Os
tectônicas proporcionam tanto o pára- as bordas das placas. Somente os pulsos centros civilizatórios são referidos como
choque quanto os meios de ventilação chinês e nigeriano parecem estar a uma pulsos, com nomes específicos para locais
entre a superfície de suporte biosférico distância significante da borda das pla- geográficos para indicar a mudança di
da Terra e o interior inabitável. cas. nâmica na direção do domínio da cor-
rente AC na confluência com as forças
Há sete placas tectônicas maiores e treze Ver Mapa 20 geomagnéticas que possibilitaram o apa-
menores, incluindo a Chinesa, algumas recimento da civilização hierática.
vezes considerada um porção da placa Da mesma maneira como existe um sis-
tectônica Eurasiana. As maiores placas tema atmosférico unitário, também exis- Hierático normalmente se refere a uma
são: a Eurasiana, a Norte Americana, a te um fenômeno civilizatório unitário. estética distinguida por uma simetria
Sul Americana, a Africana, a da Antárti- Embora o aparecimento da civilização bilateral pronunciada, por isso ordem
ca, a do Pacífico, e a Australiana. As pla- global ocorra em sete pontos, ela não é equilibrada. Santidade ou qualidade sa-
cas menores incluem a placa Adriática, a menos do que uma função unitária da grada, o significado de origem mais pro-
do Egeu, a Turca, a Arábica e a Iraniana evolução total holonômica do planeta. fundo do hierática, não obstante, é pre-
como pára-choques entre as placas Eura- De fato, podemos na verdade ver um tendido, pois a civilização hierática é
siana e Africana; a Chinesa, a das Filipi- padrão proposital nestes sete centros simplesmente aquele ordenamento cons-
nas, a Bismarck, a Salomão e a Fiji como prístinos em relação uns aos outros e ciente de experiência imbuída em toda a
pára-choques entre as placas Australia- como eles englobam um processo com- parte com significado sagrado. Ë notável
na, a do Pacífico e a Eurasiana; e as pla- pleto. que haja uma longitude hierática de zero
cas de Cocos, Nazca, e a Caribenha como grau que passa pelo centro do pulso Ni-
pára-choques entre as placas Norte O termo “prístino” é usado para descre- lótico8. Esta longitude hierática zero é
Americana, Sul Americana e a do Pacífi- ver estes sete centros indicando que, de ocasionada pela posição da Grande Pi-
co. modo geral, eles representam desenvol- râmide de Gize, a mais antiga e talvez o
vimentos “independentes”. Isto é, embo-
Ao contemplar os pontos pulsos emer- ra os sete centros possuam muitas carac-
gentes da civilização em relação às pla- terísticas comuns, estas foram desenvol-
8 Relativo ao rio Nilo
62
maior monumento geomântico de todo o vilização global. Aqui vemos as sete li- dinastias, fases culturais, invasões e in-
mundo antigo/hierático. nhas de civilização fluindo para cima a trusões imperiais estão claramente indi-
Devido à presença singular da Grande partir dos pulsos geomagnéticos prísti- cadas para mostrar as transições e trans-
Pirâmide, o pulso Nilótico significa o nos numa escala que mostra a realidade formações mais significantes de civiliza-
começo ou a iniciação da onda hierática cronológica de cada uma das linhas em ções no tempo em relação ao tempo.
ou primeira onda de civilização, isto relação às outras. A analogia musical das
apesar do fato que para muitos arqueó- sete linhas representando as sete notas Será observado mais adiante que consi-
logos, a história inicia-se em Sumer, o sucessivas na escala corresponde ao apa- derando as sete linhas, cada uma inicia-
próximo pulso a este do Nilótico. O pon- recimento gradual mais tarde das sete se em relativo isolamento, por volta de
to mais alto da onda hierática ocorre no civilizações começando com a civilização 2000 P.A., a conclusão da oitava hieráti-
pulso Nigeriano, imediatamente a oeste Nilótica e terminando com a civilização ca, as correntes ou linhas Nilótica, Me-
e ao sul do Nilótico. Yoruba/Nigeriana. Assim o alfa e o ôme- sopotâmica, Indiana e Chinesa são virtu-
ga do circuito ou da escala da civilização almente confluentes, deste modo prepa-
Os sete centros da civilização iniciando hierática estão associados assim como o rando o palco para a ascensão do mundo
com o Nilótico e continuando em direção “Si” precede o “Dó” na escala musical. medieval cosmopolita. Por volta de 0
leste, em volta do globo através do ôme- Neste caso, o retorno ao “Dó” representa P.A. (1945, Hiroshima), há uma con-
ga Nigeriano, para retornar de novo ao o começo da fase medieval da civiliza- fluência completa, talvez até uma mistu-
ponto alfa --- e a uma nova oitava --- no ção. ra caótica de todas as sete linhas ou cor-
pulso Nilótico, pode ser comparado às rentes. Isto representa a condição da in-
notas da escala musical. Por esta razão Observações à parte, os elementos do dustrialização global e representa o pon-
podemos falar também da oitava da civili- mapa são auto-evidentes. A escala de to culminante do processo da hominiza-
zação hierática. tempo em datas P.A. está à esquerda. A ção planetária --- o clímax da história.
parte de baixo do mapa representa a zo- Além desta linha, em um futuro não
Ver Mapa 21 na pré-histórica aborígene precedendo o muito distante, o estágio da pós-história
aparecimento da civilização hierática começa.
A imagem da oitava da civilização ad- agrícola urbana. As espirais indicam os
quire significado ou sentido adicional pontos-pulso geomagnéticos dos sete Ver Mapa 22
no mapa de fluxo geocronológico da ci- centros prístinos. Os nomes das maiores

63
De maneira a facilitar mais tarde a con- concorrente, seguindo ao lado do cres-
templação do fluxo geocronológico da cimento da civilização. Moderna: Índigo Esta vibração alta-
civilização, o mesmo mapa é providenci- mente refinada é profundamente intelec-
ado com uma codificação de cores que Fase Hierática: Amarelo, verde O ama- tual, poderosamente vasta na forma. To-
correspondem à escala cromática lida da relo representa a fase inicial brilhante, davia é a menos luminosa e mais escura
parte de baixo para a parte de cima. As luminosa, orientada para o sol e harmo- de todas as cores. Representa a pura in-
matizes cromáticas correspondem aos niosa da civilização hierática prístina. Ë telectualidade da ciência materialista e
tons vibratórios psicoculturais de cada o triunfo da luz, o jorro de número, me- da idade industrial. Como a primeira
uma das fases dos processo histórico. dida, estabilidade agrícola, equilíbrio fase da civilização genuinamente global,
Isto nos dá a seguinte chave: divino, presciência astronômica e geo- ela também simboliza o cumprimento do
mântica, regularidade artística e ordem processo da hominização planetária.
Fase Aborígene: Vermelho, laranja O científica. O verde significa a fase de
vermelho significa o impulso vital mais amadurecimento, a fase fecunda e ex- Fase Pós-histórica: Violeta, púrpura O
primário, o calor corporal e o fogo, a ba- pansiva da civilização hierática imperial violeta é ainda mais refinado do que o
se aborígene de toda a cultura humana. ou última civilização. Enquanto ela re- índigo, e enquanto o último é intelectual,
O vermelho é sangue, o aparecimento da presenta uma fase madura e profunda o violeta representa uma vibração psí-
cultura e da energia da vida. É comple- do hierático, existe também uma certa quica e espiritual ainda mais intensa. Sua
tamente aborígene, passional, nômade. negligência, rapidez e excesso de confi- luminosidade é um antídoto necessário
O laranja representa a estabilização do ança. para as profundezas escuras do índigo.
estilo de vida aborígene, a têmpera do Contendo um elemento de vermelho em
fogo. Embora ele ainda signifique calor, Fase Medieval: Azul Este é o azul ver- si também, o violeta aponta para uma
é menos passional e mais conservador dadeiro, a cor do céu puro e sem nuvens fase de reintegração e de síntese, por esta
que o vermelho. Como a fase aborígene de um dia de outubro. É celestial, ama- razão ele indica o advento da síntese ra-
sedentária, o laranja é regenerador e re- durecida espiritualmente, criteriosa e diossônica.
presenta a cultura estável protótipo da compreensiva, mística e sintetizadora.
qual a civilização propriamente dita po- Simboliza perfeitamente o idealismo es- O púrpura, contendo mais ou menos
deria nascer. Também é historicamente piritual renovado e revigorado da era misturas iguais de vermelho primal e de
medieval. azul intelectual, representa a fase de pla-

64
netização genuína da consciência, uma ção para a qual a lógica da equação ho- rente da civilização também são resso-
qualidade de percepção altamente intui- lonômica aponta inexoravelmente. nantes com o campo eletromagnético, o
tiva e de discernimento em relação às elemento céu da equação holonômica.
leis da natureza e da posição do planeta Ver Mapa 23 De fato, o fator da civilização em resso-
na comunidade galáctica --- verdadeira- As oitavas musicais e cromáticas estru- nância com os campos geomagnético e
mente holonômica. turalmente inerentes, não somente enri- eletromagnético nada mais é do que a
quecem nossa perspectiva sobre a pulsa- dinâmica biopsíquica que forma o banco
Além do céu púrpura do futuro pós- ção geomântica/biopsíquica da civiliza- psi, o terceiro termo na revelação global
histórico holonômico estende-se o arco- ção, mas, através de sua natureza intrin- da equação holonômica. Enquanto co-
íris planetário, um ser guardião celestial. secamente harmônica, ajuda-nos a come- meçamos a seguir o fluxo da história
Ao mesmo tempo que representa as ser- çar a entender o aparecimento da civili- como uma função da harmônica magné-
pentes e dragões do arco-íris, guardiões zação e da propagação do homem como tica ressonante, podemos então começar
dos lugares e cavernas sagradas da civi- aspectos de uma harmônica global maior a construir um mapa do banco psi como
lização hierática e antiga, o guardião do --- a própria equação holonômica. um mecanismo guiando a evolução psi-
arco-íris sempre esteve conosco. Como o cocultural do homem.
banco psi que ele simboliza, seu padrão Com estas considerações podemos voltar
cromático sempre nos acenou para pre- novamente à relação entre a estrutura O ponto inicial da construção da história
encher nosso potencial. Como o símbolo geomagnética da Terra --- placas tectôni- confluente/mapa do banco psi é a longi-
da realização, bem-aventurança e con- cas --- e a corrente da civilização, o fluxo tude hierática zero. A partir desta linha,
clusão, ela representa a “condição final” natural que conecta os diferentes pulsos o globo é dividido em seções de noventa
para que a humanidade esteja totalmente em sua ordem geocronológica. Vemos graus, ou quatro divisões longitudinais
sintonizada e operando de acordo com o que a própria civilização, a matriz da que vão de pólo a pólo. Todavia, desde
espectro das energias do meio ambiente. história, é um desenvolvimento harmô- que o fluxo magnético é invertido nos
Tal expressão sugere uma sinestesia nico ressonante com o campo das placas pólos, o ponto central equatorial propor-
completa, uma condição de sinestesia tectônicas. Recordando que estamos li- ciona a maior divisão latitudinal. Como
planetária completa quase impensável dando com as elaborações de um modelo sabemos, as estações, ao norte e ao sul da
nos dias de hoje. Todavia é uma condi- de campo ressonante, podemos também linha equatorial, são invertidas. Combi-
concluir que o padrão da história e a cor- nadas com a divisão de noventa graus

65
longitudinal, temos agora uma divisão vo exibindo um exemplo da dinâmica
do globo de oito partes em placas de cósmica, a polaridade cruzada. Ver Mapa 24
memória do banco psi sazonal. Elas são O padrão básico da corrente de civiliza-
referidas como placas de memória em de- Na zona ártica do hemisfério norte estão ção e das placas do banco psi foi estabe-
ferência à função do banco psi como um indicados os kua do I Ching no Fu Shi ou lecido com o aparecimento e floresci-
mecanismo guia. Da mesma maneira que celestial, o arranjo prematuro do céu, mento da civilização hierática a partir de
as estações seguem em um padrão natu- cada um deles separados por quarenta e seus sete pontos de pulso geomagnéti-
ral, de acordo com a relação holonômica cinco graus. Assim o yang absoluto está cos. Alcançando seu pico na conclusão
da Terra e do sol, assim também fazem associado com o solstício do verão, o yin do oitavo hierático, em algum lugar por
as estações do despontar da história de absoluto está associado com o inverno, volta de 2000 P.A., o mundo imperial da
acordo com um padrão holonômico ba- Li ou fogo com o equinócio da primave- última fase hierática começou a abrir
se. E da mesma maneira que as estações ra, e K’na, ou água, com o outono. caminho para o aparecimento de uma
exibem irregularidades devido à mu- nova fase psicocultural, a medieval cosmo-
dança dos padrões de tempo atmosféri- Correspondendo ao arranjo celestial no polita.
co, assim também exibe a história. hemisfério norte indicamos o arranjo
seqüencial temporal ou terrestre no he- A fase pós-hierática caracterizada pela
Assim, de um modo geomântico reno- misfério sul. As datas de acordo com os fundição das correntes civilizatórias na
vado, podemos identificar agora as divi- Kua, contudo, são aquelas referentes ao parte AfroEurasiana é caracterizada com
sões confluentes do fluxo civilizató- padrão solar no hemisfério norte. Como mais distinção pelo nascimento sem pre-
rio/banco psi do globo. Começando com está indicado por estas datas, o ano é cedentes de três forças espiritualmente
o zero hierático no hemisfério norte, mo- dividido em oito partes, os pontos medi- revigorantes: Budismo, Cristianismo e
vemo-nos da primavera através da placa anos entre os solstícios e os equinócios, Islamismo.
Eurasiana, através do verão na placa do significando os pontos iniciais germinais
Pacífico, outono na placa Norte Ameri- das estações. Assim vemos que a corren- Considerando os poderes transformado-
cana e finalmente através do inverno na te da civilização --- o fluxo da história --- res civilizatórios destas três forças, os
placa Atlântica, retornando de novo à está articulada cromática e ressonante- fundadores destas três religiões devem
longitude hierática zero. O padrão sul do mente e também de acordo com a época ser colocados entre as figuras mais influ-
equador é literalmente invertido, de no- ou estação. entes e inspiradoras da história humana.

66
As três figuras são: Senhor Gautama O que é mais importante na contempla- prova do poder e da superioridade da
Bhudha ou Sakyamuni Bhudha, 2500 ção deste mapa em particular é a obser- nova visão de mundo que emergia. Co-
P.A., Jesus Cristo, 2000 P.A. e Maomé o vação que, por todos os propósitos e in- mo resultado, as civilizações americanas
Profeta, 1400 P.A. Estas três religiões são tentos, a fase medieval psicocultural era passaram de uma zona hierática final
chamadas de cosmopolitas porque elas basicamente uma função ou atividade da para uma zona de sombra, nem medie-
não estavam baseadas em costumes ou divisão da primavera do norte da placa val nem moderna, conhecida como colo-
modos tribais ou geoculturais, mas ape- AfroEurasiana, por isso a designação, nialismo.
lavam para o indivíduo não importando “Complexo Cosmopolita Medieval, de
a cultura ou a raça. Por isso sua expan- Lindisfarne a Kyoto.” Do mesmo modo, na África, a mais nova
são e emprego como um meio cosmopo- e a última das pulsações hieráticas, a Ni-
lita para juntar os povos e as forças ante- Enquanto os pulsos civilizatórios da pla- geriana, tinha recém atingido a sua era
riormente separadas pelo isolacionismo ca AfroEurasiana tinham engendrado a prístina dourada quando as forças auto-
geográfico e pela ideologia cultural ou força cosmopolita do mundo medieval, transformadoras das fases medieval final
chauvinismo ( nacionalimo exagerado). com o Budismo se expandindo na placa e início da moderna aceleraram o pro-
do Pacífico e o Cristianismo e o Islamis- cesso psicocultural. O período dominado
Indicações gráficas do crescimento e da mo na placa do Atlântico, as civilizações pelo Benin na África Ocidental, 450 – 150
expansão das três religiões cosmopolitas da placa Americana foram experimen- P.A., correspondendo ao período Azteca
estão inseridas no contexto das placas do tando seu período de última síntese hie- e Inca na Mesoamérica e nos Andes, foi o
banco psi e das oito divisões sazonais. rática e imperialismo. último dos florescimentos hieráticos do
Aqui as quatro placas longitudinais re- segundo estágio. Quando Benin caiu, a
cebem então nomes geográficos: placa Por volta de 450 P.A., quando os euro- África, como as Américas Central e do
AfroEurasiana, graus 0 – 90; placa do peus alcançaram as zonas hieráticas Me- Sul, entraram na zona de sombra do co-
Pacífico, 90 – 180 graus; placa America- soamericanas e Andinas, a civilização lonialismo.
na, 180 – 270 graus, e placa do Atlântico, cristã medieval já tinha começado a sua
270 – 360 graus. Dentro destas placas, rápida transformação em direção da fase Enquanto a fase medieval passava, as
então, está o fluxo das divisões sazonais global-industrial moderna. De fato, a forças que produziam aquela fase não
em seu padrão de polaridade norte e sul. rápida conquista das civilizações Meso- passavam. Assim, o Cristianismo conse-
americana e Andina foi tomada como guiu uma última expansão planetária

67
proporcionada pelo aparecimento do essenciais como eles se manifestam no reversos” podem ser ligados às opera-
imperialismo global-industrial europeu. aparecimento dos pulsos hieráticos. As- ções da corrente CA. Considerando o
O Budismo, logo após o ponto catártico sim, o que vemos é um desenho grande e atual fluxo da civilização, seguindo a
de Hiroshima, começou a expandir-se simples, no qual podemos distinguir rotação da Terra, está conectado com a
pela primeira vez desde a sua consolida- primeiro uma alternação dos quadrantes corrente CA. Os fluxos CA reversos, re-
ção medieval no Tibete cerca de 700 P.A.. cheio e vazio do banco psi. lacionados como estão com o aparente
O fato de que esta fortaleza Tibetana te- movimento do sol e com a corrente de
nha finalmente entrado em colapso na Assim, a placa Afro -Eurasiana, conten- profecia e de visão, a partir do futuro até
década seguinte à Hiroshima, junto com do quatro dos sete pulsos civilizatórios, é o presente, podem ser entendidos como
o expansionismo tecnológico japonês, uma placa cheia. A placa do Pacífico, li- o processo pelo qual as unidades de in-
tem sido um fator de maior peso na ex- vre de quaisquer pulsos hieráticos, é formação psi ou psion (arquétipos) se
pansão Pan-Pacífica do Budismo na uma placa vazia. A placa Americana, movem em volta do mundo, semeando-
América do Norte, e também na Europa. contendo dois pulsos, é cheia. Além dis- se em diferentes pontos de pulsação geo-
Finalmente, em reação às políticas colo- so, esta placa contém o único pulso a sul magnéticos.
nialistas européias forçadas, o Islamismo do equador, o Andino, o qual na verda-
vem se expandindo de nova maneira, de ocorre na placa sazonal primaveril Lidando como estamos com um movi-
especialmente na África. sul. A pulsação binaria vertical das duas mento evolutivo no tempo, podemos
civilizações americanas podem ser con- observar certas correspondências entre
Ver Mapa 25 trastadas com o movimento horizontal as duas placas cheias, a Afro-Eurasiana e
das quatro pulsações Afro - Eurasianas. a Americana. Como já vimos, a onda hie-
Tendo estabelecido um campo mutua- A placa Atlântica, finalmente, é relati- rática inteira é iniciada pela Grande Pi-
mente ressonante entre a corrente da vamente vazia, salvo pelo aparecimento râmide do Egito. Em relação ao Egito, o
civilização, os campos magnéticos e o do inverno tardio do pulso Nigeriano. pulso Mesoamericano é o mais novo ou
banco psi, podemos agora ver mais cla- o mais próximo dos dois pulsos ameri-
ramente a estrutura do banco psi em re- Também indicado neste mapa chave do canos.
lação ao padrão da história. Neste mapa, fluxo da civilização são os “fluxos rever-
os elementos do fluxo civilizatório/psi sos” correndo contra o movimento geo- Mapa do Banco Psi Hierático também é
estão reduzidos aos seus fatores mais cronológico da civilização. Estes “fluxos um fluxograma temporal dividido em

68
estações de 1000 anos pora cada noventa civilização ao longo dos rios Huang-Ho e vilizatório brilhante cuja integridade não
graus, iniciando com o zero hierático. O Yang-tze. era para ser enfraquecida até o nascer da
resultado é um “ano hierático”, come- fase global-industrial. Ao longo do Pací-
çando em cerca de 6000 P.A. e terminan- A estação outonal do ano hierático, 4000 fico, nas Américas, a estação do inverno
do onde começou, em cerca de 2000 P.A. a 3000 P.A., viu o passar da idade dou- testemunhou o aparecimento preliminar
rada no Egito, e a verdadeira miscigena- dos pulsos hieráticos das civilizações
A zona da primavera, 6000 a 5000 P.A., ção dos pulsos civilizatórios Nilótico e Mesoamericana e Andina.
marca a ruptura de dois dos quatro pul- Mesopotâmico através da ascensão das
sos hieráticos da placa Afro-Eurasiana, o culturas Fenícia e Hebréia, assim inici- Durante o inverno do ano hierático, 3000
Nilótico e o Mesopotâmico, os quais no ando a longa luta sem descanso pela su- a 2000 P.A., o mundo egípcio perdeu o
final desta estação estão em movimento premacia no Oriente Médio. Junto com a seu vigor e foi substituído pelas ondas
dinástico completo. Verão hierático, 5000 entrada dos invasores bárbaros como os de Gregos curiosos, então pelos Roma-
a 4000 P.A., testemunhou o apogeu bri- Hititas e os Gregos, este período fomenta nos, artistas, filósofos, soldados e impe-
lhante da pirâmide do Egito, acompa- a ascendência do poder Babilônico, radores. A fase imperial da Mesopotâ-
nhado por um florescimento urbano e inaugurando o estágio imperial da civili- mia viu o triunfo das dinastias persas; e
estético sem precedentes. Na Mesopotâ- zação hierática. no total, o mundo do Atlântico até o Gol-
mia, as maiores mudanças de dinastia já fo Pérsico tornou-se mais violento, com
tinham estabelecido o posto de governo Na Europa, monumentos enigmáticos e cultos nascendo aqui e ali através de cor-
Akkad sobre os primeiros Sumerianos , projetados geomanticamente como Sto- rentes de ambição imperial.
enquanto que a cópia da pirâmide egíp- nehenge esperavam a chegada dos inva-
cia, a Ziggurat, estava em seu estágio sores como os Celtas. Para o leste, os in- A Índia Védica, já espiritualmente revi-
clássico. Mais para o leste, ao longo das vasores Arianos truncaram o processo gorada pelos ensinamentos do Senhor
margens dos Hindus, grandes centros civilizatório na Índia antes que o mesmo Bhudha e unificada pelo imperador
urbanos, mercantis e cerimoniais come- tenha alcançado a era dourada, então Ashoka, tinha se tornado o maior solo de
çavam a florescer, e na China, os cinco estabelecendo a civilização Védica in- semeadura das formas medievais e de
imperadores lendários prepararam a termediária. Na China, porém, o outono pensamento, enquanto a China era ela
base para um aparecimento completo da hierático marcou o aparecimento da Ca- própria atravessada pela ascensão dos
sa de Shang e o começo de um curso ci- filósofos e mercadores imperiais de favo-

69
res, desde os estágios prístinos até os sua conclusão em contrapartida, igual- quatro estações de quinhentos anos. A
estágios imperiais da civilização hieráti- mente sobrecarregada de significado razão para as estações mais curtas do
ca, todas elas resumidas pela construção calêndrio, é a Pirâmide do Sol em Teoti- ano pós-hierático pode ser encontrada na
do símbolo monumental de orgulho e huacan, “o lugar onde os deuses tocam aceleração do processo de informação e
ambição imperiais, a Grande Muralha ( a Terra.” de comunicação, o qual é uma função
2200 P.A. ). direta da elaboração psicossensória ace-
Ver Mapa 26 lerada que caracteriza as fases medieval
Embora o inverno marque os estágios e moderna do processo histórico. O re-
finais dos pulsos hieráticos na placa sultado é uma compressão psíquica ou
AfroEurasiana, na placa Americana foi o Aqui, como com o mapa precedente, o mesmo real do tempo.
período de crescimento e aparecimento fluxo da civilização foi reduzido aos seus
vigorosos, enquanto na Nigéria viu-se o movimentos essenciais dentro de uma O ano pós-hierático inicia-se uma oitava
aparecimento do estilo cultural mais simples estrutura básica das oito ( 4x2 ) acima do ano hierático à zero de longi-
primitivo, o Nok. Nos Andes, a fase cul- placas sazonais do banco psi. Conside- tude. Ista marca o começo do período da
tural Chavin abriu caminho para os rando que o mapa anterior mostrava o primavera medieval, indo de 2000 P.A.
Nazca e os Paracas, e finalmente para os ano hierático com os seus fluxos AC até 1500 P.A. Durante o nascimento, vida
misteriosos construtores de Tiahuanaco. principal e CA subdominante entre 6000 e ensinamentos do Senhor Bhudha, a
Na Mesoamérica, os Olmecas pavimen- e 2000 P.A., este mapa descreve o mundo primeira figura cosmopolita, ocorrido
taram o caminho para os estágios mais pós-hierático. Estão incluídos os movi- cerca de quinhentos anos antes, tal even-
brilhantes da cultura americana, os Ma- mentos principais das três religiões cos- to poderia parecer uma anomalia não
yas e os Teotihuacans. Enquanto os Ma- mopolitas, indicações dos florescimentos fosse pelo aparecimento de uma Segun-
yas eram excelentes na matemática e as- tardios nos pulsos Mesoamericano, An- da figura, o Cristo. Assim é que a prima-
tronomia, foram os Teotihuacans que dino e Nigeriano, e a expansão do impe- vera pós-hierática aparece exatamente
justamente colocaram um fim no ano rialismo global-industrial europeu. uma oitava acima de onde o ano hieráti-
hierático com a construção da Pirâmide co começou. No término deste período,
do Sol. Se a onda hierática e o ciclo Enquanto o ano hierático pode ser divi- cerca de 1500 P.A., o budismo tinha se
“anual” marcados pela sua iniciação com dido em quatro estações de 1000 anos, o expandido por toda a Índia, Ásia Central
a Grande Pirâmide em Giza no Egito, ano pós-hierático pode ser dividido em e Setentrional, também penetrando for-

70
temente na China hierática. O Cristia- O outono pós-hierático, 1000 a 500 P.A., lução, guerras coloniais por independên-
nismo neste meio tempo iniciara a sua presenciou o clímax glorioso da civiliza- cia e a contra revolução socialista-
consolidação no velho Mediterrâneo Ni- ção medieval na China, Tibete, Japão, o comunista e a indústria de guerrilha que
lótico/Romano, um braço oriental estabe- Oriente Médio Islâmico e na Europa Gó- tem dividido a ordem mundial desde
lecido na Grécia, um braço ocidental tica. Nas Américas, na mesma época, então. O ponto culminante do processo
apontando em direção ás áreas centrais houve uma ruptura do antigo esplendor impetuoso da industrialização global e a
bárbaras da Europa Ocidental. imperial hierático na ascensão dos impé- hominização conseqüente do planeta
rios Aztecas e Incas, enquanto na Nigé- ocorreu em Hiroshima quando a matéria
Durante o verão pós-hierático, governa- ria, o florescer maravilhoso dos Yoruba pura da matéria foi penetrada, liberando
do pela placa do Pacífico entre 1500 e expressava o resumo final do idealismo a terrível visão luminosa do alfa e do
1000 P.A., o Budismo tinha alcançado o hierático nas fundições de bronze de Ife ômega de todas as coisas. É nas cinzas de
Japão, e estava começando a sua conso- e Benin. Hiroshima que nós podemos começar a
lidação medieval no Tibete. A última das encontrar as sementes da visão pós-
três grandes figuras, Muhammed o Pro- O solstício de inverno pós-hierático 500 histórica.
feta, tinha proferido a sua palavra, e no P.A., sinaliza a transformação dramática
final deste período o Islamismo, uma do pulso psicocultural medieval em pul- Ver Mapa 27
nova civilização sintetizada há pouco sação moderna/global-industrial. Dentro
tempo, tinha transformado brilhante- de trezentos anos, até cerca de 200 – 150 Neste mapa conclusivo da Parte III da
mente as antigas áreas centrais das civi- P.A., as colônias européias para a aquisi- equação holonômica --- “Homem Trans-
lizações da Mesopotâmia e da região do ção de mercadorias de matéria prima forma a Natureza”, retornamos ao mo-
Nilo. Nas Américas, este período marcou tinham todas colocado um término nas delo holonômico da Terra e seu campo
o término da idade de ouro da civiliza- tradições hieráticas ou medievais antigas eletromagnético. Aqui as quatro placas e
ção hierática, embora na Nigéria, ainda ao redor do mundo. Durante esta época, sua divisão em oito partes sazonais são
neste período, tenha sido visto o apare- a mais importante destas três colônias, a representadas em sua verdadeira ou atu-
cimento da última flor invernal do colônia Norte Americana, desvencilhou- al relação esférica ressonante com a Ter-
Ife/Yoruba. se do jugo europeu e estabeleceu a pri- ra e seu campo magnético.
meira democracia industrial. Este acon-
tecimento engendrou o padrão da revo-

71
O mapa mais detalhado à esquerda re- Como vimos, o que nos referimos como
presenta ou descreve o fluxo da civiliza- história é na verdade uma função de
ção dentro do contexto das principais uma harmônica global integradora mui-
divisões longitudinais, as placas to mais ampla. O fator guia desta har-
AfroEurasiana, a do Pacífico, a America- mônica histórica é o banco psi com as
na e a Atlântica, e sua divisão quádrupla suas placas de recordação holonômica.
correspondente no banco psi, localizado Cada uma destas placas podem ser pre-
dentro dos cintos de radiação. As placas vistas como nível transportador e/ou
atuais do banco psi são referidas como detentores de informação de maneira
as placas de recordação holonômica, en- simultânea que conectam os estágios do
quanto as suas placas geográficas equi- crescimento sazonal orgânico/cíclico;
valentes correspondentes são referidas informação geocultural --- psions --- e
como as placas de memória do campo de também informação referente aos está-
ressonância sazonal psi. Também indi- gios sucessivos e cumulativos do proces-
cadas no mapa do lado esquerdo estão so psicocultural --- a própria história.
as posições geográficas correspondentes
ao arranjo temporal ou seqüencial dos Tudo isto nos leva ao estudo da história
kua do I Ching, iniciando com o equinó- como um subcampo geológico em um
cio da primavera, hemisfério norte, ao estudo geral da harmônica psicoatmosfé-
longo da longitude zero hierática. No rica do modo que é monitorada pelo fa-
diagrama à direita, que mostra mais tor guia, o banco psi. Assim, de modo a
completa e simplesmente a relação da melhor entender e avaliar “o que aconte-
Terra com os campos eletromagnéticos e ceu na história”, seria preferível compre-
com o banco psi, os kua estão arranjados ender primeiro a função, a estrutura e a
em sua relação primitiva ou celesti- natureza guia, do próprio banco psi.
al/eletromagnética de um com os outros.
Ver Mapa - 28

72
IV: A Natureza
Avalia a Transformação do Homem

73
74
Prelúdio: a ordem, sempre foi muito mais ampla, do banco psi. Aprendendo mais uma vez
O Banco Psi muito maior do que qualquer ser huma- com o que é apresentado, avançamos até
e o Código no ou mesmo um grupo de seres huma- a condição de pós-história, a síntese da
da História nos pudesse prever. O mesmo é verdade cultura humana e da ordem natural, a
para o momento atual, o final da histó- planetização da consciência.
Tendo visto que a transformação da na- ria.
tureza do homem nada mais é do que o Até agora vimos como o fluxo natural
processo de avanço da civilização, histó- Se dissermos que está além da vontade das estações, em conjunto com a estrutu-
ria, alcançamos aquele momento --- cer- de uma única pessoa ou de um grupo de ra geomagnética da Terra e com os cam-
ca de quatro décadas após o início da era pessoas determinar “para onde nós es- pos eletromagnéticos dos céus, descreve
atômica – quando podemos declarar que tamos indo”, isto não quer dizer que não tanto o campo psicocultural da civiliza-
o propósito da história foi cumprido: a haja qualquer direção ou propósito. Na ção quanto a estrutura básica do banco
expansão do homem, a hominização do lógica da holonomia o propósito já está psi. Também vimos como a progressão
planeta, o estabelecimento do atual sis- providenciado na ordem natural --- a da civilização ( história ) através dos es-
tema eletro-nervoso global --- e os meios sagrada --- das coisas. A civilização co- tágios hieráticos e pós-hieráticos é uma
para a total destruição --- todos foram mo um fenômeno global foi engendrada co-criação orgânica do padrão da matriz
alcançados. Precisamos então perguntar: pelas condições naturais do planeta co- básica do banco psi.
O que vem depois? Para onde vamos? mo um campo já unificado porém em
evolução. A história tem sido nada além Em sua essência, o banco psi consiste de
Antes que tentemos responder a pergun- do meio termo de uma equação necessi- quatro placas de memória holonômicas
ta, devemos considerar o seguinte: a civi- tando de um organismo biopsíquico ple- longitudinais, equatorialmente dividida-
lização não foi nem teve um planejamen- namente consciente --- o homem --- para em oito placas sazonal. Isto nos dá o de-
to calculado; a história nunca teve uma cumprir o imperativo uma vez inconsci- senho total básico. Deve ser relembrado
estratégia. Todavia há um propósito em ente do destino planetário. que a trama do banco psi (Mapa 1) con-
tudo o que tem acontecido; em cada coi- siste também de um padrão longitudinal
sa conseguida há um sentido de alguma Alcançamos então o ponto final da histó- quádruplo, correspondendo ao pa-
espécie de ordem, de uma direção para a ria, e a natureza providencia a avaliação. drão/imagem na qual chegamos agora
qual tudo foi apontado. Mas o propósito, Esta avaliação é a articulação consciente seguindo o curso da história. Então ve-

75
mos que o fluxo geocronológico da civi- Nos estudos atmosféricos, estas zonas em adição ao fato de possuírem o esto-
lização, seguindo lateralmente, propor- adquirem o nome de “folhas”. que de informação que pode ser precipi-
ciona a trama ou linha da textura básica tado biopsicologicamente (por isso o
para o banco psi. A expressão “membrana nimbóide psiô- termo “nimbóide) representam as carac-
nica” tem o seguinte significado: alta terísticas gerais que moderam e contro-
Articulação adicional é providenciada saturação, produtor-de-informação psi, lam as condições psicoculturais.
para o banco psi quando dividimos cada padrões de “tempo atmosférico” biopsí-
uma das oito placas de memória sazonal quico. Codificados nestas membranas Não há necessariamente uma correspon-
em três partes cada uma, para um total estão os padrões fundamentais de me- dência de um-para-um entre a membra-
de vinte e quatro seções de membranas mória genética de todo o processo de na psiônica e a geografia. Ao contrário,
nimbóides psiônicas. Nimbóide refere-se recordação holonômica --- aqueles pa- podemos falar de direções ou tendências
aos fenômenos produtores de precipita- drões responsáveis, por exemplo, pelo de correntes CA e AC. A tendência CA é
ção, como as nuvens. As divisões da código idêntico do I Ching e do DNA. para fluir da direção do pólo magnético
membrana nimbóide, ocorrendo nas lati- em direção ao equador; a tendência AC é
tudes trinta e seis graus norte e sul, cor- Em nossa discussão da correspondência para fluir no caminho contrário. Assim
respondem aos estudos atmosféricos atmosférica, podemos falar das psicopau- pode ser visto na estrutura de vinte e
para as tropopausas. sas, e de folhas hieráticas e de folhas xa- quatro partes das membranas psiônicas,
manicas/aborígenes. Da mesma maneira oito folhas são polares ou aboríge-
A função da tropopausa é a geração das como as correntes a jato causam mudan- ne/xamânicas, oito são puramente hierá-
correntes a jato responsáveis pelas dra- ças dramáticas no padrão de tempo da ticas ou equatoriais. As oito restantes, as
máticas alterações nos padrões de tem- atmosfera mais baixa, assim também as folhas extrahieráticas, significam as zo-
po. Ao norte e ao sul das latitudes de psicopausas podem ser vistas como as nas temperadas do desenvolvimento
sessenta graus ficam as zonas ártica e zonas onde as principais frentes do tem- psicocultural, isto é zonas onde a polari-
antártica, do mesmo modo que as áreas po psicoatmosférico são geradas. Estas dade cruzada essencial das correntes
entre as latitudes de trinta graus são as são de dois tipos: a xamânica ou aborí- CA/AC opera.
zonas geralmente tropicais. Entre as tro- gene e a hierática, isto é ou da corrente
popausas ficam as zonas temperadas. CA (xamânica) ou da corrente AC (hierá- Ver Mapa 29
tica). As folhas ou membranas psiônicas,

76
Como uma expressão de ressonância os seus próprios ciclos orgânicos inter- Movendo-se em pares binários, come-
com os fatores mais rarefeitos da atmos- nos intrínsecos. O mais significante des- çando nas latitudes trinta graus norte e
fera terrestre, a estrutura da membrana tes ciclos, cujos padrões têm um efeito sul do equador solar, uma mancha é car-
psiônica de vinte e quatro partes do ban- real e visível sobre nós, são os assim regada positivamente, e a outra negati-
co psi reflete o padrão codificador da chamados ciclos das manchas solares. O vamente. Dentro de um período médio
Terra, o campo gravitacional do modelo movimento destas manchas magnéticas, de 11,3 anos, estas duas manchas binari-
holonômico. Funcionando dentro dos o qual continua incessantemente, produz as pulsam vagarosamente no seu interior
dois cintos de radiação do campo ele- efeitos eletromagnéticos cumulativos até que elas se encontram no equador
tromagnético, o banco psi também é res- sobre o cinto de radiação expressado solar. Quando este encontro acontece, há
sonantemente determinado por fatores periodicamente na atmosfera superior um sobressalto, a polaridade é ligada, e
extraterrestres, o mais importante, o sol. como as auroras, e na atmosfera baixa as manchas --- agora em posições opos-
como rupturas das ondas de rádio. tas --- começam o seu movimento em
Como a fonte e o sustento da vida, o sol trinta graus norte e sul através de um
é tão obviamente fundamental para a Dado o princípio holonômico de resso- outro ciclo aproximado de 11,3 anos.
nossa existência que sua influência real é nância mútua, podemos estar certos de
facilmente negligenciada, especialmente que existem conexões entre as variações Embora o ciclo completo tenha cerca de
quando o processo de elaboração psicos- do sol, os cintos de radiação e a atmosfe- 22,6 anos, é nos pontos de 11,3 anos de
sensória torna-se o principal fator condi- ra, e o banco psi. A imagem do lado es- polaridade cruzada que os efeitos das
cionante de nossa experiência. Culto ao querdo representa ou descreve a órbita manchas solares atingem o máximo efei-
sol, que caracterizou tão universalmente solar dividida como o banco psi em lati- to no campo magnético da Terra e na
o estágio hierático prístino da civiliza- tudes de trinta graus. Dentro desta órbita atmosfera superior. Enquanto o ciclo
ção, não foi um ato terrível e supersticio- está uma descrição gráfica do movimen- segue o seu curso, o cinto de radiação
so, mas um ato baseado na percepção e to das manchas solares em sua periodi- exterior torna-se saturado com elétrons
na experiência significativas do papel cidade cíclica. O que é realmente notável negativos solares. Correspondendo ao
que o sol tem em relação à Terra. e surpreendente é que o movimento total momento da polaridade cruzada, o cinto
das manchas solares é um espelho per- exterior super-saturado derrama enorme
Como sabemos, o sol também é uma es- feito da dinâmica cósmica, o padrão bi- quantidade de radiação solar sobre a
trela, uma caldeira sólida de energia com nário da polaridade cruzada. Terra. O efeito mais visível desta sincro-

77
nização solar-terrestre única é a manifes- ria as pulsações binarias ressonantes e é pulsação da atividade do ciclo de man-
tação da aurora boreal e da aurora aus- o receptor direto das precipitações psi cha solar quanto a textura da urdidura
tral na vizinhança dos pólos magnéticos correspondentes e dos inícios de salto do banco psi.
norte e sul respectivamente. auroreal biopsíquico periódico.
Ver Mapa 30
O diagrama do lado direito mostra o Isto aponta diretamente para os gêmeos
banco psi sobreposto sobre a Terra, com hieráticos binários, os pulsos civilizató- Os Mayas e seu kin Mesoamericano,
as notações do calendário Maya no cam- rios Mesoamericano e Andino. Entre os através de harmonização precisa e da
po magnético. Traduzido em termos ter- Mayas, o norte do equador, a ferramenta devoção ao sol e aos ciclos celestiais rela-
restres, a inversão do ciclo das manchas desenvolvida para a gravação da pulsa- cionados, representam a correspondên-
solares de 11,3 anos representa um salto ção binaria das manchas do sol era o ca- cia terrestre a um único movimento da
da folha tropical/hierática para a zona lendário sagrado, com seus ciclos de tre- mancha solar, que é o movimento do
ártica/xamânica. Psicoculturamente, este ze unidades repetidas vinte vezes para norte equatorial. Como as manchas sola-
acontecimento corresponde a uma infu- um total de 260 dias. Dezesseis destes res são binarias, operando dentro de lati-
são das correntes CA xamânicass dentro ciclos do Tzolkin englobam um período tudes de trinta graus norte e sul do
das zonas temperadas em troca de um de 11,3 anos, o tempo para que um ciclo equador então devemos antecipar um
avanço das correntes AC hieráticas. Em- de mancha solar binário maior se com- calendário solar bipolar complementar
bora tal troca, eqüivalendo a uma aurora plete. As pulsações de cada uma das do equador terrestre correspondendo ao
biopsíquica, pode continuar sem ser de- manchas binarias responderia por oito movimento da mancha solar sul.
tectada, temos indícios ressonantes partes do Tzolkin, o mesmo número do
apontando para o fato de que tais ocor- Tzolkin que engloba a trama do banco Este calendário solar equatorial sul é pa-
rências poderiam ter sido monitoradas e psi (Mapa 1). A partir desta informação, ra ser encontrado no Portão do Sol, o
reguladas nos estágios iniciais da histó- é possível concluir que os Mayas, especi- aspecto principal do lugar agora conhe-
ria, quando o conhecimento através da alistas em fazer calendários, adoradores cido como Tihuanaco, a misteriosa regi-
harmonização ainda era um hábito do- do sol por excelência, ao imaginar ou ão elevada dos Andes. Como o calendá-
minante. Um pulso civilizatório operan- planejar o calendário para quaisquer rio de 260 dias do pulso civilizatório Me-
do na folha tropical/hierática, isto é, den- propósitos, estavam na verdade gravan- soamericano, o local monumental talha-
tro de trinta graus do equador, localiza- do em formato de código binário tanto a do em pedra de Tihuanaco tem há muito

78
tempo confundido e mistificado os ar- disso, perfeitamente simétrica. Por reco- somente pelo fato de que ele é o monu-
queólogos, fazendo nascer numerosas nhecimento comum, as gravações na mento mais memorável da civilização
teorias fantásticas. A razão principal pa- pedra representam um calendário. Como Andina, o único pulso hierático ao sul do
ra o mistério é a altitude deste lugar. A vemos neste mapa, há uma monumental equador.
12.596 pés acima do nível do mar, Ti- figura central, freqüentemente identifi-
huanaco é único entre os esforços arqui- cada como o herói da cultura da divin- É precisamente este aspecto polar do sul
tetônicos do homem. Pouca coisa cresce dade-criadora-solar, Kon Tiki Viracocha, que é importante para este mapa. Inte-
a esta altitude, assim a idéia de que Ti- segurando dois cetros serpente-condor. grado com o Tzolkin dos Mayas, seis
huanaco era um centro urbano na exata Ele está de pé sobre um pedestal bilate- colunas cada, as quais estão em ambos
acepção da palavra apresenta problemas. ral condor/puma/serpente que eleva-se os lados da figura central de Tihuanaco,
acima de uma faixa serpeante horizontal os dois calendários podem ser entendi-
Todavia, se considerarmos Tihuanaco cujas voltas envolvem onze cabeças, bas- dos como uma única matriz de calendá-
como um centro hierático de pesquisa tante similares à cabeça da figura princi- rio bipolar refletindo as pulsações cícli-
solar, então sua altitude tem mais senti- pal. A forma de movimentos serpentina cas do sol e os seus movimentos binários
do. A altitude, para uma era que prece- é uma variante da serpente emplumada de mancha solar.
deu os satélites e os foguetes tripulados, celestial, com as duplas cabeças de con-
é perfeita para a investigação solar, par- dor em ambos os lados. As duas figuras Enquanto o calendário Maya apresenta
ticularmente se a ferramenta principal de soprando trompete encerradas em cada as repetições elementares das treze uni-
estudo fosse o organismo humano, fi- lado são freqüentemente interpretadas dades em ciclos de vinte, o calendário de
namente harmonizado. Os resultados como representações dos solstícios, Tihuanaco enfatiza o padrão rítmico
das investigações solares de altitude ele- anunciando os pontos de volta do sol. As mais amplo de treze. Embora composto
vada estão esculpidos no Portão monolí- onze pequenas figuras ao lado da déci- de doze unidades principais, o número
tico do Sol, o monumento artísti- ma segunda figura maior são normal- central vale tanto para um quanto para
co/científico mais resistente da civiliza- mente interpretadas como significando treze, alfa e ômega. Lendo abaixo deste
ção Andina. os doze meses solares. Quaisquer que número principal para a esquerda temos
sejam as particularidades da interpreta- o solstício, ao alternar as unidades nú-
A informação apresentada no Portão do ção, o calendário do Portão do Sol em meros dois, três e quatro. Retornando de
Sol é extremamente sintetizada e é, além Tihuanaco é singular, mesmo que seja maneira alternada estão os números cin-

79
co até nove, chegando ao próximo nú- ros chave primários sete e treze “combi- relações entre a atividade solar e a rela-
mero de solstício, dez. O retorno final nam-se” com as figuras de progressão ção equatorial/polar que serve de base
com os números onze e doze traz-nos de binaria e com seus múltiplos, incluindo para a estrutura tanto do campo eletro-
novo ao número Viracocha maior, treze. dois, quatro, oito, doze e dezesseis. magnético ( cintos de radiação ) quanto
do banco psi.
Deve ser observado que a sétima figura Ver Mapa 31
está diretamente abaixo da figura central Historicamente, a próxima ligação vem
do alfa e do ômega, significando os nú- A matriz bipolar do calendário do banco de Benjamin Franklin e do quadrado
meros 1 a 13. O eixo central deste modo, psi descreve o código regulador do cru- mágico de 8. Quando consideramos o
corresponde à coluna mística, a sétima zamento da mancha solar binaria equa- papel importante de Franklin no estabe-
das treze colunas do calendário Maya, torial e a atividade polar conseqüente lecimento da democracia industrial da
que nós vemos a deslizar atrás da cabeça manifestada como autora, considerada América ---- “Nova Atlântida” de Fran-
da figura central de Tihuanaco. Como a como um fenômeno unificado e único. O cis Bacon --- e que Franklin foi o primei-
figura solar central representa do 1 até o resultado é o código holonômico do ro Grande Mestre da primeira ordem
13, estes dois números estão bem no cen- tempo, um efeito que não podia ser pre- dos Maçons Livres místicos estabeleci-
tro da coluna mística. Na matriz do ca- visto nem afirmado nem pelos Mayas dos na América do Norte, sem mencio-
lendário bipolar somente treze unidades nem pelos Tihuanacos sozinhos. Isto não nar o seu interesse em eletricidade e ele-
da coluna mística são visíveis, as outras quer dizer, todavia, que o seu trabalho tromagnetismo, não é de surpreender
sete estão dentro da figura solar central. não ocorria em conjunção biopsíquica, já que o quadrado mágico de 8 com o pulso
que a construção de Tiahuanaco e a ida- de 260 tenha chegado até ele.
Finalmente, já que ele contém a matriz a de de ouro da matemática e da astrono-
partir da qual o triplete binário e a pola- mia dos Mayas eram coincidentes --- Dada a natureza da matriz do calendário
ridade cruzada são derivadas, o calendá- 2000 a 1200 P.A. bipolar e sua chave para o número 260,
rio bipolar serve como uma descrição também é importante observar que o
integral do código holonômico do tem- Ao se considerar a estrutura do banco próprio Franklin supôs que a aurora bo-
po. O que este calendário bipolar tam- psi, deve-se ter como fator vital o fato de real era o resultado do ar tropical eletri-
bém demonstra de uma maneira com- que os Mayas e os Tihuanacos estavam ficado levado até o pólo norte, ficando
preensível é o modo pelo qual os núme- monitorando psicomatematicamente as então visível como luz no vácuo acima

80
do pólo. gitudinais, oito folhas sazonais e vinte e Finalmente, em consideração à posição
quatro membranas nimbóides psiônicas. histórica inestimável de Franklin como
Apresentamos de novo aqui o quadrado O quadrado mágico de 8 também con- uma varinha relâmpago do banco psi,
mágico de 8 de Franklin com as designa- tém o número do pulso 260, com sua devemos mencionar o Grande Selo dos
ções dos códons correspondentes do I base de 13, e se conecta adiante com a Estados Unidos inspirado nos maçons,
Ching/DNA considerando os vinte ami- matriz bipolar do calendário do banco em cujo projeto Franklin desempenhou
noácidos. Possuindo um pulso de 260 ( psi, o código holonômico do tempo. algum papel. Na descrição ou represen-
20 x 13 ), o número chave do Tzolkin, o tação tanto da grande pirâmide quanto
quadrado mágico proporciona uma liga- Se o Tzolkin ou Calendário Sagrado de da águia, o número 52 ( 13 x 4 ) engloba
ção entre os dois números globais chave, 260 unidades é a matriz chave para a a estrutura e o simbolismo básicos. Que
8 e 13, o número do oitavo, 8, e o número urdidura do banco psi, então a matriz de o 13 místico (13 listas da bandeira ameri-
da escala cromática, 13, contido dentro 64 unidades do quadrado mágico é um cana) apareça tão proeminentemente no
do oitavo. Como já vimos também, indício para a natureza da textura do selo oficial do baluarte do materialismo
(Mapa 8), o quadrado mágico de 8 tam- banco psi. Essencialmente, o número 13 industrial é um assunto que somente
bém possui em toda a sua estrutura a é a chave para o código vertical ou longi- pode provocar reflexão adicional sobre a
dinâmica da polaridade cruzada binaria. tudinal do banco psi, e o 8 é a chave para natureza da história e averiguação den-
Finalmente, consistido de oito folhas ou o código horizontal ou latitudinal. tro do próprio banco psi.
modelos de três partes cada, observamos Enquanto o 13 é um número primo irre-
que o quadrado mágico possui exata- dutível, o 8 é derivado de 2 e 4, e assim Ver Mapa 32
mente a mesma estrutura que o banco proporciona grande flexibilidade ao es-
psi com suas folhas e divisão bipolar de tar conectado a todos os múltiplos de 2 e Evidência da função latitudinal ou hori-
latitudes de trinta graus. 4. Nestes múltiplos estão incluídos os zontal do padrão de oito --- o quadrado
números 12, 16, 24, 32, 36, 48, 64, etc. As- mágico de oito como a matriz do banco
Assim descobrimos que o quadrado má- sim, vemos que a qualidade integral da psi --- torna-se totalmente manifesto
gico, além de proporcionar a estrutura matriz do calendário bipolar é derivada quando demonstramos o relacionamento
do número código para o I Ching/DNA, da combinação dos calendários de base básico dos números em relação seqüen-
também se adapta à estrutura global do 13 dos Mayas e o de base 12 ( 8 + 4, 3 x 4) cial. O que aparece é um padrão de sime-
banco psi com as suas quatro placas lon- dos Tihuanacos. tria perfeita sob qualquer aspecto, o mo-

81
delo da transformação psicocultural, o dades da matriz do banco psi divide –se consiste de duas correntes, uma delas
próprio circuito de recordação holonô- perfeitamente em oito sub-ondas distin- possuindo o padrão informativo de am-
mica. tas. O segundo aspecto é o processo to- bas as correntes. Isto corresponde ao
tal: os dois primeiros estágios são com- modelo superior, que contém tanto o
A divisão bilateral em hemisférios norte pletados na hemisfério superior, então os começo quanto o final ---- 1 e 64 ---- o
e sul é conseguida da seguinte maneira: próximos quatro englobam o hemisfério alfa e o ômega do processo. Também é
os números 1 até 8 e os números 9 até 16 sul, seguido pelo retorno ao hemisfério notável que o alfa e o ômega, começo e
formam claramente duas ondas distintas superior, onde as duas últimas ondas são fim, associados, estão bem próximos um
no hemisfério norte do circuito total. Um finalmente terminadas. Em outras pala- do outro. Dada a dinâmica do pulso bi-
cruzamento maior ocorre no hemisfério vras, temos um processo de três estágios nário da história, consistindo da intera-
sul, consistindo de quatro ondas-padrão completados dentro de dois padrões si- ção de duas correntes de processamento
distintas: dezessete até vinte e quatro, métricos --- o padrão triplo binário mais de informação, a CA (visionária corres-
vinte e cinco até trinta e duas, trinta e uma vez. pondendo à corrente primária do DNA)
três até quarenta e quarenta e uma até e a AC (derivativa/cumulativa) podemos
quarenta e oito. O cruzamento da qua- Tendo em mente que o padrão provi- definir o hemisfério superior ou norte
renta e oito a quarenta e nove comple- denciado pelos números é a matriz do como o modelo CA e o hemisfério sul
menta e reverte o fluxo que ocorre entre código genético e do I Ching, e também como o modelo AC. Dado que a corrente
a dezesseis e a dezessete. Também, no do campo global eletromagnético/banco AC é responsável pelo fenômeno conhe-
momento em que o padrão alcança a psi, todos integrados através da configu- cido como civilização e o processo da
quarenta e oito, a onda inteira do hemis- ração triplete binário primária com a sua própria história, podemos concluir que
fério sul é completada. O que se segue dinâmica --- a polaridade cruzada --- os estágios um até dezesseis (CA) cor-
então são os estágios penúltimo e último, podemos desenvolver uma descrição respondem ao estágio pré-histórico, os
padrão quarenta e nove até o cinqüenta e mais abrangente e compreensível deste estágios dezessete até quarenta e oito
seis, e o padrão final de cinqüenta e sete padrão como o modelo da transformação (AC), correspondem ao estágio da histó-
até sessenta e quatro. psicocultural. ria, e quarenta e nove até sessenta e qua-
tro (CA), correspondem ao estágio da
O que é claramente manifesto é que a Para iniciar, há a analogia da dupla héli- pós-história.
estrutura total de sessenta e quatro uni- ce do DNA. Como o DNA, este modelo

82
Como o kua de três partes do I Ching, 41 – 48 Global-industrial: o mundo holonomicamente, às duas metades do
esta divisão de três partes da história moderrno cérebro --- os dois hemisférios cerebrais
estende-se como oito ondas distintas, os juntos apenas por uma faixa estreita de
oito estágios da recordação holonômica, Pós-histórico material muscular, o corpus callosum ---
consistindo de sessenta e quatro kua, em 49 – 56 Radiossônico: tecnologia de parece apropriado referir-se aos dois
oito séries consecutivas de oito kua cada. fusão sensória ---- o futuro próximo. pontos de cruzamento do modelo de
A partir disto, vemos que o modelo su- 57 – 64 Holonômico: comunidade pro- transformação psicocultural por um no-
perior, o CA, é o modelo da pré- e da togaláctica, o futuro distante me similar: o corpus callosum da histó-
pós-história, e o inferior, é o modelo da ria.
própria história. Os oito estágios da re- Ver Mapa 33
cordação holonômica dividem-se no se- Correspondendo à longitude hierática
guinte arranjo: Em nossa breve consideração do modelo zero, o corpus callosum da história re-
de transformação psicocultural, vemos presenta os dois pontos críticos de cru-
Pré-Histórico que a “história” representa uma ruptura zamento na hominização do planeta--- a
1 – 8 Emergente Aborígene: o passado do padrão primal, completando no pa propagação do homem: a passagem para
distante dráo sul ou inferior o que era apenas a história, initiatio, e a passagem origina-
9 – 16 Produtivo Aborígene: o passado sugerido no modelo superior. Lembran- da da história, o retorno. Ë notável que os
próximo e aborígenes” historicamente do que a expansão da civilização e o pro- pontos alfa e omega também estão na
concorrentes, isto é, australianos, esqui- cesso da história são na verdade descri- mesma longitude que o corpus callosum
mós, etc. tivos da propagação do homem/ho- da história, a longitude hierática anunci-
minização do planeta, vemos que o re- ada ou representada pela Grande Pirâ-
Histórico torno ao modelo primário --- pós-história mide do Egito.
17 – 24 Hierático Prístino: as sete civili- --- é o estágio evolucionário inevitável
zações prístinas em seu desenvolvimen- que ocorre quando a hominização estiver O corpus callosum initiatio representa a
to emergente puro. completada. iniciação real da corrente AC, avanço
25 – 32 Hierático Imperial: o último está- civilizatório, e refere-se aos meios pelos
gio expansivo do mundo antigo. Já que os dois modelos exibem uma si- quais a hominização do planeta era para
33 – 40 Medieval Cosmopolita. milaridade genérica, ou mesmo genética ser conseguida fisicamente. Isto não é

83
para depreciar os elementos espirituais iminente da propagação biopsíquica ini- A seguir, mostra o trovão abaixo do sím-
desenvolvidos e aperfeiçoados durante o cia-se com o processo imperativo de cura bolo de uma massa de água, e de metal;
processo de hominização da história, restauradora --- portanto, recordação indica que o poder ativador agora está
mas meramente para apontar para o fato holonômica: a recuperação do sentido de no interior, as ferramentas e a atitude
de que a propagação do homem tinha se unidade e de totalidade --- ordem sagra- para alcançar o processo estão prontos e
tornado a princípio, através da difusão da --- da qual na realidade nós nunca nos do lado de fora; o trovão como o nascer
material da civilização, uma realidade separamos. do sol (leste) e o metal como o pôr-do-sol
física. (oeste) também indicam a visão do início
A realização de todo o processo é des- e do fim.
Uma vez que o processo de hominização crito na imagem do lado direito, o mode-
tenha sido completado, o modelo AC lo radiossônico, o padrão completo total. Enquanto o salto da pré-história para a
tecido completamente, o “final” da histó- Podemos ter um entendimento mais pre- história é conseguido em dois movimen-
ria é alcançado. Este é o significado do ciso do corpus callosum initiatio e retor- tos indo de um pólo para outro, o retor-
século XX. Com o cruzamento do corpus no a partir de uma breve leitura dos kua no requer quatro movimentos para tran-
callosum, o retorno, a verdadeira propa- ou hexagramas correspondentes aos sitar do pólo sul AC para o pólo norte
gação do homem pode iniciar. Este é o números 16 e 17, initiatio, e 47 até 50, re- CA.
significado do retorno do modelo CA, torno.
que está para começar. Hexagrama 47:
Hexagrama 16:
Tendo alcançado uma transformação Exaustão mostra a água vazando de um
física do planeta através da culminação Entusiasmo mostra trovão elevando-se da lago, o consumo da energia vital. Assim,
da intensidade material da industrializa- Terra, e representa música, ordem, mo- descreve a exaustão espiritual, a amnésia
ção, o custo tem sido alto: amnésia holo- vimento da massa para chegar a resulta- holonômica. Desde que a imagem supe-
nômica, perda do senso próprio de uni- dos importantes de uma maneira alta- rior também significa metal ou armas, e
dade, esquecimento se não ignorância do mente organizada ---- como convém ao a imagem inferior, significa perigo, os
fato que, embora o AC tenha sido com- início do atual processo educativo. kua apontam para uma situação militar
pletado, o CA ainda está para ser finali- ou hostil.
zado. Por causa desta perda, o processo Hexagrama 17:

84
Hexagrama 48: da propagação do homem, a consagra- O código inteiro é definido verticalmente
ção cósmica sem a qual o processo de por quatro estágios progressivos:
A Nascente. No início do retorno, a últi hominização teria sido um exercício sem 1) apresentação genética,
ma imagem do modelo AC descreve a sentido. Isto significa também o estágio 2) forma de aprendizagem,
necessidade de providenciar alimentação no qual o modelo radiossônico pode ser
3) aplicação/transformação, e
espiritual, que está sempre presente. implementado como base de uma nova
Também aponta para o fato de que você tecnologia. 4) síntese de avaliação.
não pode ir até a metade do caminho.
Ver Mapa - 34 Assim, embora cada um dos oito está-
Hexagrama 49: gios represente um único conjunto de
Estamos prontos agora para apresentar o circunstâncias formados acumuladamen-
Revolução ( Derretimento ). A primeira código da história como uma seqüência te a partir dos estágios precedentes, cada
imagem do outro lado transversal ao ordenada de transformação biopsíquica. estágio também pode ser analisado em
modelo CA descreve a revolução com- Cada uma das fileiras horizontais repre- termos do processo comum de quatro
pleta, organizando o calendário e escla- sentam, do topo para o fundo, um dos partes. Será observado que os estágios
recendo as estações. Esta é a revolução oito estágios da recordação holonômica, da análise vertical providenciados atra-
que funciona como o aspecto purifica- indicados ao longo do lado direito. No vés dos movimentos dos pares binários,
dor, de limpeza e restaurador da recor- lado esquerdo, estão indicados os três os quais também proporcionam a base
dação holonômica. estágios gerais marcados pelos movi- de definição em um processo progressi-
mentos de CA até AC e então de volta ao vo de quatro partes.
Hexagrama 50: modelo CA. Assim, as duas primeiras
fileiras representam o estágio pré- Para ajudar na contemplação e no estudo
Transformação ( Caldeirão ): O retorno ao histórico; as próximas quatro fileiras re- do código da história, estamos dando
modelo CA alcançado, a imagem da ma- presentam o atual estágio da história, e aqui uma breve definição dos quatro
deira pegando fogo significa a transição as duas fileiras finais representam o es- estágios verticais de análise. Derivada a
para as forças mais puras psíquica e es- tágio da pós-história. partir da descrição geomântica do pro-
piritualmente como fatores governantes cesso de “natureza-evolutiva --- homem-

85
transformando-se-em-natureza-mais- Enquanto o mapa anterior fornece uma to, uma mente queesteja totalmente livre
elevada”, esta fórmula de quatro ele- descrição bastante precisa para o código do ego e de egoísmo.
mentos continua como segue: da história através dos sessenta e quatro
estágios da linguagem binaria da trans- À margem do tempo
1) Apresentação Genética. O primeiro par formação biopsíquica e tem a intenção A chuva chega, nuvens flutuam no ar
binário de qualquer estágio re- presenta de ser um guia para estudo e meditação, Então se dissipam ----
a configuração material e informacional este mapa representa a seqüência no có-
Acima das montanhas, estrelas
básica que básico que precisa ser desen- digo mais simples e mais sintetizado da
volvida. Este par binário define e limita notação Maya. Além das estrelas
o estágio histrico em particular, todavia Dez milhões de sonhos
carrega dentro dele o potencial de todo o Ele é descrito como um padrão de cam- Irrompem através de uma malha
processo. po holonômico porque a seqüência da cristalina
biopsíquico e genético/histórico. Como Muito grande para ser medida ----
2) Modelo de Aprendizagem. Indica de um padrão de campo holonômico, ele é o
onde se deve aprender, como aprender, e notação classifica ou agrupa os modelos Ver mapa 36
o que esperar. código e a imagem de uma matriz que a
tudo engloba. O que nos parece realmen- Aqui está apresentada a trama ou textu-
3) Aplicação/transformação. Indica a te importante no momento atual é, fi- ra completa do banco-psi, o padrão ou
natureza do que realmente ocorre atra- nalmente, o ponto cintilante de um mo- modelo lateral de base 8 estendendo-se
vés da aplicação do que foi aprendido. 4) delo que é enorme e está além de qual- perpendicularmente à urdidura de base
Síntese de Avaliação. Indica os resultados quer escala que a mente poderia com- 13. Enquanto os quatro modelos ou pa-
preender, e contudo, é fantástica e humi- drões longitudinais da urdidura ou ur-
lhantemente simples. Onipresente, dume são ressonantes com a pulsação
4) da transformação e também as
transparente, mostrando-se em e através magnética solar binária, por esra razão
sementes preparatórias para o próximo
e todas as coisas, o modelo de campo sua base matriz é o Tzolkin---o calendá-
estágio de transformação.
holonômico requerer nada mais que uma rio Maya---a trama é ressonante com a
Ver Mapa – 35
condição para a sua compreensão: a pulsação biopsiquica/DNA binária, por
consciência livre de qualquer preconcei-

86
esta razão sua base matriz manifesta-se movimento de ordem polar para ordem original seja alcançado uma vez mais na
como o I Ching completa; isto é, enquanto o movimento décima terceira coluna. A sétima coluna
geral deste arranjo é no direção contrária deste arranjo, como no Tzolkin, é então a
Neste mapa, a seqüência de sessenta aos dos ponteiros do relógio, o movi- coluna mística que proporciona a chave
equatro kua ocorre em blocos de oito, mento t’ai ch’i segue no sentido dos pon- da formação em linha para tecer a urdi-
correspondendo aos oito estágios da re- teiros. O yin, ou CA, circunda na metade dura e a trama.
cor-responde aos oito estágios da recor- abaixo no lado direito, seu “olho” consis-
dação holonomica ou código da história. tindo de uma pulsação AC. O yang, ou O kua na coluna mística de cada um dos
As duas divisões laterais com quatro AC, circunda na parte de cima no lado oito blocos ou estágios da recordação
blocos cada correspondem ao modeloCA esquerdo, seu “olho” consistindo de uma holonômica proporciona informação crí-
superior ao modelo AC inferior. O pri- pulsação CA. tica adicional no que se refere à natureza
meiro estágio, aborígene emergente, está interior de cada um dos oito estágios da
acima à esquerda do centro, e o último O aspecto sem paralelo da trama do ban- história. Assim, para cada um dos quatro
estágio, holonômico, está ao lado dele, co psi é sem dúvida o modo no qual ca- conjuntos binários dos oito kua na colu-
acima e à direita do centro. Assim o mo- da um dos sessenta e quatro kua englo- na mística de cada um dos oito estágios
vimento inicia-se com o topo A (alfa) do bando o código da história seguem atra- da história, está escrito em notação Maya
centro e prossegue no sentido contrário vés de treze permutações. Como pode o estágio no qual o par binário pertence
ao dos ponteiros do relógio em forma de ser visto, os mesmos kua estão situados ou se origina. Ademais, cada um dos
giro até o ômega, bem acima a matriz de no início e no fim de cada fileira. A ma- quatro números derivados corresponde
trama inteira. Na linha do equador à es- neira de transformação é simples: come- aos quatro estágios da progressão geo-
querda está o corpus callosum initiatio, à çando com o lado esquerdo, cada linha é mântica. Isto nos dá uma leitura interior
direita, está o corpo callosum retorno. transformada em sua oposta binaria, do estágio histórico em particular. A par-
movendo-se para cima uma linha cada tir desta leitura interior determinamos se
Cada bloco de oito está dividido em qua- por coluna vertical. Assim, o kua dentro aquele estágio era conservador, progres-
tro estágios binários correspondendo aos da sétima coluna vertical é sempre o sivo ou retrógrado.
quatro estágios geomânticos de progres- oposto binário exato de sua forma origi-
são. O símbolo t’ai ch’i ou yin/yang é de- nal. O processo de mudança de uma li- O que se segue é uma leitura dos está-
rivado em um estilo que segue de um nha por coluna continua até que o kua gios históricos correspondentes da colu-

87
na interior de cada um dos oito estágios, reza básica do processo de hominização de “civilização/hominização/retorno”
e também uma avaliação qualitativa. histórica. O primeiro estágio, aborígene quanto o padrão ou modelo da serpente
emergente, por exemplo, é quase visio- emplumada, Quetzalcoatl/Kukulkan, da
1. Aborígene Emergente: 1, 7, 5, 2, Pro- nário, com o seu segundo conjunto biná- Mesoamérica antiga. Desde tempos idos,
gressivo rio, 49/50, correspondendo ao estágio de a serpente (representando a emergência
aprendizagem, saltando até o sétimo es- genética primária, poder e conhecimento
2. Aborígene Produtivo: 2, 2, 1, 2, Con- tágio ou estágio radiossônico pós-his- ) tem fascinado a imaginação humana de
servador tórico. Também bastante significante é o uma maneira bastante poderosa. Combi-
fato de que o estágio global-industrial nada de alguma maneira com pluma-
3. Hierático Prístino: 3, 5, 6, 6, Progres- sozinho é tanto progressivo em seu nú- gens ou atributos celestiais, a besta ras-
sivo cleo interior, quanto sem um conjunto teira terrestre é transformada em um
binário baseado em seu próprio estágio. dragão, simbolizando o trovão, energia
4. Hierático Imperial: 6, 4, 4, 6, Progres- Todos os outros estágios tem no mínimo elétrica, o poder de mudança e da pró-
sivo um conjunto binário representando o pria transformação. Finalmente, o arco-
próprio estágio. Isto leva em considera- íris, igualmente universal, sempre inspi-
5. Cosmopolita Religioso: 3, 1, 5, 5, Con- ção a natureza totalmente assíncrona do rou a mente com premonições de síntese
servador estágio atual ou estágio culminante do e de uma condição completa luminosa,
processo histórico, o qual, como temos desmaterializada, bem-aventurada do
6. Global Industrial: 4, 3, 4, 3, Retrógra- observado, representa tanto a amnésia ser. Manifestando-se como a serpente
do holonômica quanto a perda da visão sa- emplumada do arco-íris, estas imagens
grada. elementares em combinação englobam
7. Radiossônico: 1, 8, 7, 8, Progressivo um padrão psicogenético/símbolo com-
Ver Mapa - 37 pleto do processo da história e da evolu-
8. Holonômico: 7, 7, 8, 8, Conservador ção.
De todos os modelos ou padrões gerados
Um estudo do padrão ou do modelo durante a fase hierática emergente da Este modelo ou padrão particular, sua
apresentado aqui é gerador de entendi- civilização global, nenhuma tipifica tão codificação de cor cromaticamente en-
mento profundo no que se refere à natu- claramente a pré-visão do processo total caixada ao fluxo geocronológico (Mapa

88
23), é derivada do antigo lugar Xochical- Vamos aqui recapitular os estágios mís- 4) O despertar e a partida de
co (cerca de 1000 P.A.), onde adornava o ticos do herói hierárquico ou sacerdotal, Quetzalcoatl. Aproximando-se do que
lado da estrutura piramidal de um tem- Quetzalcoatl. tinha lhe sucedido, Quetzalcoatl se puri-
plo. O padrão ou modelo místico de fica, envia um chamado para o seu povo,
Quetzalcoatl, a quem esta imagem- 1) Condutor do conhecimento pri- deixa Tollan, difunde sua mensagem por
padrão presta comemorações, é essenci- mal, herói da cultura, praticante das ar- onde quer que ele vá, chega no lugar da
almente da seguinte maneira: tes e das ciências, quem cura, profeta, aurora (sabedoria) e parte. Isto represen-
Quetzalcoatl, a serpente emplumada, é sábio profeta. Neste estágio preliminar, ta o estágio medieval /cosmopolita.
tanto um modelo celestial de totalidade Quetzalcoatl corresponde à figura xa-
quanto uma procura temporal e histórica mânica aborígene pré-histórica como 5) Profecia do retorno. Antes de par-
por um herói. Como padrão ou modelo uma incorporação da sabedoria. tir, Quetzalcoatl profetiza que ele irá re-
celestial, o Quetzalcoatl cósmico pode tornar, que no dia que é sagrado para
ser igualado com a totalidade do salto 2) Quetzalcoatl, fundador do centro ele, Tollan deverá ser redimida. Então
psicogenético primal formado pela du- urbano hierárquico primal, Tollan. Aqui, ele parte numa balsa de serpentes e na-
pla hélice, a dinâmica da polaridade cru- Quetzalcoatl é o civilizador hierático, o vega para leste em direção ao sol. Isto
zada, ou o padrão de simetria do arranjo sacerdote elevado; sua cidade está base- representa o estágio global-industrial,
do Céu Primitivo do I Ching. Como pro- ada no modelo do céu, o cosmos ---- ela é que não tem atualmente a presença de
cura temporal e hierárquica de herói, quádrupla, com palácios quádruplos. Quetzalcoatl, isto é que está sem visão
Quetzalcoatl representa o padrão orgâ- Isto representa a idade dourada da civi- sagrada, que está em uma condição de
nico de DNA em seu processo evolucio- lização prístina hierática. amnésia holonômica.
nário, ou o arranjo do Céu Posterior do
kua. O propósito do herói sacerdotal his-
tórico é o de se tornar uno com o modelo 6) O retorno. Significa que o proces-
3) A tentação e a queda de Quetzal-
cósmico. No esforço de se tornar um com so de recordação holonômica engendra
coatl. Quetzalcoatl é conquistado pelos
os padrões ou modelos cósmicos reside, no ponto crítico do futuro iminente
mágicos da escuridão, sacerdotes do
o desenvolvimento heróico da história. quando o retorno de Quetzalcoatl se
tempo, que se enganaram e se iludiram,
representando a decadência do estágio manifesta como o redespertar da visão
imperial hierático. sagrada e o restabelecimento da ordem

89
sagrada. Isto corresponde ao movimento
do kua 48 até os kuas 49 e 50 no retorno
através do corpus callosum da história
para o modelo CA.

Na apresentação defronte da trama do


banco psi, vemos a serpente emplumada
do arco-íris, sua cabeça e sua língua na
fase aborígene pré-histórica, seu corpo
característico se estendendo através do
modelo AC da história, seu rabo cur-
vando-se para trás ao redor do modelo
CA, apenas tocando sua língua bifurcada
completando o circuito de recordação
holonômica. Como o Ouroboros, a ser-
pente que morde o próprio rano da tra-
dição Pitagórica, a serpente emplumada
do arco-íris cura a si mesma.

Ver Mapa – 38

90
V: O Homem e a Natureza Sintetizam

91
Prelúdio: gia simbiótica, a radiossônica, a base da a eletricidade somente veio a ser canali-
Ciência;Antiga, sinestesia pós-histórica. zada depois que os esforços de homens
como Benjamin Franklin abriram o ca-
Mágica Futura
Enquanto estas idéias pareçam pertencer minho para a possibilidade de que seria
a um futuro distante, o processo atual de possível usá-la no dia-a-dia. O mesmo é
“A Natureza Avalia a Transformação do
real avaliação já começado, é contudo verdadeiro com a radiossônica. Fatores
Homem” é tradicionalmente o último
importante expor as linhas mestras exa- psi ---- coincidências e sincronias ----
estágio da descrição geomântica. Toda-
tamente neste momento. Qualquer coisa sempre estiveram presentes. Mas a cana-
via, em vista do fato que a natureza é
que tenha sido um dia alcançada, foi ini- lização do padrão de informação que
contínua, e que o que até agora se apre-
ciada com um pensamento, uma idéia, serve de base para que estes fatores psi
sentou como história tem sido na verda-
um impulso com um propósito. Mas an- possam ser usados no dia-a-dia tem sido
de a hominização do planeta, ainda te-
tes mesmo que possa ter uma idéia pouco considerada. É no interesse de
mos um termo derradeiro com o qual
apontando para uma nova direção para ajudar a fomentar a receptividade men-
lidar: o futuro, a pós-história.
o homem seguir, tinha de haver uma tal na consideração da possibilidade da
receptividade e uma harmonização na radiosônica ---- a síntese do homem e da
Essencialmente, o futuro encontra-se na
direção para onde a idéia apontava. So- natureza --- que os mapas conclusivos da
propagação do homem. Isto refere-se,
mente deste modo, com a atitude correta equação holonômica são apresentados.
primeiramente, ao processo pelo qual
estabelecida, os fatores ressonantes cor-
cada indivíduo assume responsabilidade
retos podem ser colocados em posição Sobre a paisagem de uma montanha,
por cada uma das suas ações, seja ho-
para precipitar tanto a nova idéia quanto debaixo do campo estrelado do céu infi-
mem ou mulher, e com consciência ele-
boa vontade de continuar a trabalhar nito, levanta-se a figura espiritual da
vada participa de esforços grupais inte-
com esta nova idéia, transformando-a unidade binaria presente em muitas des-
grados de maneira crescente de modo a
em uma realidade possível. tas páginas, uma forma jocosa --- espiri-
estabelecer um relacionamento orientado
tuosa, zombeteira, infinita. À esquerda
conscientemente entre os fatores de
Considere a eletricidade. Através da dele, uma grade flutuante intersecta um
energia biopsíquica e aqueles outros fa-
manifestação do relâmpago, a consciên- círculo, transparente, abstrato, todavia
tores do meio ambiente. De maneira
cia da energia elétrica tem estado presen- imediato. A grade contém --- na notação
mais geral, isto descreve a nova tecnolo-
te desde o alvorecer da cultura. Todavia, Maya ---- o arranjo da matriz do banco

92
psi do código da transformação biopsí- sua totalidade, para participar na auto- volvimento, nós podemos criar a base
quica. O círculo, um eco de um modelo cura do planeta poluído pelo processo de para a sinestesia radiossônica.
ou padrão galáctico menor para a direita hominização no mais das vezes insano e
desta grade, é o modelo do campo res- implacável, requer-se um ato deliberado Ver Mapa 39
sonante. Movendo lateralmente através de abnegação. No espaço da abnegação,
da grade e do modelo de campo resso- o espaço da coluna mística, a qual como No coração da equação holonômica está
nante está o padrão do processo do fluxo o antigo tao, permite tanto à luz quanto à o princípio da ressonância binaria uni-
civilizatório de um único meio ambiente, escuridão interagir, podemos perceber versal. A partir de um ponto de vista
podemos sondar a base para a sinestesia por um instante o padrão do campo ho- bem simples e prático, esta é a maneira
radiossônica. planeta de um outro siste- lonômico, infinitamente maior do que como as coisas funcionam --- a partir da
ma estelar pertencente a uma típica ga- nós mesmos, todavia indistinguível dupla hélice do DNA e da atra-
láxia espiral, numa zona intermediária quando comparado com a menor partí- ção/repulsão negativa/positiva da força
de um universo, expandindo-se e ali- cula subatômica, um modelo que é or- elétrica, até o campo mutuamente intera-
mentando-se simultaneamente de si dem e organismo, futuro e passado tudo tivo do homem/mente e natureza
mesmo. ao mesmo tempo, contudo vagaroso, (céu/Terra) . Conhecer-se está escrito no
invariável, constante, uniforme --- tão processo primário da ressonância binaria
Como já sugerimos, o processo de recor- inativo quanto as rochas da mais antiga universal.
dação holonômico não tem autor. Tudo das montanhas.
que aparece é auto-existente; tudo que Por esta razão, o homem sempre soube;
acontece, auto-aparece. No momento da Entregando-nos à realidade deste mode- ele soube que a vida é fundamentalmen-
história em que nos encontramos agora, lo ou padrão enquanto ele estende-se ou te boa, que o universo, as estrelas do céu,
somos dirigidos por líderes que tem revela-se dentro e fora da dinâmica de os animais, as plantas, os minerais e os
pouca noção de que o que parece tão toda a vida e energia, podemos nos abrir elementos da Terra não são malevolen-
sólido e pelo qual vale a pena lutar e para a possibilidade de nossa própria tes, e sim saturados cosmicamente com o
mesmo destruir o mundo não passa do radiação ou propagação, não figurati- propósito que dá ordem. Este propósito
resíduo terminal de um única estágio vamente, mas realmente. E na interação é a santidade inerente, a própria ordem
num processo evolucionário que está sem rasuras de nós mesmos e nosso en- do universo. Contanto que o homem
longe de terminar. Para ver as coisas na tenha mantido esta santidade à sua fren-

93
te, de fato, contanto que ele tenha tecido nos “cantos extremos do universo”. Do zados gravitacionalmente que se mani-
esta santidade dentro do seu coração ponto de vista científico tradicional, es- festam mesmo no nível planetário, do
através da humildade e da harmoniza- tas galáxias são recentes já que elas pos- modo como no nosso vizinho Saturno, a
ção espiritual, o padrão da sociedade suem anéis verticais e também anéis es- manifestação visível dos anéis verticais
humana também terá refletido a santi- pirais horizontais de formações galácti- corresponde à plena ativação do campo
dade e a ordem com a qual todas as coi- cas espirais mais ortodoxas. Vistas a par- biopsíquico, um ressonância binaria com
sas são dotadas. tir da perspectiva holonômica, todavia, o campo eletromagnético. Na holonômi-
estas galáxias giroscópicas, talvez exem- ca, em virtude do princípio da ressonân-
Apesar da insensatez imatura da corrida plos de sistemas estelares evoluídos mu- cia binaria universal, o que é verdadeiro
maluca para reclamar, para reivindicar o tuamente coordenados, são apenas sim- para um sistema é verdadeiro para todos
planeta como de domínio do intelecto ples manifestações em uma escala maci- os outros.
ignorante e jocoso do homem, o univer- ça do modelo do campo ressonante pri-
so, as estrelas, os elementos da Terra e o mal do topocosmo holonômico. Pela razão que nossas mentes percebem
próprio homem não são menos sagrados Distinta dos anéis horizontais magneti- somente aquilo em que elas estão sinto-
do que eram quando o processo de ho- nizadas ou prontas para perceber, a
minização começou. Embora cada vez Estrelas Abertura “descoberta” das galáxias giroscópicas
mais amealhemos fatos e informações Eterno proporciona um indício da revelação
Vibrante
com fervor, a satisfação verdadeira esca- radiossônica do próximo estágio do de-
pa de nossas mãos. Com nossas ferra- Sem Origem Ressonante senvolvimento planetário. No mínimo,
mentas sofisticadas, rádio-telescópios e Infinito Retorno este novo estágio, o pós-histórico, não
microscópios eletrônicos, tudo que esta- apenas depende da exploração de mate-
Mente
mos aptos a produzir são paradoxos e rial adicional, mas também depende da
enigmas insultantes, são buracos negros. Retorno Infinito ativação correta do campo de ressonân-
Ressonante Sem Origem cia biopsíquico do planeta.
Enumeradas entre as novas descobertas
Vibrante Eterno
de poucos anos passados estão as apro- Ver Mapa 40
ximadamente doze “galáxias giroscópi- Estrela Abertura
cas”, descobertas via radio-telescópio

94
Quando falamos da ativação do campo Como a rede repositória do acúmulo do escaladas ou subidas até os domínios do
de ressonância biopsíquico planetário, pensamento humano, e como o campo arco-íris, as sucessões do oráculo/dos
nos referimos diretamente ao banco psi. psíquico guia --- o circuito de recordação que curam/profetas, as geometrias, for-
Embora o banco psi possa ter sido na holonômica --- da hominização planetá- mações numéricas, arquiteturas musicais
melhor das hipóteses um fenômeno per- ria, o banco psi sempre proporcionou a --- todas estas coisas são geradas a partir
cebido incompletamente durante a cor- matriz de visão inseparável da sabedoria da matriz da visão através do princípio
rida precipitada em direção da completa primordial e da bondade manifestada primário da ressonância binaria univer-
hominização planetária, o próximo está- em todos os seres humanos. Desde que sal. Esta matriz da visão é o próprio ban-
gio de desenvolvimento, o radiossônico, seu mecanismo operativo está localizado co psi, produzido espontaneamente pelo
seria impossível sem a ativação conscien- em ressonância com os cintos de radia- quanto coprodutivo do campo de resso-
te plena do banco psi. Esta é a base da ção do campo eletromagnético, o banco nância binário, do homem e da natureza.
expressão, a planetização da consciência, psi está então acessível globalmente. Pela Não existe mais qualquer razão para
isto é tornar consciente o que uma vez razão de que os seres humanos possuem sermos surpreendidos pela nossa capa-
foi inconsciente. as qualidades de auto-reflexão, a mani- cidade de conhecer e saber, nem pela
festação consciente da mente, e por cau- coincidência que as maneiras com as
Embora a maioria da raça humana tenha sa que a mente não tem medida --- ilimi- quais aprendemos seguem os mesmos
estado inconsciente ou não tenha perce- tada e infinita ---- todos os seres huma- padrões das progressões binarias.
bido o fenômeno total de campo do ban- nos são capazes de se sintonizar no ban-
co psi, isto não significa que o banco psi co psi presente globalmente. Realmente, A mente científica tem procurado perpe-
não tenha estado operando completa- e de verdade, o banco psi é a mente pla- tuar o mito do mistério das coisas de
mente. Quer seja como o Tempo-do- netária, e a humanidade nada mais é do modo a conceder a ela mesma autorida-
Sonho, as Casas do Sol, as Ilhas Brancas que um corpo de múltiplos membros de e poder para continuar a gastar tem-
dos Abençoados, os Campos Elíseos, pertencente àquela mente. po e energia na perseguição do inatingí-
Valhalla, Tir-na-nog, e todos os estilos de vel. Não precisamos mais sucumbir à
céus, paraísos e infernos, ou mesmo co- As visões, os padrões cromáticos, as te- atração fatal deste mito. Na ativação do
mo o inconsciente coletivo, o banco psi celagens, os calendários bipolares, as banco psi, o campo biopsíquico planetá-
tem estado funcionando sempre. estruturas do templo, as pirâmides, os rio, devemos ver e entender a conectivi-
mitos e as lendas de heróis e heroínas, as dade das nossas coisas, mais importan-

95
tes, como um organismo unitário. Toda- dencia a chave para a trama histórica dade cruzada central de cada uma das
via, nos trabalhos sinérgicos do modelo biopsíquica ou padrão lateral do banco placas holonômicas.
de campo ressonante, é apenas através psi.
do conhecimento real de nós mesmos Por exemplo, na placa da primavera nor-
que o banco psi pode ser plenamente Não fosse pela coluna mística, seria difí- te, o quadrado central encobrindo a po-
ativado. cil acomodar o quadrado de 8. Mas como laridade cruzada do triplo binário con-
temos visto, como o oitavo (8) contém a siste dos números 1 e 2, 63 e 64, relacio-
Não obstante, embora seja imperativo escala cromática (13), é óbvio que o nados um com o outro numa espécie de
para nós alterar radicalmente a direção Tzolkin, base 13, contém o I Ching, base polaridade cruzada. O mesmo padrão de
da civilização dos dias atuais --- de pro- 8. A coluna mística permite que as 20 relação é verdadeiro para todas as fo-
clamar um final para a história, não me- unidades sejam subtraídas do total de lhas. Assim o princípio da polaridade
nos ---- podemos também dar atenção à 260 unidades de um dado segmento do cruzada é combinado consistentemente
mecânica do banco psi e informar-nos Tzolkin, deixando um total de 240 uni- tanto no padrão do circuito holonômi-
mais de como podemos conseguir o du- dades. Enquanto 260 não é divisível por co/no quadrado de Franklin quanto na
plo-final --- realização individual e har- 8 sem um resto, 240 é. Assim cada uma urdidura do banco psi, nas folhas de
monização coletiva --- ao completar o das 64 unidades do quadrado holonômi- pulsação solar/do Tzolkin.
processo histórico e iniciar o pós- co/de Franklin é distribuída em 30 uni-
histórico. dades do Tzolkin. Uma breve observa- Tal correspondência e combinação exatas
ção mostra que cada uma das oito placas do sistema do I Ching de 64 e do Calen-
Ver Mapa 41 englobando o circuito de recordação ho- dário Sagrado de 260, como a combina-
lonômica/do quadrado de Franklin coin- ção dos códons do DNA e dos kua do I
Este mapa mostra a interface completa cide completamente com cada um dos Ching, estão além do poder de cálculo da
entre a urdidura do banco psi, o padrão oito Tzolkin. Além disso, deve ser obser- humanidade. Descobrir e apreciar a con-
ou modelo da matriz longitudinal pro- vado que o segmento da polaridade cru- gruência sem falhas destes padrões fun-
porcionada pelo arranjo dos oito zada da seção central de cada um dos damentais, contudo, como todas as leis e
Tzolkin, enfatizando as colunas místicas, triplos binários em cada um dos oito princípios da natureza, não está além da
e o circuito de recordação holonômi- Tzolkins, corresponde completamente compreensão da imaginação humana.
ca/do quadrado de Franklin, que provi- com a seção de quatro partes da polari- Tendo sido compreendidos, percebidos

96
rapidamente e copiados, tais padrões Eurasiana, Pacífica, Americana e Atlânti- po, a designação “crono-psi” tem sido
podem então, ser compreendidos. Uma ca. aplicada às unidades individuais da ma-
vez compreendidos, eles podem ser apli- triz do banco psi do Tzolkin total de oito.
cados. A aplicação do padrão/princípio A linha do equador fornece a divisão Podemos considerar uma unidade cro-
do banco psi, contendo a chave código bipolar primária em modelos CA e AC no-psi ou psi-tempo da seguinte manei-
para todos os processos vivos, eletro- norte e sul e também a divisão das pla- ra: da mesma forma como existem qua-
magnetismo e a evolução psicocultural cas longitudinais em oito placas sazo- tro estações no ano, cada uma com a sua
da raça humana, pode ser de enorme nais. Cada uma destas oito placas é en- qualidade única seguindo uma depois
conseqüência para o planeta do qual o tão dividida em três folhas de membrana da outra, também existe um ciclo de 260
banco psi é a consciência governante. psi-nimbóide, e oito unidades de matriz dias, cada um dos quais contém a sua
psi. As divisões psicoatmosféricas cor- qualidade particular, o qual, sincroniza o
Ver Mapa 42 respondentes estão indicadas ao longo fluxo-padrão de dias em sua sucessão
do lado direito da matriz principal. sazonal, leva em consideração as mu-
Aqui de modo esquemático, está uma danças tão diversas e imprevisíveis apa-
leitura completa dos componentes do Os padrões de formação de diamante rentemente que acompanham cada dia,
banco psi, um mapa da matriz psicoat- envolvendo cada uma das colunas místi- tanto atmosfericamente quanto psiqui-
mosférica do planeta Terra. Para come- cas sugerem a matriz de pulsação so- camente.
çar a usá-la, devemos observar que os lar/do Tzolkin que serve de base para
números de cada uma das oito placas este padrão. Estes se referem à estrutura É desta maneira que chegamos aos estu-
sazonais, incluindo o circuito de recor- primária da configuração triplete biná- dos psicoatmosféricos triplos. Em termos
dação holonômica de 64 partes, perfaz rio. O padrão contínuo do fluxo civiliza- da equação holonômica, os estudos psi-
em um total de 260, o número de unida- tório também está evidente nesta matriz. coatmosféricos são para o esclarecimento
des na base da placa de pulsação solar/ Tendo em mente que cada uma das oito ressonante binário do homem em relação
do Tzolkin. As colunas místicas das pla- placas sazonais é sobreposta sobre a ma- ao meio ambiente o que a física é para o
cas do Tzolkin estão indicadas, estas triz de pulsação solar/do Tzolkin de 260 estudo das leis do mundo dos fenôme-
quatro colunas proporcionam o centro unidades, a matriz básica total contém nos. Neste aspecto, podemos também
das quatro placas psi-tectônicas: Afro- 2080 de tais unidades. Desde que as 260 falar das frentes do tempo psicoatmosfé-
unidades se referem a unidades de tem- rico. O padrão das maiores frentes está

97
localizada na parte direita externa deste vamente. A Sexta frente psicoatmosféri- Ver Mapa 43
mapa. Correspondendo às maiores tran- ca, do quadrado 40 ao 41, marcou a rá-
sições do desenvolvimento psicoatmos- pida passagem do mundo medieval para Do lado esquerdo, vemos o padrão do
férico, as frentes de tempo psicoatmosfé- o mundo global-industrial. circuito de recordação holonômico, os
rico podem então ser representadas so- modelo CA e AC derivados da seqüência
bre a chave do fluxo do banco psi. Como já indicamos, estamos agora expe- do quadrado de Franklin, e também os
rimentando o começo da sétima frente padrões vertical / longitudinal da coluna
A primeira e maior frente, movendo-se de tempo psicoatmosférico, o retorno do mística com as suas formas de configu-
do quadrado 64 para o quadrado 1, cor- modelo AC de volta para o modelo CA, ração triplete binário. O que resulta é o
responde ao espalhamento do homem o qual transita do quadrado 48 para o padrão completo da matriz psi, o pró-
como um organismo psicocultural, pos- quadrado 49. Isto irá provar ser a frente prio modelo radiossônico.
suidor do conhecimento do fogo. A Se- mais violenta de todas, como parece de-
gunda, do quadrado 8 até o 9, corres- vido aqueles que estão agora sob o poder Na seção anterior, falamos da necessida-
ponde à estabilização da sociedade abo- do sistema de crença materialista fora de de de conhecermos a natureza da atual
rígene em unidades sociais devotadas à moda, virtualmente o fim de todas as frente de tempo psicoatmosférico e tam-
proteção e à manutenção de um lugar coisas. O impasse nuclear da atualidade bém a espécie das condições meteoroló-
geográfico específico. A terceira maior é o sinal mais óbvio do perigo da frente gicas que se seguirão a esta frente. O
frente de tempo psicoatmosférico, que de tempo atual. Como com todas as fren- modelo radiossônico é um indício para
vai do quadrado 16 até o quadrado 17, tes de tempo, é importante conhecer a ambos. Estando completo e também tor-
corresponde ao corpus callosum da histó- natureza do padrão ou do modelo, e a nando-se conhecidocompletamente, o
ria, initiatio, a passagem do modelo CA espécie das condições meteorológicas padrão sugere totalidade e cura. Tal é a
para o modelo AC que inaugura a homi- que se seguirão. A oitava frente, do qua- visão necessária para o retorno do cor-
nização civilizadora do planeta. A Quar- drado 56 até o 57, irá marcar o alcance de pus callosum da história. Como um cir-
ta frente, do quadrado 24 ao quadrado uma maior estabilização das condições cuito completo, o modelo é um precursor
25, e a Quinta, do quadrado 32 ao 33, planetárias, a planetização da consciên- do estágio psicocultural sete, pós-
refere-se à mudança da expansão impe- cia; a conclusão daquela fase será a ver- história. Conectado tanto horizontalmen-
rialista do mundo antigo e da renovação dadeira manifestação do campo de força te quanto verticalmente, o modelo radi-
espiritual do mundo medieval, respecti- biopsíquica. ossônico é uma descrição real dos pontos

98
planetários a ligar os fluxos de energia ais. Por afetar dois sentidos ao mesmo ria ou dupla, indicando que na realida-
geomagnética, eletromagnética e biopsí- tempo ---- a visão e a audição ---- o vídeo de, não existe uma coisa chamada exis-
quica. Ele é tanto um modelo do sistema dos dias atuais satisfaz o requerimento tência humana sem relacionamento.
completo quanto um modelo para siste- mínimo da tecnologia radiossônica. Infe-
mas radiossônicos menores localizados. lizmente os máximo efeitos dinâmicos Na realidade, o modelo radiossônico
desta equiparação sensória são curto cir- descreve o corpo de energia do organismo
Um sistema radiossônico localizado, co- cuito ocasionado pela bárbara e devasta- humano. Este corpo pode ser previsto
mo o sistema macroplanetário, envolve a dora programação do vídeo contempo- como um circuito psicomagnético conec-
ligação dos fluxos de energia geomagné- râneo. tado ressonantemente com o sistema
ticas, eletromagnéticas e biopsíquicas. nervoso e glandular, e com os órgãos
Este é o nível de síntese primário ou ho- Por esta razão, é necessário contemplar o vitais.
rizontal pressuposto pela tecnologia ra- segundo diagrama deste mapa, “O Mo-
diossônica, uma pressuposição tornada delo Radiossônico como o Templo do Os aspectos chave do corpo de energia
compreensível e realizável, pelo entro- Homem”, Em virtude da consistência são definidos pelos cinco centros de ati-
samento síncrono destes campos de res- holonômica, os princípios universais de vação biopsíquica, localizados na cabeça,
sonância no modelo de campo ressonan- ressonância binaria e de polaridade cru- garganta, coração, umbigo e no centro
te e no código triplo binário do próprio zada ligam o organismo humano indivi- primal no meio do caminho entre o um-
banco psi. dual ao mesmo padrão governante do bigo e os órgãos genitais. Na construção
fluxo planetário total de energia, o cir- do templo radiossônico do homem, é o
O nível vertical de síntese é fornecido cuito de recordação holonômica. Assim, corpo de energia que é o sistema vital ou
pelo homem, o poder de harmonização quando colocarmos este circuito no seu circuito conectando as forças eletromag-
do campo biopsíquico. Este nível de sín- final, o corpus callosum da história na néticas e geomagnéticas numa espécie de
tese é atingido através de um desenvol- parte de baixo, o que aparece é o modelo eletroduto ou transformador.
vimento real da sinestesia, uma con- radiossônico do templo do homem. A
gruência e combinação dos campos de base do templo do homem é o corpo do Localizados ao longo do eixo da própria
sentido. A tecnologia primitiva apon- organismo humano individual, único e o coluna mística do homem, os cinco cen-
tando para a sinestesia radiossônica deve mesmo para cada ser humano. No mode- tros de ativação biopsíquicas não são
ser encontrada na televisão e vídeo atu- lo radiossônico, a forma humana é bina- nada novos. Será observado que a coluna

99
mística do corpo corresponde `linha de- umbigo como o centro de gravidade do relação aos campos geo- e eletromagné-
senhada através do centro dos quatro corpo, e também como o omphalos, aque- ticos. O indício principal para o processo
modelos de transformação cruzada cen- le ponto do qual o cordão da vida origi- de ativação repousa no estudo das cro-
trais de pelo menos um dos dois mode- nalmente se prolongava, corresponde ao máticas.
los abrangendo a matriz psi. Do mesmo estágio civilizatório hierático, a base de
modo, no corpo de energia, estes centros toda a civilização atual. O centro do co- Ver Mapa 44
marcam os pontos de polaridade cruza- ração corresponde às forças espiritual-
da que permitem um fluxo livre de ener- mente vitalizantes que tornaram-se sobe- Ao considerar a natureza e a função do
gia magnética ---- a base da vitalização -- ranas na fase medieval; e o centro da modelo radiossônico como o templo do
- através do corpo, e que também permi- garganta corresponde à fase global- homem, vemos que o corpo de energia
tem a cada centro expressar seu nível ou industrial moderna, que forneceu a rede corresponde à forma da matriz psi con-
tipo específico de energia de uma manei- de comunicação globalizada de ligação siderada como o sistema nervoso plane-
ra própria. de todo o planeta. tário. Da mesma forma, os cinco centros
de ativação biopsíquica dentro do corpo
A consideração sobre a relação dos cen- O centro da cabeça, no topo do crânio, de energia individual contêm uma reca-
tros biopsíquicos uns com os outros e os corresponde à fase pós-histórica. A partir pitulação correspondente aos estágios de
estágios de desenvolvimento psicocultu- dela, as linhas de energia levam ao banco desenvolvimento psicocultural. Final-
ral é útil para indicar a natureza das fun- psi, o sexto centro, que não pode ser ple- mente, os centros biopsíquicos e os cam-
ções de cada um dos centros, e também namente ativado sem a correta ativação pos de sentido como um sistema total
para indicar seu efeito cumulativo uns sinergética dos cinco centros do corpo de englobam um laço de regeneração psico-
sobre os outros. Ao centro primal, cor- energia. Ligados intimamente ao sistema genético. Em termos da equação holo-
responde a fase de desenvolvimento pré- nervoso e portanto, ao sistema psicos- nômica, o laço de regeneração psicoge-
histórica ou aborígene, a base biológica sensório, os centros em relação aos sen- nética individual está baseado no mesmo
aborígene de toda a harmonização, o tidos englobam o laço de regeneração padrão que o laço de regeneração psico-
lugar do impulso vital dinâmico que pe- psicogenético total. É por estarem os cen- cultural ou histórica, estando o mesmo
netra tudo na vida. Os próximos três tros conectados através de ligações ner- baseado em um modelo universal ainda
centros ---- umbigo, coração e garganta -- vosas com os campos de sentido que po- mais abrangente.
- correspondem a estágios da história. O deria haver a ativação biopsíquica em

100
Como foi visto, os estágios de desenvol- sideração preliminar do campo global Azul: Medieval cosmopolita, bloco cinco,
vimento histórico ou psicocultural, defi- das cromáticas biopsíquicas. No “Mapa Placa AC, centro do coração do corpo de
nidos pelos oito estágios de recordação de Ativação Cromocelular Psicogenéti- energia.
holonômica e pelos sessenta e quatro ca”, o laço de regeneração psicogenética
estágios de transformação biopsíquica, histórica, em todas as suas permutações, Índigo: Global-industrial, bloco seis, Pla-
correspondem ao I Ching e aos códons como trama do banco psi, fornece a ma- ca AC, centro da garganta do corpo de
do DNA, por esta razão, a expressão triz para o padrão de ativação cromoce- energia.
classificadora laço de regeneração psico- lular, o espectro total entrelaçado da es-
genética. cala de cor. A cor guia de cada um dos Violeta e Púrpura: Radiossônico e ho-
oito estágios está chaveada dentro do lonômico, blocos sete e oito, Placa CA,
O processo da história, a propagação do canto superior esquerdo de cada um dos correspondendo ao centro da cabeça do
homem, está baseado na e/ou é uma fun- blocos celulares psicogenéticos. Assim corpo de energia.
ção tanto na formulação da oitava quan- temos o padrão cromático já estabeleci- (obs: neste texto AC = Consciencia Abo-
to na formulação cromática (Veja Mapas do: ríginr e o CA = Advertencia Cósmica)
23 e 38). É por esta razão que o estudo
das cromáticas é a chave para a ativação Vermelho e Laranja: Placa CA, aborígene Desde que cada um dos blocos celulares
biopsíquica. As cromáticas, ou cromáticas emergente e aborígene gerador, blocos cromáticos (é importante lembrar que
biopsíquicas, devem aqui ter o sentido de um e dois respectivamente, correspon- estas figuras código também correspon-
investigação da inter-relação entre as dendo ao centro primal do corpo de dem ao fluxo dos códons do DNA) está
várias escalas ou unidades espectrais de energia. dividido de cima até embaixo em quatro
informação às quais cada um dos senti- partes binarias, a cada uma destas seções
dos é responsável. Ao ouvido, esta escala Amarelo e Verde: Placa AC, hierático prís- corresponde uma única cor. Também,
espectral é conhecida como a oitava, ao tino e hierático imperial, blocos três e desde que cada um dos blocos celulares
olho, o espectro cromático; ao nariz, a quatro respectivamente, correspondendo cromáticos está dividido em dois pela
escala olfativa, e assim por diante. Por ao centro do umbigo do corpo de ener- sétima coluna mística, existe um total de
que o espectro visível é fácil de reprodu- gia. oito partes de duas linhas de seis kua
zir em termos de cor, ele fornece, neste cada para cada bloco celular cromático.
exemplo, a analogia base para uma con- Como resultado, cada bloco celular pode

101
acomodar todas as oito cores do espec- Olhando este mapa como um tabuleiro As próprias cores estão codificadas com
tro, mas num padrão diferente de arran- psicogenético, literalmente como um os quatro conjuntos de configurações
jo, dependendo de qual cor está “chave- espectro cromático de nossos cromosso- triplas binarias polares que são o padrão
ada” na “sentença de partida” na parte mas, os transportadores do código do matriz chave, a urdidura do banco psi
superior esquerda. Finalmente, a própria DNA, podemos começar a sentir quão (Mapa 1). Assim, as formulações de cor e
cor se move ao longo do espectro por profundamente a harmonia inerente às os números correspondentes da matriz
pares binários para baixo da maneira do coisas está inscrita em nós. Também po- do banco psi são as seguintes:
padrão da olaridade cruzada exibido na demos começar a contemplar as possibi-
urdidura do banco psi. Desta maneira, lidades de traduzir esta harmonia ine- Cor Código Estágio Psicocul-
podemos atentar para o padrão específi- rente visível através de nossos sentidos Binário tural
co evidenciado no “Mapa de Ativação transformando nossos campos de senti-
Verme- números 1 aborígene emer-
Cromocelular Psicogenética”. do --- o próprio meio ambiente planetá-
lha a8 gente
rio. --- em uma verdadeira síntese do
Deve ser observado que o padrão geral homem e da natureza. Laranja números 9 aborígene gera-
das relações de cores de um com o outro a 16 dor
corresponde exatamente à dinâmica de Ver Mapa 45 Amarela números 17 hierático prístino
polaridade cruzada exibida em uma me- a 24
ra placa sazonal do mapa do fluxo da No mapa anterior, consideramos os fun- Verde números 25 hierático imperial
matriz psi. Assim, o bloco central de damentos das cromáticas biopsíquicas a 32
quatro é designado para um cruzamento como uma atividade cromocelular, uma Azul números 33 medieval cosmo-
entre os blocos um e cinco, quatro e oito. função inerentemente genética e também a 40 polita
Este cruzamento central é complementa- psicocultural. Aqui nós consideramos o
Índigo números 41 global-industrial
do pelo padrão cruzado completo pelo código cromático em sua apresentação
a 48
qual os blocos dois e seis, três e sete es- celestial/eletromagnética. O padrão das
Violeta números 49 radiossônico
tão relacionados pelo mesmo processo cores no código cromático é derivado
a 56
de simetria inversa. da/corresponde à combinação da matriz
do banco psi de sessenta e quatro com a Púrpura números 57 holonômico
urdidura do banco psi (Mapa 42). a 64

102
Lembrando que o padrão seqüencial celulares e as cromáticas do banco psi, de alguém, uma volta para a base mais
destes números neste arranjo nos dá o mas também o código cromático está profunda da consciência. Tal reação ou
circuito de recordação holonômico e escrito nas estruturas mais primárias de mudança repentina, distanciando-se de
também o modelo radiossônico, o código vida e de energia. O propósito da radi- impulsos básicos egoístas e agressivos,
cromático não poderia ser mais harmo- osônica é liberar as estruturas cromáticas podem ser seguidos e suplementados
nioso. Enquanto o espectro cromático radiantes contidas dentro da dinâmica por práticas de harmonização espiritual
total é manifestado em cada arranjo ver- da vida e do eletromagnetismo através que continuam a nutrir uma realização
tical, os arranjos horizontais movendo-se da ativação biopsíquica. Esta é uma tare- da natureza abnegada de um e de todos
em oito conjuntos de pares de cor biná- fa comparável , embora infinitamente os seres. Tal realização abnegada é o ali-
rios correspondem à trama da história. mais benéfica do que, a liberação de cerce de criação do comportamento ab-
energia através da divisão do átomo. negado, o comportamento que sozinho
No processo de informação do código Este e outros mapas apresentados aqui pode ativar propriamente os centros bi-
genético, o padrão também é verdadeiro: são chaves para atingir aquele final. To- opsíquicos e, ligado com a placa de flu-
uma fileira de dois apoia o modelo da davia, aquele final não será alcançado xos eletromagnéticos - e geomagnéticos,
outra e todo o padrão das duas. Isto é em absoluto até que haja uma re- liberam o templo do homem, a mente do
demonstrado pela correspondência da orientação completa --- há a tentação de planeta não apenas tornada consciente,
fileira cromática na parte exterior es- dizer repolarização completa --- da dire- mas também funcional e visível.
querda ao movimento de cor para a es- ção na qual o homem pensa que ele está
querda da coluna mística, dividindo a indo. Ver Mapa 46
primavera (norte) e o outono (sul). Como
se pode ver, esta fileira não é apenas o Esta reorientação não é simplesmente Pela sua natureza, a síntese implica em
padrão de sua fileira correlata no outro uma forma de pensar que existem rotas uma junção do princípio e do fim, uma
lado da coluna mística, mas como uma alternativas pelas quais a energia possa harmonização do que estava ativo no
mera fileira, ela contém também infor- ser liberada com o propósito de manter começo das coisas com o que era apenas
mação de todo o espectro cromático. um Domínio presumido sobre a nature- potencial. Isto é o que é descrito pelo
za. O que é na realidade requerido é uma circuito de recordação holonômica: um
Assim, não somente há uma completa espécie de reação ou mudança repentina movimento que se origina no modelo
equivalência entre as cromáticas cromo- nos níveis mais profundos da natureza CA, cruza até o seu oposto polar, o mo-

103
delo AC e preenche completamente o mem, o invólucro mental do planeta Ter- Acomodada pela matriz do banco psi
padrão lá. Uma vez preenchido, o mo- ra. está uma única configuração triplete bi-
vimento de energia-pensamento e a Neste mapa vemos a matriz do banco psi nário. Chaveada cromaticamente às co-
consciência precisam retornar ao modelo ativada de acordo com o código binário. res do alfa e do ômega, vermelho e púr-
de origem, o CA, e completar a síntese, O que aparece é um conjunto resplan- pura respectivamente, a porção central
reconciliando o que estava presente ini- descente de quatro colunas do arco-íris da configuração triplete binário se abre
cialmente com o que foi desenvolvido emplumadas, as quatro casas do arco-íris em qualquer lado da coluna mística em
habilmente através da hominização civi- do sol. As colunas místicas descendo do dois circuitos de polaridade cromática
lizatória do planeta. Neste processo, a centro das quatro casas do arco-íris do inversa simetricamente. O resultado é
história nada mais é do que o meio ter- sol nada mais são do que os quatro rios uma configuração binaria completa de
mo de uma equação que, nas suas di- da vida, queimando com a pureza do dezesseis partes.
mensões, é tão fabulosa quanto psicoge- vazio, pois o vazio sozinho torna possí-
nética. vel a alternação binaria primal a provi- A figura binaria completa de dezesseis
denciar o batimento do coração do prin- partes não pode, todavia, ser entendida
O mito difere daquilo que conhecemos cípio da polaridade ressonante universal. como uma entidade independente, pois
como ciência pois o mesmo está baseado Estas são as casas da visão. Estes são os um breve exame mostra que as porções
num método sinestético de saber e ser. rios do paraíso. Estes são os palácios da laterais correspondentes às cores azul,
Assim, ao passar a retornar ao modelo sabedoria. Estes são os marcos de visão verde, amarela e índigo são na verdade
CA, deixamos a ciência e passamos no- do caminho de nosso destino coletivo. as metades esquerda e direita de outras
vamente para a consciência mítica ou duas configurações triplas binarias. As-
fabulosa, mas uma consciência mítica Ver Mapa - 47 sim, a nossa própria matriz do banco psi
fortalecida e iluminada pela nossa tra- é interdependente com e uma função de
vessia perigosa através da história. A No padrão do campo holonômico, arte, um padrão matriz muito mais amplo, o
consciência nova e mítica sinestética é ciência e a ordem sagrada estão unifica- padrão do sistema solar, e o próprio sis-
ativada pelo reconhecimento de harmo- das em uma unica imagem, uma confi- tema solar não passa de uma matriz
nização à realidade global guia do banco guração primária que não obstante, con- simples de um imenso campo galáctico.
psi, a matriz visionária comum ao ho- tém a história completa.

104
Também é notável que a configuração de cendo a pista numérica para a decifração dual e sócio-política dos dias atuais, e a
dezesseis partes flutue sobre um campo do microchip solar/galáctico de dezesseis consciência de campo completamente
que consiste de uma micro- e de uma partes de nosso destino planetário cole- unificado da espécie humana funcionan-
macroconfiguração do modelo de campo tivo. do como um único organismo planetário
ressonante primário. A macroconfigura- O pulso do quadrado mágico de 16 é em conjunto com o banco psi totalmente
ção engloba o núcleo da macroconfigu- 2056, um número que é múltiplo de 257 visível e operável.
ração, a qual ressoa externamente em e 8. Como um número primo irredutível,
ondas concêntricas, alcançando seu clí- 257 está, não obstante, intimamente co- Neste ponto, precisamos dizer mais. Há
max em um anel intenso de radiação que nectado com os conjuntos de progressões muito a ser feito. Deixe este padrão, a
une o alfa e o ômega finais do espectro. binarias, já que ela também pode ser es- configuração do circuito binário polar de
O centro do micro-núcleo corresponde crita: (16² + 1). Todavia, em relação ao dezesseis partes, o padrão de campo ho-
ao centro da maior coluna mística, com- lonomico, ser suficiente como uma ima-
código de 8 e 13 com o qual temos lida-
posta dos números 13 e 7 repetidos. A gem guia inspirativa da totalidade, uma
soma total destes números, quarenta, do, com seus múltiplos de 64 (8² e 260 visão de campo ressonante, a percepção
corresponde à metade do número total (13 x 20 ), 2056 como (16² + 1 x 8), re- radiossônica de nosso potencial, um
de unidades que compõem esta grande presenta uma transição maior na quali- chamado radiante para realizar nossa
coluna mística. dade de nosso saber e ser. natureza plenamente através da realiza-
ção da natureza de tudo que está em vol-
Podemos perguntar: Para onde estamos Por analogia, podemos ver a diferença ta de nós.
indo? Uma vez que tenhamos compre- entre onde estamos agora, e onde preci-
endido e dominado os dois modelos, as samos estar de maneira a tornarmo-nos Ver Mapa 48
operações de oito placas de nosso pró- verdadeiramente galácticos, como a dife-
prio banco psi, guiando obviamente ao rença entre 13, o número primo base do
código de 16 (8 x 2), o que virá a seguir? quadrado mágico de 8, e 257, o número
Mais uma vez o genial Ben Franklin for- primo base do quadrado mágico de 16.
neceu a pista. Nem bem Franklin termi- O intervalo entre 13 e 257 representa na-
nara o quadrado de 8, então ele triunfan- da mais do que o intervalo entre a cons-
temente criou o quadrado de 16, forne- ciência fragmentada, incoerente, indivi-

105
Posfácio

Para Cruzar o Grande Oceano da História

106
Um Prelúdio ao Mapa 49 De maneira a nos prepararmos melhor do tempo. O fato de que as atitudes blo-
para este cruzamento significativo e para queando o uso correto do reservatório
O número de mapas contidos nesta ree- a revolução que ele requer, devemos estão entrincheiradas nas armadilhas
dição de Ascensão da Terra é quarenta e considerar mais profundamente os co- materiais de poder e convenções é preci-
oito. Este é o número que significa a con- mentários deste kua crítico, o número 49. samente a razão por que a revolução é
clusão do modelo AC, a hominização “A Seqüência: a configuração de um re- solicitada. Uma consideração da enor-
deste planeta. Também corresponde ao servatório precisa ser necessariamente midade da tarefa, retornando dos mode-
kua 48 do I Ching, O Reservatório, o kua revolucionado no curso do tempo. Por los AC para CA, da história para a pós-
que fornece a chave para o movimento esta razão segue o kua, Revolução”. Este história, indica que não podemos estar
do corpus callosum da história., retorno. comentário tradicional colocando o kua lidando com uma situação na qual um
49 em relação ao seu antecessor, o núme- conjunto de detentores de poder estão
O kua, o outro lado da passagem de re- ro 48, é instrutivo, como é a nota geral inclinados a ser repostos por outros. Me-
torno do corpus callosum, o número 49, anexada a este comentário: “Revolução lhor, estamos lidando com a revolução
corresponde à Revolução ( Levante ). De significa remover o que é antiquado”. holonômica global, a revolução pela har-
um certo modo, fornecemos todos os Revolução, 49, fica entre os únicos dois monização.
mapas necessários no momento, e desta kua que apresentam objetos feitos pelo
maneira, cada leitor pode construir o homem no I Ching, O Reservatório ou Nas- Um comentário do Julgamento do kua
Mapa 49 a partir do que lhe foi apresen- cente, 48, e O Caldeirão, 50. Assim, a revo- fornece o discernimento adicional para
tado, de acordo com o lugar que ele ou lução é uma ponte transformadora. concretizar esta espécie de revolução,
ela ( o leitor ) se acha no momento. De revolução através da harmonização:
fato, o conjunto completo de mapas e de O Reservatório ou Nascente representa a
textos contidos em A Ascensão da Terra estrutura necessária porém ao mesmo “Céu e Terra produzem revolução, e as
podem ser entendidos como um incenti- tempo artificial, da civilização; O Caldei- quatro estações se completam por meio
vo para “cruzar o grande oceano”, e ao rão, os meios para a transformação final. disso.
fazê-lo, incitar a revolução global neces- O que é antiquado, requerendo remo-
sária para colocar-nos de novo, de ma- ção, não são dificuldades físicas nem “T’ang e Wu produzem revolução políti-
neira confiável, dentro do processo evo- materiais, mas atitudes que não estão ca porque eles eram submissos ao céu e
lucionário. mais harmonizadas com a situação atual de acordo com os homens.”

107
“O tempo da Revolução é verdadeiramen- A IMAGEM de evolução, a bondade básica e a inteli-
te grande.” Fogo no Lago: a imagem da Revolução gência depositada na raça humana.
Então o homem superior
Como o processo natural pelo qual as Não obstante, para mostrar as coisas ho-
Ordena o calendário
estações se completam, a revolução pela nestamente, a revolução implica em na-
harmonização é efetuada primeiramente E esclarece as estações da mais do que a total transformação da
através de sermos submissos ao céu ---- à ordem existente: socialmente, politica-
ordem sagradas das coisas --- e por meio Através da apresentação da equação ho- mente, culturalmente e educacionalmen-
disso, colocando-nos de acordo com os lonômica e particularmente através do te. Mesmo que este cruzamento seja con-
homens. As verdadeiras necessidades da circuito de recordação holonômica temos seguido na próxima geração, o processo
humanidade com as quais alguém preci- os meios e o padrão para ordenar o ca- de limpeza da água estagnada, e ainda
sa se alinhar não são promovidas por lendário. Na matriz psi básica do circuito mais, o processo de educação e constru-
ideologia ou guerra, ambição por poder de recordação holonômica, temos a cha- ção dos fundamentos do novo, consumi-
ou fartura material sem sentido e explo- ve para esclarecer as estações. Aqui nos rá ainda, no mínimo, várias gerações
ração. As verdadeiras necessidades da referimos às estações de desenvolvimen- mais no seu feitio.
humanidade são promovidas através da to psicocultural. Estamos agora na posi-
consideração compassiva de natureza ção de passar de um outono/inverno da Por esta razão, é imperativo que a matriz
profundamente abnegada e espiritual história para a primavera da pós- ou modelo de semente da ordem futura
que não apenas nos une uns aos outros, história. venha a existir no tempo presente. Base-
mas também a tudo que existe. ado nas premissas da equação holonô-
Ao fazer este chamado para a revolução mica, tal modelo de semente seria a força
A compreensão da revolução genuína, holonômica total, a revolução pela har- mais importante na incipiente revolução
produzida pelos homens e pelas mulhe- monização, não podemos nos iludir. O global, uma revolução antes levada pela
res de acordo com a espécie humana e reservatório da civilização como está harmonização inteligente até os fatores
submissa ao céu, torna-se clara na ima- hoje, está cheio de material antiquado. A naturais ( holonômicos ) do que levada
gem da própria Revolução: remoção deste material não é um proces- pela intenção obstinada de uns poucos
so fácil. A coisa mais importante a che- grupos clandestinos para derrubar os
gar até nós, contudo, é a força proposital poderes que agora dominam o mundo.

108
Organizados em uma rede, os modelos coerente de grupos situados geomanti- Pós-escrito: Sinergia e Holonômica
de semente do futuro radiossônico, além camente poderia fornecer o modelo de
de possuir respiro espiritual comum, semente global necessário para cruzar o No dia primeiro de Julho de 1983, dois
precisam estar baseados em meios não- corpus callosum que retorna até nós do dias depois que eu terminei o manuscri-
agressivos, ou então descompromissados sonho tormentoso da história para um to de A Ascensão da Terra, R. Buckminster
com o egoísmo básico da ordem atual. futuro que é nosso de maneira própria. morreu, menos de duas semanas antes
Desde que tradicionalmente a prática da do seu octogésimo oitavo aniversário.
arte tem sido os meios mais eficientes No meio tempo, deixamos o leitor ou a Foi através de correspondência que eu
para a transformação não-agressiva de leitora analisar e ponderar sobre os ma- mantive com o Sr. Fuller em 1969 que
energia, tanto interna quanto externa- pas e seguir em frente por si mesmo, de alguma noção sobre o banco psi foi pela
mente, a arte precisa ter um papel prin- acordo com a sua própria habilidade e primeira vez confirmada para mim.
cipal e chave na revolução global atual. conhecimento, a lógica da equação holo- Nossa correspondência, publicada poste-
Mas aqui a arte precisa ser entendida em nômica, lógica além da fantasia humana. riormente em As Correntes Principais do
seu sentido aborígene de cura, purifica- Tendo feito isto, então considere quais as Pensamento Moderno, foram cruzadas
dora, unificadora e juntando as pessoas escolhas que existem para ser tomadas. com a transmissão postmortem do con-
em grupos com propósitos coerentes. É Se A Ascensão da Terra terá qualquer uso ceito de sinergia feita por Charles Henry,
neste aspecto que um chamado é emitido aproveitável, ela se mostrará por si pró- que morreu em 3 de Novembro de 1926,
para a formação da “Rede de Arte Plane- pria como um livro guia para a era da para o Sr. Fuller, que recebeu grande
tária” como os meios de implementar a aurora, do alvorecer. Que aqueles que inspiração em 1927, que se seguiu ao
revolução pela harmonização. chegaram até este ponto possam desco- nascimento de sua filha, Allegra.
brir em si mesmos uma semente, e trans-
Baseada nos princípios da holonômica, formar-se em um caminho de libertação A chance de encontrar-me com o Sr. Ful-
harmonizada espiritualmente, orientada da luz, de modo que outros possam co- ler em 1980, seguindo uma seqüência
no sentido da não-agressão, preparada nhecer. sincrônica de sonhos e outras coincidên-
artisticamente, capaz de utilizar a vasta cias da vida, estabeleceram ainda mais
panóplia de ferramentas disponíveis Ver Mapa – 49 profundamente em mim a realidade de
através do processo de civilização, a Re- uma vasta rede psíquica contra a qual
de de Arte Planetária, como uma matriz nossos egos individuais lutavam em vão.

109
Foi logo depois deste encontro que eu aplica; o tetraedro, cuja forma básica é positivo e negativo ao tetraedro de seis
quase comecei a explorar e articular a um triângulo, três das quais se juntam vetores, a configuração triplete binário
realidade de uma “rede de arte planetá- para produzir uma Quarta “invisível”; e torna-se uma outra maneira de represen-
ria”, como a manifestação tangí- o modelo de campo holonômico resso- tar uma unidade do quantum.
vel/histórica do banco psi global. nante, consistindo de um campo eletro-
magnético radiante, um campo gravita- Como pode ser visto, cada lado da confi-
Com o devido respeito ao Sr. Fuller e ao cional concêntrico, e um campo biopsí- guração triplete binário também contém
incansável zelo em imbuir a consciência quico sintetizador, a interação mutua- três triângulos cada, o número necessá-
da humanidade com uma visão dinâmi- mente ressonante da qual se cria uma rio para criar um tetraedro. Desde que
ca e otimista da integridade do planeta, Quarta, a esfera-campo total de consci- um tetraedro consiste de trinta e dois
de nós mesmos e do universo inteiro ência contínua, a qual inclui tudo e con- itens --- ângulos, faces, vértices, etc. ---- e
como um todo, parece próprio incluir sidera o sentido do tempo e de duração. desde que existem dois tetraedros conti-
como um pós-escrito, um mapa holonô- dos em uma configuração triplete biná-
mico ilustrando a relação íntima entre a O mapa do pós-escrito também demons- rio, há então um total de sessenta e qua-
sinergia e a holonômica. tra a correspondência entre o octaedro e tro itens contidos dentro de uma confi-
a divisão octupla do triplete binário em guração triplete binário. A relação do
As unidades chave nesta relação incluem quatro faces positivas e quatro faces ne- número sessenta e quatro com o código
a configuração triplete binário, o tetrae- gativas, e também a correspondência genético e com o I Ching deve ser óbvia.
dro --- a matéria-prima da sinergética --- entre o tetraedro de seis vetores e a con-
e o modelo de campo ressonante, uma figuração triplete binário de seis partes. Finalmente, como a estrutura básica do
imagem derivada originalmente da men- O tetraedro de seis vetores é composto cubo, o tetraedro, como o cubo, é mos-
te fértil de Charles Henry. de dois triângulos, cada um dos quais trado circunscrito pela esfera compondo
iguala a metade da unidade do quan- o modelo de campo holonômico resso-
Em todas as três imagens, a chave é o tum. O tetraedro de seis vetores comple- nante. A esfera pode ser considerada a
número inteiro três: a dinâmica tripla do to é portanto o equivalente de uma uni- forma geométrica perfeita e sem traços
triplo binário, cuja unidade média pode dade do quantum. Desde que haja uma característicos da qual todas as outras
ser dividida simetricamente de modo exata correspondência entre o triplo bi- formas se derivam giroscopicamente.
que o axioma sinergístico 1 + 1 + 1 = 4 se nário de seis partes, com os seus lados

110
Ao mostrar o mútuo entrelaçamento do
tetraedro, o triplo binário e os modelos
de campo esférico da holonômica, pode
se apreciar mais a magnanimidade infi-
nita do gênio pioneiro da sinergética, R.
Buckminster Fuller.

Ver Mapa 50

111
Apêndices

112
Apêndice I. Quadrados Mágicos de Oi- Apêndice II. O Relatório de Arte Plane- Rede de Arte Planetária têm como mis-
to e Dezesseis, Contribuição de Benja- tária para os Terráqueos Desesperados são primária a educação e a dissemina-
min Franklin do Passado ção da Bandeira da Paz como um meio
simples porém poderoso para a unifica-
Estas imagens são auto-explicativas. To- Este documento foi divulgado primei- ção dos artistas numa escala
davia deve ser observado que o outro ramente como a Segunda metade de um planetária. Significa a cultura da união
exemplo de um quadrado mágico de 8 ensaio, “A Arte do Planeta e a Mudança da arte, ciência e religião
também tem um pulso de 260. Existe de Paradigma”, publicado em Outubro
uma explicação simples para isto. Se vo- de 1980. Foi divulgado pela primeira
cê adicionar os números 1 até 64 em se- vez nesta forma de folha larga no verão
qüência, isto é 1 + 2 + 3 + ... 63 + 64, a so- de 1980, e foi, desde então, reimpressa
ma total é 2080, o número de unidades duas vezes. Incluído aqui como um
na matriz do banco psi, o qual dividido apêndice, ele delineia os princípios bási-
por 8 produz 260. cos que servem como base para o estabe-
lecimento da Rede de Arte Planetária,
Ver Mapa Os Quadrados Mágicos de como sugerido no prefácio. O Relatório
Benjamim Franklin de Arte do Planeta ou Planetária foi
apresentado como um documento no
Primeiro Congresso Planetário, em To-
ronto, em Junho de 1983, e, junto com o
programa apresentado pelo Centro para
a Paz através da Cultura, proporcionou a
base para o estabelecimento atual da Re-
de de Arte Planetária. Dedicado à pro-
moção dos princípios da Paz através da
Cultura como inicialmente articulado
por Nicholas K. Roerich ( 1874 – 1947 ), o
Centro para a Paz através da Cultura e a

113
RELATÓRIO DE ARTE articular o fluxo de propagação da arte Por volta de 1987, rompeu uma crise de
PLANETÁRIA cultural em certos pontos chave do pla- maiores proporções. Nos centros capita-
neta: Egito, Mesopotâmia, Índia, Grécia, listas, a arte alcançou uma condição de
Para os Terráqueos Desesperados do China, México e Peru. Este fluxo se pro- Entropia Comercial Máxima. Nos cen-
Passado pagou, criando interações de várias es- tros comunistas, uma greve maciça de
pécies, e finalmente se expandiu até co- artistas produziu a condição de Paralisa-
Embora seu comportamento possa pare- brir o globo por meio de uma rede elétri- ção Estética Total. Estes fenômenos fo-
cer ao acaso ou mesmo caprichoso a ca de sutileza e sofisticação crescentes. ram sintomáticos de uma situação mais
maioria do tempo, a arte de nosso plane- ampla. Na Grande Crise Global das duas
ta é um sistema fluído, sujeito às leis na- Foi durante o período de industriali- últimas décadas do século Vinte, durante
turais que governam o comportamento zação ( 1800 – 2000 ) que a arte do Plane- o colapso da maioria dos sistemas soci-
de toda a matéria e energia. Ajudados ta experimentou a sua maior transforma- ais, agravada por hostilidade e por der-
por ferramentas como computadores, ção. Apesar de alguns experimentos vá- rocada econômica crescentes, quase ter-
radares e satélites, expandimos nossa lidos, de modo geral, todos os sistemas minou com a Civilização Industrial Glo-
habilidade de expressar arte, e chegamos locais foram rompidos pela intrusão da bal.
a entender que seu comportamento en- indústria de máquinas e pela mídia ele-
volve uma miríade de interações do mi- trônica. Nas nações de persuasão eco- Foi nesta época que uma arte planetária
croscópico até o global, estendendo-se nômica capitalista, a arte transformou-se genuína apareceu. Tudo começou no ano
até o sol e ao espaço interplanetário. em empreendimento comercial; artistas fatal de 1987. Bem significativa, a ativi-
foram encorajados a competir em vez de dade inicial ocorreu em conjunto com o
A arte planetária emergiu pela primeira se associar coletivamente. Nas nações NCAR (Centro Nacional para Pesquisa
vez durante o último Período Glacial. onde uma economia comunista prevale- Atmosférica ou National Center for At-
Com o começo da era Holocena cerca de cia, a arte se transformou na ferramenta mospherie Reserch) na base das monta-
12000 anos atrás, ela se tornou uma ca- da propaganda estatal e era expressada nhas Rochosas no coração do continente
racterística da cultura humana. Primeiro através de formas burguesas fora de norte americano. Como o centro nevrál-
através de ritual e depois através de moda. gico de uma das redes científicas plane-
templos monumentais e dos ofícios rela- tárias mais sofisticadas, responsável pela
cionados, a arte planetária começou a monitoramento das mudanças climáticas

114
extraterrestres e global, as instalações da 1 – Arte é uma função da energia. Dada a arte, a energia e a saúde estão relacionadas
NCAR acabou se tornando cada vez unidade da espécie humana como um mero integralmente. Se o produtor ou a produtora
mais vital depois da intensificação vul- organismo planetário, a arte é o tecido de de arte não está convencido de seu ou de sua
cânica e da atividade sísmica que resul- conexão expressiva, ligando os organismo sanidade e de sua bondade básica e não está
tou na monumental mudança da placa individuais através das transformações de trabalhando de modo a alinhar seu ser com-
tectônica do Pacífico em 1986. energia focalizadas nos centros emocionais pleto com o espectro de energia universal,
destes organismos. A energia emocional é a então o efeito de arte resultante ( artefato,
Dois grupos pioneiros operando na área manifestação contínua expressiva ou aparen- produto artificial ) será incompleto e possi-
da NCAR se encontraram durante a te de energia vital ou biopsíquica. Catalisada velmente quase destrutivo para a saúde. A
primeira lua nova de Fevereiro de 1987: convenientemente através da forma, ritmo, transformação do ser é o alinhamento da
ERPW (Exploradores da Riqueza do cor, luz, som e movimento, a energia emocio- energia orgânica pessoal com o espectro de
Mundo Fenomenal) e a WUGAE (União nal está relacionada diretamente com o esta- energia total, conjugado com a aquisição de
Mundial dos Guardiões da Evolução belecimento de um equilíbrio dinâmico com quaisquer habilidades que sejam necessárias
Estética ). Por meio de um contrato com as outras forças do mundo fenomenal, desde para comunicar qualidade e profundidade de
a NCAR, os dois grupos puderam usar o o nível microscópico até o nível galáctico. Em sentimento e de discernimento através de
vasto sistema de comunicação e começar outras palavras, não há qualquer possibilida- quaisquer meios.
a unir os artistas em outros centros pla- de de gerenciamento de energia em qualquer
netários principais, de modo a instituir a nível e para qualquer uso sem o desenvolvi- 3 – Abertura de associação estética coletiva
(GAMMA) Decreto da Missão Global de mento conveniente do sistema de energia da de classes individuais. A criação individual
Monitoramento das Artes, Através deste arte. Quando a arte não funciona, todos os de arte não somente para satisfazer a ambição
Decreto ou Ato, o ERPW e o WUGAE sistemas também param de funcionar. De pessoal mas para expressar abertamente e
conseguiram elaborar e difundir com acordo com William Blake, ‘Arte degradada, serenamente o universo como o artista o vi-
sucesso o famoso Comunicado de Ener- Imaginação negada, Guerra governa as Na- vência, desenvolve inevitavelmente uma ati-
gia e de Arte Planetária de 1987. Como ções.’ tude inclusiva, isto é que a arte deve comuni-
fundação de toda a atividade artística car com e incluir o máximo possível uma
seguinte, vale a pena repetir aqui os pon- 2 – Não há arte genuína sem a transformação gama de membros atingidos. O sentimento
tos básicos deste Comunicado: de si mesmo. Dada a natureza da arte com universal sendo de preferência inclusivo e
uma função da energia, descobrimos que a não exclusivo, o artista também procura pela

115
possibilidade de desenvolvimento estético aquela que nasce a partir de um interesse que eletrônicas, ela pode monitorar estas visões
através da associação coletiva com outros irá beneficiar o maior número de pessoas por em uma escala global. Assim, enquanto en-
indivíduos de pensamento parecido. Isto co- tantas gerações quantas ainda por vir possam tramos em um estágio prolongado de anar-
loca a base para os esforços artísticos coopera- ser concebíveis. quia política e barbarismo, a arte planetária
tivos. pode apresentar uma visão unificada. Isto
5 – O reconhecimento da arte como uma rede será de grande auxílio no longo período de
4 – A universalidade da arte planetária in- planetária vital para o funcionamento do reconstrução que teremos pela frente.
clui o passado e o futuro no momento presen- organismo humano considerado como um
te. A arte sendo a expressão de energia, os todo interrelacionado, é um fator para o esta- 6 – Aqueles que formam as Associações de
grandes monumentos da arte passada são na belecimento da base de uma nova ordem soci- Arte Planetária precisam agir através de
verdade momentos do presente no tecido de al planetária. O organismo planetário tem uma consideração comum em relação à na-
conexão expressivo da arte do planeta. As mudado além de suas atuais limitações anár- tureza profundamente espiritual da espécie
estruturas da pirâmide de Giza, Teotihuacan, quicas pré-holísticas e a arte do planeta é na humana. Sem esta fé na bondade básica da
Borobadur; as Cavernas de Ajanta; a Acrópo- verdade uma ferramenta para facilitar a humanidade e na capacidade de transforma-
le; Catedral de Chartres; a pintura de paisa- transformação do presente. A primazia da ção, a arte planetária vacilaráá na grande
gens Chinesa; as Mesquitas de Isfahan, todos arte será estabelecida e métodos novos e mais quantidade de guerras e de crimes egoístas do
estes monumentos englobam uma rede de saudáveis e benéficos de viver substituirão as passado.
pontos de transmissão estética. A energia da atividades estéreis da linha de montagem da
qual estes monumentos são repositórios con- Transição Industrial. Fazendo pleno uso da Estes são os pontos principais do Comu-
tinua a se difundir. Suas transmissões são educação e das atividades de lazer possibili- nicado de Arte Planetária de 1987.
nutrientes juntando-se à saúde do organis- tadas pela tecnologia computacional, a arte Transmitido com cautela através de um
mo. Sua forma e estrutura fornecem as cha- planetária fornece as formas não- consórcio das Associações de Arte Plane-
ves para o desenvolvimento do sistema de ameaçadoras de contemplar e agir. Atraídos tária, estas medidas fornecem um grau
arte planetária pós-industrial. Novas formas pelas lições aprendidas dos excessos da mo- imenso de visão positiva e deleite espiri-
tais como a arquitetura radiosônica ( combi- narquia antiga e da democracia moderna, a tual através dos Sete Séculos de Escuri-
nando estrutura luminosa visual e som ) arte planetária pode apresentar formas estéti- dão que precederam a formação da Mon-
integram a energia do passado e a visão do cas com raízes nos padrões hieráticos orgâni- tagem Planetária dos Guardiões da Ter-
futuro. A visão do futuro é simplesmente cos da natureza. Utilizando as comunicações ra, quando o florescimento total da arte

116
planetária finalmente aconteceu. Final- A beleza do banco psi e dos vários pa- fundas do código genético, e qualquer
mente reconciliado com o Conselho Glo- drões e das permutações binarias deri- variedade de explorações baseadas nos
bal para as Transformações de Energia, a vadas dele, é o fato de que o banco psi ritmos das permutações binarias. Mais
Associação de Arte Planetária pode ago- não pertence a ninguém. Como o protó- do que qualquer outra coisa, todavia, as
ra declarar seguramente que o Planeta tipo dos protótipos, sua estrutura psí- receitas holonômicas contidas aqui de-
Terra foi concebido com um trabalho de quica permeia tudo o que vive e cada vem levar à novas formas sinestéticas e
arte. dinamismo que possamos vir a conhecer. de síntese do conhecimento e da expres-
PAEG, Conselho Central Sua acessibilidade apenas aumenta atra- são. Começando com os gráficos de
Solstício de Verão, 735 AH (Após Hiros- vés da abertura de si mesmo e da har- computador, a arte das permutações bi-
hima) monização com a sua ordem inerente e narias pode levar à formas subdesenvol-
radiante. Os padrões e as visões contidas vidas de sintetização da luz e das estru-
Apêndice III. neste texto são testemunhos deste pro- turas do som. Chamando pela coordena-
O Livro de Receitas Holonômico: cesso. Eles são oferendas para toda a ção de diferentes habilidades, estas no-
Matriz Psi Vazia humanidade. E como oferendas, eles são vas formas inevitavelmente levam ao
chaves e ferramentas. Não existe apenas desenvolvimento social correspondente
Aqui está a matriz psi de 2080 unidades um livro de colorir holonômico a ser de novas cooperativas artísticas, espórios
baseada na grade do Tzolkin de 8. Leito- descoberto entre estas páginas, mas, de- ou sementes de arte, nos quais os talentos
res do livro A Ascensão da Terra são en- pendendo dos talentos e das habilidades de artistas e de técnicos são combinados
corajados a estudar esta versão vazia da individuais de cada um, há virtualmente com aqueles talentos dos cientistas e de
matriz e transformá-la em sua própria uma fonte inesgotável de possibilidades pensadores filósofos de todas os tipos
matriz pelo descobrimento e pelo ato de na aplicação de muitos dos mapas que para criar aquelas situações meio-
colorir no padrão de urdidura psi por si compõem o livro A Ascensão da Terra. ambientais que conduzem a novos níveis
mesmos. Agindo assim será o primeiro de inspiração pública e de ascensão.
passo na criação do livro de colorir ho- Assim, em adição ao livro de colorir, ou-
lonômico. Com um conjunto de lápis de tras receitas estão incluídas: novos sis- Na parte central das novas estruturas
cor, qualquer um pode fazê-lo. temas de notação musical, novos estudos organizacionais do espório de arte holo-
interpretativos e formas de arquitetura nômica está o componente terapêutico
baseadas no I Ching, investigações pro- de cura e de purificação. A maioria da

117
humanidade agora enfraquecida de vita- como um resultado de inventar novas Agradecimentos
lidade do mundo natural pode estar receitas a partir das estruturas relacio-
harmonizada e re-sensibilizada através nais infinitas contidas nos limites amplos Um livro com este é uma ruptura, uma
das experiências sinestéticas que são tão e harmoniosos deste livro. Vamos para a densidade ordenada fomentada dentro
profundamente terapêuticas quanto são frente. Comece com você mesmo, passe da dor, luta e caos da vida do dia-a-dia.
elevadoras e enobrecedoras. Tais banhos para outro, e então depois de dois, serão
sinestéticos não deveriam apenas ser quatro .... muitos mais serão incluídos. Extraido, elaborado, e refinado no labo-
experiências passivas, mas deveriam Não pare até que o mundo e você mes- ratório das experiências de minha pró-
conter o imperativo evolucionário que mo não sejam diferentes. pria vida, este livro no entanto, deve a
destrava os mais elevados instintos de sua existência às muitas pessoas que me
maneira que, através do desenvolvimen- Estudar o modo amaram, cuidaram de mim e me susten-
to sinergístico, mais empreendimentos É estudar a si mesmo; taram durante o período de tempo no
cooperativos iriam se apresentar de ma- Estudar a si mesmo qual este volume em particular estava
neira natural: esquadrões da eco(logia) em gestação, e também durante a sua
É esquecer a si mesmo;
purificando e estudando as harmonias formação atual. A principal é minha es-
naturais do meio ambiente terrestre, Esquecer a si mesmo posa, Lloydine Burris, cujo discernimen-
grupos de investigação psicoatmosférica, É ser iluminado por todas as coisas; to perfeito, inteligência e tremendo enco-
árbitros de recursos geoeconômicos, Ser iluminado por todas as coisas rajamento pareciam, algumas vezes, tu-
unidades de arte dramática para terapia É remover a barreira entre si mesmo e o do o que eu tinha. É necessário mencio-
e assim por diante. outro. nar também as crianças da minha vida,
cuja curiosidade bajuladora e esperta era
Assim, a matriz psi vazia não passa de sempre uma inspiração: Josh, Heidi, Paul
Dogen, 700 P.A.
um convite rápido para cada pessoa ex- e Tara.
plorar por si mesma as vastas possibili-
Ver Mapa sem nome
dades inerentes ao livro A Ascensão da Qualquer livro ou trabalho de arte é um
Terra. A cooperação através da compai- ato de concentração, uma evocação. Nes-
xão e atuação hábil são algumas das qua- te caso, as pessoas que evocaram e for-
lidades que podem ser desenvolvidas neceram a platéia e o estímulo para mui-

118
tas das idéias e imagens contidas nestas Existem pessoas especiais em Shambhala fizeram a visão que cura mais luminosa e
páginas foram meus alunos tanto na Publications que merecem agradecimen- clara.
Universidade do Colorado, Denver tos e vivas pelo seu cuidado e preocupa- Obrigado a todos.
quanto no Instituto Naropa, Boulder, a ção na produção deste livro, principal- José A. Argüelles
quem expresso meu mais profundo mente minha redatora, Emily Hilburn, e Boulder, Colorado
apreço. a gerente de produção e projeto, Eje
29 de Junho de 1983
Wray. Também dando assistência ao
Abaixo da superfície das palavras e das processo de produção estavam Gail Ren-
imagens precisa ter visão. Na verdade, a lund e o gênio da sincronia, Howard
visão é uma responsabilidade pessoal. Wapner.
Mas mesmo quando a visão chega, para
que o seu significado seja comunicado, Finalmente, preciso expressar minha gra-
precisa haver as ferramentas e o orienta- tidão às muitas pessoas não apenas na
ção de outras pessoas mais experientes. América do Norte mas também ao redor
Neste aspecto, sou muito agradecido ao do mundo, que, quando eu me achava
meu professor, Chogyan Trungpa, Rim- em dificuldades, deram-me o encoraja-
poche, cujo exemplo e sabedoria sutil- mento e a inspiração para perseguir meu
mente instruiu a corrente de espirituali- sonho. Entre estas pessoas, em especial,
dade, base de A Ascensão da Terra. gostaria de mencionar: Dane Rudhyar e
Leyla Rael, Jack Burnham, Francis V.
Um livro não é apenas uma idéia, mas O’Connor, Charles e Judy Tart, meu ir-
uma realidade. O fato de A Ascensão da mão, Ivan, e naturalmente, minha mãe e
Terra ser um tanto prolixo é devido ao meu pai.
meu velho amigo e editor, Sam Bercholz,
um homem de visão e inspiração que Tudo que resta a acrescentar a estes é a
sem hesitar, me disse para ir em frente! vasta rede dos vivos e dos mortos, dos
próximos e dos que estão distantes, de
todos aqueles que tocaram minha vida e

119
Aveni, Anthony, Ed. Archeoastronomy in Bohm, David. Wholeness and Implicate
Pre-Columbian America. Austin, Order. London, Routledge & Kegan Paul,
IBLIOGRAFIA University of Texas Press, 1975. 1980.
Bailey, Alice A. Consciousness of the Atom. Burckhardt, Titus. Art of Islam: Language
Andry-Bourgeois, Charles. L’Ouevre de New York, Lucis Trust, 1922. and Meaning. Westerham, World of Islam
Charles Henry et le Probleme de la Survie. Bascom, William. Ifa Divination: Festival Publishing Company, 1976.
Paris, Editions Jean Meyer, 1931. Communion Between Gods and Men in ______________. Sacred Art in East and
Ardelan, Nader and Laleh Bakhtiar. The Africa. Bloomington, Indiana University West: Its Principles and Methods. London,
Sense of Unity: The Sufi Tradition in Press, 1969. Perennial Books, 1967.
Persian Architecture. Chicago, University Bellamy, H.S. and P. Allan. The Calendar Carrasco, David. Quetzalcoatl and the
of Chicago Press, 1973. of Tiahuanaco. London, Faber & Faber, Irony of Empire. Chicago, University of
Arguelles, Jose A. Charles Henry and the 1956. Chicago Press, 1982.
Formation of a Psychophysical Aesthetic. Bennet, Steven J. “Patterns of the Sky Capra, Fritjof. The Turning Point. New
Chicago, University of Chicago Press, and Earth: The Chinese Science of York, Simon and Schuster, 1982.
1972. Applied Cosmology,” Chinese Science, Carlson, John B. “A Geomantic Model
______________. The Transformative vol III, University of Pennsylvania, 1978, for the Interpretation of Mesoamerican
Vision: Reflections on the Nature and pp. 1-26. Sites: An Essay in Cross-Cultural
History of Human Expression. Berkeley, Bentov, Itzhak. Stalking the Wild Comparisons,” in Elizabeth P. Benson,
Shambhala Publications, 1975. Pendulum: On the Mechanics of ed., Mesoamerican Sites and World-views.
______________, and Miriam T. Consciousness. New York, E.P. Dutton, Washington, D.C., Dumbarton Oaks
Arguelles. The Feminine, Spacious as the 1977. Research Library and Institute, 1981, pp.
Sky. Boulder, Shambhala Publications, Bertholet, Rene. La Pensee de I’Asie et 143-203.
1977. I’Astrobiologie. Paris, Payot, 1949. Carus, Paul. Chinese Astrology: Early
______________, and _________________, Birren, Faber. Color, A Survey in Words Chinese Occultism. Chicago, Open Court
Mandala. Berkeley, Shambhala and Pictures. Hyde Park, University Press, 1974.
Publications, 1972. Books, 1963. Chang, Garma C.C. The Buddhist
Philosophy of Totality. University Park,

120
The Pennsylvania State University Press, Architecture. Boulder, Shambhala Fix, William. Star Maps. London,
1971 Publications, 1981. Octopus, 1977.
Chu, Dr. WenKuan. The Astrology of I Dossey, Larry. Space, Time and Medicine. Freedman, Maurice. “Geomancy,” 1968
Ching. London, Routledge & Kegan Paul, Boulder, Shambhala Publications, 1982. Presidential Address in Proceedings of the
1976. Douglas, Mary. Natural Symbols: Royal Anthropological Institute of Great
Collins, Rodney. The Theory of Celestial Explorations in Cosmology. New York, Britain and Ireland. London, Athlone,
Influence. New York, Samuel Weiser, Pantheon Books, 1981. 1969, pp. 5-18.
1954. Eliade, Mircea. Cosmos and History: The Fuller, R. Buckminster. Operating Manual
The Cooper Union. “Ma: The Japanese Myth of the Eternal Return. New York, for Spaceship Earth. Carbondale, Southern
Concept of Space/Time,” Catalog for an Pantheon Books, 1954. Illinois University Press, 1969.
exhibit at the Cooper Memorial Union, ____________. Shamanism: Archaic ________________. Synergetics:
New York, 1978. Techniques of Ecstasy. Princeton, Explorations in the Geometry of Thinking.
Corbin, Henry. Spiritual Body and Princeton University Press, 1964. New York, Macmillan Publishing Co.,
Celestial Earth: From Mazdean Iran to Faucett, Lawrence. Time and Morality: 1975.
Shi’ite Iran. Princeton, Princeton Establishing a Babylonian Source for Hindu ________________. Synergetics 2. New
University Press, 1977. and Mayan Chronologies. Woodland Hills, York, Macmillan, 1979.
de Chardin, Pierre Teilhard. The Future of Ca., 1956. ________________. Tetrascroll: Goldilocks
Man, trans. Norman Denny. New York, Evans-Wentz, W.Y. The Fairy Faith in and the Three Bears, A Cosmic Fairy Tale.
Harper & Row, 1964. Celtic Lands. Gerrard’s Cross, Colin New York, St. Martin’s Press, 1975.
______________________. The Smythe Ltd., 1977. Gaster, Theodore. Thespis: Ritual, Myth
Phenomenon of Man, trans. Bernard Wall. Ferguson, Marilyn. The Aquarian and Drama in the Ancient Near East. New
New York, Harper & Row, 1959. Conspiracy: Personal and Social York, W.W. Norton, 1977.
de Santillan, Giorgio and Hertha von Transformation in the 1980s. Los Angeles, Geometry and Architecture, Lindisfarne
Dechend. Hamlet’s Mill: An Essay on J.P. Tarcher, 1980. Letter, no. 10. West Stockbridge,
Myth and the Frame of Time. Ipswich, Feuchtwang, Stephan D.R. An Lindisfarne Press, 1981.
Gambit, 1969. Anthropological Analysis of Chinese Godwin, Joselyn. Robert Fludd: Hermetic
Doczi, György. The Power of Limits: Geomancy. Vithagna, Laos, Collections Philosopher and Surveyor of Two
Proportional Harmonies in Nature, Art, and Connaissance de I’Asie, 1974.

121
Worlds. Boulder, Shambhala Publications, Hook, Diane Farington. The I Ching and Jones, Marc Edmund. Occult Philosophy.
1979. Mankind. London, Routledge & Kegan Boulder, Shambhala Publications, 1977.
Govinda, Lama Anagarika. The Inner Paul, 1975. Keys, Donald. Earth at Omega: Passage to
Structure of the I Ching: The Book of __________________. The I Ching and Planetization. New York, Branden, 1982.
Transformations. San Francisco, You. London, Routledge & Kegan Paul, Kushi, Michio. “Oriental Astrology,”
Wheelwright Press, 1981. 1973. Order of the Universe Review. Brookline,
_____________________. Psychocosmic Hoyle, Sir Fred and Chandra Kushi Publications, 1981.
Symbolism of the Buddhist Stupa. Wickramasinghe. Evolution from Space. Lark, Karl G. The Mystery of DNA
Emeryville, Dharma Press. New York, Simon & Schuster, 1982. Replication. Salt Lake City, University of
Hall, P. Manley. Secret Teachings of All Hunt, Roland. The Seven Keys to Color Utah Press, 1980.
Ages. Los Angeles, The Philosophical Healing: Diagnosis and Treatment Using Liu, Da. I Ching Numerology: Based on
Research Society, 1977. Color. New York, Harper & Row, 1982. Shao Yung's Classic, Plum Blossom
Hambridge, Jay. The Elements of Dynamic I Ching or Book of Changes, trans. Richard Numerology. San Francisco, Harper &
Symmetry. New York, Brentano’s, 1926. Wilhelm/Cary Baynes. Princeton, Row, 1979.
Harman, Willis. An Incomplete Guide to Princeton University Press, 1967. Lowe, Michael and Carmen Blacker, eds.
the Future. Palo Alto, Stanford Alumni Jackson, Kenneth Hurlstone. A Celtic Oracles and Divination. Boulder,
Association, 1976. Miscellany. London, Routledge & Kegan Shambhala Publications, 1981.
Hawkins, Gerald S. Stonehenge Decoded. Paul, 1951. Leonard, George. The Silent Pulse. New
New York, Dell Publishing Company, 1965. James, E.O. From Cave to Cathedral: York, E.P. Dutton, 1978.
Henry, Charles. Essai de Generalisation de Temples and Shrines of Prehistoric, Classical Leon-Portilla, Miguel. Time and Reality in
la Theorie du Rayonnement: Resonateurs and Early Christian Times. London, the Thought of the Maya. Boston, Beacon
Gravitiques et Resonateurs Biologiques. Thames & Hudson, 1965. Press, 1973.
Paris, Bulletin de I’Institut Jantsch, Erich and Conrad Waddington. Lessa, William A. Chinese Body
Psychologique, 1924, no. 4. Evolution and Consciousness: Human Divination: Its Forms, Affinitios and
Heyerdahl, Thor. Aku Aku: The Secret of Systems in Transition. Reading, Addison Functions. Los Angeles, United World,
Easter Island. London, George Allen & & Wesley, 1976. 1968.
Unwin, 1958. Jaulin, Robert. La Geomancie: Analyse Makenson, Maud Worcester. The
Formelle. Paris, Cahiers de I’Homme, 1966. Morning Star Rises: An Account of

122
Polynesian Astronomy. New Haven, Yale ______________. Sacred Geometry: ___________. This Holyest Earth: The
University Press, 1941. Symbolism and Purpose in Religious Glastonbury Zodiac and King Arthur’s
Mann, A.T. The Round Art: The Astrology Structures. San Francisco, Harper & Row, Camelot. London, Perennial Books, 1974.
of Time and Space. London, Dragon 1981. The Roerich Pact and The Banner of
World, 1979. Perry, John Weir. Lord of the Four Peace. New York, The Roerich Pact and
Michell, John. City of Revelation: On the Quarters: Myths of the Royal Father. Banner of Peace Committee, 1947.
Proportions and Symholic Numbers of the New York, The MacMillan CO., 1966. ______________ The Galactic Dimension
Cosmic Temple. New York, David McKay, Plato, Timaeus, trans. Francis M. Cornford. of Asfrology: The Sun is also a Star. New
1972. New York, The Liberal Arts Press, 1959. York, ASI Publishers, 1975.
___________. The View Over Atlantis. Pribram, Karl. Languages of the Brain. Rudhyar, Dane. Culture, Crisis and
London, Granstone Press, 1969. Englewood Cliffs, Prentice-Hall, 1971. Creativity. Wheaton, The Theosophical
Nasr, Hossein Sayyed. An Introduction to ___________ , “Toward a Holonomic Publishing House, 1977.
Islamic Cosmological Doctrines. Boulder, Theory of Perception,” in S. Ertel, ____________. The Magic of Tone and
Shambhala Publications, 1978. Gestalttheorie in der Moderne the Art of Music. Boulder, Shambhala
___________________. Islamic Scienee - An Psychologie. Darmstadt, Steinkopff, 1975. Publications, 1982.
Illustrated Study. London, World of Islam Rawson, Philip and L. Legeza. Tao: The ____________. Occult Preparations for a
Festival Publishing Co., 1976. Chinese Art of the Occult. London, New Age, Wheaton, The Theosophical
Needham, Joseph. Science and Civilization Thames and Hudson, 1973. Publishing House, 1975.
in China, Vol. II, “History of Scientific Reichard, Gladys A. Navajo Medicine Man ____________. The Planetarization of
Thought,” and Vol. III, “Mathematics Sand Paintings. New York, J.J. Augustin, Consciousness. Waasenar, The
and the Sciences of Heaven and Earth.” 1939. Netherlands, Servire, 1970.
Cambridge, Cambridge University Press, Reiser, Oliver. Cosmic Humanism: A Russell, Peter. The Global Brain. Los
1956, 1959. Theory of the Eight Dimensional Cosmos Angeles, J.P. Tarcher, 1982.
Pennick, Nigel. The Ancient Science of Based On Integrative Principles From Sachse, J.F. Benjamin Franklin as
Geomancy. London, Thames and Hudson, Science, Religion and Art. Cambridge, Freermason. Philadelphia, 1906.
1979. Schenkman, 1966. Samples, Bob. Mind of Our Mother:
______________. Geomancy. Cambridge, Toward Holonomy and Planetary
Cockaygne Publishing Co., 1973.

123
Consciousness. Reading, Ma., Addison- Sherrat, Andrew, ed. The Cambridge Talbot, Michael. Mysticism and the New
Wesley Publishing, 1981. Encyclopaedia of Archeology. Cambridge, Physics. New York, Bantam Books, 1980.
Cambridge University Press, 1980. Tart, Charles. Psi: Scientific Studies of the
Schönberger, Dr. Martin. The Hidden Key Psychic Realm. New York, E.P. Dutton,
Saso, Michael R. Taoism and the Rite of to Life. Munich, O.W. Barth Verlag, 1973. 1977.
Cosmic Renewal. Seattle, University of Situ, Tai. “The Ten Aspects of Knowledge,” Tarthang Tulku. Kalachakra: Tibetan
Washington Press, 1972. Vajradhatu Sun (Boulder), March 1982. Astrological Chart. Emeryville, Dharma
Schwaller de Lubicsz, R.A. The Temple in Skinner, Stephen. The Living Earth Press, 1971.
Man: Sacred Architecture and the Perfect Manual of Feng Shui: Chinese Tompkins, Peter. Mysteries of the Mexican
Man. New York, Inner Traditions, 1977. Geomancy. London, Routledge & Kegan Pyramids. New York, Harper & Row, 1976.
Scott, Walter, ed. Hermetica: Ancient Paul, 1982. _____________. Secrets of the Great
Greek and Latin Writings which Contain ______________. Oracle of Geomancy: Pyramid. New York, Harper & Row,
Religious or Philosophic Teachings Divination by Earth. London, Routledge 1971.
Ascrbed to Hermes Trismegistus. & Kegan Paul, 1977. Van Doren, Carl C. Benjamin Franklin.
Boulder, Hermes House, 1982. ______________. Terrestrial Astrology: New York, Viking Press, 1938.
Scully, Vincent. The Earth, The Temple and Divination by Geomancy. London, Veith, Ilsa. The Yellow Emperor’s Classic of
the Gods: Greek Sacred Architecture. New Routledge & Kegan Paul, 1980. Internal Medicine. Berkeley, University of
York, Frederick A. Praeger, 1969. Stamp, Jeffrey. Holonomy: A Human California Press, 1966.
Shearer, Tony. Beneath the Moon and Systems Theory. Intersystems von Simpson, Otto. The Gothic Cathedral:
Under the Sun: A Poetic Reappraisal of the Publications, 1981. Origins of Gothic Architecture and the
Sacred Calendar and the Prophecies of ___________, and Jessica Lipnack. Medieval Concept of Order. New York,
Ancient Mexico. Albuquerque, Sun Networking: The First Report and Directory. Pantheon Books, 1956.
Books, 1975. New York, Doubleday, 1982. Watson, James D. The Double Helix. New
Sheldrake, Rupert. A New Science of Life: Stcherbatsky, Theodor. The Central York, Atheneum, 1968.
The Hypothesis of Formative Causation. Conception of Buddhism and the Meaning of Wheatley, Paul. Pivot of the Four Quarters:
London, Muller, Ltd., 1982. the Word Dharma. Delhi, Motilal A Preliminary Enquiry into the Origins and
Banarsidas, 1970. Character of the Chinese City. Chicago,
Aldine, 1971.

124
Wilber, Ken, ed. The Holographic
Paradigm and Other Scientific Paradoxes.
Boulder, Shambhala Publications, 1982.
Yoon, Hong-Key. Geomantic Relationships
between Culture and Nature in Korea.
Berkeley, University of California Press,
1976.
Young, Louise B. Earth’s Aura. New
York, Alfred A. Knopf, 1977.
Zink, David. The Ancient Stones Speak:
A Journey to the World’s Most
Mysterious Megalithic Sites. New York,
E.P. Dutton, 1979.

125
Atualização 1996

126
ATUALIZAÇÃO 1996: O TEMPO E A tidade de importância geológica. Ao con- O fato de Vernadsky Ter também traba-
BIOSFERA, OS QUATRO ANOS DA trário de Vernadsky, cheguei a este pon- lhado na natureza e no advento da noos-
PRIMEIRA PAZ MUNDIAL to de vista a partir de estudos integrados fera foi levado em consideração no Pre-
de história da arte, simbolismo compara- fácio da Segunda edição de A Ascensão da
A Ascensão da Terra foi publicado pela tivo, o I Ching e, naturalmente, o Terra. Naquele momento, minhas pró-
primeira vez em 1984. Quatro anos mais Tzolkin, a pedra angular do código do prias investigações sobre a ciência Maya
tarde, em 1988, saiu a Segunda edição. calendário Maya. do tempo tinham avançado significati-
Ambas as edições pararam de ser im- vamente de modo que o código do
pressas. Mas a visão e a verdade conti- A Ascensão da Terra forneceu a razão para Tzolkin que serve de base para o banco
das neste livro único persistiu. Agora, esta conclusão comum, vinda de duas psi foi demonstrado ser, posteriormente,
numa duplicação binaria, oito anos após linhas distintas de investigação em dois o mesmo que o código dos treze bak-
a Segunda edição, sai a terceira. Sua lugares separados em duas épocas dife- tuns-260 katuns da Longa Contagem. Os
eternidade visionária e científica é mais rentes: a descoberta e a existência do treze Baktuns fornecem uma medida
aplicável agora do que antes. banco psi, o mecanismo guia auto- precisa do ciclo de transformação huma-
regulador da evolução da inteligência no na, o terceiro e mais crítico termo na
A primeira edição de A Ascensão da Terra planeta Terra. equação holonômica de cinco partes.
foi escrita sem o benefício da exposição Contudo, em 1988, minha exposição às
ao pensamento de Vladimir I. Vernadsky De acordo com A Ascensão da Terra, o idéias de Vernadsky eram ainda de Se-
( 1863 – 1945 ), cientista russo pioneiro banco psi permanece como um fenôme- gunda mão, chegando através do livro
cujas investigações elaboradas no reino no inconsciente guiando o desenvolvi- Planeta da Razão de I. Laptev; também,
da geoquímica resultaram no seu traba- mento da humanidade até um ponto no minhas próprias investigações da ciência
lho pioneiro, A Biosfera ( 1926 ). Como futuro iminente quando o processo his- do tempo Maya não tinha chegado ainda
prova da existência de um mecanismo tórico estiver completado e a humanida- à uma conclusão definitiva.
sincronizador, Vernadsky e eu tínhamos de tornar-se planetizada verdadeiramen-
dos dois chegado à mesma conclusão: te. Este momento é descrito como o ad- Em Dezembro de 1989, embora eu esti-
em face da transformação da natureza vento da noosfera e está sinalizado pela vesse me devotando completamente aos
feita pelo esforço humano, é necessário manifestação consciente do banco psi. estágios finais da pesquisa sobre o siste-
visualizar a humanidade como uma en- ma matemático básico do Tzolkin, eu

127
estava no Museu do Tempo em Geneva, irregular da medida de doze partes de com os ciclos de tempo Maya. Minha
Suíça com minha esposa, Lloydine, e um círculo no espaço, cujos arcos de 30 esposa e eu embarcamos neste experi-
descobrimos a lei e os princípios das fre- graus não correspondem a nenhum cír- mento de modo a chegarmos a um en-
qüências do tempo. Esta descoberta foi o culo natural; e é mecânico porque a sua tendimento fenomenológico e objetivo
ponto mais importante em todos os fonte, o círculo no espaço, também for- da matemática básica do Tzolkin ou có-
meus longos anos de pesquisa. Em es- nece a base para o relógio mecânico, cuja digo do Calendário Maya.
sência, esta descoberta demonstra que a divisão em segundos, minutos e horas
humanidade desenvolveu e produziu também não corresponde a nenhum ciclo O resultado surpreendente foi a desco-
uma transformação de impacto geológi- natural. Por causa que o tempo é um fe- berta não apenas da freqüência de tempo
co da natureza ao seguir e aceitar uma nômeno biológico, experimentado subje- 12:60, mas também da freqüência natural
freqüência de tempo artificial. Como tivamente pela mente, a conseqüência de de medição do tempo, 13:20. Surpreen-
conseqüência da aceitação inconsciente seguir --- e permitir tornar-se uma Se- dente porque muito mais profunda do
de, e da adoção desta freqüência de tem- gunda natureza ---- uma freqüência arti- que eu tinha suposto originalmente em
po --- um erro no tempo --- a humanida- ficial, irregular e mecânica de medição O Fator Maya ( 1987 ), a matemática bási-
de acelerou sua entrada para dentro do do tempo somente pode resultar na ca do calendário Maya era na verdade a
tecido natural da biosfera, multiplican- transformação da civilização no fenôme- matemática da Quarta dimensão. Pro-
do, propagando e incrementando grada- no que é hoje: um pesadelo suicida, cuja gramado como a matriz do Tzolkin ( 13 x
tivamente a velocidade e o volume de administração unilateral de acordo com 20 = 260 ), 13:20 se refere mais generica-
sua civilização mecânica até o ponto os valores monetários somente a precipi- mente às treze luas, o ciclo da lua de 28
apocalíptico no qual ela agora se encon- ta de ponta-cabeça para a catástrofe bios- dias da mulher como a medida da órbita
tra. férica. anual da Terra, e as 20 freqüências sola-
res, biologicamente codificadas como os
De acordo com esta descoberta, a fre- A descoberta da freqüência artificial de 20 dedos de nossas mãos e pés. (Veja
qüência artificial do tempo é referida medição do tempo a qual separa a hu- Mapa 2). Por esta razão, a freqüência
como 12:60: o calendário de doze meses, manidade da natureza enquanto a leva natural de medição do tempo está total-
hora de 60 minutos. Esta freqüência de para longe do seu curso original somente mente codificada em nossa própria bio-
medição do tempo é artificial porque o poderia Ter sido feita por causa de meu logia. O Tempo é biologia, não mecani-
calendário de doze meses é uma adoção próprio experimento ao viver de acordo zação.

128
A partir desta descoberta, resultam três em edição em espanhol como Un Tratado tão do tempo separada das considera-
conseqüências: Del Tiempo (Medellin, Colômbia, 1995), e ções das ciências físicas e de sua mate-
em inglês como O Chamado de Pacal Vo- mática, através da teoria da relatividade
 A necessidade de substituir o calen- tan: O Tempo é a Quarta Dimensão, (Altea e ao aparecimento da mecânica quântica.
dário Gregoriano irregular de doze me- Publishing, Escócia, 1996).
ses pelo calendário biologicamente exato O Chamado de Pacal Votan (Tratado Sobre o
de treze luas ( 1990 ), e a criação do Ca- Foi somente após o término dos códigos Tempo) fornece a resposta teórica e ma-
lendário de Treze Luas, 1992, inclusive do Encantamento do Sonho em 1992 que temática para o problema do tempo e da
da revelação da profecia do calendário eu finalmente fui exposto aos primeiros biosfera deixado sem solução por Ver-
de treze luas, Telektonon (1993 – 1995), trabalhos de Vladimir I. Vernadsky. En- nadsky. Agora a análise matemática
todos promovendo o Movimento Mun- tre estes estava incluído seu trabalho quadrimensional correta poderia ser
dial de Paz e de Mudança para o Calen- pioneiro, Biosfera (1926), e seu trabalho aplicada ao problema da civilização hu-
dário de Treze Luas, 1994; final resumido, Problemas da Bioquímica II mana no interior da biosfera. Pois não foi
(1944). Bastante surpreendente, a inves- apenas a questão do tempo que Verna-
 A demonstração real dos códigos ma- tigação de Vernadsky sobre a distinção dsky deixou em aberto, mas também o
temáticos quadridimensionais na forma entre os corpos orgânico, bioinerte e problema que ele descreveu como a
do Encantamento do Sonho, A Jornada da inorgânico dentro da biosfera termina transição biosfera-noosfera.
Nave do Tempo Terra 2013 (1991, em in- com um ponto sem solução: a falta de
glês; 1992, em espanhol; 1994, em japo- entendimento correto da natureza do Na equação holonômica de A Ascensão da
nês e alemão; 1996, em português); e tempo e de sua função na biosfera. Ver- Terra, a questão geologicamente impac-
nadsky foi virtualmente o único cientista tante da civilização --- a transformação
moderno a reconhecer que o tempo não humana da natureza --- é seguida pelo
 A plena exposição científica e articu-
é uma função da geometria métrica e que quarto termo da equação: a natureza
lação das freqüências de tempo 12:60 –
a Quarta dimensão não é apenas um avalia a transformação humana. Na aná-
13:20 e das leis e dos princípios matemá-
acessório sem importância para as outras lise da biosfera feita por Vernadsky, este
ticos do tempo quadridimensional em
três dimensões do tempo. Por ocasião de quarto termo é o advento da transição
“Tratado sobre o Tempo Visto a partir de
sua morte, Vernadsky deixou em aberto biosfera-noosfera, de acordo com a aná-
sua Própria Dimensão”, escrito pela
a necessidade vital de considerar a ques- lise da ciência Maya do tempo, iniciada
primeira vez no final de 1992, publicado

129
em 1987 e que segue um número de es- nho pode acionar o advento da noosfera trabalhar em uma máquina produtora de
tágios distintos e exponencialmente im- e da manifestação do banco psi. monóxido de carbono.
plosivos.
O ponto chave referente ao advento da A escolha consciente de corrigir e retor-
Primeiro de tudo, o que é a transição noosfera é que, sendo o invólucro mental nar ao verdadeiro tempo biológico está
biosfera-noosfera? planetário e a teia telepática da consciên- representada dentro da biosfera pela
A transição biosfera-noosfera é o mo- cia unificada, ela somente poderia suce- aparição do Movimento Mundial de Paz
mento quando o impacto cumulativo do der através de um ato consciente empre- e de Mudança do Calendário de Treze
pensamento humano e de sua forma endido coletivamente por uma determi- Luas. Este movimento tem uma dupla
mental projetada de maquinário indus- nada quantidade de seres humanos. Se o natureza. De um lado, ele prediz o co-
trializado, a tecnosfera intermediária, problema do pensamento e da maquina- meço consciente da transição biosfera-
alcança um ponto de máxima entropia ria humanos na biosfera é devido a um noosfera. De outro lado, como ele está
exponencial, conhecida como combustão erro do tempo, então a solução somente baseado nos ciclos de tempo matemati-
biogeoquímica. Esta combustão biogeo- pode ser conseguida através da correção camente exatos registrados originalmen-
química --- a transformação viva da ma- deste erro do tempo. O erro do tempo te dentro do Tzolkin e conhecidos como
téria e a liberação incontrolada conse- mecânico e artificial colocou claramente o calendário Maya, este movimento, o
qüente de energia livre regulada pela o corpo humano dentro da biosfera se- qual está agora se dispersando por todo
explosão populacional induzida pela parado de todas as outras espécies, para o planeta, demonstra o início do que é
máquina --- aciona a avaliação da natu- o detrimento da existência de muitas aludido profeticamente como o retorno
reza. De acordo com a ciência Maya do outras espécies, incluindo ela própria. A Maya.
tempo, esta avaliação se manifesta de responsabilidade pela ruptura da biosfe-
duas formas: a insanidade final da espé- ra é apenas da humanidade. A única es- Surgido nove anos atrás durante a Con-
cie humana amarrada dentro da bolha pécie literalmente fora de compasso com vergência Harmônica e profetizado pela
do tempo 12:60 artificial e incapaz de a freqüência natural de tempo da biosfe- primeira vez em O Fator Maya (1987), o
responder e muito menos de reconhecer ra é a espécie humana. A análise é muito retorno Maya e a entrada consciente na
e de ser dar conta da crise biosférica que simples e inquestionavelmente óbvia e transição biosfera-noosfera foi formali-
ela própria criou; e a revelação da lei do verdadeira: nenhum golfinho está usan- zado como o Primeiro Congresso Plane-
tempo, aceitação consciente do que sozi- do um relógio de pulso e correndo para tário dos Direitos Biosféricos, em Brasí-

130
lia, Brasil, Lua Solar 11-15, Ano do Mago Mago Ressonante Branco ( 26 de Julho (conclusão do ano Mago Ressonante
Elétrico Branco (Calendário Gregoriano: de 1996 – 25 de Julho de 2000 ) ---- como Branco), é a contrapartida positiva à cri-
17-21 de Março de 1996). Datado exata- o tempo de providenciar conscientemen- ação da bomba atômica, Mago Galáctico
mente 26 anos após à o Primeiro Festival te a transição biosfera-noosfera, e com Branco, 16 de Julho de 1945.
da Terra Global, 1970, e coordenado com isso, completar o quarto estágio da equa-
as Segundas Cerimonias Anuais Solar ção holonômica: natureza avalia a trans- Este experimento envolve um programa
Maya de Todo o Mundo para o Desper- formação humana. precisamente calibrado utilizando os
tar Planetário, Lua Solar 15, (21 de Mar- instrumentos do novo tempo, O Encan-
ço), este encontro planetário foi um Os dois primeiros anos da Primeira Paz tamento do Sonho e o Telektonon, durante
acontecimento de significado histórico Mundial são para a conversão social- um ciclo de ativação de quatro anos. A
sem precedentes: a escolha de uma biosférica de acordo com as leis do tem- Ascensão da Terra fornece os planos para
quantidade crítica da humanidade para po. Os dois anos seguintes são para o este ciclo polar – magnético de ativação
a adoção de um novo calendário e com realinhamento bio-geomagnético da es- biotelepática de quatro nos. Este é o ver-
isso, entrar em uma nova pacto humano pécie humana dentro da biosfera e para dadeiro propósito para a publicação da
com o conseqüente estabelecimento de a conseqüente estabilização dos campos terceira edição deste livro.
uma nova comunidade humana, a nação eletromagnético e geomagnético da Ter-
do arco-íris sem fronteiras, dinheiro e ra. O experimento telepático --- demons-
tecnologia. trando ser o circuito de treze luas de 28
Também referido como a reeducação dias os meios para a espécie retornar
A existência formal desta massa crítica magnética da humanidade, a Primeira para a telepatia universal --- está chave-
da humanidade também laborou um Paz Mundial no seu núcleo, é um expe- ada à ativação simultânea dos quatros
novo nível de inteligência para entender rimento científico resultante na criação quadrantes, ou placas codificadas sazo-
e aplicar os princípios holonômicos de A telepática da ponte do arco-íris conec- nalmente ao banco psi, fornecidas nos
Ascensão da Terra através do experimento tando os pólos magnéticos norte e sul do mapas 1, 29-30, 32-35, 37-39, e 42-48 de A
científico chamado de paz mundial. O planeta Terra. Este evento, a ocorrer na Ascensão da Terra.
Congresso Biosférico proclamou os qua- data do Espelho Ressonante Branco, 25
tro anos da Primeira Paz Mundial ---- de Julho de 2000 O Tempo é tudo. O Mapa 49, Revolução,
anos da Tormenta auto-existente Azul - que também corresponde ao primeiro

131
estágio retorno além do corpus callosum freqüência de tempo 13:20 como um ato mental coletivo operando na freqüência
da história para a pós-história, cita o I consciente da inteligência coletiva entre de tempo 13:20. Esta freqüência de tem-
Ching, Hexagrama 49: a espécie humana. Somente desta manei- po é fornecida pela massa de pessoas
ra a transição biosfera-noosfera pode ser sintonizadas com e seguindo o Calendá-
A IMAGEM ativada. Por que e como? rio das Treze Luas.
Fogo no Lago: No experimento telepático de quatro
A imagem da Revolução Os quatro quadrantes do banco psi, o anos da Primeira Paz Mundial, cada um
regulador noosférico, são governados dos quatro anos corresponde a cada um
Então a pessoa superior
por dois conjuntos cada de grades dos quatro quadrantes. Cada uma destas
Ordena o calendário Tzolkin alinhadas polarmente, oito gra- placas ou quadrantes está dividida em
E clareia as estações. des Tzolkin ao todo. Estas grades grade Tzolkin do hemisfério norte e gra-
Tzolkin mantém o campo biopsíquico de Tzolkin do hemisfério sul. Estas duas
O “calendário colocado em ordem” é a (DNA) de ressonância em harmonia com grades produzem 520 unidades crono
substituição do calendário Gregoriano o campo eletromagnético que, por seu psi, ou 260 (x 2) por placa por ano, 2080
pelo Calendário de Treze Luas. As “esta- lado, está em ressonância mútua com o unidades crono psi ao todo. (Veja Mapa
ções clareadas” é a transição biosfera- campo gravitacional ou geomagnético. O 43). Cada ano perfeito de treze luas está
noosfera, a qual, de acordo com Verna- campo geomagnético, carregado pelo dividido em 26 semanas ou em 182 dias
dsky, levará a uma nova estação terrestre gigantesco cristal de ferro em forma de cada; cada metade de ano corresponde a
ou época geológica, a era Psicozóica.. octaedro no coração da Terra ressoa nu- cada uma das grades Tzolkin por placa
Esta era --- o advento de uma humani- ma freqüência de 7,8 Hz. As grades psi.
dade tão unida psiquicamente dentro da Tzolkin governam o campo biopsíquico
biosfera e sobre o planeta quanto tem de acordo com a freqüência natural de O experimento telepático chamado “Al-
estado unida tecnologicamente --- cor- tempo do 13:20. Os 7,8 Hz também é terando o Magneto da Existência”, clama
responde à síntese radiosônica ativada uma função fractal de 13:7,8=78=(13 x 6 ). por dois conjuntos de pessoas, um con-
telepaticamente que põe em movimento Precisamente pela razão que as grades junto no hemisfério norte, e um outro
o campo holonômico de cultura galácti- Tzolkin funcionam na freqüência de conjunto no hemisfério sul. Cada ano,
ca. O “calendário colocado em ordem” tempo 13:20, elas somente podem ser cada conjunto de pessoas liga sua pola-
também se refere ao estabelecimento da ativadas conscientemente por um campo ridade precisamente no ponto médio do

132
ano, de modo que cada metade de um baleias, e as formigas, por exemplo, to- um fim na maneira em que a civilização
quadrante psi também se ligue, trans- dos mantém sua ressonância biogeo- está constituída atualmente. Em uma
formando-se ou em um campo transmis- magnética, e por esta razão mantém-se palavra, a humanidade excedeu a norma
sor ou em um campo receptor. Ambos os estáveis em suas comunidades e percor- biosférica, quebrou a constante da bio-
conjuntos telepáticos de pessoas mode- rem a Terra instintivamente, os humanos massa e agora precisa restabelecer-se.
lam um código de instruções que segue o substituíram esta ressonância natural Tudo isto, também, é uma função da
tabuleiro do calendário Telektonon de tal por instrumentos eletromagnéticos tec- transição biosfera-noosfera, o advento do
maneira que sobre o ciclo regular do ano nológicos de toda espécie. O efeito cu- banco psi: a natureza avalia a transfor-
de treze luas, as 260 (x2) unidades crono mulativo é uma desestabilização magné- mação humana. É indispensável para
psi sejam ativadas telepaticamente. Am- tica desastrosa. Ondas sonoras são inun- este experimento um entendimento da
bos os conjuntos de pessoas também se- dadas por quantidades estonteantes de natureza e da função das quatro placas
guem as instruções para o alinhamento o bits de informação incompreensível e psi de dois hemisférios descritas em de-
ser humano com o holon do planeta pela irregular; sistemas de satélite HAARP e talhes nos mapas de A Ascensão da Terra,
ativação das 73 cromáticas harmônicas GPS interferem nos cintos de radiação observado acima. No restabelecimento
anuais que mantém a constante da bio- eletromagnética e na ionosfera; e em to- da telepatia humana, o banco psi pro-
massa --- o valor pelo qual a vida na bi- do lugar, a população urbana se expande gredirá através de quatro estágios até
osfera retém a sua estabilidade e a sua em número, tornando-se mais perdida seu ponto de clímax e manifestação final:
biodiversidade. na corrida insana de cidades cujos estilos a ponte do arco-íris ativada telepatica-
de vida assemelham-se mais e mais com mente que utiliza, aumenta e conecta a
O ponto crucial e a essência deste expe- as paisagens de filmes de ficção científica aurora boreal do pólo norte com a aurora
rimento é este: através de séculos e como no filme Blade Runner – O Caçador austral do pólo sul. Seguindo rigorosa-
mesmo através dos milênios da péssima de Andróides e Laranja Mecânica. mente este experimento durante quatro
adoção da freqüência 12:60, a humani- anos, a humanidade irá testemunhar a
dade tornou-se magneticamente deses- O experimento coletivo no tempo, os cada ano a alteração de sua consciência,
tabilizada; ela rompeu sua ressonância Quatro Anos da Primeira Paz Mundial, ao aumento de sua telepatia, ao retorno
magnética, o princípio pelo qual um or- tem a finalidade de corrigir esta situação da capacidade de auto-cura, à ocorrência
ganismo mantém seu vínculo com o seu o mais breve possível, prevenindo desas- cada vez mais espontaneamente de sua
meio, a biosfera. Enquanto os pássaros, tres piores através da conclamação por simplicidade de viver e da simplicidade

133
da ordem natural, e à normalização de Ele direciona os afazeres Organizado por Olyani Braga Villarino
seu senso de harmonia e comportamento Dos céus Mão Auto-existente Azul Kin- 147 e Sér-
artístico instintivo. Isto, em essência, é a Para a Terra, então gio Murilo Ávila Ferrari ( Sandesh ) –
natureza do experimento, a de acionar Kin 252
Eleva-se até Ele, num Dia
ativamente a manifestação do banco psi.
Empreender este experimento é um ato A medida que é e-mail = olymao4@gmail.com. ou vidas-
heróico de coragem. Contudo é a única Mil anos passadas@yahoo.com ou ainda vanbi-
opção para a sobrevivência. Ao não Por sua avaliação. osf@sanet.com.br. ou fone XX (11)
aproveitar esta oportunidade, a humani- Sagrado, Corão 38848318
dade sela a sua própria condenação.
Sura 32:5

É por esta razão que a terceira edição de


José Argüelles, Ph.D. PALAVRAS SOBRE O AUTOR
A Ascensão da Terra é o livro indispensá-
vel ao colégio invisível na administração Brasília, Brasil, América do Sul
do curso ético terrestre da transição bios- Placa do Verão do Atlântico Sul José Argüelles, mensageiro do
fera-noosfera. Que esta possa ser a edi- novo tempo, nasceu em 1939, recebeu
Kin 78, Espelho Cósmico Branco
ção derradeira e definitiva. Além do seu Ph.D (diploma) em História da Arte
Ano do Mago Elétrico Branco e Estética na Universidade de Chicago
ponto inicial milenar da manifestação do
“Pacal Votan Encerra o Ciclo” em 1969. Sua eminente carreira como
banco psi, o futuro galáctico será re-
escrito dentro de nossas próprias células. educador começou na Universidade de
A Telepatia irá fornecer o conhecimento Princeton em 1966 e continuou pelos 23
que perdemos. Espiritualmente unidos, anos seguintes na Universidade da Cali-
Colaboração da tradução de José Walter fórnia, Davis, no Colégio Estadual de
iremos nos transformar em um dentro de
Dolzan = Espelho Galáctico Branco Evergreen, no Instituto Naropa, na Uni-
outro grande ciclo de inteligência evolu-
Kin=138 versidade Estadual de São Francisco, no
tiva, A Ascensão da Terra.
Traduzido por Márcio Davi Cachorro Instituto de Arte de São Francisco, na
Lunar Branco Kin =210 Universidade do Colorado, Denver, e na
Escola Estadual de Graduação.

134
Seus livros pioneiros, traduzidos 17, 1987, a infame meditação global e 1996 eles convocaram o Primeiro Con-
em muitas línguas, são o resultado de evento planetário da paz. gresso dos Direitos Biosféricos (Brasília)
sua própria atividade artística e investi- Dando continuidade na descober- e conduziram a Cerimônia de Dissolução
gação cientifica em todos os sistemas: ta do código do Calendário Maia no seu dos Limites dos Quatro Cantos. Telekto-
Mandala (co-autor, 1972), Charles Henry ‘bestseller’ internacional O Fator Maya non, o Jogo da Profecia foi produzido em
and the Formation of a Psychophysical Aes- (1987), Argüelles, com Lloydine, conti- 1996. Atualmente Argüelles é coordena
thetic (1972), The Feminine Spacious as the nuou suas investigações matemáticas e dor do Colégio Invisível para a Primeira
Sky (co-autor, 1977), Earth Ascending cientificas dos códigos de tempo, fun- Paz Mundial, 1996-2000.
(1984, 1988, 1996), The Mayan Factor damento do sistema do Calendário Maia
(1987), Surfers of the Zuvuya (1988) The all da América Central. O resultado das su-
os Pacal Votan, Time is the Fourth Dimensi- as pesquisas conjuntas foi a descoberta
on (1996), The Arcturus Probe, Tales and das freqüências 12:60 e 13:20 pelo estabe-
Reports of na Ongoing Investigation (1996). lecimento do conjunto de ferramentas e
Como um dos fundadores origi- provas da matemática da quarta dimen-
nais do Dia da Terra (Primeiro Fertival são do tempo, Encantamento do Sonho,
Total da Terra, Davis, Califórnia, 1970), Viagem da Nave do Tempo, Terra 2013
Argüelles é por toda a vida um ativista (1991).
pela paz e transformação da consciência Em 1993, 40 anos depois do co-
planetária. Com sua esposa e parceira, nhecimento da matemática do Calendá-
Lloydine, fundou a Rede de Arte Plane- rio Maia, Argüelles iniciou a decodifica-
tária (1983), promovendo o renascimento ção do ciclo da profecia final de Palen-
do Pacto de Paz e da Bandeira da Paz de que, o Telektonon de Pacal Votan. Esta pro-
Nicholas Roerich (1935). Trabalhando fecia deu origem ao 13º Movimento de
com informações proféticas recebidas de Paz Mundial pela Mudança do Calendá-
Tony Shearer em 1970, Argüelles purifi- rio Lunar (1993), causa a que os dois Ar-
cou o estudo de toda a sua vida das ma- güelles devotaram sua vida. Na pere-
temáticas e profecias do Calendário Maia grinação pela paz planetária sua mensa-
na Convergência Harmônica, Agosto 16- gem os levaram à volta ao mundo. Em

135