1

AVALIAÇÃO DO TEMPO DE RETORNO DOS SISTEMAS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA NO SETOR RESIDENCIAL1,2

Patrícia Abdala Raimo3, Murilo Tadeu Werneck Fagá4

RESUMO

Das aplicações da energia solar o aquecimento de água se apresenta atualmente como uma alternativa economicamente viável e ambientalmente limpa em relação à energia final gerada a partir das fontes convencionais de energia primária.Este trabalho apresenta uma avaliação do retorno do investimento para o consumidor residencial quando este utiliza exclusivamente em sistemas de acumulação a tecnologia solar para aquecimento de água. O tempo de retorno do investimento será avaliado em função da eficiência do coletor na conversão da radiação solar em calor e do consumo evitado de energia final, eletricidade ou gás natural. O resultado desta comparação é mostrado para três níveis de irradiação e para qualquer volume de água a ser aquecido.

Tema: Fontes Renováveis de Energia ; Perspectiva: Econômica 2 Preferência por apresentação oral 3 Pesquisadora do Programa Interunidades de Pós-Graduação em Energia – USP Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289 - Cidade Universitária, 3091-2657 email: patriciaar@iee.usp.br 4 Professor Dr. Programa Interunidades de Pós-Graduação em Energia – USP Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289 - Cidade Universitária, 3091-2634 email: murfaga@iee.usp.br

1

Definimos a taxa de cobertura solar (TCS) como sendo a razão entre a energia final evitada e a energia final necessária para a satisfação do consumidor.INTRODUÇÃO Atualmente a sociedade moderna está apoiada no excessivo consumo de energia. A escolha depende da relação custo e benéfico que melhor se adequar ao usuário. Como conseqüência. surgindo a possibilidade da ampliação do uso de recursos energéticos renováveis e limpos. . estes recursos não renováveis tendem a custos maiores. Coletores instalados em uma mesma localidade podem apresentar diferentes eficiências na conversão da radiação solar em calor. Existe uma tendência em considerar que os sistemas de aproveitamento solar são sempre simples. O não conhecimento das características do sistema de aquecimento solar de água pode levar a uma instalação onde a maior parte da energia solar absorvida não é aproveitada e a energia consumida provém do sistema auxiliar de energia. uma de suas aplicações é para o aquecimento de água no setor residencial. O sistema solar de aquecimento de água não é autônomo. Os coletores de menor eficiência podem apresentar custos mais baixos e acessíveis. Se houver disponibilidade de espaço.2 1. (DUFFIE. È consenso que as reservas de petróleo e gás natural estão limitadas para as próximas gerações e o uso indiscriminado dessas fontes primárias compromete o meio ambiente. Entre as fontes renováveis a energia solar vem ganhando ênfase. energia que o consumidor paga (PROGENSA. Para uma determinada condição meteorológica a eficiência instantânea do coletor depende das propriedades físicas dos materiais utilizados para a sua fabricação e sua arquitetura. 1991). 1989). pode-se optar por instalar uma maior área de coletores com menor eficiência para aquecer a mesma quantidade de água. exigindo uma energia auxiliar.

Q = m.000.3 Para o bom dimensionamento do sistema que a determinação do melhor tempo de retorno do investimento é necessário conhecer a eficiência média diária e a taxa de cobertura. 4. O tempo de retorno do investimento será avaliado para diferentes níveis de irradiação solar diária no plano do coletor. a tecnologia solar para aquecimento água. caracterizada pelo número de pessoas.000 Wh/m2. A energia necessária diária (Q) para aquecimento da água depende da massa de água (m). quantidade de aparelhos e suas diferentes vazões. OBJETIVO Este trabalho apresenta a avaliação do retorno do investimento para o consumidor residencial quando este utiliza. que dependem dos parâmetros meteorológicos e das características intrínsecas de projeto do coletor e do acumulador. T. O sistema é comparado economicamente com acumuladores elétricos e a gás. DIMENSIONAMENTO DO COLETOR SOLAR Cada residência possui uma demanda de água quente. 2. 3. Existe uma grande incerteza na determinação desses parâmetros. O resultado desta comparação é demonstrado pelo tempo de retorno do investimento para a instalação dos coletores. em sistemas de acumulação.c. do calor específico da água (c) e do acréscimo de temperatura ( T ) necessário. hábitos de consumo. 5. (1) . em função da eficiência média diária e da taxa de cobertura solar.000 e 6. para qualquer volume de água a ser aquecido.

c. ENERGIA FINAL EVITADA A energia final evitada (E) é obtida pela equação (4).4 Para uma mesma localidade. a eficiência ( ) do coletor e a irradiação solar diária incidente no plano do coletor (Ht). E= A ⋅ Ht ⋅ η ⋅ TCS ηeq. é necessário conhecer a energia útil para aquecimento da água consumida (Q). para uma mesma localidade. 4. O acréscimo de temperatura.∆T η ) / Ht (3) A área do coletor é diretamente proporcional ao volume de água quente. (4) . A=( Q η )/ Ht (2) Substituindo (1) em (2) tem-se que: A=( m. na conversão de energia final em calor. onde a eq é a eficiência do equipamento. Para dimensionar-se a área de coletores solares (A). que se deseja alcançar varia com a temperatura ambiente. a energia útil necessária para aquecimento de água (Q) é proporcional ao consumo (m).

ou seja. INVESTIMENTO INICIAL. em sistemas de acumulação.Io (6) • EE (Energia economizada em R$): É o preço da energia final evitada. no momento em que: . dos desembolsos e economias ao longo da vida útil do coletor. I = A. é o acréscimo do coletor solar. para incluir a tecnologia solar para aquecimento de água. Io é o preço do metro quadrado do coletor. EE = E ⋅ preço _ da _ energia (7) • • i (taxa de juro) n (período de análise) O tempo de retorno do investimento ocorre quando o investimento é recuperado. VPL = − I + EE j 1 j =1 ( + i ) n (5) • I (Investimento inicial): O custo do coletor solar instalado. O tempo de retorno é calculado pela avaliação do Valor Líquido Presente (VLP). O investimento.5 5. o qual permite substituir a energia final paga.

br. tem-se: A ⋅ Io = A ⋅ n j =1 Ht ⋅η ⋅ TCS 1 ⋅ ⋅ preço _ da _ energia ηeq (1 + i ) j (9) Pode-se concluir que: 1.15 a 0. 5.6 I= EE j 1 j =1 ( + i ) n (8) Substituindo (6) e (7) em (8).cspe. Portanto o produto x TCS varia de 0. na cidade de São Paulo5. 6. Afinal a área do coletor é diretamente proporcional ao volume de água a ser aquecida. em uma mesma localidade. .000 Wh/m2. A variação aqui apresentada é de 30 a 50% para a eficiência e de 50 a 90% para a taxa de cobertura solar. e o preço do gás natural para 5 www.45.dia. Para qualquer volume de água aquecida.000 e 6.org. Os preços da eletricidade são para consumo maior que 200 kWh/mês. alguns aspectos foram amplamente pesquisados e considerados para esta simulação. Consulta em março de 2006. o tempo de retorno do investimento é o mesmo. ANÁLISE DE CUSTOS E VIABILIDADE ECONÔMICA ENTRE OS SISTEMAS O tempo de retorno é avaliado para locais com radiação solar de 4. Para qualquer área de coletor o tempo de retorno do investimento é o mesmo.000. Para avaliação do tempo de retorno. conforme visto em (3). 2. É demonstrando o tempo de retorno da instalação do coletor solar em função da variação da eficiência ( ) e da taxa de cobertura solar (TCS) dos coletores.

A forma da superfície apresentada no gráfico é a mesma para as localidades onde a radiação média é de 4.7 consumo entre 8 e 17m3/mês. em função da Eficiência e a da Taxa de Cobertura Solar.000 Wh/m2 . Questionário de Pesquisa Levantamento do perfil de consumo de energia em um condomínio vertical . está sendo considerado que o custo manutenção é o mesmo para os diferentes sistemas. uma vez que esta eficiência varia com o tipo de equipamento utilizado (ROLAND. • Taxa de juro: 8% e 12%. EE (Energia economizada em R$): Preço da energia elétrica R$0.4162 kWh Preço do gás natural R$ 2. O mesmo ocorre com o investimento do coletor quando este possui sistema auxiliar a gás. quando este possui sistema auxiliar elétrico. adota-se a eficiência do processo da conversão elétrica em calor de 95%. e de 72% na queima direta do gás. a diferença está no valor (tempo de retorno) dos pontos máximo e mínimo. conforme apresentado na figura 6.dia. Esta figura é para a localidade onde a irradiação é de 5.000 Wh/m2 .classe média cidade de São Paulo.000 e 6. menor o tempo de retorno do investimento. A figura. Portanto a diferença de custo operacional é igual a zero. incluindo outros usos destas energias finais6. 6 .1 apresenta o tempo de retorno do investimento do coletor solar.dia e a taxa de juros é de 8% ao ano. Estudo Usos Finais.2005. 1994). Observa-se que quanto maior a eficiência e a taxa de cobertura solar. No cálculo de energia final evitada.6466 m3 • Custo Operacional: Em 6 anos. • • I (Investimento): Custo do coletor estimado em R$400 m2. RAIMO.2.6.

000 kWh/m² r = 8 % aa 6 5 4 Anos 3 2 1 0 30% 40% 50% 50% 70% 90% TCS Eficiência Figura 6.Tempo de Retorno Coletor Solar – comportamento final auxiliar a gás – taxa de juro a 8% aa x TCS – com energia .5 1 0.2 .Com auxilio elétrico 4 3.5 3 2.8 Tempo de Retorno Coletor Solar – comportamento x TCS .Tempo de Retorno Coletor Solar – comportamento final auxiliar elétrica – taxa de juro a 8% aa x TCS – com energia Tempo de Retorno Coletor Solar – comportamento x TCS – com auxilio a gás 5.000 kWh/m² r = 8% aa Anos 2 1.5 0 50% 70% 30% TCS 40% 50% Eficiência 90% Figura 6.5 5.1 .

28 0.28 0.000 Wh dia 6.000 Wh dia Anos 4 3 2 1 0 0. Estas figuras mostram os resultados obtidos para as taxas de juro de 8% (figura 6.000 e 6.000.45 Figura 6.15 0.35 0.000 Wh dia Gráfico 6. Tempo de Retorno "Solar / Elétrico" r = 8% aa 6 5 4.000 Wh dia 5.3) e 12% (figura 6.4 apresentam o tempo de retorno do investimento do coletor solar.3 e 6.45 Eficiência x TCS 4.35 Eficiência x TCS 0.000 Wh dia 5.4 – Tempo de Retorno “Solar / Elétrico” r = 12% aa .4 0.9 As figuras 6.4 0.25 0. com energia final auxiliar elétrica.2 0.000 Wh/m2 .2 0.000 Wh dia 6.4) ao ano. 5.3 0.3 – Tempo de Retorno “Solar / Elétrico” r = 8%aa Tempo de Retorno "Solar / Elétrico" r = 12% aa 7 6 5 Anos 4 3 2 1 0 0. Esta comparação é apresentada para o produto da eficiência e taxa de cobertura solar ( x TCS) nas localidades onde a radiação local é de 4.dia.15 0.

000 e 6.6 apresentam o tempo de retorno do investimento do coletor solar.6 – Tempo de Retorno “Solar / Gás Natural” r = 8%aa Tempo de Retorno "Solar / Gás Natural" r = 12% aa 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 0. Tempo de Retorno "Solar / Gás Natural" r = 8% aa 8 7 6 5 4 3 2 1 0 0.6 ao ano. com energia final auxiliar a gás.15 0.000 Wh dia 6.000 Wh dia 5. figura 6.000 Wh/m2 .000 Wh dia 5.45 Eficiência x TCS Figura 6.2 0.10 As figuras 6.000.35 0.35 4.7 – Tempo de Retorno “Solar / Gás Natural” r = 12%aa .45 Figura 6. 5.25 0.000 Wh dia Anos 0.28 4.000 Wh dia Anos Eficiência x TCS 0.15 0.4 0.25 0. figura 6.2 0.4 0.dia.000 Wh dia 6. Esta comparação é apresentada para o produto da eficiência e taxa de cobertura solar ( x TCS) nas localidades onde a radiação local é de 4.28 0. Estas figuras mostram os resultados obtidos para as taxas de juro de 8%.5 e 6.5 e12%.

Promotora General de Estúdios. É demonstrado que o tempo de retorno do investimento independe da área de coletor e do volume de água a ser aquecido.ed. 1994. FRANCIS X. Assumptions and Methodology for end-Use Forecasting whith EPRI – REEPS 2. Espanha. sobre o tempo de retorno do investimento.. 8. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este trabalho mostra a influência da taxa de cobertura solar. da taxa de juros e da energia final auxiliar. IEE. New York: John Wiley&Sons. J. 2ed..P. JAMES W.J. Solar Engineering of Thermal Process..919p. A.G. da eficiência média do coletor. Questionário Pesquisa Levantamento do perfil de consumo de energia em um condomínio vertical .A.USP.A. PROGENSA. 1. J.H. .1 University of California. Estudo Usos Finais.Instalaciones de Energia Solar – Curso programado. BECKMAN. (1991). RAIMO.. Richard E. S.classe média cidade de São Paulo. 1989. . H.11 7.. SILVA. Koomey. Sevilla. W.. A. Brown. 1991. ROLAND. Residencial Appliance Data.. Programa Interunidades de Pós Graduação em Energia. REFERÊNCIAS DUFFIE. JONATHAN G. 2005. C.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful