Você está na página 1de 11

Ciclos de Melhoria de Qualidade

Micheline Marie Milward de A. Meiners


micheline@bra.ops-oms.org
OPAS/OMS - Brasil
O que é responsável pela lacuna da qualidade/
efetividade?

 O sistema corrente é
orientado as doenças
agudas e não para os
pacientes ou
profissionais
Efetividade de estratégias de melhoria da
qualidade: Revisão JAMA

Shojania, K. G. et al. JAMA 2006;296:427-440.


Doenças Crônicas e Cuidados Médicos

 A APS é dominada pelo cuidado de condições crônicas;


 Manejo clínico e comportamental aumentam a efetividade,
MAS aumentam a complexidade;
 Financiamento inadequado e maior demanda forçam a APS
aumentar o volume de atendimentos – um círculo vicioso;
 Insatisfeitos os médicos da APS deixam a prática clínica e
residentes preferem outras especialidades;
 Perda da confiança na APS pela comunidade e gestores;
 Entretanto, os novos modelos da APS e o crescimento do
interesse em mudar a remuneração profissional, encorajam e
melhoria a qualidade
Modelo de Cuidado às Doenças Crônicas

Comunidade Sistema de Saúde


Recursos e Organização da Atenção à Saúde
políticas
Sistema
Suporte para
Apoio ao auto- Desenho da informação
decisões
cuidado linha de clínica
clínicas
cuidado

Paciente Interações Equipe de saúde


Ativo e proativa e
produtivas
informado preparado

Melhores Resultados
SERIE INOVADORA NOS CUIDADOS DE
DOENÇAS CRÔNICAS (Breakthrough Series (BTS)

Desenvolvido pelo Institute for Healthcare Improvement (IHI), é


um modelo de melhoria baseado em trabalho colaborativo
entre equipes, que se apoiam para encontrar soluções para
barreiras ou problemas identificados e para alcançar os
objetivos de qualidade propostos (pela equipe).
Trabalha em ciclos de qualidade que se repetem, com
duração de 2 a 3 meses. Os projetos tem duração entre 6 a
15 meses.

http://www.ihi.org/IHI/Programs/ProfessionalDevelopment/BreakthroughSeriesCollegeSp
ring2011.htm?player=wmp
SERIE INOVADORA NOS CUIDADOS DE
DOENÇAS CRÔNICAS (Breakthrough Series (BTS)

Seleção do Participantes
Tópico AVALIAÇÕES PLANOS DE TRABALHO
(mensal)
Trabalho Prévio

P P P
Identificação de
Reunião de A F A F A F
Ferramenta de
Especialistas Mudança E E E
Evento
SA 1 SA 2 SA 3
Reunião de
Final
Gerentes
ACIC ACIC

Elaboração do
documento do projeto
Modelo para melhoria
Que estamos buscando
alcançar?
Como saberemos que
uma mudança é uma melhoria
Que mudanças podemos fazer
que resultarão em melhorias?

Atuar/ Planejar/
Implementar Organizar

Estudar/ Fazer/
Clarificar Realizar

VIDA -Veracruz Initiative for


Diabetes Advancement
O Ciclo PFEA

Atuar ou Planejar ou
Implementar Organizar
• Que • Objetivos
• Perguntas e
mudanças são
metas (por que)
necessárioas no • Plano para conduzir
plano? o ciclo (quem, o que,
• Próximo ciclo? onde, quando)

Estudar ou Clarificar Fazer ou Realizar


• Completar análise •Conduzir ou realizar o
• Comparar plano
resultados e • Documentar problemas
metas e dificuldades/ fatos
• Resumir o inesperados
aprendido • Começar a
análise dos
dados VIDA -Veracruz Initiative for
Diabetes Advancement
Como saberemos que uma mudança é
uma melhoria?

Uso Repetido do Ciclo


Mudanças que
resultam em
Melhoria
A P
OS
A D F E
E F
D
P A
A O Projeto Colaborativo
E P busca mudar o trabalho
F da organização para
A P gerenciar de forma mais
Teorias & E F eficiente o cuidado as
Ideias Ciclo de 3 meses pessoas com DC
Atenção por “Linha de Cuidado”
Evolução
PROMOÇÃO DA SAÚDE

Baixo Sinais
Risco Sintomas DOENÇA
risco precoces

PPI Ações
PROTOCOLOS
preventivas
ASS. FARMACÊUTICA
Rastreamento
PORT. 2583- OUT/ 07
GERENCIAMENTO
DA DOENÇA SIS: SIA, SIH, SIAB,
HIPERDIA

Adaptado de: Drug & Ther Perspect 14(12):14 - 16, 1999 Adis International Limited 1

MOBILIZAÇÃO
COMUNITÁRIA

(UNI-DIA) ESCORE DE RISCO


(FINDRISK)
ED. DIABETES
(Mat Educativo)